Posts Tagged ‘Aplicações Elétricas’

Solvay vai aumentar em 35% a produção de polímero especial PVDF para atender ao crescimento da demanda por baterias de veículos elétricos

04/10/2018

A Solvay aumentará em 35% a capacidade de produção de seus polímeros de alto desempenho da linha Solef® PVDF (fluoreto de polivinilideno) para atender ao forte crescimento da demanda global, principalmente para aplicações em baterias de íon-lítio para veículos elétricos.

“A decisão da Solvay de aumentar a capacidade do Solef® PVDF, em nossa planta industrial de Tavaux, na França, mostra nosso compromisso contínuo para atender às crescentes necessidades de nossos clientes em todo o mundo”, disse Michael Finelli, Presidente da Unidade de Negócios Global Specialty Polymers da Solvay.

A nova capacidade, com investimento em novos ativos (máquinas e equipamentos), deverá entrar em operação até o final de 2019.

Os polímeros especiais da linha Solef® PVDF otimizam a eficiência do armazenamento de energia e contribuem para redução do peso da bateria em veículos elétricos e aparelhos eletrônicos de consumo.

Outras aplicações desses polímeros que têm registrado crescimento de vendas ocorrem em tubos e revestimentos na exploração e produção de petróleo e gás em plataformas offshore e em membranas para purificação de água.

A Solvay tem sede em Bruxelas (Bélgica) e emprega 26.800 pessoas em 61 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,1 bilhões em 2017, resultando em uma margem de EBITDA de 22%. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia. Os produtos da Solvay são usados em diversos mercados finais globais, em produtos como aviões, carros, dispositivos inteligentes e médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre muitas outras aplicações.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Anúncios

Solvay lança novas poliamidas para componentes de veículos elétricos, híbridos e autônomos

17/05/2018

A linha elétrica de poliamidas da Solvay focaliza-se em componentes elétricos e eletrônicos automotivos, incluindo grades na cor laranja para aplicações de alta tensão como conectores, disjuntores, interruptores e isolantes utilizados no mercado de mobilidade elétrica

A Solvay Performance Polyamides está anunciando a ampliação de seu portfólio de plásticos de engenharia de poliamida Technyl® para fornecer soluções adequadas para a indústria automotiva mundial.

Segundo a empresa, a ampliação do portfólio responde aos principais desafios e tendências do setor automotivo, entre as quais aumento de conectividade e autonomia, uma vez que tanto os veículos híbridos como os totalmente elétricos (xEV) e os autônomos compartilham uma necessidade comum e crescente de melhorar o desempenho dos seus componentes elétricos e eletrônicos.

A linha aprimorada Technyl® compreende soluções retardantes de chamas (FR, na sigla em inglês), produtos para automóveis elétricos em grades puros e de alta pureza e o novo grade de poliamida 6.6 livre de íons para aplicações em células de combustível, afirma a Solvay. Desenvolvida em estreita colaboração com fabricantes de equipamentos originais e parceiros de Tier 1, essa linha atende aos desafios em termos de custo, desempenho e sustentabilidade, garante a empresa.

“Também desenvolvemos uma série de grades Technyl® altamente estáveis, na cor laranja, pois continuamos a inovar em nosso portfólio para aplicações de veículos elétricos”, disse Nicolas Batailley, líder global de Mobilidade Elétrica da Solvay Performance Polyamides. “A cor laranja é a cor da moda para facilitar a identificação, pois nos concentramos em componentes projetados para lidar com altas tensões, como conectores, disjuntores e isoladores”, informou.

Um dos primeiros mercados abrangidos por esse novo produto é o chinês. Segundo Nicolas Batailley, a China está desempenhando um papel cada vez maior no campo da mobilidade elétrica. “Embora o país responda por quase um terço da produção automotiva mundial, a parcela de veículos híbridos e totalmente elétricos fabricados na China tem uma meta ambiciosa de chegar a 20% até 2025, o que representa quase sete milhões de veículos. Nossa linha Technyl® foi ampliada para ajudar a atingir esse objetivo desafiador”, afirmou.

A Solvay Performance Polyamides afirma que oferece um nível exclusivo de suporte para ajudar os clientes no processo de design geral, para que estes possam explorar as soluções de materiais Technyl® e acelerar o tempo de comercialização.

A oferta das novas soluções inclui simulação preditiva com DesignMMI® Technyl® (*), impressão 3D de protótipos funcionais baseados em poliamida com pós de Sinterline® PA6, bem como testes de desempenho da peça em centros de validação totalmente equipados – um deles, inclusive, instalado em Xangai, na China.

A Solvay é uma empresa de química de especialidades e de materiais avançados, cujos produtos e soluções são utilizados em aviões, carros, dispositivos inteligentes e médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre muitas outras aplicações. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 24.500 pessoas em 61 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,1 bilhões em 2017. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

(*) DesignMMI Technyl® é um serviço avançado desenvolvido pelo Digimat da e-Xstream

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

ABB e Solvay fazem acordo para uso de plásticos de engenharia em contatores elétricos

26/10/2015

Technyl® One, da Solvay, atende às crescentes demandas por segurança e eficiência superior de processamento, respondendo aos requisitos de miniaturização de equipamentos elétricos

Contator ABB feito com Technyl® One (Foto: ABB)

Contator ABB feito com Technyl® One (Foto: ABB)

A ABB, líder mundial em tecnologias de energia e automação, escolheu a poliamida Technyl® One da Solvay Plásticos de Engenharia para uma nova aplicação em contatores elétricos. Segundo a Solvay, o Technyl® One é uma geração inovadora de resinas de poliamida (PA) que responde aos principais desafios em equipamentos elétricos na gestão de energia e automação predial que são segurança, miniaturização e aumento da produtividade.

Com a sua alta capacidade de fluxo e matriz de alta temperatura, bem como excelentes propriedades elétricas e de desempenho anti-chama isento de halogênio, o Technyl® One demonstrou com sucesso a sua adequação para aplicações exigentes dentro do segmento de proteção elétrica, afirma a Solvay. Entre as aplicações pretendidas estão disjuntores miniatura (MCBs), Disjuntor em Caixa Moldada (MCCB) e peças de contator que exigem alta amperagem e desempenho em resistência térmica.

A facilidade de processamento deste grade de Technyl® One, combinada com a sua elevada funcionalidade, foi um fator determinante para sua escolha pela ABB durante a fase de desenvolvimento de nossa nova aplicação em contatores, assegura a Solvay. “Nós observamos durante o teste de sobrecarga elétrica que o material exibiu uma alta retenção de propriedades da superfície “, afirma Jacques Dumoux, Gerente de Material Plástico da ABB (Baixa Tensão). “Por períodos curtos, durante este teste crítico, as conexões dos novos contatores são expostas a sobrecargas significativas – até dez vezes a amperagem normal -, gerando temperaturas muito elevadas, às quais as peças de plástico ao redor devem resistir.”

