Posts Tagged ‘ABMACO’

Fabricante de eletrodomésticos da Malásia escolhe copoliéster da Eastman para mixer que se transforma em garrafa

22/08/2017

A nova linha apresenta garrafas práticas feitas com Tritan

A marca Pensonic sempre se focalizou em produzir eletrodomésticos que fossem práticos e fáceis de usar. Agora, o bem-sucedido fabricante da Malásia acaba de lançar o seu novo mixer fitmi.

A novidade foi criada para adeptos da geração saúde, pessoas que trabalham em escritórios ou qualquer pessoa que tenha uma vida agitada. O mixer tem funções que vão desde misturar frutas ou fazer smoothies até triturar gelo. Cada um inclui dois copos cristalinos, que, facilmente, se transformam em duráveis garrafas fitness de 600ml, feitas com Tritan™ da Eastman.

“A Pensonic escolheu o Tritan para a nova jarra porque ele é livre de BPA e tem excelente resistência a impacto e ao calor”, afirma Nelson Chew, diretor Executivo do Grupo Pensonic. “Ele suporta temperaturas de até 90ºC e, resiste, sem quebrar, mesmo após repetidas quedas em superfícies duras”

O produto também possui uma trava de segurança, uma tampa de fácil vedação e à prova de vazamento e uma alça para facilitar que ela seja carregada.

O time de Plásticos Especiais da Eastman organizou um seminário técnico interativo para o pessoal das áreas de Pesquisa e Desenvolvimento, vendas e gerenciamento da Pensonic e moldadores selecionados.

O treinamento incluiu workshops e experiências práticas com Tritan, amortecimento de som e resistências, química e ao calor, em comparação com outros polímeros de engenharia. A sessão de um dia incluiu uma demonstração de produtos Tritan contendo água fervente e uma caneca de cerveja feita de Tritan sendo atropelada por um carro.

“Este tipo de aprendizagem prático é mais fácil para as pessoas absorverem do que uma porção de gráficos e planilhas”, disse o Sr. Chew.

A Eastman é uma empresa global de materiais avançados e aditivos especiais que produz uma ampla gama de produtos encontrados em itens que as pessoas usam todos os dias. A empresa atua em atrativos mercados finais, tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A Eastman atende clientes em mais de 100 países e, em 2016, obteve receitas de aproximadamente US $ 9,0 bilhões. A empresa está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA e, emprega, aproximadamente, 14.000 pessoas em todo o mundo.

O Grupo Pensonic foi fundado em 1965 como Keat Radio Co. Sdn. Bhd., em Penang. Com o crescimento do negócio, a marca Pensonic foi criada em 1982. A Pensonic tornou-se o fabricante local de eletrodomésticos elétricos líder na Malásia. Com a Pensonic como marca principal, a Pensonic Group também distribui produtos de outras marcas de eletrodomésticos de renome internacional. A empresa possui uma rede doméstica de distribuição de 10 agências com mais de 900 revendedores em todo o país e exporta para mais de 30 países da ASEAN e do Oriente Médio.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Anúncios

Faturamento do setor de compósitos no 3o. trimestre de 2011 cresce 9,8% em relação a igual período de 2010.

04/11/2011

Faturamento e consumo de matérias-primas cresceram no 3º trimestre, aponta pesquisa da Maxiquim

 Entre julho e setembro, o setor brasileiro de materiais compósitos faturou R$ 713 milhões, alta de 1,4% em relação ao trimestre anterior. Frente ao igual período do ano passado, o valor é 9,8% maior. O consumo de matérias-primas também subiu: de 45.500 para 55.700 toneladas (+22,3%). Os dados fazem parte de um levantamento da Maxiquim, consultoria contratada pela Associação Brasileira de Materiais Compósitos (ABMACO).

Para Gilmar Lima, presidente da ABMACO, a retomada se deve à boa fase vivida pelas montadoras de ônibus e caminhões. O segmento de transportes é o segundo maior consumidor brasileiro de compósitos, atrás apenas da construção civil – respondeu por 16% do total processado no país em 2010.

“Implementos rodoviários e o agronegócio de uma maneira geral também atravessam um momento favorável, assim como continua crescendo a demanda oriunda dos mercados de geração de energia eólica e construção civil”. Esta última, porém, tem evoluído num ritmo mais lento do que o esperado, em função do atraso na liberação de verbas dos programas governamentais. “Mas as expectativas são muito positivas para os próximos meses”, confia o presidente da ABMACO.

