Archive for the ‘Máquinas Ferramenta’ Category

Nova Geração de máquinas é destaque da Romi na 12ª Intermach

13/09/2019

Modernidade e produtividade são os principais focos dos novos modelos

A Romi, líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais, estará presente na feira Intermach 2019, em Joinville/SC. O evento, que acontece entre os dias 17 e 20 de setembro, é o principal do setor metalmecânico na região Sul do Brasil, tendo em sua programação feira, congresso, workshops e rodada de negócios.

Com um estande de 108 m², a empresa exibirá a Injetora ROMI EN 220, equipada com o moderno sistema “Stop and Go”. Segundo a empresa, o sistema proporciona maior velocidade, alta precisão e baixo consumo de energia. As injetoras ROMI EN atendem desde aplicações limpas, como embalagens para alimentos e indústria médico-farmacêutica, até aplicações técnicas, como as do segmento automotivo. Sua tecnologia permite maiores volumes de injeção, simultaneidade de movimentos no fechamento, maior ganho de velocidade e mínimo nível de ruído, garante a empresa.

No segmento de máquinas-ferramenta, a Romi levará seu novo Centro de Torneamento, ROMI GL 300M (Nova Geração), equipamento projetado para operar em ambientes de média e alta produção, com potência e torque elevado. A nova linha conta com o sistema de compensação térmica, possibilitando obter resultados dimensionais estáveis mesmo com oscilações de temperatura em longos períodos de trabalho, com velocidade de avanço de 30m/min nos eixos X e Z, afirma a empresa. Seu principal diferencial é o cabeçote principal com motor tipo built-in, um sistema compacto quando comparado aos convencionais, que garante nível de potência, alto torque em baixas rotações, estabilidade e baixa inércia, assegura a Romi.

Outra novidade que estará no estande será o Centro de Usinagem D 800, também da Nova Geração, equipamento versátil e que conta com maior área de trabalho, além de garantir precisão, desempenho e produtividade, afirma a Romi. Os modelos destacam-se pela estabilidade térmica e geométrica, alta capacidade de absorção dos esforços de usinagem garantindo grande capacidade de remoção de cavacos e consequente redução dos tempos de usinagem, garante o fabricante. São equipados com Cabeçote Direct Drive (motor acoplado diretamente ao cartucho), com versões de 10.000 ou 15.000 rpm.

Os dois modelos são equipados com o moderno CNC Fanuc, com tela touch screen e acesso as principais funções em apenas dois toques, além de ter a disposição um sistema integrado às áreas de planejamento, usinagem, melhorias e utilitários diretamente na tela principal, possui também interface Ethernet e porta USB, além de drive para cartão Compact Flash.

“Cada dia mais, estamos focados em oferecer soluções alinhadas a Indústria 4.0 e a renovação do parque fabril e nesta edição apresentamos nossas principais linhas, tanto no segmento de máquinas-ferramenta quanto máquinas para plástico. Nosso objetivo é agregar valor ao negócio de nossos clientes, por meio da nova geração de nossas máquinas, priorizando sempre a qualidade e eficiência.”, ressalta o Diretor-Presidente da companhia, Luiz Cassiano Rando Rosolen, que observa no evento uma importante vitrine de negócios e a oportunidade de apresentar oficialmente sua Nova Geração para a Região Sul, importante polo industrial do país.

A Indústrias Romi S.A., fundada em 1930, é líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais e está listada no “Novo Mercado”, que é reservado para as empresas com o maior nível de governança corporativa da Bovespa. A Companhia fabrica máquinas-ferramenta, com foco em tornos, tornos CNC, centros de torneamento e centros de usinagem; máquinas injetoras e sopradoras para termoplásticos; e peças fundidas em ferro cinzento e nodular, que podem ser fornecidas brutas ou usinadas. Seus produtos e serviços são comercializados mundialmente e utilizados por uma grande variedade de indústrias, tais como automotiva, de bens de consumo, máquinas em geral, equipamentos industriais e agrícolas.

