Posts Tagged ‘Basotect’

Espuma da BASF com proteção antichamas é opção para locais que precisam de conforto acústico

27/01/2014
  • Basotect® é uma das inovações utilizadas na CasaE, Casa de Eficiência Energética da BASF
  • Material à base de  melamina atende integralmente às normas de segurança ao fogo do Corpo de Bombeiros

Muitos espaços comerciais ou residenciais precisam de conforto acústico, seja por questões ocupacionais, de segurança ou para atender as normas da construção civil. A procura por um material de qualidade e que esteja de acordo com as regulamentações fez as vendas do Basotect® crescerem mais de 120% no último ano.

Para Murilo Feltran, gerente de Espumas Especiais da BASF, o aumento na procura pelo produto ocorreu principalmente devido ao endurecimento da fiscalização em todo país, já que as normas para forros e revestimento de parede já existem há alguns anos. “O Basotect®, espuma feita a partir de resina de melamina, é o material com melhor resistência ao fogo entre as espumas orgânicas conhecidas”, explica Feltran. O produto é antichamas, resistente à alta temperatura, funciona como isolante térmico e tem alta capacidade de absorção de som.

Por essas características, o Basotect® está entre as inovações apresentadas na CasaE, a Casa de Eficiência Energética da BASF. Os forros a base de Basotect® foram produzidos e instalados  pela Owa do Brasil Produtos Acústicos Ltda., sendo utilizados nos tetos do auditório e do home theater, nas cores indicadas pelo projeto arquitetônico.

“Outro benefício é que o produto tem instalação simples, pois não necessita de perfis de suporte, como os forros modulares convencionais, podendo ser instalado facilmente por meio de adesivos específicos. Os forros, também, são produzidos em diversas cores”, diz Feltran.

Normas de segurança

A “Instrução Técnica de Controle de Materiais de Acabamento e Revestimento número 10/2004” do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo indica os parâmetros da norma de propagação superficial de chamas (NBR 9442, que mede a velocidade de alastramento das chamas) e da norma de densidade ótica de fumaça (ASTM E-662, que mede o quão escura está a fumaça, para não prejudicar a rota de fuga em situações de incêndio).

Segundo a BASF, nas aplicações acústicas, a espuma Basotect® é a única espuma orgânica que atende a essas duas normas determinadas pelo Corpo de Bombeiros. Apesar da regulamentação ser estadual, São Paulo é referência para os Bombeiros de outros estados.

De acordo com a empresa, o Basotect® também atende aos parâmetros de qualidade para habitações, determinados pela Norma de Desempenho NBR 15.575, que estabelece padrões mínimos de isolamento acústico, conforto térmico, durabilidade dos materiais e segurança. A exigência entrou em vigor em julho de 2013.Além disso, a alta reflexão de luz (exibida na espuma da cor branca), as baixas emissões e o desempenho acústico do Basotect® podem contribuir para a obtenção da  certificação LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, principal selo de construção sustentável do Brasil.

Sobre o Basotect®: A espuma de melamina Basotect® pode ser utilizada em forros, painéis ou baffles com diversas opções de cores, apresentando propriedades acústicas e leveza (densidade de 6-9kg/m3). A facilidade de instalação/reposição é contemplada pela possibiolidade de colagem das peças acústicas utilizando-se adesivos e/ou penduradas por fios, dispensando estruturas metálicas mais complexas, por exemplo, reduzindo esforços e custos.

Segundo a BASF, a segurança é observada durante o processamento/manuseamento da espuma, não oferecendo risco ocupacional por não haver liberação de fibras minerais, além de apresentar baixíssima emissão de gases tóxicos segundo a norma europeia EN 45545 parte 2. As peças acústicas são higiênicas e possuem elevada durabilidade.

Fotne: BASF

Curta nossa página no

Anúncios

Poliestireno Expandido e Espuma Melamínica geram isolamento térmico e acústico na CasaE construída pela BASF

03/06/2013
  • Além de reduzir consideravelmente os ruídos externos, espuma especial Basotect®  retarda chamas.
  • Isolamente térmico do Neopor®  chega a 20% em relação tradicional.

