Posts Tagged ‘Bill Tobin’

Controle de Processo ou de Produto ?

28/08/2020

Por Bill Tobin *

O Covid-19 causou danos à indústria de injeção de plásticos. No entanto, à medida que as restrições diminuam, a indústria vai voltar à plena carga. Não está sendo e não será rápido; será gradual.

Aquelas empresas que conseguirem sobreviver ao momento atual enfrentarão alguns desafios: Seus clientes estão com pouco dinheiro e vão querer o produto AGORA, EM QUANTIDADE, POR MENOS DINHEIRO e PERFEITO. Uma vez que aproximadamente 80% do preço de venda das peças corresponde ao material, os transformadores têm que lucrar com o que sobra. Isso significa otimização de ciclos, rendimentos e utilização da máquina.

As publicações comerciais estão inundadas de gadgets. A tecnologia evoluiu para um ponto em que podemos medir tudo o que acontece com o plástico, desde a sua entrada no funil até o momento da colocação na caixa de embalagem das peças. O que está faltando é feedback. O feedback lhe dirá quando algo deu errado, mas não pode corrigir o erro com precisão durante o ciclo de processo (“on the fly”) ou evitar que o erro aconteça em primeiro lugar !

“A” regra de moldagem é simples: “Mostre ao plástico as mesmas condições e você obterá sempre a mesma peça.” Isso é o que os gadgets tentam fazer, mas os transformadores tendem a não notar os fatos básicos:

1. As características de preenchimento do seu molde estão balanceadas? O preenchimento desbalanceado lhe dará diferentes dimensões e características físicas na cavidade desbalanceada. Os designers passam semanas modelando as características de preenchimento da peça. No entanto, em um molde de múltiplas cavidades, eles gastam pouco ou nenhum tempo vendo o sistema de canais como uma peça e aplicando a eles a mesma tecnologia de modelo de preenchimento. Há ofertas no mercado que cobrarão vários milhares de dólares para equilibrar o seu sistema de canais para você. O QUE?! Faça você mesmo ao projetar o molde.

Para verificar se o molde está balanceado, pese cada peça por cavidade. Se as peças forem pequenas, talvez 10 peças por cavidade. Calcule a média geral e depois observe a diferença de peso de cada cavidade em relação a essa média. Se for mais de 5%, ou a cavidade está sendo sobre-compactada e provavelmente a peça fica presa com frequência (a peça é mais pesada), ou então esta é a peça que frequentemente fica incompleta (todas as outras cavidades são preenchidas e recalcadas) e o ponto de injeção ou é pequeno demais e congela prematuramente, ou excessivamente grande e sofre despressurização quando a pressão da recalque é retirada.Isso pode ser corrigido usando insertos no ponto de injeção e ajustando o tamanho da entrada.

2. O resfriamento (A) é adequado ? (B) balanceado para cada cavidade ou porção do molde ? (C) turbulento ou laminar para cada circuito ? Os modelos de simulação assumem “resfriamento perfeito”. Pena que quase nunca é assim.

(A) Resfriamento adequado quer dizer que tudo é resfriado uniformemente. EXPERIMENTO MENTAL: Você coloca uma válvula em “Y” na torneira de seu jardim. Você rega o jardim da frente da casa com uma mangueira de 10 metros de comprimento e usa uma mangueira de 50 metros, conectada na mesma torneira, para irrigar a horta do quintal no fundo da casa. Ambas têm o mesmo tipo de sprinkler. Quando você vai olhar, o sprinkler do jardim da frente está fluindo alto, mas o sprinkler do quintal está com um fluxo bem menor. Isso ocorre por causa da resistência da mangueira (linha de água). A água seguirá o caminho mais fácil. A mangueira do jardim da frente é menor e oferece menos resistência, de modo que a maior parte da água flui por ela. Ao pensar em circuitos em loop no molde, leve em consideração a resistência ao fluxo. Loops em circuitos de água curtos provavelmente são OK. Circuitos em loop com borbulhadores ou defletores (chicanas) ou circuitos longos oferecem muita resistência interna e NÃO devem ser colocados em loop.

Problema: mas você diz “Espere aí !!!” Eu configurei um sistema perfeitamente balanceado e os técnicos o conectaram de maneira diferente.
Solução: ao comprar o molde, compre um manifold junto. Conecte os circuitos de acordo com suas especificações e deixe-os conectados. Você obtém o benefício adicional de fazer apenas uma conexão do tipo mangueira de incêndio grande à máquina.

(B/C) OK, temos uma fonte de pressão e várias linhas com diferentes resistências, fornecendo diferentes vazões. Compre um medidor de temperatura / pressão / vazão. Conecte-o em cada linha e registre a vazão. Usando a válvula (do seu manifold) da linha de vazão mais alta, reduza o fluxo. Você vai notar que as linhas com fluxo mais restrito têm um aumento na vazão. Cada linha deve ter pelo menos 1,5 GPM. Isso garantirá um fluxo turbulento e, portanto, uma ótima eficiência de resfriamento. Se você não conseguir alcançar 1,5 GPM, precisará reorganizar sua estratégia de loop ou colocar uma bomba de reforço na máquina.

Seu manifold normalmente pode acomodar mais linhas do que o que você precisa. Assim, cada circuito tem uma válvula que permite o seu ajuste ou bloqueio. Depois que todo o sistema estiver balanceado e turbulento, agora é só uma questão de impedir que as válvulas possam ser “reajustadas”:  tire as alças e dobre o mecanismo de controle no manifold. Agora ninguém pode fazer reajustes. Embora possa ter levado uma tarde para fazer isso, você só precisa fazer uma vez.

3. Seja com moldes de uma única cavidade ou com moldes de cavidades múltiplas, qualquer técnico lhe dirá que quando um molde está em uma máquina diferente, eles precisam ajustar as condições para fazê-lo funcionar naquela máquina e, mesmo assim, os tempos de ciclo e as taxas de produção tendem a ser diferentes. Mostrar ao plástico a “mesma coisa” é um processo delicado. (A) A máquina deve ser robusta, ou seja, precisa e repetível. (B) O plástico deve entrar no molde na máquina ‘1’ da mesma forma que na máquina ‘2’.

A) Máquinas “robustas” são quase obrigatórias no mercado atual. Uma máquina nova (com menos de 1.000 horas) por si só já deve ser robusta. Conforme envelhecem, elas começam a relaxar pelo uso normal. Rod Groleau da RJG desenvolveu um teste através de uma planilha simples para determinar o quão robusta é sua máquina. Você faz 10 injeções normais dentro de um molde, registrando as pressões e os tempos de preenchimento. Então, você constrói uma bucha do molde “fake” que possa ser colocada na frente da bucha de entrada do molde, de modo que, ao invés de injetar no molde, ela tem uma fenda ou orifício que lhe permite injetar “no ar”, como se você estivesse purgando. Anote o tempo e as pressões das ‘injeções no ar’. É importante que a máquina conclua todo o ciclo de preenchimento / recalque / resfriamento / abertura / fechamento do molde antes de você fazer a próxima injeção “no ar”.

