Archive for the ‘Resinas’ Category

Covestro inaugura sua nova sede para a América Latina

17/04/2018

A fabricante de materiais Covestro está de casa nova. Inaugurado no último dia 16 de abril, o novo prédio está localizado no bairro do Socorro, em São Paulo, e abriga a sede administrativa da empresa no Brasil – servindo de hub para América Latina –, além de dois laboratórios técnicos e de aplicação de produtos das áreas de Poliuretanos e Revestimentos, Adesivos e Especialidades.

A inauguração reforça o compromisso da empresa com o mercado brasileiro e também da América Latina nas indústrias-chave em que a Covestro atua, como a automotiva, construção, móveis e colchões.

“A nova sede da Covestro reflete os valores da companhia não só em sua estética, mas também no uso proposto para os espaços”, destaca Fernando d´Andrea, CEO Covestro Latam. “Com este novo espaço estamos mais que preparados para manter o padrão de excelência no atendimento e na oferta de produtos oferecidos a nossos clientes”.

O prédio é também um importante showroom das soluções desenvolvidas com os principais parceiros da empresa na região – no espaço foram utilizadas diversas tecnologias feitas a partir de materiais da Covestro. Por exemplo, 100% dos interruptores e tomadas instalados no prédio utilizam Makrolon®, policarbonato fabricado pela Covestro, e as pinturas de áreas horizontais de alto tráfego foram feitas com poliuretanos de base água da Covestro.

Com 14,1 bilhões de euros em vendas em 2017, a Covestro é um dos maiores produtores de polímeros do mundo. Suas atividades comerciais concentram-se na produção de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para diversos segmentos tais como o automotivo, construção, processamento de madeira e móveis e as indústrias elétrica e eletrônica. Outros setores incluem esportes e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro tem cerca de 30 unidades produtivas no mundo todo e, no final de 2017, empregava aproximadamente 16,2 mil pessoas.

Fonte: Covestro

Curta nossa página no

Anúncios

Cipatex reforça presença na América Latina durante a Expomin no Chile

17/04/2018

Empresa apresenta geomembranas em uma das principais feiras internacionais de mineração

A Cipatex®, fabricante de revestimentos sintéticos, participa da Expomin 2018 (Feira Mundial de Mineração), realizada em Santiago, no Chile, entre os dias 23 a 27 de abril. Em um espaço de 180 metros quadrados, a companhia brasileira marca presença no evento em conjunto com outras quatro empresas fornecedoras de insumos para os setores de mineração, engenharia e construção civil.

“O evento é um dos mais importantes do setor e ocorre em um dos principais polos de mineração do mundo. A participação na Expomin em parceria com outras empresas garante maior visibilidade, oferecendo soluções integradas e completas aos clientes e visitantes da feira”, comenta Aureovaldo Casari, gerente de agroindústria e mineração da Cipatex®.

A Cipatex® apresenta na Expomin o Cipageo®, geomembranas de PVC empregadas na impermeabilização de lagoas de evaporação e decantação, em pilhas de lixiviação e tanques de rejeitos minerais. Produzido pelo sistema de calandragem, o material é tolerante a diversos tipos de ácidos, sais e bases, com ótima resistência ao envelhecimento e às influências do meio ambiente, afirma a Cipatex. Devido ao grande alongamento, maleabilidade e flexibilidade pode ser empregado em qualquer tipo de superfície, assegura a empresa.

“O Chile é um dos principais destinos das geomembranas de PVC Cipageo® produzidas pela empresa e a presença da Cipatex® no evento reforça a estratégia de ampliar a participação da companhia na América Latina e em outros países que participam da feira”, destaca Casari.

A Cipatex® é líder no fornecimento de geomembranas de PVC para o mercado de mineradoras não metálicas. Conforme o gerente, nos últimos 12 anos a empresa forneceu mais de 85 milhões de metros quadrados de material.

A Expomin acontece a cada dois anos na cidade de Santiago e reúne os principais fornecedores do segmento, apresentando produtos, serviços, processos, equipamentos e tecnologias de ponta. O evento espera receber este ano mais de 1.200 expositores e atrair um público de 70 mil pessoas.

Há 54 anos o Grupo Cipatex® oferece ao mercado soluções em revestimentos sintéticos e não-tecidos. A empresa conta com uma linha de produtos que atende aos setores de calçados, piscinas, bolsas e acessórios, utilidades domésticas, construção, móveis, vestuário, automóveis, esporte e lazer, brindes, material escolar e comunicação visual. Ao todo, o grupo conta com cerca de 1.400 colaboradores distribuídos em cinco plantas industriais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cipatex

Curta nossa página no

Evonik otimiza processo produtivo de sua planta de PEEK na China

17/04/2018

A Evonik otimizou o processo de produção de Vestakeep® PEEK e aprimorou a qualidade do produto em seu site de Changchun, na China. Com isso, o Grupo se posiciona para atender ao mercado global de PEEK no longo prazo.

Com essas medidas de otimização, a empresa pôde reduzir o consumo de energia, o uso de material e os resíduos gerados durante a produção, além conseguir aumentar a produtividade da fábrica de PEEK. Como resultado, a Evonik afirma ter estabelecido novos padrões técnicos em proteção ambiental e segurança na produção de poliéter-éter-cetona.

Do ponto de vista do produto, o processo de produção resultou em melhor qualidade, como por exemplo, melhores características de cor.

“Nosso negócio com os polímeros de alto desempenho Vestakeep® vem apresentando um crescimento forte e contínuo há vários anos, por exemplo, nas indústrias automotiva, de aviação, de óleo & gás ou no segmento médico”, informa Dr. Ralf Düssel, responsável pela Linha de Negócios High Performance Polymers na Evonik. “Com produtos personalizados e inovadores, poderemos continuar servindo aos mercados existentes, ao mesmo tempo em que abrimos novos mercados”.

Graças à sua alta resistência térmica e química, os polímeros especiais Vestakeep® podem substituir componentes metálicos para permitir, por exemplo, redução de peso em aplicações exigentes.

A Evonik conta com uma experiência de mais de 50 anos no desenvolvimento e na produção de polímeros de alto desempenho. Seu portfólio de produtos inclui soluções para praticamente todas as aplicações industriais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Evonik consolida Centro de Pesquisa e Desenvolvimento no Alabama (EUA) para aplicações de polímeros especiais em dispositivos médicos

14/04/2018

Evonik transforma Medical Devices Project House em centro de competência dedicado à atividade de P&D colaborativa

As pessoas não só vivem mais; elas também querem se manter saudáveis e ativas mesmo em idade avançada, o que faz com que a demanda por dispositivos médicos aumente na mesma proporção. Polímeros especiais, como o Resomer® e o Vestakeep® da Evonik, já representam papel importante como materiais de implante.

Para atender a esse atraente mercado em crescimento de maneira ainda mais eficiente, durante os últimos quatro anos a Evonik reuniu uma vasta competência no segmento de cirurgias ortopédicas na Medical Devices Project House – nos Estados Unidos, maior mercado individual para dispositivos médicos. A project house de Birmingham (Alabama), cujo tempo de funcionamento era limitado, tornou-se um centro de competência permanente a partir de 1º de abril de 2018.

“Queremos posicionar a Evonik como líder no fornecimento de materiais e parceiro de desenvolvimento quando se trata de soluções em dispositivos médicos amigáveis para o paciente”, diz Harald Schwager, vice-presidente da Diretoria Executiva da Evonik e responsável por questões de inovação no Grupo. “A project house aumentou muito os nossos conhecimentos nessa área”.

Desde 2014, mais de 20 cientistas qualificados trabalham em Birmingham para melhorar os materiais e as tecnologias de aplicação já existentes. Além de tecnologias estabelecidas, como a extrusão de precisão e a moldagem por injeção, a project house lança mão de avançadas tecnologias de processamento, como a impressão 3D e a eletrofiação (electrospinning) para avaliar rapidamente as propriedades de um material e criar protótipos.

A Evonik vai integrar as atividades da project house, que até agora faziam parte de sua unidade de inovação estratégica, a Creavis, em um centro de competência operado pela linha de negócios Health Care.

“O know-how e as competências desenvolvidas durante os últimos quatro anos farão com que sejamos um fornecedor de ponta em biomateriais e soluções inovadoras em tecnologia de aplicação, oferecendo melhor suporte aos nossos clientes de dispositivos médicos em suas jornadas de inovação”, diz Jean-Luc Herbeaux, vice-presidente sênior e responsável pela linha de negócios Health Care na Evonik.

O centro de competência complementa os demais laboratórios de aplicação estabelecidos em Xangai (China) e Darmstadt (Alemanha), que dão suporte a projetos de clientes em todos os mercados internacionais importantes. O equipamento técnico permite a fabricação e a realização de testes com protótipos feitos nesses novos materiais – não só em processos de extrusão e moldagem por injeção, mas também na impressão 3D.

Herbeaux acredita que a impressão 3D é um desenvolvimento futuro óbvio no setor de dispositivos médicos: “Queremos apoiar a indústria em sua demanda por polímeros para impressão de grau médico para que os pacientes com lesões cranianas ou faciais, por exemplo, possam receber implantes customizados”, conta ele. “No momento, os cirurgiões só podem escolher opções de uma seleção de tamanhos-padrão”.

A Health Care Business Line atua no fornecimento de polímeros biodegradáveis baseados no ácido polilático-glicólico e comercializados sob a marca Resomer®. Os fabricantes de dispositivos médicos usam o material para produzir itens como roscas, parafusos e pequenas placas para o tratamento de fraturas ósseas e rupturas de tendões, mas também em stents biodegradáveis. O corpo absorve os implantes após um tempo específico, ou seja, não é necessária nenhuma cirurgia adicional para retirá-los. Os stents reduzem os riscos de oclusões vasculares recorrentes.

