Archive for the ‘Inovação’ Category

Pesquisas sobre grafeno realizadas na Universidade Mackenzie despertam interesse da indústria de plásticos da Serra Gaúcha

14/04/2018

Material plástico aditivado com grafeno

Sindicato identifica oportunidades de negócio para o setor em visita a centros de pesquisa e desenvolvimento em São Paulo

A reciclagem dos pacotes de salgadinhos consumidos aos milhões todos os dias pode dar origem a uma matéria-prima relevante para impressão 3D, conseguida através da aditivação do polipropileno biorientado (BOPP) das embalagens descartadas de batatas fritas, nachos e outras guloseimas com partículas de grafeno.

E representa uma das oportunidades identificadas para o mercado do plástico durante visita a centros tecnológicos, em São Paulo, pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás). Já é a segunda vez em menos de seis meses que o sindicato passa pelo Centro de Pesquisas Avançadas em Grafeno, Nanomateriais e Nanotecnologias da Universidade Presbiteriana Mackenzie – o MackGraph, onde a novidade foi apresentada quinta-feira (12/04). Assim como na ocasião anterior, em novembro passado, o objetivo do Simplas é detectar e compreender os possíveis impactos do grafeno para a indústria do plástico.

As possibilidades de aplicações só crescem no setor. Existe a possibilidade de que, em breve, a carroceria de um automóvel, que hoje é fabricada em aço, possa ter estrutura de plástico aditivado com grafeno. O material é muito mais resistente do que o aço, porém, flexível.

“É uma inovação que contempla três conceitos fundamentais para o futuro de qualquer negócio: sustentabilidade, tecnologia de ponta e altíssimo valor agregado. Percebemos que as pesquisas na Mackenzie estão bastante avançadas. O passo seguinte é dar viabilidade industrial e comercial para que estes novos materiais sejam naturalmente absorvidos pelo mercado”, constata o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

O grafeno possui condutividade térmica bastante superior à do cobre e tem uma densidade muito baixa.

Lorandi e o diretor executivo do Simplás, Zeca Martins, integram a missão organizada pelo Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs) e pela Uniftec, que também visitará o Instituto Mauá, o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e o Centro Tecnológico de São José dos Campos. As organizações são referência nacional em pesquisa e desenvolvimento para a indústria 4.0.

“O Simplás está sempre em busca de novas oportunidades de negócios e conhecimento para seus representados. Muitas delas, já são realidade e estão disponíveis hoje. O que procuramos é identificar e acessar estas novidades, a fim de trazer maiores condições de competitividade às empresas do setor”, conclui Lorandi.

Fonte:  Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Anúncios

Programa de Inovação do PICPlast inspira criação de novos produtos

14/04/2018

Promaflex, uma das empresas que participou da primeira turma do Programa de Inovação do PICPlast, lança produto inovador no mercado

O Programa de Inovação do Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico, PICPlast, já apresenta resultados práticos. A Promaflex, uma das empresas líderes no segmento de filmes plásticos, acaba de anunciar um novo produto – uma manta de proteção antimofo, com foco em um novo público, o consumidor final. A manta de proteção antimofo da Promaflex foi lançada na última edição da Expo Revestir, que ocorreu entre os dias 12 e 14 de março, em São Paulo. O produto é uma manta adesiva com nanotecnologia antimofo bactericida para armários, gavetas ou qualquer superfície suscetível ao crescimento do mofo.

Segundo Andrea Martins, que coordena o grupo interno de inovação da Promaflex, o programa de inovação ajudou a colocar no papel e organizar os pensamentos de uma forma mais prática. “Aprendemos a organizar uma equipe formada por pessoas de todas as áreas da empresa, alinhando a estratégia e, principalmente, aprendemos a dar o peso certo para cada etapa e para cada passo. Com isso, em um ano saímos da idéia no papel para o lançamento do produto”.

A manta antimofo representa uma série de desafios para a Promaflex, pois é um produto totalmente novo no mercado e que tem um público com o qual a empresa não está acostumada a trabalhar. “Esse é o nosso primeiro produto voltado 100% para o consumidor final e só conseguimos pensar em uma solução para um público-alvo diferente do que estamos acostumados com as dicas e aprendizados que recebemos no programa de inovação”, complementa Andrea.

