Posts Tagged ‘Borracha’

Fabricantes italianos de máquinas para processamento de plásticos e borracha registram forte crescimento nas exportações no primeiro semestre de 2017

11/10/2017

Importações subindo 9,1% e exportações crescendo 14,6%: estes são os resultados do primeiro semestre de 2017, em relação ao mesmo período de 2016, obtidos pelo Centro de Estudos Estatísticos da Amaplast com base na análise dos dados de comércio exterior do ISTAT (Instituto Nacional de Estatísticas da Itália).

As duas tendências apontam para uma melhoria adicional na balança comercial positiva do setor (em mais de 1,1 bilhões de euros), com um aumento de dezessete pontos percentuais em relação ao período de janeiro a junho de 2016.

Enquanto as importações diminuíram ligeiramente em relação ao final do ano de 2016 e aos primeiros meses de 2017, as vendas no exterior confirmam um robusto crescimento de dois dígitos, o qual caracterizou todo o primeiro semestre de 2017.

Em relação às exportações – a principal saída para a produção nacional do setor – os fabricantes italianos podem considerar-se satisfeitos tanto no que se refere à gama de produtos vendidos como também em termos de geografia das vendas.

Desempenho por tipo de máquina

Com exceção do desempenho negativo em plantas para maquinaria de mono e multi-filamentos, máquinas de moldagem por sopro e máquinas para materiais espumados, todos os tipos de máquinas registraram uma melhoria acentuada na demanda externa, com particular destaque para linhas de extrusão (+ 17% em relação ao ano anterior) , impressoras flexográficas (+ 23%), máquinas de termoformagem (+ 37%) e moldes (+ 18%).

Desempenho por geografia – Europa

A Europa continua a ser o principal mercado de destino das máquinas italianas. As vendas dentro da União Européia aumentaram mais de vinte pontos percentuais em relação aos primeiros seis meses de 2016 e um aumento semelhante foi registrado em todo o resto da Europa, em geral. Vale ressaltar o desempenho positivo na Rússia, onde o valor das vendas mais do que duplicou, saindo de aproximadamente 21 milhões para quase 50 milhões de euros.

Desempenho por geografia – Américas

As Américas absorveram um quinto das exportações italianas no setor, com um aumento da ordem de dez pontos percentuais, atribuível principalmente ao crescimento nos mercados latino-americanos, com o Brasil liderando (+ 73%). Os países do NAFTA, por outro lado, registraram um crescimento mais modesto devido a uma desaceleração das vendas para o México.

Desempenho por geografia – Ásia

As vendas para países asiáticos permaneceram bastante estagnadas, condicionadas por uma queda das exportações para o Oriente Médio em geral e, especificamente, para a Arábia Saudita e o Irã. As vendas para o Extremo Oriente não foram muito melhores, arrastadas pela queda de 12% registrada para a China, que certamente não foi compensada pelo aumento de 1% para a Índia (apenas olhando para os dois principais mercados da área).

Desempenho por geografia – África

Embora as vendas agregadas para África sejam de valor modesto, tanto os países mediterrâneos como os países subsaarianos registraram um aumento que se aproxima de vinte pontos percentuais.

“Deve-se notar”, ressalta o satisfeito presidente da Amaplast, Alessandro Grassi, “que a recuperação de suprimentos para mercados históricos importantes, como a Rússia e o Brasil, que estavam derrapando no passado recente devido aos seus respectivos problemas econômicos e políticos, dá um impulso bastante significativo na confiança para as empresas do nosso setor “.

“As estatísticas do fim de junho que destacam o crescimento contínuo das exportações para o setor”, continua Grassi, “são um sinal importante para os fabricantes italianos de máquinas, moldes e equipamentos de processamento de plásticos e borrachas, que têm uma percepção mais tangível da recuperação em seu mercado e podem aguardar um novo recorde de produção e exportação no final do ano. As empresas também observam uma recuperação paralela no mercado interno, sustentada em parte pelas medidas de estímulo implementadas pelo governo italiano para apoiar o investimento dos fabricantes dentro da abordagem da “Indústria 4.0”. Os fabricantes italianos de máquinas de processamento de plásticos e borracha estão prontos para contribuir com o processo, fornecendo sistemas de ponta e competitivos “.

Confirmando as estatísticas de comércio exterior acima descritas, a pesquisa de meio de ano realizada no final de julho entre as empresas associadas à Amaplast, comparando o primeiro semestre de 2017 com o mesmo período de 2016, revelou uma tendência positiva tanto no volume de negócios (aumento para 45% dos entrevistados e estável para 51%) como nos pedidos correntes (melhorando para 51% dos entrevistados e permanecendo estável para 35%).

Eventos no setor

Os próximos meses trazem um intenso calendário de importantes feiras especializadas em todo o mundo, onde a Amaplast desempenhará um papel ativo na promoção do “Made-in-Italy”:

  • Plastimagen (Cidade do México, 7 a 10 de novembro), com cerca de 40 expositores no pavilhão italiano
  • Plásticos e borracha Indonésia (Jacarta, 15 a 18 de novembro)
  • Plast Eurasia (Istambul, 6-9 de dezembro).

Além disso, a Amaplast também participou da Iranplast, em Teerã, de 24 a 27 de Setembro, onde a associação, juntamente com a ICE-Agenzia, coordenou uma exposição coletiva de aproximadamente 30 empresas italianas. A Amaplast também esteve presente na Equiplast, realizada de 2 a 6 de Outubro, em Barcelona.

Naturalmente, a presença italiana nestas feiras também oferece a oportunidade de intensificar a promoção da feira PLAST 2018 (Milão, 29 de maio a 1 de junho de 2018) entre os potenciais visitantes. Enquanto isso, o escritório organizacional da feira completou o procedimento de atribuição de stands, o qual está sendo revisado pelos mais de mil expositores atualmente registrados, que reservaram cerca de 90% do espaço disponível.

A PLAST 2018 é membro da “The Innovation Alliance”, que reúne cinco feiras internacionais (Ipack-Ima, Meat-Tech, Plast, Print4All e Intralogistica Italia), todas acessíveis com um único ingresso. As feiras contêm a excelência tecnológica de várias indústrias complementares dentro de uma lógica de cadeia de suprimentos integrada: desde o processamento de plásticos e borrachas até a moldagem industrial; desde a fabricação até a embalagem; desde gráficos personalizados para embalagens e etiquetas até o manuseio e armazenamento de mercadorias.

A PLAST 2018 também incluirá três feiras satélite: Rubber 2018 (para o segmento de borracha), 3D Plast (impressão 3D e tecnologias associadas) e Plast-Mat ​​(plásticos inovadores).

Com base em números da última edição (1.584 expositores de 57 países e 50.087 visitantes de 115 países), a PLAST será o evento mais importante do setor na Europa, em 2018. Juntamente com os outros eventos que compõem “The Innovation Alliance”, ocupará todo o recinto de feiras de Rho-Pero.

O novo nome

Amaplast é a associação industrial nacional italiana, membro da Confindustria, que representa mais de 160 fabricantes de máquinas, equipamentos e moldes para processamento de plásticos e borracha. Em 7 de junho de 2017, a Assocomaplast foi renomeada como Amaplast. O escritório da associação criou uma breve apresentação animada no Youtube (https://www.youtube.com/watch?time_continue=8&v=kDJzqPHsi3U) para sublinhar a importância do novo nome.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Amaplast

Curta nossa página no

Anúncios

Messe Düsseldorf apóia três feiras do portfólio internacional Global Gate em Setembro

25/07/2017

Messe Düsseldorf intensifica atividades em mercados de crescimento atrativos: interplastica Kazan, T-Plas e IRAN PLAST

Em setembro de 2017, empresas da indústria global de plásticos e borrachas orientadas para a exportação poderão explorar alguns mercados interessantes: a interplastica Kazan no Tartaristão (Rússia), a T-Plas em Bangkok (Tailândia) e a IRAN PLAST em Teerã (Irã) oferecerão a fabricantes de máquinas, produtores de matérias primas e processadores de plásticos oportunidades para terem contato com um novo círculo de clientes. A Messe Düsseldorf, organizadora da feira K, evento-referência mundial da indústria de plásticos e borracha, acompanhará os seus clientes nessas feiras, as quais fazem parte do portfólio de produtos Global Gate.

Tendo como base a feira interplastica de Moscou, que emergiu como a exposição líder da indústria de plásticos na Rússia, a interplastica Kazan – Feira Internacional de Plásticos e Borracha em conjunto com o Fórum de Petróleo, Gás e Petroquímica do Tartaristão – foi lançada na região econômica de Kazan / Tartaristão em 2015. A República Autônoma do Tartaristão é uma das regiões mais industrializadas e de mais rápido crescimento da Rússia. Graças aos extensos depósitos de petróleo e gás natural da região, o governo atualmente pode investir montantes substanciais em segmentos industriais relacionados. A interplastica Kazan ocorrerá de 6 a 8 de setembro de 2017. São esperados mais de 200 expositores.

Na Tailândia, a indústria de processamento de plásticos é considerada como um importante pilar do desenvolvimento econômico do país – um desenvolvimento que tem se caracterizado por um aumento constante da demanda doméstica de produtos plásticos, a uma taxa de crescimento anual média de 3,3%. Considerado como o melhor evento da Tailândia para a indústria de plásticos, a T-Plas em Bangkok tem um enfoque regional direcionado para essa próspera região industrial do Sudeste Asiático e, como tal, tem se tornado um ímã não só para a indústria de transformação, mas também para indústrias de consumo relevantes. Em linha com o conceito industrial nacional “Tailândia 4.0”, a próxima feira T-Plas, que acontecerá de 20 a 23 de setembro, focalizará seis segmentos de aplicação que foram designados como áreas com potencial significativo para o futuro e, portanto, qualificam-se para financiamento governamental: automotivo, biopolímeros, estilo de vida, medicina e cuidados de saúde e E + E. Cerca de 300 expositores de 20 países apresentarão seus produtos e soluções na T-Plas. As parcerias oficiais de exposição já registradas provêm da China, Alemanha, Malásia, Áustria, Cingapura e Taiwan. Mais de 8 mil visitantes da indústria são esperados no Centro Internacional de Comércio e Exposição de Bangkok (BITEC). A Pack Print International, 6ª Exposição Internacional de Embalagens e Impressão para a Ásia será realizada ao mesmo tempo. Em combinação, esses eventos oferecerão aos expositores e visitantes sinergias interessantes e uma visão abrangente de indústrias dinâmicas e com crescimentos intimamente conectados.

Poucos dias depois, o Irã se tornará o foco da indústria internacional de plásticos e borracha. O Irã, um país com uma população de 75 milhões de habitantes, tem uma sólida indústria de petróleo e gás que representa mais de 50% das exportações do país. Há uma significativa demanda represada no setor de bens de investimento, particularmente para máquinas e linhas. A IRAN PLAST, realizada pela 11ª vez neste ano, emergiu como a mais importante feira especializada no Irã. Estabelecida em 2015, a extensiva parceria entre o anfitrião, a Companhia Nacional Petroquímica Iraniana (NPC), e a Messe Düsseldorf continua forte.

A última IRAN PLAST, que aconteceu em abril de 2016, recebeu 920 expositores. O evento deste ano, que acontecerá de 24 a 27 de setembro de 2017 no centro de exposições de Teerã, provavelmente terá uma visitação semelhante. O interesse dos expositores internacionais nessa feira aumentou significativamente, o que também é evidente pelo fato de que somente os expositores que trabalham com a Messe Düsseldorf são provenientes de 21 países diferentes, tendo reservado um espaço de exposição líquido de mais de 2.800 metros quadrados – quase 40% a mais do que na feira anterior. O maior contingente, composto por cerca de 60 empresas, vem da Alemanha, seguido de perto pela Itália, Áustria, França, Suíça e Coréia. Os participantes nacionais oficiais são Alemanha, Finlândia, França, Áustria e Suíça.

Mais informações podem ser obtidas nos links a seguir:

www.k-globalgate.com
www.k-globalgate.com/interplastica_kazan
www.k-globalgate.com/iranplast
www.k-globalgate.com/T-Plas

Reunidos sob o portfolio Global Gate, a Messe Düsseldorf consolidou suas atividades globais para a indústria de plásticos e borracha em uma única marca. A carteira de produtos correspondente se beneficia da vasta experiência e conhecimentos que a Messe Düsseldorf ganhou como organizadora da feira líder mundial K em Düsseldorf e muitos eventos regionais de sucesso. Operando a partir de Düsseldorf, a equipe internacional da Messe Düsseldorf é responsável por todas as feiras incluídas no portfólio, tendo o apoio de subsidiárias e agências locais, bem como de associações e organizações de parceiros regionais. Todas as dez feiras da marca Global Gate são plataformas de comunicação profissionais e facilitadores para uma rápida colocação em mercados de crescimento promissores, como a Europa Central e Oriental, Oriente Médio, África do Norte, China, Índia e Sudeste Asiático.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Feira Plast 2018 de Milão atinge a marca de 1.000 expositores confirmados

25/07/2017

Até 30 de junho de 2017, mais de mil empresas confirmaram sua participação na Plast 2018, a Exposição Internacional para Indústrias de Plásticos e Borracha que ocorrerá em Milão (Itália), de 29 de maio a 1 de junho de 2018.

“A pouco menos de um ano da feira, quase 90% do espaço disponível já foi reservado”, comenta com satisfação Alessandro Grassi, Presidente da Promaplast srl, o organizador do evento. “Com um aumento significativo no espaço solicitado pelos participantes estrangeiros (+ 34% em relação a três anos atrás), confirma-se a estatura internacional da feira. Assim, estamos com grandes expectativas em relação aos resultados finais da Plast 2018. “O número total de expositores diretos também aumentou, particularmente aqueles provenientes do exterior (+ 15%).

O aumento das reservas se espalha por todos os quadrantes geográficos. E a tendência também é analogamente positiva para todas as categorias de produtos representadas na feira: máquinas, equipamentos e moldes para os vários processos de fabricação (moldagem por injeção, extrusão, etc.), matérias-primas (plásticos e borrachas), aditivos, etc.

O escritório da organização do evento já começou a classificar os pavilhões por categoria – e comunicará os resultados da atribuição de espaço aos expositores até o final de Agosto.

