Archive for the ‘Processamento’ Category

Controle de Processo ou de Produto ?

28/08/2020

Por Bill Tobin *

O Covid-19 causou danos à indústria de injeção de plásticos. No entanto, à medida que as restrições diminuam, a indústria vai voltar à plena carga. Não está sendo e não será rápido; será gradual.

Aquelas empresas que conseguirem sobreviver ao momento atual enfrentarão alguns desafios: Seus clientes estão com pouco dinheiro e vão querer o produto AGORA, EM QUANTIDADE, POR MENOS DINHEIRO e PERFEITO. Uma vez que aproximadamente 80% do preço de venda das peças corresponde ao material, os transformadores têm que lucrar com o que sobra. Isso significa otimização de ciclos, rendimentos e utilização da máquina.

As publicações comerciais estão inundadas de gadgets. A tecnologia evoluiu para um ponto em que podemos medir tudo o que acontece com o plástico, desde a sua entrada no funil até o momento da colocação na caixa de embalagem das peças. O que está faltando é feedback. O feedback lhe dirá quando algo deu errado, mas não pode corrigir o erro com precisão durante o ciclo de processo (“on the fly”) ou evitar que o erro aconteça em primeiro lugar !

“A” regra de moldagem é simples: “Mostre ao plástico as mesmas condições e você obterá sempre a mesma peça.” Isso é o que os gadgets tentam fazer, mas os transformadores tendem a não notar os fatos básicos:

1. As características de preenchimento do seu molde estão balanceadas? O preenchimento desbalanceado lhe dará diferentes dimensões e características físicas na cavidade desbalanceada. Os designers passam semanas modelando as características de preenchimento da peça. No entanto, em um molde de múltiplas cavidades, eles gastam pouco ou nenhum tempo vendo o sistema de canais como uma peça e aplicando a eles a mesma tecnologia de modelo de preenchimento. Há ofertas no mercado que cobrarão vários milhares de dólares para equilibrar o seu sistema de canais para você. O QUE?! Faça você mesmo ao projetar o molde.

Para verificar se o molde está balanceado, pese cada peça por cavidade. Se as peças forem pequenas, talvez 10 peças por cavidade. Calcule a média geral e depois observe a diferença de peso de cada cavidade em relação a essa média. Se for mais de 5%, ou a cavidade está sendo sobre-compactada e provavelmente a peça fica presa com frequência (a peça é mais pesada), ou então esta é a peça que frequentemente fica incompleta (todas as outras cavidades são preenchidas e recalcadas) e o ponto de injeção ou é pequeno demais e congela prematuramente, ou excessivamente grande e sofre despressurização quando a pressão da recalque é retirada.Isso pode ser corrigido usando insertos no ponto de injeção e ajustando o tamanho da entrada.

2. O resfriamento (A) é adequado ? (B) balanceado para cada cavidade ou porção do molde ? (C) turbulento ou laminar para cada circuito ? Os modelos de simulação assumem “resfriamento perfeito”. Pena que quase nunca é assim.

(A) Resfriamento adequado quer dizer que tudo é resfriado uniformemente. EXPERIMENTO MENTAL: Você coloca uma válvula em “Y” na torneira de seu jardim. Você rega o jardim da frente da casa com uma mangueira de 10 metros de comprimento e usa uma mangueira de 50 metros, conectada na mesma torneira, para irrigar a horta do quintal no fundo da casa. Ambas têm o mesmo tipo de sprinkler. Quando você vai olhar, o sprinkler do jardim da frente está fluindo alto, mas o sprinkler do quintal está com um fluxo bem menor. Isso ocorre por causa da resistência da mangueira (linha de água). A água seguirá o caminho mais fácil. A mangueira do jardim da frente é menor e oferece menos resistência, de modo que a maior parte da água flui por ela. Ao pensar em circuitos em loop no molde, leve em consideração a resistência ao fluxo. Loops em circuitos de água curtos provavelmente são OK. Circuitos em loop com borbulhadores ou defletores (chicanas) ou circuitos longos oferecem muita resistência interna e NÃO devem ser colocados em loop.

Problema: mas você diz “Espere aí !!!” Eu configurei um sistema perfeitamente balanceado e os técnicos o conectaram de maneira diferente.
Solução: ao comprar o molde, compre um manifold junto. Conecte os circuitos de acordo com suas especificações e deixe-os conectados. Você obtém o benefício adicional de fazer apenas uma conexão do tipo mangueira de incêndio grande à máquina.

(B/C) OK, temos uma fonte de pressão e várias linhas com diferentes resistências, fornecendo diferentes vazões. Compre um medidor de temperatura / pressão / vazão. Conecte-o em cada linha e registre a vazão. Usando a válvula (do seu manifold) da linha de vazão mais alta, reduza o fluxo. Você vai notar que as linhas com fluxo mais restrito têm um aumento na vazão. Cada linha deve ter pelo menos 1,5 GPM. Isso garantirá um fluxo turbulento e, portanto, uma ótima eficiência de resfriamento. Se você não conseguir alcançar 1,5 GPM, precisará reorganizar sua estratégia de loop ou colocar uma bomba de reforço na máquina.

Seu manifold normalmente pode acomodar mais linhas do que o que você precisa. Assim, cada circuito tem uma válvula que permite o seu ajuste ou bloqueio. Depois que todo o sistema estiver balanceado e turbulento, agora é só uma questão de impedir que as válvulas possam ser “reajustadas”:  tire as alças e dobre o mecanismo de controle no manifold. Agora ninguém pode fazer reajustes. Embora possa ter levado uma tarde para fazer isso, você só precisa fazer uma vez.

3. Seja com moldes de uma única cavidade ou com moldes de cavidades múltiplas, qualquer técnico lhe dirá que quando um molde está em uma máquina diferente, eles precisam ajustar as condições para fazê-lo funcionar naquela máquina e, mesmo assim, os tempos de ciclo e as taxas de produção tendem a ser diferentes. Mostrar ao plástico a “mesma coisa” é um processo delicado. (A) A máquina deve ser robusta, ou seja, precisa e repetível. (B) O plástico deve entrar no molde na máquina ‘1’ da mesma forma que na máquina ‘2’.

A) Máquinas “robustas” são quase obrigatórias no mercado atual. Uma máquina nova (com menos de 1.000 horas) por si só já deve ser robusta. Conforme envelhecem, elas começam a relaxar pelo uso normal. Rod Groleau da RJG desenvolveu um teste através de uma planilha simples para determinar o quão robusta é sua máquina. Você faz 10 injeções normais dentro de um molde, registrando as pressões e os tempos de preenchimento. Então, você constrói uma bucha do molde “fake” que possa ser colocada na frente da bucha de entrada do molde, de modo que, ao invés de injetar no molde, ela tem uma fenda ou orifício que lhe permite injetar “no ar”, como se você estivesse purgando. Anote o tempo e as pressões das ‘injeções no ar’. É importante que a máquina conclua todo o ciclo de preenchimento / recalque / resfriamento / abertura / fechamento do molde antes de você fazer a próxima injeção “no ar”.

A planilha fará alguns cálculos e lhe dirá a “robustez” da sua máquina, classificando-a percentualmente ao comparar as duas séries de ciclos de injeção. Se o resultado for 95% ou mais, trata-se de uma máquina “robusta”; 90-95% é uma máquina boa o suficiente para moldagem comercial e 90% ou menos é uma máquina que requer manutenção.

(B.1) Quando você implementa a metodologia de “moldagem científica” (ou desacoplada), todos essas sistemáticas exigem que você mostre ao plástico um conjunto de condições através do uso de configurações da máquina. O que as pessoas tendem a ignorar é o bico de injeção. Normalmente, a única coisa que elas pensam é se o raio do bico é compatível com a bucha de entrada do molde.

Pense em um bico de mangueira de jardim: com uma pequena abertura, a velocidade de saída do bico é rápida para uma determinada vazão, com bastante pressão. Para a mesmo vazão, uma abertura maior na extremidade do bico faz com que a saída da água pareça mais lenta. Fazendo uma analogia com o preenchimento de um molde, as mudanças no diâmetro do bico afetarão dramaticamente as características de preenchimento, dimensões, propriedades físicas e tempo de congelamento do canal da bucha.

Se você não puder padronizar o diâmetro do orifício, afunilamento etc. do bico em todas as suas máquinas, remova o bico ao retirar o molde e guarde-o para a próxima vez em que o molde for operar novamente.

(B.2) 80% do calor no material fundido vem da rosca. FATO ENGRAÇADO 1: Embora gostemos de acreditar que uma rosca de uso geral tem o mesmo design para máquinas de tonelagem semelhante, independentemente do fabricante, elas não tem. Cada fabricante de máquina ‘otimizou’ seu design de rosca para suas máquinas. A única solução para esse fato da vida é comprar suas máquinas do mesmo fabricante. Especificando a rosca e a válvula antirretorno. Embora isso não seja um grande problema, tenha isso em mente.

(B.3) As resistências de aquecimento invariavelmente queimam. FATO ENGRAÇADO 2: A fabricação de resistências é parte ciência e parte mágica. Quando 100 resistências de seis polegadas de diâmetro e 1000 watts por polegada quadrada são fabricados, eles são todos testados com seus exatos watts por polegada quadrada. Dos 1000 watts por polegada quadrada que é o valor de especificação, alguns estão dentro dos 5%, 10%, 15% e assim por diante.

Quando você compra resistências de 1000 watts, se você não especificá-los exatamente, você poderá obter um lote de +/- 15%, o que significa que eles poderiam enviar a você um aquecedor de 850 ou 1150 watts, chamando-os de 1000 watts. Um aquecedor de baixa potência permanecerá ligado o tempo todo buscando atingir a temperatura; um aquecedor de potência maior tenderá a permanecer desligado, a menos que você esteja usando controladores proporcionais.

Embora as resistências de aquecimento supostamente contribuam com somente 20% do calor geral no material, elas darão diferentes perfis de temperatura ao material a ser injetado, se as resistências de aquecimento do cilindro de injeção tiverem uma mistura de potências (wattagens) maiores e menores (+/-).

Solução? Compre aquecedores “igualados”. Todos os aquecedores devem ser testados, de modo que as suas potências absolutas (em Watts) sejam razoavelmente próximas umas das outras. Não importa de que lado da tolerância eles estão, o que importa realmente é que estejam próximos um do outro, eliminando assim um aquecedor que pode brilhar no escuro ou nem mesmo ligar.

Conclusão:

Muita gente fica contente com rendimentos onde a taxa de rejeitos é medida em percentuais que acabam na primeira casa decimal. Por exemplo, um rendimento de 99,3% –  indicando que há 7 peças rejeitadas para cada 1.000 (mil) peças moldadas. Se você tiver equipamento robusto, canais de injeção balanceados, cavitação balanceada, resfriamento otimizado e um processo sólido, as regulagens e partidas da máquina serão mais rápidas e os rendimentos serão medidos percentuais que variam na SEGUNDA casa decimal (por exemplo, 99,97%), indicando que para cada 10.000 (dez mil) peças moldadas, 3 serão rejeitadas. Os lucros serão maximizados. Nada disso é difícil. Se o seu cliente ameaçar realocar o molde, tire o manifold, remova as mangueiras, guarde o bico da máquina e certifique-se de manter bons registros. Espere então ele telefonar implorando para que você aceite o contrato novamente, pois o novo fornecedor terá mais rejeitos, ciclos mais longos e maiores tempos de regulagem.

Um pouco de história (interessante)

A Tupperware, nos anos 50, descobriu como fazer Controle do Produto melhorando a consistência do processo, mostrando ao plástico sempre as mesmas condições. Qualquer combinação de vasilha plástica / tampa fabricada em QUALQUER uma de suas mais de 13 fábricas ao redor do mundo se encaixariam, gerando uma selagem hermética – sua marca registrada.

FATO: Isso ocorreu antes dos transdutores, sensores e outras magias eletrônicas.
MORAL: Se você cuidar do seu equipamento, uma vez que tenha o processo ajustado, poderá repetir o mesmo processo em qualquer lugar da sua fábrica ou em qualquer lugar do mundo, sem precisar de qualquer “magia de gadgets“.