O projeto CasaE, Casa de Eficiência Energética, pretende mostrar ao mercado brasileiro as últimas novidades em produtos e técnicas para uma construção mais sustentável. A iniciativa da BASF, que com a casa brasileira agora soma 10 unidades no mundo, tem o objetivo de revolucionar o mercado da construção civil. Um dos grandes diferenciais da CasaE é o seu sistema construtivo que, além de maior rapidez na obra, gera uma economia de energia que chega a aproximadamente 70%.

“Queremos mostrar que o conceito construtivo (método, técnica e produtos) utilizado na CasaE pode ser utilizado em uma moradia comum, sendo totalmente factível ao mercado. Aos poucos pretendemos transformar a cultura da indústria da construção e de seus consumidores“, ressalta Michel Mertens, vice-presidente sênior da BASF para a América do Sul.

Na CasaE o sistema construtivo não é de alvenaria tradicional. Entre as inovações que ela apresenta estão os Polímeros de Performance da BASF, que foram usados em quase todos os ambientes. Graças aos produtos dessa linha, a residência tornou-se mais protegida de ruídos externos e de incêndios.

O Neopor® é um dos isolantes mais eficientes do mercado. Os blocos de poliestireno expansível (EPS) geram maior proteção contra umidade e variações de temperatura. Na CasaE o produto foi aplicado nas paredes da sala, dos quartos, da cozinha e do elevador, além das lajes da sala e quartos. O produto apresenta performance de isolamento térmico acima de 20% em relação ao EPS convencional e até 70% acima da alvenaria tradicional.

Já os forros da sala de reunião, do auditório e do home teather foram revestidos com Basotect®, uma espuma especial à base de melamina que promove elevado nível de conforto acústico. O produto ainda é o único dessa categoria que é retardante de chamas.

Além dessas duas soluções, diversas outras foram aplicadas na casa para tornar seu processo mais ágil e com contribuição à eficiência energética.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Espuma de resina melamínica da BASF é usada para isolamento acústico de motor automotivo da Porsche

13/07/2012

O novo Porsche Panamera conta com a espuma especial da BASF, Basotect®, para o isolamento acústico do motor

Basotect®, a espuma de resina de melamina da BASF, garante os efeitos sonoros corretos sob o capô do Porsche Panamera Diesel. A espuma é usada para isolamento sonoro e térmico no compartimento do motor, no túnel de transmissão e também no painel perto do motor do Gran Tursimo quatro portas. Além de suas boas propriedades acústicas e resistência térmica elevada, o baixo peso da espuma é o que atraiu especialmente os desenvolvedores de Stuttgart – fabricante de carros de luxo. A espuma Basotect é usada para absorver o som em veículos onde quer que haja altas temperaturas de operação durante um período prolongado de tempo, como nas paredes de separação entre o compartimento do motor e o interior do carro, apainelameto do capô do motor, estrutura próxima ao motor, e túneis de transmissão.

Leve e silencioso – espuma no compartimento do motor

A espuma Basotect é especialmente conhecida por suas excelentes propriedades acústicas. Graças a suas células abertas, ela possui valores de absorção de som muito bons nas faixas de freqüência média e alta. Condutores e passageiros no Panamera podem, portanto, aproveitar o típico som do motor do Porsche – sem o acompanhamento de ruído irritante. Com uma densidade de 9 kg/m3, a espuma Basotect é mais leve do que os materiais convencionais de isolamento geralmente utilizados no painel do motor. Isto reduz tanto o consumo de de combustível como as emissões de CO2.

As propriedades de resistência a temperaturas muito elevadas da espuma também desempenharam um papel importante na sua seleção como material. Basotect oferece longa duração de resistência térmica a mais de 200ºC. Jürgen Ochs, gerente de Ruído, Vibração e Resistência da Porsche, explica que “com seu motor a diesel de seis cilindros 184kW/250 HP, o compartimento do motor do Panamera é regularmente submetido a temperaturas de até 180ºC. E Basotect resiste a essas condições extremas.”