Ainda é possível se inscrever na Plast 2018 até que acabe a disponibilidade de espaço. Nesta primeira fase de atribuição de espaço, aqueles que forem rápidos poderão ainda garantir um lugar dentro do pavilhão dedicado à sua categoria de bens específicos. Após esta fase, as empresas interessadas poderão participar apenas se houver espaços residuais, tendo que aguardar até que todas as atribuições de stands tenham sido efetuadas para expositores previamente registrados.

Os expositores da Plast 2018 receberão uma série de serviços atualizados, incluindo os portais Expopage e Smart Catalog da FieraMilano, Wi-Fi gratuito no recinto de feiras, uma vaga de estacionamento gratuita para cada expositor, carpetes nos corredores, etc.

A Plast 2018 é membro da “Aliança da Inovação” (The Innovation Alliance), que reúne cinco feiras internacionais pela primeira vez (Ipack-Ima, Meat-Tech, Plast, Print4All e Intralogistica Italia) e pode ser visitada com um único bilhete de admissão. Numa lógica de cadeia de suprimentos unificada e afinidade setorial, esses eventos mostrarão a excelência tecnológica de diferentes segmentos industriais: desde o processamento de plásticos e borrachas até a fabricação de embalagens, de design personalizados de embalagens e etiquetas até o manuseio e armazenamento de mercadorias. O evento ocupará todos os pavilhões do recinto de feiras da FieraMilano.

Para dar o toque final na tecnologia e materiais em exibição para o setor de plásticos e borrachas, a Plast 2018 também contará com três feiras satélite: a Rubber 2018 (em colaboração com a ASSOGOMMA), a 3D Plast (impressão 3D e tecnologias associadas) e a Plast-Mat ​​(materiais inovadores).

A Plast representará, portanto, o evento europeu mais importante em 2018 para o setor de plásticos e borracha”, acrescenta Grassi, “com a esperança de que ainda se beneficie de um contexto econômico favorável como aquele que atualmente caracteriza a indústria italiana de máquinas para processamento de plásticdos e borracha, a qual, no primeiro trimestre de 2017 registrou crescimento de dois dígitos tanto nas exportações como nas importações “.

A lista de participantes da feira está disponível em plastonline.org,

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plast 2018

Curta nossa página no

Rhodia completa 40 anos de produção de sílica no Brasil

30/06/2017

Empresa comemora com clientes os 40 anos de produção de insumo utilizado na produção de pneus, borracha e calçados, para a formulação de agroquímicos e nutracêuticos, além de produtos para cuidados pessoais e alimentação humana

A sílica precipitada quimicamente, um insumo utilizado por indústrias de diferentes segmentos, desde os pneus (incluindo os ‘pneus verdes’) e artefatos técnicos de borracha até formulação de agroquímicos, nutracêuticos e calçados, passando por produtos de cuidados pessoais e para a alimentação humana, é uma das apostas para o crescimento sustentado dos negócios da Rhodia, empresa do Grupo Solvay, na região da América Latina.

Pioneira na região a produção de sílicas precipitadas, a Rhodia tem feito investimentos permanentes em sua unidade industrial instalada em Paulínia (SP), que está completando 40 anos de instalação. Por ano, em média, a empresa tem aplicado em torno de 10 milhões de reais em projetos de processos operacionais, na introdução de novas tecnologias e produtos, em logística e aumento de capacidade de produção.

Os objetivos dessa área de negócios são aumentar a eficiência da área e abastecer adequadamente os clientes em todos os países da região, com os produtos comercializados sob as marcas Zeosil®, Zeosil® Premium, Efficium® e Tixosil®, em suas diversas apresentações, de acordo com os segmentos de mercados em que são aplicadas.

“Produtividade e competitividade são as palavras-chave do setor e elas estão incorporadas ao nosso modo de trabalhar. Com nossas inovações e a capacidade de atender os diversos mercados em que atuamos, nós estamos bem posicionados para continuar crescendo na região junto com nossos clientes”, afirma François Pontais, vice-presidente para a América Latina da unidade global de negócios Sílica do Grupo Solvay.

A mais recente iniciativa na fábrica de Paulínia foi o início da produção da sílica de alta dispersabilidade (HDS, na sigla em inglês) destinada principalmente à produção dos pneus que economizam energia. Análises realizadas pela empresa e de organismos do setor automotivo indicam que o uso dessa sílica HDS permite a redução de até 7% no consumo de combustível do automóvel. Portanto, reduz na mesma proporção as emissões de carbono na atmosfera. A expansão do uso da sílica de alto desempenho na produção dos chamados pneus verdes pode ser um fator importante para que a indústria automobilística alcance mais rapidamente as metas de redução de emissões de carbono previstas nos programas de desenvolvimento do setor.

Do mesmo modo, a empresa está investindo para aumentar o uso de suas sílicas precipitadas em outros segmentos de mercado em que há potencial de crescimento, tais como oral, care, formulações de nutracêuticos e agroquímicos, além de mercados regionais importantes, como calçados e alimentação humana. “Temos em nosso pipeline de inovações, em nossos laboratórios no Brasil e em outras regiões de atuação do Grupo Solvay, uma série de projetos em diferentes etapas de desenvolvimento, que serão colocados à disposição do mercado até 2020”, acrescenta Pontais.

40 anos de pioneirismo – Erguida em 1977, sob o signo do pioneirismo, a unidade industrial de Sílica da Rhodia passou ao longo de 40 anos por diversas transformações e modernizações para manter sua competitividade em um cenário econômico regional de muitos desafios. Inicialmente a Rhodia e depois o Grupo Solvay (que adquiriu as operações da Rhodia em 2011) investem permanentemente nessa área de negócios.

A unidade global de negócios Sílica, do Grupo Solvay, é a inventora da sílica de alta dispersão (HDS), na década de 1990, e um player importante em pneus que economizam energia e possui nove fábricas e quatro laboratórios de Pesquisa e Inovação em quatro continentes.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

Evonik apresenta aditivo para a produção de pneus durante feira Tire Technology Expo 2017, na Alemanha

05/03/2017

evonik-vestenamer

Na feira, em Hannover, a Evonik expôs um aditivo de processo que melhora a processabilidade de compostos de borracha

Segundo a Evonik, o seu aditivo de processo Vestenamer® simplifica a mistura e produção de vários componentes de pneus. O produto também melhora a dispersão de misturas difíceis de polímeros e reduz a viscosidade do composto, enquanto mantém as propriedades dinâmicas positivas do vulcanizado inalteradas em geral ou aumenta essas propriedades ainda mais em alguns casos, afirma a empresa.

Melhor processabilidade de componentes de borracha

Os modernos pneus de alto desempenho precisam ter baixa resistência ao rolamento e excelente tração em pistas molhadas, além de alta resistência à abrasão. Isso só é possível com o uso de cargas altamente ativas como o negro de fumo e, particularmente, as sílicas precipitadas. Especialmente as misturas com altas concentrações de carga demandam processos de mistura de múltiplos estágios para garantir uma boa dispersão. Como auxiliar de dispersão, o aditivo Vestenamer® pode reduzir de modo considerável os ciclos de mistura e, ao mesmo tempo, otimizar a consistência dos lotes na produção, diz a Evonik. Em decorrência disso, a quantidade de etapas de mistura no processo pode ser reduzida e o processo projetado com mais eficiência.

Alta dureza e resistência à abrasão, além de uma deformação por compressão muito baixa são os requisitos importantes quando se trata de compostos para diversas faixas de aros. A Evonik assegura que o Vestenamer® melhora a processabilidade do composto de borracha por meio da redução da viscosidade na temperatura da mistura e, desse modo, evita o “bagging” no laminador.

O Vestenamer® é um aditivo semicristalino também denominado “Trans-Octenamer Rubber” (TOR). Como auxiliar de processamento de polímeros, ele atua como plastificante em compostos de borracha durante a mistura e o processamento. No entanto, durante a vulcanização do componente de borracha, ele é reticulado (crosslinked) juntamente com a borracha e, como elastômero, é plenamente integrado à rede do polímero. Desse modo, as propriedades da mistura se mantêm estáveis na aplicação final.

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Evonik seleciona Carolina do Sul (EUA) para nova planta de sílicas precipitadas

13/02/2017

evonik-silicas

  • Tendência para pneus eficientes em termos energéticos gera demanda por sílica precipitada na América do Norte.
  •  O investimento é de cerca de US$ 120 milhões

A Evonik Industries está construindo uma fábrica de sílica precipitada no estado da Carolina do Sul (EUA) para abastecer a indústria de pneus. Tal indústria necessita de sílica precipitada de alta qualidade para produzir pneus com eficiente consumo de combustível e boas propriedades de aderência em pistas molhadas. Esses pneus podem economizar até 8% de combustível em comparação aos pneus convencionais para automóveis. Na América do Norte, a demanda por pneus com baixa resistência ao rolamento e maior eficiência energética está crescendo a taxas acima da média. A nova fábrica da Evonik está em construção em local próximo a Charleston, Carolina do Sul, perto das unidades de produção de grandes fabricantes de pneus. A instalação em escala mundial, com volume de investimento próximo de US$ 120 milhões, deve ser concluída em 2018. Com esse investimento, a Evonik executa um novo projeto no âmbito do seu orçamento global de investimento pré-definido.

Klaus Engel, Presidente da Diretoria Executiva da Evonik Industries AG, disse: “O investimento é parte importante da nossa estratégia para expandir nossa posição como um parceiro global para a indústria de fornecedores automotivos. Com a construção da planta no sudeste dos Estados Unidos e a planejada aquisição da divisão de sílica da Huber, estamos fortalecendo o nosso segmento Resource Efficiency e expandindo a nossa posição de liderança como fornecedor de sílica”. Há alguns dias, a Evonik anunciou a aquisição das atividades de sílica da Huber por US$ 630 milhões.

“A proximidade aos principais clientes da indústria de pneus foi algo decisivo para a escolha da Carolina do Sul. Nós queremos garantir aos fabricantes globais de pneus a segurança de fornecimento e a flexibilidade que eles esperam de nós na produção local. É por isso que investimos em locais que estão próximos aos nossos clientes”, disse Johannes Ohmer, membro da Diretoria Executiva da Evonik Resource Efficiency GmbH. A nova fábrica estará localizada na área industrial de Bushy Park, perto de Charleston.

O uso de sílica em combinação com silanos permite a fabricação de pneus com resistência ao rolamento significativamente reduzida que economizam combustível (em comparação com os pneus convencionais para automóveis). Desse modo, os “pneus verdes” contribuem para a proteção climática. A Evonik afirma ser a única empresa que fabrica ambos os componentes, tornando-se parceira dos clientes das indústrias de pneus e borracha quando se trata de formulações de alto desempenho.

Evonik é uma das fabricantes de sílica líderes do mundo. Além da sílica precipitada ULTRASIL® e SIPERNAT®, o grupo também fabrica a sílica pirogênica AEROSIL® e agentes fosqueantes à base de sílica sob a marca ACEMATT®. A Evonik dispõe de uma capacidade de produção anual global para sílica precipitada e pirogênica, bem como agentes fosqueantes, de cerca de 600.000 toneladas métricas.

A Evonik é um dos principais líderes mundiais em especialidades químicas e atua em mais de 100 países no mundo inteiro. No ano fiscal de 2015, mais de 33.500 colaboradores geraram vendas em torno de 13,5 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 2,47 bilhões de Euros. No Brasil, a empresa conta hoje com cerca de 600 colaboradores.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Feira K 2016 registra excelente clima para negócios e recebe 230.000 visitantes de todo o mundo com grande interesse em investir

28/10/2016

k2016-hallprincipal

  • Expositores relatam ter fechado inúmeros negócios
  • Números de visitantes do exterior visivelmente maior – com um número particularmente elevado da Ásia

A indústria internacional dos plásticos e borracha mostrou estar em ótima forma. Ela se beneficia de um mercado de usuários finais crescendo globalmente com demandas por alta qualidade e se posiciona mostrando um impressionante poder para inovar ao longo toda a cadeia produtiva. A situação extraordinariamente boa deste setor e as perspectivas positivas para o futuro caracterizaram a maior feira mundial para a indústria de plásticos e borracha e geraram um excelente clima de negócios entre os 3.285 expositores da K 2016 em Düsseldorf. As empresas relataram uma grande quantiade de novos contatos, muitas dos quais já levaram a negócios fechados durante os oito dias da feira. Ulrich Reifenhäuser, Presidente do Conselho Consultivo da K 2016, resume o sentimento: “Eu nunca vi antes em uma feira um número tão grande de clientes decisivos dispostos a comprar. O número e a magnitude dos negócios, alguns dos quais já concluídos aqui espontaneamente, bem como as muitas consultas concretas sobre novos projetos ultrapassam em muito as nossas expectativas! Ficou claro desde o primeiro dia que os clientes queriam não somente conhecer mais sobre as novas tecnologias, mas também comprá-las. Há fortes investimentos em todas as indústrias que são clientes do setor de plásticos e em todas as regiões do mundo “.

Essa avaliação se mostrou verdadeira para todos os segmentos em oferta na feira. Os expositores confirmaram unanimemente que os visitantes foram extremamente sérios em suas negociações comerciais e mostraram uma pronunciada disposição para investir. Além disso, eles enfatizaram novamente uma percentagem mais elevada de visitantes internacionais e o seu alto grau de especialização profissional, assim como o fato de que um número desproporcionalmente alto de administradores de alto escalão e proprietários da empresa visitaram para a feira em Düsseldorf.

230.000 visitantes profissionais de mais de 160 países circularam nos 17 pavilhões da exposição ao longo dos oito dias da K 2016. Encantado com os resultados, Werner Matthias Dornscheidt, Presidente e CEO da Messe Düsseldorf, diz: “Olhando-se só para o grande número de especialistas que visitaram a K 2016 já se confirma de modo impressionante o apelo e a importância da feira – este número é, mais uma vez, claramente superior ao do evento anterior, em 2013. No entanto, o que é mais importante é: o perfil dos visitantes profissionais foi de um padrão muito alto. Nós pudemos registrar um bom e constante nível de demanda de dentro da Alemanha e um nível de interesse do exterior desproporcionalmente elevado, especialmente de outros continentes. É sabido em todo o mundo que a feira K em Düsseldorf é a plataforma de inovação mais importante para todo o setor. Uma visita aqui é simplesmente indispensável para todos que querem ficar à frente da concorrência “.

