Posts Tagged ‘Borracha’

Chem-Trend leva desmoldantes de alta tecnologia para a indústria de borracha e pneus para Expobor 2014

20/04/2014

A Chem-Trend, especializada no desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes e especialidades químicas, confirma presença na 11ª Expobor (Feira Internacional de Tecnologia, Máquinas e Artefatos de Borracha). O evento, considerado o maior do setor de borracha na América Latina, ocorrerá de 23 a 25 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP), e reunirá fabricantes, profissionais e investidores de toda a cadeia produtiva da borracha do País e do exterior.

A empresa produz no Brasil há mais de 27 anos e oferece aos seus clientes produtos de alto desempenho com rápida entrega. “Para as indústrias de borracha, pneus e recauchutagem, temos um amplo portfólio de especialidades químicas que contribuem para tornar os processos de manufatura mais ágeis, econômicos e produtivos. Os desmoldantes que desenvolvemos atendem às necessidades dos transformadores que operam por meio de todos os tipos de processos e nossa produção local proporciona vantagem logística”, explica Marco Santis, especialista da empresa para o setor de borracha.

Mono-Coat®: desmoldantes para aumentar a produtividade

Mono-Coat® 1892W e Mono-Coat® 1840W. Estes dois recentes lançamentos da Chem-Trend chegaram ao País para superar os desafios de desmoldagem das indústrias e da borracha. “Estes produtos contribuem para aperfeiçoar os processos industriais, para que os clientes tenham melhores condições para fabricar um maior volume de peças, com melhor qualidade e menor custo operacional”, comenta Eduardo Colácio, gerente de vendas técnicas para esse segmento.

Segundo a empresa, os dois produtos têm uma série de diferenciais quando aplicados em processos de desmoldagem de peças usadas na indústria automotiva, em sistemas de tecnologia de controle de vibração. O Mono-Coat® 1892W, por exemplo, oferece proteção aos moldes contra borrachas mais abrasivas, tem efeito mais duradouro entre as aplicações, oferece maior intervalo entre paradas para a limpeza do molde e gera menor quantidade de transferência da peça moldada. Com as mesmas características, o Mono-Coat® 1840W apresenta resultados positivos também para moldes mais complexos.

A Chem-Trend é uma organização global vinculada ao Grupo Freundenberg com foco no desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes para uso nas indústrias de borracha, pneus, poliuretano, compósitos, termoplásticos e fundição sob alta pressão. No Brasil desde 1986, a Chem-Trend mantém em sua planta, em Valinhos (SP), a produção, venda, administração, atendimento e todo o suporte técnico aos seus clientes. Líder em seu segmento de atuação, a Chem-Trend do Brasil fornece agentes desmoldantes, lubrificantes e limpadores a todo mercado nacional, América do Sul e África do Sul.

O Grupo Freudenberg, de origem alemã, atua nos segmentos de vedação, controle de vibrações, não tecidos, lubrificantes especiais, agentes desmoldantes, filtração, dentre outros. Emprega mais de 37 mil pessoas em 58 países, com um faturamento anual acima de € 6,32 bilhões. No Brasil, está presente com seis empresas: Freudenberg-NOK, Freudenberg Não Tecidos, Klüber Lubrication, EagleBurgmann, Chem-Trend e SurTec; desde julho de 2012, atua também por meio da joint venture TrelleborgVibracoustic.

Fonte: Chem-Trend

Curta nossa página no

Anúncios

Evonik e Addivant firmam parceria para atender o mercado brasileiro de borracha

13/01/2014

A partir de janeiro de 2014, a Evonik, uma das líderes mundiais em especialidades químicas, comercializará e distribuirá, no Brasil, as linhas de antioxidantes e antiozonantes especiais da AddivantTM para o mercado de borracha.

Esta parceria combina tecnologia e suporte técnico AddivantTM com a reputação dos produtos e serviços Evonik para o mercado de borracha.

“AddivantTM continua estrategicamente dedicada ao mercado de aditivos para borracha, com investimentos significativos no mundo. Esta parceria com a Evonik visa dar suporte aos clientes estratégicos na região, fazendo uso das complementariedades das duas empresas. Estamos felizes em trabalhar com uma empresa como a Evonik, que já atua fortemente no segmento da borracha”, afirma Sérgio Palumbo, Vice-President, Global Sales & Technical Support, da AddivantTM.

