Posts Tagged ‘Chapas plásticas’

SPIPL é a primeira empresa a oferecer chapa de PETG fabricada na Índia

24/08/2018

A Saraswati Plastotech India Pvt. Ltd. (SPIPL) fornece aos clientes das indústrias de sinalização interna, iluminação e termoformagem uma gama de soluções plásticas, incluindo a primeira chapa de PETG fabricada na Índia, feita com o copoliéster Eastman Spectar™ (PETG).

Segundo a Eastman, a chapa branca e transparente fabricada com Spectar, disponível nas espessuras de 2, 2,5, 2,8 e 4 mm, oferece vantagens de desempenho e processamento em relação ao policarbonato convencional e ao PMMA (acrílicos).

A empresa afirma que a chapa Ultralite® PETG da SPIPL proporciona maior resistência ao impacto do que os acrílicos, o que pode reduzir o potencial de rachaduras ou de quebra durante a fabricação, no envio e no uso contínuo pelo consumidor. Os displays para exposição e acessórios feitos com a chapa de Spectar possuem maior resistência química do que o Policarbonato para resistir aos efeitos dos produtos químicos usados ​​em muitos agentes de limpeza comuns, garante a Eastman.

“A demanda por chapas feitas com o copoliéster Spectar está crescendo entre os produtores de displays e acessórios de alta qualidade”, segundo Suraj Kumar Bansal, presidente do Saraswati Group. “Além da excelente estética, os atributos amigáveis aos processadores apresentados pela chapa de PETG contribuem para a eficiência de fabricação e de funcionalidade para processos comuns de construção e fabricação”.

Desde o seu lançamento em 2016, a primeira chapa de PETG Ultralite “feita na India” teve ampla aceitação em todo o país e agora também está gerando interesse no exterior. A SPIPL espera que o mercado cresça mais de 20% este ano, o que ajudará a reduzir a dependência da Índia das importações.

“Escolher o Spectar para a nossa chapa inovadora nos permite aproveitar a experiência da Eastman com a resina PETG e sua reputação de matéria-prima de alta qualidade e suprimento confiável”, diz Bansal. “Isso fornece uma excelente base para a qualidade da linha de extrusora, o revestimento UV e o serviço que deixa os clientes satisfeitos com a Saraswati.”

A Eastman oferece produtos e soluções inovadoras para atrativos mercados finais, tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A empresa atende clientes em mais de 100 países e, em 2016, obteve receitas de aproximadamente US $ 9,0 bilhões. A empresa está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA e, emprega, aproximadamente, 14.000 pessoas em todo o mundo.

A SPIPL, parte do Grupo Saraswati de empresas, foi fundada em 2010 e fabrica recipientes de 10 mililitros a 5 litros. Em 2011, a empresa expandiu sua oferta fabricando chapas de policarbonato, seguida pela PETG em 2016. Como todas as empresas do Saraswati Group, a SPIPL mantém sua visão de crescimento rápido consistente com inovação contínua e respeito por seus funcionários e clientes.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Anúncios

Bayer fornece coberturas inteligentes para Estádios de Futebol com chapas de policarbonato.

21/09/2010

Concepção artística do novo estádio nacional Lia Manoliu, em Bucareste, na Romênia.

Competições esportivas especiais merecem um palco especial. E é por este motivo que tem crescido constantemente nos últimos anos o interesse mundial no planejamento e aperfeiçoamento de praças esportivas, para se atingir os mais altos padrões no que se refere à arquitetura e instalações. Em resposta a este crescente interesse, a Bayer MaterialScience tem desenvolvido soluções totalmente integradas baseadas em chapas plásticas fabricadas com o material de alta tecnologia Makrolon®, o qual ela está apresentando na Feira Estádio, que ocorrerá no Rio de Janeiro, de 6 a 8 de outubro de 2010. Este é também o motivo pelo qual a empresa é freqüentemente solicitada a fornecer consultoria no projeto de estádios e na preparação para eventos esportivos de destaque.

“Chapas sólidas e de paredes múltiplas fabricadas com Policarbonato são incrivelmente fortes, mas também elásticas e podem resistir a cargas de ventos fortes sem a necessidade de subestruturas complexas. Segurança é o fator decisivo para nós”, explica Dr. Volker Benz, Gerente Global para projetos de destaque no setor de chapas de policarbonato, na Bayer MaterialScience. Tendo sido usadas em uma ampla gama de projetos de referência, as chapas provaram ser um material ideal para a construção de estádios. “Pesando somente uns poucos quilogramas por metro quadrado, o material é também leve e ideal para adequar estádios e outras praças esportivas para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil e para as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro”, completa Dr. Benz.

