Archive for the ‘Indústria de Plásticos’ Category

Abiplast prevê que o faturamento e a produção da indústria do plástico devem aumentar em 2017

13/02/2017

Estima-se que o faturamento do setor em 2017 chegue à casa de R$ 55,8 bilhões, ou seja, um aumento de 1% frente a 2016, quando o valor foi de 55,3 bilhões

roriz_1De acordo com balanço econômico produzido pela Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST), estima-se que o faturamento do setor em 2017 chegue à casa de R$ 55,8 bilhões, ou seja, um aumento de 1% em relação a 2016, quando o valor foi de 55,3 bilhões. Este montante significou queda de 11,1% na comparação com 2015. “Mesmo que em um nível ainda pequeno, é importante a expectativa de retomada do crescimento este ano”, salienta José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Abiplast (foto), acrescentando: “Os dados indicam que o pior já passou”.

A projeção para 2017 é de que a produção física de produtos plásticos também apresente resultado positivo, com aumento de 1,24% ante 2016, alcançando a casa dos 6,32 milhões de toneladas. Estima-se, também, que, em 2017, o consumo aparente de transformados plásticos (resultado da soma da produção com importações, menos exportações) cresça 1,8, atingindo 6,68 milhões de toneladas.

Ainda de acordo com o balanço da entidade, os setores demandantes do plástico também vêm apresentando expectativas mais positivas para 2017. A indústria de alimentação deverá avançar 1,5%; 67% dos fabricantes de eletroeletrônicos projetam crescimento para 2017; o agronegócio brasileiro será melhor do que a média mundial para produtos como soja, milho, açúcar e carnes (bovina, suína e frango) e o setor de construção espera o início de uma recuperação para este ano, avalia a Abiplast.

No que diz respeito à mão de obra empregada, mesmo com um avanço econômico, a Abiplast estima que haja uma retração de 1,8% em relação ao ano anterior. A entidade prevê em 2017 o fechamento de seis mil postos de trabalho.

“É premente que, além de melhores estimativas, o ano de 2017 tenha um cenário político menos conturbado e que sejam realizadas as reformas estruturais, que darão mais segurança jurídica e competitividade à nossa indústria. Mais rapidez no recuo da taxa de juros, para incentivar o investimento, reformas que modernizem e tragam maior segurança jurídica às relações do trabalho e uma reformulação para simplificar o complexo e custoso sistema tributário brasileiro são temas fundamentais para que nossa indústria volte a produzir mais e empregar” –  afirma Roriz.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abiplast

Curta nossa página no

Anúncios

Tigre encerrará atividades da fábrica de Camaçari em fevereiro de 2017

08/12/2016

tigre-camacari

A empresa de tubos e conexões Tigre anunciou no dia 28/11 o encerramento da operação na unidade de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (BA). A fábrica deve encerrar as atividades em fevereiro de 2017, extinguindo 261 vagas diretas e 900 terceirizadas. Em nota divulgada à imprensa, a empresa afirma que a decisão foi tomada “após extensa análise de alternativas para garantir a competitividade das operações da companhia no País e assegurar a produtividade fabril com o melhor aproveitamento da capacidade das demais unidades existentes no Brasil”, garantindo a competitividade da empresa em todo país.

A Tigre ressaltou que os seus clientes continuarão a ser atendidos por outras unidades do Grupo e que a empresa “vem adotando medidas que assegurem a sustentabilidade e a perenidade do negócio”.

Entre as medidas adotadas para “minimizar os impactos” das demissões dos 261 funcionários, a empresa cita a criação de um núcleo de apoio com foco no auxílio aos funcionários no retorno ao mercado de trabalho, capacitação e qualificação profissional; priorização dos profissionais de Camaçari em vagas de trabalho em outras unidades da Tigre e parceria com instituições de apoio técnico e financeiros para empreendedores.

A unidade de Camaçari é a fábrica responsável pela produção de tubos de PVC que abastece, principalmente, o mercado nordestino.

A medida tem gerado protestos desde a sua divulgação. Neste dia 08/12, funcionários da Tigre realizaram um novo protesto contra o fechamento da unidade.

Fonte: Nota da Tigre

Curta nossa página no

Associação italiana Assocomaplast assina protocolo OCS para redução de perdas acidentais de pellets de plástico

16/11/2016

Durante a feira K 2016 em Düsseldorf (19-26 de outubro de 2016), a ASSOCOMAPLAST (Associação Italiana dos Fabricantes de Máquinas para Processamento de Plásticos e Borracha) juntou-se à Operação Clean Sweep (OCS), um programa de proteção ambiental voltado para a indústria de plásticos criado pela associação americana SPI (Society for the Plastics Industry) e o American Chemistry Council. A OCS estabelece diretrizes para reduzir a perda acidental de pellets de plástico, pós e flocos gerados durante a produção de artigos de plástico.

É bem sabido que as embalagens de plástico descartadas (tampas, garrafas e vários frascos) freqüentemente acabam poluindo mares e oceanos. Isto pode ser atribuído principalmente aos “maus hábitos” dos consumidores, que muitas vezes não estão suficientemente comprometidos com a reciclagem.

Contudo, uma outra parte menor do problema é devida à liberação para o ambiente de grânulos de plástico do processo de produção, que também terminam se incorporando à corrente de resíduos. E é por isso que a indústria de plásticos está sendo chamada a tomar medidas para limitar, ou mesmo impedir totalmente essa perda de material, usando procedimentos codificados.

O programa Operation Clean Sweep apela à sensibilidade dos produtores de polímeros, transportadores, instalações de armazenamento e empresas de processamento para adotar um número de “melhores práticas” (frequentemente exigindo muito pouco esforço), cada uma em sua própria área de operações.

A indústria de fabricação de máquinas também está implicada, embora apenas marginalmente, uma vez que alguma quantidade mínima de grânulos pode ser perdida durante o teste de máquinas e certificação.

Naturalmente, além dos benefícios ambientais, as empresas também ganham inegáveis vantagens econômicas ao reduzir o desperdício de materiais.

Muitas empresas já aderiram ao protocolo OCS, o que requer a implementação dos seguintes passos:

1) Comprometer-se a tornar prioridade a “perda zero de pellets”, assinando uma compromisso escrito formal.

2) Avaliar a situação e necessidades da empresa (em conformidade com a legislação aplicável): auditoria das instalações e equipamentos operacionais, estabelecimento de procedimentos obrigatórios para os funcionários, identificação de áreas problemáticas, compartilhamento de experiências.

3) Atualizações adequadas nas instalações e equipamentos.

4) Aumentar a conscientização dos funcionários e criar responsabilidade: estabelecer procedimentos escritos para os funcionários, realizar treinamentos regulares, atribuir responsabilidades aos funcionários e solicitar feedback sobre o programa, usar lembretes no local de trabalho, como sinais, adesivos, cartazes etc.

5) Procedimentos de acompanhamento e reforço: inspeções de rotina das instalações; Compartilhamento de melhores práticas através do site da OSC.

Ao assinar o protocolo, a ASSOCOMAPLAST demonstrou o seu empenho em promover a iniciativa em Itália.

Para mais informações: http://www.opcleansweep.org.

Fonte: Assocomaplast

Curta nossa página no

K 2016: Sepro promete um futuro aberto e apresenta novos robôs – grandes e pequenos

05/11/2016

sepro_k2016

O Grupo Sepro está expandindo ambas as extremidades da sua gama de robôs para moldagem por injeção. Durante a K 2016, realizada em Dusseldorf de 19 a 26 de outubro, a empresa apresentou dois de seus maiores robôs já fabricados, assim também como um dos seus menores. Ao mesmo tempo, dez fabricantes de máquinas injetoras de sete diferentes países também operaram robôs Sepro durante a feira,  levando para 24 o número total de unidades Sepro em atividade durante o evento.

O número total de robôs, a ampla gama de tamanhos e configurações, a inovação contínua em automação e controle, juntamente com uma crescente lista de parceiros de marketing e tecnologia, sustentam o novo slogan da empresa: “O seu futuro está aberto.”

“A feira K sempre nos dá uma visão sobre o futuro do processamento de plásticos,” observou Jean-Michel Renaudeau, CEO do SeproGroup. “Em 2016, esse futuro é o da abertura e conectividade. É um futuro em que as empresas colaboram para oferecer mais opções para seus clientes e onde os seres humanos e máquinas se comunicam mais facilmente para aumentar a qualidade e a produtividade. Quer você os chame de “Fábrica do Futuro” ou “Indústria 4.0”, estes desenvolvimentos tecnológicos apresentam novas oportunidades de sucesso para os transformadores por injeção. É por isso que, para a K 2016 e além, a Sepro está dizendo e demonstrando que “Seu futuro está muito aberto.”

“Be Connected 4.0”

Uma característica central do stand da Sepro foi a mostra especial “Be Connected 4.0” (Esteja Conectado 4.0, em português) exibindo a família Visual de controles proprietários, desenvolvidos pela Sepro especialmente para moldagem por injeção. Aqui, os visitantes puderam interagir com as máquinas e experimentar por eles mesmo quão fácil e intuitivo é programar mesmo sequências de robôs mais complexas. Eles puderam aprender sobre os três diferentes níveis de integração de controle que a Sepro desenvolveu, em colaboração com seus parceiros fabricantes de máquinas injetoras. Finalmente, eles puderam ver a Indústria 4.0 em ação em uma máquina injetora Sumitomo Demag, que tem o controle Visual para um robô de braço articulado 6X-60 integrado no controle da máquina. A máquina estava moldando cilindros de seringas.

Novos Robôs Grandes

Dominando as mostras da Sepro ao ocupar quase um terço do stand de 300m2, estavam dois dos maiores robôs que a empresa já construiu. Na verdade, acredita-se que o novo robô de 5 eixos de feixe cartesiano 7X-100XL, juntamente com o novo 6X-400, um robô de 6 eixos de braço articulado, foram os maiores robôs em operação durante a feira K 2016.

O feixe horizontal no robô 7X-100XL corresponde a impressionantes 5 m. em comprimento, mas isso é apenas metade do comprimento máximo disponível. O curso telescópico vertical é 3,2 m. e a carga máxima é 100 kg. O robô de 6 eixos de braço articulado 6X-400,  produto de uma recente parceria de fabricação com a Yaskawa Motoman, tem um alcance de 4 m. e pode transportar uma carga máxima de 120 kg.

A maioria dos robôs grandes encontram aplicações na indústria automobilística; por isso foi apropriado que estes dois gigantes da Sepro estivessem demonstrando a manipulação de um pára-choque de um carro Mercedes Benz C-Class e de um painel de instrumentos para um Citroen DS. As avançadas articulações  servo-acionadas em ambos os robôs tornam possível completar movimentos complexos de extração de peças e / ou operações secundárias pré e pós-moldagem,  incluindo colocação de insertos, montagem, paletização simples ou complexa e outras operações.

O 7X-100XL completa a linha Sepro de robôs de feixe de 5 eixos (gamas 5x e 7x), que agora inclui 6 modelos que podem automatizar máquinas injetoras de 20 a 5.000 toneladas. O robô Sepro Yaskawa 6X-400 de 6 eixos é o maior dos quatro modelos introduzidos recentemente para servir máquinas injetoras de 800 a 5.000 toneladas. Quatro unidades menores de 6 eixos, desenvolvidas em parceria com a Staübli Robotics, foram introduzidos há vários anos para equipar máquinas injetoras de até 800 toneladas de força de fechamento.