De acordo com Camila Pecerini, Chefe de Produto – América Latina – da área Inorganic Materials, da Evonik, a distribuição dos produtos AddivantTM amplia e fortalece o atendimento à indústria de borracha e reforça o compromisso da Evonik em se posicionar como parceira estratégica deste setor.

“A Evonik já distribuía produtos AddivantTM para o setor de plásticos e ampliar o portfolio incluindo tecnologias voltadas aos fabricantes de pneus, artefatos de borracha e solados, é uma extensão natural deste nosso relacionamento”, destaca Camila.

Entre os produtos que serão distribuídos pela Evonik, estão antioxidantes e antiozonantes.  Tais produtos eram, até então, comercializadas pela Chemtura.

Pneus e artefatos de borracha são usados em uma grande variedade de aplicações automotivas e industriais críticas que requerem estabilizadores eficazes para protegê-los e aumentar sua durabilidade. Segundo a Evonik, as solucões da AddivantTM oferecem proteção contra o calor, oxigênio ou degradação por flexão, além de outros benefícios como baixa descoloração e menor formação de manchas.

Mercado estratégico
O mercado de borracha é estratégico para a Evonik, que já atende os clientes desta área com linhas de sílicas precipitadas e a linha de organosilanos funcionais.

Segundo a Evonik, o uso de sílicas em combinação com silanos permite a produção de pneus de menor resistência ao rolamento e, consequentemente, menor consumo de combustível. A Evonik é o único fornecedor que disponibiliza ambos os componentes, tornando-se o parceiro ideal para os clientes quando se trata de compostos de alta performance.

Segundo estimativas de especialistas, o mercado global de pneus com baixa resistência ao rolamento crescerá anualmente em torno de 18% nos próximos cinco anos. Por isso, a Evonik pretende expandir em 30% sua capacidade global de produção de sílica até 2014 em comparação com 2010.

Sobre a Addivant™
A Addivant, antiga empresa de Soluções de Antioxidantes e Estabilizadores de UV da Chemtura Corporation, é o maior produtor mundial de fosfitos líquidos, antioxidantes e aditivos especiais em formatos não emissores de poeira, incluindo sua tecnologia estabilizadora de misturas ANOX® NDB® patenteada, que permite que até oito componentes sejam entregues em uma única mistura homogênea.

A empresa é reconhecida por sua extensa carteira de aditivos especiais, incluindo estabilizadores leves, modificadores de polímeros, inibidores de polimerização e intermediários. A Addivant é uma empresa internacional, com 11 fábricas nos cinco continentes e unidades de pesquisa, fabricação e vendas espalhadas pelo mundo. Além de sua sede principal, situada em Connecticut, nos Estados Unidos, a Addivant tem sedes regionais em Al Jubail, na Arábia Saudita; Basileia, na Suíça; e em Xangai, na China.

Sobre a Evonik
A Evonik  é um dos principais líderes mundiais em especialidades químicas. Suas atividades se concentram nas principais megatendências saúde, nutrição, eficiência de recursos e globalização.  A Evonik atua em mais de 100 países no mundo inteiro. No ano fiscal de 2012, mais de 33.000 colaboradores geraram vendas em torno de 13,4 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 2,4 bilhões de Euros. No Brasil, a história da Evonik Industries, começou em 1953. A empresa conta hoje com cerca de 500 colaboradores no País e seus produtos são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais, como: automotivo, agroquímico, biodiesel, borracha, construção civil, cosmético, farmacêutico, nutrição animal, papel e celulose, plástico, química e tintas.

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Braskem e Genomatica fecham acordo para o desenvolvimento do butadieno verde

11/12/2013

Braskem reforça  compromisso com a pesquisa de rotas de matérias-primas químicas renováveis

A Braskem e a Genomatica, empresa norte-americana de biotecnologia, fecharam acordo para o desenvolvimento conjunto de uma nova tecnologia para a produção de butadieno de origem renovável. Com a parceria, a Braskem reafirma seu compromisso no investimento em pesquisas de matérias-primas químicas renováveis, fortalecendo seu papel de liderança neste segmento.

