Posts Tagged ‘ABIPET’

PETtalk, encontro da Indústria do PET, será realizado durante a Plástico Brasil 2019

15/03/2019

Principal encontro anual para o setor de embalagens PET acontece nos dias 27 e 28 de março como parte integrante da programação da Feira Internacional do Plástico e da Borracha

Realizado pela Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET), o PETtalk é o maior encontro do ano para o setor de embalagens PET. Durante os dias 27 e 28 de março, serão apresentadas e debatidas novas tecnologias, cenários e temas atuais desta indústria. Pela segunda vez, o evento integra a programação técnica da Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo.

O PETtalk 2019 oferece uma série de palestras nacionais e internacionais com conteúdo para toda a cadeia industrial das embalagens de PET e abre espaço para o debate das soluções mais atuais na produção das embalagens fabricadas com o material. Tecnologias orientadas para o segmento, legislação para o setor de embalagens e as tendências que orientarão decisões também fazem parte da programação.

As empresas palestrantes do PETtalk 2019 são:

  • Fabricantes de Resinas: PQS e Indorama
  • Embalagens e transformação: Amcor (Produção de Preformas e embalagens), Globalpet (Reciclagem Bottle-to-Bottle)
  • Tecnologias: Gneuss (Sistemas de filtragem processamento de PET), Husky (Líder mundial em sistemas para produção de Preformas PET), Krones (Máquinas e linhas completas de enchimento e empacotamento para fábricas de alimentos e bebidas), Piovan (Sistemas periféricos para a indústria do plástico, alimentos e refrigeração industrial), Bühler (Sistemas de Separação para Flakes e Pellets plásticos)
  • Reciclagem: 3Rios (A empresa fará um comparativo entre a Reciclagem de PET para o Mercado Têxtil e o de Embalagens)
  • Consultoria e dados de mercado: PCI WoodMackenzie (Tema: O comportamento do mercado Internacional de resinas virgens e reciclagem), Euromonitor (focalizará as tendências dos diversos mercados de bens de consumo).

Para Auri Marçon, presidente da Abipet, a abrangência da programação, com envolvimento dos vários elos da cadeia, reflete não só o quadro de associados mas também a própria atuação da entidade. “Realizar o PETTalk dentro de uma feira do porte da Plástico Brasil é uma forma de mostrar para todo o setor nosso modelo de gestão integrada, em que cada elo participa, tem voz, é ouvido e dá sua contribuição. As soluções de inovação no mundo moderno surgem desta integração, onde ninguém sozinho tem todas as respostas”.

Completam estas apresentações um apanhado completo da Abipet sobre o mercado do PET no Brasil, atualizações sobre a legislação brasileira para o setor, em especial as novidades da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010), e o NetPETworking, o grande encontro anual dos profissionais do setor.

O PETtalk é voltado para diretores, CEOs, presidentes e representantes de áreas técnicas e comerciais – usuários e desenvolvedores de embalagens – além de pesquisadores e outros profissionais envolvidos direta e indiretamente com o mundo das embalagens.

O investimento é de R$ 750,00 e as inscrições se encerram no dia 22. Grupos e associados da Abipet contam com condições especiais. O formulário de inscrições e demais informações estão disponíveis no endereço https://bit.ly/2Hjot0K.

PETtalk 2019 – Conferência Internacional da Indústria do PET
São Paulo Expo (Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5)
Dias 27 e 28 de março, durante a Plástico Brasil 2019 – Mezanino – Sala 204
Horários: das 8h às 17h (dia 27) e das 8h às 14h (dia 28).
Mais informações no site http://www.pettalk.org.br

Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 800 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais apóiam ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º ABINFER BUSINESS CENTER – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel, SENAI – Escolar Móvel de Indústria 4.0 e o SMED (Single Minute Exchange of Die).

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações que visam não só colaborar com a preservação do meio ambiente, mas também inspirar os fornecedores, transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

 

Anúncios

PETtalk, conferência do setor de embalagens de PET, acontecerá durante a Interplast 2018 em Joinville

12/07/2018

Mais uma vez a cadeia produtiva das embalagens de PET se reunirá para o maior encontro do setor: o PETtalk. Com o apoio da Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – o evento acontecerá nos dias 15 e 16 de agosto, em Joinville, Santa Catarina, reunindo os principais executivos e profissionais do setor.

O PETtalk é uma conferência que reúne a cadeia produtiva das Embalagens de PET, seus clientes e parceiros – além dos interessados em conhecer mais sobre o setor. Atrai quem está diretamente ligado à produção ou reciclagem das embalagens de PET, mas a amplitude de informações é relevante também para os Brand Owners que utilizam as embalagens, fornecedores de insumos e equipamentos e todos os interessados e envolvidos, direta ou indiretamente, com o setor do PET.

O encontro entre os profissionais é um dos pontos altos do evento. Na edição anterior, mais de 75% da assistência foi formada por diretores e gerentes. Os profissionais têm a oportunidade de trocar cartões, rever amigos e antigos parceiros de trabalho, renovar contatos, debater sobre as oportunidades.

