Archive for the ‘Poliéster’ Category

Indústria Bandeirante lança garrafa fitness feita com poliéster da Eastman

27/07/2017

O galão, disponível em quatro cores, é leve e comporta 1,89 litros de líquido

Hidratação constante é mandatório no mundo fitness. Mas ter de carregar uma garrafinha para lá e para cá durante os treinos incomoda muitos atletas, pois a maioria das garrafas não é anatomicamente projetada para esse transporte e não comporta a quantidade de água necessária para beber na hora dos exercícios.

Para agradar a esse público exigente, a Indústria Bandeirante, empresa que produz embalagens plásticas para a indústria alimentícia e utilidades domésticas, acaba de lançar um mini galão com capacidade para 1,89 litro, um tamanho adequado para quem treina e consome suplementos. A garrafinha esportiva foi produzida com o polímero Eastman EastarTM EB062 e possui design diferenciado e atraente.

“O Eastman Eastar TM EB62 permite que o produto tenha um formato fácil de segurar, com alça ergonômica e confortável, além de uma aparência refinada, com aplicação de textura nas extremidades da garrafa”, diz Alessandra Lancellotti Ribeiro, Market Development Manager – Specialty Plastics da Eastman.

Heraldo Montagner, Diretor Comercial da Indústria Bandeirante, comentou: “Eastman Eastar TM EB62 nos permitiu lançar uma garrafa com um formato com bastante aderência às necessidades desse público da geração saúde. Ela é prática, sem abrir mão de ter um design mais atraente e unissex”, comenta Heraldo Montagner –

Não quebra e não absorve odores

Segundo a Eastman, o sucesso do produto no mundo fitness se deve ao fato de o plástico ser resistente às rachaduras causadas por quedas e por ser livre de BPA. Entre outras vantagens, afirma a empresa, o mini-galão fabricado com poliéster da família Glass Polymer é diferente de outros ofertados no mercado por ser livre de bisfenol A, não absorver cheiro e nem acumular resíduo. Sua utilização em academias vem conquistando os frequentadores, que utilizam suplemento durante os treinos. Leve e disponível em quatro cores, cada galão tem 25 cm e pesa em torno de 100g. Recomendações de uso incluem evitar o uso com líquidos quentes e lavar o acessório com água e detergente regularmente para eliminar bactérias.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Grupo ZKW e DSM desenvolvem novo módulo leve de iluminação LED para o Audi Q7

22/09/2015

A Royal DSM anunciou o uso de um novo grade de PET (Arnite® XL-T) no novo Audi Q7 em uma aplicação de faróis de automóveis que pode resistir a cargas térmicas extremas.

DSM-Arnite

Os faróis são uma característica distintiva-chave para a identidade de um carro e, atualmente, a iluminação LED, com as suas excelentes características de desempenho, é a vanguarda do design do farol automotivo. Eles também são um item essencial de segurança e devem ter um desempenho de acordo com os mais altos padrões internacionais. Os sistemas de iluminação LED, HID e halogéna, muitas vezes combinados em um único conjunto de farol, oferecem excelente desempenho, mas também colocam mais restrições sobre o uso de materiais e design. A luz solar irradiada nas múltiplas lentes de LED / HID cria aumentos de cargas térmicas localizadas superiores a 235 ° C.

Altas cargas de irradiação solar podem causar distorções térmicas e liberação de gases tanto de componentes funcionais como estéticos. Para superar isso, especialidades caras de polímeros de alto desempenho podem ser utilizadas ou, alternativamente, a proteção térmica pode ser obtida por escudos de metal que, todavia, adicionam peso e custos, além de restringir parâmetros de projeto.

Os componentes na montagem do farol podem sofrer degaseificação, tornar-se distorcidos, danificados ou podem até fundir sob tais condições severas. Componentes estéticos da guarnição também aumentam o desafio de desempenho, ao precisar atender às exigências de design para uma aparência superficial rigorosa nas cores preto ou cinza escuro, o que aumenta o problema resultante da carga térmica solar.

Segundo a DSM, o desempenho superior do seu poliéster Arnite XL-T, com uma temperatura de deflexão térmica (HDT) de 250° C, baixa liberação de gases e excelente acabamento superficial texturizado em cores escuras, atendem às exigências do designer e ampliam a liberdade na construção dos módulos de farol automotivo LED/HID.

A DSM afirma que o Arnite tem sido utilizado com sucesso por muitos anos na iluminação e em muitas outras aplicações automotivas elétricas e eletrônicas que exigem alto desempenho térmico e características de baixa degaseificação. Através de extensa experiência e compreensão das aplicações, a DSM desenvolveu tecnologia proprietária que ampliou a condutividade térmica do Arnite XL-T para superar outros termoplásticos de alta resistência ao calor, tais como a Polietersulfona (PES), Polieterimidas (PEI) e Poliftalamidas (PPA), sem o preço desses materiais ou outros problemas como o processamento crítico e a absorção de água. Um dos principais benefícios do Arnite XL-T, segundo a DSM, é o seu ótimo acabamento superficial quando texturizado, mesmo em moldagens com reforços de fibra de vidro.