O objetivo da Braskem com o butadieno verde é atender principalmente ao mercado de borrachas sintéticas, suprido essencialmente pelo butadieno de base nafta, do qual a empresa já é a terceira maior produtora mundial. Com a expectativa de recuperação do crescimento econômico global nos próximos anos, a previsão é de uma demanda crescente pelo insumo, utilizado pela indústria de pneus, maior consumidor do produto.

A pesquisa entre a Braskem e a Genomatica busca não somente encontrar alternativas baseadas em matérias-primas renováveis, mas também desenvolver rotas competitivas em termos de custos de produção. A Braskem, em conjunto com a Genomatica, vai destacar um time de pesquisadores para o desenvolvimento do butadieno verde utilizando o açúcar como matéria-prima. Pelo acordo, se os resultados forem bem sucedidos, a Braskem e Genomatica vão construir uma planta-piloto e uma planta demonstração nos próximos anos. O acordo também garante certos direitos de exclusividade à Braskem no uso da tecnologia nas Américas.

“A Braskem tem uma estratégia clara de investir na pesquisa e no desenvolvimento de insumos renováveis como alternativas complementares às rotas de origem petroquímica. Assumimos a liderança da química verde quando anunciamos a produção do plástico feito a partir da cana de açúcar em 2010 e agora reforçamos essa visão”, afirma Alexandre Elias, diretor de Químicos Renováveis da Braskem.

Para Christophe Schilling, CEO da Genomatica, o acordo ajuda a fortalecer a posição da empresa como desenvolvedora e licenciadora de processos de tecnologias renováveis para a indústria química. “Nossa parceria aproxima a indústria de uma comercialização de butadieno mais sustentável e economicamente viável”, diz Schilling. A Genomatica, fundada em 1998 por pesquisadores da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD), possui 71 patentes registradas e 450 pedidos adicionais de patentes aplicando sua tecnologia no desenvolvimento de múltiplas abordagens para a produção comercial de bio-butadieno, utilizando várias matérias-primas renováveis.

Além de matéria-prima para a indústria de pneus, o butadieno é utilizado na produção de eletrodomésticos, calçados, plásticos, modificadores de asfalto, aditivos para óleos lubrificantes, tubos, componentes de construção e de látex. O butadieno produzido pela rota tradicional tem sofrido escassez estrutural de oferta nas Américas em decorrência da ascensão do shale gas, que ao contrário da nafta quase não gera co-produtos.

Plástico verde

Desde setembro de 2010, a Braskem produz em escala industrial a resina de polietileno oriunda do etanol de cana-de-açúcar, matéria-prima 100% renovável, para o qual investiu cerca de R$ 500 milhões na construção de uma fábrica com capacidade de 200 mil toneladas anuais no polo petroquímico de Triunfo, na região Sul do Brasil. Identificado pelo selo “I’m greenTM”, o polietileno verde brasileiro está presente em diversas embalagens de alimentos e bens de consumo.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Lanxess apresenta produtos na K 2013

30/08/2013

Entre os dias 16 e 23 de outubro, a multinacional alemã LANXESS participará, em Dusseldorf, na Alemanha, da K2013,  evento internacional voltado para o segmento de plásticos e borrachas.

k_2013A LANXESS focalizará suas soluções inovadoras para a mobilidade verde na K 2013. “Em todo o mundo existem mais de um bilhão de carros nas ruas e estradas, e até 2050 este número deverá subir para 2,5 bilhões. Portanto, a mobilidade sustentável está se transformando em uma megatendência global. Com inúmeros produtos e tecnologias, a LANXESS já é pioneira em mobilidade verde”, afirma o Dr. Werner Breuers, membro do Conselho de Administração da LANXESS. Entre outras coisas, a LANXESS utilizará a feira para focalizar na sua borracha de alta performance e nos produtos químicos de borracha para os pneus verdes com baixa resistência à rolagem, em termoplásticos de alta tecnologia para redução de peso e na sua borracha com base em matéria-prima sustentável.

