Archive for the ‘Policarbonato’ Category

Covestro inaugura sua nova sede para a América Latina

17/04/2018

A fabricante de materiais Covestro está de casa nova. Inaugurado no último dia 16 de abril, o novo prédio está localizado no bairro do Socorro, em São Paulo, e abriga a sede administrativa da empresa no Brasil – servindo de hub para América Latina –, além de dois laboratórios técnicos e de aplicação de produtos das áreas de Poliuretanos e Revestimentos, Adesivos e Especialidades.

A inauguração reforça o compromisso da empresa com o mercado brasileiro e também da América Latina nas indústrias-chave em que a Covestro atua, como a automotiva, construção, móveis e colchões.

“A nova sede da Covestro reflete os valores da companhia não só em sua estética, mas também no uso proposto para os espaços”, destaca Fernando d´Andrea, CEO Covestro Latam. “Com este novo espaço estamos mais que preparados para manter o padrão de excelência no atendimento e na oferta de produtos oferecidos a nossos clientes”.

O prédio é também um importante showroom das soluções desenvolvidas com os principais parceiros da empresa na região – no espaço foram utilizadas diversas tecnologias feitas a partir de materiais da Covestro. Por exemplo, 100% dos interruptores e tomadas instalados no prédio utilizam Makrolon®, policarbonato fabricado pela Covestro, e as pinturas de áreas horizontais de alto tráfego foram feitas com poliuretanos de base água da Covestro.

Com 14,1 bilhões de euros em vendas em 2017, a Covestro é um dos maiores produtores de polímeros do mundo. Suas atividades comerciais concentram-se na produção de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para diversos segmentos tais como o automotivo, construção, processamento de madeira e móveis e as indústrias elétrica e eletrônica. Outros setores incluem esportes e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro tem cerca de 30 unidades produtivas no mundo todo e, no final de 2017, empregava aproximadamente 16,2 mil pessoas.

Fonte: Covestro

Curta nossa página no

Anúncios

Covestro vende negócio de chapas de policarbonato na América do Norte para Plaskolite

24/03/2018

  • Outras unidades de negócio regionais da Covestro sob revisão para otimização do portfólio
  • Clientes norte-americanos poderão recorrer a uma única fonte para um portfólio abrangente de produtos de chapas plásticas transparentes

A Covestro, fabricante líder global de materiais, continua o processo de otimização do seu portfólio. Como parte dessa estratégia, a empresa pretende vender seu negócio global de chapas de policarbonato (PCS). As chapas de policarbonato tem alta durabilidade e são moldáveis livremente, sendo usadas em transporte público, sistemas de cobertura ou aplicações de sinalização.

Como primeiro passo, a unidade norte-americana de chapas de PCS da Covestro,  que gerou vendas de cerca de US $ 170 milhões em 2017, foi vendida para a Plaskolite LLC, maior fabricante de chapas de acrílico da América do Norte. O acordo será conduzido como um acordo de ativos, o que significa que, assim como a transferência de propriedade intelectual e ativos fixos dedicados, os funcionários da Covestro serão incorporados à Plaskolite. Como parte da transação, a Plaskolite está adquirindo a sede do negócio de chapas, plantas de produção e instalações de armazenamento da Covestro localizada em Sheffield, Massachussets (EUA) e manterá a instalação terceirizada de depósito para distribuição existente em Hebron, Ohio. As operações continuarão na instalação fabril atual. Com esta aquisição, a Plaskolite empregará 950 pessoas. As empresas concordaram com um preço de venda de várias dezenas de milhões de dólares. A conclusão do fechamento do negócio está prevista para 01 de agosto de 2018.

“Nós avaliamos e otimizamos continuamente nosso portfólio para garantir crescimento futuro e criação de valor. Durante esse processo, ficou claro que o nosso negócio de chapas não se encaixaria estrategicamente, no longo prazo, no nosso negócio de policarbonatos ”, disse o CEO da Covestro, Patrick Thomas. “Por isso, decidimos que a unidade de chapas pode se desenvolver e crescer melhor sob um novo proprietário e estamos felizes por ter encontrado na Plaskolite um excelente comprador para nossas operações nos EUA.”

Em relação às suas unidades de chapas de policarbonato na Europa, a Covestro abrirá em breve um processo de venda em separado e, no devido tempo, anunciará detalhes sobre suas unidades remanescentes na região Ásia-Pacífico.

A aquisição transformará a indústria de chapas plásticas norte-americana, através da combinação do líder em fabricação em acrílico com o líder na fabricação em policarbonato.

“Esta aquisição é transformadora para a Plaskolite e fortalece nossa posição de liderança no setor”, disse Mitchell Grindley, Presidente e CEO da Plaskolite. “Isso amplia nossa oferta e fortalece ainda mais nossas parcerias. A Plaskolite será o único fabricante a oferecer um portfólio completo de produtos de chapas transparentes, incluindo acrílico, policarbonato, PETG e ABS, o que é benéfíco para os nossos clientes, que agora podem usar uma única fonte para todas as suas necessidades de chapas. ”

Este será o segundo negócio que a Plaskolite adquire da Covestro. Em 2012, a Plaskolite comprou a linha norte-americana Vivak® de chapas de PETG da empresa.

O comunicado de hoje sucede o anúncio feito pela Plaskolite em 12 de fevereiro passado sobre a aquisição do Negócio de Chapas Acrílicas Fundidas Contínuas da Lucite International, Inc., que ampliou sua oferta de chapas de acrílico e viabilizou a entrada no negócio de chapas de spa e banho.

Fundada em 1950 em Columbus, Ohio, por Donald G. Dunn e sua família, a Plaskolite, LLC é a maior fabricante norte-americana de chapas termoplásticas transparentes. Os produtos personalizados da Plaskolite são utilizados em uma ampla variedade de aplicações, incluindo janelas, portas, iluminação, placas, displays de ponto de venda e produtos de banho. A Plaskolite atende a uma base diversificada de clientes, incluindo distribuidores, OEMs e varejistas. Em 2015, o Charlesbank Capital Partners tornou-se o primeiro investidor externo de equity capital na Plaskolite.

Com vendas de 14,1 bilhões de euros em 2017, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. As atividades de negócio estão focalizadas na fabricação de materiais poliméricos de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras. Os principais segmentos atendidos são os setores automotivo, de construção civil, processamento e móveis de madeira e os setores elétrico e eletrônico. Outros setores incluem esporte e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro possui 30 unidades de produção em todo o mundo e emprega aproximadamente 16.200 pessoas. A sede corporativa da empresa fica em Leverkusen, na Alemanha.

Fontes: Covestro e Plaskolite

Curta nossa página no

Covestro mantém trajetória de crescimento rentável com ano recorde

20/02/2018

  • Vendas totais sobem 18,8% para 14,1 bilhões de euros
  • EBITDA cresce 70,6% para 3,4 bilhões de euros
  • Receita líquida mais que dobra para 2 bilhões de euros
  • Fluxo de caixa operacional livre recorde – 5 bilhões de euros até 2019
  • Dividendos propostos: 2,20 euros por ação
  • Previsão positiva para 2018

A fabricante de materiais Covestro teve um ano fiscal excepcional em 2017. Impulsionada pela alta demanda de plásticos de alto desempenho e por margens significativamente mais altas, a Covestro elevou as vendas totais em 18,8% para 14,1 bilhões de euros durante o último ano fiscal. A alta veio acompanhada de uma elevação no EBITDA do Grupo no ano todo de 70,6% para 3,4 bilhões de euros em relação ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida mais que dobrou, de 795 milhões para 2 bilhões de euros. Como fruto desses excelentes resultados, a Covestro pretende pagar dividendos aos seus acionistas no valor de 2,20 de euros por ação (contra 1,35 de euros no ano anterior).

“Alcançamos resultados impressionantes em 2017, superando significativamente nossas metas gerais”, afirma o CEO Patrick Thomas. “Em comparação com nosso primeiro ano como empresa independente, melhoramos visivelmente mais uma vez e demonstramos que nosso sucesso é sustentável. Há uma razão simples para isso: conseguimos desvendar ainda mais o potencial da Covestro. Agora estamos em posição fortalecida para acelerar ainda mais a geração de valor.”

No ano fiscal de 2017, a Covestro obteve resultados muito fortes: os volumes totais do Grupo subiram 3,4% sobre o período do ano anterior, em meio à utilização contínua de alta capacidade. O fluxo de caixa operacional livre (FOCF) da Covestro atingiu novo recorde ao subir para 1,8 bilhão de euros, o equivalente a 34,8% de alta em comparação a 2016. O retorno sobre o capital empregado (ROCE) foi de 33,4%, muito mais alto, portanto, que no ano anterior (14,2%).

Com a forte evolução, a Covestro espera atingir um fluxo de caixa operacional livre acumulado de 5 bilhões de euros dentro de três anos. A estimativa anunciada em 2017 era de cinco anos. Devido à alta entrada de caixa, o Conselho de Administração da Covestro decidiu, em outubro de 2017, recomprar ações próprias no valor de até 1,5 bilhão de euros ou até 10% do capital social. A recompra de ações começou em novembro de 2017, conforme planejado. Além disso, a dívida financeira líquida caiu 1,216 milhões de euros para 283 milhões em 2017 (ano anterior: 1,499 milhões de euros).

Sustentabilidade como motor de crescimento

Para 2018, a Covestro tem expectativa de crescimento sólido nas principais indústrias consumidoras, incluindo a indústria automotiva, de móveis e de construção e ainda a elétrica e eletrônica. Nessas indústrias, a Covestro considera, em especial, a tendência social de maior sustentabilidade como motor de crescimento. “Em cada vez mais indústrias, cresce progressivamente a procura dos clientes por soluções sustentáveis – e é exatamente isso que oferecemos. Estamos extremamente bem posicionados para aproveitar o potencial de crescimento excepcional nesses segmentos, com foco no futuro”, destaca Patrick Thomas. Ele ainda menciona áreas de crescimento como e-mobility, construção eficiente em energia e lâmpadas LED de baixo consumo energético.

Nos próximos anos, a Covestro pretende aumentar significativamente seus investimentos para continuar aproveitando as vantagens deste crescimento esperado nas principais indústrias consumidoras. Esses investimentos incluem todos os segmentos e regiões e devem superar o nível de depreciação. Além disso, a Covestro continua preparada para aproveitar oportunidades de aquisições que fortaleçam seu portfólio e gerem valor.

Digitalização e sustentabilidade como elementos-chaves da estratégia

A Covestro sempre teve a sustentabilidade como elemento essencial da sua estratégia. Reforçando esse compromisso, a Covestro incorporou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas (ONU) à sua estratégia. “A sustentabilidade é e continuará sendo um elemento-chave para a inovação”, explica o Dr. Markus Steilemann, Chief Commercial Officer e futuro CEO da Covestro. “Até 2025, pretendemos destinar 80% dos nossos investimentos em pesquisa e desenvolvimento a áreas que contribuam para os ODS.”

Steilemann vê a digitalização como outro motor da inovação: “Com nosso amplo programa, estamos aproveitando as oportunidades que a digitalização oferece, transformando-a em um foco central da nossa empresa. Como parte disso, estabeleceremos novos padrões de colaboração com nossos clientes.” Um exemplo disso é uma plataforma comercial digital que será lançada em breve e simplificará o acesso a produtos básicos, conectando os clientes com a Covestro e outros fornecedores. Até o final de 2019, a expectativa é que novos modelos de negócios digitais, como a plataforma comercial digital, gerem vendas acumuladas de até um bilhão de euros.

Tendência positiva deve se manter em 2018

Com base no crescimento estável previsto nas principais indústrias consumidoras e nos prognósticos econômicos atuais, a expectativa da Covestro é que sua evolução positiva se mantenha ao longo de 2018. A companhia prevê um crescimento de até meio dígito no volume total. A Covestro antecipa um fluxo de caixa operacional livre significativamente acima da média dos últimos três anos. Em 2018, a previsão é que o retorno sobre o capital empregado (ROCE) fique próximo do nível do ano anterior. Estima-se que o EBITDA se mantenha em patamar semelhante ao de 2017. Para o 1º trimestre de 2018, a Covestro prevê um EBITDA significativamente acima do nível do 1º trimestre de 2017.

Poliuretanos e Policarbonatos elevam rentabilidade

No segmento de Poliuretanos, a Covestro registrou volumes principais acima do ano anterior em todas as três regiões, com alta geral de 3,4%. Enquanto isso, o EBITDA cresceu 151,1% para 2,212 milhões de euros. Esse crescimento deveu-se, principalmente, às melhorias significativas nas margens nos grupos de produtos MDI e TDI. Além disso, o aumento no volume de vendas e os proventos da venda de uma casa de sistemas na América do Norte (39 mi €) e de um ressarcimento de seguro (35 mi €) também exerceram influência positiva. A decisão de continuar a produção em Tarragona, na Espanha, ainda ocasionou uma reversão de provisões (72 mi €).

Os volumes principais no segmento de Policarbonatos subiram 5%, também com contribuição das três regiões. O EBITDA do segmento cresceu 21,2% para 853 milhões de euros. A alta nos volumes principais e nos preços de venda teve efeito positivo sobre o lucro, enquanto as vendas foram impulsionadas principalmente pela demanda crescente nas indústrias automotiva, elétrica e eletrônica.

Em 2017 como um todo, os volumes principais no segmento Coatings, Adesivos e Especialidades praticamente não sofreram alterações (-0,3%), em meio a um ambiente competitivo desafiador. O EBITDA caiu 9,4% em relação ao número do ano anterior, para 453 milhões de euros. Em média, a elevação dos preços de venda não conseguiu compensar totalmente o aumento de custo das mercadorias vendidas.

Enquanto isso, foi iniciada a expansão da produção de dispersões de poliuretano em Dormagen (Alemanha) e Barcelona (Espanha) para atender à crescente demanda da indústria de revestimentos e adesivos. A Covestro também iniciou as operações de uma nova unidade de produção em Dormagen para filmes multicamadas de alta qualidade usados em cartões de segurança ou interiores automotivos.

4º trimestre de 2017 com novos resultados recordes

O 4º trimestre de 2017 foi o mais bem-sucedido na história da Covestro, que manteve o desempenho excepcional atingido ao longo do ano fiscal. As vendas totais do Grupo subiram 16,7% para 3,5 bilhões de euros no trimestre final, em comparação com o 4º trimestre de 2016, impulsionadas pela elevação nos preços e nos volumes de vendas. O EBITDA teve alta ainda mais acentuada de 390 milhões para 879 milhões de euros, atingindo mais do que o dobro do ano anterior. Com 566 milhões de euros, a receita líquida foi multiplicada várias vezes em relação ao 4º trimestre de 2016 (124 mi €). O fluxo de caixa operacional livre subiu 45,9% para 890 milhões de euros.

Com 14,1 bilhões de euros em vendas em 2017, a Covestro é um dos maiores produtores de polímeros do mundo. Suas atividades comerciais concentram-se na produção de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em muitas áreas da vida cotidiana. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, construção, processamento de madeira e móveis e as indústrias elétrica e eletrônica. Outros setores incluem esportes e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro tem cerca de 30 unidades produtivas no mundo todo e, no final de 2017, empregava aproximadamente 16,2 mil pessoas.