Sylvana Wetscher, do Grupo ZKW, um fornecedor global de sistemas de iluminação para automóveis sediado base em Wieselburg, na Áustria, disse: “Inovação é a nossa base e nós fundamentamos a nossa reputação nos avanços pioneiros que continuamos a fazer em sistemas de farol automotivo. O Arnite XL-T nos permite projetar módulos de iluminação LED que atendem a todos os critérios de projeto estabelecidos por nossos clientes OEM, os quais tem reconhecido as vantagens que ele oferece para resolver o problema da carga térmica resultante da irradiação solar. Juntamente com o nosso parceiro DSM, temos conseguido o objetivo final de atender aos requisitos funcionais do módulo do farol, bem como de superar os problemas de distorção térmica e liberação de gases, sem redesenhos complexos e dispendiosos para insertos de metal ou escudos térmicos adicionais. Isto manteve o peso total em um valor mínimo, o que contribui para melhorar a economia de combustível e reduzir a pegada de carbono dos veículos. ”

Fonte: DSM

Curta nossa página no

PolyOne Mostra Soluções para Saúde na feira Compamed em Düsseldorf.

30/11/2011

A PolyOne Corporation, uma fornecedora global de materiais poliméricos especializados, serviços e soluções mostrou seu portfólio ampliado de soluções de saúde inovadoras durante a feira Compamed, ocorrida em Düsseldorf, na Alemanha, entre 16 a 19 de novembro.

A feira Compamed focaliza-se em fornecedores de equipamentos médicos e atrai cerca de 600 expositores e mais de 16.000 participantes. É realizada em conjunto com a Medica, a maior feira médica do mundo, atraindo mais de 130.000 participantes e 4.400 expositores.

A PolyOne mostrou toda a sua linha de produtos voltados para o segmento de equipamentos médicos.  As novidades no portfolio incluem os novos produtos OnColor ™ HC Plus transparente, soluções antimicrobianas WithStand ™ (lançamento para a Europa)  e outras soluções sob a marca NEU.

Linha transparente está disponível para aplicações médicas com copoliésteres.

O OnColor ™ HC Plus Transparente complementa a linha de cores em masterbatch para resinas opacas (certificadas em protocolos de teste USP Classe VI) e está atualmente disponível para copoliésteres Tritan ™ da Eastman para aplicações médicas , havendo também grades adicionais para Policarbonato, ABS e poliésteres a serem comercializados no primeiro trimestre de 2012. Os masterbatches OnColor ™ HC Plus são certificados segundo protocolos de teste USP Classe VI, como parte de um esforço para gerenciar riscos e aumentar a velocidade de lançamento de produtos no mercado de aplicações para saúde e fabricação de equipamentos médicos.

A Compamed 2011 também marcou o lançamento europeu da tecnologia de soluções antimicrobianas WithStand™ da Polyone. Esta tecnologia pode inibir o crescimento de bactérias, quando utilizado como aditivo em dispositivos médicos. Ela representa um esforço colaborativo entre a PolyOne e a SANITIZED AG, um dos produtores líderes mundiais da função de higiene antimicrobiana e de proteção de materiais nas áreas de têxteis e plásticos.

A NEU Specialty Engineered Materials LLC, uma subsidiária da PolyOne, também anunciou o lançamento da linha NEUsoft ™ – soluções em materiais para aplicações médicas. A série NEUsoft ™ são poliéteres transparentes ou formulações de TPU (Poliuretano Termoplástico) baseadas em poliésteres e blendas, possuindo boa elasticidade e também excelente abrasão e resistência ao rasgo. Estas formulações recentemente receberam certificações USP Classe VI e certificações ISO 10993. Devido ao fato de serem pré-certificados, os materiais NEUsoft ™ habilitam os fabricantes de equipamentos médicos a agilizarem o desenvolvimento de seus produtos e o processo de comercialização, dando-lhes a confiança necessária para avançar com os testes regulatórios de seus produtos.

Além disso, a NEU recentemente apresentou o serviço de Resposta Rápida NEUSpeed ™ , um serviço disponível globalmente que permite atender a um pedido dentro de um dia útil para um grupo seleto de formulações certificadas segundo a USP Classe VI e ISO 10993. Com este serviço, os pedidos serão atendidos nas instalações da NEU dentro de um dia útil após a recepção e serão despachados de acordo com o método de transporte especificado por cada cliente.

Compósitos de polímeros e metais oferecem proteção contra radiação.

A PolyOne também mostrou sua solução Trilliant ™ para proteção contra radiação, que oferece uma alternativa ao chumbo para proteção contra radiações. Estes compósitos de polímero-metal, que atendem às diretivas RoHS, protegem contra a radiação nos mesmos níveis oferecidos pelo chumbo, permitindo que os clientes PolyOne fiquem um passo à frente de mudanças regulatórias previstas na RoHS.