Outro aprendizado que veio do curso foi o de buscar construir credibilidade para o novo produto. “Para estarmos referenciados, procuramos o biomédico Roberto Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria, para que ele analisasse o produto. Ele constatou que o uso da manta impossibilita o crescimento do mofo em 99,9% dos casos, o que nos deu bastante segurança para seguir em frente”, afirma a executiva.

Fonte:  PICPlast

Curta nossa página no

Evonik aposta em Inovação para alavancar crescimento

30/11/2017

  • Novos produtos e modelos de negócio dão novo impulso ao Grupo
  • Valor do canal de inovação aumentou em um terço nos últimos cinco anos
  • Tecnologia digital impulsiona a inovação

A Evonik pretende alavancar um potencial de crescimento adicional por meio da inovação. “Novos produtos, soluções e modelos de negócio farão uma contribuição significativa para o crescimento e a lucratividade da Evonik. Esses são integrantes essenciais da nossa agenda estratégica”, observou Harald Schwager, VP da Diretoria Executiva da Evonik Industries e responsável por inovações. O valor do canal de inovação da Evonik aumentou em um terço nos últimos cinco anos.

Schwager pretende implementar rapidamente esses planos de negócio a fim de gerar vendas adicionais a partir do valor do canal de projetos. “Temos que levar os nossos projetos de inovação para os clientes de um modo mais rápido e ainda mais focado. Vamos conseguir isso aumentando a nossa eficiência em pesquisa e desenvolvimento, trabalhando em colaboração estreita com os clientes”, acrescentou. No médio prazo, a meta da Evonik é aumentar para 16% a fatia de produtos e aplicações desenvolvidos nos últimos cinco anos nas vendas da empresa. Atualmente, essa participação é de 10%.

A Evonik pretende apoiar cada vez mais o sucesso dos clientes por meio de tecnologias digitais. Recentemente, a empresa anunciou que iria disponibilizar cerca de 100 milhões de euros para projetos de digitalização. “Nossa prioridade são novos modelos de negócio, além de soluções e serviços personalizados para os clientes. A mudança digital será um propulsor essencial da inovação ao longo da cadeia de fornecimento e às indústrias dos nossos clientes”, enfatizou Schwager.

Os gastos com pesquisa & desenvolvimento continuam altos em mais de 400 milhões de euros ao ano. Schwager, no entanto, acha que a pesquisa não é um fim em si. “Ela deve ocorrer de um modo focado em projetos que prometem mais negócio e crescimento – nos prazos curto, médio e longo”. Em resultado disso, cerca de 90% dos fundos são investidos nos esforços de pesquisa dos segmentos operacionais, e especificamente em negócios com potencial de crescimento particularmente alto. A participação do gasto com P&D nas receitas (razão P&D) nesses negócios já é de 4-6%. No Grupo como um todo, a razão de P&D excede 3%.

“Vemos a inovação como algo crucial para assegurar e expandir as nossas posições de mercado. Além disso, estamos trabalhando em áreas que irão gerar novos negócios para nós, impelidos por inovação. A Evonik prioriza em especial seis áreas de crescimento em inovação: Sustainable Nutrition, Healthcare Solutions, Advanced Food Ingredients, Membranas Cosmetic Solutions e Additive Manufacturing. Cada uma delas se apoia em uma estratégia clara com metas comerciais, objetivos de mercado e modelos de negócio, incluindo a aquisição de competências. “As inovações dessas áreas irão gerar um bilhão de euros adicional em vendas até o ano de 2025″, explica Küsthardt.

