Posts Tagged ‘Café’

Dow e colombiana Alico desenvolvem embalagem de Polietileno sem metalização para a marca Café Pergamino

17/10/2020

Café + tecnologia + inovação + sustentabilidade, esta é a fórmula das embalagens recicláveis ​​e sem alumínio que foram projetadas em conjunto pela Dow e Alico para a marca Café Pergamino, da Colômbia

A Dow, em parceria com a Alico, empresa colombiana com experiência na projeção e fabricação de embalagens, apresentaram ao mercado uma inovadora solução para as necessidades da indústria alimentícia.

De acordo com a Associação Americana de Tecnologias de Embalagem e Processamento (PMMI), 64% dos fabricantes de alimentos buscam soluções recicláveis para seus produtos. A Dow, em seu foco no design para reciclabilidade (Design For Recycling) busca atender e apoiar este setor e oferecer soluções que contam com tecnologia e sustentabilidade. Em conjunto da Alico, a empresa trabalhou para encontrar uma solução de embalagem flexível reciclável feita com polietileno e sem metalização (alumínio), que garante as características organolépticas e mantém a qualidade do produto como aroma e sabor, além de ser uma embalagem inovadora com um design elegante. Segundo a empresa, a embalagem reflete o frescor da marca Café Pergamino, seu cliente na Colômbia.

“Desde 2013, a Dow trabalha constantemente para desenvolver soluções inovadoras que permitam o design de embalagens alinhadas com a economia circular e que facilitem seu processo de reciclagem sem comprometer o desempenho da embalagem, mantendo características como: altos níveis de barreira contra umidade e oxigênio, necessário para embalar produtos como o café. Temos um portfólio completo de soluções para desenvolver embalagens desenhadas para reciclabilidade (Design For Recycling). No caso do Café Pergamino, destaca-se a família de resinas Elite AT, que, em combinação com outras resinas, permite a substituição do alumínio garantindo as mesmas propriedades”, afirma Yasmín Gómez, Gerente de Marketing da Dow Embalagens e Plásticos Especiais.

“Adicionalmente, é importante destacar que, para desenvolver soluções mais sustentáveis, a colaboração entre todos os elos da cadeia é um fator determinante para o sucesso de uma iniciativa. Neste caso particular é importante ter aliados como Alico e donos das marcas como Café Pergamino para enfrentar os desafios do mercado relacionados à inovação e sustentabilidade”, complementa Gómez.

Segundo Ovidio Salazar, Gerente de Gestão Tecnológica da Alico, “nossa extensa tecnologia aliada às matérias-primas da Dow e nossa constante motivação para inovar nos levaram a ser facilitadores dessa nova inserção de embalagens mais sustentáveis ​​no mercado, com o desenvolvimento do nosso produto Recipack”.

Para a Café Pergamino, “é um grande orgulho ter uma solução pioneira de embalagem. Nos últimos 10 anos, tivemos a alegria de oferecer aos colombianos os melhores cafés produzidos no país, todos de pequenos produtores, torrados à mão e entregues absolutamente frescos ao cliente final. Fazê-lo agora em embalagens responsáveis ​​com o meio ambiente, onde não existe alumínio mas sim um produto reciclável que preserva o aroma e o frescor do nosso produto, nos deixa ainda mais orgulhosos”, afirma Pedro Echavarria, gerente do Café Pergamino

Curta nossa página no

Terphane apresenta soluções sustentáveis em filmes PET para embalagens de café

15/07/2020

Vantagens dos filmes de poliéster para embalagens de café foram abordadas em um webinar promovido pela ABIC.

A Terphane, fornecedora de filmes PET (poliéster), participou do primeiro webinar da ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café), como parte de uma série que tem como tema principal a “Reciclabilidade das embalagens de café”. Neste webinar, Célia Freitas, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da Terphane, apresentou diversas opções de filmes PET para café, com ênfase nos metalizados de alta barreira e nos filmes sustentáveis da linha Ecophane.

“Devemos lembrar que os filmes de poliéster fazem parte da história das embalagens de café. O material está presente em praticamente todas as embalagens. Se não estiver na sua estrutura, certamente está nos selos de fechamento, como no caso de alguns potes e cápsulas.” Célia justifica esta penetração no mercado pelas propriedades mecânicas e físicas que o PET oferece às embalagens de café. Entre elas, a “printabilidade“, altas barreiras a gases, aroma e umidade, e maquinabilidade, tanto no processo de conversão como no envase, afirma a executiva.

Como inovação, Célia cita as estruturas especiais com alta barreira que uma nova metalizadora instalada na planta da Terphane em Cabo de Santo Agostinho (PE) permite produzir. “Graças a toda a tecnologia aplicada em nossa linha de produção, conseguimos criar estruturas que variam de 8 a 50 micra de espessura. Especificamente para café, já atingimos uma redução de espessura (downgauging) de 12 para 10 micra.” Segundo Célia, O processo de metalização também tem a vantagem de eliminar a folha de alumínio da estrutura da embalagem, evitando o efeito de flex cracking (micro rachaduras na folha de alumínio que podem comprometer a qualidade do café) e promovendo a redução da pegada de carbono já que o alumínio dificulta a reciclagem da embalagem pós consumo.