Sobre a PolyOne

A PolyOne Corporation teve receitas de US $ 2,6 bilhões em 2010 e é uma fornecedora de materiais poliméricos especializados, serviços e soluções. Sediada próximo a Cleveland, em Ohio, nos EUA, A PolyOne tem operações em todo o mundo. Para obter informações adicionais sobre a PolyOne, visite o site http://www.polyone.com.

Fonte: PolyOne (inclusive fotografias)

Eastman e Bekum realizam palestra e demonstração no Senai de Jundiaí sobre o processo de extrusão-sopro e aplicações de resinas de copoliéster.

18/11/2011

A Eastman Chemical do Brasil e a Bekum do Brasil realizaram no dia 8 de novembro, no SENAI Jundiaí, um Open House para convidados. Os participantes assistiram uma palestra dada pelas duas empresas envolvendo aspectos técnicos e possíveis usos para resinas de copoliéster .

Após a palestra, os convidados foram encaminhados a uma sopradora Bekum  que operava com a resina GN001, da Eastman, para produção de garrafas de 500ml sem alça. O GN001 é uma resina de PETg direcionada para o processo de extrusão sopro, conferindo ao produto final boas caracteristicas de transparência e brilho.

 As resinas copoliéster GN001 e EB062 são materiais transparentes, de fácil processamento, que se adequam muito bem aos equipamentos de extrusão-sopro. Por serem resinas obtidas de matérias primas da linha de produção do PET, podem ser recicladas junto com este, podendo, inclusive, ter o número “1” de reciclagem.

 “Os nossos copoliésteres não possuem plastificantes ou geram qualquer tipo de gás tóxico durante seu processamento. Possuem FDA para contato com alimentos, e não necessitam de materiais especiais para limpeza da máquina ou para suas paradas”, afirma Mauro Kohler, Representante da Área de Assistência Técnica da Eastman.

Fonte: Eastman

Fabricante de filmes de poliéster Terphane é adquirida pela americana Tredegar.

14/11/2011

A Tredegar Film Products Corporation, uma subsidiária da Tredegar Corporation, adquiriu a Terphane Holdings LLC,  uma empresa fabricante de filmes de poliésteres especiais que atende o mercado de embalagens flexíveis na America Latina e tem foco especial na America do Norte e Europa.

A Terphane tem sua sede no Brasil, é líder de mercado na produção de filmes de poliésteres de espessura fina na America Latina e tem participação crescente em nichos de mercado estratégicos nos Estados Unidos e Europa. Os filmes de poliésteres têm propriedades especiais, como resistência ao calor e barreiras de proteção, que fazem deles o componente ideal para o crescente mercado de embalagens flexíveis. A empresa opera com duas plantas produtivas (uma em Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco, Brasil, e outra em Bloomfield, Nova York, EUA), que produzem filmes primeiramente para aplicações em embalagens alimentícias e outros mercados industriais. A empresa desfruta de longos relacionamentos com clientes na America do Sul e com outros clientes internacionais.

“Nós estamos muito entusiasmados com a incorporação da Terphane na família Tredegar e acreditamos que essa expansão é um encaixe estratégico que irá alavancar as capacidades de ambas, Tredegar Film Products e Terphane,” disse Monica Moretti, Presidente da Tredegar Film Products. “Nós acreditamos que as forças da Tredegar Film Products e da Terphane em manufatura e soluções inovadoras, junto com a expansão global da nossa presença, irão alavancar nossa habilidade de servir os clientes.” Tredegar Film Products, uma empresa subsidiária da Tredegar Corporation, é uma das líderes globais na indústria de filmes plásticos com vasta experiência em manufatura e vendas líquidas de US$ 520 milhões em 2010. A  Tredegar Film Products atende vários mercados: cuidados pessoais, displays eletrônicos, embalagens flexíveis, materiais de construção e cuidados da saúde. Tredegar Film Products emprega aproximadamente 1.000 funcionários nas suas unidades produtivas na America do Norte, America do Sul, Europa e Ásia.

Fonte: Terphane

Indústria de compósitos projeta elevação de 8,2% na receita de 2011

05/05/2011

Faturamento do primeiro trimestre cresceu 16,3%. Nova pesquisa contratada pela ABMACO separa poliéster e epóxi

Fonte: Maxiquim

A indústria brasileira de materiais compósitos faturou R$ 715 milhões no primeiro trimestre, alta de 16,3% em comparação ao mesmo período do ano passado. O consumo de matérias-primas, porém, recuou 8,7%, totalizando 46.900 toneladas. A diferença entre os dois indicadores deve-se principalmente aos sucessivos aumentos nas cotações dos insumos petroquímicos – os compósitos são resultantes da combinação entre resinas termofixas (um tipo de plástico) e reforços, como as fibras de vidro. Os números fazem parte do último levantamento da Maxiquim, consultoria contratada pela Associação Brasileira de Materiais Compósitos (ABMACO).