* Bill Tobin é o proprietário da empresa de consultoria WJT Associates, com sede no Colorado (EUA), especializada em otimização e padronização de processos. Ele escreveu vários livros e artigos em periódicos do setor, além de ter apresentado inúmeros trabalhos em eventos. Bill também ministra seminários in-house sobre o assunto.

Nota do autor: se você quiser o aplicativo em planilhas para Máquinas Robustas e Cavidades Balanceadas, podem ser enviadas por e-mail gratuitamente. Contato: info@blogdoplastico.com.br

Curta nossa página no

Laboratório de peletização e material fundido da Nordson na Carolina do Norte (EUA) atenderá clientes em todas as regiões das Américas

28/04/2020

O novo laboratório para sistemas BKG é um recurso para demonstrações de produtos, execução de testes, treinamento de operadores e desenvolvimento de processos em escala-piloto.

A cerimônia de corte da fita inaugural realizada pela Nordson Corporation marcou em 26/02/2020 o início de operações de um laboratório de processos amplamente equipado para atender ao mercado das Américas com sistemas de peletização e equipamentos de material fundido.

O novo laboratório, instalado em uma unidade da Nordson em Hickory, na Carolina do Norte, conta com uma linha de peletização com capacidade de produção de até 450 kg/h (1.000 lb/h). A linha inclui extrusora de rosca dupla, peletizadora BKG, sistema de processo de autolimpeza por água e secagem de pellets Optigon™ e limpador de alta pressão para remover resíduos de polímero das matrizes. As peletizadoras de anel de água e corte submerso estão disponíveis para teste. Os componentes de material fundido incluem três troca-telas HiCon (nos tipos de retrolavagem, contínuo e descontínuo), uma bomba de engrenagem BlueFlow e uma válvula de desvio HyFlex. Para avaliar os materiais em processamento, a unidade também oferece análise reológica.

“O novo centro técnico da BKG é o exemplo mais recente do compromisso global da Nordson em atender às necessidades de clientes e futuros clientes com laboratórios locais de tecnologia de ponta”, disse Kevin Tuttle, diretor de negócios para as Américas. “A mudança faz parte da estratégia geral de nossa empresa para o crescimento dos negócios e nosso investimento contínuo nos negócios da BKG America.”

O laboratório permite que clientes atuais e potenciais vejam os sistemas BKG em operação para comparação com produtos concorrentes, avaliem novas formulações, realizem o desenvolvimento de aplicações e treinem operadores de equipamentos.

“O novo laboratório de BKG da Nordson em Hickory permite que clientes atuais e potenciais realizem o desenvolvimento de aplicações e testes sem sacrificar a produtividade de suas próprias fábricas”, explica Merritt Christian, gerente de desenvolvimento de mercado. “O uso do laboratório está disponível para locação, e os processadores podem testar novas tecnologias com extrema confidencialidade. Se necessário, a Nordson assina um contrato de não divulgação.”

A Nordson opera laboratórios de processos na Europa, nos Estados Unidos e na Ásia, incluindo laboratórios de BKG em Münster, na Alemanha, em Xangai, na China, e em Chonburi, na Tailândia. “O novo laboratório de BKG em Hickory é o primeiro da Nordson nas Américas e apoia o rápido crescimento de nossos sistemas de peletização e material fundido nessa região”, relata Tuttle.

A Nordson Polymer Processing Systems fornece aos clientes componentes projetados para fundir, homogeneizar, filtrar, dosar e dar forma a plásticos e materiais de revestimento fluido. A Nordson fornece uma ampla gama de produtos de precisão de fluxo fundido — desde parafusos e cilindros para extrusão e molde para injeção a sistemas de filtragem, bombas e válvulas — para as matrizes de extrusão e sistemas de peletização a fim de atender às necessidades em constante evolução da indústria de polímeros. A Nordson Corporation fornece aos clientes recursos como vendas técnicas, serviços e reformas locais por meio de organizações de venda e fábricas regionais em mais de 30 países.

Curta nossa página no

Mecalor expõe chillers compactos na Expo Guadalajara

18/03/2020

A Mecalor levou para a Expo Guadalajara, prestigiada feira do setor de plástico no México, um conjunto de equipamentos de ponta para atender aos fabricantes de máquinas de injeção da indústria de transformação. O evento mobilizou grandes empresas do segmento na região, importante centro industrial mexicano.

Há um ano com atuação própria no México, a empresa vem cumprindo suas metas comerciais e já está presente em todo o país, com um time de vendas e pós-vendas, além de estoque próprio para atender à demanda do setor por chillers. A indústria da transformação de plástico é o principal segmento da Mecalor nessa primeira fase de expansão no México.

“A participação em feiras como a Expo Guadalajara é fundamental para a divulgação da marca no mercado mexicano. Ainda mais nessa região, onde estamos iniciando as vendas dos nossos chillers”, afirmou Flávio Pereira, gerente de exportação da Mecalor. A empresa é líder no Brasil em soluções de engenharia térmica e fabrica chillers e outros equipamentos periféricos para a indústria de plástico.

Na Expo Guadalajara foram mostrados modelos compactos de equipamentos para o mercado de injeção: Termochiller DUO, Termorregulador e um chiller pequeno, além do DryCooler. “Esses chillers têm uma boa receptividade pelo mercado local”, comenta Pereira. O Drycooler é uma máquina da linha de água industrial sustentável, com menos consumo energético e de água.

O México é estratégico no projeto de expansão da Mecalor no mercado internacional, em especial na América Latina. Embora o cenário internacional ainda seja de retração econômica, a empresa manteve suas metas nesse primeiro ano, o que abre possibilidade para a fabricação local e vendas no mercado dos Estados Unidos.

Curta nossa página no

Nordson promove Alberto Miranda para o cargo de Gerente de Vendas Regional da América do Sul para os produtos BKG e Xaloy

09/01/2020

A Nordson Corporation nomeou Alberto E. Miranda para o cargo de gerente de vendas regional da América do Sul de suas marcas BKG e Xaloy. Neste cargo, ele será responsável pelas vendas de sistemas de peletização BKG; produtos de entrega de material fundido da BKG, inclusive equipamento de filtragem de materiais fundidos e bombas de engrenagem; e equipamentos de plastificação Xaloy, incluindo roscas, cilindros e componentes de anteparo para moldagem por injeção e extrusão. Ele supervisionará oito representações de vendas e serviços na região.

Recentemente, a Nordson concluiu a construção de um novo hub nas Américas, para os produtos Xaloy, em Austintown, Ohio, e um novo laboratório em Hickory, Carolina do Norte, para peletizadores BKG e componentes de entrega de material fundido.

“Alberto traz para seu novo cargo oito anos de experiência na Nordson, concentrando-se em aplicações de extrusão e moldagem por injeção”, disse Rob Cook, gerente de vendas de processadores para as Américas. “Agora ele aproveitará os recursos de produção, vendas e suporte recém-expandidos da Nordson, para atender clientes na América do Sul.

Alberto iniciou sua carreira industrial em 2008, como engenheiro adjunto da Cernica Engineering, Inc. Em 2011, ingressou na Xaloy Inc. (adquirida pela Nordson no ano seguinte) como associado de vendas interno, gerenciando contas da América Latina.

Alberto Miranda é bacharel em Ciências Aplicadas pela Youngstown State University, em Ohio e é fluente em espanhol e inglês.

Fundada em 1954 e com sede em Westlake, Ohio, EUA, a Nordson Corporation tem operações e escritórios de suporte em mais de 30 países. A Nordson Polymer Processing Systems fornece aos clientes componentes projetados para fundir, homogeneizar, filtrar, medir e dar forma a plásticos e materiais de revestimento fluído. A Nordson fornece uma ampla gama de produtos de precisão de fluxo fundido — desde roscas e cilindros para extrusão e moldes para injeção a sistemas de filtragem, bombas e válvulas — para as matrizes de extrusão e sistemas de peletização a fim de atender às necessidades em constante evolução da indústria de polímeros.

Curta nossa página no

Mecalor expõe equipamentos de refrigeração na Andina Pack

03/12/2019

Colômbia se destaca como um forte mercado para a venda de chillers no setor de plástico

A Mecalor vai fechar esse ano com um expressivo crescimento nas exportações. A maior parte dessas vendas foi para a países da América do Sul e a Colômbia se destaca como um importante mercado para a empresa. É com esse cenário positivo que a Mecalor expôs na edição 2019 da Andina Pack. Esse ano, a empresa levou para a feira equipamentos mais robustos, como o Chiller RLA 260 de 80 TR e o MSA 15 de 5 TR, uma versão menor, voltados à indústria de transformação do plástico.

A empresa participa da feira desde 2007, mas essa foi a primeira vez que apresentou um equipamento de grande porte. O gerente de exportação da Mecalor, Flavio Pereira, comentou sobre a participação na feira: “A Colômbia é um dos nossos principais mercados, possuímos várias máquinas instaladas, e contamos com uma boa infraestrutura de vendas e de suporte técnico. Temos clientes em todos os grandes centros do país”, afirmou.

Embora o cenário econômico da América Latina em geral seja de instabilidade, Flávio Pereira acredita que ainda há espaço para a Mecalor crescer nesses mercados. “A Colômbia, por exemplo, conta com a segunda maior população da América do Sul. O mercado interno colombiano aumentou e a indústria local seguiu essa tendência”, disse. Flávio aponta o Peru como outro país de relevância para as vendas internacionais. “A Mecalor cresceu bem em exportações para esses países, porque há décadas faz um trabalho comercial consistente, com a venda de equipamentos de ponta”, ressaltou.

Internacionalização

A inauguração da filial do México em maio desse ano foi o marco na internacionalização da Mecalor. Flavio Pereira salientou ainda que faz parte da estratégia de crescimento da marca no mercado externo a participação em grandes feiras internacionais do setor da indústria de transformação de plástico. Dessa forma, além da Andina Pack, a Mecalor esteve presente na Feira K, realizada em Dusseldorf (Alemanha), em outubro. “Os objetivos foram fortalecer a presença da marca em um evento internacional de ponta, atender clientes do Brasil que estavam na feira, reforçar aos clientes da América Latina que agora temos uma filial no México e manter contato com novos mercados”, explicou o executivo.

Seguindo a sua estratégia de internacionalização,a empresa planeja para o ano que vem ampliar sua presença em países da África, onde já conta com um representante, e começar a prospectar a Europa, a partir de Portugal e Espanha.

Há 60 anos no mercado, a Mecalor fornece soluções de engenharia térmica para a indústria no Brasil e em outros países da América Latina, EUA e Europa. Ela atua em diversos setores, além da indústria de transformação de plástico, como: hospitalar, alimentício, farmacêutico, ar condicionado de precisão e automotivo. Neste último, destaca-se pela fabricação de câmaras climáticas para teste de veículos e auto partes.

Curta nossa página no

Mecalor expõe seus produtos para refrigeração industrial na Feira K 2019

27/09/2019

Dando continuidade ao seu processo de internacionalização, a Mecalor estará expondo na Feira K 2019, em Düsseldorf, pela terceira vez consecutiva. O evento é considerado como o mais importante para a indústria de transformação de plásticos do mundo. “Os nossos produtos têm recebido uma excelente aceitação em mercados exigentes, como europeu e norte-americano, o que tem motivado cada vez mais a expansão da atuação da empresa pelo mundo”, afirmou Marcelo Zimmaro, diretor comercial. Para ele, esse ano a feira terá um sabor especial por causa da inauguração em maio da planta do México, localizada na cidade de Querétaro. “Passamos a atender de maneira especial aos clientes da América Latina”, ressaltou.

Para o stand E15 do hall 10, a Mecalor vai levar uma unidade de água gelada (chiller) compacta de alta eficiência, com recursos de última geração. A escolha do chiller para esta feira é porque, além de ser o produto “carro-chefe”, é também aquele que tem um uso mais abrangente, podendo ser aplicado no resfriamento com água gelada nos mais variados processos de transformação, por exemplo injeção, sopro, extrusão, termoformagem e também flexografia.