Cultura de inovação voltada para a aplicação

Em 2012, a empresa de especialidades químicas LANXESS gerou quase 20% das vendas do grupo com produtos de mobilidade verde. “A nossa cultura de inovação está se concentrando sistematicamente nas necessidades de nossos clientes e trabalhamos em estreita colaboração com eles para desenvolver soluções inovadoras que podem ser lançadas no mercado de forma mais rápida e econômica possível”, afirma Breuers. No ano passado, a LANXESS investiu €192 milhões – cerca de 2,1% de suas vendas – em pesquisa e desenvolvimento, cerca de 33% a mais do que no ano anterior. “Em especial, a nossa cultura de inovação tem como objetivo o pagamento de dividendos nos mercados em crescimento na China, Índia, Rússia e Brasil, onde estamos fortalecendo nossa presença significativamente”, complementa o executivo. Por exemplo: uma fábrica de borracha butílica, com uma capacidade anual de 100 mil toneladas métricas foi inaugurada em Cingapura há um mês.

EPDM – foco na tecnologia ACE e nos mercados em crescimento

A LANXESS está buscando captar nova participação de mercado no mundo com mundial em elastômeros de etileno-propileno de alto desempenho (EPDM) Keltan com tecnologias avançadas de produção, investimento em mercados de crescimento e um portfólio focalizado. Segundo a empresa, a inovadora tecnologia ACE desempenha um papel-chave neste aspecto, produzindo EPDM sem o uso de cloro em um processo de elevada pureza e com uma composição que pode ser controlada com um grau de detalhamento que dificilmente teria sido possível no passado. “Sete grades no portfólio de EPDM têm um desempenho superior graças à tecnologia. Ela também nos permite adicionar novas grades de EPDM ao nosso portfólio”, completa o Dr. Torsten Derr, head da unidade de negócio Keltan Elastomers. Seus investimentos incluem a maior planta do mundo de EPDM em Changzhou, na China, com uma capacidade anual de até 160 mil toneladas. O início da produção está previsto para 2015.

Grades de borracha técnica – solucionando problemas muito específicos

A Lanxess afirma que a unidade de negócios High Performance Elastomers, um dos principais fornecedores do mundo de borracha técnica, está empenhada em desenvolver especialidades inovadoras como soluções para problemas muito específicos. Ela está seguindo uma estratégia de quatro vertentes em borracha nitrílica de butadieno (NBR). Além de grades de NBR com custo-benefício e diversificação do portfólio através de materiais específicos para clientes, por exemplo, o foco também são os grades inovadores de NBR e novos grades de pó de NBR, Baymod. Um passo inovador de composição na produção de policloropreno amplia a gama de aplicações para esta borracha. “Isso ajudou-nos a desenvolver duas novas famílias de produtos, Baypren HP e GF. Baypren HP inclui produtos com propriedades que ainda não estão disponíveis no mercado”, afirma Jan Paul de Vries, chefe de High Performance Elastomers. Entre os materiais Levapren de poliacetato de vinila (EVM) em desenvolvimento, um grade para a modificação da resistência ao impacto de ácido poliláctico é altamente promissor, afirma a empresa. O ponto de foco das atividades de investimento da unidade de negócios é a Ásia. Por exemplo, uma planta de borracha nitrílica com uma capacidade anual de 30 mil toneladas foi inaugurada em Nantong na China, em maio de 2012, em conjunto com um parceiro.

Termoplásticos de alta tecnologia – redução de peso na indústria automotiva

A unidade de negócios High Performance Materials (HPM) pretende exibir na K 2013 sua posição global em construção automotiva leve, com base em poliamidas de alta tecnologia e poliésteres Durethan e Pocan. Isto foi recentemente reforçado por meio da aquisição da Bond-Laminates, um fabricante e fornecedor de compostos contínuos de termoplástico de performance reforçado com fibra comercializados sob a marca TEPEX. “Somos hoje um dos poucos fabricantes de termoplásticos no mundo que podem fornecer compostos e compostos de performance reconhecidos, em produção de grande escala com o know-how de aplicações correspondentes para o volume de produção de componentes leves “, afirma o Dr. Michael Zobel, diretor da HPM. A empresa vai aproveitar principalmente sua posição única em construção leve para ampliar ainda mais o negócio nos mercados de crescimento e continuar o processo de globalização com novas instalações de produção. Entre os exemplos de expertise de HPM para construção leve citada por Zobel estão as primeiros dianteiras que consistem inteiramente de poliamida 6 e o primeiro pedal de freio para carros feito com poliamida reforçada com fibras de vidro contínuas e adequado para produção em série em grande escala.

