Archive for the ‘Indústria de Bebidas’ Category

Grupo Carrefour, Green Mining e Ambev implementam ação para coleta e reciclagem de garrafas de Guaraná Antarctica em São Paulo

22/09/2021

O Grupo Carrefour Brasil firmou parceria com a startup brasileira Green Mining, especializada em logística reversa, e com a Cervejaria Ambev para levar a ação de reciclagem para seis lojas Carrefour Express de São Paulo.

Lançada esta semana com o slogan “Pequeno Grande Passo”, a campanha disponibiliza coletores personalizados para descarte de vidro e embalagens plásticas vazias em lojas Carrefour Express situadas em São Paulo (SP). Os recicláveis serão recolhidos pelos coletores da Green Mining que levarão o material até o ponto de concentração (hub). Ao atingir um certo volume, o material será prensado e destinado para reciclagem no Rio de Janeiro, sendo o vidro levado direto para a fábrica Ambev Vidros e o PET destinado para a produção de novas embalagens de Guaraná Antarctica, devolvendo, assim, o material à cadeia produtiva.

“Nossas decisões são tomadas com o objetivo de minimizar o impacto ambiental em toda a cadeia de produção, promover a inclusão e democratizar o acesso às práticas sustentáveis”, afirma Lucio Vicente, Diretor de Assuntos Corporativos e Sustentabilidade do Grupo Carrefour Brasil. “Estamos em constante movimento pela preservação do meio ambiente e a parceria com a Green Mining e com a Ambev representa a perspectiva de um futuro melhor, pautado pelo desenvolvimento sustentável”, complementa.

Para garantir que todo o material seja destinado corretamente, a Green Mining realiza a pesagem dos resíduos em cada etapa do processo, registrando os dados no sistema da startup que garante a rastreabilidade com segurança da tecnologia blockchain. “A rastreabilidade é o futuro da logística reversa porque impede que qualquer dado inserido no sistema seja alterado. Seguimos na missão de mudança dessa cultura de descarte inadequado e, com essas grandes parceiras, inovamos e promovemos um modelo de economia circular de verdade, mantendo o nosso propósito ambiental, social e econômico”, diz Rodrigo Oliveira, presidente da Green Mining.

“Como sempre dizemos, a sustentabilidade é o nosso negócio e não apenas parte dele. Em 2018, traçamos metas de sustentabilidade ambiciosas para 2025, incluindo toda nossa cadeia de valor. Antes disso, sempre tivemos compromissos ambientais dentro das nossas operações e, hoje, temos conquistas que refletem a solidez dessa jornada. Atualmente, nossas metas para 2025 estão apoiadas em cinco pilares: gestão da água, ações climáticas, agricultura sustentável, embalagem circular e ecossistema de empreendedores. Com eles, impulsionamos o progresso na direção dos ODS, usando a nossa escala e parcerias para gerar uma mudança positiva significativa”, finaliza Carolina Pecorari, Diretora de Sustentabilidade da Ambev.

A Green Mining integra o grupo de empresas do Pacto Global da Organização das Nações Unidas, assim como o Grupo Carrefour Brasil e a Ambev, que estão alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

Os pontos de descarte de vidro e embalagens plásticas vazias estão dispostas nos seguintes endereços das lojas Carrefour Express:

•Alameda Ribeirão Preto, 580 – Bela Vista, SP
•Rua Albuquerque Lins, 603 – Santa Cecília, SP
•Av. João Carlos da Silva Borges, 789 – Vila Cruzeiro, SP
•Rua Pedro de Toledo 145, Vila Clementino, SP
•Rua Fradique Coutinho, 125 – Pinheiros, SP
•Av. Dr. Gentil de Moura, 287 e 293 – Alto do Ipiranga, SP

Curta nossa página no

Polipropileno quimicamente reciclado da Borealis é usado em embalagens para bebida gelada Cafè Latte da suíça Emmi

30/08/2021

A empresa suíça de laticínios Emmi está fazendo parceria com a Borealis e a Greiner Packaging para produzir copos para a bebida Caffè Latte da Emmi, usando polipropileno reciclado quimicamente.

O Caffè Latte da Emmi, uma das principais marcas de café gelado pronto para beber na Europa, começou a incorporar polipropileno reciclado quimicamente em suas embalagens. Os copos, contendo 30% de material quimicamente reciclado, são produzidos pela Greiner Packaging e o material reciclado quimicamente vem da Borealis.

A Emmi, a maior processadora de leite da Suíça, afirma estar comprometida com a proteção do clima e a economia circular. A empresa de laticínios tem a meta declarada de tornar todas as suas embalagens 100% recicláveis ​​e está comprometida com várias medidas para promover a circularidade, tais como a de usar embalagens que contenham pelo menos 30% de reciclado até 2027. Focalizando em embalagens recicláveis ​​e no uso de materiais reciclados, a Emmi está dando um primeiro passo com sua a marca Caffè Latte.