O equipamento é da linha Compact Chiller MAS e produzido em estrutura de aço inoxidável AISI 304, contndo com condensadores microcanal de alumínio com proteção anticorrosiva e-coating, bomba de água Grundfos de aço inoxidável, controle de capacidade por inversor de frequência para economia de energia e fluido ecológico R-410A que não agride a camada de ozônio, afirma a empresa.

Além disso, alinhado com as tendências da indústria 4.0, será apresentado o sistema de controle Smart Connect, que disponibiliza uma série de informações provenientes dos sensores distribuídos no equipamento, diz a Mecalor. Estas informações disponíveis na SmartConnect podem ser utilizadas para comunicação com as máquinas injetoras, sopradoras, extrusoras e podem servir para monitoramento via web e assistência técnica à distância, informa a empresa.

Curta nossa página no

Inovação e sustentabilidade são temas centrais do Grupo Piovan para a K 2019

31/08/2019

Em meados de outubro, a exposição internacional mais importante do mercado mundial do plástico – Feira K 2019 – abrirá suas portas entre os dias 16 e 23. Mais de 3.000 expositores de mais de 60 países irão se reunir nos pavilhões do centro de exposições de Düsseldorf para receber aproximadamente 200.000 visitantes de todo o mundo.

O Grupo Piovan estará expondo na K 2019 – no stand 9B60 – com suas marcas, Piovan, Aquatech, Fdm e Penta. Uma variedade de soluções turnkey de alta tecnologia, estarão em exposição: desde sistemas de secagem a controladores de temperatura; de rastreabilidade de matérias-primas a soluções completas para a indústria 4.0. No entanto, a feira não abordará apenas o desenvolvimento tecnológico de produtos, mas uma atenção especial também será dedicada a temas essenciais como Sustentabilidade, Indústria 4.0, Rastreabilidade e Integração de Sistemas.

Foco na Inovação

A Piovan sempre investiu recursos em inovação e hoje o Grupo emprega ao redor de 171 especialistas em P&D e engenheiros especializados, capazes de avaliar as necessidades do cliente, com base nos conhecimentos adquiridos ao longo dos anos.

Soluções integradas e eficientes para tratamento de PET e manuseio de materiais reciclados

Na K 2019, a Piovan fará o lançamento mundial da nova linha Genesys. Segundo a empresa, este sistema de desumidificação distingue-se pela sua tecnologia auto-adaptativa, que agora foi otimizada para o tratamento de PET reciclado. A Piovan afirma que o seu novo desumidificador pode gerenciar automaticamente o processo de secagem, atuando em todos os parâmetros críticos: desde a vazão do ar de processo até o valor do ponto de orvalho, o tempo de residência e a temperatura, mantendo o processo em condições ideais de operação, mesmo quando há variação da produção horária e das condições iniciais de temperatura e umidade do granulado plástico. A empresa informa que, além destes controles, foram introduzidas outras inovações de última geração, que incluem um controle mais intuitivo e melhor eficiência na auto-regulação.

Segundo a Piovan, outras melhorias significativas também foram introduzidas na função AIPC (Automatic Injection Pressure Control – Controle Automático da Pressão de Injeção) com o objetivo de garantir o menor custo de produção de cada preforma, não apenas considerando o consumo de energia, mas em termos de otimização de todo processo produtivo das preformas, com melhor qualidade do produto final e redução de descartes.

Ainda sobre às soluções para PET, os visitantes poderão apreciar a nova gama de equipamentos para análise da qualidade da preforma, com interface amigável. Estes equipamentos medem de maneira simples e intuitiva os parâmetros mais importantes, como o nível de acetaldeído das preformas.

Dosagem precisa

A Fdm, empresa do Grupo com sede em Troisdorf (Alemanha), especializada na produção de soluções para aplicações em extrusão, também apresentará novas tecnologias de dosagem na K 2019 como o GDS 5, o novo misturador gravimétrico da linha GDS, com PLC Siemens, que foi otimizado para permitir a montagem de até 5 estações de dosagem, mantendo as dimensões compactas do equipamento.

Transporte de materiais com Penta e Piovan

A Penta, empresa do Grupo que projeta e fabrica grandes sistemas para armazenamento, transporte e dosagem de materiais em pó ou grãos, apresentará as mais recentes inovações em manuseio de aditivos no setor de compostos para a produção de tubos e cabos. Na feira, os visitantes poderão ver o Vakupulse em operação. Segundo a Piovan, o Vakupulse é um sistema particularmente adequado para o transporte de matérias-primas delicadas em fase densa, a baixas velocidade e vazões, em curtas distâncias.

Estará em exposição na K2019, pela primeira vez, uma estação manual de acoplamento equipada com a tecnologia RFID (Radio Frequency Identification – Identificação por Radio Frequência). Segundo a Piovan, Este sistema permite verificar se a combinação entre fontes e destinos estão corretas. Se detectar um erro, o sistema de transporte não ativa o ciclo de carga, evitando assim qualquer risco de erro ou contaminação entre os diferentes tipos de materiais. A unidade permite conectar os tubos de maneira simples e fácil, com apenas uma das mãos, afirma a empresa. É também livre de juntas para evitar contaminação, garantindo que os grânulos plásticos tenham contato somente com o aço inoxidável. Um sistema de LEDs, que mudam de cor conforme as tubulações são acopladas, guiam o operador, permitindo que as conexões sejam verificadas instantaneamente, complementa a Piovan.

Aplicações na área médica

Na exposição, a Piovan também apresentará importantes inovações para o setor médico: segundo a empresa, ocorrerá durante a feira o lançamento de um microdosador capaz de alimentar as máquinas com um único grão de cada vez, mantendo a alta precisão para atender às demandas que vêm especialmente de setores altamente técnicos, como microdosagem médica e micromoldagem de precisão.

Para completar a gama para o setor médico, a linha conta com equipamentos adequados para uso em salas limpas, como o alimentador sem filtro Pureflo, que, segundo a Piovan, não requer ar comprimido ou manutenção e o desumidificador da Série DPA, livre de emissões.

Soluções em Refrigeração

A Aquatech, empresa do Grupo dedicada a tecnologias de resfriamento industrial e controle de temperatura, estará no centro das atenções com muitos produtos inovadores em exposição: desde unidades de controle de temperatura até os novos dry coolers adiabáticos.

A unidade de Controle de Temperatura para Moldes da linha Easytherm recebeu uma nova versão pressurizada, ampliando a gama de aplicações. Ainda na área dedicada à refrigeração industrial, outras inovações interessantes estarão em destaque, tais como o DigitempEvo, um termochiller refrigerado a água com baixos níveis de consumo de energia e alto desempenho, segundo informações da Piovan.

Destaque especial também para a linha de chillers Easycool+, uma linha de chillers compactos que foi concebida e projetada para atender a requisitos específicos de resfriamento de processos industriais.

Sustentabilidade e Economia Circular

A Piovan desenvolve tecnologias e soluções que contribuem para aumentar o uso de materiais reciclados, permitindo que uma gama de produtos seja produzida com a utilização de PET pós-consumo como matéria-prima, por exemplo. Desde 2006 a Piovan tem desenvolvido tecnologias que dão vida nova aos materiais reciclados, transformando-os novamente em garrafas. De uma maneira geral, a decisão de investir em soluções eficientes resultou na redução do consumo de energia e das emissões de CO2 relacionadas com o processamento de plásticos.

Indústria 4.0

A Piovan continua ampliando a gama de recursos oferecidos pelo Software de Supervisão Winfactory 4.0. Uma das novas funcionalidades deste software inclui um módulo de monitoramento da eficiência energética, e também com possibilidade de monitorar e analisar os sistemas de controle de temperatura com a tecnologia Aquatech.

Dados, contexto, Interação (DCI) e Interconexão Digital ao longo de todo o processo são as diretrizes da indústria 4.0 que nortearam o desenvolvimento do MTS, o novo sistema de rastreamento de material. Segundo a Piovan, o MTS consiste em um terminal de código de barras capaz de ler os códigos de barras para identificação dos usuários, materiais e lotes de produção. Este sistema orienta o operador no gerenciamento, otimização e armazenamento de materiais, identificando o fluxo dos diferentes lotes desde a fase inicial até o produto acabado.

Um grupo em crescimento

O Grupo Piovan apresentou um crescimento significativo nos últimos anos, seguindo uma trajetória que começou há cerca de dez anos e que o levou a se tornar um grupo internacional em contínua expansão. O Grupo fechou o ano de 2018 com um faturamento de € 246 milhões (mais de 15% em relação ao ano anterior), e em outubro passou a integrar a listagem da Bolsa de Milão, fazendo do ano de 2018 um grande marco para o Grupo. Uma empresa listada na Bolsa, confere ao Grupo um alto perfil internacional, maior visibilidade junto aos principais clientes, atrai novos talentos para a empresa e permite que o Grupo mantenha sua estratégia de crescimento e governança futura.

O primeiro semestre de 2019 também foi muito intenso com a abertura de novas filiais, como a Piovan Marrocos, e a aquisição de novas empresas: Toba, uma empresa sul-coreana líder na automação de processos industriais para o setor de plásticos e particularmente na produção de sistemas de transporte e armazenamento de plástico no formato de pó; e a Fea Process & Technological Plants, uma empresa italiana com sede em Cuneo, na região de Piemonte, especializada em automação para a indústria alimentícia e sistemas de dosagem e transporte para líquidos e pastosos.

Uma nova identidade Corporativa para o Grupo

No início de 2019, foi lançada a nova identidade corporativa do Grupo para comunicar de forma ainda mais efetiva a idéia da Piovan como um grupo internacional, formado por várias empresas que compartilham um denominador comum: a atenção com clientes e pessoal, seguindo os três pilares que distinguem o grupo: Clientes, Pessoas e Inovação. O novo logo do Grupo Piovan é caracterizado por um pictograma com três círculos que expressam os valores do Grupo, as áreas de negócios e os pontos fortes:
– 3 valores: Clientes. Pessoas. Inovação
– 3 áreas de negócios: Plásticos. Alimentos. Refrigeração
– 3 forças: Presença Mundial. Serviços. Equipe

A nova identidade corporativa destaca uma reestilização da imagem gráfica. Uma imagem gráfica que visa reunir todas as empresas do grupo dentro de uma mesma visão. Piovan, Una-Dyn, Fdm, Aquatech, Penta, Progema e Energys: todas adotam o mesmo estilo gráfico e o novo pay-off “Piovan Group” para ressaltar que todas as empresas pertencem a um único grupo.

Curta nossa página no

Produtor de Polímero PET Neo Group Adiciona uma Terceira Linha de Produção com Peletizadores BKG Comprados e Armazenados Há Doze Anos

06/08/2019

Segundo maior fornecedor de PET da Europa, o Grupo NEO instalou 4 peletizadores BKG, bombas de engrenagens e outros componentes diretamente de suas caixas originais, estocadas por 12 anos.

Doze anos atrás, o NEO Group comprou peletizadores subaquáticos BKG e componentes para três linhas de polimerização PET, mas instalou apenas dois conjuntos, armazenando o terceiro pacote BKG não utilizado em suas caixas de embarque originais. Hoje, a empresa conta com uma terceira e nova linha de PET, tornando-se o segundo maior produtor de PET na Europa, e aqueles peletizadores da BKG armazenados há 12 anos de idade estão trabalhando da mesma maneira como se tivessem sido entregues ontem.

O NEO Group havia comprado as linhas de produção de PET da Zimmer AG, incluindo doze peletizadores subaquáticos BKG – quatro para cada linha de polimerização – além de válvulas desviadoras de polímero, bombas de engrenagens, sistemas de água, secadores de pelets e controles.

“Nós simplesmente abrimos as caixas de remessa, montamos os componentes da BKG e os conectamos”, disse Ruslanas Radajevas, gerente geral. “Depois de doze anos armazenados, tudo correu muito bem – sem problemas.”

O início de operação sem percalços dos sistemas de peletização reflete a qualidade inerente aos produtos da BKG, observou Godfrey Sandham, vice-presidente da Nordson Polymer Processing Systems, na Europa. “Foi a excelente reputação dos peletizadores da BKG e componentes de entrega de material fundido que levaram a Nordson a adquirir o negócio da BKG”, disse Sandham. “Desde então, temos investido fortemente em processos para melhoria contínua de nossos produtos e acabamos de concluir a construção de um centro global para a marca BKG em Münster, na Alemanha.”

