Archive for the ‘Petróleo e Gás’ Category

Petrobras negocia conclusão do Comperj com petrolífera chinesa CNPC

04/07/2017

A Petrobras está negociando uma parceria com a gigante petrolífera chinesa CNPC (China National Petroleum Company) para a conclusão das obras do Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro).

O acordo entre as duas empresas foi anunciado pela Petrobrás na manhã desta terça-feira, mas o comunicado afirma apenas que foi assinado um Memorando de Entendimentos para iniciar negociações para a realização de uma parceria estratégica.

No comunicado oficial, a Petrobrás limitou-se a informar que o Memorando prevê “avaliar, conjuntamente, oportunidades no Brasil e no exterior em áreas-chaves de interesse mútuo, beneficiando-se de suas capacidades e experiências em todos os segmentos da cadeia de óleo e gás, incluindo potencial estruturação de financiamento”.

Em virtude de restrições orçamentárias, a Petrobras havia retirado o Comperj de seu planejamento estratégico, limitando-se a investir em uma Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN), destinada a receber e processar o gás natural produzido no pré-sal. A construção da UPGN será feita com investimentos próprios da Petrobras, da ordem de US$ 2,5 bilhões a US$ 3 bilhões, em Itaboraí, na região metropolitana do Rio.

O projeto original, todavia, incluía a construção de uma refinaria e um complexo petroquímico. As negociações com a CNPC dizem respeito à conclusão da refinaria, que tem capacidade projetada para processar 165 mil barris de petróleo por dia em sua primeira fase. O Comperj foi um dos projetos-alvo das investigações da Operação Lava-Jato e teve suas obras paradas desde 2014. Com obras interrompidas desde 2015, as instalações do Comperj apresentam sinais de deterioração, com a corrosão dos equipamentos e tubulações já instaladas. A Petrobras já colocou US$ 13 bilhões no empreendimento. Segundo uma fonte, a expectativa é que a construção da refinaria no Comperj necessite de investimentos da ordem de US$ 3,5 bilhões a US$ 4 bilhões.

A CNPC é sócia da Petrobrás na exploração de petróleo da área de Libra, a maior descoberta de petróleo no pré-sal da Bacia de Santos. Libra começará a produzir em fase de testes este ano. O acordo assinado em Pequim prevê ainda a análise conjunta de outras áreas de exploração e produção de petróleo.

Segundo fonte citada por “O Globo”, a CNPC manifestou maior interesse em fazer acordos com a Petrobras no segmento de de exploração e produção, aceitando participar do projeto do Comperj com uma participação minoritária. A parceria com a CNPC vinha sendo negociada há cerca de seis meses pela Petrobras.

“As parcerias estratégicas têm como benefícios potenciais o compartilhamento de riscos, o aumento da capacidade de investimentos na cadeia de óleo e gás, o intercâmbio tecnológico e o fortalecimento da governança corporativa”, disse a Petrobras no comunicado de imprensa.

“Para a CNPC, a parceria com a Petrobras reforça seu interesse em investir e aumentar suas atividades no Brasil”, conclui o texto.

A CNPC é a maior empresa integrada no segmento de Petróleo e Gás da China, com atividades nos setores de upstream, midstream, downstream, marketing e comercialização, prestação de serviços petrolíferos, engenharia, construção e fabricação de equipamentos. A CNPC tem presença em mais de 70 países.

Fontes: Folha de São Paulo e O Globo

Curta nossa página no

Anúncios

Grupo Solvay avança no setor de petróleo & gás e faz o lançamento mundial de polímero especial resistente a 150º C para aplicações em risers e mangueiras umbilicais

25/10/2016

Solvay-Rio-Oil-and-Gas

Empresa mostra amplo portfólio de soluções para o setor de petróleo e gás

Um polímero especial da linha Solef ® PVDF, com resistência inédita a temperaturas de até 150º C, é a principal novidade do Grupo Solvay na Rio Oil&Gas 2016 (de 24 a 27 de outubro, no Centro de Convenções do Riocentro – RJ). O produto, usado como camada de barreira em linhas flexíveis (risers) e mangueiras umbilicais, representa um grande avanço tecnológico no setor de extração de petróleo, uma vez que a temperatura máxima suportada por polímeros tradicionalmente na indústria do setor é de até 130º C.

