Posts Tagged ‘Chillers’

Piovan adquire 100% da americana IPEG, incluindo marcas Conair e Thermalcare

27/12/2021

Sede da Piovan em Santa Maria di Sala (Veneza, Itália)

O Grupo italiano Piovan adquiriu a empresa americana IPEGo, criando um líder global com um volume de negócios de quase meio bilhão de euros na área de automação industrial para o processamento de polímeros virgens, reciclados e bioresinas. O fechamento do negócio está previsto para o primeiro trimestre de 2022.

A Piovan SpA e a IPEG, Inc. anunciaram a assinatura de um acordo que prevê a aquisição pela Piovan de 100% das ações da IPEG em circulação. A IPEG é um grupo industrial dos EUA que compreende quatro marcas: Conair, Thermalcare, Pelletron e Republic Machine.

O grupo combinado terá uma força de trabalho de mais de 1.800 funcionários, operará 14 instalações em todo o mundo e teria gerado vendas pró-forma de mais de € 450 milhões (com base nos resultados dos doze meses encerrados em 30 de setembro de 2021).

“Estamos particularmente satisfeitos e orgulhosos em combinar nossas habilidades com as do Grupo IPEG, criando o líder global em automação industrial no setor de plásticos. Dois anos antes do previsto, dobramos nosso tamanho desde o ano do IPO e estamos preparados com confiança para enfrentar os desafios futuros e aproveitar as vantagens de quaisquer oportunidades de agregação que possam surgir. ” – diz Nicola Piovan, Presidente Executivo do Grupo Piovan.

Nicola Piovan, Chairman Executivo do Grupo Piovan

“A aquisição de um player americano tão importante e a fusão de duas das maiores empresas do mundo na área de automação industrial para processamento de polímeros virgens, reciclados e bioresinas nos permitirão alcançar importantes oportunidades de crescimento em escala global. ” – afirma Filippo Zuppichin, CEO do Grupo Piovan – “Também permitirá ao Grupo Piovan ter acesso a uma formidável carteira de clientes na América do Norte, com a possibilidade – graças à constituição internacional do Grupo Piovan – de acompanhar os investimentos das principais corporações multinacionais americanas no mundo. Para além disso, permitirá uma oferta mais rápida no mercado americano das tecnologias proprietáriass do Grupo Piovan, particularmente na economia circular. Estamos convictos de que esta transação irá criar um grande valor para os nossos accionistas ”.

Filippo Zuppichin, CEO do Grupo Piovan

O novo tamanho da empresa possibilitará um maior crescimento na área da economia circular e investimentos na digitalização 4.0.

O Grupo Piovan é um líder global no desenvolvimento e fabricação de sistemas de automação para armazenamento, transporte e processamento de polímeros, resinas biológicas, plástico reciclado, fluidos alimentares, pós alimentares e não alimentares. Nos últimos anos, o Grupo tem se engajado especialmente no desenvolvimento e produção de sistemas de automação para processos produtivos para as bioeconomias e economias circulares, para a reciclagem e reutilização de plásticos e para a produção de plásticos que são naturalmente compostáveis, explorando oportunidades de vendas cruzadas. Desde outubro de 2018, a Piovan S.p.A. está listada na Bolsa de Valores italiana no segmento STAR. Com mais de 85 anos de experiência e um volume de negócios de cerca de 282 milhões de euros nos últimos 12 meses, a empresa possui 1.148 colaboradores em 9 fábricas e 33 sucursais / escritórios de atendimento e vendas.

A IPEG, Inc. é uma empresa sediada em Delaware (USA), ativa em automação industrial para transporte e processamento de polímeros e fabricação de chillers industriais, com operações e subsidiárias nos Estados Unidos, Índia, México, Alemanha, China, Taiwan e Cingapura. A empresa, com mais de 700 funcionários em todo o mundo, a IPEGA opera por meio de quatro marcas principais – Conair, Thermal Care, Pelletron e Republic Machine -, quatro fábricas nos Estados Unidos e uma na Índia. Com base nos resultados dos doze meses findos em 30 de setembro de 2021, o IPEG reportou receitas de mais de US $ 192 milhões e EBITDA ajustado de aproximadamente US $ 17,4 milhões.