Praças esportivas de ponta para a Copa Européia de Futebol de 2012. As preparações para a construção de estádios para a próxima Copa da UEFA em 2012 na Polônia e Ucrânia já estão bem adiantadas. De fato, a Bayer MaterialScience já produziu mais de 45.000 metros quadrados de chapas especiais 3X25 ES  a partir de Makrolon® , somente para a Arena PGE Gdansk, na Polônia. As chapas estão sendo usadas tanto para a cobertura como para o revestimento externo do estádio – uma coisa que nunca tinha sido feita antes. Mas as propriedades diversificadas deste material tem ajudado a tornar possível uma outra característica importante do estádio: cada chapa individual foi colorida para fazer o estádio inteiro reluzir âmbar. “Como resultado, a arena incorpora a marca da região e está em sintonia com a sua vizinhança. Afinal de contas, o âmbar é também conhecido como o “ouro do Mar Báltico””, diz Dr. Benz. Para conseguir esta aparência, o Makrolon®  foi colorido com seis diferentes tonalidades, desde o branco até o âmbar escuro. “Nós fomos capazes de implementar as idéias criativas dos designers usando a nossa tecnologia de compostagem” acrescenta o gerente do projeto. A conclusão dos trabalhos de construção da arena está prevista para ocorrer no meio do próximo ano.

Um outro projeto de referência é a arena Legia Warszawa em Varsóvia, onde aproximadamente 7.600 metros quadrados da superfície de cobertura já foram montadas com chapas de policarbonato. As chapas especiais com paredes múltiplas usadas aqui tem até 12 metros de comprimento e 1,2 metros de largura – uma largura especialmente projetada para aumentar a capacidade de resistir a cargas, já que ventos fortes e muita neve não são incomuns na região durante os meses de inverno. O policarbonato usado neste projeto é completamente transparente e, portanto, permite uma passagem de luz suficiente para a grama crescer naturalmente e para criar uma atmosfera aberta e agradável para os espectadores.

Mas o material polimérico é também usado regularmente em outras partes do mundo, sempre que os designers querem criar praças esportivas bonitas e ao mesmo tempo funcionais. O novo estádio nacional Lia Manoliu que sediará a Euroliga em 2012 está sendo hoje construído em Bucareste, na Romênia. Este projeto colocou uma ênfase particular na harmonização da funcionalidade com o design, a fim de atender completamente a todas as exigências. Chapas sólidas de Policarbonato foram o material escolhido, já que elas são incrivelmente transparentes e oferecem uma grande liberdade para o projetista no que se refere à combinação da funcionalidade e estética. As chapas sólidas de 8 milímetros de espessura tem 12 metros de comprimento e são montadas como uma única estrutura.

Um estádio de futebol que gera a sua própria energia.
O time de futebol SV Werder Bremen da Bundesliga alemã está também usando chapas de Policarbonato para obter uma cobertura energeticamente eficiente, como parte do trabalho de renovação do seu estádio. Em breve, módulos fotovoltaicos transparentes instalados sobre uma área de mais de 3.000 metros quadrados estarão transferindo eletricidade para o suprimento de energia do estádio, economizando, portanto, em torno de 100 Watts de eletricidade por metro quadrado. O compósito “sanduíche”, desenvolvido conjuntamente pela Sunovation GmbH e a Bayer MaterialScience, compreende células flutuantes de silício embutidas entre uma chapa sólida de Makrolon® , de um lado, e uma chapa de parede tripla de Makrolon® , no outro lado. O compósito é à prova de água, flexível e ostenta uma longa vida útil, graças especialmente à capacidade de suportar cargas da chapa de paredes múltiplas.

Graças aos Jogos Olímpicos de 2008 na China, as chapas de Policarbonato provavelmente serão um componente integral de estruturas espetaculares nos anos que virão. Por exemplo, os 23.000 metros quadrados de chapas de policarbonato dão ao design em forma de asa do estádio de Shenyang um sentimento de elegância e leveza. Processos de curvamento a frio usados nas chapas permitiram que os designers pudessem adaptar a forma do estádio às suas vizinhanças. E, desde que o produto teve que satisfazer a exigências muito severas em termos de resistência mecânica, a Bayer MaterialScience desenvolveu uma chapa que atendeu a todas as demandas de uma vez só – a Makrolon® multi UV 3X/25-25 ES. Esta chapa possui uma espessura de apenas 25 milímetros, mas pode resistir a uma carga superior a 5 kNewtons por metro quadrado. Nem neve pesada nem ventos fortes são problema para estas fortes chapas multifuncionais.