Jacques Dumoux acrescentou: “Devido às suas características únicas, o Technyl® One resistiu à deformação (creep) e amolecimento ao longo desta análise rigorosa. Anteriormente, apenas materiais como poliamidas reticuladas, poliftalamida ou termofixos haviam passado nesses testes.”

A miniaturização contínua de produtos, aliada ao ganho crescente de funcionalidades, é um desafio constante para a indústria de eletroeletrônicos. “Além disso, na última década, as diretrizes RoHS e REACH (SVHC) da União Europeia tiveram um impacto significativo sobre tecnologias retardantes de chama. Estas diretivas provocaram uma mudança importante no mercado global de plásticos livres de halogênio para a indústria de eletroeletrônicos”, diz James Mitchell, Diretor Global de Mercado de Eletroeletrônicos da Solvay Plásticos de Engenharia.

“Porém, especificamente para poliamidas e PBT reforçados com fibra de vidro, a adoção da tecnologia mais eficiente em retardância de chama livre de halogênio também tem sido associada com inconvenientes em termos de propriedades físicas e problemas de processamento, tais como a corrosão dos moldes. O comportamento reológico superior do Technyl® One também ajuda a reduzir o nível de degradação corrosiva durante o processamento, o que é benéfico para o equipamento de moldagem, bem como para a consistência global do processo e do produto, atendendo tantos às exigências de segurança como às necessidades econômicas e de processamento dos fabricantes OEMs”, acrescentou James Mitchell.

Segundo a Solvay Plásticos de Engenharia, o seu grade Technyl® One J 60X1 V30 é um material retardante de chama sem halogênio, que fornece uma classificação UL94 V0 a apenas 0,4 mm de espessura de parede, bem como incomparáveis propriedades de envelhecimento térmico (150 ° C RTI elétrico – Índice térmico Relativo) e um alto índice de rastreamento comparativo (CTI 0 para 600 volts e superiores). O Technyl® One J 60×1 V30 também cumpre a nova norma europeia EN 45545-2, que entrará em vigor até 2016.

Afirma a empresa que o material também oferece o mais alto nível de desempenho de baixa produção de fumaça, sendo classificado como HL3 sob a R22 e R23. O portfólio da Solvay inclui grades em cinza, preto e natural. Com seu conhecimento na área de marcação a laser, a empresa criou grades para atender requisitos específicos de sistemas de marcação a laser UV / YAG1 dos clientes.

A ABB é líder em tecnologias de energia e de automação. O grupo ABB opera em cerca de 100 países e emprega cerca de 140.000 pessoas.

A Solvay Plásticos de Engenharia é especialista global em plásticos de engenharia à base de poliamida, com mais de 60 anos de experiência no desenvolvimento, fabricação e comercialização de uma gama completa de materiais de alta performance sob a marca Technyl® para aplicações nos setores automotivo, elétrico e eletrônico, construção, bens de consumo e outros mercados.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Lanxess apresentou poliamidas retardantes de chama durante exibição no Sul da Alemanha

03/07/2015
  • Componentes de PBT e poliamida retardantes de chama
  • Baixa deformação e excelente qualidade da superfície
  • Fluidez para a fabricação de componentes com espessura fina

Lanxess_WurzburgA empresa de especialidades químicas Lanxess teve um estande na exposição que acompanhou o Congresso “Plásticos em Aplicações Eletroeletrônicas” da SKZ (Centro de Plásticos do Sul da Alemanha), que aconteceu no início de junho na Fortaleza de Marienberg em Würzburg. “Nossa exposição se concentrou em componentes de PBT e poliamida reforçada com baixíssima deformação, uma poliamida 6 com custo melhor para substituir as poliamidas com reforço mineral e as variantes de PBT com fluidez extremamente boa para a produção econômica de componentes de espessura fina”, explicou Alexander Radeck, especialista em desenvolvimento de aplicações na unidade de negócios Materiais de Alto Desempenho da Lanxess.

Outro foco foi colocado nos compostos de poliéster para aplicações em tecnologia de iluminação LED. A Lanxess também participaou da programação de palestras. Andy Dentel, desenvolvedor de aplicações na Bond-Laminates GmbH, uma subsidiária da Lanxess, falou sobre os “Usos potenciais dos compósitos termoplásticos com fibra em aplicações eletroeletrônicas: visão geral e status da tecnologia” na quarta-feira, 10 de junho.

Deformação baixa; qualidade da superfície

Os componentes de PBT e poliamida reforçada retardantes de chamas que apresentam baixa tendência a se deformar são alvos de uma demanda específica para a fabricação de peças de suporte geometricamente complexas e grandes. Com o Pocan AF, a Lanxess é um dos poucos fornecedores de misturas de PBT e ASA (copolímero de acrilonitrila-estireno-acrilato) para esse perfil de necessidades. “Eles resultam em superfícies excelentes, quase não produzem nenhum depósito no molde de injeção e são retardantes de chama”, disse Radeck.  Esse poder alto de retardância de chamas reflete-se na classificação V0 no teste UL 94 da organização americana de testes Underwriter Laboratories (UL) e o registro correspondente na certificação UL Yellow Card.

Entre os tipos de poliamida 6 com nível de deformação particularmente baixo que a Lanxess exibiu estava o Durethan BG 30 X F30 e o Durethan BG 30 X FN01, que são reforçados com, entre outros materiais, microesferas de vidro. Este último é um plástico retardante de chamas e sem halogênio, classificado como UL f1 para uso em aplicações ao ar livre com exposição a raios UV e água.

Alternativas econômicas com melhor desempenho

O Durethan BKV 25 FN27, que é customizado para substituir a poliamida 6 retardante de chamas com reforço mineral, oferece melhor desempenho a um preço comparável, afirma a Lanxess. “Este material também apresenta retração isotrópica, mas é mais rígido e mais sólido, pode receber coloração livremente e é mais fácil de soldar usando ultrassom. Também tem densidade mais baixa”, disse Radeck. No teste de fio incandescente de acordo com a norma IEC 60695-2-12, o material retardante de chamas – sem halogênio e sem fósforo – obteve o melhor valor possível no Índice de Flamabilidade por Fio Incandescente (GWFI) para plásticos a 960°C para amostras com espessuras de menos de 1 mm. Uma aplicação possível é em equipamento de comutação de baixa voltagem.

Ciclos até 20% mais curtos

As variantes Pocan XF com fluidez extremamente baixa, segundo a Lanxess, são reforçadas com um percentual de 10 a 55% em fibra de vidro. “Apesar da melhor propriedade de fluidez, elas são mais resistentes à hidrólise do que os grades de PBT padrão comparáveis e apresentam propriedades mecânicas similares”, explicou Radeck. Outro ponto forte é a distribuição bastante uniforme das fibras de vidro em áreas do componente com espessura fina. Para demonstrar isso, apresentações com o Pocan C 3230 XF foram feitas na feira em Würzburg.