A planilha fará alguns cálculos e lhe dirá a “robustez” da sua máquina, classificando-a percentualmente ao comparar as duas séries de ciclos de injeção. Se o resultado for 95% ou mais, trata-se de uma máquina “robusta”; 90-95% é uma máquina boa o suficiente para moldagem comercial e 90% ou menos é uma máquina que requer manutenção.

(B.1) Quando você implementa a metodologia de “moldagem científica” (ou desacoplada), todos essas sistemáticas exigem que você mostre ao plástico um conjunto de condições através do uso de configurações da máquina. O que as pessoas tendem a ignorar é o bico de injeção. Normalmente, a única coisa que elas pensam é se o raio do bico é compatível com a bucha de entrada do molde.

Pense em um bico de mangueira de jardim: com uma pequena abertura, a velocidade de saída do bico é rápida para uma determinada vazão, com bastante pressão. Para a mesmo vazão, uma abertura maior na extremidade do bico faz com que a saída da água pareça mais lenta. Fazendo uma analogia com o preenchimento de um molde, as mudanças no diâmetro do bico afetarão dramaticamente as características de preenchimento, dimensões, propriedades físicas e tempo de congelamento do canal da bucha.

Se você não puder padronizar o diâmetro do orifício, afunilamento etc. do bico em todas as suas máquinas, remova o bico ao retirar o molde e guarde-o para a próxima vez em que o molde for operar novamente.

(B.2) 80% do calor no material fundido vem da rosca. FATO ENGRAÇADO 1: Embora gostemos de acreditar que uma rosca de uso geral tem o mesmo design para máquinas de tonelagem semelhante, independentemente do fabricante, elas não tem. Cada fabricante de máquina ‘otimizou’ seu design de rosca para suas máquinas. A única solução para esse fato da vida é comprar suas máquinas do mesmo fabricante. Especificando a rosca e a válvula antirretorno. Embora isso não seja um grande problema, tenha isso em mente.

(B.3) As resistências de aquecimento invariavelmente queimam. FATO ENGRAÇADO 2: A fabricação de resistências é parte ciência e parte mágica. Quando 100 resistências de seis polegadas de diâmetro e 1000 watts por polegada quadrada são fabricados, eles são todos testados com seus exatos watts por polegada quadrada. Dos 1000 watts por polegada quadrada que é o valor de especificação, alguns estão dentro dos 5%, 10%, 15% e assim por diante.

Quando você compra resistências de 1000 watts, se você não especificá-los exatamente, você poderá obter um lote de +/- 15%, o que significa que eles poderiam enviar a você um aquecedor de 850 ou 1150 watts, chamando-os de 1000 watts. Um aquecedor de baixa potência permanecerá ligado o tempo todo buscando atingir a temperatura; um aquecedor de potência maior tenderá a permanecer desligado, a menos que você esteja usando controladores proporcionais.

Embora as resistências de aquecimento supostamente contribuam com somente 20% do calor geral no material, elas darão diferentes perfis de temperatura ao material a ser injetado, se as resistências de aquecimento do cilindro de injeção tiverem uma mistura de potências (wattagens) maiores e menores (+/-).

Solução? Compre aquecedores “igualados”. Todos os aquecedores devem ser testados, de modo que as suas potências absolutas (em Watts) sejam razoavelmente próximas umas das outras. Não importa de que lado da tolerância eles estão, o que importa realmente é que estejam próximos um do outro, eliminando assim um aquecedor que pode brilhar no escuro ou nem mesmo ligar.

Conclusão:

Muita gente fica contente com rendimentos onde a taxa de rejeitos é medida em percentuais que acabam na primeira casa decimal. Por exemplo, um rendimento de 99,3% –  indicando que há 7 peças rejeitadas para cada 1.000 (mil) peças moldadas. Se você tiver equipamento robusto, canais de injeção balanceados, cavitação balanceada, resfriamento otimizado e um processo sólido, as regulagens e partidas da máquina serão mais rápidas e os rendimentos serão medidos percentuais que variam na SEGUNDA casa decimal (por exemplo, 99,97%), indicando que para cada 10.000 (dez mil) peças moldadas, 3 serão rejeitadas. Os lucros serão maximizados. Nada disso é difícil. Se o seu cliente ameaçar realocar o molde, tire o manifold, remova as mangueiras, guarde o bico da máquina e certifique-se de manter bons registros. Espere então ele telefonar implorando para que você aceite o contrato novamente, pois o novo fornecedor terá mais rejeitos, ciclos mais longos e maiores tempos de regulagem.

Um pouco de história (interessante)

A Tupperware, nos anos 50, descobriu como fazer Controle do Produto melhorando a consistência do processo, mostrando ao plástico sempre as mesmas condições. Qualquer combinação de vasilha plástica / tampa fabricada em QUALQUER uma de suas mais de 13 fábricas ao redor do mundo se encaixariam, gerando uma selagem hermética – sua marca registrada.

FATO: Isso ocorreu antes dos transdutores, sensores e outras magias eletrônicas.
MORAL: Se você cuidar do seu equipamento, uma vez que tenha o processo ajustado, poderá repetir o mesmo processo em qualquer lugar da sua fábrica ou em qualquer lugar do mundo, sem precisar de qualquer “magia de gadgets“.

* Bill Tobin é o proprietário da empresa de consultoria WJT Associates, com sede no Colorado (EUA), especializada em otimização e padronização de processos. Ele escreveu vários livros e artigos em periódicos do setor, além de ter apresentado inúmeros trabalhos em eventos. Bill também ministra seminários in-house sobre o assunto.

Nota do autor: se você quiser o aplicativo em planilhas para Máquinas Robustas e Cavidades Balanceadas, podem ser enviadas por e-mail gratuitamente. Contato: info@blogdoplastico.com.br

Curta nossa página no

Vale a pena treinar os funcionários em injeção de plásticos ?

07/02/2018

Por Bill Tobin (*)

Existe uma escassez de mão-de-obra qualificada na indústria e o transformador por injeção tem duas soluções para esse problema: contratar funcionários qualificados que trabalhem nos concorrentes ou melhorar as habilidades de seus próprios funcionários. Cada solução possui vantagens e desvantagens.

Contratação de pessoal de fora da empresa

Isso pode ser algumas vezes complicado. Muitos recrutadores perguntam se o candidato tem especialização na área. O problema é que isso significa apenas que o candidato frequentou e completou um curso na área. Isso traz à mente a velha charada: “Como é que você chama a alguém que fez um curso de medicina em um faculdade de reputação duvidosa e se formou com as piores notas da turma ? A resposta é: “Doutor”.

O diploma não significa nada em termos da capacidade do candidato para trabalhar com outros, do seu nível de competência, da capacidade para transmitir esse conhecimento a outros e incorporar esse modo de pensar na sua empresa.

Quando você contrata alguém novo, frequentemente há resistências. Seus especialistas atuais não vão ser necessariamente gentis com o Guru externo que chega na fábrica e vai logo usurpando as suas posições atuais na fila de promoção da empresa. Além disso, seu novo contratado também vai ser confrontado com a tarefa árdua de converter a atitude de seus funcionários atuais para agir e fazer as coisas de uma nova maneira.