Curta nossa página no

Anúncios

Romi anuncia novo site de venda de peças com novos recursos

21/08/2019

Clientes poderão adquirir peças de reposição originais com maior facilidade

A Romi, líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais, apresentou ao mercado seu novo site de venda de peças (pecas.romi.com), que oferece novos recursos de compra para seus clientes.

Com um layout totalmente reformulado e intuitivo, o novo site dispõe de condições exclusivas para as compras realizadas na plataforma, além de permitir que os clientes encontrem com facilidade as peças de reposição originais por meio do código Romi ou descrição do item, além de realizar o cálculo do frete e rastreamento de entrega em uma única tela.

Para o Diretor-Presidente da Companhia, Luiz Cassiano Rando Rosolen, a nova plataforma reforça o patamar tecnológico em que a Romi está posicionada. “O novo projeto do site de venda de peças está alinhado à estratégia atual da empresa, que busca constantemente adicionar valor ao negócio dos nossos clientes, oferecendo sempre novas gerações de máquinas, excelência na prestação de serviços, alternativas para modernização do parque fabril, soluções financeiras, entre várias outras ações.”, afirma.

“Visando proporcionar uma experiência de relacionamento cada vez melhor aos nossos clientes, trouxemos o que há de mais moderno no mercado no quesito de e-commerce. O novo site proporciona um processo de compra mais rápido, intuitivo e seguro. A nova plataforma é responsiva, possibilitando a compra de peças tanto pelo computador, tablet, notebooks ou smartphones.”, aponta Eduardo Kazuyuki Komoda, Gerente Geral da unidade de Pós-Vendas.

Por meio do novo sistema de compras online, os clientes poderão adquirir peças de reposição originais para as máquinas Romi, contando com uma extensa linha de produtos para os mais variados modelos de máquinas-ferramentas e máquinas para plásticos.

Curta nossa página no

Romi apresenta suas principais soluções e novidades na Plástico Brasil 2019

05/03/2019

A Romi participará da 2ª edição da Plástico Brasil, importante ponto de encontro para os envolvidos na cadeia produtiva do setor de plástico. No evento, que vai ocorrer entre os dias 25 e 29 de março, no São Paulo Exhibition & Convention Center, a Romi vai apresentar as soluções de seu portfólio de produtos e serviços.

Em seu estande de 500m², de número E106, a Romi exibirá as principais soluções em sua linha de máquinas para plásticos e o seu mais recente lançamento em máquinas-ferramenta, a nova geração da linha de Centros de Usinagem Romi D.

Entre os destaques está a injetora Romi EN 220, que conta com o sistema “Stop and Go”, que, segundo a empresa, proporciona maior velocidade, alta precisão e baixo consumo de energia, atendendo aos mais diversos segmentos de mercado, incluindo versões para injeção de PVC, pré-formas PET e injeção de multimateriais e multicores.

Também vai estar em exposição a injetora híbrida Romi ES 300. De acordo com o fabricante, a máquian foi desenvolvida para a produção de peças que exijam alta razão de injeção, máxima precisão e ciclos ultrarrápidos com baixíssimo consumo de energia. A máquina conta com simultaneidade completa de movimentos com acionamentos por servo-motores, injeção por acumulação e servo-válvula, afirma a Romi.

Na área de máquinas-ferramenta, a Romi exibirá o Romi D 1250, modelo da nova geração de sua linha de centros de usinagem vertical, uma máquina flexível e indicada para múltiplas aplicações de usinagem em ambientes de produção e ferramentaria, principalmente na fabricação de moldes.

Além disso, os visitantes e interessados vão ter à disposição uma equipe de especialistas para tirar dúvidas de aplicação, suporte comercial e informações de financiamento disponíveis, com opções para quem busca renovar o parque fabril com máquinas modernas e bom retorno do investimento.

