Archive for the ‘Indústria de Plásticos’ Category

Interplast e EuroMold destacam tecnologias e soluções voltadas à indústria do plástico

15/08/2018

Eventos estão sendo realizado até o dia 17 de agosto, em Joinville, SC e a reciclagem tem espaço especial

As feiras Interplast – Feira e Congresso da Integração da Tecnologia do Plástico, e a EuroMold – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos, realizadas de 14 a 17 de agosto, em Joinville – SC, estão apresentando avançadas tecnologias para a indústria do plástico. E quando se fala em plástico vem à tona a temática da reciclagem. O assunto inclusive, foi destaque na mídia internacional no início dessa semana quando a França anunciou a cobrança de taxas sobre as garrafas de plástico não reciclado. A medida vale a partir 2019 e as garrafas fabricadas com plástico reciclado deverão ser mais baratas do que as que utilizam matéria-prima virgem.

Na tendência das regulamentações para o setor e incentivo da reciclagem, a Interplast expõe variadas soluções em tecnologias e equipamentos para essa finalidade. É o caso da Wortex que expõe a Linha Challenger Geração II, que processa uma grande variedade de resíduos de filmes lisos, impressos e metalizados, tais como: PE, LLDPE, LDPE, MDPE, HDPE, BOPP, PP, PVC, Ráfia, Não Tecidos, Nylon,, Filmes de multicamadas. O diferencial da linha é a capacidade de processar materiais plásticos rígidos e flexíveis com eficiência e baixo custo operaciona, afirma a empresa.

O uso de soluções sustentáveis como matéria-prima também merece destaque. A Polifibras possui patente no Brasil para adicionar casca de arroz a resinas termoplásticas, o que torna o material um compósito ecológico e sustentável, retirando um resíduo do meio ambiente, que não se esgota a cada safra, e transformando-o em material com valor agregado mais alto.

No estande da Eletro-Forming, chama atenção a linha de produção de copos descartáveis em PET, mais transparentes e rígidos que os tradicionais copos industriais de PP e com possibilidade de uso de material PET Reciclado, o que vem de encontro à perspectiva de um futuro sustentável dos copos descartáveis no Brasil. Na mesma linha, um expositor do estande compartilhado do Simplás (Sindicato das Indústrias do Material Plástico do Nordeste Gaúcho) expõe a tecnologia para fabricação de bombonas plásticas de água feitas com material reciclado. Foi a primeira empresa do Brasil a desenvolver essa tecnologia seguindo a regulamentação internacional da FDA.

Especializada em tecnologias de separação, a Steinert apresenta na feira a linha Unisort Blackeye, que conta com um sistema ótico capaz de separar plásticos pretos por tipo. Destaca também a linha Unisort Film, sistema desenvolvido para trabalhar com plásticos filme e materiais 2D, fazendo a triagem dos materiais por tipo e por cor.

A Interplast e EuroMold Brasil reúnem 400 marcas, em 320 estandes, com expositores do Brasil, Ásia, Europa e outros países das Américas, com a expectativa de receber um público de 25 mil visitantes e de criar oportunidades para gerar R$ 200 milhões de negócios, iniciados no evento e consolidados em até 12 meses.

Agenda de eventos para  quarta-feira (15 de agosto)

Ilha da Reciclagem

A Ilha da Reciclagem é uma iniciativa inédita da Interplast e demonstra máquinas, equipamentos, rotinas e abordagem sobre a importância de se reciclar 100% do plástico – em especial o PS e o EPS (isopor®) – além de informar o público sobre a PNRS – Política Nacional de Resíduos Sólidos. A Ilha busca estimular o desenvolvimento de novos projetos, investimentos e o engajamento com o tema reciclagem.

A Ilha da Reciclagem promove também o Fórum Economia Circular dos Plásticos, que evidencia exemplos de empresas e instituições que causaram uma transformação do plástico em benefício da sociedade. O Fórum será realizado no dia 15 de agosto, na Sala Margarida (n° 12), a partir das 15h com o case “Tampinha Legal” (www.tampinhalegal.com.br), apresentado pela coordenadora Simara Souza. Esse é o maior programa socioambiental de caráter educativo de iniciativa da indústria de transformação do plástico na América Latina. Propõe ações modificadoras de comportamento de massa através do fomento de coletas de tampas de plástico e as entidades assistenciais cadastradas no programa recebem 100% dos recursos obtidos com a venda do material. O programa terá um estande com exibição de vídeos e protótipos de andadores infantis de praia, confeccionados em diversos materiais.

Maior encontro do setor das embalagens de PET

A cadeia produtiva das embalagens de PET se reunirá para o maior encontro do setor: o PETtalk (www.pettalk.org.br). Com o apoio da Interplast, o evento acontece nos dias 15 e 16 de agosto, das 13h às 17h30, na sala Bromélia (n°4), e reúne os principais executivos e profissionais do setor. O PETtalk é uma conferência que reúne a cadeia produtiva das Embalagens de PET, seus clientes e parceiros – além dos interessados em conhecer mais sobre o setor. Atrai quem está diretamente ligado à produção ou reciclagem das embalagens de PET, mas a amplitude de informações é relevante também, clientes de embalagens, fornecedores de insumos e equipamentos.

AFAP debate mudanças da norma ABNT para o mercado de perfis na Interplast

A Associação Brasileira dos Fabricantes de Perfis (AFAP), única representante do setor no Brasil, promove debate sobre a transição da norma técnica ABNT, que define a qualidade mínima obrigatória do produto durante a Interplast, em Joinville – SC. Desde 2003, a AFAP desenvolve o Programa Setorial da Qualidade, reconhecido pelo PBQP-H (Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat), liderado pelo Governo Federal. A qualificação é indispensável para a participação em certames públicos e para a venda a grandes clientes do setor privado. O encontro, inédito para o setor, busca promover o alinhamento de entendimentos e auxiliar os fabricantes, associados ou não a se adaptarem à nova realidade. Será realizado na quarta-feira, 15 de agosto, na sala Tulipa n° 5, das 16h às 19h. O evento é gratuito e aberto ao público, com vagas limitadas. Inscrições disponíveis pelo e-mail secretaria@afap.org.br.

Congresso de Inovação Tecnológica

A capacitação dos profissionais tem o espaço garantido na Interplast 2018 por meio do Cintec Plásticos – Congresso de Inovação Tecnológica. Serão 12 palestras e seis minicursos para debater as mais recentes tecnologias em máquinas e equipamentos, matéria-prima e processos para a indústria do plástico. São esperados 600 participantes. O CEO da Tigre, Otto Von Sothen, é o palestrante convidado para a abertura do CINTEC 2018 Plásticos, dia 14 de agosto, às 19h. O executivo detalha os “Desafios e oportunidades do mercado brasileiro mundial”. O evento desse ano está voltado para inovações, tecnologias e tendências para a manufatura avançada. O evento é organizado pela Unisociesc e acontece simultâneo a feira. A programação completa está disponível no site http://www.interplast.com.br.

Interplast inova com a realização de workshops gratuitos

A organização da Interplast traz uma novidade para essa edição da feira com a realização de workshops gratuitos, promovidos pelos expositores, com foco nas tendências, tecnologias e inovações em produtos e serviços para o segmento. As palestras acontecem nos dias 14 e 15 de agosto, simultâneas a feira, com duração de 40 a 60 minutos. As vagas por evento são limitadas e a programação e as inscrições estão disponíveis no site da feira – http://interplast.com.br/congresso.

Rodada de Negócios amplia possibilidades de novas parcerias e contratos

Uma prática crescente nas feiras organizadas pela Messe Brasil é a realização da Rodada de Negócios, onde compradores e vendedores sentam à mesa para negociações com preços e financiamento facilitado, ampliando as oportunidades de consolidar negócios e parcerias durante o evento. Na Rodada da Interplast e EuroMold estão confirmados os compradores: Comil (PR), Fremax (SC), Mascarello (PR), Klabin (SC), Irizar (SP), Lev Plásticos (MG), Docol (SC), Intelbras (SC), Volvo (PR), Franke (SC), Buscar (SC), Krona (SC), Termotécnica (SC), Uniplast (SC), Víqua (SC) e Blukit (SC). São aguardados 40 fornecedores que devem possibilitar mais de 500 agendas de reuniões de negócios. As rodadas serão realizadas nos dias 15 e 16 de agosto, das 14h30 às 20h, nas salas Hortência e Jasmim (n° 6 e 7).

Eventos realizados na terça-feira (14 de agosto)

Reunião da Câmara Nacional dos Recicladores de Materiais Plásticos

Empresas e representantes do setor de reciclagem de material plástico e transformação do material reciclado que integram a Câmara Nacional dos Recicladores de Materiais Plásticos, reuniram-se em Joinville, dia 14 de agosto, durante a Interplast. O encontro teve a presença de Ricardo Hajaj, coordenador da Câmara e Albano Schmidt, presidente do Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico de Santa Catarina). Jaime Lorandi, presidente do Simplás (Sindicato das Indústrias do Material Plástico), apresentou a palestra “A solução dos plásticos”.

Serviço

  • Interplast – Feira e Congresso da Integração da Tecnologia do Plástico
  • EuroMold – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos
  • Data: de 14 a 17 agosto de 2018
  • Horário: 14h às 21h
  • Local: Centro de Convenções e Exposições EXPOVILLE – R. XV de Novembro, 4315 – Glória, Joinville – SC
  • Realização: Simpesc (Sindicato da Indústria do Material Plástico de SC)
  • Apoio: ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina)
  • Organização: Messe Brasil
  • Credenciamento de visitantes: www.interplast.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no

Anúncios

José Ricardo Roriz Coelho assume presidência da Fiesp

07/06/2018

Notícia veiculada pelo Valor informa que o presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), José Ricardo Roriz Coelho (foto),  assumiu, nesta quarta-feira, o comando da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Paulo Skaf, que era presidente da entidade, licenciou-se do cargo para concorrer ao governo de São Paulo nas próximas eleições.

O primeiro vice-presidente da Fiesp, Benjamim Steinbruch, estava cotado para assumir o cargo durante a licença de Skaf mas também licenciou-se da diretoria da entidade. Especula-se que Steinbruch poderá ser o candidato a Vice-presidente da República na chapa de Ciro Gomes.

José Ricardo Roriz Coelho faz parte da diretoria da Fiesp há 13 anos como Diretor de Economia, Competitividade e Tecnologia e ocupava também o cargo de 2o. vice-presidente da entidade.

Link para notícia do Valor: http://www.valor.com.br/empresas/5572089/jose-roriz-coelho-presidente-da-abiplast-assume-comando-da-fiesp

Curta nossa página no

Programa “Rota 2030”, sucessor do Inovar-Auto, será tema de palestra de Ministro do MDIC durante Enafer, em Caxias do Sul

14/05/2018

Ajustes finais do novo regime automotivo foram encaminhados em reunião com Presidente da República. Tema centralizará atenções dos participante o 11º ENAFER

Considerado vital para a sustentabilidade da cadeia automotiva brasileira no médio e longo prazos, o programa Rota 2030, novo regime que deve suceder ao Inovar-Auto, encerrado em 31 de dezembro de 2017, está praticamente pronto e deve ser anunciado pelo governo federal neste mês de maio. O programa tem reflexo direto na atividade das ferramentarias nacionais, pois prevê incentivos em pesquisa e desenvolvimento às montadoras, com incremento na nacionalização de conteúdos, o que demandará maior volume de produção interna.

Programado para ser anunciado em agosto do ano passado, o Rota 2030 vem sendo protelado desde então. No final de abril, o Presidente da República participou de reunião de gestores do Ministério da Fazenda e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) com representantes das entidades do setor automotivo para encaminhar as definições. O ponto central tem sido a oposição dos técnicos da Fazenda à provável renúncia de impostos na ordem de R$ 1,5 bilhão, valor a ser destinado à área de desenvolvimento e pesquisa.

A partir da reunião, as áreas técnicas do governo aceleraram os debates visando a um acordo em torno do tema. “Os investimentos em pesquisa edesenvolvimento são importantes para reter o conhecimento no país, principalmente o relativo ao biodiesel, tecnologia liderada mundialmente pelo Brasil. O programa é muito importante para o setor por trazer previsibilidade. Nossos ciclos de investimentos são longos e precisamos ter regras definidas para o longo prazo”, indicou Antonio Megale, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, após a reunião com o presidente. O programa deve envolver três ciclos de investimento de cinco anos cada, incluindo metas de eficiência energética e segurança veicular.

O programa Rota 2030 será tema central da palestra do ministro Marcos Jorge, do MDIC, no 11º Encontro Nacional de Ferramentarias (ENAFER), que ocorrerá nos dias 17 e 18 de maio, em Caxias do Sul. O ministro participará, a partir de 13h30, discorrendo sobre a importância do programa para o futuro da indústria automotiva e de ferramentais no Brasil.