A linha de negócios High Performance Polymers será a segunda maior patrocinadora do centro de competência no Grupo Evonik. O polímero PEEK (poliéter-éter-cetona) sob marca Vestakeep® é usada em implantes na coluna, boca, queixo e cabeça, concebidos para permanecer no corpo e substituir implantes metálicos.

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Polímeros da Solvay entram na produção de nova geração de instrumentos cirúrgicos de uso único para implantes em coluna cervical

28/03/2018

Polímeros especiais Ixef® da Solvay estão no kit de instrumentos cirúrgicos ECA Medical Instruments para procedimentos de implantes em coluna cervical

A Solvay está anunciando que a sua resina de poliarilamida (PARA) Ixef® foi escolhida pela ECA Medical Instruments (www.ecamedical.com) para o desenvolvimento de seu novo conjunto de instrumentos cirúrgicos de uso único Cervical-One ™, para procedimentos de implante de coluna cervical de um e dois níveis.

O novo kit Cervical-One ™ inclui instrumentos robustos e de design ergonômico necessários para que os cirurgiões fixem placas cervicais e fixações intercorporais, incluindo limitadores de torque de precisão e chaves. De acordo com a Solvay, além de eliminar o custo de cada instrumento, o design semipersonalizado também possibilita que empresas de implantes de coluna adaptem ou criem seu próprio conjunto de instrumentos de forma econômica.

Segundo a Solvay, comparado com a instrumentação reutilizável, o sistema de instrumento de uso único da ECA pode eliminar os custos de reprocessamento, aumentar a eficiência da sala de cirurgia, agilizar o gerenciamento de estoque hospitalar e de centros ambulatoriais cirúrgicos, além de desempenhar um papel importante na eliminação das causas das infecções hospitalares em locais de cirurgia.

“Ao desenvolver a plataforma Cervical-One ™, precisávamos de um polímero especial que pudesse suportar cargas de torção, compressão e axiais aplicadas durante o procedimento”, disse James Schultz, vice-presidente executivo de vendas e marketing da ECA Medical Instruments. “O Ixef® PARA oferece o desempenho mecânico robusto necessário para a fixação de placas cervicais e parafusos e dispositivos intercorporais. Também precisávamos da sensação tátil, equilíbrio e peso esperados pelos médicos. O suporte colaborativo da Solvay durante o processo de design e apoio regulamentar proativo – de confiança em toda a indústria – revelou-se crítico na redução do nosso tempo de comercialização”.

A Solvay afirma que os compostos Ixef® PARA oferecem resistência, rigidez e estabilidade dimensional parecidas com as do metal, proporcionando um ótimo acabamento superficial. O Ixef® PARA é otimizado para esterilização usando radiações gama de alta energia sem alterações significativas na aparência ou no desempenho, e está disponível em uma variedade de cores estáveis. Os compostos da Solvay foram avaliados pela ISO 10993 em relação à sua biocompatibilidade de duração limitada e são respaldados por um arquivo de acesso mestre (MAF, sigla em inglês) da agência norte-americana FDA – Food and Drugs Administration.

“Esta colaboração bem-sucedida combina os pontos fortes da ECA e da Solvay – duas líderes em seus respectivos campos”, disse Jeff Hrivnak, gerente de negócios de Healthcare da unidade de global de negócios Specialty Polymers da Solvay. “À medida que os principais fabricantes de dispositivos ortopédicos fazem suas primeiras conversões para sistemas de uso único, estamos confiantes de que a nossa massa crítica combinada e a experiência relevante da indústria proporcionarão valor real aos clientes em potencial e aos já existentes”. Para obter mais informações sobre esta aplicação e notícias relacionadas sobre polímeros especiais para cuidados de saúde, visite solvayhealthcarenews.com.

A ECA Medical Instruments®, com sede em Thousand Oaks, na Califórnia, é líder na concepção e fabricação de instrumentos de precisão de limitação de torque para uso único e kits de fixação cirúrgicos. Fundada em 1979, a empresa entregou mais de 35 milhões de instrumentos de limitação de torque e kits de procedimentos para as principais empresas mundiais de implantes de cardiologia, neuromodulação, ortopedia e coluna. A cada 15 segundos, todos os dias, um instrumento de torque ou um kit de procedimento da ECA é usado para garantir implante médico – um paciente por vez. A ECA, uma empresa da LongueVue Capital Partners, é uma firma com certificação ISO 13485 pela CE Mark e registrada pela FDA

A Solvay é uma empresa de química de especialidades e materiais avançados, cujos produtos e soluções são utilizados em aviões, carros, dispositivos inteligentes e médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre outras aplicações. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 24.500 pessoas em 61 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,1 bilhões em 2017. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Evonik planeja novo complexo de poliamida 12 na Alemanha

28/03/2018

  • Maior investimento da Evonik na Alemanha
  • Forte crescimento do polímero de alto desempenho, poliamida 12, no setor automotivo, na indústria de petróleo & gás e na impressão 3D

A Evonik está planejando a construção de um novo complexo produtivo para o polímero de alto desempenho poliamida 12 (PA 12). O Grupo pretende aumentar em mais de 50% a sua capacidade geral produtiva de PA 12. A poliamida 12 é necessária em atraentes mercados em crescimento como a indústria automobilística, o setor de tubulações para petróleo e gás e na impressão 3D.

Após uma fase bem-sucedida de engenharia básica, a Evonik planeja investir aproximadamente 400 milhões de euros no complexo de poliamida 12, em seu maior site, o parque químico de Marl, na Alemanha. A produção de PA 12 existente deverá ser complementada com unidades de produção adicionais para o polímero e seus precursores. O início das operações do complexo está previsto para o começo de 2021.

O investimento fará uma contribuição substancial para o cumprimento da meta de margem da Evonik, além de gerar um fluxo de caixa anual na faixa de três dígitos de milhões de euros no longo prazo. O projeto deve ser implementado ao longo de quatro anos, como parte do orçamento anual para investimentos em crescimento.

“Estamos planejando o maior investimento da Evonik na Alemanha”, revela Christian Kullmann, Presidente da Diretoria Executiva da Evonik. “Este investimento representa uma combinação perfeita para a nossa estratégia de enfocar, de modo consistente, as especialidades químicas, sendo que a poliamida 12, na qualidade de polímero de alto desempenho para aplicações especiais, é uma parte importante do nosso motor de crescimento estratégico Smart Materials”. Kullmann vê a Alemanha como uma região industrial atraente e competitiva. “Nossa equipe de Marl é altamente qualificada e nosso investimento vai gerar cerca de 150 novos empregos. Além disso, podemos fazer uso otimizado de sinergias com a nossa infraestrutura existente, o que cria condições altamente favoráveis para a venda das nossas especialidades em escala global”.

O mercado de PA 12 registra taxas de crescimento anual acima de 5% no mundo inteiro, superando de modo significativo o crescimento do produto interno bruto global. Na aplicação especial de impressão 3D, as taxas de crescimento chegam a dois dígitos. “A demanda por poliamida 12 apresenta um crescimento consistente e dinâmico”, diz Claus Rettig, Presidente da Diretoria Executiva da Evonik Resource Efficiency GmbH. “A expansão planejada da capacidade fortalecerá ainda mais a nossa posição de liderança mundial em poliamida 12. Para nossos clientes no mundo inteiro, o nosso comprometimento significa disponibilidade no longo prazo e confiabilidade no fornecimento para as suas aplicações atuais e futuras”.

Em virtude de suas propriedades excelentes, como alta estabilidade aliada à flexibilidade, resistência a altas temperaturas e pouco peso, o polímero de alto desempenho é utilizado em muitas aplicações exigentes como substituto para o aço: em projetos automotivos e de redução de peso, bem como em tubulações de petróleo e gás. Além das aplicações atuais no setor automotivo, a Evonik também está muito bem posicionada em relação à produção futura de veículos híbridos e elétricos. Além disso, o material é usado no setor médico e na impressão 3D.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Covestro vende negócio de chapas de policarbonato na América do Norte para Plaskolite

24/03/2018

  • Outras unidades de negócio regionais da Covestro sob revisão para otimização do portfólio
  • Clientes norte-americanos poderão recorrer a uma única fonte para um portfólio abrangente de produtos de chapas plásticas transparentes

A Covestro, fabricante líder global de materiais, continua o processo de otimização do seu portfólio. Como parte dessa estratégia, a empresa pretende vender seu negócio global de chapas de policarbonato (PCS). As chapas de policarbonato tem alta durabilidade e são moldáveis livremente, sendo usadas em transporte público, sistemas de cobertura ou aplicações de sinalização.

Como primeiro passo, a unidade norte-americana de chapas de PCS da Covestro,  que gerou vendas de cerca de US $ 170 milhões em 2017, foi vendida para a Plaskolite LLC, maior fabricante de chapas de acrílico da América do Norte. O acordo será conduzido como um acordo de ativos, o que significa que, assim como a transferência de propriedade intelectual e ativos fixos dedicados, os funcionários da Covestro serão incorporados à Plaskolite. Como parte da transação, a Plaskolite está adquirindo a sede do negócio de chapas, plantas de produção e instalações de armazenamento da Covestro localizada em Sheffield, Massachussets (EUA) e manterá a instalação terceirizada de depósito para distribuição existente em Hebron, Ohio. As operações continuarão na instalação fabril atual. Com esta aquisição, a Plaskolite empregará 950 pessoas. As empresas concordaram com um preço de venda de várias dezenas de milhões de dólares. A conclusão do fechamento do negócio está prevista para 01 de agosto de 2018.

“Nós avaliamos e otimizamos continuamente nosso portfólio para garantir crescimento futuro e criação de valor. Durante esse processo, ficou claro que o nosso negócio de chapas não se encaixaria estrategicamente, no longo prazo, no nosso negócio de policarbonatos ”, disse o CEO da Covestro, Patrick Thomas. “Por isso, decidimos que a unidade de chapas pode se desenvolver e crescer melhor sob um novo proprietário e estamos felizes por ter encontrado na Plaskolite um excelente comprador para nossas operações nos EUA.”

