Posts Tagged ‘Aplicações no Trânsito’

Evonik e DER-SP destacam avaliação de desempenho do sistema de sinalização horizontal Plástico a Frio

12/09/2017

Estudo técnico demonstra maior visibilidade e contribuição para a segurança do sistema à base de resinas metacrílicas, aplicado em rodovias administradas pelo DER-SP.

Em 2014, a Evonik propôs ao DER-SP (Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo) uma avaliação – por dois anos – do desempenho do seu sistema Plástico a Frio, utilizado para sinalização viária horizontal e aplicado na rodovia SP-215, entre as cidades de Poços de Caldas (MG) e Vargem Grande do Sul (SP).

Nas bordas dos referidos trechos foi empregado o sistema Plástico a Frio – nas versões Estrutura e Multipontos (Spotflex®) -, que tem como principal componente as resinas metacrílicas reativas Degaroute® (metil metacrilato – MMA) desenvolvidas pela Evonik.

A avaliação realizada consistiu em comparar o desempenho do sistema Plástico a Frio em relação ao material termoplástico spray, também empregado na rodovia – ambos aplicados em 2014.

Após dois anos de pesquisa com o acompanhamento do DER-SP, o estudo apresentou grande diferença entre os sistemas, especialmente no quesito visibilidade noturna (retrorrefletância) em condição de umidade – uma das situações mais críticas para os usuários das vias: visualizar a sinalização viária à noite e com pista molhada.

A retrorrefletância é a quantidade de luz retrorrefletida dos faróis dos veículos para os olhos do usuário e é medida por milicandelas por lux por m2 (mcd.lx-1.m-2 em geometria de 15m). Enquanto o sistema de sinalização horizontal plástico a frio alcançou valores de até 388 e 442 mcd.lx-1 em condição seca, o termoplástico obteve valores como 59 mcd.lx-1 e não superou os 125 mcd.lx-1. Em condição de umidade, o sistema multipontos em plástico a frio chegou aos valores de 286 mcd.lx-1 enquanto o termoplástico spray não passou de 25 mcd.lx-1.

Mais visibilidade, maior segurança

Após avaliação das estatísticas de acidentes no período pelas autoridades pertinentes, observou-se que no ano de 2016 não houve acidentes fatais no trecho da rodovia avaliado, apesar do aumento do tráfego de veículos na rodovia (aproximadamente 10% desde 2013).

Tendo como função principal delinear visualmente o tráfego, a sinalização viária horizontal é uma das ferramentas que proporcionam segurança ao usuário de trânsito durante todo o seu trajeto – e por este motivo também é reconhecida como uma medida de excelente custo-benefício. Desde 2013, o DER-SP tem inserido o sistema Plástico a Frio à base de resinas metacrílicas em diversas estradas estaduais.

Nos países europeus, a medição da retrorrefletância em condição de umidade faz parte da norma EN 1436, sendo solicitada como item de segurança em diversas classes de rodovias que seguem essa normativa. No Brasil, infelizmente ainda não há exigência deste tipo de avaliação, apesar do Código de Trânsito Brasileiro – em seu Art. 80 parágrafo 1 – especificar que “A sinalização será colocada em posição e condições que a tornem perfeitamente visível e legível durante o dia e a noite, em distância compatível com a segurança do trânsito…”.

Algumas rodovias que foram sinalizadas (parcialmente) com plástico a frio são:

SP 055 – Mongaguá, Peruíbe.
SP 425 – São José do Rio Preto
SP-351 – Sales de Oliveira
SP 255/SP 369 – Pirassununga
SP 284 – Martinópolis
SP 304 – Mineiros do Tietê
SP-270 – Cotia
SP-287 – Pirajú

Sistema Plástico a Frio Estrutura e Multipontos

Segundo a Evonik, o sistema Plástico a Frio, nas versões Multipontos ou Estrutura, promove excelentes benefícios de drenagem, propiciando melhor visualização da sinalização viária. A empresa afirma que ele possui elevada resistência mecânica, retrorrefletância, estabilidade térmica e alta visibilidade à noite, mesmo sob condições de chuva, pois as microesferas de vidro localizadas no topo da superfície fazem com que a demarcação não seja encoberta pela água da chuva e mantenha a retrorrefletância da luz emitida pelo farol do automóvel, sob chuva. A sinalização possui um sistema antiderrapante, que evita deslizamentos nas faixas e melhora a segurança dos usuários.

Sustentabilidade

O sistema Plástico a Frio à base de resinas Degaroute® não emite solventes durante seu preparo e aplicação, o que o torna mais amigável ao meio ambiente, afirma a Evonik. Sua maior durabilidade contribui para diminuir as recuperações, melhorias e manutenções nas estradas. A Evonik afirma que ele também não requer aquecimento para a aplicação, o que confere rapidez no trabalho e segurança para os aplicadores durante o manuseio do produto.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Anúncios

Sinalização viária horizontal “3-D” da Evonik é adotada como medida de segurança por autoridades rodoviárias de São Paulo

05/03/2014

Levantamento recente feito pela ONG Observatório Nacional de Segurança Viária aponta que os acidentes de trânsito mataram cerca de 60 mil pessoas em 2012 no Brasil. O trabalho indica ainda que nesse período o País registrou mais de 350 mil casos de invalidez permanente em função desses acidentes.