Tepex – retardante de chamas, condutor de eletricidade

A palestra de Andy Dentel incluiu uma introdução aos novos tipos retardantes de chama do compósito de alto desempenho Tepex da Bond-Laminates GmbH – uma subsidiária da Lanxess – baseado em uma matriz de policarbonato. Ele também enfatizou as oportunidades oferecidas pelo Tepex retardante de chamas na produção de peças de suporte para as áreas de transmissão e distribuição de energia, por exemplo. Outro tópico abordado foram os tipos de materiais condutores de eletricidade do Tepex, que podem ser usados em aplicações com requisitos especiais de compatibilidade eletromagnética (CEM).

Com vendas de €8 bilhões em 2014 e aproximadamente 16.300 funcionários em 29 países, a Lanxess é representada por 52 unidades de produção em todo o mundo. A atividade principal da LANXESS é o desenvolvimento, a fabricação e a comercialização de plásticos, borracha, intermediários e produtos químicos especiais.

Fonte: Lanxess

Curta nossa página no

Arkema lança agente de acoplagem para retardantes de chama livres de halogênios usados em aplicações em fios e cabos

28/05/2015
  • A Arkema (www.arkema.com) desenvolveu o produto Orevac® 18341, um novo composto de polietileno com anidrido maléico para a produção de um retardante de chama livre de halogênios (HFFR – Halogen Free Flame Retardant),  usado na fabricação de fios e cabos.
  • O novo produto é especialmente útil na melhoria da resistência à hidrolise após o envelhecimento

Arkema_fios-e-cabosFormulações de compostos olefínicos anti-chama livres de halogênios (HFFR) são alternativas ao PVC na fabricação de revestimento de fios e cabos de baixa tensão. Eles têm a vantagem de gerar baixa densidade de fumaça em uma situação de incêndio, bem como boa retardância às chamas. No entanto, eles exigem propriedades mecânicas melhorada e maior resistência a hidrólise após o envelhecimento. Resistência a hidrólise é fundamental para se manter as propriedades do cabo, mesmo em ambientes úmidos. O novo grade Orevac® é um polietileno com um elevado nível de anidrido maleico (MAH). Segundo a Arkema, o alto teor de anidrido maleico o torna um excelente agente de acoplamento entre poliolefinas e cargas minerais como hidróxido de alumínio,  hidróxido de magnésio, brucita, etc. Ele ajuda a atingir propriedades mecânicas superiores e a melhorar a resistência à hidrólise, mesmo após o envelhecimento.

Propriedade de Composto Retardante de Chama Livre de Halogênio com Orevac 18341. Fonte: Arkema

Propriedades de uma formulação de Retardante de Chama Livre de Halogênio com Orevac 18341.  Fonte: Arkema

O Orevac® 18341 é compatível com copolímeros olefínicos da Arkema, tais como Lotryl® (copolímeros de etileno-acrilato EEA, EMA e EBA) e Evatane® (copolímeros de etilenoacetato de vinila – EVA), para produzir compostos de retardantes de chama livres de halogênio, com excelentes propriedades mecânicas, mesmo com um baixo teor de agente de acoplagem, segundo a empresa. As características típicas do Orevac® 18341 são mostradas abaixo:

Propriedades típicas do Orevac 18341. Fonte: Arkema

Propriedades típicas do Orevac 18341. Fonte: Arkema

O novo grade de Orevac completa o portfólio de agentes de acoplagem da Arkema:

  • Orevac® 18302N polietileno grafitizado: agente de acoplagem de propósitos gerais
  • Orevac® 18507 HDPE grafitizado: altas propriedades mecânica, química e à abrasão
  • Orevac® OE808 : aplicação HFFR em cabos flexíveis
  • Orevac® CA100 polipropileno grafitizado: compostos HFFR a base de PP
  • Lotader® 3210: Agente terpolímero de acoplagem exclusivo para compostos HFFR com propriedades mecânicas melhoradas

Para mais informações sobre agentes de acoplagem Orevac® e Lotader® e outros grades, visite os website do Orevac e do Lotader.

Companhia química global e principal produtora de produtos químicos da França, a Arkema tem operações em mais de 50 países, cerca de 14.000 funcionários e 13 centros de pesquisa, Arkema gera receita anual de € 7,6 bi e possui um portfólio de marcas reconhecidas internacionalmente.

Fonte: Arkema

Curta nossa página no

Polietileno reticulado da Dow alonga vida útil dos cabos de distribuição de energia subterrânea

19/08/2012

Especialista da companhia destacará os diferenciais do TR-XLPE durante seminário

Com o aumento da utilização de cabos de transmissão elétrica subterrânea, é cada vez maior o interesse de empresas que trabalham com esse segmento por informações sobre o tema, bem como por entender os benefícios em relação a outras soluções.

Para esclarecer essas questões e oferecer explicações técnicas sobre o assunto, a Dow participa, no dia 20 de agosto, de um seminário voltado para empresas que atuam no mercado de energia elétrica, desenvolvido pela Copel (Companhia Paranaense de Energia). Na ocasião, o engenheiro eletricista Marcio Alves, gerente de atendimento da Dow às concessionárias de energia elétrica para a América do Sul, explicará os diferentes isolantes para cabos de energia e as vantagens da utilização da linha Dow Endurance pelo setor.

Segundo a Dow, suas soluções para cabos subterrâneos de transmissão e distribuição minimizam as perdas de energia, conferem até duas vezes mais durabilidade e proporcionam melhor custo-benefício ao longo de toda a cadeia, reduzindo o impacto ao meio ambiente.

“As instalações subterrâneas devem apresentar um alto nível de proteção para evitar a penetração de umidade nos circuitos elétricos que têm os cabos de energia como um dos principais elementos. Além disso, durante o manuseio nos dutos e caixas, eles não devem sofrer nenhum dano e precisam ser muito bem preparados nas conexões, tanto para a instalação de terminações quanto para a de emendas”, destaca Alves.

A Dow desenvolveu a tecnologia de isolação de polietileno reticulado com retardante à arborescência (TR-XLPE). A empresa informa que a sua solução é capaz de reduzir consideravelmente o efeito da arborescência elétrica, duplicando a vida útil do cabo de energia. De acordo com estudos em campo, estes cabos podem operar por mais de 40 anos ininterruptamente.

O TR-XLPE possui em sua composição um aditivo capaz de confinar o efeito da arborescência, reduzindo a taxa de crescimento deste fenômeno e evitando que ele se aproxime da outra extremidade do material isolante. Desta forma, o cabo não fica enfraquecido devido à arborescência a ponto de sofrer o rompimento dielétrico.