Em relação às suas unidades de chapas de policarbonato na Europa, a Covestro abrirá em breve um processo de venda em separado e, no devido tempo, anunciará detalhes sobre suas unidades remanescentes na região Ásia-Pacífico.

A aquisição transformará a indústria de chapas plásticas norte-americana, através da combinação do líder em fabricação em acrílico com o líder na fabricação em policarbonato.

“Esta aquisição é transformadora para a Plaskolite e fortalece nossa posição de liderança no setor”, disse Mitchell Grindley, Presidente e CEO da Plaskolite. “Isso amplia nossa oferta e fortalece ainda mais nossas parcerias. A Plaskolite será o único fabricante a oferecer um portfólio completo de produtos de chapas transparentes, incluindo acrílico, policarbonato, PETG e ABS, o que é benéfíco para os nossos clientes, que agora podem usar uma única fonte para todas as suas necessidades de chapas. ”

Este será o segundo negócio que a Plaskolite adquire da Covestro. Em 2012, a Plaskolite comprou a linha norte-americana Vivak® de chapas de PETG da empresa.

O comunicado de hoje sucede o anúncio feito pela Plaskolite em 12 de fevereiro passado sobre a aquisição do Negócio de Chapas Acrílicas Fundidas Contínuas da Lucite International, Inc., que ampliou sua oferta de chapas de acrílico e viabilizou a entrada no negócio de chapas de spa e banho.

Fundada em 1950 em Columbus, Ohio, por Donald G. Dunn e sua família, a Plaskolite, LLC é a maior fabricante norte-americana de chapas termoplásticas transparentes. Os produtos personalizados da Plaskolite são utilizados em uma ampla variedade de aplicações, incluindo janelas, portas, iluminação, placas, displays de ponto de venda e produtos de banho. A Plaskolite atende a uma base diversificada de clientes, incluindo distribuidores, OEMs e varejistas. Em 2015, o Charlesbank Capital Partners tornou-se o primeiro investidor externo de equity capital na Plaskolite.

Com vendas de 14,1 bilhões de euros em 2017, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. As atividades de negócio estão focalizadas na fabricação de materiais poliméricos de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras. Os principais segmentos atendidos são os setores automotivo, de construção civil, processamento e móveis de madeira e os setores elétrico e eletrônico. Outros setores incluem esporte e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro possui 30 unidades de produção em todo o mundo e emprega aproximadamente 16.200 pessoas. A sede corporativa da empresa fica em Leverkusen, na Alemanha.

Fontes: Covestro e Plaskolite

Curta nossa página no

Avon escolhe copoliéster da Eastman para embalagem de cosméticos

22/03/2018

Transparência, brilho e resistência a impacto atraem as apaixonadas por make up

Na linguagem da maquiagem, fazer a pele é o passo mais importante para conquistar um look perfeito, seja ele glamoroso ou clean. Esses momentos podem ser comparados ao cuidado de um pintor que prepara o quadro para ser transformado em uma obra-prima.

Para acertar na escolha do produto, é preciso identificar a cor perfeita para a pele da mulher. A embalagem do produto é primordial na tomada de decisão. Por isso, para lançar o Corretivo Líquido Mark Avon, a Avon escolheu Eastar Eastman, um copoliéster de ácido tereftálico, ciclohexanodimetanol e ácido isoftalico (PCTA) que promove a transparência desejada em um frasco desse tipo de item de maquiagem.

Segundo a Eastman, o seu copoliéster Eastar oferece uma combinação única de propriedades (estéticas, químicas, confiabilidade de desempenho e economia) que proporciona solidez, resistência contra impacto e alto brilho.

A transparência e a escolha da cor

“A mulher brasileira adora maquiagem. A apresentação dos produtos também é um fator decisivo no ato da compra. A transparência de Eastar Eastman ajuda a aumentar a confiança da consumidora de que ela fez escolha mais acertada para seu tom de pele”, diz Ana Luísa Braido, Gerente de categoria de maquiagem da Avon.

O produto é um corretivo líquido de textura leve e cremosa, que ajuda a cobrir as imperfeições da pele e a harmonizar os tons com um resultado bem natural. Ele oferece alta cobertura e um perfeito acabamento uniforme, sendo ideal para disfarçar olheiras e imperfeições.

A embalagem foi escolhida para facilitar a visualização da cor e simplificar a aplicação. O pincel preciso facilita a dosagem e o acabamento do look. A embalagem proporciona a transparência e o brilho que agregam praticidade ao uso do produto de maquiagem.

“O Brasil é o quarto maior mercado de cosméticos do mundo e continua crescendo. Para nós, da Eastman, são inúmeras possibilidades. Nossos plásticos especiais são as melhores opções para dar forma às embalagens mais bonitas e práticas que esse universo pede”, comenta Rogério Dias, Gerente Regional de Venda de Plásticos para América Latina, da Eastman.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Termotécnica anuncia investimento de R$ 5 milhões em Petrolina (PE)

22/03/2018

Além do lançamento de novos produtos, diretoria anunciou – em encontro com clientes e parceiros – investimentos na ampliação da unidade de Petrolina (PE), que é focada no agronegócio

A Termotécnica reuniu cerca de 100 clientes e parceiros – entre eles grandes produtores de fruta da região do Vale de São Francisco, como os gestores da CAJ, Cappellaro e Special Fruit – em um encontro de negócios, em Petrolina (PE).

Albano Schmidt, presidente da empresa, anunciou o investimento de R$ 5 milhões na ampliação da unidade de negócio que a Termotécnica tem em Petrolina e o lançamento de novos modelos da conservadora DaColheita, item que representa a força motriz da empresa no segmento do agronegócio.

Segundo a Termotécnica, a empresa é a maior indústria transformadora de EPS da América Latina e líder no mercado brasileiro deste segmento. Na unidade de Petrolina, produz as conservadoras DaColheita que, entre outros benefícios, ampliam o tempo de prateleira, proporcionam menor perda de peso pela desidratação e mantém o teor vitamínico das frutas, verduras e legumes (FLVs) por mais tempo.

A empresa instalou sua unidade de negócio na região do Vale do São Francisco em 2010. A produção se iniciou com conservadoras específicas para uva que, em pouco tempo, se transformaram em um case de sucesso. A partir de 2018, manga, frutas de caroço e figo terão conservadoras DaColheita sob medida para suas necessidades. Aplicações para outras culturas já estão em estudo. No evento também foram lançados modelos da base de movimentação Upally, destinados ao transporte e armazenamento de FLVs, tanto para o mercado interno como para exportação via aérea. Esses pallets podem representar uma redução no peso de até 90% se comparados aos de madeira. A solução conjunta (conservadoras DaColheita e Upally) pode reduzir em até 30% o custo do frete aéreo.

Vilmar Cappellaro, proprietário da Cappellaro Fruits, afirma que em outros países a conservação de frutas em EPS já acontecia há mais tempo e, percebendo seus benefícios, reuniu um grupo de fruticultores brasileiros em busca de um parceiro que atendesse às necessidades daqui. Lembra que, ao procurar a Termotécnica, percebeu que a empresa tinha know-how e lançou o desafio. “A Termotécnica acreditou na nossa proposta e, com responsabilidade, colocou uma equipe completa à nossa disposição, que realizou o desenvolvimento técnico do produto e o estudo de sua viabilidade econômica”, ressalta. Satisfeito, Cappellaro valoriza o fato da conservadora DaColheita agregar valor à fruta e da Termotécnica trabalhar em parceria com os fruticultores, o que – segundo ele – motiva parceria e evolução em todos os aspectos.

Fábio Santos, da Rede Oba Hortifruti, destaca que a conservadora DaColheita contribui com a preocupação da Oba em oferecer ao consumidor produtos sempre impecáveis e com frescor. “A conservadora DaColheita é inovadora, eficaz no armazenamento e transporte de frutas. Também contribui no aspecto visual e é um produto reciclável. Percebemos que o consumidor aprovou, prova disto é que procura e utiliza essas embalagens pós-uso para transportar suas compras para casa”, ressalta.

“A expansão faz parte do nosso plano de negócio. Reunimos os especialistas da Termotécnica que, em parceria com produtores da região, trabalham no desenvolvimento de novos modelos DaColheita para outras culturas, de acordo com a necessidade do mercado”, destaca Albano Schmidt, presidente da Termotécnica. Ele também acrescenta que a ampliação vai gerar emprego e renda para a comunidade local.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Termotécnica

Curta nossa página no

Kömmerling leva parceiros à feira Fensterbau, na Alemanha

21/03/2018

Trata-se do principal evento mundial dedicado a soluções para janelas, portas e fachadas

Pertencente ao grupo alemão Profine, a Kömmerling, fabricante de sistemas e perfis de PVC, levará um grupo formado por 18 pessoas – entre parceiros fabricantes e profissionais da área comercial – para visitar a feira Fensterbau, que acontece de 21 a 24 de março, em Nuremberg, na Alemanha. Nela, será exibido o que há de mais inovador em termos de soluções para janelas, portas e fachadas. A exemplo de outras edições do evento, o stand do grupo Profine, com 1.512 metros quadrados, será o maior da feira, contemplando as marcas KBE, Trocal e a premium Kömmerling.

Além da cobertura do evento, a Kömmerling também programou uma visita às instalações da matriz, em Pirmasens. “Os parceiros terão a oportunidade de conhecer todo o processo de industrialização, bem como as novas tecnologias”, informa Tonia Lima, diretora da empresa.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Evonik promove novo núcleo de espuma de acrílico para aplicação em estrutura sanduíche de compósitos durante a JEC World em Paris

02/03/2018

Um novo desenvolvimento da Evonik Industries em tecnologia de materiais de núcleo faz sua estreia na JEC World 2018 em Paris. O novo integrante da família de produtos Performance Foam é o Rohacryl™ uma espuma estrutural baseada na química do acrílico, com alto potencial para aplicações em compósitos.