O produto, que já está em processo de validação e homologação junto aos produtores de petróleo e gás, fornece aos risers e umbilicais, a necessária resistência térmica, mecânica e química, além de baixa permeabilidade, que são propriedades fundamentais para aplicação nessa indústria. O Solef® PVDF também pode ser empregado em revestimentos internos e externos, fios e cabos.

Portfólio variado e inovador

Além do novo polímero especial e do amplo portfólio de produtos da unidade de negócios Specialty Polymers, o Grupo Solvay apresenta uma série de soluções para o setor, fornecidas por outras cinco unidades de negócios.

Para o mercado de petróleo e gás, a empresa oferece centenas de linhas de produtos e milhares de formulações que atendem as especificações técnicas durante todas as etapas de exploração e produção de petróleo, estimulação de poços, transporte e refino.

“Nosso objetivo é reforçar a presença da Solvay como provedora de soluções integradas para a indústria de petróleo e gás”, diz Neville Camargo, gerente de marketing da Solvay Specialty Polymers e coordenador do Grupo Transversal de Oil&Gas da Solvay na América Latina.

Entre os destaques da empresa está a tecnologia PROBAN®, desenvolvida pela unidade de negócios Technology Solutions e que confere propriedade retardante a chamas para aplicação em tecidos de algodão e algodão misto, na confecção de soluções seguras em EPI´S têxteis.

Os uniformes profissionais fabricados a partir de tecidos PROBAN® oferecem conforto, proteção duradoura, segurança e tranquilidade aos usuários. A empresa exibirá em seu estande pela primeira vez um uniforme criado com essa tecnologia destinado aos profissionais do setor de petróleo e gás.

A unidade de negócios Poliamida & Intermediários apresenta a linha Rhodiamine™, que oferece, dentre diversos produtos e aplicações, soluções para melhorar o desempenho do campo petrolífero e aumentar a eficiência do processo de perfuração. Essa linha de produtos conta com tecnologia eficaz para a inibição do inchamento da argila que entra em contato com os fluidos, solucionando problemas enfrentados pela indústria de perfuração na construção de poços de petróleo e gás.

A unidade de negócios Novecare desenvolve surfactantes especiais, polímeros naturais e solventes “verdes” para as principais empresas de petróleo. São produtos e tecnologias inovadores para extração de petróleo e gás, de modo mais competitivo e sustentável, com um avançado gerenciamento de água. Com a aquisição e recente integração da empresa norte-americana Chemlogics, o Grupo Solvay ampliou significativamente sua oferta de tecnologias em redutores de fricção, não emulsificantes e tecnologias naturais de extração.

Com um amplo portfólio de solventes oxigenados, a unidade global Coatis vem ampliando soluções para o mercado de Oil & Gas, principalmente com a nova linha de solventes sustentáveis Augeo® – de alto poder de solubilização, melhor perfil de SSMA (Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente) e de flamabilidade, sendo a melhor alternativa de fonte renovável aos glicóis atualmente utilizados neste mercado. A Coatis oferece também o Solsys, que é uma solução de solubilização com tecnologia Solvay.

Já a Peróxidos do Brasil, joint venture do grupo Solvay com a PQM (Produtos Químicos Makay), marca presença com sua linha de peróxidos de hidrogênio, cálcio, magnésio e ácido peracético, que também são utilizados na fase de extração de petróleo e gás e estimulação de poços, além de tratamento de água e efluentes derivados da produção de petróleo offshore e do processamento onshore.

Ambição de crescimento

A meta do Grupo Solvay é dobrar sua participação em vendas para o setor no próximo triênio na região da América Latina. O mercado projeta uma recuperação para o setor de petróleo e gás, além de haver potencial no pré-sal, que já está atraindo novos investidores.

“Nossa expectativa é que novas oportunidades deverão ser mais evidentes principalmente após a aprovação da não obrigatoriedade de 30% de participação da estatal brasileira na exploração do pré-sal”, afirma Neville Camargo, gerente de marketing da Solvay Specialty Polymers e coordenador do Grupo Transversal de Oil&Gas da Solvay na América Latina.

Para o suporte técnico-científico do desenvolvimento dos negócios voltados ao setor de petróleo e gás, o Grupo Solvay conta com um grande centro de pesquisas e inovações instalado em Paulínia (SP), que atua em rede com os demais 20 centros de pesquisas mundiais da empresa.

