Archive for the ‘Resinas’ Category

Indac promove uso do acrílico durante a feira SIGN 2018

12/07/2018

Peças produzidas em acrílico durante o evento poderão ser adquiridas a preços especiais. Versátil, além de bonito, o acrílico tem espaço garantido no mercado de comunicação visual

Totens, ilhas, painéis, fachadas, objetos de decoração, o acrílico ajuda a dar vida às ideias que nascem nas agências de publicidade e, no ponto de venda, conquistam o cliente

O INDAC – O Instituto Nacional para o Desenvolvimento do Acrílico – sabe que uma campanha publicitária ou uma marca de sucesso valem muito. Por isso, o Instituto pede que publicitários e designers de agências de todo o país sejam cautelosos e críticos ao escolherem os materiais com os quais trabalham e aos quais atrelam a marca de seus clientes. Para falar sobre isso e sobre a capacidade do acrílico em atender diferentes demandas do setor de comunicação visual, o Instituto estará presente na Serigrafia SIGN FutureTEXTIL 2018, que acontece de 25 a 28 de julho, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Na feira, o INDAC irá atender ao público no estande da Castcril, maior produtor de chapas acrílicas coloridas da América Latina e empresa patrocinadora da entidade. “A Sign é uma das feiras mais importantes do ano e nós não poderíamos ficar de fora. São vários segmentos no mesmo local, o que faz com que as empresas vejam novidades em seus setores e também nos demais. Toda esta ‘mistura’ é um prato cheio para criação de novos produtos, com materiais diferentes. E isso representa muito, principalmente por estarmos vindo de um cenário adverso na economia, quando as empresas precisam oferecer melhorias de produtos e soluções mais completas aos seus clientes”, afirma William Gomes Oliveira, gerente financeiro da Castcril.

Assim, para demonstrar os benefícios do acrílico, o estande da empresa abrigará uma transformadora, oonde o visitante da feira poderá conferir, em tempo real, a manufatura de cinco peças distintas em acrílico desenvolvidas pelo arquiteto e fundador da Acrilaria, Carlos Rizzo Jr. Os que tiverem interesse poderão comprar os produtos a preços especiais. “Quem nos visitar na Sign verá o quanto se pode criar com o acrílico. Teremos cadeiras, mesas, fechamentos de paredes e uma série de itens de comunicação visual expostos, tudo feito com o material. Afinal, o acrílico é incrível para se trabalhar – pode ser cortado, vincado, dobrado, colado e misturado a outros materiais – e tanto faz se será utilizado na movelaria, na comunicação visual ou na indústria de remédios, ele sempre supera as expectativas. Seus altos índices de transparência e resistência a impactos, além da leveza e da enorme variedade disponível de cores e espessuras, fazem dele uma opção indispensável qualquer projeto contemporâneo”, ressalta Rizzo.

Para que o estande se tornasse essa pequena transformadora, o trabalho conjunto de alguns associados ao INDAC foi fundamental. Participam da ação, além da Castcril, que deve ceder o espaço e as chapas que serão utilizadas durante o evento, e da Acrilaria, que assina as peças manufaturadas, a Oswaldo Cruz, como patrocinadora da ação. “Estamos juntos com a Castcril para mostrar o tamanho da nossa capacidade de atendimento neste mercado e tamém que continuaremos a investir em serviços que ajudem a qualquer cliente interessado no crescimento e sucesso do mercado de acrílicos. Acreditamos na união dos elos da cadeia para fortalecer a indústria nacional”, afirma Marcelo Thieme, diretor de novos negócios da Oswaldo Cruz e presidente do INDAC.

Também parceira da ação, a Automatisa Laser Solutions, primeira empresa na América Latina a fabricar máquinas de corte e gravação a laser, leva para a feira a Dua Startup, que traz consigo o conceito de empreendedorismo necessário a este novo mercado. A máquina, que custa em torno de R$ 55 mil, tem 1,20m x 0,90m de área de trabalho e pode ser equipada com um ou dois cabeçotes de corte com potência nominais de 100, 130 ou 150W. “Com essa solução, grande parte dos materiais pode ser cortada e gravada e, embora essa seja uma máquina com o conceito “start”, pode produzir peças com mesmos níveis de qualidade que um equipamento industrial”, explica Joana de Jesus, CEO da empresa.

Outra máquina que os visitantes poderão ver no estande é a Dobracril 1000. Trata-se de uma das dobradeiras para acrílico, lançamento da Digisolda, que compõe linha com cinco máquinas que oferecem áreas de dobras de 600 a 1500 mm para chapas de até 08 mm de espessura. Segundo Marco Santos, diretor da empresa, o equipamento é bastante resistente, tem preço acessível e, além disso, é muito prático: “A facilidade no manuseio de nossas dobradeiras vem de um mecanismo interno de ajuste da altura da resistência que possibilita o posicionamento de altura do filamento com um único toque, de forma simples e uniforme e sem precisar de qualquer outra ferramenta. Assim o operador consegue elevar ou baixar a resistência da máquina usando apenas uma das mãos”, explica.

Mercado

Cerca de 60% do uso das chapas acrílicas no Brasil tem destino certo: O mercado de comunicação visual, no qual se enquadram letreiros e outros luminosos, sinalizadores, displays e PDV’s (displays de ponto de venda). Assim, esse segmento acaba por ser, de longe, o maior consumidor desse plástico no país, seguido pelo setor de móveis e de iluminação, responsáveis por cerca de 10% cada da utilização desse insumo.

Fórum

Além de marcar presença no estande, o INDAC ainda participará do Fórum Serigrafia SIGN FutureTEXTIL 2018, no dia 27 de junho, às 16h50, onde deve falar mais sobre o uso do acrílico e do ACM na comunicação visual.

Acrílico em Ação

Outra mensagem reforçada pelo Instituto durante A SIGN deve ser a do Acrílico em Ação – programa inteiramente gratuito e por meio do qual, designers, arquitetos ou mesmo consumidores comuns conseguem apoio técnico e informações para viabilizar seu projeto em acrílico.

O Instituto Nacional para o Desenvolvimento do Acrílico é uma organização criada há 18 anos por empresários do setor com objetivo de promover o uso correto do acrílico, difundir o conhecimento das suas propriedades e aplicações, além de ampliar sua participação no mercado, por meio da indicação de seus associados. A entidade, geradora de negócios e difusora de conhecimento para o setor de acrílico, reúne atualmente 45 filiados em todo o país.

Fonte:  Assessoria de Imprensa – INDAC

Curta nossa página no

Anúncios

Empresa argentina escolhe copoliéster da Eastman para fabricação de canecas de cerveja

12/07/2018

A Floignplast, empresa argentina especializada em injeção de termoplásticos, incorporou o copoliéster Tritan™, da Eastman, em sua nova linha premium de canecas de cerveja. Segundo a empresa, a resistência ao impacto e a estética duradoura tornam o produto ideal para bares, hotéis e restaurantes.

“O Tritan é uma resina criada para proporcionar uma vida útil mais longa que os materiais usados ​​tradicionalmente”, afirma Rogério Dias, Gerente Regional de Vendas para a América Latina na área de Specialty Plastics, da Eastman. “A resistência e a durabilidade ajudam a manter a transparência e o brilho no produto, que é o que os clientes preferem”.

“Nossa missão na Floignplast é oferecer produtos de alta qualidade, focados em inovação de processos e em melhorias de materiais para o mercado argentino”, comenta Enrique Casañas, diretor da empresa. “Escolhemos o Tritan porque ele está sendo usado com sucesso em muitos países para recipientes de alimentos e bebidas. Sabemos que o material livre de BPA será um diferencial dos nossos produtos no segmento de copos e taças na Argentina”.

Segundo a Floignplast, os principais benefícios do uso do material em seus copos de cerveja são resistência ao impacto e ao choque térmico, manuseio leve e seguro, segurança na lava-louças e conservação de temperatura.

As canecas feitas com Tritan não racham ou quebram como as de vidro, afirma a Eastman. Isso reduz os custos de substituição e os riscos na segurança. O copoliéster Tritan pesa menos que o vidro, o que facilita o manuseio da caneca – e elimina possibilidade de quebra para usuários e funcionários. As canecas podem ser mantidas a uma temperatura de -30 °C e depois usadas com líquidos quentes ou frios, sem racharem ou ficarem embaçadas. O Tritan resiste aos efeitos da combinação de calor, umidade e detergentes, garante a Eastman. Assim, as canecas podem passar por centenas de ciclos de lava-louças comerciais e se manter quentes ou frias por mais tempo que as feitas com vidro, afirma a empresa.

A Floignplast está atualmente concentrada no mercado de bares, hotéis, restaurantes e lojas de departamentos com dois tipos de canecas de cerveja: uma com alça e capacidade de 550 cc; outra, sem alça, com capacidade de 650cc.

A Eastman é uma empresa global de materiais avançados e aditivos especiais que produz uma ampla gama de produtos encontrados em mercados finais tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A empresa atende a clientes em mais de 100 países e, em 2016, obteve receitas de aproximadamente US $ 9,0 bilhões. A Eastman está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA e, emprega, aproximadamente, 14.000 pessoas em todo o mundo.

A Floignplast é uma empresa focada em injeção de termoplásticos desde 1990. Inicialmente prestava serviços de injeção e assessoria técnica e, com o passar do tempo, atendendo às exigências do mercado, passou a investir em moldes para injeção de seus próprios produtos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Kömmerling inaugura Centro de Treinamento e disponibiliza o primeiro programa de capacitação comercial

12/07/2018

Empresa alemã do segmento de esquadrias de PVC destaca a importância do aperfeiçoamento para o fortalecimento do negócio

A grande velocidade na implementação de novas tecnologias e a necessidade de oferecer produtos e serviços diferenciados fazem com que as empresas necessitem de profissionais e parceiros cada vez mais qualificados para atender aos requisitos do mercado competitivo, da satisfação do cliente, bem como da disseminação do conhecimento e informação. É a partir desse cenário – que exige constante atualização – que o treinamento corporativo serve como uma ferramenta para elevar o grau de eficiência e para redefinir estratégias que potencializem ganhos.

