Posts Tagged ‘Baytown’

ExxonMobil anuncia projeto de 2 bilhões de dólares para expansão de complexo químico no Texas (EUA)

10/05/2019

  • Expansão da planta de Baytown criará aproximadamente 2.000 empregos durante a construção
  • Projeto irá maximizar o valor da crescente produção da Bacia Permiana
  • Estudo da empresa afirma que a ExxonMobil contribuiu com mais de US $ 43 bilhões para o produto interno bruto dos EUA em 2017

A ExxonMobil disse hoje que vai investir U$ 2 bilhões para expandir sua planta química de Baytown, no Texas, a qual criará aproximadamente 2 mil empregos durante a construção e contribuirá para um retorno de aproximadamente 15% – valor que a empresa espera de seus investimentos químicos.

A expansão da planta de Baytown se soma à iniciativa “Growing the Gulf” da empresa, de 2017, que delineou planos para construir e expandir instalações de manufatura ao longo da Costa do Golfo dos EUA, criando mais de 45.000 empregos bem remunerados em toda a região, afirma a empresa.

“Nossos investimentos substanciais nos Estados Unidos dão suporte aos planos de crescimento de longo prazo da ExxonMobil e resultarão em milhares de empregos com altos salários”, disse Darren W. Woods, presidente e diretor executivo da ExxonMobil. “Através dos bilhões de dólares que estamos investindo na Bacia Permiana para aumentar a produção de petróleo e a expansão de nossas operações ao longo da Costa do Golfo, nossa empresa está fazendo contribuições significativas e duradouras para a economia dos EUA e as muitas comunidades onde operamos. “

A ExxonMobil contratou a Ernst & Young para examinar as contribuições que a empresa fez à economia dos EUA em 2017 – o ano em que a iniciativa “Growing the Gulf” foi lançada. Segundo a empresa, a pesquisa concluiu que, durante 2017, a ExxonMobil contribuiu com mais de US $ 43 bilhões para o PIB dos EUA e as suas atividades econômicas direta, indireta e induzida sustentaram quase 177.000 empregos em todo o país.

“Esta pesquisa, focalizada em um único ano, é um retrato poderoso de como nossos negócios nos Estados Unidos beneficiam diretamente a economia americana”, disse Woods. “Isso ressalta as muitas maneiras pelas quais a empresa e nossos funcionários estão contribuindo para a prosperidade em todo o país”.

A pesquisa da Ernst & Young também concluiu que, em 2017:

  • As operações da ExxonMobil nos EUA deram suporte a quase U$ 6,72 bilhões em renda de mão-de-obra direta – uma média de U$ 208.000 por trabalhador em termos de remuneração anual total, incluindo salários e benefícios.
  • O impacto das operações e investimentos da ExxonMobil incluem mais de US $ 7 bilhões em pagamentos de impostos e royalties.
  • A empresa fez investimentos de capital em 20 estados.

Woods disse que os recentes investimentos da empresa, tais como uma grande expansão da produção de petróleo e gás na Bacia do Permiano e a planejada expansão em Baytown, continuarão impulsionando a economia dos EUA.

“Nossa expansão química em Baytown nos colocará em uma posição sólida para maximizar o valor da crescente produção da Bacia Permiana e fornecerá produtos de maior valor e maior demanda produzidos em nossas instalações de refino e plantas químicas da Costa do Golfo”, disse Woods.

“Espera-se que a demanda global por produtos químicos seja maior do que o crescimento da demanda de energia e o crescimento do PIB nos próximos 20 anos”, disse Woods.

A expansão, prevista para se iniciar em 2022, inclui uma nova unidade de polímeros Vistamaxx ™, utilizados para gerar produtos que oferecem níveis mais altos de elasticidade, maciez e flexibilidade, afirma a empresa. A nova unidade produzirá cerca de 400.000 toneladas de polímeros Vistamaxx ™ por ano.

O projeto também permitirá que a ExxonMobil entre no mercado de alfa-olefinas lineares. As alfa olefinas lineares são usadas em inúmeras aplicações, incluindo óleos industriais e de motor de alto desempenho, ceras e blocos de construção para surfactantes, polietileno para embalagem e outras especialidades químicas. A nova unidade produzirá cerca de 350.000 toneladas de alfa-olefinas lineares por ano.

Segundo a empresa, a planta da ExxonMobil em Baytown é o maior complexo petroquímico integrado nos EUA. Fundado em 1919, o complexo está localizado em aproximadamente 3.400 acres ao longo do Houston Ship Channel, cerca de 40 km a leste de Houston. A instalação inclui uma refinaria, fábrica de produtos químicos, fábrica de olefinas, fábrica de plásticos e um centro de tecnologia global.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Exxon Mobil

Curta nossa página no

Covestro investirá 1,5 bilhão de euros em nova fábrica de MDI de escala mundial no Texas (EUA)

19/10/2018

  • Expansão da capacidade global
  • Mercado de MDI altamente atrativo com perspectivas de crescimento em longo prazo
  • Nova fábrica de MDI com capacidade de 500 ktons para atender à demanda e acompanhar o crescimento da indústria
  • Capacidade de MDI da região do NAFTA irá atingir 740 ktons por ano até o final de 2024
  • Ampliação da posição de liderança regional e global em MDI da Covestro

A Covestro acelera suas atividades de investimento para capitalizar o forte crescimento do mercado de MDI. O Conselho de Supervisão da Covestro aprovou em 11 de outubro um investimento de cerca de 1,5 bilhão de euros para construir uma nova fábrica de MDI de escala mundial em Baytown, EUA. Esse investimento na fábrica existente em Baytown é o maior investimento único da história da empresa. A capacidade total do novo sistema será de 500 ktons de MDI por ano e a produção está prevista para começar em 2024. Paralelamente, uma unidade de MDI mais antiga e menos eficiente, com capacidade de produção de 90 quilotoneladas, será fechada. Assim, a capacidade total de MDI da Covestro na região do NAFTA atingirá cerca de 740 quilotoneladas por ano, tornando a Covestro líder em capacidade da indústria na região até 2024. Com isso, a Covestro também enfatizará firmemente sua posição global de liderança em capacidade da indústria.