Para o diretor da Unidade de Máquinas para Plásticos, William dos Reis, o evento é uma excelente oportunidade de novos negócios, assim como foi em 2017. “Ao participarmos de eventos como a Plástico Brasil, temos a oportunidade de apresentar ao mercado produtos de altíssima tecnologia e soluções em produtividade, consolidando ainda mais a Romi como referência no setor plástico”, afirma o executivo, que promete muitas novidades.

A Indústrias Romi S.A., fundada em 1930, é líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais. A Companhia está listada no “Novo Mercado”, que é reservado para as empresas com o maior nível de governança corporativa da B3. A Companhia fabrica máquinas-ferramenta, com foco em tornos, tornos CNC, centros de torneamento e centros de usinagem; máquinas injetoras e sopradoras de termoplásticos; e peças fundidas em ferro cinzento e nodular, que podem ser fornecidas brutas ou usinadas. Os produtos e serviços da Companhia são vendidos mundialmente e utilizados por uma grande variedade de indústrias, tais como automotiva, de bens de consumo, máquinas em geral, equipamentos industriais e agrícolas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Romi

Curta nossa página no

Entrada de Pedidos das Indústrias Romi no 3o. Trimestre de 2018 cresce 40,5% em relação ao mesmo período de 2017

12/11/2018

As Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira na fabricação de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou entrada de pedidos de R$ 216,6 milhões no 3o. Trimestre de 2018, montante 40,5% superior ao obtido no mesmo período do ano anterior, resultado do lançamento de novos produtos e da recuperação gradual da economia em 2018.

A receita operacional líquida da Unidade de Negócio Máquinas Romi atingiu R$ 97,5 milhões no 3o. Trimestre de 2018, apresentando um aumento de 35,3% quando comparado com o mesmo período de 2017, refletindo o crescimento na entrada de novos pedidos ocorrida desde o 2o. Trimestre de 2018. Esse incremento no volume de pedidos e, consequentemente, da receita operacional líquida, demonstram que está havendo uma recuperação econômica e industrial de maneira sólida e gradual, além da continuidade na consolidação da marca Romi no mercado externo. As margens bruta e operacional dessa unidade de negócio, no mesmo período de comparação também demonstraram evolução de 9,6 % e 9,8 %, respectivamente.

O faturamento da subsidiária alemã B+W, em Reais, apresentou no 3o. Trimestre de 2018 volume 40,8% superior ao observado no 3o. Trimestre de 2017 (13,6% quando a comparação é feita em Euros). Por fim, a receita operacional líquida da unidade Fundidos e Usinados foi de R$49,6 milhões no 3o. Trimestre de 2018, o que representa uma redução de 8,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, decorrente, em sua maioria, da redução no volume de peças fundidas e usinadas de grande porte. Por outro lado, parte dessa redução está sendo compensada pela melhoria no volume da demanda gerada em 2018 pelos setores automotivo comercial e de máquinas para movimentação de terra.

A margem bruta de 29,4% obtida no 3o. Trimestre de 2018 apresentou incremento de 0,5 pontos percentuais em relação ao 3o. Trimestre de 2017. Já a margem operacional (EBIT) quando comparada ao 3o. Trimestre de 2017 apresentou queda de 1,1 ponto percentual.

“Em 2018 pode-se notar uma aceleração na quantidade de negócios gerados no mercado doméstico. Nosso time continua focado em deixar nossa estrutura ainda mais leve, ágil e flexível para responder rapidamente as essas oscilações da demanda, buscando assim capturar, com excelência, todas as novas oportunidades” menciona Luiz Cassiano Rosolen, diretor-presidente da Romi.

Fonte: Indústrias Romi

Curta nossa página no

Romi leva à Interplast 2018 soluções para a indústria de transformação de plástico e ferramentarias

28/06/2018

Além da Injetora Romi EL 300 e da Sopradora Romi C 5TS, o estande também terá o Centro de Usinagem Vertical Romi D 800

A Romi vai participar da 10ª edição da Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico, que acontece entre os dias 14 e 17 de agosto, nos pavilhões da Expoville, em Joinville – SC. Para o gerente de vendas da Romi, Glauco Machado, o evento, um dos mais importantes e representativos do setor de plástico, vai oferecer grandes oportunidades de negócio. “Vamos apresentar as soluções da Romi para dar mais produtividade e robustez ao setor de plástico, levando máquinas com alto nível de tecnologia para atender a busca da indústria local por mais precisão e velocidade”, explica o executivo.