Fonte: Lanxess / Virta

Curta nossa página no

Novos Agentes desmoldantes da Chem-Trend chegam à indústria brasileira de borracha

15/08/2013

A Chem-Trend, especializada no desenvolvimento e fornecimento de agentes desmoldantes, especialidades químicas e auxiliares de processos, anuncia a chegada de dois novos agentes desmoldantes ao mercado brasileiro, o Mono-Coat® 1892W e Mono-Coat® 1840W. Os produtos chegam para atender aos principais desafios em termos de desmoldagem das indústrias de borracha que utilizam todos os processos de moldagem. “São produtos que estreitam ainda mais a parceria com os nossos clientes à medida que contribuem para aperfeiçoar os seus processos industriais, para que eles tenham melhores condições para fabricar um maior volume de peças, com melhor qualidade e menor custo operacional”, comenta Eduardo Colácio, gerente de vendas técnicas para esse segmento.

Com objetivo de garantir os resultados positivos e o incremento da produtividade das indústrias clientes, Colácio chama a atenção para a aplicação dos agentes desmoldantes ou especialidades químicas em conjunto com dois fatores importantes. Um deles é o treinamento da equipe que lidará com os produtos e o outro é o uso de equipamentos adequados aos processos de desmoldagem empregados.

A diretora de vendas da empresa no Hemisfério Sul, Ana Clara Cordeiro, conta que a nova gama de produtos foi desenvolvida pela Chem-Trend para que os clientes alcancem melhores resultados produtivos. Ela ressalta que estas novas tecnologias seguem a filosofia da companhia de fornecer às indústrias soluções que auxiliam os processos produtivos a tornarem-se melhores, mais eficientes e ágeis. “A Chem-Trend oferece soluções inovadoras e adequadas a aplicações sob medida para os mais diversos processos”, observa Ana Clara.

Desmoldantes que contribuem para aumentar a produtividade

Segundo a Chem-Trend, o Mono-Coat® 1892W tem uma série de diferenciais para aplicação em processos de desmoldagem, principalmente de peças usadas na indústria automotiva para controle de vibração. O produto além de melhorar ainda mais a desmoldagem das peças, ainda oferece proteção aos moldes contra borrachas mais abrasivas.

Outras vantagens, de acordo com a empresa, são a maior durabilidade do efeito dos desmoldantes entre as aplicações do produto e um maior intervalo entre paradas para limpeza do molde, além de uma menor quantidade de transferência da peça moldada. “Os benefícios desta solução para a indústria de borracha contribuem, sobretudo, para o aumento da produtividade”, ressalta Cordeiro.

Afirma o fabricante que o Mono-Coat® 1840W, assim como o Mono-Coat® 1892W, tem diferenciais que contribuem para melhorar a produtividade dos processos de fabricação de peças de sistemas de tecnologia antivibração. O produto, segundo a Chem-Trend, tem excelente capacidade de desmoldagem, com pouca transferência, e apresenta resultados positivos para moldes mais complexos.

Sobre a Chem-Trend: A Chem-Trend é uma organização global de mais de 50 anos de existência com foco no desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes para uso nas indústrias de borracha, pneus, poliuretano, compósitos, termoplásticos e fundição sob alta pressão.

No Brasil desde 1986, a Chem-Trend mantém em sua planta, em Valinhos (SP), a produção, venda, administração, atendimento e todo o suporte técnico aos seus clientes. Líder em seu segmento de atuação, a Chem-Trend do Brasil fornece agentes desmoldantes, lubrificantes e limpadores a todo mercado nacional, América do Sul e África do Sul.

Fonte: Chem-Trend

Curta nossa página no

Ferramenta para orientar visitas à Feira K 2013 está disponível on-line

22/01/2013

k2013O “Innovation Compass”, a ferramenta eletrônica-guia da K 2013 está online. No endereço www.k-online.de, renomados cientistas e pesquisadores da área de polímeros estão publicando artigos relevantes sobre temas atuais do setor e destacando as tendências que impulsionarão o desenvolvimento do mercado nos próximos anos. A publicação destes artigos técnicos marca o primeiro passo para enfatizar a abundância de inovações na feira mundial mais importante para a indústria de plásticos. Ao longo deste ano, os expositores da K 2013 poderão alimentar dados sobre seus produtos e processos na ferramenta “Innovation Compass” e, assim, chamar a atenção para inovações específicas da sua empresa.