A programação do PETtalk 2018 vai apresentar novidades tecnológicas, tendências e a evolução do mercado, casos de sucesso e novas aplicações do PET para embalagens. A reciclagem do material, novos usos para o reciclado e as legislações que atingem o setor, como a Política Nacional de Resíduos Sólidos, ou as novas exigências para obtenção de licença de funcionamento, por exemplo, também estão entre os temas tratados.

Inscrições podem ser feitas pelo site http://www.pettalk.org.br, onde também serão publicadas e atualizadas periodicamente as informações sobre o PETtalk 2018, programações e investimentos. O PETtalk é organizado e realizado pela Abipet – Associação Brasileira da Indústria do PET. A entidade, fundada em 1995, tem como associados os Fabricantes da resina PET, os Fabricantes de Preformas e Embalagens de PET, Recicladores do material e as principais empresas de Tecnologia do setor.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no

PETtalk define temas que serão apresentados na Plástico Brasil

17/03/2017

Novidades tecnológicas em processos e sistemas industriais, reciclagem, meio ambiente, design, Política Nacional de Resíduos Sólidos e apresentação de números do setor fazem parte da programação que será oferecida aos visitantes em dois dias da feira, 21 e 22 de março

Tradicional encontro para apresentar novas tecnologias, cenários e temas atuais e relevantes do segmento,  este ano o PETtalk – Conferência Internacional da Indústria do Plástico será realizado durante a Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, no São Paulo Expo. Promovido pela ABIPET – Associação Brasileira da Indústria do PET, o evento ocupa parte da programação técnica de dois dias da feira, 21 e 22 de março. O conteúdo vai tratar de sistemas de injeção, para condicionamento da resina e para fechamento e rotulagem; aditivos e pigmentação; resina PET; processos de envase e equipamentos; entre outros temas.

Dentro do macro tema da Reciclagem, serão abordados: equipamentos para separação óptica; pós-condensação; filtragem; e soluções para bottle-to-bottle. Design de embalagem e ecodesign também fazem parte da grade, assim como a apresentação dos números do setor (consumo de resina PET, mercados consumidores de embalagens de PET, tendências de consumo e Reciclagem).

A Política Nacional de Resíduos Sólidos, em vigor desde 2010, mais uma vez recebe atenção no PETtalk, dado seu impacto direto na indústria de embalagens, apontada pela legislação como corresponsável pela destinação adequada dos resíduos.

O encontro é voltado para fabricantes de máquinas e equipamentos, prestadores de serviços, usuários das embalagens (brand owners), produtores de resinas e preformas, sopradores, recicladores e outros profissionais ligados à cadeia produtiva. As inscrições para PETtalk na Plástico Brasil estão abertas e podem ser feitas no site da ABIPET (www.abipet.org.br). O investimento é de R$ 340 para associados da entidade e R$ 620 para não associados. As vagas são limitadas.

Fonte: Assessoria Técnica – Plástico Brasil

Curta nossa página no

Abipet realiza PETtalk Sul durante a Interplast, em Joinville

21/07/2016

Pet-talk-sulA Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET) apóia institucionalmente a Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico, que acontece de 16 a 19 de agosto, em Joinville (SC) e aproveitará a oportunidade para aproximar ainda mais a indústria de embalagens de PET de seus usuários.

No segundo dia da feira (17), das 13h às 21h, a instituição realizará o PETtalk Sul e levará informações de mercado, tecnologia e novidades do setor, além de proporcionar oportunidade para networking.

A programação do evento contará com as seguintes apresentações:

  • PQS – PetroquimicaSuape: Resinas PET
  • Husky: Potencializando os clientes com tecnologias inovadoras
  • Krones: Sistemas de enchimento e tecnologias para envase de produtos sensíveis
  • Piovan: Periféricos e sistemas de secagem de alta performance com redução no consumo de energia
  • Colormatrix: Pigmentação e aditivação
  • Gneuss: O Uso de PET Reciclado nas Embalagens Termoformadas para Alimentos – Qualidade com Segurança Alimentar
  • Polymetrix: As tendências nas instalações para reciclagem de plástico
  • CETEA – Centro de Tecnologia da Embalagem: PET-PCR para contato com alimentos: ensaios e os requerimentos para uso
  • Abipet – Censo da Reciclagem do PET no Brasil e números do mercado
  • Abipet: Como a Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos afeta seu negócio?

Inscrições e informações sobre valores pode ser obtidas pelo site http://www.pettalk.org.br ou através dos contatos (11) 3078-1688 / pettalk@pettalk.org.br.

A ABIPET, Associação Brasileira da Indústria do PET, é uma entidade sem fins lucrativos que reúne a cadeia produtiva do setor de PET: fabricantes da resina PET, fabricantes das embalagens de PET e seus recicladores. A Entidade representa cerca de 80% da Indústria do PET no Brasil e é a maior deste segmento em toda a América Latina. Fundada em 1995, a ABIPET tem como objetivos promover a utilização e reciclagem das embalagens de PET, incentivar o desenvolvimento tecnológico, aplicações para o PET reciclado e divulgar as ações do setor.