Treinando seu próprio pessoal

A pergunta então se converte em: “quem deve receber treinamento” ? Seu primeiro problema é descobrir se o seu pessoal realmente compreende a técnica de moldagem por injeção. Isso é menos complicado do que parece.

Todavia, em vários casos os gerentes apresentam algumas objeções genéricas sobre o treinamento do seu pessoal:

Primeira objeção: Uma vez que eu os treinar, eles pedem demissão, vão para outra empresa e eu vou desperdiçar dinheiro“.

Resposta: Geralmente, este é um problema relacionado à falta de remuneração pelo desempenho do funcionário. Se o treinamento resultar em uma melhora na lucratividade, esses funcionários devem ter direito a um aumento de remuneração proporcional à sua contribuição.

Segunda Objeção: “O treinamento fora da empresa é caro e, na maioria das vezes, os funcionários treinados não transmitem o que eles aprenderam aos outros depois que retornam do curso”.

Resposta: Correto, MAS:
1. Não envie seus funcionários para uma escola. Lá, as máquinas, moldes e outros itens são todos “perfeitos”. Ao invés disso, traga a escola para a sua fábrica.
2. Traga o instrutor não só com uma palestra em PowerPoint, mas também com livros ou outros materiais escritos. A maioria das pessoas esquece muito do que foi aprendido em uma aula de um dia. O livro permitirá que eles façam consultas e atualizem sua memória. Assim como no ensino médio ou na faculdade, os participantes não devem ter que fazer anotações extensivas durante a aula. Eles estão lá para aprender, não para escrever seu próprio livro-texto.
3. O treinamento não deve ser uma palestra com nível de pós-graduação. Embora o cálculo do comportamento de um polímero seja interessante, sua aplicação prática, despida de todas as equações, é o que gera lucros. Se forem necessários cálculos complexos, dê aos treinandos planilhas previamente montadas, com os cálculos complexos embutidos – e espaços em branco somente para entrada de dados.
4. Mesmo que seja necessário um dia extra, consiga que o instrutor divida a turma em grupos e os mande para o chão da fábrica para PROVAREM ter absorvido as instruções.
5. Cuidado com o “marketing” durante o curso. Se o seu instrutor estiver usando conceitos que só mostram resultados se houver a compra de equipamentos complementares, você não deve pagar essa pessoa para passar um dia fazendo propaganda.

Objeção 3: “Por que devo pagar um instrutor? Será que o pessoal de assistência técnica dos fabricantes de máquina ou dos fornecedores de resinas não pode dar o treinamento ? Nós já gastamos muito dinheiro com eles”.

Resposta: Há mais vinte anos, esta seria uma objeção válida. Hoje em dia, os fornecedores de resinas tem pouca disponibilidade de pessoal: podem ter somente uma ou duas pessoas para cobrir um vasto território. E as empresas de máquinas podem lhe ensinar bastante sobre como tirar o melhor proveito de suas máquinas, mas não muito além disso.

Objeção 4: “Eu não posso parar a fábrica para o treinamento. Estamos muito ocupados”.

Resposta: Grande parte das empresas ainda trabalha em uma semana de cinco dias com três turnos. Não é tão difícil como pode eventualmente parecer montar um curso no fim de semana – seja em dois sábados consecutivos ou em um único fim de semana, com uma aula no sábado e uma sessão prática no domingo.

Para fábricas que operam em regime de 24/7, eu já dividi a aula e a parte prática em segmentos de quatro horas. Mesmo que o instrutor perca algum sono fazendo isso, você pode agendar as pessoas para assistirem a cada segmento começando a trabalhar mais cedo ou ficando após o término do turno.

Objeção 5: “Já estamos indo bem! Não precisamos de treinamento para “otimizar”.

Resposta: Verdadeiro, se você pode absorver o custo de uma remessa de venda ocasionalmente rejeitada ou não se preocupar em ser pressionado para baixar o seu preço sob a ameaça de “Eu tenho gente que pode fabricar as suas peças melhor e mais barato” ou, ainda, se não se importar em perder a oportunidade de melhorar os lucros.

Albert Einstein disse uma vez: “Se você não pode explicar algo de forma simples, é porque você não o entende bem o suficiente”.

Se você acha que o seu pessoal já é de primeira linha e não precisa de treinamento adicional, você pode verificar isso com dois testes simples:

Primeiro, entre no site (em inglês): http://wjtassociates.com/site/?page_id=17 and download “20 Questions”. Existem dois testes: básico e avançado. Alguém que entenda o processo de injeção deve acertar 100% no teste básico e pelo menos 90% no avançado. Lá estão apenas as perguntas, e não as respostas. As “respostas” devem fazer parte do conhecimento geral da pessoa que aplica o teste. Você está procurando as “explicações simples” de Einstein para demonstrar a compreensão do processo de moldagem. Distribua os testes e peça aos seus funcionários para que escrevam as respostas. Se, ao aplicar o teste, você ou seus especialistas não podem responder às perguntas, provavelmente significa que você também precisa de treinamento.

Em segundo lugar, vá ao chão de fábrica e apresente um desafio para a pessoa (o funcionário ou um candidato). Se o processo estiver verdadeiramente otimizado, será quase impossível melhorar a qualidade da peça ou o tempo de ciclo. Se não estiver, peça-lhe que demonstrem e expliquem como eles fizeram a otimização. Esta tarefa usa nove experimentos simples.

Se a pessoa que está sendo testada (um novo empregado ou empregado já existente) tiver sucesso nos testes escritos e práticos, pague-o muito bem! Peça-lhe que ensine aos outros. Todavia, se os resultados dos testes forem ruins ou o desafio não der bons resultados, você deve refletir sobre a necessidade de treinar seu pessoal.

O resultado habitual de um bom curso de treinamento – juntamente com uma sessão de demonstração prática mostrando que os conceitos funcionam – é uma melhoria mínima de 5% na produtividade. Na maior parte do tempo, é maior do que 5%. A melhoria da produtividade significa um aumento líquido na produção, por hora, de peças que podem ser vendidas. Ou, pensando de outra maneira, se você tiver 20 máquinas na sua fábrica, uma melhoria de 5% na produtividade lhe proporcionará o resultado de 21 máquinas trabalhando – sem ter que comprar uma máquina adicional.

Se você pode se dar ao luxo de produzir refugo ou ter ciclos lentos, você pode pagar por um treinamento. Pessoas produtivas treinadas proporcionam um retorno que mantém a sua fábrica rentável e mais competitiva do que a dos seus concorrentes. Ciclos lentos e refugo, em última instância, são uma sangria de dinheiro que pode causar problemas para a sobrevivência da empresa.

A escolha é sua.