Ações para preparar o futuro das empresas nortearão palestras de gestores de indústrias automotivas. O Diretor de Ferramentaria da General Motors do Brasil, José Antônio Zara, destacará como os empresários devem preparar seus negócios para atender ao futuro da ferramentaria nacional em termos de competência humana e tecnologia. Já Bruno Luís Ferrari Salmeron, diretor da Schulz Automotive,de Joinville (SC), centrará atenções na importância da governança como fator de sucesso da empresa. Ainda haverá palestra motivacional de Márcio Mancio sobre o tema “Tropa de elite: A força da sua empresa”. Empresário, fundador e vice-presidente da primeira cooperativa de vendas do Rio Grande do Sul, Mancio é um dos palestrantes mais assistidos em palestras e treinamentos in company do Brasil.

Ao final da programação do dia 18 será realizada mesa redonda sobre a história da ferramentaria no Brasil com a participação de empresários ferramenteiros mais experientes de Caxias do Sul. Também será prestada homenagem, com a entrega da medalha Herói Ferramenteiro, aos empresários Renato Henrique Leonardelli, Alcides Jerônimo Bonezi e Salustiano Lino Machado.

Ocorrerão também oito workshops técnicos, marcados para o dia 17 de maio, também na Universidade de Caxias do Sul. As atividades terão início às 8h, estendendo-se até 17h, com duração de duas horas para cada encontro, organizado por patrocinadores do ENAFER. As palestras são gratuitas, mas limitadas a 70 participantes.

Os temas apresentados versarão sobre novas tecnologias em laser e para aumento da produtividade de moldes de injeção de plásticos; integração de sistemas inteligentes para ganho de produtividade em ferramentarias; conceitos da indústria 4.0 para inovação dos processos de injeção; estratégias e tecnologias de ferramentas de corte para moldes e matrizes; estimativas de custo de ferramentais em 15 minutos ou menos; gestão dimensional de produtos na indústria de ferramental; e engenharia, produtos e serviços para a cadeia de ferramentas, moldes e matrizes.

O ENAFER, que deve reunir 350 participantes e é organizado pela Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (ABINFER) e pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste do Rio Grande do Sul (SIMPLÁS). São em torno de 70 empresas e entidades patrocinadoras, além do apoio institucional da Universidade de Caxias do Sul. As inscrições para o evento são gratuitas e devem ser feitas em http://www.enafer.com.br.

Fonte: Assessoria de Imprensa – ENAFER

Curta nossa página no

11º Encontro Nacional de Ferramentarias começa no próximo dia 17

14/05/2018

Após três anos consecutivos de atividade produtiva muita baixa e faturamento em queda, a economia brasileira dá indicativos, ainda tímidos, de retomada. O cenário tende a induzir parte da classe empresarial a esquecer os efeitos danosos da crise e, assim, desmobilizar-se da tarefa de cobrar políticas governamentais de longo prazo que deem sustentabilidade aos negócios.

A 11ª edição do Encontro Nacional de Ferramentarias (ENAFER), confirmada para os dias 17 e 18 de maio, em Caxias do Sul, RS, tem como um de seus propósitos manter o empresariado mobilizado, especialmente em torno da definição do Programa Rota 2030, fundamental para que a indústria de ferramentaria crie condições para vislumbrar seu negócio no longo prazo. “Não podemos, em função de um sopro de retomada, baixar a guarda e esquecer de todas as dificuldades pelas quais passamos e que ainda não foram totalmente superadas. Construir uma política estruturante de longo prazo é vital para a continuidade do setor e isto será pauta central no 11º ENAFER”, afirma Christian Dihlmann, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (ABINFER), organizadora do evento, que deve receber em torno de 300 participantes, número similar aos de anos anteriores.

De acordo com Dihlmann, o mercado segue em situação delicada e instável. “Temos de discutir e definir, desde já, uma política industrial de Estado e não de governo. O programa Rota 2030 é o caminho neste momento e por ele precisamos estar mobilizados, mostrando isto no 11º ENAFER, com grande participação”, convoca.

O presidente da ABINFER destaca a presença, no evento, do ministro Marcos Jorge, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), que falará sobre a importância do programa Rota 2030 para o futuro da indústria automotiva e de ferramentaria no Brasil, em palestra agendada para às 13h35 do dia 18. “O ministro precisa ver que o empresariado está mobilizado nesta demanda e sentir a pressão do setor, por meio de uma grande participação no evento”, reforça.

Gelson de Oliveira, vice-presidente técnico da ABINFER, acrescenta que as regras do jogo devem ser claras para que o empresário possa definir a sua estratégia de negócio, direcionando ações para o mercado interno ou apostando no externo. Segundo ele, o InovarAuto, programa que pautou as políticas do setor automotivo nos últimos anos e que se encerrou em 31 de dezembro de 2017, garantiu que as ferramentarias se mantivessem ativas, mesmo com as dificuldades decorrentes da crise. “Teria sido muito pior sem o InovarAuto. Por isso, a necessidade urgente da aprovação do Rota 2030”, sustentou.

Oliveira, empresário do setor em Caxias do Sul, lembrou que, atualmente, a capacidade instalada nas ferramentarias atende em torno de 30% das demandas da indústria automotiva. Atualmente, o índice médio de atendimento é de 15%. “No momento, quem determina como e onde serão feitos os moldes é a matriz das montadoras. Por isso, a saída para resolver esta equação é uma política governamental, importante, inclusive, para as montadoras”, assinala.

Mas pondera que, mesmo com estas ações, será longo e penoso o período para que as ferramentarias atinjam níveis de produção de anos anteriores. “Mesmo já sendo reconhecidos por nossa qualidade, aqui e no exterior, as empresas terão de investir em equipamentos, processos e softwares de última geração”, alertou. E para que o ritmo destes ajustes seja rápido, serão necessárias fontes públicas de financiamentos, porque as empresas, em sua maioria, não tem força financeira para investimentos expressivos, afirma Oliveira. “Não queremos nada de graça, pois temos de ser competentes. Mas sem uma política clara, os clientes escolherão fornecedores onde os impostos são menores e as tecnologias e os equipamentos estão disponíveis em abundância”, salientou.

Dihlmann destaca que o empenho da ABINFER em torno do programa Rota 2030 está alinhado com a própria estratégia do governo de criar condições para o desenvolvimento do setor automotivo. Ele lembra que veículos e casa própria são sonhos permanentes do consumidor brasileiro. “Considerando que os ferramentais são determinantes na produção de veículos, precisamos aproveitar para organizar e consolidar o setor neste momento onde o governo direciona grande energia para a indústria automotiva”, reforçou o dirigente, observando que, ao contrário do automotivo, onde novidades são rotineiras, na construção civil, outro forte mercado das ferramentarias, o ciclo de vida dos produtos é mais longo. Assegurou, no entanto, ser objetivo da entidade lutar também por programas de incentivo em outros setores, como eletrodomésticos, embalagens e a própria construção civil.

Programação terá dois dias

Nas 10 edições anteriores, o ENAFER concentrou suas atividades em um único dia, visando oferecer ao máximo informações estratégicas para o empresário. Como forma de atender a uma demanda de patrocinadores, que passam de 60 marcas nesta edição, a organização optou por criar um dia específico para tratar de temas técnicos. Desta forma, a quinta-feira, dia 17 de maio, será reservada para workshops, desenvolvidos em salas com capacidade para até 70 participantes e apresentados por patrocinadores, que divulgarão produtos e serviços. Na avaliação de Christian Dihlmann, presidente da ABINFER, a maioria dos participantes destes encontros será formada por empresários locais ou regionais.

Os workshops técnicos ocorrerão em salas da Universidade de Caxias do Sul, a partir de 8h. Até o momento estão confirmadas palestras conduzidas por representantes das marcas Top Solid, Polimod, +GF+, Casafer, Villares Metais e Produttare. As inscrições gratuitas podem ser feitas diretamente em http://www.enafer.com.br/workshops-tecnicos/.

A programação do 11º ENAFER terá início na quinta à noite, 17 de maio, com jantar de confraternização. Na sexta-feira, a abertura oficial está programada para 9h, com manifestações de Jaime Lorandi, presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho, e de Christian Dihlmann, da ABINFER.

A programação contempla quatro palestras, duas mesas redondas, assembléia geral da ABINFER, almoço e intervalos para relacionamento. Todas as atividades serão concentradas no UCS Teatro, no Bloco M da Universidade de Caxias do Sul. As inscrições gratuitas podem ser feitas em http://www.enafer.com.br, onde também está disponível toda a programação.

Fonte: Assessoria de Imprensa: Abinfer

Curta nossa página no

PICPlast divulga pesquisa apontando o perfil e expectativas do transformador de plástico no Brasil

23/02/2018

Estudo mostra os principais interesses dos empreendedores da indústria de transformação.

O transformador de plástico no Brasil busca por iniciativas que o ajude a vender mais (59,4%) e acredita que inovação em produtos (49,3%) é o caminho para o crescimento. É o que mostra o estudo de mercado encomendado pelo PICPlast, Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico, uma iniciativa setorial da Abiplast e da Braskem. Para 59,4% desta amostra, abrir novos mercados é a prioridade.

A pesquisa revelou ainda o perfil destes empresários: homens (78,1%), com mais de 35 anos (82,3%) e com escolaridade superior à graduação (86,7%), que conduzem empresas familiares (70,1%), com 50 a 500 funcionários (61,5%), localizadas no estado de São Paulo (46,8%).

O estudo também mostra a participação de diferentes áreas da transformação. Para a produção de filmes (ramo de 55,8% dos participantes da pesquisa) são usados equipamentos de extrusão onde a matéria-prima fundida forma filmes flexíveis que, posteriormente, serão transformados em embalagens. Já para a injeção de plásticos (31,7%), são usadas máquinas que injetam o material fundido sob pressão no interior de um molde, formando peças de formatos e aplicações diversas. Outro tipo de transformação do material plástico que aparece em destaque é o sopro-extrusão (20,5%) que produz, por exemplo, frascos para alimentos e bebidas, através da aplicação de ar comprimido que expande o material fundido dentro de um molde.

A pesquisa traz também a participação do setor da reciclagem dos materiais plásticos (9%) onde há a fabricação de grânulos de material reaproveitado que retornarão à cadeia produtiva na forma de novos produtos plásticos, evitando a extração de novos recursos naturais e aplicando o contexto da economia circular.

As empresas ouvidas produzem os mais diferentes tipos de produtos, principalmente embalagens para alimentos e bebidas ou tampas (37,4%). Bobinas plásticas (29,5%), produtos para agronegócios (22,3%), construção civil (18,7%) e embalagens para cosméticos (15,1%) também aparecem com grande relevância entre os itens produzidos.

Investir em renovação tecnológica, principalmente na área de processos e equipamentos, é o desejo de 38,5% dos empresários. O mercado e a concorrência são considerados os principais desafios para o crescimento para cerca de 30% dos entrevistados. Os empreendedores da indústria do plástico têm interesse em iniciativas voltadas à eficiência operacional, comprovado pelos percentuais altos daqueles que querem reduzir perdas (67,7%) e aumentar o controle de qualidade (61,2%).

Para atender a estas demandas, o PICPlast realiza, ao longo do ano, uma série de ações que visa beneficiar os atuantes do setor. Desde 2013 já foram investidos cerca de R$ 15 milhões em iniciativas direcionadas aos transformadores. São projetos que auxiliam desde o pensamento com foco em inovação até gestão financeira e controle de qualidade.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Picplast

Curta nossa página no

Indústria de transformação de plásticos brasileira cresce 2,5% em 2017 e espera atingir 3% neste ano

07/02/2018

O desempenho da indústria de transformados plásticos em 2017 superou as expectativas da ABIPLAST e registrou alta de 2,5% em relação a 2016. Só em dezembro o crescimento foi de 3,7% em relação ao mês anterior na série dessazonalizada. Além disso, depois de três anos registrando o fechamento de postos de trabalho, o setor encerrou o ano com a abertura de 4.696 vagas, o que significa um crescimento de 1,5%. Outro dado positivo foi o de consumo aparente, que no ano passado foi de 3,9% ante o período anterior.

O presidente da entidade, José Ricardo Roriz Coelho, vê com otimismo os resultados do ano passado e acredita na continuidade desse comportamento.

“A continuidade da estabilidade econômica aliada às previsões positivas de importantes consumidores de transformados plásticos – como a construção civil e a indústria automotiva – contribuem para que tenhamos uma postura otimista para 2018”, ressalta.

A entidade projetou para 2018 um crescimento de 3% na produção física, 2% em empregos e de 4,5% no consumo aparente. A expectativa de queda nos juros e inflação estável, bem como do crescimento do PIB, também contribuem para essa previsão.