A terceira linha de PET do NEO Group acrescenta 160.000 toneladas de capacidade anual, elevando o total da empresa para 480.000 toneladas/ano. O complexo de produção de resina e poliol do Grupo NEO Group (foto) está localizado na Zona Econômica Livre de Klaipeda, na Lituânia.

A unidade de Sistemas de Processamento de Polímeros da Nordson (Polymer Processing Systems) fornece aos clientes componentes projetados para fundir, homogeneizar, filtrar, medir e dar forma a materiais plásticos e de revestimento  fluido. A Nordson fornece uma gama de produtos de precisão para o trabalho com material fundido – desde roscas e cilindros para extrusão e moldagem por injeção até sistemas de filtragem, bombas e válvulas e sistemas de extrusão e peletização para atender às necessidades da indústria de polímeros.

A Nordson Corporation fornece aos clientes capacidades técnicas locais de vendas, serviços e remanufatura através de organizações de vendas e fábricas regionais em mais de 30 países. Para saber mais, visite http://www.nordsonpolymerprocessing.com ou www.facebook.com/NordsonPPS.

Curta nossa página no

Mecalor abre filial no México para atender indústria de plástico local

09/05/2019

Acreditando no mercado mexicano, a Mecalor, empresa brasileira atuante no segmento de refrigeração industrial e institucional, vai inaugurar um escritório no distrito industrial de Querétaro, cidade localizada a 220 km da capital, Cidade do México.

“O mercado mexicano é segundo maior da América Latina e é o que está mais longe da gente, portanto merece uma atenção especial. Lá já temos representantes e equipamentos instalados, mas agora decidimos ir para valer. Com a possibilidade de no futuro montar uma fábrica”, argumenta János Szegö, CEO da Mecalor Brasil.

A economia mexicana é a segunda maior da América Latina e está entre as quinze mais importantes do mundo. Com uma economia muito integrada à dos EUA, destino de 80% das suas exportações, o novo governo do México promete diversificar e fomentar o desenvolvimento econômico com incentivos à produção industrial e o incremento da demanda. A expectativa é de que esse crescimento seja favorecido pelo aumento da oferta de emprego, forte consumo das famílias e por maiores investimentos em comparação com 2018.

Há 60 anos no Brasil, a Mecalor fornece soluções de engenharia térmica para diversos segmentos da indústria. Ela produz e comercializa chillers e outros periféricos para resfriamento e controle de temperatura com precisão. A Mecalor atua em setores como: plástico, hospitalar, alimentício, farmacêutico, ar condicionado e automotivo. Neste último, destaca-se pela fabricação de câmaras climáticas para teste em automóveis.

No México, as operações vão começar com foco na indústria de transformação do plástico. “A ideia é iniciar a operação no setor de plástico, mas com o tempo vender também produtos e soluções para os demais segmentos, principalmente o hospitalar, onde tempos grande expertise e somos líder de mercado no Brasil”, explica Szegö.

Em 2019, a estratégia da empresa está sendo focalizar fortemente em exportação. Desde que iniciou atividades em comércio exterior, há dez anos, as vendas internacionais cresceram bastante, principalmente para a América Latina, mesmo em um ambiente de crise econômica no Brasil. As exportações da Mecalor representam hoje cerca de 20% do faturamento anual da empresa. A tendência com o início da operação do México é aumentar a representatividade desses negócios também nos países da América Central e para os Estados Unidos.

Segundo János Szegö, na primeira fase, a filial mexicana vai importar totalmente os equipamentos do Brasil. Com o crescimento da demanda, a intenção é iniciar uma segunda etapa com a montagem local dos produtos. Após essa fase, a evolução das vendas determinará a possibilidade de produção total no México, com a abertura de uma fábrica.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Mecalor

Curta nossa página no

Mecalor leva sustentabilidade e tecnologia para a Plástico Brasil

27/03/2019

No momento em que o tema da sustentabilidade entra na ordem do dia para todos os setores da economia, a Mecalor se apresenta como provedora de soluções para a economia de água de refrigeração usada nos processos de fabricação.

Segundo a empresa, o seu DryCooler 4.0 economiza 100% do consumo de água usada no resfriamento das máquinas e substitui as torres de resfriamentos das fábricas, utilizadas para represar a água empregada na refrigeração das máquinas que produzem plástico. De acordo com a Mecalor, esse processo tradicional desperdiça grande quantidade de água sendo que, em contrapartida, o DryCooler 4.0 apresenta uma tecnologia diferenciada que traz mais eficiência e economia, tanto na água consumida quanto nem relação ao consumo de energia energia, reduzindo custos industriais. A versão 4.0 do Drycooler, que está sendo mostrada na Plástico Brasil, possui ainda conectividade e inteligência artificial embutidos.

Indústria 4.0

Equipamentos interconectados que conversam e trocam comandos entre si, armazenam dados na nuvem, identificam defeitos e fazem correções sem precisar de ajuda: essas são as principais características dos chillers 4.0, equipamentos que a Mecalor está apresentando na Plástico Brasil 2019, Feira Internacional do Plástico e Borracha, de 25 a 29 de Abril de 2019, no São Paulo Expo. A união do conceito de conectividade, internet, automação industrial e inteligência artificial é a base do desenvolvimento da nova geração de chillers da Mecalor, em conformidade com os avanços tecnológicos impostos pela indústria 4.0.

“Nossos produtos estão preparados para a indústria 4.0. Eles contam com total conectividade e conversam com quem quiser pela internet. A idéia principal da indústria 4.0 é que tudo que está na linha de produção se comunica entre si pela internet. Os nossos chillers permitem acesso total a todo tipo de informação e à distância pode-se mexer em tudo, caso aconteça algum problema”, explica Janos Szego, CEO da Mecalor.

Os chillers 4.0 também contam com tecnologia de inteligência artificial embutida. Por meio de um programa específico, os engenheiros da empresa incorporaram aos equipamentos todo o banco de dados formado por anos de experiência da assistência técnica no atendimento ao cliente. “A ideia foi dotar nossos produtos de uma inteligência artificial que permita o auto aprendizado. Assim, o próprio equipamento consegue avaliar, identificar e consertar problemas básicos e avisar os mais críticos. Por meio da internet, nossos técnicos podem checar essas situações nos demais equipamentos, evitando possíveis paradas”, completa o executivo.

Há 60 anos no mercado, a Mecalor fornece soluções de engenharia térmica para a indústria no Brasil e em outros países da América Latina. A empresa atua em diversos setores, sendo os principais: plástico, hospitalar, alimentício, farmacêutico, ar condicionado e automotivo. Neste último, destaca-se pela fabricação de câmaras climáticas para teste em automóveis.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Mecalor

Curta nossa página no

“Centro Europeu de Excelência” da Nordson já está totalmente operacional em Münster, na Alemanha

26/03/2019

Evento de inauguração celebra a conclusão de um projeto que mais do que triplicou a área das instalações dedicadas a fabricação, pesquisa e desenvolvimento e espaço de escritório no local

Em uma cerimônia de inauguração no dia 13 de março de 2019, a Nordson Corporation comemorou a conclusão bem sucedida de um projeto de dois anos que envolveu a construção de uma nova e ampla instalação para servir como um centro global para os peletizadores BKG® da empresa e componentes de entrega de material fundido.

Localizada em uma planta que tem sido o lar de longa data dos peletizadores BKG, a nova instalação de 14.380 m² mais do que triplica a área total de fabricação, pesquisa e desenvolvimento e espaço de escritório no local e combina operações que anteriormente estavam espalhadas e quatro locais separados na área de Münster. A expansão inclui um centro técnico aprimorado para Pesquisa & Desenvolvimento e testes de clientes e um centro de pós-venda dedicado para sistemas BKG e matrizes de extrusão e revestimento EDI®. O centro de pós-venda fornece aos clientes europeus materiais de consumo, peças sobressalentes e serviços de retrabalho e reparo, tendo sido projetada para minimizar os prazos de entrega de pedidos e reduzir o tempo de inatividade dos clientes.

“A nova instalação de Münster servirá como um centro europeu de excelência para soluções de processamento de polímeros”, disse o vice-presidente executivo da Nordson, John J. Keane. “Pela primeira vez, todas as nossas atividades da BKG na área de Münster estão no mesmo local, o que nos permite reconfigurar nossas operações para atender nossos clientes com mais eficiência, ajudá-los a reduzir seus custos operacionais e permitir que eles aproveitem mais as sinergias que existem entre nossas ofertas de produtos. ”

O investimento da Nordson nas instalações de Münster se baseia em um legado que remonta a 1953, quando a empresa originalmente fundada por Jan-Udo Kreyenborg construiu o primeiro trocador de tela Kreyenborg. A Nordson adquiriu os negócios de peletização e entrega de material fundido da Kreyenborg em 2013. A recém-ampliada instalação de Münster emprega 339 funcionários.

“Nós projetamos a nova instalação de Münster com o objetivo de fazer da Nordson uma opção valorizada como empregador”, disse Godfrey M. Sandham, vice-presidente da Nordson Polymer Processing Systems (PPS). “O ambiente de escritório moderno, com suas grandes áreas abertas e nova cafeteria, foi criado para promover a colaboração entre nossas equipes. Ao mesmo tempo, a Nordson investe continuamente em treinamento dos funcionários e tem um programa contínuo para apoiar atividades voluntárias dentro da comunidade local. ”

Um portfólio exclusivo de componentes de processamento de polímeros

Sob a marca BKG, o negócio de Sistemas de Processamento de Polímeros da Nordson fabrica sistemas de peletização e componentes de entrega de material fundido, tais como trocadores de tela e bombas de material fundido. As marcas dos Sistemas de Processamento de Polímeros produzidas em outros locais na Europa, nas Américas e na Ásia incluem matrizes de extrusão de polímeros e revestimento fluido da EDI e roscas e cilindros Xaloy® para extrusão e moldagem por injeção.

“Em muitos casos, podemos fornecer uma combinação de componentes que trabalham juntos para otimizar o processo do cliente”, disse Sandham. “Um reciclador, por exemplo, pode confiar na Nordson para peletizadores, bombas de material fundido e sistemas de filtragem, enquanto que um fabricante de filme ou chapas pode nos procurar para fornecimento de componentes que vão desde roscas e cilindros até sistemas de filtragem e matrizes de extrusão.”

A unidade de Sistemas de Processamento de Polímeros da Nordson é um fornecedor único para múltiplos componentes requisitados por empresas de resinas, OEMs de equipamentos, recicladores e processadores por extrusão e injeção. “Nossos produtos e serviços estão acessíveis no mundo todo em uma condição de fornecimento local e adaptada para cada localização, tanto para clientes grandes como pequenos”, disse Sandham. “A nova instalação de Münster é um dos vários centros de excelência que a Nordson tem criado ao redor do mundo para dar suporte às marcas da Nordson PPS.”

A unidade de Sistemas de Processamento de Polímeros da Nordson (Polymer Processing Systems) fornece aos clientes componentes projetados para fundir, homogeneizar, filtrar, medir e dar forma a materiais plásticos e de revestimento  fluido. A Nordson fornece uma gama de produtos de precisão para o trabalho com material fundido – desde roscas e cilindros para extrusão e moldagem por injeção até sistemas de filtragem, bombas e válvulas e sistemas de extrusão e peletização para atender às necessidades da indústria de polímeros.

A Nordson Corporation fornece aos clientes capacidades técnicas locais de vendas, serviços e remanufatura através de organizações de vendas e fábricas regionais em mais de 30 países. Para saber mais, visite http://www.nordsonpolymerprocessing.com ou www.facebook.com/NordsonPPS.

Fonte: Nordson

Curta nossa página no

Stäubli leva para a Plástico Brasil 2019 seus engates, multiacoplamentos e robôs para a indústria de plásticos

17/03/2019

A Stäubli estará exibindo as suas principais soluções fornecidas para a Indústria do Plástico durante a Plástico Brasil 2019. O stand da Stäubli receberá duas divisões da empresa, Connectors e Robotics, cada uma exibindo produtos e soluções em funcionamento. Além disso, a empresa preparou, em parceria com a Romi, uma demonstração de troca rápida de moldes totalmente automatizada, exibição inaugural em solo sulamericano.