O estudo da Maxiquim também projeta uma elevação de 8,2% na receita total do setor em 2011, alcançando R$ 2,796 bilhões – no ano passado, o faturamento foi de R$ 2,584 bilhões. Em relação ao consumo de matérias-primas, a consultoria estima que o Brasil processe 214.000 toneladas, volume 4,8% maior que o de 2010 (205.000 toneladas). Já o crescimento esperado do número de empregos é de 1,8%, perfazendo 75 mil vagas.

“Todos os segmentos que consomem os materiais compósitos devem crescer este ano, mas acreditamos que construção civil, geração de energia eólica e transportes serão responsáveis por índices ainda mais expressivos”, afirma Gilmar Lima, presidente da ABMACO. No caso da área de transportes, Lima destaca o impacto positivo que a antecipação das compras de caminhões e ônibus promoverá no resultado do último trimestre de 2011, por conta da entrada em vigor da norma Euro 5 no início de 2012 – os veículos ajustados à nova regulamentação, que controla a emissão de poluentes, são mais caros.

“Por outro lado, nos preocupa a escassez de mão de obra qualificada no nosso setor, bem como o aumento descontrolado dos preços dos principais insumos, a valorização excessiva do real e a crônica falta de investimentos governamentais em infraestrutura”, comenta.

Estudo separa poliéster e epóxi

Fonte: Maxiquim

Dessa vez, a pesquisa contratada pela ABMACO abordou de forma separada os compósitos de resina poliéster e os baseados em resina epóxi. No primeiro caso – 162.000 toneladas, ou 79% do total processado em 2010 –, a construção civil manteve o posto de maior consumidora do material, com 46%. A seguir, apareceram as montadoras, sobretudo as que fabricam veículos pesados e agrícolas, com 16%. Os mercados de corrosão (11%), saneamento (7%), energia elétrica (4%), náutico (3%), petróleo (1%) e outros (11%) completaram a lista.

As principais posições no ranking do consumo de matérias-primas se mantiveram quando o assunto foi participação no faturamento – no ano passado, os compósitos de poliéster geraram uma receita de R$ 2,011 bilhões. Mudaram, no entanto, os percentuais: construção civil (37%), transportes (24%), corrosão (15%) e saneamento (8%). O setor náutico, devido ao maior valor agregado das embarcações, respondeu por 6% da receita, ultrapassando o segmento de energia elétrica (2%). As demais aplicações ficaram com 7%.

Quanto aos processos de transformação, as tecnologias manuais (Hand Lay-up e Spray-up) apareceram bem à frente, como de costume, com 54,8%, seguidas por RTM (16,1%), Enrolamento Filamentar (9,8%), Laminação Contínua (6,2%), Pultrusão (4,6%), BMC/SMC (2,8%) e outros (5,6%).

Em relação aos compósitos cuja matriz polimérica é o epóxi, a geração de energia eólica deteve 87,7% de um faturamento total de R$ 573 milhões. Bem atrás, apareceram os setores de petróleo (5,9%), eletroeletrônico (2,1%) e outros (4,3%). O processo de infusão, que é empregado, por exemplo, na fabricação das pás eólicas, foi o mais usado pelos transformadores (92,3%). Ao todo, o país processou 43.000 toneladas de compósitos de epóxi em 2010.

Fonte: SLEA Comunicação – ABMACO

Quantiq apresenta novidades na Brasilplast

15/03/2011

Distribuidora está presente no evento com uma nova linha de elastômeros especiais da ExxonMobil e nova parceria para a distribuição de toda a linha de plásticos de engenharia.

A quantiQ, maior distribuidora brasileira de produtos químicos e petroquímicos do Brasil, marca presença na Brasilplast 2011 com novidades no portfólio de produtos e destaques nas parcerias.

“Nossa expectativa ao participar da feira é estar em contato direto com todo o mercado, otimizando reuniões com nossos clientes e fornecedores. Teremos a participação de técnicos internacionais da ExxonMobil, Mitsubishi e Lubrizol. Será uma excelente oportunidade para esclarecer dúvidas e verificar novas oportunidades de negócios”, explica Ricardo Verona, gerente da Unidade de Negócios Borracha, Termoplásticos e Masterbatch da quantiQ.

Para a Brasilplast, a UN tem como novidade a linha de elastômeros especiais Vistamaxx. Produzidos pela ExxonMobil, são soluções para poliolefinas. O produto confere transparência, elasticidade, flexibilidade e resistência ao impacto.

O Vistamaxx pode ser utilizado em diversas aplicações, tais como:
• Melhora das propriedades mecânicas para eletrodomésticos pequenos ou containers para alimentos
• Chapas transparentes para termoformagem ou embalagens de cosméticos
• Perfis flexíveis para indústria automotiva, de móveis e de interiores
• Dutos flexíveis, corrugados e mangueiras
• Baldes de uso doméstico e industrial ou cadeiras
• Bandejas termoformadas, tábuas de carne e utensílios domésticos
• Grama artificial
• Membranas de filtros
• Mamadeiras
• Confere propriedades ao Masterbatch
• Imãs flexíveis

Possui uma estrutura molecular única, resultado do processo de polimerização de metaloceno da ExxonMobil. Essa estrutura permite a formulação de uma morfologia especial de poliolefinas semicristalinas, que oferece suavidade, flexibilidade, elasticidade, resistência, durabilidade, transparência, excelente adesão ao Polipropileno (PP) e Polietileno (PE). Possui aprovação FDA e EU.