Sobre a Bayer MaterialScience:
Com vendas de  7.5 bilhões de Euros em 2009, a Bayer MaterialScience é uma das maiores empresas mundiais de polímeros. As suas atividades de negócio se focalizam na fabricação de materiais poliméricos de alta tecnologia e no desenvolvimento de solução inovadoras para produtos usados em muitas áreas do cotidiano. Os principais segmentos servidos as indústrias de automóveis, elétrica e eletrônica, construção, esporte e lazer. No final de 2009, a Bayer MaterialScience  tinha 30 sites de produção e empregava aproximadamente 14.300 pessoas mundialmente. A Bayer MaterialScience é uma empresa do grupo Bayer.

Fonte: Bayer MaterialScience

“Jogadores” da SABIC brilham na Copa do Mundo.

16/07/2010

A SABIC (Saudi Basic Industries Corporation) teve uma forte presença, do seu próprio modo, na partida final da Copa do Mundo da África do Sul. Duas das suas estrelas – Lexan e Polietileno – tiveram um excelente desempenho,  junto com Xavi, Robben e Sneidjer,  jogadores chaves da Espanha e Holanda que disputaram as finais em Johanesburgo, em 11 de julho.

Os gols do Lexan e do Polietileno não contaram no placar final, mas de qualquer forma tiveram um forte impacto sobre os milhares de fãs presentes no estádio e nos milhões que assistiram o jogo pela televisão em todo o mundo.  O estádio Soccer City em Johanesburgo, onde a final foi disputada, é coberto com um teto de 14.000 m2 fabricado com placas de Policarbonato Lexan da SABIC.  Estas placas oferecem a claridade do vidro sem as desbantagens do peso e fragilidade,  proporcionando uma experiência satisfatória para os fãs do futebol. As premiadas placas de Policarbonato LEXAN da SABIC foram também cuidadosamente projetadas para se assemelhar à água em movimento e proteger até 95.000 espectadores das mudanças de condições do tempo. Elas também permitem a entrada de luz natural, criando um ambiente agradável.

Combinando um desempenho excepcional, responsabilidade ambiental e estética, as placas de Policarbonato LEXAN da Sabic também foram usadas nas juntas de construção do estádio Moses Mabhida em Durban, assim como no teto do estádio Peter Mokaba em Polokwane. ing outstanding performance, environmental responsibility and aesthetics, SABIC’s Lexan PC sheet has also been used for the building joints of the Moses Mabhida Stadium in Durban as well as for roof glazing at the Peter Mokaba Stadium in Polokwane.

Fonte: SABIC

K-2010 Düsseldorf: A indústria de plástico tem muitas inovações em estoque para o setor de construção civil.

01/07/2010

Poucos segmentos econômicos na Europa e América do Norte foram atingidos tão fortemente pela crise econômica de 2009 quanto o setor da construção civil. As vendas de tubos, perfis e chapas caíram dramaticamente. Não somente os fabricantes de produtos semi-acabados, mas também os transformadores de plásticos e fabricantes de máquinas experimentaram uma queda significante nos seus negócios. Na época da K 2010 – a feira líder mundial da indústria de plásticos que ocorrerá em Düsseldorf entre 27 de outubro e 3 de novembro – os fabricantes de tubos, perfis, chapas e materiais de isolamento térmico estão aguardando uma revitalização dos negócios.

A situação atual do mercado é difícil de ser avaliada. Embora poucos números precisos estejam disponível, parece que a crise atingiu o seu fundo no meio de 2009 e o mercado então se estabilizou em um nível baixo. Se o mercado dos Estados Unidos for tomado com indicador, um estudo publicado pelo instituto de pesquisa de mercado Freedonia Group (Cleveland, Ohio, USA) no início de 2010 dá um motivo para esperança.

Apesar disto, diz o instituto de pesquisa de mercado, o crescimento global na indústria da construção entre 2008 e 2013 ficará bem abaixo do registrado entre 2003 e 2008, com uma média anual de 2,9% contra um valor médio de crescimento de 7% ao ano  no quiquênio anterior.  De acordo com o Kunststoff Information – o serviço de informações da indústria de plásticos da Alemanha –  espera-se um declínio moderado na Europa Ocidental em 2010, com a recuperação ainda fora do horizonte até 2011.

Quando se  considera a situação de mercado para certos produtos,  percebe-se que os negócios com perfis caíram em uma extensão maior  do que os negócios com tubos e ambos estão em uma situação muito pior do que os negócios com painéis para isolamento.  Estes últimos se beneficiaram da crescente consciência ambiental e de programas de incentivos governamentais para projetos de isolamento térmico – especificamente nos países desenvolvidos da Europa Ocidental e Estados Unidos.

