Posts Tagged ‘Compostagem’

Evonik adquire divisão de aditivos de alta concentração da 3M

21/12/2017

  • Portfólio de aditivos especiais da Evonik para a indústria do plástico será ampliado para incluir aditivos sólidos
  • Tecnologia permite soluções inovadoras para a indústria de processamento do plástico
  • Aquisição enfatiza foco da Evonik em Aditivos Especiais -um dos motores de crescimento da empresa.

A Evonik adquiriu a divisão de compostagem de aditivos de alta concentração da 3M. O acordo correspondente já foi assinado. Com o negócio, o grupo de especialidades químicas aumenta suas possibilidades de crescimento no negócio de alta lucratividade dos aditivos especiais. A Evonik já oferece uma variedade de aditivos para a indústria do plástico e a aquisição permitirá que a empresa passe a oferecer também aditivos sólidos.

“Estamos formando uma plataforma excelente para o desenvolvimento de soluções inovadoras, além de expandir de modo significativo o nosso portfólio de produtos”, diz o Dr. Dietmar Schaefer, responsável pela linha de negócios Interface & Performance da Evonik. O acordo aumenta as capacidades da empresa em aditivos especiais – uma de suas mais importantes áreas de crescimento. Ainda sujeita às costumeiras condições de fechamento, a operação deve ser concluída no primeiro trimestre de 2018. As partes concordaram em não revelar o valor da compra.

A aquisição inclui o portfólio de produtos Accurel®, produzido em Obernburg (Bavária, Alemanha), bem como as instalações produtivas de Obernburg, incluindo os 25 postos de trabalho que serão mantidos. A tecnologia de compostagem de aditivos de alta concentração permite que os fabricantes de plásticos introduzam grandes volumes de aditivos em uma matriz polimérica por meio de um suporte de polímero sólido. Com isso, a Evonik poderá explorar novas aplicações, por exemplo na indústria de embalagens. Os novos produtos serão incorporados à linha de negócios Interface & Performance da Evonik.

A linha de negócios Interface & Performance produz e comercializa aditivos especiais para a indústria do plástico. Esses produtos facilitam o processamento do plástico (dispersão de cargas, fluidez, antiestática) e melhoram o seu desempenho (resistência a riscos, controle de odor, resistência mecânica). Para isso, a linha de negócios lança mão de plataformas de tecnologia inovadoras para a produção de silicones e aditivos especiais à base de surfactantes. As aplicações típicas que a empresa tem em mente na indústria do plástico por meio dos aditivos especiais incluem filmes, espumas, fibras, nãotecidos, moldagem por injeção e cabos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Anúncios

Projeto Resíduo Zero transformou resíduos orgânicos gerados na Feiplastic em fertilizante

11/05/2015

Feiplastic_Residuo_ZeroEm uma área reservada da área externa do Pavilhão do Anhembi, durante a Feiplastic, um processo de compostagem acelerada transformou resíduos orgânicos em fertilizante. A transformação não leva mais do que 24 horas, eliminando água em forma de vapor e liberando calor. Ao revolver o material, a temperatura pode chegar até a 60º, de acordo com Fernando Beltrame da Eccaplan Consultoria Ambiental, que coordena o Projeto Resíduo Zero em parceria com a organizadora do evento, a Reed Exhibitions Alcantara Machado.

Beltrame explica que a Reed é a primeira empresa de eventos a organizar um programa de resíduo zero no Brasil. Até a quarta-feira, terceiro dia do evento, entre 1 e 1,5 tonelada já haviam sido transformados em cerca de 150 kg de fertilizante. O material, ao se estabilizar como adubo, é enviado a parques e hortas urbanas de São Paulo. O produto final não tem odor desagradável e não atrai moscas ou outros animais.