Ainda segundo o estudo da Maxiquim, o Brasil vai consumir neste ano 208.000 toneladas de materiais compósitos, 1,8% a mais do que em 2010. Já o faturamento do setor, por conta das sucessivas altas nos insumos petroquímicos, deve fechar em R$ 2.847 bilhões, resultado 10,2% maior do que o aferido no ano passado.

Resultantes da combinação entre resinas termofixas e reforços – fibras de vidro, por exemplo – os materiais compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, bem como pela versatilidade. Há mais de 40 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d´água a peças de aviões.

Fonte: SLEA Comunicação / ABMACO

Indústria de compósitos projeta elevação de 8,2% na receita de 2011

05/05/2011

Faturamento do primeiro trimestre cresceu 16,3%. Nova pesquisa contratada pela ABMACO separa poliéster e epóxi

Fonte: Maxiquim

A indústria brasileira de materiais compósitos faturou R$ 715 milhões no primeiro trimestre, alta de 16,3% em comparação ao mesmo período do ano passado. O consumo de matérias-primas, porém, recuou 8,7%, totalizando 46.900 toneladas. A diferença entre os dois indicadores deve-se principalmente aos sucessivos aumentos nas cotações dos insumos petroquímicos – os compósitos são resultantes da combinação entre resinas termofixas (um tipo de plástico) e reforços, como as fibras de vidro. Os números fazem parte do último levantamento da Maxiquim, consultoria contratada pela Associação Brasileira de Materiais Compósitos (ABMACO).

O estudo da Maxiquim também projeta uma elevação de 8,2% na receita total do setor em 2011, alcançando R$ 2,796 bilhões – no ano passado, o faturamento foi de R$ 2,584 bilhões. Em relação ao consumo de matérias-primas, a consultoria estima que o Brasil processe 214.000 toneladas, volume 4,8% maior que o de 2010 (205.000 toneladas). Já o crescimento esperado do número de empregos é de 1,8%, perfazendo 75 mil vagas.

“Todos os segmentos que consomem os materiais compósitos devem crescer este ano, mas acreditamos que construção civil, geração de energia eólica e transportes serão responsáveis por índices ainda mais expressivos”, afirma Gilmar Lima, presidente da ABMACO. No caso da área de transportes, Lima destaca o impacto positivo que a antecipação das compras de caminhões e ônibus promoverá no resultado do último trimestre de 2011, por conta da entrada em vigor da norma Euro 5 no início de 2012 – os veículos ajustados à nova regulamentação, que controla a emissão de poluentes, são mais caros.

“Por outro lado, nos preocupa a escassez de mão de obra qualificada no nosso setor, bem como o aumento descontrolado dos preços dos principais insumos, a valorização excessiva do real e a crônica falta de investimentos governamentais em infraestrutura”, comenta.

Estudo separa poliéster e epóxi

Fonte: Maxiquim

Dessa vez, a pesquisa contratada pela ABMACO abordou de forma separada os compósitos de resina poliéster e os baseados em resina epóxi. No primeiro caso – 162.000 toneladas, ou 79% do total processado em 2010 –, a construção civil manteve o posto de maior consumidora do material, com 46%. A seguir, apareceram as montadoras, sobretudo as que fabricam veículos pesados e agrícolas, com 16%. Os mercados de corrosão (11%), saneamento (7%), energia elétrica (4%), náutico (3%), petróleo (1%) e outros (11%) completaram a lista.

As principais posições no ranking do consumo de matérias-primas se mantiveram quando o assunto foi participação no faturamento – no ano passado, os compósitos de poliéster geraram uma receita de R$ 2,011 bilhões. Mudaram, no entanto, os percentuais: construção civil (37%), transportes (24%), corrosão (15%) e saneamento (8%). O setor náutico, devido ao maior valor agregado das embarcações, respondeu por 6% da receita, ultrapassando o segmento de energia elétrica (2%). As demais aplicações ficaram com 7%.

Quanto aos processos de transformação, as tecnologias manuais (Hand Lay-up e Spray-up) apareceram bem à frente, como de costume, com 54,8%, seguidas por RTM (16,1%), Enrolamento Filamentar (9,8%), Laminação Contínua (6,2%), Pultrusão (4,6%), BMC/SMC (2,8%) e outros (5,6%).

Em relação aos compósitos cuja matriz polimérica é o epóxi, a geração de energia eólica deteve 87,7% de um faturamento total de R$ 573 milhões. Bem atrás, apareceram os setores de petróleo (5,9%), eletroeletrônico (2,1%) e outros (4,3%). O processo de infusão, que é empregado, por exemplo, na fabricação das pás eólicas, foi o mais usado pelos transformadores (92,3%). Ao todo, o país processou 43.000 toneladas de compósitos de epóxi em 2010.