Curta nossa página no

Transcalor, fabricante de equipamentos de refrigeração industrial, completa 10 anos

23/11/2021

Fábrica da Transcalor

Concretizando o sonho do seu fundador, engenheiro Diego Nista, a Transcalor completa dez anos de atividade. Ao longo desse tempo, a empresa consolidou-se como um importante fabricante nacional de equipamentos periféricos, voltados para diversos mercados: desde o processamento de plásticos até o hospitalar, mas principalmente o de HVAC (Heating, Ventilating and Air Conditioning).

Em 2011, recém-formado em engenharia mecânica, Diego Nista resolveu empreender nesse segmento. Nista lembra que se inspirou na Mecalor para abrir o negócio. “Peguei capital emprestado com meu pai e fabricamos três chillers, um termoregulador e um trocador de calor. A ideia era participar de duas feiras de negócios”, conta o executivo. O pai, João Nista, e a esposa e engenheira, Raissa Miriani, foram cofundadores da empresa.

O início

Eles voltaram para o pequeno galpão em São Bernardo (SP) sem vender nem uma máquina. Ao final, o primeiro equipamento comercializado foi um chiller para uma indústria do agronegócio. “Na sequência conseguimos vender os equipamentos das feiras e ainda tivemos a encomenda de um lote de dez chillers pela indústria Química Amparo, da marca Ypê”, lembra Nista.

Parcerias

Em 2013, a Transcalor firmou a primeira parceria, com a empresa dinamarquesa Sondex, especializada em trocadores de calor a placas de alta eficiência. A grande virada nos negócios, porém, aconteceu com a representação da empresa canadense, Smardt Chiller Group Inc., fabricante de chillers com tecnologia centrífuga de mancal magnético oil free (Turbocor). Com a Smardt, a Transcalor entrou no segmento de HVAC e passou a vender para shopping centers, datacenters, hospitais, hotéis, supermercados e edifícios comerciais.

Projeto Sirius

A maior conquista da Transcalor ocorreu com a venda de várias máquinas para o projeto Sirius, laboratório de aceleração de partículas subatômicas de última geração, localizado na cidade de Campinas (SP). “Fomos a única empresa nacional a participar da concorrência para a venda de equipamentos de refrigeração & climatização, com tecnologia Turbocor”, conta o executivo.

Outra conquista importante veio logo a seguir, com a venda dessa mesma tecnologia para a Colgate – Palmolive, o maior equipamento em capacidade unitária já instalado na América do Sul. A expansão em meio à pandemia do Covid-19 exigiu uma parceria mais forte ainda. Foi quando a inspiração que serviu de combustível no início da jornada virou realidade e a Transcalor foi adquirida pela holding controladora da Mecalor. O grupo é o maior fabricante de chillers do Brasil.

Curta nossa página no

Mecalor triplica espaço da fábrica em 2021

15/04/2021

CEO da Mecalor, János Szegö

Empresa quer aumentar seu market share no segmento de periféricos

Previsões para o aumento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2021 apontam para a retomada da economia, impulsionada pelo crescimento do PIB industrial. Esse desempenho é um alento se comparado com 2020, que foi prejudicado pela pandemia da Covid-19.

De olho nas projeções positivas de 2021 , a Mecalor planeja aumentar seu market share e ao mesmo tempo fortalecer a participação em alguns segmentos, como o de HVAC (ar-condicionado de precisão). A empresa prepara uma grande transformação que vai movimentar em 2021 o mercado de equipamentos periféricos voltados para soluções de engenharia térmica.

A empresa anunciou a ampliação da área industrial com o objetivo de triplicar a fabricação de chillers e outras máquinas. O plano é terminar as obras até novembro deste ano. Desde 2017, a direção da empresa pensa nessa expansão da fábrica devido ao rápido crescimento das linhas de produção. “Estamos olhando para dez a 15 anos à frente, por isso demos continuidade ao projeto”, ressaltou János Szegö, CEO da Mecalor.

Linha Presys-Klima

Instalada no Parque Novo Mundo, bairro da zona norte de São Paulo, a fábrica vai ganhar uma área nova para produção de chillers e outras máquinas. A empresa começou a preparar o lançamento da linha Presys-Klima, que são equipamentos mais sofisticados, voltados para o mercado de ar-condicionado de precisão (HVCA) para Datacenter.