Como representante da Indústria de Embalagens de PET, a ABIPET divulga, incentiva e apoia o desenvolvimento de novas aplicações para o PET Reciclado, cumprindo o papel que cabe à indústria na preservação ambiental. A reciclagem de PET cresceu 16 vezes desde a fundação da entidade, criando todo um novo setor industrial que demanda o PET reciclado como insumo.

Serviço

PETtalk Sul
Data: 17 de agosto de 2016
Horário: 13h às 21h
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Informações: http://www.pettalk.org.br / pettalk@pettalk.org.br / (11) 3078-1688
Organização: Abipet

Fonte: Abipet / Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no

PETtalk apresentará novidades para a Indústria de PET em Recife

20/10/2015

pettalk_ne_pressA Abipet – Associação Brasileira da Industria do PET – está organizando a terceira edição do PETtalk, evento que se consolidou como o maior e mais importante encontro da indústria de embalagens PET.

Desta vez, o seminário acontecerá em Pernambuco. “O desenvolvimento dos últimos anos naquela região atraiu significativos investimentos, tanto de transformadores como de fabricantes de resina PET, gerando capacidade produtiva de altíssima escala”, diz Auri Marçon, Diretor Executivo da Abipet.

Entre os palestrantes, estarão os principais fornecedores de tecnologia em equipamentos e insumos para fabricação de embalagens de PET, tais como: Bühler, Colormatrix, Gneuss,Husky, Krones, Piovan, Polymetrix, além dos fabricantes de resinas PET M&G e Petroquímica Suape. Cases de aplicação das embalagens de PET serão apresentados pela fabricante de água mineral Lindoya Verão.

Serão também divulgados dados do mercado pela Datamark e uma visão atualizada sobre a Reciclagem de PET e a Politica Nacional de Resíduos Sólidos

O PETtalk NE acontece a partir das 14h30 do dia 04 de novembro, no Centro de Convenções de Pernambuco. A programação do evento está disponível no site http://www.pettalk.org.br, onde também são feitas as inscrições (valor = R$ 300,00)

Mais informações podem ser obtidas através do e-mail: pettalk@pettalk.org.br ou pelo telefone: (11) 3078-1688

Fonte: Abipet

Curta nossa página no

Reciclagem de Embalagens PET cresceu 12,6% em um ano

29/06/2013

Censo realizado pela Abipet mostra que, mesmo sem sistema de coleta seletiva, o Brasil deu destinação correta a 331 mil toneladas do produto em 2012

Reciclagem-PET

A reciclagem de embalagens de PET no Brasil deu um salto em 2012 e cresceu 12,6% em volume, ao passar das 294 mil toneladas que tiveram destinação adequada em 2011, para 331 mil toneladas no ano passado. Com esse resultado, o País atingiu um índice de reciclagem de 59%, mantendo seu excelente posicionamento como um dos maiores recicladores de PET do mundo – superando os Estados Unidos e até mesmo a média registrada na Europa.

Os números do 9.º Censo da Reciclagem do PET no Brasil foram divulgados nesta quarta-feira pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet), durante o  PETtalk 2013 – Conferência Internacional da Indústria do PET , realizado em São Paulo.

“Os números demonstram que existe uma demanda muito forte pelo PET reciclado, criada por um trabalho do próprio setor, que investe continuamente em inovação e novas aplicações para o material reciclado. Esse trabalho criou um ciclo virtuoso. Todo PET coletado tem destinação adequada garantida por uma indústria forte, diversificada e ávida por essa matéria-prima”, afirma Auri Marçon, presidente da Abipet.

O setor têxtil continua sendo o principal consumidor do PET reciclado, com 38,2% de participação, seguido das resinas insaturadas e alquídicas, com 23,9%. Outras embalagens (alimentos e não-alimentos) consomem 18,3% do volume reciclado. Laminados e chapas (6,4%), fitas de arquear (5,5%) e tubos (1,5%) são os outros principais mercados. Os 6,1% restantes ainda abastecem uma lista ampla de pequenas aplicações.

Coleta seletiva continua sendo o desafio

O presidente da Abipet, no entanto, chama a atenção para a necessidade de suprir essa demanda aquecida, sob pena de impacto no preço do produto coletado e consequente comprometimento da sustentabilidade do negócio. “O Brasil precisa investir em coleta seletiva, para que a indústria não seja prejudicada. Em muitos períodos do ano, as empresas recicladoras continuam com ociosidade que chega a 30% de sua produção, porque não encontram embalagem pós-consumo para reciclar”, alerta Marçon.

A solução aponta o executivo, é estimular as prefeituras a implantar, o mais rápido possível, a coleta seletiva e a separação das embalagens recicláveis, de forma a aumentar a recuperação do material descartado pela sociedade. “Isso, na verdade, é o que prega a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que exige responsabilidade compartilhada entre a sociedade civil, o setor privado e também do poder público. A indústria do PET investiu fortemente em reciclagem e hoje esses recicladores passam por um momento difícil, por não terem coleta suficiente para abastecer suas fábricas”, conclui o presidente da Abipet.

