Archive for the ‘Indústria Alimentícia’ Category

Linha de produtos de PBT da BASF proporciona barreira de oxigênio para embalagens e cápsulas de café

10/12/2017

A BASF está expandindo sua linha de produtos de contato com alimento da classe de PBT – poli(tereftalato de butileno). Segundo a empresa, o seu Ultradur® Barrier apresenta um desempenho superior em relação à transmissão de oxigênio. Houve um grande interesse quando a BASF apresentou seu primeiro PBT para cápsulas de café, no final de 2014, já que o produto oferecia vantagens em comparação às soluções existentes. Como diferencial, afirma a BASF, combinava excelentes propriedades de barreira e preservação do aroma, sem precisar de qualquer revestimento adicional complexo, afirma a BASF.

Afirma a BASF que o seu o inovador Ultradur® Barrier é baseado em um método totalmente novo que melhora as propriedades de barreira de oxigênio para peças de parede fina moldadas por injeção, em conformidade com os regulamentos FC (EU10/2011). Os resultados de diferentes testes independentes foram iguais: os valores da Taxa de Transmissão de Oxigênio (OTR) estão abaixo do limite de quantização, segundo os padrões de teste ISO 15105-2/DIN 53380-3.

O nome Barrier (barreira) reflete a excelente pontuação nos testes, onde o valor da OTR (em [cm³/(m² *dia*atm)]) medido ficou abaixo de 0,10 (medido em amostras de placa de 1mm), afirma a empresa. Segundo Simon Kniesel, Desenvolvimento de Produto de Plásticos de Engenharia da BASF, “o Ultradur Barrier oferece uma qualidade de barreira inigualável na moldagem de camada única por injeção, superando até mesmo as soluções PP/EVOH/PP multicamadas usadas para cápsulas de café. Esse é um grande passo à frente, que permite que nossos clientes ofereçam soluções de embalagem estanque a oxigênio para os donos da marca e uma experiência superior de aroma para os consumidores finais”.

As aplicações-alvo do Ultradur® Barrier são cápsulas de café, embalagem de alimentos e cosméticos

Além de uma OTR excepcionalmente baixa, o produto oferece boas propriedades de barreira contra o vapor de água, óleo mineral e aroma, garante a BASF. Também apresenta boas propriedades organolépticas, o que significa que não afeta o gosto e sabor. Sua resistência química contra hidrocarbonetos torna o produto atraente para a indústria de cosméticos. Por ser uma solução de camada única, não precisa de revestimento adicional ou de embalagem secundária, afirma a empresa.

No caso de cores diferentes, por exemplo, para indicar claramente os sabores do café, a divisão BASF Color Solutions oferece lotes mestres de corante, fabricados especialmente para o material Ultradur® FC, também com certificados de contato com alimento.

“Os mercados alvos são as indústrias de cápsulas de café, onde reduzir a transmissão de oxigênio é um requisito importante, assim como outras indústrias de embalagem de alimentos e a indústria de cosméticos. Estamos muito animados em conversar com os especialistas desses setores sobre a aplicação de nosso Ultradur® Barrier em seus mercados”, afirma Jens Müller, do Marketing de Segmento para Embalagem na Europa, Oriente Médio e África, na Divisão de Materiais da Performance da BASF.

Fonte: Basf

Curta nossa página no

Anúncios

Solvay lança polímero especial de poliarilamida na cor laranja para conectores de veículos elétricos

22/11/2017

Novo polímero especial da Solvay é destinado à produção de conectores de alto desempenho para recarga de veículos elétricos

A Solvay, fornecedora global de polímeros especiais, lançou o Ixef® 1524 RD 001, um polímero especial à base de poliarilamida (PARA) na cor laranja, sem halogênio e reforçado com 50% de fibra de vidro, para conectores de alto desempenho de recarga de veículos elétricos.