O evento anterior, em 2013, teve a participação de 218.000 visitantes e 3.220 expositores.

Os resultados de uma pesquisa feita junto aos visitantes dão suporte à visão dos expositores que a proporção de visitantes internacionais aumentou mais uma vez: cerca de 70% vieram do exterior. Mais de 40% de todos os visitantes estrangeiros vieram de outros continente – países distantes como Bangladesh, Costa Rica, Etiópia, Costa do Marfim, Jamaica, Oman, Madagáscar, Ilhas Maurício, Suriname e Togo estiveram representados na feira à beira do Rio Reno. Como esperado, os profissionais da Ásia corresponderam ao maior grupo entre os visitantes estrangeiros e cresceram ainda mais este ano: cerca de 30.000 visitantes vieram da Ásia Central, Sul e Leste da Ásia. Dentre esses, os profissionais vindos da Índia foram novamente o maior grupo, mas o número de visitantes da China, Coreia do Sul e Irã também aumentou significativamente.

Da mesma forma continuou a proporção de visitantes dos EUA e do Canadá, com cerca de 6% de todos os visitantes estrangeiros.

Em relação aos profissionais vindos dos países europeus vizinhos, a Itália predominou, com mais de 10.000 visitantes, seguida pela Holanda (cerca de 9.500), França (cerca de 6.700), Bélgica (6.300), e Espanha e Polônia (cerca de 5.000 cada). Houve um interesse perceptivelmente mais forte da Turquia, Hungria e Grécia.

Entre todos os países, a porcentagem de executivos entre os visitantes da feira foi extraordinariamente alta. Cerca de dois terços dos visitantes são executivos de alto escalão ou são gerentes de nível médio. Quase 60% deles têm a palavra final ou um envolvimento decisivo sobre as decisões de investimentos das suas empresas. A feira K desempenha um papel de destaque nas decisões sobre quais investimento serão feitos: quase metade dos visitantes afirmaram que estavam esperando pela feira antes de executar quaisquer projetos de compra.

Os expositores de todos os segmentos se prepararam por meses para a K 2016, a fim de enfrentar a concorrência internacional com inovações convincentes. E eles se depararam com uma enorme aprovação: os visitantes ficaram muito satisfeitos com a riqueza de novos desenvolvimentos técnicos apresentados pelos produtores de matérias-primas, fabricantes de máquinas e produtores de peças semi-acabadas e técnicas. Mais de 70% dos visitantes confirmaram ter recebido informações sobre novidades e tendências. Pelas suas próprias contas, numerosos visitantes desejam converter imediatamente estes novos conhecimentos em investimento: 60% dos tomadores de decisão da indústria disseram que tinham visitado a feira com intenções de compra concretas, enquanto 58% já haviam encontrado novos fornecedores. Com estas novas compras, os visitantes buscaram principalmente três objetivos para as suas empresas: expandir seu portfólio de produtos, aumentar a capacidade de produção e aumentar a eficiência. Os resultados da pesquisa junto aos visitantes também confirmam a situação positivos dos negócios nos segmentos que são compradores das indústrias de plástico e borracha: 60% dos visitantes entrevistados avaliam a situação atual como “muito boa” e “boa”, enquanto que o mesmo percentual espera ainda que a situação vá melhorar ao longo dos próximos doze meses.

Eficiência no uso de energia, materiais e recursos foram os temas dominantes na K 2016. Também encontraram um ávido interesse as áreas de novos materiais, conceitos de reciclagem inovadores, novas áreas de aplicação para os plásticos orgânicos e manufatura aditiva. Serviços e linhas de produção inteligentes, rápidas e flexíveis estiveram em alta demanda entre os clientes; o tema da Indústria 4.0 dominou não só palestras e debates, mas também foi demonstrado na prática em muitos estandes. Sobre esse assunto, Ulrich Reifenhäuser disse: “As possibilidades trazidas pela Internet das Coisas estimula um sério e forte interesse – especialmente entre os clientes mais jovens e familiarizados com a Tecnologia da Informação de todo o mundo. A Indústria 4.0 é um tema do futuro que vai nos manter ocupados por vários anos “. Os setores de fabricação de máquinas e plantas, que ocupam a maior área de exposição na K 2016 com mais de 1.900 expositores, também foram o centro de atração para os visitantes; dois terços de todos os visitantes pesquiados classificou este segmento em primeiro lugar. 46% disseram que estavam predominantemente interessado em matérias-primas e materiais auxiliares, enquanto que para 25% os produtos semi-acabados e peças técnicas de plástico e de borracha foram o principal motivo para a sua vinda à K (múltipla escolha possível). Embora seja o menor setor, a indústria da borracha também fez uma mostra altamente visível na K 2016 e destacou a sua importância nas áreas de mobilidade, lazer, uso doméstico e energia.

Os visitantes vieram de todas os segmentos usuários finais importantes – desde o setor de construção e automotivo até os o de embalagem e elétrico, bem como os segmentos de tecnologia médico-hospitalar e agricultura. Todos eles novamente deram notas elevadas aos produtos e serviços em exibição: 97% asseguraram que tinham atingido totalmente seus objetivos, enquanto que 96% disseram estar impressionados com a riqueza e variedade dos produtos e serviços expostos na K 2016;

Também causando uma boa impressão nos visitantes de todo o mundo foi o a variedade de eventos que acompanham a K 2016, especialmente a Mostra Especial “Plastics shape the Future” (Os plásticos dão forma aoo futuro) e o Science Campus (Campus da Ciência). A Mostra Especial, um fórum central para a troca de informações, pensamentos e opiniões no Hall 6, complementou as exposições na K pela nona vez. Neste ano houve dias temáticos individuais que ilustraram os impactos que os plásticos têm em dar forma aos ambientes de vida modernos. A agenda apresentou tanto os debates de especialistas, apresentações e atividades esportivas, como também experimentos estimulantes. No Science Campus, os expositores e visitantes da K 2016 obtiveram uma visão focada de atividades científicas e resultados nos setores de plásticos e borracha e tiveram a oportunidade de fazer contato com várias universidades, institutos e organizações patrocinadoras.

A próxima edição da feira K será realizada em Düsseldorf de 16 a 23 outubro de 2019.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Tendências na K 2016: feira apresenta abundância de aplicações inovadoras e mostras complexas

09/09/2016

Materiais sob medida, uso eficiente dos recursos, produção com defeito zero, materiais leves e digitalização são apenas algumas das muitas tendências tecnológicas caracterizadas na feira deste ano

k2016Nenhuma outra feira do mundo apresenta materiais poliméricos, bem como máquinas de processamento de plásticos e borracha, tecnologia e equipamentos em tal abundância e em tal nível de qualidade superior como a feira K, em Düsseldorf / Alemanha. Não há outra exposição que mostre tal ampla variedade de mostras complexas e de qualidade superior. Foi com base nessas características que Werner Matthias Dornscheidt, CEO da Messe Düsseldorf, chamou a última feira K em 2013 de “maior fábrica de plásticos no mundo”. A K 2016 irá mais uma vez proporcionar uma visão abrangente de tecnologias de polímeros na vanguarda do desenvolvimento global.

Materiais funcionais sob medida e específicos para aplicações

Desde os anos 1990, essencialmente nenhum novo polímero entrou em produção em escala industrial – a menos de alguns biopolímeros. Assim, processos como a modificação, aditivação e funcionalização de matérias-primas poliméricas com o objetivo de criar compostos sob medida para aplicações específicas ou para a produção de propriedades específicas tornaram-se o eixo central de toda a produção de polímeros industriais. Atualmente, o foco principal parece residir na aprovação dos materiais que entram em contato com os alimentos ou água potável e de materiais utilizados em aplicações médicas. Outro objetivo importante para materiais feitos sob medida: resistência química suficiente para substâncias como cosméticos ou outros produtos químicos e estabilidade contra temperaturas de operação contínua e de pico, que são comuns em sistemas eletrônicos ou de iluminação. Em adição a uma condutividade térmica ajustável, muitas aplicações também requerem resistência elétrica ou condutividade elétrica ajustáveis. O mesmo se aplica a aplicações baseadas em borracha: solicitados a cumprir os exigentes requisitos de certificações para aplicações de água potável ou a fornecer retardância de chama confiável em materiais, os componedores vem aplicando uma grande expertise aos seus processos de formulação de blendas. Aplicações em borracha operadas muito próximas a motores de combustão devem resistir a temperaturas de operação e de pico progressivamente maiores, bem como a meios agressivos. Não só os veículos elétricos requerem pneus altamente eficientes e com melhor tração e resistência minimizada ao rolamento.

Uma utilização mais eficiente dos recursos traz novos desafios

A chamada para um uso responsável e cuidadoso de recursos finitos e seu consumo restritivo não é apenas uma exigência popular amplamente expressa, mas também uma necessidade econômica. Isto envolve o uso eficiente de materiais, isto é, materiais poliméricos. A seleção de um design de produto final específico para o material e para a produção é frequentemente o primeiro passo no sentido de tornar os processos de produção mais eficientes.

Também houve grandes melhorias no consumo de energia das máquinas de processamento de plásticos. No entanto, os fabricantes de grandes máquinas de processamento, da maioria de todas as máquinas de moldagem por injeção, bem como máquinas de moldagem por compressão, extrusoras e máquinas de moldagem por sopro, ainda identificam potencial para reduzir as taxas de consumo de suas máquinas. Eles estão se movendo para mais perto dos limites físicos e estão minimizando a energia necessária para plastificar o material. O padrão Euromap 60 para medir o consumo de energia das máquinas oferece aos processadores um mínimo de transparência. Para situações onde as taxas de consumo de energia são inevitáveis, os fabricantes de máquinas desenvolveram componentes que recuperam energia a partir de processos como a desaceleração dos movimentos da máquina e a acumula para outros processos motrizes. Usado em conexão com equipamentos e instalações técnicas, sistemas de recuperação de calor tornaram-se parte do equipamento padrão inicial de novas instalações e também foram adaptados em muitas instalações existentes.

Hoje em dia, a maioria dos fabricantes de máquinas e equipamentos chegaram à conclusão de que a melhor eficiência e disponibilidade de materiais frequentemente têm um efeito mais positivo sobre a eficiência global dos processadores do que economias de energia pouco expressivas. Embora a redução de energia pareça dominar o domínio público, soluções práticas que reduzem os tempos de troca de moldes estão atualmente na moda: sistemas de fixação rápida, sistemas de troca rápida, soluções de adaptadores e sistemas que detectam automaticamente qualquer molde recém-instalado. Todos estes produtos podem melhorar a disponibilidade de uma máquina e alargar a gama de produção do fornecedor. Isto se aplica para o processo de injeção, tanto de plásticos como de borracha, à medida que os fabricantes de máquinas de processamento de borracha também começaram a melhorar a flexibilidade de troca de produtos dos seus equipamentos, a aumentar o nível de automação e a fazer os procedimentos de processamento mais transparentes. De forma análoga aos benefícios da tecnologia de câmara quente para moldagem por injeção de termoplásticos, a tecnologia de câmara fria freqüentemente resulta em economia de material durante os processos de injeção de elastômeros.

Produção com defeito “zero”  ainda no topo da agenda

O objetivo de muitos transformadores de plásticos, a produção com defeito “zero” visa eliminar o desperdício da valiosa matéria-prima. Muitos sistemas podem contribuir para isso. A eliminação de corte de rebarbas, bem como a redução automática das tolerâncias de espessura de filmes plásticos, chapas e perfis, bem como de vedantes de borracha, por exemplo, tornam os processos de extrusão mais eficiente no uso de recursos. Estratégias envolvendo simulações e análise de dados correntes durante o processo ativo também visam impedir a produção de itens com defeito. Para processos de moldagem por injeção que permitem a detecção de defeitos durante a produção ativa, uma variedade de estratégias de separação estão disponíveis. Estas são baseadas em critérios de qualidade que foram medidos ou automaticamente determinados durante o processo ativo de produção. Processos que só permitem a detecção de defeitos na peça acabada operam progressivamente com sistemas ópticos como câmeras.

Feira K é o domínio da engenharia de peças leves

Na mobilidade, a engenharia de peças leves amplamente considerada como a chave para a redução do consumo de energia combustível. “Não há praticamente nenhum produto de plástico que não seja também uma aplicação de engenharia leve,” comentou o Prof. Dr.-Ing. Christian Hopmann recentemente sobre o peso mínimo e perfil de desempenho de materiais poliméricos. Ainda assim, os fabricantes de máquinas, assim como os produtores de plásticos e reforços, os institutos e os transformadores de plásticos fazem todos os esforços para desenvolver técnicas confiáveis para a produção em larga escala de componentes leves particularmente para aplicações de mobilidade, tais como carros e aviões, bem como para aplicações industriais individuais.

Existem numerosas e virtualmente infinitas combinações de métodos de produção especiais particularmente para as técnicas de RIM e de moldagem por injeção, que se esforçam para encontrar soluções adequadas para a produção em larga escala de componentes leves. Apesar do fato de que muitas feiras e conferências internacionais lidam com o assunto da engenharia leve ou compósitos com fibras, a feira K oferece uma visão geral bem mais profunda sobre as muitas maneiras com as quais as fibras de reforço em uma matriz de material polimérico podem rapidamente produzir componentes de peso otimizado com um máximo de capacidade do processo.

Híbridos de Metal e plástico e as várias combinações de fibras com matrizes de polímeros são mostrados durante a K. Termoplásticos, termofixos, matrizes de poliuretano à base de bio-materiais estão sendo combinados com fibras de vidro, carbono e outras materiais sintéticos ou naturais, de modo a satisfazer as exigências e demandas de aplicações modernas. As unidades de produção de componentes leves são frequentemente montadas por muitos parceiros, já que a produção envolve uma gama de diferentes ingredientes, desde fibras de reforço e manuseio automatizado de materiais flexíveis até  máquinas e equipamentos para a produção que frequentemente ocorre em estágios múltiplos. Os materiais da matriz polimérica devem estar em conformidade com os regulamentos para retardância de chama, ao mesmo tempo em que devem proporcionar propriedades mecânicas superiores e fluidez. A combinação das fibras e do material de matriz deve fornecer propriedades suficiente de união.