A região Sul é um dos principais polos do setor de transformados plásticos do país, gerando mais de 85 mil empregos, em mais de 3 mil empresas. Anualmente são processados cerca de um milhão de toneladas de plástico somente no estado de Santa Catarina, com destaque para os descartáveis no sul, embalagens no oeste e peças técnicas no norte do estado.

Para a Interplast 2018, a Romi leva ao estande 438 a Injetora Romi EL 300, a Sopradora Romi C 5TS e o Centro de Usinagem Vertical Romi D 800 (nova geração), lançado recentemente.

Segundo a Romi, a Injetora elétrica Romi EL 300 foi desenvolvida para produzir peças plásticas com alto desempenho, precisão, alta velocidade e mínimo consumo de energia. A empresa afirma que, além de alta capacidade de plastificação, maior área de molde e simultaneidade de movimentos, com redução de até 30% nos tempos de ciclo, a máquina se destaca pela alta velocidade e precisão, com elevada eficiência energética. A Romi assegura que a linha injetora elétrica diminui em até 70% o consumo energético comparado com injetoras de bomba variável e 90% se comparado com bomba fixa. A injetora Romi EL 300 está equipada com o novo comando CM 20 com display de 19” Full HD.

A Sopradora Romi C 5TS foi desenvolvida para a produção de embalagens plásticas de até 10 litros. O equipamento se destaca pela maior área de molde e força de fechamento elevada. Sua unidade hidráulica conta com acumulador de pressão e servo-válvula no programador de parison, que dispõe de até 512 pontos de ajuste no perfil. A sopradora Romi C 5TS está equipada com o novo comando CM 20 com display de 19” Full HD.

Além das máquinas voltadas para plásticos, a Romi também vai levar ao evento o Centro de Usinagem Vertical Romi D 800, que faz parte de nova geração da Linha Romi D, equipamentos destinados a uma ampla gama de aplicações.

A Indústrias Romi S.A. (B3: Romi3), fundada em 1930, fabrica máquinas ferramenta, com foco em tornos, tornos CNC, centros de torneamento e centros de usinagem; máquinas injetoras e sopradoras de termoplásticos; e peças fundidas em ferro cinzento e nodular, que podem ser fornecidas brutas ou usinadas. Os produtos e serviços da Companhia são vendidos mundialmente e utilizados por uma grande variedade de indústrias, tais como automotiva, de bens de consumo, máquinas em geral, equipamentos industriais e agrícolas.

Fonte: Interplast 2018

Curta nossa página no

Margens operacionais da Romi evoluem e Ebitda atinge 13,0% no 3o. Trimestre de 2017

25/10/2017

Resultado representa crescimento de 12,6 pontos percentuais em relação ao 3o. Trimestre de 2016

A Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira na fabricação de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou no terceiro trimestre de 2017 receita operacional líquida de R$168,0 milhões, montante 9,6% superior ao alcançado no 3o. Trimestre de 2016. Esse incremento foi devido ao aumento do faturamento das unidades Máquinas Romi e Máquinas Burkhardt+Weber.

A margem bruta obtida no 3o. Trimestre de 2017 foi de 28,9%, resultado 8,9 p.p superior ao 3o. Trimestre de 2016. A geração operacional de caixa medida pelo Ebitda foi de R$ 21,9 milhões, representando uma margem Ebitda 13,0% no 3o. Trimestre de 2017, que representou um crescimento de 12,6 pontos percentuais em relação ao 3o. Trimestre de 2016.