Mitsubishi
A quantiQ também anuncia uma nova parceria com a Mitsubishi, para a distribuição de toda a linha de plásticos de engenharia.
“Trata-se de um fabricante que dispõe de praticamente todas as linhas de produto, com homologação nas principais montadoras, qualidade reconhecida tanto na Europa quanto nos Estados Unidos e que estavam à procura de um parceiro para atuação no Brasil”, diz Ricardo Verona.

O primeiro produto já disponível para venda é a linha PC (Policarbonato) IUPILON. Possui resistência superior ao impacto, mais transparência, resiste a uma vasta gama de temperaturas (de -40°C a 120°C), excelentes propriedades de moldagem e estabilidade dimensional, excelente resistência às intempéries e alta capacidade de isolamento elétrico.

Além disso, o IUPILON atua com vários grades, com diferentes índices de fluidez com proteção UV e agente desmoldante, transparência, excelente resistência ao impacto, boa resistência térmica, excelente estabilidade dimensional e boas propriedades elétricas.

Aplicações do IUPILON:
• Automóvel e Transportes: copa do farol e componentes tail-light, painéis de instrumentos e aeronaves
• Construção: resina de extrusão monocamada, folha estruturado e perfis
• Business Machines: computador e impressora, caixas e janelas
• Elétrica / Eletrônica: componentes de telefone, iluminação, difusores e lentes
• Médico: dispositivos intravenosos para diagnóstico cardiovascular e embalagens para distribuição de medicamentos.
• Óptica: lentes para óculos de grau, óculos de sol, óculos de segurança industrial e proteção para os olhos da especialidade
• Memória Óptica: DVD e CD, CDR, CD-RW e outros tipos de áudio, vídeo e discos de armazenamento de dados
• Embalagem: garrafas reutilizáveis e descartáveis

Palestra técnica
A quantiQ também participa da Brasilplast por intermédio de uma palestra técnica.  Felix M. Zacarias, engenheiro de Aplicação Tecnológica da ExxonMobil, fala sobre o Vistamaxx e suas aplicações.

Fonte: Quantiq / Brasilplast

Resinas da SABIC-IP são usadas pela GE Healthcare em novo equipamento de Raios-X.

16/02/2011

A SABIC Innovative Plastics anunciou que a GE Healthcare, líder global em tecnologias para a indústria médica, selecionou a resina Valox* e a resina Xylex* para a fabricação de caixas de armazenamento de sua nova máquina portátil de raios-X “Optima XR220amx1”.

Essas resinas de alto desempenho contribuem para que a GE Healthcare esteja de acordo com as rigorosas exigências do setor, como segurança, eficiência do equipamento nos tratamentos e aprimoramento em relação aos cuidados com o paciente. Esse dispositivo inovador possibilita que os diagnósticos radiológicos sejam realizados diretamente no local de internação do paciente.

A SABIC Innovative Plastics oferece um amplo portfólio de materiais para o setor de saúde, proporcionando soluções para as diversas as mudanças regulatórias, exigências de projeto e desempenho enfrentadas pelos clientes do setor de equipamentos médicos.

“A parceria com a SABIC Innovative Plastics neste projeto de alta visibilidade tem gerado benefícios não apenas para nossos clientes, mas principalmente para os usuários finais de nossos produtos” diz Guillermo Sander, Gerente Global de Marketing, Mobile DXR da GE Healthcare.

“Com as resinas Valox e Xylex criamos uma “sala radiográfica sobre rodas”: portátil, fácil de limpar e com design atraente. O amplo portfólio de resinas e os serviços de desenvolvimento de aplicações fornecidos pela SABIC Innovative Plastics nos ajudaram a aperfeiçoar o projeto e a aprimorar o desempenho dos dispositivos de diagnósticos para esta nova geração” afirma Sander.

“A SABIC Innovative Plastics está aumentando o foco no suporte aos fornecedores globais da indústria Médico-hospitalar, promovendo a diversificação de dispositivos ao oferecer as mais avançadas tecnologias em materiais”, diz Tom O’Brien, Diretor Global de Marketing de Produtos Médico-hospitalares da SABIC Innovative Plastics.

“Estamos orgulhosos da nossa parceria de mais de 15 anos com a GE Healthcare, que tem como meta atender aos principais desafios da indústria médico-hospitalar. Nesse novo equipamento de raios-X os nossos materiais proporcionam leveza, resistência química e durabilidade” afirma O’Brien.

Materiais estão em linha com as tendências mais importantes da Indústria médico-hospitalar

A GE Healthcare escolheu a resina Valox V3900WX, uma blenda polimérica de poliéster/policarbonato (PC) de alto impacto, para atender às exigências do setor de equipamentos médicos, como mais segurança aos pacientes e maior controle sobre os custos associados os equipamentos.