No local, a empresa implantou recentemente um laboratório de desenvolvimento de aplicações específicas para petróleo e gás, além de um laboratório de biotecnologia industrial, cuja missão é pesquisar novas moléculas a partir de biomassa vegetal e sua transformação em produtos para os diversos mercados de atuação da Solvay.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Evonik apresentará linhas de produtos para óleo e gás durante a Rio Oil & Gas

28/09/2016

evonik-rio-oil-gas

A Evonik marcará presença em mais uma edição da Rio Oil & Gas Expo and Conference, que será realizada de 24 a 27 de outubro, no Riocentro – Centro de Convenções do Rio de Janeiro (RJ).

O objetivo é consolidar suas marcas voltadas para o mercado de óleo e gás (O&G), demonstrando aos visitantes da feira como os polímeros de alta performance podem ser aplicados nesse mercado com eficiência e vantagens em relação a outros materiais.

No estande haverá amostras e serão apresentadas seções de tubos flexíveis, umbilicais, de aço contendo “liner” polimérico, além de tubulações revestidas com os polímeros Evonik. “Esta é uma maneira de nos aproximarmos do usuário final, mostrando exemplos práticos que são vivenciados por eles no dia a dia”, destaca Vitor Lavini, Chefe de Produto da linha de Polímeros de Alta Performance na América do Sul, da Evonik.
 
Soluções que serão destaque

Entre as soluções que serão apresentadas está a poliamida 12 (PA12) Vestamid®, indicada para aplicação na camada de barreira e na camada externa de tubos flexíveis; em mangueiras multicamadas (MLT – Multi Layer Tubing) para umbilicais; em tubos de grande diâmetro para a distribuição de gás; e como “liner” polimérico em tubos metálicos.

O destaque da linha ficará por conta do Vestamid NRG 1001, uma PA12 plastificada largamente empregada na produção de risers e flow lines (dutos flexíveis) offshore. Este grade de Vestamid NRG pode ser utilizado na camada de barreira, na camada externa e para a produção das fitas antiatrito (“anti wear tapes”) que ficam entre as camadas metálicas. Hoje, já existem mais de 1.000 quilômetros de dutos flexíveis produzidos e instalados em todo o mundo com o Vestamid NRG 100, afirma a Evonik.

Trata-se de uma poliamida de alta confiabilidade, segundo a empresa. Por possuir elevada resistência à hidrólise e altas resistências mecânica e química, estende a vida útil das tubulações. O Vestamid NRG 1001 atende e excede as normas relevantes da indústria de Oil & Gas e é a primeira poliamida 12 a conseguir o certificado Lloyds (“Lloyds Certificate”) para aplicações em dutos flexíveis, assegura a fabricante do material.

O sistema multicamadas de PA12 e fluorpolímeros para mangueiras em umbilicais será outra solução de destaque no estande da Evonik. Devido à baixa permeabilidade dos fluorpolímeros, esse sistema composto por duas camadas – uma de PA12 e outra de fluorpolímero – dá maior segurança aos umbilicais uma vez que reduz a contaminação cruzada de um fluido com outro, segundo a empresa. Mais um dado importante a ressaltar é o fato da adesão entre camadas ser feita por meio de ligações químicas, eliminando-se, desta forma, a possibilidade de delaminação.

Adequado para aplicações que requerem exigências químicas, mecânicas e térmicas extremamente elevadas, como as do mercado offshore, o poliéter-éter-cetona (PEEK) Vestakeep®, será outro destaque da Evonik durante a Rio Oil & Gas. Mais leve do que o aço, é indicado principalmente na produção de anéis de vedação, válvulas e peças de compressão.

Fonte – Evonik

Curta nossa página no

Victrex exibe lançamentos na linha de produtos e serviços voltados aos polímeros PEEK na K 2016

28/09/2016

Feira que ocorre em outubro, na Alemanha, terá como destaque o novo composto Victrex AE 250 desenvolvido para a indústria aeroespacial

victrex-magmaA Victrex, fornecedora de soluções em polímeros PAEK de alta performance, apresentará novidades em seu portfólio na K 2016, feira internacional de plásticos e borracha. O evento acontece em Düsseldorf,na Alemanha, de 19 a 26 de outubro. Além de novos tipos de polímeros Victrex PEEK e suas diversas aplicações, o foco estará nas soluções integradas do futuro e, em particular, nas novas tecnologias. Entre elas, o novo composto Victrex AE 250, desenvolvido para a indústria aeroespacial, cuja produção utiliza tecnologia de moldagem híbrida. Soluções para engrenagens e  e-motors serão destaque no stand automotivo, enquanto novos tipos de polímero PEEK e uma estrutura de compostos PEEK expandida estarão em evidência na seção da indústria de petróleo e gás.