Inserida neste contexto, a Kömmerling está inaugurando seu Centro de Treinamento na cidade de São José do Pinhais (PR), onde periodicamente serão ministrados treinamentos padronizados. “Pautados em uma metodologia, usaremos esse espaço para trabalhar o desenvolvimento dos parceiros”, ressalta Tonia Lima, diretora geral da empresa. Para a executiva, o treinamento deve ser uma atividade contínua: “Mesmo quando as pessoas apresentam excelente desempenho, alguma orientação e melhoria sempre deve ser introduzida ou incentivada”.

Seguindo essa diretriz, a empresa realizará nos dias 23 e 24 de agosto o primeiro programa neste formato: será o treinamento “Vendedor Qualität”, cujo objetivo é conscientizar o profissional de vendas sobre aspectos do seu papel, sobre os seus próprios rendimentos e despertar insights técnicos e argumentos determinantes na comercialização de esquadrias com perfis Kömmerling.

Esse inovador processo de desenvolvimento da força de vendas será periódico e contará com três módulos – inicial, intermediário e avançado – que se intercalarão a partir de 2019. “Trata-se de um projeto de capacitação comercial padronizado, no qual ensinaremos uma rotina de prospecção e vendas, geradora de resultados a curto, médio e longo prazo”, explica Tonia Lima.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Evonik expõe portfolio para a indústria de transformação de borrachas na Expobor 2018

27/06/2018

No evento a empresa está destacando soluções inovadoras para a indústria, incluindo fabricantes de pneus, solados e artefatos técnicos

A Evonik está apresentando suas soluções para a indústria da borracha durante a Expobor – Feira Internacional de Tecnologia , Máquinas e Artefatos de Borracha. A 13ª edição do evento está ocorrendo de 28 a 30 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo.

“O mercado de borracha é muito importante globalmente para Evonik. No Brasil e na América Latina, caminhamos na mesma direção. Recentemente, inclusive, inauguramos uma planta de sílica precipitada em Americana (SP), com grande foco para este mercado”, destaca Felipe Rocha, Coordenador de Negócios da área de sílicas da Evonik.

Devido à importância do evento para o setor, as expectativas são muito positivas. “É uma ótima oportunidade para encontrar clientes do Brasil e da América do Sul e apresentar novidades, além do nosso amplo portfólio para a indústria de pneus, solados e artefatos técnicos”, observa Rocha.

Lançamento

A Evonik está aproveitando a Expobor para apresentar ao mercado uma nova sílica de alta dispersão: Ultrasil® 7800 GR. Segundo a empresa, o produto tem um design de partícula especial, que proporciona elevado desempenho em pneus, especialmente para SUV’s.

A Evonik afirma que o novo Ultrasil® 7800 GR atinge o equilíbrio de máxima aderência e mínima resistência à rolagem em pneus de superfície larga e em pneus com requisitos de alta quilometragem, como os pneus para todas as estações. Isso se deve à área superficial específica do Ultrasil® 7800 GR, que foi aumentada em comparação com o Ultrasil® 7000.

A melhora da resistência à abrasão também contribui para o aumento da vida útil, exercendo um efeito positivo sobre a avaliação do ciclo de vida. Dessa maneira, segundo a empresa, pode-se combinar um alto nível de segurança no trânsito com menor consumo de combustível e menos emissões de CO2, mesmo com pneus esportivos.

Outros destaques para a indústria da borracha

  • Linha Ultrasil®: para a indústria de pneus, os destaques são Ultrasil® 7000 GR; Ultrasil® 6000 GR; Ultrasil® VN 2/ Ultrasil® VN 2 GR e Ultrasil® VN 3/ Ultrasil® VN 3 GR. Segundo a Evonik, os produtos promovem dispersão e alto reforço, reduzem a resistência ao rolamento e aumentam a resistência à abrasão, melhorando a aderência em piso molhado.A Evonik afirma que, na fabricação de solados, a sua linha Ultrasil® VN 3/ Ultrasil® VN 3 GR, propicia alto poder reforçante (shore, resistência à tração e ao rasgo) e transparência. Para o setor de artefatos técnicos, garante a empresa, os benefícios se convertem em melhoria da moldagem por injeção, extrusão e calandragem; e redução da deformação residual, além de boas propriedades mecânicas. Os destaques para este mercado são: Ultrasil® 360; Ultrasil® 880; Ultrasil® AS 7; Ultrasil® VN 2/ Ultrasil® VN 2 GR e Ultrasil® VN 3/ Ultrasil® VN 3 GR.

    Na linha de sílicas, além da família Ultrasil®, com grande variedade de aplicações para reforço de compostos de borracha, a Evonik oferece ainda a marca AEROSIL® para fabricação de solado transparente.

  • Linha de Silanos – Si 69®; Si 266®; Si 75® e Dynasylano: silanos com enxofre, bifuncionais, também monômeros e oligômeros para compostos de sílica. De acordo com a Evonik, eles proporcionam alto desempenho aos produtos, como , por exemplo, as propriedades mecânicas nos pneus (mais estabilidade em piso molhado, baixa resistência ao rolamento e alta resistência à abrasão). Além de indicados para a fabricação de pneus, são recomendados para artefatos técnicos e solados. Usados em compostos de borracha de qualidade junto com cargas contendo grupos silanóis, são especialmente efetivos em combinação com sílicas precipitadas reforçantes, garante o fabricante.
  • Organosilano Si 363®, que ajuda no processo do composto de borracha. De acordo com a empresa, ele aumenta o “rolling resistance” e reduz consideravelmente a emissão de VOC.
  • X 50 S® e X 266 S®: misturas de organosilanos bifuncionais, contendo enxofre, com negro de fumo na proporção de 1:1 em peso, indicado para a indústria de pneus e artefatos técnicos.
  • Cofill®: resorcinol em combinação com sílica precipitada. O fabricante garante que o produto melhora a adesão de compostos de borracha em telas têxteis/metálicas. Suas principais aplicações são em cintas de aço em pneus radiais, partes de aço dos pneus de caminhão, correias transportadoras, sistemas de transmissão, mangueiras e tecidos emborrachados.
  • Coupsil®: sílica precipitada, modificada superficialmente por organosilano, que proporciona melhora a resistência à abrasão e as propriedades mecânicas. Segundo a Evonik, a combinação de diferentes silanos com sílicas de áreas superficiais específicas diferentes oferece uma grande variação e permite a fabricação de produtos de borracha sob encomenda. Indicado para a indústria de pneus, artefatos técnicos e solados.
  • Vestenamer® 8012: aditivo polimérico para processamento de borracha. A Evonik afirma que os seus benefícios são: otimização de processos através de melhorias no rendimento, compostos de baixa viscosidade, melhorias da estabilidade “green strength”, economia de energia e sistema livre de VOC.
  • Visiomer® Tmptma, Visiomer® Egdma, Visiomer® Trgdma: monômeros metacrílicos como coagentes de reticulação para elastômeros curados via peróxido. Monômeros multifuncionais, reativos na presença de radicais livres, que se inserem nas cadeias de elastômero formando uma rede complexa de ligações cruzadas, conferindo alta dureza, resistência química e resistência à abrasão, afirma a empresa. As aplicações típicas são: isolamento/ revestimento de fios e cabos; tubos e mangueiras para radiadores de automóveis, solados, revestimento de rolos, anéis de vedação.
  • Dióxido de Titânio Kronos®: pigmento branco para utilização em solados e artefatos técnicos de borracha.

Serviço:
Expobor
Data: 26 a 28 de junho de 2018
Horário: 13h às 20h
Local: Expo Center Norte
Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – SP
Estande da Evonik: entre as ruas E e F

A Evonik é uma das empresas líderes mundiais em especialidades químicas. Com mais de 36.000 colaboradores, a Evonik atua em mais de 100 países no mundo inteiro. No ano fiscal de 2017, a empresa gerou vendas da ordem de 14,4 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de 2,36 bilhões de Euros.

Curta nossa página no

Eastman completa expansão de fábrica de copoliéster nos EUA e anuncia aumento adicional de capacidade

27/06/2018

A Eastman Chemical Company acaba de anunciar que concluiu a expansão da área de sua fábrica em Kingsport, Tennessee, onde fabrica o copoliéster Eastman Tritan™. O site já está operando totalmente.

“Estamos empolgados em anunciar a conclusão da nossa expansão de Tritan e satisfeitos com o desempenho percebido com esse novo investimento”, disse Burt Capel, vice-presidente e gerente geral da divisão de Plásticos Especiais da Eastman. “A plataforma de produtos Tritan continua a ter uma forte adoção global, com uma presença crescente de aplicações que reconhecem o desempenho abrangente de nosso polímero. ”

A empresa também anunciou uma expansão adicional da produção de copoliésteres, planejada para ser agregada ao seu site de Kingsport. A ampliação recém-anunciada deverá ser concluída no terceiro trimestre de 2018 e aumentará as capacidades de PETG e de PCTG em aproximadamente 25% do total de copoliésteres especiais de Kingsport. Esse investimento dá suporte ao crescimento contínuo dos produtos de copoliéster especiais da empresa, a nível global, e fornece flexibilidade em toda a base de ativos de polímeros da empresa.