A instalação elétrica subterrânea, já bastante utilizada na América do Norte e Europa, passa a ser cada vez mais comum no Brasil. O sistema, além de ser considerado mais seguro, uma vez que evita que os fios e cabos expostos possam ser rompidos ou atingidos causando danos à rede elétrica, é também esteticamente mais agradável.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

SABIC lança nova resina de copolímero de Policarbonato para aplicações em painéis para geração de Energia Solar.

08/12/2011

O novo copolímero Lexan* EXL da SABIC aumenta liberdade de projeto para próxima geração de sistemas fotovoltaicos (FV) miniaturizados

 A unidade de negócios Innovative Plastics da SABIC anunciou hoje a nova resina de copolímero de policarbonado (PC) Lexan* EXL atendendo às rápidas tendências em direção à miniaturização de conectores e caixas de derivação fotovoltaicas (FV). O excelente desempenho tanto elétrico quanto em flamabilidade do novo grade da resina Lexan EXL permite aos projetistas miniaturizem o sistema inteiro e criem peças de paredes finas, diminuindo a distância entre os condutores e integrando sistemas da caixa de junção – ajudando ainda a reduzir custos com energia solar e a aumentar a eficiência. A nova resina Lexan EXL ajuda os clientes a reforçarem sua posição competitiva ao contribuir significativamente para as vantagens de sistemas FV e ao acelerar ainda mais a mudança para energia solar.

O mercado de sistemas FV é um dos setores globais mais dinâmicos, marcado por taxas de crescimento anuais acima da ordem dos 20 porcento1 e pela significativa atenção como fonte de energia alternativa viável e crescente. “A SABIC fornece materiais especializados que permitem aos seus clientes produtores de sistemas fotovoltaicos aprimorarem o valor da energia solar como uma solução ambiental de custo mais competitivo”, disse Andrew Kodis, diretor de marketing de Solar da Innovative Plastics. “Nosso foco no mercado fotovoltaico reflete o apoio ativo da SABIC para com as tendências ambientais, tais como fontes de energia alternativa, que dependem de avanços tecnológicos para torná-los economicamente viáveis. Nosso amplo portfólio de materiais contribui para a sustentabilidade de muitas maneiras diferentes, principalmente pelas abordagens de novos projetos”.

Vários fatores estão convergindo para conduzir a miniaturização na indústria fotovoltaica, inclusive avanços na eficiência e no aumento do uso doméstico de painéis solares, que estão exigindo projetos planos, discretos e, algumas vezes, integrados. “Como líderes no desenvolvimento de policarbonato há quase 60 anos, somos capazes de alavancar o nosso profundo conhecimento e experiência no setor para promover inovações em energia solar que ajudem nossos clientes a atingirem seus objetivos de sustentabilidade”, disse Kodis.

Líder na indústria elétrica e no desempenho de retardantes de chamas

O novo grade de resina Lexan EXL 9330S supera os materiais tradicionais em seu desempenho elétrico, como demonstrado pelo índice de rastreio comparativo (comparative tracking index – CTI) com a classificação PLC-2 nas normas da underwriter´s laboratory (UL). A conformidade para com essa norma rigorosa significa que o copolímero EXL 9330S da família Lexan apresenta elevada resistência à formação arcos voltaicos mesmo na presença de umidade e de sais e, portanto, pode ser usado em peças que são colocadas mais próximas umas das outras(4 mm x 12 mm na classe 3). O material que também é retardante a chama está em conformidade com a norma UL94 V0 em 0,8 mm, o que permite o projeto de peças com paredes muito finas.

Além disso, o copolímero de PC Lexan EXL 9330S fornece excepcional resistência a impacto em baixa e alta temperatura (de -40 ºC a 70 ºC), resistência à corrosão promovendo bom desempenho por períodos mais longos e resistência às intempéries em uma série de fatores ambientais ao ar livre.

Possibilidade de redução de custos do sistema

Com suas vantagens de processamento, fluxo fácil, custo competitivo decorrente dos projetos de paredes mais finas e alto rendimento, além de fácil liberação do molde, o copolímero de PC Lexan EXL 9330S pode reduzir o tempo total do ciclo de moldagem por injeção em até 40 por cento.

Adesivos e selantes são utilizados na indústria FV para anexar caixas de derivação e conectores ao painel solar. Selantes e adesivos à base de álcool normalmente são compatíveis com os materiais Lexan EXL e são recomendados para uso com estas substâncias 2.

Expansão do portfólio SABIC de materiais para sistemas FV

Este novo grade é parte do portfólio de alto desempenho da SABIC de materiais versáteis para a indústria FV. Eles incluem a resina Noryl* , que fornece baixa densidade, estabilidade dimensional em uma ampla gama de temperaturas (-40 ºC a 140 ºC), baixa distorção, excelente durabilidade, desempenho em ambiente quente e úmido com excepcional estabilidade de até 2.000 horas e desempenho elétrico e térmico excelentes. Essas propriedades a tornam adequada para uso em caixas de junção de painéis fotovoltaicos (PV). A resina Noryl também atende à necessidade da indústria de ter um material de longa duração e resistente ao ar livre. Testes internos mostram que as resinas Noryl reforçadas e não reforçadas com fibras de vidro podem suportar até 12 mil horas de exposição aos raios ultravioleta. Além disso, os materiais Lexan EXL 9330 e EXL 9330P fornecem resistência a impacto em baixa temperatura e outras vantagens semelhantes a do copolímero Lexan 9330S.

Enquanto os materiais Lexan EXL 9330 e EXL 9330P são usados em projetos que exigem materiais classificados como CTI PLC-3, o recém-introduzido copolímero EXL 9330S poderá ser usado em projetos que exijam propriedades de CTI PLC-2.

As resinas Ultem* e os compostos especiais LNP* estão sendo usados também em peças de caixas de derivação e conectores especiais. As temperaturas nestas aplicações podem ir até 180 ºC ou mais e as exigências de estabilidade dimensional são ainda mais rigorosas. Os grades comerciais das resinas Ultem e dos compostos LNP têm sido implementados com sucesso em aplicações FV com os principais investidores desta indústria.

A SABIC Innovative Plastics oferece aos seus clientes de sistemas FV uma combinação de tecnologia de resina de alto desempenho, projeto de aplicação e suporte ao desenvolvimento. Temos um histórico de sucesso na transformação de metal para plástico e trabalhamos em estreita colaboração com nossos clientes na validação do uso de nossos materiais com testes práticos extensivos. Trabalhamos também em estreita colaboração com órgãos reguladores para ajudar a garantir que o uso econômico de nossa tecnologia de resina atenderá às exigências de desempenho dos sistemas fotovoltaicos.