A espuma Basotect pode ser usada para fazer componentes 3D sofisticados e elementos personalizados para espaços muito apertados. A espuma de resina de melamina pode ser processada com precisão por lâmina e fio de corte, bem como por moagem e serração – possibilitando dimensões e contornos de componentes customizados serem fácil e exatamente produzidos. A espuma Basotect é também adequada para a termoformação, mas para isso a espuma deve ser impregnada antecipadamente. Dadas essas propriedades do material, a Porsche está planejando usar a Basotect para futuros desenvolvimentos de componentes também.

O Panamera foi apresentado pela primeira vez no Salão Automóvel de Shanghai em 2009, como o quarto modelo da série Porsche. De acordo com dados da empresa, mais de 28.000 destes veículos Gran Turismo medindo aproximandente cinco metros de comprimento foram vendidos em 2011. O modelo já está disponível em variações, incluindo Hybrid, Diesel, GTS, Turbo e Turbo S.

Sobre a Basotect

Basotect é uma espuma de células abertas e tem uma gama única de propriedades. O material de base a torna retardadora de chamas e abrasiva; ela pode ser usada em até 240ºC e reter as suas propriedades ao longo de um amplo intervalo de temperatura. Devido à sua estrutura de espuma de células abertas, ela é leve, absorvedora de som, flexível mesmo a baixas temperaturas e isolante térmica.

Fonte (incluindo foto): BASF

Curta nossa página no

Espuma de resina melamínica da BASF proporciona excelente compreensão do som para estúdios de televisão

22/09/2011

As características de Basotect® são ideais para o isolamento acústico de estúdios de rádio e de televisão

 Nos estúdios da estação de TV “Rádio e Televisão de Portugal”, em Lisboa, absorvedores de som feitos de Basotect® estão aprimorando a qualidade acústica. Graças às suas excelentes propriedades de absorção, a espuma de resina melamínica da BASF oferece clareza na compreensão dos sons nos estúdios de televisão. A empresa portuguesa Vicoustic orientou a estação de TV a respeito de como implementar o conceito acústico. A Flexicel, um cliente da BASF em Portugal, fabricou absorvedores de som que agora estão pendurados nas paredes e no teto do estúdio.

 “Estúdios de televisão estão sempre localizados em grandes salas. No entanto, a clareza do que é falado é especialmente importante para esse veículo. Por isso, a acústica tem de ser perfeita”, afirma César Carapinha, CEO da Vicoustic. “Além disso, os cuidados de segurança contra incêndios em estúdios, com todos os seus equipamentos técnicos e o fluxo constante de pessoas, devem ser redobrados.” Por isso, as duas empresas optaram por Basotect®. O produto permite mais liberdade no design e no processamento, uma qualidade que atende especialmente à demanda de isolamento acústico de interiores.

 O estúdio da “Rádio e Televisão de Portugal”, Basotect ® foi parcialmente coberto com elementos pretos laminados. Cores escuras são importantes para a televisão, uma vez que o uso da técnica da caixa azul, que torna possível projetar qualquer estúdio de design em uma tela de projetor, é predominante. Ambientes escuros são essenciais para a criação de uma qualidade de imagem melhor.

 Graças à combinação favorável de diversas propriedades – resistência à temperatura, controle de chamas, iluminação, elasticidade, absorção do som e isolamento térmico –, Basotect ® é adequado para os isolamentos acústico e térmico dos edifícios, veículos e trens. Há diferentes tipos de espuma para várias aplicações.

 Fonte: BASF

Espuma de resina melamínica da BASF é usada como isolante acústico em túnel de vento de universidade alemã.

12/08/2011

 Espuma Basotect®, da BASF, reúne excelente característica de absorção do som, alta resistência e capacidades flexíveis de processamento

O Instituto de Aerodinâmica e Dinâmica de Gases da Universidade de Sttugart, na Alemanha, pode agora testar componentes para emissões acústicas. Isso é possível porque as peças que absorvem o som confeccionadas com o Basotect®, espuma de resina melamínica da BASF, foram instaladas no túnel laminar de vento do Instituto.