Segundo a Evonik, a espuma Rohacryl™ é uma solução de material de núcleo com excelentes propriedades mecânicas, além de apresentar estabilidade térmica e de ser leve, fácil de processar e ambientalmente amigável.

Esse produto é a mais nova solução em materiais da linha Performance Foams, um negócio que já conhecido por oferecer a espuma de alto desempenho Rohacell® PMI. Seus produtos para materiais de núcleo estrutural são empregados há mais de 40 anos em indústrias que incluem os setores aeroespacial, automotivo, eletrônico, de tecnologia médica, equipamentos esportivos e outros. Com o lançamento do RohacrylTM, a Evonik dá o próximo passo na expansão de seu portfólio de produtos para o mercado mundial de compósitos.

O que motivou o desenvolvimento inicial do Rohacryl™ foi a tendência na indústria de energia eólica por pás de turbina cada vez maiores e que precisam cumprir requisitos altamente exigentes. De maneira ideal, os materiais usados na produção de pás devem ser leves e ao mesmo tempo oferecer melhores propriedades mecânicas e, simultaneamente, a habilidade de continuar estáveis na cura a altas temperaturas. As diversas soluções em materiais disponíveis no mercado ou ofereciam boas propriedades mecânicas ou resistiam a altas temperaturas de cura, mas antes do lançamento da espuma Rohacryl™ nenhuma solução em material de núcleo podia oferecer as duas características em um único produto, afirma a Evonik. Outras indústrias com métodos de produção e necessidade de eficiência similares podem também achar o novo produto interessante para suas aplicações.

Uma amostra do Rohacryl™ será apresentada no estande da Evonik na feira (J40, hall 5). Representantes da empresa estarão presentes para compartilhar detalhes do produto e discutir se esta é a solução perfeita em material de núcleo para os clientes interessados.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Dow lança tecnologia para sapatos esportivos casuais na FIMEC 2018

02/03/2018

Tendência de consumo global que alia conforto e estética é inspiração para nova solução destinada aos fabricantes de solas e entressolas

Pelo 3º ano consecutivo, a Dow participa da FIMEC (Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Equipamentos e Máquinas para Calçados e Curtumes), de 6 a 8 de março, em Novo Hamburgo (RS), e apresenta um lançamento para o mercado de solas e entressolas. Segundo a Dow, o novo elastômero de poliuretano Enerlyte™ é um sistema de alto desempenho que permite a criação de calçados, ao mesmo tempo, leves, confortáveis, duráveis e esteticamente bonitos. A solução atende à tendência dos chamados sapatos “esportivos casuais”, expressão que se originou do inglês athleisure (junção de athletic e leisure) e que já tem como adeptos grandes marcas e estilistas no mundo todo.

Durante o evento, a companhia também promoverá suas soluções para calçados já conhecidas do mercado, Voralast™ GT, voltados à segurança, e o Voralast™ Soft Touch, para o público masculino. Além disso, reforçará sua parceria com a Agile, empresa do grupo italiano POZZI, especialista no setor. O trabalho conjunto tem como foco o desenvolvimento de sistemas de poliuretano para solas, entressolas e palmilhas. As companhias seguem confiantes no mercado, que registrou aumento das exportações e teve uma leve recuperação interna em 2017, e deve manter um ritmo positivo também em 2018.

As empresas estão destinando seus esforços aos segmentos de calçados casuais, casuais esportivos e de segurança, que têm um grande potencial de crescimento. Segundo a Dow, no setor de segurança, por exemplo, o seu VoralastTM GT é resistente à hidrólise, diferentemente das tradicionais soluções de poliuretano. No segmento casual, a Dow tem um amplo portfólio para atender as necessidades dos clientes.

Para isso, dentro do negócio de Poliuretano, a Dow conta com a divisão ComfortScience, que desenvolve inovações para proporcionar a experiência mais confortável possível ao consumidor final. “Conforto é fundamental para alcançar uma boa qualidade de vida e garantir a sensação de bem-estar”, comenta Nilton Manfrotti, executivo de vendas do negócio de Poliuretanos da Dow no Brasil.

“Estamos acompanhando de perto, com nossos clientes, os seus maiores desafios técnicos e operacionais, bem como suas aspirações à criação de sapatos. Contamos com a Dow como nosso parceiro tecnológico e seguimos preparados para atender às demandas, oferecendo soluções modernas, mais produtivas e melhor custo-benefício”, ressalta Edgard Mingoni, diretor da Agile.

Enerlyte™

De acordo com a Dow, o seu elastômero de poliuretano Enerlyte™ possui uma composição e morfologia particulares, superior aos sistemas de poliuretano tradicionais, que melhora o desempenho de solas e entressolas em calçados esportivos, de caminhada e casuais. Seu baixo peso reduz o cansaço em percursos de média e longa distância, além de contribuir com a durabilidade do produto final, já que tem boa adaptação aos pés, flexibilidade, resistência à tração, ao desgaste e à hidrólise, afirma a empresa. “A nova tecnologia também se destaca no sensorial, já que transmite a sensação natural de borracha e tem excelente amortecimento, inclusive em baixíssimas temperaturas (até -20ºC)”, ressalta Manfrotti.

Para os fabricantes e convertedores, o Enerlyte™ tem outras vantagens: supera o EVA e espumas padrão de PU em relação rebote e retorno de energia, oferecendo maior amortecimento e resistência, garante a Dow. A empresa também relata que o produto garante alta estabilidade dimensional, processamento mais fácil e melhor produtividade, o que aumenta a quantidade de sapatos acabados, garante a Dow.

Linha Voralast™

A Dow afirma que O Voralast™ GT é uma solução que se adapta a rigorosas condições de uso, trazendo mais desempenho, segurança e conforto, sendo por isso indicada para botas e calçados de segurança (EPI) já que possui resistência à hidrólise, além das resistências tradicionais do poliéster a hidrocarbonetos e ácidos. Isso resulta em um melhor desempenho funcional e mais economia, sem a utilização de aditivos de alto custo na produção. Possui mais aderência, tração em superfícies variadas e durabilidade, segundo a empresa. Devido ao conforto proporcionado pela tecnologia, é ideal para calçados usados por longos períodos do dia.

O Voralast™ Soft Touch oferece mais funcionalidade, com toque macio. Segundo a Dow, a combinação para formulações diferenciadas de polióis e pré-polímeros proporciona uma sensação agradável, similar ao toque macio da borracha, perfeitos para calçados sociais masculinos – que precisam de flexibilidade e conforto. Com boas propriedades mecânicas, tem memória de elasticidade, e baixa abrasão, além de oferecer resistência ao atrito. Sua formulação é inovadora, com composição à base de éter e livre de ftalatos (compostos nocivos à saúde e de complexa biodegradação), sendo 40% mais leve em comparação a materiais termoplásticos típicos e 25% mais leve que outras borrachas, assegura a empresa.

A linha Voralast™ conta ainda com soluções que oferecem leveza, resistência e conforto para a produção de sandálias, chinelos e sapatos femininos, além de esportivos.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

Braskem se une com produtores para o desenvolvimento de embalagens para exportação de frutas

01/03/2018

Parceria entre empresas brasileiras vai garantir mais qualidade e proteção ao mamão papaia

Para fortalecer suas vendas externas e aumentar sua rentabilidade, o grande desafio do fruticultor brasileiro é garantir a proteção e a conservação de seus produtos até que cheguem às mãos do consumidor. Atenta às demandas do agronegócio brasileiro, a Braskem desenvolveu, em parceria com clientes, uma nova solução em plástico exclusiva para o mercado de mamão papaia.

A petroquímica trabalhou junto com a Union of Growers of Brazilian Papaya (UGBP), empresa de produtores de Linhares (ES) – região conhecida como capital nacional da exportação de mamão. Juntas, as empresas desenvolveram uma embalagem mais segura e atrativa e o grande desafio foi encontrar um filme apropriado para a aplicação e que não prejudicasse a fruta. “A gente queria oferecer um ganho de qualidade ao consumidor e fixar a nossa marca. Para isso, conseguimos desenvolver juntos uma embalagem que atendesse a todos os requisitos”, afirma Rodrigo Martins, diretor da UGBP.

Agora, o mamão papaia é exportado para outros países envolvido em um filme de polietileno, que confere a qualidade, segurança e estética que os agricultores capixabas desejavam. Segundo Martins, a utilização do plástico pode reduzir alguns dos prejuízos mais comuns às frutas no mercado. Após diversos testes, constatou-se que a embalagem permite a maturação mais uniforme da fruta, garante a proteção contra contaminações e aumenta o tempo de exposição nas bancas em até quatro dias.

A nova embalagem já está disponível no Brasil e nos Estados Unidos – um dos principais consumidores de mamão papaia no mundo – nas versões individual e caixa. “A parceria com os produtores da UGBP foi muito produtiva e bem-sucedida. Nosso maior desafio foi alinhar a tecnologia da nossa resina com as demandas dos agricultores, sempre visando os desejos do consumidor em mercados tão diferentes, no Brasil e no exterior. Foi mais um teste bem sucedido para o portifólio da Braskem no setor de embalagens”, observa Albertoni Bloisi, responsável pela área de Desenvolvimento de Mercado na Braskem.

Com produção média de 600 toneladas de papaia por mês, a UGBP exporta para França, Alemanha, Itália, Holanda, Portugal, Polônia, Espanha, Inglaterra, Canadá e Estados Unidos. No mercado nacional, a organização vende para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Evonik inaugura nova fábrica para a produção de poliamida 12 em pó na Alemanha

23/02/2018

  • Unidade vai atender à alta demanda de mercados atraentes como: impressão 3-D e revestimento metálico
  • Investimento impulsiona a sua linha de crescimento “Smart Materials” e consolida aliderança da Evonik no mercado de poliamidas 12 especiais em pó
  • Valor investido se situa na faixa média dos dois dígitos de milhões de euros.