“A demanda por materiais inovadores de MDI continuará crescendo no futuro previsível e, da mesma forma, promete taxas atrativas de utilização de capacidade. Já anunciamos um aumento significativo nos gastos de capital e agora é hora de colocá-lo em ação”, disse o CEO Dr. Markus Steilemann. “Com o novo sistema de MDI em Baytown, fortaleceremos ainda mais nossa posição de liderança global em Poliuretanos, atenderemos ainda melhor nossos clientes e criaremos valor em longo prazo para os acionistas”.

Mercado de MDI com perspectivas atraentes

Estima-se que o mercado global de MDI cresça cerca de 5% ao ano em longo prazo, superando o Produto Interno Bruto (PIB) mundial em cerca de 2 pontos percentuais. Os principais fatores determinantes do mercado de MDI incluem a substituição de materiais de menor desempenho e menos sustentáveis, bem como megatendências globais, como a crescente demanda por soluções de isolamento com eficiência energética. O MDI é um precursor da espuma rígida, que é um excelente material de isolamento e é usado, por exemplo, em edifícios e refrigeradores. O crescimento esperado da demanda global por MDI se traduz na necessidade de aproximadamente uma fábrica adicional de escala mundial por ano.

Embora a Covestro já esteja dobrando sua capacidade de produção de MDI em Brunsbuettel (Alemanha) de 200 para 400 ktons por ano no segundo semestre de 2019, o forte crescimento da demanda cria novas oportunidades de mercado significativas. Portanto, os investimentos – que fazem parte do investimento já anunciado de até 1,2 bilhão de euros por ano nos próximos três anos – ajudarão a Covestro a manter e fortalecer sua posição de liderança e apoiar um crescimento mais lucrativo.

Complementando o anúncio divulgado pela Covestro globalmente, Fernando d’Andrea, Head para Negócios de Poliuretanos para a América Latina e CEO da Covestro Polímeros, confirma que os investimentos têm impacto bastante positivo na região – que se beneficiará desta nova capacidade instalada – e permitirão que a empresa ainda forneça quantidades adicionais para clientes globais e regionais que utilizam esta matéria-prima. “O mercado de MDI tem demanda crescente, algo que também ocorre em nossa região”, conclui o executivo.

Abordagem de CAPEX (investimentos de capital) com boa relação custo-benefício com retorno superior sobre o investimento

O CFO da Covestro, Dr. Thomas Toepfer, explicou: “Mesmo com todos os anúncios de aumento de capacidade considerados, a oferta projetada do setor não é suficiente para equilibrar totalmente o crescimento esperado da demanda. Estamos, portanto, confiantes de que alcançaremos altas taxas de utilização de nossas novas capacidades logo após a implementação, tornando o investimento altamente eficiente. Com base na infraestrutura e nos processos existentes, será um excelente exemplo de nossa abordagem de criação de valor.”

Com seu programa global de investimentos em MDI, a Covestro segue uma abordagem de CAPEX com boa relação custo-benefício, alavancando a infraestrutura existente e as redes de fornecimento para alcançar investimentos específicos mais baixos e ROCE (Retorno sobre o Capital Investido) mais alto. O programa também inclui a continuação e a expansão das unidades de Tarragona (Espanha) e Caojing (China) da Covestro, bem como investimentos na unidade de produção da empresa em Antuérpia (Bélgica).

Baytown com condições ideais

A decisão de construir a nova fábrica de escala mundial em Baytown foi tomada após uma análise minuciosa das diferentes opções. Além da atratividade do mercado interno, as principais vantagens de Baytown são os custos, além de benefícios significativos em termos de infraestrutura e logística disponíveis. A posição de custo superior é impulsionada principalmente por economias de escala e um alto grau de integração vertical. Além disso, os baixos custos de energia e transporte devido à alta demanda interna na América do Norte se somam ao caso de Baytown. Com a nova fábrica, as futuras capacidades de MDI da Covestro na América do Norte de 740 ktons por ano até 2024 também alcançarão as futuras capacidades da empresa na Europa, Oriente Médio e África (820 quilotoneladas por ano até 2022) e na Ásia-Pacífico (670 quilotoneladas por ano até 2021).

Com vendas de 14,1 bilhões de euros em 2017, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. As atividades comerciais estão focadas na fabricação de materiais poliméricos e no desenvolvimento de soluções para produtos utilizados ​​em diversas áreas da vida cotidiana. Os principais segmentos atendidos são os setores automotivo, de construção civil, de processamento e móveis de madeira e os setores elétrico e eletrônico. Outros setores incluem esporte e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro tem 30 unidades de produção em todo o mundo e emprega aproximadamente 16.200 pessoas (calculadas como equivalentes em tempo integral) no final de 2017.

Fonte: Covestro

Curta nossa página no