“Contaremos com uma linha completa desses chillers, projetada do zero. Serão cinco famílias de produtos. Já terminamos a reformulação e começamos a oferecer esses novos equipamentos para o segmento de ar-condicionado de precisão”, disse o CEO.

Segundo ele, há boas perspectivas também para a comercialização dos chillers de grande porte. Esses equipamentos são específicos para o mercado de HVAC, usados para aplicações em vários segmentos, como hotéis, shoppings, empresas grandes, supermercados e outras edificações.

Com a expansão da fábrica, a Mecalor vai construir ainda dois laboratórios de ensaios e estudos. Um deles irá simular o desempenho dos equipamentos novos. “Poderemos provar para os clientes que nossas máquinas fazem o que falamos”, afirmou Szegö. O outro laboratório vai conduzir testes em chillers.

Curta nossa página no

Mecalor completa 60 anos com expectativa de crescimento

12/11/2020

János Szegö, CEO da Mecalor

A pandemia do Covid-19 impôs novos paradigmas aos indivíduos, governos e empresas em todo o mundo. As novas formas de convivência exigiram mudanças e adaptações. Poucas empresas entenderam a urgência do momento e conseguiram se transformar e se adaptar para enfrentar as duas crises gêmeas: a crise econômica e a crise sanitária.

Acostumada a enfrentar e vencer dificuldades, a Mecalor chega aos seus 60 anos como uma empresa vitoriosa também no que diz respeito às novas adversidades vividas ao longo deste ano. No início de março, quando foi decretada a pandemia e a quarentena no país, a empresa rapidamente reorganizou a produção e colocou cerca de 100 funcionários em regime de trabalho de home office. Embora afetada pela brutal queda da demanda, manteve a produtividade e a qualidade dos serviços de atendimento.

A cíclica instabilidade da economia brasileira, combinada aos diversos planos econômicos, marcou a trajetória da empresa. Essa característica de superação está, contudo, no DNA da companhia. Nasceu com o fundador, o engenheiro húngaro Sándor Szegö, que deixou o seu país em 1956 em busca de um futuro melhor no Brasil. Em 1960, ele abriu uma pequena loja no centro de São Paulo para consertos de eletrodomésticos. A partir de pedidos dos clientes, que sentiam falta de novos produtos no mercado, iniciou a fabricação de equipamentos de refrigeração.

Liderança de Mercado

Desde então, a empresa vem crescendo ininterruptamente e, em pouco tempo, consolidou a marca como sinônimo de qualidade e tecnologia. Há 30 anos, o engenheiro e executivo János Szegö (foto), filho do fundador, atua como CEO da empresa. Foi na sua gestão que a empresa conquistou a liderança de mercado, desenvolvendo equipamentos periféricos e soluções de engenharia térmica para diversos setores da indústria. Hoje, segundo a Mecalor, são cerca de 20 mil chillers instalados no Brasil e no exterior, com uma produção mensal de 150 equipamentos, mais da metade sob demanda. A empresa produz para os segmentos hospitalar, plástico, alimentício, farmacêutico, de datacenters, ar condicionados industriais e automobilístico.

As crises na economia não impediram um desempenho acima da média do mercado. Entre 2004 a 2014, a Mecalor registrou um crescimento de 20%. De 2014 a 2016, segundo a empresa, apresentou um incremento de 5%, mesmo quando todo o mercado caía 30%.

Um bem sucedido projeto de exportação, iniciado há dez anos como alternativa à retração da demanda interna, tornou-a um importante exportador de chillers para as Américas do Sul e Central, resultando na abertura de uma filial no México em 2019, com o objetivo de atender melhor o mercado local e de olho nas vendas para os Estados Unidos.

A pandemia do coronavírus diminuiu o ritmo, mas não interrompeu a expectativa de crescimento. A Mecalor afirma que vai continuar mais uma etapa do seu projeto de expansão ainda este ano: a construção de um prédio novo, ampliação da fábrica e aumento na produção de chillers.