Fonte: SABIC-IP

Braskem apresenta 16 novos produtos na Brasilplast 2011

16/05/2011
Nova planta de PVC, que conta com investimentos de R$ 1 bilhão, também foi um dos destaques da feira

Os Clientes que visitaram o stand da Braskem na Brasilplast tiveram acesso a painéis touchscreen onde puderam visualizar todos os catálogos, selecionar o conteúdo de interesse e enviá-los para seus e-mails pessoais. Além disso, o material também esteve disponível em IPADs e em todo o estande através da rede instalada pela Braskem.

Telas touchscreen também mostraram aos presentes os cases de sucesso de parceiros da Braskem, ideias que deram certo e que já podem ser vistas na prática. Uma mesa interativa também foi criada para apresentar de forma lúdica os conceitos do selo I’m Green, que identifica os materiais da Braskem feitos a partir de fonte renovável, e do ciclo de produção do polietileno verde para o público em geral.O estande contou ainda com um sistema especial de localização dos colaboradores da Braskem através de seus crachás. Dessa forma, os clientes puderam ser atendidos de forma rápida.Os lançamentos da Braskem na Brasilplast foram:
POLIETILENOS
Solução para tanques de combustível
A resina HS4506 foi desenvolvida para produção de tanques de combustível automotivos, bem como para fabricação de tubos de enchimento e de reservatórios de partida a frio. Outro desenvolvimento da Braskem é a resina HS4506A, especialmente aditivada para garantir maior resistência à radiação ultravioleta e às intempéries. A resina é destinada à produção de tanques de combustível para caminhões e para o segmento de reposição automotiva.

Receita inovadora para o mercado de laminados
A resina Flexus 9212XP (XP = extra performance) atende às necessidades do mercado de laminados de alta performance, utilizados nos processos de empacotamento automático de elevada velocidade. É uma resina metalocênica (mPEBDL),  com o diferencial de manter mais estáveis os valores de Coeficiente de Fricção Cinético (CoF). É uma solução inovadora, patenteada pela Braskem e é resultado de uma receita capaz de melhorar a estabilidade do CoF, após a laminação, transporte  e estocagem das bobinas.

Quaterpolímero para o mercado frigorífico
Considerando as características do mercado frigorífico, a Braskem desenvolveu a resina Pluris 6301, um quaterpolímero que apresenta melhor processabilidade, selagem e alongamento. Estas características, combinadas com seu baixo nível de bloqueio e teor de géis, tornam o produto uma ótima opção para embalagem de pão de forma.

Bimodais com tecnologia Mitsubishi
As resinas BU004W e BS002W foram produzidas com tecnologia Mitsubishi e trazem um diferencial significativo de desempenho de propriedades mecânicas em relação aos demais produtos monomodais.

Excelente balanço entre rigidez e resistência ao impacto
O BS002W possibilita a redução de peso de frascos soprados, enquanto mantém as propriedades de empilhamento. A nova resina também apresenta ótima resistência ao stress cracking, o que a torna adequada para produção de frascos para embalagens de produtos tensoativos, tais como detergentes, limpadores multiuso e produtos químicos.

Redução de peso e manutenção das propriedades de empilhamento
A elevada densidade do produto BU004W proporciona uma redução de peso dos frascos e mantém as propriedades de empilhamento. O pacote de aditivos  diferenciado também proporciona aos frascos soprados com BU004 melhores propriedades ópticas com frascos mais brancos e melhor acabamento superficial.

Ótima processabilidade e excelente resistência a impacto a baixa temperatura
O produto HS5010, PEAD-APM, produzido por meio da tecnologia Loop Slurry apresenta ótima processabilidade e excelente resistência a impacto de baixa temperatura. É indicado para sopro de bombonas de embalagens de produtos químicos e agroquímicos.

Resina para o segmento de Fios & Cabos
A resina TC9008 é o mais recente lançamento da Braskem para o segmento de Fios & Cabos. É um composto à base de polietileno de baixa densidade (PEBD), pigmentado com negro de fumo. É indicado para revestimento ou capa de fios e cabos para telecomunicações e energia. O composto proporciona alta produtividade durante a extrusão, acabamento, alta flexibilidade e elevada resistência à baixa temperatura, além de proteção contra a ação das intempéries.

POLIPROPILENO

Embalagens rígidas com fluidez e resistência a impactos
O CP 191XP é um polipropileno copolímero heterofásico de alto índice de fluidez e elevada resistência a impactos. Foi desenvolvido para responder às exigências do mercado de injeção de ciclo rápido e de peças de paredes finas. Proporciona maior versatilidade e produtividade, mantendo um ótimo balanço de propriedades (rigidez e impacto). Este produto é destinado a embalagens de sorvete injetadas, utilidades domésticas e compostos automotivos.

Inovação para o mercado de Nãotecido
Este ano a Braskem está lançando para o mercado de Nãotecido o H 155, grade que apresenta elevada fluidez, possibilitando melhor desempenho na formação da camada de barreira obtida pelo processo meltblown. Este grade substituirá o H 152 no portfólio de PP Braskem.

Composto para aplicação final em para-choques
O CP 393 é um copolímero de alto impacto e baixíssima contração. Foi especialmente desenvolvido para compostos cuja aplicação final é pára-choque. A adição de carga mineral deixa “gap zero” entre o pára-choque de plástico e o pára-lama de metal.

Opção versátil para a indústria automotiva
O CP 286 é um copolímero heterofásico especialmente desenvolvido para o mercado de compostos. Sua função é manter elevada resistência ao impacto, com maior rigidez e fluxo. O bom balanço de propriedades mecânicas e alto índice de fluidez, ligado baixo VOC – isenção de voláteis elimina odores – torna esta opção muito versátil para uso na indústria automotiva em aplicações como pára-choques e painéis.

Aumenta a produtividade do mercado automobilístico
O CP 100 é um polipropileno copolímero heterofásico de altíssima fluidez com excelente balanço de rigidez e impacto. O objetivo da Braskem com essa resina é responder às exigências de maior produtividade do mercado automobilístico, proporcionando maior versatilidade e flexibilidade para os Clientes. O CP 100 atende importantes necessidades dos Clientes, como baixo teor de VOC (Volatile organic compound); excelentes propriedades organolépticas; maior facilidade de preenchimento no molde de injeção, com excelente balanço de propriedades mecânicas e maior produtividade em peças injetadas.

Alta Rigidez para mercados de eletrodomésticos e eletroportáteis
Desenhada para o mercado de peças técnicas e compostos, que requerem elevada rigidez e boa processabilidade para injeção, a Braskem lançou o grade H 201HC. Devido à sua elevada cristalinidade e alta rigidez, o produto apresenta maior resistência termomecânica e uma resistência diferenciada ao risco, tornando-o uma excelente opção para componentes de eletrodomésticos e eletroportáteis.