O stand da Victrex, localizado no salão 5 (stand B09), exibirá essas novas soluções, tecnologias e serviços baseados no PAEK, com exemplos de seu uso crescente em aplicações críticas. Tendo começado há mais de 35 anos como o primeiro produtor comercial do PEEK termoplástico de alta performance, a empresa hoje aplica uma abordagem específica que utiliza conhecimentos especializados sobre materiais para oferecer produtos e soluções integradas para as indústrias. Pesquisa e desenvolvimento orientados e combinados aos investimentos e voltados principalmente para os programas industriais e médicos da Victrex também permitiram o estabelecimento de parcerias estratégicas como, por exemplo, com a Magma Global Limited na indústria de petróleo e gás.

Óleo e gás: Magma oferece a mais longa tubulação com base em PEEK

Recentemente, a estrutura mais longa do mundo com base em Victrex PEEK foi desenvolvida sob a forma de spoolable m-pipe® pela Magma Global Limited, que proporciona uma tubulação de intervenção submarina de custo competitivo e confiável, segundo a empresa. Esta tubulação de composto flexível pode ser usada em condições extremas e em profundidades de até 3.000 metros (10.000 pés), suportando pressões de mais de 1.000 bar (15ksi), afirma a Victrex.

Enquanto isso, a Victrex está investindo em uma unidade de produção especificamente para compósitos. Ademais, a empresa apresenta novos polímeros para a indústria de petróleo e gás, incluindo um termoplástico que oferece gama única de propriedades em sistemas de vedação, seja em criogenia(até -196ºC) ou acima de 200°C, assegura a Victrex. Outro destaque é o Victrex OGS 125, especificamente desenvolvido para otimizar a moldagem por compressão de grandes vedações.

Aeroespacial: novos compostos Victrex

Os requisitos também são altos na indústria aeroespacial onde, por exemplo, especificações exatas têm de ser cumpridas para os suportes de peso na aeronave. Um objetivo primordial, além de confiabilidade, durabilidade e leveza, é a redução de custos. As vantagens obtidas na relação custo-benefício com produção e montagem de componentes individuais baseados em novas opções de design e fabricação, por exemplo, podem contribuir para atender esse anseio da indústria.

Precisamente nesse aspecto os recém introduzidos compostos Victrex AE 250, em várias formas de pré-impregnação, oferecem grande potencial para a indústria da aviação. Em combinação com a tecnologia de moldagem híbrida, suportes, grampos, clipes e caixas para estruturas primárias e secundárias podem ser fabricados em minutos, contrapondo o processo com materiais metálicos ou termofixos que pode levar horas. Em 2016, a Victrex apresentará estes novos compostos PAEK pela primeira vez na feira K 2016.

Automotivo: engrenagens e e-motors de custo eficiente e alto desempenho

O pacote completo de engrenagens com base em PEEK disponibilizado pela Victrex para a indústria automotiva desde o ano passado também será apresentado na K 2016. A empresa ampliou sua expertise por meio da aquisição de uma empresa especializada em engrenagens dos Estados Unidos, com p objetivo de oferecer serviços personalizados e completos para obter design preciso e rápido, desenvolvimento, testes e produção de engrenagens ao longo da cadeia de fornecimento.

Outra solução de futuro para e-motors, o filme APTIV, tem se destacado no setor automotivo. Usado como forro de ranhura para isolamento elétrico, o filme ultrafino à base de PEEK permite a utilização de 5% a mais de cobre em comparação com materiais utilizados até então. Segundo a Victrex, isto permite aumento da densidade de potência de motor do mesmo tamanho ou reduz a quantidade de espaço que ocupa, bem como diminui os custos até U$ 20 por motor.