“O Ixef® 1524 RD 001 é um material personalizado oferecido exclusivamente na cor laranja, justamente para atender aos fabricantes de conectores de veículos elétricos”, informou Thomas Kohnert, Gerente Global dos Produtos Ixef®, Kalix® e Omnix® da Unidade Global de Negócio Specialty Polymers da Solvay. “A novidade combina um nível bem equilibrado de alta rigidez e resistência ao impacto, com excelente resistência à deformação e à temperatura, em uma formulação retardante de chamas livre halogênio”, disse Kohnert.

Segundo a empresa, o material apresenta alta capacidade de fluidez do Ixef® 1524 RD 001, que permite designs complexos e paredes mais finas, com até 0,5 mm, mesmo com cargas de vidro de 50 por cento – contribuindo, portanto, para economias de material e componentes com peso inferior, com alta velocidade de injeção e tempo de ciclo curto.

A família de Ixef® PARA também é reconhecida por proporcionar um acabamento de superfície excelente, rico em resina e de alto brilho. O Ixef® 1524 RD 001 pré-composto está disponível globalmente com estabilidade tonal de cor RAL 2010 consistente, o que economiza tempo e mão de obra normalmente consumidos na combinação de cores.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Quatro tendências que direcionarão o mercado de embalagens nos próximos anos

13/09/2017

À medida em que a dinâmica das sociedades urbanas evolui, o mercado de embalagens flexíveis cresce e ganha importância globalmente. Isso tem acontecido devido à necessidade das marcas em desenvolverem estruturas de embalagens únicas, tanto para se diferenciarem na gôndola quanto para ajudar a formar e apoiar a identidade da marca.

Segundo Marcus Vinícius Carvalho (foto), gerente de Embalagens de Alimentos e Especialidades Plásticas da Dow para a América Latina, entre as tendências em embalagens quatro se destacam:

Maior praticidade para o consumidor – No Brasil, os fatores que impulsionaram o mercado de embalagens nos últimos anos são a maior participação da mulher no mercado de trabalho e crescimento da urbanização (leia-se tempo de deslocamento). Uma das consequências é a demanda por alimentos que possibilitem economia de tempo na hora de prepará-los. O Relatório de Estilo de Vida dos Brasileiros de 2016, da consultoria Mintel, identificou que 28% dos consumidores tendem cozinhar mais em casa do que comer fora, o que reforça essa tendência. Com isso, espera-se que o aumento no volume do mercado varejista de produtos lácteos, molhos de cozinha e alimentos de conveniência, como refeições prontas e carne processada, permaneça nos próximos anos.

Evolução tecnológica e credibilidade – Novas tecnologias e o avanço da mobilidade são cada vez mais presentes na mente das empresas e dos consumidores. Estima-se, por exemplo, que 50% dos norte-americanos estejam interessados em escanear uma embalagem dos alimentos para aprender mais sobre a procedência do que estão consumindo. Embora o preço ainda seja fator chave nas decisões de compra dos consumidores, a confiança da marca também desempenha um papel fundamental e cada vez maior nesse processo. Com isso, as empresas têm a chance de alavancarem a credibilidade, criar lealdade e ampliar o portfólio de produtos bem além das categorias tradicionais.

O crescimento do e-commerce – Um fator de grande relevância para o setor é crescimento do e-commerce, que permite às marcas explorar as oportunidades de design e personalização, ao mesmo tempo em que mapeiam e endereçam os desafios de eficiência. Cada vez mais consumidores fazem compras online e esperam ter uma experiência positiva em todo o processo. Além do design da embalagem, que deve servir para reforçar a marca e seus valores, a resistência é crucial para que o produto chegue de maneira íntegra até o consumidor.