Fonte: Covestro

Curta nossa página no

Covestro registra trimestre recorde e anuncia recompra de ações

25/10/2017

  • Vendas totais sobem 16,9% para 3,5 bi de euros
  • Alta de 2,6% nos volumes totais sobre o trimestre do ano anterior
  • EBITDA cresce 50,2% para 862 mi de euros
  • Receita líquida aumenta 89,6% para 491 mi de euros
  • Fluxo de caixa operacional livre sobe 1,9% para 658 mi de euros
  • Anunciado 1 bi de euros em vendas via plataforma on-line
  • Recompra de ações em até 1,5 bi de euros de capital social

No terceiro trimestre de 2017, a fabricante de materiais Covestro apresentou o trimestre mais forte da história da empresa, mantendo a tendência positiva dos primeiros seis meses. Atingindo 491 milhões de euros, a receita líquida subiu 89,6% sobre o trimestre do ano anterior. Ao mesmo tempo, o EBITDA foi 50,2% mais alto e as vendas cresceram 16,9% sobre o mesmo período do último ano. Os volumes totais subiram 2,6%. O impulso nas vendas deu-se, principalmente, à elevação dos preços de venda, sobretudo no segmento de poliuretanos, com efeito positivo de 18,4%. O FOCF (fluxo de caixa operacional livre) atingiu 658 milhões de euros, com alta de 1,9% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. Com base nesses resultados sólidos, a Covestro decidiu revisar seu objetivo anunciado de atingir um FOCF (fluxo de caixa operacional livre) acumulado de 5 bilhões de euros até o final de 2021. No entanto, a nível de grupo, a empresa reitera suas previsões para o ano todo de 2017.

O excelente desempenho pode ser atribuído à robusta demanda atual nos principais setores clientes da empresa e ao desempenho positivo nas margens, também principalmente no segmento de poliuretanos.

“Atualmente, estamos desfrutando de um tremendo impulso de crescimento e apresentando recordes de receita, rentabilidade e geração de caixa. Essa extraordinária geração de caixa nos oferece a oportunidade de retornar quantias significativas de dinheiro aos nossos acionistas antes do esperado, ao mesmo tempo que preservamos a capacidade de considerar as oportunidades de aquisição”, diz o CEO Patrick Thomas. “Por isso, decidimos iniciar imediatamente uma recompra de ações para até 1,5 bilhões de euros ou até 10% do capital social em circulação”.

“Estamos atualizando nossa estratégia para continuar aproveitando da oportunidade geracional que nosso atual impulso oferece. A digitalização será uma parte integral da nossa estratégia corporativa. Queremos oferecer aos clientes uma maneira mais simples e eficiente de comprar nossos produtos básicos. Atualmente estamos desenvolvendo a nova plataforma on-line, que, segundo nossas projeções, gerará cerca de um bilhão de euros em vendas já no fim de 2019”, explica o Dr. Markus Steilemann, membro do Conselho responsável por marketing, vendas e inovação.

Neste contexto, a Covestro identificou três dimensões da digitalização: processos digitais, experiência digital do cliente e novos modelos digitais de negócios.

Poliuretanos e policarbonatos altamente rentáveis

No terceiro trimestre, os volumes totais no segmento de poliuretanos cresceram 4,3% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. O grupo de produtos TDI foi o que mais contribuiu para essa evolução. O EBITDA do segmento mais que dobrou a partir do mesmo trimestre do ano anterior, para 556 milhões de euros – um desenvolvimento que se deve, em grande parte, à elevação das margens como resultado de fornecimento e situação de demanda positivos em termos gerais. No processo de dobrar a capacidade de MDI na unidade de Brunsbüttel, no norte da Alemanha, para cerca de 400 mil toneladas métricas por ano até o fim de 2018, a empresa já realizou uma cerimônia para comemorar a conclusão da construção da estrutura básica na planta.

O segmento de policarbonatos registrou crescimento de 1,5% nos volumes totais em comparação ao trimestre do ano anterior. Como esperado, esse crescimento ficou no nível do segundo trimestre de 2017. O EBITDA do segmento apresentou melhora de 8,8% para 211 milhões de euros. A elevação das margens e o crescimento dos volumes vendidos tiveram efeito positivo. Nas indústrias-chave de clientes deste segmento, a Covestro trabalha de perto com designers para desenvolver os produtos do futuro. Para esse propósito, a companhia lançou em setembro uma plataforma on-line para design industrial, entre outros projetos.

Os volumes totais no segmento de Coatings, Adesivos e Especialidades caíram 5,0% em relação ao trimestre do ano anterior devido ao ambiente competitivo desafiador. Com 119 milhões de euros no segundo trimestre, o EBITDA ficou 12,5% abaixo do valor do ano anterior. O grupo vem desafiando limites para atualizar continuamente seu portfolio de produtos: recentemente, um carro movido a energia solar projetado por estudantes da Universidade RWTH de Aachen, Alemanha, participou do desafio World Solar Challenge, que percorre quase 3 mil quilômetros no deserto australiano, protegido por revestimentos da Covestro.

Primeiros nove meses de 2017 muito positivos

A Covestro demonstrou um desempenho excelente nos primeiros três trimestres de 2017. Os volumes totais cresceram 3,2% em relação ao período do ano anterior graças a uma demanda continuada e favorável. As vendas saltaram 19,5% para 10,6 bilhões de euros, e o EBITDA cresceu 57,4% para 2,6 bilhões de euros. O FOCF também teve aumento significativo de 23,8% para 1,2 bilhão de euros. Graças ao acordo de término de controle firmado com a Bayer AG em setembro, a Covestro deu mais um passo rumo à independência total.

Com vendas de 11,9 bilhões de euros em 2016, a Covestro (antiga Bayer MaterialScience) está entre os maiores fabricantes mundiais de polímeros. As atividades de negócios estão focadas na fabricação de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em muitas áreas da vida cotidiana. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção e também as indústrias de esportes e lazer. A Covestro possui 30 sites de produção em todo o mundo e, no final de 2016, empregava cerca de 15.600 pessoas.

Fonte: Covestro

Curta nossa página no

Covestro divulga balanço anual recorde

20/02/2017
Conselho de Administração da Covestro

Conselho de Administração da Covestro

•Volumes totais cresceram 7,5% em relação ao ano anterior
• EBITDA ajustado subiu 22,7% para 2,0 bilhões de euros
• Forte crescimento no Fluxo de Caixa Operacional Livre
• Lucro líquido mais que dobrou
• Dividendo proposto de 1,35 euro por ação
• Cenário confiante para 2017

2016 foi um ano recorde para a fabricante de polímeros Covestro. Impulsionados pela demanda por materiais inovadores, os volumes totais do Grupo cresceram 7,5%. Com maior capacidade de utilização em suas plantas ao redor do mundo, o EBITDA ajustado subiu 22,7% para 2,0 bilhões de euros, um crescimento frente 2015. O lucro líquido mais que dobrou, de 343 milhões de euros para 795 milhões de euros. Com base nisso, a Covestro espera pagar a seus acionistas um dividendo de 1,35 euro por ação.

“Nossa estratégia está dando resultado. Estes excelentes números destacam a força fundamental da Covestro”, explica o CEO Patrick Thomas. “A crescente demanda por nossos produtos inovadores e sustentáveis mostra que estamos conseguindo substituir os materiais tradicionais por plásticos de qualidade superior”.

O Fluxo de Caixa Operacional Livre cresceu 41,8%, atingindo 1,4 bilhão de euros. A Covestro também melhorou sua rentabilidade: o retorno sobre capital empregado (ROCE) atingiu 14,2%, excedendo significativamente o ano anterior. Em contraste, as vendas do Grupo Covestro caíram 1,5%, alcançando 11,9 bilhões de euros como resultado de menores preços de vendas e efeitos financeiros.

Capacidade de produção otimizada e crescente demanda

Em 2016, o crescimento dos volumes totais superou o PIB global de forma significativa, enfatizando, portanto, o forte posicionamento estratégico da Covestro com relação a importantes tendências nas principais indústrias de clientes atendidos. A companhia foi capaz de aumentar consistentemente os volumes de vendas e otimizar ainda mais a utilização de suas capacidades de produção já existentes.

A Covestro também deu início à expansão de sua capacidade em regiões de grande crescimento a fim de atender à crescente demanda. Isso acontece particularmente no mercado da Ásia, onde a empresa deu início a uma operação para a produção de matérias-primas para revestimentos (HDI) e duplicou sua capacidade para policarbonatos.

Na Europa, a plataforma de produção está sendo também otimizada. A expansão da capacidade de produção do MDI, o precursor da espuma rígida, no site de Brunsbüttel (Alemanha) foi iniciada em junho. A capacidade será duplicada para 400 mil toneladas métricas por ano até 2018. Além disso, a Covestro provou, em 2016, que o CO2 pode ser usado como uma matéria-prima para produtos disponíveis no mercado: no ano passado, em Dormagen (Alemanha), a empresa colocou em funcionamento a primeira planta industrial do mundo a usar o CO2 como matéria-prima para componentes de espuma flexível.

Maior flexibilidade financeira

A Covestro pagou todos os empréstimos pendentes da Bayer no ano fiscal passado. Em março, a companhia fez a primeira emissão no valor total de 1,5 bilhão de euros como parte de um programa de emissão de títulos, facilitando os fundos para a quitação total dos empréstimos. Ao final de 2016, a dívida financeira líquida era de 1,5 bilhão de euros, cerca de 700 milhões de euros abaixo do nível do ano anterior.

“O programa de emissão nos dá maior flexibilidade financeira”, pontua o CFO Frank H. Lutz. “Junto com nosso fluxo de caixa positivo, agora temos fundos suficientes para financiarmos investimentos de forma independente”.

Forte demanda para Poliuretanos e Policarbonatos

Em 2016, o segmento de Poliuretanos da Covestro atingiu um crescimento de volume total de 7,7%, na comparação com o ano anterior, motivado por um forte crescimento em todos os grupos de produtos, particularmente no MDI, assim como o aumento de 41,2% no EDITDA ajustado, alcançando 881 milhões de euros. A demanda foi impulsionada por indústrias-chave como os setores automotivo e de construção. Em outubro, devido a uma parada de produção não planejada em um fornecedor, a Covestro se viu forçada a operar os sites europeus de MDI e TDI em capacidade reduzida e, portanto, declarou força maior. A situação foi revertida no final do ano.

O crescimento de volume total em Policarbonatos foi de 10,3%, na comparação com 2016. Mais uma vez os volumes de vendas cresceram de forma acentuada, particularmente nas regiões APAC e NAFTA. O EBITDA ajustado subiu 25,7%, atingindo 704 milhões de euros no segmento. A demanda da indústria eletroeletrônica foi um dos principais fatores de crescimento.

No segmento de Coatings, Adesivos e Especialidades (CAS), os volumes totais permaneceram estáveis, apesar da já prevista rescisão contratual de operações comerciais. O EBITDA ajustado subiu 1,8% para 500 milhões de euros. A redução no preço das matérias-primas teve um efeito positivo no resultado. Além disso, a tendência por produtos de maior qualidade também aumentou a demanda por produtos do CAS.

Maior rentabilidade no Q4 de 2016

O bem sucedido desempenho da Covestro continuou no quarto trimestre de 2016. De outubro a dezembro, os volumes totais subiram 4,8% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Graças ao aumento nos preços de vendas, as vendas do Grupo subiram 7,8%, alcançando 3 bilhões de euros. O EBITDA ajustado cresceu 52,3% para 390 milhões de euros. O lucro líquido de 124 milhões de euros também ficou bem acima do quarto trimestre de 2015 (-84 milhões de euros). O Fluxo de Caixa Operacional Livre subiu 3,6%, atingindo 407 milhões de euros.

Crescimento rentável previsto

Em 2017, a Covestro continuará trabalhando para desenvolver materiais inovadores, em linha com a visão da companhia: ‘Fazer do mundo um lugar melhor’. “Com nosso claro foco em um crescimento sustentável em linha com as macrotendências globais, nós estabelecemos uma forte posição para lucrar com a evolução do mercado no longo prazo. Encaramos 2017 com muita confiança”, declara Patrick Thomas.

Como uma empresa global com operações em estreita proximidade com seus clientes regionais, a Covestro também se considera bem posicionada em um mercado marcado por incertezas geopolíticas e volatilidade econômica. Baseada nas atuais previsões econômicas globais e nas perspectivas das indústrias que atende, a Covestro espera um desempenho sólido em relação aos indicadores-chave em 2017. A companhia antecipa um aumento percentual de um dígito (baixo a médio) no crescimento do volume total do Grupo. A Covestro projeta Fluxo de Caixa Operacional Livre levemente acima da média dos últimos três anos e um ROCE um pouco maior que o nível de 2016.

Com vendas de 11,9 bilhões de euros em 2016, a Covestro está entre os maiores fabricantes mundiais de polímeros. As atividades de negócios estão focadas na fabricação de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em muitas áreas da vida cotidiana. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção e também as indústrias de esportes e lazer. A Covestro possui 30 sites de produção em todo o mundo e, no final de 2016, empregava cerca de 15.600 pessoas.

Fonte: Covestro

Curta nossa página no

Covestro mantém fortes resultados no terceiro trimestre

27/10/2016
  • Volumes totais aumentaram 9,1% com relação ao ano anterior
  • EBITDA ajustado subiu para 21,9% atingindo 574 milhões de euros 
  • Lucro líquido cresceu 61,9% para 259 milhões de euros
  • Fluxo de caixa operacional livre mais do que dobrou
  • Previsão para o ano de 2016 é novamente elevada

covestroA fabricante de materiais Covestro manteve sua bem-sucedida tendência de crescimento no terceiro trimestre de 2016 com um alto fluxo de caixa operacional livre e fortes ganhos. O EBITDA ajustado aumentou significativamente para 21, 9% face ao ano anterior atingindo 574 milhões de euros, motivado principalmente por volumes maiores combinados com margens maiores. Os volumes totais do Grupo (em quilotoneladas) cresceram 9.1% com relação ao mesmoperíodo do ano anterior.

“Nós mantivemos a tendência positiva da primeira metade do ano neste terceiro trimestre e nos beneficiamos da forte demanda por nossos produtos”, afirmou Patrick Thomas, CEO da Covestro. “O crescimento no EBITDA e o fluxo de caixa operacional livre foram particularmente saudáveis e, portanto, estamos elevando novamente nosso forecast para o ano de 2016.”

A empresa continua a esperar um aumento percentual de médio a elevado de um dígito no crescimento do volume total. Agora, a Covestro prevê um fluxo de caixa operacional livre acima do nível do ano anterior (anteriormente: no nível do ano anterior). A empresa também prevê um ROCE significativamente acima dos números do ano anterior (anteriormente: acima do último ano).

Vendas estáveis e mais que o dobro de fluxo de caixa operacional livre

As vendas do grupo chegaram a 3,0 bilhões de euros no terceiro trimestre, semelhante ao trimestre do ano anterior. Após uma queda nos dois primeiros trimestres, as vendas subiram principalmente como resultado dos elevados volumes totais de vendas que aumentaram 6,3%. Os Poliuretanos e Policarbonatos, particularmente, representaram volumes significativamente mais elevados. Ao mesmo tempo, os dois segmentos novamente viram os preços de vendas diminuírem à custa dos menores preços das matérias-primas, o que empurrou as vendas para baixo. Os efeitos da moeda também tiveram um impacto levemente negativo.