Novos Robôs Pequenos

A Sepro também está introduzindo novos robôs pequenos, incluindo o saca-canais S5 Picker servo-acionado. Com base na mesma concepção mecânica básica que a gama Sepro Sucess de robôs econômicos de uso geral, o S5 Picker tem o mesmo design linear de 3 eixos com servo-acionamento em todos os eixos.

Ele vem por padrão com um pinça simples para sacar o canal da bucha, porém pode ser fornecido opcionalmente com uma rotação R1 simples na articulação e pode ser equipado com uma garra simples no final do braço. O saca-canais de ciclo rápido opera totalmente no interior da máquina injetora e inclui uma calha de descarga e proteção.

Para ilustrar a abrangência do portfolio de produtos da Sepro, o saca-canais S5 operou na K 2016 juntamente com vários outros robôs Sepro, manuseando capas de iPad. Esta célula de demonstração incluiu robôs dos tipos:

  • Success 22… robôs de uso geral de tamanho médio para injetoras entre 150e 500 toneladas
  • 5X-25… representando os modelos menores da linha de robô de 5 eixos da Sepro
  • Saca-canais S3 numérico… com braço horizontal que gira até 100° desde a linha de centro da máquina para descarga de canais da bucha ou peças pequenas ao lado da placa fixa

Fonte: Sepro

Curta nossa página no

K 2016 Düsseldorf – A maior plataforma global para as indústrias de plásticos e borracha começa em duas semanas

05/10/2016

Cerca de 3.100 empresas das indústrias de plásticos e borracha estarão novamente apresentando produtos, processos e soluções práticas que estabelecerão a tendência do setor nos próximos anos

Crescimento demográfico, urbanização, consumo de energia em ascensão, redução de recursos e mudanças climáticas – há uma série de desafios para dominar. A situação mundial pede mentes criativas, tecnologia inovadora e materiais de alto desempenho. De 19 a 26 de outubro, a indústria internacional de plásticos e borracha estará reunida na feira K2016, em Düsseldorf (Alemanha), apresentando as suas soluções. Na qualidade de feira âncora mundial para o segmento e para aplicações industriais, a K2016 une as tendências centrais da indústria e tendências para o futuro em um único local. É consenso no setor que a feira K é a plataforma de negócios e inovações não só para os produtores de matérias-primas, fabricantes de máquinas para plásticos e borracha e transformadores, mas também para clientes das indústrias-chave que usam peças e produtos de plásticos e borracha.

A disponibilidade de espaço de exposição na K 2016 se esgotou há muitos meses. Em torno de 3.100 expositores de quase 60 países estarão participando do evento e mostrando os seus produtos e serviços em mais de 170.000 metros quadrados de espaço de exposição. Werner M. Dornscheidt, Presidente e CEO da Messe Düsseldorf, não tem dúvidas: “Em nenhum lugar do mundo se pode ter acesso a uma gama tão completa de matérias-primas, processos e equipamentos quanto na K, em Düsseldorf. Esta é a principal plataforma global para a indústria de plásticos e borracha e cada empresa tem como objetivo apresentar-se aqui com inovações voltadas para o futuro. Outra característica única é a alta internacionalização de expositores e visitantes. Isso garante, em primeiro lugar, que os visitantes do setor podem esperar uma oferta de padrão mundial de mercado. E, em segundo lugar, os expositores aqui têm acesso a especialistas da indústria de mais de 100 países e se reúnem com clientes que eles não iriam se encontrar de outram maneira”.

Mais uma vez, o contingente mais forte de expositores vem da Europa, especialmente da Alemanha, Itália, Áustria, Suíça, França e Turquia, mas há também um número impressionante de participantes provenientes dos EUA. Ao mesmo tempo, a feira K é uma clara indicadora de mudanças no mercado global: ao longo dos últimos anos, o número de empresas asiáticas e o espaço de exposição reservado por eles tem aumentado de forma consistente. Este ano, particularmente, a China, Taiwan, Índia, Japão e Coreia do Sul estarão impressionando os visitantes com a sua forte presença. Em virtude da K receber empresas altamente diversificadas de todo o mundo, o foco não é colocado apenas nos principais pontos de discussão da indústria – como a eficiência no uso de energia, recursos e materiais -, mas também em segmentos de nicho.

Como sempre, a K 2016 irá ocupar todo o espaço de exposição da Messe Düsseldorf, com produtos e serviços em exposição em todos os 19 pavilhões do recinto. As áreas de negócio centrais da indústria (a seguir) foram agrupados convenientemente nos vários pavilhões:

  • máquinas e equipamentos,
  • matérias-primas e produtos auxiliares,
  • produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados e
  • Serviços

Máquinas e equipamentos – estréias mundiais

Neste ano, os fabricantes internacionais de máquinas e equipamentos, que constituem o maior grupo de expositores da feira K, vão apresentar uma abundância de estreias mundiais. Ocupando cerca de dois terços do recinto de exposições, os expositores deste grupo particular estarão mostrando seus produtos nos pavilhões de 1 a 4 e de 9 a 17. Engenheiros e fabricantes de máquinas de todo o mundo estão trabalhando a todo vapor para poder apresentar demonstrações ao vivo de novas unidades complexas de produção em outubro. A K 2016 oferece uma oportunidade única para atrair a atenção mundial para inovações, já que nenhum outro evento no mundo todo atrai tal audiência internacional especializada. Ulrich Reifenhäuser, Chairman do Conselho de Expositores da K 2016, está muito confiante de que a feira vai dar um grande impulso à indústria. “Uma abundância de inovações que prometem benefícios genuínos para os clientes já foram anunciados nos preparativos para a feira. Estou particularmente animado com as novidades que podemos esperar em relação à Indústria 4.0. A possibilidade de prover suporte à produção com a digitalização e a interligação de máquinas no processo de produção oferece aos transformadores de plásticos novas oportunidades para acelerar a partida da produção e para tornar a produção mais flexível, bem como para incrementar a garantia de qualidade e manutenção. Estou certo de que haverá muito interesse nesta área na K 2016. “

Matérias – primas e materiais auxiliares – materiais do futuro

Especialistas em matérias-primas e materiais auxiliares estarão apresentando a vanguarda da ciência de polímeros: materiais com uma eficiência de recursos superior e que ajudam a alcançar um melhor equilíbrio entre o desempenho econômico e ecológico. Além da otimização dos polímeros convencionais, os principais tópicos deste ano vão se centrar em aditivos, cargas, biopolímeros e polímeros funcionais, bem como em polímeros de auto-reforçados.

Produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados- um mercado em crescimento

Esta indústria é conhecida pela sua forte capacidade de inovação e uma ampla diversidade de produtos. Há uma ênfase maior do que nunca em produtos eficientes em termos de consumo de energia e recursos, à medida que eles são capazes de satisfazer os requisitos mais exigentes. Fornecedores de matérias-primas, produtos semi-acabados e peças técnicas estarão expondo nos pavilhões de 5 a 8-B.

Sentindo o pulso do avanço da tecnologia

A K 2016 representa a cadeia de valor completa da indústria em uma amplitude e profundidade sem paralelos. A borracha também desempenha um papel importante aqui. Embora seja pequena em comparação com a indústria de plásticos, o segmento da borracha é de grande importância para as indústrias-chave de usuários, além de ser altamente inovadora. A “Rubber Road” (Estrada da Borracha) no Pavilhão 6 é um elemento permanente na feira K. 12 empresas vão participar dessa “vitrine” do setor de borracha. Para todos os visitantes interessados em tecnologia de elastômeros, haverá novamente um Guia para o setor na K 2016 intitulado “Rubber & TPE Pocket Guide (Guia de bolso da K 2016 para Borracha e TPE).

A feira K sempre teve o seu dedo no pulso do desenvolvimento tecnológico. Isto é confirmado não só pelas apresentações em stands de expositores, mas também pelo programa de apoio, o qual proporciona um valor agregado real para os visitantes. A mostra especial “The Science Campus” (Campus da Ciência), os “Bioplastics Business Breakfasts” (Cafés da Manhã de negócios sobre Bioplásticos), a “Design Chain Conference” (Conferência da Cadeia de Design), a “3Dfab+print” e a “Plastics Training Initiative” (iniciativa de treinamento em plásticos) focalizam-se em aspectos específicos e tópicos relacionadas com a indústria: a oportunidade perfeita para reunir informações estratégicas.

Mostra especial “Plastics shape the future”

A mostra especial “Plastics shape the future” (Os Plásticos moldam o futuro) vai destacar como os materiais poliméricos moldaram o nosso mundo moderno não apenas funcionalmente, mas também em termos de estética e sustentabilidade. Este evento trata de questões ligadas ao desempenho econômico e ambiental e também focaliza o problema do lixo marinho.

Apresentações e um design inovador do stand serão características proeminentes da mostra – a qual ocorrerá no Pavilhão 6 e compreenderá apresentações de pessoas de destaque na indústria, palestras introdutórias, eventos e painél de discussão. Durante toda a feira, estudantes de todos os níveis também serão bem-vindos para expressar as suas idéias sobre a “moldagem do futuro”. A mostra “Plastics shape the future” terá dias temáticos pela primeira vez, ou seja, a cada dia será atribuído um determinado tema, oferecendo uma variedade de palestras e uma rodada central de discussões sobre o tema em questão:

  • Quarta-feira, 19.10. Indústria de Plásticos 4.0
  • Quinta-feira, 20.10. Novos Materiais
  • Sexta-feira, 21.10. Construção leve
  • Sábado, 22.10. Lixo Marinho
  • Domingo, 23h10. Jovens e treinamento
  • Segunda-feira, 24.10. Plástico se reúne com o Design
  • Terça-feira, 25.10. Eficiência de recursos

Essa mostra especial, um projeto da indústria de plásticos alemã encabeçada pela PlasticsEuropeDeutschland e.V. e Messe Düsseldorf, estará enriquecendo a oferta de exposição da feira K pela nona vez seguida.

“Science Campus”: o diálogo entre a ciência e as empresas

O Science Campus (Campus da Ciência), um fórum onde as empresas e as universidades podem trocar informações, também fornece aos expositores e visitantes da K2016 uma visão abrangente das atividades científicas e descobertas em pesquisas sobre plásticos e borracha. Desde o seu lançamento em 2013, o Science Campus cresceu em tamanho e registrou um número crescente de universidades participantes, institutos e agências de financiamento. No coração do próximo Science Campus estarão quatro tópicos centrais que deverão afetar dramaticamente o desenvolvimento dos mercados da indústria para os próximos anos. Esses tópicos são:

  • eficiência de recursos
  • digitalização da cadeia de valor / Indústria 4.0
  • novos materiais, e
  • construção leve

A esses quatro tópicos acima, acrescenta-se também a educação científica. Cientistas do “K 2016 Innovation Circle” (Círculo de Inovação da K 2016) e as equipes dos seus institutos irão preparar e apresentar informações sobre os tópicos centrais. Além do Science Campus, esses tópicos também serão refletido em outros lugares na feira como nas demonstrações nos stands dos expositores, na mostra especial “Plastics shape the future” e no Innovation Compass (Bússola da Inovação).

3D fab + print

Poucas tecnologias estão dando origem a tanta discussão quanto a impressão 3D. Em todo o mundo, métodos de fabricação aditiva estão inspirando usuários na indústria de design e embalagens, engenharia automotiva e aeroespacial, tecnológica médica e dentária e fabricação de máquinas e plantas. Naturalmente, a K 2016 também estará lançando luz sobre esta tecnologia especial. Três anos atrás, a Messe Düsseldorf lançou a marca 3D fab + print, a fim de destacar este assunto importante – não só na feira K, mas também em outras feiras, como por exemplo, na drupa (do setor de impressão e mídias cruzadas); na MEDICA – Feira Mundial de Medicina; e na COMPAMED – Soluções de alta tecnologia para a tecnologia médica. Em cooperação com a KCI Publishing BV, o portal http://www.3dfabprint.com apresenta tecnologias estado-da-arte, bem como visões e melhores práticas. Na K 2016, todos os expositores que mostrarem soluções para o segmento de fabricação aditiva serão apresentados em um caderno especial.