“Essa expansão adicional de copoliésteres posiciona a Eastman para atender à crescente demanda que observamos pelos nossos materiais de copoliéster em todo o mundo”, acrescentou Capel. “Ela destaca o nosso compromisso contínuo em fornecer aos nossos clientes globais materiais de alta qualidade do mercado”.

A divisão de Plásticos Especiais faz parte do segmento de negócios de Materiais Avançados da Eastman. O PETG e o PCTG são conhecidos pelos nomes comerciais dos copoliésteres Eastar™, Spectar™ e Aspira™, entre outros.

A Eastman é uma empresa global de materiais avançados e aditivos especiais que produz uma ampla gama de produtos para atrativos mercados finais, tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A Eastman atende clientes em mais de 100 países e, em 2016, obteve receitas de aproximadamente US $ 9,0 bilhões. A empresa está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA e, emprega, aproximadamente, 14.000 pessoas em todo o mundo.

Fonte: Eastman

Curta nossa página no

Linha de resinas hidrocarbônicas Unilene é destaque da Braskem na Expobor 2018

27/06/2018

A linha de resinas hidrocarbônicas é usada para produção de compostos em borracha

A Braskem reforça sua presença e atuação junto aos clientes do mercado de borracha na Expobor 2018, que está acontecendo de 26 a 28 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo. A empresa apresenta os diferenciais de seu portfólio com produtos voltados para esse segmento.

O destaque da Braskem no evento é a linha Unilene, que são resinas hidrocarbônicas utilizadas na produção de compostos de borracha, adesivos e tintas. De acordo com a empresa, funcionam como auxiliares de processamento de borrachas, aumentando produtividade e reduzindo consumo de energia, sem alterar as propriedades finais. Em veículos automotivos, por exemplo, seu uso garante melhor aderência do pneu ao chão molhado e menor resistência ao rolamento, afirma a Braskem. Desta forma, oferecendo mais segurança a motoristas e passageiros, além de reduzir o consumo de combustível.

“Como líder na produção de resinas hidrocarbônicas na América Latina, a Braskem garante agilidade em suas entregas e segue desenvolvendo novos produtos e aplicações para o mercado”, explica Adriana Morasco, responsável pelo Negócio de Especialidades Químicas da Braskem. “Além disso, a empresa atua no mercado internacional, com equipes de venda nos Estados Unidos, Europa e Ásia, clientes em mais de 20 países e exportando mais de cinco mil toneladas por ano”, conclui.

Para a feira, a Braskem também está levando a solução Polibuteno (PIB), que pode ser utilizado em filmes, adesivos, óleo e lubrificantes, explosivos para mineração, couro e cosméticos. A matéria-prima impede a passagem de ar na borracha e a torna mais resistente, afirma a empresa. Com isso, os produtos que levam o composto em sua fabricação podem ser feitos com paredes mais finas sem perder suas propriedades. Além disso, a Braskem garante que o PIB torna a massa crua de borracha sintética mais fluida, permitindo que as máquinas produzam mais em menor tempo e economizem energia.

“Nossa expectativa é bastante positiva para o evento, uma vez que o setor de borrachas é muito importante para a Braskem, que possui um amplo portfólio para o segmento. Temos desde o Butadieno utilizado na confecção de borracha, até as especialidades químicas, como a Braskem Unilene e o PIB. Nosso objetivo é reforçar o comprometimento da empresa com o fortalecimento da cadeia produtiva da região, que vem demonstrando sinais claros de recuperação produtiva”, complementa a executiva.

Soluções Braskem para o mercado de borracha:

Pneus – Bandas de Rodagem
Produto: Braskem Unilene

Pneus – Inner Liner
Produto: PIB Braskem
Função: No Inner Liner, é um promotor de barreira a gás, reduzindo a quantidade de borrachas especiais utilizadas no composto.

Solados
Produto: Braskem Unilene
Função: Otimizar o processamento dos componentes do solado, funcionando como auxiliar de fluxo, o que permite a incorporação de materiais de difícil processamento como por exemplo, os materiais reciclados. Aplicável para solados à base de borracha.

Mangueiras
Produto: PIB Braskem
Função: Aumentar a barreira a gás de borrachas usadas em mangueiras.

Borracha Sintética
Produtos: Butadieno, Eteno, Propeno, Benzeno.
Função: Dar origem a diversas borrachas, como BR, NBR, SBR, PBR e PSBR.

Artefatos em borracha
Produto: Braskem Unilene
Função: Auxiliar no processamento da borracha. Benefícios: Facilita a moldagem de peças em borracha, como por exemplo, anéis, buchas, coxins e batentes de borracha.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Wacker apresenta novas linhas de borracha de silicone resistentes ao calor e sem necessidade de pós-cura na Expobor 2018

25/06/2018

A nova linha de silicone líquido foi desenvolvida para aplicações nos segmentos de cuidados com bebês, alimentos e médicos.

A Wacker, empresa química sediada em Munique (Alemanha), apresentará sua nova borracha sólida de silicone Elastosil® R plus 4350/55 na Expobor 2018. O material é uma borracha de silicone para a formulação de elastômeros de silicone resistentes ao calor. Segundo a empresa, a propriedade de destaque deste silicone extrudável com cura via adição é a sua alta resistência ao calor. Estabilizadores de calor permitem que esse silicone sólido resista a temperaturas de até 300°C por vários dias, sem modificações substanciais em sua elasticidade ou propriedades mecânicas, afirma a Wacker.

Segundo a empresa, as propriedades ótimas são obtidas em combinação com estabilizadores de calor da série Elastosil® Aux Stabilizer H, que são adicionados à borracha base. O tipo de estabilizador e a quantidade utilizada têm uma influência significativa nas propriedades térmicas da borracha curada.

Segundo a empresa, o Elastosil® R plus 4350/55 pode ser usado para fabricar tubos resistentes ao calor e perfis de vedação que resistem a temperaturas de até 300°C por vários dias, sem qualquer dano. A Wacker afirma que testes térmicos a 200°C e 300°C, respectivamente, mostraram que propriedades mecânicas importantes, como dureza e alongamento na ruptura, mudam muito pouco mesmo após 2.000 horas, ou seja, 80 dias. As especificações para produtos como perfis de vedação usados em fornos são claramente excedidos, garante a empresa.

Elastosil®LR 5040 para aplicações de cuidados com bebês, alimentos e segmento médico.

Também será apresentada a nova linha de borracha de silicone líquido Elastosil®LR 5040. Ela contém poucos componentes voláteis, o que torna a borracha de silicone líquido (LSR) compatível com as especificações regulamentares que regem as aplicações nos setores de cuidados com os bebês, alimentos e segmento médico, garante a empresa.

A Wacker afirma que o Elastosil®LR 5040 possui propriedades mecânicas muito boas após a cura, sem pós-tratamento térmico posterior. Portanto, em muitos casos, os processadores não precisam realizar pós-cura dos elastômeros de silicone após a vulcanização. Peças de borracha feitas de Elastosil® LR 5040 são translúcidas com uma ligeira tonalidade azul. Seu conteúdo volátil – sem pós-cura – é inferior a 0,5% em peso, afirma a empresa. Segundo a empresa, mesmo em seu estado não pós-curado, a borracha de silicone já exibe um alto nível de resistência ao rasgo, equivalente ao de um LSR de alta resistência com pós-cura. Como resultado, assegura a Wacker, ele pode suportar até mesmo altas tensões mecânicas, como pode ocorrer durante o uso de mamadeiras ou chupetas, por exemplo.

A Expobor será realizada em São Paulo, de 26 a 28 de junho. A Wacker estará expondo no Estande 2/3, corredores H/G.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Wacker

Curta nossa página no

Na Expobor 2018, Solvay destaca produtos para pneus verdes nos segmentos de transportes de cargas e recapagem

25/06/2018

As inovações desenvolvidas na área de sílicas de alto desempenho visando incrementar a mobilidade sustentável são os destaques da participação da Solvay na Expobor 2018 – 13ª Feira Internacional de Tecnologia, Máquinas e Artefatos de Borracha, que começa dia 26, e vai até quinta-feira, dia 28 de junho, no ExpoCenter Norte, em São Paulo.

A Solvay, que foi a inventora da sílica de alto desempenho (HDS, na sigla em inglês), é um player mundial no fornecimento para a indústria de pneus, ocupando posição de liderança de mercado no segmento dos chamados ‘pneus verdes’. Adicionada aos compostos de borracha, essa sílica contribui para reduzir a resistência dos pneus à rolagem, o que resulta em redução do consumo de combustível pelos veículos e das emissões de CO2.

Pneus de carga e recapagem – Na área de produtos novos, a Solvay faz o lançamento na América Latina da sílica de alto desempenho Premium SW que, segundo a empresa, proporciona maior resistência mecânica da borracha da banda de rodagem dos pneus de carga, ajudando, portanto, a aumentar a durabilidade e quilometragem do pneu, além de cumprir com o objetivo principal da sílica que é a redução da resistência ao rolamento dos pneus, fazendo com que os veículos economizem combustível e reduzam emissões. Outro produto para a pneus novos de carga e para recapagem é a sílica de alto desempenho Premium 200.

O segmento de pneus para transporte de cargas receberá um destaque especial no stand da empresa e nas palestras apresentadas durante os congresso da ABTB (Associação Brasileira da Tecnologia da Borracha) e da Pneu Show/Recaufair, que são realizados em paralelo à exposição. A indústria de pneus de carga de alta eficiência energética tem crescido a taxas superiores a 10% nos últimos anos no Brasil, impulsionada pelo programa governamental para a indústria automobilística e pelo programa de etiquetagem de pneus coordenado pelo Inmetro.

