Archive for the ‘Indústria de Plásticos’ Category

Interplast 2012: Kiefel apresenta linha Speedformer para produção de componentes termoformados

15/06/2012

Para a Interplast 2012, a Kiefel do Brasil, empresa líder em projetos e manufatura de máquinas para processamento de materiais laminados plásticos, preparou muitas novidades. Quem passar pelo estande da empresa vai poder conferir a nova linha Speedformer, para a indústria de embalagens, que reduz os custos da produção de componentes termoformados em 10%.

 O Speedformer KMD 80 recupera a energia e, dependendo do material, a velocidade operacional chega a 65 ciclos por minuto. Além disso, conta com diminuição do consumo de material e um sistema inovador de transporte de filme.

Outra novidade é a linha KTR, de termoformadoras com mesas basculantes. Sistema de empilhamento de custo eficiente e livre de desgaste, indicado para indústria de alimentos, pode ser integrado as máquinas já existentes, alcançando 45 ciclos por minuto. Com uma ampla linha de produtos, a Kiefel ainda leva para a feira máquinas de solda para indústria médica, máquinas termoformadoras para indústria de refrigeradores e máquinas e dispositivos para indústria automotiva.

Sobre a Kiefel

A Kiefel GmbH é membro do grupo alemão Brückner, que atua no ramo do estiramento de filmes e também fornece equipamentos para a fabricação de filmes e chapas. A Kiefel fornece para importantes fabricantes de vários setores, como indústrias automotivas, tecnologia médica, refrigeração e embalagem. Com sede na Alemanha, a empresa possui subsidiárias de vendas e centros de serviço nos Estados Unidos, França, Holanda, Rússia, China e Brasil, além de vendedores associados em mais de 60 países.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Interplast 2012: Körper apresenta unidades de água gelada e chillers com trocadores a placas

15/06/2012

Quem passar pelo estande da Körper, na Interplast 2012, vai poder conferir a novidade que a empresa preparou para o evento: as unidades de água gelada e chillers com trocadores a placas. Indicadas para processos industriais onde o circuito de água é fechado e a variação de temperatura não deve ultrapassar 1°C. Mais compactas que um equipamento convencional, as unidades podem ser fornecidas com capacidades entre 5.000 kcal/h e 540.000 kcal/h.

Outra linha que também vai estar na feira é a de termoreguladores, que reúne num mesmo equipamento os benefícios de uma unidade de água gelada e de um termoregulador. Por conta disso, proporciona ao processo produtivo o controle preciso das temperaturas de aquecimento e refrigeração. Os termoreguladores da Körper operam com duas saídas de água, sendo a variação de água gelada de 5°C a 25°C e de água quente de 10°C a 90°C.

Sobre a Körper

Há 26 anos no mercado de resfriamento de água industrial, a Körper atende aos mais complexos projetos de engenharia de resfriamento. Com investimentos constantes em novas tecnologias, a empresa desenvolve equipamentos com maior eficiência energética e adequados à nova demanda do mercado, que pede produtos sustentáveis e com menor impacto ambiental. A empresa também presta serviços de manutenção preventiva, assistência técnica e reposição de componentes para todos os tipos de equipamentos de resfriamento, sejam eles Körper ou de outros fabricantes.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Interplast 2012: Ineal expõe linha de equipamentos periféricos.

15/06/2012

Desde 2004, quando participou pela primeira vez da Interplast, a Ineal Equipamentos Periféricos tem marcado presença em todas as edições da feira. Em 2012, a empresa traz para o seu estande uma amostra de toda a sua linha de equipamentos. Entre os destaques, está o dosador gravimétrico DPG-200/4, que possui uma excelente relação custo x benefício para trabalhar como central de mistura ou sobre a máquina transformadora, com dosagens precisas para materiais granulados ou moídos.

Outro equipamento é o desumidificador da linha SDI, líder nacional no seu segmento. Indicado para secagem contínua de qualquer tipo de matéria-prima higroscópica, atua automaticamente por meio de comando digital com a temperatura de secagem regulada individualmente no silo de secagem, o que permite flexibilidade e economia de energia.

A Ineal também leva para a feira o moinho de baixa rotação, esteira de transporte com separador de galhos, dosador volumétrico para baixos percentuais de dosagem, secador alimentador da linha SA e a melhor solução em sistemas de controle para a linha de extrusão de filme, o dosador Easy Batch, de altíssima precisão, para controle grama/metro.

Sobre a Ineal

Fundada em 1990, a Ineal está localizada em Santo André/SP e conta com fabricação 100% nacional de seus produtos. Fabrica equipamentos periféricos para os mais variados processos de transformação de plástico: injeção, sopro, extrusão de filme, extrusão de mono e multi filamentos, extrusão de tubos e perfis, extrusão de chapas, extrusão de fios e cabos, rotomoldagem, entre outros. A empresa trabalha com uma linha completa de automação, na parte de alimentação, dosagem, secagem, desumidificação, moagem, pesagem, transporte e armazenagem de materiais plásticos nas mais diferentes formas.

Fonte: MesseBrasil

Curta nossa página no

Feira K 2013 em Düsseldorf desperta grande interesse entre expositores do setor de plásticos e borracha.

14/06/2012

Demanda por espaço de exposição tem aumento acentuado 

Depois que o prazo de inscrição oficial para a feira de 2013 se encerrou no final de maio, verificou-se que todas as grandes empresas internacionais da indústria de plásticos e borracha estarão participando da próxima feira K, que ocorrerá em outubro do próximo ano. A demanda por espaço em stands aumentou consideravelmente e inúmeros expositores querem causar um maior impacto na feira. Todos os 19 pavilhões de Exposições da Messe Düsseldorf estarão totalmente ocupados.

Para Werner M. Dornscheidt, Presidente e CEO da Messe Düsseldorf, o grande interesse de todo o setor confirma o excelente status da feira K de Düsseldorf. “A K 2013 nos dará uma visão completa de um mercado mundial em mudança e nós podemos ficar na expectativa de um grande número de inovações impressionantes. Sabemos que muitos dos nossos expositores já estão trabalhando a todo vapor em seus novos produtos e apresentações. Düsseldorf será uma poderosa fonte de inspiração para mundo dos plásticos e borracha! “

Cerca de 3.000 empresas expositoras estarão participando da K 2013, de 16 a 23 de outubro e apresentarão seus produtos e serviços para os visitantes vindos de todo o mundo, nas áreas de

  • Máquinas e equipamentos para indústria de plásticos e borracha
  • Matérias-primas e auxiliares
  • Produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados

Fornecedores da Alemanha, Itália, Áustria, Suíça e EUA serão de novo fortemente representados, enquanto que o número de fabricantes asiáticos de China, Taiwan e Índia mais uma vez aumentará.

“K faz a diferença” é o lema do próximo evento. A K Düsseldorf é um barômetro de tendências e fórum de inovação para todo o setor, com os debuts, a cada três anos, dos desenvolvimentos e tecnologias otimizadas mais recentes. As exibições das empresas serão complementadas por um programa especial intitulado “Plásticos movem o mundo”. Este é o lugar onde os aspectos do tema da mobilidade será abordados – tudo, desde design “leve” na construção de veículos, aeronaves e navios, e eletromobilidade, mobilidade individual e o moderno comportamento de lazer.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Reciclagem de PET apresentou forte crescimento em 2011.

13/06/2012

Brasil consolida posição entre os líderes mundiais da atividade

O Brasil mantém a sua posição entre os líderes da reciclagem de PET no mundo. Em 2011, o País deu a destinação correta a 294 mil toneladas de embalagens de PET pós-consumo, o que representa 57,1% das embalagens descartadas pelo consumidor. Os números do 8.º Censo da Reciclagem do PET no Brasil, divulgados pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet), durante a Rio + 20, também trazem outros dados animadores.

Os detalhes foram apresentados durante a I Conferência Internacional da Indústria do PET, realizada no Hotel Renaissance, em São Paulo, entre 11 e 12 de junho. O evento reuniu mais de 340 participantes de 21 países, entre produtores de resina, recicladores, fabricantes e usuários da embalagem, máquinas e equipamentos, ao lado de consultores e especialistas internacionais, que falaram das principais tendências deste mercado.

Números mostram crescimento

O volume total reciclado em 2011 corresponde a um aumento de 4,25% em relação às 282 mil toneladas recicladas em 2010. Esse índice é mais do que o dobro do crescimento registrado na produção de novas embalagens, que mesmo enfrentando a crise mundial, foi de 2% em 2011. Atualmente, com faturamento de R$ 1,2 bilhão, a reciclagem responde por mais de um terço de todo o faturamento da indústria do PET no Brasil.

“Isso mostra que, apesar das dificuldades em relação à coleta seletiva, o trabalho da indústria, no sentido de gerar demanda para o PET reciclado, contribui fortemente para o desenvolvimento da atividade”, afirma o presidente da Abipet, Auri Marçon. “Além disso, coletamos, reciclamos e aplicamos o material reciclado em nosso próprio território. Não exportamos as embalagens pós-consumo, como fazem algumas nações desenvolvidas, que têm bons sistemas de coleta, mas enviam seus resíduos sólidos urbanos para serem reciclados em países em desenvolvimento”, afirma.