Bioplásticos: potenciais e oportunidades

Ao longo dos últimos anos, os bioplásticos vem atraindo uma imensa atenção como um complemento e uma alternativa aos plásticos convencionais. Olhando para o futuro, a indústria está atualmente debatendo os prós e contras, o papel futuro e o mercado potenciplásticos – tanto os de base biológica como os plásticos biodegradáveis. Qualquer pessoa que queira saber mais sobre as potencialidades e possibilidades dos bioplásticos terá muitas oportunidades para fazê-lo nos stands de expositores da K 2016. Além disso, a revista “bioplastics Magazine”, em cooperação com a Messe Düsseldorf, estará organizando três eventos sobre esse tema específico: todas as manhãs, de 20 a 22 de outubro, as informações mais recentes serão apresentadas no evento “Bioplastics Business Breakfasts”, onde os participantes também poderão compartilhar suas experiências no assunto.

Design Chain Conference

Lançado na K 2013, a “Design Chain Conference” (Conferência da cadeia de Design) teve um feedback muito positivo. Desta vez, a Design Chain@K conference, organizada pela Crain Communications, voltará a fornecer informações sobre aspectos práticos e técnicos das inovações na cadeia de design. O evento dá aos designers e produtores de materiais uma oportunidade para mostrar como os polímeros são utilizados em diferentes aplicações de produtos. O programa inclui exemplos das indústrias automotiva, médica, eletrônicos de consumo e de embalagem.

Avaliação dos visitantes

A importância da K para a indústria é demonstrada não só pelo número de expositores e a qualidade da oferta, mas também e especialmente pelos visitantes profissionais. Em outubro de 2013, um total de 218.000 visitantes de mais de 100 países vieram a Düsseldorf. Os organizadores da K 2016 esperam um número semelhante este ano. Mais de metade (59 por cento) vieram do exterior, sendo que os maiores grupos de visitantes internacionais vieram da Holanda, Índia, França, Bélgica, EUA, Itália e Reino Unido. O veredito dos especialistas foi claro: mais de 90 por cento deles ficaram muito impressionados com a abundância de informações, inovações e soluções técnicas. Os visitantes deram altas notas de avaliação para a densidade de produtos inovadores e a presença de líderes de mercado. E isso se aplica não só para os fabricantes de produtos de plástico e borracha. A K é bem conhecida e apreciada entre os compradores finais das várias indústrias usuárias finais de plásticos e borracha, as quais consideram o evento como uma importante fonte de novas ideias para o seu setor e os seus produtos.

Serviços on-line inteligentes

O portal web http://www.k-online.com, em particular, estará mantendo todos os visitantes e expositores autalizados antes, durante e depois da feira. Os expositores da K 2016 estão apresentando as suas empresas e portfolio de produtos no banco de dados de expositores. Este serviço. Este serviço fornece aos visitantes uma ferramenta valiosa para a busca de empresas, produtos e informações.

Dispondo de serviços personalizados, tais como “MyOrganizer” e “MyCalendar” para o agendamento de reuniões e compromissos e MyCatalogue para a compilação de catálogo individual da feira, o portal da K ajuda os visitantes a se prepararem para a feira.

Muito conveniente também é a oportunidade que os visitantes tem para comprar os seus tickets online, baixar os códigos associados ou imprimi-los em casa. O principal benefício do eTickets é que eles custam menos. Tickets para um dia estarão disponíveis on-line por 49 euros, em comparação com 65 euros na bilheteria da feira. Tickets para três dias custam 108 euros online e 135 euros na bilheteria da feira. Para deslocamento até o centro de exposições, o ticket on-line também servem como um bilhete para o transporte público local.

Com o aplicativo K app, os visitantes em deslocamento também têm acesso a informações importantes.

Olhando para o futuro – a partir de 19 de outubro de 2016

Com a maior densidade de informações no mundo, a K é uma plataforma de negócios e informações que olha para o futuro. As empresas e os especialistas do segmento de Pesquisa e Desenvolvimento estão trabalhando lado a lado para fornecer aps visitantes uma visão sobre as perspectivas e cenários que irão moldar o futuro da indústria de plásticos e borracha. Tudo isso espera por você a partir de 19 de Outubro.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

PICPLAST e Fundação Dom Cabral finalizam capacitação empresarial para empresários da indústria do plástico

10/07/2016

Ao todo, representantes de mais de 30 empresas acompanharam palestras sobre temas fundamentais para o aprimoramento da gestão de suas empresas

PicplastO PICPlast finalizou no mês de maio os dois últimos módulos do programa de capacitação destinado à empresários da indústria da transformação plástica brasileira. Os trabalhos se iniciaram em março e contaram com a participação de mais de 30 empresas, que puderam acompanhar palestras  sobre estratégia e competitividade empresarial, governança e sucessão, liderança e gestão de processos, custos e finanças e inovação. Todos os trabalhos contaram foram conduzidos pela Fundação Dom Cabral,  em sua sede,  em São Paulo.

No penúltimo módulo, realizado no dia 10/05, os temas discutidos foram custos e finanças. Na oportunidade, os alunos tiveram acesso aos principais indicadores e métricas que impactam diretamente no resultado do negócio e as formas de gerenciá-lo de maneira eficaz para evitar perdas.

Já no último módulo, sobre inovação, dia 11/05, os empresários foram capacitados para compreender o modelo de inovação, criado pela própria Fundação Dom Cabral, e como ele pode ser implementado a partir de um estilo de gestão participativo em todos os processos da companhia. Ao final da capacitação, todos os representantes das empresas que participaram dos seis módulos receberam certificado de conclusão.

Uma das empresas participantes foi a distribuidora Mais Polímeros, que esteve representada por seu gerente comercial, Aparecido Camacho. “Tirar os executivos da empresa para levá-lo à reflexão é uma tarefa complicada, mas executada com maestria pelo PICPlast e a FDC. Dar um tempo e se reunir com outros empresários para falar de estratégia é fundamental para definir objetivos, pensar em novos projetos e trocar experiências”, afirma Camacho.

Outra empresa que esteve presente nas capacitações foi a Pisani, fabricante de embalagens plásticas para as indústrias de bebidas e alimentos. Na ocasião, a empresa esteve representada por Paulo Weber, diretor geral da companhia, que é sediada em Caxias do Sul. De acordo com o executivo, as matérias apresentadas nos dois módulos atendem às necessidades de todas as empresas. “O PICPlast está de parabéns. Os temas discutidos nos dois módulos atenderam às necessidades dos empresários. Na medida em que todas as empresas se capacitam, o mercado fica mais acirrado, nivelado por cima”, afirma o executivo.

O PICPlast é uma iniciativa da Braskem, em conjunto com a Associação Brasileira do Plástico (Abiplast), entidade que representa a indústria da transformação plástica no Brasil. O plano foi lançado em 2013 com o objetivo de desenvolver programas estruturais que contribuam com a competitividade e crescimento da transformação plástica de forma conjunta entre a 2ª e 3ª gerações da cadeia produtiva do plástico.

Essa foi a terceira turma capacitada pela Fundação Dom Cabral desde o lançamento do PICPlast, em 2013. Desde então, foram quase 100 empresas capacitadas em todas as regiões do Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PICPLAST

Curta nossa página no

Jaime Lorandi é reeleito para novo mandato à frente do Simplás

10/07/2016

Simplas-Lorandi

A próxima gestão do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) já tem uma linha de trabalho definida para o triênio 2016-2019. Jaime Lorandi (foto), reeleito para a presidência na última quarta-feira (29), estabeleceu quatro eixos de atuação na entidade que representa mais de 500 empresas de transformação que geram aproximadamente 12 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 3 bilhões. Em um raio de 50 quilômetros, a área de abrangência do Simplás apresenta uma das maiores concentrações de indústrias de transformação de plástico do Brasil. A posse oficial da nova diretoria está prevista para 1o de agosto.

Melhoria e promoção da ética nas relações de trabalho e na Justiça do Trabalho; estímulo à qualificação profissional de gestores empresariais; defesa da elaboração e implementação de um plano de desenvolvimento econômico e social multissetorial para toda a região; e promoção da sustentabilidade por meio da educação para o descarte correto do plástico pós-consumo das residências serão as diretrizes no programa de ação da entidade.

“Há mais de 25 anos, o Simplás representa um setor responsável pela geração de dezenas de milhares de empregos na região. O sucesso da indústria, portanto, tem relação direta com o bem-estar e o progresso de milhares de famílias de empregadores e empregados. Assim, compreendemos que o papel comunitário do sindicato vai além da esfera associativa. Nos próximos três anos vamos trabalhar intensamente para que os benefícios da ética, da qualificação, do desenvolvimento e da sustentabilidade alcancem cada vez mais pessoas, em toda a sociedade”, afirma Lorandi.

Fonte: Assessoria de Imprensa (Simplás); Foto: Neli Alvanoz

Curta nossa página no

Chem-Trend e SurTec inauguram nova planta em Valinhos (SP)

03/05/2016

Freundenberg_Valinhos

Investimento de R$ 60 milhões visa promover a proximidade com o cliente

O Grupo Freudenberg anunciou em 29/04 a inauguração de uma nova planta na cidade de Valinhos (SP). As novas instalações serão operadas em conjunto pela Chem-Trend e SurTec, ambas pertencentes à Divisão de Especialidades Químicas do Grupo, e irão desenvolver, fabricar e comercializar agentes desmoldantes, especialidades químicas de processo e soluções de tratamento químico de superfície para atender clientes em vários segmentos. “A nova fábrica é um sinal visível do nosso compromisso de longo prazo com os nossos clientes brasileiros nas mais diversas indústrias“, afirma Juan Carlos Borchardt, Representante Regional do Grupo Freudenberg na América do Sul.

A nova fábrica substitui as duas antigas operações da SurTec e Chem-Trend que funcionam no Brasil há décadas. O investimento na nova unidade, que compreende as áreas administrativas e de vendas, logística, armazéns, laboratórios e produção irá melhorar significativamente o atendimento aos clientes e reduzir os tempos de resposta para atender às exigências de mercado. “A proximidade e atendimento ao cliente são a base para o nosso desenvolvimento no Brasil até hoje e continuam sendo fator de êxito para enfrentar o quadro econômico desafiador no país. A nova planta nos permitirá atender de forma ainda mais eficiente os nossos clientes locais, com produtos e serviços de ponta”, comenta Hanno D. Wentzler, Presidente e CEO da Divisão de Especialidades Químicas do Grupo Freudenberg. “Além disso, o investimento demonstra que a Freudenberg é séria sobre agir como empresa cidadã, não medindo esforços para garantir a plena conformidade com as questões regulatórias e atender todas as normas ambientais e de segurança relevantes”, completa Wentzler.

O tamanho total da planta é de 29 mil m², dos quais 11 mil m² são de área construída. A capacidade de produção anual máxima é de 13 mil toneladas, destinadas a agentes desmoldantes, auxiliares de processo e produtos de tratamento químico de superfície. A planta conta com mais de 100 colaboradores, incluindo os terceirizados. O Grupo Freundenberg fornece para clientes de várias indústrias, incluindo a automotiva, aeroespacial, calçados, energia eólica, construção civil, indústria em geral e de eletrodomésticos, entre outras.