A digitalização oferece novas oportunidades de produção

O uso de equipamento digital em paralelo aos processos de produção, também chamada de “indústria 4.0”, permite que os transformadores de plásticos possam analisar os dados da sua própria produção a fim de recolher informações práticas de seus processos. Na feira K deste ano, os fabricantes de máquinas e software têm se esforçado para oferecer produtos atraentes para os transformadores de plásticos. A gama de produtos em exposição provavelmente irá envolver novos conceitos para acelerar os processos de partida da produção e para melhorar a flexibilidade dos processos de produção, bem como produtos de serviços para manutenção preventiva, fornecimento de peças de reposição e de gestão da qualidade. No longo prazo, os dados recolhidos durante os processos de produção também serão utilizados para adaptar equipamentos de produção tais como máquinas, robôs, moldes e matrizes às necessidades reais da operação do dia-a-dia e para otimizar o seu design para as especificações de aplicação prática.

Graças à digitalização, melhorias relacionadas com a operação de processos em tempo real têm um grande potencial para aumentar a eficiência da produção: é agora mais fácil do que antes combinar o design da peça moldada, a construção e propriedades do material com as diferentes opções disponibilizadas pela engenharia de moldes e melhorá-los com a inteligência acumulada de procedimentos de produção controlados por processo e temperatura. Por isso, a simulação com um intenso feedback entre a produção e odesenvolvimento tornou-se cada vez mais importante. De um modo geral, muitos fornecedores estão se esforçando para atender ao aumento da demanda por maior transparência da produção e processo através da intensificação da interação entre TI e a tecnologia clássica de produção.

Produção de plásticos: lotes de tamanho 1

Produções com tamanhos de lote reduzidos são o resultado de conceitos de armazenamento enxuto e uma crescente demanda por entregas just-in-time. Uma apresentação em particular, que foi exibida na K 2013, colocou a produção de peças plásticas por produção aditiva firmemente no mapa industrial e direto nas mentes de muitos transformadores de plásticos. Mesmo que esses métodos de produção ainda sejam limitados para termoplásticos amorfos e ainda não permitam o uso de cargas e reforços, eles ainda fornecem matéria para reflexões, à medida que as preferências do consumidor moderno e as tendências da moda parecem mudar com o clima e a individualização da produtos plásticos apresentou um novo desafio para a indústria. Por um lado, este desenvolvimento aumenta as possibilidades para a produção sem moldes de componentes e um lotes de produção de tamanho 1; por outro lado, ele também aumenta o interesse em conceitos de troca mais rápidos para métodos de produção convencionais, tais como moldagem por injeção. Por sinal, a produção através de moldagem por injeção está cada vez mais dominada por sistemas de troca rápida para moldes, trocas de inserções da cavidade ou pacotes completos de extratores para fazer as freqüentes trocas de produto mais eficientes.

Interfaces homem-máquina com operação intuitiva

Novas oportunidades em TI também tiveram um impacto visível nos sistemas de controle para máquinas modernas de processamento de plásticos. Chaves, botões e interruptores em formatos clássicos foram substituídos por painéis de operação estruturados de múltiplos toques e macios, com ou sem elementos de controle centrais de aperto e e torção central já estabelecidos em veículos modernos. O novo visual das interfaces clássicas homem-máquina tem como objetivo fornecer uma operação mais intuitiva e também aplica a lógica familiar de operação de smartphones, iPads e tablets às tarefas de controle industrial. Como muitos técnicos de produção têm que ser treinados para as suas tarefas, fabricantes de máquinas e transformadores de plásticos gostam desta nova abordagem e esperam atrair novos funcionários para sua empresa ao facilitando o seu trabalho com os sistemas de controle fáceis e intuitivos. Espera-se que estes novos sistemas ajudem os novos funcionários a descobrir as suas oportunidades de carreira pessoais em uma indústria moderna, crescente e à prova de futuro.

Fonte: Messe Duesseldorf

Curta nossa página no

Grupo Solvay lança borracha sintética para peças que suportam grandes variações de temperatura

10/07/2016

Solvay_TecnoflonUtilizadas na produção de peças que demandam resistência a temperaturas extremas e excelente resistência química, as borrachas sintéticas à base de fluorcarbono da linha Tecnoflon®FKM foram destaques da unidade global de negócios Specialty Polymers, do Grupo Solvay, na Expobor 2016 –12ª Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas, de 28 a 30 de junho, no Expocenter Norte, em São Paulo.

Segundo a empresa, os produtos Tecnoflon® FKM são indicados para uso em temperaturas extremamente baixas (Série VPL), com TR10 variando de -30°C a -45°C e excelente resistência química. Suas características asseguram maior versatilidade de uso em regiões onde há variações extremas de temperatura. Aplicações típicas desse produto incluem anéis de borracha (o-rings) para injetor de combustível e componentes de vedação para as indústrias aeroespacial e de petróleo e gás, afirma a Solvay.

O portfólio Tecnoflon® da Solvay está dividido em duas famílias: os fluorelastômeros Tecnoflon®FKM e os perfluorelastômeros Tecnoflon®FFKM. De acordo com a Solvay, ambas são compatíveis com inúmeros fluidos e produtos químicos, incluindo óleos lubrificantes automotivos, combustíveis e líquidos de arrefecimento, proporcionando uma vida útil mais longa mesmo em condições extremas.

A Solvay Specialty Polymers fabrica mais de 1500 produtos agrupados em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolimeros, fluoroelastômeros, fluidos fluorados, poliamidas parcialmente aromáticas, polímeros sulfonados, polímeros aromáticos de ultra-alto desempenho, polímeros de alta barreira e compostos de alto desempenho reticulados – para uso nas indústrias Aeroespacial e Aeronáutica, de Energia Alternativa, Automotiva, de Saúde, de Membranas, de Petróleo e Gás, de Embalagens, de Tubos e Conexões, de Semicondutores, de Fios e Cabos, entre outras.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Rhodia começa a fabricar no Brasil sílica precipitada para uso em “pneus verdes”

05/07/2016

Rhodia_silica

  • Sílica precipitada de alto desempenho promove a economia de combustível e redução de emissões dos veículos
  • Empresa investiu em torno de U$$ 10 milhões em projetos de modernização, implantação de tecnologias e melhoria de processos na fábrica de sílica precipitada em Paulínia (SP)

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, deu início à produção no Brasil da sílica precipitada de alto desempenho (HDS, na sigla em inglês) para atender principalmente a expansão da fabricação dos chamados ‘pneus verdes’, que economizam energia (combustível) e ao mesmo tempo reduzem as emissões de carbono na atmosfera.

Estudos realizados pela empresa e por organismos do setor automotivo internacional indicam que o uso da sílica HDS permite a economia de até 7% no consumo de combustível do automóvel e reduz na mesma proporção as emissões de carbono na atmosfera. Além disso, o uso da sílica da Rhodia melhora em 10% a aderência do pneu ao piso molhado.

“Nossa sílica HDS pode ser um fator fundamental para a indústria automotiva alcançar mais rapidamente as metas de redução de emissões de carbono previstas pelo programa brasileiro Inovar-Auto”, diz François Pontais, Diretor para a América Latina da Unidade Global de Negócios Sílica, do Grupo Solvay.

Segundo Pontais, a migração da produção das montadoras de pneus para os chamados pneus verdes é uma tendência global do mercado, tendo em vista as exigências ambientais mais rigorosas para o controle de emissões dos veículos, visando incrementar a mobilidade sustentável. “A sílica HDS se tornou líder mundial no seu segmento por justamente atender a essas necessidades”, acrescenta.

O conceito do pneu verde nasceu na Europa no início dos anos 90 no segmento de veículos de passeio, a partir da invenção da sílica HDS pela Rhodia (que pertence ao Grupo Solvay desde 2011). Logo tomou corpo e se expandiu por conta da legislação ambiental europeia para o setor automotivo, que continua desafiando o setor para produção de veículos mais sustentáveis e, portanto, menos poluentes.

A expansão do uso de sílica HDS teve um impulso importante com a recente adoção de programas de etiquetagem de pneus, um modo de assegurar ao consumidor a melhor compra desse produto, alinhada à demanda por produtos mais sustentáveis. O programa de etiquetagem foi implementado inicialmente na Europa em 2012 e logo expandiu-se para outras regiões do planeta, como a Ásia (Japão e Coréia do Sul). Agora, a partir de outubro de 2016 passa a valer no Brasil. “A sílica HDS contribuirá para que a indústria de pneus ofereça o melhor produto aos consumidores”, afirma François Pontais.

Investimentos em tecnologia e inovação – O início da produção da sílica de alto desempenho no Brasil é um dos resultados de uma série de projetos voltados ao aumento da eficiência e da competitividade do negócio Sílica na América Latina, abrangendo a unidade de produção e o laboratório de desenvolvimento de aplicações, instalados no conjunto industrial do Grupo Solvay em Paulínia (SP), além das equipes de gestão administrativa e comercial.

“Nosso esforço está direcionado para reforçar a nossa liderança na região da América Latina, através da melhoria dos nossos processos e produtos, para atender as necessidades dos clientes dos diversos mercados em que nossas sílicas são utilizadas”, observa François Pontais, Diretor para a América Latina da unidade global de negócios Sílica, do Grupo Solvay.

O portfólio de projetos de melhoria abrange todas as áreas do negócio Sílica na América Latina. Por exemplo, há investimentos em “BAT” (Best Available Technology) para processos de produção (sílica de alto desempenho, eficiência energética, rendimentos da produção), em excelência operacional e em supply chain (embalagem, armazenagem e logística) na planta de industrial de Paulínia (SP).

Todas essas tecnologias e desenvolvimentos de produtos comercializados no setor de borracha e pneus – Zeosil® e Efficium® – foram destaques da empresa na Expobor 2016 – 12ª Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas, que ocorreu de 28 a 30 de junho, no Expocenter Norte, em São Paulo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay/Rhodia

Curta nossa página no

Evonik apresenta novidades na Expobor

23/06/2016

EvonikPainelA Evonik marcará presença em mais uma edição da Expobor – Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas. O evento ocorrerá entre os dias 28 e 30 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Durante o 16º Congresso de Borracha, que ocorre simultaneamente à Expobor, com palestras de representantes de universidades e de empresas do setor, a Evonik apresentará o tema “Investigations of Highly Dispersible Silica Types and Silane Types in an OTR Cut Resistant Tire Tread Application”. Louis Gatti, Gerente técnico para o mercado de borracha, região Américas, abordará sistema sílica de alta dispersão/silano em bandas para pneus de caminhão.

A Evonik acaba de construir em Americana (SP), a primeira fábrica de sílicas de alta dispersão (HDS) na América do Sul, consolidando a posição de liderança global neste mercado. Esta sílica, de forte crescimento, é usada principalmente para conferir elevada qualidade para os chamados “pneus verdes”.

O uso de sílicas em combinação com silanos permite a produção de pneus com menor resistência ao rolamento, promove redução no consumo de combustível em até 8%, proporciona diminuição na emissão de CO2 e também proporciona uma redução do ruído pelo pneu em comparação aos pneus convencionais de automóveis). A Evonik e o único fabricante que oferece ambos os componentes – essenciais as indústrias de pneus e borracha quando se trata de compostos de alta performance.

Apelo sustentável

Além da sílica de alta dispersão, da linha ULTRASIL®, que passa a ser produzida pela Evonik no Brasil, a empresa destacará o inovador organosilano Si 363®. Responsável pela ligação química da sílica com as moléculas de borracha, é desenvolvido especialmente para fabricantes de pneus para melhorar as principais propriedades de desempenho do produto. Segundo a Evonik, os pneus produzidos com Si 363® são característicos por sua resistência ao rolamento reduzida em mais de 10%. Deste modo, o consumo de combustível diminui de forma significativa. Além disso, as emissões de compostos orgânicos voláteis (VOC) durante o processo de fabricação de pneus são reduzidas em até 80%, contribuindo com o meio ambiente.

Outros produtos da empresa para a indústria de pneus, fabricação de solados, artefatos técnicos, sílicas, linha de Silanos, sílica precipitada, Antioxidantes e antiozonantes, aditivos poliméricos para processamento de borracha e dióxido de Titânio também serão exibidos durante a feira.

Serviço:
Expobor 2016 – 12ª Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas
Data: 28 a 30 de junho de 2016
Horário: das 14h às 21h
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – SP.

Lanxess e Saudi Aramco concluem negociação de joint venture

07/04/2016

Arlanxeo

  • Joint venture Arlanxeo lançada em 1º de abril, 2016 como planejado
  • Lanxess recebeu recursos de caixa de cerca de 1,2 bilhões de euros
  • Anunciada composição do comitê de acionistas da Arlanxeo

Em 1º de abril, a empresa de especialidades químicas Lanxess e a Saudi Aramco concluíram a formação da joint venture em base de 50-50 para borracha sintética, a Arlanxeo. O negócio foi anunciado pela primeira vez em setembro de 2015 e todas as autoridades antitruste relevantes liberaram a transação em fevereiro de 2016.

Com o fechamento da transação, uma participação de 50 por cento da joint venture Arlanxeo foi transferida para a subsidiária holandesa da Saudi Aramco, a Aramco Overseas Holdings Coöperatief U.A. Por sua vez, a Lanxess recebeu recursos em dinheiro de cerca de 1,2 bilhões de euros.

A Lanxess planeja investir cerca de 400 milhões de euros dos recursos da transação em crescimento orgânico. Outro valor de cerca de 400 milhões de euros está destinado a uma redução na posição financeira de débitos e cerca de 200 milhões de euros deverão ser usados em um programa de recompra de ações.

Com o lançamento da Arlanxeo, a composição do comitê de acionistas da empresa também foi anunciada. O comitê será presidido pelo presidente do conselho de administração, Matthias Zachert. Warren W. Wilder, Vice Presidente de Produtos Químicos da Saudi Aramco, é o Vice Presidente. Os membros adicionais do comitê de acionistas da Arlanxeo são Michael Pontzen, diretor financeiro da Lanxess; e Khalid H. Al-Dabbagh, Controller da Saudi Aramco.