CONNECTORS (Engates e multiacoplamentos)

Será exibida uma linha de engates e placas de multiacoplamentos para conexão rápida das mais diversas energias utilizadas nos moldes: água e óleo para controle térmico, ar comprimido, óleo hidráulico, sinal e potência elétricos. Ainda será exibido um dos sistemas de fixação de moldes — versão magnética — totalmente operacional e disponível para demonstração de suas funcionalidades.

  • HTI

Atendendo às exigências da injeção de plástico, a Stãubli desenvolveu o HTI, um novo engate que suporta temperaturas de até 3000 C. A empresa assegura que os engates HTI atendem a todos os requisitos de segurança e possuem um sistema de travamento de dupla ação. Projetado para funcionar sem manutenção, o engate rápido não possui anel de vedação no circuito do fluido.

Aplicações: Controle de temperatura em uma variedade de setores, incluindo injeção de plástico, metalurgia (fundição injetada, ferro e aço), vidros, compósitos, injeção de alumínio e magnésio, entre outros.

  • MCI 209

A Stäubli afirma que os seus multi-acoplamentos MCI oferecem uma ampla gama de benefícios projetados para aumentar a eficiência e segurança. Segundo a empresa, as placas antirrespingos garantem a integridade dos fluidos e do ambiente durante as operações de conexão e desconexão. Uma variedade de configurações faz com que seja possível montar diretamente na ferramenta ou ao utilizar os suportes integrais do MCI. O MCI também apresenta a inovação da Stãubli de uma interface adicionada à placa que permite que os niples sejam desmontados sem desligar as mangueiras.

Aplicações: Conexão centralizada de circuitos de controle de temperatura do molde em injetoras.

 

  • Combitac

O sistema de multiacoplamento CombiTac permite que o operador conecte todos os circuitos de energia ao mesmo tempo, afirma a Stäubli. As soluções são configuradas de acordo com as especificações do operador, reunindo os módulos individuais específicos com base nas aplicações.

Aplicações: Conexão de processo e manutenção de equipamentos para todas as indústrias.

 

Outra atração que estará presente na feira será um molde real totalmente equipado com os principais produtos da Stäubli. Os visitantes poderão conhecer e manipular engates rápidos e placas multiacoplamentos para conexão rápida de água e óleo para controle térmico, ar comprimido, óleo hidráulico, sinal e potência elétricos.

ROBOTICS (Robôs)

A Stäubli apresentará uma célula robotizada com os modelos TX2-90 e o lançamento TS2 SCARA, desenvolvidos para aumento de produtividade.

  • TX2-90: Modelo de seis eixos para todas as características de automação

Segundo a Stäubli, com seu desempenho limpo e consistente, os robôs de seis eixos são mestres de todas as características de automação, incluindo a manufatura de alto volume, as aplicações da Indústria 4.0 e a colaboração entre humanos e robôs em todas as condições de produção imagináveis.

Os novos robôs são oferecidos em seis modelos de série e são capazes de manipular cargas entre 1,7 e 20 quilos com um alcance entre 515 e 1450 milímetros. O que realmente os separa dos demais são as características pioneiras de segurança, garante a empresa. Com o lançamento da série TX2 e do controlador CS9, a Stãubli Robotics iniciou um novo capítulo no cenário da colaboração homem-máquina. A empresa afirma que o seu robô de seis eixos possui um codificador de segurança digital dedicado para cada eixo e uma placa de segurança integrada. Todas as características de segurança cumprem requisitos rigorosos da principal categoria de segurança do setor, SIL3/PLe.

Para garantir máxima segurança, cada movimento do robô é monitorado por sensores. Além disso, todas as coordenadas do robô, bem como a sua velocidade e aceleração, são gravadas em tempo real, garante a empresa. Na sua série TX2, a Stãubli optou por módulos de 1/0 configuráveis e seguros, bem como sistemas field bus Ethernet em tempo real que garantem segurança e compatibilidade, assegura o fabricante.

  • TS2-60: A nova linha TS2 de quatro eixos da Stãubli está redefinindo os limites operacionais dos robôs Scara.

Segundo a empresa, a revisão completa da série de quatro eixos com tecnologia própria de acionamento JCS permite tempos de ciclo ultracurtos e incorpora um projeto pioneiro para compatibilidade de higiene, que se destina a expandir a gama de aplicações potenciais em ambientes sensíveis.

De acordo com o fabricante de robôs, os novos Scaras agora são de projeto modular e, pela primeira vez, apresentam a tecnologia própria de acionamento JCS da Stãubli, que já estabeleceu novos padrões em sistemas de seis eixos e é a chave para os ganhos de desempenho do TS2 de quatro eixos. O princípio do eixo oco permite um design exclusivo de cleanroom que elimina o cabeamento externo.

Para oferecer uma solução ideal para todas as aplicações, a nova família de robôs agora é composta por quatro modelos: o TS2-40 com uma faixa de 460 mm; o TS2-60 com uma faixa de 620 mm; o TS2-80 com uma faixa de 800 mm; e o novo TS2-100 com seu raio de trabalho de 1.000 milímetros. A carga útil de todas as quatro máquinas, conforme especificado pelo fabricante, é de 8,4 quilos.

Quando os novos Scaras são colocados ao lado de seus antecessores, evidencia-se o salto no desenvolvimento técnico desses braços robóticos. As novas máquinas são consideravelmente mais compactas e leves. O que isto significa em termos numéricos é ilustrado por uma comparação entre o bem estabelecido TS60 e o TS2-60: o novo Scaras pesa apenas 38 kg em comparação com os 55 kg do seu antecessor. Essa redução de peso de 35% é acompanhada por um ganho significativo de desempenho para a máquina, garante a Stäubli. Dados de desempenho adicionais fornecidos pela empresa para comparação: 30% a menos de espaço necessário, uma redução de 38% na altura e intervalos de manutenção 50% mais longos.

A Stäubli ressalta que essas melhorias para os novos robôs são evidentes à primeira vista. O que imediatamente se destaca é o design compacto e fechado com linhas de suprimento e mídia interna, ou seja, sem contornos irregulares ou fontes de falha mecânica e sem emissões de partículas desnecessárias. Invólucro completamente selado, eixo opcionalmente protegido com uma tampa e afixado com parafusos especiais, conexões ocultas sob o pedestal do robô (se assim for desejado), espaços mortos sistematicamente excluídos – são características que, segundo a Stäubli, configuram um design higiênico moderno.

A linha Stãubli de robôs para plásticos é, segundo a empresa, a primeira linha de robôs de seis eixos concebida especificamente para utilização na indústria de plásticos. Eles foram desenvolvidos após consulta detalhada e avaliação por empresas de injeção e integradores de sistemas.

Demonstração de troca rápida de moldes totalmente automatizada (SMED)

Customizar a produção, reduzir níveis de estoque, manter-se responsivo e competitivo – são alguns dos desafios enfrentados pela indústria do plástico atualmente. Está claro que o caminho mais sustentável é uma boa estratégia de diminuição do tempo de setup.

A Stãubli, em parceria com a feira Plástico Brasil 2019 e Romi, apresentam a nova versão do espaço “SMED — Single Minute Exchange of Die — Troca Rápida de Moldes”, presente desde a edição inaugural, em 2017. No SMED (metodologia que tem como objetivo a redução do tempo de setup para menos de 10 minutos) demonstrado neste ano e inédito na América Latina, os visitantes poderão assistir ao vivo uma máquina realizando a troca de moldes de maneira totalmente automatizada, sem interação humana.

A célula de injeção 14.0 com operação totalmente interativa, demonstrará muitas das mais recentes técnicas de conexão de moldes, além de soluções inovadoras em automação.

O estande da Stãubli na feira da Plastico Brasil 2019 no pavilhão de exposições São Paulo Expo estará situado na Rua H, estande no 80.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Stäubli

Curta nossa página no

Máquinas injetoras e equipamentos auxiliares são destaque na Plástico Brasil 2019

17/03/2019

  • Feira acontece entre 25 e 29 de março, das 10h às 19h, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
  • Tecnologia mais amplamente usada na transformação do plástico, a injeção está presente em diferentes indústrias, entre as quais a automotiva, de brinquedos, móveis, elétricas e várias outras.

Durante a Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo, este segmento da indústria de plásticos se destacará pela forte presença de fabricantes de máquinas e equipamentos. Entre eles, algumas das principais marcas nacionais e internacionais, como: Romi, Arburg (foto), Himaco, Engel, Wittman Battenfeld, Krauss Maffei, Sumitomo Shi Demag, Jon Wai, Simco (Log Machine), Unic Brasil, Pavan Zanetti, BMB-Eurotech, Tsong Cherng, EMTSA, Eurostec (Bole), Wintec, Biasa (FCS), Ar&D e outras.

A Romi, por exemplo, apresentará na feira a linha de injetoras ROMI EN 220. Segundo a empresa, o seu sistema Stop and Go se destaca por proporcionar mais velocidade, alta precisão e baixo consumo de energia. Esses equipamentos possuem versões para injeção em PVC, pré-formas PET, além de multimateriais e multicores.

A empresa vai divulgar também a injetora híbrida ROMI ES 300, desenvolvida para a produção de peças exigentes de alta razão de injeção, máxima precisão e ciclos ultrarrápidos, com baixo consumo de energia, assegura a Romi. A máquina ainda conta com movimentos simultâneos, com acionamentos por servo-motores, injeção por acumulação e servo-válvula.

Equipamentos Auxiliares

O segmento de equipamentos auxiliares que trabalham em conjunto com os processos de injeção do plástico (periféricos, robôs e demais equipamentos) também estará representado na Plástico Brasil 2019, por meio das empresas Sepro, Piovan, Moretto, Dal Maschio, Star Seiki, Shini, Motan, Conair, Doteco, Rax, Mecalor, Frigel, Refrisat, Industrial Frigo, MH Equipamentos, Albag, Staubli, Plastic Systems, Eisbär, Technoservice (Brabender), HDB (Farragtech, GWK, Liad, Promix, Rico), Techfine (Kreyenborg), Hercx, Maguire, Magbo, Dyna Purge, Graxa Lube, Mo.Di.Tec, Harmo, MB Conveyors e Plastic Systems.

Atenta às tendências do mercado, a HDB lançará na feira uma linha de injetoras-sopradoras (injection-blow). Segundo a empresa, a Exacta é ideal para a produção de frascos em HDPE, PP, HDPE, PS e acrílico a partir de 1 ml até 1 L. Ela fabrica também produtos farmacêuticos, para cosméticos, bebidas, recipientes diversos, entre outros. Seu processo requer 25% a menos de material, afirma a empresa.

A Refrisat levará para a feira a sua mais recente versão do Drycooler. Trata-se de uma torre de circuito fechado, com sistema de resfriamento de líquidos, que opera em conjunto com o ar do ambiente. Repaginado, o equipamento ganhou um conceito mais leve, sustentável e eficiente, garante o fabricante.

Pela primeira vez na Plástico Brasil, os climatizadores de precisão da Refrisat também terão destaque no stand da marca. De acordo com a empresa, eles são usados em grande escala em datacenters de grandes fábricas, onde o controle da temperatura é essencial. Para completar, a empresa levará toda sua linha de Chillers, unidades de água gelada, termorreguladores, unidades de ar seco e desumidificadores de moldes.

Outra participante no segmento de equipamentos auxiliares é a MH Equipamentos. Na ocasião, a empresa lançará o misturador MH-200, cujo container é em aço inoxidável, adequado para a mistura a frio de polímeros e pré-mistura de todos os tipos de materiais.

Já a Rax destacará em seu estande a sua linha de equipamentos para alimentação, dosagem e desumidificação. Entre as novidades, novos dosadores gravimétricos para até seis componentes.

Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 800 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais já garantiram seu apoio ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais das indústrias da borracha, construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º Abinfer Business Center – ABC 2019, PETtalk 2019 e a demonstração de um inovador sistema de SMED (Single Minute Exchange of Die) sem interação humana e inédito na América Latina.

