Archive for the ‘EPDM’ Category

Arlanxeo inaugura novo Laboratório de Controle de Qualidade de fabricação de EPDM na Holanda

13/02/2017

arlanxeo-geleen

O laboratório de Controle de Qualidade de Fabricação será vinculado diretamente à planta de Keltan EPDM

A Arlanxeo, empresa atuante no segmento de elastômeros sintéticos, inaugurou um laboratório de controle de qualidade de fabricação no site Chemelot em Geleen, Holanda (foto). A nova unidade de 250 m² está localizada ao lado da planta de Keltan EPDM da Arlanxeo. Ela está diretamente conectada à sala de controle, o que torna possível implementar mudanças direcionadas pelos resultados dos testes imediatamente nas operações da planta.

A equipe do laboratório realizará uma gama completa de testes sobre o produto Keltan EPDM, incluindo todos os padrões da indústria, tais como Mooney e testes em gel. Até o momento, estes testes de qualidade de produção foram realizados com recursos externos. O Laboratório de Qualidade da Arlanxeo operará continuamente 24 horas por dia, 7 dias por semana, para garantir um nível elevado de qualidade da produção da fábrica.

Ao realizar testes internos no novo Laboratório de Qualidade, a Arlanxeo fortalece a posição competitiva de seus negócios globais de EPDM no atual ambiente desafiador do mercado, ao mesmo tempo em que otimiza sua presença global. A inauguração do novo Laboratório de Qualidade acontece quando a Arlanxeo marca o 50º aniversário da introdução da marca Keltan EPDM. A Keltan tem uma presença global com fábricas em todas as regiões estratégicas, com a capacidade de atender clientes com produtos premium localmente.

Na inauguração do novo Laboratório de Qualidade, Christian Widdershoven, Head de Elastômeros Keltan® e Diretor Administrativo da Arlanxeo nos Países Baixos, afirmou ser esse um importante passo para consolidar a qualidade da marca.  “Este ano, a Keltan EPDM completa seu 50º aniversário. Estamos orgulhosos do inigualável histórico de produtos e padrões de alta qualidade globalmente reconhecidos, estabelecidos aqui em Geleen. Como os nossos clientes confiam na qualidade e consistência de nossos produtos, os testes de controle de qualidade de fabricação sempre fizeram parte do processo primário. A abertura desta nova instalação destaca a importância que atribuímos à qualidade contínua e demonstra o nosso compromisso com este site de produtos. Além disso, destaca nossa confiança no futuro da Keltan, à medida que levamos o controle de qualidade para o próximo nível.” Ressalta Christian Widdershoven.

Sustentabilidade é outro ponto de destaque que essa inovação traz à marca. “A marca Keltan está se preparando para o futuro, desenvolvendo uma tecnologia de produção de EPDM mais sustentável. Os principais exemplos incluem o uso da tecnologia de catalisadores Keltan ACE™ e a recente introdução das grades de Keltan® Eco EPDM, primeira borracha de EPDM do mundo com base em bio-etileno. Afirma Christian Widdershoven.

De acordo com a Arlanxeo, os elastômeros Keltan® EPDM são caracterizados por uma resistência superior à água, ao ozônio, aos raios UV e às intempéries; boas propriedades dinâmicas em uma ampla faixa de temperatura, bem como um alto nível de resistência ao calor; um elevado nível de flexibilidade e durabilidade; e excelentes propriedades elétricas. A Keltan® EPDM tem boas propriedades de processamento e manuseio, e está em conformidade com as regulamentações globais de segurança, saúde e meio ambiente, afirma a empresa.

Essas propriedades, segundo a Arlanxeo, tornam a Keltan® EPDM adequada para muitas aplicações em segmentos como o de automóveis, construções, modificações de plásticos, bens de consumo, cabos, fios e tubulações.

A Arlanxeo é uma empresa líder mundial em borracha sintética, com vendas de cerca de 2,8 bilhões de Euros em 2015 e cerca de 3.800 funcionários, estando presente em 20 locais de produção, em nove diferentes países. A principal atividade da empresa é o desenvolvimento, fabricação e comercialização de borrachas sintéticas de alto desempenho para uso nas indústrias automotivas e de pneus, indústria de construção e as indústrias de petróleo e gás. A Arlanxeo foi fundada em abril de 2016, como uma joint venture da Lanxess e Saudi Aramco.

Fonte: Arlanxeo

Curta nossa página no

Anúncios

Dow anuncia planos para construção de nova planta de EPDM nos EUA

18/11/2012

A The Dow Chemical Company (Dow) tem planos para a construção de uma nova planta em escala global para a produção de borracha de etileno – propileno – dieno (EPDM) metalocênico, comercializado sob a marca registrada de NORDEL™ IP Hydrocarbon Rubber.

A nova instalação, cujo início das operações está previsto para 2016, ajudará a definir os padrões de eficácia em termos de custos e eficiência de produção ao incorporar o uso da nova tecnologia de catalisadores exclusiva da Dow e aproveitar as vantagens produtivas do processo de solução integrado e de grande escala da Companhia. Essa unidade produtiva alavancará o plano de investimentos da Dow para ampliar a produção de etileno e propileno na Costa do Golfo dos EUA e conectar as operações norte-americanas da Companhia a oportunidades de matérias-primas disponíveis resultantes da maior disponibilidade no fornecimento de gás de xisto nos EUA.