Fonte: Lanxess

Curta nossa página no

Rhodia lança inovações na Fimec para ampliar sua participação no fornecimento de componentes para calçados

22/03/2016

Emprefimec2016sa é uma das patrocinadoras da Fábrica Conceito de Calçados da Fimec

Rhodia e Basf desenvolvem um inovador solado de performance para calçados esportivos

Setor coureiro-calçadista representa 7% das vendas anuais de produtos químicos da Rhodia no Brasil

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, para atender às demandas por inovações e maior produtividade do setor calçadista/coureiro do País, reservou para a 40ª edição da Fimec (de 15 a 17 de março, em Novo Hamburgo- RS), o lançamento de uma série de novidades nas áreas de insumos e produtos químicos. O objetivo da empresa é reforçar sua participação no fornecimento para esse segmento, que em média representa em torno de 7% do total das vendas da empresa no Brasil.

Entre as novidades, destacaram-se o trabalho conjunto da Rhodia com a Basf para a criação de um solado composto de entressola de poliuretano e estabilizador de TPU – poliuretano termoplástico -, para aplicação em calçados esportivos (tênis, sapatênis etc). Esse desenvolvimento permite a produção de um solado de menor peso, maior absorção de impacto e aumento do conforto do usuário do calçado.

O solado todo em poliuretano foi utilizado no tênis de alta performance X-System, protótipo criado pelo projeto Inspira Mais, coordenado pela Assintecal (Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos), reunindo tecnologias destinadas aos calçados esportivos.

Segundo Marlise Margaritelli, gerente comercial e de marketing para a América Latina da área global de negócios Poliamida e Intermediários, o desenvolvimento desse solado é uma resposta da indústria de matérias-primas às necessidades do setor coureiro-calçadista por soluções com alta tecnologia e inovação, capazes de gerar valor ao produto final.

“A cadeia produtiva do setor no Brasil, desde as indústrias de matérias-primas até o fabricante do produto final, é altamente qualificada para a criação de produtos que atendam aos desejos dos consumidores finais tanto no Brasil quanto no Exterior”, diz ela.

De acordo com Letícia Mendonça, gerente de Transportes e Bens de Consumo da divisão de Materiais de Performance da BASF para América do Sul, a dinâmica do setor coureiro-calçadista exige dos fornecedores de insumos o desenvolvimento de soluções que sejam inovadoras e representem ganhos de produtividade para toda a cadeia industrial.

“Nosso foco são os sistemas de TPU (poliuretano termoplástico) da linha Elastollan® e os sistemas de PU (poliuretano) da linha Elastopan®. O primeiro se destaca pelos materiais de alta performance que conferem a melhor maciez do mercado brasileiro para o conforto ao calçado e o segundo, pela liberdade ilimitada de design em termos de forma, cor e textura para sistemas de calçados”, afirma.

Sílicas para calçados – No segmento de sílicas precipitadas, um insumo de larga utilização na produção de solados de borracha para calçados, o foco do trabalho da Rhodia é o desenvolvimento em conjunto com seus clientes de aplicações em linha com as atuais tendências do mercado.

“Por exemplo, há muito espaço para os calçados esportivos de uso no dia a dia ou para prática de esportes de performance, que exigem um solado de borracha de maior desempenho, o que só se obtém com o uso de nossa sílica”, diz Paulo Garbelotto, Gerente Comercial e de Marketing na América Latina da área global de negócios Sílica, do Grupo Solvay.

Além disso, observa, está ocorrendo um crescimento do mercado de calçados para segmentos específicos de consumidores, tais como os calçados “anti stress” ou para pessoas que tem alguma necessidade especial, o que exige solados diferenciados de borracha. “Essa nova demanda tem levado ao aumento dos serviços de desenvolvimento conjunto de aplicações”, acrescenta Garbelotto.

Reconhecido fornecedor do setor com a marca Zeosil®, a área de Sílica tem investido no desenvolvimento de novos produtos que ajudam os clientes a obter maior produtividade em seus processos, melhorar a qualidade final de seus produtos e reduzir os custos de produção. Um dos exemplos desse trabalho de inovação foi a criação da sílica Efficium®, que oferece melhor dispersão e compatibilidade com a borracha, permitindo menor consumo de energia elétrica do misturador e menor tempo do uso do maquinário”, acrescenta.

Rhodia na Fábrica Conceito – A Rhodia também participou como um dos parceiros do projeto Fábrica Conceito, desenvolvido pelo Ibtec.- Instituto Brasileiro de Tecnologia de Couro, Calçados e Artefatos – para apresentar as tecnologias da empresa voltadas ao setor coureiro-calçadista. O foco da empresa foram os intermediários químicos aplicados nos solados de poliuretano e no tacão de PU e os solventes oxigenados usados na produção de adesivos. Durante a Fimec 2016, a Fábrica Conceito produziu 1 mil pares de calçados femininos e masculinos, entre sapatilhas, scarpin, botas femininas e sapatênis masculinos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

KraussMaffei é vendida para grupo chinês ChemChina

12/01/2016
Ting Cai, Chairman e CEO da China National Chemical Equipment Co. Ltd. (CNCE), Frank Stieler, CEO da KraussMaffei Group e Chen Junwei, CEO da ChemChina Finance Co. Ltd

Ting Cai, Chairman e CEO da China National Chemical Equipment Co. Ltd. (CNCE), Frank Stieler, CEO da KraussMaffei Group e Chen Junwei, CEO da ChemChina Finance Co. Ltd

  • Grupo chinês ChemChina adquiriu a empresa alemã fabricante de máquinas para processamento de plásticos KraussMaffei por 925 milhões de euros (aproximadamente 1 bilhão de dólares)
  • A transação deverá acelerar o crescimento do Grupo KraussMaffei
  • Sede e demais instalações da KraussMaffei Grupo permanecerão nos mesmos locais
  • Número de empregos deverá aumentar

A maior aquisição de todos os tempos de uma empresa alemã por um grupo chinês foi anunciado na segunda-feira, 11/01. Um consórcio liderado pela estatal China National Chemical Corp (ChemChina) comprou a fabricante de máquinas industriais KraussMaffei por cerca de US $ 1 bilhão.

O acordo é o mais recente exemplo, nos últimos anos, de empresas chinesas capitalizadas que buscam adquirir a experiência tecnológica, as redes de distribuição e marcas de empresas ocidentais, muitas vezes construídas ao longo de várias décadas.

A transação também ocorre em um momento no qual o enfraquecimento da moeda chinesa está incentivando as empresas do país a transferir investimentos para o exterior, de modo que são esperadas mais negócios similares ainda neste ano.

O consórcio liderado pela ChemChina, que inclui também a Guoxin International Investment Corp e a empresa de private equity Agic Capital, concordou em comprar a KraussMaffei do grupo canadense Onex Corp por 925 milhões de euros, segundo a Agic e a Onex.

A ChemChina ficará com dois terços da KraussMaffei, que começou suas atividades como um fabricante de locomotivas em Munique na década de 1830, antes de se expandir para o segmento deconstrução de tanques na década de 1930, fabricando agora máquinas para processamento de plásticos e borracha.

ChemChina é um investidor estratégico e orientado a longo prazo

“Com a ChemChina, nós encontramos um investidor estratégico e orientado a longo prazo que vinha se interessando por nossa empresa há muitos anos”, disse Frank Stieler, CEO do Grupo KraussMaffei. O Grupo KraussMaffei continuará a operar com a sua atual estrutura corporativa.

“Estamos reforçando a nossa empresa com um dos principais grupos de engenharia mundiais, abrangendo uma história corporativa 178 anos. Ao fazê-lo, esperamos que o Grupo KraussMaffei mantenha a sua identidade e independência “, disse Jianxin Ren, Chairman da ChemChina. “Estamos investindo na forte equipe de gestão da KraussMaffei e na sua competência tecnológica e acreditamos que isso irá beneficiar nossas subsidiárias chinesas e posicionar o negócio de máquinas para o setor químico e de plásticos da ChemChina, que irá construir e vender equipamentos para a indústria de borracha e plásticos, para tornar-se um pioneiro no atingimento do “Made in China 2025”, programa que visa reforçar a indústria chinesa. O potencial de crescimento do Grupo KraussMaffei é enorme, especialmente através da melhoria do acesso ao mercado chinês, o que nós podemos tornar possível. Nós esperamos que as tendências na indústria automotiva na direção da fabricação avançada e de componentes leves irão proporcionar uma enorme oportunidade de desenvolvimento para a indústria de injeção de plásticos de ponta. Juntos, a ChemChina e o Grupo KraussMaffei estarão bem posicionados para o crescimento futuro “, acrescentou Ren Jianxin.

Crescimento deverá se acelerar consideravelmente

“Após a aquisição pela Onex no final de 2012, o Grupo KraussMaffei alcançou um forte crescimento e teve um ano de muito sucesso em 2015. Como parte da ChemChina, nós esperamos acelerar consideravelmente a nossa estratégia de crescimento, especialmente na China e na Ásia, e reforçar ainda mais a empresa na Alemanha e na Europa “, enfatizou Stieler. Na China, a KraussMaffei deverá se beneficiar, em especial, das tendências no sentido de maior qualidade e sustentabilidade. As máquinas e os sistemas das três marcas – KraussMaffei, KraussMaffei Berstorff e Netstal – são especialmente adequadas para atender às necessidades mais exigentes dos clientes. Como resultado da transação, o Grupo KraussMaffei será capaz de acelerar sua expansão planejada na China.

Locais de atuação permanecem – aumento de postos de trabalho planejado para a Alemanha em 2016

“O crescimento acelerado terá um impacto sustentado positivo para a Companhia a nível global. Nossa empresa tem uma base forte e vamos continuar a construir sobre os nossos pontos fortes e criar novos postos de trabalho em todo o mundo “, disse Stieler. Nossas marcas KraussMaffei, KraussMaffei Berstorff e Netstal sempre serão sinônimos de alta qualidade e sustentabilidade. A sede do Grupo KraussMaffei permanecerá em Munique e a responsabilidade operacional e corporativa pela Companhia vão ficar na Europa. Isso se aplica, em especial, à produção, tecnologia, patentes, bem como pesquisa e desenvolvimento. O Grupo KraussMaffei continuará a operar como uma empresa alemã com um Conselho de Administração baseado na co-determinação. Todos os acordos coletivos existentes e compromissos locais da empresa ao redor do mundo permanecerão inalterados. Atualmente, a empresa tem cerca de 4.500 funcionários no mundo, dos quais 2.800 são baseados na Alemanha. A Companhia pretende aumentar sua força de trabalho em 2016, inclusive na Alemanha.

Conselho de trabalhadores e do IG Metall dão boas-vindas à mudança de propriedade

Os representantes dos trabalhadores e a IG Metall dão boas-vindas à mudança planejada na propriedade. “Nós consideramos a transação como uma oportunidade significativa para o Grupo KraussMaffei e seus funcionários. Estamos confiantes de que, através de um maior crescimento, os postos de trabalho existentes na Alemanha e na Europa serão garantidos e ampliados “, comentou Peter Krahl, presidente do conselho de trabalho do Grupo KraussMaffei. A IG Metall também é favorável à mudança de propriedade. “Esta mudança vem no momento certo para a empresa e oferece uma boa perspectiva para o crescimento futuro”, disse Horst Lischka,  Representante da IG Metall para a empresa, responsável por Munique e membro da Comissão Presidencial do Conselho de Administração do Grupo KraussMaffei. “Estou contento com o fato de que o princípio alemão de co-determinação também está desfrutando de maior valorização no exterior como uma base para o sucesso empresarial sustentável”, acrescentou.

ChemChina focaliza-se na sua expertise em gestão, bem como na qualidade e valor das empresas adquiridas

A ChemChina é o maior grupo do setor de produtos químicos da China, tendo gerado receitas em torno de € 37 bilhões em 2015, com aproximadamente 140.000 funcionários, dos quais 45.000 estão localizados fora da China. O grupo opera internacionalmente e tem uma estratégia de expansão global, tendo adquirido ou investido em empresas na Itália, França, Noruega, Reino Unido e Cingapura nos últimos anos, sendo que a sua mais recente aquisição foi o fabricante de pneus Pirelli. Quando se trata de investimentos de capital, a ChemChina focaliza-se na sua experiência de gestão, bem como a qualidade e valor das empresas adquiridas.

Após a aquisição pela Onex em 2012, o Grupo KraussMaffei demonstrou melhoria sustentada em seu desempenho financeiro e operacional. Em 2014, a empresa gerou receitas de aproximadamente € 1,1 bilhão e espera alcançar um crescimento anual de receita de aproximadamente 10 por cento para 2015. “Agradecemos à Onex por construtivamente apoiar nossa empresa ao longo dos últimos três anos, o que nos permitiu alcançar um desempenho recorde em 2015 e posicionar a empresa para o futuro “, comentou Stieler.

“Ao longo dos últimos anos, nós temos trabalhado em estreita colaboração com a equipe de gestão do Grupo KraussMaffei para melhorar o desempenho da empresa, fortalecendo ainda mais sua posição de liderança na indústria global de processamento de plásticos e borracha”, disse David Mansell, diretor-geral da Onex. “Gostaríamos de agradecer a todos os colaboradores e administradores do Grupo KraussMaffei por sua dedicação e trabalho duro”, acrescentou Mansell.

Fonte: KraussMaffei / Reuters

Curta nossa página no

Messe Düsseldorf expande portfólio internacional de feiras para os plásticos e borracha com acordo para a Iran Plast

23/09/2015

MesseA Messe Düsseldorf, organizadora de feiras internacionais para plásticos e borracha, agora aumentou seu portfólio. A Companhia Petroquímica Nacional do Irã (NPC) e a Messe Düsseldorf concordaram em cooperar de forma abrangente para a organização da feira IRAN PLAST. A nova parceria já está valendo para a próxima feira, que será realizada entre 13 e 17 de Abril de 2016 em Teerã, onde a Messe Düsseldorf será responsável pela organização e implementação das participações de expositores internacionais.