Em 259 milhões de euros, o lucro líquido no terceiro trimestre confirmou a tendência do H1 e registrou um aumento significativo de 61,9% na comparação com o período do ano anterior. O fluxo de caixa operacional livre desenvolveu-se particularmente de maneira positiva, crescendo 157,4% e atingindo 646 milhões de euros. O aumento se dá principalmente devido a um fluxo de caixa melhorado nas atividades operacionais, bem como uma redução das saídas de caixa para adições em propriedade, planta, equipamentos e ativos intangíveis.

Crescimento em todos os segmentos – EBITDA significativamente maior em Poliuretanos

Os volumes totais do segmento de Poliuretanos subiram novamente 9,0% – na comparação com o ano anterior – no terceiro trimestre. Todos os grupos de produtos contribuíram para este aumento, principalmente o diisocianato difenilmetano (MDI). Volumes de vendas maiores e margens melhoradas aumentaram o EBITDA ajustado em 50,3% para 263 milhões de euros.

O segmento de Policarbonatos novamente registrou forte crescimento de 11,6% nos volumes totais em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. A região APAC, em particular, registrou volumes de vendas muito maiores. O EBITDA ajustado do segmento subiu 13,5% para 194 milhões de euros, sustentado por volumes de vendas mais elevados.

Os volumes totais no segmento de Revestimentos, Adesivos e Especialidades cresceram 3,5% em comparação com o período do ano anterior. O crescimento se deu apesar do encerramento contratual antecipado de atividades comerciais. Em 136 milhões de euros, o EBITDA ajustado ficou praticamente inalterado no terceiro trimestre. Os preços de vendas menores foram compensados por maiores volumes de vendas e a queda no preço das matérias-primas teve um efeito positivo.

Nove meses positivos – melhores volumes de vendas e maior rentabilidade

No geral, o Grupo apresentou um desempenho muito positivo nos nove primeiros meses de 2016. Seus volumes totais cresceram 8,4% com relação ao ano anterior. Isto se dá principalmente aos aumentos nos segmentos de Policarbonatos e Poliuretanos, que registraram fortes taxas de crescimento de 9,6% e 9,4%.

O EBITDA ajustado subiu 17,3% para 1,6 bilhão de euros. As vendas diminuíram 4,3% para 8,9 bilhões de euros nos primeiros noves meses, principalmente devido a uma diminuição de 8,1% nos preços gerais de vendas. Os preços médios de vendas diminuíram na comparação, principalmente no segmento de Poliuretanos. As movimentações da taxa de câmbio também tiveram um efeito levemente negativo.

Em 671 milhões de euros, o lucro líquido do Grupo Covestro subiu significativamente 57,1% com relação ao do ano anterior. O fluxo de caixa operacional livre também melhorou, subindo 68,1% para 960 milhões de euros com relação ao Grupo.

Com vendas de EUR 12,1 bilhões em 2015, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Suas principais atividades incluem a produção de polímeros tecnológicos e o desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos empregados em diversas áreas da vida cotidiana. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção civil e a indústria de esporte e lazer. A Covestro, antiga Bayer MaterialScience, possui 30 unidades fabris em todo o mundo e, no final de 2015, empregava aproximadamente 15.800 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Covestro

Curta nossa página no

Covestro desenvolve grade de Policarbonato para iluminação energeticamente eficiente

18/03/2016

Covestro_iluminacao

  • Nova geração de elementos de resfriamento para LEDs
  • Benefícios do novo material vão da excelente condutividade térmica à versatilidade e liberdade em design, afirma Covestro

O LED é a iluminação do futuro e seu uso está cada vez mais amplo. Por esta razão, e também por conta de seu quase ilimitado potencial de aplicações, a Covestro está dando suporte a essa tecnologia energeticamente eficiente com uma série de soluções em material.

Os LEDs são muito mais eficientes do que as lâmpadas incandescentes. Mesmo assim, eles ainda emitem parte de sua energia na forma de calor. Este calor precisa ser dissipado por meio de elementos de resfriamento para garantir uma alto rendimento em iluminação e uma longa vida útil da lâmpada.

Para esta aplicação, a Covestro lançou um policarbonato especial, o Makrolon® TC8030 (TC significa “termicamente condutor”, em inglês), que possui uma alta condutividade térmica de 20 W/m*K. “Quando comparado ao alumínio normalmente usado, este plástico oferece tanto condutividade térmica como uma grande liberdade de design”, explica Axel Wetzchewald, responsável de marketing para aplicações de LED da Covestro.

Colaboração com parceiros finlandeses

Para explorar ainda mais as possibilidades técnicas do Makrolon® TC8030, a Covestro estabeleceu uma projeto de colaboração com a Universidade de Ciências Aplicadas Karelia (UAS) e e com a Vesuto Oy,  especialistas finlandeses em moldagem por injeção.

O objetivo inicial deste projeto era utilizar o novo grade de plástico para criar elementos de resfriamento para luminárias LED que possam ser fabricadas através de moldagem por injeção. Estes então foram comparados com elementos produzidos à base de outros polímeros. Os resultados mostram que o material de policarbonato dissipa de forma muito efetiva o calor gerado pelos LEDs nas placas de circuito feitas para o teste.

“O Makrolon® TC8030 tem uma condutividade térmica comparável ao alumínio”, explica o gerente do projeto, Dr. Kari Mönkkönen, da Universidade Karelia. “Entretanto, o plástico é mais leve e oferece maior liberdade de design, o que o torna perfeito para soluções de iluminação em LED”, acrescenta Nikolai Ylimys, membro do projeto e designer da universidade.

Veikko Viitanen, diretor da Vesuto Oy, está confiante de que o policarbonato termicamente condutor vai abrir as portas para uma nova geração de elementos de resfriamento, pois “apesar da sua alta viscosidade, o material é fácil de se processar com um alto nível de qualidade através da moldagem por injeção.”

Fonte: Covestro – Assessoria de Imprensa

Curta nossa página no

Covestro desenvolve lentes de policarbonato resistentes ao impacto para proteção ocular

08/02/2016

Covestro-lentesCom qualidade ótica e liberdade de design, as lentes podem ajudar a diminuir lesões oculares

A Covestro, uma das principais fabricantes mundiais de polímeros e conhecida anteriormente como-Bayer MaterialScience, desenvolveu lentes extremamente resistentes ao impacto feitas de policarbonato.

As lentes, que passaram com sucesso por testes com projéteis de 45 gramas de aço sólido – disparadas a uma velocidade de 45 até 120 metros por segundo -, tem como objetivo proteger a região ocular dos trabalhadores e, consequentemente, diminuir as possibilidades de acidentes em rotina de trabalhos como queda ou objetos voadores, faíscas, lascas de metal, pequenos pedaços de madeira, pregos ou contato com substâncias nocivas.

As lesões oculares no local de trabalho são um risco ocupacional grave e podem ter consequências significativas tanto para o trabalhador quanto para o empregador. Somente nos Estados Unidos, a cada dia, mais de 2 mil trabalhadores sofrem lesões oculares e necessitam de tratamento médico. Estima-se que o custo com este tipo de lesão (incluindo tempo de produção perdido, despesas médicas e compensação do trabalhador) atinja mais de US$ 300 milhões por ano.

As lentes feitas com Makrolon 3207 são leves e transparentes como vidro, satisfazendo assim às restritas exigências da MCR Safety, um fornecedor americano de equipamentos de proteção individual que já produz óculos de segurança e protetores faciais certificados de acordo com a norma americana ANSI Z871.1. A MCR Safety desenvolveu suas novas lentes de segurança primariamente para atender às exigentes normas de produtos de segurança asiáticas, onde as lentes são produzidas.

Outra vantagem do produto é a liberdade de design, facilmente adaptado a qualquer tipo de armação. Segundo Paul Lin, representante da área de Policarbonato da Covestro em Taiwan, “as lentes são mais finas, o que oferece mais conforto ao usuário final, e o que barateia os custos de produção”.

Com vendas de 11,8 bilhões de euros em 2014, a Covestro é uma das maiores companhias de polímeros do mundo. Suas atividades estão focadas na produção de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em diversas áreas. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção e as indústrias de esportes e lazer. A Covestro, anteriormente conhecida como Bayer MaterialScience, possui 30 sites de produção ao redor do mundo e empregava cerca de 15.700 colaboradores até o final de setembro de 2015.

Fonte: Covestro

Curta nossa página no

Covestro mantém apoio ao projeto de volta ao mundo do avião movido à energia solar

27/11/2015
Richard Northcote (CSO da Covestro, meio), Bertrand Piccard, Iniciador, Chairman e Piloto do Solar Impulse (esquerda) e André Borschberg, Co-Fundador, CEO e Piloto do projeto (direita).

Richard Northcote (CSO da Covestro, meio), Bertrand Piccard, Iniciador, Chairman e Piloto do Solar Impulse (esquerda) e André Borschberg, Co-Fundador, CEO e Piloto do projeto (direita).

  • Acordo de patrocínio estendido até o final de 2018
  • Fabricante de polímeros também apoia a iniciativa “Future is Clean”

A Covestro, uma das principais fabricantes mundiais de polímeros, anunciou hoje a extensão do patrocínio ao projeto Solar Impulse; o avião deve completar a jornada ao redor do mundo em 2016.

A Covestro, antiga Bayer MaterialScience, tem sido parceira do Solar Impulse desde 2010 e também é parceira técnica oficial do projeto. A empresa foi responsável pelo projeto e construção do cockpit Si2 que utiliza avançados sistemas de poliuretano e policarbonato, reduzindo significativamente o peso do avião e garantindo proteção ao piloto.

“Para nossos colaboradores e clientes, o projeto Solar Impulse tornou-se um símbolo da inovação da Covestro assim como da nossa capacidade de fornecer uma série de soluções inovadoras”, afirma Patrick Thomas, CEO da Covestro. “Estamos felizes em manter o apoio a esta jornada inspiradora, pois ela simboliza nossos valores corporativos – Curiosidade, Coragem e Colorido”.

Compromisso com a sustentabilidade

“A sustentabilidade está no centro da nossa estratégica de negócios”, explica Richard Northcote, Chief Sustainability Officer da Covestro. “O compromisso com o Solar Impulse inclui o nosso papel como um dos principais patrocinadoras da jornada no trecho de voo que cruza a América, que será reiniciado em 2016. Conforme mais consumidores buscarem produtos eficientes do ponto de vista de energia e os governos começarem a implementar os objetivos do Pacto de Desenvolvimento Sustentável da ONU, este projeto terá um grande papel ao mostrar ao mundo como a tecnologia existente hoje pode contribuir para alcançar o que muitos consideravam impossível”.

As tecnologias desenvolvidas para o projeto já são utilizadas em vários produtos dos setores automotivo e de refrigeração. Além disso, os revestimentos usados no avião também estão sendo usados em muitos outros setores industriais.

Cooperação entre as equipes da Covestro e do Solar Impulse

Bertrand Piccard, criador, presidente e piloto do projeto Solar Impulse, comenta: “Graças ao adiamento em nossa aventura, a Covestro poderá voar conosco e demonstrar sua essencial contribuição ao Solar Impulse. Todos os parceiros do projeto compartilham a nossa visão de um futuro mais limpo e o envolvimento contínuo do Patrick Thomas e do time Covestro confirmam o compromisso da empresa a fim de alcançar este objetivo”.

Andre Borschberg, co-fundador, CEO e piloto do projeto, acrescentou: “Nós valorizamos a ajuda técnica, o compromisso e o espírito inovador da Covestro desde 2010 e queremos trabalhar ainda mais em parceria nos próximos três anos”. “Por experiência própria eu digo que o cockpit projetado pela Covestro para o Si2 fornece conforto para voarmos e trabalharmos. Queremos voltar para dentro do cockpit para o próximo trecho da viagem em 2016”, complementa.

A Covestro também apoia a iniciativa “Future is Clean”, parte do projeto Solar Impulse, que reúne apoio global para o uso da chamada energia limpa, seguindo a ratificação dos objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e antecipando a Conferência sobre Mudança Climática da ONU (COP21), agora em dezembro.

Com vendas de 11,8 bilhões de euros em 2014, a Covestro é uma das maiores companhias de polímeros do mundo. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção e as indústrias de esportes e lazer. A Covestro, anteriormente conhecida como Bayer MaterialScience, possui 30 sites de produção ao redor do mundo e emprega cerca de 15.700 colaboradores (até o final de setembro de 2015).

Fonte e foto: Covestro

Curta nossa página no

Covestro confirma previsão de aumento da lucratividade para o ano de 2015

17/11/2015

 

covestro

  • Aumento substancial no EBITDA ajustado esperado em 2015
  • Fluxo de caixa operacional livre no rumo de um novo recorde
  • Terceiro trimestre forte: lucro líquido aproximadamente 62% maior que o ano anterior

Após um terceiro trimestre bem-sucedido, a fabricante de polímeros Covestro recebe a confirmação do que esperava para todo o exercício de 2015. A empresa, que recentemente abriu o capital na bolsa de valores, prevê um aumento substancial na lucratividade em 2015. O fluxo de caixa operacional livre ruma para um novo recorde e o lucro líquido do terceiro trimestre melhorou aproximadamente 62%.

“2015 deve ser um ano muito bom para a Covestro”, afirmou o CEO Patrick Thomas. “Estamos demonstrando, acima de tudo, nossa capacidade de gerar receitas e nossa força financeira. É uma satisfação que os três segmentos e, especialmente os policarbonatos, possam participar do desenvolvimento positivo”.

Previsão de aumento considerável dos rendimentos

A Covestro prevê um aumento considerável no EBITDA ajustado em 2015, de 1,16 bilhão de euros acima do ano anterior. Este aumento foi favorecido sobretudo por uma situação de oferta e procura mais vantajosa. A empresa está presumindo um aumento no EBITDA ajustado do quarto trimestre em relação ao ano passado.

Em 2015, a Covestro espera que as vendas aumentem levemente (como divulgado) em relação ao valor do ano anterior de 11,76 bilhões de euros. Está previsto um aumento percentual de um dígito no crescimento geral de volume.

A Covestro também espera obter um novo recorde de fluxo de caixa operacional livre no ano corrente. Esse indicador constitui a base para a política de dividendos sustentáveis planejada pela empresa e permaneceu em 302 de euros milhões em 2014.

A Covestro está planejando reduzir a dívida financeira líquida, incluindo as obrigações com verbas rescisórias, para até 4 bilhões de euros.

Maiores rendimentos de segmentos esperados

No segmento de poliuretanos, está previsto um leve crescimento no volume geral em 2015. Está previsto que o EBITDA ajustado ultrapassará o valor do ano passado de 592 milhões de euros. Os poliuretanos são espumas de alto desempenho utilizadas, por exemplo, em bancos de automóveis, móveis estofados e materiais isolantes de prédios e aparelhos refrigerados.

A Covestro prevê um aumento percentual médio de um dígito no crescimento geral do volume no segmento de policarbonatos em 2015. Espera-se que o EBITDA ajustado seja mais que o triplo do valor do ano passado de 160 milhões de euros. O policarbonato é um plástico de alto desempenho utilizado em áreas chaves como os setores automotivo e de eletrônica.