A Evonik Industries inaugurou mais uma linha de produção de poliamidas 12 (PA 12) especiais em pó, marca Vestosint®, em seu maior complexo industrial global, em Marl, na Alemanha. A nova unidade produzirá pós de alto desempenho sobretudo para o mercado de impressão 3-D, que está em franca expansão, com taxas de crescimento de dois dígitos.

“A poliamida 12 faz parte do nosso motor de crescimento estratégico, Smart Materials, que tem como objetivo o aumento do desempenho e da eficiência de produtos, com materiais aprimorados. Ampliamos de modo significativo a nossa unidade em Marl de poliamida 12 em pó, a fim de apoiar o desenvolvimento de tecnologias orientadas ao futuro, como a impressão 3-D, por meio de soluções inovadoras”, diz Harald Schwager, vice-presidente da Diretoria Executiva da Evonik Industries.

O volume do investimento na nova planta de Vestosint® se situa na faixa média de dois dígitos de milhões de Euros. Com a nova unidade, a Evonik aumenta em 50% a sua capacidade anual de produção de PA 12 em pó. A empresa de especialidades químicas fabrica seus pós de alto desempenho a partir da PA 12 granulada mediante a adoção de um processo exclusivo, em sua rede de produção integrada, para produtos de poliamida 12.

“A nova capacidade de produção nos permitirá desempenhar um papel de destaque ainda maior no crescimento global de mercados atraentes como as indústrias de revestimentos ou de impressão 3-D”, explica Claus Rettig, presidente da Diretoria Executiva da Evonik Resource Efficiency GmbH. “Além disso, podemos desenvolver novos pós poliméricos customizados com ainda mais rapidez e flexibilidade para apoiar o forte crescimento dos nossos clientes e, em consequência, do nosso negócio de poliamida 12 em pó”.

A Evonik comercializa o polímero de poliamida 12 em pó sob a marca Vestosint® para aplicação, por exemplo, no revestimento de utensílios domésticos metálicos, cestos de lavadoras de louça, na indústria automotiva ou em tecnologia médica. Além disso, há anos a Evonik desenvolve pós poliméricos especiais que permitem a produção industrial de componentes de alta tecnologia com impressão 3-D. O Vestosint® foi  otimizado para a tecnologia 3-D em termos de processamento e perfil de propriedades, afirma a Evonik

A Evonik desenvolve materiais customizados para aplicações com alto nível de exigência há mais de 50 anos. A empresa afirma ser líder global na produção de polímeros de poliamida 12, produtos de grande demanda em mercados altamente atraentes como as indústrias automotiva e de petróleo e gás, a área médica e o setor de materiais esportivos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Covestro mantém trajetória de crescimento rentável com ano recorde

20/02/2018

  • Vendas totais sobem 18,8% para 14,1 bilhões de euros
  • EBITDA cresce 70,6% para 3,4 bilhões de euros
  • Receita líquida mais que dobra para 2 bilhões de euros
  • Fluxo de caixa operacional livre recorde – 5 bilhões de euros até 2019
  • Dividendos propostos: 2,20 euros por ação
  • Previsão positiva para 2018

A fabricante de materiais Covestro teve um ano fiscal excepcional em 2017. Impulsionada pela alta demanda de plásticos de alto desempenho e por margens significativamente mais altas, a Covestro elevou as vendas totais em 18,8% para 14,1 bilhões de euros durante o último ano fiscal. A alta veio acompanhada de uma elevação no EBITDA do Grupo no ano todo de 70,6% para 3,4 bilhões de euros em relação ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida mais que dobrou, de 795 milhões para 2 bilhões de euros. Como fruto desses excelentes resultados, a Covestro pretende pagar dividendos aos seus acionistas no valor de 2,20 de euros por ação (contra 1,35 de euros no ano anterior).

“Alcançamos resultados impressionantes em 2017, superando significativamente nossas metas gerais”, afirma o CEO Patrick Thomas. “Em comparação com nosso primeiro ano como empresa independente, melhoramos visivelmente mais uma vez e demonstramos que nosso sucesso é sustentável. Há uma razão simples para isso: conseguimos desvendar ainda mais o potencial da Covestro. Agora estamos em posição fortalecida para acelerar ainda mais a geração de valor.”

No ano fiscal de 2017, a Covestro obteve resultados muito fortes: os volumes totais do Grupo subiram 3,4% sobre o período do ano anterior, em meio à utilização contínua de alta capacidade. O fluxo de caixa operacional livre (FOCF) da Covestro atingiu novo recorde ao subir para 1,8 bilhão de euros, o equivalente a 34,8% de alta em comparação a 2016. O retorno sobre o capital empregado (ROCE) foi de 33,4%, muito mais alto, portanto, que no ano anterior (14,2%).

Com a forte evolução, a Covestro espera atingir um fluxo de caixa operacional livre acumulado de 5 bilhões de euros dentro de três anos. A estimativa anunciada em 2017 era de cinco anos. Devido à alta entrada de caixa, o Conselho de Administração da Covestro decidiu, em outubro de 2017, recomprar ações próprias no valor de até 1,5 bilhão de euros ou até 10% do capital social. A recompra de ações começou em novembro de 2017, conforme planejado. Além disso, a dívida financeira líquida caiu 1,216 milhões de euros para 283 milhões em 2017 (ano anterior: 1,499 milhões de euros).

Sustentabilidade como motor de crescimento

Para 2018, a Covestro tem expectativa de crescimento sólido nas principais indústrias consumidoras, incluindo a indústria automotiva, de móveis e de construção e ainda a elétrica e eletrônica. Nessas indústrias, a Covestro considera, em especial, a tendência social de maior sustentabilidade como motor de crescimento. “Em cada vez mais indústrias, cresce progressivamente a procura dos clientes por soluções sustentáveis – e é exatamente isso que oferecemos. Estamos extremamente bem posicionados para aproveitar o potencial de crescimento excepcional nesses segmentos, com foco no futuro”, destaca Patrick Thomas. Ele ainda menciona áreas de crescimento como e-mobility, construção eficiente em energia e lâmpadas LED de baixo consumo energético.

Nos próximos anos, a Covestro pretende aumentar significativamente seus investimentos para continuar aproveitando as vantagens deste crescimento esperado nas principais indústrias consumidoras. Esses investimentos incluem todos os segmentos e regiões e devem superar o nível de depreciação. Além disso, a Covestro continua preparada para aproveitar oportunidades de aquisições que fortaleçam seu portfólio e gerem valor.

Digitalização e sustentabilidade como elementos-chaves da estratégia

A Covestro sempre teve a sustentabilidade como elemento essencial da sua estratégia. Reforçando esse compromisso, a Covestro incorporou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas (ONU) à sua estratégia. “A sustentabilidade é e continuará sendo um elemento-chave para a inovação”, explica o Dr. Markus Steilemann, Chief Commercial Officer e futuro CEO da Covestro. “Até 2025, pretendemos destinar 80% dos nossos investimentos em pesquisa e desenvolvimento a áreas que contribuam para os ODS.”

Steilemann vê a digitalização como outro motor da inovação: “Com nosso amplo programa, estamos aproveitando as oportunidades que a digitalização oferece, transformando-a em um foco central da nossa empresa. Como parte disso, estabeleceremos novos padrões de colaboração com nossos clientes.” Um exemplo disso é uma plataforma comercial digital que será lançada em breve e simplificará o acesso a produtos básicos, conectando os clientes com a Covestro e outros fornecedores. Até o final de 2019, a expectativa é que novos modelos de negócios digitais, como a plataforma comercial digital, gerem vendas acumuladas de até um bilhão de euros.

Tendência positiva deve se manter em 2018

Com base no crescimento estável previsto nas principais indústrias consumidoras e nos prognósticos econômicos atuais, a expectativa da Covestro é que sua evolução positiva se mantenha ao longo de 2018. A companhia prevê um crescimento de até meio dígito no volume total. A Covestro antecipa um fluxo de caixa operacional livre significativamente acima da média dos últimos três anos. Em 2018, a previsão é que o retorno sobre o capital empregado (ROCE) fique próximo do nível do ano anterior. Estima-se que o EBITDA se mantenha em patamar semelhante ao de 2017. Para o 1º trimestre de 2018, a Covestro prevê um EBITDA significativamente acima do nível do 1º trimestre de 2017.

Poliuretanos e Policarbonatos elevam rentabilidade

No segmento de Poliuretanos, a Covestro registrou volumes principais acima do ano anterior em todas as três regiões, com alta geral de 3,4%. Enquanto isso, o EBITDA cresceu 151,1% para 2,212 milhões de euros. Esse crescimento deveu-se, principalmente, às melhorias significativas nas margens nos grupos de produtos MDI e TDI. Além disso, o aumento no volume de vendas e os proventos da venda de uma casa de sistemas na América do Norte (39 mi €) e de um ressarcimento de seguro (35 mi €) também exerceram influência positiva. A decisão de continuar a produção em Tarragona, na Espanha, ainda ocasionou uma reversão de provisões (72 mi €).

Os volumes principais no segmento de Policarbonatos subiram 5%, também com contribuição das três regiões. O EBITDA do segmento cresceu 21,2% para 853 milhões de euros. A alta nos volumes principais e nos preços de venda teve efeito positivo sobre o lucro, enquanto as vendas foram impulsionadas principalmente pela demanda crescente nas indústrias automotiva, elétrica e eletrônica.

Em 2017 como um todo, os volumes principais no segmento Coatings, Adesivos e Especialidades praticamente não sofreram alterações (-0,3%), em meio a um ambiente competitivo desafiador. O EBITDA caiu 9,4% em relação ao número do ano anterior, para 453 milhões de euros. Em média, a elevação dos preços de venda não conseguiu compensar totalmente o aumento de custo das mercadorias vendidas.