Serviço: Solvay Sílica na Expobor 2018/Pneu Show 2018
De 26 a 28 de junho de 2018 – ExpoCenter Norte – São Paulo (SP)
Stand – Rua C 1/2

Palestras no Congresso da ABTB – Associação Brasileira da Tecnologia de Borracha
Dia 26/06 – das 11h30 às 12h00 – sala Santana 02 – Solvay Sílica – Benefits for Tire, por Guilherme Brunetto
Dia 28/06 – das 11h30 às 12h00 – sala Santana 02 – Solvay New Sílica Innovation: combining high performance and fuel efficiency in Tire – por Guilherme Brunetto

Palestra no Congresso do Pnew Show/Recaufair
Dia 28/06 – das 18h15 às 18h45 – Criando Futuro: Solvay Soluções Sustentáveis – por Paulo Garbelotto

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Empresa colombiana lança recipientes de alimentos com copoliéster da Eastman

19/06/2018

Os potes Clip ‘n Lock da Pólimes® estarão disponíveis na Colômbia, Estados Unidos, México, Costa Rica, Panamá, Peru, Equador e Bolívia.

A Pólimes® escolheu o copoliéster Tritan™ da Eastman para seus novos recipientes para alimentos Clip ‘n Lock. Os potes são de fácil vedação e serão produzidos em duas cores, azul e violeta. Os produtos serão lançados em supermercados, distribuidores e atacadistas da Colômbia em junho de 2018 e, posteriormente, serão exportados para 13 países, incluindo, Estados Unidos, México, Costa Rica, Panamá, Peru, Equador e Bolívia.

Esta nova linha de contêineres feita com o copoliéster Tritan™ pode proporcionar uma vida útil mais longa, pois, segundo a Eastman, o seu copoliéster é resistente a impactos, ingredientes alimentícios e produtos de limpeza. De acordo com o fabricante, ao mesmo tempo em que os usuários apreciam o design simples do Clip ‘n Lock, eles também valorizam a capacidade do Tritan de ir do freezer ao micro-ondas, de manter a transparência, além de não reter odores e sabores e de não criar manchas indesejadas.

“Como uma empresa inovadora, devemos andar de mãos dadas com as tendências em matérias-primas, tecnologia, qualidade e segurança”, diz Hernando Morales, gerente da Pólimes. “Acreditamos que o Tritan™, que é livre de BPA, é a solução para nossos clientes que desejam o armazenamento e a preservação confiáveis ​​dos alimentos. “

“A Pólimes está sempre em busca de inovação e excelência”, afirma Rogério Dias, gerente de vendas da Eastman para a América Latina. “Nós ajudamos a Pólimes a selecionar um material de alta qualidade, ideal para recipientes de armazenamento de alimentos resistentes e de bom gosto. Tritan combina resistência ao impacto, transparência e resistência química para proporcionar estética excepcional e vida longa.”

A Eastman é uma empresa global de materiais avançados e aditivos especiais para mercados finais, tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A Eastman atende clientes em mais de 100 países e, em 2016, obteve receitas de aproximadamente US $ 9,0 bilhões. A empresa está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA e, emprega, aproximadamente, 14.000 pessoas em todo o mundo.

Fundada em 1979 e sediada na Zona Franca de Bogotá, Colômbia, a Pólimes® S.A. produz e vende artigos de plástico que fornecem soluções para o lar, no transporte e na manutenção de temperatura de alimentos e bebidas. A marca Pólimes® está presente em 13 países, além de estar presente nas principais redes de supermercados, distribuidores e atacadistas da Colômbia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Solvay lança compósito de termoplástico reforçado com fibra de carbono para aplicações offshore de petróleo e gás

18/06/2018

A Solvay está lançando o Evolite™ F1050,  compósito termoplástico  com reforço contínuo de fibra de carbono para aplicações exigentes da exploração e produção de petróleo e gás offshore.

Segundo a Solvay, o Evolite™ F1050 é uma fita unidirecional que combina a excelente resistência química e a temperatura do polímero especial Solef® PVDF com o desempenho inerente de alta resistência da fibra de carbono.

As aplicações típicas do novo produto da Solvay para petróleo e gás incluem tubos flexíveis híbridos offshore e tubos de compostos termoplásticos (TCPs, na sigla em inglês).

O Evolite™ F1050 oferece o desempenho e a facilidade de processamento exigidos pela indústria de petróleo e gás. De acordo com a Solvay, o novo material compósito possui resistência mecânica e química, pode ser utilizado em aplicações de alta temperatura, é compatível com processos ATL (Automated Tape Laying) e permite conversão personalizada de fibra/matriz para desempenho máximo.

Os compósitos termoplásticos são um elemento importante da estratégia de crescimento da Solvay, aproveitando a integração vertical do Grupo em polímeros especiais e em tecnologia avançada e expertise de compósitos de fibra de carbono.

Graças ao seu portfólio abrangente e a seu conhecimento técnico, a Solvay está posicionada para oferecer compósitos termoplásticos para atender aos exigentes desafios do setor.

Segundo a empresa, o Evolite™ F1050 é o primeiro lançamento de um portfólio de produtos que possibilitará soluções de custos totais instalados menores para operadores de petróleo e gás, por meio da redução de peso que ele oferece.

A nova Unidade Global de Negócios Composite Materials da Solvay é uma fornecedora global de soluções de materiais leves, que permitem que os clientes da empresa nos setores aeroespacial, automotivo e em outros setores exigentes, concebam, desenvolvam e usem de maneira eficiente estruturas complexas de alta qualidade e alto desempenho. O portfolio da Composite Materials inclui pré-impregnados, sistemas de resinas, adesivos e películas, fibra de carbono, têxteis, ferramentas e consumíveis de embalagem a vácuo. A Solvay Composite Materials combina os antigos negócios da Cytec Aerospace Materials e Industrial Materials.

A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 24.500 pessoas em 61 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,1 bilhões em 2017. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Versatilidade de clarificante da Milliken para embalagens termoformadas em polipropileno será apresentada na Fispal Food Service

07/06/2018

Produto confere ao polipropileno (PP) altíssima transparência para uso em embalagens alimentícias, além de tornar possível o uso em micro-ondas, aliado a vantagens ambientais e comerciais do material

A mudança de hábitos alimentares das pessoas tem provocado uma nova percepção na indústria, que vem trabalhando no sentido de oferecer embalagens com condições adequadas para garantir segurança e o acondicionamento eficiente dos alimentos. Algumas soluções como o clarificante NXTM UltraClearTM, desenvolvido pela Milliken (www.milliken.com), proporcionam altíssima transparência em embalagens termoformadas em polipropileno (PP), afirma a empresa. Tal propriedade é ideal para recipientes cujo conteúdo precisa estar protegido e à vista do consumidor.

Durante a Fispal Food Service – Feira Internacional de Produtos e Serviços para a Alimentação Fora do Lar, que acontece de 12 a 15 de junho no Expo Center Norte, a Milliken apresentará diversas aplicações, entre elas o uso de sistema de selagem com atmosfera modificada para bandejas de PP ultra clarificado com o produto.

Segundo a empresa, a ação do clarificante é capaz de superar o tradicional aspecto translúcido do PP em embalagens termoformadas (moldadas em altas temperaturas), criando uma transparência similar àquela do PET e PS (poliestireno), mas com os benefícios ambientais e de desempenho do material.

De acordo com Edmar Nogueira, gerente técnico da Milliken, “embalagens transparentes permitem que o consumidor possa verificar ainda nas gôndolas dos supermercados ou das lojas de conveniência o aspecto geral dos ingredientes das refeições prontas ou semi-prontas”. Segundo uma pesquisa encomendada pela empresa a um instituto americano, há ainda uma “necessidade emergente”, demonstrada pelos consumidores, de que essa alimentação seja “conveniente”, “rápida” e “saudável”. “Isso importa diretamente na qualidade e segurança da embalagem, pois terá de resistir pelos caminhos percorridos entre o freezer, a sacola (para a casa ou para o trabalho) e o fogão (ou micro-ondas), explica Nogueira.

As vantagens de usar o PP estão na baixa pegada de carbono durante a produção da resina, baixa densidade do material e altos valores de recuperação de energia. De acordo com a Milliken, o PP consome uma menor quantidade de energia durante sua produção, quando comparado com outros plásticos, e sua baixa densidade resulta em menor volume de resíduos. É um plástico ideal para a economia circular. A diferença de peso entre embalagens de PP e outros materiais está normalmente entre 15% e 20% a menos para o polipropileno. A resistência ao calor do PP permite o uso em micro-ondas, agregando conveniência à embalagem.

Além do uso em termoformagem, o clarificante Millad NX8000®, presente no concentrado, também é utilizado em outras aplicações como frascos, utensílios domésticos e outros recipientes.

A Milliken é uma empresa inovadora que atua nos segmentos de revestimentos, especialidades químicas, aditivos e tecnologias de coloração, com aplicações desde plásticos automotivos até itens para crianças. A Milliken possui laboratórios e centros de desenvolvimento e de aplicação em todo o mundo, empregando mais de 100 PhDs e acumulando mais de 2.200 patentes nos EUA e mais de 5 mil patentes no mundo todo, desde sua fundação em 1865.

Serviço:

FISPAL 2018 – 34ª Feira Internacional de Produtos e Serviços para a Alimentação Fora do Lar
Data: 12 a 15 de junho
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo.
http://www.fispalfoodservice.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Milliken

Curta nossa página no

Compostos para moldagem da linha de acrílicos da Evonik recebem nova certificação para indústria automotiva

06/06/2018

  • Unidades de produção em Worms e Xangai são certificadas segundo a norma IATF 16949:2016
  • A linha de produtos Molding Compounds atende aos critérios de qualidade da indústria automotiva para fornecedores sub-tier 1.
  • A certificação das fábricas dos EUA está prevista para 2019.