Fonte: Abipet

Curta nossa página no

Impactos da Política Nacional de Resíduos Sólidos sobre a indústria do PET estão na programação do PETtalk 2013

09/05/2013

Desde a regulamentação da Lei, detentores de marcas, distribuidores, atacadistas e a indústria de embalagem passaram a ter envolvimento direto na responsabilidade sobre o destino final dessas embalagens após o uso.  Apesar disso, e das implicações sobre cada empresa, nem todos os participantes desta importante cadeia estão adequadamente informados e/ou preparados sobre essas consequências.

Por esta razão, o tema será um dos tópicos abordados durante o PETtalk – II Conferência Internacional do PET, realizado pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet), nos dias 26 a 27 de junho .

A Abipet já vinha desenvolvendo sua atuação de forma a preparar toda a indústria do PET para atender à nova Lei. Mais do que isso, transformou essa tarefa em uma vantagem competitiva para enfrentar a concorrência de outras embalagens. Isso poderá ser verificado durante a apresentação da nova edição do Censo da Reciclagem do PET no Brasil. A expectativa é de que o índice de reciclagem das embalagens de PET no País se mantenha à frente de várias nações desenvolvidas, pois em 2011 esse índice alcançou 57,1% .

Em complementação às informações legais e mercadológicas, serão compartilhadas experiências e divulgadas as tecnologias mais atuais do planeta, adotadas por  recicladores, transformadores e brand owners tanto no Brasil como em outras partes do mundo.

Durante os dois dias de realização do PETtalk, a programação inclui outros temas e palestras, todos inéditas, que se caracterizam pelo aprofundamento técnico e conteúdo informativo. O bloco temático, que tratará das soluções do setor para envase de leite e lácteos no geral, promete várias novidades, inclusive internacionais – além da apresentação de um amplo estudo sobre estes mercados no Brasil e América Latina.

As inscrições para o o PETtalk – II Conferência Internacional do PET, que neste ano ocorre nos dias 26 e 27 de junho, no Holiday Inn Anhembi, em São Paulo, já podem ser feitas pelo endereço http://www.pettalk.org.br. O site ainda contém a programação completa do evento e demais informações.

Fonte:  WN&P / Abipet

Curta nossa página no

Reciclagem de PET apresentou forte crescimento em 2011.

13/06/2012

Brasil consolida posição entre os líderes mundiais da atividade

O Brasil mantém a sua posição entre os líderes da reciclagem de PET no mundo. Em 2011, o País deu a destinação correta a 294 mil toneladas de embalagens de PET pós-consumo, o que representa 57,1% das embalagens descartadas pelo consumidor. Os números do 8.º Censo da Reciclagem do PET no Brasil, divulgados pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet), durante a Rio + 20, também trazem outros dados animadores.

Os detalhes foram apresentados durante a I Conferência Internacional da Indústria do PET, realizada no Hotel Renaissance, em São Paulo, entre 11 e 12 de junho. O evento reuniu mais de 340 participantes de 21 países, entre produtores de resina, recicladores, fabricantes e usuários da embalagem, máquinas e equipamentos, ao lado de consultores e especialistas internacionais, que falaram das principais tendências deste mercado.

Números mostram crescimento

O volume total reciclado em 2011 corresponde a um aumento de 4,25% em relação às 282 mil toneladas recicladas em 2010. Esse índice é mais do que o dobro do crescimento registrado na produção de novas embalagens, que mesmo enfrentando a crise mundial, foi de 2% em 2011. Atualmente, com faturamento de R$ 1,2 bilhão, a reciclagem responde por mais de um terço de todo o faturamento da indústria do PET no Brasil.

“Isso mostra que, apesar das dificuldades em relação à coleta seletiva, o trabalho da indústria, no sentido de gerar demanda para o PET reciclado, contribui fortemente para o desenvolvimento da atividade”, afirma o presidente da Abipet, Auri Marçon. “Além disso, coletamos, reciclamos e aplicamos o material reciclado em nosso próprio território. Não exportamos as embalagens pós-consumo, como fazem algumas nações desenvolvidas, que têm bons sistemas de coleta, mas enviam seus resíduos sólidos urbanos para serem reciclados em países em desenvolvimento”, afirma.

Destinação do PET reciclado

O mercado têxtil continua sendo o principal destino de todo do PET reciclado no Brasil. O setor responde pelo uso de aproximadamente 40% de todo o material. O segundo lugar, com 18% cada um, é dividido entre os setores de embalagens e o de aplicações químicas. “A indústria têxtil continua sendo a grande aposta, mas nos chama a atenção o fantástico crescimento da utilização do PET reciclado na fabricação de uma outra embalagem, o chamado bottle-to-bottle, que teve vários projetos lançados nos últimos dois anos”, destaca Marçon.