Fonte: SLEA Comunicação – ABMACO

ABMACO mostrará avanço tecnológico do Brasil na JEC Composites

14/03/2011

Espaço da Associação Brasileira de Materiais Compósitos na feira francesa será dedicado à apresentação de dezenas de peças

Com o objetivo de fortalecer a imagem da indústria brasileira e, dessa forma, gerar oportunidades de negócios em âmbito mundial, a Associação Brasileira de Materiais Compósitos (ABMACO) elaborou um inédito (e agressivo) plano de participação na JEC Composites, feira que acontece em Paris, entre 29 e 31/03 – é a maior do gênero em todo o mundo.

No espaço de 54 m² intitulado “Ilha Brasil de Compósitos”, a ABMACO reunirá algumas peças que evidenciam o avançado estágio tecnológico do setor que representa. Poste de energia elétrica, pá eólica, tubo para saneamento, mobiliário urbano, componentes usados em plantas petroquímicas e diversas autopeças fazem parte das atrações reservadas para a feira de Paris.
Produzidas por Cogumelo, Edra, Edra Equipamentos, MVC Soluções em Plásticos/Pôle de Plasturgie, Petrofisa, Piatex e Tecnofibras, as peças foram selecionadas pela ABMACO a partir de critérios como índice de inovação e viabilidade comercial.

“Estamos vivendo um período de mudanças, novos mercados estão sendo descobertos, outros reinventados, e o Brasil terá um papel de extrema relevância nesse novo cenário. Por is so, o conceito d o nosso projeto na JE C Composites é o de expor soluções de alto desempenho e processos diferenciados, com o intuito de evidenciar a capacidade e a tecnologia dos transformadores brasileiros”, afirma Gilmar Lima, presidente da ABMACO.

Além de apresentar as peças, a ABMACO lançará na feira o livro Brazilian Composites Market. A publicação traz um completo levantamento do mercado brasileiro de compósitos, bem como exemplos de aplicações do material e dados acerca da sua sustentabilidade, entre outros temas. A associação ainda produzirá um boletim eletrônico diretamente da JEC Composites, que será complementado por informações postadas no seu novo canal de comunicação, o Twitter.

Para viabilizar esta aç ão internacional, a ABMACO contou com o apoio das seguintes empresas investidoras: Edra Equipamentos, Elekeiroz, LORD, Morquímica, MVC Soluções em Plásticos, Piatex, Polinox, Purcom, Owens Corning e Reichhold.

Mercado aquecido
O mais recente levantamento de mercado da Maxiquim, empresa contratada pela ABMACO, indica que a receita do setor brasileiro de compósitos em 2010 cresceu 15,1%, totalizando R$ 2, 584 bilhões. O cons umo de matérias-primas no período foi de 205.000 toneladas, o que representou uma evolução de 11,8%. O número de empregos apresentou alta de 3,3%, perfazendo 73.600 vagas.

Para 2011, a Maxiquim projeta um faturamento de R$ 2,788 bilhões (+7,9%) e um consumo de 211.000 toneladas (+3,2%). O número total de empregos estimado é de 74.900 (+1,7%).

Fonte: ABMACO / Slea Comunicação

MVC apresenta nova tecnologia RTM-S para segmento de plásticos na Serra Gaúcha.

20/09/2010

Processo proporciona superior acabamento superficial e maior resistência mecânica.

A MVC, empresa brasileira líder no desenvolvimento de produtos e soluções em plásticos de engenharia e pertencente à Artecola e à Marcopolo, apresentará o inédito processo de fabricação de peças em compósitos, o RTM-S (Resing Transfer Molding – Surface) no 3º. Encontro Regional ABMACO 2010, que acontecerá dia 21 de setembro, no Hotel Laje de Pedra, em Canela, na Serra Gaúcha (RS).

Durante o evento, Renan Holzmann, executivo da MVC, ministrará a palestra “Um Novo Conceito de Superfícies ‘Classe A’ para Compósitos”, sobre o novo processo. Desenvolvido e patenteado pela MVC, o RTM-S reúne o acabamento superficial de alta qualidade oferecido pelos termoplásticos, com a durabilidade, maior resistência mecânica e menor custo de fabricação dos produtos termofixos.

O RTM-S consiste na moldagem do componente termofixo pelo processo RTM Light, também desenvolvido pela MVC, sobre uma peça ou película termoplástica, previamente moldada por Vacuum Forming. A tecnologia diminui custos e o impacto ambiental, elimina ou reduz o processo de preparação de pintura e da aplicação do Gel Coat, amplia a vida útil dos moldes e facilita a reciclagem.