Escassez de materiais e política ambiental

A partir de setembro de 2021, a marca Emmi CaffÈ Latte, usará pelo menos 100 toneladas de plástico baseado em material reciclado a cada ano. A reciclagem química transforma quimicamente os resíduos de plástico novamente em plástico, criando materiais reciclados com um nível de pureza equivalente ao Polipropileno baseado em combustível fóssil e, portanto, adequado para proteção, segurança alimentar e outras aplicações exigentes. Desta maneira, a Emmi está utilizando matéria-prima de difícil reciclagem por vias convencionais, evitando o descarte de lixo plástico que provavelmente seria depositados em aterro ou incinerado. No futuro, dependendo da disponibilidade de material adequado, a quantidade de plástico reciclado nas embalagens Emmi Caffé Latte deverá ser aumentada.

A nova tecnologia de recuperação do polipropileno ainda está engatinhando e a Greiner Packaging e a Borealis são líderes nesse processo. Apenas quantidades limitadas de polipropileno reciclado quimicamente estão disponíveis atualmente e a Emmi é um dos poucos fabricantes de alimentos a ter garantido o fornecimento de uma parcela do polipropileno reciclado quimicamente, em função do seu compromisso inicial e colaboração de longa data com as empresas que estão à frente do desenvolvimento.

“São necessários esforços conjuntos dos fabricantes de alimentos e embalagens para reduzir o desperdício e fazer um progresso mensurável na economia circular”, diz Bendicht Zaugg, que é responsável por Embalagens Sustentáveis ​​na Emmi.

“Temos uma parceria longa e recompensadora com a Emmi e a Borealis”, disse o gerente de contas-chave da Greiner Packaging, Vincenzo Crescenza. “Esta conquista está de acordo com nosso objetivo declarado de trabalhar para alcançar uma economia circular. Nossa estratégia é desenvolver produtos inovadores, desenvolver novas parcerias de serviços e modelos de negócios, além de parcerias pioneiras em materiais. ”

“A Borealis anseia por um mundo sem resíduos de plástico”, disse Trevor Davis, Chefe de Marketing de Produtos de Consumo da Borealis. “O polipropileno reciclado quimicamente usado neste novo copo do Emmi Caffè Latte é fabricado com o portfólio Borealis Borcycle C de soluções de reciclagem química, dando outra vida aos resíduos pós-consumo à base de poliolefinas. Ele oferece benefícios abrangentes, permitindo a transição para uma indústria de poliolefinas circular, ao mesmo tempo que cria produtos plásticos de qualidade virgem. Ao permanecermos fiéis à nossa ambição EverMinds de acelerar a ação na circularidade, junto com nossos valiosos parceiros ao longo de toda a cadeia de valor, como Emmi e Greiner Packaging, estamos reinventando em direção a uma vida mais sustentável. ”

O material reciclado quimicamente usado para o copo da Emmi Caffè Latte é composto total e exclusivamente por material certificado com ISCC (International Sustainability & Carbon Certification), com base no balanço de massa. O balanço de massa é uma metodologia que permite rastrear a quantidade e as características de sustentabilidade do conteúdo circular e / ou de base biológica na cadeia de valor e em cada etapa do processo. Em última análise, isto proporciona transparência também aos consumidores, permitindo-lhes saber que o produto que estão comprando é baseado em material renovável.

A Borealis é uma das empresas líderes no mercado europeu de produtos químicos básicos, fertilizantes e plásticos. Com sede em Viena, Áustria, a Borealis emprega 6.900 funcionários e opera em mais de 120 países. Em 2020, a Borealis gerou EUR 6,8 bilhões em receitas de vendas e um lucro líquido de EUR 589 milhões. A OMV, a empresa internacional de petróleo e gás sediada na Áustria, detém 75% da Borealis, enquanto os 25% restantes são detidos por uma holding da Mubadala, sediada em Abu-Dhabi. A joint venture fornece serviços e produtos para clientes em todo o mundo por meio da Borealis e de duas outras joint ventures: Borouge (com a Abu Dhabi National Oil Company, ou ADNOC, com base nos Emirados Árabes Unidos); e Baystar (com a TotalEnergies, com sede nos EUA).

A Emmi é a maior processadora de leite da Suíça. Suas raízes remontam a 1907, quando foi fundada por 62 cooperativas de produtores de leite nos arredores de Lucerna. Na Suíça, a Emmi produz uma gama completa de produtos lácteos para suas próprias marcas e marcas próprias de clientes, incluindo Emmi Caffè Latte e Kaltbach. Além disso, existem produtos fabricados localmente dependendo do país – principalmente no segmento de especialidades. Além do leite de vaca, também é processado leite de cabra e ovelha. O Grupo Emmi possui 25 unidades de produção na Suíça. No exterior, a empresa possui subsidiárias em 14 países, incluindo unidades de produção em 8 deles. A Emmi exporta produtos da Suíça para cerca de 60 países. Além de seu mercado doméstico na Suíça, as atividades de negócios da empresa se concentram na Europa Ocidental e no continente americano. As vendas de CHF 3,7 bilhões – cerca de 10% dos quais vêm de produtos orgânicos – são divididas igualmente entre a Suíça e outros países. Dos quase 8.900 funcionários, mais de dois terços agora estão empregados em locais fora da Suíça.