Inovação para mercado de baldes industriais
A resina CP 270R é um polipropileno copolímero heterofásico, especialmente desenhado para o processo de injeção de baldes e contêineres, que exijam balanço de propriedades entre resistência ao impacto e rigidez, com elevação do índice de fluidez em relação aos grades anteriores.

Maior transparência para utilidades domésticas
Como proposta de maior transparência para utilidades domésticas, a Braskem lançou a resina Prisma 1410, um copolímero randômico de elevado índice de fluidez, desenvolvido para injeção de peças e embalagens com excelente transparência. Este produto apresenta ótima processabilidade, alta produtividade e perfeito balanço rigidez/impacto.

Fonte: Braskem
Foto (crédito): Getty Images

Produção local da resina Flexible Noryl* da SABIC IP reduz os tempos de entrega para os clientes em 50 por cento

15/05/2011

Durante a BrasilPlast 2011, a SABIC Innovative Plastics anunciou que a partir de agora fornecerá a sua mundialmente renomada resina Flexible Noryl* para o essencial mercado sul-americano. Esta nova produção local reduzirá drasticamente os tempos de produção de resinas sustentáveis, não halogenadas e retardadoras de chamas em até 50 por cento, em média, e é um acréscimo bem vindo ao já amplo portfólio de produtos da empresa fabricados no Brasil. O anúncio da SABIC Innovative Plastics sublinha o compromisso da empresa em ajudar a assegurar o fornecimento local confiável de seus materiais sustentáveis termoplásticos para ajudar os clientes locais e regionais a destacarem seus produtos, crescerem e obterem êxito nos mercados em que se inserem.

A produção local da resina Flexible Noryl ainda poderá beneficiar os clientes sul-americanos de fios e cabos nas indústrias automotiva e elétrica/eletrônica (E/E) acelerando o tempo de colocação no mercado e apoiando a conformidade com as normas ambientais.

“Nossa nova capacidade de produção demonstra nosso sério compromisso com o mercado sul-americano, em que já oferecemos sólidos serviços e suportes técnicos locais incluindo o desenvolvimento de aplicação e a adequação às cores do cliente,” afirma Ricardo Knecht, gerente geral da SABIC Innovative Plastics na América do Sul. “Agora que fornecemos entregas muito mais rápidas de amostras e resinas, podemos facilitar significativamente o planejamento dos clientes e a utilização da tecnologia da resina Flexible Noryl em seus programas. Isto também abrirá possibilidades novas para este versátil material, tais como o uso expandido em cabos USB, audio e vídeo e de carregadores de celulares com opções esteticamente interessantes fornecidas pelos nossos novos tipos brancos resistentes a ultravioleta. Igualmente importante, o uso da resina Flexible Noryl apoia iniciativas de proteção ambiental em indústrias chave para beneficiar a região como um todo.”

Desempenho sustentável em fios e cabos

As resinas Flexible Noryl possibilitam desempenho ambientalmente responsável por evitarem o uso de retardadores de chama halogenados e fornecendo uma alternativa para o tradicional policloreto de vinila (PVC) em revestimento e isolamento de fios e cabos. Estes materiais apoiam a conformidade com normas tais como as diretrizes de restrição às substâncias perigosas (Restriction of Hazardous Substances – RoHS) da União Europeia e resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos (Waste Electrical and Electronic Equipment – WEEE) e o padrão de registro, avaliação e autorização de substâncias químicas (Registration, Evaluation and Authorization of Chemicals – REACH). Em contraste com os outros materiais , tais como polietileno reticulado, que são mais difíceis de reciclar, as resinas Flexible Noryl fornecem alto desempenho em calor dispensando o uso de reticulados.

Estes materiais possibilitam um excelente equilíbrio entre flexibilidade, propriedades mecânicas e facilidade de processamento. Eles também apresentam desempenho ultravioleta em ambientes internos para resistir ao desbotamento e à decomposição.

As resinas Flexible Noryl estão disponíveis em branco, preto ou ainda em grades coloridos
conforme a demanda.

Fonte: SABIC IP

SABIC-IP desenvolve soluções em plástico de engenharia que substituem metal em propulsores automotivos.

15/04/2011

SABIC-IP lança Materiais para Propulsores de Alto Desempenho para Veículos Híbridos e Elétricos.

Bancada de Teste do Propulsor IAV GmbH

A SABIC Innovative Plastics anuncia sua colaboração com a IAV GmbH, líder mundial em sistemas de propulsores e veículos avançados, para desenvolver soluções termoplásticas que podem substituir o metal no veículo elétrico (EV) e componentes híbridos do propulsor. As duas empresas buscam novas formas de otimizar eficiência e desempenho, incluindo a redução de peso para compensar as pesadas baterias e blindagens em áreas de alta voltagem.

 “Nossa colaboração estratégica com a IAV tem o objetivo de criar opções inovadoras para nossos clientes, à medida que eles se esforçam para desenvolver e fornecer uma gama de veículos elétricos para os clientes, sejam eles híbridos, híbridos plug-in ou elétricos à bateria puros”, diz Gregory A. Adams, vice presidente, Automotivo, SABIC Innovative Plastics.

 “Nós vemos como uma fórmula de sucesso a combinação da experiência da IAV em engenharia de propulsão avançada com a nossa seleção de materiais de alto desempenho e experiência em desenvolvimento de aplicações. Estamos ansiosos para auxiliar as montadoras a desenvolver a próxima geração de propulsores e seus componentes, como resultado dessa colaboração”, completa Adams.

A IAV tem desenvolvido tecnologias e conceitos inovadores para veículos há 27 anos. Na área de mobilidade elétrica, a empresa desenvolve propulsores, unidades de controle, sistemas de bordo, sistema de bateria de alta voltagem e outros sistemas e componentes para veículos elétricos à bateria e híbridos.

“Temos o prazer de trabalhar em conjunto com a SABIC Innovative Plastics nos novos componentes de propulsão, que se beneficiarão do peso leve na função de blindagem, resistência de alta temperatura e corrosão de componentes e resinas termoplásticas,” diz Kurt Blumenröder, presidente e CEO, IAV GmbH.

“A experiência da SABIC Innovative Plastics na substituição do metal e em termoplásticos de engenharia de alto desempenho proporciona uma grande parceria ao nosso conhecimento em engenharia. Nós antecipamos avanços importantes que podem ajudar a indústria automotiva a fazer um progresso significativo no desempenho e eficiência de veículos elétricos e híbridos”, explica o executivo.

Termoplásticos Têm Como Objetivo os vencer desafios de Peso, Temperatura e Blindagem

 Para sustentar todas as vantagens ambientais dos veículos híbridos, híbridos plug-in e elétricos à bateria, o peso adicional das baterias – de até 300 kg em um carro de tamanho médio – precisa ser compensado pela redução em outras áreas. Os termoplásticos incluem polióxido de fenileno (PPO) Noryl* e resinas de polibutileno tereftalato (PBT) Valox*, da SABIC Innovative Plastics, e podem substituir o aço nas estruturas da bateria e invólucros. Essas resinas também oferecem resistência química e à temperatura, estabilidade dimensional e retardamento de chama.