A receita operacional líquida da Unidade Máquinas Romi atingiu R$ 72,1 milhões no 3o. Trimestre de 2017, montante 12,7% superior ao 3o. Trimestre de 2016, reflexo das receitas do mercado externo, assim como o mix de produtos, com uma composição de máquinas com maior valor agregado. A Margem Ebitda dessa unidade de negócio no 3o. Trimestre de 2017 alcançou 10,2%, índice 17,2 p.p. maior do que o alcançado no 3o. Trimestre de 2016, resultado dos ajustes operacionais ocorridos no final de 2016, das reduções de custos e despesas e do mix de produtos.

O faturamento da subsidiária alemã B+W apresentou no 3o. Trimestre de 2017, quando comparado com o 3o. Trimestre de 2016, aumento de 57,1%, demonstrando que o faturamento tem refletido a sólida entrada e carteira de pedidos para o exercício de 2017. A margem Ebitda da B+W no 3o. Trimestre de 2017 apresentou crescimento de 12,1 p.p. em relação ao 3o. Trimestre de 2016, alcançando 6,7%.

No 3o. Trimestre de 2017, a margem Ebitda da Unidade Fundidos e Usinados alcançou 21,6%, crescimento de 11,3 pontos percentuais quando comparada com o 3o. Trimestre de 2016. Por outro lado, a receita operacional líquida foi de R$ 54,2 milhões no 3o. Trimestre de 2017, o que representa redução de 13,7% em relação ao mesmo período do ano anterior, decorrente, em sua maioria, da redução no volume de pedidos de peças fundidas e usinadas de grande porte.

“A atividade econômica continua apresentando grandes desafios e incertezas. Diante desse cenário, os esforços realizados pela Companhia continuam focados em otimizações, principalmente das estruturas indiretas, que podem ser percebidos nos primeiros nove meses de 2017, onde as margens operacionais continuam evoluindo e a dívida líquida sendo reduzida. A melhora nos dados macroeconômicos ainda não se materializou de maneira plena no volume de entrada de pedidos da Unidade de Máquinas Romi, embora seja possível notar uma evolução mais significativa na Unidade de Fundidos e Usinados, principalmente nos segmentos automotivo-comercial e agrícola” menciona Luiz Cassiano Rosolen, Diretor-Presidente da Romi.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Margens operacionais da Romi seguem evoluindo e Ebitda atinge 12,1% no 2o. Trimestre de 2017

14/08/2017

A Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira na fabricação de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou no segundo trimestre de 2017 receita operacional líquida de R$163,8 milhões, montante 9,1% superior ao alcançado no 2o. Trimestre de 2016. Esse incremento foi devido principalmente ao faturamento da unidade de Fundidos e Usinados, que tem aumentado o seu volume de receita desde o início de 2016.

A margem bruta obtida no 2o. Trimestre de 2017 foi de 28,9%, resultado 5,5 p.p superior ao segundo trimestre de 2016. A geração operacional de caixa medida pelo Ebitda foi de R$ 19,9 milhões, representando uma margem Ebitda 12,1% no 2o. Trimestre de 2017.

A receita operacional líquida da Unidade Máquinas Romi atingiu R$ 65,1 milhões no 2o. Trimestre de 2017, montante praticamente estável em relação ao 2o. Trimestre de 2016, demonstrando que o cenário doméstico ainda apresenta baixo nível de investimentos. As receitas do mercado externo continuam demonstrando solidez, e apresentaram crescimento de cerca de 4,0% em dólares no 1o. Semestre de 2017, quando comparado com o mesmo período de 2016.

O faturamento da subsidiária alemã B+W apresentou no 2o. Trimestre de 2017, quando comparado com o 2o. Trimestre de 2016, aumento de 2,5% em Reais. Nesse mesmo período de comparação, porém, em Euro, esse incremento foi de 9,5%, demonstrando que o faturamento tem refletido a sólida carteira de pedidos para o exercício de 2017.