Na WTM – World Travel Market Latin America, outra feira do portfólio da Reed ocorrida em abril, o aproveitamento do rejeito orgânico foi de 72%. “Agora, na Feiplastic, o objetivo é fechar o último dia de exposição com número ainda maior. Todas as feiras da organizadora durante 2015 levarão adiante o projeto”, diz Ana Cláudia de Souza, coordenadora da Reed em parceria com a Eccaplan.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic; Vídeo: Reed Exhibitions Alcantara Machado

Curta nossa página no

Prêmio de Tecnologias Plásticas 2015: os vencedores serão anunciados durante a feira PLAST 2015, em Milão (Itália)

23/04/2015

Plast_2015-Tech-Awards-2012Conceitos originais inovadores para consumo rápido ou produtos descartáveis ​​que exploram as potencialidades de tecnologias específicas de produção e transformação de plásticos: estes são os pilares da segunda edição do Prêmio de Tecnologias Plásticas, o concurso internacional lançado pela Promaplast, entidade organizadora da PLAST 2015, que ocorrerá de 05 a 09 maio de maio próximos no Pavilhão da Fiera Milano – Rho, em Milão, na Itália. ). O Prêmio tem a colaboração da POLI.design, um consórcio do Politécnico de Milão.

Os nomes dos projetos classificados para as finais foram anunciados há alguns dias:

  • EAT & PLAY – Embalagem de sorvete
  • PALINGENESI – Contâiner Reciclável
  • ASAP: Copo Compostável – Tão sustentável quanto possível
  • YIN & GNAM – Talheres descartáveis
  • Bione PACK – embalagem de açúcar e colher

O Prêmio de Tecnologias Plásticas 2015 tem como foco o descarte e reciclagem de produtos, componentes e embalagens caracterizados pela rápida obsolescência, uso ou descartabilidade temporária, tais como utensílios domésticos e embalagens de produtos de consumo de rápido.

O concurso aborda um tema de grande relevância atual, refletindo sobre os efeitos do crescimento ininterrupto de produtos de consumo rápido para uso diário nas culturas ocidentais. Muitos dos produtos, embalagens e componentes descartáveis ​​ou temporários que caracterizam os novos paradigmas de consumo são projetados sem considerar as questões relativas ao seu descarte – que também é inevitavelmente rápido – de materiais ou complexos de materiais que muitas vezes não podem ser separados ​​ou reciclados e, portanto, não se prestam a um descarte adequado.

Grandes empresas italianas e estrangeiras que irão expor na PLAST 2015 estão constantemente buscando desenvolver soluções concretas para os problemas de descarte e reciclagem. Um exemplo é a Novamont (Pavilhão 9, stand D82), que apresentou recentemente a primeiro cápsula de café espresso, fabricada na Itália, em colaboração com a Lavazza. A cápsula vai ser feita de Mater-Bi 3G, a terceira geração de Mater-Bi, que é caracterizada por uma elevada percentagem de matérias-primas renováveis. Após o uso, a cápsula pode ser descartada como resíduo compostável e enviada para os processos de compostagem industrial, da mesma forma que a borra de café. E a Novamont não está sozinha: em colaboração com seus parceiros, a API (Pavilhão 9, stand C41) criou uma nova cápsula 100% compostável e biodegradável, de mono-uso, para bebidas quentes. Ela utiliza uma tecnologia de compressão, a partir de uma formulação de compostos termoplásticos API Apinat Bio, que podem ser processados ​​usando as tecnologias de transformação mais comuns para atender a uma ampla gama de aplicações, desde calçados a embalagens.

“O novo desafio colocado pelo Prêmio de Tecnologias Plásticas 2015 para os designers de todo o mundo”, afirmou Mario Maggiani, Diretor da PROMAPLAST, organizador da PLAST 2015″, é o de conceber projetos que reduzam o impacto do descarte, explorando as potencialidades de tecnologias de materiais e de produção e introduzindo funcionalidades inteligentes no próprio produto que atendam às necessidades dos consumidores. São projetos que possam mudar todo o setor de produtos sujeitos a rápida obsolescência ou utilização temporária para uma forma mais sustentável”.