Destinação do PET reciclado

O mercado têxtil continua sendo o principal destino de todo do PET reciclado no Brasil. O setor responde pelo uso de aproximadamente 40% de todo o material. O segundo lugar, com 18% cada um, é dividido entre os setores de embalagens e o de aplicações químicas. “A indústria têxtil continua sendo a grande aposta, mas nos chama a atenção o fantástico crescimento da utilização do PET reciclado na fabricação de uma outra embalagem, o chamado bottle-to-bottle, que teve vários projetos lançados nos últimos dois anos”, destaca Marçon.

O potencial de todos esses mercados é confirmado pelos 409 recicladores entrevistados. Desses, 42% afirmam que o setor têxtil continuará apresentando o maior crescimento na utilização do PET reciclado. Para outros 33%, as embalagens de alimentos representam o segmento mais promissor para a reciclagem do PET. A novidade é que 8% desses recicladores acreditam que as aplicações técnicas para o mercado automotivo ganharão destaque nos próximos anos.

Fonte: Abipet / WN & P Comunicação

Curta nossa página no

Interplast atrai expositores e visitantes internacionais e reúne tecnologias e lançamentos.

11/06/2012

Presidente do Simpesc aponta aspectos que contribuem com o desenvolvimento do setor.

Entre os dias 20 e 24 de agosto de 2012, acontece, nos pavilhões da Expoville, em Joinville/SC, a 7ª edição da Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico. Considerada a mais importante feira da América Latina desse segmento, em 2012, a Interplast é referência por reunir expositores e visitantes de mais de 20 países, que compartilham o que há de mais moderno e inovador em produtos e serviços para o segmento plástico.

Realizada pelo Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina (Simpesc) e organizada pela Messe Brasil, a feira é um importante canal de relacionamento e negócios para o segmento e abrange empresas de todos os portes, no momento econômico de crescimento desse segmento. “Para fortalecer o setor plástico continuamente é necessário promover o crescimento dos segmentos demandantes, desonerar o investimento, reduzir o custo de capital e melhorar a qualidade de como os tributos são cobrados. Com um apoio maior à pesquisa e inovação e criação de excelência para formação da mão de obra, o setor pode e vai crescer muito”, acredita Albano Schmidt, presidente do Simpesc.

Ele aposta na Interplast como evento esperado pelo o setor plástico, por propiciar às empresas uma excelente oportunidade de se aproximar de seus clientes, apresentando novidades, lançando produtos e divulgando soluções. “A presença em um evento desse porte consolida a marca e fortalece a empresa diante de seu público-alvo”, acrescenta.

Estrategicamente realizada em Joinville, cidade localizada na região que é um dos maiores polos do plástico e corredor comercial da América Latina, a Interplast facilita o contato entre os profissionais e empresas da área e contribui para o desenvolvimento do setor. Em sua última edição, reuniu 500 expositores e recebeu 25 mil visitantes, vindos de 19 países e 23 estados brasileiros. Em 2012, além dos expositores nacionais, empresas de países como Alemanha, Canadá, China, EUA e Taiwan já confirmaram participação na feira.

Simultaneamente à Interplast, acontecem a primeira edição da EuroMold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de Produtos, e o Cintec 2012 Plástico – Congresso de Inovação Tecnológica.

Fonte:  MesseBrasil

 

Curta nossa página no

Coca-Cola, Procter & Gamble, Ford Motor, Heinz e Nike criam grupo colaborativo para desenvolver PET 100 % de base biológica

07/06/2012

Coca-Cola, Ford Motor Company, HJ Heinz Company, NIKE, Inc. e Procter & Gamble anunciaram a formação de um grupo de trabalho colaborativo estratégico (PTC)na tecnologia de PET à base de plantas, voltado para a aceleração do desenvolvimento e utilização,  nos seus produtos, de materiais e fibras PET integralmente derivados de plantas. O PET, também conhecido como tereftalato de polietileno, é um plástico durável e leve que é usado por todas as empresas-membro em uma variedade de produtos e materiais, incluindo garrafas de plástico, vestuário, sapatos e tecidos e tapetes de automóvel.

O grupo colaborativo se desenvolverá a partir do sucesso da tecnologia da embalagem PlantBottle ™ da Coca-Cola, que é parcialmente feita de plantas e tem demonstrado um menor impacto ambiental quando comparada com garrafas plásticas de PET tradicionais. Atualmente, a Heinz licencia a tecnologia da Coca-Cola para algumas garrafas de ketchup Heinz nos EUA e no Canadá.

Este novo grupo colaborativo foi formado para apoiar novas tecnologias, num esforço para desenvolver o material que hoje é parcialmente feito a partir de plantas para uma solução 100% à base de plantas. Ao alavancar os esforços de pesquisa e desenvolvimento das empresas fundadoras, o grupo PTC está assumindo a liderança no sentido de estimular uma mudança positiva em vários setores industriais, empenhando-se em pesquisar e desenvolver soluções comerciais para o plástico PET obtido inteiramente a partir de fontes biológicas. O grupo também terá como objetivo impulsionar o desenvolvimento de metodologias e normas comuns para o uso do PET à base de plantas, incluindo análises de ciclo de vida e terminologia universal.

O PET à base de plantas pode ser produzido a partir de várias fontes, incluindo cana de açúcar, beterraba de acúcar, milho, sorgo e mandioca. Mas um dos objectivos do grupo colaborativo é pesquisar fontes não alimentícias que atendam aos critérios de sustentabilidade estabelecidos.

“Os combustíveis fósseis como o petróleo tem impactos significativos sobre a biodiversidade do planeta, clima e outros sistemas naturais”, disse Erin Simon, diretor sênior do Programa de Embalagem para o World Wildlife Fund (WWF). “A gestão sustentável dos nossos recursos naturais e a descoberta de alternativas aos combustíveis fósseis são imperativos tanto empresariais como ambientais. É encorajador ver essas empresas líderes usando a sua influência no mercado para reduzir a dependência de plásticos baseados em petróleo. Esperamos que outras empresas sigam seu exemplo.”

“O grupo colaborativo oferece uma excelente oportunidade para se trabalhar usando um novo modelo de negócios para a Procter & Gambler no estabelecimento de parcerias com empresas-líderes, não concorrentes, de produtos de consumo”, explicou Ed Sawicki, Diretor Adjunto de Desenvolvimento de Negócios Globais da Procter & Gamble. “É nossa expectativa de que isso permitirá que a P & G avance no uso comercial do PET à base de plantas de modo significativamente mais rápido, a um custo muito menor e com maior qualidade.”

A criação do grupo colaborativo PTC representa um compromisso dessas empresas de marcas líderes em promover e apoiar a pesquisa, ampliar o conhecimento e acelerar o desenvolvimento de tecnologia para tornar possível o PET 100% derivado de plantas, comercialmente viável, obtido de fontes mais sustentáveis e ao mesmo tempo reduzir o uso de combustíveis fósseis.

Fonte: Coca Cola / Procter & Gamble

Curta nossa página no

Interplast 2012: Battenfeld lança injetora Macropower de 400 toneladas de força de fechamento durante a feira.

07/06/2012

Presente na Interplast desde a primeira edição, a Battenfeld do Brasil lançará na edição 2012 da feira a injetora Macropower 400/3400,  de 400 toneladas de força de fechamento. Ironi Fernandes, diretor geral da Battenfeld do Brasil, diz que o equipamento destina-se à produção de peças médias e maiores com diferenciais como a integração com periféricos e distâncias entre colunas, permitindo o uso de moldes de grandes dimensões. “A excelente aceitação no mercado leva em conta atributos como a economia de energia elétrica, precisão e repetibilidade”, acrescenta.

A empresa apresenta ainda na feira a máquina elétrica Ecopower, de 55/130 com acionamento servo-drive na bomba, o que reduz o consumo de energia durante o processo de injeção. “A máquina ECOPOWER apresenta sistema BFMOLD™, também conhecido com VARIOTHERM, que permite aquecer e resfriar o molde rapidamente durante o ciclo de injeção, resultando uma superfície com excelente acabamento e brilho”, explica o diretor.

A Battenfeld do Brasil leva ainda para a feira uma série de periféricos como alimentadores, dosadores e aquecedores de molde, todos voltados para a indústria de transformação de plásticos.

Sobre a Wittmann Battenfeld

A Wittmann Battenfeld é fabricante e fornecedora global de injetoras de plástico, robôs e periféricos destinados à indústria de transformação de plásticos, com sede na Áustria e unidade no Brasil.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Interplast 2012: Incoe leva para a feira tecnologias de câmara quente e controladores

05/06/2012

A fabricante de sistemas de câmara quente e controladores Incoe, leva para a feira Interplast a tecnologia dos produtos disponíveis para injeção de plástico, a exemplo do primeiro sistema de bucha quente patenteado do mercado. “Os sistemas de câmara quente e controladores Incoe®, desde buchas quentes até aplicações de múltiplas cavidades de resinas de engenharia e commodities, são projetados para a injeção precisa da resina, por meio de performance confiável e custo compatível nas mais variadas aplicações”, explica Michael Rollmann, gerente geral da Incoe Brasil.

A empresa leva para a feira o Direct-Flo™ Gold para aplicações técnicas com pesos de ciclo de até 9000g; micro série pesos de ciclo de até 20g; seis categorias padrão de buchas com 14 opções padrão de ponteiras; Twin Heater (resistências de duplo filamento) e resitências multi-zona para buchas longas; sistemas unitizados a prova de vazamentos e sistemas Hot Half completos; sistemas multi-material e multi-componente; controladores de temperatura, sequencial e valvulado; sistemas valvulados hidráulicos e pneumáticos; filtros e bicos para máquina injetora.