Curta nossa página no

Mecalor expõe seus produtos para refrigeração industrial na Feira K 2019

27/09/2019

Dando continuidade ao seu processo de internacionalização, a Mecalor estará expondo na Feira K 2019, em Düsseldorf, pela terceira vez consecutiva. O evento é considerado como o mais importante para a indústria de transformação de plásticos do mundo. “Os nossos produtos têm recebido uma excelente aceitação em mercados exigentes, como europeu e norte-americano, o que tem motivado cada vez mais a expansão da atuação da empresa pelo mundo”, afirmou Marcelo Zimmaro, diretor comercial. Para ele, esse ano a feira terá um sabor especial por causa da inauguração em maio da planta do México, localizada na cidade de Querétaro. “Passamos a atender de maneira especial aos clientes da América Latina”, ressaltou.

Para o stand E15 do hall 10, a Mecalor vai levar uma unidade de água gelada (chiller) compacta de alta eficiência, com recursos de última geração. A escolha do chiller para esta feira é porque, além de ser o produto “carro-chefe”, é também aquele que tem um uso mais abrangente, podendo ser aplicado no resfriamento com água gelada nos mais variados processos de transformação, por exemplo injeção, sopro, extrusão, termoformagem e também flexografia.

O equipamento é da linha Compact Chiller MAS e produzido em estrutura de aço inoxidável AISI 304, contndo com condensadores microcanal de alumínio com proteção anticorrosiva e-coating, bomba de água Grundfos de aço inoxidável, controle de capacidade por inversor de frequência para economia de energia e fluido ecológico R-410A que não agride a camada de ozônio, afirma a empresa.

Além disso, alinhado com as tendências da indústria 4.0, será apresentado o sistema de controle Smart Connect, que disponibiliza uma série de informações provenientes dos sensores distribuídos no equipamento, diz a Mecalor. Estas informações disponíveis na SmartConnect podem ser utilizadas para comunicação com as máquinas injetoras, sopradoras, extrusoras e podem servir para monitoramento via web e assistência técnica à distância, informa a empresa.

Curta nossa página no

Mecalor abre filial no México para atender indústria de plástico local

09/05/2019

Acreditando no mercado mexicano, a Mecalor, empresa brasileira atuante no segmento de refrigeração industrial e institucional, vai inaugurar um escritório no distrito industrial de Querétaro, cidade localizada a 220 km da capital, Cidade do México.

“O mercado mexicano é segundo maior da América Latina e é o que está mais longe da gente, portanto merece uma atenção especial. Lá já temos representantes e equipamentos instalados, mas agora decidimos ir para valer. Com a possibilidade de no futuro montar uma fábrica”, argumenta János Szegö, CEO da Mecalor Brasil.

A economia mexicana é a segunda maior da América Latina e está entre as quinze mais importantes do mundo. Com uma economia muito integrada à dos EUA, destino de 80% das suas exportações, o novo governo do México promete diversificar e fomentar o desenvolvimento econômico com incentivos à produção industrial e o incremento da demanda. A expectativa é de que esse crescimento seja favorecido pelo aumento da oferta de emprego, forte consumo das famílias e por maiores investimentos em comparação com 2018.

Há 60 anos no Brasil, a Mecalor fornece soluções de engenharia térmica para diversos segmentos da indústria. Ela produz e comercializa chillers e outros periféricos para resfriamento e controle de temperatura com precisão. A Mecalor atua em setores como: plástico, hospitalar, alimentício, farmacêutico, ar condicionado e automotivo. Neste último, destaca-se pela fabricação de câmaras climáticas para teste em automóveis.

No México, as operações vão começar com foco na indústria de transformação do plástico. “A ideia é iniciar a operação no setor de plástico, mas com o tempo vender também produtos e soluções para os demais segmentos, principalmente o hospitalar, onde tempos grande expertise e somos líder de mercado no Brasil”, explica Szegö.

Em 2019, a estratégia da empresa está sendo focalizar fortemente em exportação. Desde que iniciou atividades em comércio exterior, há dez anos, as vendas internacionais cresceram bastante, principalmente para a América Latina, mesmo em um ambiente de crise econômica no Brasil. As exportações da Mecalor representam hoje cerca de 20% do faturamento anual da empresa. A tendência com o início da operação do México é aumentar a representatividade desses negócios também nos países da América Central e para os Estados Unidos.