Greiner Packaging é um fabricante europeu líder de embalagens plásticas nos setores alimentício e não alimentício. A empresa fornece soluções especializadas nas áreas de desenvolvimento, design, produção e decoração há mais de 60 anos. A Greiner Packaging possui duas unidades de negócios: Packaging e Assistec. Enquanto a unidade Embalagem se concentra em soluções de embalagem inovadoras, a unidade Assistec se dedica à produção de peças técnicas sob medida. A Greiner Packaging emprega uma força de trabalho de aproximadamente 4.900 em mais de 30 localidades em 19 países ao redor do mundo. Em 2020, a empresa gerou receitas de vendas anuais de EUR 692 milhões (incluindo joint ventures), o que representa aproximadamente 35 por cento das vendas totais da Greiner.

Indorama anuncia nova planta na Indonésia para reciclar 2 bilhões de garrafas PET por ano

07/07/2021

A Indorama Ventures, com sede na Tailândia, maior produtora mundial de PET reciclado para garrafas de bebidas, anunciou que construirá uma nova planta em Karawang, West Java, na Indonésia, para reciclar quase 2 bilhões de plástico garrafas por ano, em apoio ao plano do governo para reduzir o lixo oceânico.

A unidade, com inauguração prevista para 2023, reciclará 1,92 bilhão de garrafas de plástico PET (tereftalato de polietileno) anualmente e criará 217 novos empregos. Segundo a empresa, o projeto é parte do seu compromisso global em evitar que as garrafas PET pós-consumo acabem no lixo, de modo a retorná-las à economia circular, ao mesmo tempo em que dá apoio ao Plano Nacional de Ação do Governo da Indonésia sobre Detritos Plásticos Marinhos. A planta de reciclagem processará garrafas pós-consumo lavadas e trituradas para fornecer flocos de PET como matéria prima para produzir resina reciclada adequada para uso em contato com alimentos.

Bahlil Lahadalia, Ministro de Investimentos da República da Indonésia, disse: “Agradeço a iniciativa da Indorama Ventures de ajudar o governo a acabar e mitigar a crise de resíduos de plástico por meio de seu investimento “greenfield” nessa instalação de reciclagem. É hora do governo e todos nós agirmos e resolvermos o problema dos resíduos. Convidamos mais investidores que estejam comprometidos com os impactos sociais para a comunidade e o meio ambiente. Juntos, devemos proteger a riqueza de nossa biodiversidade marinha para nossos filhos e netos. ”

Como o maior estado arquipélago do mundo, a Indonésia é dotada de grande biodiversidade, ricos recursos naturais, bem como valor estratégico e econômico que criaram tanto bênçãos como desafios para os indonésios. Diante desse cenário, a Indonésia afirma que irá reduzir 70% de seus resíduos plásticos até o final de 2025, em relação ao ano-base de 2017. O plástico PET, comumente usado em garrafas, é 100% reciclável e é a embalagem de plástico mais coletada e reciclada do mundo.

“O plástico PET exclusivo usado em refrigerantes e garrafas de água é 100% reciclável e nunca deve acabar em nossos oceanos. Hoje estamos anunciando uma nova instalação de reciclagem de PET em Karawang. Ela reciclará 1,92 bilhão de garrafas PET pós-consumo por ano em toda a Indonésia até o final de 2023 ”, disse Yashovardhan Lohia, Diretor de Sustentabilidade da Indorama Ventures. “Temos o prazer de contribuir para a economia da Indonésia, adicionando 217 “empregos verdes”, bem como empregos indiretos à área. O anúncio de hoje é possível devido ao ambicioso plano nacional da Indonésia para reduzir os resíduos plásticos marinhos em 70%, reduzir os resíduos sólidos em 30% e tratar 70% dos resíduos sólidos até 2025 ”.

D K Agarwal, CEO do negócio combinado de PET, IOD e Fibras da Indorama Ventures, disse: “A liderança do governo da Indonésia em resíduos nos permite investir na infraestrutura necessária. Atribuir valor econômico aos resíduos, como matéria-prima para novas garrafas, também promove melhorias nos sistemas de coleta de resíduos. Ao construir a infraestrutura para reciclar e converter garrafas PET pós-consumo em novas garrafas, estamos reduzindo os resíduos e preservando nossos oceanos. Esta nova instalação de reciclagem apoiará nosso objetivo comum de soluções de circuito fechado e oceanos limpos. ”

A Indorama Ventures possui seis unidades na Indonésia em Purwakarta, Cilegon, Tangerang e Karawang. Com esta nova instalação de reciclagem, a Indorama Venturas traz um modelo de negócios circular para apoiar suas operações na Indonésia. Em 2019, a Indorama Ventures anunciou que pretende reciclar um mínimo de 750.000 toneladas métricas de PET globalmente até 2025, investindo até US $ 1,5 bilhão para atingir essa meta. A nova fábrica da Indorama em Karawang, junto com suas outras instalações de reciclagem no sudeste da Ásia, funcionará com as plantas de produção de flocos de PET existentes na Indonésia.