No segmento de coberturas, adesivos e produtos especiais, a empresa planeja aumentar o EBITDA ajustado em relação ao valor do ano passado de 437 milhões de euros. Este segmento desenvolve e manufatura matérias-primas para coberturas, adesivos e materiais de vedação, além de produtos especiais para uso com artigos têxteis, cosméticos, médicos e esportivos.

Terceiro trimestre lucrativo

A Covestro já publicou aumentos no EBITDA ajustado em todos os três segmentos no terceiro trimestre de 2015. Com o pano de fundo de uma situação de oferta e procura mais favorável, esse valor aumentou quase 45% de forma geral ante o ano anterior, chegando a 471 milhões de euros. O lucro líquido aumentou aproximadamente 62% para 160 milhões de euros.

Por outro lado, o declínio nos preços de venda causou uma redução nas vendas da Covestro de 1,4% no terceiro trimestre, chegando a 3,02 bilhões de euros. No entanto, o crescimento no volume geral permaneceu estável. O fluxo de caixa operacional livre aumentou quase 13% ante o ano anterior, chegando a 251 milhões de euros.

Com vendas de 11,8 bilhões de euros em 2014, a Covestro é uma das maiores companhias de polímeros do mundo. Suas atividades estão focadas na produção de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em diversas áreas. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção e as indústrias de esportes e lazer. A Covestro, anteriormente conhecida como Bayer MaterialScience, possui 30 sites de produção ao redor do mundo e emprega cerca de 15.700 colaboradores (até o final de setembro de 2015).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Covestro

Curta nossa página no

Covestro melhora resultado operacional no terceiro trimestre de 2015

29/10/2015

covestro

  • EBITDA ajustado do trimestre aumenta 44,5%, para EUR 471 milhões
  • Lucro impulsionado pela situação de oferta e demanda
  • Vendas caem 1,4% para EUR 3 bilhões
  • Volumes estáveis com declínio dos preços de venda

O fabricante de materiais Covestro melhorou substancialmente seu resultado operacional no terceiro trimestre de 2015, informou a empresa. Em comparação com o mesmo período do ano anterior, o EBITDA ajustado aumentou 44,5%, para EUR 471 milhões. Uma das principais razões foi a queda significativa dos preços de matérias-primas, que no contexto de uma situação mais favorável de oferta e demanda, mais do que compensou a queda nos preços de venda. Efeitos cambiais de cerca de EUR 70 milhões também contribuíram de forma positiva para esse aumento nos ganhos.

“Nossos primeiros resultados como uma empresa independente mostram que nosso negócio permanece no caminho certo”, conta o CEO da Covestro, Patrick Thomas. “O terceiro trimestre salienta mais uma vez o nosso bom desempenho e, particularmente, nossa possibilidade de ganhos”.

O EBIT também aumentou significativamente para EUR 287 milhões, um aumento de 64% em relação ao terceiro trimestre do ano anterior. Refletidos aqui estão os itens especiais de menos EUR 18 milhões (T3 2014: menos EUR 2 milhões), compreendendo as despesas para a consolidação de unidades de produção, bem como as despesas e receitas da cisão parcial e da flutuação do mercado de ações da Covestro. O EBIT ajustado aumentou 72,3%, para EUR 305 milhões, no terceiro trimestre de 2015.

Volumes estáveis

As vendas da Covestro no terceiro trimestre de 2015 caíram 1,4%, em relação ao mesmo período de 2014, para EUR 3.020 milhões. Embora os volumes tenham sido globalmente estáveis em relação ao mesmo período do ano anterior, os preços de venda caíram em todos os três segmentos de operação, especialmente o de Poliuretanos, que desenvolve, fabrica e comercializa matérias-primas para espumas. No entanto, efeitos cambiais positivos em grande parte compensaram esses preços mais baixos.

As vendas do segmento de Poliuretanos recuaram 8,5% no terceiro trimestre de 2015, em relação ao mesmo período de 2014, para EUR 1.512 milhões. Isso resultou principalmente de preços de venda muito menores para os três grupos de produtos (tolueno di-isocianato (TDI), difenilmetileno di-isocianato (MDI) e polióis poliéteres), devido principalmente à queda dos preços globais das matérias-primas que foram em grande parte repassados aos clientes. No entanto, os preços de venda mais baixos foram compensados, em parte, pelos efeitos cambiais positivos.

Crescimento em Policarbonatos

O segmento de Policarbonatos aumentou as vendas em 13%, para EUR 819 milhões, no terceiro trimestre de 2015. Esse crescimento deveu-se a uma tendência positiva de aumento de volumes vendidos, embora os preços de vendas para plásticos de alto desempenho tenham caído um pouco. Os efeitos cambiais positivos também contribuíram para aumentar as vendas.

As vendas nos segmentos de Revestimentos, Adesivos e Especialidades cresceu 2,6%, para EUR 519 milhões. Os efeitos cambiais compensaram a ligeira queda dos volumes e preços de vendas em relação ao mesmo período do ano passado.

Crescimento das vendas nos primeiros nove meses

Nos primeiros nove meses de 2015, as vendas da Covestro cresceram 5.7%, para EUR 9.284 milhões. Os volumes cresceram em todos os segmentos. Os efeitos cambiais proporcionaram um impulso adicional, que, em geral, mais do que compensou a queda dos preços de venda, especialmente em Poliuretanos e Policarbonatos.

Em comparação com o ano anterior, o EBITDA ajustado para os três primeiros trimestre de 2015 melhorou substancialmente em 45,6%, para 1.385 bilhões de Euros. Os preços consideravelmente menores das matérias primas e volumes maiores mais do que compensaram o declínio nos preços de venda. Efeitos de variação cambial tiveram um impacto positivos de aproximadamente 200 milhões de euros. O EBIT aumentou EM 55,4% , em uma base de comparação anual, para 760 milhões de euros.

Despesas com pesquisa e desenvolvimento na Covestro aumentaram 18,2% nos primeiros nove meses do ano, para EUR 188 milhões (9M 2014: EUR 159 milhões), incluindo EUR 63 milhões no terceiro trimestre (T3 2014: EUR 48 milhões). A empresa também investiu EUR 62 milhões adicionais nos primeiros nove meses de 2015 (9M 2014: EUR 56 milhões) em projetos de desenvolvimento conjunto com clientes, incluindo EUR 21 milhões no terceiro trimestre de 2015 (T3 2014: EUR 19 milhões).

A Covestro publicará um relatório completo para o terceiro trimestre, incluindo uma previsão para o ano inteiro, em 12 de novembro de 2015.

Com 11,8 bilhões em vendas em 2014, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. As atividades comerciais se concentram na fabricação de materiais poliméricos de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos utilizados em muitas áreas da vida diária. Os principais setores atendidos são os setores automotivo, elétrico e eletrônico, construção e esporte e lazer.  A Covestro, antiga Bayer MaterialScience, possui 30 unidades de produção ao redor do mundo e, até o final de setembro de 2015, empregava aproximadamente 15.700 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Covestro

Curta nossa página no

Polymaker e Covestro desenvolvem conjuntamente uma nova linha materiais para impressão 3-D à base de policarbonato

21/09/2015

A Polymaker se associou à Covestro para fornecer materiais aperfeiçoados para impressão 3D destinados a engenheiros, designers e amantes da nova tecnologia.

Policarbonato para impressão 3D oferece melhor resistência térmica do que quase qualquer outro material atualmente disponível no mercado

Policarbonato para impressão 3D oferece melhor resistência térmica do que quase qualquer outro material atualmente disponível no mercado

A Polymaker, um produtor de filamentos de alta qualidade para impressoras desktop 3D lançou uma nova linha de materiais à base de policarbonato especificamente projetados para impressoras 3D baseadas em extrusão.

Os dois primeiros membros desta nova família de materiais são o Polymaker PC-Plus ™ e o PC-Max ™, que foram formulados e projetados para tornar o policarbonato disponível para impressoras desktop 3D padrão, baseadas em extrusão.  Segundo a Polymaker, eles conseguiram isso baixando as temperaturas de impressão da faixa de 300 a 320 ºC para um intervalo mais moderado (250-270 ºC)  e melhorando significativamente a resistência ao empenamento. O PC-Max ™ oferece adicionalmente propriedades mecânicas avançadas – tenacidade, em particular – tornando-o adequado para aplicações exigentes mecanicamente, afirma a Polymaker.

A introdução da linha de policarbonatos Polymaker PC é o resultado de uma parceria da Polymaker com a Covestro, anteriormente denominada Bayer MaterialScience. A Covestro, que forneceu as resinas-base de policarbonato para a linha Polymaker PC, tem uma ótima reputação como fornecedora mundial de materiais poliméricos de alta tecnologia, inovadores, sustentáveis e diversificados. Os cientistas de materiais da Polymaker trabalham em estreita colaboração com a equipe da Covestro (www.covestro.com) para melhorar a formulação do filamento de policarbonato 3D para dotá-lo de propriedades inéditas e funcionalidades para impressão 3D.

“A experiência, o portfólio de produtos e a liderança da Covestro serão de valor inestimável para a nossa missão de fornecer à indústria os melhores materiais com o desempenho, confiabilidade e segurança que irão inspirar os nossos clientes e expandir nosso portfólio de produtos”, disse o Dr. Xiaofan Luo, CEO de Polymaker.

Repercutindo esse entusiasmo,  Tim Efthimiady, vice-presidente sênior da Unidade de Negócios de Policarbonato de Covestro disse: “Nós vemos a integração dos nossos materiais poliméricos de alta tecnologia no campo da impressão 3D como um meio para orientar soluções de nova geração em design e produção. Estamos muito animados para trabalhar com a Polymaker à medida em que entramos nesta indústria florescente. ”

Segundo a Polymaker, algumas das vantagens-chave da sua nova linha de Policarbonatos, em comparação com materiais de impressão 3D já existentes, são:

  • Resistência ao Calor: Ao contrário de projetos feitos com materiais de PLA ou ABS, aqueles feitos com o Polymaker PC irão suportar temperaturas de mais de 100 ° C. Isso os torna ideais para a iluminação, engenharia e praticamente qualquer dispositivo ou produto que requeira boa estabilidade estrutural quando exposto ao calor.
  • Excelentes propriedades mecânicas: sendo um dos plásticos de engenharia mais usados no mundo, o policarbonato tem uma excelente reputação em termos de propriedades mecânicas. A linha Polymaker PC herda essas qualidades ao mesmo tempo em que é totalmente compatível com a impressão desktop 3D. Peças feitas com a linha Polymaker PC mostram uma resistência mecânica melhorada sob quase todos os diferentes modos de deformação, afirma a Polymaker. O PC-Max fornece ainda ótimas resistência ao impacto e tenacidade.
  • Capacidades pós-processamento: A linha Polymaker PC pode ser facilmente pós- processado por lixamento, revestimento ou outros métodos para atender às necessidades funcionais dos usuários.

Propriedades funcionais adicionais incluem retardância intrínseca à chama, claridade ótica e resistência a produtos químicos e solventes, afirma a Polymaker, que continuará a desenvolver novos materiais funcionais de impressão 3D baseados em Policarbonato.

“O Policarbonato tem propriedades que o tornam muito desejável para a comunidade de impressão 3D como um todo e a linha Polymaker PC torna-o ainda melhor para designers criativos e engenheiros em todas as fases do processo de produção”, acrescentou o Dr. Luo. “As suas excelentes propriedades funcionais e de engenharia abrem portas para novos projetos e aplicações que não eram possíveis anteriormente para aqueles que possuíam impressoras desktop 3D.”

“Estamos ansiosos para trabalhar com toda a comunidade de impressão 3D – fabricantes de impressoras,  desenvolvedores de software, designers e produtores – no desenvolvimento adicional da linha Polymaker PC”, comentou Aaron Jennings, gerente de marketing e comunicações da Polymaker. “Queremos ajudar os usuários de impressão 3D a atingirem seus objetivos e abrir novas possibilidades para a impressão 3D.”

O Polymaker PC-Plus ™ estará disponível em outubro no site da Polymaker (www.polymaker.com) e através da rede de distribuidores da empresa em todo o mundo. O Polymaker PC-Max ™ estará disponível antes do final deste ano.

Sobre a Polymaker:  Com sede em Xangai, a Polymaker fornece materiais para a indústria de impressão 3D. Atualmente,  também tem escritórios globais nos EUA, Holanda e Japão.

Sobre a Covestro (anteriormente Bayer Material Science): Com um faturamento de 11,7 bilhões de euros em 2014, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Suas atividades de negócios estão focalizadas na fabricação de materiais de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos utilizados em muitas áreas da vida diária. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção e as indústrias de lazer e esportes. No final de 2014, a Covestro tinha 30 sites de produção e empregava aproximadamente 14.200 pessoas em todo o mundo. a Covestro é uma empresa do Grupo Bayer.

Fonte: Polymaker

Curta nossa página no

Bayer MaterialScience muda de nome e passa a se chamar Covestro

03/09/2015
  • Fabricante de materiais tem nova identidade
  • Covestro inicia suas operações e agora é legalmente e economicamente independente
  • Entrada no mercado de capitais é esperada para meados de 2016

covestroUma das principais fabricantes de polímeros do mundo tem uma nova identidade. A partir de 1º de Setembro de 2015, a Bayer MaterialScience passa a operar sob o nome Covestro (pronuncia-se Covéstro). A companhia hoje é legalmente e economicamente independente, mas continuará sendo uma subsidiária 100% da Bayer AG. A Bayer pretende conduzir a entrada da Covestro no mercado de capitais até meados de 2016 a fim de concentrar-se exclusivamente em seus negócios de ciências da vida.

“A independência nos permitirá reunir nossas forças para enfrentar a competição global de forma mais rápida, efetiva e flexível”, afirma o CEO da Covestro, Patrick Thomas.

“Fazer do mundo um lugar melhor”

A Covestro possui uma nova e colorida logo. Sua visão também é nova: “Fazer do mundo um lugar melhor”. “Nós cumprimos essa visão inspirando a inovação e conduzindo o crescimento por meio de tecnologias e produtos rentáveis que beneficiam a sociedade e reduzem os impactos ambientais”, explica Thomas.

A Covestro fornece produtos para indústrias-chave em todo mundo, tais como os setores automotivo, de construção e eletrônico, bem como as indústrias de esportes, moveleira e têxtil. Com seus produtos e soluções em aplicações, a companhia ajuda a solucionar os maiores desafios do nosso tempo, da mudança climática à escassez de recursos, mobilidade e urbanização ao crescimento populacional e mudanças demográficas.

Produtos versáteis para indústrias-chave

Os produtos da Covestro incluem matérias-primas para a espuma premium de poliuretano que, em sua forma flexível, é usada em móveis, colchões e assentos automotivos; em sua forma rígida, ela é usada no isolamento de prédios e em equipamentos de refrigeração.

A companhia também produz policarbonatos de alta performance, que são materiais muito versáteis para componentes automotivos, estruturas para coberturas, dispositivos médicos e muito mais. O portfolio da Covestro ainda é composto por especialidades químicas, incluindo matérias-primas para revestimentos, adesivos e filmes.