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no

Inovação e fomento para a indústria do setor de plástico foram temas de seminário na Firjan

22/11/2017

Debate realizado hoje (22/11) abordou temas como tendências de consumo, sustentabilidade e linhas de crédito para o setor industrial

Inovação, design, sustentabilidade e tendências que podem impactar as relações entre o consumidor e a indústria do setor de plástico foram temas do debate promovido pelo Sistema Firjan, hoje à tarde. Voltado para empresários e profissionais que atuam no segmento, o seminário teve a participação de José Carlos Pinto, diretor executivo do Parque Tecnológico da UFRJ, que falou sobre a importância da inovação e do empreendedorismo para o país: “Como promover o encontro entre o conhecimento gerado na academia, nas universidades e as necessidades reais das pessoas”.

Além dele, a especialista da Firjan ,Carol Fernandes, apresentou a palestra “De olho no mercado – tendências que irão impactar as relações de consumo”. Já o empresário Vinicius Martini, da <OU>, falou sobre como as empresas apostam no design como ferramenta para inovar; e Miguel Bahiense, da Plastivida, abordou o tema da importância do plástico para a sociedade, na palestra “Plástico e Sustentabilidade”.

Representantes do BNDES, Caixa e da AgeRio apresentaram as linhas de crédito e fomento para as indústrias do setor de plástico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Firjan

Curta nossa página no

PICPlast apresentou ferramenta inédita de gestão na Feiplastic 2017

19/04/2017

Voltada para pequenas e médias empresas de transformação plástica, plataforma auxilia companhias na tomada de decisões estratégicas e realizações de novos investimentos

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), iniciativa da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST) e da Braskem, marcou presença na Feiplastic 2017 e apresentaou uma ferramenta inédita que irá auxiliar as pequenas e médias empresas do setor plástico na tomada de decisões estratégicas e controle do fluxo de caixa. Com um espaço exclusivo no stand da Braskem, os visitantes puderam conhecer de perto os programas de capacitação desenvolvidos pelo PICPlast, que já ajudou mais de 500 empresas transformadoras da indústria do plástico no Brasil nos últimos 3 anos.

Entre as novidades que foram apresentadas pelo Plano na feira, o destaque ficou por conta da ferramenta “Análises de investimentos”, que foi desenvolvida para ajudar a empresas que estejam planejando realizar algum investimento ou avaliar um projeto como por exemplo adquirir um novo equipamento ou molde. Para tanto, o PICPlast contratou a consultoria Advisia OC&C para desenvolver uma ferramenta que fosse intuitiva e prática e que atendesse a indústria de transformação.

Construído na linguagem Excel, o programa realiza cálculos sofisticados e indica resultados que apontam se os investimentos previstos são realmente vantajosos ou negativos. Disponibilizada gratuitamente para os visitantes da feira, a ferramenta é uma boa solução do ponto de vista financeiro capaz de apontar informações como a taxa de retorno projetada para os investimentos e se é realmente interessante para o empresário tomar crédito para uma expansão que esteja pensando em realizar.

“Com essa nova plataforma, queremos capacitar e profissionalizar as empresas do setor para que elas se tornem mais competitivas no mercado nacional e internacional”, afirma Edison Terra, vice-presidente da Braskem. Já para José Ricardo Roriz Coelho, presidente da ABIPLAST, a ferramenta irá beneficiar empresas que atuam em diversos segmentos. “São investimentos como esse que impactam positivamente o dia a dia da indústria de transformação”, conta.

Também durante a Feiplastic, os visitantes tiveram a oportunidade de conhecer a versão atualizada do programa “Custos e rentabilidade”, que já está disponível para as empresas do mercado de forma gratuita. Desenvolvida para companhias que ainda não possuem sistemas de alta performance, ela funciona como uma plataforma simples e auxilia os transformadores na gestão dos negócios. Nela é possível inserir informações importantes sobre a rotina da companhia e gerar relatórios que apontam para cenários futuros e real capacidade da empresa em atender as demandas dos seus clientes.

Para ter acesso ao material, os visitantes devem se cadastrar previamente no site do PICPlast: http://www.picplast.com.br

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no

Clariant lança o ColorForward® Automotive 2018

17/04/2017

  • A terceira edição inclui amostras de carpete e placas texturizadas
  • As tendências dos consumidores sugerem desapontamento, mas também determinação
  • Tendências de cores personalizadas para designers automotivos

A Clariant, uma das empresas líderes mundiais em especialidades químicas, lançou a Edição Automotiva do ColorForward® 2018. A terceira edição da ferramenta de análise de cores e tendências para designers e profissionais de marketing do setor automotivo inclui um novo formato de protótipo: amostras de carpete e de placas texturizadas.

A ferramenta de análise de tendências e design de cores “ColorForward” da Clariant é publicada anualmente desde 2006 com o objetivo de ajudar designers de produtos plásticos e profissionais de marketing a tomarem decisões sobre cores de maneira mais fundamentada. Ela apresenta quatro tendências sociais globais que provavelmente influenciarão os consumidores e então relaciona cada tendência a cores que provocam uma resposta emocional. Nos últimos três anos, o ColorForward Automotive tem focado as necessidades e interesses desse mercado.

Roberto Romanin, designer gráfico da Clariant ColorWorks®, explica: “Neste ano, reformulamos a apresentação para demonstrar melhor aos designers como as tendências de consumo podem ser traduzidas em cores e como estas podem ser usadas em aplicações automotivas. Das 20 cores que compõem a paleta de 2018, selecionamos aquelas que, segundo a nossa Equipe Automotiva, são as mais adequadas para o setor e as apresentamos em formatos e materiais que simulam as superfícies e texturas comuns no design de veículos”.

Como as cores nem sempre têm a mesma aparência quando são produzidas em materiais diferentes, as cores de 2018 são apresentadas em formatos correlatos aos diferentes componentes automotivos:

  • Grandes placas de plástico, algumas delas texturizadas para simular superfícies internas;
  • Pequenos “carros-conceito” moldados em plástico para ilustrar superfícies curvas;
  • Amostras de tecido em couro (novidade na edição do ano passado) para estofados;
  • Amostras de carpete, uma novidade na edição de 2018.

As amostras de carpete foram desenvolvidas em parceria com a área de negócios Performance Yarn, do Radici Group, em Bérgamo, Itália. Grande produtora de fibras sintéticas, a Radici possui uma moderna máquina de prototipagem que é capaz de criar amostras de carpete em questão de minutos. Ela se mostrou ideal para que fossem experimentadas as diversas combinações de cores e produzidos os protótipos do kit de apresentação do ColorForward Automotive.

Todas as quatro tendências identificadas no ColorForward 2018 refletem um sentimento generalizado de tristeza, medo e desconfiança em relação ao mundo que conhecemos. Essa melancolia reflete-se nas tonalidades esmaecidas e um tanto acinzentadas das cores selecionadas. Ao mesmo tempo, entretanto, há uma certa resolução, uma determinação para resistir e um otimismo cauteloso sobre o fato de que as pessoas podem fazer a diferença e que as coisas vão melhorar com o tempo; por isso muitas das cores são também quentes, orgânicas e repletas de esperança.

Dentre as tendências e as cores de ColorForward 2018 destacam-se:

Newmorrow

O tema da tendência Newmorrow reflete uma espécie de espírito “yin-yang” entre os consumidores. Por um lado, eles acreditam que o “sistema” está corrompido e é incapaz de mudar as condições socioeconômicas que se tornaram intoleráveis. Também há, entretanto, a convicção de que a mudança ainda é possível… Não através do governo, mas por meio dos esforços de pessoas comuns e de pequenos grupos. As pessoas compreendem que essa mudança acontecerá lentamente; por isso é necessário adotar um “pensamento de catedral”. Assim como foi necessário o trabalho de várias gerações para construir as grandes igrejas medievais da Europa, a tarefa de mudar e melhorar um sistema corrupto exige um forte empenho, uma visão de longo prazo e a crença de que o objetivo final será alcançado.

Não é de surpreender, portanto, que a paleta de cores Newmorrow inclua um verde acastanhado chamado Primordial Soup. A cor remete a referências ao esgoto e à morte e, por isso, algumas pessoas já chegaram a se referir a ela como “a cor mais feia do mundo”. No entanto, ela também nos faz lembrar do rico e verdejante substrato biológico que gerou a vida como a conhecemos.

LongitudeLatitudeAttitude

A insatisfação com as formas convencionais de viver também está por trás do tema da tendência LongitudeLatitudeAttitude. Reconhecemos que há um número cada vez maior de seres humanos que estão abrindo mão de ter um endereço fixo. São os “novos nômades”. Muitos deles são artistas, músicos ou empreendedores criativos, mas o que eles realmente têm em comum é o desejo de um estilo de vida errante e minimalista, restringindo suas posses ao que consigam carregar com conveniência. Os cidadãos do Novo Mundo prezam pela flexibilidade de um estilo de vida que reflita sua paixão pela vida em constante movimento e que permita mergulharem em uma fusão de etnias e interesses.

As cores de LongitudeLatitudeAttitude são boêmias. Elas variam de um fúcsia purpúreo, chamado Nomadness, um amarelo quente quase alaranjado, chamado Kaleido tribe, a um azul acinzentado chamado Cirrus aviaticus, uma referência ao rastro de fumaça que os aviões a jato deixam no céus límpidos.

Through the mirror

Em algum lugar do caminho, muitos consumidores começaram a ter sensações desagradáveis relacionadas ao vazio de seus estilos de vida convencionais. Eles sentem que perderam o contato com seu “eu interior” ou, talvez, que nunca tenham prestado atenção ao “eu interior” quando seguem seus caminhos pela vida. O tema da tendência chamada Through the Mirror tenta capturar o sentido de “ennui”, que é o de se estar à deriva no mundo moderno, ao mesmo tempo em que se sabe que um despertar espiritual é possível.

A prática de त्राटक da ioga inspira a cor laranja perolada na paleta Through the Mirror. A pronúncia da frase em sânscrito é “trataka” e significa olhar fixamente para um ponto determinado, a fim de se concentrar na mente interior, apagar a percepção visual e distanciar-se do mundo exterior.

Nerdylicious

Fora do pessimismo que parece estar por trás das tendências descritas acima, surge a história de reconhecimento de um grupo de pessoas há muito tempo estereotipadas como um bando de desajeitados estranhos e excessivamente intelectuais: os “nerds”. O tema da tendência Nerdylicious vê que esses “crânios” são cada vez mais aceitos como inovadores em um mundo complexo, com uma curiosidade permanente e uma paixão por explorar novas ideias e enigmas intrincados.

Embora as cores de Nerdylicious sejam suaves e tênues como a maioria das cores dos outros grupos de tendências, elas também são as mais vivas e otimistas de toda a paleta de 2018. Por exemplo, Lightning Boot é um amarelo transparente, quase alaranjado, que lembra as luzes de LED de um painel de controle, enquanto Alberting out! é um branco ótico levemente sujo, uma homenagem ao maior nerd de todos: Albert Einstein. Lembra um dos jalecos que ficam encardidos após vários dias seguidos de 18 horas de trabalho.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Clariant

Curta nossa página no

Feiplastic 2017 começa na segunda-feira, dia 3 de abril, em São Paulo

31/03/2017

  • Evento vai reunir mais de 1.000 marcas nacionais e internacionais entre os dias 3 e 7 de abril no Expo Center Norte, informam os organizadores
  • Solenidade de abertura, no dia 3, será às 10h30 seguida de palestra com especialista norte-americano convidado pela Harvard Business Review Brasil e pela Reed Exhibitions Alcantara Machado

De 3 a 7 de abril, a FEIPLASTIC – Feira Internacional do Plástico, terá lugar no Expo Center Norte, em São Paulo. A solenidade de abertura será no dia 3, às 10:30 hs, no auditório Feiplastic, com a participação de representantes de diversas entidades apoiadoras como a Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico, Siresp – Sindicato das Indústrias de Resinas Plásticas, Abimei – Associação Brasileira de Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais e Adirplast – Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins, além de representantes do BNDES e do governo do Estado de São Paulo. Em seguida, haverá palestra de abertura do Fórum com o especialista norte-americano George S. Everly, convidado pela Harvard Business Review Brasil (HBR Brasil), na qual abordará o tema “Resiliência e os desafios das organizações diante do inesperado”.

A Feiplastic 2017 é promovida e organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado. Segundo os promotores do evento, a Feiplastic reunirá 1.000 marcas expositoras nacionais e internacionais, com a presença de representantes de empresas e de organizações de mais de 60 países. São 15 países expositores, entre os quais: Áustria, China, EUA, França, Índia, Itália, Portugal, Reino Unido e Suíça, além de visitantes vindos principalmente da Argentina, Chile, Bolívia, Itália, Colômbia, México, Peru, EUA, Paraguai, Portugal, Alemanha e Espanha.