Sobre a Incoe

Desde 1958 a Incoe® fabrica sistemas de câmara quente desenvolvidos para melhoria da produtividade das indústrias e conta com a patente original da primeira bucha quente comercializada no mercado. Dispõe de variada gama de buchas e manifolds, sistemas pré-ligados, hot halves completas e tecnologias de controle avançadas. Fornece sistemas otimizados e adaptados para aplicações nos mercados de utilidades, automotivo, eletrônico, acessórios médicos, embalagens e peças técnicas. Conta com rede de representantes em mais de 35 países e instalações próprias nos EUA, Alemanha, Brasil, China, Hong Kong e Cingapura.

Fonte: MesseBrasil

Curta nossa página no

Interplast 2012: Cintec Plásticos estimula o debate e a busca por novas tecnologias para o setor

05/06/2012

Focalizado na disseminação do conhecimento e inovação, o Cintec 2012 Plásticos – Congresso de Inovação Tecnológica tem 20 palestras técnicas e seis minicursos em sua programação. O evento aborda linhas temáticas de gestão, meio ambiente, reciclagem, matéria-prima, máquinas e processos, e moldes e ferramentas, e deve reunir empresários, especialistas e estudantes para debater tendências, novas tecnologias e soluções para o setor plástico.

A palestra de abertura, que acontece no dia 20 de agosto, será ministrada por José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Vitopel, empresa fabricante de filmes para embalagens flexíveis, e da Associação Brasileira da Indústria de Plástico (Abiplast). Com mais de 25 anos de atuação na indústria de transformação, Roriz Coelho abordará em sua apresentação o mercado do material plástico sob a ótica do conhecimento e da sustentabilidade.

Promovido pela Sociedade Educacional de Santa Catarina (Sociesc), o Cintec construiu uma história de sucesso, ao longo dos 12 anos de sua realização. Os números acumulados pelo congresso nesse período demonstram a dimensão do evento. Até aqui já são 7.900 congressistas, 600 palestrantes e 780 horas de conhecimento.

Neste ano, o Cintec Plásticos acontece entre os dias 20 e 24 de agosto, na Expoville, em Joinville/SC. Os minicursos serão realizados na Sociesc, no Campus Marquês de Olinda.

Confira a programação:

Palestras técnicas

Local: auditório da Expoville

20.08.2012

19h30 – O mercado do material plástico sob a ótica do conhecimento e da sustentabilidade – José Ricardo Roriz Coelho, Abiplast

21.08.2012

14h30 – Consumo consciente – Miguel Bahiense, Plastivida

15h15 – Ciclo de vida: materiais convencionais x biodegradáveis – João Carlos de Godoy Moreira, Biomater Eco-Materiais

16h – Biopolímeros: suas aplicações e destinos – Walcinyr Bragatto Neto, Cargill

17h – Utilização de plástico reciclado no setor industrial – André Savioli, Rhodia

17h45 – Rede de serviços tecnológicos do Sibratec para o setor de transformados plásticos – Gustavo Domeneghetti, Sociesc

22.08.2012

14h30 – Propriedades de combustão de formulações de PVC – Antonio Rodolfo Jr, Braskem

15h15 – Plásticos de alto desempenho para aplicações na indústria aeroespacial e de petróleo e gás – Edras Oliveira, Sabic

16h – Polímeros de alta performance para aplicações em sistemas de energia – Guert Ruecker, Ticona

17h – Plásticos de alto desempenho e ultrapolímeros em aplicações de atrito/abrasão nas indústrias automotiva, mecânica e petroquímica – Felipe Albuquerque Medeiros, Solvay

17h45 – Substituição de metais por plásticos de engenharia na indústria automobilística – Cesar Marelli, Sabic

23.08.2012

14h30 – Eficiência energética no processo de injeção – Kai Wender, Arburg

15h15 – Projeto de roscas – Domingos Paiva, AX Plásticos

16h – Sistemas de secagem de matéria-prima – novas tecnologias – Federico Bugno, Moretto

17h – Novos sistemas de refrigeração e controle termográfico para peças injetadas – Marcos Cardenal, Battenfeld

17h45 – Desenvolvimentos em sistemas de alimentação automáticos – Eder Nunes, Zeppelin Systems

24.08.2012

14h30 – Inovações em aços para moldes de plásticos – Rafael Agnelli Mesquita, Villares Metals

15h15 – Revestimento PVD e nitretação sob plasma aplicados em ferramentas para conformação e corte a frio – Carlos Eduardo Pinedo, Heat Tech

16h15 – Desenvolvimento em projetos de moldes híbridos – Carlos Henrique Ahrens, UFSC

17h – Câmara quente (desmistificação, aplicação, projeto e manutenção) – Antonio Dias – Yudo

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Feira Argenplás focaliza economia de energia e eficiência da produção

04/06/2012

XIV Exposição Internacional de Plásticos ocorrerá no Centro Costa Salguero, Prédio de Exposição de Buenos Aires, Argentina, entre os dias 18 a 22 de junho de 2012.

Sob o lema “A semana do plástico na América Latina”, a Argenplás 2012 é um encontro de profissionais com um perfil selecionado para oferecer ao expositor um ambiente favorável para realizar negócios com empresários, executivos, engenheiros e técnicos, todos com decisão de compra das seguintes áreas:

  • Fabricantes, transformadores e usuários de produtos plásticos, de mais de 50.000 setores e subsetores que vão da indústria de automotores e transporte, construção, engenharia, telecomunicações, brinquedos, calçados, produtos para o lar, saúde, laboratórios, packaging, descartáveis, eletricidade e eletrônica, até peças de alto desempenho.
  • Matérias-primas e produtos auxiliares aptos para o setor plástico, borracha ou elastômeros. Produtos Químicos e Auxiliares.
  • Máquinas e equipamentos auxiliares, automação, controle e instrumentação para todos os processos: injeção, extrusão, sopro, termoformado, rotomoldagem, compressão, pultrusão, calandrado, etc.
  • Moldes e matrizes: desenho e construção. Máquinas, equipamentos e ferramentas necessárias para a construção de moldes e matrizes, em todas as fases da produção: fresado, erosão, retificados, torno, fresa, montagem, polido, etc.
  • Reciclagem e meio ambiente. Diferente de há alguns anos, atualmente existem opções viáveis no mercado para que todas as empresas possam introduzir tecnologia para reciclar os resíduos industriais e os pós-consumo. A Argenplás 2012 revelará as ideias que foram colocadas em andamento para melhorar a sustentabilidade da indústria. Será possível encontrar as novas tendências e as iniciativas que respondem às necessidades e os desafios que apresentam os setores de transformação de plásticos.

Além disso, a feira oferecerá aos expositores a oportunidade de utilizar diversos auditórios como espaços acadêmicos de excelência para o debate e o encontro de soluções eficazes para os novos desafios tecnológicos com os que se enfrenta o setor diariamente.

Segundo pesquisa de satisfação realizada aos expositores da Argenplás 2010, 90 por cento dos expositores se mostraram satisfeitos com os resultados obtidos na feira.

A Argenplás se caracteriza por estar na vanguarda e apresentar os avanços tecnológicos nos ramos afins, tanto no setor plástico nacional como internacional.

Setores da Feira

  • Máquinas e Equipamentos
  • Automação e Controle
  • Instrumentação para Controle de Qualidade
  • Moldes, Matrizes e Ferramentas
  • Matérias Primas, Produtos Químicos e Auxiliares
  • Transformadores de Plástico
  • Produtos Acabados e Semi-Elaborados
  • Meio Ambiente e Reciclagem
  • Instituições, Bancos, Serviços e Publicações Técnicas.

Para refletir o potencial do setor, Dr.Oscar Sanchez, Diretor da CAIP, Câmara Argentina da Indústria de Plástico, ofereceu o seguinte panorama ilustrativo:

Nível de atividade do setor

Em 2011 a indústria transformadora de plástico cresceu 8,7% com relação a 2010, depois de dois anos (2008 e 2009) de queda da atividade do setor.

A Produção de produtos plásticos aumentou em 2011, 7,3%; as Importações cresceram 11,9% e as Exportações caíram -1,6% com relação ao ano anterior.

O consumo aparente de produtos plásticos alcançou em 2011, um total de 1.846.365 toneladas, sendo o consumo per capita de plásticos de 43,2 Kg/habitante, mantendo assim o 1° lugar na América Latina.

Importação

O total de Importações de produtos plásticos (Semielaborados + Terminados) chegou a 251.765 Tons,  significando um aumento de 11,9% no volume com relação a 2010 e totalizou 1.396.383.775 dólares, com um aumento de 30,4% no valor relativo ao ano anterior.

Os principais países de origem dessas importações foram: China (32,0%), Brasil (22,4%), Chile (9,2%), USA (6,0%) e Uruguai (4,2%).

Os produtos plásticos mais importados foram em 2011, os seguintes:

  • Envases e suas peças: 13,4%
  • Produtos celulares: 10,1%
  • Semielaborados de PE: 9,5%
  • Semielaborados de PVC: 8,5%
  • Autoadesivos: 6,3%
  • Semielaborados de PET: 5,4%
  • Semielaborados de PP: 4,2%
  • Arts.de Economia Doméstica: 3,8%

Exportação

 As Exportações de produtos plásticos chegaram a 153.370 Tons., com a diminuição de -1,6% no volume e alcançaram 611.000.741 dólares, com um aumento no valor de 11,5%, ambas as porcentagens de 2010.