Curta nossa página no

Sidel estabelece metas de redução de carbono

19/06/2021

Em linha com o Acordo de Paris, a Sidel estipulou e se comprometeu com o alvo de redução das emissões de carbono fundamentada na ciência climática através da Science Based Targets initiative (SBTi). Os alvos são a redução de 30% de emissões de CO2 em todas as fábricas e instalações da empresa, e uma redução de 25% de emissões de CO2 nas compras e utilização e dos equipamentos da Sidel até 2030. A filosofia da empresa sobre Responsabilidade Social Corporativa é enfatizada agora no novo Relatório de Sustentabilidade, e a Sidel também está lançando uma nova campanha de comunicação externa, denominada “you’re never alone”.

A Sidel diz que, ao longo de sua história, seus engenheiros e designers tem lançado inovações ecológicas no design de embalagens, equipamentos e serviços com o objetivo de consumir menos recursos. Segundo a empresa, essa experiência preparou o caminho para que ela iniciasse uma maior mudança sustentável dentro da empresa e além.

“Sustentabilidade é o ponto central de tudo o que fazemos e queremos provocar a mudança consciente tanto na indústria como no mercado mais amplo. Nossos compromissos se estendem a todas as fábricas em que a Sidel opera mundialmente, e também através daquilo que entregamos aos nossos clientes e o que adquirimos de nossos fornecedores” afirma Monica Gimre (foto), CEO & Presidente da Sidel. “Sabemos que uma única empresa ou indivíduo não podem viabilizar a transformação sustentável sozinhos. Por isso, a Sidel está em prontidão com as ferramentas que nossos clientes precisam em sua jornada de sustentabilidade. Essa é a nossa mensagem aos nossos clientes: quando se trata de criar um mundo mais limpo e ecológico de modo consciente, you are never alone”, afirma a Sra. Gimre.

A Sidel é uma das líderes no fornecimento de equipamentos e soluções de serviços para o acondicionamento de bebidas, alimentos, produtos para casa e cuidados pessoais em PET, lata, vidro e outros materiais. Contando com mais de 5.500 funcinários ao redor do mundo, A Sidel afirma possuir mais de 40.000 máquinas instaladas em mais de 190 países, com quase 170 anos de experiência.

Mais informações sobre os as metas de sustentabilidade da Sidel:
www.sidel.com/pt/sustainability_vision

Relatório de Sustentabilidade da Sidel: www.sidel.com/pt/sustainability_reports

Curta nossa página no

Criadores de gado leiteiro na Espanha escolhem envase asséptico em PET da Sidel

23/08/2020

A empresa de laticínios espanhola Andía Lácteos de Cantabria S.L. modernizou sua fábrica em Renedo de Piélagos com a tecnologia de envase asséptico em PET para leite UHT da Sidel.

A Andía Lácteos de Cantabriaé parte do Iparlat Group, que foi criado originalmente pela união espanhola de cooperativas de criadores de gado leiteiro. A empresa envasa principalmente bebidas lácteas comercializadas sob uma marca de varejo espanhola bem conhecida. A mesma varejista deu o estímulo inicial para realizar a troca de embalagem longa vida cartonada e garrafas de PEAD para o envase de leite em PET. Em sua Sidel Aseptic Combi Predis, já em operação, são envasados leite de prazo de validade prolongado (ESL), leite UHT e milkshakes em três formatos (0,25 L, 1 L e 1,5 L), dando à empresa a oportunidade de ampliar seu leque de SKUs.

A Sidel Aseptic Combi Predis, com sua tecnologia de esterilização seca de preformas e tampas, foi integrada a uma linha de envase que a empresa já tinha para garrafas de PEAD. Segundo a Sidel, a integração proporcionou uma produção simples, eficaz quanto ao custo, bem como sustentável e flexível.

“A nova Aseptic Combi Predis de baixa velocidade está funcionando a todo vapor e oferece as melhores condições de segurança alimentar, atendendo perfeitamente a nossos rigorosíssimos requisitos de qualidade de produção”, revela Javier Villafranca, Industrial Director do Iparlat Group. A linha opera atualmente a 9.000 garrafas por hora com eficiência de 97%. Com essa nova linha de embalagem, muitos milhões de garrafas foram produzidas pela Andía Lácteos em 2019. “Conseguimos ampliar nosso portfólio com a produção de novas receitas de leite UHT que antes não podíamos produzir, como leite sem lactose, por exemplo, cuja demanda no mercado tem crescido todo dia. Com essa linha de envase asséptico em PET, poderemos fortalecer significativamente a imagem da nossa marca no mercado espanhol”, explica Javier Villafranca.

As garrafas PET para leite mostraram ser um enorme sucesso, afirma a Sidel. Com o aumento das vendas, a Andía Lácteos de Cantabria decidiu recentemente investir em outra Sidel Aseptic Combi Predis, combinada com a solução de transporte e acumulação Gebo AQFlex®,a fim de aumentar ainda mais sua capacidade produtiva.

Curta nossa página no

Clariant lança nova marca de aditivos sequestradores de oxigênio para embalagens PET

04/12/2019

  • Extensão da validade de bebidas e alimentos embalados
  • Eercados incluem garrafas de sucos de frutas e cerveja
  • Combina proteção aprimorada de alimentos com design sustentável de embalagens

A Clariant anunciou a criação de uma nova marca patenteada de masterbatches de aditivos sequestradores de oxigênio: Cesa ProTect.