Entre as novidades da Feira deste ano destacam-se a Área de Inovação, espaço que apresenta novos desenvolvimentos tecnológicas de diferentes setores da indústria, com palestras e workshops gratuitos e participação de marcas como Braskem, Dow, Cromex, Hatian e Wortex. Outra novidade será o Fórum FEIPLASTIC, que visa promover o debate sobre as tendências e os desafios do setor, com a participação de líderes da cadeia do plástico, além de especialistas da área de construção civil, industrial e econômica brasileira. O tema central do fórum, que tem entre os parceiros a HBR Brasil, a McKinsey & Company e o The Boston Consulting Group, é “A Importância do Plástico na Sociedade e nas Cadeias Produtivas Brasileiras.”

O público também poderá conferir, ao vivo, operações de reciclagem de materiais plásticos e a transformação do plástico reciclado em novos produtos no espaço da Operação Reciclar.  O propósito dessa operação é incentivar a coleta e reciclagem de materiais plásticos mostrando, na prática, todo o potencial de reciclabilidade e variedade de aplicações da resina plástica em diversos segmentos da indústria, além de mostrar o impacto da reciclagem no desenvolvimento, na economia, na saúde e no bem-estar da população.

Realizada desde 1987 como uma parceria entre a Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico – e a Reed Exhibitions Alcantara Machado como BRASILPLAST, e desde 2013 como FEIPLASTIC, a FEIPLASTIC apresenta novas tecnologias das principais empresas que são referência no setor, em segmentos como plásticos, resinas, máquinas e reciclagem, proporcionando aos seus visitantes interação com as novidades do mercado, além de geração de negócios e networking qualificado.

Serviço
FEIPLASTIC 2017 – Feira Internacional do Plástico
Data: de 3 a 7 de abril de 2017
Horário: das 11h às 20h
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo
http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic; foto: arquivo

Curta nossa página no

Eficiência energética como diferencial competitivo é tema de seminário na Plástico Brasil

11/03/2017

Realizado pela ABIMAQ, encontro acontece no quarto dia feira, 23 de março, e apresenta soluções para um tema essencial à redução dos custos operacionais das indústrias e ao uso racional dos recursos naturais. As inscrições estão abertas

A Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, que acontece de 20 e 24 de março, no São Paulo Expo, vai sediar o Seminário Eficiência Energética como Diferencial Competitivo. Realizado pela ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, o seminário visa apresentar as soluções mais atuais sobre um tema relacionado não só à redução dos custos operacionais das indústrias – essencial em tempos de retração da atividade econômica –, mas também ao uso racional dos recursos naturais.

Especialistas e representantes de grandes empresas vão comentar cases e práticas adotadas em indústrias do setor de plásticos e borracha. As palestras acontecem no dia 23 de março no mezanino do São Paulo Expo, e a inscrições podem ser feitas pelo link http://plasticobrasil.com.br/pt/seminario-eficiencia-energetica. O investimento é de R$ 80 para associados da ABIMAQ, ABIQUIM e VDMA e R$ 120 para demais interessados.

Confira a programação:

Dia 23 de março

  • 14h: Abertura
  • 14h20: Palestra: A Qualidade no Mercado de Eficiência Energética, por Alexandre Sedlacek Moana, Presidente da ABESCO –  Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia
  • 14h45: Palestra: ISO 50001 – A Norma de Gestão de Energia na Indústria de Plásticos, por Edgard Dutra, Diretor Comercial da Metaplan Equipamentos Ltda
  • 15h10: Palestra: Soluções e Cases do Setor Plástico, por Sidnei Amano, Coordenador do CNEE – Centro de Negócios de Eficiência Energética da Weg Equipamentos Elétricos S/A – Região Sudeste
  • 15h35: Palestra: Eficiência Energética na Produção de Plásticos, por Cristiano dos Santos Gonçalves, Diretor Industrial da Schneider Electric Brasil Ltda
  • 16h: Palestra: Benefícios da Cogeração nas Indústrias de Borracha, por Oliver Jones, Engenheiro Novos Produtos da Ecogen Brasil Soluções Energéticas S.A.
  • 16h25: Perguntas dos participantes
  • 16h45: Encerramento

A Feira Plástico Brasil é uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e da ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química, com organização e promoção da Informa Exhibitions, a Plástico Brasil será palco de avanços tecnológicos e tendências globais dos  segmentos que compõem a cadeia produtiva do plástico: instrumentação, controle e automação, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, produtos básicos e matérias-primas, reciclagem, resinas sintéticas, serviços e projetos técnicos e outros. O evento vai receber uma visitação de transformadores e profissionais da indústria do plástico, que atendem e atuam em diversos segmentos, como construção civil, automóveis e autopeças, agricultura, móveis, eletrônicos, instrumentos médicos, vestuário e calçados e eletrodomésticos, entre outros.

Serviço: PLÁSTICO BRASIL – Feira Internacional do Plástico e da Borracha
Data: 20 a 24 de março de 2017
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Realização: ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química.
Promoção e organização: Informa Exhibitions
Patrocínio Oficial: Romi

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil

Curta nossa página no

Cromex apresentará novidades em masterbatches na Feiplastic 2017

10/03/2017

A empresa  vai levar ao evento os últimos lançamentos em de cores e aditivos para plástico

Entre os dias 03 e 07 de abril, a Cromex participará da Feiplastic – Feira Internacional da Indústria de Plástico, palco da apresentação de tendências e lançamentos no setor de plásticos. A empresa levará aos visitantes soluções em concentrados de cores e aditivos para os mais variados segmentos do mercado.

Durante o evento, a Cromex vai expor toda a sua gama de soluções – produtos e serviços, num espaço de 232 m2 – para a indústria de transformação de plásticos. A equipe de profissionais da empresa estará à disposição do público visitante para detalhar os produtos e serviços em um stand interativo e mais aberto para que as pessoas circulem pelo local e conheçam toda o portfolio da empresa, com a orientação de especialistas.

Lançamentos em destaque

A Cromex irá apresentar novidades no evento, como o seu novo portfólio de produtos para os mercados de Fios e Cabos, Agribusiness e PET. Em destaque, estarão os últimos lançamentos da empresa, como o aditivo antimicrobiano, que, segundo à Cromex, confere aos plásticos ação bactericida (elimina as bactérias e impede sua proliferação) e pode ser usado em vários polímeros, tais como PE, PP, PS, ABS e PET, em todos os processos de transformação.

Outro lançamento é o masterbatch preto – Superblack®, com mais negro de fumo. A empresa afirma que o produto possui poder de cobertura e dispersão, sendo adequado para aplicação em diferentes formulações plásticas, sem perder as características e estética do produto final. Também estarão em exposição a linha de concentrados brancos para o mercados de descartáveis, além dos coloridos e aditivos para marcadores a laser,  embalagens rígidas, flexíveis, construção civil e  reciclados.

Sustentabilidade

A Cromex afirma que todos os seus concentrados coloridos são isentos de metais pesados, em linha com a sua preocupação com o meio ambiente e saúde. A empresa desenvolve em seus laboratórios produtos que atendem a diversas regulamentações e, ao mesmo tempo, mantêm seu padrão colorífico.  O masterbatch isento de metais pesados preserva o meio ambiente no momento do seu descarte em função de não possuir substâncias consideradas perigosas e não contaminar solo ou água com metais pesados.

A Cromex atua na produção de masterbatches de cores e aditivos para plásticos e está há mais de 40 anos no mercado, possuindo atualmente capacidade produtiva de 132 mil toneladas anuais. Em suas duas fábricas, uma na cidade de São Paulo e outra em Simões Filho (BA), a empresa gera mais de 500 empregos diretos e conta com certificações ISO 9001, 14001 e OHSAS 18001, além de obedecer a normativas internacionais como REACH, FDA entre outras.. Seu portfólio conta com mais de 13 mil cores e aditivos, desenvolvidos em laboratórios próprios, para atender a 18 segmentos diferentes no setor de transformados plásticos, como brinquedos, embalagens e tampas para diversos segmentos (alimentos, bebidas, cosméticos, higiene pessoal, limpeza, construção civil, automotivo e agrobusiness).

Fonte: Cromex

Curta nossa página no

O valor das empresas no Brasil

06/03/2017

Por José Ricardo Roriz Coelho (Presidente da Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico)*

Hoje o maior sonho de boa parte dos empresários brasileiros é vender sua empresa.

Com o negócio, vão-se as dores de cabeça: sucessivos litígios trabalhistas, licenças que levam anos para sair em definitivo, crédito escasso, juros altos, tributos sobre tributos e tantos outros inconvenientes que prejudicam o dia a dia do empreendedor no país.

O diagnóstico é aterrorizante, mas é a realidade que vivemos. Precisamos urgentemente resgatar o valor que as empresas têm para o país. Elas são o maior vetor para o crescimento de investimento, emprego e capacitação profissional, pesquisa e inovação.

Não estão incluídas aqui companhias que não têm em seu DNA a busca incessante por excelência em gestão, rigorosos padrões éticos e de compliance.

Uma empresa deve ter o foco em inovação e no desenvolvimento de produtos. Precisa encantar seus clientes -e não desperdiçar suas energias em vencer a burocracia, enfrentar a insegurança jurídica e honrar as sufocantes e desproporcionais despesas financeiras, como acontece hoje no Brasil.

No final do ano passado, o governo federal lançou um minipacote de reformas para reaquecer a economia, centrado no crescimento, na produtividade e na desburocratização. A iniciativa é salutar. Agora em março se encerram os primeiros prazos para a implantação do programa.

O cenário ainda é preocupante. O ano passado terminou com um expressivo aumento no número de pedidos de recuperação judicial – incríveis 44,8% em relação a 2015. Há que se somar a isso o elevado endividamento das empresas, a dificuldade de acesso ao crédito e a baixa perspectiva de crescimento econômico para este ano.

A atividade industrial é fundamental para o país voltar a crescer. Um ambiente de negócios mais favorável proporciona a retomada da indústria e abre oportunidades de desenvolvimento de atividades empreendedoras de alto valor agregado.

Todos os setores são importantes, mas com as dificuldades apresentadas tem perdido espaço a indústria de transformação, que é justamente a área com maior capacidade de alavancar a economia.

A indústria de transformação é também a que mais inova, com maior capacidade de desenvolvimento tecnológico. É responsável por cerca de 30% do total do investimento produtivo privado (excluído setor público e famílias) e por aproximadamente 25% das vagas de emprego acima de cinco salários mínimos, além de representar perto de 30% da arrecadação tributária nacional, a despeito de corresponder por apenas 11,8% do PIB em 2015.

Se por um lado o governo está atuando para melhorar a manutenção de empresas no país, por outro tem realizado ações que reforçam a percepção de que o setor industrial deve perder ainda mais espaço.

Houve um claro direcionamento de menor atuação do BNDES no crédito de longo prazo e enfraquecimento do conteúdo local.

Com desburocratização e incentivos à produtividade e ao crescimento, conseguiremos resgatar a capacidade das empresas. Negócios que estão em dificuldade não investem, não contratam, não inovam. Quando quebram, geram desemprego, débitos com fornecedores, clientes e com o fisco.

Acabam destruindo elos importantes da cadeia produtiva e jogam fora décadas de conhecimento desenvolvido e talentos tão necessários ao país.

A principal tarefa do governo neste momento deve ser ajudar a resgatar a força das empresas para que elas fomentem investimentos e novos negócios. Caso contrário, permaneceremos estagnados, vendo nossa competitividade se distanciar cada vez mais dos países que concorrem conosco.

*Artigo publicado na Folha de S.Paulo;

Foto: arquivo

Curta nossa página no

Abiplast prevê que o faturamento e a produção da indústria do plástico devem aumentar em 2017

13/02/2017

Estima-se que o faturamento do setor em 2017 chegue à casa de R$ 55,8 bilhões, ou seja, um aumento de 1% frente a 2016, quando o valor foi de 55,3 bilhões

roriz_1De acordo com balanço econômico produzido pela Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST), estima-se que o faturamento do setor em 2017 chegue à casa de R$ 55,8 bilhões, ou seja, um aumento de 1% em relação a 2016, quando o valor foi de 55,3 bilhões. Este montante significou queda de 11,1% na comparação com 2015. “Mesmo que em um nível ainda pequeno, é importante a expectativa de retomada do crescimento este ano”, salienta José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Abiplast (foto), acrescentando: “Os dados indicam que o pior já passou”.

A projeção para 2017 é de que a produção física de produtos plásticos também apresente resultado positivo, com aumento de 1,24% ante 2016, alcançando a casa dos 6,32 milhões de toneladas. Estima-se, também, que, em 2017, o consumo aparente de transformados plásticos (resultado da soma da produção com importações, menos exportações) cresça 1,8, atingindo 6,68 milhões de toneladas.