Os principais países de destino das exportações de produtos plásticos foram: Brasil (41,1%), Chile (14,3%), Uruguai (14,0%), Paraguai (5,8%) e Bolívia (2,8%). O MERCOSUL mais Chile e Bolívia representam 78,0% das exportações de produtos plásticos.

Os principais produtos plásticos exportados foram:

  • Envases e suas peças: 25,9%
  • Semielaborados de PE: 24,4%
  •  Semielaborados de PP: 15,0%
  • Semielaborados de PVC: 6,5%
  • Semielaborados de PS: 4,3%
  • Produtos p/Construção: 3,0%

Consumo de Matérias-Primas Plásticas

Em 2011, o consumo de matérias-primas plásticas do setor transformador aumentou 7,3%.

A Produção petroquímica cresceu 1,8% (apesar de as restrições na distribuição de gás terem continuado), as Importações de matérias-primas plásticas tiveram um aumento de 11,3% e as Exportações de matérias-primas diminuíram 0,8%.

O Consumo alcançou 1.747.970 Tns, a produção foi de 1.351.800 Tns, as importações chegaram a 901.371 Tns. e as exportações somaram 505.201 Tns.

A principal origem das importações foram Brasil (36,0%), USA (24,3%), Coreia do Sul (7,3%), China (4,7%), Espanha (3,0%), Taiwan (2,2%), Alemanha (2,0) e Chile (1,9%).

Os principais destinos das exportações foram Brasil (66,1%), Chile (10,1%), Uruguai (8,0%), Paraguai (3,8%), Bolívia (3,8%) e China (2,1%).

Os Polietilenos são os polímeros de maior consumo (39,8%), sendo seguido pelo Polipropileno (16,4%), o PET (11,9%), o PVC (8,5%) e o Poliestireno (3,9%).

 Investimento em Bens de Capital

Em 2011, o investimento voltou a crescer em Bens de Capital (Máquinas e Equipamentos + Moldes/Matrizes + Partes e peças) aumentando 16,6% com relação ao ano anterior.

Em 2011, foram investidos 222.301.924 dólares em equipamentos, significando um valor acumulado desde 2001 que supera 1.400 milhões de dólares.

As Máquinas representaram 50,0% do investimento, os Moldes e Matrizes 27,5%, os Equipamentos 13,2% e as Partes e Peças 9,2%.

As Injetoras abarcaram 29,9% do investimento, as máquinas de Sopro 22,3%, as Extrusoras 18,6%, as Termoformadoras 5,3% e as outras Máquinas e Equipamentos 23,8%.

Os principais países de origem das importações de Bens de Capital foram: China (21,3%), Alemanha (20,7%), Itália (18,3%), Suíça (7,8%), U.S.A. (5,0%), Taiwan (4,1%), França (3,3%), Brasil (2,8%) e Espanha (2,8%).

No que diz respeito aos Moldes e Matrizes, o montante das importações alcançou 61.203.428 dólares sendo a China o principal provedor com 24,5%, seguida do Brasil com 11,7%, da Itália com 10,0%, do Japão com 9,2% e da Coreia do Sul com 8,7%.

O Setor Plástico Argentino no Mercosul

O total do comÉrcio de produtos plásticos (Semielaborados+Terminados) no MERCOSUR alcançou em 2011, o total de 758.768.263 dólares, crescendo 16,4% em relação a 2010.

As Importações do MERCOSUL cresceram 19,5% e as Exportações 13,2% com relação ao ano anterior.

A Argentina, em 2011, registrou um déficit na balança comercial de -36.777.411 dólares.

Com o Brasil, o déficit alcançou –120.437.035 dólares, com um aumento interanual de 30,7% do déficit tradicional com esse país. Com o Uruguai o superávit foi de 59.982.505 dólares, 9,2% superior ao de 2010 e com o Paraguai, o superávit alcançou 23.677.119 dólares, 2,4% superior ao de 2009.

Novamente, a Exposição Internacional do Plástico terá como principal patrocinador o Standar Bank, além de contar também com o apoio de várias câmaras, associações e embaixadas. Pela segunda vez, o principal grupo financeiro do país acompanha o setor do plástico renovando a sua aliança estratégica como macropatrocinador da Argenplás 2012.

A XIV Exposição Internacional de Plásticos, organizada pela Reed Exhibitions, Alcântara Machado Feiras de Negócios e a Câmara Argentina da Indústria Plástica (CAIP), também conta com o apoio de diversas associações:

  • Associação Argentina de PVC;
  • Associação de Fábricas Argentinas de Componentes;
  • Associação Latino-americana da Indústria Plástica;
  • Associação Petroquímica e Química Latino-americana;
  • Câmara Argentina da Indústria de Reciclados Plásticos;
  • Câmara Argentina da Construção;
  • Comitê Argentino de Plásticos para a Produção Agropecuária;
  • Confederação Argentina da Média Empresa;
  • Federação Argentina da Indústria da Borracha;
  • Instituto Argentino do Envase;
  • Instituto Petroquímico Argentino;
  • União Industrial Argentina;
  • União Industrial da Cidade de Buenos Aires;
  • União Industrial da Província de Buenos Aires.

 As seguintes embaixadas também apoiam o setor, estando presentes como expositoras:

  • Embaixada da Alemanha;
  • Embaixada da Bélgica;
  • Embaixada do Brasil;
  • Embaixada de El Salvador;
  • Embaixada da Itália;
  • Embaixada do Uruguai;
  • Embaixada do Reino Unido.

Dados Técnicos:
Argenplás 2012
XIV Exposição Internacional de Plásticos
Data: de 18 a 22 de junho de 2012
Lema:  Semana do plástico na América Latina.
Organizadores: Reed Exhibitions/Alcântara Machado Feiras de Negócios/CAIP: Câmara Argentina da Indústria Plástica
Horário de Exposição: das 14:00 às 20:30 h.
Horário de Credenciamento: das 13:45 às 20:00 h.
Lugar: Centro Costa Salguero, Prédio de Exposição de Buenos Aires, Argentina

Fonte: Editorial Emma Fiorentino

Curta nossa página no

Braskem e empresa alemã Tecnaro estabelecem parceria para utilização de polietileno derivado de etanol em suas soluções.

04/06/2012

Acordo de fornecimento estabelecido entre as empresas resulta na ampliação do portfólio de aplicações para o “PE Verde”

(A partir da esquerda) Dr. Lars Ziegler (Tecnaro),  Juergen Pfitzer (Tecnaro), Claudia Cappra (Braskem) e Helmut Naegele (Tecnaro) depois da assinatura do contrato.

A TECNARO (www.tecnaro.de) , empresa alemã desenvolvedora do ARBOFORM (uma espécie de “madeira termoplástica”), fechou contrato com a Braskem (www.braskem.com.br), líder mundial na produção de biopolímeros, para uma nova linha de aplicação de polietileno derivado de etanol de cana-de-acúcar. A TECNARO GmbH produzirá compostos com o “PE Verde” da Braskem em uma série especial chamada ARBOBLEND, um composto de biopolímero que pode ser processado, dependendo da fórmula, por meio de moldagem por injeção, extrusão (filme) ou termoformagem.

“O objetivo da parceria é desenvolver aplicações que ainda não foram exploradas, ampliando o portfólio de produtos produzidos com PE Verde”, diz Claudia Cappra, gerente comercial de Químicos Renováveis da Braskem.

A Tecnaro foi selecionada pela Braskem para ampliar a penetração do biopolímero no mercado europeu com a nova linha renovável. “Estamos muito satisfeitos com a parceria com a Braskem, que nos permitirá dar mais um importante passo na exploração dos mercados brasileiro e europeu”, diz Lars Ziegler, chefe do F&E da TECNARO GmbH.

Através dessa parceria, é reforçada a ligação de longo prazo da TECNARO GmbH com o Brasil. Desde 2001 a TECNARO tem um escritório de representação em São Paulo. Por meio de projetos PPP (Parceira Público-Privada) selecionados desde 2005, juntamente com o patrocinador do projeto Sequa gGmbH e o Instituto de pesquisa do SENAI CIMATEC, foi elaborado e realizado um programa de treinamento abrangente relativo à utilização de matérias-primas renováveis na indústria de plásticos.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Encontro Nacional de Ferramentarias debateu perspectivas para o setor

23/05/2012

Evento reuniu representantes da área e discutiu as estratégias para manutenção e expansão das empresas

O 5º Enafer – Encontro Nacional de Ferramentarias, promovido pela – Abinfer – Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais e Virfebras – Organização Virtual de Ferramentarias do Brasil reuniu cerca de 200 empresários e representantes do setor no auditório da CIC – Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul – RS, durante o dia 18 de maio.

O centro dos debates do evento foi a elaboração de estratégias para o fortalecimento das ferramentarias no país, através da parceria entre entidades representativas, instituições públicas e privadas. É a segunda vez que Caxias do Sul recebe o Enafer, na condição de ser uma das cidades brasileiras mais proeminentes para o setor.

Avaliação dos representantes do setor

Gelson Oliveira, coordenador do evento, salientou que o evento proporciona a união entre representantes de setores para proporcionar o desenvolvimento das ferramentarias. “Esta é uma oportunidade para buscarmos parceiros que se comprometam com a sustentabilidade das ferramentarias, tanto entre representantes do setor como nas esferas de governo”, apontou.