(*) Bill Tobin é especialista em Injeção de Plásticos. Com mais de 40 anos de experiência na área, é autor de 23 livros técnicos e apresenta regularmente cursos e seminários em vários países ao redor do mundo

Curta nossa página no

Arburg patrocina Seminário Internacional em Injeção de Plásticos – “Moldagem Científica”

04/09/2013

Novo Seminário apresentado pelo especialista Bill Tobin apresenta ferramentas para otimização do processo de injeção

Motivada pelo propósito de estimular o desenvolvimento técnico e aprimoramento profissional do segmento de injeção de plásticos nos mercados onde atua, a Arburg patrocinará o Seminário “Moldagem Científica”, a ser apresentado pelo especialista americano Bill Tobin na primeira quinzena de outubro, nas cidades de Curitiba, Joinville, Rio de Janeiro, São Paulo e Manaus.

No ano de 2012, a Arburg patrocinou outro seminário também apresentado por Bill Tobin no Brasil, intitulado “Troubleshooting – Resolução de Defeitos de Moldagem”, cujos resultados foram bastante positivos para os participantes, segundo relatos que a Arburg recebeu dos seus clientes que assistiram ao evento.

Reconhecida internacionalmente pela qualidade, precisão, confiabilidade e eficiência energética de suas máquinas injetoras, a Arburg foi fundada na Alemanha em 1923 e conta com 2.150 colaboradores em todo o mundo. A empresa está presente no Brasil desde o ano 2000, atuando com uma equipe com 10 representantes, 14 funcionários, showroom, treinamento técnico operacional, técnicos em aplicação, reposição de peças e assistência técnica.

Seminário com Bill Tobin em São Paulo (auditório da Abiplast/Sindiplast), em 2012

Bill Tobin é um conferencista e autor internacionalmente reconhecido e solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos. Ele vem apresentando seminários há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, Brasil, China, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México, Israel, Marrocos, Arábia Saudita e Brasil. Bill Tobin tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos, é Membro Senior da Society of Plastics Engineers e autor de 23 livros técnicos e mais de 250 artigos técnicos publicados em diferentes revistas especializadas. Bill Tobin já esteve no Brasil em 2010, 2011 e 2012, apresentando seminários em São Paulo, Caxias do Sul, Joinville, Manaus, Rio de Janeiro, Maceió, Curitiba, Belo Horizonte  e Porto Alegre.

O Seminário “Moldagem Científica”, organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda., conta com o apoio da ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plásticos, INP (Instituto Nacional do Plástico) e dos Sindicatos da Indústria do Plástico do Estado de São Paulo (SINDIPLAST), do Estado de Santa Catarina (SIMPESC), do Estado do Amazonas (SIMPLAST-Manaus) e do Estado do Rio de Janeiro (SIMPERJ).

O seminário ocorrerá nas seguintes datas e locais:
•    02/10/2013 – Curitiba
•    04/10/2013 – Joinville
•    07/10/2013 – Rio de Janeiro
•    09/10/2013 – São Paulo
•    11/10/2013 – Manaus

O seminário terá tradução simultânea realizada por especialista em plásticos.

Informações adicionais sobre o evento, inclusive sobre inscrições e programa do seminário, podem ser obtidas no site www.plassoft.com.br/seminario, através dos telefones (71) 3351 6880 e (11) 98580 0212 ou ainda pelo email info@plassoft.com.br. As informações podem também ser obtidas junto aos Sindicatos regionais que estão apoiando o evento.

Está sendo oferecido um desconto de 15% nas inscrições realizadas até o próximo dia 16 de setembro. Associados aos Sindicatos da Indústria do Plástico locais e às outras entidades apoiadoras tem um desconto adicional sobre o valor da inscrição. Para as empresas que efetuarem 4 inscrições, é oferecido o bônus de uma quinta inscrição gratuita.

Curta nossa página no

Bill Tobin apresenta seminários em injeção de plásticos novamente no Brasil em outubro

21/08/2013
foto_4_reduzida

Seminário com Bill Tobin em São Paulo (auditório da Abiplast/Sindiplast), em 2012

“Moldagem Científica” é o tema do seminário a ser ministrado este ano pelo especialista americano em injeção Bill Tobin nas cidades de Curitiba (02 de outubro), Joinville (04 de outubro), Rio de Janeiro (07 de outubro), São Paulo (09 de outubro) e Manaus (11 de outubro).

O seminário  “Moldagem Científica” já foi apresentado no Brasil em 2010 e 2011 nas cidades de  São Paulo, Caxias do Sul, Porto Alegre, Joinville, Rio de Janeiro, Maceió, Curitiba e Manaus. No ano de 2012, Bill Tobin apresentou um outro seminário – “Troubleshooting : Resolução de Defeitos de Moldagem” – em São Paulo, Caxias do Sul, Manaus, Joinville e Belo Horizonte.   Mais de 400 profissionais do setor de injeção de plásticos de mais de 100 empresas brasileiras assistiram aos vários seminários com Bill Tobin ocorridos no Brasil nos últimos três anos. Entre os participantes, mais de 80 % avaliaram o seminário como sendo Ótimo / Muito Bom e informaram que estariam dispostos a assistir outro seminário com Bill Tobin.  Os seminários foram bastante interativos, com muitas perguntas e discussões. O feedback recebido dos participantes sobre a qualidade da tradução do seminário também foi positiva, de modo que todos puderam apreender o conteúdo das palestras e tirar dúvidas.

O seminário “Moldagem Científica” foi concebido para apresentar técnicas de produção e processamento que resultam em redução de custos e que podem beneficiar mesmo aqueles profissionais com muita experiência. Durante o seminário “Moldagem Científica”, Bill Tobin expõe uma série de experimentos que podem ser realizados nas injetoras para determinar, por exemplo, o tempo de solidificação do ponto de injeção, o tempo de resfriamento,  o momento de se extrair a peça do molde e a pressão de fechamento mínima, entre outros parâmetros.  A obtenção da janela de processamento ótima para uma dada moldagem, o teste do balanceamento das cavidades,  a determinação do melhor perfil de temperatura do cilindro de injeção, o ganho de produtividade através do uso de roscas dedicadas  e experimentos para se determinar o nível de precisão e repetibilidade das máquinas são outros temas abordados durante o seminário.

Ao concluir este seminário de 1 dia, o profissional que o assistir terá  ferramentas e técnicas que poderão ser imediatamente aplicadas no seu trabalho para otimizar o processo de injeção, melhorar a produtividade e aumentar a lucratividade da sua empresa.

Os profissionais que mais obterão proveito deste seminário são os Técnicos de Regulagem, Operadores líderes, Supervisores de Injeção, Engenheiros de produção, máquina e molde e Inspetores e Supervisores da área de qualidade.

O seminário “Moldagem Científica” vem sendo apresentado periodicamente por Bill Tobin há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, Canadá, China, Austrália, Nova Zelândia, México e Israel, já tendo sido oferecido também oferecido em Dubai, Marrocos e Arábia Saudita.

Bill Tobin é um conferencista e autor internacionalmente reconhecido e muito solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos.  Ele tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos e é Membro Senior da Society of Plastics Engineers. Bill Tobin é autor de 23 livros técnicos e já escreveu mais de 250 artigos técnicos para diferentes revistas especializadas. Ele tem um estilo de treinamento divertido, informativo e cadenciado.