Ainda de acordo com o balanço da entidade, os setores demandantes do plástico também vêm apresentando expectativas mais positivas para 2017. A indústria de alimentação deverá avançar 1,5%; 67% dos fabricantes de eletroeletrônicos projetam crescimento para 2017; o agronegócio brasileiro será melhor do que a média mundial para produtos como soja, milho, açúcar e carnes (bovina, suína e frango) e o setor de construção espera o início de uma recuperação para este ano, avalia a Abiplast.

No que diz respeito à mão de obra empregada, mesmo com um avanço econômico, a Abiplast estima que haja uma retração de 1,8% em relação ao ano anterior. A entidade prevê em 2017 o fechamento de seis mil postos de trabalho.

“É premente que, além de melhores estimativas, o ano de 2017 tenha um cenário político menos conturbado e que sejam realizadas as reformas estruturais, que darão mais segurança jurídica e competitividade à nossa indústria. Mais rapidez no recuo da taxa de juros, para incentivar o investimento, reformas que modernizem e tragam maior segurança jurídica às relações do trabalho e uma reformulação para simplificar o complexo e custoso sistema tributário brasileiro são temas fundamentais para que nossa indústria volte a produzir mais e empregar” –  afirma Roriz.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abiplast

Curta nossa página no

Tigre encerrará atividades da fábrica de Camaçari em fevereiro de 2017

08/12/2016

tigre-camacari

A empresa de tubos e conexões Tigre anunciou no dia 28/11 o encerramento da operação na unidade de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (BA). A fábrica deve encerrar as atividades em fevereiro de 2017, extinguindo 261 vagas diretas e 900 terceirizadas. Em nota divulgada à imprensa, a empresa afirma que a decisão foi tomada “após extensa análise de alternativas para garantir a competitividade das operações da companhia no País e assegurar a produtividade fabril com o melhor aproveitamento da capacidade das demais unidades existentes no Brasil”, garantindo a competitividade da empresa em todo país.

A Tigre ressaltou que os seus clientes continuarão a ser atendidos por outras unidades do Grupo e que a empresa “vem adotando medidas que assegurem a sustentabilidade e a perenidade do negócio”.

Entre as medidas adotadas para “minimizar os impactos” das demissões dos 261 funcionários, a empresa cita a criação de um núcleo de apoio com foco no auxílio aos funcionários no retorno ao mercado de trabalho, capacitação e qualificação profissional; priorização dos profissionais de Camaçari em vagas de trabalho em outras unidades da Tigre e parceria com instituições de apoio técnico e financeiros para empreendedores.

A unidade de Camaçari é a fábrica responsável pela produção de tubos de PVC que abastece, principalmente, o mercado nordestino.

A medida tem gerado protestos desde a sua divulgação. Neste dia 08/12, funcionários da Tigre realizaram um novo protesto contra o fechamento da unidade.

Fonte: Nota da Tigre

Curta nossa página no

Associação italiana Assocomaplast assina protocolo OCS para redução de perdas acidentais de pellets de plástico

16/11/2016

Durante a feira K 2016 em Düsseldorf (19-26 de outubro de 2016), a ASSOCOMAPLAST (Associação Italiana dos Fabricantes de Máquinas para Processamento de Plásticos e Borracha) juntou-se à Operação Clean Sweep (OCS), um programa de proteção ambiental voltado para a indústria de plásticos criado pela associação americana SPI (Society for the Plastics Industry) e o American Chemistry Council. A OCS estabelece diretrizes para reduzir a perda acidental de pellets de plástico, pós e flocos gerados durante a produção de artigos de plástico.

É bem sabido que as embalagens de plástico descartadas (tampas, garrafas e vários frascos) freqüentemente acabam poluindo mares e oceanos. Isto pode ser atribuído principalmente aos “maus hábitos” dos consumidores, que muitas vezes não estão suficientemente comprometidos com a reciclagem.

Contudo, uma outra parte menor do problema é devida à liberação para o ambiente de grânulos de plástico do processo de produção, que também terminam se incorporando à corrente de resíduos. E é por isso que a indústria de plásticos está sendo chamada a tomar medidas para limitar, ou mesmo impedir totalmente essa perda de material, usando procedimentos codificados.

O programa Operation Clean Sweep apela à sensibilidade dos produtores de polímeros, transportadores, instalações de armazenamento e empresas de processamento para adotar um número de “melhores práticas” (frequentemente exigindo muito pouco esforço), cada uma em sua própria área de operações.

A indústria de fabricação de máquinas também está implicada, embora apenas marginalmente, uma vez que alguma quantidade mínima de grânulos pode ser perdida durante o teste de máquinas e certificação.

Naturalmente, além dos benefícios ambientais, as empresas também ganham inegáveis vantagens econômicas ao reduzir o desperdício de materiais.

Muitas empresas já aderiram ao protocolo OCS, o que requer a implementação dos seguintes passos:

1) Comprometer-se a tornar prioridade a “perda zero de pellets”, assinando uma compromisso escrito formal.

2) Avaliar a situação e necessidades da empresa (em conformidade com a legislação aplicável): auditoria das instalações e equipamentos operacionais, estabelecimento de procedimentos obrigatórios para os funcionários, identificação de áreas problemáticas, compartilhamento de experiências.

3) Atualizações adequadas nas instalações e equipamentos.

4) Aumentar a conscientização dos funcionários e criar responsabilidade: estabelecer procedimentos escritos para os funcionários, realizar treinamentos regulares, atribuir responsabilidades aos funcionários e solicitar feedback sobre o programa, usar lembretes no local de trabalho, como sinais, adesivos, cartazes etc.

5) Procedimentos de acompanhamento e reforço: inspeções de rotina das instalações; Compartilhamento de melhores práticas através do site da OSC.

Ao assinar o protocolo, a ASSOCOMAPLAST demonstrou o seu empenho em promover a iniciativa em Itália.

Para mais informações: http://www.opcleansweep.org.

Fonte: Assocomaplast

Curta nossa página no

K 2016: Sepro promete um futuro aberto e apresenta novos robôs – grandes e pequenos

05/11/2016

sepro_k2016

O Grupo Sepro está expandindo ambas as extremidades da sua gama de robôs para moldagem por injeção. Durante a K 2016, realizada em Dusseldorf de 19 a 26 de outubro, a empresa apresentou dois de seus maiores robôs já fabricados, assim também como um dos seus menores. Ao mesmo tempo, dez fabricantes de máquinas injetoras de sete diferentes países também operaram robôs Sepro durante a feira,  levando para 24 o número total de unidades Sepro em atividade durante o evento.

O número total de robôs, a ampla gama de tamanhos e configurações, a inovação contínua em automação e controle, juntamente com uma crescente lista de parceiros de marketing e tecnologia, sustentam o novo slogan da empresa: “O seu futuro está aberto.”

“A feira K sempre nos dá uma visão sobre o futuro do processamento de plásticos,” observou Jean-Michel Renaudeau, CEO do SeproGroup. “Em 2016, esse futuro é o da abertura e conectividade. É um futuro em que as empresas colaboram para oferecer mais opções para seus clientes e onde os seres humanos e máquinas se comunicam mais facilmente para aumentar a qualidade e a produtividade. Quer você os chame de “Fábrica do Futuro” ou “Indústria 4.0”, estes desenvolvimentos tecnológicos apresentam novas oportunidades de sucesso para os transformadores por injeção. É por isso que, para a K 2016 e além, a Sepro está dizendo e demonstrando que “Seu futuro está muito aberto.”

“Be Connected 4.0”

Uma característica central do stand da Sepro foi a mostra especial “Be Connected 4.0” (Esteja Conectado 4.0, em português) exibindo a família Visual de controles proprietários, desenvolvidos pela Sepro especialmente para moldagem por injeção. Aqui, os visitantes puderam interagir com as máquinas e experimentar por eles mesmo quão fácil e intuitivo é programar mesmo sequências de robôs mais complexas. Eles puderam aprender sobre os três diferentes níveis de integração de controle que a Sepro desenvolveu, em colaboração com seus parceiros fabricantes de máquinas injetoras. Finalmente, eles puderam ver a Indústria 4.0 em ação em uma máquina injetora Sumitomo Demag, que tem o controle Visual para um robô de braço articulado 6X-60 integrado no controle da máquina. A máquina estava moldando cilindros de seringas.

Novos Robôs Grandes

Dominando as mostras da Sepro ao ocupar quase um terço do stand de 300m2, estavam dois dos maiores robôs que a empresa já construiu. Na verdade, acredita-se que o novo robô de 5 eixos de feixe cartesiano 7X-100XL, juntamente com o novo 6X-400, um robô de 6 eixos de braço articulado, foram os maiores robôs em operação durante a feira K 2016.

O feixe horizontal no robô 7X-100XL corresponde a impressionantes 5 m. em comprimento, mas isso é apenas metade do comprimento máximo disponível. O curso telescópico vertical é 3,2 m. e a carga máxima é 100 kg. O robô de 6 eixos de braço articulado 6X-400,  produto de uma recente parceria de fabricação com a Yaskawa Motoman, tem um alcance de 4 m. e pode transportar uma carga máxima de 120 kg.

A maioria dos robôs grandes encontram aplicações na indústria automobilística; por isso foi apropriado que estes dois gigantes da Sepro estivessem demonstrando a manipulação de um pára-choque de um carro Mercedes Benz C-Class e de um painel de instrumentos para um Citroen DS. As avançadas articulações  servo-acionadas em ambos os robôs tornam possível completar movimentos complexos de extração de peças e / ou operações secundárias pré e pós-moldagem,  incluindo colocação de insertos, montagem, paletização simples ou complexa e outras operações.

O 7X-100XL completa a linha Sepro de robôs de feixe de 5 eixos (gamas 5x e 7x), que agora inclui 6 modelos que podem automatizar máquinas injetoras de 20 a 5.000 toneladas. O robô Sepro Yaskawa 6X-400 de 6 eixos é o maior dos quatro modelos introduzidos recentemente para servir máquinas injetoras de 800 a 5.000 toneladas. Quatro unidades menores de 6 eixos, desenvolvidas em parceria com a Staübli Robotics, foram introduzidos há vários anos para equipar máquinas injetoras de até 800 toneladas de força de fechamento.

Novos Robôs Pequenos

A Sepro também está introduzindo novos robôs pequenos, incluindo o saca-canais S5 Picker servo-acionado. Com base na mesma concepção mecânica básica que a gama Sepro Sucess de robôs econômicos de uso geral, o S5 Picker tem o mesmo design linear de 3 eixos com servo-acionamento em todos os eixos.

Ele vem por padrão com um pinça simples para sacar o canal da bucha, porém pode ser fornecido opcionalmente com uma rotação R1 simples na articulação e pode ser equipado com uma garra simples no final do braço. O saca-canais de ciclo rápido opera totalmente no interior da máquina injetora e inclui uma calha de descarga e proteção.

Para ilustrar a abrangência do portfolio de produtos da Sepro, o saca-canais S5 operou na K 2016 juntamente com vários outros robôs Sepro, manuseando capas de iPad. Esta célula de demonstração incluiu robôs dos tipos:

  • Success 22… robôs de uso geral de tamanho médio para injetoras entre 150e 500 toneladas
  • 5X-25… representando os modelos menores da linha de robô de 5 eixos da Sepro
  • Saca-canais S3 numérico… com braço horizontal que gira até 100° desde a linha de centro da máquina para descarga de canais da bucha ou peças pequenas ao lado da placa fixa

Fonte: Sepro

Curta nossa página no

K 2016 Düsseldorf – A maior plataforma global para as indústrias de plásticos e borracha começa em duas semanas

05/10/2016

Cerca de 3.100 empresas das indústrias de plásticos e borracha estarão novamente apresentando produtos, processos e soluções práticas que estabelecerão a tendência do setor nos próximos anos

Crescimento demográfico, urbanização, consumo de energia em ascensão, redução de recursos e mudanças climáticas – há uma série de desafios para dominar. A situação mundial pede mentes criativas, tecnologia inovadora e materiais de alto desempenho. De 19 a 26 de outubro, a indústria internacional de plásticos e borracha estará reunida na feira K2016, em Düsseldorf (Alemanha), apresentando as suas soluções. Na qualidade de feira âncora mundial para o segmento e para aplicações industriais, a K2016 une as tendências centrais da indústria e tendências para o futuro em um único local. É consenso no setor que a feira K é a plataforma de negócios e inovações não só para os produtores de matérias-primas, fabricantes de máquinas para plásticos e borracha e transformadores, mas também para clientes das indústrias-chave que usam peças e produtos de plásticos e borracha.