Christian Dihlmann, presidente da Abinfer ressaltou o motivo da escolha de Caxias do Sul como sede do Encontro e a importância do evento.“Mais uma vez escolhemos Caxias pela pujança e pelo nível de organização. O Enafer vem se consolidando como um espaço para debatermos estratégias de perpetuação de nossas empresas. É um momento em que se faz necessário o comprometimento de governantes e parlamentares. Não avançaremos apenas discutindo internamente em nossas empresas”, avaliou.

Orlando Marin, presidente do presidente do Simplás – Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho – avaliou o cenário em que se encontram as empresas do setor ferramenteiro. “Nossas feramentarias precisam melhorar em muito. Não representamos empresas poderosas. Cerca de 90% de nossos associados possuem cerca de 100 funcionários. O trabalho está desvalorizado. Percebemos que não há cultura do trabalho. Um país para se desenvolver precisa de indústria”, ponderou.

O presidente do Simecs – Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul,  Getúlio Fonseca,  enfatizou a relevância das ferramentarias entre os associados da entidade. “Temos nosso quadro, cerca de 300 ferramentarias associadas, responsáveis por cerca de 8 mil postos de trabalho”, considerou.

Getúlio Paulo Zluhan, da Acij – Associação Empresarial de Joinville, ressaltou que a realização dos Encontros são fundamentais para a manutenção das ferramentarias. “A importância dos temas debatidos e a continuidade das ações definidas no Enafer têm promovido sobrevida e esperança às nossas empresas”, observou.

Cadastro valoriza empresas nacionais

Um dos palestrantes 5º Enafer, Jeovanildo Farias da Silva, do departamento de Cadastro Industrial da Abimaq – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, apresentou durante o evento, o Datamaq, um banco de dados da entidade para a consulta de máquinas e equipamentos disponível às empresas associadas à entidade.

O cadastro é o maior banco de dados de máquinas e equipamentos da América Latina, que possibilita fornecer ao mercado informações precisas sobre as empresas, possibilitando a geração de negócios. “No Datamaq, temos informações padronizadas de 4 mil e 500 empresas. Qualquer empresa nacional que fabrica máquinas e equipamentos pode estar no cadastro. Atualmente temos 24 mil registros de produto, com informações padronizadas. O cadastro valoriza os fabricantes nacionais e inibe as importações”, expôs.

Rede Senai de Ferramentaria

Os representantes do Senai – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, Rolando Vallejose Luiz Eduardo Leãoexpuseram aos presentes a estrutura e a capacidade da instituição em oferecer suporte às indústrias e formação técnica e comportamental aos profissionais que atuarão nas ferramentarias através da rede Senais de Ferramentaria.

“Nesse momento em que os olhos do mundo estão voltados para o Brasil, considerando a possibilidade do país se tornar um grande player mundial, o Senai pode contribuir para o fortalecimento da indústria de Ferramentaria no Brasil provendo soluções em pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica e a melhoria de processos e produtos. Através da rede Senai de Ferramentaria, podemos promover capacitação, assessoria e consultoria, certificação e serviços técnicos especializados, alinhado às expectativas e demandas atuais e futuras do setor”, ressaltaram.

Procedimentos para Validação de Importação de Ferramentais e Regulamentação da Importação de Peças Automotivas

Paulo Braga, da Abinfer, conduziu o painel ”Procedimentos para Validação de Importação de Ferramentais e Regulamentação da Importação de Peças Automotivas”. Braga abordou a necessidade da união entre o setor em todos os Estados para que as reivindicações das empresas encontrem respaldo no Governo Federal. “O setor das ferramentarias está presente no Brasil há mais de 50 anos. Temos desenvolvimento tecnológico. Não perderemos para a China. É necessário formarmos uma massa crítica no setor ferramenteiro, em todo o pais. Só assim seremos ouvidos em Brasília”, enfatizou.

Além disso, Braga apresentou o trabalho desenvolvido por um Grupo de Trabalho no MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O documento é um diagnóstico de fatores que prejudicam a competitividade das autopeças produzidas no Brasil e contempla uma série de medidas que deverão ser adotadas pelo Governo Federal para o fortalecimento desse segmento em que estão inseridas as ferramentarias.

Composição de custos de produção e impacto no setor ferramenteiro

Um dos destaques do Encontro foi a realização de uma mesa redonda sobre a Composição de Custos de Produção e Impacto no Setor Ferramenteiro, com exemplo de custos de componentes na fabricação de um veículo e impacto na cadeia produtiva. Na oportunidade foi apresentado um paralelo de custos entre a fabricação de moldes para a linha automotiva no Brasil e na China.

A diferença entre os valores pesou em três quesitos: preço do aço, valor da mão de obra e o custo da carga tributária em relação ao Produto Interno Bruto (PIB). O estudo constatou que o aço custa mais de 5 vezes no Brasil, ao passo que a carga tributária que pesa para os empresários brasileiros é 2,1 vezes maior do que para os chineses. Já os encargos trabalhistas pagos no Brasil – INSS, FGTS, 13º salário e férias – contribuem definitivamente para a enorme diferença constatada na produção de um molde entre os dos países.

Reivindicações ao Governo Federal

O representante do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Edilson Urbano, considerou a necessidade de ampliar a representatividade para o setor ferramenteiro. “Quando recebemos as entidades em Brasília, precisamos saber os números que elas representam em quantidade de empresas e de empregos gerados. A partir daí, com a noção proporcionada pelos números, podemos encaminhar as necessidades do setor no Ministério”, destacou.

Ao final do evento, os participantes deliberaram os próximos locais que receberão o Encontro. Ficou definido que em 2013, o Enafer será realizado em São Paulo (SP) e em Joinville (SC) em 2014. Em 2015, o Encontro Nacional de Ferramentarias retorna à Caxias do Sul (RS) para a realização de sua 8ª edição.

A realização do 5º Enafer contou com apoio especial do Simplás – Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho, Plastech Brasil 2013 – Feira de Tecnologias para Termoplásticos e Termofixos, Moldes e Equipamentos, Simecs – Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul e Acij – Associação Empresarial de Joinville.

Fonte: Núcleo Comunicação e Marketing

Curta nossa página no

Uso do plástico na construção civil reformula produtos e contribui para elevar ecoeficiência

23/05/2012

Indústria explora novas matérias-primas para ganhar agilidade e poupar recursos naturais

No ano em que diversos países se reunirão, na Rio+20, para discutir a “Economia Verde”, o mercado brasileiro de construção civil mostra que essa não é uma preocupação nova. Com crescimento estimado em 5,2% pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo), o setor vem investindo em produtos com novas composições para garantir um desenvolvimento mais sustentável e atender a uma demanda crescente por produtos com diferenciais ambientais.

A tecnologia tem sido uma forte aliada no lançamento de produtos que buscam preservar os recursos naturais e ao mesmo tempo trazer mais agilidade e qualidade para as construções. Neste cenário, o plástico se apresenta como uma fonte de soluções para o setor.

“A construção civil é uma área de importância estratégica para o desenvolvimento do País e que se mostra em constante desenvolvimento desde o lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento, Programa Minha Casa Minha Vida e com a vinda da Copa do Mundo e das Olimpíadas para o Brasil. Para apoiar esse crescimento, apostamos na expansão de nosso negócio e no consequente aumento do fornecimento de matéria-prima”, afirma Marcelo Cerqueira, vice-presidente da Unidade de Vinílicos da Braskem.

Menos entulho

O PVC, já muito usado na construção para a produção de tubos e conexões, começou a ganhar aplicações diferentes. Em novembro do ano passado, Global Housing, DuPont e Braskem firmaram parceria inédita para lançar no mercado brasileiro um novo conceito para construção residencial e comercial usando como base o PVC. Apresentada como ‘Casa de Concreto PVC’, a tecnologia representa uma forma inovadora e rápida para construir, em escala industrial, diferentes tipos de edificações. O sistema proporciona a redução em perdas por entulho e desperdício de materiais, como a madeira, muito utilizada na construção civil. Economia no consumo de água e energia na obra e elevado ganho de produtividade são também vantagens do produto.

Outros fatores que se destacam neste sistema são a rapidez na construção, sendo possível erguer uma casa com acabamento completo em até uma semana (pelos métodos tradicionais é necessário um período de 90 dias), durabilidade, facilidade de limpeza e conservação e baixa manutenção.

Alternativa

As telhas também estão sendo produzidas com o PVC. Além dos diferenciais técnicos, inerentes à resina, como resistência a agentes químicos, leveza e durabilidade, as telhas de PVC se mantêm estáveis às tempestades, granizos e outras intempéries. Frente às variações de temperatura, sua estabilidade estrutural e de cor são superiores às telhas convencionais. Além disso, o produto é ambientalmente correto, já que o PVC é totalmente reciclável e pode ser uma alternativa mais ecoeficiente em relação a outros materiais.

Origem renovável

O polietileno produzido pela Braskem a partir do etanol de cana-de-açúcar também fez sua estreia no mercado da construção neste ano. O produto está sendo utilizado pela Tigre na fabricação da nova linha de grelhas, que passa a ser chamada de Grelha Ecológica Tigre. A resina também é utilizada desde novembro de 2011 nos cabos elétricos Afumex Green. Produzidos pela Prysmian, são os primeiros cabos ecológicos do mundo.