A feira K em Düsseldorf é famosa por suas inovações – nenhuma outra feira para o segmento de plásticos e borracha pode oferecer um espectro tão grande e diversificado de idéias e produtos. Na K 2013, que ocorrerá de 16 a 23 de outubro, cerca de 3.000 empresas de todo o mundo voltarão a apresentar ao público as suas ofertas nas áreas de máquinas e equipamentos para a indústria de plásticos e borracha, matérias-primas, auxiliares, produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados. Todas as empresas expositoras já estão trabalhando a todo vapor para apresentar as suas inovações  da melhor forma possível. Há um foco definido nos benefícios e adaptação às necessidades do comprador. O “Innovation Compass” oferece um guia para a classificação e rastreamento de inovações de acordo com os seus campos de aplicação.
Além de escrever seus artigos, os cientistas que orientaram a criação do “Innovation Compass” adaptaram a matriz de pesquisa da ferramenta aos desenvolvimentos atuais do setor, dividindo-os nos grupos Máquinas, Equipamentos e Processos e Materiais. Ao utilizar esta matriz de pesquisa a partir de setembro de 2013, os visitantes de K poderão identificar os expositores que estão apresentando produtos e processos significativamente melhorados ou radicalmente modificados. Os visitantes poderão, então, adaptar sua visita aos salões de exposição às suas necessidades pessoais e fazer o melhor uso possível de seu tempo na feira.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Inmetro publica portaria que regulariza a certificação de pneus no Brasil, entrando em vigor a partir de outubro de 2016

26/11/2012

O Inmetro (Instituto de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) publicou no Diário Oficial da União, no final de outubro, uma portaria que regulamenta a certificação de pneus no Brasil a partir de outubro de 2016, quando todos os pneus produzidos e importados no país deverão ter um rótulo que especifica sua qualidade em três critérios: consumo de combustível, segurança e emissão de ruídos.

“Tenho certeza que a publicação da portaria do Inmetro é mais um avanço para os consumidores brasileiros. Com a certificação dos pneus no mercado nacional, o Brasil se iguala a mercados mais maduros como o europeu, por exemplo”, afirma Marcelo Lacerda, presidente da LANXESS no Brasil.

O PBE-Pneus (Programa Brasileiro de Etiquetagem de Pneus), como vem sendo chamada a certificação de pneus nacional, é resultado de uma parceria do Inmetro com a LANXESS e todo o setor da cadeia pneumática.

Certificação no dia a dia

Assim como existem selos de qualidade para determinar o consumo de energia em eletrodomésticos ou aparelhos de ar-condicionado, o Inmetro definiu uma padronização para os pneus no Brasil.

O selo de qualidade dos pneus vai mostrar aos consumidores a eficiência de combustível (consumo de combustível), aderência em piso molhado (segurança) e as emissões de ruído que o produto provoca. Veja alguns exemplos:

A resistência à rolagem dos pneus da categoria A (melhor qualidade) será cerca de 40% menor do que dos pneus da categoria F (pior qualidade). Um carro com pneus da categoria A precisará de uma distância de frenagem de cerca de 20 metros menor (a uma velocidade de 80 km/h), do que um carro com pneus da categoria F, por exemplo.

Os pneus de alta performance serão um pouco mais caros no ato da compra, mas reduzirão o consumo de combustível em até 7% – o que o tornará mais vantajoso no médio prazo.

Fonte: Lanxess

Curta nossa página no

Dow anuncia planos para construção de nova planta de EPDM nos EUA

18/11/2012

A The Dow Chemical Company (Dow) tem planos para a construção de uma nova planta em escala global para a produção de borracha de etileno – propileno – dieno (EPDM) metalocênico, comercializado sob a marca registrada de NORDEL™ IP Hydrocarbon Rubber.

A nova instalação, cujo início das operações está previsto para 2016, ajudará a definir os padrões de eficácia em termos de custos e eficiência de produção ao incorporar o uso da nova tecnologia de catalisadores exclusiva da Dow e aproveitar as vantagens produtivas do processo de solução integrado e de grande escala da Companhia. Essa unidade produtiva alavancará o plano de investimentos da Dow para ampliar a produção de etileno e propileno na Costa do Golfo dos EUA e conectar as operações norte-americanas da Companhia a oportunidades de matérias-primas disponíveis resultantes da maior disponibilidade no fornecimento de gás de xisto nos EUA.