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações que visa não só colaborar com a preservação do meio ambiente, mas também inspirar os fornecedores, transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

 

Grupo Piovan estará na Plástico Brasil com nova identidade corporativa, mostrando sua rede desenvolvida em três áreas de negócios

01/02/2019

Como na edição anterior, a Piovan do Brasil, que é parte do Grupo Piovan, participará da Plástico Brasil, Feira Internacional do Plástico e da Borracha, em São Paulo, de 25 a 29 de março. O evento será uma excelente oportunidade para o Grupo mostrar seus mais recentes desenvolvimentos e reforçar o comprometimento com os clientes locais. O Grupo Piovan estará no stand G106, expondo equipamentos e soluções de suas marcas Piovan, Aquatech e Energys.

Seguindo os rumos das “smart factories” da Indústria 4.0, os visitantes poderão assistir a uma demonstração do Winfactory 4.0, o software de supervisão digital, desenvolvido para aumentar a eficiência e a produtividade, através do gerenciamento e integração de todos os processos produtivos; e o Winenergy, que é um sistema de monitoramento de energia de toda a fábrica.

A Piovan também apresentará o QuantumE, o novo controlador gravimétrico, especialmente desenvolvido para filmes flexíveis para embalagem. Ainda na área de controle gravimétrico, destaca-se o Ryng, que é um medidor de consumo de matéria prima instantâneo, para as máquinas transformadoras,  item relevante para o controle de processos em sistemas da Indústria 4.0.

Outros destaques são o Easy³+, a nova solução para gerenciamento de sistemas centralizados, com tela touch screen de 7”, e o novo desumidificador por ar comprimido da linha DPA 100-200, com capacidade de desumidificação que varia de 5 a 40kg/h, composto pde 3 modelos.

Sob a marca Aquatech, empresa do Grupo dedicada à soluções em refrigeração industrial, estará em exibição o Digitemp+, o novo termochiller com duplo circuito, que, segundo a empresa, garante maior rendimento do processo produtivo e menores ciclos; o MiniChillerEvo da linha de chillers portáteis,  que é um equipamento versátil, o chiller Slim, compacto de alta capacidade, e o Aryacool, solução sustentável para resfriamento nas versões seco e adiabático, que oferece vantagens para o resfriamento de água industrial em circuito fechado.

Para a Piovan, a Plástico Brasil será também uma importante ocasião para apresentar ao mercado sul-americano sua nova identidade corporativa, com o lançamento da nova imagem do Grupo completamente renovada, introduzida mundialmente ao mercado em janeiro de 2019. O novo logotipo do Grupo Piovan marca o nascimento de uma nova identidade corporativa para o fornecedor de equipamentos auxiliares, soluções de engenharia e serviços para a indústria do plástico, que tem por objetivo expressar de forma mais direta os valores e a união da rede, que abrange 70 países e emprega ao redor de 1.060 pessoas em todo o mundo.

O novo logotipo foi projetado para ser utilizado em conjunto com um novo símbolo, um pictograma de três círculos, que representam os valores, as áreas de negócios e os pontos fortes.

Valores: clientes, pessoas e inovação

Os pilares que guiam a estratégia da empresa são os seus clientes,  as pessoas que fazem parte de toda a rede da empresa, e a inovação, que visa a melhoria e o desenvolvimento contínuo, contando atualmente, com 173 funcionários trabalhando diariamente em pesquisa e desenvolvimento.

Os setores de negócios: plásticos, alimentos e refrigeração

A Piovan é uma empresa que atual a nível mundial desde 1964 no segmento da indústria do plástico, especializando-se na produção de equipamentos auxiliares. Atualmente, graças à evolução de sua estrutura organizacional e às aquisições, o Grupo Piovan entrou em novos mercados estratégicos, incluindo refrigeração de processos industriais, com sistemas de última geração,  e o mercado de alimentos com o desenvolvimento de projetos e sistemas de transporte de alimentos em formato de pó.

A empresa conta hoje com 7 fábricas, 27 filiais de vendas e serviços, sendo 190 funcionários na área de serviços, garantindo uma cobertura mundial.

A nova identidade corporativa apresenta características simples, que envolvem todas as empresas do grupo, com o objetivo estratégico de integrar todas as marcas em uma única imagem. Piovan, Una-Dyn, Fdm, Penta, Aquatech, Energys e Progema manterão seus nomes individuais, mas a partir de agora usarão o novo pay-off “Piovan Group” para enfatizar tanto o Grupo ao qual pertencem, como a sua independência e realçar a identidade do Grupo.

Além do novo logo do Grupo e o re-design de suas marcas, foi também criado um novo site corporativo, www.piovangroup.com,  com uma revisão completa de todos os materiais de comunicação.

Fonte: Piovan

Curta nossa página no </

Heraeus apresenta tecnologia em Aquecimento por Infravermelho durante Feiplar/Feipur

30/10/2018

A HeraeusNoblelight (www.heraeus-noblelight.com.br), uma das maiores fabricantes de Luzes Especiais ao redor do mundo, estará na Feiplar/Feipur deste ano expondo suas soluções em Aquecimento Industrial por Infravermelho.

Com mais de 60 anos de existência, a HeraeusNoblelight desenvolve soluções em Aquecimento por Infravermelho para diversas aplicações que dependem da aplicação direcionada de calor.

Sabendo das necessidades dos fabricantes de peças plásticas, principalmente no que se refere à qualidade final de seus produtos, a HeraeusNoblelight vem desenvolvendo, ao longo dos anos, soluções que viabilizam os processos de aquecimento através de lâmpadas que podem ser fabricadas sob medida, inclusive em formatos curvos e específicos, cujos contornos tendem a executar operações de aquecimento de maneira confiável, ainda que em peças de geometria complexa. Com isto, afirma a empresa, é possível aquecer exatamente o local necessário pelo tempo necessário, sem que haja contato com o material plástico e sem a necessidade de utilização de meio intermediário para transferência de calor. Segundo a Heraeus, alguns dos benefícios são a melhoria do aspecto visual das peças e um melhor encaixe, quando se trata, por exemplo, de componentes internos de painéis veiculares.

Outras aplicações bastante comuns são a solda térmica de reservatórios plásticos e a rebarbação térmica de peças plásticas das colunas ABC, volante e quebra-sóis, entre outras.

Durante a Feiplar/Feipur, a HeraeusNoblelight trará como destaque o seu mais novo lançamento: o Spotlight Emitter.

O produto é totalmente voltado para aplicações cuja necessidade de aplicação de calor se concentra em pequenas arestas e regiões de difícil acesso. Fabricado com base no conceito de fibra ótica, o Spotlight Emitter tem foco de aquecimento pontual de diâmetro de 5mm e é responsável por garantir uma transferência direta de calor em alta intensidade e de forma direcionada, garantindo assim o aquecimento totalmente assertivo em pontos extremamente específicos, garante a Heraeus.

A empresa firma que, com o uso do Spotlight Emitter, já há casos comprovados de redução significativa de tempo de ciclo, diminuição na quantidade de peças refugadas e aumento comprovado de produtividade.

Fonte: HeraeusNoblelight

Curta nossa página no

Piovan anuncia Nova Sede na América do Norte

06/09/2018

A Universal Dynamics, Inc., uma das empresas do Grupo Piovan, finalizou sua mudança de Woodbridge para Fredericksburg Virginia, Estados Unidos em julho de 2018. Uma estrutura recém-construída com área de 10.000m², que foi projetada sob o conceito do “lean manufacturing”, permitirá que a empresa dobre sua capacidade produtiva.

A nova instalação também será a nova sede do Grupo Piovan na América do Norte.

Equipamentos para armazenamento, transporte, dosagem, desumidificação e granulação, juntamente com os softwares de supervisão, estão sendo produzidos pela nova fábrica.

Em 2019, a nova fábrica de Fredericksburg também se tornará um centro de fabricação de equipamentos para refrigeração da Aquatech, hoje importados da Aquatech Itália, que é a empresa do Grupo Piovan que fornece soluções em refrigeração industrial e sistemas de controle de temperatura.

Com a produção da Aquatech, a Universal Dynamics se tornará o primeiro fabricante de Dry Coolers Adiabáticos de alta eficiência no Estados Unidos.

O evento de inauguração será realizado no dia 04 de outubro de 2018, e contará com a presença dos principais líderes do setor, vindos dos Estados Unidos, Canadá e México. O evento inclui demonstrações ao vivo das novas tecnologias com visitas guiadas à fábrica, assim como a cerimônia oficial do corte da fita.

O Grupo Piovan é líder mundial no fornecimento de equipamentos auxiliares e serviços para vários segmentos de mercado. Ao longo dos últimos quinze anos, a empresa tem se tornado uma organização multinacional com 07 fábricas, 26 filiais de vendas e serviços, uma rede internacional de distribuidores em mais de 70 países e uma força de trabalho com 998 colaboradores no mundo. As empresas do Grupo Piovan são Universal Dynamics (EUA), Fdm (Alemanha), Aquatech (Itália), Penta (Itália), Progema (Itália), Energys (Itália).

Fonte: Piovan

Curta nossa página no

Chem-Trend apresenta novidades em diversos segmentos com foco em inovação e sustentabilidade

27/08/2018

Executivos da empresa receberam a imprensa para expor tecnologias e aplicações

Em um evento exclusivo para a imprensa em São Paulo (SP), o VP Executivo Global de Marketing e Tecnologia da Chem-Trend, Miguel Psillakis; o CEO da empresa, Paulo Noce; a Diretora de Vendas, Patrícia Ajeje; e o Gerente Nacional de Vendas, Eduardo Colácio, apresentaram as mais recentes tecnologias e aplicações da Chem-Trend para os diversos segmentos industriais em que a empresa atua. Foram abordados os conceitos de inovação e sustentabilidade, que são temas muito discutidos no processo de compra e desenvolvimento de produtos. Os executivos aproveitaram a ocasião para lançar oficialmente o Relatório de Sustentabilidade 2018 para o mercado brasileiro.

A preocupação com a inovação e o investimento em tecnologias sustentáveis – e como elas impactam os negócios e a produção industrial – deu o tom da conversa. Nessa linha, a Chem-Trend vem investindo em aplicações que promovem a substituição de elementos químicos potencialmente perigosos à saúde e ao meio ambiente (HAPs – Poluentes Atmosféricos Perigosos e VOCs – Compostos Orgânicos Voláteis) e, ao mesmo tempo, aperfeiçoando a performance de seu abrangente portfólio.

Outro ponto de destaque comentado pelos executivos foi o foco no desenvolvimento de produtos com menor concentração e/ou livre de solventes, reduzindo a dependência desse material nos produtos fabricados pela empresa. Em 1963, a Chem-Trend lançou e promoveu um lubrificante de molde para o segmento de fundição sob alta pressão à base de água, comercialmente viável e com desempenho igual ou superior ao de base solvente, afirma a empresa. Recentemente, também investiu no desenvolvimento da tecnologia HERA (High Efficiency Release Agent), que, segundo a Chem-Tren, aumenta significativamente a eficiência do processo de fundição por meio de ganhos com produtividade, redução de consumo de água e energia elétrica, diminuição da quantidade de lubrificantes aplicados no processo e aumento da vida útil do ferramental.

Para Miguel Psillakis, “esses são exemplos de que a Chem-Trend não fornece apenas especialidades químicas, e sim produtividade e qualidade de processo e produtos a seus clientes. Isso está no DNA da empresa. É a forma como adicionamos valor. Maior produtividade e menos desperdício são os alicerces da sustentabilidade, levando a uma redução no consumo de energia e de recursos em toda a cadeia”.

Uma tendência bastante comentada entre os executivos e profissionais presentes foi a do aumento da utilização de materiais mais leves na indústria, como o alumínio, magnésio e compósitos. O mercado global tem se orientado para uma demanda crescente focada na redução de peso de seus produtos finais. No setor automotivo, por exemplo, inclui a aplicação em blocos de motor e, no eólico, pás cada vez maiores e mais leves. A Chem-Trend tem trabalhado ativamente em produtos com foco nessa área e também em materiais.