Profissionais da indústria identificam duas razões principais para o declínio acentuado do mercado de perfis, onde quedas de até 70 % em 2009 foram relatadas. Estas razões são a forte dependência de um único produto – o perfil principal de janelas – e o fato de que a demanda da Europa Oriental – e,  primariamente, da Rússia – encolheu para quase nada.

PVC permanece com o material preferido.

De modo global, os fabricantes europeus de perfis para janelas transformaram mais de 1.6 milhões de toneladas de PVC em 2008 e geraram vendas de mais de 4 bilhões de Euros, contando com uma força de trabalho de mais de 20.000 profissionais.  As últimas novidades da indústria incluem perfis coloridos, perfis com mais de 5 câmaras,  profundidades de instalação acima de 80 mm e perfis com uma camada central de material reciclado. A demanda por estes perfis está sendo alimentada principalmente pelo desejo de se economizar energia.  Na Europa Oriental, a demanda é principalmente para janelas brancas padrão. Para regiões de climas mais quentes,  a Tecnologia de Escudo Solar (Solar Shield Technology – SST), por exemplo, está criando um nome para si, explorando as propriedades refletoras de pigmentos coloridos para reduzir a irradiação térmica e tornando possível que perfis laminados em filme sejam expostos a temperaturas acima de 70 graus C .

Apesar de muitas inovações de produtos, os negócios com perfis de PVC sofreram quedas maciças em vendas durante os últimos 18 meses. Para se preparar para o futuro, várias companhias optaram por fusões e alianças estratégicas. Existe uma tendência em direção a linhas de produção completas, com uma boa razão preço-desempenho,  e a soluções bem balanceadas de máquina única.

Na Alemanhã, cerca de 80 % de todas as janelas velhas são agora recicladas. Esta abordagem integrada oferece novas oportunidades futuras para a indústria de PVC e aplicações de PVC no setor de construção civil – e não somente na Alemanha e Europa.

Mercado de compósitos de madeira plástica continua a crescer.

Compósitos de madeira plástica (WPCs) estão ainda passando por desenvolvimentos adicionais significativos e mostrando potencial para crescimento. De acordo com com o nova-Institut GmbH em Hürth, Alemanha, estes produtos alternativos estão tendo crescentes quantidades de vendas, mesmo durante a crise. Hoje, diz o Instituto, mais de 1,5 milhões de toneladas de compósitos de madeira plástica estão sendo produzidos ao redor do mundo, principalmente na América do Norte (aproximadamente 1 milhão de toneladas), China (200.000), Europa (170.000) e Japão (100.000). Na Europa, a Alemanha – com 70.000 toneladas – é o produtor líder e também o fabricante de máquinas líder.

Enquanto nos Estados Unidos os compósitos de madeira plástica são usados como produtos de construção em “decks”, cercas, trilhos e revestimentos laterais, as suas aplicações na Europa também se estendem à indústria automotiva e outros setores.  Porém, o principal produto na Europa também são os “decks” (chapas para pisos),  que vem alcançando um crescimento de vendas anuais na casa dos dois dígitos.

Estrutura de Multi-camadas deve se tornar o padrão para tubos.

16 milhões de toneladas de plásticos foram transformados em tubos ao redor do mundo em 2008.  Aqui, novamente, PVC é a matéria-prima preferida, com uma participação de mercado de cerca de 65%, seguido do Polietileno (PE) e Polipropileno (PP). Com o aumento dos custos de matéria-prima e energia e especificações cada vez mais severas em termos de funcionalidade para tubulações, há uma demanda crescente para tubos multi-camada, tais como tubos de pressão em Polietileno de Alta Densidade (PEAD) com uma camada externa de Polipropileno como proteção contra choques e cargas de impacto. Graças à sua adaptabilidade a várias tarefas de processo, os tubos de plástico estão conquistando mais e mais campos de aplicação.

Os fornecedores de linhas de extrusão de tubos estão se concentrando não somente nas mudanças de especificações, mas também em linhas energeticamente econômicas, eficientes e com alta relação benefício/custo.  Eles  tem desenvovido sistemas especiais de refrigeração, por exemplo, que reduzem a seção de resfriamento à metade ou duplicam o desempenho ou, ainda,  aumentam a produção, enquanto, simultaneamente, melhoram a qualidade dos tubos.

Estas e outras novidades estarão à mostra de 27 de Outubro a 3 de Novembro na K 2010, em Düsseldorf, na Alemanha. A feira líder mundial da Indústria de Plásticos estará apresentando uma visão geral da produção de tubos, perfis, chapas plástics e materiais de isolamento para uso na indústria da construção civil.

Fonte: Messe Düsseldorf