“O NORDEL IP continuará a ser parte estratégica do portfólio da Dow Elastomers tanto hoje quanto no futuro”, afirmou Kim Ann Mink, Presidente de Negócios para a Dow Elastomers, Electrical and Telecommunications. “A nova instalação em escala mundial posicionará a Dow para atender à crescente demanda global por EPDM por meio de tecnologia de próxima geração que garante uma ampla oferta de produtos com qualidade aprimorada. Dos mercados automotivo e de construção ao de fios e cabos, manteremos nosso posicionamento de custos competitivos por meio da implantação de tecnologias eficientes e aproveitamento de instalações integradas e de grande de porte. Essa nova planta demonstra o compromisso da Companhia em investir em produtos especiais que oferecem vantagens de desempenho para o mercado”.

A Dow é líder reconhecida em catalisadores de polimerização e emprega esse poder para aprimorar o design e qualidade de seus produtos. O NORDEL™ IP é frequentemente especificado como solução preferida devido à sua estrutura homogênea, que garante processamento fácil e uniformidade entre os lotes. Os clientes que utilizam o NORDEL™ IP contam com excelente controle, desempenho, vantagens de processamento e precisão que garantem defeitos e imperfeições mínimos e baixíssima quantidade de rejeitos.

Entre as aplicações de uso final do NORDEL IP estão borrachas para vedação de automóveis, mangueiras e esteiras automotivas, perfis de construção, membranas de pisos, calçados e outros produtos de borracha em geral.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

Rhodia mostra inovações sustentáveis para borracha na ExpoCaucho 2011

09/11/2011

 Destaques são as sílicas de alto desempenho para aplicação em pneus “verdes” e artefatos técnicos de borracha

 A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, apresenta na ExpoCaucho 2011, exposição paralela às XI Jornadas Latinoamericanas e IX Iberoamericanas de Tecnología del Caucho, em Medellín, Colômbia, todo o seu portfólio de sílicas para aplicações em vários segmentos do mercado de borracha, com atenção especial para os chamados pneus “verdes” e os artefatos técnicos.

Os destaques são as sílicas de alto desempenho, na linha de produtos sustentáveis, que substituem outras matérias-primas de origem petroquímica. As sílicas da Rhodia são aplicadas em mercados-chave como os de pneus “verdes” e os de artefatos técnicos de borracha, contribuindo para melhorar a produtividade dos clientes, ao mesmo tempo em que ajudam a reduzir o consumo de energia e de combustíveis, com conseqüente redução de emissões de CO2 na atmosfera.

No mercado de pneus, as sílicas de alto desempenho (HDS, na sigla em inglês) aplicadas na banda de rodagem melhoram em 25% o rolamento do pneu no solo, mantendo-se a estabilidade e segurança do veículo, resultando em diminuição de 5% a 7% do consumo de combustível e, na mesma proporção, das emissões na atmosfera. Inventadas pela Rhodia, essas sílicas já ocupam posição de liderança no mercado de pneus na Europa e na Ásia e a tendência é de crescimento na América Latina, principalmente pelo aumento da consciência do consumidor em relação aos produtos sustentáveis.

A Rhodia está engajada no esforço de toda a cadeia produtiva no processo de etiquetagem de pneus, o que permitirá ao consumidor escolher o produto levando em conta diferentes níveis resistência ao rolamento, o que se traduz na redução do consumo de combustível, e de aderência em piso molhado. Esse movimento, que começa a crescer na América Latina, já é realidade na Comunidade Européia, onde, a partir de 2012, os pneus somente poderão ser comercializados com essa etiqueta classificatória.

“Com as nossas sílicas, temos participado do desenvolvimento de vários produtos inovadores, como pneus de baixo consumo de energia, usados pelos principais fabricantes para reduzir o consumo de combustível e os níveis de emissão de CO2 dos veículos”, diz Luis Fernando Maida, diretor para a América Latina da GBU (Global Business Unit) Sílica da Rhodia.

Tanto para o mercado de pneus “verdes” quanto para o de artefatos técnicos, entre os principais produtos da Rhodia estão as sílicas da família Zeosil MP, em forma de microperólas exclusivamente fabricadas pela Rhodia , cujas propriedades e características técnicas incluem a enorme facilidade de dispersão, sem fazer poeira nos ambientes de produção, e a possibilidade de aumento de produtividade.