Enquanto isso, foi iniciada a expansão da produção de dispersões de poliuretano em Dormagen (Alemanha) e Barcelona (Espanha) para atender à crescente demanda da indústria de revestimentos e adesivos. A Covestro também iniciou as operações de uma nova unidade de produção em Dormagen para filmes multicamadas de alta qualidade usados em cartões de segurança ou interiores automotivos.

4º trimestre de 2017 com novos resultados recordes

O 4º trimestre de 2017 foi o mais bem-sucedido na história da Covestro, que manteve o desempenho excepcional atingido ao longo do ano fiscal. As vendas totais do Grupo subiram 16,7% para 3,5 bilhões de euros no trimestre final, em comparação com o 4º trimestre de 2016, impulsionadas pela elevação nos preços e nos volumes de vendas. O EBITDA teve alta ainda mais acentuada de 390 milhões para 879 milhões de euros, atingindo mais do que o dobro do ano anterior. Com 566 milhões de euros, a receita líquida foi multiplicada várias vezes em relação ao 4º trimestre de 2016 (124 mi €). O fluxo de caixa operacional livre subiu 45,9% para 890 milhões de euros.

Com 14,1 bilhões de euros em vendas em 2017, a Covestro é um dos maiores produtores de polímeros do mundo. Suas atividades comerciais concentram-se na produção de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em muitas áreas da vida cotidiana. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, construção, processamento de madeira e móveis e as indústrias elétrica e eletrônica. Outros setores incluem esportes e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro tem cerca de 30 unidades produtivas no mundo todo e, no final de 2017, empregava aproximadamente 16,2 mil pessoas.

Fonte: Covestro

Curta nossa página no

Kömmerling apresenta alta de 15% nas vendas brasileiras em janeiro

20/02/2018

A sucursal brasileira da Kömmerling, empresa alemã que atua no segmento de perfis e sistemas para esquadrias de PVC, encerrou o mês de janeiro com um avanço de 15% das vendas, em comparação ao mesmo período do ano passado.

O resultado se deve a um ambiente econômico mais favorável no País.“Dedicamos todos os esforços para aprimorar nossas parcerias. Cerca de 70% dos nossos parceiros tiveram um crescimento superior a 60% em 2017”, afirma a diretora Tonia Lima,

A Kömmerling possui 30 parceiros fabricantes (sistemistas) e cinco pontos de vendas ativos (revendas) no País. A previsão, segundo Tonia Lima, é obter um incremento de 20% nos negócios em 2018. “Existe uma tendência de avanço do mercado para este ano, entretanto, o cenário político e econômico atual gera dúvidas quanto a esse suposto crescimento. O governo precisa voltar a investir na construção civil, através de medidas eficazes para que se tenha uma retomada do nosso setor”, avalia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Ensacamento em polipropileno controla pragas do tomate

15/02/2018

Técnica utiliza sacos de não-tecido para reduzir perdas nas lavouras

Produtores de tomate contam agora com uma nova alternativa para o controle da broca-pequena e da traça-do-tomateiro. Os sacos de não-tecido (TNT) Agrotex, produzidos pela Tntex Indústria e Comércio, protegem contra essas pragas que afetam os frutos do tomateiro durante seu crescimento. O não-tecido utilizado na fabricação dos sacos é produzido com polipropileno, matéria-prima fornecida pela Braskem, que tem como características a baixa absorção e retenção de água, essenciais para a aplicação,

O ensacamento de frutos é uma conhecida técnica de manejo mais sustentável das árvores frutíferas, mas a aplicação no tomateiro é novidade. Para ser possível, a Tntex e a Fitesa, líder na indústria de não-tecido, desenvolveram um produto adequado às necessidades das plantas de tomateiro, com gramatura diferenciada, resistência a intempéries e proteção solar e, ao mesmo tempo, permeável a oxigênio e água.

“Estudamos cada cultura para criar uma solução totalmente adequada. O nosso saco também tem como diferencial o fechamento com elástico, que dá facilidade e rapidez de instalação e melhor qualidade de aplicação. Até então não existia controle eficaz das pragas do tomate. Nosso produto tem 100% de eficácia”, afirma Mario Mezzedimi, diretor da Tntex.

“A cultura do tomate é muito importante no país e ocupa quase 60 mil hectares. Portanto, essa tecnologia sustentável vai beneficiar muitos agricultores e também consumidores”, diz Andre Prezenszky, engenheiro de Aplicação e Desenvolvimento de Mercado de PP.

Eficácia comprovada

Uma pesquisa realizada durante dois anos pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em lavouras de tomateiros na zona rural de Ubajara (CE) confirmou a eficácia do ensacamento dos frutos do tomateiro no combate às pragas que atacam diretamente os frutos. Os sacos de não-tecido devem ser colocados no momento da floração para que o cacho cresça dentro dele. No estudo, foi observado que o custo é 40,7% menor do que se fosse utilizado controle químico.

“Com a técnica, há uma redução da perda de frutos danificados pelo ataque das pragas. Se forem considerados apenas os inseticidas para controle de insetos que atacam os frutos, a redução é de 95 a 100%”, afirma o professor Patrik Luiz Pastori, da UFC.

Curta nossa página no

Evonik apresenta poliamida transparente para aplicações óticas

07/02/2018

Ao utilizar o seu Trogamid®, a Evonik pinta de “roxo” as armações de óculos – a cor do ano de 2018

Em 2018, o mundo da moda está “roxo”. Cada vez mais olhares têm se lançado a essa cor provocante desde que a American Pantone Color Institute indicou “ultravioleta” como a tendência de cor para o ano de 2018. Neste ano, a Evonik, seguindo as idéias inovadoras, apresentará o seu Trogamid® no evento MIDO Eyewear Show, em Milão (Itália), de 24 a 26 de fevereiro.  Segundo a empresa, a sua nova poliamida é permanentemente transparente, leve, resistente e de fácil pigmentação – não somente para a cor “roxa.”

O Trogamid® T5000, uma poliamida amorfa com transparência de 90%, constitui um material ideal para fabricantes de óculos, afirma a Evonik. Em comparação a outras poliamidas transparentes, garante a empresa, esse polímero apresenta um grau superior de recuperação e rigidez. Além disso, o material é especialmente adequado para a fabricação de armações finas ou de meio-aro, podendo reduzir significativamente o peso dos óculos sem afetar o desempenho do material. Tudo isso representa um maior conforto para o usuário.

Mais leve, mais resistente e mais eficiente

A leveza do design ganha uma importância particular na indústria ótica. Segundo a Evonik, a alta rigidez e resistência do Trogamid® T5000 permitem a produção de armações mais finas e mais leves. Além disso, o Trogamid® T5000 é mais resiliente do que armações convencionais, o que se traduz em mais liberdade para os designers.

Os consumidores, que costumavam ter o foco muito mais voltado para a estética, hoje em dia valorizam mais a qualidade e o desempenho do produto. E os fabricantes óticos avaliam criteriosamente as propriedades dos materiais nas suas escolhas. Segundo a Evonik, o Trogamid T5000® caracteriza-se pelo seu fácil processamento e propriedades de coloração, que reduzem o tempo e o custo na busca da eficiência máxima.

Parceria com a Hwa Mao Optical (Xiamen)

Essa aplicação foi desenvolvida e implementada como parte da colaboração entre a Evonik e a Hwa Mao Optical (Xiamen). A Hwa Mao Optical (Xiamen) Co., Ltd., fundada em 1996, é uma empresa especializada na fabricação de uma grande variedade de produtos para aplicações óticas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Inovações em EPS voltadas para o Agronegócio foram destaque na 35º Festa da Uva e VI Expo Vinhos, em Jundiaí (SP)

07/02/2018

Ampliar o tempo de prateleira da fruta, proporcionar menor perda de peso pela desidratação e manter o teor vitamínico por mais tempo. Segundo a Termotécnica, esses são alguns dos diferenciais das conservadoras DaColheita, embalagens para frutas, legumes e verduras (FLV), produzidas em EPS pela Termotécnica.

Toda a linha DaColheita esteve em destaque na 35ª Festa da Uva e a VI Expo Vinhos, ocorrida entre os dias 18 de janeiro a 4 de fevereiro, em Jundiaí (SP).

Segundo a Termotécnica, a linha DaColheita compreende embalagens que protegem e proporcionam o aumento da vida de prateleira de frutas, verduras e legumes (FLV) em até 45 dias na cadeia do frio. Afirma a empresa, que o seu uso também aumenta em cerca de 20% o tempo de exposição nas gôndolas dos estabelecimentos comerciais, quando comparado com outros tipos de embalagens.

Desde 2010, as conservadoras DaColheita são utilizadas no Vale do São Francisco, onde mais de 2/3 dos produtores são clientes desta solução. Com a expertise adquirida nessa parceria, a Termotécnica vem ampliando a cada ano a linha de produtos para atender a outras regiões e culturas de FLV; em São Paulo, os agricultores tem aderido também à tecnologia.

Evolução das embalagens FLV no Brasil

DaColheita acondiciona frutas em exposição e no concurso

Entre as atrações da 35ª Festa da Uva e VI Expo Vinhos, evento patrocinado pela marca DaColheita, destacam-se os tradicionais concursos. Os produtores participantes escolhem seus melhores exemplares que, acondicionados nas conservadoras DaColheita, são avaliados pelos jurados e premiados, ação que proporciona visibilidade às conservadoras junto ao público alvo.