A disponibilidade de espaço de exposição na K 2016 se esgotou há muitos meses. Em torno de 3.100 expositores de quase 60 países estarão participando do evento e mostrando os seus produtos e serviços em mais de 170.000 metros quadrados de espaço de exposição. Werner M. Dornscheidt, Presidente e CEO da Messe Düsseldorf, não tem dúvidas: “Em nenhum lugar do mundo se pode ter acesso a uma gama tão completa de matérias-primas, processos e equipamentos quanto na K, em Düsseldorf. Esta é a principal plataforma global para a indústria de plásticos e borracha e cada empresa tem como objetivo apresentar-se aqui com inovações voltadas para o futuro. Outra característica única é a alta internacionalização de expositores e visitantes. Isso garante, em primeiro lugar, que os visitantes do setor podem esperar uma oferta de padrão mundial de mercado. E, em segundo lugar, os expositores aqui têm acesso a especialistas da indústria de mais de 100 países e se reúnem com clientes que eles não iriam se encontrar de outram maneira”.

Mais uma vez, o contingente mais forte de expositores vem da Europa, especialmente da Alemanha, Itália, Áustria, Suíça, França e Turquia, mas há também um número impressionante de participantes provenientes dos EUA. Ao mesmo tempo, a feira K é uma clara indicadora de mudanças no mercado global: ao longo dos últimos anos, o número de empresas asiáticas e o espaço de exposição reservado por eles tem aumentado de forma consistente. Este ano, particularmente, a China, Taiwan, Índia, Japão e Coreia do Sul estarão impressionando os visitantes com a sua forte presença. Em virtude da K receber empresas altamente diversificadas de todo o mundo, o foco não é colocado apenas nos principais pontos de discussão da indústria – como a eficiência no uso de energia, recursos e materiais -, mas também em segmentos de nicho.

Como sempre, a K 2016 irá ocupar todo o espaço de exposição da Messe Düsseldorf, com produtos e serviços em exposição em todos os 19 pavilhões do recinto. As áreas de negócio centrais da indústria (a seguir) foram agrupados convenientemente nos vários pavilhões:

  • máquinas e equipamentos,
  • matérias-primas e produtos auxiliares,
  • produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados e
  • Serviços

Máquinas e equipamentos – estréias mundiais

Neste ano, os fabricantes internacionais de máquinas e equipamentos, que constituem o maior grupo de expositores da feira K, vão apresentar uma abundância de estreias mundiais. Ocupando cerca de dois terços do recinto de exposições, os expositores deste grupo particular estarão mostrando seus produtos nos pavilhões de 1 a 4 e de 9 a 17. Engenheiros e fabricantes de máquinas de todo o mundo estão trabalhando a todo vapor para poder apresentar demonstrações ao vivo de novas unidades complexas de produção em outubro. A K 2016 oferece uma oportunidade única para atrair a atenção mundial para inovações, já que nenhum outro evento no mundo todo atrai tal audiência internacional especializada. Ulrich Reifenhäuser, Chairman do Conselho de Expositores da K 2016, está muito confiante de que a feira vai dar um grande impulso à indústria. “Uma abundância de inovações que prometem benefícios genuínos para os clientes já foram anunciados nos preparativos para a feira. Estou particularmente animado com as novidades que podemos esperar em relação à Indústria 4.0. A possibilidade de prover suporte à produção com a digitalização e a interligação de máquinas no processo de produção oferece aos transformadores de plásticos novas oportunidades para acelerar a partida da produção e para tornar a produção mais flexível, bem como para incrementar a garantia de qualidade e manutenção. Estou certo de que haverá muito interesse nesta área na K 2016. “

Matérias – primas e materiais auxiliares – materiais do futuro

Especialistas em matérias-primas e materiais auxiliares estarão apresentando a vanguarda da ciência de polímeros: materiais com uma eficiência de recursos superior e que ajudam a alcançar um melhor equilíbrio entre o desempenho econômico e ecológico. Além da otimização dos polímeros convencionais, os principais tópicos deste ano vão se centrar em aditivos, cargas, biopolímeros e polímeros funcionais, bem como em polímeros de auto-reforçados.

Produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados- um mercado em crescimento

Esta indústria é conhecida pela sua forte capacidade de inovação e uma ampla diversidade de produtos. Há uma ênfase maior do que nunca em produtos eficientes em termos de consumo de energia e recursos, à medida que eles são capazes de satisfazer os requisitos mais exigentes. Fornecedores de matérias-primas, produtos semi-acabados e peças técnicas estarão expondo nos pavilhões de 5 a 8-B.

Sentindo o pulso do avanço da tecnologia

A K 2016 representa a cadeia de valor completa da indústria em uma amplitude e profundidade sem paralelos. A borracha também desempenha um papel importante aqui. Embora seja pequena em comparação com a indústria de plásticos, o segmento da borracha é de grande importância para as indústrias-chave de usuários, além de ser altamente inovadora. A “Rubber Road” (Estrada da Borracha) no Pavilhão 6 é um elemento permanente na feira K. 12 empresas vão participar dessa “vitrine” do setor de borracha. Para todos os visitantes interessados em tecnologia de elastômeros, haverá novamente um Guia para o setor na K 2016 intitulado “Rubber & TPE Pocket Guide (Guia de bolso da K 2016 para Borracha e TPE).

A feira K sempre teve o seu dedo no pulso do desenvolvimento tecnológico. Isto é confirmado não só pelas apresentações em stands de expositores, mas também pelo programa de apoio, o qual proporciona um valor agregado real para os visitantes. A mostra especial “The Science Campus” (Campus da Ciência), os “Bioplastics Business Breakfasts” (Cafés da Manhã de negócios sobre Bioplásticos), a “Design Chain Conference” (Conferência da Cadeia de Design), a “3Dfab+print” e a “Plastics Training Initiative” (iniciativa de treinamento em plásticos) focalizam-se em aspectos específicos e tópicos relacionadas com a indústria: a oportunidade perfeita para reunir informações estratégicas.

Mostra especial “Plastics shape the future”

A mostra especial “Plastics shape the future” (Os Plásticos moldam o futuro) vai destacar como os materiais poliméricos moldaram o nosso mundo moderno não apenas funcionalmente, mas também em termos de estética e sustentabilidade. Este evento trata de questões ligadas ao desempenho econômico e ambiental e também focaliza o problema do lixo marinho.

Apresentações e um design inovador do stand serão características proeminentes da mostra – a qual ocorrerá no Pavilhão 6 e compreenderá apresentações de pessoas de destaque na indústria, palestras introdutórias, eventos e painél de discussão. Durante toda a feira, estudantes de todos os níveis também serão bem-vindos para expressar as suas idéias sobre a “moldagem do futuro”. A mostra “Plastics shape the future” terá dias temáticos pela primeira vez, ou seja, a cada dia será atribuído um determinado tema, oferecendo uma variedade de palestras e uma rodada central de discussões sobre o tema em questão:

  • Quarta-feira, 19.10. Indústria de Plásticos 4.0
  • Quinta-feira, 20.10. Novos Materiais
  • Sexta-feira, 21.10. Construção leve
  • Sábado, 22.10. Lixo Marinho
  • Domingo, 23h10. Jovens e treinamento
  • Segunda-feira, 24.10. Plástico se reúne com o Design
  • Terça-feira, 25.10. Eficiência de recursos

Essa mostra especial, um projeto da indústria de plásticos alemã encabeçada pela PlasticsEuropeDeutschland e.V. e Messe Düsseldorf, estará enriquecendo a oferta de exposição da feira K pela nona vez seguida.

“Science Campus”: o diálogo entre a ciência e as empresas

O Science Campus (Campus da Ciência), um fórum onde as empresas e as universidades podem trocar informações, também fornece aos expositores e visitantes da K2016 uma visão abrangente das atividades científicas e descobertas em pesquisas sobre plásticos e borracha. Desde o seu lançamento em 2013, o Science Campus cresceu em tamanho e registrou um número crescente de universidades participantes, institutos e agências de financiamento. No coração do próximo Science Campus estarão quatro tópicos centrais que deverão afetar dramaticamente o desenvolvimento dos mercados da indústria para os próximos anos. Esses tópicos são:

  • eficiência de recursos
  • digitalização da cadeia de valor / Indústria 4.0
  • novos materiais, e
  • construção leve

A esses quatro tópicos acima, acrescenta-se também a educação científica. Cientistas do “K 2016 Innovation Circle” (Círculo de Inovação da K 2016) e as equipes dos seus institutos irão preparar e apresentar informações sobre os tópicos centrais. Além do Science Campus, esses tópicos também serão refletido em outros lugares na feira como nas demonstrações nos stands dos expositores, na mostra especial “Plastics shape the future” e no Innovation Compass (Bússola da Inovação).

3D fab + print

Poucas tecnologias estão dando origem a tanta discussão quanto a impressão 3D. Em todo o mundo, métodos de fabricação aditiva estão inspirando usuários na indústria de design e embalagens, engenharia automotiva e aeroespacial, tecnológica médica e dentária e fabricação de máquinas e plantas. Naturalmente, a K 2016 também estará lançando luz sobre esta tecnologia especial. Três anos atrás, a Messe Düsseldorf lançou a marca 3D fab + print, a fim de destacar este assunto importante – não só na feira K, mas também em outras feiras, como por exemplo, na drupa (do setor de impressão e mídias cruzadas); na MEDICA – Feira Mundial de Medicina; e na COMPAMED – Soluções de alta tecnologia para a tecnologia médica. Em cooperação com a KCI Publishing BV, o portal http://www.3dfabprint.com apresenta tecnologias estado-da-arte, bem como visões e melhores práticas. Na K 2016, todos os expositores que mostrarem soluções para o segmento de fabricação aditiva serão apresentados em um caderno especial.

Bioplásticos: potenciais e oportunidades

Ao longo dos últimos anos, os bioplásticos vem atraindo uma imensa atenção como um complemento e uma alternativa aos plásticos convencionais. Olhando para o futuro, a indústria está atualmente debatendo os prós e contras, o papel futuro e o mercado potenciplásticos – tanto os de base biológica como os plásticos biodegradáveis. Qualquer pessoa que queira saber mais sobre as potencialidades e possibilidades dos bioplásticos terá muitas oportunidades para fazê-lo nos stands de expositores da K 2016. Além disso, a revista “bioplastics Magazine”, em cooperação com a Messe Düsseldorf, estará organizando três eventos sobre esse tema específico: todas as manhãs, de 20 a 22 de outubro, as informações mais recentes serão apresentadas no evento “Bioplastics Business Breakfasts”, onde os participantes também poderão compartilhar suas experiências no assunto.

Design Chain Conference

Lançado na K 2013, a “Design Chain Conference” (Conferência da cadeia de Design) teve um feedback muito positivo. Desta vez, a Design Chain@K conference, organizada pela Crain Communications, voltará a fornecer informações sobre aspectos práticos e técnicos das inovações na cadeia de design. O evento dá aos designers e produtores de materiais uma oportunidade para mostrar como os polímeros são utilizados em diferentes aplicações de produtos. O programa inclui exemplos das indústrias automotiva, médica, eletrônicos de consumo e de embalagem.

Avaliação dos visitantes

A importância da K para a indústria é demonstrada não só pelo número de expositores e a qualidade da oferta, mas também e especialmente pelos visitantes profissionais. Em outubro de 2013, um total de 218.000 visitantes de mais de 100 países vieram a Düsseldorf. Os organizadores da K 2016 esperam um número semelhante este ano. Mais de metade (59 por cento) vieram do exterior, sendo que os maiores grupos de visitantes internacionais vieram da Holanda, Índia, França, Bélgica, EUA, Itália e Reino Unido. O veredito dos especialistas foi claro: mais de 90 por cento deles ficaram muito impressionados com a abundância de informações, inovações e soluções técnicas. Os visitantes deram altas notas de avaliação para a densidade de produtos inovadores e a presença de líderes de mercado. E isso se aplica não só para os fabricantes de produtos de plástico e borracha. A K é bem conhecida e apreciada entre os compradores finais das várias indústrias usuárias finais de plásticos e borracha, as quais consideram o evento como uma importante fonte de novas ideias para o seu setor e os seus produtos.

Serviços on-line inteligentes

O portal web http://www.k-online.com, em particular, estará mantendo todos os visitantes e expositores autalizados antes, durante e depois da feira. Os expositores da K 2016 estão apresentando as suas empresas e portfolio de produtos no banco de dados de expositores. Este serviço. Este serviço fornece aos visitantes uma ferramenta valiosa para a busca de empresas, produtos e informações.

Dispondo de serviços personalizados, tais como “MyOrganizer” e “MyCalendar” para o agendamento de reuniões e compromissos e MyCatalogue para a compilação de catálogo individual da feira, o portal da K ajuda os visitantes a se prepararem para a feira.

Muito conveniente também é a oportunidade que os visitantes tem para comprar os seus tickets online, baixar os códigos associados ou imprimi-los em casa. O principal benefício do eTickets é que eles custam menos. Tickets para um dia estarão disponíveis on-line por 49 euros, em comparação com 65 euros na bilheteria da feira. Tickets para três dias custam 108 euros online e 135 euros na bilheteria da feira. Para deslocamento até o centro de exposições, o ticket on-line também servem como um bilhete para o transporte público local.