“A nova fábrica fornece capacidade aumentada em relação a volumes de produção, serviços logísticos, apoio técnico, saúde e segurança no trabalho, condições de trabalho e de Pesquisa & Desenvolvimento”, comenta Paulo Noce, CEO da Chem-Trend e SurTec no Brasil. “Tanto a Chem-Trend quanto a SurTec são certificadas de acordo com a ISO 9001 e ISO 14001 (a Chem-Trend também possui a OHSAS 18001) e cumprem todas as normas internacionais em matéria de processos de gestão de qualidade, proteção ambiental, saúde ocupacional e segurança no ambiente de trabalho”, acrescenta.

Investimentos em infraestrutura favorecem a proximidade com o cliente

O investimento visa melhorar significativamente a proximidade e os serviços ao cliente, permitindo o atendimento às demandas específicas de maneira mais rápida, de acordo com as necessidades dos mercados do Brasil e de outros países da América do Sul. A nova planta possibilita melhorias na eficiência operacional, oferece áreas para testes de aplicações e engenharia e garante tempos de resposta mais curtos. Desta forma, apoia os clientes nos processos para aumentar a qualidade de peças e componentes, reduzir desperdício de matéria-prima e atender aos requisitos ambientais. Em longo prazo, a nova operação também será focada na produção de produtos inovadores, possibilitando o aproveitamento dos potenciais de sinergia entre as duas empresas.

Apoio da Investe São Paulo

O projeto tem recebido apoio da Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos e exportação ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo. “O Estado de São Paulo continua crescendo, e a confiança da Chem-Trend e da SurTec mostra isso. Nossa equipe vai continuar dando todo o suporte para que o projeto seja um sucesso”, disse o presidente da Agência, Juan Quirós.

A Divisão de Especialidades Químicas é uma unidade de negócios do Grupo Freudenberg, que desenvolve, fabrica e comercializa especialidades químicas. Com suas cinco empresas de operação independente – Klüber Lubrication, Chem-Trend, OKS, SurTec e Capol -, é uma das fabricantes líderes globais em lubrificantes especiais, agentes desmoldantes, produtos de manutenção químico-técnicos, soluções para o tratamento químico de superfícies e condicionamento de superfície para confeitos.

A Divisão de Especialidades Químicas tem sede em Munique, Alemanha, com subsidiárias em 40 países em todo o mundo. Em 2015, empregou mais de 3.300 colaboradores e registrou vendas de cerca de € 960 milhões.

Em 2015, o Grupo Freundenberg – que tem 167 anos – , empregou mais de 40.000 pessoas em 57 países em todo o mundo e obteve um faturamento de mais de € 7,5 bilhões.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Grupo Freundenberg

Curta nossa página no

Messe Düsseldorf disponibiliza venda de ingressos on-line para a feira K 2016 com preços reduzidos

07/04/2016

k2016

  • Impressão dos ingressos poupa tempo e dinheiro
  • Ofertas personalizadas para viagem e alojamento

A partir de agora, os ingressos para visita à K 2016, que ocorrerá de 19 a 26 outubro, estão disponíveis online no site www.k-online.com. A compra do eTicket oferece benefícios duplos – poupa tempo e dinheiro. Os visitantes podem comprar os seus ingressos online, imprimi-los em suas próprias impressoras ou baixá-los como códigos – e depois se deslocar gratuitamente para a feira através de trens ou ônibus. O eTicket também é mais barato do que os ingressos comprados no local. O ingresso para um dia custa 49 euros, enquanto que o preço de balcão em Düsseldorf é de 65 Euros. O ingresso de 3 dias pode ser adquirido online por 108 Euros, sendo 135 Euros no balcão.

As pessoas que estejam ainda à procura de alojamento durante a K 2016 são aconselhadas a fazer uso dos serviços da Düsseldorf Marketing & Tourismus GmbH (DMT). Esta subsidiária da municipalidade local dispõe da melhor visão geral dos hotéis e quartos privados disponíveis em Düsseldorf e arredores durante a principal feira mundial para a indústria de plásticos e borracha e vai ajudá-lo a fazer a sua reserva. Aliás, a pressão sobre o setor hoteleiro tem ficado mais branda. Só dentro dos limites da cidade de Düsseldorf, cerca de 1.000 novos leitos hoteleiros foram criados nos últimos anos e, em cidades vizinhas (por exemplo Essen, Krefeld, Mönchengladbach e Wuppertal), mais 900 novos leitos foram disponibilizados no mesmo período. Na região de Düsseldorf, cerca de 79 mil leitos estão disponíveis no momento. A DMT reuniu todo o seu pacote de serviços online para a K 2016, de modo que uma consulta ao site deles será certamente útil: http://business.duesseldorf-tourismus.de/messe/K/.

Além disso, há uma oferta atraente da Messe Düsseldorf, Deutsche Bahn e DMT especificamente para os visitantes da K 2016 vindos de toda a Alemanha: o preço do bilhete especial de retorno (amarrado a trens específicos e enquanto estiverem disponiveis) para Düsseldorf é de 99 euros para segunda classe e 159 euros para primeira classe. Esta oferta estará disponível on-line por cerca de três meses antes da feira começar.

A K 2016 estará aberta diariamente das 10:00 às 18:30 hs. Todos os ingressos para a feira dão direito também a deslocamentos gratuitos de ida e volta da feira através de ônibus, metrô/bonde e trens dentro do sistema de transporte integrada na VRR e VRS (somente na 2ª classe, em trens sem custo adicional). Mais informações sobre a rede de transportes pode ser encontrada em http://www.vrr.de e www.vrs-info.de.

Na K 2016, mais de 3.000 expositores internacionais estarão apresentando seus mais recentes desenvolvimentos nas áreas de máquinas e equipamentos para a indústria de plásticos e borracha, matérias-primas e auxiliares e produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados. Cerca de 200.000 visitantes profissionais de todo o mundo são esperados na feira.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Simplás lança Curso de Gestão na Prática para Micro e Pequenos Empresários

07/04/2016

Capacitação em parceria com a faculdade Ftec tem inscrições abertas e início marcado para 14 de maio

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), com foco no perfil majoritário de suas representadas, desenvolveu e agora está lançando o Curso de Gestão na Prática para Micro e Pequenos Empresários. As aulas, com início marcado para 14 de maio, serão ministradas nas instalações e por professores e especialistas da faculdade Ftec, em Caxias do Sul (RS).

O objetivo da iniciativa é oferecer capacitação com preços competitivos e conceitos de aplicação imediata a associados e contribuintes do Simplás, e também ao público em geral. A carga total atingirá 56 horas, distribuídas em sete módulos de oito horas, com uma aula por mês, sempre aos sábados.

“É um curso inovador, sem similar no mercado, objetivo e extremamente didático, especialmente elaborado para auxiliar o empresário agora. Os professores vão abordar situações práticas do cotidiano das empresas, com ferramentas de uso instantâneo”, revela o diretor de Educação, Inovação e Tecnologia e também vice-presidente do sindicato, Gelson Oliveira.

As aulas abordarão princípios básicos de gestão, liderança, finanças, marketing e produto, vendas, produção, qualidade e inovação (detalhes abaixo). As inscrições já estão abertas e as vagas são limitadas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 3228.1251 ou pelo e-mail greice@simplas.com.br.

“Tudo foi desenvolvido pensando no perfil da maioria dos nossos representados, que são executivos de micro e pequenas empresas, com pouquíssimo tempo disponível, mas sempre em busca de atualização. Assim, os horários são diferenciados, para que o empresário não precise abrir mão de seus compromissos durante a semana. Para completar, aperfeiçoamos todo projeto até chegar a um excelente custo-benefício”, conclui Oliveira.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Nova diretoria no Sindiplast-ES toma posse nesta quinta-feira, 07/04

07/04/2016

Cerimônia contará com um painel onde será debatido o tema “Caminhos para aumentar a competitividade da Industria Brasileira”

A nova diretoria do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Espírito Santo (Sindiplast-ES) toma posse oficialmente nesta quinta-feira, 07, em uma cerimônia realizada, às 19h, no auditório da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes).

Além dos membros da nova e da antiga diretoria, o evento reunirá os associados ao Sindiplast-ES, autoridades públicas e sociedade civil organizada. Também foram convidados sindicatos e federações da indústria de Plásticos de todo o Brasil, além de outros sindicatos filiados à Findes.

Mais do que um evento de posse, a cerimônia será um grande encontro de empresários e autoridades públicas, em que será debatido o tema “Caminhos para aumentar a competitividade da Industria Brasileira” em um painel.

Para falar sobre o assunto, foram convidados representantes do setor, como o vice-presidente da Fiesp e presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), José Ricardo Roriz, e o presidente da Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (Almaco), Gilmar Lima. Ainda participarão do painel, o gerente executivo do Departamento de Economia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Flávio Castelo Branco, e a secretária de Estado da Fazenda Ana Paula Vescovi.

O empresário Gilmar Guanandy Régio, da Fibravit, foi eleito presidente do Sindiplast-ES no dia 16 de fevereiro, em uma eleição que contou com 60% de associados votantes. Além de Gilmar Régio, irão assumir a diretoria: Marllon Maykow Torres (Grupo Fortlev), como vice-presidente; Yêda Vietchhesky (Flexibras), como 1º diretor Administrativo; e Leonardo de Castro (Fibrasa), como 1º diretor Financeiro.

Nova diretoria do Sindiplast-ES:

Presidente: Gilmar Guanandy Régio (Fibravit).
Vice-presidente: Marllon Maykow Torres (Grupo Fortlev).
1º Diretor administrativo: Yêda Martha Piazarollo Vietchhesky (Flexibras).
2º Diretor administrativo: Hudson Temporim Moreira (MIG).
1º Diretor Financeiro: Leonardo Souza Rogério de Castro (Fibrasa).
2º Diretor Financeiro: Neviton Helmer Gasparini (Plastin).
Suplentes de Diretoria: Thiago Dalla Bernardina Lacourt (Grupo Fortlev), Rubens Szpilman (Squalus), Josimar Rodrigues Vieira (JRVieira), Celito Rogério Lima (Fibral).
Conselho Fiscal – Efetivos: Edilson Salvagnini (Embali), Fernando Pires Gonçalves (Papelial), Robson Barcelos Regiani (Magnatech). Suplentes: Juscelino José de Oliveira (Agrofit), Bárbara Esteves (RBA Toplastic), Giuliano Souza Rogério de Castro (Fibrasa).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sindiplast – ES

Curta nossa página no

Feira Interplastica na Rússia despertou alto nível de interesse, apesar dos tempos difíceis

26/02/2016

interplastica_logoA tecnologia ocidental para a produção de embalagens e processos relacionados, bem como para a fabricação de produtos de plástico e de borracha, ainda é altamente valorizada por empresas russas. No entanto, as condições políticas atuais, a queda do preço do petróleo, um rublo continuamente fraco, com uma taxa de inflação de aprox. 15,8 % no ano passado, bem como pouca disponibilidade para empréstimos tem dificultado os investimentos, especialmente para pequenas empresas.

Por outro lado, ainda é necessário um investimento considerável na Rússia e em países vizinhos. Acima de tudo, a demanda foi colocada sobre a indústria doméstica de bens de consumo, a indústria de alimentos e a indústria de embalagens no sentido de que estas otimizem os seus processos de produção e qualidade de produtos, a fim de poderem substituir importações. Portanto, a obtenção de informações sobre tecnologias inovadoras, a manutenção de relações comerciais com fornecedores ou o estabelecimento de novas relações representaram o principal foco dos visitantes da Interplastica e UPAKOVKA / Upak Italia 2016. De 26 a 29 de janeiro passados, 20.900 visitantes profissionais provenientes da Rússia e seus países vizinhos vieram ao Moscou Expocentre em Krasnaya Presnya – cerca de 1.900 a mais que em 2015. A atmosfera dentro dos pavilhões era notavelmente excitante. Os expositores relataram a existência de empresários extremamente interessadas, que também estavam, em parte, prontos para fazer encomendas. Um total de 828 empresas de 38 países apresentaram sua gama de ofertas em ambas as feiras.