“Temos um cuidado constante com a sustentabilidade, tanto em relação ao footprint – devido ao impacto direto das nossas operações no meio ambiente -, como no que se refere ao handprint, de como as nossas soluções e serviços ajudam os clientes a serem ainda mais sustentáveis.”, completa Ajeje.

Mix de negócios dão suporte durante períodos de crise e oferecem novas oportunidades

A Chem-Trend não se limita apenas ao desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes especializados, mas também a uma linha de produtos auxiliares para diversos setores como: borrachas, pneus, poliuretanos, fundição, madeira, compósitos e termoplásticos. “A nova planta da empresa, inaugurada em 2016, fornece produtos para toda a América do Sul e África do Sul. Embora seus negócios estejam bastante relacionados com a cadeia do setor automobilístico (equipamentos originais + after market), o que permitiu crescimentos significativos nos últimos anos, a Chem-Trend conta com um mix de atuação amplo, que fornece alternativas e oportunidades em períodos de crise”, adiciona o CEO Paulo Noce.

Outro fator que contribui para o bom desempenho da empresa é o investimento em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) e a constante renovação de portfólio. A cada ano, 500 produtos são lançados e, a cada cinco, a renovação é total.

“Somos uma empresa global, com atuação nos cinco continentes. A interação e troca de informações diárias entre as equipes permite o bom andamento e o sucesso da organização. Porém, buscamos atuar de forma mais regionalizada possível, visando o melhor atendimento e entendimento das necessidades e demandas específicas de cada mercado”, finaliza o VP Miguel Psillakis.

A Chem-Trend é uma organização global com foco no desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes para uso nas indústrias de borracha, pneus, poliuretano, compósitos, termoplásticos e fundição sob alta pressão. No Brasil desde 1986, a Chem-Trend mantém em sua planta, em Valinhos (SP), a produção, venda, administração, atendimento e todo o suporte técnico aos seus clientes. A Chem-Trend do Brasil fornece agentes desmoldantes, lubrificantes e limpadores a todo mercado nacional, América do Sul e África do Sul.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Chem Trend

Curta nossa página no

Wortex apresenta equipamentos com diferenciais competitivos e tecnológicos durante a Interplast 2018

30/07/2018

A Wortex participa da Interplast com a exposição das Linhas: Challenger Recycler, Challenger Compounder, moinhos, roscas e cilindros. A Challenger Recycler Geração II processa uma grande variedade de resíduos de filmes lisos, impressos e metalizados, tais como:  PE, LLDPE, LDPE,  MDPE,  HDPE,  BOPP,  PP,  PVC,  Ráfia,  Não Tecidos,  Nylon,  Polinylon,  Filmes de multicamadas. Materiais sólidos de injeção e sopro podem ser dosados no filme. Segundo a Wortex, o diferencial da linha é a capacidade de processar materiais plásticos rígidos e flexíveis com eficiência e baixo custo operacional. Podendo processar 100% de materiais flexíveis, 100% de materiais rígidos ou aglutinados ou 80% de material flexível com adição de até 20% de material rígido.

A Linha Challenger Compounder é uma extrusora mono rosca, idealizada para substituir com qualidade e eficiência algumas máquinas de dupla rosca a um custo-benefício extremamente vantajoso, afirma a empresa. A linha é projetada para as indústrias que necessitam desenvolver e compor suas próprias blendas ou granular plásticos rígidos (injeção, sopro e extrusão).

Outro item que será apresentado é a linha própria do Moinho Wortex, desenvolvido com o objetivo de ampliar a eficiência na moagem, a baixo consumo energético. Os moinhos possuem corte em “V” com facas rotativas e fixas, ajustadas fora do moinho por meio de dispositivo de alinhamento, evitando ajustes dentro do próprio moinho. Outro diferencial é o fácil acesso à peneira que facilita a sua troca e limpeza, garante a fabricante.

A Wortex expõe ainda roscas e cilindros (monos e duplos) bimetálicos e nitretados para máquinas de injeção, sopro e extrusão executados em equipamentos de precisão, com diâmetros de 25mm a 400mm e comprimentos de até 10.000mm. De acordo com a empresa, os componentes são fabricados com aços com tratamentos especiais, adequados à matéria-prima processada e ligas bimetálicas que, incorporadas nas roscas e nos cilindros, garantem longa durabilidade, alta precisão de alinhamento e CE concentricidade, máxima resistência à abrasão e corrosão.

A Wortex atua ainda com projetos especiais de roscas desenvolvidos de acordo com as necessidades de cada cliente, considerando produtividade, plastificação e homogeneização.

Fundada em 1976, em Campinas, SP, a Wortex é uma empresa 100% nacional que fabrica equipamentos para extrusão, reciclagem, granulação, moinhos, roscas e cilindros para injeção, sopro e extrusão. A Wortex tem knowhow para implementar linhas completas de reciclagem em empresas, principalmente com plásticos do pós-consumo, aparas e rejeitos da produção, evitando o seu acúmulo em aterros sanitários. . Os equipamentos também são certificados pela norma NR12.

Fonte: Interplast

Curta nossa página no

Chem-Trend apresenta na Interplast 2018 portfólio de soluções em desmoldantes, agentes de purga e limpeza de moldes

25/07/2018

Líder em agentes desmoldantes e especialidades químicas traz ao evento da indústria de plásticos duas linhas exclusivas de produtos

A Chem-Trend, empresa do Grupo Freudenberg, anuncia sua participação na Feira Interplast 2018, apresentando suas linhas de produtos para o segmento de termoplásticos: Lusin® e Ultra PurgeTM. O evento ocorre de 14 a 17 de agosto, nos Pavilhões da Expoville em Joinville (SC).

Com o objetivo de consolidar as marcas e promover soluções personalizadas, a empresa traz um portfólio abrangente, que inclui agentes desmoldantes, agentes de purga, limpadores de molde, lubrificantes e protetivos de molde. O destaque fica por conta dos agentes de purga, que, segunda a empresa, apresentam eficiência para todos os tipos de polímeros, aplicações e segmentos industriais. Os produtos podem ser aplicados nos processos de limpeza de extrusoras, máquinas de moldagem por injeção e em processos por extrusão, sopro ou laminação.

Com aplicações especiais para o ramo automotivo, os produtos da Chem-Trend viabilizam soluções como mudanças de cores escuras e claras, são de fácil manuseio e eficazes em purga de roscas, cilindros e câmeras quentes, afirma a empresa.

No setor de embalagens, a empresa afirma que seus produtos customizados possuem alto poder de preenchimento nos moldes, permitindo mudanças com os equipamentos de produção em movimento.

Rodrigo Bombonatti, gerente de vendas da Chem-Trend, afirma: “queremos oferecer aos nossos clientes o que há de melhor para o setor de termoplásticos, e isso se torna possível com as linhas Lusin® e Ultra PurgeTM, que auxiliam a reduzir custos entre 50% e 70% em algumas etapas dos processos produtivos, devido à diminuição do consumo de material e tempo de parada das máquinas”.

Para Patrícia Ajeje, diretora de Vendas da Chem-Trend no Brasil, “a Interplast é uma feira de grande credibilidade e abrangência para toda a indústria do plástico. A presença da empresa é muito importante por ser uma oportunidade única de apresentar soluções que garantem os melhores resultados nas linhas de produção dos nossos clientes”, finaliza.

Serviço:
Interplast (Feira do Plástico)
Local: Pavilhões da Expoville – Joinville, SC
Data: de 14 a 17 de agosto
Horário: 14h às 21h
Localização na feira: Estande 512

Fonte: Assessoria de Imprensa – Chem Trend

Curta nossa página no

Piovan destaca modernos dosadores gravimétricos e a nova linha de chillers compactos da Aquatech

13/07/2018

O destaque no estande da Piovan na Interplast será a solução de dosagem e mistura Quantum, a nova geração de dosadores gravimétricos por batch de alta precisão. De acordo com a Piovan, o Quantum é uma linha compacta, flexível e fabricada em aço inox, tendo sido patenteado pela empresa. A solução diferencia-se pela homogeneidade, troca rápida de material e simplificação das operações de limpeza, afirma a empresa, destacando que o Quantum é imune a vibrações e foi fabricado para suportar as possíveis vibrações provenientes das máquinas transformadoras, garantindo precisão da mistura, mesmo sob condições extremas. Com capacidade de produção de 70 a 800 kg/h, o Quantum oferece a mais recente tecnologia, eficiência energética e operacional em dosagem e mistura, garante o fabricante.

Outro destaque no campo da refrigeração industrial é a Slim, a nova geração de chillers da Aquatech, que, segundo a Piovan, combina capacidade de refrigeração, tamanhos reduzidos e elevada eficiência energética. Condensados a ar ou água e capacidade de refrigeração até 85.000 kcal/h, a linha Slim possui dois circuitos frigoríficos independentes, condensadores micro canal e bombas de alto rendimento. De acordo com o fabricante, a construção robusta, 100% em aço galvanizado, permite instalação em ambiente externo e atende a todos os requisitos de aplicação industrial.

Além dessas linhas em destaque, outras soluções e sistemas para manuseio, transporte e desumidificação de materiais também serão expostos. A linha completa de produtos abrange soluções para alimentação e transporte, secagem e desumidificação, dosagem e mistura, granulação, controle de temperatura, refrigeração de processos industriais, softwares de supervisão para controle da planta e instrumentação de análise. As soluções são aplicáveis a diferentes indústrias como preformas e garrafas PET, embalagens rígidas, peças automotivas, peças técnicas, soluções médicas, termoformagem e chapas técnicas, filmes flexíveis, tubos, perfis e cabos, fibras e cintas, reciclagem e compostos.

O Grupo Piovan atua no mercado plástico desde 1964, e se estabeleceu no Brasil em 1982. Ao longo os anos especializou-se em tecnologia para equipamentos auxiliares para os mais diversos processos de transformação de polímeros. No campo da refrigeração industrial, a Aquatech é a empresa do grupo especializada em soluções e sistemas industriais de arrefecimento para a indústria do plástico, alimentos e bebidas. Oferece equipamentos como chillers, dry coolers, termochillers, soluções integradas, grupos de bombeamento, além de acessórios e softwares. Nos últimos anos, a empresa tornou-se uma organização multinacional com sete fábricas na Itália, Brasil, Estados Unidos, Alemanha e China, 26 filiais e representantes em mais de 70 países.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Piovan apresenta novo controlador gravimétrico para produção de filmes

10/04/2018

O novo dosador gravimétrico por batch com controle contínuo da extrusão, Quantum E, completa a nova geração de unidades dosadoras da Série Quantum que foram introduzidas no mercado pela Piovan em 2015. A empresa afirma que o seu novo dosador combina em um único sistema de alta precisão, a versatilidade da dosagem gravimétrica com a exatidão dos sistemas de perda de peso contínuo. Segundo a Piovan, o Quantum E apresenta as seguintes características:

• Modularidade: o controle do Quantum E pode gerenciar de 1 a 8 estações de dosagem.
• Precisão: pesagem precisa e rastreabilidade completa de cada componente da mistura.
• Fácil de usar, de limpar e de manter: o recipiente de pesagem e o eixo do misturador podem ser removidos sem a utilização de ferramentas e são completamente acessíveis, assim como a câmera misturadora. As células de carga são equipadas com um sistema de limpeza automatizado integrado (patente pendente) que entra em operação após cada ciclo.
• Sem desperdício de material: o novo design do sistema de descarga, permite esvaziamento total do funil, sem deixar resíduos; o material é transportado de maneira eficaz, sem estresse mecânico ou risco de esmagamento do grão.

Inovação e versatilidade

Segundo a Piovan, o Quantum E oferece uma grande versatilidade graças às 8 estações de dosagem: cada estação é adicionada ou substituída através de uma simples operação mecânica, sem a necessidade de manobras complexas e em total condição de segurança para o operador e para os equipamentos ao redor.

O sistema de dosagem gravimétrica por batch pesa cada ingrediente da mistura de forma precisa, enquanto a tecnologia por perda de peso oferece controle constante do peso por metro do filme.