Os projetos vencedores serão julgados por um júri de especialistas:

  • Francesco Trabucco, Professor de Desenho Industrial na Escola de Design da Politécnica de Milão e diretor do curso de “Design for Plastics” (POLI.design);
  • Luciano Galimberti, presidente da ADI – Associazione per il Disegno Industriale;
  • Matteo Ingaramo, diretor do consórcio POLI.design;
  • Mario Maggiani, Diretor da PROMAPLAST;
  • Claudio Celata, Diretor da CESAP.

Após a conclusão da primeira fase do concurso, o júri avaliou os projetos tanto pelo seu conteúdo inovador como pelo seu sucesso em explorar as possibilidades e limitações das tecnologias fornecidas. Os finalistas selecionados para a segunda fase da competição continuarão a desenvolver os seus conceitos com base no feedback fornecido pelo júri.

A segunda fase vai ser finalizada com a seleção dos projetos vencedores, que irão dividir o prêmio total de 8.000 euros em dinheiro.

A iniciativa é patrocinada pelas empresas Amut (www.amut.it), fabricante de linhas de extrusão e termoformagem e sistemas de reciclagem, e Negri Bossi (www.negribossi.com), fabricante de sistemas de injeção de termoplásticos, termo-rígidos e elastômeros, ambos participantes da PLAST 2015, assim como pelas associações de comércio Plastics Europe Italia (plasticseuropeitalia.federchimica.it), uma associação italiana de produtores de plásticos e Assocomaplast (www.assocomaplast.org), Associação Italiana de Fabricantes de Máquinas de processamento e de Moldes para Plásticos e Borracha.

A cerimônia de premiação será realizada no dia 5 de maio, durante a abertura da PLAST 2015.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plast 2015

Curta nossa página no

Projeto piloto em Joinville realiza tratamento de resíduos sólidos orgânicos em sacos compostáveis de plástico biodegradável da BASF

05/03/2014
  • Sacos de ecovio® – polímero compostável certificado da BASF, com conteúdo parcialmente de fonte renovável – juntamente com resíduos orgânicos, transformam-se em adubo de valor
  • Processo automático utilizando composteira JORA Brasil demonstra forma alternativa e eficiente para a compostagem de resíduos orgânicos com sacos de ecovio®

ecovio_BasfA BASF implementou um projeto piloto em Joinville/SC com o objetivo de demonstrar a compostagem automática de resíduos orgânicos urbanos com sacos de ecovio®. Essa tecnologia de compostagem se adapta com facilidade às necessidades residencial e comercial, pois trata o resíduo orgânico no próprio local onde foi gerado.    Isso oferece  um modelo de gestão alternativo ao  apresentado em 2013 pela BASF em Mogi Mirim (mais informações  em: http://wp.me/pDBte-1sO.

O projeto foi implementado em parceria com o condomínio Joinville Country Club, com a Jora Brasil – fabricante da composteira automática, com a Romapack – fabricante dos sacos de ecovio® e a consultoria Inambi. Os resultados demonstram a eficácia de um método alternativo de compostagem de resíduos orgânicos com sacos ecovio® que podem ser implementados em locais privados com grande quantidade de geração de resíduos, como shoppings, restaurantes, clubes, empresas, escolas e até bairros.

Moradores do Joinville Country Club  (22 residências) participaram de um workshop de educação ambiental com foco na coleta seletiva de seus resíduos orgânicos domésticos em sacos de ecovio®. Os resíduos foram coletados durante seis semanas e depositados diretamente em uma composteira automática no próprio condomínio. Foram coletados 720 quilos de resíduos das residências e também do restaurante do clube local, os quais foram transformados em 360 quilos de adubo orgânico de qualidade que serão utilizados no campo de golfe do próprio condomínio. A qualidade do adubo produzido foi avaliada pelo laboratório Unithal.

“Em média, resíduos orgânicos demoram 30 dias para se compostar, ao serem coletados em sacos de ecovio®  o processo torna-se fácil e mais higiênico, pois  evita a necessidade de lavagem de recipientes. Os sacos plásticos convencionais não são adequados porque não se degradam em processo de compostagem”, compara Karina Daruich, gerente de biopolímeros da BASF.