Todos os participantes do seminário receberão um CD contendo cópia do último livro de Bill Tobin, com inúmeros procedimentos e “check-lists”, além de planilhas pré-programadas com todos os experimentos usados para otimizar um ciclo de moldagem por injeção.

O seminário “Moldagem Científica, que ocorrerá na primeira quinzena de outubro de 2013, está sendo organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda, contando com o patrocínio da fabricante alemã de injetoras ARBURG  e apoio institucional da ABIPLAST, SINDIPLAST-SP, SIMPESC, SIMPLAST-Manaus, SIMPERJ, SIMPEP, INP, Revista Plástico Sul e Blog do Plástico.

Estão sendo oferecidos descontos especiais para inscrições antecipadas (até 16/09/2013). Associados às entidades apoiadoras tem um desconto adicional sobre o valor da inscrição. Para as empresas que efetuarem 4 inscrições, é oferecido o bônus de uma quinta inscrição gratuita.

As inscrições no seminário poderão ser realizadas diretamente no site www.plassoft.com.br/seminario. Informações sobre o programa do seminário, currículo do conferencista, preços do seminário e pagamento podem ser obtidas também nesse site ou através dos telefones (71) 3351 6880 e (11) 98580 0212 ou ainda pelo email info@plassoft.com.br. As informações podem também ser obtidas junto aos Sindicatos regionais que estão apoiando o evento.

Datas/Locais:

  • 02/10/2013 – Curitiba
  • 04/10/2013 – Joinville
  • 07/10/2013 – Rio de Janeiro
  • 09/10/2013 – São Paulo
  • 11/11/2013 – Manaus

Curta nossa página no

Seminário Internacional em Injeção abordará metodologia para resolução de Defeitos de Moldagem

16/10/2012

Seminário com Bill Tobin em Joinville, em Dezembro de 2010

Durante a apresentação do Seminário Internacional em Injeção de Plásticos – Troubleshooting – Resolução de Defeitos de Moldagem – na primeira quinzena de novembro próximo, o especialista americano Bill Tobin abordará metodologia para resolução de problemas que podem ocorrer durante o processamento por injeção.

Segundo Bill Tobin, os defeitos podem ser classificados em famílias, de acordo a etapa do ciclo de injeção em que se originam (preenchimento do molde / recalque / resfriamento / extração) ou se estão relacionados ao material, pós-moldagem, molde / equipamento.

No seminário, serão analisados vários defeitos que podem ocorrer durante a moldagem por injeção, tais como: Marcas de Queima,  Rebarbas, Linhas de solda / linhas de fluxo, Dispersão de cor inadequada, Variação dimensional / dimensões inadequadas, Acabamento superficial não uniforme, Cascas de laranja, Peças incompletas, Estrias prateadas, Rechupes, Canal da bucha preso, Estrias marrons, Bolhas, Peças presas na cavidade, Peças quebradiças/Rachaduras, Escorrimento,  Marcas de extração, Vazios, Empenamento, Esguichamento e Pontos pretos (black specs).

Para cada defeito, será identificada uma Causa Raiz e serão discutidas causas individuais relacionadas com parâmetros de processamento tais como temperaturas, pressões, tempos e velocidades,  além do molde/máquina e ambiente.

O seminário Troubleshooting é bastante interativo, sendo estimulada a participação ativa dos presentes.

Bill Tobin é um conferencista e autor internacionalmente reconhecido e solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos. Ele vem apresentando seminários há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, China, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México, Israel, Marrocos, Arábia Saudita e Brasil. Bill Tobin tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos, é Membro Senior da Society of Plastics Engineers, e autor de 23 livros técnicos e mais de 250 artigos técnicos publicados em diferentes revistas especializadas. Bill Tobin já esteve no Brasil em 2010 e 2011, apresentando o seminário “Moldagem Científica” em São Paulo, Caxias do Sul, Joinville, Manaus, Rio de Janeiro, Maceió, Curitiba e Porto Alegre.

O Seminário “Troubleshooting – Resolução de Defeitos de Moldagem em Injeção de Plásticos”, organizado pela PLASSOFT TECNOLOGIA LTDA., é patrocinado pela fabricante de injetoras ARBURG e conta com o apoio da ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plásticos e dos Sindicatos da Indústria do Plástico do Estado de São Paulo (SINDIPLAST), do Nordeste Gaúcho (SIMPLAS), do Estado de Santa Catarina (SIMPESC), do Estado do Amazonas (SIMPLAST-Manaus), do Estado de Minas Gerais (SIMPLAST-MG), além da Feira do Plástico, Borracha, Ferramentas e Moldes de Minas Gerais (MECPLAST), do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (CIEAM), da Associação Mineira da Indústria do Plástico (AMIPLAST) e da PLASTECH BRASIL 2013.

O seminário ocorrerá nas seguintes datas e cidades:

  • 05/11/2012 – Caxias do Sul
  • 07/11/2012 – São Paulo
  • 09/11/2012 – Belo Horizonte
  • 12/11/2012 – Joinville
  • 14/11/2012 – Manaus

 O seminário terá tradução simultânea realizada por especialista em plásticos. Todos os participantes receberão um CD contendo o livro de Bill Tobin “Troubleshooting Injection Molded Parts”.

Informações adicionais sobre o evento, inclusive sobre inscrições e programa do seminário, podem ser obtidas no site www.plassoft.com.br/seminario, através dos telefones (71) 3351 6880 e (11) 98580 0212 ou ainda pelo email info@plassoft.com.br. As informações podem também ser obtidas junto aos Sindicatos regionais que estão apoiando o evento.  Associados às entidades apoiadoras tem um desconto adicional sobre o valor da inscrição. Para as empresas que efetuarem 4 inscrições, é oferecido o bônus de uma quinta inscrição gratuita.

Curta nossa página no

Arburg patrocina Seminário Internacional em Injeção de Plásticos – “Troubleshooting – Resolução de Defeitos de Moldagem”

08/10/2012

Alinhada com o propósito de estimular o desenvolvimento técnico e aprimoramento profissional do segmento de injeção de plásticos nos mercados onde atua, a Arburg patrocinará o Seminário “Troubleshooting – Resolução de Defeitos de Moldagem em Injeção de Plásticos”, a ser apresentado pelo especialista americano Bill Tobin no próximo mês de novembro, nas cidades de São Paulo, Caxias do Sul, Belo Horizonte, Joinville e Manaus.

Reconhecida internacionalmente pela qualidade, precisão, confiabilidade e eficiência energética de suas máquinas injetoras, a Arburg foi fundada na Alemanha em 1923 e conta com 2.150 colaboradores em todo o mundo. A empresa está presente no Brasil desde o ano 2000, atuando com uma equipe com 10 representantes, 14 funcionários, showroom, treinamento técnico operacional, técnicos em aplicação, reposição de peças e assistência técnica.