O “polietileno verde” tem como principais características ser de fonte renovável e absorver CO2 da atmosfera – gás causador do efeito estufa – durante o seu processo produtivo. Para cada tonelada do plástico produzida, até 2,5 toneladas de CO2 são retirados da atmosfera.

Saneamento

O plástico também está sendo usado para conferir mais agilidade e qualidade em obras de saneamento pelo Brasil. Os poços de visita, conhecidos tradicionalmente como bueiros, feitos de polietileno, estão sendo produzidos com tecnologia moderna, tornando as tarefas de instalação e manutenção mais simples, econômicas e ecologicamente corretas. Uma das características dos poços de visita de polietileno linear é a durabilidade, já que possuem excelente resistência a quebra sobre pressão e resistência de impacto. Com isso, estão menos sujeitos a fissuras e orifícios que levam ao vazamento, evitando contaminações do solo.

“Nosso portfólio de produtos lançados nos últimos anos demonstra o trabalho incansável de nosso Centro de Tecnologia e Inovação para se manter à frente das tendências do mercado e encontrar soluções inteligentes e sustentáveis para contribuir com os desafios dos nossos clientes”, disse Luciano Guidolin, vice-presidente da Unidade de Poliolefinas da Braskem.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Governo do Estado regulamenta utilização de sacolas plásticas no RS

22/05/2012

Lei determina normas e padronizações da ABNT que beneficiam meio ambiente, consumidores e cadeia produtiva

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul regulamentou, na última quinta-feira (17/05), a Lei 13.272, que prevê a proibição do uso de sacolas plásticas por supermercados e outras casas de comércio fora dos padrões estabelecidos pela norma 14.937 da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.

As determinações da lei permitem que haja uma natural redução na circulação de sacolas plásticas, pois a norma estabelece que apenas materiais mais resistentes e capazes de suportar mais peso sejam utilizados em sua fabricação.

O Simplás – Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho comemora o decreto. Na avaliação do presidente da entidade, Orlando Marin, a lei fundamenta a importância do consumo responsável do plástico, valorizando também a cadeia produtiva envolvida. “Essa lei vem ao encontro da política que defendemos. O vilão do meio ambiente não é a sacola plástica e sim o desperdício e o descarte inadequado. Primamos pela conscientização”, considerou.

A Lei 13272 é uma decisão tomada pelo governo após vários debates sobre a utilização das sacolas plásticas, que envolveram diversos setores da sociedade, como ambientalistas, representantes das indústrias e a AGAS – Associação Gaúcha de Supermercados. Em recente pesquisa encomendada pela entidade, mais de 80% dos gaúchos se posicionaram contra a retirada das sacolas plásticas de circulação.

Fonte: Núcleo Comunicação e Marketing

Curta nossa página no

Soluções adesivas diferenciadas integram portfólio da Dow para embalagens.

22/05/2012

Nova área de Adesivos e Materiais Funcionais (A&FM) oferece linhas completas de base solvente,  sem solvente (solventless) e base água

Para aproximar as unidades de negócios que atendem ao mercado de embalagens, a Dow criou, como parte da divisão de Plásticos de Performance, a área de adesivos e materiais funcionais (Adhesives & Functional Materials – A&FM). A decisão estratégica de estabelecer essa nova estrutura deve-se ao fato de que a maioria dos produtos adesivos pode ser aplicada nas soluções de polietileno desenvolvidas pela unidade de Embalagem de Alimentos e Especialidades (Food and Specialty Packaging – F&SP), o que abre inúmeras possibilidades de inovação e de trabalhos em sinergia.

“Essa configuração nos permite oferecer alternativas completas aos convertedores e proprietários de marcas. Ao trabalharmos em sintonia com toda a cadeia produtiva, passamos a conhecer melhor as necessidades do consumidor final e desenvolver opções conjuntas para atendê-lo”, destaca Andrés Salgado, gerente de marketing de A&FM para a América Latina.

O portfólio da Dow conta com marcas de adesivos renomadas no mercado, entre as quais, ADCOTE™ (base solvente), MOR-FREE™ (solventless) e ROBOND™ (base água). “Cada uma dessas linhas inclui opções que foram desenvolvidas para proporcionar um desempenho capaz de oferecer produtos de alta qualidade, níveis de eficiência que possibilitam redução de custos com estruturas e processos, além de sustentabilidade”, explica Marcelo Oyola, líder de aplicações técnicas de A&FM para a América Latina.

Base Solvente

Um dos destaques da linha de adesivos base solvente é o ADCOTE™ 675A, composto poliuretânico que faz parte de um sistema bicomponente e que, em conjunto com o catalizador ADCOTETM 675C, oferece alta adesão e excelente resistência termoquímica, sendo indicado para aplicações em laminação com alumínio e em diversos filmes de poliéster, polipropileno e em filmes coextrusados geralmente empregados em embalagens para alimentos, medicamentos e produtos industriais. Uma das principais características do ADCOTE™ 675A/675C é a baixa retenção de solventes e a excelente aparência em altas velocidades de laminação.

O ADCOTE™ 755EA/756EA e o 780 HTR/756EA são opções de adesivos bicomponentes base poliuretano recomendados para a laminação de vários tipos de filmes, como PETP, PA, BOPP e PE, e em estruturas metalizadas e de alumínio. Graças à sua formulação diferenciada, é possível trabalhar com até 55% de sólidos de aplicação, além de poderem ser submetidos a altas velocidades, o que se traduz em uma economia significativa na aplicação final.

Já os adesivos de base solvente com alto teor de sólidos possibilitam a utilização de uma quantidade menor de solventes no sistema, meio ambiente e embalagem final. Permitem também a operação da linha de produção com velocidades até 20% mais altas do que com os adesivos tradicionais. Outra vantagem é a utilização nas máquinas de um sistema com até 50% mais sólidos, sem a necessidade de ajustes ou adições especiais nos equipamentos.

Solventless

A nova geração de adesivos solventless da empresa adapta-se a todos os equipamentos, tem alta velocidade e oferece cura rápida. Uma das características mais procuradas nesse tipo de laminação e que é oferecida por essa linha de adesivos refere-se à ausência tanto de “ink smearing”, ou seja, a tinta não borra, quanto de odores residuais provenientes do adesivo. Adicionalmente, 60% de seus ingredientes são “de base vegetal”.

O MOR-FREE™ 970/CR 137 é um sistema de adesivos de poliuretano sem solventes e bicomponentes indicado para a laminação de filmes impressos e não impressos, como celofane, PE (incluindo os tipos EVA), PP, BOPP, PVDC, com revestimento acrílico, PETP, PA, A-PET, PVC, e estruturas metalizadas e de alumínio. Trata-se de um sistema extremamente versátil e robusto que pode ser usado, de forma econômica e eficiente, em uma ampla gama de aplicações de uso geral e médio desempenho.

Base água

A Dow conta com uma linha abrangente de adesivos base água para laminação chamada ROBOND™ L, destinada a rótulos laminados para garrafas e embalagens que demandam resistência ao calor e à umidade e que precisam ser aquecidas no micro-ondas ou fervidas. Trata-se de uma tecnologia diferente das usualmente encontradas no mercado, que oferece grande valor agregado tanto para os convertedores quanto para os proprietários de marcas.

Entre as vantagens dessa família estão a variedade de aplicações para o usuário final, o fato de ser uma tecnologia econômica que não agride o meio ambiente e que necessita de poucos ajustes, podendo ser utilizada em diversas máquinas. A cadeia de fornecimento também se beneficia uma vez que a tecnologia acrílica base água oferece alta coesão e cura imediata após a secagem, permitindo o corte logo após o processamento. Além disso, os produtos Robond L são prontos para uso, não contêm solventes e garantem corte do material e envio no mesmo dia, o que resulta em economia.

Livres de solventes orgânicos voláteis (VOCs), essas emulsões acrílicas garantem ausência de retenção de solventes no adesivo, tornando o local de trabalho mais seguro. O meio ambiente também se beneficia já que se tratam de solventes base água.

O ROBOND™ L-330 foi criado para ser utilizado como adesivo base água com um ou dois componentes, atendendo ao requisito VOC para a laminação de substratos flexíveis. Para estruturas com PET ou de alumínio, o catalisador CR 9-101 deve ser utilizado na proporção recomendada a fim de alcançar a adesão desejada e propriedades superiores de desempenho. A alta transparência e o baixo teor de espuma são algumas das vantagens de destaque desse sistema.

Entre suas principais finalidades está a laminação de substratos como poliolefinas, filmes metalizados, papel, nylon e poliésteres. Essas laminações são utilizadas em aplicações de médio desempenho, como embalagens para salgadinhos, alimentos secos, produtos frescos e condimentos.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

69% dos paulistanos querem sacolinha de volta aos supermercados, segundo Datafolha

22/05/2012

De acordo com pesquisa realizada pelo Datafolha na cidade de São Paulo, entre os dias 2 e 3 de maio, 69 % dos consumidores paulistanos são a favor de que os supermercados voltem a distribuir gratuitamente as sacolas plásticas para transporte das compras realizadas nesses estabelecimentos. A pesquisa entrevistou 612 consumidores e foi encomendada pela Plastivida (Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos).

Em pesquisa realizada em janeiro junto a 1.090 entrevistados, 57 % indicavam ser favoráveis ao fim da distribuição das sacolas.

As embalagens deixaram de ser distribuídas junto à população em abril deste ano. 75% dos entrevistados na última pesquisa relataram não haver percebido mudanças nos preços das mercadorias depois do fim da distribuição das sacolinhas.