O processo RTM-S destina-se inicialmente para a fabricação de peças externas com elevada exigência de acabamento superficial – com ou sem pintura – e resistência estrutural, como carenagens externas de ônibus e caminhões, e componentes internos texturizados e/ou estruturais. O resultado é um produto que alia maior resistência mecânica e superior acabamento superficial.

Em sua 3ª. edição, o Encontro Regional ABMACO procura disseminar novas tecnologias de compósitos no mercado brasileiro. Os assuntos abordados no evento serão os processos de SMC, RTM, Infusão, Injeção de PU e moldagem com fibras naturais, além da apresentação dos mais novos materiais e aplicações.

Fonte: Abmaco /Secco Consultoria de Comunicação

ABMACO participa de jornada chilena sobre tecnologia de materiais compósitos

02/09/2010

Executivos da Associação Brasileira de Materiais Compósitos e de empresas associadas serão os responsáveis pela apresentação da maioria dos cursos

A Associação Brasileira de Materiais Compósitos (ABMACO) será destaque da II Jornada de Capacitação em Tecnologias Avançadas de Materiais Compósitos, evento que acontece entre 06 e 10/09, na cidade de Santiago, Chile.

Organizada pela transformadora de compósitos Fibrovent – empresa do grupo SAME –, a rodada de seminários contará com diversos cursos e palestras de executivos da ABMACO, bem como de representantes de empresas associadas.

Nos dois primeiros dias, Gerson Marinucci, professor do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) e instrutor da ABMACO, apresentará o curso “Análise de Tensões e Deformações em Compósitos Estruturais”. Em 08 e 09/09, Paulo Camatta, gerente executivo da associação e gerente técnico do Centro Tecnológico de Compósitos (CETECOM), será o responsável pelos cursos “Introdução aos Compostos Poliméricos Termofixos”, “Processo RTM Light” e “Processo de Infusão”.

Camatta volta a se apresentar no dia 10/09, com a palestra “Materiais Compósitos e Tecnologias Avançadas”. A seguir, Gilmar Lima, presidente da ABMACO, falará sobre o desenvolvimento do mercado brasileiro. A participação do Brasil no evento chileno termina com as palestras de Erivelto Mussio (MVC Plásticos) e Ademir de Marchi (Reichhold), ambas sobre aplicações de materiais compósitos na construção civil.

“O trabalho da ABMACO está se tornando uma referência para os demais países da América do Sul. Prova disso é que a nossa participação na jornada chilena do ano passado foi bem menor, com apenas três cursos”, lembra Camatta. De fato, a influência da associação brasileira aumenta a cada dia, tanto é que, segundo Víctor Poblete, gerente da Fibrovent, o Chile deve se espelhar na ABMACO para criar a sua própria associação. “Para isso, será fundamental contarmos com o apoio de uma organização como a brasileira”, ele comenta.

Para Poblete, o evento organizado pela Fibrovent ajudará a fortalecer os laços entre as indústrias chilena e brasileira de compósitos. “Cada vez mais as empresas dos dois países se relacionam comercialmente. E um encontro como esse, baseado em inovação e intercâmbio tecnológico, será extremamente benéfico para ambos os países”.

Fonte: SLEA Comunicação

Setor de compósitos deve crescer 11% em 2010

26/08/2010

Associação Brasileira de Materiais Compósitos (ABMACO) projeta faturamento de R$ 2,49 bilhões

O setor brasileiro de materiais compósitos deve fechar 2010 contabilizando um faturamento de R$ 2,49 bilhões, cifra 11% maior que a do ano passado. Em volume consumido, a expectativa é de 210.000 toneladas, contra 183.000 em 2009 (aumento de 14,7%). Os números fazem parte da última pesquisa de mercado contratada pela Associação Brasileira de Materiais Compósitos (ABMACO) – divulgados trimestralmente, esses levantamentos são feitos desde 2008.

No primeiro semestre, a indústria representada pela ABMACO faturou R$ 1,23 bilhões. Frente a igual período de 2009, o crescimento foi de quase 20%. Já em relação ao segundo semestre do ano passado, a evolução não passou de 1%. “Isso mostra que conseguimos manter o bom patamar em que fechamos o segundo semestre de 2009, mas temos ainda muito a melhorar e crescer”, analisa Gilmar Lima, presidente da ABMACO.

Os dados trimestrais não contemplam a divisão de consumo por segmento – é consolidada somente no final de cada ano –, mas Lima acredita que construção civil, transportes e energia eólica permaneçam liderando a demanda. “Há projetos importantes acontecendo nessas três áreas, e os materiais compósitos são vistos como primeira opção em muitos deles”, afirma.