A linha de produtos Molding Compounds da linha de negócios Methacrylates, da Evonik, recebeu a certificação de duas unidades de produção de Plexiglas®, marca de polimetilmetacrilato (PMMA) da Evonik, de acordo com o padrão mais recente da indústria automotiva, a IATF 16949:2016.

Os certificados atestam que os requisitos de gestão da qualidade analisados como parte da auditoria foram atendidos no site alemão da empresa em Worms, para a produção dos compostos para moldagem Plexiglas® e Pleximid® e na unidade chinesa de Xangai para a produção do composto para moldagem Plexiglas®.

A certificação incluiu auditorias de processos comerciais em diversos setores como compras, controle de garantias, IT, calibragem, gestão do relacionamento com os clientes, gestão de fornecedores, marketing, recursos humanos, desenvolvimento de produto, desenvolvimento de processos, testes, sistema de gestão da qualidade, planejamento estratégico e vendas.

“Esta certificação representa um marco importante em nossa estratégia de continuar sendo o principal fornecedor de PMMA da indústria automotiva”, explica Siamak Djafarian, responsável pela linha de produtos Molding Compounds no segmento Performance Materials da Evonik. “Sabemos o quanto esta certificação é relevante para a maioria dos nossos clientes. Com esta bem-sucedida auditoria, enfatizamos o comprometimento com a qualidade e a confiabilidade dos nossos compostos para moldagem Plexiglas®.

Durante as auditorias, os peritos da Associação Alemã de Certificação de Sistemas de Gestão (DQS, na sigla em alemão) e do grupo SGS verificaram que os processos da linha de produtos Molding Compounds seguem à risca os padrões de qualidade determinados para o cumprimento dos requisitos da indústria automotiva também em relação aos seus fornecedores sub-tier 1. “A auditoria simultânea de duas fábricas em continentes distintos é algo que envolve grande complexidade e requer uma coordenação excepcional”, observa Volkhard Erb, da Gestão de SSMAQ na linha de negócios Metacrilatos, que acompanhou a certificação.

O novo padrão da International Automotive Task Force (IATF) substitui os padrões anteriores e a certificação segundo a norma ISO/TS 16949:2009, que perde a sua validade em 2018, e unifica as exigências gerais existentes em relação aos sistemas de gestão da qualidade na indústria automotiva.

A certificação das unidades de produção dos Estados Unidos da linha de produtos Molding Compounds segundo a IATF 16949:2016 está prevista para 2019.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Coim apresenta soluções para o mercado de embalagens na Latin Pack 2018

06/06/2018

Empresa italiana leva tintas 100% PU para o evento

Santiago do Chile foi escolhida para receber a edição 2018 da Latin Pack. O evento, que acontece pela primeira vez na cidade entre os dias 7 e 8 de junho, reúne os principais fornecedores e representantes de indústrias do setor de embalagens da América Latina.

Este ano, além de levar as tintas 100% PU para a feira, a Coim também apresentará uma palestra sobre a aplicação do produto para embalagens flexíveis. A empresa italiana, que possui mais de 50% de market share na linha de adesivos para laminação, tem investido para completar seu portfólio, oferecendo produtos que contemplem soluções para toda a cadeia produtiva, que já vem sendo atendida pelas resinas AP e adesivos da linha Novacote.

“O Brasil é um mercado muito promissor. Empresas que estão consolidadas na Europa e Ásia tentam ganhar espaço em países emergentes. A Coim sai na frente pois já possui uma unidade no Brasil e aqui produz a resina poliuretânica, base dessa nova tinta.” , explica Maurício Rufo, gerente de contas da linha.

A Latin Pack é uma vitrine para a demonstração de tecnologias e criação de tendências para as empresas do setor de embalagens. “A indústria está cada vez mais forte e apresentar a Coim, empresa que possui produção própria no Brasil e distribuição em toda a América do Sul, é de vital importância para nos consolidarmos no mercado. Nesse tipo de evento, conseguimos ainda trocar informações, prospectar novos clientes e estabelecer contatos importantes para a empresa.”, ressalta Gabriela Nobre, gerente de marketing da Coim.

A Coim (Chimica Organica Industriale Milanese) é uma empresa de origem italiana especializada em policondensação (ester), poliadição (poliuretanos) e grande fabricante de especialidades químicas. Fundada em 1962, em Milão, a empresa possui unidades fabris na Itália, Brasil, Estados Unidos, Índia e Cingapura, além dos Centros de Pesquisa na Itália, França, Inglaterra, Alemanha e Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Coim

Curta nossa página no

BASF amplia produção de Poliarilsulfonas na Coréia

20/05/2018

A BASF anunciou o início de uma nova linha de produção do Ultrason®, termoplástico amorfo transparente de elevada resistência térmica baseado em poliarilsulfona, em sua fábrica de Yeosu, na Coreia. Com a nova linha produtiva, a capacidade anual global de Ultrason® vai aumentar de 6 mil para 24 mil toneladas, atendendo ao crescente consumo do mercado em todo o mundo.

“A ampliação da produção nos permite acompanhar o crescimento da demanda oferecendo um alto nível técnico e com um portfólio de produtos que atenda às necessidades específicas das indústrias”, afirma Mario Cerqueira, coordenador regional de Especialidades Plásticas da BASF para a América do Sul. “É um material de alta performance perfeito para aplicações técnicas, muito útil na indústria automotiva, de equipamentos médicos e de conexões para circuito de água quente devido à sua alta resistência térmica, estabilidade dimensional e elevadas propriedades mecânicas”, afirma.

Ultrason® é o nome comercial para a linha da BASF dos produtos com base de polietersulfona (Ultrason® E), polissulfona (Ultrason® S), e polifenilsulfona (Ultrason® P). As últimas inovações incluem o Ultrason® Dimension, uma polietersulfona conhecida por sua extrema estabilidade dimensional e excelentes propriedades de fluxo, afirma a Basf.

A empresa produz Ultrason® em Ludwigshafen, na Alemanha, e em Yeosu, na Coréia. Ambas as plantas estão projetadas para produzir toda a gama de Ultrason® S, E e P, proporcionando à BASF a flexibilidade de otimizar a sua capacidade de suprimento aos clientes no mundo todo.

O Ultrason® é amplamente utilizado nas indústrias eletrônica, automotiva e aeroespacial para a produção de componentes leves e resistentes ao calor. O termoplástico pode suportar temperaturas de até 220°C sem alterar suas propriedades e possui excelente estabilidade química, afirma a BASF. Sua resistência à temperatura permitiu, por exemplo, que o material fosse aplicado no design compacto do novo refletor de farol no carro Hyundai ix35. O material também tem grande aplicação em peças de contato com alimentos, incluindo máquinas de café expresso ou pratos resistentes para microondas, bem como em eletrodomésticos premium. Ele está em conformidade com a FDA americana (Food and Drug Administration) e as regulamentações europeias para aplicações de contato com alimentos. Também é usado na produção de materiais compósitos de fibra de carbono e em membranas para filtração de água, em peças em contato com água quente e dispositivos médicos.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Braskem lança nova linha de resinas modificadas de EVA

19/05/2018

Segundo a empresa, o lançamento proporciona um excelente soft touch, além de aumentar a produtividade, reduzir o peso e ser versátil em suas aplicações

Atenta à competitividade e demanda do mercado, a Braskem acaba de lançar uma família de resinas modificadas de EVA (copolímero de etileno e acetato de vinila). De acordo com a Braskem, a marca Braskem Evance oferece uma solução com resinas inovadoras de alto desempenho e avançada customização para cada tipo de aplicação. A novidade pode ser utilizada nos setores calçadista, automotivo, de construção civil, nas indústrias de transporte, de artigos esportivos, fios e cabos, entre outros.

“O papel da Braskem vai desde a criação da resina até a definição de um composto que atenda aos requisitos técnicos para diferentes aplicações, frente à gama do mercado de borracha e elastômeros, levando benefícios a transformadores, marcas e consumidores”, comenta Claudia Arruda, diretora comercial da Braskem.

As características do EVA modificado o tornam um produto competitivo em relação a outros elastômeros e a alguns tipos de borrachas. Para ser confortável – principal requisito da indústria calçadista – o material oferece soft touch e leveza, proporcionando uma melhor aderência na sola do produto quando em contato com o chão, afirma a Braskem. Já nos setores automotivo e construção civil, a linha pode reduzir o peso para algumas aplicações, além de uma redução no custo final da solução, garante a empresa.

“Temos potencial para alcançar as indústrias que usam elastômeros e borracha como fontes de matérias-primas e criar novas oportunidades com o Braskem Evance “, afirma Claudia.

A Braskem afirma que a sua linha Evance traz um processo produtivo mais simples, utilizando menos matéria-prima e diferenciando-se das atuais resinas do mercado, além de oferecer mais flexibilidade, leveza, resistência, conforto e toque emborrachado.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Lanxess aumenta a produção de pré-polímeros na unidade de Porto Feliz

17/05/2018

  • Nova planta de produção local será construída em Porto Feliz·
  • Produção local combinada com outras unidades de negócios, desenvolvimento de aplicações em laboratório e centro de serviços técnicos·
  • Lançamento no primeiro semestre de 2019

A Lanxess irá construir uma nova planta de última geração para a produção de pré-polímeros em Porto Feliz, em São Paulo. A unidade de negócios “Urethane Systems” vai investir alguns milhões de euros para expandir sua capacidade de produção de pré-polímeros, que já deve entrar em operação no primeiro semestre de 2019. A produção atual, localizada em Rio Claro, a cerca de 200 quilômetros de distância, será encerrada.