A Covestro é administrada por um Conselho formado por quatro membros. Os membros do Conselho de Administração, presidido pelo CEO Patrick Thomas, também incluem Frank H. Lutz (Diretor Financeiro e de Relações Trabalhistas), Dr. Klaus Schaefer (Produção e Tecnologia) e o Dr. Markus Steilemann (Inovação).

Sobre a Covestro: Com vendas de 11,7 bilhões de euros em 2014, a Covestro é uma das maiores companhias de polímeros do mundo. Suas atividades estão focadas na produção de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em diversas áreas. O grupo Covestro possui 30 sites de produção ao redor do mundo e até o final de 2014 empregava cerca de 14.200 colaboradores. A Covestro é uma empresa do Grupo Bayer.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Covestro

Curta nossa página no

Lanxess apresentou poliamidas retardantes de chama durante exibição no Sul da Alemanha

03/07/2015
  • Componentes de PBT e poliamida retardantes de chama
  • Baixa deformação e excelente qualidade da superfície
  • Fluidez para a fabricação de componentes com espessura fina

Lanxess_WurzburgA empresa de especialidades químicas Lanxess teve um estande na exposição que acompanhou o Congresso “Plásticos em Aplicações Eletroeletrônicas” da SKZ (Centro de Plásticos do Sul da Alemanha), que aconteceu no início de junho na Fortaleza de Marienberg em Würzburg. “Nossa exposição se concentrou em componentes de PBT e poliamida reforçada com baixíssima deformação, uma poliamida 6 com custo melhor para substituir as poliamidas com reforço mineral e as variantes de PBT com fluidez extremamente boa para a produção econômica de componentes de espessura fina”, explicou Alexander Radeck, especialista em desenvolvimento de aplicações na unidade de negócios Materiais de Alto Desempenho da Lanxess.

Outro foco foi colocado nos compostos de poliéster para aplicações em tecnologia de iluminação LED. A Lanxess também participaou da programação de palestras. Andy Dentel, desenvolvedor de aplicações na Bond-Laminates GmbH, uma subsidiária da Lanxess, falou sobre os “Usos potenciais dos compósitos termoplásticos com fibra em aplicações eletroeletrônicas: visão geral e status da tecnologia” na quarta-feira, 10 de junho.

Deformação baixa; qualidade da superfície

Os componentes de PBT e poliamida reforçada retardantes de chamas que apresentam baixa tendência a se deformar são alvos de uma demanda específica para a fabricação de peças de suporte geometricamente complexas e grandes. Com o Pocan AF, a Lanxess é um dos poucos fornecedores de misturas de PBT e ASA (copolímero de acrilonitrila-estireno-acrilato) para esse perfil de necessidades. “Eles resultam em superfícies excelentes, quase não produzem nenhum depósito no molde de injeção e são retardantes de chama”, disse Radeck.  Esse poder alto de retardância de chamas reflete-se na classificação V0 no teste UL 94 da organização americana de testes Underwriter Laboratories (UL) e o registro correspondente na certificação UL Yellow Card.

Entre os tipos de poliamida 6 com nível de deformação particularmente baixo que a Lanxess exibiu estava o Durethan BG 30 X F30 e o Durethan BG 30 X FN01, que são reforçados com, entre outros materiais, microesferas de vidro. Este último é um plástico retardante de chamas e sem halogênio, classificado como UL f1 para uso em aplicações ao ar livre com exposição a raios UV e água.

Alternativas econômicas com melhor desempenho

O Durethan BKV 25 FN27, que é customizado para substituir a poliamida 6 retardante de chamas com reforço mineral, oferece melhor desempenho a um preço comparável, afirma a Lanxess. “Este material também apresenta retração isotrópica, mas é mais rígido e mais sólido, pode receber coloração livremente e é mais fácil de soldar usando ultrassom. Também tem densidade mais baixa”, disse Radeck. No teste de fio incandescente de acordo com a norma IEC 60695-2-12, o material retardante de chamas – sem halogênio e sem fósforo – obteve o melhor valor possível no Índice de Flamabilidade por Fio Incandescente (GWFI) para plásticos a 960°C para amostras com espessuras de menos de 1 mm. Uma aplicação possível é em equipamento de comutação de baixa voltagem.

Ciclos até 20% mais curtos

As variantes Pocan XF com fluidez extremamente baixa, segundo a Lanxess, são reforçadas com um percentual de 10 a 55% em fibra de vidro. “Apesar da melhor propriedade de fluidez, elas são mais resistentes à hidrólise do que os grades de PBT padrão comparáveis e apresentam propriedades mecânicas similares”, explicou Radeck. Outro ponto forte é a distribuição bastante uniforme das fibras de vidro em áreas do componente com espessura fina. Para demonstrar isso, apresentações com o Pocan C 3230 XF foram feitas na feira em Würzburg.

Tepex – retardante de chamas, condutor de eletricidade

A palestra de Andy Dentel incluiu uma introdução aos novos tipos retardantes de chama do compósito de alto desempenho Tepex da Bond-Laminates GmbH – uma subsidiária da Lanxess – baseado em uma matriz de policarbonato. Ele também enfatizou as oportunidades oferecidas pelo Tepex retardante de chamas na produção de peças de suporte para as áreas de transmissão e distribuição de energia, por exemplo. Outro tópico abordado foram os tipos de materiais condutores de eletricidade do Tepex, que podem ser usados em aplicações com requisitos especiais de compatibilidade eletromagnética (CEM).

Com vendas de €8 bilhões em 2014 e aproximadamente 16.300 funcionários em 29 países, a Lanxess é representada por 52 unidades de produção em todo o mundo. A atividade principal da LANXESS é o desenvolvimento, a fabricação e a comercialização de plásticos, borracha, intermediários e produtos químicos especiais.

Fonte: Lanxess

Curta nossa página no

Sustentabilidade e inovação são tema central da MaterialScience na FEIPLASTIC 2015

01/05/2015

Stand apresenta produtos destinados a diferentes segmentos e ressalta a importância da parceria com a indústria para o desenvolvimento de novas e eficientes soluções

MaterialScience LEDA MaterialScience, divisão de materiais inovadores do Grupo Bayer, participa da FEIPLASTIC – Feira Internacional do Plástico, que acontece de 4 a 8 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. A companhia apresentará ao mercado exemplos de soluções e sua colaboração com diferentes segmentos industriais, como automotivo, médico, e também os mercados de iluminação LED e chapas de policarbonato.

Em uma área de 150 m², a empresa explora a versatilidade do policarbonato, matéria-prima descoberta pela Bayer em 1953, em uma série de filmes e aplicações que vão de spoiler de carros até pequenos instrumentos médicos, passando por grandes fachadas de estádios e a iluminação LED presente em outdoors de todo mundo e também dentro de nossas casas. Entre os destaques da empresa estão os produtos das famílias Makrolon®, APEC®, Bayblend® e Makroblend®.

Haverá ainda uma área destinada à demonstração das chapas de Makrolon®. A intenção é verificar in loco o grau de resistência do material a partir da repetição de golpes no material.

Além disso, na quinta-feira, dia 7 de maio, das 16h às 17h45, a empresa ministra a palestra “Introdução ao Desmopan® 2015: Versatilidade a serviço da indústria” com o executivo Mathias Lauter, Technical Services and Application Development EMEA/LATAM. O evento será realizado na programação da Ilha do Conhecimento. Os visitantes poderão entender melhor a linha de termoplásticos de poliuretano Desmopan®, que pode ser utilizada em uma grande variedade de aplicações para uma série de segmentos industriais, como automotivo, eletroeletrônico e construção.

“Nosso principal objetivo é compartilhar as novidades sobre os plásticos de engenharia”, comenta Luis Carlos Sohler, Head da Unidade de Negócios Policarbonatos para a América Latina. “Eventos como este incentivam a discussão e a adoção de materiais e projetos já maduros em mercados como os Estados Unidos e Europa no Brasil e demais países da América Latina”, finaliza.

Agenda – 7 de Maio (16h às 17h45)
Palestrante: Mathias Lauter, Technical Services and Application Development EMEA/LATAM
Título: Introdução ao Desmopan® 2015: Versatilidade à serviço da indústria
Resumo: A apresentação mostrará a planta e o  processo de produção, além de trazer elementos básicos sobre a química do TPU. A parte técnica traz um aprofundamento dos diferentes processos de moldagem – principalmente por injeção e extrusão, bem como tópicos sobre resistência UV e explicações sobre a necessidade da pré-secagem do TPU. Entre os exemplos de aplicações podemos destacar: manoplas, sistemas táteis para pisos, capas para celulares, entre outras.

Sobre a MaterialScience: Com vendas globais de 11 bilhões de euros em 2014, a MaterialScience está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Suas atividades de negócios são focalizadas na produção de materiais de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados no dia a dia. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônicos, construção e as indústrias de lazer e esportes. No final de 2014, a MaterialScience reunia 14.200 colaboradores em todo o mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Material Science

Curta nossa página no

SABIC lança as primeiras soluções de chapas transparentes e leves de policarbonato para uso em interiores de aeronaves

04/06/2014

Sabic_lexanA SABIC anunciou durante a Aircraft Interiors Expo, evento realizado em Hamburgo (Alemanha), duas soluções de chapas de policarbonato (LEXAN™) para uso em interiores de aeronaves. Estes novos produtos  – a chapa LEXAN XHR2000 e a chapa LEXAN LIGHT F6L300 – ajudarão a fornecer soluções importantes para as companhias aéreas para projetos de interiores de cabines diferenciados, além de ajudar a reduzir significativamente o peso, o que resulta em uma aeronave mais eficiente em termos de consumo de combustível. Segundo a SABIC, os engenheiros de projeto se beneficiarão destes materiais leves e duráveis, pois estes podem ajudar a reduzir os custos do sistema, além de oferecerem facilidade de fabricação e atenderem aos rigorosos padrões regulatórios do setor.

“A SABIC compreende a ambição de seus clientes de interiores de aeronaves de ficarem à frente das tendências de projeto e de atenderem a demanda por componentes de interiores com menos peso e que possam ajudar a melhorar a eficiência no consumo de combustível da aeronave. As soluções de chapas LEXAN XHR2000 e LEXAN LIGHT F6L300 leves e duráveis são as primeiras soluções do mercado criadas para ajudar nossos clientes a se manterem à frente em inovação neste ambiente desafiador onde estética, segurança e sustentabilidade são essenciais”, disse Kim Choate, diretor de negócios para transportes da unidade de negócios Innovative Plastics da SABIC.

Novas opções transparentes para design de interiores de aeronaves

Os designers de interiores de aeronaves sofrem por diversas vezes pelas limitações de transparência e conformidade dos materiais atualmente disponíveis. Com 80% de transmissão de luz – o mais alto nível disponível em material para chapas em conformidade com a norma OSU vigente – a nova chapa LEXAN XHR2000 da SABIC é uma opção pioneira para interiores de aeronaves com este nível de transparência, segundo a SABIC, além de atender aos padrões de liberação de calor da OSU 65/65 e as exigências de retardância à chama, emissão de fumaça e de toxicidade (FST)(FAR25.853, BSS7239, ABD0031) típicas da indústria aeroespacial.

Afirma também a empresa que o robusto desempenho de queima vertical  é possível com a utilização de um processo secundário, tal como um revestimento funcional ou filme laminado, que agrega ainda mais valor ao projeto aumentando a resistência química e as propriedades de resistência a riscos. A chapa LEXAN XHR2000 facilita o design de grandes componentes, tais como divisórias de segurança e janelas de grandes dimensões que são cada vez mais populares em projetos de plataforma. Além disso, segundo a SABIC, ela é mais flexível às adaptações e ajustes futuros no projeto, ajudando os projetistas a encontrarem respostas para outras necessidades, tais como o desenvolvimento das estações de serviço de autoatendimento em aeronaves, que exigem grandes janelas transparentes para que os passageiros possam ver o que está disponível. Outras possíveis aplicações incluem divisórias, proteção para poeira, painel de instrumentos, divisórias de telas de entretenimento e painéis divisores, painéis de equipamentos de cozinha, painéis de proteção, painéis de escada/corrimão, barreiras, janelas, espelhos, lentes de iluminação, sistemas de porta e refrigeração, e aplicações laminadas personalizadas e impressas, que exijam projetos gráficos transparentes/translúcidos.

Aumento da eficiência no consumo de combustível

A nova chapa de alto desempenho LEXAN LIGHT F6L300 da SABIC, que já se encontra em processo de avaliação de patente, é a opção de chapa termoplástica mais leve disponível atualmente, segundo a SABIC, independentemente do material de base, em conformidade com os padrões de OEMs para retardância à chama, emissão de fumaça e toxicidade. Com gravidade específica de 0,85 g/cm3, ela oferece até 40% de redução de peso quando substitui o PVC (policloreto de vinila) tradicional ou suas blendas com resinas acrílicas (PVC/PMMA) em chapas para possíveis aplicações, tais como peças de assentos, alojamentos da cabine de piloto, divisórias, compartimentos de bagagem e unidades de serviço ao passageiro. Afirma a empresa que as chapas LEXAN LIGHT atendem às exigências de retardância à chama, de emissão de fumaça e de toxicidade (BSS7239, ABD0031) típicas da indústria. Em média, uma aeronave consome cerca de 0,03 kg de combustível por hora para cada 1 kg levado a bordo, considerando que a frota comercial total voa aproximadamente 57 milhões de horas por ano, reduzir um quilo por voo pode resultar em uma economia de cerca de 1.700 toneladas de combustível e 5.400 toneladas de dióxido de carbono (CO2) por ano1.

O uso da chapa LEXAN LIGHT para substituir produtos à base de PVC/PMMA em estruturas de assentos pode ajudar a reduzir o peso destes em 121,6 kg em uma aeronave com média de 190 assentos, o que pode ajudar a frota comercial total a economizar aproximadamente 206.720 toneladas de combustível e reduzir em cerca de 656.640 toneladas de dióxido de carbono ( CO2) emitidos no período de um ano, segundo dados da SABIC. Estas possíveis economias ocorrem devido à estrutura inovadora de células fechadas da chapa LEXAN LIGHT que pode ser termoformada em complexas peças tridimensionais com paredes muito finas (reduzidas para 0,6 mm).

Fonte: Sabic

Curta nossa página no

Policarbonato da SABIC é usado para fabricação de frasco Fernbach por injeção-sopro

18/02/2014

Sabic_FernbachCom o apoio da SABIC, a TriForest Labware desenvolveu um frasco Fernbach de policarbonato de 3L, que diz ser o primeiro em seu tamanho produzido pelo processo de moldagem por injeção e sopro. Esta inovação permite maior segurança em ambientes de laboratório e produtividade na cultura de amostras. Ao contrário dos demais frascos de plástico com tamanho similar, moldados por extrusão e sopro, o frasco Fernabach de 3L da TriForest Labware usa a resina LEXAN™ HP da SABIC, que fornece paredes mais espessas e transparência óptica aprimorada e permite a avaliação da amostra em tempo real, semelhante ao vidro, mas com maior durabilidade.