O principal mercado-alvo para o novo masterbatch de aditivos é o de embalagens monocamada de tereftalato de polietileno (PET), embora outros materiais à base de poliéster também possam se beneficiar. Bem conhecido por seu uso generalizado em garrafas de refrigerante e água, o PET tem muitas vantagens. Em comparação com outros polímeros, oferece excelente transparência, é adequado para contato com alimentos e é fácil de processar, além de ser o polímero mais reciclado atualmente.

“O PET já é um bom material de barreira”, afirma Antonello Decortes, Global Innovation Manager na Clariant, “mas aplicações sensíveis ainda podem sofrer com a entrada de oxigênio. Isso não é um problema para a água ou a maioria dos refrigerantes carbonatados, mas os sucos de laranja perdem a potência das vitaminas e mudam de cor; os laticínios podem azedar, as cápsulas de café têm perda de sabor e basta 1 ppm de oxigênio para mudar o sabor e o aroma da cerveja. Os aditivos Cesa ProTect podem ajudar a aumentar o prazo de validade desses produtos e garantir que menos alimentos sejam descartados.”

Segundo a Clariant, os ingredientes ativos dos masterbatches Cesa ProTect não desaceleram a penetração de oxigênio através das paredes PET do recipiente. Ao invés disso, trata-se de um “sequestrador de oxigênio”, que absorve moléculas de O2 à medida que entram, para que não atinjam o produto protegido.

Cesa ProTect só é ativo após o processamento e os recipientes de PET tratados com o produto estão protegidos após a produção, podendo ser enchidos e transportados. A linha de aditivos também é ideal para distribuição em cadeia frigorífica, já que apresentou bom desempenho quando usado com produtos refrigerados, afirma a empresa.

Segundo Decortes, “o período exato que os masterbatches de aditivos Cesa ProTect conseguem proteger os alimentos e bebidas depende de diversos fatores, como carga de aditivos, tamanho e design da embalagem. Em testes com uma garrafa de 23 g e 0,5 litro, uma carga de 3,6% do masterbatch Cesa ProTect conseguiu manter os níveis de oxigênio abaixo de 1 ppm por 588 dias, ou mais de 18 meses. Por outro lado, o PET não tratado manteve os níveis abaixo de 1 ppm por apenas 22 dias, e um sequestrador de oxigênio concorrente durou apenas 63 dias. Mesmo a uma carga de 2%, os masterbatches Cesa ProTect mostraram eficácia por 266 dias.”

“Com base nesses resultados”, declara Alessandro Dulli, Global Head of Segment and Business Development Packaging, “acreditamos que Cesa ProTect é um dos mais poderosos masterbatches sequestradores de oxigênio no mercado.”

Segundo a Clariant, o masterbatch Cesa ProTect também demonstra ter pouco ou nenhum impacto no aspecto visual ou nas propriedades mecânicas da embalagem. Quando Cesa ProTect é usado nas dosagens recomendadas, afirma a empresa, os recipientes acabados de diferentes tamanhos e formas mantêm um nível de transparência de acordo com as expectativas do mercado. O produto é altamente compatível com PET e não demonstra impactar o processamento, segundo o fabricante. Ainda estão pendentes as aprovações para contato com alimentos.

Curta nossa página no

Tecnologia da Logoplaste para acondicionamento de leite em garrafas PET permite reciclagem total das embalagens

03/12/2019

Por ser um material muito resistente ao impacto e transparente, o Polietileno Tereftalato é utilizado para embalagens de produtos dos mais diversos segmentos, desde o setor de alimentos e bebidas a medicamentos, cosméticos e produtos de higiene e limpeza.

Desde que chegou ao Brasil, em 1988, trazido pela indústria têxtil para a produção de tecidos, esse material foi aos poucos ganhando novas funcionalidades, ampliando os horizontes do mercado para fabricantes nacionais e empresas do exterior. Não demorou muito para as embalagens PET ocuparem espaços cada vez maiores nas prateleiras dos supermercados e nas despensas dos lares brasileiros.

Universo do PET

A verdadeira revolução, no entanto, aconteceu nos anos de 1990, com o crescimento exponencial da popularidade das embalagens de alimentos e bebidas. Por serem mais acessíveis, modernas e seguras, as garrafas PET para refrigerantes, águas, sucos e outras bebidas dominaram a produção, assim como as embalagens termoformadas para alimentos, que, desde o início, tiveram ótima aceitação.

Nesse cenário, em 1995, a empresa portuguesa Logoplaste enxergou a oportunidade de abrir uma frente operacional no Brasil. O mercado lácteo foi a porta de entrada. Segundo o Presidente do Conselho de Administração da companhia, Filipe de Botton, “nosso primeiro parceiro no país foi a Danone e, desde então, tivemos o privilégio de criar uma equipe local absolutamente extraordinária, permitindo que a Logoplaste do Brasil crescesse e se tornasse rapidamente um dos maiores players locais na produção de embalagens rígidas para grandes clientes como a Reckitt Benckiser, a Nestlé, a P&G e a Shefa, entre tantas outras”.