A IRAN PLAST é uma feira bienal. No próximo ano ocorrerá a décima edição do evento, que se estabeleceu como a plataforma mais importante para a indústria de plásticos e  borracha no Irã. Em 2014, cerca de 800 expositores participaram da feira, dos quais 250 eram estrangeiros. Os organizadores registraram 68.000 visitantes, incluindo delegações da Armênia, Afeganistão, Índia, Paquistão e dos Emirados Árabes Unidos. Além da feira, uma série de conferências temáticas ofereceu informações sobre as últimas tendências e desenvolvimentos na indústria de polímeros. A feira é patrocinada pelo Organização de Promoção do Comércio do Irã (ITPO) e pela Empresa de Exposições Internacionais do Irã (IIEC).

Contando com uma população de 75 milhões de pessoas, o Irã tem uma poderosa indústria de petróleo e gás,  que gera mais de 50% das receitas de exportação do país. Ele também tem uma demanda substancial por bens de investimento, máquinas modernas, componentes, métodos de processamento e tecnologia. Espera-se que o levantamento das sanções econômicas criem um impulso significativo nas relações comerciais internacionais com o Irã. Os especialistas antecipam uma crescente demanda por máquinas e equipamentos, em particular nos segmentos de plásticos e borracha.

A Messe Düsseldorf adquiriu experiência internacional no segmento de plásticos e borracha mais notadamente como organizadora da feira K. A feira trienal, carro-chefe para a indústria, é de importância mundial pois serve como um ponto de encontro para fabricantes internacionais de máquinas e equipamentos, produtores de matérias-primas, transformadores e clientes de diferentes segmentos, desempenhando o papel de uma plataforma global para realização de negócios e troca de informações. Além da feira K, a Messe Düsseldorf também organiza outras feiras no segmento de plásticos e borracha em vários países, tais como a Interplastika em Moscou, a Indoplas (em conjunto com Indopack e Indoprint) em Jacarta e a T-PLAS em Bangkok –  ou de forma independente ou em cooperação com subsidiárias. Além disso, a Messe Düsseldorf tem mantido cooperação com os organizadores do Arabplast, Chinaplas e Plastindia por muitos anos.

Para obter mais informações sobre a IRAN PLAST 2016, visite http://www.iranplast.ir ou entre em contato com a Messe Düsseldorf GmbH, Gabriele Schreiber, Tel. +49 (0) 211 / 4560-7762, SchreiberG@messe-duesseldorf.de.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Wittmann Battenfeld desenvolve solução em controladores de temperatura para a Copé

19/08/2015

Com a adoção dos controladores de temperatura da Wittmann Battenfeld, a Copé reduziu problemas e ganhou agilidade

Wittmann_Battenfeld-CopeUm equipamento que tivesse custo acessível e desempenho compatível com a aplicação, que fosse padrão de mercado e que pudesse ser controlado automaticamente por outra máquina. E, mesmo sem nunca ter sido utilizado para tal finalidade, se encaixou perfeitamente àquela solicitação atípica. Assim, nasceu a parceria entre a Wittmann Battenfeld – um dos principais fabricantes mundiais de equipamentos para a indústria de plásticos – e a Copé & Cia. Ltda. – fabricante de máquinas para as indústrias da borracha, plástico e recapagem de pneus.

Em março de 2014, a unidade brasileira da Wittmann Battenfeld aceitou o desafio e, em conjunto com sua engenharia na Áustria, iniciou os estudos técnicos para definir a melhor solução para a Copé, cuja necessidade era empregar controladores de temperatura em máquinas de preparação de produto de borracha. A solução adotada contemplou a utilização dos modelos TEMPRO basic C90 e TEMPRO basic C120 em linhas de calandragem e extrusoras.

Para se chegar ao objetivo proposto pela Copé, os engenheiros da Wittmann Battenfeld equiparam os periféricos da série TEMPRO com uma interface analógica. Com a ação, foi possível fazer com que o controle do dispositivo se comunicasse com o PLC do equipamento. O envolvimento da equipe de engenharia de aplicação e desenvolvimento de produto da matriz foi decisivo no momento de indicar qual seria a opção que apresentava o melhor custo-benefício em relação à comunicação entre os dispositivos.

Benefícios

Fernando Kusiak Pereira, da equipe de engenharia da Copé, conta que os benefícios obtidos com a parceria – além da questão prática de controle preciso e confiável da temperatura durante o processamento da borracha – foram garantia de suporte técnico capacitado e serviço de assistência técnica prestativo e ágil.

A parceria com a Copé reforça o conhecimento em automação da Wittmann Battenfeld. A empresa está apta a desenvolver sistemas completos e oferece o suporte necessário a cada aplicação, proporcionando vantagens produtivas, redução de custos e outros benefícios. “A Copé é uma das mais conceituadas fabricantes nacionais de máquinas para processamento de borracha, tendo clientes renomados desse setor. A partir deste contrato, a empresa sabe que poderá contar com nossas soluções com configurações especiais em seu processo”, comemora Reinaldo Carmo Milito, Diretor Geral da Wittmann Battenfeld do Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Wittmann Battenfeld

Curta nossa página no

Feira K 2016 em Düsseldorf terá mais de 3.000 expositores

16/07/2015
Werner M. Dornscheidt, Presidente e CEO da Messe Düsseldorf, organizadora da K 2016

Werner M. Dornscheidt, Presidente e CEO da Messe Düsseldorf, organizadora da K 2016

A demanda por stands na feira K 2016 aumentou mais uma vez. A principal feira mundial da indústria de plásticos e borracha apresentará novamente um panorama completo de ofertas para o mercado. Mais de 3.000 expositores  apresentarão seus produtos e serviços entre 19 e 26 de outubro de 2016, em Düsseldorf, na Alemanha. A seguir,  entrevista com Werner M. Dornscheidt, presidente do Conselho de Administração da Messe Düsseldorf GmbH, organizadora da feira.

Pergunta: Sr. Dornscheidt, há algumas semanas que se encerraram as inscrições para participação na K 2016 ? Qual foi a ressonância percebida na indústria mundial de plásticos e borracha  ?

Resposta:  – Extremamente positiva ! A demanda por espaço de exposição aumentou novamente e os 19 pavilhões do Centro de Exposições da Messe Düsseldorf estão lotados. Participarão da feira mais de 3.000 expositores de todos os continentes, apresentando suas inovações. O espectro das empresas participantes alcança desde grandes grupos que operam a nível mundial até start-ups,  abrangendo todas as áreas do mercado global de polímeros. A K 2016 tem uma oferta única pela sua amplitude e profundidade.

P – Participarão então todas as empresas que se inscreveram até agora?

R Nosso compromisso é: todas as empresas que tenham se inscrito até 31 de Maio e cuja exposição se adapte aos termos da K 2016 terão um stand. Em alguns casos, será necessário chegar a um compromisso sobre o tamanho do stand, mas estou totalmente convencido de que vamos encontrar uma boa solução para todos os clientes.

P – O que tem de especial a feira K de Düsseldorf ? Alguns outros eventos do setor já atraem também um número alto de expositores.

R A feira K é a plataforma para lançamentos da indústria de plásticos e borracha;  nenhuma outra feira gera uma variedade tão grande de lançamentos. As empresas do setor em todo o mundo já estão trabalhando hoje para fazer a melhor apresentação possível na feira de Outubro de 2016, em Düsseldorf. A melhor apresentação possível, quer dizer, com inovações interessantes. Para terem êxito competitivo, são imprescindíveis produtos inovadores. Somente aqueles que possuem novas tecnologias que ofereçam vantagens reais para os clientes podem se diferenciar no contexto da intensa concorrência global. Outra característica distintiva da K é a grande internacionalidade, tanto dos expositores quanto dos visitantes. Por um lado, é uma garantia de que serão apresentadas, para os visitantes profissionais, todas as áreas de oferta a nível do mercado mundial. Por outro lado, os expositores terão acesso a especialistas do setor provenientes de mais de 100 países e poderão se reunir com potenciais clientes que não poderiam alcançar por outros meios.

P – A inovação se situa no cerne da K 2016. Além das mostras dos expositores, haverá uma programação complementar paralela para informar sobre as novidades e as perspectivas do setor?

R Tanto as empresas industriais como os institutos de pesquisa mostrarão na K 2016 os desenvolvimentos e as perspectivas futuras da indústria de plásticos e borracha. Isto ocorrerá nos stands de expositores e também na extensa programação complementar que oferece vantagens adicionais para os visitantes. Para mencionar apenas dois elementos: na exposição especial do Pavilhão 6 será mostrado como o plástico pode moldar nosso futuro e resolver os problemas de amanhã, dos pontos de vista funcional, estético e de sustentabilidade. Temas como, por exemplo, a eficiência no uso de recursos, construção leve, novos materiais e a Indústria 4.0, além de assuntos relacionados aos detritos marinhos, serão discutidos em mesas redondas e multimídia. A exposição especial é organizada pela indústria alemã do plástico, sob a direção da Plastics Europe Deutschland e da Messe Düsseldorf. Enquanto a exposição especial atrai os responsáveis pela tomada de decisões do setor e, por meio de multiplicadores e meios de comunicação, atrai também o grande público, o Campus de Ciência é o ponto de encontro da comunidade científica. Instituições, universidades e faculdades têm aqui os resultados mais recentes de suas pesquisas sobre o complexo tema do plástico e borracha e podem manter um diálogo com os utilizadores industriais.

P – Com uma oferta tão abrangente, os visitantes profissionais podem encontrar também todos os outros elementos destacados na feira ?

R Tenho absoluta certeza! A K 2016 tem uma oferta extremamente abundante, mas está muito claramente estruturada. Os pavilhões de exposições estão divididos nas áreas de:
• Matérias-primas e materiais auxiliares
• Produtos semi-acabados, peças técnicas e produtos plásticos reforçados
• Máquinas e equipamentos
• Serviços.
Esta estrutura garante que todos os visitantes podem encontrar, diretamente e sem perda de tempo, os expositores que se ajustam a seus interesses profissionais. Uma oferta de serviços completa via Internet facilita a preparação e a visitação durante a feira. E, como ajuda adicional, há também uma ferramenta – o Innovation Compass (Bússola da Inovação) – que auxilia os visitantes a localizarem melhor as inovações dos expositores.

P – No panorama global de feiras para a indústria do plástico e borracha estão ocorrendo mudanças nas datas. Como se posiciona a K 2016?

R – Graças ao volume da sua oferta e à sua enorme internacionalidade, a feira K tem uma posição global única. Ela é considerado como o núcleo do setor e o ponto de partida para as decisões de políticas para soluções de produtos, processos e problemas. Um dos segredos do sucesso da K é o seu conceito, o qual temos adaptado e desenvolvido continuamente desde o início, juntamente com empresas e associações industriais. Esta colaboração tem demonstrado sua eficácia e tem feito com que a feira se encontre no topo, indiscutivelmente, já há décadas. Durante esse tempo, temos observado que os expositores e responsáveis pela tomada de decisões tem grande preferência por Dusseldorf. O pessoal da indústria no mundo todo está reorganizando seus calendários para garantir que não haja choque com as datas da K.

Feira K 2016 n° 1 mundial para os plásticos e borracha (19 a 26 de outubro de 2016)

A feira mundial mais importante da indústria de plásticos e borracha apresenta novamente em 2016 todo o espectro da oferta do setor: desde a situação técnica mais avançada, passando por inovações pioneiras, até desenvolvimentos visionários. Durante a K 2013, estiveram presentes 3.220 expositores de 59 países e  218.000 visitantes profissionais de mais de 100 países que usaram a feira como plataforma de informações de negócios e de investimento. 82% dos visitantes da K 2013 estavam diretamente envolvidos nas decisões de investimento. Os grupos de visitantes da K são os fabricantes de produtos plásticos e de borracha, além de desenvolvedores, construtores e técnicos de produção das indústrias utilizadoras, como, por exemplo, a indústria automotiva, de bens de consumo, elétrica e eletrônica, aeroespacial e de construção.

A K 2016 será realizada nos 19 pavilhões da Messe Düsseldorf. Os fornecedores de máquinas e equipamentos são, tradicionalmente, o maior grupo de expositores. As apresentações ao vivo de unidades de produção complexas durante a feira são únicas em todo o mundo. Entre os fabricantes de matérias-primas, produtos semi-acabados e peças técnicas, produtos e novas aplicações e soluções que economizam energia e de interesse ecológico atraem a maior atenção.

A K 2016 será abeerta na quarta-feira, 19 outubro, e terminará na quarta-feira, 26 de outubro de 2016. o horário da feira é das  10:00 às 18:30. Mais informações podem ser encontradas em  www.k-online.com

Fonte: Press Service (Messe Düsseldorf)

Curta nossa página no

Evonik planeja construir uma nova fábrica para a produção de sílica nos Estados Unidos para atender à indústria de borracha

17/06/2015

·    Maior investimento na América do Norte nos últimos cinco anos
·    Conclusão da fábrica está prevista para o final de 2017
·    Tendência de pneus que economizam combustível impulsiona a demanda
     por sílica precipitada na América do Norte

evonik-industriesA Evonik Industries iniciou as atividades de engenharia básica de uma nova planta para produção de sílica precipitada com foco na borracha e, especialmente, na crescente indústria de pneus. A fábrica de escala mundial está prevista para ser construída na região sudeste dos Estados Unidos, muito próxima às grandes fábricas norte-americanas produtoras de pneus. O volume de investimentos nas instalações será na faixa superior de dois dígitos de milhões de euros. A conclusão está prevista para o final de 2017 para atender o mercado norte-americano com materiais produzidos localmente. O projeto ainda está sujeito à aprovação das instâncias relevantes.

Klaus Engel, Presidente da Diretoria Executiva da Evonik Industries, diz: “A Evonik está em trajetória de crescimento. Ao planejar essa nova fábrica de sílica, estamos preparando o nosso maior investimento nos Estados Unidos dos últimos cinco anos. Dessa forma, vamos continuar a reforçar a nossa posição de liderança como fornecedor de sílica”.