O potencial de todos esses mercados é confirmado pelos 409 recicladores entrevistados. Desses, 42% afirmam que o setor têxtil continuará apresentando o maior crescimento na utilização do PET reciclado. Para outros 33%, as embalagens de alimentos representam o segmento mais promissor para a reciclagem do PET. A novidade é que 8% desses recicladores acreditam que as aplicações técnicas para o mercado automotivo ganharão destaque nos próximos anos.

Fonte: Abipet / WN & P Comunicação

Curta nossa página no

Inscrições para o Prêmio ECOPET são prorrogadas até o dia 07 de outubro.

05/09/2011

Áreas acadêmica e industrial ganham destaque na edição deste ano

 Em razão dos pedidos feitos por alguns candidatos, a organização do Prêmio EcoPET decidiu prorrogar as inscrições para a 12.ª edição do evento, que agora podem ser feitas até o próximo dia 07 de outubro. A premiação é realizada todos os anos pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet) e, nesta versão de 2011, conta com novidades entre suas seis categorias, nos campos acadêmico e industrial.

 A nova categoria Pesquisas Acadêmicas inclui trabalhos desenvolvidos por universitários ou instituições de ensino superior, públicas ou privadas, que contribuam para a reciclagem das embalagens de PET pós-consumo, em qualquer fase do processo. Em Tecnologia, outra novidade deste ano, serão contemplados os investimentos privado e industrial feitos em processos e desenvolvimentos de produtos que utilizem o PET reciclado em sua composição, já funcionais, que estejam ou não em comercialização.

 “As alterações realizadas no Prêmio visam contemplar a nova realidade da reciclagem no Brasil, a partir da implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. As transformações que vão ocorrer nos próximos anos exigirão uma contrapartida por parte de pesquisadores e empresas, no sentido de aperfeiçoar processos e encontrar novas aplicações para o material reciclado”, afirma Auri Marçon, presidente da Abipet.

 Ao todo, o Prêmio EcoPET distribuirá R$ 9 mil e um computador portátil entre os vencedores, cujos trabalhos deverão contemplar, obrigatoriamente, a reciclagem do PET. Além de Pesquisas Acadêmicas e Tecnologia, as demais categorias são:

 · Educação Ambiental: projetos efetivos de instituições de ensino, associações, cooperativas e quaisquer entidades sem fins de lucro, ou indivíduos, que atinjam a população com idéias e conceitos sobre consumo consciente, destinação adequada e separação de resísuoa sólidos urbanos e reciclagem;

· Coleta e Separação: ações desenvolvidas por entidades sem fins de lucro e/ou órgãos governamentais, que efetivamente incrementem a coleta local ou regional de embalagens pós-consumo;

· Ação de Empresa: ações ou projetos efetivos de pssoas jurídicas que estimulem a separação e coleta de materiais recicláveis, interagindo com a comunidade e contribuindo para a disseminação da reciclabilidade de PET;

· Reportagem Ambiental: reportagem, artigo ou série de reportagens publicadas em mídias de qualquer tipo, por veículo de cunho jornalístico, que valorize ações em prol da reciclagem e/ou a utilização de material reciclado em novos produtos.

 Os trabalhos escolhidos serão conhecidos em cerimônia realizada na cidade de São Paulo. Os finalistas das categorias Coleta e Separação, Educação Ambiental e Pesquisas Acadêmicas apresentarão seus trabalhos para um corpo de jurados e a platéia, com direito a voto. Os vencedores das demais categorias serão escolhidos por uma Comissão Analítica.

 O regulamento e a ficha de inscrição do Prêmio EcoPET – que tem preenchimento obrigatório – estão disponíveis na página da Abipet na Internet (www.abipet.org.br). Além do e-mail, os formulários e a descrição dos trabalhos também podem ser entregues pessoalmente na secretaria da Associação ou enviados por correio.

 Os inscritos também precisam enviar à Abipet o material de apoio de cada categoria, que podem ser textos, vídeos, fotos, publicações, equipamentos, entre outros itens que contribuam para melhor entendimento do trabalho. Também poderão ser entregues pessoalmente na sede da Abipet ou enviados por correio ou e-mail.

 Sobre a Abipet e a reciclagem

 Fundada em 1995, a Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet) é uma entidade sem fins lucrativos que reúne a cadeia produtiva do setor de PET do Brasil. A Associação é a maior representante do segmento em toda a América Latina e congrega fabricantes da resina, transformadores, sopradores e recicladores de todo o mercado brasileiro.

 O Prêmio EcoPET, criado em 1995, é uma das principais ações do calendário anual da entidade, que incentivam e destacam a importância da preservação do meio ambiente por meio da reciclagem do PET. As campanhas educativas e iniciativas da entidade têm sido decisivas para posicionar o Brasil entre os maiores recicladores mundiais do material.

 O 7.º Censo da Reciclagem do PET no Brasil, realizado pela Abipet, mostrou que o País recicla 56% das novas embalagens produzidas. Como resultado, o País consolida a sua posição como um dos líderes na atividade, à frente de Estados Unidos e União Européia. São mais de 500 empresas em todo o Brasil, que geram um faturamento de aproximadamente R$ 1,2 bilhão.