Em comparação com sistemas similares, afirma a Piovan, o Quantum E apresenta como vantagens:
• Graças às duas células de carga com tecnologia por perda de peso, o consumo do material é medido continuamente e de forma gravimétrica;
•Pode se instalar estações de rosca em substituição às estações com guilhotina, para modular precisamente a micro dosagem dos ingredientes.

O Quantum E, segundo a Piovan, é um sistema ideal de dosagem gravimétrica para produção de filmes flexíveis para embalagem, visto que ele integra soluções tecnológicas que oferecem a melhor precisão de dosagem e máximo controle do peso por metro. Manter constante a proporção do peso/metro, é essencial para a extrusão de filmes balão e gera economia de material, otimização do uso de material e redução de desperdício.

O Quantum E pode ser controlado remotamente através de uma conexão com a internet e também está pronto para integração completa com o Winfactory 4.0, o novo software da Piovan para supervisão dos processos de produção adequado para Smart Factory. O Winfactory 4.0 permite gerenciamento total da planta e medições de uso de material e consumo de energia. Graças ao protocolo OPC-UA, o Winfactory estabelece comunicação entre a produção, a estrutura de informação e distribuição, permitindo permutabilidade de dados e gerenciamento dos equipamentos e processos via dispositivos móveis. Desta forma é possível controlar cada parâmetro de processo de forma virtual em tempo real.

A Piovan, com sede em Santa Maria di Sala, Veneza, foi fundada em 1934 como uma oficina metalúrgica; em 1964 entrou para a indústria do plástico e especializou-se na fabricação de equipamentos auxiliares. Hoje, a empresa possui 7 fábricas localizadas na Itália, Alemanha, Brasil, China e EUA, 26 subsidiárias, representantes em mais de 70 países e 950 colaboradores no mundo todo. As empresas do Grupo são: Piovan (Itália), Universal Dynamics (EUA), FDM (Alemanha), Energys (Itália), Aquatech (Itália), Penta (Itália).

Fonte: Piovan

Curta nossa página no

Nordson indica Implastic como representante no Brasil para a marca BKG

08/08/2017

Equipe Implastic (da esquerda para a direita): Gustavo Martins, Daniel Freytag, Stephanie Ostrand, Edilena Netto, Iracema Staciuk, Joāo Trigo e o presidente da empresa, Percy Freytag.

A Nordson Corporation nomeou a Implastic Comércio Internacional Ltda. como sua representante no Brasil para os produtos de manuseio de materiais fundidos da BKG®.

A Implastic oferecerá serviço de vendas e suporte técnico para a linha de troca-telas, bombas de engrenagens, misturadores estáticos, peletizadores e fornos de limpeza da Nordson.

“A Implastic traz 25 anos de experiência em processamento de plásticos, incluindo extenso trabalho com empresas envolvidas em extrusão e transformação”, afirma Kevin Tuttle, gerente de desenvolvimento comercial. “Nossa marca BKG de produtos incorpora diversos componentes para esses e outros processos, permitindo que a Implastic atue como única fonte de soluções múltiplas para aumentar a produtividade.”

A Implastic, presidida por Percy Ronald Freytag, já representa fornecedores de extrusoras, sistemas para cura UV, monitoramento, inspeção, medição, impressão e outros processos. A empresa está localizada em Barueri, no estado de São Paulo.

A Nordson Polymer Processing Systems fornece aos clientes componentes projetados para fundir, homogenizar, filtrar, medir e dar forma a plásticos e materiais de revestimento fluido. A Nordson Corporation aproveita a experiência da indústria de plásticos como um todo obtida por meio de uma série de aquisições estratégicas para oferecer um portfólio amplo e único das principais tecnologias do setor. A Nordson fornece uma ampla gama de produtos de precisão de fluxo fundido — desde roscas e cilindros para extrusão e molde para injeção a sistemas de filtragem, bombas e válvulas — para as matrizes de extrusão e sistemas de peletização a fim de atender às necessidades em constante evolução da indústria de polímeros.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Nordson

Curta nossa página no

Vendas da indústria italiana de máquinas de processamento de plásticos cresce na faixa de dois dígitos no primeiro trimestre de 2017

29/06/2017

Exportações italianas de máquinas e equipamentos para processamento de plásticos e borrachas e moldes (por áreas principais – em milhões de euros)

O Centro de Estudos da Amaplast (Associação industrial italiana que congrega 160 fabricantes de máquinas de processamento de plásticos e borracha e moldes, anteriormente conhecida como Assocomaplast) analisou dados de comércio exterior publicados pelo ISTAT em relação ao primeiro trimestre do ano atual.

Em comparação com o mesmo período de 2016, as importações aumentaram 15,3% e as exportações 16,3%.

A clara tendência ascendente das exportações prossegue o que foi registrado em 2016 e o desempenho na casa de dois dígitos é um sinal particularmente bom para os fabricantes italianos, que vendem 70% ou mais de seus produtos para compradores em outros países. As vendas em 2016 totalizaram 4,2 bilhões de euros, retornando aos níveis pré-recessão –

As exportações aumentaram significativamente para quase todas as categorias de máquinas – com exceção de prensas de pneus e plantas de espuma – variando desde acima de 8% para prensas até mais de 70% para máquinas de termoformagem.

Analisando os dados em termos geográficos, as exportações globais mostram um crescimento robusto (cerca de 20%) para a Europa (que é o mercado primário), com um valor que aumentos de 380 a 455 milhões de euros. Alemanha, Espanha e Romênia registraram os aumentos mais expressivos (notando-se também que a Rússia está finalmente mostrando sinais positivos de recuperação).

As vendas para a América Central e do Sul aumentaram 53% para 47 milhões de euros, com um crescimento significativo das exportações para o Brasil e uma notável abertura do mercado cubano.

As exportações para a África aumentaram 21%, atingindo um valor de 33 milhões de euros, com a Argélia, a Nigéria e África do Sul liderando as aquisições.

A tendência ascendente nas vendas para a Ásia e a América do Norte, da ordem de + 4%, foi um tanto menos pronunciada. No entanto, essas zonas absorvem uma parcela considerável das exportações italianas no setor: em janeiro-março de 2017, os mercados da Ásia e Oriente Médio (incluindo a região da Oceania) e os países do NAFTA representaram 14% do total.

A pesquisa realizada entre os membros da Amaplast no final de maio, comparando o semestre atual com o mesmo período em 2016, destaca uma tendência positiva tanto nas receitas – com crescimento 39% reportando crescimento e 46% reportando estabilidade – como nos pedidos de compra – com 42 % relatando crescimento e 52% relatando estabilidade.

“Não esperamos que as exportações mantenham um crescimento de dois dígitos até o final do ano”, afirma o presidente da Amaplast, Alessandro Grassi “, mas, de qualquer forma, esse é certamente um sinal muito importante que confirma o crescimento contínuo no setor, apoiado também pela tendência positiva no mercado interno registrada nos meses anteriores “.

Fonte: Amaplast

Curta nossa página no

Chem-Trend apresenta na Feiplastic portfólio de soluções inovadoras

31/03/2017

Fabricante de agentes desmoldantes e especialidades químicas traz ao evento duas linhas de produtos exclusivas

Participando pela primeira vez como expositora individual, além do histórico de presença nas edições anteriores em parceria com outras empresas, a Chem-Trend, empresa do Grupo Freudenberg, apresenta na Feira Feiplastic 2017 suas linhas de produtos para termoplásticos Lusin® e UltrapurgeTM, adquirida no final de 2016. A feira ocorre de 3 a 7 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP).

Com o objetivo de consolidar as marcas e promover soluções inovadoras e personalizadas, a empresa traz um portfólio abrangente que inclui agentes desmoldantes, agentes de purga, limpadores de molde, lubrificantes e protetivos de molde. O destaque fica por conta dos agentes de purga, aplicados nos processos de limpeza de extrusoras e máquinas de moldagem por injeção e em processamento por extrusão, sopro ou laminação.

Rodrigo Bombonatti, gerente de vendas da Chem-Trend, afirma: “queremos oferecer aos nossos clientes o que há de melhor para o setor de termoplásticos, e isso se torna possível com as linhas Lusin® e UltrapurgeTM, que auxiliam a reduzir custos entre 50% e 70% em algumas etapas dos processos produtivos, devido à diminuição do consumo de material e tempo de parada das máquinas”.

Para Ana Clara Cordeiro, diretora de Vendas da Chem-Trend no Brasil, “estar presente na Feiplastic é muito importante e estratégico para a empresa, por ser uma feira de grande credibilidade e abrangência para toda a indústria do plástico. Além de ser uma oportunidade única de mostrarmos soluções que garantem os melhores resultados nas linhas de produção dos nossos clientes”, finaliza.

Serviço:
Feiplastic (Feira Internacional do Plástico)
Local: Expo Center Norte, São Paulo
Data: de 3 a 7 de abril
Horário: 11h às 20h

Fonte: Assessoria de Imprensa – Chem Trend

Curta nossa página no

Piovan apresenta novidades na Plastico Brasil

23/03/2017

A Piovan participa da Feira Plástico Brasil apresentando uma série de novidades. Entre elas o Easylink, a nova linha de estações de acoplamento automático para alimentação centralizada. O equipamento  oferece transporte automático da matéria prima plástica de forma eficiente e econômica, afirma a empresa.  As estações automáticas de acoplamento Easylink são totalmente construídas com tubos rígidos e componentes revestidos de cerâmica que garantem melhor desempenho, resistência ao desgaste e ausência de contaminação, assegura a Piovan. São projetadas para pequenas ou grandes capacidades de transporte. Com design vertical compacto, ocupa uma área bem pequena mesmo para o maior range (60 posições de entrada e saída).

No campo de dosagem a empresa está apresentando o Quantum, da nova geração de dosadores gravimétricos de precisão. Quantum é um misturador gravimétrico por batch, compacto e flexível. A fabricação é em aço inoxidável e, segundo a Piovan, oferece dosagem precisa, boa homogeneidade, troca rápida de material e operações de limpeza  simplificadas. Imune às vibrações, o Quantum foi projetado para suportar possíveis vibrações provenientes das máquinas transformadores, garantindo precisão da mistura, mesmo sob condições extremas, afirma a empresa. Com capacidade de produção entre 70 e 800 kg/h e projeto patenteado, representa um passo adiante em termos de tecnologia, eficiência energética e operacional em dosagem e mistura.

Umas das principais inovações, lançada na feira K em Outubro passado, será apresentada em primeira mão ao mercado Brasileiro: o Winfactory 4.0, um software de supervisão da Piovan para “smart factory”. Trata-se de um novo aplicativo preparado para a “Indústria 4.0”; um conjunto de procedimentos e tecnologias que faz a integração digital entre as estruturas de produção, distribuição e informação. A Piovan implantou este conceito com a evolução de seu software de controle e gestão de processos, criando redes de comunicação com capacidade de troca que permitem conexões entre as diversas partes do ecossistema tecnológico. Winfactory 4.0 é a solução da Piovan para evolução da indústria de transformação de plásticos.

No campo de refrigeração, Aquatech, empresa do Grupo Piovan dedicada à refrigeração de processos industriais, apresenta seus mais recentes desenvolvimentos e soluções de alta eficiência energética. Em destaque, a solução Flexcool, que oferece redução dos ciclos da máquina transformadora, composta pelo Aryacool, um dry cooler que é uma alternativa eficaz para as torres de refrigeração.  O Aryacool oferece inúmeras vantagens para o processo de resfriamento de água industrial. Com um processo inteligente através do resfriamento da água em circuito fechado, mantêm a limpeza da água de processo, sem desperdícios e reduz os custos operacionais, afirma a empresa; o termorefrigerador Digitempl integra funções de aquecimento, resfriamento e free-cooling. Com duas saídas independentes e temperaturas entre 6°C a 90°C, com condensação por água, estão disponíveis na versão mono e duplo circuito.

Outro destaque é a Slim, a nova linha de chillers compactos adequados para aplicações ao lado da máquina. Os chillers da série Slim combinam alta capacidade de refrigeração e tamanhos reduzidos com alta eficiência energética, afirma a empresa.

Fonte: Piovan

Curta nossa página no