Mais informações no link  http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/44248-69-querem-sacolinha-de-volta-aos-supermercados.shtml

 

Curta nossa página no

Interplast 2012: Seibt apresenta novos moinhos para moagem de garrafas e filmes

21/05/2012

Além da sua linha de moinhos convencionais, a Seibt Máquinas vai trazer para a Interplast 2012 os mais novos equipamentos da linha GF, desenvolvidos especificamente para a moagem de garrafas e filmes. De fácil operação e sem oferecer riscos para os operadores, os moinhos dessa linha possuem bocal com articulação pneumática e acesso ao magazine por sistema mola-gás. Outro grande diferencial é que são os primeiros do Brasil com rotor vazado, ou seja, sem eixo central, o que aumenta a capacidade interna da câmara de moagem. “Sua alta produtividade, aliada à tecnologia e qualidade dos produtos Seibt fizeram com que a linha GF tivesse ótima aceitação pelo mercado consumidor”, afirma Gilson Müller, analista de exportação da Seibt Máquinas.

Sobre a Seibt Máquinas

A Seibt Máquinas, localizada na cidade de Nova Petrópolis/RS, possui 38 anos de atuação em seu segmento. Oferece ao mercado soluções e equipamentos para a recuperação e reciclagem de plásticos pós-industrial e pós-consumo. A linha de produtos da Seibt é composta por moinhos convencionais, de baixa rotação, para aplicações especiais, trituradores e destroçadores para tubos de diversos diâmetros, espessuras e tamanhos, além de sistemas completos para a reciclagem do PET e do PE e PP – filmes e rígidos. Desenfardadeiras, extrusoras, aglutinadores, ventiladores, roscas e esteiras também estão no portfólio da empresa.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

KraussMaffei lança nova linha de máquinas injetoras

18/05/2012

Durante um evento para clientes em Munique (Alemanha), a KraussMaffei mostrou aos profissionais convidados a sua nova série GX de máquinas injetoras. Apresentada pela primeira vez, a série GX amplia o portfolio de produtos da empresa no segmento de injetoras hidromecânicas de placas duplas,  na faixa de forças de fechamento médias.

Durante a estréia mundial, a KraussMaffei apresentou uma demonstração de seis máquinas de sua nova série GX, com uma força de fechamento variando de 400 a 650 toneladas. Estas máquinas têm tamanhos diferentes e variantes de equipamentos que permitem atender às necessidades de produção em um  grande número de setores industriais, tais como produtos para embalagem e artigos de qualidade premium para a indústria automotiva ou o setor de bens de consumo. “Nossos clientes estavam interessados principalmente em células de automação modulares contendo robôs lineares e industriais em diferentes configurações”, resumiu Dr. Karlheinz Bourdon, Vice-Presidente de Tecnologia do Segmento de Máquinas Injetoras de KraussMaffei

GearX e GuideX

De acordo com a KraussMaffei, a unidade de fechamento hidromecânica na série GX estabelece novos padrões em termos de qualidade e produtividade. “Na minha opinião, as máquinas GX representam o melhor conceito global”, sublinhou Bourdon. Com a engenhosa sapata-guia GuideX, as forças são idealmente absorvidas e o tempo de vida útil dos moldes é aumentado. GuideX é um destaque na nova série GX que garante um excelente paralelismo das placas devido ao seu design estável, garantindo movimentos suaves com economia de energia. Além disso, o inovador sistema de travamento GearX é ativado imediatamente, de forma confiável, dentro do menor tempo possível, e produz continuamente movimentos rápidos na máquina.

Para ler o artigo completo  (em inglês), clique no link a seguir:

http://www.brazilianplastics.com/edicao00/wr08_may_17_2012.html

Fonte: KraussMaffei

Curta nossa página no 

Subsidiária da Mitsui Chemicals adquire participação majoritária na Produmaster

17/05/2012

A Prime Polymer Co. Ltd, subsidiária da Mitsui Chemicals and Idemitsu Kosan do Japão, anunciou no dia 14 de maio a aquisição de uma participação de 70% na empresa brasileira Produmaster Indústria e Comércio Ltda, fabricante de compostos termoplásticos, e o estabelecimento de uma nova empresa com base na Produmaster, a qual foi renomeada como  Produmaster Advanced Composites Indústria e Comércio de Compostos Plásticos Ltda.

Em seu Plano de Negócios de meados de 2011, a Prime Polymers elegeu o negócio de polipropileno de uso automotivo como um “negócio em crescimento”, no qual procuraria se tornar um líder mundial, tendo desde então se esforçado para alcançar uma expansão inicial de negócios em várias regiões. Em particular, a Prime Polymers considera o fortalecimento de seus negócios no mercado sul-americano – o qual deverá registrar um elevado crescimento – como um de seus principais desafios estratégicos.

Por sua vez, a Produmaster é a terceira maior empresa brasileira em fabricação e vendas de compostos, tendo construído uma trajetória no negócio de Polipropileno para uso automotivo por mais de uma década. A Produmaster fornece produtos para importantes fabricantes de automóveis através de duas unidades (55.000 toneladas de capacidade anual de produção): a sua sede e a sua unidade de produção localizadas em Mauá, São Paulo, onde muitas montadoras estão localizadas, e a sua subsidiária Produmaster do Nordeste Ltda., localizada em Camaçari no estado da Bahia, na qual a Produmaster possui 50 % do capital.

A criação da nova empresa irá produzir um efeito de sinergia entre o conhecimento da Produmaster sobre o seu negócio em ambas as regiões e as tecnologias proprietárias da Prime Polymers. Desta forma, a Prime Polymers vai procurar aumentar a sua presença no mercado sul-americano e  expandir e fortalecer ainda mais o seu negócio de Polipropileno para uso automotivo.

Fonte: Mitsui Chemicals.

Curta nossa página no

Parceria entre Braskem e Plantic cria embalagem ultraprotetora feita de polietileno derivado do etanol

17/05/2012

A Braskem (www.braskem.com.br) e a Plantic Technologies (www.plantic.com.au)  fecharam acordo para o uso do plástico verde nas embalagens da linha de produtos eco PlasticT. Produzido pela Plantic, este produto corresponde à primeira embalagem ultraprotetora feita com material de origem renovável.

A utilização do plástico verde, produzido pela Braskem, aumentará o conteúdo renovável do eco PlasticT para mais de 90% sem comprometer as propriedades de proteção já oferecidas pela embalagem. O diferencial do polietileno derivado do etanol – que é obtido da cana-de-açúcar – é capturar e fixar até 2,5 toneladas de gás carbônico (CO2) da atmosfera para cada tonelada produzida. As bandejas e o filme eco PlasticT não exigem investimento em novas tecnologias de processamento ou embalagem. As bandejas rígidas e os filmes estão disponíveis na versão transparente e em uma variedade de outras cores, até mesmo em formatos multicoloridos.

“A visão estratégica da Braskem é ser a líder mundial em química sustentável até 2020. A união entre os produtos da Plantic e o plástico verde da Braskem proporciona novas opções de embalagem que, além de serem melhores para o meio ambiente, oferecem desempenho superior a varejistas e proprietários de marcas”, afirma Marcelo Nunes, diretor de Negócios Químicos Renováveis da Braskem.

“O eco PlasticT da Plantic, com o plástico verde, é a embalagem de proteção com maior conteúdo renovável no mercado”, diz Brendan Morris, CEO da Plantic Technologies. “A parceria com a Braskem une dois plásticos com desempenho ambiental excelente para criar uma embalagem ultraprotetora, com características únicas de desempenho e vantagens ambientais”, destaca.

Sobre a Plantic Technologies Limited

A Plantic Technologies tem base na Austrália, onde estão situadas sua sede e suas principais instalações de fabricação, pesquisa e desenvolvimento. A empresa também mantém operações de fabricação na Alemanha e pontos de venda nos Estados Unidos e no Reino Unido. A tecnologia exclusiva de polímero patenteada globalmente pela Plantic tem por base o uso de amido de milho com alto índice de amilose, um material derivado de milho híbrido (sem alteração genética). A empresa oferece uma ampla linha de produtos no setor de embalagens protetoras e ganhou diversos prêmios por sua inovação em plásticos biodegradáveis, incluindo o Prêmio Mundial da DuPont por Inovação em 2006.

Fonte: Braskem / (foto da Plantic)

Curta nossa página no

EuroMold Brasil tem expositores internacionais confirmados

17/05/2012

A 1ª edição da EuroMold Brasil – Feira Internacional de Fabricantes de Ferramentas e Construtores de Moldes, Desenho e Desenvolvimento de Produtos, viabilizada por meio de parceria entre a organizadora alemã DEMAT e a Messe Brasil, já conta com mais 1000 m² de área comercializados. Expositores brasileiros, alemães, norte-americanos e sul-coreanos já confirmaram presença no evento, que acontece entre os dias 20 e 24 de agosto de 2012 e deve reunir cerca de 90 empresas.

Realizada há 17 anos em Frankfurt, na Alemanha, a EuroMold é uma das principais feiras de ferramentais, moldes e design da Europa, EUA, África do Sul, Rússia, Índia e China. Para a edição latino-americana, o Brasil foi o país escolhido para sediar o evento por concentrar grandes polos industriais e por ser um mercado promissor para esse segmento.