Johannes Ohmer, membro da diretoria do segmento de Resource Efficiency, afirma: “Vamos continuar a expandir nossas capacidades de sílica precipitada – um programa global que começamos há cinco anos. A megatendência de eficiência de recursos aquece a demanda por nossos produtos. O interesse por pneus que economizam energia aumenta continuamente na América do Norte. É por isso que estamos planejando construir uma fábrica perto dos nossos clientes – os grandes fabricantes de pneus”.

Entre 2010 e 2014, a Evonik aumentou a sua capacidade global de sílica precipitada em cerca de 30%. Em setembro de 2014, a Evonik já havia iniciado a operação da expansão de aproximadamente 20.000 toneladas adicionais das instalações de nossa fábrica norte-americana em Chester, Pensilvânia.

No Brasil, está sendo erguida, na cidade de Americana (SP), a primeira unidade de produção de sílicas de alta dispersão da América do Sul. O lançamento da pedra fundamental ocorreu em outubro do ano passado e a unidade produtiva está programada para entrar em operação em 2016.

Atendendo a um aumento da demanda, a Evonik pretende continuar oferecendo a seus clientes sílica de alta qualidade combinada com um serviço personalizado e confiabilidade de fornecimento. A demanda por sílica  dispersável cresce continuamente, influenciada principalmente pela dinâmica econômica norte-americana e por um crescimento de vendas acima da média de pneus com reduzida resistência ao rolamento.

Por meio da adoção de uma combinação de sílica-silano, os fabricantes são capazes de produzir pneus que permitem a economia de combustível em até 8%, graças a uma resistência ao rolamento significativamente reduzida (em comparação aos pneus de automóveis convencionais). Dessa forma, os pneus de baixa resistência ao rolamento contribuem para a proteção ambiental. A Evonik é o único fabricante capaz de oferecer os dois componentes além de ser um parceiro competente para os fabricantes de pneus de alta performance.

Além da sílica precipitada, a Evonik também produz a sílica pirogênica AEROSIL® e os agentes fosqueantes à base de sílica da marca ACEMATT®. De maneira geral, a empresa tem uma capacidade global anual de 550.000 toneladas métricas para produção de sílica precipitada, sílica pirogênica e agentes de fosqueamento.

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Momentive lançou novos Elastômeros de Silicone durante a NPE2015

10/04/2015

MomentiveA empresa pioneira do silicone, Momentive Performance Materials Inc. (MPM), apresentou novas soluções avançadas em elastômeros de silicone durante a NPE 2015. Além de exibir uma nova borracha de silicone líquida, com baixa volatilidade e auto-lubrificação, a MPM destacou os avanços recentes em borrachas de silicone líquidas reforçadas com fibras e borrachas antiestáticas curadas pelo calor dentro das famílias de elastômeros Silopren e Silplus da empresa. Segundo a empresa, essas linhas de produtos têm gerado grande interesse entre os fabricantes de componentes que buscam soluções em materiais individuais para atender a múltiplos requisitos do projeto. “Estes novos produtos mostram o compromisso contínuo da Momentive com a inovação no mercado de elastômeros. Além disso, essas invenções vão continuar a ajudar os nossos clientes a resolver os desafios particulares de design que eles enfrentam no mercado global “, disse Tim Angle, diretor comercial da MPM Elastômeros para as Américas. A seguir está uma visão geral das inovações recentes.

Nova Borracha de Silicone líquida com baixa volatilidade e Autolubrificação

De acordo com a Momentive, o Silopren LSR 3376/50 apresenta níveis de voláteis muito baixos, sem pós-cura. Ele é projetado para ajudar os fabricantes de automóveis a obterem selagem em conectores elétricos que atendam a especificações de segurança cada vez mais rigorosas. O Silopren LSR 3376/50 é o primeiro produto na nova família de Borrachas de Silicone líquidas da MPM com baixa volatilidade e autolubrificação. Ele tem um teor de óleo de 3% e contém menos de 350 ppm de voláteis totais. O material tem, tipicamente, uma dureza nominal de 50 Shore A, uma baixa compressão de 16% e pode ser facilmente colorido, afirma a Momentive. Este produto de baixa volatilidade foi desenvolvido para atender às novas e rigorosas especificações globais para automóveis.

Borracha de Silicone líquida reforçada com fibra

As aplicações que exigem as características de borracha de silicone e a resistência do reforço com fibra – como pulseiras para dispositivos eletrônicos portáteis – podem obter esta combinação de propriedades mecânicas utilizando o material Silopren Matrix 70 da MPM reforçado com fibra, de acordo com a Momentive. Comparada com a Borracha de Silicone líquida padrão de mesma dureza, a Borracha de Silicone líquida reforçada com fibra demonstrou uma resistência à torção 30% maior e um módulo 100% maior, diz a empresa. Estas propriedades podem poupar os fabricantes do custo de incorporar uma camada de tecido aos seus produtos. O Silopren Matrix LSR exibe resistência à radiação UV e pode ser colorido para satisfazer a necessidades estéticas. Esses produtos também podem ser considerados para uso em algumas aplicações de saúde, tais como diafragmas ou eletrônicos vestíveis, segundo determinados regulamentos da FDA e ISO 10993.

Borrachas anti-estáticas curadas pelo calor

Os fabricantes que utilizam materiais com cargas de negro de fumo para remover estática enfrentam limites óbvios em relação à cor ou à translucência dos seuprodutos finais. A Momentive afirma que a sua borracha de silicone Silplus 30 AS anti-estática supera essas limitações. Sendo a primeira na categoria de produto Silplus anti-estático da MPM, esta borracha curada pelo calor pode reduzir cargas eletrostáticas e diminuir o acúmulo de poeira, tornando-a um candidato a ser considerado para uso em capas de teclado, teclas e botões elastoméricos e recursos de toque suave em dispositivos eletrônicos e outras aplicações de consumo, de acordo com a empresa. Aplicações de vedação também podem se beneficiar dessa borracha curada pelo calor (HCR). As suas propriedades de resistência e boa compressão produzem vedaçõess flexíveis e confiáveis, afirma a empresa.

A Momentive Performance Materials Inc. é uma líder global em silicones e materiais avançados, com uma herança de 75 anos. A Companhia oferece soluções baseadas na ciência, fazendo a ligação entre plataformas de tecnologia customizadas e oportunidades para os clientes.

Fonte: Momentive

Curta nossa página no

Chem-Trend leva desmoldantes de alta tecnologia para a indústria de borracha e pneus para Expobor 2014

20/04/2014

A Chem-Trend, especializada no desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes e especialidades químicas, confirma presença na 11ª Expobor (Feira Internacional de Tecnologia, Máquinas e Artefatos de Borracha). O evento, considerado o maior do setor de borracha na América Latina, ocorrerá de 23 a 25 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP), e reunirá fabricantes, profissionais e investidores de toda a cadeia produtiva da borracha do País e do exterior.

A empresa produz no Brasil há mais de 27 anos e oferece aos seus clientes produtos de alto desempenho com rápida entrega. “Para as indústrias de borracha, pneus e recauchutagem, temos um amplo portfólio de especialidades químicas que contribuem para tornar os processos de manufatura mais ágeis, econômicos e produtivos. Os desmoldantes que desenvolvemos atendem às necessidades dos transformadores que operam por meio de todos os tipos de processos e nossa produção local proporciona vantagem logística”, explica Marco Santis, especialista da empresa para o setor de borracha.

Mono-Coat®: desmoldantes para aumentar a produtividade

Mono-Coat® 1892W e Mono-Coat® 1840W. Estes dois recentes lançamentos da Chem-Trend chegaram ao País para superar os desafios de desmoldagem das indústrias e da borracha. “Estes produtos contribuem para aperfeiçoar os processos industriais, para que os clientes tenham melhores condições para fabricar um maior volume de peças, com melhor qualidade e menor custo operacional”, comenta Eduardo Colácio, gerente de vendas técnicas para esse segmento.

Segundo a empresa, os dois produtos têm uma série de diferenciais quando aplicados em processos de desmoldagem de peças usadas na indústria automotiva, em sistemas de tecnologia de controle de vibração. O Mono-Coat® 1892W, por exemplo, oferece proteção aos moldes contra borrachas mais abrasivas, tem efeito mais duradouro entre as aplicações, oferece maior intervalo entre paradas para a limpeza do molde e gera menor quantidade de transferência da peça moldada. Com as mesmas características, o Mono-Coat® 1840W apresenta resultados positivos também para moldes mais complexos.

A Chem-Trend é uma organização global vinculada ao Grupo Freundenberg com foco no desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes para uso nas indústrias de borracha, pneus, poliuretano, compósitos, termoplásticos e fundição sob alta pressão. No Brasil desde 1986, a Chem-Trend mantém em sua planta, em Valinhos (SP), a produção, venda, administração, atendimento e todo o suporte técnico aos seus clientes. Líder em seu segmento de atuação, a Chem-Trend do Brasil fornece agentes desmoldantes, lubrificantes e limpadores a todo mercado nacional, América do Sul e África do Sul.

O Grupo Freudenberg, de origem alemã, atua nos segmentos de vedação, controle de vibrações, não tecidos, lubrificantes especiais, agentes desmoldantes, filtração, dentre outros. Emprega mais de 37 mil pessoas em 58 países, com um faturamento anual acima de € 6,32 bilhões. No Brasil, está presente com seis empresas: Freudenberg-NOK, Freudenberg Não Tecidos, Klüber Lubrication, EagleBurgmann, Chem-Trend e SurTec; desde julho de 2012, atua também por meio da joint venture TrelleborgVibracoustic.

Fonte: Chem-Trend

Curta nossa página no

Evonik e Addivant firmam parceria para atender o mercado brasileiro de borracha

13/01/2014

A partir de janeiro de 2014, a Evonik, uma das líderes mundiais em especialidades químicas, comercializará e distribuirá, no Brasil, as linhas de antioxidantes e antiozonantes especiais da AddivantTM para o mercado de borracha.

Esta parceria combina tecnologia e suporte técnico AddivantTM com a reputação dos produtos e serviços Evonik para o mercado de borracha.

“AddivantTM continua estrategicamente dedicada ao mercado de aditivos para borracha, com investimentos significativos no mundo. Esta parceria com a Evonik visa dar suporte aos clientes estratégicos na região, fazendo uso das complementariedades das duas empresas. Estamos felizes em trabalhar com uma empresa como a Evonik, que já atua fortemente no segmento da borracha”, afirma Sérgio Palumbo, Vice-President, Global Sales & Technical Support, da AddivantTM.

De acordo com Camila Pecerini, Chefe de Produto – América Latina – da área Inorganic Materials, da Evonik, a distribuição dos produtos AddivantTM amplia e fortalece o atendimento à indústria de borracha e reforça o compromisso da Evonik em se posicionar como parceira estratégica deste setor.

“A Evonik já distribuía produtos AddivantTM para o setor de plásticos e ampliar o portfolio incluindo tecnologias voltadas aos fabricantes de pneus, artefatos de borracha e solados, é uma extensão natural deste nosso relacionamento”, destaca Camila.

Entre os produtos que serão distribuídos pela Evonik, estão antioxidantes e antiozonantes.  Tais produtos eram, até então, comercializadas pela Chemtura.

Pneus e artefatos de borracha são usados em uma grande variedade de aplicações automotivas e industriais críticas que requerem estabilizadores eficazes para protegê-los e aumentar sua durabilidade. Segundo a Evonik, as solucões da AddivantTM oferecem proteção contra o calor, oxigênio ou degradação por flexão, além de outros benefícios como baixa descoloração e menor formação de manchas.

Mercado estratégico
O mercado de borracha é estratégico para a Evonik, que já atende os clientes desta área com linhas de sílicas precipitadas e a linha de organosilanos funcionais.

Segundo a Evonik, o uso de sílicas em combinação com silanos permite a produção de pneus de menor resistência ao rolamento e, consequentemente, menor consumo de combustível. A Evonik é o único fornecedor que disponibiliza ambos os componentes, tornando-se o parceiro ideal para os clientes quando se trata de compostos de alta performance.

Segundo estimativas de especialistas, o mercado global de pneus com baixa resistência ao rolamento crescerá anualmente em torno de 18% nos próximos cinco anos. Por isso, a Evonik pretende expandir em 30% sua capacidade global de produção de sílica até 2014 em comparação com 2010.

Sobre a Addivant™
A Addivant, antiga empresa de Soluções de Antioxidantes e Estabilizadores de UV da Chemtura Corporation, é o maior produtor mundial de fosfitos líquidos, antioxidantes e aditivos especiais em formatos não emissores de poeira, incluindo sua tecnologia estabilizadora de misturas ANOX® NDB® patenteada, que permite que até oito componentes sejam entregues em uma única mistura homogênea.

A empresa é reconhecida por sua extensa carteira de aditivos especiais, incluindo estabilizadores leves, modificadores de polímeros, inibidores de polimerização e intermediários. A Addivant é uma empresa internacional, com 11 fábricas nos cinco continentes e unidades de pesquisa, fabricação e vendas espalhadas pelo mundo. Além de sua sede principal, situada em Connecticut, nos Estados Unidos, a Addivant tem sedes regionais em Al Jubail, na Arábia Saudita; Basileia, na Suíça; e em Xangai, na China.

Sobre a Evonik
A Evonik  é um dos principais líderes mundiais em especialidades químicas. Suas atividades se concentram nas principais megatendências saúde, nutrição, eficiência de recursos e globalização.  A Evonik atua em mais de 100 países no mundo inteiro. No ano fiscal de 2012, mais de 33.000 colaboradores geraram vendas em torno de 13,4 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 2,4 bilhões de Euros. No Brasil, a história da Evonik Industries, começou em 1953. A empresa conta hoje com cerca de 500 colaboradores no País e seus produtos são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais, como: automotivo, agroquímico, biodiesel, borracha, construção civil, cosmético, farmacêutico, nutrição animal, papel e celulose, plástico, química e tintas.

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Braskem e Genomatica fecham acordo para o desenvolvimento do butadieno verde

11/12/2013

Braskem reforça  compromisso com a pesquisa de rotas de matérias-primas químicas renováveis

A Braskem e a Genomatica, empresa norte-americana de biotecnologia, fecharam acordo para o desenvolvimento conjunto de uma nova tecnologia para a produção de butadieno de origem renovável. Com a parceria, a Braskem reafirma seu compromisso no investimento em pesquisas de matérias-primas químicas renováveis, fortalecendo seu papel de liderança neste segmento.