No 2o. Trimestre de 2017, a receita operacional líquida da unidade Fundidos e Usinados foi de R$ 64,3 milhões, o que representa aumento de 23,0% em relação ao 2o. Trimestre de 2016. Número é decorrente, principalmente, do aumento de pedidos de peças fundidas e usinadas para os segmentos automotivo comercial e agrícola. A margem bruta dessa Unidade de Negócio no 2o. Trimestre de 2017 foi de 27,5%, apresentando aumento de 10,8 pontos percentuais em relação ao 2o. Trimestre de 2016 devido ao maior volume de receita e de produção e aos ajustes operacionais voltados para a evolução da eficiência.

“Mesmo em um cenário de fraca atividade econômica, os esforços realizados pela Companhia nas diversas otimizações, principalmente das estruturas indiretas, puderam ser percebidos no resultado positivo do primeiro semestre de 2017, onde as margens operacionais continuam evoluindo e a dívida líquida sendo reduzida. De maneira geral, o mercado doméstico tem mostrado uma melhora muito tímida, sinalizando um segundo semestre ainda bastante desafiador, especialmente para a unidade de Máquinas Romi. Ações voltadas para geração de caixa e em medidas para permitir uma resposta rápida às volatilidades da demanda de mercado continuarão sendo o foco da Romi” menciona Luiz Cassiano Rosolen, diretor-presidente da Romi.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi apresenta evolução nas margens operacionais e Ebitda atinge R$10,8 milhões no 1o. trimestre de 2017

03/05/2017

Companhia registrou evolução nas margens operacionais de todas as suas Unidades de Negócio no 1T17

A Indústrias Romi S.A., líder brasileira na fabricação de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou no primeiro trimestre de 2017 receita operacional líquida de R$146,5 milhões, montante 12,9% superior ao alcançado no 1T16. O aumento é resultado, principalmente do faturamento da subsidiária alemã B+W, que terminou o ano de 2016 com crescimento relevante em sua carteira de pedidos que estão sendo entregues ao longo de 2017 e da Unidade de Fundidos e Usinados, que tem aumentado o seu volume de receita desde o início de 2016.

A margem bruta obtida no 1T17 foi de 24,7%, resultado 4,5 p.p superior ao mesmo período do ano anterior. A geração operacional de caixa medida pelo EBITDA foi de R$ 10,8 milhões, representando uma margem EBITDA 7,4% no 1T17.

A receita operacional líquida da Unidade Máquinas Romi atingiu R$59,3 milhões no 1T17, o que representou redução de 12,2% em relação ao 1T16. Apesar do baixo nível de investimentos no cenário doméstico, as receitas do mercado externo continuam demonstrando solidez e apresentaram crescimento de cerca de 6%, em dólares, no 1T17, quando comparado com o 1T16.

O faturamento da subsidiária alemã B+W apresentou aumento de 37,5% no 1T17, quando comparado com o mesmo período do ano anterior, evidenciando a sólida carteira de pedidos dessa subsidiária e correspondendo a expectativa e cronograma de faturamento para 2017. Devido ao maior volume de operação e de receita, a Unidade de Negócio obteve margem bruta de 21,4% no 1T17, o que representa incremento de 20,0 pontos percentuais em relação ao 1T16.

Com bom volume de atividade, impulsionada por peças fundidas e usinadas de grande porte, a Unidade de Fundidos e Usinados obteve receita operacional líquida de R$57,3 milhões no 1T17, o que representa aumento de 41,6% em relação ao 1T16. No mesmo período, a margem bruta dessa unidade foi de 14,2%, apresentando aumento de 2,4 pontos percentuais em relação ao 1T16, devido, principalmente, ao seu maior volume de receita.

“Os impactos positivos de uma equipe focada em rentabilidade, com diversos projetos que consideram adequações operacionais, redução de custos e despesas e investimentos em automação e produtividade, já podem ser notados em nossos níveis de rentabilidade nesse primeiro trimestre de 2017”, afirma Luiz Cassiano R. Rosolen, Diretor-Presidente da Romi.

Fonte: Romi

Curta nossa página no