Segundo János Szegö, na primeira fase, a filial mexicana vai importar totalmente os equipamentos do Brasil. Com o crescimento da demanda, a intenção é iniciar uma segunda etapa com a montagem local dos produtos. Após essa fase, a evolução das vendas determinará a possibilidade de produção total no México, com a abertura de uma fábrica.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Mecalor

Curta nossa página no

Piovan destaca modernos dosadores gravimétricos e a nova linha de chillers compactos da Aquatech

13/07/2018

O destaque no estande da Piovan na Interplast será a solução de dosagem e mistura Quantum, a nova geração de dosadores gravimétricos por batch de alta precisão. De acordo com a Piovan, o Quantum é uma linha compacta, flexível e fabricada em aço inox, tendo sido patenteado pela empresa. A solução diferencia-se pela homogeneidade, troca rápida de material e simplificação das operações de limpeza, afirma a empresa, destacando que o Quantum é imune a vibrações e foi fabricado para suportar as possíveis vibrações provenientes das máquinas transformadoras, garantindo precisão da mistura, mesmo sob condições extremas. Com capacidade de produção de 70 a 800 kg/h, o Quantum oferece a mais recente tecnologia, eficiência energética e operacional em dosagem e mistura, garante o fabricante.

Outro destaque no campo da refrigeração industrial é a Slim, a nova geração de chillers da Aquatech, que, segundo a Piovan, combina capacidade de refrigeração, tamanhos reduzidos e elevada eficiência energética. Condensados a ar ou água e capacidade de refrigeração até 85.000 kcal/h, a linha Slim possui dois circuitos frigoríficos independentes, condensadores micro canal e bombas de alto rendimento. De acordo com o fabricante, a construção robusta, 100% em aço galvanizado, permite instalação em ambiente externo e atende a todos os requisitos de aplicação industrial.

Além dessas linhas em destaque, outras soluções e sistemas para manuseio, transporte e desumidificação de materiais também serão expostos. A linha completa de produtos abrange soluções para alimentação e transporte, secagem e desumidificação, dosagem e mistura, granulação, controle de temperatura, refrigeração de processos industriais, softwares de supervisão para controle da planta e instrumentação de análise. As soluções são aplicáveis a diferentes indústrias como preformas e garrafas PET, embalagens rígidas, peças automotivas, peças técnicas, soluções médicas, termoformagem e chapas técnicas, filmes flexíveis, tubos, perfis e cabos, fibras e cintas, reciclagem e compostos.

O Grupo Piovan atua no mercado plástico desde 1964, e se estabeleceu no Brasil em 1982. Ao longo os anos especializou-se em tecnologia para equipamentos auxiliares para os mais diversos processos de transformação de polímeros. No campo da refrigeração industrial, a Aquatech é a empresa do grupo especializada em soluções e sistemas industriais de arrefecimento para a indústria do plástico, alimentos e bebidas. Oferece equipamentos como chillers, dry coolers, termochillers, soluções integradas, grupos de bombeamento, além de acessórios e softwares. Nos últimos anos, a empresa tornou-se uma organização multinacional com sete fábricas na Itália, Brasil, Estados Unidos, Alemanha e China, 26 filiais e representantes em mais de 70 países.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Piovan exibe lançamentos na Plastech Brasil e apresenta nova empresa do grupo

06/07/2015

Com sede na Itália, Aquatech torna-se o braço do grupo no segmento de refrigeração industrial

Piovan_DigitempNa expectativa da participação na Plastech Brasil 2015, a Piovan  destacará o Pureflo, a nova geração de alimentadores para grânulos sem filtro, com design exclusivo pantenteado pela própria empresa, que elimina a necessidade da manutenção padrão do funil alimentador (limpeza do filtro) e melhora ainda mais a capacidade de transporte de todo o sistema. É ideal para instalação em locais de difícil acesso.

Mas a grande novidade fica por conta da Aquatech, a nova empresa do Grupo Piovan, que foi criada no início deste ano, focalizando-se totalmente em refrigeração industrial. A Aquatech apresentará o DigitempL (foto), um novo termochiller de alta performance que pode proporcionar redução de  ciclos em injetoras ou sopradoras. Conta com até duas saídas independentes e temperaturas de 6°a 90°C.