A resina Valox apresenta uma ótima resistência química vinda do poliéster semicristalino, que auxilia a resistir aos mais agressivos produtos de limpeza adotados para combater as infecções de origem hospitalar. Para um equipamento portátil, como o da GE Healthcare, essa resina proporciona ainda alta resistência ao impacto e estabilidade dimensional, características do Policarbonato, que permitem suportar choques e quedas durante o transporte do equipamento dentro do hospital.

Esta resina, que também é resistente à ação dos raios ultravioletas (UV) e retardante a chamas (FR), proporciona uma boa aparência e a possibilidade de obtenção de peças moldadas na cor final desejada, sendo uma alternativa para promover a redução de custos existentes em processos de pintura, substituindo as operações tradicionais, que utilizam materiais metálicos. Outro aspecto importante é o aprimoramento da processabilidade, necessária à moldagem de peças grandes, de alta qualidade e precisão dimensional.

A resina Valox oferece mais liberdade de projeto, quando comparada ao metal. A ampla variedade de cores disponíveis para a obtenção de peças moldadas na cor final também permite a GE Healthcare a obtenha a peça na cor branca brilhante personalizada, sem custos e impactos ambientais comuns a um processo de pintura secundária. A cor inerente ao material também evita os riscos na pintura e facilita a limpeza.

A resina Valox V3900WX é um grade global (GG), com a classificação UL746C F1 da Underwriters Laboratories (UL) para todas as cores. Os grades globais da SABIC Innovative Plastics representam uma alternativa de maior flexibilidade aos clientes globais, pois permitem a transferência de projetos entre diversas regiões do mundo sem o custo e a complexidade da requalificação de material. A linha de resinas retardantes a chama possui classificação UL 94 V0 para espessura de parede abaixo de 1,5 mm e classificação 5VA para espessura de parede abaixo de 3,0 mm.

A resina Xylex X7519HP é uma blenda polimérica transparente de PC e poliéster amorfo. Comparada apenas ao PC, a adição do poliéster proporciona o aprimoramento da resistência química, mantendo os esforços para reduzir as infecções nosocomiais, ou seja, infecções adquiridas após a entrada do paciente no hospital.

O poliéster também melhora a resistência à fratura sob tensão e permite temperaturas mais baixas de processamento. A alta resistência ao impacto e a transparência similar à do vidro tornam a resina Xylex ideal para recipientes de armazenamento. Assim como a resina Valox, este material possui o recurso de ser moldado na cor final de aplicação.

A SABIC Innovative Plastics oferece uma política proativa de produtos para equipamentos de saúde, que abrange mais de 50 materiais de grades médicos e fornece listas de regulamentação e de biocompatibilidade pré-avaliadas para reduzir o tempo e as despesas dos fabricantes no desenvolvimento de novos produtos.

A empresa oferece também uma das mais amplas linhas de materiais amorfos e cristalinos para a indústria médico-hospitalar, aprovados pela United States Federal Drug Administration (FDA) e pelo Device Master File, além de estarem sujeitos a bloqueios de fórmula e a processos rigorosos de gerenciamento de mudanças.

Fonte: SABIC-IP

BASF inicia operações em planta expandida para produção de plástico biodegradável.

02/02/2011
  • A capacidade de produção de plástico biodegradável aumentou em 60.000 toneladas métricas por ano.
  • Aumenta também a produção de plásticos a partir de matérias-primas renováveis
  • A BASF espera um crescimento significativo do mercado para plásticos biodegradáveis até 2020.

A BASF iniciou a operação da sua planta expandida para a produção do plástico biodegradável Ecoflex®. A expansão da planta existente em Ludwigshafen (Alemanha) irá aumentar a capacidade de produção de Ecoflex de 14.000 para 74.000 toneladas métricas por ano. Ao mesmo tempo, a BASF aumentará a capacidade de produção do Ecovio®, um derivado do Ecoflex.

“Nós já temos sucesso no mercado com o nosso poliéster biodegradável Ecoflex e com o Ecovio. A maior capacidade de produção desses dois produtos irá melhorar significativamente nossa posição”, disse Dr. Worfgang Hapke, presidente da divisão de Polímeros de Desempenho da BASF. “A expansão da capacidade também nos permitirá responder mais efetivamente aos desejos dos nossos clientes”.

O Ecoflex é um plástico que possui as propriedades do polietileno convencional, sendo totalmente biodegradável sob condições de compostagem industriais, de acordo com a norma DIN EN 13432. O Ecovio é um derivado do Ecoflex que é também biodegradável e que contém até 75 % de matérias-primas renováveis. Aplicações típicas são sacos de supermercados, sacos para descarte de lixo orgânico, embalagem de alimentos e filmes para aplicações na agricultura. Uma das últimas inovações é o papel Ecovio FS, que é usado para fornecer um revestimento biodegradável à prova d’água nas superfícies internas de copos de papel e recipientes de papelão

Com o Ecovio e o Ecoflex, a BASF já é um dos fornecedores líderes mundiais de plásticos biodegradáveis e bioderivados. Ambas estas propriedades estão tendo uma demanda crescente e o mercado para plásticos biodegradáveis e bioderivados está crescendo no momento em mais de 20 % por ano.