Fonte: Abipet / WN&P Comunicação

Volume de PET reciclado cresceu 7,6% no Brasil em 2010.

26/08/2011

Falta de coleta seletiva continua sendo o principal entrave para ampliação da reciclagem no País

 Com as 282 mil toneladas de embalagens pós-consumo que receberam destinação adequada em 2010, o Brasil manteve a posição de destaque entre os maiores recicladores de PET do mundo. Embora o País não conte com sistemas de coleta seletiva abrangentes, o volume de PET reciclado no ano passado resulta em um crescimento de 7,6% sobre as 262 mil toneladas registradas em 2009.

 Os números fazem parte do 7.º Censo da Reciclagem do PET no Brasil, divulgado nesta terça-feira (23/8) pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet). O levantamento indica que a alta demanda pelo PET reciclado continua garantindo a sustentabilidade, inclusive econômica, da atividade. No entanto, também mostra que ainda é grande a dificuldade da indústria para ter acesso à embalagem pós-consumo, que muitas vezes não tem a destinação adequada.

 De acordo com Auri Marçon, presidente da Abipet, o Brasil precisa implantar o quanto antes um sistema de coleta seletiva eficiente, para continuar avançando nos índices de reciclagem. “As empresas do setor do PET investiram em capacidade de reciclagem e em inovação. Mas o parque instalado tem forte ociosidade e será difícil continuar crescendo sem um sistema público de coleta seletiva que possibilite o retorno das embalagens pós-consumo à indústria.”

 O 7.º Censo da Reciclagem do PET mostra que o Brasil dá a destinação adequada a 56% do total de embalagens PET consumidas. Esse material reciclado alimenta uma indústria diversificada, onde o maior usuário continua sendo o setor têxtil, com 38% do total reciclado. Em seguida estão as resinas insaturadas e alquídicas (19%), embalagens (17%), laminados e chapas (8%), fitas de arquear (7%), tubos (4%) e outros (7%).

 A indústria da reciclagem do PET fechou o ano de 2010 com faturamento de R$ 1,18 bilhão, acima do R$ 1,09 bilhão registrado no ano anterior. Esse valor já corresponde a 36% de todo o faturamento do setor do PET no ano passado (embalagens PET mais produtos reciclados), que foi de R$ 3,27 bilhões.

COMPARATIVO COM OUTROS PAÍSES MOSTRA BRASIL BEM POSICIONADO

O estudo realizado pela ABIPET  faz a comparação entre a reciclagem do PET no Brasil e em algumas dezenas de outros países. O objetivo foi demonstrar como algumas variáveis – número de habitantes, índice de escolaridade, tamanho do território e concentração da população urbana, entre outras – interferem no desempenho da coleta e destinação das embalagens pós-consumo.

 No geral, o trabalho mostra o Brasil bem posicionado e, dentro de algumas variáveis, com desempenho superior aos de Itália e Espanha, ou mesmo dos Estados Unidos. Na comparação com nações que possuem características semelhantes de desenvolvimento, como Austrália, Argentina e México, a situação brasileira é de clara vantagem.

 Os países estudados pela Abipet são: Alemanha, Argentina, Austrália, Brasil, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Japão, México, Polônia, República Tcheca, Suíça e Turquia. O trabalho fez o cruzamento de informações provenientes de instituições como Organização das Nações Unidas (ONU), Fundo Monetário Internacional (FMI), Economist Intelligence Unit, da própria Abipet, além da PETCORE e NAPCOR (entidades internacionais do setor do PET).

 “O Brasil ainda apresenta um importante diferencial entre todas as nações analisadas. É um dos poucos, se não for o único, que coleta, recicla e aplica todo o PET reciclado em seu próprio território”, afirma Auri Marçon, presidente da Abipet.

 Caminho correto

 Além do bom posicionamento global do Brasil, o estudo também destaca o excelente desempenho de Alemanha, França, Japão, República Tcheca e Suíça. Além da pequena área territorial, número reduzido de habitantes e altos níveis de escolaridade, esses países têm em comum outros três aspectos que estão diretamente ligados ao bom resultado apresentado: o empenho da indústria local no sentido de reciclar seus resíduos; a existência de sistemas eficientes de coleta (em diferentes formatos); e muita publicidade destinada à população, sobre os benefícios da reciclagem.

 Em suas conclusões, o estudo da Abipet mostra que o Brasil, com o índice de 56% das embalagens de PET pós-consumo recicladas, parece caminhar em direção ao cenário vivido por essas nações mais desenvolvidas. O trabalho que a indústria realiza há 15 anos para promover a reciclagem é o que garante, hoje, a boa posição do País. Além disso, o Brasil começa a caminhar para a implantação de sistemas eficientes de coleta seletiva – em razão da regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, cujos acordos setoriais estão sendo discutidos – e para a difusão de conceitos de educação ambiental entre a população.

 “A recente campanha publicitária feita pelo Ministério do Meio Ambiente mostra a mudança de atitude e o empenho do governo federal no sentido de sensibilizar os cidadãos para a importância da reciclagem”, conclui o presidente da Abipet.