Os números, assustadores, fazem parte de uma realidade que incomoda e que exige medidas urgentes e eficazes.

De acordo com estudos da Associação Automobilística da Austrália de 30% a 40% de colisões dianteiras podem ser evitadas através da utilização da sinalização horizontal.

Autoridades de trânsito no Brasil têm investido em tecnologias de sinalização horizontal viária que vão além do papel de delinear o tráfego.

Mais segurança nas estradas de São Paulo

Uma iniciativa importante partiu do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo (DER), que tem inserido em novos projetos viários o sistema plástico a frio à base de resinas metacrílicas “3-D” estruturado e em relevos.

Em 2013 foram beneficiados estradas estaduais no municípios como Sales Oliveira, Itanhaém, Alambari, São José do Rio Preto, São Carlos, Guapiara, Dois Córregos e Tambaú, totalizando mais de 160 km de extensão que receberam sinalização viária com o Sistema Plástico a Frio. Já existem novos projetos confirmados e mais 150 km de estradas serão beneficiadas até março deste ano.

Tendo como função principal delinear visualmente o tráfego, a sinalização viária é a única medida de segurança que acompanha o usuário de trânsito durante todo o seu trajeto – e por este motivo também é reconhecida como uma medida de excelente custo-benefício.

Devido a avanços tecnológicos nos últimos anos, uma sinalização viária horizontal tem se destacado por oferecer funções adicionais de segurança rodoviária – o plástico a frio à base de resinas metacrílicas.

Para que a sinalização horizontal viária possa cumprir o seu papel, ela deve ser visível ao usuário de estrada durante o dia e durante a noite, o que se torna mais difícil em condições de chuva.

A sinalização plástico a frio quando aplicada na forma de estruturas tridimensionais “3-D”, é capaz de drenar água de chuva parada na superfície da sinalização horizontal. Sendo assim, ao contrário das sinalizações convencionais, as microesferas de vidro localizadas no topo da estrutura 3-D não são encobertas pela água de chuva, ficando livres para retrorrefletir a luz do farol do condutor de automóvel, o que permite uma melhor visibilidade da sinalização viária.

Benefícios do plástico a frio

Além da melhor visibilidade, esta sinalização através da sua superfície irregular, também oferece propriedades antiderrapantes. Item este de particular interesse para motociclistas que trafegam em condições chuvosas, como comprovado por autoridades de trânsito e motociclistas na cidade de Medellin, na Colômbia.

Além de intempéries, um outro fator que tende a contribuir com os acidentes de trânsito é o comportamento humano. Situações de sonolência, fadiga ou distração por parte de condutores de automóveis aumentam significativamente a probabilidade de acidentes.

Considerando 3 segundos de sonolência para um motorista viajando a 100 km/h, isso significaria que o veículo viajaria 83m sem o controle do motorista. Nestas situações a engenharia de segurança viária oferece um dispositivo conhecido como guias sonoras ou sinalizações viárias em forma de relevo.

A sinalização viária do tipo relevo, apresenta elevações de aproximadamente 7 mm de altura em formato de barras as quais proporcionam alarme sonoro e vibração quando os pneus do veículo cruzam a sinalização, despertando assim o motorista para que retorne a sua faixa de tráfego.

Em dias quentes a alta temperatura do asfalto em combinação com o peso de veículos tendem a achatar a forma do relevos convencionais, caso este que não ocorre com a sinalização relevo feita com o plástico a frio a base de resinas metacrílicas. O plástico a frio por ser um material termofixo oferece inigualável estabilidade térmica e mecânica.

Benefícios

A redução de acidentes de trânsito é de interesse de todos. Todos os dias pais, mães, filhos saem de casa com obrigações e interesses diferentes, mas com um objetivo comum: voltar para as suas famílias. A redução de acidentes de trânsito, que interrompeu a vida de cerca de 60 mil brasileiros em 2012, somente poderá ser alcançada através de uma combinação de medidas como ações de educação e conscientização de motoristas. Faz-se também necessária a adoção de simples medidas que funcionem como um dispositivo de segurança adicional à infraestrutura viária como um todo.

Quando se fala em sinalização horizontal, é importante ter em mente que ela deve ser desenvolvida para orientar o motorista e para promover a segurança tanto de veículos, quanto de pedestres.

Segundo a Evonik, atualmente, a tecnologia que melhor atende a todos estes requisitos é a de plástico a frio à base de resinas metacrílicas.
Outra vantagem do sistema plástico a frio é que ele pode ser aplicado com facilidade em diversos locais, como faixas longitudinais, transversais, travessias de pedestres, corredores de ônibus e ciclovias. Além disso, a tecnologia não requer aquecimento para a aplicação, como ocorre com os produtos convencionais. Isso confere rapidez na sua preparação e segurança para os aplicadores durante o manuseio.

A sustentabilidade também aparece como benefício, visto que o produto não emite solventes durante o preparo e aplicação, o que o torna mais amigável ao meio ambiente. Sua maior durabilidade contribui para diminuir as reformas e manutenções nas estradas. Por estes motivos, é o único sistema de sinalização horizontal no Brasil que possui o rótulo ecológico da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Fonte: Evonik

Curta nossa página no