Para a construção dessa estrutura, componentes de asas de avião ou de turbinas eólicas são testados a fim de otimizar sua performance aerodinâmica por meio do uso de correntes de ar. Devido à forma incomum dos túneis de vento, o fabricante de isolamento WKT-Produktion desenvolveu peças customizadas de Basotect®. A empresa alemã Faist Anlagenbau ficou responsável pela engenharia, pelo design acústico e pela instalação das peças.

Com cerca de 45 metros de comprimento, o túnel de vento capta o ar de fora e acelera na entrada. Em seguida, segue uma seção de medição fechada, em que os componentes são estudados. A fim de melhorar a qualidade da medição aeroacústica, ao túnel de vento foi necessário acrescentar isolamento de som, pois o sistema de ventilação gera o ruído que se propaga por meio da seção de medição e, assim, interfere no processo.

Um material de isolamento foi necessário para combinar ótima absorção de som com alta resistência e capacidades flexíveis de processamento – um produto cujo perfil os materiais convencionais ainda não foram capazes de substituir.

Basotect® tem ótimas propriedades acústicas. Devido a sua estrutura de espuma fina, o produto apresenta excelente absorção nas faixas de frequência média e alta.  As boas capacidades de processamento da espuma retardante de chamas também foram cruciais na decisão de aperfeiçoar acusticamente o túnel de vento. O material flexível pode facilmente se encaixar em diferentes formatos e não apresenta fibras quando cortado. Assim, painéis de absorção de diferentes espessuras poderiam ser feitos para serem utilizados nas paredes do túnel. Os painéis de Basotect® variam na espessura de 3 até 100 cm. Eles são revestidos de uma fina camada de poliuretano que os protege da poeira e da umidade.

Basotect® é uma espuma feita de resina melamínica. Seu material principal a torna retardadora de chamas e apropriada para temperaturas de até 240ºC, o que mantém suas propriedades sob uma ampla faixa de temperatura. Devido a sua estrutura de células abertas, Basotect® é leve, flexível em baixas temperaturas e termicamente isolante, além de ter a característica de absorver o som. Basotect® é utilizado para absorção acústica e isolamento térmico em aplicações que requerem elevada segurança contra incêndio, como em edifícios, carros e trens.

Fonte: BASF

 

Resina melamínica une excelente isolamento acústico e segurança em ambientes para crianças

06/07/2011

Espuma de resina melamínica da BASF controla a acústica e enriquece estética no Museu das Crianças de Dakota do Sul, nos Estados Unidos

O Museu das Crianças de Dakota do Sul, em Brookings, nos Estados Unidos, utiliza vários painéis acústicos confeccionados com a espuma de resina melamínica Basotect® da BASF proporcionando elevada absorção de som e controle de ruído em várias salas e exposições em todo o museu. A equipe de arquitetura e design decidiu usar, para o museu interativo, painéis de Basotect® para absorção de sons e ruídos da fabricante de produtos acústicos Pinta Acustic inc. de Minneapolis, EUA.

A excelente absorção de som do Basotect® se dá devido à sua estrutura de células abertas, que absorve as ondas sonoras que poderiam refletir nas superfícies rígidas da sala. Estas ondas sonoras criam um efeito de eco indesejável e aumentam o nível de ruídos de fundo, efeito conhecido como reverberação.

A versatilidade da espuma permitiu ao museu desenvolver defletores de vários modelos que possuem formato e textura de, por exemplo, uma nuvem. “Os produtos da Pinta Acustic são bonitos e realmente isolam o ruído em um ambiente bem ativo”, disse Andrew Eitreim, arquiteto da Architecture Incorporated e responsável pelo projeto. “A consideração primária quando se está desenvolvendo um projeto como esse é achar um produto que, além de impactar visualmente, combina perfeitamente com a estética sem “entregar“ seu propósito – controle acústico, nesse caso. ”A leveza do Basotect® permite vários meios simples de instalação, reduzindo o custo e oferecendo maior liberdade para o design. Em uma das exposições, os painéis são ligados diretamente à parede; outra mostra usa amortecedores lineares que foram ligados através de uma faixa de metal montada para criar um efeito tridimensional.