A Termotécnica é a maior indústria transformadora de EPS da América Latina e líder no mercado brasileiro deste segmento. Produz soluções para Embalagens e Componentes, Conservação, Agronegócios,Cadeia de Frio, Movimentação de Cargas e Construção Civil. Fundada há 56 anos, tem matriz em Joinville (SC), com unidades de produtivas e de reciclagem em Manaus (AM), Petrolina (PE), Rio Claro (SP) e São José dos Pinhais (PR).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Termotécnica

Curta nossa página no

Empresa indiana Dewam & Sons cria novo dispenser de bebidas com copoliéster da Eastman

07/02/2018

A combinação de metal com o copoliester Tritan aprimora a aparência, desempenho e segurança

A Dewan & Sons, exportadora com sede na Índia, escolheu o copoliester Tritan™ da Eastman, para sua nova linha de dispensers de bebidas. O design em formato de cone combina metal com um container feito de Tritan, para criar um produto avançado, resistente e moderno. Os produtos são vendidos no Sams Club, Tablekraft e outras lojas de departamento.

“Os dispensers mais antigos eram feitos de vidro ou outros materias plásticos e nós recebíamos reclamações de quebras durante o transporte e o uso, e do aspecto embaçado gerado após a limpeza,” diz Surendar Gandhi, diretor da Dewan & Sons India. “Usando o Tritan foi possível satisfazer as necessidades do consumidor em termos de segurança, estética e de maior durabilidade do produto.”

Produzidos com Tritan, que é livre de BPA, os novos dispensers têm um ciclo de vida muito maior, afirma a Eastman. A resistência química e a transparência fazem com que eles mantenham a aparência límpida e não quebrem ou tenham seu aspecto original modificado após a limpeza do produto.

“O objetivo da Dewan & Sons é entregar o dispenser de melhor qualidade no mercado global”, afirma Gandhi. “Nós estamos usando Tritan em nossos produtos há mais de cinco anos e estamos satisfeitos em continuar a trabalhar com a Eastman para desenvolver produtos inovadores.”

A nova linha de dispenser em formato cônico foi lançada em setembro de 2017.

A Eastman é uma empresa global de materiais avançados e aditivos especiais que produz uma ampla gama de produtos para mercados finais, tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A Eastman atende clientes em mais de 100 países e, em 2016, obteve receitas de aproximadamente US $ 9,0 bilhões. A empresa está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA e, emprega, aproximadamente, 14.000 pessoas em todo o mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Evonik planeja linha adicional para a fabricação de compostos de PMMA nos EUA

16/01/2018

  • A expansão praticamente dobrará a capacidade de produzir compostos especiais para moldagem em Osceola, Arkansas (EUA)
  • A construção da nova linha para compostos começará no início de 2018, com conclusão e início das atividades previstos para o primeiro trimestre de 2019
  • A expansão da capacidade para compostos fortalece as redes de produção totalmente integradas de MMA/PMMA.

Neste começo de 2018, a Evonik dá início à construção de uma linha adicional para a produção de compostos de sua marca de PMMA Acrylite® no site de Osceola, Arkansas (EUA). A expansão deverá praticamente dobrar a capacidade de produção dos compostos especiais para moldagem da linha de negócios Methacrylates produzidos no local. A nova linha de compostos deverá ser concluída e inaugurada no primeiro trimestre de 2019.

“Essa expansão da capacidade para compósitos em Osceola é a próxima etapa lógica da Evonik no processo de implementar a sua estratégia global”, explica Siamak Djafarian, responsável pela linha de produtos Molding Compounds no segmento Performance Materials da Evonik. “Nós somos o único fabricante de PMMA do mundo a possuir redes de produção de MMA/PMMA totalmente integradas, com produção downstream dos compostos nas regiões das Américas, Europa e Ásia”, acrescenta Djafarian. A Evonik agora pretende ampliar esse ponto forte para poder oferecer compostos especiais para moldagem produzidos localmente em cada uma das três regiões.

“A expansão é uma resposta à crescente demanda pelo Acrylite®”, acrescenta Jack Chenault, responsável pelo segmento Performance Materials na região Americas da Evonik. “A demanda está em alta nos EUA e nos mercados em crescimento do México e da América do Sul, sobretudo para aplicação nos setores da construção, iluminação e automotivo, que requerem um sofisticado nível de qualidade”.

Segundo a Evonik, os seus compostos para moldagem Acrylite® apresentam desempenho convincente em todas as aplicações cujos requisitos primordiais são resistência à intempérie, solidez de cor, alto brilho e transparência, bem como dureza e resistência à abrasão. Em cooperação com especialistas da indústria do plástico e seus fornecedores, a linha de produtos Molding Compounds da Evonik desenvolve novos produtos Acrylite® para aplicações inovadoras.

A Evonik é fabricante mundial de produtos de PMMA comercializados sob a marca Plexiglas® e Pleximid® na Europa, na Ásia, na África e na Austrália, e sob a marca Acrylite® e Acrimyd nas Américas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Parceria entre Braskem, Martiplast e Leroy Merlin oferece ao mercado caixas organizadoras com plástico 100% reciclado

15/01/2018

Por meio da Plataforma Wecycle, 60 toneladas de material reciclado por ano poderão ser destinadas para venda exclusiva da Leroy Merlin

A Braskem se une às empresas Martiplast, do segmento de utilidades domésticas, e Leroy Merlin, uma das maiores redes de lojas para o mercado de material de construção, para oferecer aos consumidores caixas organizadoras feitas de plástico 100% reciclado. A parceria é mais uma iniciativa no âmbito da plataforma Wecycle, criada pela Braskem em 2015, que busca fomentar negócios que valorizem os resíduos plásticos ao longo de toda a cadeia produtiva, contribuindo com ações a favor da reciclagem, do pós-consumo e do meio ambiente.

Reunindo as pontas do setor, a Braskem fornecerá polipropileno reciclado à marca <Ou>, da Martiplast, que, aliando design e versatilidade, produzirá uma linha exclusiva de caixas organizadoras para venda nas 41 lojas e no e-commerce da Leroy Merlin no Brasil.

O PP reciclado da Braskem tem origem nos big bags anteriormente utilizados pela companhia para transporte e movimentação de suas resinas. A estimativa inicial é de uso de cerca de 60 toneladas de PP reciclado por ano para produção de caixas organizadoras de três diferentes tamanhos. Nas lojas, o produto poderá ser identificado pelo selo da Plataforma Wecycle e da Martiplast, informando sua origem a partir de plástico reciclado. Além das caixas, há a possibilidade de ampliar a parceria entre as marcas para a criação de outros produtos que ajudem na organização e decoração da casa.

“Acreditamos que o crescimento da reciclagem contribuirá ainda mais para o desenvolvimento e o crescimento da indústria do plástico. A parceria entre Braskem, Martiplast e Leroy Merlin é mais uma ação importante capaz de impactar outros players do mercado e conscientizar os consumidores”, afirma Fabiana Quiroga, diretora da área de Reciclagem & Plataforma Wecycle da Braskem.

O Grupo Martiplast, por meio da marca <Ou>, sempre teve como propósito levar inovação e praticidade às pessoas por meio de seus produtos. Por isso, o projeto da Plataforma Wecycle é tão importante para a empresa. “Nosso Grupo tem consciência que por meio dessa parceria podemos, sim, contribuir para um futuro ainda melhor, despertando a conscientização ambiental de quem compra, preservando a natureza, ajudando cooperativas de reciclagem e fazendo da inovação a ponte para um mundo mais desenvolvido e sustentável”, comenta Juarez Martini, diretor do Grupo Martiplast.

“A Leroy Merlin é uma empresa que tem em seu DNA a sustentabilidade e acredita nas ações que favorecem esta prática. Com isto, fazer uma parceria em que materiais reciclados se tornam peças úteis para o dia a dia do Cliente acaba se encaixando na filosofia que difundimos internamente. A Leroy Merlin incentiva e apoia iniciativas como esta, partindo da indústria”, comenta Adriano Galoro, diretor da Central de Compras da Leroy Merlin Brasil. A rede francesa Leroy Merlin chegou ao Brasil em 1998 e possui hoje 41 lojas distribuídas em dez estados brasileiros, mais o Distrito Federal, e uma Loja Virtual que atende a todos os estados do país.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

A trajetória de inovação em embalagens multicamadas para a indústria de alimentos

11/01/2018

Por Angels Domenech (*)

A demanda global por embalagens plásticas de alto desempenho continua a crescer e estar na vanguarda de avanços importantes que possibilitem o desenvolvimento de embalagens inovadoras e com novas funcionalidades, além de sustentáveis, é essencial. As soluções devem atender às principais exigências e tendências dos consumidores, entre as quais, embalagens capazes de manter os alimentos frescos por mais tempo, que sejam mais leves e resistentes e que ofereçam sistemas de abertura e fechamento rápido, características que garantem mais praticidade para o consumidor.

Um dos grandes desafios globais é melhorar a conservação dos alimentos para, com isso, atender ao crescimento estimado de 70% na demanda global por alimentos entre 2000 e 2050. Esse cenário tem levado a um aumento nas instalações de equipamentos de coextrusão de filmes de barreira e no uso de materiais com propriedades de barreira ao oxigênio a fim de ampliar o tempo de vida útil dos alimentos, minimizando os processos oxidativos. Entre os materiais de barreira tradicionais estão os copolímeros de etileno e álcool vinílico (EVOH), que oferecem barreira ao oxigênio; as poliamidas (PA), que se caracterizam por sua resistência à perfuração; e os politereftalatos de etileno (PET), que apresentam alta rigidez, além de características óticas que possibilitam embalagens diferenciadas por suas propriedades de brilho e transparência.

As embalagens também devem ser tratadas com base em um enfoque holístico que vai além da camada estrutural, ou seja, que considere os requisitos funcionais de todas as camadas que acompanham os materiais de barreira. Dessa forma, é fundamental oferecer soluções capazes de melhorar a qualidade dos produtos reciclados, independentemente de incluírem ou não materiais com propriedades de barreira e, com isso, contribuir para ampliar o valor funcional e sustentável das embalagens.