“A Rússia ainda é um mercado potencialmente significativo, embora esteja atualmente passando por tempos difíceis. No momento, para as pequenas e médias empresas russas, em particular, não está sendo fácil – o problema do financiamento dos investimentos previstos é um bastante grande. No entanto, o mercado, de forma alguma, chegou a uma paralisação. Há ainda um elevado grau de interesse em máquinas inovadoras de alta qualidade e em sistemas e materiais. As empresas querem investir e também estão fazendo um esforço para implementar os projetos planejados. Em tal situação, as feiras comerciais desempenham um papel importante. Com sua participação, os expositores tem demonstrado que eles não tem apenas como objetivo em mente o sucesso a curto prazo, mas estão fazendo esforços para manter relacionamentos de forma sustentável. Isto foi claramente recompensado “, comentou Matthias Werner Dornscheidt, Chairman e CEO da Messe Düsseldorf. A empresa organiza as duas feiras comerciais especializadas: a Interplastica e a UPAKOVKA / Upak Italia, em conjunto com sua subsidiária, a Messe Düsseldorf Moscou OOO, sendo que a última feira é implementada em colaboração com a organizadora italiana CPA.

Os visitantes foram unânimes em expressar um feedback positivo sobre a versátil gama  de empresas e produtos, os inúmeros lançamentos de produtos, bem como sobre a presença de muitos líderes de mercado. Fornecedores especiais e recém-chegados também estavam contentes com a atividade animada em seus estandes de feiras.

Para os fabricantes de máquinas alemães, a Rússia ainda é um mercado de vendas interessante, mesmo que os valores estejam atualmente em declínio. Durante o período de janeiro a novembro de 2015, os embarques de exportação alemãs de máquinas para processamento de plásticos e borracha para a Rússia totalizaram 118,8 milhões de euros, o que é uma diminuição de 16,7 por cento em relação ao mesmo período do ano anterior. Apesar desta diminuição das encomendas, a Alemanha continua a ser o fornecedor mais importante neste segmento. Em 2014 (dados para 2015 ainda não estão disponíveis), a fatia de mercado alemã estava em 23,9 %, seguida pela Itália com 12,6%, sendo bem à frente da China, cuja quota de mercado foi de 11,6 por cento. A exportação mundial de plásticos e máquinas de borracha para a Rússia apresentou um aumento de 4,1 por cento em 2014 em comparação ao ano anterior, correspondendo a um valor total de 666.0 milhões de euros.

Bernd Notel da Associação alemã para plásticos e máquinas de borracha ( VDMA) está satisfeito pelo fato de que as relações comerciais russo-alemãs tem sido tradicionalmente repletas de confiança e que continuam, mesmo em tempos difíceis. “Máquinas “made in Germany” tem uma boa reputação aqui e o serviço prestado pelas empresas alemãs é muito apreciado. Fornecedores alemães aproveitaram a sua presença durante a feira para manter um contato estreito com seus clientes e apresentar suas inovações. O financiamento dos investimentos planejados e necessários representa atualmente o maior problema. No entanto, definitivamente há otimismo para o futuro – especialmente porque parece que estão sendo desenvolvidos esforços pelo governo russo para impulsionar a expansão da produção doméstica. O desenvolvimento da cadeia de valor agregado tem sido negligenciada – sendo que os atuais preços baixos do petróleo e do gás tem permitido algum movimento neste campo”. Notel também declarou que muitas empresas alemãs chegaram à Interplastica com expectativas moderadas, mas foram claramente surpreendidas pelo aumento do número e da alta qualidade de contatos estabelecidos.

Como é habitual, a Itália foi fortemente representada durante a Interplastica. Nas salas 1 e 3, havia inúmeros expositores individuais e também grandes stands que ofereciam um amplo panorama das ofertas. E, embora os fabricantes italianos não tenham podido vender tantas máquinas e ferramentas para a Rússia como em 2013, as empresas estão contando com os bons contatos com os clientes que têm persistido por muitos anos, bem como na qualidade de seus produtos. Isso foi confirmado por Mario Maggiani, CEO da Associação dos Fabricantes de Máquinas Italianas, Assocomaplast: “As exportações de máquinas para plásticos e borracha, bem como moldes, caíram 12 por cento em 2014 em relação ao ano anterior, ou seja, de 119,5 para 105,3 milhões de euros. E se dermos uma olhada em 2015, temos que assumir inclusive um declínio de 20 a 30 por cento, à luz dos dados existentes até hoje para os três primeiros trimestres. Desse modo, a Rússia caiu para oitavo lugar em nossas estatísticas de exportação, depois de ter sido um dos cinco mercados de vendas mais importantes para os fabricantes italianos de máquinas para plásticos e borracha por muitos anos”. No entanto, Maggiani também comentou que, embora não se espere nenhuma melhoria rápida em face da difícil conjuntura econômica, em particular, do rublo fraco, da queda do preço do petróleo e das sanções, a grande afluência de visitantes na Interplastica, bem como as discussões específicas, foram claramente muito além das expectativas dos expositores italianos.

A gama de ofertas de expositores da Interplastica foi complementada por um programa de apoio especializado. No “Ponto de Encontro de Matérias-Primas”, aconteceram palestras e rodadas de discussões onde matérias-primas, a reciclagem de plásticos e aditivos de produção foram os temas de foco. Além disso, expositores apresentaram produtos e processos inovadores em seminários abertos.

A próxima Interplastica em Moscou acontecerá de 24 a 27 Janeiro de 2017, novamente em paralelo com a UPAKOVKA / Upak Italia. Mais informações estão disponíveis on-line em http://www.interplastica.de e na Messe Düsseldorf GmbH, o Sr. Thomas Franken, tel. 0211 / 4560-7739, e-mail: FrankenT@messe-duesseldorf.de e Claudia Wolfgram, Tel. +49 (0) 211-4560-7712, E-mail: WolfgramC@messe-duesseldorf.de

Fonte: Messe Duesseldorf

Curta nossa página no

Produção de transformados plásticos caiu 8,7% em 2015

25/02/2016

A produção industrial de transformados plásticos no Brasil caiu 8,7% em 2015 em relação a 2014. O total de artefatos plásticos fabricados ficou na casa dos 6,1 milhões de toneladas de artefatos,  segundo a Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast).

De acordo com a Abiplast, a retração no setor foi a pior enfrentada desde a crise internacional de 2008, ocasião em que a produção despencou13,3%.

A redução na produção foi causada por quedas expressivas de importantes segmentos industriais que consomem plásticos, tais como o setor automotivo (-25%), alimentos (-2,4%), bebidas (-5,4%), eletroeletrônicos (-30%) e higiene e perfumaria (-3,8%), explicou a Abiplast.

Por um lado, o dólar mais alto está ajudando os setores a aumentarem a sua competitividade no mercado externo. A Abiplast reportou crescimento de 8,8% nas exportações do segmento em 2015. Por outro lado, porém, a valorização do dólar tem um impacto nos custos da indústria e nos preços de matéria-prima.

“Infelizmente, ainda não vemos alteração desse cenário e em 2016 estimamos um recuo de 3,5% na produção do setor de transformados e de 1,3% no emprego”, afirmou na nota o presidente da Abiplast, José Ricardo Roriz Coelho, ressaltando que o setor já fechou quase 30 mil postos de trabalho. “Somente as exportações devem seguir com um desempenho positivo, de 12%”, concluiu ele.

Fonte: Abiplast / DCI

Curta nossa página no

PolyOne adquire ativos de TPE da Kraton

09/02/2016

PolyOne-Acquires-Kraton

Ampliando sua presença global e expertise em inovação e design de elastômeros termoplásticos  (TPE), a PolyOne Corporation anunciou em 03 de feveiro que adquiriu certas tecnologias e ativos da Kraton Performance Polymers, Inc.  As duas empresas também celebraram um acordo de fornecimento, através do qual a Kraton irá fornecer à PolyOne certas matérias-primas utilizadas no processo produtivo das unidades que foram vendidas.

Os mercados finais que utilizam as tecnologias vendidas pela Kraton abrangem aplicações novas e de crescimento rápido em adesivos e filmes protetores removíveis, bem como as aplicações existentes já servidas pela PolyOne, tais como embalagens, dispositivos médicos e produtos para cuidados pessoais. O preço da transação (US $ 72 milhões) representa um múltiplo de 9x EBITDA.

“Desde a nossa bem-sucedida aquisição em TPE da GLS em 2008, temos investido continuamente e promovido a globalizado e crescimento em inovação no segmento de TPE e seus vários usos de valor agregado”, disse Robert M. Patterson, presidente e CEO da PolyOne Corporation. “Estamos muito satisfeitos por termos feito este investimento para nossos clientes e seus objetivos de design de produto, desenvolvimento e desempenho.”

“Eu vejo esta transação como uma vitória para ambas as empresas, e mais importante, para os nossos respectivos acionistas e clientes”, disse Kevin M. Fogarty, presidente e diretor executivo da Kraton. “Ele permitirá que a PolyOne e Kraton se concentrem em suas principais competências e ajudará nossos clientes com soluções novas e únicas que os diferenciarão no mercado.”

Patterson acrescentou: “A integração será rápida e sem problemas, à medida que potencializamos o nosso know-how existente em TPE,  nosso alcance global e experiência comercial para ajudarmos os nossos clientes de maneiras novas e inovadoras.”

A PolyOne Corporation, com receitas de US $ 3,8 bilhões em 2014, é uma provedora de materiais, serviços e soluções especializadas em polímeros.

Fonte: PolyOne

Curta nossa página no

Interplast terá a 3ª Euromold Brasil em paralelo

08/02/2016

Interplast_2012Além do CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica – e da Rodada de Negócios, a Interplast (Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico) terá, paralelamente, a realização da EuroMold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de Produtos.

A 3ª edição da Euromold Brasil já tem todos os setores da cadeia de moldes representados através de expositores, fazendo valer o lema “Da idéia à produção em série”.

Até o momento, as reservas/contratos incluem 18 ferramentarias de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, 10 ferramentarias do exterior, nove empresas de impressão 3D, além de empresas de design de produto, tratamento térmico e de superfície, periféricos e acessórios para moldes, softwares e materiais.

A 9ª Interplast e a 3ª Euromold Brasil acontecem de 16 a 19 de agosto nos pavilhões da Expoville, em Joinville (SC). Informações através do telefone (47) 3451-3000 ou http://www.interplast.com.br.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.brasilmold.de
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

Presidente do Sindiplast-ES faz balanço do setor de plásticos do Espírito Santo e fala das perspectivas para 2016

08/02/2016

Sindplast-es-nevitonO presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Espírito Santo, Neviton Helmer Gasparini (foto), fez um balanço do cenário da indústria de Plásticos no Estado e falou das perspectivas do setor para 2016. Gasparini destacou o trabalho feito pelo Sindicato para fortalecer a indústria local e no apoio aos empresários em busca de alternativas para manter a competitividade frente ao cenário de instabilidade político-econômica. Confira na entrevista a seguir:

Que balanço pode ser feito do ano de 2015 para o setor de Transformados Plásticos do Espírito Santo ?