A Evonik é uma das principais empresas de especialidades químicas do mundo. A empresa atua em mais de 100 países no mundo inteiro. Em 2016, mais de 36.000 colaboradores geraram vendas da ordem de 12,7 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 2,165 bilhões de Euros. No Brasil, a história da Evonik Industries, começou em 1953. A empresa conta hoje com cerca de 600 colaboradores no País e seus produtos são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Inovação e fomento para a indústria do setor de plástico foram temas de seminário na Firjan

22/11/2017

Debate realizado hoje (22/11) abordou temas como tendências de consumo, sustentabilidade e linhas de crédito para o setor industrial

Inovação, design, sustentabilidade e tendências que podem impactar as relações entre o consumidor e a indústria do setor de plástico foram temas do debate promovido pelo Sistema Firjan, hoje à tarde. Voltado para empresários e profissionais que atuam no segmento, o seminário teve a participação de José Carlos Pinto, diretor executivo do Parque Tecnológico da UFRJ, que falou sobre a importância da inovação e do empreendedorismo para o país: “Como promover o encontro entre o conhecimento gerado na academia, nas universidades e as necessidades reais das pessoas”.

Além dele, a especialista da Firjan ,Carol Fernandes, apresentou a palestra “De olho no mercado – tendências que irão impactar as relações de consumo”. Já o empresário Vinicius Martini, da <OU>, falou sobre como as empresas apostam no design como ferramenta para inovar; e Miguel Bahiense, da Plastivida, abordou o tema da importância do plástico para a sociedade, na palestra “Plástico e Sustentabilidade”.

Representantes do BNDES, Caixa e da AgeRio apresentaram as linhas de crédito e fomento para as indústrias do setor de plástico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Firjan

Curta nossa página no

Braskem Labs apresenta projetos inovadores selecionados

04/07/2017

Participantes de diversos estados brasileiros apresentam soluções inovadoras e sustentáveis

Dez empresas foram selecionadas, entre 180 inscritas, para a terceira edição do Braskem Labs, programa de aceleração de empreendedores da Braskem. O processo de escolha dos participantes considerou aspectos como inovação, potencial de mercado, perfil do empreendedor e da equipe envolvida, modelo de negócio e impacto socioambiental.

As propostas são de quatro estados brasileiros e utilizam o plástico e a química no desenvolvimento de novas soluções socioambientais ou apresentam formas de combate ao mosquito Aedes aegypti. “Estamos muito animados com mais essa edição do programa, pois novamente encontramos projetos com grande potencial de transformar positivamente a vida das pessoas e a forma com que se pensa em negócio”, afirma Luiz Gustavo Ortega, líder de Desenvolvimento Sustentável da Braskem.

Agora os empreendedores participam de um evento de diagnóstico para entender os desafios específicos de cada empresa. Após essa etapa, serão realizados uma série de eventos e mentorias durante um período de quatro meses, com o objetivo de apoiar essas empresas nos pontos que mais precisam, com apoio de mentores da Braskem e da ACE, uma Aceleradora de Startups.

Ao final do programa, os selecionados poderão apresentar suas empresas, durante o Demo Day, para um grupo de empresários, investidores, bancos de investimento e outros players do mercado.

As empresas e produtos selecionados foram:

  • Recicletool (Pernambuco): Equipamento de logística reversa que utiliza tecnologia de leitura ótica para a identificação dos resíduos que são depositados na máquina. Com o cadastro do usuário, as embalagens depositadas no Recicletool retornam ao mesmo em crédito financeiro, retirando resíduos do meio ambiente, contribuindo na educação da população e dando a eles um benefício pelo retorno da embalagem.
  • Fix It (Rio Grande do Norte): Imobilizadores em plástico termo moldável e biodegradável, projetados para membros específicos do corpo e em tamanhos pré-definidos, feitos em impressão 3D. A adequação à anatomia do paciente é feita com a imersão em água quente.
  • Vasos Raiz (Rio Grande do Sul): O vaso autorrigável Raiz possui um sistema que facilita o cuidado com plantas e permite ao o usuário ter seus temperos e chás frescos em sua residência. Com um sistema de irrigação interna, composto por cordões, que funcionam como uma espécie de raiz artificial, o reservatório de água é acoplado na parte debaixo do vaso, garantindo umidade para a terra por vários dias, sem a necessidade de regar, e não permitindo a proliferação do mosquito Aedes aegypti.
  • Biomassa do Brasil (São Paulo): Produtos sustentáveis na linha de argamassas e tintas especiais. A Argamassa Polimérica Pronta reduz o custo de alvenaria em 40% e o consumo de água em 95%.
  • Nanomix (São Paulo): Nanotecnologia que confere ao PVC propriedades físico-químicas, como barreira contra umidade. Pode substituir o PVDC, que é de alto custo, importado e não-reciclável e reduzir o custo das embalagens de remédios em 30%.
  • BR Goods (São Paulo): Cortinas Divisórias de Leito & Box de Chuveiro que utilizam nanotecnologia de retardante de chamas, antimicrobianas, manufaturadas com Plástico Verde, que podem ser fixas ou descartáveis. Este material permite que o processo de limpeza seja feito sem retirar as cortinas do local, conferindo privacidade aos pacientes, e economizando água na higienização além de possuir altos atributos sustentáveis.
  • Okena (São Paulo): Coleta, transporta, armazena, trata e destina efluentes contaminados com óleos, metais, tintas, solventes e outras substância, evitando que cheguem ao meio ambiente e poluam solos e água doce.
  • Altave (São Paulo):Desenvolve plataformas aeronáuticas para videomonitoramento e telecomunicações por meio de balões, levando conectividade a locais remotos e permitindo o monitoramento de grandes áreas.
  • Muzzicycles (São Paulo): Quadro de bicicleta injetado em uma peça única com mistura de plástico reciclado. O quadro tem garantia vitalícia, alta durabilidade, não enferruja e ainda ajuda a retirar resíduos do meio ambiente para ser produzido.
  • Denguetech (São Paulo): Inseticida biológico contra os vetores da Dengue, Zika e Chikungunya. Feito a partir da bactéria BTI (Bacillus thurigiensis var. israelensis), pode ser usado em áreas públicas e também em nossas casas e ambientes de trabalho. Logo que o tablete de DengueTech é colocado na água, ele se dissolve e são liberados microrganismos e proteínas que parasitam e matam as larvas dos mosquitos vetores em até 24 horas. Seu efeito continua por, pelo menos, 60 dias.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Termotécnica lança Portal da Inovação

22/12/2016

termotecnica-inovacao

Plataforma é uma oportunidade para estudantes e pesquisadores que querem transformar soluções e projetos em oportunidades de negócios

Com o objetivo de estimular a geração de ideias inovadoras e a sua concretização em oportunidades de negócios, a Termotécnica lançou o Portal da Inovação. É uma plataforma online, onde pesquisadores, estudantes e profissionais das mais diversas áreas podem inscrever seus projetos e soluções e firmar uma parceria com a empresa para desenvolvê-los e implementá-los. O portal é aberto a toda a comunidade.

Podem ser inscritas pesquisas em áreas variadas, como nanotecnologia, tecnologia para rastreabilidade, embalagem ativa, embalagem inteligente, sustentabilidade, soluções híbridas, entre outros. “Precisamos trazer para a indústria pessoas que tenham suas ideias e projetos para, juntos, criarmos oportunidades de negócios”, destaca Nivaldo Fernandes de Oliveira, Diretor-superintendente da Termotécnica.

Maior indústria transformadora de EPS (isopor®) da América Latina e líder no mercado brasileiro deste segmento, a Termotécnica produz soluções para Construção Civil, Embalagens e Peças Técnicas, Conservação, Agronegócios e Movimentação de Cargas. A busca constante por inovação permeia toda a empresa, que se mantém atenta às novidades do mercado e prospecta oportunidades de geração de valor e desenvolvimento de produtos, além de marcar presença nos principais eventos de negócios no Brasil e no exterior para acompanhar as tendências mundiais de aplicações no segmento de EPS.

Para participar é só acessar o link www.termotecnica.com.br/inovacao e inscrever o projeto. Ou entrar em contato pelo email inovacao@termotecnica.com.br ou pelo fone (47) 3451-2725.

Fundada há 55 anos, a Termotécnica tem matriz em Joinville (SC) e unidades de negócios em Manaus (AM), Petrolina (PE), Rio Claro (SP), Indaiatuba (SP), São José dos Pinhais (PR) e Sapucaia do Sul (RS).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Termotécnica

Curta nossa página no