Os filmes APTIV da Victrex têm sido utilizados com sucesso também na produção de aeronaves já há algum tempo. Outro setor que utiliza o material é a indústria eletrônica, como na membrana do micro alto-falante para mais de um milhão de dispositivos móveis. O material garante reprodução de som precisa – apesar da demanda por maior desempenho – e vida útil 300% maior do que a de outros materiais.

Fonte – Victrex

Curta nossa página no

Grupo Solvay lança produtos na Rio Oil&Gas 2016

03/08/2016

Solvay-Rio-Oil-and-Gas

O Grupo Solvay, para reforçar sua participação como fornecedor do setor de petróleo e gás, fará o lançamento de novos produtos e tecnologias na Rio Oil&Gas 2016 (de 24 a 27 de outubro, no Centro de Convenções do Riocentro (Pavilhão 4 – X16A).

A oferta do Grupo Solvay inclui produtos para exploração e produção de petróleo e gás, além de tecnologia de retardância a chama em uniformes profissionais (EPI) e tratamento de água e efluentes. São polímeros especiais, solventes, surfactantes e aditivos, especialidades químicas para têxteis e peróxidos de hidrogênio.

A principal novidade será o lançamento mundial de um polímero especial da linha Solef ® PVDF, resistente a temperaturas de até 150º C, usado como camada de barreira em linhas flexíveis (risers) e mangueiras umbilicais, afirma a Solvay.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Petrobrás deve anunciar em breve a venda de participação acionária na Braskem

13/01/2016

Segundo informações da “Folha de S.Paulo”, a Petrobras deverá anunciar ao mercado nos próximos dias o processo de venda de sua fatia de 36% na Braskem por cerca de R$ 5,8 bilhões. A Odebrecht, que detém 38,3% das ações da petroquímica, tem preferência na compra, mas enfrenta dificuldades financeiras devido à Operação Lava Jato. A empresa também tem como sócia o BNDESPar, braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que possui uma participação de 5%. De acordo com a “Folha”, a Petrobrás já contratou o banco Bradesco para servir como consultor financeiro e ajudar na busca de investidores interessados. No terceiro trimestre de 2015, a Braskem obteve um lucro líquido de R$ 1,482 bi, correspondente a um aumento de quase 6,5 vezes vezes em relação ao valor reportado no mesmo período de 2014. O mercado espera que a empresa também apresente resultados fortes no último trimestre de 2015,  como resultado da valorização do dólar e da queda do preço internacional do petróleo, que deixa mais barato o valor de referência da sua principal matéria-prima, a nafta.

Fonte: Folha de São Paulo / Agência Leia

Curta nossa página no

Microgrânulos de PEEK da Evonik são usados na fabricação de vedações para a indústria de óleo e gás

08/12/2015

Evonik_microgranulo

Material usado no processo de compressão a quente permite adição de reforços e aditivos

Vedações para óleo e gás de PEEK em tamanhos e comprimento padrão costumam ser produzidas através de três processos bem estabelecidos: moldagem por injeção, extrusão e moldagem por compressão a quente. Quando se quer um produto customizado, a moldagem por compressão a quente costuma ser escolhida em razão da redução dos custos associados à adaptação dos processos de produção adicionais. O VESTAKEEP® 5000 HCM representa uma melhora adicional do processo de moldagem por compressão a quente, proporcionando maior rendimento e melhor qualidade do produto final, afirma a Evonik

Eliminação de pontos pretos e melhora da resistência mecânica

Em forma de microgrânulos, o VESTAKEEP 5000 HCM apresenta a capacidade de minimizar ou até mesmo eliminar o ar que fica preso no molde de compressão a quente, segundo a Evonik. Os pós de PEEK tradicionais comumente empregados na moldagem por compressão a quente tendem a reter o ar no molde, o que pode causar a oxidação durante o processamento, fazendo com que o componente acabado apresente pontos pretos. A presença de pontos pretos pode causar retrabalho adicional ou, em casos extremos, fazer com que a vedação tenha que ser inutilizada. Além disso, relata a empresa, a medição da densidade aparente dos microgrânulos de VESTAKEEP 5000 HCM apresentou valores significativamente mais altos do que no caso do pó de PEEK padrão, resultando em melhores propriedades mecânicas, por exemplo, no alongamento na ruptura.