Em sua primeira edição, a EuroMold Brasil acontecerá em paralelo à Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico e o Cintec Plástico – Congresso de Inovação Tecnológica. “Os eventos devem atrair um público especializado do Brasil e de outros países, interessado em conhecer as mais recentes tecnologias na fabricação de moldes e desenvolvimento de produtos”, comenta Richard Spirandelli, diretor da Messe Brasil.

Novidades e produtos

O Senai participa da primeira EuroMold Brasil e aproveita a oportunidade para divulgar a Rede Senai de Ferramentaria, focada no apoio tecnológico para o setor. “Dispomos de capacitações e soluções tecnológicas para as empresas, numa iniciativa de contribuição para o fortalecimento do setor”, afirma Luiz Eduardo Leão, analista de desenvolvimento industrial do Senai Nacional. Durante o evento, o estande da entidade contará com um ciclo de palestras para divulgação dos projetos. “Cada estado já conta com iniciativas isoladas de apoio ao segmento de ferramentarias. Agora, queremos unir as diferentes competências do país e criar soluções consolidadas em âmbito nacional”, enfatiza o analista.

A Metalthaga expõe na EuroMold Brasil ligas especiais de alumínio para moldes, com destaque para peças de grande porte, como blocos de até 1100 mm de espessura. Para Eduardo Hanauer, gerente de logística da Metalthaga, a feira é uma oportunidade para a empresa mostrar seus produtos e tecnologias para outros países. “Hoje, o Brasil é referência econômica mundial e, com certeza, fortalecerá e ampliará novos nichos de mercado”, acrescenta. Especializada no fornecimento de ligas especiais de alumínio para moldes (5052, 5083, 6082, C-250, C-330R, C-210R, Alcast, Certal) cortadas e fabricadas sob medida para as indústrias naval, metal-mecânica, moldes e matrizes, calçadista, entre outras. Dispõe também, tarugos, barras e perfis fabricados e cortados sob medida (liga 6082, 6351, 6061), conforme a necessidade do cliente. A empresa possui fundição de alumínio sob pressão, peças moldadas e fundidas, blocos e discos fundidos, e cobre latão e bronze em diversas medidas.

A estreia da Artis Matriz em feiras está programada para a EuroMold Brasil. Especializada na fabricação de moldes e ferramentas, a empresa fornece para grandes clientes de diversificados segmentos como linha branca, cosméticos, hidrômetros, eletroeletrônico e construção civil, e quer aproveitar a feira para identificar o que o mercado busca em termos de tecnologia. “Acreditamos no evento como meio de acesso a contatos de empresas do setor, troca de tecnologia e possibilidade de parcerias internacionais, além do relacionamento com futuros clientes”, comenta Mário Paiva, comercial da Artis Matriz. Atualmente, a empresa segue a tecnologia européia no desenvolvimento de seus produtos. Conta inclusive com parcerias técnicas de clientes que colaboram com os projetos. “Dispor de tecnologia de ponta é fundamental para uma empresa desse segmento fornecer para grandes marcas nacionais e internacionais instaladas no Brasil. Esse é um diferencial que buscamos aprimorar continuamente para manter a competitividade”, acrescenta Paiva.

A SKA, líder no fornecimento de tecnologia para as engenharias brasileiras, leva para a EuroMold Brasil o portfólio de soluções em tecnologia de software para projeto 3D e usinagem de moldes. Outro grande destaque deste ano será a apresentação da linha de impressoras 3D e sistemas de produção Stratasys, que permitem a criação rápida de protótipos de peças antes que os moldes sejam usinados. “As peças feitas nas impressoras Stratasys são fortes o suficiente para testes em condições reais. Os protótipos podem ser usinados, cromados, pintados, perfurados e os equipamentos trabalham com termoplásticos nobres de engenharia (ABS-M30i, ABSi, ABS-ESD7, Ultem 9085)”, explica Gabriel Diehl Fleig, gerente de marketing da SKA. A Stratasys é líder mundial em tecnologia para criação de protótipos 3D funcionais e a SKA, desde o início de 2012, é a revenda da marca para todo o Brasil, dispondo de uma base instalada no país com mais de 100 equipamentos. Na área de projetos, a SKA divulga o SolidWorks, sistema CAD mais utilizado no mundo para projetos mecânicos e o Imold, aplicativo que roda integrado ao SolidWorks e que adiciona ferramentas de produtividade dedicadas aos projetos de moldes. Para usinagem divulga o Edgecam, software para programação CNC, líder de mercado.

Sobre a EuroMold Brasil

A EuroMold Brasil é a principal feira de moldes do mundo com origem e Frankfurt na Alemanha, expandida para todos os continentes. É viabilizada por meio de parceria entre a DEMAT, organizadora alemã do evento, e a Messe Brasil, umas das principais organizadoras de feiras do Sul do país. Para a estreia do evento no mercado nacional são aguardadas 90 empresas, ocupando espaço de 4.000 m². Já confirmaram participação expositores brasileiros, alemães, norte-americanos e sul-coreanos.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Solvay Specialty Polymers oferece materiais alternativos para substituir Nylon 12.

16/05/2012
  • Nylon 12 está escasso no mercado atualmente .
  • Empresa oferece polímeros de PARA e PPA para aplicações-chave em automóveis.

 A Solvay Specialty Polymers, LLC, um fornecedor líder global de termoplásticos de alto desempenho para a indústria automotiva, está oferecendo opções de materiais alternativos para fornecedores diretos da indústria automotiva e OEMs, em virtude da escassez recente da resina de nylon 12 no mercado. “Estamos trabalhando estreitamente com os principais fornecedores automotivos para encontrar materiais alternativos ao nylon 12 e garantir que a indústria possa continuar a operar nos níveis atuais de produção”, explicou Bill Gaines, Gerente de Desenvolvimento Global de Negócios Automotivos da Solvay Specialty Polymers.

Para ler o artigo completo (em inglês), clique no link a seguir:

http://www.brazilianplastics.com/edicao00/wr07_may_16_2012

Fonte: Solvay Specialty Polymers

Curta nossa página no

Interplast 2012: Gneuss apresenta sistema de extrusão MRS.

16/05/2012

Especializada na fabricação de equipamentos para indústria plástica, a Gneuss apresentará as novidades da sua linha de produtos na Interplast 2012. O principal é o sistema de extrusão MRS (múltiplas roscas), indicado para o processamento de PET reciclado, o sistema tem aprovação irrestrita e exclusiva do FDA – Administração de Alimentos e Medicamentos (órgão governamental americano que atua no controle de alimentos) – para fabricação de embalagens em contato com alimentos a partir de reciclado pós-consumo.

Devido ao seu incomparável poder de degasagem, dispensa processos prévios de secagem ou cristalização do material. “Transparência melhorada, baixo custo de transformação, controle de viscosidade em linha e economia de energia são outras características desta tecnologia, que já possui diversos equipamentos instalados no Brasil”, comenta Andres Grunewald, diretor da Gneuss.

Além do moderno sistema de extrusão, a Gneuss vai expor o seu filtro RSFgenius, uma tecnologia de filtração totalmente automática, que reúne, em um só equipamento, processamento contínuo, pressão de operação constante e limpeza integrada e regulável de telas. Viscosímetro em linha VIS e sensores de pressão e temperatura de massa também poderão ser vistos no estande da empresa.

Sobre a Gneuss

Fundada em 1983, a Gneuss é uma empresa alemã, especializada no desenvolvimento, fabricação e comercialização de equipamentos para processamento de polímeros com três divisões: tecnologia de processamento, tecnologia de filtração e tecnologia de medição. No Brasil, a filial da empresa conta com equipe comercial, assistência técnica, engenharia de processos, estoque e fornecimento de peças de reposição.

 Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Interplast cresce e se consolida como o principal evento do setor plástico da América Latina em 2012.

15/05/2012

Agendada para 20 a 24 de agosto de 2012, a Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – já superou, em 9,5%, a comercialização de áreas em relação ao mesmo período de 2010. Realizada a cada dois anos, nos pavilhões da Expoville, em Joinville/SC, a feira é a mais importante de 2012 na América Latina e representa um importante canal de relacionamento e negócios para o setor plástico brasileiro. Além dos expositores nacionais atraiu empresas de outros países como Alemanha, Canadá, China, USA e Taiwan.

Na edição deste ano, a grande novidade é a realização simultânea da primeira EuroMold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de Produtos. Viabilizada através de uma parceria entre a Messe Brasil e a alemã Demat, o evento chega ao Brasil como um excelente meio de aumentar a visibilidade dos expositores da Interplast.

A Interplast é referência por reunir, em um mesmo local, teoria e prática, apresentado soluções e alternativas para o segmento. Na feira, os visitantes podem conferir o que há de mais moderno na área tecnológica da cadeia do plástico, da matéria-prima a compostos, pigmentos, periféricos, ferramentaria e máquinas em geral.

Em sua última edição, em 2010, a Interplast reuniu 500 expositores e recebeu 25 mil visitantes, vindos de 19 países e 23 estados brasileiros, com destaque para executivos e profissionais dos segmentos de embalagem, automotivo/autopeças, construção civil e linha branca. A estimativa da Messe Brasil é que, durante os cinco dias de feira e nos seis meses seguintes ao evento, o volume de negócios tenha ultrapassado os R$ 400 milhões.

Em paralelo à Interplast acontece ainda, o Cintec 2012 Plástico – Congresso de Inovação Tecnológica, organizado pela Sociedade Educacional de Santa Catarina (Sociesc).

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.383 outros seguidores