Com o aplicativo K app, os visitantes em deslocamento também têm acesso a informações importantes.

Olhando para o futuro – a partir de 19 de outubro de 2016

Com a maior densidade de informações no mundo, a K é uma plataforma de negócios e informações que olha para o futuro. As empresas e os especialistas do segmento de Pesquisa e Desenvolvimento estão trabalhando lado a lado para fornecer aps visitantes uma visão sobre as perspectivas e cenários que irão moldar o futuro da indústria de plásticos e borracha. Tudo isso espera por você a partir de 19 de Outubro.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

PICPLAST e Fundação Dom Cabral finalizam capacitação empresarial para empresários da indústria do plástico

10/07/2016

Ao todo, representantes de mais de 30 empresas acompanharam palestras sobre temas fundamentais para o aprimoramento da gestão de suas empresas

PicplastO PICPlast finalizou no mês de maio os dois últimos módulos do programa de capacitação destinado à empresários da indústria da transformação plástica brasileira. Os trabalhos se iniciaram em março e contaram com a participação de mais de 30 empresas, que puderam acompanhar palestras  sobre estratégia e competitividade empresarial, governança e sucessão, liderança e gestão de processos, custos e finanças e inovação. Todos os trabalhos contaram foram conduzidos pela Fundação Dom Cabral,  em sua sede,  em São Paulo.

No penúltimo módulo, realizado no dia 10/05, os temas discutidos foram custos e finanças. Na oportunidade, os alunos tiveram acesso aos principais indicadores e métricas que impactam diretamente no resultado do negócio e as formas de gerenciá-lo de maneira eficaz para evitar perdas.

Já no último módulo, sobre inovação, dia 11/05, os empresários foram capacitados para compreender o modelo de inovação, criado pela própria Fundação Dom Cabral, e como ele pode ser implementado a partir de um estilo de gestão participativo em todos os processos da companhia. Ao final da capacitação, todos os representantes das empresas que participaram dos seis módulos receberam certificado de conclusão.

Uma das empresas participantes foi a distribuidora Mais Polímeros, que esteve representada por seu gerente comercial, Aparecido Camacho. “Tirar os executivos da empresa para levá-lo à reflexão é uma tarefa complicada, mas executada com maestria pelo PICPlast e a FDC. Dar um tempo e se reunir com outros empresários para falar de estratégia é fundamental para definir objetivos, pensar em novos projetos e trocar experiências”, afirma Camacho.

Outra empresa que esteve presente nas capacitações foi a Pisani, fabricante de embalagens plásticas para as indústrias de bebidas e alimentos. Na ocasião, a empresa esteve representada por Paulo Weber, diretor geral da companhia, que é sediada em Caxias do Sul. De acordo com o executivo, as matérias apresentadas nos dois módulos atendem às necessidades de todas as empresas. “O PICPlast está de parabéns. Os temas discutidos nos dois módulos atenderam às necessidades dos empresários. Na medida em que todas as empresas se capacitam, o mercado fica mais acirrado, nivelado por cima”, afirma o executivo.

O PICPlast é uma iniciativa da Braskem, em conjunto com a Associação Brasileira do Plástico (Abiplast), entidade que representa a indústria da transformação plástica no Brasil. O plano foi lançado em 2013 com o objetivo de desenvolver programas estruturais que contribuam com a competitividade e crescimento da transformação plástica de forma conjunta entre a 2ª e 3ª gerações da cadeia produtiva do plástico.

Essa foi a terceira turma capacitada pela Fundação Dom Cabral desde o lançamento do PICPlast, em 2013. Desde então, foram quase 100 empresas capacitadas em todas as regiões do Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PICPLAST

Curta nossa página no

Jaime Lorandi é reeleito para novo mandato à frente do Simplás

10/07/2016

Simplas-Lorandi

A próxima gestão do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) já tem uma linha de trabalho definida para o triênio 2016-2019. Jaime Lorandi (foto), reeleito para a presidência na última quarta-feira (29), estabeleceu quatro eixos de atuação na entidade que representa mais de 500 empresas de transformação que geram aproximadamente 12 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 3 bilhões. Em um raio de 50 quilômetros, a área de abrangência do Simplás apresenta uma das maiores concentrações de indústrias de transformação de plástico do Brasil. A posse oficial da nova diretoria está prevista para 1o de agosto.

Melhoria e promoção da ética nas relações de trabalho e na Justiça do Trabalho; estímulo à qualificação profissional de gestores empresariais; defesa da elaboração e implementação de um plano de desenvolvimento econômico e social multissetorial para toda a região; e promoção da sustentabilidade por meio da educação para o descarte correto do plástico pós-consumo das residências serão as diretrizes no programa de ação da entidade.

“Há mais de 25 anos, o Simplás representa um setor responsável pela geração de dezenas de milhares de empregos na região. O sucesso da indústria, portanto, tem relação direta com o bem-estar e o progresso de milhares de famílias de empregadores e empregados. Assim, compreendemos que o papel comunitário do sindicato vai além da esfera associativa. Nos próximos três anos vamos trabalhar intensamente para que os benefícios da ética, da qualificação, do desenvolvimento e da sustentabilidade alcancem cada vez mais pessoas, em toda a sociedade”, afirma Lorandi.

Fonte: Assessoria de Imprensa (Simplás); Foto: Neli Alvanoz

Curta nossa página no

Chem-Trend e SurTec inauguram nova planta em Valinhos (SP)

03/05/2016

Freundenberg_Valinhos

Investimento de R$ 60 milhões visa promover a proximidade com o cliente

O Grupo Freudenberg anunciou em 29/04 a inauguração de uma nova planta na cidade de Valinhos (SP). As novas instalações serão operadas em conjunto pela Chem-Trend e SurTec, ambas pertencentes à Divisão de Especialidades Químicas do Grupo, e irão desenvolver, fabricar e comercializar agentes desmoldantes, especialidades químicas de processo e soluções de tratamento químico de superfície para atender clientes em vários segmentos. “A nova fábrica é um sinal visível do nosso compromisso de longo prazo com os nossos clientes brasileiros nas mais diversas indústrias“, afirma Juan Carlos Borchardt, Representante Regional do Grupo Freudenberg na América do Sul.

A nova fábrica substitui as duas antigas operações da SurTec e Chem-Trend que funcionam no Brasil há décadas. O investimento na nova unidade, que compreende as áreas administrativas e de vendas, logística, armazéns, laboratórios e produção irá melhorar significativamente o atendimento aos clientes e reduzir os tempos de resposta para atender às exigências de mercado. “A proximidade e atendimento ao cliente são a base para o nosso desenvolvimento no Brasil até hoje e continuam sendo fator de êxito para enfrentar o quadro econômico desafiador no país. A nova planta nos permitirá atender de forma ainda mais eficiente os nossos clientes locais, com produtos e serviços de ponta”, comenta Hanno D. Wentzler, Presidente e CEO da Divisão de Especialidades Químicas do Grupo Freudenberg. “Além disso, o investimento demonstra que a Freudenberg é séria sobre agir como empresa cidadã, não medindo esforços para garantir a plena conformidade com as questões regulatórias e atender todas as normas ambientais e de segurança relevantes”, completa Wentzler.

O tamanho total da planta é de 29 mil m², dos quais 11 mil m² são de área construída. A capacidade de produção anual máxima é de 13 mil toneladas, destinadas a agentes desmoldantes, auxiliares de processo e produtos de tratamento químico de superfície. A planta conta com mais de 100 colaboradores, incluindo os terceirizados. O Grupo Freundenberg fornece para clientes de várias indústrias, incluindo a automotiva, aeroespacial, calçados, energia eólica, construção civil, indústria em geral e de eletrodomésticos, entre outras.

“A nova fábrica fornece capacidade aumentada em relação a volumes de produção, serviços logísticos, apoio técnico, saúde e segurança no trabalho, condições de trabalho e de Pesquisa & Desenvolvimento”, comenta Paulo Noce, CEO da Chem-Trend e SurTec no Brasil. “Tanto a Chem-Trend quanto a SurTec são certificadas de acordo com a ISO 9001 e ISO 14001 (a Chem-Trend também possui a OHSAS 18001) e cumprem todas as normas internacionais em matéria de processos de gestão de qualidade, proteção ambiental, saúde ocupacional e segurança no ambiente de trabalho”, acrescenta.

Investimentos em infraestrutura favorecem a proximidade com o cliente

O investimento visa melhorar significativamente a proximidade e os serviços ao cliente, permitindo o atendimento às demandas específicas de maneira mais rápida, de acordo com as necessidades dos mercados do Brasil e de outros países da América do Sul. A nova planta possibilita melhorias na eficiência operacional, oferece áreas para testes de aplicações e engenharia e garante tempos de resposta mais curtos. Desta forma, apoia os clientes nos processos para aumentar a qualidade de peças e componentes, reduzir desperdício de matéria-prima e atender aos requisitos ambientais. Em longo prazo, a nova operação também será focada na produção de produtos inovadores, possibilitando o aproveitamento dos potenciais de sinergia entre as duas empresas.

Apoio da Investe São Paulo

O projeto tem recebido apoio da Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos e exportação ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo. “O Estado de São Paulo continua crescendo, e a confiança da Chem-Trend e da SurTec mostra isso. Nossa equipe vai continuar dando todo o suporte para que o projeto seja um sucesso”, disse o presidente da Agência, Juan Quirós.

A Divisão de Especialidades Químicas é uma unidade de negócios do Grupo Freudenberg, que desenvolve, fabrica e comercializa especialidades químicas. Com suas cinco empresas de operação independente – Klüber Lubrication, Chem-Trend, OKS, SurTec e Capol -, é uma das fabricantes líderes globais em lubrificantes especiais, agentes desmoldantes, produtos de manutenção químico-técnicos, soluções para o tratamento químico de superfícies e condicionamento de superfície para confeitos.

A Divisão de Especialidades Químicas tem sede em Munique, Alemanha, com subsidiárias em 40 países em todo o mundo. Em 2015, empregou mais de 3.300 colaboradores e registrou vendas de cerca de € 960 milhões.

Em 2015, o Grupo Freundenberg – que tem 167 anos – , empregou mais de 40.000 pessoas em 57 países em todo o mundo e obteve um faturamento de mais de € 7,5 bilhões.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Grupo Freundenberg

Curta nossa página no

Messe Düsseldorf disponibiliza venda de ingressos on-line para a feira K 2016 com preços reduzidos

07/04/2016

k2016

  • Impressão dos ingressos poupa tempo e dinheiro
  • Ofertas personalizadas para viagem e alojamento

A partir de agora, os ingressos para visita à K 2016, que ocorrerá de 19 a 26 outubro, estão disponíveis online no site www.k-online.com. A compra do eTicket oferece benefícios duplos – poupa tempo e dinheiro. Os visitantes podem comprar os seus ingressos online, imprimi-los em suas próprias impressoras ou baixá-los como códigos – e depois se deslocar gratuitamente para a feira através de trens ou ônibus. O eTicket também é mais barato do que os ingressos comprados no local. O ingresso para um dia custa 49 euros, enquanto que o preço de balcão em Düsseldorf é de 65 Euros. O ingresso de 3 dias pode ser adquirido online por 108 Euros, sendo 135 Euros no balcão.

As pessoas que estejam ainda à procura de alojamento durante a K 2016 são aconselhadas a fazer uso dos serviços da Düsseldorf Marketing & Tourismus GmbH (DMT). Esta subsidiária da municipalidade local dispõe da melhor visão geral dos hotéis e quartos privados disponíveis em Düsseldorf e arredores durante a principal feira mundial para a indústria de plásticos e borracha e vai ajudá-lo a fazer a sua reserva. Aliás, a pressão sobre o setor hoteleiro tem ficado mais branda. Só dentro dos limites da cidade de Düsseldorf, cerca de 1.000 novos leitos hoteleiros foram criados nos últimos anos e, em cidades vizinhas (por exemplo Essen, Krefeld, Mönchengladbach e Wuppertal), mais 900 novos leitos foram disponibilizados no mesmo período. Na região de Düsseldorf, cerca de 79 mil leitos estão disponíveis no momento. A DMT reuniu todo o seu pacote de serviços online para a K 2016, de modo que uma consulta ao site deles será certamente útil: http://business.duesseldorf-tourismus.de/messe/K/.

Além disso, há uma oferta atraente da Messe Düsseldorf, Deutsche Bahn e DMT especificamente para os visitantes da K 2016 vindos de toda a Alemanha: o preço do bilhete especial de retorno (amarrado a trens específicos e enquanto estiverem disponiveis) para Düsseldorf é de 99 euros para segunda classe e 159 euros para primeira classe. Esta oferta estará disponível on-line por cerca de três meses antes da feira começar.