O objetivo da Braskem com o butadieno verde é atender principalmente ao mercado de borrachas sintéticas, suprido essencialmente pelo butadieno de base nafta, do qual a empresa já é a terceira maior produtora mundial. Com a expectativa de recuperação do crescimento econômico global nos próximos anos, a previsão é de uma demanda crescente pelo insumo, utilizado pela indústria de pneus, maior consumidor do produto.

A pesquisa entre a Braskem e a Genomatica busca não somente encontrar alternativas baseadas em matérias-primas renováveis, mas também desenvolver rotas competitivas em termos de custos de produção. A Braskem, em conjunto com a Genomatica, vai destacar um time de pesquisadores para o desenvolvimento do butadieno verde utilizando o açúcar como matéria-prima. Pelo acordo, se os resultados forem bem sucedidos, a Braskem e Genomatica vão construir uma planta-piloto e uma planta demonstração nos próximos anos. O acordo também garante certos direitos de exclusividade à Braskem no uso da tecnologia nas Américas.

“A Braskem tem uma estratégia clara de investir na pesquisa e no desenvolvimento de insumos renováveis como alternativas complementares às rotas de origem petroquímica. Assumimos a liderança da química verde quando anunciamos a produção do plástico feito a partir da cana de açúcar em 2010 e agora reforçamos essa visão”, afirma Alexandre Elias, diretor de Químicos Renováveis da Braskem.

Para Christophe Schilling, CEO da Genomatica, o acordo ajuda a fortalecer a posição da empresa como desenvolvedora e licenciadora de processos de tecnologias renováveis para a indústria química. “Nossa parceria aproxima a indústria de uma comercialização de butadieno mais sustentável e economicamente viável”, diz Schilling. A Genomatica, fundada em 1998 por pesquisadores da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD), possui 71 patentes registradas e 450 pedidos adicionais de patentes aplicando sua tecnologia no desenvolvimento de múltiplas abordagens para a produção comercial de bio-butadieno, utilizando várias matérias-primas renováveis.

Além de matéria-prima para a indústria de pneus, o butadieno é utilizado na produção de eletrodomésticos, calçados, plásticos, modificadores de asfalto, aditivos para óleos lubrificantes, tubos, componentes de construção e de látex. O butadieno produzido pela rota tradicional tem sofrido escassez estrutural de oferta nas Américas em decorrência da ascensão do shale gas, que ao contrário da nafta quase não gera co-produtos.

Plástico verde

Desde setembro de 2010, a Braskem produz em escala industrial a resina de polietileno oriunda do etanol de cana-de-açúcar, matéria-prima 100% renovável, para o qual investiu cerca de R$ 500 milhões na construção de uma fábrica com capacidade de 200 mil toneladas anuais no polo petroquímico de Triunfo, na região Sul do Brasil. Identificado pelo selo “I’m greenTM”, o polietileno verde brasileiro está presente em diversas embalagens de alimentos e bens de consumo.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Lanxess apresenta produtos na K 2013

30/08/2013

Entre os dias 16 e 23 de outubro, a multinacional alemã LANXESS participará, em Dusseldorf, na Alemanha, da K2013,  evento internacional voltado para o segmento de plásticos e borrachas.

k_2013A LANXESS focalizará suas soluções inovadoras para a mobilidade verde na K 2013. “Em todo o mundo existem mais de um bilhão de carros nas ruas e estradas, e até 2050 este número deverá subir para 2,5 bilhões. Portanto, a mobilidade sustentável está se transformando em uma megatendência global. Com inúmeros produtos e tecnologias, a LANXESS já é pioneira em mobilidade verde”, afirma o Dr. Werner Breuers, membro do Conselho de Administração da LANXESS. Entre outras coisas, a LANXESS utilizará a feira para focalizar na sua borracha de alta performance e nos produtos químicos de borracha para os pneus verdes com baixa resistência à rolagem, em termoplásticos de alta tecnologia para redução de peso e na sua borracha com base em matéria-prima sustentável.

Cultura de inovação voltada para a aplicação

Em 2012, a empresa de especialidades químicas LANXESS gerou quase 20% das vendas do grupo com produtos de mobilidade verde. “A nossa cultura de inovação está se concentrando sistematicamente nas necessidades de nossos clientes e trabalhamos em estreita colaboração com eles para desenvolver soluções inovadoras que podem ser lançadas no mercado de forma mais rápida e econômica possível”, afirma Breuers. No ano passado, a LANXESS investiu €192 milhões – cerca de 2,1% de suas vendas – em pesquisa e desenvolvimento, cerca de 33% a mais do que no ano anterior. “Em especial, a nossa cultura de inovação tem como objetivo o pagamento de dividendos nos mercados em crescimento na China, Índia, Rússia e Brasil, onde estamos fortalecendo nossa presença significativamente”, complementa o executivo. Por exemplo: uma fábrica de borracha butílica, com uma capacidade anual de 100 mil toneladas métricas foi inaugurada em Cingapura há um mês.

EPDM – foco na tecnologia ACE e nos mercados em crescimento

A LANXESS está buscando captar nova participação de mercado no mundo com mundial em elastômeros de etileno-propileno de alto desempenho (EPDM) Keltan com tecnologias avançadas de produção, investimento em mercados de crescimento e um portfólio focalizado. Segundo a empresa, a inovadora tecnologia ACE desempenha um papel-chave neste aspecto, produzindo EPDM sem o uso de cloro em um processo de elevada pureza e com uma composição que pode ser controlada com um grau de detalhamento que dificilmente teria sido possível no passado. “Sete grades no portfólio de EPDM têm um desempenho superior graças à tecnologia. Ela também nos permite adicionar novas grades de EPDM ao nosso portfólio”, completa o Dr. Torsten Derr, head da unidade de negócio Keltan Elastomers. Seus investimentos incluem a maior planta do mundo de EPDM em Changzhou, na China, com uma capacidade anual de até 160 mil toneladas. O início da produção está previsto para 2015.

Grades de borracha técnica – solucionando problemas muito específicos

A Lanxess afirma que a unidade de negócios High Performance Elastomers, um dos principais fornecedores do mundo de borracha técnica, está empenhada em desenvolver especialidades inovadoras como soluções para problemas muito específicos. Ela está seguindo uma estratégia de quatro vertentes em borracha nitrílica de butadieno (NBR). Além de grades de NBR com custo-benefício e diversificação do portfólio através de materiais específicos para clientes, por exemplo, o foco também são os grades inovadores de NBR e novos grades de pó de NBR, Baymod. Um passo inovador de composição na produção de policloropreno amplia a gama de aplicações para esta borracha. “Isso ajudou-nos a desenvolver duas novas famílias de produtos, Baypren HP e GF. Baypren HP inclui produtos com propriedades que ainda não estão disponíveis no mercado”, afirma Jan Paul de Vries, chefe de High Performance Elastomers. Entre os materiais Levapren de poliacetato de vinila (EVM) em desenvolvimento, um grade para a modificação da resistência ao impacto de ácido poliláctico é altamente promissor, afirma a empresa. O ponto de foco das atividades de investimento da unidade de negócios é a Ásia. Por exemplo, uma planta de borracha nitrílica com uma capacidade anual de 30 mil toneladas foi inaugurada em Nantong na China, em maio de 2012, em conjunto com um parceiro.

Termoplásticos de alta tecnologia – redução de peso na indústria automotiva

A unidade de negócios High Performance Materials (HPM) pretende exibir na K 2013 sua posição global em construção automotiva leve, com base em poliamidas de alta tecnologia e poliésteres Durethan e Pocan. Isto foi recentemente reforçado por meio da aquisição da Bond-Laminates, um fabricante e fornecedor de compostos contínuos de termoplástico de performance reforçado com fibra comercializados sob a marca TEPEX. “Somos hoje um dos poucos fabricantes de termoplásticos no mundo que podem fornecer compostos e compostos de performance reconhecidos, em produção de grande escala com o know-how de aplicações correspondentes para o volume de produção de componentes leves “, afirma o Dr. Michael Zobel, diretor da HPM. A empresa vai aproveitar principalmente sua posição única em construção leve para ampliar ainda mais o negócio nos mercados de crescimento e continuar o processo de globalização com novas instalações de produção. Entre os exemplos de expertise de HPM para construção leve citada por Zobel estão as primeiros dianteiras que consistem inteiramente de poliamida 6 e o primeiro pedal de freio para carros feito com poliamida reforçada com fibras de vidro contínuas e adequado para produção em série em grande escala.

Fonte: Lanxess / Virta

Curta nossa página no

Novos Agentes desmoldantes da Chem-Trend chegam à indústria brasileira de borracha

15/08/2013

A Chem-Trend, especializada no desenvolvimento e fornecimento de agentes desmoldantes, especialidades químicas e auxiliares de processos, anuncia a chegada de dois novos agentes desmoldantes ao mercado brasileiro, o Mono-Coat® 1892W e Mono-Coat® 1840W. Os produtos chegam para atender aos principais desafios em termos de desmoldagem das indústrias de borracha que utilizam todos os processos de moldagem. “São produtos que estreitam ainda mais a parceria com os nossos clientes à medida que contribuem para aperfeiçoar os seus processos industriais, para que eles tenham melhores condições para fabricar um maior volume de peças, com melhor qualidade e menor custo operacional”, comenta Eduardo Colácio, gerente de vendas técnicas para esse segmento.

Com objetivo de garantir os resultados positivos e o incremento da produtividade das indústrias clientes, Colácio chama a atenção para a aplicação dos agentes desmoldantes ou especialidades químicas em conjunto com dois fatores importantes. Um deles é o treinamento da equipe que lidará com os produtos e o outro é o uso de equipamentos adequados aos processos de desmoldagem empregados.

A diretora de vendas da empresa no Hemisfério Sul, Ana Clara Cordeiro, conta que a nova gama de produtos foi desenvolvida pela Chem-Trend para que os clientes alcancem melhores resultados produtivos. Ela ressalta que estas novas tecnologias seguem a filosofia da companhia de fornecer às indústrias soluções que auxiliam os processos produtivos a tornarem-se melhores, mais eficientes e ágeis. “A Chem-Trend oferece soluções inovadoras e adequadas a aplicações sob medida para os mais diversos processos”, observa Ana Clara.

Desmoldantes que contribuem para aumentar a produtividade

Segundo a Chem-Trend, o Mono-Coat® 1892W tem uma série de diferenciais para aplicação em processos de desmoldagem, principalmente de peças usadas na indústria automotiva para controle de vibração. O produto além de melhorar ainda mais a desmoldagem das peças, ainda oferece proteção aos moldes contra borrachas mais abrasivas.

Outras vantagens, de acordo com a empresa, são a maior durabilidade do efeito dos desmoldantes entre as aplicações do produto e um maior intervalo entre paradas para limpeza do molde, além de uma menor quantidade de transferência da peça moldada. “Os benefícios desta solução para a indústria de borracha contribuem, sobretudo, para o aumento da produtividade”, ressalta Cordeiro.

Afirma o fabricante que o Mono-Coat® 1840W, assim como o Mono-Coat® 1892W, tem diferenciais que contribuem para melhorar a produtividade dos processos de fabricação de peças de sistemas de tecnologia antivibração. O produto, segundo a Chem-Trend, tem excelente capacidade de desmoldagem, com pouca transferência, e apresenta resultados positivos para moldes mais complexos.

Sobre a Chem-Trend: A Chem-Trend é uma organização global de mais de 50 anos de existência com foco no desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes para uso nas indústrias de borracha, pneus, poliuretano, compósitos, termoplásticos e fundição sob alta pressão.

No Brasil desde 1986, a Chem-Trend mantém em sua planta, em Valinhos (SP), a produção, venda, administração, atendimento e todo o suporte técnico aos seus clientes. Líder em seu segmento de atuação, a Chem-Trend do Brasil fornece agentes desmoldantes, lubrificantes e limpadores a todo mercado nacional, América do Sul e África do Sul.

Fonte: Chem-Trend

Curta nossa página no

Ferramenta para orientar visitas à Feira K 2013 está disponível on-line

22/01/2013

k2013O “Innovation Compass”, a ferramenta eletrônica-guia da K 2013 está online. No endereço www.k-online.de, renomados cientistas e pesquisadores da área de polímeros estão publicando artigos relevantes sobre temas atuais do setor e destacando as tendências que impulsionarão o desenvolvimento do mercado nos próximos anos. A publicação destes artigos técnicos marca o primeiro passo para enfatizar a abundância de inovações na feira mundial mais importante para a indústria de plásticos. Ao longo deste ano, os expositores da K 2013 poderão alimentar dados sobre seus produtos e processos na ferramenta “Innovation Compass” e, assim, chamar a atenção para inovações específicas da sua empresa.

A feira K em Düsseldorf é famosa por suas inovações – nenhuma outra feira para o segmento de plásticos e borracha pode oferecer um espectro tão grande e diversificado de idéias e produtos. Na K 2013, que ocorrerá de 16 a 23 de outubro, cerca de 3.000 empresas de todo o mundo voltarão a apresentar ao público as suas ofertas nas áreas de máquinas e equipamentos para a indústria de plásticos e borracha, matérias-primas, auxiliares, produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados. Todas as empresas expositoras já estão trabalhando a todo vapor para apresentar as suas inovações  da melhor forma possível. Há um foco definido nos benefícios e adaptação às necessidades do comprador. O “Innovation Compass” oferece um guia para a classificação e rastreamento de inovações de acordo com os seus campos de aplicação.
Além de escrever seus artigos, os cientistas que orientaram a criação do “Innovation Compass” adaptaram a matriz de pesquisa da ferramenta aos desenvolvimentos atuais do setor, dividindo-os nos grupos Máquinas, Equipamentos e Processos e Materiais. Ao utilizar esta matriz de pesquisa a partir de setembro de 2013, os visitantes de K poderão identificar os expositores que estão apresentando produtos e processos significativamente melhorados ou radicalmente modificados. Os visitantes poderão, então, adaptar sua visita aos salões de exposição às suas necessidades pessoais e fazer o melhor uso possível de seu tempo na feira.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no