O ano de 2015 não foi fácil para o empresário do setor de Plásticos. Foi um ano que exigiu esforços extras para evitar demissões e encolhimento, especialmente devido à retração na indústria de Alimentos e Bebidas e na Construção Civil, nossos principais mercados. Muitos utilizaram suas reservas, mas elas também acabam. Por outro lado, algumas áreas do setor intensificaram seus negócios, como a indústria de soluções para armazenamento de água, que se beneficiou da crise hídrica e fechou o ano mais fortalecida.

Nesse contexto apresentado, quais foram as principais realizações do Sindiplast-ES para o fortalecimento do setor ?

É exatamente nesse contexto desafiador que o Sindicato deve intensificar suas ações. Por isso, 2015 foi um ano muito produtivo. A principal ação foi, sem dúvida, a inauguração oficial da Escola Senai do Plástico Antonio Carlos Torres, iniciativa que buscávamos há alguns anos e que se concretizou.  Além disso, o Sindiplast-ES realizou mais uma edição da Semana do Plástico ES; intensificou as visitas aos associados; inscreveu e teve quatro práticas sindicais pré-selecionadas para compor a 1ª Edição do Banco de Boas Práticas Sindicais da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Em outras frentes, articulou e promoveu parcerias para cursos in company, missões técnicas nacionais e internacionais; reduziu a inadimplência; representou o setor em fóruns locais, nacionais e internacionais; promoveu a interiorização do Sindicato, com palestras e exposição itinerantes em municípios fora da Região da Grande Vitória, como Aracruz, Linhares, São Mateus, Colatina e Cachoeiro Itapemirim; finalizou o Plano de Trabalho e orçamento do Sindicato para 2016; entre outras ações.

Quais são as perspectivas do setor para o ano de 2016 ?

Em 2016, o setor deve manter o pé no freio e continuar buscando alternativas para sustentar a sua competitividade. Acredito que será um ano mais conservador, mas temos que nos manter otimistas e buscar opções para o crescimento mesmo que o cenário seja adverso.

O cenário é o mesmo em relação às perspectivas do setor em âmbito nacional ?

A indústria do Plástico em todo o Brasil tem a consciência de que os problemas políticos e econômicos enfrentados pelo País vão continuar afetando o setor. Mas esta é uma visão geral, que pode variar de acordo com o tipo de produção de cada empresa. Algumas vão sentir mais, outras vão sentir menos, sendo que haverá aquelas que poderão crescer dentro deste cenário. As expectativas mais otimistas para 2016 são de que o setor se mantenha estável com relação a 2015.

Que conduta deve o empresariado adotar para que 2016 seja um ano melhor ?

Os empresários devem continuar buscando alternativas dentro de suas possibilidades. Este é um momento em que o esforço empregado na busca de novos mercados deve ser maior. É hora de colocar o pé na estrada e ir atrás dos clientes em potencial. Também é importante estar disposto a ouvir e estreitar o relacionamento com clientes e parceiros; de discutir, planejar e executar estratégias para a conquista de novos mercados. Do mesmo modo, é preciso preparar-se tecnologicamente e ter como foco a excelência da qualidade dos serviços. Para esses últimos pontos, é essencial que os empresários busquem certificações para suas empresas, um significativo diferencial competitivo, e que qualifiquem suas equipes.

Quais são os projetos do Sindiplast-ES para este ano ?

Nosso ano será de continuidade às ações que já estão sendo realizadas. Trabalhamos para garantir mais oportunidades de negócios para os empresários e para fortalecer o setor dentro do Espírito Santo. Para isso, manteremos o diálogo com outros setores e empresas e articularemos com eles encontros de negócios. Assim como já tem sido feito, iremos promover cursos de aperfeiçoamento e qualificação de acordo com a demanda das indústrias e para isso intensificaremos as visitas às associadas para verificar suas necessidades. Não podemos esquecer que este também será um ano de eleições no Sindiplast-ES, portanto, um trabalho de prestação de contas vem sendo preparado para que a transição de gestão seja feita da forma mais transparente possível.

Fonte: Assesoria de Imprensa – Sindiplast (ES)

Curta nossa página no

Clariant apresenta as cores de 2017 na mais nova edição do ColorForward®

08/02/2016

Colorforward-2017

  • 11ª edição do guia de previsão de cores da Clariant para a indústria de plásticos
  • Ferramenta de análise de tendências e design de cores oferece inspiração criativa

A Clariant lançou o ColorForward® 2017, o 11º guia anual de previsão de cores para a indústria de plásticos. O guia de 2017 visualiza tendências como data mining, a crescente desconexão social e a busca por uma vida com mais significado.

“O ColorForward® 2017 é muito diferente da edição de 2016 lançada há um ano”, explica Judith van Vliet, Designer do ColorWorks Europa, em Merate, Itália. “Acreditamos que as pessoas estão ficando mais amedrontadas e introspectivas, refletindo a sensação de desconexão que muitos parecem sentir hoje. Claro que há algumas exceções, mas em geral as cores estão mais suaves, escuras e até mesmo mais ambíguas”,

“Cada pessoa responderá ao ColorForward de maneira diferente”, complementa van Vliet. Cada um dos temas das tendências é representado por uma paleta de cinco cores. A intenção, no entanto, não é prever a “próxima cor do momento”. O objetivo é apresentá-la aos clientes da Clariant como uma experiência criativa. Para alguns os temas de tendências e as paletas de cores oferecem inspirações; para outros, servem como confirmação do que já pensaram e viram.

Tendência: Annoy Firm Omit

É um anagrama da frase “minha informação” (my information, em inglês. Tem a intenção de captar a ambígua natureza Yin / Yang do universo das informações. A Data Mining (seleção sistemática de informações digitais para um fim específico) ocupa um lugar central no tema dessa tendência. A dualidade da Internet é capturada nas cores da tendência Annoy Firm Omit. Duas das cinco cores são escuras e sinistras.

Tendência: Delonelination

Em um mundo conectado, o último tabu é a solidão. “Delonelination” é uma chamada para o despertar, afirma van Vliet. É um alerta de que a solidão está crescendo, principalmente entre os jovens. As cinco cores que representam essa tendência são geralmente pálidas e suaves, variando desde um bege, para sugerir a necessidade humana de ser tratado com carinho, até um marrom simples.

Tendência: Nebulove

Pode ser visto como uma antítese da solidão, pois reconhece uma tendência de relacionamentos complexos entre diversas pessoas interconectadas, que estar casadas ou não, dependendo do que as satisfaz. As cores que representam este tema são um verde/amarelo claro, como o interior de um pepino, e um vermelho difuso. Há um roxo-lilás e um laranja-amarronzado, quase um tom conhaque. Um rosa profundo e suave, chamado Perky Star, é usado para representar o ‘solteiro feliz’.

Tendência: It’s a trap!

“A vida pode ser uma cilada”, afirma van Vliet. “Ela pode ser difícil e estressante – ou simplesmente entediante – ser você permitir que seja assim. Por isso as pessoas estão começando a buscar novas formas de escapar, de aguçar sua curiosidade e explorar os limites da mente humana. Essa tendência fala sobre escapismo e a descoberta de novos modos de percepção.”. Não por acaso, as cores dessa tendência de aproximam de uma nova e autêntica estética.

Fonte: Clariant

Curta nossa página no

Tomra Sorting desenvolve solução para produção de flakes de PET reciclado de alta pureza

02/02/2016

Tomra_AUTOSORT_b

Usando sistemas Autosort da Tomra, a ECOPlastics Recycling Ltd, reciclador líder no Reino Unido, alcançou a pureza máxima de PET reciclado e o maior nível de eficiência na classificação de plástico de qualidade alimentar atingido atualmente, relata a Tomra Sorting

A planta da ECOPlastics Recycling Ltd em Hemswell, Lincolnshire, (Reino Unido), é uma das mais avançadas da Europa e a mais importante do Reino Unido, com capacidade para processar 150 mil toneladas anuais de garrafas de plástico. A empresa faz uso intensivo de sistemas e unidades de classificação, sendo a maior parte fornecida pela TOMRA Sorting.

Mediante o uso dessa avançada tecnologia de classificação, juntamente com um enfoque ecológico e inovador dos seus processos, a ECOPlastics se consagrou como a única empresa do Reino Unido que produz flakes de PET com qualidade alimentar, sendo que os seus produtos podem ser encontrados em praticamente em todos os lugares do Reino Unido.

A planta de ECOPlastics foi inaugurada em 2010, contando com 20 unidades da TOMRA Sorting para classificar plásticos misturados provenientes de plantas de recuperação de resíduos do Reino Unido. A planta classificava plásticos por cores e tipos de polímeros, após a lavagem do PET na forma PurePET78® (flake de rPET de grau alimentício).

Flakes de PET

Flakes de PET

Depois do êxito desta primeira instalação, em finais de 2010 a ECOPlastics entrou em contato com a Tomra Sorting UK, pedindo-lhe atender a um dos seus desafios mais exigentes. A empresa precisava fornecer regularmente a um dos seus clientes grandes quantidades de flakes de PET reciclado (rPET) super lavado, com níveis de pureza notadamente superiores aos estabelecidos até então pela industria. Demandava também um alto rendimento, com uma perda mínima de material e manutenção da pureza da produção.

A partir deste desafio, estabeleceram-se as bases de uma associação que daria como resultado o desenvolvimento de uma solução pioneira em nível mundial na classificação de plásticos. De imediato, a Tomra Sorting iniciou um projeto de P&D para desenvolver a tecnologia capaz de satisfazer ao desafio de gerar uma alta produção de PET com os níveis máximos de pureza. O objetivo era conseguir um sistema que permitisse a classificação de flakes de PET por material e por cor, simultaneamente, oferecendo um PET de referência com uma alta qualidade e pureza (medidas em partes por milhão em vez de usar percentagens).

Os engenheiros da Tomra Sorting trabalharam com a ECOPlastics durante um ano para melhorar o sistema Autosort [flake] da Tomra para alcançar esse objetivo. Brian Gist, engenheiro de vendas da Tomra Sorting, explicou: “Muitas empresas do setor afirmavam que era impossível alcançar os níveis de pureza requisitados pela ECOPlastics, mas nós assumimos diretamente este desafio. Redesenhamos o software e os componentes, para além de dedicar um bom número de pessoas a analisar todos os detalhes deste desafio para conseguir tornar possível o impossível”.

Assim, em outubro de 2011, a ECOPlastics realizou o pedido de 5 sistemas Autosort [flake], que oferecem uma capacidade de classificação de flakes de até 2mm, mantendo ao mesmo tempo altos níveis de pureza e minimizando a perda. Os sistemas Autosort [flake] integraram-se facilmente na planta de Hemswell, posicionados depois do material identificado, triturado e lavado. Após esses processos, os flakes lavados são classificados por tamanho antes que o Autosort [flake] elimine suas impurezas. O sistema baseia-se na tecnologia VIS (espectrometría visual) da Tomra Sorting, usado em aplicações padrão de classificação em todo o mundo.

“Tivemos que fazer uma grande mudança na escala de medida da pureza, passando de medir em percentagem para medir em partes por milhão (pmm), mas assumimos o desafio e estamos muito satisfeitos com os resultados e com o novo grau que se estabeleceu a nível mundial”, afirmou Gist. Este desenvolvimento ajudou a ECOPlastics a fornecer os seus próprios equipamentos de extrusão e fornecer também, a todos os seus clientes de flakes de PET, o material de melhor qualidade disponível no mercado atualmente, afirma a Tomra. Até então, a indústria não era capaz de classificar flakes de PET atingindo este alto grau de qualidade e pureza, afirma a empresa.