A BASF já está utilizando um modelo automático de composteira similar no restaurante da fábrica da BASF, em Ludwigshafen, na Alemanha, onde foi demonstrada a mobilidade e simplicidade do uso do equipamento. O mesmo modelo também foi empregado com  sacos de ecovio® na feira K de 2013, principal feira global do segmento de plásticos.

“Nossas composteiras são as únicas que transformam os resíduos orgânicos em adubo de valor e funcionam a um baixo custo de energia – 10 a 15 vezes menor que equipamentos desidratadores, ou seja, que apenas reduzem volume e não transformam o resíduo em adubo pronto para fertilizar as plantas”, afirma Eduardo Schreiber diretor da Jora Brasil.

“A preocupação com o meio ambiente e com a PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos – lei federal número 12.305/10) nos fez pensar em uma alternativa viável para a destinação do lixo que coincide com os propósitos dos parceiros”, comenta Pierre Richter síndico do condomínio Joinville Country Club.

Para a BASF, o resultado do projeto e o conceito de circuito fechado demonstram oportunidades que podem beneficiar a sociedade e serem implementadas, por exemplo, em grandes eventos, como o campeonato mundial de futebol deste ano.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Plástico biodegradável da BASF será usado em projeto de compostagem de resíduos orgânicos domésticos em Mogi Mirim-SP

17/09/2013
  • BASF, Prefeitura Municipal de Mogi Mirim, Construrban, Inambi, Romapack e Visafertil iniciam projeto piloto para coleta e compostagem de resíduos sólidos orgânicos no município
  • Matéria prima utilizada na confecção dos sacos para coleta seletiva será o ecovio® da BASF, polímero compostável certificado, com conteúdo parcialmente de fonte renovável
  • Cerca de 240 toneladas de resíduos orgânicos serão geradas durante o projeto e transformados em 120 toneladas de adubo para plantas

A BASF e a Prefeitura de Mogi Mirim, juntamente com seus parceiros, lançaram no dia 16/09 um projeto piloto de compostagem de resíduos sólidos orgânicos gerados no município, por meio da introdução da coleta seletiva domiciliar. A primeira coleta será iniciada na próxima quarta-feira (18.09).

É a primeira vez que um projeto desenvolvido na América do Sul vai demonstrar o uso de sacos plásticos produzidos com ecovio®, um polímero biodegradável, assim como a eficiência do processo de compostagem como contribuição para a gestão de resíduos sólidos urbanos.

Os sacos feitos com o ecovio® da BASF serão produzidos pela Romapack, indústria de embalagens. “Confeccionamos cerca de 200 mil sacos para serem distribuidos a uma amostragem de 1.770 unidades residenciais e mais duas escolas, o correspondente a cerca de 5.300 moradores”, afirma Gisele Barbin, Gerente Comercial da Romapack.

Os bairros selecionados para o desenvolvimento desse trabalho foram o Jardim Paulista e Jardim Silvânia, que possuem características representativas dos hábitos da comunidade no município. Para conscientizar os moradores envolvidos no projeto, a BASF, Fundação Espaço Eco e consultoria Inambi – responsável pelo monitoramento e elaboração do relatório final do projeto – desenvolveram um programa de treinamento sobre todo o processo de coleta seletiva de resíduos orgânicos para compostagem.

“Estamos desenvolvendo programas de educação ambiental para que os moradores possam, por si próprios, serem capazes de diferenciar cada tipo de resíduos e destinar os orgânicos de forma correta para a compostagem, participando de forma ativa e consciente no desenvolvimento desse modelo de reciclagem”, afirma Marcos Badra, diretor da consultoria Inambi.

“Ao darmos uma destinação mais adequada ao resíduo orgânico, também contribuímos para melhorar a qualidade da coleta seletiva de recicláveis em geral, eliminando a contaminação pelo resíduo orgânico“, complementa Ubiratan S. de Carvalho, Diretor da Construrban Logística Ambiental.