Entre as camadas que compõe as embalagens, estão

· Camada de selagem: no caso das embalagens com altas propriedades de barreira, se o selante não oferecer a hermeticidade adequada, há o risco de se perder totalmente a barreira e, consequentemente, o conteúdo.
· Camada de adesivo: as resinas tradicionais de barreira (EVOH, PA ou PET) contêm grupos polares, enquanto as outras camadas de filme (a de selagem, por exemplo) são compostas de material poliolefínico não polar, o que requer uma camada de adesivo para unir as camadas durante todo o ciclo de vida da embalagem.
· Camada de tenacidade: previne a perda de barreira resultante de rupturas durante o transporte e manipulação da embalagem. Essa camada, que geralmente tem como base uma poliolefina como, por exemplo, o polietileno, requer o uso de adesivos para se manter unida ao material de barreira.

Como mencionado, as embalagens contêm uma camada de selante que deve garantir sua hermeticidade e, consequentemente, uma melhor conservação dos alimentos. As resinas que garantem essa melhor conservação dos alimentos, amplamente utilizadas no setor de embalagens flexíveis com barreira, vêm demonstrando excelente eficácia de selagem contra os contaminantes presentes em alimentos tradicionais acondicionados em embalagens de barreira, como carnes, queijos e molhos, entre outros.

Para a camada de adesão em processos de coextrusão com materiais de barreira, existem soluções exclusivas para o mercado crescente de embalagens de barreira submetidas a tratamentos térmicos como, por exemplo, as embalagens para alimentos prontos. Entre as resinas, estão produtos que oferecem uma ótima adesão entre as camadas de barreira: por exemplo, entre EVOH ou PA e a camada subsequente da embalagem, geralmente à base de polipropileno para resistir ao tratamento térmico.

Para a camada de tenacidade, existem resinas que se destacam por seu excelente desempenho em termos de propriedades mecânicas e óticas. Neste ponto, as resinas que oferecem um equilíbrio inédito entre rigidez e resistência, facilidade de processamento e uso mais eficiente dos materiais sem prejuízo para as propriedades, possibilitam embalagens mais sustentáveis.

Em função do compromisso das empresas com a sustentabilidade e a demanda entre os consumidores por embalagens com menor impacto ambiental, torna-se cada vez mais imprescindível oferecer soluções que possibilitem a reciclagem, com perda mínimo de valor, tanto dos materiais de barreira (polares) quanto dos materiais poliolefínicos (não polares) presentes nas embalagens, o que é possível no caso do propileno e do polietileno.

Dadas as vantagens claras que oferecem, o uso das embalagens de barreira deverá continuar a crescer, razão pela qual torna-se cada vez mais necessário gerenciar soluções que facilitem a reciclagem dos filmes de barreira pós-consumo sem comprometer seu desempenho ou estética.

Para que esses filmes de barreira pós-consumo possam ser reciclados, é necessário uma boa compatibilidade entre os materiais de barreira e os outros materiais. Compatibilizantes que apresentam alta reatividade e viscosidade ultrabaixa. A viscosidade facilita a dispersão de uma maneira uniforme na matriz poliolefínica e a reatividade faz com que as resinas de barreira polares, como EVOH ou PA, fiquem encapsuladas, rodeadas pelo compatibilizante, que atua como um surfactante. Os benefícios oferecidos por essa nova tecnologia vão além da sustentabilidade: é possível reutilizar os resíduos dos materiais de barreira gerados durante a conversão das embalagens nas próprias embalagens.

Testes têm demonstrado que os novos filmes fabricados com os compatibilizantes que apresentam alta reatividade e viscosidade ultrabaixa mantêm a mesma transparência que a do filme de controle e que a resistência ao impacto é mantida ou melhorada. Estes compatibilizantes oferecem a possibilidade de se utilizar os resíduos dos filmes de barreira para substituir parte do polietileno, garantindo, assim, melhor aproveitamento dos produtos reciclados.

Assim, é fundamental trabalhar em conjunto com todos os participantes da cadeia de valor de embalagens e liderar o desenvolvimento de produtos e soluções integradas para as embalagens para alimentos, tratando de um dos problemas mais urgentes da nossa sociedade: a redução do desperdício de alimentos.

(*) Angels Domenech é diretora de Pesquisa & Desenvolvimento para Embalagens & Plásticos de Especialidades da Dow para a América Latina.

Curta nossa página no

Kommerling registra crescimento de 20% nas vendas no Brasil em 2017

10/01/2018

Administrando negócios globais da ordem de 600 milhões de euros, a multinacional alemã Kommerling – um dos players no setor de perfis e sistemas para esquadrias de PVC- fechou o ano contabilizando um avanço de 20% nas vendas no mercado brasileiro. “Conquistamos este resultado, mesmo impactados por um ambiente de desaceleração econômica”, comemora a diretora geral, Tonia Lima.

Ela atribui este crescimento à expansão para novos mercados, como o nordestino e o Centro Oeste, bem como a demandas para obras residenciais de alto padrão e obras verticais que contemplam a norma de desempenho NBR 15575.

Mercado em ascensão – O setor brasileiro de esquadrias de PVC movimenta cifras da ordem de R$ 1 bilhão/ano, respondendo, atualmente, por 3% do mercado geral, contra 45% do aço, 30% da madeira e 22% do alumínio.

“Temos um front enorme para crescer”, sobretudo em nichos como hoteis, fachadas de edifícios e obras no litoral, , diz, confiante, Tonia Lima.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Evonik realinha negócios de metilmetacrilato

09/01/2018

  • Foco em clientes e processos eficientes
  • Disponibilidade global em alta qualidade

Seja em revestimentos e adesivos duráveis ou em plásticos de alta transparência, os monômeros de metacrilato integram muitos produtos e aplicações do dia a dia. “Os metacrilatos são os ‘especialistas’ versáteis entre os monômeros”, diz Hans-Peter Hauck, diretor da linha de negócios Methacrylates da Evonik. “Como um dos principais fornecedores, nós oferecemos ampla variedade de monômeros de metacrilato para diversos setores industriais sob a marca VISIOMER.

Foco no benefício para os clientes

Desde abril de 2016, a linha de negócios Methacrylates se divide em três linhas de produtos. Enquanto a linha de produtos Bulk Monomers, com seus monômeros de grandes volumes, como o MMA, segue uma estratégia focada em eficiência de custos e confiabilidade, a linha de produtos Application Monomers, com seus diferentes monômeros especiais, se posiciona como fornecedora de sistemas. O terceiro integrante da série são os compostos para moldagem de PMMA, agrupados na linha de produtos Molding Compounds e comercializados sob a marca Acrylite. Esses produtos específicos respondem por uma parcela importante da cadeia de valor dos metacrilatos. “Com essa divisão, podemos nos concentrar de maneira ainda mais efetiva nas necessidades individuais dos nossos clientes, contribuindo para a configuração de seus negócios e estabelecendo padrões em nossos mercados”, afirma Hauck.

O produto mais importante da linha de negócios em termos de volume é o metilmetacrilato (MMA). Entre outras aplicações, ele é usado na fabricação de polimetilmetacrilato (PMMA) ultratransparente, que a Evonik comercializa sob a marca Acrylite e é empregado como componente importante em resinas para tintas e revestimentos. “Nós somos um fabricante de MMA com mais de 80 anos de tradição e o know-how correspondente, o que também se reflete na qualidade dos nossos produtos”, declara Hans-Detlef Luginsland, diretor da linha de produtos Bulk Monomers.

“Além de tradição, a configuração inteligente do modelo de negócio é um componente importante na unidade recentemente reestruturada. Atualmente, nosso foco se concentra especialmente na transformação digital dos processos de negócio na cadeia de fornecimento, nos serviços aos clientes e no planejamento da produção”, continua Luginsland. “Os mercados dos nossos clientes estão se transformando com rapidez. Como o segundo maior fabricante mundial de MMA, nós queremos apoiar esses clientes em seu desenvolvimento, o que exige agilidade gerencial e processos orientados ao futuro. Além de preservar os relacionamentos de longa data com os clientes, a linha de negócios se concentra cada vez mais nos principais clientes e nas regiões essenciais, o que contribuirá para o fortalecimento do nosso negócio no longo prazo.

A linha de produtos Bulk Monomers produz em quatro plantas em três continentes (China, Alemanha e Estados Unidos) e está representada em países importantes no mundo inteiro. “Essa estrutura nos permite servir os nossos clientes globais e regionais com alto nível de segurança de fornecimento e serviços regionais”, acrescenta Luginsland.

“Nossos contínuos investimentos em segurança e na melhoria da eficiência de todas as nossas unidades de produção formam a espinha dorsal de uma rede de produção integrada de metacrilatos e garantem a nossa competitividade no futuro”. Além disso, nossa cadeia fornecimento eficiente e confiável assegura a entrega pontual dos produtos”, ele explica.

Situação das entregas

A demanda por MMA continua alta. Em 2017 também se observou um crescimento sólido, acima do PIB. No entanto, no primeiro semestre do ano, diversas interrupções planejadas e não planejadas ocasionaram uma escassez nas cadeias de fornecimento em todas as regiões, afetando também a Evonik. “Esse gargalo que se observa desde o início do ano e os estoques reduzidos representam um desafio para todos os clientes e fornecedores”, diz Luginsland. Uma análise interna mostra que também no segundo semestre- e para além dele – são esperados uma demanda consistentemente alta e um alto nível de utilização das capacidades. “Estamos nos preparando para isso”, enfatiza Luginsland.

Essa é mais uma das razões pelas quais a linha de negócios Methacrylates trabalha continuamente para melhorar as suas principais tecnologias. “Nossa prioridade máxima é o aumento dos rendimentos e a redução do consumo de matérias-primas e energia”, explica Hans-Peter Hauck. “Em última análise, esses projetos nos permitirão melhorar continuamente tanto a disponibilidade do sistema quanto o volume de produção a fim de acompanhar a crescente demanda regional dentro da cadeia de fabricação integrada existente”.

A Evonik Industries é fabricante mundial de produtos de PMMA comercializados sob a marca Plexiglas na Europa, na Ásia, na África e na Austrália, e sob a marca Acrylite nas Américas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no