Brian Gist conclui afirmando: “A ECOPlastics sabia claramente o que pretendia alcançar e nós oferecemos todo o apoio durante o processo. Este é um extraordinário exemplo de trabalho conjunto de duas empresas para conseguir resultados excepcionais”.

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A empresa já instalou mais de 4.400 sistemas em 40 países de todo o mundo. Responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor de infravermelho próximo para aplicações de separação de resíduos, a Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para a separação, descascamento e controle de processos para a indústria alimentícia e de mineração, entre outras. A Tomra Sorting é afiliada da empresa norueguesa Tomra Systems ASA, fundada em 1972 e contando atualmente com faturamento de cerca de 550 milhões de euros e mais de 2.400 funcionários.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Dynisco lança medidor de índice de fluidez com um novo cortador automático de amostras

22/01/2016

Dynisco_autocutterA Dynisco lançou seu medidor de índice de fluidez LMI5000 Series com um novo cortador automático de amostras (Autocutter). Essa nova funcionalidade oferece meios mais precisos, automatizados e seguros para cortar amostras de polímeros. De acordo com a Dynisco, o novo equipamento possui as seguintes características:

Maior precisão:
• Ao executar um método de teste “A” ou “A / B”, o cálculo da taxa do índice de fluidez (MFR) é uma razão entre o peso da amostra ao longo do tempo
• A precisão tanto do peso como do tempo influenciam a precisão da medição
• O atraso a partir do qual o aparelho sinaliza para um corte manual e o tempo real no qual a amostra será cortada vai influenciar o valor do MFR
• As variações deste atraso irão adicionar variabilidade para o valor do MFR
• O Cortador automático irá remover esta não-repetibilidade e quase eliminar o atraso entre o tempo de corte programado e tempo real de corte

Aumento da Automação:
• O cortador automaticamente acionará o corte no tempo previsto tanto no método  “A” como no “A / B”
• O cortador automático pode ser desabilitado globalmente na tela de configurações
• O Cortador automático pode ser acionado a qualquer momento durante o teste

Maior segurança:
• O Cortador automático mantém o usuário longe de do cabeçote quente
• As amostras são depositados na base do aparelho para recuperação
• O usuário utilizador não necessita de usar uma espátula para remover a amostra, minimizando a exposição à amostra de plástico fundido
• A porta do cortador automático tem um intertravamento de segurança integrado
• Quando a porta está aberta ou removida, a funcionalidade de corte fica desabilitada

“O recurso do Cortador Automático fornece uma consistência de cortes de amostras que simplesmente não se pode alcançar manualmente”, afirma Kevin Craig, engenheiro electrotécnico líder. “Não se precisa mais executar múltiplos testes do Método A ou de Densidade do Material Fundido e tirar a média dos resultados para eliminar o fator “humano”. Uma maior taxa de fluxo de material que era quase impossível de se usar com o teste com corte manual se torna possível com o recurso Auto Cutter. ”

Outras características da nova funcionalidade incluem, segundo a Dynisco:
• Porta de segurança facilmente removível
• Permite fácil acesso para manutenção e limpeza do Cortador automático
• O Cortador automático fica desabilitada enquanto a porta de segurança é removida
• Roda de corte de aço inoxidável
• Métodos de teste “A” e “A / B” integrados

Mais informações sobre o Dynisco LMI500 Series de Fluidez Indexador com Cortador automático pode
ser encontradas em: http://www.dynisco.com/lmi

A Dynisco é provedora líder de soluções de medição e controle para extrusão e outros processos plásticos em que a pressão e a temperatura são críticos. O Segmento Dynisco Plastics é parte de uma organização global que fornece tecnologias de sensoriamento, equipamentos de controle e instrumentação analítica para uma ampla gama de aplicações industriais. A empresa tem fábricas em Massachusetts, Nova York, Ohio, e na Malásia. Dynisco serve um grupo diversificado de clientes em todo o mundo, incluindo OEMs, distribuidores e usuários finais.

Fonte: Dynisco

Curta nossa página no

Laboratório da UERJ é montado com painéis pultrudados pré-fabricados

11/01/2016

Pultrusao

A empresa Pultrusão do Brasil desenvolveu um sistema de construção modular com painéis pultrudados pré-fabricados para construções rápidas e canteiro de obra limpo para atender a demanda da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Ela necessitava de uma sede para o Laboratório de Adesão e Aderência (LAA), na Cidade Universitária, em Macaé, RJ.

A equipe de Engenharia da Pultrusão do Brasil projetou painéis “sanduíche” de perfis e chapas pultrudadas com núcleo de espuma EPS. A empresa pré-fabricou painéis com janelas, portas, paredes “cegas” e painéis para teto, que foram montados sobre um piso de concreto. A montagem foi concluída em 15 dias.

O laboratório tem 57,6 m² de área, distribuídos em três salas de ensaios (hidráulicos, colagem e materiais compósitos), sala de estar/reuniões, circulação e sanitários. A construção também recebeu uma estrutura pultrudada de cobertura, formando uma varanda (30m²), e foi coberta com telhas pultrudadas.

O perfil plástico estrutural pultrudado pode substituir materiais convencionais como o aço, alumínio, madeira e concreto. Entre as vantagens estão: imunidade à corrosão, alta resistência à agressividade química, isolamento elétrico, resistência a altas temperaturas, autoextinção de fogo, longa durabilidade com baixa manutenção, leveza (mais leve que aço e alumínio), comprimento apenas limitado ao transporte; baixa absorção de água; facilidade de transporte e manuseio.

A UERJ teve a parceria da Pultrusão do Brasil e da Fundação Educacional de Macaé para a construção da sede do laboratório com material pultrudado. Nele, em convênio com a Petrobras, a equipe do Mestrado em Ciências da Tecnologia da universidade desenvolverá projetos inovadores na área de materiais compósitos (fibra de vidro mais resina).

Fonte: Pultrusão do Brasil

Curta nossa página no

Simpesc realiza em agosto de 2016 a nona edição da feira Interplast

21/12/2015

Evento acontece em Santa Catarina, estado que ocupa segunda posição no ranking nacional em volume de produção

Albano Schmidt, presidente do Simpesc

Albano Schmidt, presidente do Simpesc

O Simpesc – Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina – é responsável pela realização da 9ª Interplast, de 16 a 19 de agosto de 2016, em Joinville (SC). Em sua 9ª edição, a feira já está consolidada como a mais representativa do segmento plástico realizada no país em anos pares. Parte do sucesso se deve à importância do estado catarinense para o setor, sendo o segundo no ranking nacional em volume de produção.

De acordo com Albano Schmidt, presidente do Simpesc, o setor de produtos transformados plásticos participa com 4,9% do Valor da Transformação Industrial do Estado, representando cerca de 15% do total de produtos plásticos produzidos no país, ficando atrás apenas de São Paulo. A diversificação da indústria catarinense e sua distribuição em vários polos produtivos, com clusters empresariais, são apontadas como fatores de destaque do estado.

“O sul é concentrado na produção de descartáveis. A região de Florianópolis é especializada em embalagens industriais. No oeste temos alguns dos maiores produtores de embalagens para produtos alimentícios, como carne e frango. E na região de Joinville e Blumenau estão em maior número os produtores de peças técnicas para os setores automotivo e de eletroeletrônicos, produtores de utilidades domésticas, brinquedos, além de alguns dos maiores produtores de produtos para construção civil do país”, detalha Schmidt.

Para 2015, ele acredita que o estado não ultrapassará o volume de produtos transformados produzido ano passado (1.065 toneladas), mas é otimista com a reação do setor para 2016. “A taxa de câmbio foi para o patamar que esperávamos e isso ajuda um pouco, pois estamos mais competitivos frente aos importados e podemos voltar a pensar em exportar. Temos também que buscar melhorar nossos indicadores de produtividade, desenvolver produtos e inovar. Há instrumentos e incentivos para isso, que, no entanto, precisam ser mais difundidos”, explica.

Para o Simpesc, a Interplast é uma das ferramentas para as empresas mostrarem a expressão do mercado plástico e buscarem inovação. Assim, além de realizador, o Sindicato participa do evento como expositor em estande coletivo com as associadas. Isso, de acordo com Schmidt, é uma ótima oportunidade para as empresas prospectarem negócios, abrirem novos mercados e fecharem parcerias.

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Organizada pela Messe Brasil, a feira tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina).

Paralelamente ao evento acontecem a 3ª Euromold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o Cintec 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço:
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
Euromold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

Lançamento da Feiplastic 2017 apresenta vantagens especiais para expositores e compradores

21/12/2015

 Feiplastic-lancamento

Evento foi antecipado para o período de 3 a 7 de abril de 2017

Empresários, representantes da cadeia industrial e imprensa estiveram presentes no lançamento da Feiplastic 2017 – Feira Internacional do Plástico, no Hotel Renaissance, em São Paulo, no dia 04 de dezembro. A feira já tem data para acontecer: 3 a 7 de abril de 2017, ocupando 85 mil m² do Pavilhão de Exposições do Anhembi. A Feiplastic reunirá segmentos como máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, resinas, instrumentação, controle e automação; serviços e projetos técnicos; produtos básicos e matérias-primas; transformadores de plástico e reciclagem.

De acordo com a organizadora do evento, Reed Exhibitions Alcantara Machado, a antecipação do evento para abril de 2017 visa integrar a feira ao calendário internacional dos principais eventos do setor pelo mundo, facilitando a atração de visitantes compradores internacionais à Feira, principalmente da América Latina

“A indústria de transformação do plástico reúne no Brasil 12.500 empresas, emprega cerca de 350 mil pessoas e é um dos cinco maiores setores industriais no país – disse o presidente da Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico), José Ricardo Roriz, dando dimensão da importância desse setor para a economia nacional – é uma indústria que valoriza seus profissionais, e que tem na Feiplastic a chance de encontrar toda sua cadeia industrial. Por isso, a feira é o momento em que as decisões de investimento são tomadas”. Roriz destacou ainda que Abiplast tem contrato com a Reed Exhibitions até 2025. “Cada edição tem sido melhor que a anterior, graças à integração das equipes Reed e Abiplast”.

A Feiplastic também tem adesão do Siresp – Sindicato das Indústrias de Resina do Estado de São Paulo, entidade que representa os interesses de seus associados e trabalha pelo crescimento, integração e aperfeiçoamento da indústria petroquímica e do plástico no Brasil. Entre as empresas associadas ao sindicato está a Braskem, referência deste setor na América Latina e um dos principais players mundiais nesta área. “Trata-se do principal evento da cadeia do plástico no país e tem proporcionado ótimas oportunidades de negócio ao setor. Por isso, reforçamos nossa presença na próxima edição do encontro”, ressalta presidente da Siresp e vice-presidente da Braskem, Luciano Guidolin.

Paulo Octávio Pereira de Almeida, vice-presidente da Reed Exhibitions Alcantara Machado, apresentou números de satisfação dos expositores e visitantes da última edição da feira, em 2015. Segundo ele, 91% dos expositores pretendiam participar da próxima Feiplastic, enquanto 96% dos visitantes disseram que acreditavam comparecer ao evento em sua edição seguinte. “A feira pode ser considerada um termômetro do mercado, e todas as tendências e expectativas apontam que, até 2017, a economia brasileira já estará em outro momento. Acreditamos que a cadeia do plástico irá se beneficiar das melhoras econômicas. A Feiplastic é um evento focado em negócios, inovação, novos produtos e tecnologias que podem despertar o espírito empreendedor em quem expõe e em quem visita”.