Microgrânulos abrem novas possibilidades

De acordo com a Evonik, outra vantagem associada aos microgrânulos VESTAKEEP 5000 HCM é a eliminação da etapa adicional de esmagamento dos grânulos para transformá-los em pó. Esse fato abre de imediato novas possibilidades para o desenvolvimento de compostos de microgrânulos PEEK reforçados com fibra de vidro ou até mesmo de compostos com aditivos de fluoropolímeros para a moldagem por compressão a quente. Isso não é possível com o pó de PEEK por causa da etapa de esmagamento, que destrói os efeitos positivos do reforço ou dos aditivos.

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Evonik destacou soluções para o mercado de óleo e gás durante a Offshore Technology Conference

17/11/2015

Evonik-OTC

Durante evento no Rio de Janeiro, a empresa expôs suas especialidades para o setor

A Evonik, uma das líderes mundiais em especialidades químicas, marcou presença em um dos eventos mais importantes do mundo para o desenvolvimento dos recursos offshore nas áreas de perfuração, exploração, produção de petróleo e proteção ambiental: a Offshore Technology Conference (OTC) – realizada de 27 a 29 de outubro, no Rio de Janeiro.

Realizada a cada dois anos, a OTC Brasil apresentou um extenso programa de conferências, com 39 sessões técnicas, 12 painéis e quatro almoços-palestras. Mais de 220 trabalhos foram apresentados, incluindo temas como geociências, sistemas de perfuração, processamento submarino e integridade de ativos, entre outros. A exposição contou com a participação de 160 empresas e organizações, de 16 países.

“Foi uma excelente oportunidade para apresentarmos nossas soluções para o mercado de óleo e gás a um público altamente qualificado e especializado. Nestas ocasiões, a troca de informações e experiências são essenciais para a empresa e clientes”, destaca Vitor Lavini, Chefe de Produto – Polímeros de Alta Performance América do Sul da Evonik.

Soluções apresentadas

Os visitantes da OTC tiveram a oportunidade de conhecer no stand da Evonik a poliamida 12 (PA12) VESTAMID®, indicada para aplicação na camada de barreira e na camada externa de tubos flexíveis; em mangueiras multicamadas (MLT – Multi Layer Tubing) para umbilicais; em tubos de grande diâmetro para a distribuição de gás; e como “liner” polimérico em tubos metálicos.

Um dos destaques da linha, VESTAMID NRG 1001, é uma Poliamida 12 plastificada largamente empregada na produção de risers e flow lines (dutos flexíveis) offshore. Este grade de VESTAMID NRG pode ser utilizado na camada de barreira, na camada externa e para a produção das fitas antiatrito (“anti wear tapes”) que ficam entre as camadas metálicas. Segundo a Evonik, por possuir elevada resistência à hidrólise e altas resistências mecânica e química, estende a vida útil das tubulações. Hoje, já existem mais de 1.000 quilômetros de dutos flexíveis produzidos e instalados em todo o mundo com o VESTAMID NRG 1001.

O sistema multicamadas de PA12 e fluorpolímeros para mangueiras em umbilicais foi outro destaque no stand da Evonik. Devido à baixa permeabilidade dos fluorpolímeros, esse sistema composto por duas camadas – uma de Poliamida 12 e outra de fluorpolímero – dá maior segurança aos umbilicais uma vez que reduz a contaminação cruzada de um fluido com outro, segundo a Evonik. Mais um dado importante a ressaltar é o fato da adesão entre camadas ser feita por meio de ligações químicas, eliminando-se, desta forma, qualquer chance de delaminação.

Adequado para aplicações que requerem exigências químicas, mecânicas e térmicas extremamente elevadas, como as do mercado offshore, o poliéter-éter-cetona (PEEK) VESTAKEEP®, também foi apresentado pela Evonik no evento. Mais leve do que o aço é indicado principalmente na produção de anéis de vedação, válvulas e peças de compressão, informa a fabricante.

A Evonik atua em mais de 100 países no mundo inteiro. No ano fiscal de 2014, mais de 33.000 colaboradores geraram vendas em torno de 12,9 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 1,9 bilhão de Euros. No Brasil, a história da Evonik Industries, começou em 1953. A empresa conta hoje com cerca de 600 colaboradores no País e seus produtos são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais, como: automotivo, agroquímico, biodiesel, borracha, construção civil, cosmético, farmacêutico, nutrição animal, papel e celulose, plástico, química e tintas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no