Fonte: BASF

 

Elekeiroz lança completa linha de resinas sustentáveis para compositos

18/11/2010

A Elekeiroz lançou uma completa linha de resinas sustentáveis de base vegetal para a fabricação de peças em compósitos, substituindo parcialmente recursos não renováveis como o petróleo.

Para acompanhar os desenvolvimentos de produtos verdes, a Elekeiroz (Várzea Paulista, SP), uma das mais importantes fabricantes de resinas poliéster na América Latina, está lançando a linha BIOPOLI de resinas poliéster insaturado (bases ortoftálicas/tereftálicas, diciclopentadieno DCPD e isoftálicas), de base vegetal, para a fabricação de peças em compósitos (também conhecido como composites, plástico reforçado ou fiberglass). Como empregam matérias-primas de fontes renováveis e resinas termoplásticas reutilizadas em sua fabricação, esta nova linha pode economizar até 20% dos recursos não-renováveis usados nas resinas poliéster tradicionais. Com tecnologia 100% nacional e pedido de patente requerido, é resultado dos investimentos realizados pela empresa em Pesquisa e Desenvolvimento nos últimos anos.

De fácil processamento pois não exigem nenhuma alteração de processo do transformador, as resinas desta nova linha oferecem excelente rigidez e durabilidade, requisitos fundamentais para serem aplicadas nos materiais compósitos. Mantêm todas as propriedades físico-químicas das resinas poliéster convencionais, garantindo performance similar ou superior às peças fabricadas. Estão disponíveis para os processos de moldagem aberta como laminação manual e a pistola, e moldagem fechada como RTM convencional e de baixa pressão.

O lançamento desta tecnologia no mercado latino-americano viabilizará o desenvolvimento de uma ampla gama de produtos com exigências específicas de sustentabilidade e desempenho, em diversos segmentos industriais como automotivo, construção civil, eletroeletrônico, náutico, infraestrutura, esporte & lazer, entre vários outros. Também se caracteriza como uma excelente alternativa de produção para as empresas transformadoras que já desejam se alinhar com as tecnologias futuras.

A linha BIOPOLI de resinas poliéster da Elekeiroz é produzida integralmente com recursos de aproveitamento de energia gerada internamente e proveniente de outros processos de produção química no site da empresa. Esta energia, em vez de ser desperdiçada nos trocadores de calor, é convertida novamente em utilidade industrial, economizando enorme quantidade de recursos externos proveniente de concessionária de energia elétrica ou, ainda, obtida de queima de gás ou óleo combustível.

Sobre a Elekeiroz

Tradicional fabricante de produtos químicos intermediários de uso industrial, a Elekeiroz, a partir de seus sites estrategicamente localizados em Várzea Paulista, SP, e Camaçari, BA atende aos principais segmentos da indústria, dentre os quais o de resinas poliéster e alquídicas, assim como desenvolve e produz resinas poliéster insaturado isoftálicas e ortoftálicas, tereftálicas, fumáricas, blendas e pura DCPD para o mercado de composites do Brasil e da América Latina. A Elekeiroz é atuante nos principais setores do mercado (automotivo, construção civil, saneamento e indústria, elétrico e telecomunicações, naval, etc.), sendo parceira, de tecnologia para o Brasil, da DSM, líder europeia no desenvolvimento e produção de resinas poliéster insaturado.

Fonte: Artsim

Petrofisa fabrica postes com resina reforçada com fibra de vidro.

26/08/2010

Qual é a demanda brasileira de postes para distribuição de energia elétrica? Ninguém sabe ao certo, mas estima-se que seja gigantesca.  A paranaense Petrofisa, fabricante de tubos de compósitos, concorda com essa análise. Tanto que adaptou o sistema produtivo das tubulações (filament winding) e lançou o primeiro poste de resina e fibra de vidro do Brasil., concorrendo com os tradicionais postes de madeira e concreto.  Por meio da sua controlada Ecofibra, a Petrofisa iniciou neste ano a produção de postes em Manaus (AM).

Para desmoldá-los, a transformadora decidiu abandonar o filme de poliéster – deve ser descartado após o uso – e usar um desmoldante  fabricado pela Chem-Trend e fornecido pela Redelease. “Testamos o produto em escala laboratorial e na linha de produção. Os resultados foram positivos, tanto sob o ponto de vista de desempenho como de custo.  Além disso, deixamos de gerar resíduos”, afirma Diego Dissenha, engenheiro do laboratório da Petrofisa. Além do desmoldante, a Petrofisa emprega na fabricação do poste um selador que corrige eventuais imperfeições no molde, aumentando a sua vida útil e ainda facilitando a desmoldagem da peça.