Inovação

Com essa visão inovadora, a Logoplaste conseguiu elevar o mercado brasileiro de garrafas PET para outro patamar. Criado em 2010, o projeto Bottle-to-bottle tinha como objetivo viabilizar uma garrafa em PET para leite longa vida UHT que protegesse adequadamente o produto, mas sem deixar de lado a ideia de criar soluções circulares para as embalagens.

Thomé Brito, Diretor da Logoplaste Brasil, classifica a tecnologia de bicamada utilizada nas garrafas para o leite Shefa como um grande trunfo do projeto. “O interessante e mais bonito desse projeto é que ele está inserido na economia circular, já que podemos reutilizar as garrafas no próprio processo de fabricação de novas garrafas, evitando, assim, o descarte indevido. A tecnologia já existia, mas fomos os primeiros a utilizá-la por aqui”.

Para conservar o produto à temperatura ambiente por um longo período, era preciso bloquear a passagem de luz. Então, a solução encontrada foi desenvolver uma tecnologia que consistisse em utilizar duas camadas de PET, sendo a interna preta, para não haver degradação do leite, e a externa branca, preservando as propriedades da embalagem. Com isso, a proteção do leite é garantida por um período de 4 a 6 meses.

Segundo Thomé, existe muita confusão por parte do consumidor e da mídia ao olhar para a garrafa com bicamada e achar que o produto não é bom para reciclar. Sobre o processo de reciclagem desenvolvido para as novas garrafas, o executivo explica que todas as etapas seguem os termos da solução de reciclagem circular, que foram desenvolvidos após extensos testes com os produtos para atender aos avanços da nova regulamentação, de novembro de 2018.

“Não são dois materiais. É um só, mas em duas camadas. Para a reciclagem e a reutilização, o material é lavado, moído e passa por um processo de pós-condensação, que traz de volta as características necessárias ao processamento e incorporação às novas garrafas. Ou seja, 100% dos resíduos são reaproveitados, desde a tampa e o rótulo, até a garrafa em si. Todo este processo de circularidade é aprovado pela Anvisa, seguindo os rígidos padrões da indústria alimentícia brasileira”, conclui.

Fonte e foto: PICPlast

Curta nossa página no

Braskem unifica portfólio de soluções para o segmento de tampas

27/05/2019

A iniciativa da Braskem de unificar seu portfólio reforça a atuação da companhia neste segmento que, em contínua expansão, tem potencial de crescimento estimado em até 8% ano. “O segmento de tampas possui diversos desafios, desde a garantia da integridade do produto envasado e a facilidade de manuseio e descarte, até a busca continua por soluções cada vez mais sustentáveis para os processos e produtos. Em conjunto com especialistas do nosso Centro de Inovação e Tecnologia, oferecemos aos nossos clientes o portfólio mais completo do mercado, com soluções capazes de atender necessidades técnicas específicas do segmento, como a redução de peso, processabilidade, controle de gosto e odor além da segurança do produto”, afirma Flávio Costa, líder do Segmento de Tampas da Braskem.

Segundo a empresa, o seu portfólio oferece respostas para as megatendências e outras questões que impactam não apenas a indústria de embalagens, mas também o mundo em geral. Com essa iniciativa a empresa afirma contribuir para a redução do desperdício de alimentos (por meio de resinas que proporcionem maior vida útil), redução do peso das tampas e reciclabilidade, aspecto que está de acordo com o compromisso público em prol da Economia Circular que a companhia assumiu em 2018.

Para o segmento de bebidas, um dos maiores dentro do mercado de tampas, que abrange desde leites e refrigerantes até líquidos envasados a quente, como chá e energéticos, a Braskem continua oferecendo uma grande variedade de resinas de polietileno e polipropileno. O destaque do portfólio são as soluções desenvolvidas para tampas destinadas a bebidas carbonatadas, que podem ser moldadas por meio dos processos de injeção ou compressão. De acordo com Costa, este mercado possui hoje dois tipos de tampa, as de duas peças, que utilizam uma tampa somada a um liner interno, e as de uma peça única.

“A tecnologia desenvolvida pela Braskem possibilita a combinação de molde e resina, trazendo bom desempenho para as tampas de uma peça só. Neste caso, o produto possui um batoque interno que, quando aplicado no gargalo, garante a total vedação para reter o gás da bebida sem a necessidade da deposição do liner interno. O polietileno de alta densidade (PEAD) aplicado nesta solução permite a deformação necessária do mecanismo interno sobre o gargalo, mesmo sob as variações devido à pressão interna da embalagem, garantindo total vedação para a bebida”, destaca o executivo.

Outro nicho importante deste mercado é o de água mineral: por ser um líquido extremamente sensível a variações externas, há um rigoroso controle das propriedades organolépticas das resinas, visando garantir que não sejam alteradas as características da bebida relativas a odor, sabor e coloração quando em contato com o produto plástico. Estas alterações podem ser relacionadas tanto à presença de uma série de compostos inerentes ao processo de fabricação da resina, como à moldagem da tampa, aditivos e pigmentos utilizados.