“Oferecendo mais opções que possam contribuir com a melhoria de processos dos nossos clientes, apresentamos também a linha de detectores e separadores de metal da alemã S+S, que a Piovan está distribuindo com exclusividade para todo o mercado de transformação de plástico”, revela o vice-presidente da Piovan para América do Sul, Ricardo Prado Santos.

Além das novidades, a exibição também conta com dosadores volumétricos, alimentadores e desumidificadores por ar comprimido.

A sede mundial da Piovan está sediada em Santa Maria di Sala, Veneza, Itália e foi fundada em 1934 como uma empresa metalúrgica. Em 1964 entrou para a indústria do plástico,  especializando-se na fabricação de equipamentos auxiliares. A gama de produtos fornecidos inclui: alimentadores, desumidificadores, cristalizadores, secadores, desumidificadores para moldes, dosadores volumétricos, misturadores gravimétricos por perda de peso, moinhos, termorreguladores, chillers e softwares de supervisão.

A evolução da expertise da Piovan permite operar em diversos setores, tais como pré-formas e garrafas PET, embalagens rígidas, autopeças, artigos técnicos, soluções médicas, chapas termoformadas, filmes flexíveis, cabos, perfis e cintas, reciclagem compostos.

Nos últimos dez anos, a empresa tornou-se uma organização multinacional com fábricas na Itália, Alemanha, Brasil, China e EUA, 23 filiais, representantes em mais de 70 países e 900 colaboradores em todo o mundo.

Fonte: Plastech Brasil

Curta nossa página no

Na Feiplastic, Grundfos apresentará bombas centrífugas multiestágio com eficiência energética

22/04/2015

Indicada para o mercado OEM, linha CRE oferece alto índice de eficiência energética

Grundfos_CREA Grundfos – da área de sistemas de bombeamento –  lançará na Feiplastic (Feira Internacional do Plástico) as bombas centrífugas multiestágio verticais CRE. Segundo a empresa, elas são dotadas de motores eletrônicos de alta eficiência com inversor de frequência integrado, o que permite o controle da viariação contínua da velocidade do motor conforme a demanda, reduzindo o consumo e o desperdício de energia.

Indicadas para o mercado OEM, as bombas CRE são aplicadas na indústria plástica principalmente em chillers – resfriadores do processo de produção. Segundo a Grundfos, elaso oferecem confiabilidade, design em linha, baixo nível de ruído, fácilidade de instalação e manutenção, economia de espaço, opções customizadas, bem como a possibilidade de serem controladas por meio do celular. Dos 15 maiores fabricantes destes dispositvos no Brasil, a Grundfos está presente em dez, registrando uma evolução média anual de vendas de 8% nos últimos três anos.

Nos demais segmentos fabris, as bombas CRE são adequadas para transferência de líquidos em máquinas operatrizes, caldeiras, sistemas de refrigeração e ar condicionado, envase, lavagem, fornecimento, tratamento e abastecimento de água, controle de incêndio, usinas, etc.

A novidade chega ao mercado brasileiro apoiada na proposta mundial da empresa de otimização das bombas, tendo em conta que elas consomem nada menos que 10% da eletricidade global, boa parte dela desperdiçada devido a dimensões ou velocidades incorretas em sua aplicação, afirma a empresa. A maioria das bombas opera em velocidade constante 24 horas, embora os requisitos variem muito durante o dia. E isso provoca um grande desperdício de eletricidade ao longo do tempo.

A importância da otimização das bombas ganha mais destaque quando se sabe que é de 17 anos a média da idade das máquinas que compõem o parque industrial brasileiro, segundo a Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas). De acordo com a entidade, máquinas para plástico com estas características de tempo de uso e idade consomem de 30 a 40% a mais de energia que as similares produzidas com os atuais conceitos tecnológicos.

“Isso sem contar que, em média, os motores perdem 1% de sua eficiência a cada ano”, observa Claudinei Silva, responsável da Grundfos pelas vendas e relacionamento com o mercado OEM. Ele aposta no potencial de aceitação da nova linha CRE, sobretudo em face da relação de retorno sobre o investimento. ”Considerando as condições de operação, potência do motor, horas trabalhadas, menos manutenção e paradas, o investimento em soluções de bomba com eficiência energética se paga em até dois anos.”

Fonte: Assessoria de Imprensa – Grundfos

Curta nossa página no