Cruzetas

Em maio, lembra Dissenha, a Petrofisa incorporou ao seu portfólio uma novidade que tem tudo a ver com os postes: cruzetas de compósitos. Fabricadas pelo processo de pultrusão, as cruzetas são desmoldadas com um desmoldante interno também fornecido pela Redelease. Segundo Rui Figueira, gerente de especialidades da Redelease, o desmoldante migra totalmente da resina para a superfície do molde assim que começa a reação exotérmica, a partir de 60 ºC –  ele é misturado numa proporção de 1,5% em relação à resina. “Diferente dos desmoldantes convencionais para pultrusão, não sobram resíduos do nosso desmoldante no produto final. Assim, não há qualquer perda de resistência mecânica ou problemas no acabamento”.

Fonte: SLEA Comunicação

Uniplen divulga produtos durante Interplast 2010

25/08/2010

A Uniplen, empresa do Grupo Unicoba, que atua com distribuição de resinas termoplásticas e na fabricação de Plásticos de Engenharia no mercado tecnológico há mais de 10 anos, firma ainda mais sua posição de destaque no mercado ao participar da Interplast 2010- Feira e Congresso Nacional de Integração da Tecnologia do Plástico, que acontece entre os dias 23 a 27 de agosto no Expoville, em Joinville, Santa Catarina. Com o objetivo de manter relacionamentos, conhecer novos parceiros e fazer negócios, a empresa disponibiliza ao visitante, em seu estande, um contato direto com o que há de mais avançado na tecnologia de transformação de plásticos. Durante o evento, a Uniplen/Unicoba apresenta diversos produtos como o Laston – PP elastomérico, um PP com propriedades elastoméricas para aplicações diversas, e o Tarrasc – PC Poliéster, uma blenda que une as propriedades do PC ao Poliéster trazendo alta resistência química e temperatura. Além disso, a empresa apresentará produtos plásticos de engenharia como o ABS (Acrilonitrila – Butadieno – Estireno) de alta temperatura, alto impacto, anti-chama, transparente e cromação. A inovação são as versões sem brilho muito utilizados na indústria automotiva, e com altíssimo brilho usado na fabricação de televisores de LCD e gabinetes de computador. Outros produtos integram o estande da empresa, como as resinas SAN, utilizadas na fabricação de copos de liquidificadores, partes internas de refrigeradores e baterias; o PC, um dos plásticos de engenharia utilizados na fabricação de chapas, mídias de CDS e DVDs, além de faróis de carros; o PC/ABS, uma blenda que agrega qualidades térmicas, brilho e impacto do PC, que aliados ao fácil processamento e menor custo do ABS, são muito utilizados na indústria automotiva e eletroeletrônica. Já o PP é utilizado em embalagens flexíveis, recipientes para cosméticos, indústria alimentícia e utilidades domésticas, devido seu baixo custo. Para finalizar a apresentação, a POM é usada em engrenagens, aerosóis, isqueiros, canetas e peças automotivas, devido sua alta resistência ao desgaste. Atualmente, a empresa é distribuidora da Samsung, na área de resinas ABS, matéria-prima utilizada para a fabricação de bens duráveis como TV de Plasma e batedeiras; e resinas SAN, utilizadas na fabricação de peças plásticas transparentes, como copos para liquidificadores, entre outros produtos.

Thathi Polímeros lança resinas plásticas importadas da Dupont

12/08/2010

A Thathi Polímeros, distribuidora da Dupont no Brasil, lança na Interplast 2010 resinas plásticas importadas Dupont e busca fortalecer a rede de clientes no sul do Brasil. A resina de poliéster Crastin® PBT é um dos produtos mais utilizados na injeção de peças plásticas do segmento eletroeletrônico, devido às propriedades elétricas. O termoplástico de engenharia Delrin ® POM combina propriedades mecânicas, químicas e tem baixa absorção de umidade, diferenciais que o fazem substituir os metais em grande escala.

O termoplástico elastomérico Hytrel® combina as características de alto desempenho dos elastômeros com a processabilidade dos termoplásticos e pode ser utilizado em temperaturas de -40ºC a 110 ºC, em aplicações que envolvem grande resistência ao impacto, flexibilidade e redução de ruídos. A combinação do polímero de tereftalato e a fibra de vidro do Rynite® PET conferem ao material combinação de estabilidade térmica, propriedades elétricas, estabilidade dimensional, rigidez e estabilidade ao descoloramento para cores claras, mesmo quando exposto ao calor.

Leva a feira também, a tradicional linha de nylon da marca Zytel.

Sobre a Thathi Polímeros
Fundada em 1987 como empresa comercial, a Thathi Polímeros foi oficializada como distribuidora da Dupont no Brasil em 1994. É a maior distribuidora de resinas plásticas de engenharia do país e tem certificação da SGS ICS, desde 2002. Desenvolve projetos para a indústria automotiva, eletroeletrônica, construção civil e linha de consumo, auxiliando na indicação e aplicação técnica da matéria-prima.

Fonte: Messe Brasil