“Nossas resinas passam pelo VOC teste, processo realizado na homologação da tampa. Para ampliar a garantia, desenvolvemos em nosso portfólio processos produtivos de acordo com parâmetros de homologação ainda mais exigentes, seguindo a especificidade de nossos clientes. Também aumentamos nosso conhecimento técnico e de controle de condições de fabricação, no caso das resinas de classe organoléptica realizamos o controle lote a lote”, completa.

As resinas do selo Maxio também integram o portfólio da Braskem para o segmento de tampas. A linha é composta por matérias-primas que, segundo a Braskem, proporcionam redução do consumo de energia, maior produtividade e redução de peso do produto final, o que garante mais eficiência e, consequentemente, ganhos ambientais. A empresa afirma que os benefícios são obtidos graças à evolução contínua das resinas, preservando ou melhorando propriedades mecânicas, químicas e óticas de produtos acabados.

A Braskem oferece ainda uma ampla gama de soluções para o mercado de tampas utilizadas nos setores alimentício, industrial e cosméticos e higiene pessoal. “Nossa equipe de Desenvolvimento de Mercado está preparada para apoiar o cliente, de forma customizada, na identificação do material mais adequado para cada aplicação, dentro da variedade de opções em polipropileno e em polietileno disponível em nosso portfólio”, conclui.

Tampinha Legal

Em linha com o compromisso público assumido pela Braskem em prol da Economia Circular, a companhia apóia o projeto Tampinha Legal, que estimula a coleta de tampas de plástico e as encaminha para venda em indústrias recicladoras, sendo que 100% dos recursos obtidos são revertidos para entidades assistenciais.

Criado no Rio Grande do Sul, o Tampinha Legal é o maior programa socioambiental de caráter educativo da indústria de transformação do plástico na América Latina. Com o apoio da Plastivida (Instituto socioambiental dos plásticos), o projeto tem se expandido pelo Brasil com o objetivo de propor a mudança do comportamento social e a disseminação de informação quanto a importância da destinação correta dos resíduos plásticos, incentivando sua valorização no retorno à cadeia produtiva.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Solução da Sidel abre o caminho para criação de embalagens de nível “premium” na produção de bebidas envasadas a quente em PET

04/12/2018

Segundo a Sidel, BoostPRIME™ é uma solução exclusiva de embalagem PET, oferecendo uma alternativa para bebidas envasadas a quente em garrafas PET. A empresa afirma que a solução amplia as oportunidades para a “premiumização” do produto e aumento dos rendimentos sem comprometer o desempenho da embalagem nem a experiência de consumo. Essa solução patenteada é voltada para o mercado de porções individuais de JNSDIT (sigla em inglês para sucos, néctares, refrescos, isotônicos e chás) envasados em garrafas PET de até 1,2 L à temperatura de 85-88°C.

De acordo com a Sidel, a solução de embalagem BoostPRIME elimina a necessidade dos restritivos painéis de vácuo ou adição de gás nas garrafas PET, que normalmente são necessários para os recipientes resistirem às temperaturas de enchimento a quente. O formato final da garrafa é obtido com uma inversão ativa do fundo e conta com três características principais com pouco impacto no layout da linha de produção de embalagem:

  • O projeto da embalagem exige especificações precisas da geometria do fundo.
  • O Base OverStroke System (BOSS) possibilita a formação mecânica do fundo da garrafa durante o processo de sopro.
  • O inversor contribui para a inversão do fundo. Essa etapa ocorre depois do enchimento, fechamento, inclinação e resfriamento — e antes da rotulagem. Ela equilibra a pressão negativa decorrente do resfriamento da bebida na garrafa de 85°C para a temperatura ambiente.

“Premiumização”: maior atrativo da embalagem para destacar-se na prateleira

A retirada das restrições técnicas do vácuo nas garrafas oferece liberdade de forma para obter garrafas PET premium diferenciadas. Segundo a Sidel, a solução proporciona um aspecto uniforme às garrafas enchidas a quente e de forma asséptica, compatível com a imagem da marca. Outra vantagem mencionada pela empresa é que qualquer formato característico de garrafa com painéis pode ser facilmente adaptado sem afetar a visão que o consumidor tem do produto. Além disso, amplia o destaque à marca, visto que a superfície de rotulagem das garrafas sem painel de vácuo é mais lisa e contribui para uma identidade visual melhor e mais impactante, garante a Sidel. A qualidade da rotulagem tanto dos rótulos roll-fed como sleeve melhoram muito devido à pressão interna da garrafa durante a aplicação do rótulo.