A Lanxess passa a gerenciar todo o seu negócio de poliuretanos na América do Sul a partir de Porto Feliz. “A América do Sul é um importante pilar de nossa rede global e estamos comprometidos com os mercados brasileiro e sul-americano. Nosso novo investimento nos permitirá oferecer, de forma sustentável, serviços técnicos específicos ao cliente e qualidade de produto, com fornecimento de produtos rápido e confiável ”, afirma o Dr. Markus Eckert, responsável pela unidade de negócios da Urethane Systems.

A Lanxess Urethane Systems é fornecedora de sistemas para a indústria global de Poliuretanos com expertise em elastômeros fundidos, revestimentos, adesivos e selantes. Seu portfólio inclui pré-polímeros de isocianato convencionais e LF (low free), bem como dispersões aquosas especiais de poliuretano (PUDs). A empresa também fornece catalisadores e agentes de cura para elastômeros fundidos. As tecnologias para revestimentos, adesivos e selantes são oferecidas para projetar sistemas completos de acordo com as necessidades dos clientes. Destaque para sistemas livres de solventes, livres de monômeros e sistemas bloqueados de fácil uso.

A Lanxess Urethane Systems possui plantas produtivas e centros de desenvolvimento de aplicações em todas as principais regiões econômicas do mundo, incluindo Brasil, EUA, Índia, China, Austrália, Itália e Inglaterra.

A Lanxess é uma empresa líder em especialidades químicas, com vendas de 9,7 bilhões de Euros em 2017 e cerca de 19.200 funcionários, em 25 países. Atualmente, a empresa está representada em 74 unidades de produção em todo o mundo. O core business da Lanxess é o desenvolvimento, fabricação e comercialização de intermediários químicos, aditivos, especialidades químicas e plásticos. Por meio da Arlanxeo, joint venture com a Saudi Aramco, a companhia também é uma das principais fornecedoras de borracha sintética.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Lanxess

Curta nossa página no

Solvay lança novas poliamidas para componentes de veículos elétricos, híbridos e autônomos

17/05/2018

A linha elétrica de poliamidas da Solvay focaliza-se em componentes elétricos e eletrônicos automotivos, incluindo grades na cor laranja para aplicações de alta tensão como conectores, disjuntores, interruptores e isolantes utilizados no mercado de mobilidade elétrica

A Solvay Performance Polyamides está anunciando a ampliação de seu portfólio de plásticos de engenharia de poliamida Technyl® para fornecer soluções adequadas para a indústria automotiva mundial.

Segundo a empresa, a ampliação do portfólio responde aos principais desafios e tendências do setor automotivo, entre as quais aumento de conectividade e autonomia, uma vez que tanto os veículos híbridos como os totalmente elétricos (xEV) e os autônomos compartilham uma necessidade comum e crescente de melhorar o desempenho dos seus componentes elétricos e eletrônicos.

A linha aprimorada Technyl® compreende soluções retardantes de chamas (FR, na sigla em inglês), produtos para automóveis elétricos em grades puros e de alta pureza e o novo grade de poliamida 6.6 livre de íons para aplicações em células de combustível, afirma a Solvay. Desenvolvida em estreita colaboração com fabricantes de equipamentos originais e parceiros de Tier 1, essa linha atende aos desafios em termos de custo, desempenho e sustentabilidade, garante a empresa.

“Também desenvolvemos uma série de grades Technyl® altamente estáveis, na cor laranja, pois continuamos a inovar em nosso portfólio para aplicações de veículos elétricos”, disse Nicolas Batailley, líder global de Mobilidade Elétrica da Solvay Performance Polyamides. “A cor laranja é a cor da moda para facilitar a identificação, pois nos concentramos em componentes projetados para lidar com altas tensões, como conectores, disjuntores e isoladores”, informou.

Um dos primeiros mercados abrangidos por esse novo produto é o chinês. Segundo Nicolas Batailley, a China está desempenhando um papel cada vez maior no campo da mobilidade elétrica. “Embora o país responda por quase um terço da produção automotiva mundial, a parcela de veículos híbridos e totalmente elétricos fabricados na China tem uma meta ambiciosa de chegar a 20% até 2025, o que representa quase sete milhões de veículos. Nossa linha Technyl® foi ampliada para ajudar a atingir esse objetivo desafiador”, afirmou.

A Solvay Performance Polyamides afirma que oferece um nível exclusivo de suporte para ajudar os clientes no processo de design geral, para que estes possam explorar as soluções de materiais Technyl® e acelerar o tempo de comercialização.

A oferta das novas soluções inclui simulação preditiva com DesignMMI® Technyl® (*), impressão 3D de protótipos funcionais baseados em poliamida com pós de Sinterline® PA6, bem como testes de desempenho da peça em centros de validação totalmente equipados – um deles, inclusive, instalado em Xangai, na China.

A Solvay é uma empresa de química de especialidades e de materiais avançados, cujos produtos e soluções são utilizados em aviões, carros, dispositivos inteligentes e médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre muitas outras aplicações. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 24.500 pessoas em 61 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,1 bilhões em 2017. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

(*) DesignMMI Technyl® é um serviço avançado desenvolvido pelo Digimat da e-Xstream

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

O Boticário utiliza copoliéster da Eastman em novas embalagens de Batom Líquido

17/05/2018

O novo design ressalta as cores do produto e da cravação do delicado cristal Swarowski

Sucesso entre o público feminino, o batom líquido mate Make B. acaba de lançar duas cores, Eternal Rose e Dark Malva. Para celebrar a novidade, O Boticário apostou no produto da Eastman Chemical Company, o Eastar, um copoliéster de ácido tereftálico, ciclohexanodimetanol e ácido isoftalico (PCTA) para dar o toque final na embalagem.

O material eleva a percepção de sofisticação, qualidade e modernidade, inserindo a marca em um contexto mais atual e moderno, afirma a Eastman. O design foi criado com exclusividade para Make B e o contraste das linhas retas e curvas conferem uma aparência contemporânea, harmônica e atemporal.

“O Eastar, do qual são feitas as paredes espessas do frasco, cria reflexos que destacam as cores dos produtos, enquanto a tampa preta com Make B. impresso em prata brilhante e a cravação de um cristal Swarovski transformam o item de maquiagem em um verdadeiro objeto de desejo” destaca Diego Felipe Costa – Gerente de Categoria Maquiagem de O Boticário.

“O Boticário já usou antes o Eastar no frasco do sabonete líquido edição de Natal de 2016. Os resultados proporcionados por esse produto da Eastman foram muito positivos e agora tivemos a chance de mostrar mais uma vez como o Eastar promove segurança, glamour e qualidade” afirma Alessandra Lancellotti Ribeiro, Gerente de Desenvolvimento de Mercado na área de Specialty Plastics da Eastman.

O Make B. está disponível em seis cores e pode ser encontrado em todos os canais de venda de O Boticário: lojas físicas, venda direta por meio dos revendedores e online pelo e-commerce.

A Eastman (www.eastman.com) é uma companhia global de especialidades químicas que produz uma ampla gama de produtos para mercados finais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A empresa atende clientes em aproximadamente 100 países e a sua receita foi de aproximadamente US $ 9,6 bilhões em 2015. A empresa tem sede em Kingsport, Tennessee, EUA, e emprega aproximadamente 15.000 pessoas em todo o mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Termotécnica lança Campanha “98% ar” para promover o uso e a reciclagem de EPS

16/05/2018

Campanha reforça que o destino correto do EPS (isopor®) pós-consumo é a reciclagem

Protagonista de um ciclo produtivo e reverso totalmente sustentável, o EPS – material que é popularmente conhecido como isopor® – ainda carrega uma imagem negativa junto à opinião pública devido ao fato de não ser descartado corretamente por grande parte da população e, por isso, gerar poluição. Com o objetivo de esclarecer e reforçar as características do EPS – plástico 100% reciclável, versátil, tecnológico e leve, com 98% de ar em sua composição -, a Termotécnica lançou neste mês de maio uma campanha de conscientização.

Inspirada em uma ação da Airpop® (marca europeia do EPS) que vem apresentando bons resultados, a iniciativa da Termotécnica pretende mostrar a inovação e a versatilidade do EPS, além dos diversos benefícios que seus produtos trazem ao cotidiano das pessoas, tais como isolamento térmico, proteção contra impactos e maior ergonomia. Tudo isso atrelado à mensagem da logística reversa e reciclagem do material. A campanha contempla desde atividades de relacionamento e conscientização com clientes, comunidade, fornecedores e colaboradores até a aplicação do selo nos catálogos e produtos Termotécnica.

Albano Schmidt, presidente da Termotécnica, ressalta que o objetivo da campanha é que todos os públicos se engajem e reconheçam que existe a disponibilidade de uma cadeia de logística reversa e de reciclagem já implementada, com pontos de coleta e reciclagem do material espalhados por diversos estados brasileiros: “É papel de cada um fazer a diferença por um futuro melhor. Precisamos nos conscientizar e divulgar a informação de que o EPS é 100% reciclável. Essa reciclagem acontece de forma contínua e utiliza pouca água e energia”, argumenta.

Albano ainda acrescenta que a Termotécnica realiza, desde 2007, o Programa Reciclar EPS, que já deu um destino correto a 1/3 de todo EPS pós-consumo no Brasil. Ou seja, mais de 35 mil toneladas de isopor® retornaram ao processo produtivo para virar rodapé, perfil, vaso, solado de sapato e deck de piscina.