“Desenvolver soluções inovadoras que melhoram a segurança e eficiência em ambientes de laboratório é cada vez mais importante para o setor, pois permite a redução de custos e resultados mais rápidos. Ao trabalhar com a TriForest Labware fomos capazes de desenvolver uma solução que ajuda a responder a estes desafios, pois oferece uma alternativa válida aos materiais tradicionais, o que ajuda os técnicos de laboratório a obterem culturas de amostras com riscos reduzidos e maior capacidade para atingir resultados em tempo real. A SABIC está comprometida em colaborar com fabricantes no desenvolvimento de tecnologias inovadoras destinadas a resolver os desafios do setor”, segundo Cathleen Hess, Diretora de Marketing para a área da Saúde da unidade de negócios Innovative Plastics da SABIC.

Segurança e eficiência com a resina LEXAN

A resina LEXAN HP da SABIC, utilizada no frasco de 3L da TriForest Labware, permite maior segurança no transporte dos frascos e na sua utilização em laboratórios. Um dos riscos associados ao material tradicional, o vidro, é a sua possibilidade de quebra durante o transporte, o que representa um risco para as pessoas que manuseiam as peças. Além disso, o fato do frasco de 3L ser feito de resina LEXAN HP reduz significativamente o risco aos técnicos de laboratório de terem contato com materiais biológicos perigosos, uma vez que o frasco possui menor probabilidade de se romper.

A eficiência em laboratório é outro requisito crítico da indústria que é atendido pelo frasco de 3L da TriForest Labware. A moldagem por injeção e sopro com a resina LEXAN HP fornece paredes uniformes e mais espessas, o que permite a medição da densidade óptica em pequenas variações do pH. Como resultado desta inovação, os técnicos de laboratório podem avaliar culturas dentro do sistema de frasco fechado com precisão e de forma mais eficiente. Juntamente com o benefício das avaliações das amostras em tempo real, a capacidade de esterilização em autoclave permite aos frascos a possibilidade de serem reutilizados e com isso os reduzir custos associados ao uso dos mesmos.

“Já temos uma relação longa e bem-sucedida com a SABIC e, com nosso processo de desenvolvimento colaborativo, fomos capazes de identificar uma tecnologia que traria vantagens significativas para o setor da saúde e que atendesse às rigorosas necessidades de nossos clientes”, comentou Syed Rehan, vice-presidente da TriForest Labware. “Sem as propriedades excepcionais fornecidas pela resina LEXAN HP — transparência óptica, resistência ao impacto e capacidade de moldagem por injeção e sopro — não seríamos capazes de criar este frasco Fernbach de 3L,” completa o executivo.

Conformidade regulatória consistente

A resina LEXAN HP da SABIC está entre os mais de 50 materiais de alta tecnologia abrangidos pela política de produtos para cuidados com a saúde da SABIC, projetados com a intenção de apoiar fabricantes na conformidade regulatória das aplicações médicas e farmacêuticas, e de economizar tempo e dinheiro. A política de produtos para cuidados com a saúde da SABIC oferece aos clientes a confiança de que seus materiais atendem aos padrões globais de segurança, estão disponíveis em formulação consistente e foram pré-avaliados quanto à biocompatibilidade.

A SABIC exibirá o frasco de 3L da TriForest Labware e inúmeras outras soluções inovadoras para a indústria da saúde na MD&M West, a ser realizada entre os dias 11 a 13 de fevereiro de 2014 em Anaheim.

Fonte: SABIC

Curta nossa página no

SABIC reforça seu posicionamento no suporte ao crescimento dos fabricantes de veículos no Congresso SAE Brasil 2013

15/10/2013

SABIC_congresso_SAENa 22ª edição anual do Congresso SAE Brasil, em São Paulo, a unidade de negócios da SABIC – Innovative Plastics destacou sua posição no suporte aos fabricantes de veículos para aproveitarem o mercado altamente promissor do Brasil. O congresso da SAE veio num momento em que várias montadoras estão investindo para aumentar a produção no país, que já é o quarto maior mercado automotivo do mundo. Um dos programas que está estimulando o crescimento da indústria automotiva do Brasil é o Inovar-Auto, que incentiva as montadoras a se qualificar para garantir descontos fiscais significativos ao atender aos requisitos específicos do programa. Entre estes requisitos estão a melhoria da eficiência dos veículos em 12%, a realização de um número mínimo de etapas de fabricação no país e investimentos em P&D nas áreas de engenharia, tecnologia e capacitação de fornecedores. Os materiais avançados da SABIC para a indústria automotiva, a sua produção local e recursos de engenharia no país, apoiados por uma rede global de desenvolvimento e centros tecnológicos, oferecem à cadeia automotiva o suporte para atender aos requisitos do programa Inovar-Auto e suas ambições de crescimento neste importante mercado automobilístico.

“Temos o prazer de participar mais uma vez do Congresso SAE Brasil e discutir, junto à indústria, como podemos responder aos desafios e demandas mais urgentes do setor”, disse Ricardo Knecht, gerente geral, América do Sul, da unidade Innovative Plastics da SABIC. “Com este novo direcionamento para aprimorar a tecnologia dos veículos, vemos a oportunidade de oferecer uma maior colaboração através de toda a cadeia de valor, e estamos animados por unir a nossa experiência e know-how em materiais com a engenhosidade de nossos clientes e assim aproveitar ao máximo esta oportunidade”.

“Nosso melhor resultado é alcançado quando trabalhamos diretamente com nossos clientes para entender os desafios e desenhar as soluções”, disse Scott Fallon, diretor sênior de marketing automotivo para os negócios SABIC – Innovative Plastics. “É por isso que estamos ansiosos por eventos como o Congresso SAE Brasil. É outra oportunidade para iniciar esse processo de compartilhamento de conhecimento e traduzi-lo em soluções significativas, e é isso que estamos apresentando aqui em São Paulo – uma gama de soluções de baixo peso que podem ajudar as montadoras a fazer progressos significativos em direção à eficiência dos veículos definidos no programa Inovar-Auto”.

Novas janelas de oportunidade

SABIC_congresso_SAEEntre as muitas aplicações automotivas que a SABIC apresentou no Congresso SAE Brasil 2013, está a estilizada janela de policarbonato (PC) do modelo Volkswagen XL1, um híbrido plug-in com motor a diesel. O XL1 é o carro mais eficiente em produção no mundo, com uma razão de consumo de combustível europeu de 0,9 litros/100 km.

Para alcançar esse desempenho, a Volkswagen aumentou a eficiência do XL1 em todas as áreas de design e tecnologia. Isto incluiu a produção das janelas laterais por meio de uma solução moldada por um processo de injeção de dois estágios e uma tecnologia de revestimento por plasma da EXATEC™ sobre a resina LEXAN™ (PC) e a resina CYCOLOY™ (PC/ABS). Estes materiais reduzem o peso das janelas laterais em 33% em comparação a soluções convencionais de vidro, além de proporcionar uma aparência ótica de alta qualidade e uma superfície resistente à abrasão. A SABIC apoiou completamente a Volkswagen no desenvolvimento do design, engenharia e produção das janelas laterais.

Segundo a empresa, as soluções para “glazing” (plásticos para janelas de veículos) da SABIC podem reduzir o peso em até 50%, dependendo da complexidade e design da janela, se comparadas às versões em vidro convencional. Além de janelas laterais de um veículo, as montadoras podem optar por aplicar a tecnologia do glazing em PC para janelas laterais traseiras e dianteiras (rear and front quarter windows), teto e spoilers – aplicações já demonstradas em veículos de produção. Os parabrisas traseiros (backlites) apresentam uma oportunidade significativa para tirar o máximo proveito dos muitos benefícios possíveis com o uso do PC, incluindo a redução de peso, maior liberdade de design, peças aerodinâmicas e maior integração de funções.

De olho no futuro

Uma segunda aplicação de destaque na exibição é um protótipo de volante todo em plástico com base na resina LEXAN™ EXL da SABIC, um copolímero de PC de alto desempenho, com boa resistência ao impacto em ampla faixa de temperatura e elevada rigidez. Segundo a SABIC, utilizando-se um processo de moldagem por injeção de termoplásticos para este produto pode-se reduzir a massa em até 20% e de 10% a 20% o custo final da peça. A redução de massa oferece às montadoras mais espaço para a integração de componentes eletrônicos e maior liberdade de design para explorar formas originais e designs inovadores. Comparado ao processo de fundição tradicional, a moldagem por injeção pode evitar operações secundárias e agilizar a produção, reduzindo o consumo de energia e as emissões de gases de efeito estufa do processo de fabricação em até 80% e 90%, respectivamente.

Outras aplicações apresentadas no Congresso SAE Brasil 2013 no estande da SABIC incluem:

·          Paralamas e portinholas do tanque de combustível moldados a partir de resina NORYL™ GTX. Este material, quando substitui o metal, pode reduzir até 50% em peso, permitindo uma maior liberdade de design e estilo. Paralamas moldados com este material podem ser pintados on-line, ou seja, junto ao restante do corpo do veículo de demais peças metálicas, evitando a necessidade de operações secundárias e garantindo uma combinação perfeita de cores. Esta resina que é condutiva não exige uma etapa de aplicação de primer antes da pintura.

·         Módulos frontais (Front-End modules) fabricados com a resina STAMAX™ (polipropileno reforçado com de fibra de vidro longa), oferece redução de peso, boa resistência térmica e desempenho mecânico, bem como a capacidade de consolidar as peças para a montagem simplificada.

·         Molduras de faróis e componentes transparentes para iluminação moldados com a resistente resina de PC LEXAN™, uma das soluções em materiais mais importantes do mundo para lentes de faróis. A resina ULTEM™ também é destaque para aplicações em sistemas de iluminação devido às suas propriedades de alta resistência térmica e estabilidade dimensional, características que fazem desta resina um excelente candidato para avançados projetos de faróis de LED.

·         Absorvedores de energia para proteção de pedestres com base na resina XENOY™ iQ, um material composto por uma porcentagem significativa de resíduos pós-consumo renovados, tais como garrafas de água (PET). Além de redução de massa que melhora a característica de consumo de combustível e de emissões, este material oferece medidas eficientes de absorção de energia para atender os requisitos de proteção de pedestres e os danos aos veículos causados em acidentes de baixa velocidade.

A unidade de negócios da SABIC- Innovative Plastics trabalha em colaboração com os clientes desde as primeiras fases do projeto para garantir a correspondência ideal entre atributos materiais e requisitos de aplicação para o melhor desempenho geral. A SABIC possui equipes locais no Brasil, ligadas e apoiadas pela rede global da SABIC, as quais estão disponíveis para oferecer suporte técnico e de desenvolvimento. A SABIC oferece ainda aos clientes na América do Sul acesso fácil e rápido aos materiais de suas instalações de produção localizadas em Campinas (SP), no Brasil e em Tortuguitas, na Argentina.

Fonte: SABIC-IP

Curta nossa página no

SABIC exibe na MDM Brazil 2013 soluções para a indústria médica projetadas para ajudar a melhorar a segurança do paciente e do médico

29/08/2013

SABIC_MDMA unidade de negócios Innovative Plastics da SABIC está ajudando seus clientes brasileiros que atuam na indústria médica e hospitalar a enfrentar o desafio de reduzir  infecções relacionadas à assistência médica entre pacientes e profissionais da área. Segundo um relatório de 2011 da Organização Mundial da Saúde, estima-se que, em países em desenvolvimento como o Brasil, 10 entre cada 100 pacientes hospitalizados devem contrair pelo menos uma vez durante o tratamento uma infecção hospitalar. O amplo portfólio da SABIC de soluções de materiais para a área da saúde, em exibição na MD&M Brazil 2013 (27-28 de agosto; São Paulo, Brasil), pode ajudar seus clientes a reduzirem esse número e atenderem às demandas cada vez mais rigorosas da tecnologia médica, incluindo melhor desempenho em esterilização e propriedades antimicrobianas.  Dentre as soluções destacadas no evento, estão a resina ULTEM™ HU1004 da SABIC – uma combinação de resinas PEI (polieterimida) desenvolvida especificamente para aplicações na área da saúde –, todo o portfólio antimicrobiano da linha LNP™ da SABIC e ainda a resina LEXAN™ HFD, um copolímero de policarbonato de alto fluxo desenvolvido com foco no desempenho do processamento. Todos esses materiais demonstram o compromisso da SABIC com seus clientes locais, no sentido de permitir que desenvolvam dispositivos médicos econômicos e com tecnologia de ponta, visando oferecer à pacientes e médicos os mais seguros ambientes para assistência à saúde.

“A redução das infecções relacionadas à assistência médica é um desafio em todo o mundo na área da saúde. Em um país como o Brasil, com uma classe média crescente, mais pessoas estão buscando atendimento médico, o que aumenta a possibilidade de contração de infecções hospitalares”, explicou Cathleen Hess, diretora de marketing na área de saúde da Innovative Plastics da SABIC. “Na SABIC, temos o compromisso contínuo de desenvolver soluções robustas que não apenas permitam aos nossos clientes atender aos desafios existentes de prevenção de infecções, mas também acompanhar as tendências da área de saúde como um todo.”

Para fortalecer as ofertas locais da SABIC, as fábricas de Campinas (Brasil) e Tortuguitas (Argentina) foram certificadas, em conformidade com as normas da FDA (Agência de Controle de Alimentos e Medicamentos dos EUA), para produzir materiais em contato com alimentos e também materiais que exijam biocompatibilidade conforme a ISO 10993.  Essas certificações podem ajudar os clientes sul-americanos a encurtarem o tempo de desenvolvimento dos produtos, reduzirem os custos de estoque e aumentarem a flexibilidade na compra de materiais, além de atenderem ao previsto aumento nos gastos com a assistência médica no Brasil, tendo em vista uma expectativa de crescimento de cerca de 8,6% (taxa de crescimento anual composta) no período de 2012-20151.

Grade de Polieterimida para aplicações que exigem intensos procedimentos de esterilização

A maior ênfase no controle de infecções está fazendo com que as atenções se voltem para os vários tipos de processos utilizados na esterilização de equipamentos e dispositivos médicos e odontológicos.  Segundo a SABIC, a resina ULTEM HU1004, uma blenda de polieterimida (PEI) com maior estabilidade hidrolítica, é um material recomendado para novas e complexas aplicações que precisam passar por vários ciclos e diferentes processos de esterilização. Esses métodos – incluindo autoclave a vapor de alta temperatura (até 134° C), radiação gama e a esterilização por plasma de peróxido de hidrogênio, um processo emergente adequado a baixas temperaturas – podem degradar os dispositivos com o tempo, diminuindo sua integridade mecânica, interferindo no desempenho ou alterando sua aparência.  Em testes envolvendo particularmente o processo de esterilização por plasma de peróxido de hidrogênio, a resina ULTEM HU1004 supera a polifenilsulfona (PPSU) em resistência à tração e ductilidade (fundamentais para estender a vida útil dos dispositivos) e mantém melhor a cor e a aparência.

Portfólio antimicrobiano pode ajudar a reduzir as infecções hospitalares em diversas aplicações

Segundo a SABIC, o seu portfólio antimicrobiano da linha LNP pode oferecer aos fabricantes de dispositivos novas soluções para enfrentar preocupações de pacientes e médicos com infecções associadas à assistência médica. O portfólio da SABIC inclui nove grades antimicrobianos diferentes, passando por quatro famílias de produtos: copolímero de policarbonato LEXAN™ EXL, resina de policarbonato (PC) LEXAN, resina XENOY™ PC/ PBT e resinas de polipropileno (PP) com e sem reforço de fibra de vidro. Essas resinas utilizam tecnologia antimicrobiana baseada em prata, já que a prata é bem adequada a várias aplicações e é aceita como antimicrobiano de ampla faixa de atuação, com atividade contra diversos patógenos.