Melhora nos rendimentos

Segundo a Sidel, a solução de embalagem BoostPRIME reduz bastante o consumo de resina PET: pode diminuir em até 30% o peso das garrafas resistentes ao calor (HR), em comparação com as garrafas PET HR normais. Também proporciona aos produtores uma economia no material de rotulagem, tornando possível mudar de uma aplicação de rótulo sleeve para roll-fed, assegura a empresa. Todos os parâmetros do processo — pressão do ar durante o sopro, resfriamento do ar — são otimizados ao nível máximo de velocidade mecânica. A fabricante afirma que, ao investir na solução BoostPRIME em uma nova linha PET de enchimento a quente para produção de garrafas de 1 L , os produtores de bebidas podem recuperar rapidamente o investimento em um ano, considerando o investimento adicional versus uma configuração tradicional de linha. Ao mudar das garrafas HR normais com painéis de vácuo decoradas com rótulos sleeve para as garrafas leves com rótulos roll-fed, o potencial de redução de peso das garrafas é estimado entre três e sete gramas, além de uma redução de dez vezes nos custos da rotulagem, garante a Sidel.

Qualidade superior da garrafa e desempenho de embalagem ampliado

A solução completa de embalagem gera um processo de sopro e um perfil final do fundo da garrafa uniformes. O resultado é uma garrafa de qualidade superior e excelente experiência de consumo, assegura a Sidel. Embora leve, a robustez da garrafa não muda quando resfriada porque a pressão interna da garrafa resultante da inversão do fundo reduz o risco de deformação. Visto que o recipiente é mais forte e a superfície da parede da garrafa é mais lisa, a qualidade da aplicação do rótulo é particularmente otimizada, afirma a empresa. Além disso, o amplo diâmetro de apoio do fundo aprimora a estabilidade da garrafa através da linha de embalagem e no palete, contribuindo assim para a eficiência da linha

As primeiras linhas BoostPRIME de PET enchido a quente  já operam no México

A solução de embalagem BoostPRIME da Sidel está sendo usada por um cliente importante no México, onde a produção industrial começou com sucesso no início deste ano. Com aproximadamente 50 SKUs em produção, esse fabricante de bebidas já alcançou enorme economia de até 32% no peso das garrafas, afirma a Sidel. Essas bebidas enchidas a quente, incluindo suco, chá e isotônicos são produzidas utilizando uma variedade de configurações de produção: produção off-line e in-line, equipamentos de sopro e enchimento já em uso e novos da Sidel, sopradora Sidel independente e a Combi integrada de sopro-enchimento-fechamento da Sidel, sopradoras SBO Universal e SBO Sidel Matrix™, enchimento com contato e enchimento por medidor de vazão, aplicação de rótulos sleeve e roll-fed. Todas as linhas configuradas para a BoostPRIME podem também produzir garrafas resistentes ao calor tradicionais com ou sem painéis, o que aumenta a versatilidade da solução de embalagem.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sidel

Curta nossa página no </

Sidel Group adquire empresa italiana PET Engineering e diversifica portfólio de soluções de embalagem

19/10/2018

Em 11 de outubro, o Sidel Group concluiu a aquisição da PET Engineering Srl, ampliando o portfólio de soluções de embalagem do grupo. “Como a embalagem vem ocupando um espaço cada vez mais importante em qualquer mix de marketing, estamos certos de que a complementaridade das competências da Sidel e da PET Engineering em design, qualificação e processo de sopro de embalagens proporcionará mais oportunidades de negócios para o Sidel Group, além de oferecer uma gama mais variada de parceiros para materializar todas as exigências de criatividade formuladas pelos clientes”, explica Pavel Shevchuk, vice-presidente executivo de Serviços do Sidel Group.

Fundada em 1999 e situada em San Vendemiano, na Itália (foto), a PET Engineering conta com 40 funcionários e fornece uma gama ampla de soluções em embalagem para clientes na indústria de alimentos e bebidas. A empresa ganhou renome graças à criatividade dos designs de suas embalagens e dispõe de conhecimento e expertise do processo de sopro, além de desfrutar da fidelidade de uma clientela global. Sua abordagem integra design, engenharia e industrialização. Além disso, a capacidade de criar um equilíbrio delicado entre viabilidade técnica e criatividade valeu à PET Engineering prêmios prestigiosos na área de embalagem, dentre os quais, o WorldStar Award, na categoria Bebidas, conquistado no ano passado, e o A’ Design Award de ouro na categoria Design de Embalagem, em 2018.

Dois players para oferecer mais soluções

“A PET Engineering está perfeitamente posicionada para ajudar a Sidel a ampliar sua oferta de embalagens, especialmente no que se refere ao design de frascos para água, refrescos, bebidas lácteas e cerveja”, diz Moreno Barel, CEO da PET Engineering. “Com essa aquisição, também diversificamos nosso portfólio de serviços de embalagem a fim de atender melhor às necessidades dos clientes”, completa Pavel. “O design de embalagem tem um impacto determinante na eficiência de toda a cadeia de suprimentos, por isso é um fator decisivo para podermos honrar o compromisso de Performance through Understanding da marca e implementar a estratégia para alcançar esse objetivo. Consideramos que a aquisição representa mais solidez para o Sidel Group.”

O Sidel Group é formado pela união da Sidel e a Gebo Cermex, líderes no fornecimento de equipamentos e serviços de acondicionamento de líquidos, alimentos, produtos para casa e cuidado pessoal em PET, lata, vidro e outros materiais. O grupo conta com mais de 37 mil máquinas instaladas em mais de 190 paísese mais de 5 mil funcionários ao redor do mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sidel; Foto: PET Engineering

Curta nossa página no