Suas aplicações, além das tradicionais borrachas de SBR e de polibutadieno, estendem-se à fabricação de ampla gama de artefatos com emprego no setor automotivo, como correias de transmissão para motores, mangueiras de fluidos confeccionadas com borrachas nitrílicas, mangueiras de ar de SBR, perfis de EPDM, anéis de vedação de SBR. Ainda em outros segmentos do mercado de borracha, as sílicas Rhodia proporcionam especial desempenho quando aplicadas em correias transportadores, roletes para descascar arroz e revestimentos de cilindros para impressão.

O portfólio de sílicas da Rhodia inclui outras sílicas da família Zeosil, como a 185GR e a 125GR. A Zeosil 185GR oferece desempenho e translucidez para aplicações de reforço em borrachas. Trata-se de sílica granulada, desenvolvida nos laboratórios da Rhodia no Brasil, e que tem conquistado especialmente o mercado de solados para calçados esportivos. A 125GR, também desenvolvida localmente, pode substituir com vantagens tecnológicas e econômicas outros insumos derivados do petróleo, como o negro de fumo, que são utilizados na produção de peças técnicas de borracha, como cabos, mangueiras e perfis de borracha.

Serviço: Rhodia na ExpoCaucho 2011 – de 07 a 11 de novembro de 2011

Hotel Intercontinental – Medellín – Colômbia

Fonte: Rhodia

Sílica em pneus ajuda a economizar combustível e reduzir emissões de CO2

14/06/2011

A sílica de alto desempenho aplicada na produção de pneus reduz a resistência ao rolamento em 25% e o consumo de combustível e as emissões de CO2 em 7% (equivalente a uma redução de aproximadamente sete gramas por quilômetro rodado), mantendo ao mesmo tempo a segurança e a durabilidade dos pneus.

A informação é de Paulo Garbelotto, gerente de Desenvolvimento de Negócios da Rhodia Sílicas, que apresentará na próxima quarta-feira, dia 15/6, palestra especial sobre “Sílica de Alto Desempenho para o Mercado de Borracha”, na IRC 2011 – International Rubber Conference, evento técnico que pela primeira vez é realizado na América Latina – de 15 a 17 de junho, em São Paulo. A IRC 2011 reunirá centenas de especialistas e profissionais do setor, que realizam pesquisas e trabalhos para estudar o comportamento dos elastômeros, melhorar sua produção e sua utilização de maneira segura e ecologicamente corretas.

Desde que foi adotada pelos fabricantes internacionais de pneus de energia eficiente, os chamados pneus verdes, a sílica de alto desempenho da Rhodia para o mercado de borracha tem ajudado na economia de 20 bilhões de litros de combustível e redução de emissões equivalentes de CO2 da ordem de 50 milhões de toneladas, acrescenta Garbelotto, um dos principais especialistas internacionais no setor de borracha.

A sílica de alto desempenho é componente chave nesse tipo de pneus. A Rhodia tem trabalhado para ampliar esses níveis de benefícios, buscando atender a demanda mundial por esse tipo de pneus de energia eficiente, de acordo com o novo conceito de mobilidade sustentável, impulsionado pela exigência dos consumidores por produtos mais eficientes e que economizem energia. “A Europa, por exemplo, terá uma nova legislação sobre a rotulagem de pneus, a partir de novembro de 2012, e no Brasil já estão sendo conduzidos estudos nesse sentido, coordenados pelo Inmetro e com a participação de todo o segmento”, assinala o especialista.

A Rhodia, que inventou a sílica de alto desempenho, possui oito unidades industriais desse produto em todo o mundo, sendo que uma destas fábricas está instalada conjunto industrial da empresa em Paulínia (SP), atendendo ao mercado da região da América Latina. “Temos feito investimentos permanentes nessa unidade, ampliando capacidade de produção de nossa gama de sílicas Zeosil e Tixosil, utilizadas nos mercados de borracha (pneus e artefatos técnicos), calçados, oral care e nutrição humana e animal”, complementa Luis Fernando Maida, diretor da Rhodia Sílica América Latina.

Fonte:  Rhodia