Além disso, painéis feitos de Basotect® proporcionam segurança e certos aspectos ambientais que são altamente valorizados em espaços concebidos especialmente para crianças. Basotect® não possui fibras minerais em sua composição, além de ter uma classificação Classe 1 de segurança ao fogo de acordo com a norma ASTM E 84. A alta reflexão de luz, as baixas emissões e o desempenho acústico do Basotect® qualificam os painéis da Pinta Acoustic para créditos LEED para novas construções e projetos escolares. Esses créditos contribuem para o objetivo do museu de alcançar uma certificação LEED Prata do Conselho Green Building dos EUA, o principal padrão nacional para um edifício “verde”.

O Museu das Crianças de Dakota do Sul, que foi inaugurado em setembro 2010, é o primeiro museu de base ampla, multidisciplinar para crianças na Dakota do Sul. O objetivo do museu é promover a aprendizagem de crianças de todas as idades e habilidades por meio de exposições interativas.

A Pinta Acoustic fabrica uma ampla gama de forros, painéis e outros materiais acústicos para aplicações comerciais e industriais, bem como, espumas, materiais compostos e produtos para grade de forro. No Brasil, tem parceria com a Owa Brasil Produtos Acústicos.

Os painéis acústicas fabricados com resinas melamínicas da BASF também vem sendo usados em jardins infantis e escolas na Alemanha.

Fonte: BASF

Espuma especial da BASF é utilizada para otimização acústica em teatros

06/01/2011

Leve e flexível, Basotect® foi decisivo para o cumprimento dos requisitos de instalação da estrutura única do Teatro Genexis, em Cingapura


Basotect®, espuma especial da BASF, foi usada no singular Teatro Genexis, de formato oval, em Fusionopolis, Cingapura, de modo a proporcionar um isolamento acústico eficaz no teatro, tornando as experiências de entretenimento cada vez mais confortáveis. Os painéis com a espuma retardante de chamas Basotect® são cobertos com lã preta e equipados com cerca de 400 mil contas de madeira, que revestem as paredes curvas do Teatro. Fusionopolis é um complexo de pesquisa e desenvolvimento localizado no One North Business Park, naquele país.

Basotect® contribui para a qualidade e clareza dos sons. Graças às suas células abertas e estrutura fina, a espuma se torna um excelente material para absorção de som de reverberação – causado pela reflexão múltipla do som em diversas superfícies. Essas repercussões podem aumentar os sons, tornando-os mais altos do que a música ou a fala e, assim, incômodos para o público de teatro. “Graças à favorável combinação de propriedades térmicas e acústicas do Basotect®, e devido à estrutura original do teatro, a espuma, leve e flexível, foi a solução mais adequada e econômica para este projeto”, afirmou S. Y. Ong, diretor da VI-SON Acústica, fornecedora dos sistemas acústicos para o Teatro Genexis.

Suspenso entre as duas torres do Fusionopolis Phase 1, o Teatro Genexis tem capacidade para 560 lugares, que podem ser configurados em vários esquemas ou retraídos completamente de modo a acomodar eventos corporativos e congressos. Idealizado pelas empresas Arup e WOHA, o Teatro Genexis ganhou o prêmio President’s Design do Ano de 2009.

Basotect® é uma espuma flexível de célula aberta,  fabricada a partir de resina melamínica, um polímero termofixo, possuindo propriedades únicas.  O material base é retardante de chamas e antiabrasivo, podendo ser utilizado em temperaturas de até 240°C, mantendo suas características em uma ampla faixa de temperaturas. Devido à sua estrutura, é leve (9 g/l), absorve o som, é flexível mesmo em temperaturas baixas, além de ser termicamente isolante. Basotect® pode ser encontrado em diversas obras na Ásia, incluindo o Cubo D’Água (China), o Grande Teatro Hefei (China) e nas estações de metrô da Linha 9 de Seul (Coréia).

Fonte: BASF