Seminário com Bill Tobin em Joinville em Dezembro/2010

Bill Tobin é um conferencista, professor e autor internacionalmente reconhecido e solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos. Ele vem apresentando seminários há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, China, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México, Israel, Marrocos, Arábia Saudita e Brasil. Bill Tobin tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos, é Membro Senior da Society of Plastics Engineers, e autor de 23 livros técnicos e mais de 250 artigos técnicos publicados em diferentes revistas especializadas. Bill Tobin já esteve no Brasil em 2010 e 2011, apresentando o seminário “Moldagem Científica” em São Paulo, Caxias do Sul, Joinville, Manaus, Rio de Janeiro, Maceió, Curitiba e Porto Alegre.

O Seminário “Troubleshooting – Resolução de Defeitos de Moldagem em Injeção de Plásticos”, organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda., conta com o apoio da ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plásticos e dos Sindicatos da Indústria do Plástico de São Paulo (SINDIPLAST), do Nordeste Gaúcho (SIMPLAS), do Estado de Santa Catarina (SIMPESC), do Estado do Amazonas (SIMPLAST-Manaus), do Estado de Minas Gerais (SIMPLAST-MG), além da Feira do Plástico, Borracha, Ferramentas e Moldes (MECPLAST), do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (CIEAM) e da Associação Mineira da Indústria do Plástico (AMIPLAST).

O seminário ocorrerá nas seguintes datas:

05/11/2012 – Caxias do Sul

07/11/2012 – São Paulo

09/11/2012 – Belo Horizonte

12/11/2012 – Joinville

14/11/2012 – Manaus

O seminário terá tradução simultânea realizada por especialista em plásticos.

Informações adicionais sobre o evento, inclusive sobre inscrições e programa do seminário, podem ser obtidas no site http://www.plassoft.com.br/seminario, através dos telefones (71) 3351 6880 e (11) 98580 0212 ou ainda pelo email info@plassoft.com.br. As informações podem também ser obtidas junto aos Sindicatos regionais que estão apoiando o evento. Está sendo oferecido um desconto de 15% nas inscrições realizadas até o próximo dia 19 de outubro. Associados às entidades apoiadoras tem um desconto adicional sobre o valor da inscrição. Para as empresas que efetuarem 4 inscrições, é oferecido o bônus de uma quinta inscrição gratuita.

Curta nossa página no

Especialista americano retorna ao Brasil para apresentar seminário “Troubleshooting – Resolução de Defeitos em Injeção de Plásticos”

14/09/2012

Seminário “Moldagem Científica” em Joinville, em Dezembro de 2010

O especialista americano em injeção de plásticos, Bill Tobin, apresentará o seminário “Troubleshooting – Resolução de Defeitos de Moldagem em Injeção de Plásticos” no próximo mês de novembro, nas cidades de São Paulo,  Caxias do Sul, Belo Horizonte, Joinville e Manaus. Bill Tobin já esteve no Brasil anteriormente em 2010 e 2011, apresentando o seminário “Moldagem Científica”, o qual foi muito bem recebido pelos participantes.  Entre os 240 profissionais que assistiram a “Moldagem Científica” no Brasil,  mais de 90 % avaliaram o seminário como sendo Ótimo / Bom e informaram que estariam dispostos a assistir outro seminário com Bill Tobin. “Moldagem Científica” foi apresentado em São Paulo, Caxias do Sul, Joinville, Manaus, Rio de Janeiro, Maceió, Curitiba e Porto Alegre.

Neste ano, o seminário “Troubleshooting” será apresentado também em Belo Horizonte dentro da Feira Mecplast, que ocorrerá pela primeira vez em Minas, em conjunto com a Feira de Mecânica MecMinas.

O Seminário “Troubleshooting – Resolução de Defeitos em Injeção de Plásticos”, organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda., conta com o apoio da ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plásticos e dos Sindicatos da Indústria do Plástico de São Paulo (SINDIPLAST), do Nordeste Gaúcho (SIMPLÁS), do Estado de Santa Catarina (SIMPESC), do Estado do Amazonas (SIMPLAST), do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (CIEAM), da Feira do Plástico, Borracha, Ferramentas e Moldes (MECPLAST), da Revista Plástico Sul e do Blog do Plástico.

O seminário ocorrerá nas seguintes datas:

05/11/2012 – Caxias do Sul

07/11/2012 – São Paulo

09/11/2012 – Belo Horizonte

12/11/2012 – Joinville

14/11/2012 – Manaus

Está sendo oferecido um desconto de 15% nas inscrições realizadas até o próximo dia 10 de outubro. Associados aos Sindicatos apoiadores e à Abiplast tem um desconto adicional sobre o valor da inscrição. Para as empresas que efetuarem 4 inscrições, é oferecido o bônus de uma quinta inscrição gratuita. As inscrições são realizadas através do site www.plassoft.com.br/seminario .

O seminário terá tradução simultânea realizada por especialista em plásticos.

Ao concluir o seminário, o participante adquirirá metodologias que poderão ser imediatamente aplicadas no seu trabalho para melhorar a qualidade dos produtos e reduzir custos, eliminando desperdício e geração de refugo e aumentando a lucratividade da empresa onde trabalha. O seminário foi desenvolvido para proporcionar um melhor entendimento do processo de injeção e dos fatores que contribuem para se obter peças defeituosas. Será mostrado também como eliminar ou minimizar esses fatores. A metodologia apresentada para resolver problemas de injeção poderá beneficiar mesmo aqueles profissionais com muita experiência. Os profissionais que mais obterão proveito deste seminário são: os Técnicos de Regulagem, Operadores líderes, Supervisores de Injeção, Engenheiros de produção, máquina e molde e Inspetores e Supervisores da área de qualidade. Todos os participantes receberão um CD contendo o livro de Bill Tobin  “Troubleshooting Injection Molded Parts”.

Bill Tobin é um conferencista, professor e autor internacionalmente reconhecido e muito solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos. Ele vem apresentando seminários há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, China, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México, Israel, Marrocos, Arábia Saudita e Brasil. Bill Tobin tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos, Membro Senior da Society of Plastics Engineers, é autor de 23 livros técnicos e mais de 250 artigos técnicos publicados em diferentes revistas especializadas. Ele tem um estilo de treinamento divertido, informativo e cadenciado.

Informações adicionais sobre o evento, inclusive sobre o programa do seminário, podem ser obtidas no site www.plassoft.com.br/seminario, através dos telefones (71) 3351 6880 ou (11) 98580 0212, pelo email info@plassoft.com.br. As informações podem também ser obtidas junto aos Sindicatos regionais que estão apoiando o evento.

Curta nossa página no

Últimos dias para inscrição no Seminário Internacional em Injeção de Plásticos “Moldagem Científica”.

28/07/2011

Seminário Moldagem Científica em Joinville / Dezembro de 2010.

Inicia-se no próximo dia 01 de agosto, no Rio de Janeiro, a 2a. jornada do Seminário Internacional em Injeção de Plásticos “Moldagem Científica”, que será apresentado pelo especialista americano Bill Tobin.  O Seminário também será realizado em Manaus e Maceió.