Os resíduos orgânicos domésticos serão coletados todas as segundas, quartas e sextas-feiras por um caminhão da Construrban. Esses resíduos serão destinados à Visafértil, que opera uma usina de compostagem em Mogi Mirim.

O projeto terá três meses de duração com estimativa de gerar cerca de 240 toneladas de resíduos orgânicos, os quais serão transformados em cerca de 120 toneladas de adubo rico em nutrientes essenciais para as plantas. Esse processo de transformação do resíduo junto com o saco produzido com ecovio compostável e certificado é estimado em cerca de 90 dias.

“A Visafértil se orgulha em participar desse projeto com técnicas inovadoras, transformando os resíduos orgânicos domésticos de Mogi Mirim em um composto nobre e sustentável, juntamente com os sacos de ecovio®, comenta Ulisses Giradi, diretor da Visafértil

“A BASF já conduziu outros projetos piloto de compostagem semelhantes na Alemanha, Canadá, Tailândia, Índia e Austrália, com resultados previstos alcançados. A coleta de resíduos orgânicos realizada de forma higiênica, com sacos plásticos compostáveis produzidos com ecovio® da BASF contribuiu para reduzir a quantidade de resíduos orgânicos destinada a aterros, para aumentar sua vida útil e diminuir a emissão de gases de efeito estufa”, afirma Karina Daruich, gerente de biopolímeros da BASF para América do Sul.

O projeto poderá se transformar num modelo de sucesso baseado nas premissas da Lei 12.305/2010 (PNRS – Política Nacional de Resíduos Sólidos) e ser seguido por outros municípios brasileiros.  “É uma enorme satisfação fazer parte dessa iniciativa pioneira e podermos ser os incentivadores de uma ampla conscientização da população quanto aos benefícios ao meio ambiente e de um futuro sustentável”, comentou o prefeito de Mogi Mirim, Luís Gustavo Antunes Stupp.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

BASF anuncia expansão de sua capacidade de compostagem de Poliamidas e PBT na Europa.

14/06/2011
  • Expansão de 10.000 toneladas na planta de Schwarzheide
  • Previsto crescimento anual de mais de 5 % em Plásticos de Engenharia na Europa

A BASF está aumentando as suas capacidades de compostagem de plásticos de engenharia Ultramid ® (poliamida) e Ultradur ® (PBT: polibutileno tereftalato), na sua planta de  Schwarzheide em 10.000 toneladas métricas por ano. Este é um primeiro passo no contexto das expansões de capacidade que são planejadas tendo em vista o forte aumento da demanda na Europa. Já no primeiro trimestre de 2011, a BASF anunciou que estaria duplicando a sua capacidade de compostagem de plásticos de engenharia na China e na Coréia.

“Os plásticos de engenharia na Europa saíram da crise mais rapidamente do que nós e os nossos clientes havíamos esperado no início de 2010. Em comparação com o ano da crise de 2009, a procura aumentou mais de 30 por cento em 2010. Também para 2011, nós estamos contando com um crescimento de dois dígitos. Conseqüentemente, em 2011 o consumo já terá retornado ao nível pré-crise”, explica o Dr. Willy Hoven-Nievelstein, chefe da unidade de negócios de Plásticos de Engenharia da BASF para a Europa. “Estamos antecipando um crescimento médio anual de mais de cinco por cento, razão pela qual nós iremos ampliar consideravelmente nossa capacidade de composição de plásticos de engenharia da Europa nos próximos anos. Esta é a maneira como podemos acompanhar o ritmo de crescimento de nossos clientes,  como já fizemos no passado “, Hoven-Nievelstein acrescenta.

Os plásticos de engenharia Ultramid ® e Ultradur ® são transformados posteriormente em componentes de alto desempenho na indústria automobilística, no setor elétrico e eletrônico, bem como na área de construção e moveleira. Esses componentes incluem, por exemplo, as estruturas de assento de automóveis, bandejas de óleo, sensores e conectores, perfis de janelas e cadeiras.

Fonte:  BASF