A Termotécnica é a maior indústria transformadora de EPS (isopor®) da América Latina e líder no mercado brasileiro deste segmento. Produz soluções para Embalagens e Componentes, Conservação, Agronegócios, Cadeia de Frio, Movimentação de Cargas e Construção Civil. Com matriz em Joinville (SC), possui unidades produtivas e de reciclagem em Manaus (AM), Petrolina (PE), Rio Claro (SP) e São José dos Pinhais (PR).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Termotécnica

Curta nossa página no

Kommerling lança corredera elevadora de 76 mm em PVC

16/05/2018

O sistema é indicado para obras diferenciadas e que apostam em grandes vãos para conseguir unir o ambiente externo com o interno, sem perder privacidade e conforto

A Kömmerling – empresa alemã do setor de perfis e sistemas de PVC – está lançando o sistema de correr PremiDoor 76. Segundo a empresa, o produto traz vantagens em termos de desempenho, tais como maior envidraçamento, medidas máximas superiores em largura e altura, deslizamento superior e redução de energia

A Kömmerling afirma que o sistema PremiDoor 76 pode ser usado na fabricação de portas elevadoras, tanto para casas com vistas panorâmicas de cidades, como para jardins contemplados de dentro da residência. O sistema não tem barreiras e é reforçado pela sua facilidade de manuseio e isolamento térmico.

Segundo a empresa, dentre as características diferenciais do sistema, destacam-se:

  • Sistema inovador para portas de correr com profundidade de construção de 76 mm.
  • Limites totalmente acessíveis, realizadas de acordo com as normas européias
  • Facilidade de manuseio, ao abrir e fechar
  • Opções de design em PVC branco clássico e laminados de madeira e preto
  • Todos os perfis de PVC-U são produzidos com estabilizadores sem chumbo à base de cálcio e zinco.

Segundo Tonia Lima, diretora comercial da empresa, o sistema PremiDoor 76 se destina a todos os clientes que adotam o conceito Premium para sua obra e que apostam em grandes vãos para conseguir unir o ambiente externo com o interno, sem perder sua privacidade e conforto, quando necessário.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Coza escolhe copoliéster da Eastman para renovar produto

01/05/2018

A Coza apostou no Tritan para aprimorar o seu bule térmico da linha Cozy

O principal objetivo da marca nessa escolha foi trazer para o mercado o conceito de funcionalidade e estética no produto térmico. Como diferencial, a empresa apostou no copoliéster Tritan da Eastman. Segundo a empresa, o material  é livre de BPA e agrega benefícios como transparência, durabilidade e resistência.

A Eastman afirma também que o seu material ainda traz uma vantagem adicional apreciada na categoria de utensílios de casa – a possibilidade da lavagem em lava-louças, já que o recipiente não é riscado ou manchado após diversos ciclos de limpeza.

Com capacidade de 700mL, para utilização com bebidas quentes e geladas, o bule possui tampa corta pingos que mantém o produto limpo ao servir. Para conquistar consumidores com diferentes preferências, o bule está disponível em cinco cores reconhecidas como tendência de moda e comportamento: Preto, Branco, Rosa Blush, Vermelho Bold e Warm Gray, que foram escolhidas para compor uma mesa harmônica, com diversas possibilidades de combinações.

“A inovação está em nosso DNA e, por isso, valorizamos a parceria com empresas inovadoras, como a Eastman, que nos ajudam a materializar as nossas ideias e transformá-las em, mais do que produtos, soluções para os nossos usuários”, comenta Jaqueline Brognoli – Gerente de Marketing e Inovação da marca Coza.

Em sinergia com as necessidades dos brasileiros, a Eastman confia em que o seu material valorizou ainda mais o produto. “A Coza tem o cuidado especial de sempre levar inovações para seus consumidores e, por isso, apostaram no Tritan. O bule Cozy tem um belo design, proporciona aconchego, praticidade e beleza e agora também fica livre de riscos e quebras com o Tritan”, afirma Alessandra Lancellotti Ribeiro, Gerente de Desenvolvimento de Mercado na área de Specialty Plastics da Eastman.

O bule Cozy pode ser encontrado no e-commerce da marca Coza pelo preço sugerido de R$ 149,90.

A Eastman é uma empresa global de materiais avançados e aditivos especiais que produz uma ampla gama de produtos encontrados em atrativos mercados finais, tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. Como uma empresa globalmente diversificada, a Eastman atende clientes em mais de 100 países e, com faturamento aproximado de US$ 9,0 bilhões anuais. A empresa está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA e, emprega, aproximadamente, 14.000 pessoas em todo o mundo.

A Coza é uma marca referência em Utilidades Domésticas em plásticos desde 1982, quando foi fundada em Caxias do Sul – RS. Desde 2012 ela faz parte do Grupo Brinox, com sede na mesma cidade. Além da Coza, o Grupo possui as marcas Brinox – reconhecida por produtos como panelas, talheres, aramados e uma gama de utensílios – e a Haus Concept, marca líder no segmento de Melamina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Indac lança série em vídeo para ajudar transformadores, arquitetos e designers a aperfeiçoar a qualidade de produtos em acrílico

01/05/2018

Livros-pássaros em acrílico feitos pela Artcryl para exposição David Bowie em São Paulo

Instituto recomenda que transformadores e outros profissionais que trabalham com acrílico se focalizem na superioridade do material e das peças feitas com ele

Chega de brigar por preços em um mercado de commodities cada vez mais competitivo e pouco lucrativo. Esse é o recado de um dos entrevistados da série “O Produto Perfeito em Acrílico”, produzido e divulgado pelo Indac (Instituto Nacional para Desenvolvimento do Acrílico). O episódio Um já está on line. Para assisti-lo, basta entrar no site do Indac (www.Indac.org.br/produto-perfeito-em-acrilico/) e deixar nome e e-mail para o link do vídeo ser enviado automaticamente.

Ao todo, a série conta com três partes. Na primeira, Carlos Rizzo, arquiteto fundador da Acrilaria, fala das características do acrílico e de todas as qualidades sensoriais do material, como leveza, resistência e transparência, que devem ser valorizadas por quem trabalha com ele. Além da facilidade com que pode ser trabalhado, cortado, dobrado, colado e moldado. “Para qualquer projeto que se faça, são tantas as opções oferecidas [pelo acrílico] para os designers e arquitetos que é impossível não notar. Eu me apaixonei”, afirma.

Rizzo ainda fala sobre a escolha da chapa e de como a espessura certa pode ajudar a valorizar e a aumentar o valor agregado de uma peça. “É claro que a escolha da chapa impacta diretamente no valor da peça, mas também valoriza muito o produto. Se existe uma economia que não vale a pena é a compra de chapas sem procedência”.

 

No episódio dois, gravado na sede da Castcril – maior produtora de chapas acrílicas da América Latina –, os engenheiros da empresa Orlando Silva e Marcos Ramirez apontam as diferenças entre as chapas de acrílico comercializadas no país e no mundo e toda a variedade de tamanhos, espessuras e cores disponíveis no mercado. “Hoje desenvolvemos seguramente mais de 1200 cores”, diz Marcos, que ainda discorre sobre as chapas especiais, feitas sobre encomenda, e orgânicas, feitas com inserção de materiais de diversas origens na composição da chapa, como fibras naturais, folhas, tecidos e minerais, entre outros.

Qualidade e logística também foram assuntos discutidos pelos profissionais, que garantiram estoque para fazer a liberação de entrega de acrílico cristal em até 72 horas, sem necessidade de uma cota mínima de compra.

E como não basta dominar processos técnicos e ter bons fornecedores para sobreviver no mercado, o terceiro vídeo da série leva aos transformadores algumas dicas de como vender melhor seu produto. Nele, Rodrigo Vera Sanches, diretor da Ágora Interativa, e João Orlando Vian, consultor executivo do Indac, explicam a importância do posicionamento da empresa no mercado, inclusive na internet: “A melhor forma de se destacar é através da exposição de um processo que a marca domine com excelência. Se é a alta capacidade técnica, então isso deve ser levado ao público: para que no futuro você se torne referência nisso, entre os clientes e até mesmo entre os concorrentes”, explica Sanches.

Mas as vendas não dependem apenas de marketing. Assim, atendimento, informação coerente, cuidado com pós-venda e outros temas são também discutidos no capítulo três de “O Produto Perfeito em Acrílico”.

Os vídeos têm em média 15 minutos cada. Os temas podem ajudar designers e arquitetos a entenderem melhor o universo do acrílico, que poderá agregar mais valor e beleza a seus projetos. Para esses profissionais, aliás, o fundador da Acrilaria recomenda em sua entrevista que procurem transformadores capacitados e que possuam o Selo Indac.

Se o cliente ficar na dúvida, o Instituto mantém o programa Acrílico em Ação. Por meio dele, ajuda o interessado a pensar seu projeto e encontrar um transformador de acrílico indicado para cada caso.

O Instituto Nacional para o Desenvolvimento do Acrílico (Indac) é uma organização criada há 17 anos por empresários do setor, com o objetivo de promover o uso correto do acrílico, difundir o conhecimento das suas propriedades e aplicações, além de ampliar sua participação no mercado por meio da indicação de seus associados.A entidade, geradora de negócios e difusora de conhecimento para o setor de acrílico, reúne atualmente 45 filiados em todo o país.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Indac

Curta nossa página no

Stratasys lança termoplástico com base de PEKK para processos FDM

01/05/2018

Novo material permite que fabricantes de veículos aeroespaciais e outros de alto desempenho passem a usar a manufatura aditiva em peças expostas a químicos e altas temperaturas

A Stratasys , empresa líder em soluções de tecnologia aditiva aplicada, apresentou um novo termoplástico de alto desempenho com base de PEKK, o Antero™ 800NA, voltado para seu processo de modelagem por fusão e deposição – FDM.

Segundo a empresa, um material de PEKK (poli-éter-cetona-cetona) para manufatura aditiva FDM oferece vantagens importantes para muitos fabricantes, incluindo peças mais leves, estoques reduzidos e mais lucratividade.

A Stratasys afirma que o Antero 800NA tem desempenho melhor do que outros termoplásticos de alto desempenho, pois apresenta resistência química superior e liberação de gases ultrabaixa, além de possuir resistência a altas temperaturas e propriedades de uso excepcionais.