A empresa afirma que cinco desses grades têm um alto efeito antimicrobiano (valor de redução logarítmica acima de 4, representando uma redução de 99,99 % quando testado com MRSA, seguindo o protocolo de testes ISO 22196-2007 em condições de laboratório) e quatro deles têm um efeito antimicrobiano baixo (valor de redução decimal abaixo de 4, representando uma redução de 99,0 a 99,99 % quando testado com MRSA seguindo o protocolo de teste ISO 22196-2007 em condições de laboratório). Essas opções permitem flexibilidade aos clientes, dependendo das necessidades específicas da aplicação. Além de terem essa opção, os clientes podem reduzir custos adicionais uma vez que as resinas SABIC são formuladas para serem eficazes nas mais baixas concentrações de prata.

Possíveis aplicações incluem a administração de fluidos e medicamentos, instrumentos cirúrgicos, dispositivos de monitoramento e imagem e equipamentos médicos duráveis, como camas hospitalares e mesas de operação.

Copolímero de Policarbonato de alto fluxo permite criar dispositivos médicos com designs inovadores

De acordo com a SABIC, as resinas LEXAN HFD oferecem aos projetistas de dispositivos médicos a oportunidade de reavaliar projetos para reduzir a espessura de parede de peças e possivelmente melhorar o desempenho do dispositivo por conta da menor tensão gerada na moldagem. Ainda segundo a empresa, essas vantagens posicionam esses novos materiais em uma grande variedade de aplicações, como gabinetes de equipamentos eletrônicos, artigos descartáveis utilizados no tratamento do paciente e equipamentos de diagnóstico e monitoramento. Além disso, a melhor aparência e a menor birrefringência da resina LEXAN HFD, em comparação com o PC padrão, oferecem potencial para uso em iluminação médica ou em dispositivos que exijam características ópticas excepcionais.

Com a maior ênfase no controle de infecções em ambientes de tratamento hospitalares e domésticos, os dispositivos médicos estão sujeitos a ciclos de limpeza regulares com produtos químicos e de esterilização cada vez mais rígidos.  Em decorrência disso, foi demonstrado que os dispositivos construídos de policarbonato padrão podem ser vulneráveis a rachaduras provocadas por estresse ambiental, em parte devido ao estresse residual relativamente alto em componentes moldados com PC padrão.  A SABIC afirma que as resinas LEXAN HFD, com menor tensão gerada na moldagem, podem ajudar a reduzir a ocorrência desse tipo de rachadura.

Conformidade regulatória de forma mais rápida

Os grades de resina antimicrobiana da SABIC estão entre os mais de 50 materiais médicos de alta tecnologia que contam com o suporte da política de produtos médicos da empresa, projetados com o objetivo de ajudar os OEMs a obter conformidade regulatória para suas aplicações farmacêuticas e da área médica, poupando tempo e dinheiro. A SABIC afirma que a sua política de produtos médicos dá aos clientes a confiança de que esses materiais atendem às normas globais de segurança, são fornecidos com formulação consistente e foram previamente avaliados para biocompatibilidade.

Fonte: SABIC

Curta nossa página no

Chapa de Policarbonato da SABIC IP recobre seu Primeiro Estádio Esportivo no Brasil, a Arena do Grêmio, com cobertura de baixo peso

30/04/2013

Arena-Gremio

A divisão Innovative Plastics da SABIC anunciou hoje, a primeira aplicação de suas chapas alveolares em policarbonato LEXAN™ THERMOCLEAR™ em um estádio esportivo no Brasil, a nova Arena do Grêmio, um estádio multiuso localizado em Porto Alegre, com 60.540 assentos, no qual as chapas de 10 mm e cor personalizada são utilizadas como cobertura. As chapas SABIC LEXAN THERMOCLEAR foram escolhidas pelo seu baixo peso, dureza e resistência a impacto, em comparação ao vidro. Este resistente material de cobertura já se provou antes mesmo da conclusão do estádio, quando a cobertura parcialmente instalada resistiu a uma violenta tempestade de vento. Esse projeto representa um novo marco nas quatro décadas de sucesso da SABIC em fornecer materiais com tecnologia de ponta para auxiliar designers e arquitetos a garantir segurança enquanto criam grandes obras arquitetônicas.“

A chapa SABIC LEXAN THERMOCLEAR – comparada ao vidro colorido e laminado, que foi considerado inicialmente – é tecnológica e esteticamente superior” disse Marcos Benicio, líder de contrato da OAS, contratada e instaladora geral para este projeto. “O material, durável e leve, não só é mais eficiente em questão de custos, como também muito mais fácil de transportar e instalar em comparação ao vidro, pesado e quebrável. Como benefício adicional, fomos capazes de obter o material localmente da fábrica SABIC em Campinas, que também forneceu suporte técnico e serviço de combinação de cores.”

“A especialidade material e técnica da SABIC vêm ajudando arquitetos e empreiteiras a projetar e construir alguns dos mais icônicos estádios pelo mundo.” disse Jack Govers, gerente geral de Chapas e Filmes Especiais, Innovative Plastics. “Durante muitos anos, nós temos aprimorado e reforçado nossas chapas para atender requerimentos ambientais e expectativas estéticas e de desempenho . O dia de hoje marca uma conquista significativa com a adição de mais uma arena inspiradora – a primeira do Brasil – que se beneficia da liberdade de design, eficiência energética e alto desempenho da chapa LEXAN THERMOCLEAR.”

A chapa LEXAN THERMOCLEAR foi fornecida em um tom personalizado de azul combinando com a marca do time Grêmio. A cor leve e com superfície altamente refletiva da chapa ajuda a minimizar os efeitos de calor e reduz a necessidade de sistemas de refrigeração. Esses atributos, somados ao baixo peso de cada painel (2,2 kg/m²) contribuem para o impacto ambiental reduzido da Arena do Grêmio, que aguarda receber a certificação Leadership in Energy and Environmental Design (LEED), do Green Building Council (EUA).

Benefícios

A chapa LEXAN THERMOCLEAR oferece muitas vantagens em relação aos materiais convencionais, como o vidro. A mesma é segura e fácil de se manusear, cortar e instalar, além de virtualmente inquebrável. Seu baixo peso pode oferecer economia significativa em termos de custo com transporte, manuseio e instalação. Quando comparada com vidro aramado de 6-mm, a chapa LEXAN THERMOCLEAR de 10-mm oferece uma redução de peso de mais de 85%.

A chapa LEXAN THERMOCLEAR proporciona uma resistência a impacto marcante dentro de uma larga variação de temperatura, entre – 40C e 120C, e também após prolongadaexposição à ambientes externos. Ela pode resistir a condições climáticas rigorosas, assim como variações de temperatura sem quebras ou empenamento. Ela possui recurso de tratamento de superfície patenteado em um de seus lados que oferece excelente resistência contra degradação por radiação Ultravioleta (UV). Este material acompanha uma garantia escrita limitada de 15 anos contra descoloração, perda de transmissão de luz e perda de resistência a impacto devido a intempéries.

O time da SABIC no Brasil providenciou simulações de cargas de vento, cálculos de resistência mecânica para os perfis de alumínio e relatórios regulamentares de resistência a chamas.

Fonte – SABIC IP

Curta nossa página no

Estádio Nacional de Brasília terá cobertura de teto com tecnologia desenvolvida pela Bayer MaterialScience

23/04/2013

Bayer_estadio_Brasilia

Placas de policarbonato, Makrolon UV 2099, garantem proteção da chuva e sol forte e proporciona leveza no visual arrojado da estrutura interna da cobertura

Os preparativos para a Copa do Mundo de 2014 estão em ritmo acelerado e algumas das construções entraram na fase final, como o Estádio Nacional de Brasília, uma das sedes escolhidas, inclusive, para a Copa das Confederações que inicia em junho deste ano. Atualmente as obras já se encontram na sua fase final e a Bayer MaterialScience se sente orgulhosa em contribuir, por meio de suas placas de policarbonato Makrolon, com o maior evento esportivo mundial que acontecerá no País.

Devido à leveza, transparência e versatilidade, o policarbonato Makrolon® UV 2099 é o material ideal para aplicações em tetos solares na construção civil. Cerca de 110 toneladas do produto, com placas de 12 mm de espessura, cada uma com mais de 10 metros de comprimento, foram fabricadas para o anel do telhado suspenso interno do estádio. Isso equivale a cerca de 7.500 m² a serem cobertos com a tecnologia sólida desenvolvida pela Bayer.

A estabilidade e o alto nível de resistência a impacto das camadas de policarbonato junto ao seu peso relativamente baixo, se comparado com outros materiais, garantem maior segurança e praticidade ao produto. Outra vantagem é sua flexibilidade para trabalhar, o que torna a manipulação sobre a construção muito mais fácil.

Outro benefício apresentado pelo Makrolon ® UV 2099 é que ambos os lados das placas oferecem proteção contra os raios UV. Os 12 mm de espessura permitem também uma alta incidência de luz no campo, em torno de 82%. Além disso, pelo seu alto grau de resistência, o produto protege os espectadores e jogadores das adversidades climáticas.

Em sintonia com a grandiosidade de Brasília, o antigo Estádio Mané Garrincha pretende se juntar ao legado deixado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Entre as principais mudanças, a remodelação inclui a remoção da antiga faixa de corrida que permitirá aos espectadores uma melhor visão de campo e a colocação de cobertura de alta tecnologia nas arquibancadas.

Sobre a Bayer MaterialScience:  Com vendas de 11,5 bilhões de Euros em 2012, a Bayer MaterialScience está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Suas atividades de negócios são focadas na produção de materiais de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados no dia a dia. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônicos, construção e as indústrias de lazer e esportes. No final de 2012, a Bayer MaterialScience tinha 30 fábricas, reunindo 14.800 colaboradores em todo o mundo. A Bayer MaterialScience é uma divisão de negócios do Grupo Bayer.

Fonte: Bayer MaterialScience / Jeffrey Group

Curta nossa página no

 

Bayer inaugura Centro de Desenvolvimento de Polímeros na Coréia do Sul

17/01/2013

Bayer_R&D_CenterA Bayer MaterialScience abriu oficialmente o seu primeiro Centro de Desenvolvimento e Tecnologia de Polímeros na Coreia do Sul. Localizado na cidade de Yongin, perto da capital Seul, ele irá focalizar o desenvolvimento de novas aplicações de policarbonato para produtos de empresas coreanas de alta tecnologia, especialmente nos setores automotivo e de Tecnologia da Informação. O novo Centro Tecnológico se incorpora a uma rede mundial de centros de pesquisa e desenvolvimento e unidades de produção importantes da região da Ásia/Pacífico.

“Durante a última década, a Coréia emergiu como um centro de vanguarda de produtos de alta tecnologia”, disse Michael Koenig, Membro do Comitê Executivo da Bayer MaterialScience e Chefe da Unidade de Negócios de policarbonato. “Grandes empresas coreanas estão oferecendo mundialmente suas mais recentes tecnologias, mas a sua pesquisa e desenvolvimento ocorre principalmente na Coréia. Com o nosso novo Centro de Tecnologia, nós podemos ficar mais perto delas, envolver-se melhor em parcerias de P & D de longo prazo e satisfazer às suas necessidades com maior eficiência e rapidez.” Koenig acredita que o centro vai se tornar uma força motriz no desenvolvimento de produtos inovadores na Coréia .

A Bayer selecionou estrategicamente Yongin como sede do Centro de Desenvolvimento devido à sua proximidade com outros centros de P & D e instalações fabris de muitas empresas globais da Coréia. Começando já na inauguração, o centro vai prestar assessoria técnica para clientes coreanos sobre aplicações de policarbonato em segmentos de alta tecnologia como produtos automotivos ou de TI (por exemplo, smart-fones, laptops, estações de TV, etc.) A partir do terceiro trimestre de 2013, ele vai desenvolver novos conceitos de aplicações de produtos com grandes empresas coreanas através de parcerias colaborativas,  bem produzir amostras e testes no contexto de assistência ao cliente.

A abertura do centro reflete o compromisso contínuo da Bayer em reforçar a sua presença na região da Ásia-Pacífico para oferecer aos clientes locais um melhor acesso ao know-how, experiência e tecnologias de aplicação avançada da empresa. O centro de tecnologia é parte de uma rede global de centros de P & D e de desenvolvimento de aplicações, incluindo os principais centros regionais de inovação em Pittsburgh (EUA), Leverkusen (Alemanha) e Xangai (China).

Além disso, o novo centro será apoiado por uma forte rede de unidades de produção da empresa na região da Ásia-Pacífico, principalmente os de Xangai, Map Ta Phut (Tailândia), e Niihama (Japão). A região possui hoje 60% da demanda mundial de policarbonato.

Fonte: Bayer MaterialScience

Curta nossa página no

Chapa de Policarbonato da SABIC é usada em pára-brisa de veículos florestais de empresa sueca

22/12/2012

SABIC-SUECIAOperadores de equipamento de corte de madeira necessitam de ótima visibilidade e proteção contra fragmentos ou grandes objetos que possam entrar em sua cabine e causar graves acidentes em ambientes florestais. Assim, quando a Rottne Industry AB precisou de um produto com alto desempenho para os para-brisas e janelas de suas ceifadeiras e carregadeiras, pediu ajuda à unidade Innovative Plastics da SABIC. Trabalhando com a SABIC e seu distribuidor, Vink Essåplast Group AB na Suécia, a Rottne Industry AB selecionou o resistente policarbonato (PC) com alta qualidade óptica LEXANTM MARGARDTM para a tarefa. O sucesso desse trabalho em conjunto, ilustra a dedicação da SABIC em atender às crescentes necessidades dos clientes com produtos de excelente desempenho.

“Recebemos um extraordinário retorno dos clientes sobre a avançada qualidade óptica de nossos para-brisas e janelas desde que começamos a usar a chapa de policarbonato LEXAN da SABIC, fabricadas na nova linha de extrusão de chapas LEXAN com qualidade óptica de ponta”, declarou Jan-Åke Björck, gerente de compras, Rottne Industry AB. “Os operadores relatam uma visão perceptivelmente mais clara e apurada da cabine, permitindo que trabalhem com mais eficiência e segurança. Esta tecnologia de classe mundial está nos ajudando a agradar nossos clientes e a nos destacar neste importante setor do mercado.”

A chapa de policarbonato LEXANTM MARGARD MR5E , possui ambos os lados com revestimento de proteção anti-risco e proteção aos raios UV – disponível opcionalmente com impressão ou revestimento que permite formas com configuração 3D – proporcionando propriedades ópticas que são líderes no setor, com excepcional visibilidade e extrema resistência a impactos que elevam a segurança nestes tipos aplicações.

Outra opção nesta linha de produtos é a chapa de LEXANTM MARGARD MR5IR, a qual absorve a radiação próxima à infravermelha (IR), propriedade que auxilia a aprimorar o conforto e a proteção do operador contra condições de calor, além de oferecer excelente proteção UV e resistência à abrasão e à impactos. Ambos os produtos são líderes no setor e estão sendo fornecidos pela nova linha de extrusão de chapas da SABIC localizada nas instalações de fabricação da empresa em Bergen op Zoom, Holanda.