“O NORDEL IP continuará a ser parte estratégica do portfólio da Dow Elastomers tanto hoje quanto no futuro”, afirmou Kim Ann Mink, Presidente de Negócios para a Dow Elastomers, Electrical and Telecommunications. “A nova instalação em escala mundial posicionará a Dow para atender à crescente demanda global por EPDM por meio de tecnologia de próxima geração que garante uma ampla oferta de produtos com qualidade aprimorada. Dos mercados automotivo e de construção ao de fios e cabos, manteremos nosso posicionamento de custos competitivos por meio da implantação de tecnologias eficientes e aproveitamento de instalações integradas e de grande de porte. Essa nova planta demonstra o compromisso da Companhia em investir em produtos especiais que oferecem vantagens de desempenho para o mercado”.

A Dow é líder reconhecida em catalisadores de polimerização e emprega esse poder para aprimorar o design e qualidade de seus produtos. O NORDEL™ IP é frequentemente especificado como solução preferida devido à sua estrutura homogênea, que garante processamento fácil e uniformidade entre os lotes. Os clientes que utilizam o NORDEL™ IP contam com excelente controle, desempenho, vantagens de processamento e precisão que garantem defeitos e imperfeições mínimos e baixíssima quantidade de rejeitos.

Entre as aplicações de uso final do NORDEL IP estão borrachas para vedação de automóveis, mangueiras e esteiras automotivas, perfis de construção, membranas de pisos, calçados e outros produtos de borracha em geral.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

LANXESS irá produzir no Brasil a primeira borracha de EPDM bio-derivada do mundo.

27/09/2011

A LANXESS está reforçando o seu compromisso em produzir borrachas sintéticas “premium” a partir de matérias-primas derivadas de fontes biológicas. A empresa alemã de especialidades químicas pretende produzir comercialmente EPDM (monômero de etileno-propileno-dieno) a partir de eteno bio-derivado até o final do ano. Será a primeira forma de borracha de EPDM bio-derivada no mundo.

O EPDM é convencionalmente produzido usando-se as matérias primas eteno e propeno, ambas derivadas do petróleo. A rota alternativa planejada pela LANXESS usará eteno derivado unicamente de cana-de-acúcar, que é um recurso renovável. Esta forma de eteno bio-derivada é produzida a partir da desidratação do etanol, obtido da cana-de-acúcar brasileira. A Braskem S.A irá fornecer o eteno bio-derivado, através de tubulações, para a planta de EPDM da LANXESS já existente em Triunfo, no Brasil.

“A procura de alternativas para os combustíveis fósseis atualmente empreendida pela LANXESS demonstra o seu compromisso em reduzir emissões de CO2 através de produção sustentável”, afirma Guenther Weymans, líder da unidade de negócios de Produtos de Borrachas Técnicas da LANXESS. “Nós estamos muito entusiasmados pelo fato de que nossa planta no Brasil será a pioneira na produção de EPDM bio-derivado.”

 “A LANXESS irá contribuir para ampliar o nosso portfólio de clientes de produtos químicos renováveis . Este acordo levará os benefícios de eteno verde para outros mercados e aplicações importantes. A LANXESS tem uma extensa experiência no setor automotivo e uma excelente reputação nesse mercado, o que a torna um parceiro ideal”, afirma Marcelo Nunes, Diretor de Produtos Químicos Renováveis da Braskem.

 A planta de Triunfo atualmente produz 40.000 toneladas métricas por ano de borracha de EPDM convencional e espera-se que as primeiras bateladas do produto Keltan Eco correspondam a várias centenas de toneladas métricas. As outras unidades de produção de EPDM da LANXESS situam-se em Geleen (Holanda), Marl (Alemanha) e Orange, Texas (EUA). Todos os grades de EPDM serão vendidos, no futuro, sob o nome de marca Keltan.

 A borracha de EPDM é usada principalmente na indústria automotiva, mas também nas indústrias de fios e cabos, construção, modificações de plásticos e aditivos de óleos. As suas propriedades incluem uma densidade muito baixa, boa resistência ao calor, à oxidação, a produtos químicos e ao meio ambiente, assim como boas propriedades de isolamento elétrico. A LANXESS apresentou o Keltan Eco pela primeira vez durante o Dia da Borracha na Alemanha, no dia 21 de setembro, em Duesseldorf.

Além disto, a LANXESS já está pesquisando fontes alternativas para produzir a borracha sintética premium butílica, a qual é usada predominantemente na indústria de pneus. Juntamente com a firma Gevo Inc., do Colorado, a LANXESS está desenvolvendo isobuteno a partir de recursos renováveis, começando com o milho. O isobuteno é uma material-prima chave necessária na manufatura de borracha butílica.

No ano passado, a LANXESS deu partida em uma nova planta de geração de energia na sua unidade brasileira de Porto Feliz, a qual produz pigmentos de óxido de ferro. Esta planta de cogeração para a produção de eletricidade e vapor, inovadora e altamente eficiente, é alimentada com bagaço de cana, um componente fibroso da cana-de-acúcar que é sub-produto da obtenção de açúcar. Graças ao uso desta material-prima renovável e amigável ao meio ambiente, pode-se produzir energia para a planta em uma base neutra em termos de CO2.

A LANXESS é uma empresa líder em especialidades químicas, tendo registrado vendas de 7.1 bilhões de Euros em 2010 e possuindo atualmente 15.800 funcionários em 30 países e 46 unidades de produção ao redor do mundo. O negócio-núcleo da LANXESS é o desenvolvimento, produção e marketing de plásticos, borracha, produtos intermediários e especialidades químicas.

Fonte: LANXESS