No Rio de Janeiro, o evento ocorrerá na Sede da FIRJAN, das 9 às 18 horas. No dia 03 de agosto (quarta-feira), o Seminário “Moldagem Científica”  será apresentado em Maceió, no mesmo horário. Em 05 de agosto (sexta-feira),  o evento acontecerá em Manaus, no auditório do SIMPLAST (Sindicato das Indústrias de Material Plástico de Manaus),  também das 9 às 18 horas.

A apresentação de técnicas para otimização do processo de injeção de plásticos e aumento da produtividade das máquinas é o principal foco do Seminário Moldagem Científica. O seminário foi concebido para apresentar técnicas de produção e processamento que resultam em redução de custos e que podem beneficiar mesmo aqueles profissionais com muita experiência. Durante o seminário, Bill Tobin expõe uma série de experimentos que podem ser realizados nas injetoras para determinar, por exemplo, o tempo de solidificação do ponto de injeção, o tempo de resfriamento,  o momento de se extrair a peça do molde e a pressão de fechamento mínima, entre outros parâmetros.  A obtenção da janela de processamento ótima para uma dada moldagem, o teste do balanceamento das cavidades,  a determinação do melhor perfil de temperatura do cilindro de injeção, o ganho de produtividade através do uso de roscas dedicadas  e experimentos para se determinar o nível de precisão e repetibilidade das máquinas são outros temas abordados durante o seminário.

Bill Tobin é um conferencista, professor e autor internacionalmente reconhecido e muito solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos.  Ele tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos e é Membro Senior da Society of Plastics Engineers. Bill Tobin é autor de 23 livros técnicos e já escreveu mais de 250 artigos técnicos para diferentes revistas especializadas. Ele tem um estilo de treinamento divertido, informativo e cadenciado.

O seminário “Moldagem Científica” vem sendo apresentado periodicamente por Bill Tobin há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México e Israel, já tendo sido oferecido também oferecido em Dubai, Marrocos e Arábia Saudita.

O seminário está sendo organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda, contando com o patrocínio da INCOE  e apoio institucional da Abiplast, Simperj-RJ, Simplast-Manaus,  INP e Blog do Plástico. Estão sendo oferecidos descontos especiais para associados aos Sindicatos, Abiplast e INP, além de um bônus para mais de 4 participantes da mesma empresa.

As inscrições no seminário poderão ser realizadas diretamente no site www.plassoft.com.br/seminario. Informações sobre o programa do seminário, currículo do conferencista, preços do seminário e pagamento podem ser obtidas também no site.

Todos os participantes do seminário receberão um CD contendo cópia do último livro de Bill Tobin, com inúmeros procedimentos e “check-lists”, além de planilhas pré-programadas com todos os experimentos usados para otimizar um ciclo de moldagem por injeção.

Informações adicionais podem ser obtidas através dos telefones (71)3351-6880 e (11) 3596-6264  ou pelos emails: info@plassoft.com.br e susana@abiplast.org.br.

No Rio de Janeiro, informações também podem ser obtidas junto ao SIMPERJ, no tel. (21) 2220-9726 com a Sra. Ísis Alves ou via email: simperj@simperj.org.br.

Em Manaus, podem ser obtidas informações junto ao SIMPLAST Manaus com o Sr. Paulo Abreu, no tel. (92) 9966 0520 ou via email: simplast@argo.com.br.


Seminário Moldagem Científica focalizará técnicas para aumento de produtividade e otimização do processo de Injeção de Plásticos.

15/07/2011

Seminário Moldagem Científica em Joinville (SC), em Dezembro/2010.

A apresentação de técnicas para otimização do processo de injeção de plásticos e aumento da produtividade das máquinas é o principal foco do Seminário Moldagem Científica, que será apresentado pelo especialista americano Bill Tobin nas cidades do Rio de Janeiro (01 de agosto), Maceió (03 de agosto) e Manaus (05 de agosto).

O seminário foi concebido para apresentar técnicas de produção e processamento que resultam em redução de custos e que podem beneficiar mesmo aqueles profissionais com muita experiência. Durante o seminário, Bill Tobin expõe uma série de experimentos que podem ser realizados nas injetoras para determinar, por exemplo, o tempo de solidificação do ponto de injeção, o tempo de resfriamento,  o momento de se extrair a peça do molde e a pressão de fechamento mínima, entre outros parâmetros.  A obtenção da janela de processamento ótima para uma dada moldagem, o teste do balanceamento das cavidades,  a determinação do melhor perfil de temperatura do cilindro de injeção, o ganho de produtividade através do uso de roscas dedicadas  e experimentos para se determinar o nível de precisão e repetibilidade das máquinas são outros temas abordados durante o seminário.

Bill Tobin é um conferencista, professor e autor internacionalmente reconhecido e muito solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos.  Ele tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos e é Membro Senior da Society of Plastics Engineers. Bill Tobin é autor de 23 livros técnicos e já escreveu mais de 250 artigos técnicos para diferentes revistas especializadas. Ele tem um estilo de treinamento divertido, informativo e cadenciado.

O seminário “Moldagem Científica” vem sendo apresentado periodicamente por Bill Tobin há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México e Israel, já tendo sido oferecido também oferecido em Dubai, Marrocos e Arábia Saudita.

O seminário está sendo organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda, contando com o patrocínio da INCOE  e apoio institucional da Abiplast, Simperj-RJ, Simplast-Manaus,  INP e Blog do Plástico. Estão sendo oferecidos descontos especiais para inscrições antecipadas (até 15/07) e para associados aos Sindicatos, Abiplast e INP, além de um bônus para mais de 4 participantes da mesma empresa.

As inscrições no seminário poderão ser realizadas diretamente no site www.plassoft.com.br/seminario. Informações sobre o programa do seminário, currículo do conferencista, preços do seminário e pagamento podem ser obtidas também no site.

Todos os participantes do seminário receberão um CD contendo cópia do último livro de Bill Tobin, com inúmeros procedimentos e “check-lists”, além de planilhas pré-programadas com todos os experimentos usados para otimizar um ciclo de moldagem por injeção.

Informações adicionais podem ser obtidas através dos telefones (71)3351-6880 e (11) 3596-6264  ou pelos emails: info@plassoft.com.br e susana@abiplast.org.br.

No Rio de Janeiro, informações também podem ser obtidas junto ao SIMPERJ, no tel. (21) 2220-9726 com a Sra. Ísis Alves ou via email: simperj@simperj.org.br.

Em Manaus, podem ser obtidas informações junto ao SIMPLAST Manaus com o Sr. Paulo Abreu, no tel. (92) 9966 0520 ou via email: simplast@argo.com.br.

Especialista americano apresenta novamente no Brasil seminário sobre Injeção de Plásticos, nas cidades do Rio de Janeiro, Manaus e Maceió.

26/06/2011

Moldagem Científica” é o título do seminário a ser ministrado pelo especialista americano em injeção Bill Tobin nas cidades do Rio de Janeiro (01 de agosto), Maceió (03 de agosto) e Manaus (05 de agosto).