Fonte: ABIPET / WN&P Comunicação

 

Inscrições abertas para o Prêmio ECOPET 2011.

12/08/2011

Conferido todos os anos pela Associação Brasileira da Indústria do PET (ABIPET), o Prêmio EcoPET está com inscrições abertas para a 12.ª edição até o próximo dia 30 de agosto. A premiação conta com novidades entre suas seis categorias, com o objetivo de ampliar o incentivo ao desenvolvimento de novas tecnologias e aplicações para o PET reciclado nos campos acadêmico e industrial.

 A nova categoria Pesquisas Acadêmicas inclui trabalhos desenvolvidos por universitários ou instituições de ensino superior, públicas ou privadas, que contribuam para a reciclagem das embalagens de PET pós-consumo, em qualquer fase do processo. Em Tecnologia, outra novidade deste ano, serão contemplados os investimentos privado e industrial feitos em processos e desenvolvimentos de produtos que utilizem o PET reciclado em sua composição, já funcionais, que estejam ou não em comercialização.

 “As alterações realizadas no Prêmio visam contemplar a nova realidade da reciclagem no Brasil, a partir da implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. As transformações que vão ocorrer nos próximos anos exigirão uma contrapartida por parte de pesquisadores e empresas, no sentido de aperfeiçoar processos e encontrar novas aplicações para o material reciclado”, afirma Auri Marçon, presidente da ABIPET.

 Ao todo, o Prêmio EcoPET distribuirá R$ 9 mil e um computador portátil entre os vencedores, cujos trabalhos deverão contemplar, obrigatoriamente, a reciclagem do PET. Além de Pesquisas Acadêmicas e Tecnologia, as demais categorias são:

 · Educação Ambiental: projetos efetivos de instituições de ensino, associações, cooperativas e quaisquer entidades sem fins de lucro, ou indivíduos, que atinjam a população com idéias e conceitos sobre consumo consciente, destinação adequada e separação de resísuoa sólidos urbanos e reciclagem;

 · Coleta e Separação: ações desenvolvidas por entidades sem fins de lucro e/ou órgãos governamentais, que efetivamente incrementem a coleta local ou regional de embalagens pós-consumo;

 · Ação de Empresa: ações ou projetos efetivos de pssoas jurídicas que estimulem a separação e coleta de materiais recicláveis, interagindo com a comunidade e contribuindo para a disseminação da reciclabilidade de PET;

 · Reportagem Ambiental: reportagem, artigo ou série de reportagens publicadas em mídias de qualquer tipo, por veículo de cunho jornalístico, que valorize ações em prol da reciclagem e/ou a utilização de material reciclado em novos produtos

 Os trabalhos escolhidos serão conhecidos em cerimônia realizada na cidade de São Paulo. Os finalistas das categorias Coleta e Separação, Educação Ambiental e Pesquisas Acadêmicas apresentarão seus trabalhos para um corpo de jurados e a platéia, com direito a voto. Os vencedores das demais categorias serão escolhidos por uma Comissão Analítica.

 O regulamento e a ficha de inscrição do Prêmio ECOPET – que tem preenchimento obrigatório – estão disponíveis na página da ABIPET na Internet (www.abipet.org.br). Além do e-mail, os formulários e a descrição dos trabalhos também podem ser entregues pessoalmente na secretaria da Associação ou enviados por correio.

 Os inscritos têm até o dia 30 de setembro para enviar material de apoio de cada categoria, que podem ser textos, vídeos, fotos, publicações, equipamentos, entre outros itens que contribuam para melhor entendimento do trabalho. Também poderão ser entregues pessoalmente na sede da ABIPET ou enviados por correio ou e-mail.

 Sobre a Abipet e a reciclagem

 Fundada em 1995, a Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet) é uma entidade sem fins lucrativos que reúne a cadeia produtiva do setor de PET do Brasil. A Associação é a maior representante do segmento em toda a América Latina e congrega fabricantes da resina, transformadores, sopradores e recicladores de todo o mercado brasileiro.

 O Prêmio EcoPET, criado em 1995, é uma das principais ações do calendário anual da entidade, que incentivam e destacam a importância da preservação do meio ambiente por meio da reciclagem do PET. As campanhas educativas e iniciativas da entidade têm sido decisivas para posicionar o Brasil entre os maiores recicladores mundiais do material.

 O 6.º Censo da Reciclagem do PET no Brasil, realizado pela Abipet, mostrou que o País recicla 55,6% das novas embalagens produzidas. Como resultado, o País consolida a sua posição como um dos líderes na atividade, à frente de Estados Unidos e União Européia. São mais de 500 empresas em todo o Brasil, que geram um faturamento de mais de R$ 1 bilhão.

Fonte: Abipet

LevPet – Novo serviço da Abipet ampliará a coleta de embalagens

03/01/2011

Pela Internet, consumidores poderão saber qual é o ponto de destinação mais próximo.

A Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet) lança um novo serviço que vai contribuir para ampliar a coleta de embalagens de PET pós-consumo e melhorar ainda mais a posição que o Brasil já ocupa entre os maiores recicladores do material no mundo. Disponível pela Internet, o LevPet, que pode ser acessado a partir do endereço http://www.levpet.org.br ou pelo próprio site da entidade (www.abipet.org.br), fornece a localização exata dos pontos onde é possível fazer o descarte correto do PET.

O novo serviço da Abipet utiliza o sistema Google Maps, para fornecer uma lista de Pontos de Entrega Voluntária (PEVs), cooperativa de catadores, postos de coleta, comerciantes de recicláveis, ONGs, entidades assistenciais e recicladores que recebem o material reciclado de forma pulverizada nas cidades. Para encontrar o local mais próximo, basta a digitação do número do CEP.

Cadastro colaborativo

Com o novo serviço, a Abipet reforça a sua atuação para viabilizar o retorno dos materiais para a reciclagem. Também inova no sentido de permitir o crescimento da rede de coleta e de aperfeiçoar a atualização dos pontos de coleta que eram, até agora, uma das grandes dificuldades desses sistemas.

O banco de dados do LevPet é composto por informações de pesquisa da própria Abipet e seus associados, outras associações, empresas, prefeituras e redes do varejo, que permitiram a inauguração do sistema com quase mil pontos de coleta espalhados por todo o país. Além disso, seu conteúdo terá caráter colaborativo: poderá ser ampliado e/ou atualizado a partir de informações enviadas pelos próprios usuários. Para isso, o sistema oferece um campo específico para envio de mensagens que serão checadas pela Abipet antes de ficarem disponíveis para o público.

“Com o lançamento do LevPet, a indústria se antecipa à regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos e coloca à disposição da população um serviço que facilitará o descarte adequado e, consequentemente, ampliará o reaproveitamento de embalagens pós-consumo”, afirma Auri Marçon, presidente da Abipet.

Com a ferramenta, a Abipet oferece um serviço confiável e prático para os usuários que desejam contribuir para a defesa do meio ambiente. “Trata-se de mais uma demonstração do comprometimento do setor com a preservação do meio ambiente. Além disso, colabora para resolver o grande entrave que dificulta a ampliação da reciclagem em nossa indústria: a falta de um sistema público abrangente de coleta seletiva”, conclui o presidente da Abipet.

Fonte: WN & P COMUNICAÇÃO

Prêmio EcoPET 2010 tem inscrições prorrogadas.

06/09/2010

As inscrições para o prêmio EcoPET foram prorrogadas até o dia 30 de setembro. O Prêmio foi instituído pela ABIPET em 1999, com o objetivo de premiar as boas idéias e iniciativas em prol da reciclagem de materiais.

Mais informações no site: http://www.abipet.org.br/premio.php

Fonte: Abipet

Prêmio ECOPET 2010 está com inscrições abertas.

27/05/2010

O Troféu EcoPET, idealizado pela artista plástica Rita Maia.

O Prêmio EcoPET está de volta em 2010, com novidade nas categorias de Premiação: agora, artigos de confecção poderão ser inscritos na Nova Categoria Arte e Moda, que complementa a antiga categoria de artesanato.  A premiação ocorre nas seguintes categorias:

a) Educação Ambiental – projetos efetivos de escolas, associações, cooperativas e quaisquer entidades ou indivíduos que atinjam a população com idéias e conceitos sobre consumo consciente, separação de resíduos sólidos urbanos e reciclagem. A reciclagem de PET deverá estar necessariamente contemplada.
b) Pesquisas e Processos – pesquisas acadêmicas, máquinas ou projetos de novas tecnologias e aplicações que contribuam para a realização da reciclagem mecânica das embalagens pós-consumo de PET em qualquer fase do processo.
c) Coleta e Separação – serão contempladas as ações da coletividade, desenvolvidas por entidades sem fins de lucro e/ou órgãos governamentais, que efetivamente incrementem a coleta local ou regional de embalagens pós-consumo. A coleta e separação de PET deverão estar necessariamente contempladas. A participação de Projetos de Pessoas Jurídicas está contemplada na Categoria Ação da Empresa.
d) Ação da Empresa – ações ou projetos de pessoas jurídicas que estimulem a separação e coleta de materiais recicláveis, interagindo com a comunidade e contribuindo para a disseminação da reciclabilidade do PET.
e) Reportagem Ambiental – reportagem, artigo ou série de reportagens publicadas em mídias de qualquer tipo, por veículo de cunho jornalístico, que valorize ações em prol da reciclagem e/ou a utilização de material reciclado em novos produtos. A reciclagem de PET deverá estar necessariamente contemplada pela reportagem.
f) Arte e Moda – artigos de confecção e/ou realizados artesanalmente que possuam embalagens de PET como base e estrutura. Tais embalagens poderão receber pinturas, cortes, costuras e qualquer tipo de intervenção não industrial.

Para conhecer o regulamento completo, baixar as fichas de inscrição e obter mais informações sobre o prêmio podem ser obtidas no site da AbiPET (Associação Brasileira da Indústria do PET), no endereço: http://www.abipet.org.br/premio.php.

Fonte: ABIPET