Em 2009, a construção civil respondeu por 41% do total de compósitos transformados no país. Energia eólica ficou em segundo lugar, com 36%, enquanto as montadoras – sobretudo as que fabricam ônibus, caminhões e veículos agrícolas –, tiveram participação de 11%. Sob o ponto de vista do faturamento, contudo, o setor de transportes ficou em primeiro lugar, com 31%, sucedido por energia (27%) e construção civil (16%). Isso se deve ao maior valor agregado das peças usadas em veículos – pára-choques, tetos e capôs, por exemplo – bem como das pás eólicas, em contraste às caixas d água, telhas e banheiras, principais representantes dos compósitos nas lojas de material de construção.

Fonte:  SLEA Comunicação / ABMACO

ABMACO organiza no RJ o seminário “Compósitos na Copa de 2014”

03/08/2010

Entidade pretende mostrar que o setor brasileiro de compósitos está preparado para aproveitar as oportunidades de negócios geradas pela competição

A Associação Brasileira de Materiais Compósitos (ABMACO) realiza no próximo dia 12, no Rio de Janeiro (RJ), o seminário “Compósitos na Copa de 2014”. Sete especialistas no material, mais o renomado designer Índio da Costa, se apresentarão para um público formado por representantes de construtoras, bancos, governos, universidades e sociedade em geral.

“A Copa do Mundo propiciará inúmeras oportunidades de negócios para o setor brasileiro de compósitos, algo em torno de R$ 800 milhões até 2014. E, com esse evento, mostraremos que temos plenas condições de aproveitá-las”, afirma Gilmar Lima, presidente da ABMACO.

Os materiais compósitos são resultantes da combinação entre resinas plásticas e reforços, sobretudo fibras e tecidos de vidro. Ao dar forma a mais de 40.000 produtos em todo o mundo, os compósitos combinam leveza e extrema resistência. No Brasil, a construção civil lidera o seu consumo, seguida pelas indústrias de geração de energia – eólica, principalmente – e transporte. Em 2009, o setor representado pela ABMACO movimentou R$ 2,24 bilhões, cifra que deve crescer, conforme estimativa da associação, 11% este ano.

“Por se tratar de um material bastante versátil, participaremos da maioria dos investimentos necessários para a realização da Copa no Brasil”, garante o presidente da ABMACO. A gama de aplicações é tão vasta que os compósitos são transformados em peças de veículos leves e pesados, tubos, tanques, pisos, assentos, escadas, coberturas e mobiliário urbano em geral (pontos de ônibus e caixas eletrônicos, entre outros).

O seminário “Compósitos na Copa de 2014” contará com a seguinte programação:

13h – Credenciamento
13h30 – “Utilização dos compósitos como diferencial estratégico”, Gilmar Lima (ABMACO)
14h – “Uso dos adesivos estruturais na infraestrutura da Copa de 2014”, Paulo Steiner (LORD)
14h30 – “Destaque aos compósitos feitos em SMC e BMC para a Copa de 2014”, Ademir de Marchi (Reichhold)
15h – “Mobiliário urbano e sistemas construtivos em compósitos poliméricos de alto desempenho”, Fabrício Lima e Erivelto Mussio (MVC Plásticos)
15h30 – Coffee break
15h50 – “Aplicação do propileno glicol como vantagem competitiva”, Jair Maggione (Dow)
16h20 – “Aplicações de perfis pultrudados na construção civil”, Antonio Eusébio (Pultrusão do Brasil)
16h50 – “Fibras de vidro para reforço com resistência alcalina para utilização em concreto”, Daniela Gomes de Araújo (Owens Corning)
17h30 – “Pensando design”, Índio da Costa (designer)

Para mais informações, acesse www.abmaco.org.br

Fonte:  SLEA Comunicação

ABMACO promove seminário sobre uso e oportunidades para Compósitos na Copa de 2014.

11/06/2010

A ABMACO – Associação Brasileira de Materiais Compósitos promoverá no dia 12 de agosto, às 13 horas, no Rio de Janeiro,  o seminário “Compósitos na Copa de 2014”. Neste evento,  a associação abordará alguns temas, como:  Oportunidades de desenvolvimento, onde usar os compósitos/viabilidade econômica, mobiliário urbano e sistemas construtivos em compósitos poliméricos de alto desempenho, como a construção em compósitos pode contribuir para a Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016, além da participação especial do designer Indio da Costa.                                             .

Evento gratuito com vagas limitadas. Inscrições e mais informações através do telefone (11) 3719-0098 ou pelo e-mail: marketing@abmaco.org.br

Fonte: ABMACO