 O aumento do uso de íons de lítio e de baterias de polímero de lítio, as quais possuem uma maior densidadede energia e potência, exige soluções em gerenciamento térmico para baterias. Como essas baterias operam melhor em temperatura ambiente, para controlar a temperatura, a refrigeração líquida frequentemente substitui o ar refrigerado com maior eficiência. Como resultado, esses líquidos necessitam de resistência química, características comuns aos materiais termoplásticos de engenharia de alto desempenho. Além disso, se a força for retirada de uma bateria, ela irá aquecer – e, assim, são necessários materiais com excelente resistência à temperatura. As resinas de polieterimida (PEI) Ultem* da SABIC Innovative Plastics fornecem resistência a altas temperaturas e uma capacidade de retardamento de chama inerente e as resinas de PBT Valox fornecem resistência química e a altas temperaturas.

 Em veículos elétricos híbridos, quanto maior a voltagem, mais importante se torna a blindagem em relação à interferência eletromagnética/interferência de rádio frequência (EMI/RFI) para controlar possíveis distúrbios de componentes eletrônicos, como inversores, unidades de controle eletrônico e sistema de gerenciamento de baterias. Os compostos LNP* Faradex* da SABIC Innovative Plastics fornecem propriedades de blindagem contra EMI/RFI excepcionais sem o grande peso das camadas de metal ou metalização.

 Comparado à combustão interna de motores que fornece calor ao interior do automóvel, veículos de energia alternativa dependem da energia de bateria para aquecer e resfriar o ar, o que faz com que o isolamento seja fundamental para evitar o consumo pesado da bateria. As soluções em vidro de policarbonato Lexan* oferecem uma taxa cinco vezes maior de isolamento e os graus de absorção de infravermelhos (IR) da resina Lexan podem otimizar ainda mais o condicionamento de ar, reduzindo o valor da carga de calor transferida para o interior de um veículo em climas quentes ou com tempo ensolarado.

Fonte: SABIC-IP / Edelman

Empresa chinesa Leedarson desenvolve sistemas de iluminação em LED com compostos termoplásticos da SABIC IP

09/03/2011

A SABIC Innovative Plastics anuncia que a Leedarson Lighting – fabricante líder em sistemas e soluções de iluminação – selecionou o composto termicamente condutivo LNP* Konduit* para a fabricação de dissipadores de calor para duas de suas lâmpadas de diodos emissores de luz (LED).

Sediada em Xiamen, China, a Leedarson utiliza o novo material da SABIC Innovative Plastics em substituição ao alumínio nos dissipadores de calor para atingir metas fundamentais: cor branca estável no aquecimento, sem a necessidade de pintura secundária; mais produtividade com o uso da moldagem por injeção; e conformidade com as exigências da indústria para isolamento elétrico. O composto LNP Konduit mostrou-se ideal, pois oferece a combinação de vantagens estéticas e de produtividade, com o excelente desempenho de dissipação de calor. Contribui também para a simplificação dos processos de aprovação de sistemas de iluminação por LED, expandindo seus benefícios de economia de energia e de redução de impactos ao meio ambiente.

“No papel de primeiros fabricantes de sistemas de iluminação a usar o composto LNP Konduit branco em dissipadores de calor, nos colocamos na liderança do setor, ao oferecer produtos que usam LEDs com boa estética e de alta eficiência energética aos clientes”, afirma Eder Lee, Gerente Geral da Leedarson Lighting.

“Acreditamos que a aparência aprimorada das lâmpadas de LED terá efeito significativo na aceitação desses produtos pelo mercado. Conforme aumentar a demanda, maior a possibilidade de o composto LNP Konduit contribuir para incrementar nossa capacidade de produção, já que a moldagem por injeção é mais flexível, quando comparada ao trabalho em metal. Este material versátil também proporciona mais liberdade aos projetistas no desenvolvimento da próxima geração de dissipadores de calor com o uso de tecnologias de LED”, continua Lee.

“Com vida útil de até 50 mil horas e consumo baixo de energia , os sistemas de LED possuem um incrível potencial de conservação de energia”, diz Peter Chan, Gerente Geral da SABIC Innovative Plastics na China.

“Como parte de nosso compromisso com as soluções de sustentabilidade, a SABIC Innovative Plastics oferece uma linha de materiais especiais que são capazes de aprimorar projetos e sistemas de fabricação de LEDs. Em particular, os nossos compostos LNP Konduit para dissipadores de calor podem desempenhar um papel crucial para manter o brilho e prolongar a vida útil dos LEDs. Nosso trabalho pioneiro com a Leedarson Lighting é um marco importante para atingir estes objetivos”, comenta o executivo.

Substituindo o alumínio por compostos LNP Konduit, a Leedarson usou o novo composto LNP Konduit branco para desenvolver dissipadores de calor cilíndricos para lâmpadas brancas de LED de dois watts (W) em forma de vela e para lâmpadas brancas de LED de dois watts no formato redondo. Essas lâmpadas são vendidas nas principais lojas de produtos para residência e nas grandes redes de lojas de todo o mundo.

A Leedarson avaliou outros termoplásticos condutivos e escolheu o composto LNP Konduit por seu desempenho condutivo superior, retardância à chama não halogenada, propriedades de isolamento elétrico que superam ensaios de até 6 KV e estabilidade de cor.

Comparados ao alumínio e a outros metais, os compostos termicamente condutivos geralmente têm os menores coeficientes de expansão térmica (CTE), o que ajuda a reduzir as tensões de expansão diferencial na peça moldada. Eles também pesam significativamente menos que o alumínio.

Os compostos LNP Konduit oferecem grande flexibilidade para os projetistas, que se beneficiam da liberdade de criar formas complexas e da possibilidade de obtenção de sistemas integrados de peças usando a moldagem por injeção, em vez da tradicional estamparia, da fundição e do revestimento secundário, exigidos pelos metais. Os termoplásticos abrem as portas para configurações inovadoras que podem aperfeiçoar a transferência de calor, enquanto proporcionam os benefícios de custo da produção em alto volume.

Fonte: SABIC

Distribuidora de energia elétrica da Índia adota o polietileno reticulado da Dow para seus cabos de distribuição

01/03/2011

A Dow Wire & Cable alcançou mais um marco no setor de concessionárias de energia elétrica. A unidade de negócios da Dow para fios e cabos foi reconhecida pela maior estatal de distribuição de energia da Índia, a Maharashtra State Electricity Distribution Company Limited (MSEDCL), pela especificação avançada para o uso de isolação TR-XLPE para seus cabos de distribuição de 11, 22 e 33 kV.