Ainda sobre o aspecto da sustentabilidade, Célia dá ênfase à nova linha de filmes sustentáveis Ecophane, da Terphane, dividida em duas famílias de produtos: os filmes BOPET com no mínimo 30% de PCR (PET reciclado pós consumo) em sua composição e os filmes biodegradáveis. No caso dos biodegradáveis, sua decomposição ocorre em aterros sanitários, num período médio de 04 anos, sempre em condições anaeróbicas. Segundo a Terphane, toda a linha Ecophane já foi aprovada pela Anvisa para contato com alimentos, bem como por órgãos internacionais como a FDA (EUA) e a EFSA (União Europeia).

Dados do censo da Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET – http://www.abipet.org.br) mostram que o Brasil reciclou 55% das embalagens PET descartadas pós consumo em 2019, 12% a mais que no ano anterior. “A proposta da Terphane é justamente trabalhar com este material descartado e reciclado na composição da linha Ecophane PCR, oferecendo um produto ambientalmente responsável para os convertedores e brand owners e contribuindo para reduzir a ociosidade dos recicladores que hoje ainda é superior a 30%, por conta das limitações da coleta.”

Segundo Paula Tavares, consultora em sustentabilidade da ABIC, a associação vem investindo em comunicação e conscientização de seus associados e consumidores: “Quando falamos em sustentabilidade, a ABIC trabalha no tripé social, ambiental e econômico. Seja através das redes sociais, de comunicados internos ou campanhas, a entidade focaliza em ações e parcerias que estimulem a reciclagem e o consumo consciente. O café gera conversas, a ABIC conexões”.

Desde a sua fundação em 1976, a Terphane concentra-se no desenvolvimento de tecnologias e processos de fabricação de filmes especiais de poliéster biorientado (BOPET). Sua equipe possui experiência em produção, revestimento e metalização de filmes. A empresa se destaca ainda por uma cadeia verticalizada que vai desde a produção da resina até a extrusão de filmes especiais. A Terphane faz parte do grupo industrial norte-americano Tredegar.

Curta nossa página no

Linha de produtos de PBT da BASF proporciona barreira de oxigênio para embalagens e cápsulas de café

10/12/2017

A BASF está expandindo sua linha de produtos de contato com alimento da classe de PBT – poli(tereftalato de butileno). Segundo a empresa, o seu Ultradur® Barrier apresenta um desempenho superior em relação à transmissão de oxigênio. Houve um grande interesse quando a BASF apresentou seu primeiro PBT para cápsulas de café, no final de 2014, já que o produto oferecia vantagens em comparação às soluções existentes. Como diferencial, afirma a BASF, combinava excelentes propriedades de barreira e preservação do aroma, sem precisar de qualquer revestimento adicional complexo, afirma a BASF.

Afirma a BASF que o seu o inovador Ultradur® Barrier é baseado em um método totalmente novo que melhora as propriedades de barreira de oxigênio para peças de parede fina moldadas por injeção, em conformidade com os regulamentos FC (EU10/2011). Os resultados de diferentes testes independentes foram iguais: os valores da Taxa de Transmissão de Oxigênio (OTR) estão abaixo do limite de quantização, segundo os padrões de teste ISO 15105-2/DIN 53380-3.

O nome Barrier (barreira) reflete a excelente pontuação nos testes, onde o valor da OTR (em [cm³/(m² *dia*atm)]) medido ficou abaixo de 0,10 (medido em amostras de placa de 1mm), afirma a empresa. Segundo Simon Kniesel, Desenvolvimento de Produto de Plásticos de Engenharia da BASF, “o Ultradur Barrier oferece uma qualidade de barreira inigualável na moldagem de camada única por injeção, superando até mesmo as soluções PP/EVOH/PP multicamadas usadas para cápsulas de café. Esse é um grande passo à frente, que permite que nossos clientes ofereçam soluções de embalagem estanque a oxigênio para os donos da marca e uma experiência superior de aroma para os consumidores finais”.

As aplicações-alvo do Ultradur® Barrier são cápsulas de café, embalagem de alimentos e cosméticos

Além de uma OTR excepcionalmente baixa, o produto oferece boas propriedades de barreira contra o vapor de água, óleo mineral e aroma, garante a BASF. Também apresenta boas propriedades organolépticas, o que significa que não afeta o gosto e sabor. Sua resistência química contra hidrocarbonetos torna o produto atraente para a indústria de cosméticos. Por ser uma solução de camada única, não precisa de revestimento adicional ou de embalagem secundária, afirma a empresa.

No caso de cores diferentes, por exemplo, para indicar claramente os sabores do café, a divisão BASF Color Solutions oferece lotes mestres de corante, fabricados especialmente para o material Ultradur® FC, também com certificados de contato com alimento.

“Os mercados alvos são as indústrias de cápsulas de café, onde reduzir a transmissão de oxigênio é um requisito importante, assim como outras indústrias de embalagem de alimentos e a indústria de cosméticos. Estamos muito animados em conversar com os especialistas desses setores sobre a aplicação de nosso Ultradur® Barrier em seus mercados”, afirma Jens Müller, do Marketing de Segmento para Embalagem na Europa, Oriente Médio e África, na Divisão de Materiais da Performance da BASF.

Fonte: Basf

Curta nossa página no