Fabricantes de veículos aeroespaciais e outros de alto desempenho que desejam uma transição para um processo de manufatura aditiva estão entre os mais interessados no Antero 800NA.

De acordo com o fabricante do Antero 800NA, sua resistência química superior faz com que possa ser usado em componentes expostos a hidrocarbonetos, como combustíveis e lubrificantes, bem como a ácidos diversos. Além disso, sua baixa liberação de gases permite que seja utilizado em espaços confinados e ambientes sensíveis, como satélites, onde os materiais não podem liberar gás sob o vácuo. A alta temperatura de operação do Antero 800NA é projetada para que ele possa ser usado em aplicações sob o capô ou em compartimentos de motores, garante a Stratasys.

A manufatura aditiva customizada ou de baixo volume propicia vantagens de redução de custo em relação aos processos tradicionais de manufatura, nos quais o material é adquirido a granel (disponível apenas em formas e tamanhos limitados) e usinado até chegar a uma forma final. Esta técnica desperdiça uma quantidade considerável de material caro e necessita de tempo de execução maior. Com o processo aditivo, o fluxo de trabalho é mais rápido, uma vez que são produzidas peças mais leves, com topologia otimizada, o que também reduz significativamente desperdícios de material.

Outra vantagem importante do processo aditivo é que permite que os fabricantes produzam partes em PEKK sob demanda, eliminando a necessidade de um estoque, que poderia ficar inativo por anos antes de vir a ser necessário. A redução nos custos relacionados à manutenção do estoque significa maior lucratividade.

Além dos setores espacial, aeroespacial e automotivo, as indústrias-alvo incluem manufatura industrial de ponta e aplicações em petróleo e gás.

Ao contrário das peças PEKK feitas com alguns processos aditivos a base de pó, as peças do Antero 800NA criadas pelo processo FDM são mais duráveis e dimensionalmente estáveis, mesmo quando possuem dimensões muito grandes, afirma a Stratasys. Sua produção também é viável economicamente, mesmo em baixas quantidades.

De acordo com a fabricante do Antero 800NA, as suas vantagens do em relação a processos aditivos concorrentes incluem:

  • Melhor alongamento nos eixos X e Z, resultando em partes mais resistentes
  • Propriedades mecânicas consistentes
  • Custos vantajosos, mesmo na produção de baixo volume de unidades
  • Estabilidade dimensional em peças grandes
  • Vantagens da tecnologia FDM, incluindo facilidade de uso e liberdade de design

O Antero 800NA é o primeiro produto comercial da Stratasys numa nova família planejada de materiais com base de PEKK. Inicialmente, o material será oferecido com espessura de camada de 0,25 mm. Estão planejadas para lançamento futuro opções de espessura de camada adicionais.

O Antero 800NA deverá estar disponível para uso na Impressora 3D Fortus 450mc Production no segundo trimestre de 2018. A previsão para uso na Impressora 3D Fortus 900mc é o quarto trimestre de 2018. Usuários atuais da Fortus 450mc com o pacote de materiais de alto desempenho poderão utilizar o Antero 800NA sem taxas de licenciamento adicionais e os usuários da Fortus 450mc sem o pacote de materiais de alto desempenho podem comprar o pacote ou uma licença de material individual. Os sistemas da Fortus 450mc exigirão o upgrade de hardware Nylon 12CF, além de um novo bico extrusor e borda de purga para operar o material Antero 800NA.

A Stratasys é uma empresa líder em soluções de tecnologia aditiva aplicada para as indústrias, incluindo aeroespacial, automotiva, saúde, bens de consumo e educação.

Curta nossa página no

Uso do EPS na produção sustentável de Flores, Frutas, Legumes e Verduras no Brasil

01/05/2018

Artigo de: Andrés da Silva (*)

Em todas as agendas de produtores, varejo e fornecedores de insumos para agricultura, a palavra sustentabilidade aparece em destaque. Existe, hoje,uma real demanda em se oferecer produtos com a imagem de segurança alimentar e de responsabilidade ambiental. Ainda que para a maioria dos consumidores a definição do termo sustentabilidade seja distorcida por campanhas de marketing, precisamos pensar em sustentabilidade – não somente ambiental, mas também social e econômica.

Segundo a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento da ONU, unir desenvolvimento econômico e conservação ambiental é praticar o desenvolvimento sustentável, ou seja, suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer as necessidades das gerações futuras.Os americanos chamam Sustainability e os franceses de Dévélopment Durable. Em ambos os casos, a noção de “desenvolvimento” é intrínseca à sustentabilidade, ou seja, o uso de técnicas que permitam o aprimoramento da produção, da produtividade e da qualidade, levando em conta os fatores de mitigação ambiental e social e desenvolvimento econômico de toda a cadeia.

Mas, para os produtores, a demanda do mercado por sustentabilidade se traduz em investimentos necessários, tais como certificações, análises de laboratórios, laudos, treinamentos, equipamentos, rastreabilidade e a contratação de consultores e ou mão de obra especializada. Estes investimentos são importantes, mas podem descapitalizar o produtor rapidamente sem trazer um retorno imediato. Outras vezes, o termo sustentabilidade é utilizado como simples ferramenta de marketing. As famosas apelações “sem agrotóxico”, “ecológico”, “sem resíduos” e “natural”confundem o consumidor.

O setor de flores, frutas, legumes e verduras (FFLV) representa uma parte importante do PIB brasileiro e emprega milhares de pessoas. No entanto, os produtos no Brasil são caros e de baixa qualidade, se comparados com os de países mais desenvolvidos. O baixo consumo médio percapita de FFLV (a metade do que consome um americano) comprova esta realidade, onde o acesso é “insustentável” para o bolso da maioria. O brasileiro consome em média a metade de hortaliças de um norte americano, a terça parte de um europeu e um quarto de um asiático.

O cultivo de FFLV em estufas agrícolas é uma das soluções mais modernas e seguras em termos de produção sustentável, pois reúne alta produtividade e baixo impacto ambiental. O aumento da produtividade é de até 10 vezes, quando comparada com o campo aberto. A redução do consumo de água, insumos e defensivos fazem desta tecnologia a solução para o futuro da agricultura, seja ela convencional ou orgânica. Para que esses resultados sejam alcançados, é necessário um investimento em tecnologias, sistemas de controle de clima, de irrigação e de nutrição, além de um manejo rigoroso.

Base Substrato – Tomate

Na hidroponia, as plantas são cultivadas em sistemas fechados, onde se reduz a perda de agua e de fertilizantes (lixiviação e volatização), evitando assim a salinização dos solos e a contaminação dos lençóis freáticos.

Em 2017, a Termotécnica lançou a Base Universal para Substrato DaColheita (BUS), que visa contribuir para a sustentabilidade do agronegócio. A BUS é uma peça moldada em EPS, de alta densidade, que pode ser utilizada como suporte para vasos, slabs e substrato a granel para a produção hidropônica. É modular, de fácil montagem e possui um sistema de coleta de solução drenada integrada. Com a BUS, a produção de morango em estufas, por exemplo, pode ser feita facilmente em bancadas elevadas, o que melhora a ergonomia e a qualidade das frutas, pois elas não ficam em contato com o solo. Além disso, a recuperação da solução nutritiva permite uma economia de fertilizantes e uma redução da umidade do solo, que gera menor manutenção e incidência de doenças. Uma verdadeira revolução em comparação ao cultivo tradicional em campo aberto.

Para o agronegócio, a Termotécnica também produz bandejas de mudas, embalagens para frutas e verduras e colmeias para a apicultura. E, há mais de 10 anos, a empresa exerce um papel muito importante no esclarecimento, estímulo e reciclagem do isopor®.

(*) Andrés da Silva (foto)
Eng. Agrícola, M.Sc.
EACEA – Soluções em Cultivo Protegido/ Termotécnica

Curta nossa página no

Covestro inaugura sua nova sede para a América Latina

17/04/2018

A fabricante de materiais Covestro está de casa nova. Inaugurado no último dia 16 de abril, o novo prédio está localizado no bairro do Socorro, em São Paulo, e abriga a sede administrativa da empresa no Brasil – servindo de hub para América Latina –, além de dois laboratórios técnicos e de aplicação de produtos das áreas de Poliuretanos e Revestimentos, Adesivos e Especialidades.

A inauguração reforça o compromisso da empresa com o mercado brasileiro e também da América Latina nas indústrias-chave em que a Covestro atua, como a automotiva, construção, móveis e colchões.

“A nova sede da Covestro reflete os valores da companhia não só em sua estética, mas também no uso proposto para os espaços”, destaca Fernando d´Andrea, CEO Covestro Latam. “Com este novo espaço estamos mais que preparados para manter o padrão de excelência no atendimento e na oferta de produtos oferecidos a nossos clientes”.

O prédio é também um importante showroom das soluções desenvolvidas com os principais parceiros da empresa na região – no espaço foram utilizadas diversas tecnologias feitas a partir de materiais da Covestro. Por exemplo, 100% dos interruptores e tomadas instalados no prédio utilizam Makrolon®, policarbonato fabricado pela Covestro, e as pinturas de áreas horizontais de alto tráfego foram feitas com poliuretanos de base água da Covestro.

Com 14,1 bilhões de euros em vendas em 2017, a Covestro é um dos maiores produtores de polímeros do mundo. Suas atividades comerciais concentram-se na produção de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para diversos segmentos tais como o automotivo, construção, processamento de madeira e móveis e as indústrias elétrica e eletrônica. Outros setores incluem esportes e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro tem cerca de 30 unidades produtivas no mundo todo e, no final de 2017, empregava aproximadamente 16,2 mil pessoas.

Fonte: Covestro

Curta nossa página no