O seminário  “Moldagem Científica” foi apresentado pela primeira vez no Brasil no final do ano passado nas cidades de Caxias do Sul, Porto Alegre, São Paulo, Curitiba e Joinville, contando com a participação de mais de 130 profissionais da área e apoio do  Sindiplast-SP,  Simplás-RS, Simpesc-SC, Abiplast e INP, além da Ulbra, Escola Tupy e Plástico Sul.  Entre os participantes, mais de 80 % avaliaram o seminário como sendo Ótimo / Bom e informaram que estariam dispostos a assistir outro seminário com Bill Tobin.  Os seminários foram bastante interativos, com muitas perguntas e discussões. O feedback recebido dos participantes sobre a qualidade da tradução do seminário também foi muito positiva, de modo que todos puderam apreender o conteúdo das palestras e tirar dúvidas.

Ao concluir este seminário de 1 dia, o profissional que o assistir terá  ferramentas e técnicas que poderão ser imediatamente aplicadas no seu trabalho para melhorar a produtividade e aumentar a lucratividade da sua empresa. O seminário foi desenvolvido para apresentar técnicas de produção e processamento que resultam em redução de custos e que podem beneficiar mesmo aqueles profissionais com muita experiência.  Os profissionais que mais obterão proveito deste seminário são os Técnicos de Regulagem, Operadores líderes, Supervisores de Injeção, Engenheiros de produção, máquina e molde e Inspetores e Supervisores da área de qualidade.

O seminário “Moldagem Científica” vem sendo apresentado periodicamente por Bill Tobin há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México e Israel, já tendo sido oferecido também oferecido em Dubai, Marrocos e Arábia Saudita.

Bill Tobin é um conferencista, professor e autor internacionalmente reconhecido e muito solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos.  Ele tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos e é Membro Senior da Society of Plastics Engineers. Bill Tobin é autor de 23 livros técnicos e já escreveu mais de 250 artigos técnicos para diferentes revistas especializadas. Ele tem um estilo de treinamento divertido, informativo e cadenciado.

88% dos profissionais que já assistiram ao seminário relataram ter podido aplicar imediatamente o que foi aprendido e 91% disseram que o seminário valeu o preço pago.

Segundo Fred Wise, Presidente e CEO da Wise Plastics Technologies em St. Charles, Illinois, EUA,  “se um participante aproveitar somente uma única idéia deste seminário, ele pagará a sua taxa de inscrição em somente um dia, na volta a seu trabalho”.

Todos os participantes do seminário receberão um CD contendo cópia do último livro de Bill Tobin, com inúmeros procedimentos e “check-lists”, além de planilhas pré-programadas com todos os experimentos usados para otimizar um ciclo de moldagem por injeção.

Neste ano, o seminário está sendo organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda, contando com o patrocínio da INCOE  e apoio institucional da Abiplast, Simperj-RJ, Simplast-Manaus,  INP e Blog do Plástico. Estão sendo oferecidos descontos especiais para inscrições antecipadas (até 15/07) e para associados aos Sindicatos, Abiplast e INP, além de um bônus para mais de 4 participantes da mesma empresa.

As inscrições no seminário poderão ser realizadas diretamente no site www.plassoft.com.br/seminario. Informações sobre o programa do seminário, currículo do conferencista, preços do seminário e pagamento podem ser obtidas também no site.

Informações adicionais podem ser obtidas através dos telefones (71)3351-6880 e (11) 3596-6264  ou pelos emails: info@plassoft.com.br e susana@abiplast.org.br.

No Rio de Janeiro, informações também podem ser obtidas junto ao SIMPERJ, no tel. (21) 2220-9726 com a Sra. Ísis Alves ou via email: simperj@simperj.org.br.

Em Manaus, podem ser obtidas informações junto ao SIMPLAST Manaus com o Sr. Paulo Abreu, no tel. (92) 9966 0520 ou via email: simplast@argo.com.br.

Datas/Locais:

01/08 – Rio de Janeiro

03/08 – Maceió

05/08 – Manaus

Especialista americano apresenta seminário sobre Injeção de Plásticos em cidades do Sul e São Paulo.

21/10/2010

Moldagem Científica” é o título do seminário a ser ministrado pelo especialista americano em injeção Bill Tobin nas cidades de Caxias do Sul, Porto Alegre, São Paulo, Curitiba e Joinville entre os dias 29/11 e 03/12/2010.

Ao concluir este seminário de 1 dia, o profissional que o assistir terá  ferramentas e técnicas que poderão ser imediatamente aplicadas no seu trabalho para melhorar a produtividade e aumentar a lucratividade da sua empresa. O seminário foi desenvolvido para apresentar técnicas de produção e processamento que resultam em redução de custos e que podem beneficiar mesmo aqueles profissionais com muita experiência.  Os profissionais que mais obterão proveito deste seminário são os Técnicos de Regulagem, Operadores líderes, Supervisores de Injeção, Engenheiros de produção, máquina e molde e Inspetores e Supervisores da área de qualidade.

O seminário “Moldagem Científica” vem sendo apresentado periodicamente por Bill Tobin há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México e Israel, já tendo sido oferecido também oferecido em Dubai, Marrocos e Arábia Saudita.

Bill Tobin é um conferencista, professor e autor internacionalmente reconhecido e muito solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos.  Ele tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos e é Membro Senior da Society of Plastics Engineers. Bill Tobin é autor de 23 livros técnicos e já escreveu mais de 250 artigos técnicos para diferentes revistas especializadas. Ele tem um estilo de treinamento divertido, informativo e cadenciado.

88% dos profissionais que já assistiram ao seminário relataram ter podido aplicar imediatamente o que foi aprendido e 91% disseram que o seminário valeu o preço pago.

Segundo Fred Wise, Presidente e CEO da Wise Plastics Technologies em St. Charles, Illinois, EUA,  “se um participante aproveitar somente uma única idéia deste seminário, ele pagará a sua taxa de inscrição em somente um dia, na volta a seu trabalho”.
Todos os participantes do seminário receberão um CD contendo cópia do último livro de Bill Tobin, com inúmeros procedimentos e “check-lists”, além de planilhas pré-programadas com todos os experimentos usados para otimizar um ciclo de moldagem por injeção.

O seminário está sendo organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda, contando com patrocínio da Steelmach e Pavan Zanetti e apoio institucional da Abiplast, Sindiplast-SP, Simplás, Simpesc, INP, Revista Plástico Sul, Sociesc/Faculdade de Tecnologia Tupy de Curitiba e Blog do Plástico. Estão sendo oferecidos descontos especiais para inscrições antecipadas (até 12/11) e para associados aos Sindicatos, Abiplast e INP.

As inscrições no seminário poderão ser realizadas diretamente no site www.plassoft.com.br/seminario. Informações sobre o programa do seminário, currículo do conferencista, preços do seminário e pagamento podem ser obtidas também no site.

Para informações adicionais, ligar para os números (11) 3060-9688, (11) 3596-6264 ou ainda enviar email para info@plassoft.com.br ou  susana@abiplast.org.br.

Datas/Locais;

29/11 – Caxias do Sul

30/11 – Porto Alegre

01/12 – São Paulo

02/12 – Curitiba

03/12 –  Joinville