“Nossa chapa de policarbonato LEXAN com qualidade óptica, realmente se destaca em ambientes rigorosos, como o de exploração de madeira, onde o aumento de proteção, conforto e campo de visão dos trabalhadores pode fazer uma diferença crucial”, afirmou Jack Govers, gerente geral do segmento de Specialty Film & Sheet da SABIC. “Investimos em capacidade de produção e tecnologia de última geração e em um rigoroso programa de controle de qualidade, para nos certificarmos de que as chapas LEXAN apresentem excelentes propriedades ópticas e desempenho máximo para o setor. Estamos muito felizes que a Rottne Industry AB escolheu nosso material, o que obviamente os ajudou a alcançar uma maior satisfação do cliente e aumentou sua vantagem competitiva – uma situação de ganho para todos.”

A nova linha de extrusão de chapas LEXAN com avançada qualidade óptica da SABIC em Bergen op Zoom utiliza a tecnologia clean room Classe 1.000 para produzir chapas com a melhor qualidade óptica do setor. A chapa de LEXANTM MARGARD MR5E pode ser usada para laminação e fechamento de cabines de veículos florestais e agrícolas, trens de alta velocidade e vidro-PC à prova de bala para veículos VIPs, militares, policiais e ainda em construções de alta segurança, incluindo prisões e outras instituições correcionais. A nova linha de produção, inaugurada no quarto trimestre de 2011, tem uma ampla capacidade de produção, variando de 2mm a 15 mm de espessura.

Aplicando LEXAN MARGARD MR5E em ambientes florestais

A chapa de LEXAN MARGARD MR5E oferece as melhores propriedades ópticas da linha de produtos PC LEXAN. Ela atende às mais altas exigências em relação a pontos pretos, bolhas, linhas e fibras, e também quanto à defeitos de distorção e ondulação. Comparado ao vidro, o material proporciona uma economia de peso de aproximadamente 50 por cento e é virtualmente inquebrável. Além destas propriedades, é compatível com o regulamento ECE 43R da Comissão Econômica da Europa das Nações Unidas (UN/ECE), relativo à aprovação de materiais de segurança. Graças ao durável revestimento em ambas superficies, a chapa de LEXAN MARGARD MR5E proporciona excelente resistência química e à abrasão, preservando a transparência óptica e atraente aparência e favorecendo a manutenção no longo prazo.

A chapa LEXAN MARGARD moldada em 3D adiciona valor à chapa LEXAN, tornando as peças muito mais fáceis de serem instaladas em cabines e reduzindo o risco de defeitos durante a instalação.

Para seu equipamento florestal, a Rottne Industry AB selecionou a chapa LEXAN MARGARD para todas as janelas, estampado-as com uma tira invisível, que cobre a cola usada para instalar as janelas na moldura de metal.

O para-brisa e as janelas da carregadeira usam a chapa LEXAN MARGARD MR5IR que apresenta absorção da radiação próxima à infravermelha, no intervalo de comprimento de onda entre 780 e 1400 nm. Auxiliando no controle do calor infravermelho que atinge a cabine do operador, este material ajuda a poupar energia e proteger contra a radiação UV prejudicial, sem comprometer a visibilidade. Esta tecnologia reduz o acúmulo de calor na cabine diminuindo os custos de ar-condicionado em dias quentes e ensolarados.

Fonte: SABIC IP

Curta nossa página no

SABIC lança nova resina de copolímero de Policarbonato para aplicações em painéis para geração de Energia Solar.

08/12/2011

O novo copolímero Lexan* EXL da SABIC aumenta liberdade de projeto para próxima geração de sistemas fotovoltaicos (FV) miniaturizados

 A unidade de negócios Innovative Plastics da SABIC anunciou hoje a nova resina de copolímero de policarbonado (PC) Lexan* EXL atendendo às rápidas tendências em direção à miniaturização de conectores e caixas de derivação fotovoltaicas (FV). O excelente desempenho tanto elétrico quanto em flamabilidade do novo grade da resina Lexan EXL permite aos projetistas miniaturizem o sistema inteiro e criem peças de paredes finas, diminuindo a distância entre os condutores e integrando sistemas da caixa de junção – ajudando ainda a reduzir custos com energia solar e a aumentar a eficiência. A nova resina Lexan EXL ajuda os clientes a reforçarem sua posição competitiva ao contribuir significativamente para as vantagens de sistemas FV e ao acelerar ainda mais a mudança para energia solar.

O mercado de sistemas FV é um dos setores globais mais dinâmicos, marcado por taxas de crescimento anuais acima da ordem dos 20 porcento1 e pela significativa atenção como fonte de energia alternativa viável e crescente. “A SABIC fornece materiais especializados que permitem aos seus clientes produtores de sistemas fotovoltaicos aprimorarem o valor da energia solar como uma solução ambiental de custo mais competitivo”, disse Andrew Kodis, diretor de marketing de Solar da Innovative Plastics. “Nosso foco no mercado fotovoltaico reflete o apoio ativo da SABIC para com as tendências ambientais, tais como fontes de energia alternativa, que dependem de avanços tecnológicos para torná-los economicamente viáveis. Nosso amplo portfólio de materiais contribui para a sustentabilidade de muitas maneiras diferentes, principalmente pelas abordagens de novos projetos”.

Vários fatores estão convergindo para conduzir a miniaturização na indústria fotovoltaica, inclusive avanços na eficiência e no aumento do uso doméstico de painéis solares, que estão exigindo projetos planos, discretos e, algumas vezes, integrados. “Como líderes no desenvolvimento de policarbonato há quase 60 anos, somos capazes de alavancar o nosso profundo conhecimento e experiência no setor para promover inovações em energia solar que ajudem nossos clientes a atingirem seus objetivos de sustentabilidade”, disse Kodis.

Líder na indústria elétrica e no desempenho de retardantes de chamas

O novo grade de resina Lexan EXL 9330S supera os materiais tradicionais em seu desempenho elétrico, como demonstrado pelo índice de rastreio comparativo (comparative tracking index – CTI) com a classificação PLC-2 nas normas da underwriter´s laboratory (UL). A conformidade para com essa norma rigorosa significa que o copolímero EXL 9330S da família Lexan apresenta elevada resistência à formação arcos voltaicos mesmo na presença de umidade e de sais e, portanto, pode ser usado em peças que são colocadas mais próximas umas das outras(4 mm x 12 mm na classe 3). O material que também é retardante a chama está em conformidade com a norma UL94 V0 em 0,8 mm, o que permite o projeto de peças com paredes muito finas.

Além disso, o copolímero de PC Lexan EXL 9330S fornece excepcional resistência a impacto em baixa e alta temperatura (de -40 ºC a 70 ºC), resistência à corrosão promovendo bom desempenho por períodos mais longos e resistência às intempéries em uma série de fatores ambientais ao ar livre.

Possibilidade de redução de custos do sistema

Com suas vantagens de processamento, fluxo fácil, custo competitivo decorrente dos projetos de paredes mais finas e alto rendimento, além de fácil liberação do molde, o copolímero de PC Lexan EXL 9330S pode reduzir o tempo total do ciclo de moldagem por injeção em até 40 por cento.

Adesivos e selantes são utilizados na indústria FV para anexar caixas de derivação e conectores ao painel solar. Selantes e adesivos à base de álcool normalmente são compatíveis com os materiais Lexan EXL e são recomendados para uso com estas substâncias 2.

Expansão do portfólio SABIC de materiais para sistemas FV

Este novo grade é parte do portfólio de alto desempenho da SABIC de materiais versáteis para a indústria FV. Eles incluem a resina Noryl* , que fornece baixa densidade, estabilidade dimensional em uma ampla gama de temperaturas (-40 ºC a 140 ºC), baixa distorção, excelente durabilidade, desempenho em ambiente quente e úmido com excepcional estabilidade de até 2.000 horas e desempenho elétrico e térmico excelentes. Essas propriedades a tornam adequada para uso em caixas de junção de painéis fotovoltaicos (PV). A resina Noryl também atende à necessidade da indústria de ter um material de longa duração e resistente ao ar livre. Testes internos mostram que as resinas Noryl reforçadas e não reforçadas com fibras de vidro podem suportar até 12 mil horas de exposição aos raios ultravioleta. Além disso, os materiais Lexan EXL 9330 e EXL 9330P fornecem resistência a impacto em baixa temperatura e outras vantagens semelhantes a do copolímero Lexan 9330S.

Enquanto os materiais Lexan EXL 9330 e EXL 9330P são usados em projetos que exigem materiais classificados como CTI PLC-3, o recém-introduzido copolímero EXL 9330S poderá ser usado em projetos que exijam propriedades de CTI PLC-2.

As resinas Ultem* e os compostos especiais LNP* estão sendo usados também em peças de caixas de derivação e conectores especiais. As temperaturas nestas aplicações podem ir até 180 ºC ou mais e as exigências de estabilidade dimensional são ainda mais rigorosas. Os grades comerciais das resinas Ultem e dos compostos LNP têm sido implementados com sucesso em aplicações FV com os principais investidores desta indústria.

A SABIC Innovative Plastics oferece aos seus clientes de sistemas FV uma combinação de tecnologia de resina de alto desempenho, projeto de aplicação e suporte ao desenvolvimento. Temos um histórico de sucesso na transformação de metal para plástico e trabalhamos em estreita colaboração com nossos clientes na validação do uso de nossos materiais com testes práticos extensivos. Trabalhamos também em estreita colaboração com órgãos reguladores para ajudar a garantir que o uso econômico de nossa tecnologia de resina atenderá às exigências de desempenho dos sistemas fotovoltaicos.

Fonte: SABIC-IP

SABIC lança dois novos filmes de Policarbonato para aplicações em cartões de identificação e segurança.

18/11/2011

Filme coextrudado SDCX Lexan e o filme com revestimento rígido-flexível SC92E Lexan ajudam a solucionar a tendência da indústria por mais camadas para aprimorar a segurança

Na feira de CARTES & IDentification, em Paris,  a unidade de negócios Innovative Plastics da SABIC apresentou duas novidades em tecnologias de filme de policarbonato (PC) Lexan* para uso em cartões de identificação (ID) que ajudam a simplificar a integração de recursos de segurança necessários para combater roubos e fraudes em documentos de identidade. O novo filme coextrudado SDCX da Lexan e o filme com revestimento rígido-flexível SC92E Lexan fornecem soluções para os desafios da fabricação de carteiras de identidade e documentos de segurança multicamadas e de configuração mais complexa. Vários anos após a introdução bem-sucedida do portfólio de filmes de segurança Lexan para ID, a SABIC volta a expandir sua oferta de produtos de segurança com filmes de alto desempenho SDCX e SC92E Lexan,  demonstrando claramente o compromisso da empresa com as tecnologias de proteção de identidade que beneficiam os fabricantes e consumidores de smartcards.

“O roubo de identidade e o risco de falsificação exigem aumento de funcionalidade e inovação em projetos de cartões de ID eletrônicos”, disse Lennard Markestein, diretor de marketing global de filmes e chapas especiais da Innovative Plastics. “Essas duas novas tecnologias de filmes Lexan* são adições críticas ao nosso portfólio. Estas soluções proporcionam aos nossos clientes uma produtividade significativamente mais alta na fabricação de cartões e incorporam ainda uma camada que permite a gravação a laser que permite criar cartões de ID mais sustentáveis e com maior vida útil”.

O filme coextrudado SDCX Lexan combina uma camada central de Lexan na cor branca opaca ou transparente com uma camada de cobertura gravável a laser, para evitar os desafios de manusear camadas de filmes finos separadamente. O filme com revestimento rígido SC92E Lexan supera o filme de PC padrão em durabilidade, contra arranhões e aumenta a resistência química ajudando a prolongar a vida útil e a reduzir o consumo de recursos.

A coextrusão soluciona os desafios das camadas finas

À medida que mais recursos de segurança são incorporados nos projetos de cartões e documentos de ID eletrônicos, mais camadas adicionais são necessárias para construí-los. Por isso, as camadas individuais dos cartões ficam mais finas – com até 50 microns ou menos – e o processo de fabricação se torna mais complexo e desafiador. Os filmes coextrudados SDCX Lexan resolvem esses desafios ao combinar uma camada ultrafina gravável a laser com uma camada espessa branca e opaca ou transparente. Este filme permite a obetnção de produtos com alta qualidade, gravados a laser com a possibilidade de personalização de alto contraste com fotos e assinatura do titular do cartão. A imagem impressa dentro do cartão não pode ser modificada sem danificar o cartão.

Os filmes SDCX Lexan também proporcionam excelente resistência ao calor, à distorção por dobra e também a distorção mínima. Esses filmes são produzidos em um ambiente de sala limpa, estão disponíveis em espessuras que variam de 30-75 microns para filmes graváveis a laser e de 120-275 microns para filmes convencionais.

Redução do desgaste e resistência ao rasgo

O filme SC92E Lexan de revestimento rígido-flexível apresenta uma excelente resistência à abrasão quando comparado com o filme de policarbonato não revestido. Ele também obteve uma classificação muito boa no teste de dureza (ASTM D3363), o que indica alta resistência a riscos no uso diário. O produto também ajuda a manter o brilho e a transparência da superfície do cartão por um período de tempo maior. Um dos pontos fortes deste filme de revestimento é a excelente flexibilidade da região mais rígida do filme, sendo possível uma curvatura de eixo de 1/8″ sem rachaduras ou danos ao revestimento. Mesmo depois de frequentes dobraduras os cartões retornam à sua forma original. Estes recursos além de prolongarem a vida útil do cartão, protegem melhor os recursos de segurança contidos em seu interior, tais como fotos de passaporte, assinaturas, dados pessoais e hologramas por um longo período de tempo, o que permite combater a falsificação e o uso indevido.

O revestimento rígido também oferece resistência a agentes de limpeza abrasivos e a produtos químicos encontrados em cremes solares, cosméticos, óleos, graxas e combustíveis. Outro recurso importante deste filme revestido é a capacidade de poder ser laminado sob alta pressão e em temperaturas de até 190 ºC sem qualquer perda de propriedades. Os filmes SC92E Lexan estão disponíveis nas espessuras de 100 e 175 microns.

As possíveis aplicações para estes novos filmes da SABIC incluem cartões de ID eletrônicos, cartões de ID de militares, governo e autoridades policiais, páginas de dados de passaportes, vistos, carteiras de motorista e outros documentos de identificação.

Outros grades de filme de PC de alto desempenho SD Lexan da SABIC com possibilidade de fabricação de cartões de ID eletrônicos e documentos de segurança incluem:

•O filme SD8B14 Lexan para sobreposições transparentes ou camadas intermediárias oferece alta qualidade ótica e fácil processamento, inclusive corte em matriz, impressão e aplicação de estruturas de lente CLI/MLI;

•O filme branco brilhante SD8B24 Lexan para camadas centrais proporciona alta opacidade mesmo em espessuras mais finas, e

•O filme claro marcável por laser SD8B94 Lexan, que pode ser usado como a camada superior ou intermediária, proporciona gráficos em tons de cinza para personalização de alta segurança.

Fonte: SABIC