Em 2015, a feira reuniu 1.400 marcas – mais de 200 novas – e mais de 66 mil visitantes. Para sua edição 2017, a Reed Exhibitions Alcantara Machado já prevê visitação de 70 mil compradores no espaço total do Pavilhão do Anhembi. A organizadora e promotora da feira também aumenta agora em 150% seu investimento em publicidade para a próxima edição da feira, garantindo que todos os potenciais visitantes/compradores possam entrar em contato com a Feiplastic.

Outra vantagem que visitantes e expositores podem lançar mão é a expertise da Reed Exhibitions em feiras de negócio em todo o mundo. São mais de 300 mil compradores industriais brasileiros em seu banco de dados, de 4 milhões de nomes. A ideia, em sincronia com o que é ofertado para expositores de todo o portfólio da companhia, é fazer com que os negócios ocorram antes, durante e após o evento. O lançamento antecipado da próxima edição da Feiplastic leva ao mercado flexibilidade e mais opções de parcelamento de investimento na feira, e descontos em todas as ferramentas online e offline.

A organizadora da feira também deu atenção especial às ferramentas digitais já disponíveis para futuros expositores, como o aplicativo para celulares, e-mail marketing e o novo site responsivo, adaptável a diversos tipos de interface (desktop, celular, tablets), facilitando contato entre compradores e empresas.

E, para aprimorar a qualidade da exposição e a oferta de programação paralela, a Feiplastic também ganhará Conselhos Consultivos, de compradores e expositores, com primeiras reuniões previstas para fevereiro de 2016.

Algumas novidades programadas para a Feiplastic 2017

-Prêmio Produto Inovador;
-Área exclusiva para produtos com foco em Inovação
-Programa Ilhas de Transformados Plásticos;
-Eventos de conteúdo técnico e de gestão, com palestras gratuitas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Tomra Sorting Recycling lança equipamento de nova geração para separação de flakes

17/12/2015

TOMRA-AUTOSORT-FLAKEA Tomra Sorting Recycling (www.tomra.com/recycling) apresentou ao mercado no dia 7 de dezembro o seu novo Autosort Flake, com capacidade para classificação tripla simultânea. O lançamento do produto foi originalmente planejado para acontecer na Conferência de Reciclagem de Plásticos em Bruxelas, nos dias 25 e 26 de novembro de 2015. No entanto o seu lançamento foi transferido para ocorrer via Internet (www.upgrade-your-flake.com) depois do cancelamento do evento. Anunciando uma nova era de alta-precisão na classificação, o Autosort Flake combina detecção de cores e maior informação relevante para maximizar a recuperação de produtos recicláveis de alta qualidade que os mercados exigentes demandam cada vez mais.

Lançado em um momento em que o mercado do plástico rPET (politereftalato de etileno reciclado) está mudando inexoravelmente, buscando taxas de saída de um produto premium de alto grau de qualidade, o lançamento do Autosort Flake reitera o pioneirismo da Tomra Sorting. O seu lançamento digital oferece à indústria de reciclagem a análise com precisão e a triagem dos flakes de PET por critério de cor e de material ao mesmo tempo. Segundo a Tomra, a tecnologia inovadora dessa nova geração do Autosort Flake também detecta metais e o seu processamento duplo oferece aos clientes um melhor rendimento no processamento do material juntamente com uma saída de alta vazão constante, tudo a partir de uma única máquina.

Na sua declaração de lançamento, Valerio Sama, gerente de produto Reciclagem da Tomra Sorting disse: “Em comparação com a nossa primeira geração de separação de flakes apresentado em 2010, a nova geração é capaz de fazer a separação equivalente a duas unidades independentes e com um grau muito maior de precisão, reduzindo assim a perda de material de boa qualidade. O mais recente avanço é um exemplo claro de parceria com os nossos clientes para desenvolver ótimos resultados. O nosso novo Autosort Flake combina uma configuração mecânica comprovada em campo com a nossa experiência interna em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) para criar mais um marco na indústria. Como resultado, a Tomra Sorting Recylcling pode oferecer uma solução completa de garrafa para flake visando aumento de valor agregado do plástico.”

Descrevendo os benefícios econômicos inerentes, ele acrescentou: “Os separadores da Tomra baseados em sensores podem criar valor em várias etapas do processo da reciclagem de plásticos. Dependendo das necessidades e da demanda, também é possível combinar diferentes tipos de equipamentos Tomra para atingir ainda melhores resultados. O Autosort e o Autosort Flake, combinados, fornecem o mais alto – e mais consistente – rendimento para a indústria”.

Detalhando as vantagens do ponto de vista do cliente, David Bourge, Gerente da Planta da Suez Regene Atlantique, disse: “Graças à parceria com a Tomra, nós conseguimos otimizar as nossas operações de reciclagem de PET. Combinando o Autosort (classificador de garrafas) com a Autosort Flake (classificador de flake), nós aumentamos a nossa capacidade com produtos de alta qualidade em 200%, resultando em receitas consideravelmente maiores – sendo que através do computador central somos capazes de monitorar, controlar e melhorar a nossa produção em tempo real. Em cada etapa de processo, a decisão de investimento gerou em retorno muito rápido”.

tomra_autoflalke

Tal como acontece no equipamento Autosort, o novo Autosort Flake da Tomra conta com a patente tecnológica FLYING BEAM®, combinada com o novo desenvolvimento do módulo ótico FOURLINE 2 mm, que é atualmente a mais alta resolução NIR disponível no mercado de equipamentos por sensor, segundo a Tomra. A empresa afirma que este recurso inovador oferece aos clientes calibração contínua para evitar erros que podem levar a períodos de inatividade, proporcionando assim uma estabilidade única no mercado. Desta forma, contribui para uma baixa necessidade de manutenção e baixo consumo de energia, demonstrando que se podem proteger os recursos naturais ao mesmo tempo que se reduzem os custos operacionais.

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A empresa já instalou mais de 4.400 sistemas em 40 países de todo o mundo. Responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor de infravermelhos próximos para aplicações de separação de resíduos, a Tomra Sorting Recycling é precursora na indústria dedicada à recuperação de frações de elevada pureza a partir de fluxos de resíduos. A Tomra Sorting é afiliada da empresa norueguesa Tomra Systems ASA com capital aberto na Bolsa de Oslo. Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem faturamento de cerca de 550 milhões de euros e emprega mais de 2.400 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Wittmann Battenfeld lança versões de injetoras para injeção de produtos para área médica

08/12/2015

Wittmann-Sala-Limpa

Empresa investe em tecnologias para transformadores que produzem peças especiais fabricadas em salas limpas

Para atender às exigências técnicas do setor que produz componentes voltados para a área médica, a Wittmann Battenfeld anuncia a chegada ao mercado de versões especificas de injetoras das séries EcoPower e MicroPower.

Em 2015, a Wittmann Battenfeld investiu na instalação de uma célula de sala limpa em sua fábrica de Kottingbrunn (Áustria), para atender às exigências do segmento e qualificar suas máquinas em condições reais. Segundo a empresa, após inúmeros testes, a EcoPower e a MicroPower estão adequadas aos requisitos das “Boas Práticas de Fabricação de Produtos Médicos” e atendem às salas limpas classe ISO 6 (de acordo com o número de partículas por pé cúbico de ar), conforme os padrões da ISO 14644-1.

Para Reinaldo Milito, diretor da empresa no Brasil, a especialização do portfólio e da equipe técnica da Wittmann Battenfeld permitem oferecer a solução mais adequada para cada cliente. “Know-how, precisão e qualidade são muito importantes no atendimento deste segmento. A possibilidade de ofertar células completas, com injetoras, periféricos e softwares, ampliam as possibilidades de aplicações e o alto grau de confiança e segurança”, comenta.

Espaço otimizado para molde

Totalmente elétrica, a nova EcoPower recebeu atenção especial ao espaço para o molde, que contém superfícies lisas, cobertura de aço inox e trilhos de guia fechados. A máquina possui baixo consumo de energia, utilizando um sistema para recuperação de energia cinética (KERS) – ao reduzir a velocidade para a proteção do molde, recupera a energia utilizada para frear a placa e a direciona para outras etapas do processo –

Segundo o fabricante, o sistema de água para refrigeração em circuito fechado minimiza as emissões de partículas para o interior do molde. Os condutores de ar e as válvulas de exaustão pneumáticas são cobertas e voltadas para fora da sala limpa. As placas retangulares, sem contato com os tirantes, e a lubrificação selada das articulações garantem a limpeza do sistema de fechamento, um benefício essencial para aplicações em salas limpas.

Com força de fechamento entre 55 e 300 toneladas, a EcoPower possui acionamento direto, sem correias, possibilita um conjunto limpo que, aliado às dimensões compactas, oferece maior produtividade aos transformadores, afirma a Wittmann Battenfeld.

Equipamentos de ponta

A série MicroPower, com força de fechamento de 5 ou 15 toneladas, reforça a capacidade da Wittmann Battenfeld em atender à área médica. De acordo com a empresa, a série possui uma boa relação custo-benefício, tem eficiência energética e responde aos critérios de ambiente controlado.

Com acionamento elétrico, trabalha com tempos de ciclo curtos e abrange um campo extenso de aplicações altamente técnicas, incluindo processos complexos, graças às variadas funções integradas, que incluem controle da qualidade e embalagem das peças totalmente automatizadas. .

Opcionalmente, o uso de uma mesa rotativa permite o funcionamento de uma segunda metade do molde, fazendo com que a extração das peças seja realizada em paralelo com a injeção, reduzindo consideravelmente o ciclo, afirma a empresa.  A injeção em dois estágios proporciona homogeneidade, estabilidade térmica e linhas de fluxo reduzidas, de acordo com informações da Wittmann Battenfeld.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Wittmann Battenfeld

Curta nossa página no

Setor plástico assina Acordo Setorial para Sistema de Logística Reversa de Embalagens

25/11/2015

Nesta quarta feira, 25 de novembro, a Abiplast participa, juntamente com outras entidades de classe de âmbito nacional que representam os Produtores de Embalagens, Usuários de Embalagens, Distribuidores e Comerciantes de Produtos, de reunião no Ministério do Meio Ambiente, em Brasília (DF), para a assinatura do Acordo Setorial para a Implementação do Sistema Para Logística Reversa de Embalagens Contidas na Fração Seca dos Resíduos Sólidos Urbanos ou Equiparáveis.

Desde a criação da coalizão empresarial, a Abiplast é personagem ativa nas discussões e elaboração da proposta do Acordo Setorial, que foi entregue ao Ministério do Meio Ambiente em dezembro de 2012. Desde então, com o suporte de seus especialistas em Meio Ambiente e Sustentabilidade, a Abiplast vem apresentando sua proposta de acordo e de adesão aos diversos sindicatos a ela filiadas, e também, conduzindo diversas negociações com os entes governamentais. Esses esforços culminam agora, na aprovação da proposta.

O Acordo Setorial para a Implementação do Sistema Para Logística Reversa de Embalagens Contidas na Fração Seca dos Resíduos Sólidos Urbanos ou Equiparáveis deve ser entendido como um instrumento útil para que as empresas fabricantes de embalagens plásticas possam atender à Lei 12.305/2010, regulamentada pelo Decreto nr. 7404/2010.

Para participar do Acordo Setorial, a empresa deve ser associada ao Sindicato patronal de sua localidade. Este encaminhará o “Termo de Adesão” para a Abiplast que, por sua vez, providenciará a inclusão da empresa no Acordo, cumprindo-se desta forma todas as exigências legais.

Em 2016, a Abiplast retomará suas apresentações aos sindicatos, conforme estes solicitarem, e também estará aberta as novas adesões.

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no