A K 2016 estará aberta diariamente das 10:00 às 18:30 hs. Todos os ingressos para a feira dão direito também a deslocamentos gratuitos de ida e volta da feira através de ônibus, metrô/bonde e trens dentro do sistema de transporte integrada na VRR e VRS (somente na 2ª classe, em trens sem custo adicional). Mais informações sobre a rede de transportes pode ser encontrada em http://www.vrr.de e www.vrs-info.de.

Na K 2016, mais de 3.000 expositores internacionais estarão apresentando seus mais recentes desenvolvimentos nas áreas de máquinas e equipamentos para a indústria de plásticos e borracha, matérias-primas e auxiliares e produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados. Cerca de 200.000 visitantes profissionais de todo o mundo são esperados na feira.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Simplás lança Curso de Gestão na Prática para Micro e Pequenos Empresários

07/04/2016

Capacitação em parceria com a faculdade Ftec tem inscrições abertas e início marcado para 14 de maio

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), com foco no perfil majoritário de suas representadas, desenvolveu e agora está lançando o Curso de Gestão na Prática para Micro e Pequenos Empresários. As aulas, com início marcado para 14 de maio, serão ministradas nas instalações e por professores e especialistas da faculdade Ftec, em Caxias do Sul (RS).

O objetivo da iniciativa é oferecer capacitação com preços competitivos e conceitos de aplicação imediata a associados e contribuintes do Simplás, e também ao público em geral. A carga total atingirá 56 horas, distribuídas em sete módulos de oito horas, com uma aula por mês, sempre aos sábados.

“É um curso inovador, sem similar no mercado, objetivo e extremamente didático, especialmente elaborado para auxiliar o empresário agora. Os professores vão abordar situações práticas do cotidiano das empresas, com ferramentas de uso instantâneo”, revela o diretor de Educação, Inovação e Tecnologia e também vice-presidente do sindicato, Gelson Oliveira.

As aulas abordarão princípios básicos de gestão, liderança, finanças, marketing e produto, vendas, produção, qualidade e inovação (detalhes abaixo). As inscrições já estão abertas e as vagas são limitadas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 3228.1251 ou pelo e-mail greice@simplas.com.br.

“Tudo foi desenvolvido pensando no perfil da maioria dos nossos representados, que são executivos de micro e pequenas empresas, com pouquíssimo tempo disponível, mas sempre em busca de atualização. Assim, os horários são diferenciados, para que o empresário não precise abrir mão de seus compromissos durante a semana. Para completar, aperfeiçoamos todo projeto até chegar a um excelente custo-benefício”, conclui Oliveira.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Nova diretoria no Sindiplast-ES toma posse nesta quinta-feira, 07/04

07/04/2016

Cerimônia contará com um painel onde será debatido o tema “Caminhos para aumentar a competitividade da Industria Brasileira”

A nova diretoria do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Espírito Santo (Sindiplast-ES) toma posse oficialmente nesta quinta-feira, 07, em uma cerimônia realizada, às 19h, no auditório da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes).

Além dos membros da nova e da antiga diretoria, o evento reunirá os associados ao Sindiplast-ES, autoridades públicas e sociedade civil organizada. Também foram convidados sindicatos e federações da indústria de Plásticos de todo o Brasil, além de outros sindicatos filiados à Findes.

Mais do que um evento de posse, a cerimônia será um grande encontro de empresários e autoridades públicas, em que será debatido o tema “Caminhos para aumentar a competitividade da Industria Brasileira” em um painel.

Para falar sobre o assunto, foram convidados representantes do setor, como o vice-presidente da Fiesp e presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), José Ricardo Roriz, e o presidente da Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (Almaco), Gilmar Lima. Ainda participarão do painel, o gerente executivo do Departamento de Economia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Flávio Castelo Branco, e a secretária de Estado da Fazenda Ana Paula Vescovi.

O empresário Gilmar Guanandy Régio, da Fibravit, foi eleito presidente do Sindiplast-ES no dia 16 de fevereiro, em uma eleição que contou com 60% de associados votantes. Além de Gilmar Régio, irão assumir a diretoria: Marllon Maykow Torres (Grupo Fortlev), como vice-presidente; Yêda Vietchhesky (Flexibras), como 1º diretor Administrativo; e Leonardo de Castro (Fibrasa), como 1º diretor Financeiro.

Nova diretoria do Sindiplast-ES:

Presidente: Gilmar Guanandy Régio (Fibravit).
Vice-presidente: Marllon Maykow Torres (Grupo Fortlev).
1º Diretor administrativo: Yêda Martha Piazarollo Vietchhesky (Flexibras).
2º Diretor administrativo: Hudson Temporim Moreira (MIG).
1º Diretor Financeiro: Leonardo Souza Rogério de Castro (Fibrasa).
2º Diretor Financeiro: Neviton Helmer Gasparini (Plastin).
Suplentes de Diretoria: Thiago Dalla Bernardina Lacourt (Grupo Fortlev), Rubens Szpilman (Squalus), Josimar Rodrigues Vieira (JRVieira), Celito Rogério Lima (Fibral).
Conselho Fiscal – Efetivos: Edilson Salvagnini (Embali), Fernando Pires Gonçalves (Papelial), Robson Barcelos Regiani (Magnatech). Suplentes: Juscelino José de Oliveira (Agrofit), Bárbara Esteves (RBA Toplastic), Giuliano Souza Rogério de Castro (Fibrasa).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sindiplast – ES

Curta nossa página no

Feira Interplastica na Rússia despertou alto nível de interesse, apesar dos tempos difíceis

26/02/2016

interplastica_logoA tecnologia ocidental para a produção de embalagens e processos relacionados, bem como para a fabricação de produtos de plástico e de borracha, ainda é altamente valorizada por empresas russas. No entanto, as condições políticas atuais, a queda do preço do petróleo, um rublo continuamente fraco, com uma taxa de inflação de aprox. 15,8 % no ano passado, bem como pouca disponibilidade para empréstimos tem dificultado os investimentos, especialmente para pequenas empresas.

Por outro lado, ainda é necessário um investimento considerável na Rússia e em países vizinhos. Acima de tudo, a demanda foi colocada sobre a indústria doméstica de bens de consumo, a indústria de alimentos e a indústria de embalagens no sentido de que estas otimizem os seus processos de produção e qualidade de produtos, a fim de poderem substituir importações. Portanto, a obtenção de informações sobre tecnologias inovadoras, a manutenção de relações comerciais com fornecedores ou o estabelecimento de novas relações representaram o principal foco dos visitantes da Interplastica e UPAKOVKA / Upak Italia 2016. De 26 a 29 de janeiro passados, 20.900 visitantes profissionais provenientes da Rússia e seus países vizinhos vieram ao Moscou Expocentre em Krasnaya Presnya – cerca de 1.900 a mais que em 2015. A atmosfera dentro dos pavilhões era notavelmente excitante. Os expositores relataram a existência de empresários extremamente interessadas, que também estavam, em parte, prontos para fazer encomendas. Um total de 828 empresas de 38 países apresentaram sua gama de ofertas em ambas as feiras.

“A Rússia ainda é um mercado potencialmente significativo, embora esteja atualmente passando por tempos difíceis. No momento, para as pequenas e médias empresas russas, em particular, não está sendo fácil – o problema do financiamento dos investimentos previstos é um bastante grande. No entanto, o mercado, de forma alguma, chegou a uma paralisação. Há ainda um elevado grau de interesse em máquinas inovadoras de alta qualidade e em sistemas e materiais. As empresas querem investir e também estão fazendo um esforço para implementar os projetos planejados. Em tal situação, as feiras comerciais desempenham um papel importante. Com sua participação, os expositores tem demonstrado que eles não tem apenas como objetivo em mente o sucesso a curto prazo, mas estão fazendo esforços para manter relacionamentos de forma sustentável. Isto foi claramente recompensado “, comentou Matthias Werner Dornscheidt, Chairman e CEO da Messe Düsseldorf. A empresa organiza as duas feiras comerciais especializadas: a Interplastica e a UPAKOVKA / Upak Italia, em conjunto com sua subsidiária, a Messe Düsseldorf Moscou OOO, sendo que a última feira é implementada em colaboração com a organizadora italiana CPA.

Os visitantes foram unânimes em expressar um feedback positivo sobre a versátil gama  de empresas e produtos, os inúmeros lançamentos de produtos, bem como sobre a presença de muitos líderes de mercado. Fornecedores especiais e recém-chegados também estavam contentes com a atividade animada em seus estandes de feiras.

Para os fabricantes de máquinas alemães, a Rússia ainda é um mercado de vendas interessante, mesmo que os valores estejam atualmente em declínio. Durante o período de janeiro a novembro de 2015, os embarques de exportação alemãs de máquinas para processamento de plásticos e borracha para a Rússia totalizaram 118,8 milhões de euros, o que é uma diminuição de 16,7 por cento em relação ao mesmo período do ano anterior. Apesar desta diminuição das encomendas, a Alemanha continua a ser o fornecedor mais importante neste segmento. Em 2014 (dados para 2015 ainda não estão disponíveis), a fatia de mercado alemã estava em 23,9 %, seguida pela Itália com 12,6%, sendo bem à frente da China, cuja quota de mercado foi de 11,6 por cento. A exportação mundial de plásticos e máquinas de borracha para a Rússia apresentou um aumento de 4,1 por cento em 2014 em comparação ao ano anterior, correspondendo a um valor total de 666.0 milhões de euros.

Bernd Notel da Associação alemã para plásticos e máquinas de borracha ( VDMA) está satisfeito pelo fato de que as relações comerciais russo-alemãs tem sido tradicionalmente repletas de confiança e que continuam, mesmo em tempos difíceis. “Máquinas “made in Germany” tem uma boa reputação aqui e o serviço prestado pelas empresas alemãs é muito apreciado. Fornecedores alemães aproveitaram a sua presença durante a feira para manter um contato estreito com seus clientes e apresentar suas inovações. O financiamento dos investimentos planejados e necessários representa atualmente o maior problema. No entanto, definitivamente há otimismo para o futuro – especialmente porque parece que estão sendo desenvolvidos esforços pelo governo russo para impulsionar a expansão da produção doméstica. O desenvolvimento da cadeia de valor agregado tem sido negligenciada – sendo que os atuais preços baixos do petróleo e do gás tem permitido algum movimento neste campo”. Notel também declarou que muitas empresas alemãs chegaram à Interplastica com expectativas moderadas, mas foram claramente surpreendidas pelo aumento do número e da alta qualidade de contatos estabelecidos.

Como é habitual, a Itália foi fortemente representada durante a Interplastica. Nas salas 1 e 3, havia inúmeros expositores individuais e também grandes stands que ofereciam um amplo panorama das ofertas. E, embora os fabricantes italianos não tenham podido vender tantas máquinas e ferramentas para a Rússia como em 2013, as empresas estão contando com os bons contatos com os clientes que têm persistido por muitos anos, bem como na qualidade de seus produtos. Isso foi confirmado por Mario Maggiani, CEO da Associação dos Fabricantes de Máquinas Italianas, Assocomaplast: “As exportações de máquinas para plásticos e borracha, bem como moldes, caíram 12 por cento em 2014 em relação ao ano anterior, ou seja, de 119,5 para 105,3 milhões de euros. E se dermos uma olhada em 2015, temos que assumir inclusive um declínio de 20 a 30 por cento, à luz dos dados existentes até hoje para os três primeiros trimestres. Desse modo, a Rússia caiu para oitavo lugar em nossas estatísticas de exportação, depois de ter sido um dos cinco mercados de vendas mais importantes para os fabricantes italianos de máquinas para plásticos e borracha por muitos anos”. No entanto, Maggiani também comentou que, embora não se espere nenhuma melhoria rápida em face da difícil conjuntura econômica, em particular, do rublo fraco, da queda do preço do petróleo e das sanções, a grande afluência de visitantes na Interplastica, bem como as discussões específicas, foram claramente muito além das expectativas dos expositores italianos.

A gama de ofertas de expositores da Interplastica foi complementada por um programa de apoio especializado. No “Ponto de Encontro de Matérias-Primas”, aconteceram palestras e rodadas de discussões onde matérias-primas, a reciclagem de plásticos e aditivos de produção foram os temas de foco. Além disso, expositores apresentaram produtos e processos inovadores em seminários abertos.

A próxima Interplastica em Moscou acontecerá de 24 a 27 Janeiro de 2017, novamente em paralelo com a UPAKOVKA / Upak Italia. Mais informações estão disponíveis on-line em http://www.interplastica.de e na Messe Düsseldorf GmbH, o Sr. Thomas Franken, tel. 0211 / 4560-7739, e-mail: FrankenT@messe-duesseldorf.de e Claudia Wolfgram, Tel. +49 (0) 211-4560-7712, E-mail: WolfgramC@messe-duesseldorf.de

Fonte: Messe Duesseldorf

Curta nossa página no