O TR- XLPE é um polietileno reticulado com retardante à arborescência que reduz a degradação elétrica causada pela umidade.  Utilizado pela indústria global de energia a solução é capaz de isolar o equivalente a mais de três milhões de quilômetros de cabos subterrâneos de média tensão (MT).

“Esta é a primeira vez que uma concessionária pública certifica o TR-XLPE. A especificação coexiste com a atual especificação-padrão para cabos XLPE da Índia, e é uma opção para ela”, ressalta Ram Ramachandran, diretor global de Marketing de Usuário Final da Dow.

Adicionalmente, a especificação da concessionária traça claramente as exigências de desempenho nos níveis do Dow ENDURANCE™ – família de semicondutores e isolamento para média tensão (MT), alta tensão (AT) e  alta tensão para construções (MAT). De acordo com Ramachandran, a preferência clara da MSEDCL será crucial para que outras estatais e distribuidoras de energia elétrica do setor privado analisem os materiais de alto desempenho da Dow.

Programa DOW INSIDE

Para que um sistema de cabos seja confiável é necessário que eles tenham um bom desempenho em protocolos regionais para oferecer mais valor para as distribuidoras de energia elétrica do mundo todo. Pensando nisso, a Dow Wire & Cable criou, em 2009, o programa DOW INSIDE que seleciona fabricantes de cabos aptos a produzirem cabos de alta qualidade com materiais Dow.

Fonte: Dow

Braskem lança novo composto de polietileno para aplicações em fios e cabos.

01/02/2011
Resina é indicada para produtos expostos a condições climáticas adversas

A resina TC9008, composto à base de polietileno de baixa densidade (PEBD) pigmentado com negro de fumo, é o mais recente lançamento da Braskem para o segmento de Fios & Cabos. Seu principal uso é como revestimento ou capa de fios e cabos para Telecomunicações e Energia.

A combinação de propriedades mecânicas e facilidade de processamento, fornecidas pelo PEBD, e a proteção contra radiação UV, obtida com o uso de pigmento negro de fumo, confere ao composto TC9008 alta produtividade durante a extrusão, acabamento, alta flexibilidade e elevada resistência à baixa temperatura, além de proteção contra a ação das intempéries.

Com o investimento em infraestrutura no Brasil, há previsão de crescimento anual de 10% do segmento de Fios & Cabos nos próximos anos e os lançamentos da Braskem chegam para suprir a demanda do setor. A produção inicial de TC9008 será de 200 t/m e, em até quatro anos, estima-se atingir um volume de produção de aproximadamente 600 t/m.

O TC9008 complementa a família de resinas produzidas pela Braskem para este segmento, ampliando o portfólio atualmente formado pelas resinas GD5150K (cabos multiplexados, isolamento de fios e cabos de cobre), GM5340PRK (capa de fios e cabos ópticos e metálicos, isolamento de fios e cabos de cobre), LL4400SFC e LH218 (isolamento de fios e cabos XLPE de média tensão) e IA59UE e BC818 (cabos coaxiais expandidos a gás).

Fonte: Braskem

Novas soluções ecológicas da SABIC Innovative Plastics para sistemas de iluminação em LED se destacam pelo elevado desempenho, estética e durabilidade

19/11/2010

A SABIC Innovative Plastics lança uma nova linha de resinas e compostos especiais que permitem melhorar o desempenho, a vida útil e a estética de dispositivos de iluminaçãoem LED (Light Emitting Diode). Esses novos materiais são a resina de policarbonato (PC) Lexan* com retardante à chama (FR) isento de bromo e cloro e o novo composto branco termicamente condutivo LNP Konduit*, usado em dissipadores de calor que permitem o aumento da vida útil das lâmpadas de LED.

Lâmpadas de LED podem ser feitas usando-se a resina de PC Lexan* FR da SABIC Innovative Plastics e o composto termicamente condutivo LNP* Konduit*

Cento e treze anos após a invenção da lâmpada elétrica, a SABIC Innovative Plastics desenvolve soluções que marcam a evolução dos sistemas de iluminação ao utilizar materiais energeticamente eficientes e duráveis.

“À medida que o movimento global de substituição das lâmpadas incandescentes ganha força, os clientes procuram alternativas duráveis e energeticamente eficientes que possam oferecer design semelhante, ou até melhor, a um preço acessível”, afirma Hans-Otto Schlothauer, gerente de marketing global de produtos de Iluminação da SABIC Innovative Plastics.

“Nossas tecnologias Lexan FR e LNP Konduit permitem o desenvolvimento de projetos com design diferenciado para dispositivos de iluminação de LED e que também ajudam a reduzir custos do sistema. Outro aspecto importante, é que nossos materiais apresentam benefícios ecológicos, que agregamvalor ambiental aos materiais feitos em LED”.

Inovações da resina Lexan oferecem opções para lâmpadas de LED
Para atender à demanda por novos materiais que permitam o desenvolvimento de lâmpadas de LED de alto desempenho, econômicas e com espessuras mais finas, a SABIC Innovative Plastics desenvolveu as resinas Lexan FR para aplicações em sistemas difusos e e transparentes. Essas resinas atendem às normas UL94 (V0 à 1,5 mm de espessura) eoferecem retardância à chama sem o uso de aditivos bromados ou clorados.

Além do grade transparente, as resinas Lexan FR estão disponíveis em três opções que proporcionam uma difusão padronizada, que oferecem alta transmissão de luz e apresentam uma aparência mais suave. As cores incluem três matizes de branco, além do natural. No entanto, é possível oferecer cores e níveis de difusão personalizados para atender a exigências específicas.

Essas resinas apresentam resistência ao impacto, qualidade óptica, capacidade de processamento semelhante às demaisresinas de PC Lexan, proteção contra raios ultravioleta (UV) e estabilidade térmica. Elas são apropriadas para moldagem por injeção e por extrusão.
Dissipadores de calor para LEDs permitem designs diferenciados com o uso do composto LNP Konduit.

Os dissipadores de calor são essenciais para dissipar a energia térmica, que pode reduzir a vida útil dos LEDs, normalmente de 50 mil horas. Tradicionalmente, eles são feitos em alumínio ou com resinas condutivas pretas ou cinzas. Para atender às necessidades dos clientes que buscam projetos de iluminação de LEDs mais atraentes, o composto LNP Konduit está disponível atualmente na cor branca para combinar com lâmpadas brancas e coloridas.

Além da condutividade térmica superior, esse material oferece benefícios de custo e de projeto. O composto LNP Konduit permite o aumento da produtividade em comparação aos sistemas feitos em alumínio fundido, que requerem operações secundárias. O material também oferece mais liberdade de projeto, permitindo a criação de formas com área de superfície maior para um gerenciamento térmico aprimorado.

Fonte: SABIC Innovative IP