Sustentabilidade – O mesmo relatório da Mintel identificou que quando o preço e a qualidade percebidos dos produtos são iguais, há uma tendência cada vez maior de os consumidores se voltarem para atributos ecológicos ou de uso alternativo como fator decisivo de compra. Isso já é realidade em muitos mercados e as marcas não podem ignorar esses dados ao desenvolverem suas estratégias de posicionamento e marketing. É esperado que as empresas integrem os desafios da sociedade às suas estratégias de negócios, endereçando, por exemplo, as mudanças climáticas. Uma das iniciativas nessa linha é a cartilha “Embalagem e Sustentabilidade – Desafios e orientações no contexto da Economia Circular”, desenvolvida pela Dow e a Associação Brasileira de Embalagem (ABRE). Nela consta o “Jogo do Infinito”, que traz ideias e sugestões para solucionar os principais desafios relacionados às embalagens, que vão desde a matéria-prima, passando pelo desenvolvimento de embalagens educativas, aprimoramento da estrutura de gestão de resíduos e maior envolvimento do consumidor. Um exemplo é a sugestão para incluir nas embalagens informações sobre os impactos de se aquecer o produto no micro-ondas ou no forno convencional.

De maneira geral, as embalagens atuais estão sendo desenvolvidas de forma a entregar conveniência, segurança e funcionalidade aos consumidores; manter os alimentos saudáveis e inserir processos que sejam mais sustentáveis e circulares. Nessa jornada pela atenção do consumidor, além do design, ganha importância também a comunicação mais clara e que ajude o consumidor a fazer a escolha de compra melhor e de forma mais consciente. As opções e tecnologias são muitas. O desafio é criar produtos que os consumidores anseiam e, ao mesmo tempo, as soluções que as marcas precisam, desde o desenvolvimento até a reciclagem ou reutilização. As embalagens inteligentes têm potencial para tornarem o ciclo de vida mais simples, mais econômico e mais eficiente.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Novo adesivo concentrado da Dow para laminação permite redução do uso de energia

27/07/2017

A Dow acaba de lançar seu mais recente adesivo para laminação Adcote™ L805 A/C (High Solids). Segundo a empresa, ele é um adesivo base solvente de alto desempenho e com alto conteúdo de sólidos, que possibilita aumentar a produtividade e a eficiência e, ao mesmo, tempo reduzir o consumo de energia, trazendo menor custo como resultado final. O adesivo é ideal na produção de embalagens que necessitam de alta resistência térmica, tais como alimentos envasados a quente à base de tomate e maioneses, ou alta resistência química, como cloro e outros produtos de limpeza, afirma a Dow. Além disso, ele é livre de BPA (Bisfenol A) e provado pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA, além de cumprir a regulação europeia.

De acordo com a empresa, esses benefícios são possíveis devido ao seu alto conteúdo de sólidos, que reduz a quantidade de solvente em sua formulação em relação aos produtos existentes no mercado. A Dow asssegura que o Adcote™ L 805 A/C possibilita uma formulação com 15% a 20% menos solvente na composição do adesivo. Segundo o fabricante, outros benefícios proporcionados pelo alto conteúdo de sólidos são:

  • Aumento na velocidade de aplicação, que pode superar 350 m/min;
  • Aumento da produtividade na máquina, pois contém menos solvente para secar;
  • Uma das melhores resistências térmicas e químicas do mercado;
  • Redução do consumo de energia;
  • Menor emissão de Compostos Orgânicos Voláteis (VOC);
  • Mais competitivo economicamente.

“Estamos oferecendo um produto mais concentrado e com alto teor de sólidos, o que ajuda a tornar o processo de produção da embalagem mais sustentável do ponto de vista ambiental, social e econômico, pois reduz a emissão de compostos orgânicos voláteis, garante a segurança da embalagem de produtos agressivos ou envasados a quente e é mais econômico em função da maior produtividade no processo de laminação”, afirma Yasmin Gomez, gerente de Marketing de Adesivos para Embalagens na América Latina.

Segundo a Dow, estudos e testes realizados pela empresas mostram que em uma embalagem de café cujo desafio era manter as cores e brilho numa alta velocidade e com grande quantidade de tinta, o Adcote™ 805 A/C trouxe resultados significativos: a velocidade de laminação atingida aumentou de 90m/min para 350m/min e a temperatura de secagem que era entre 85°C e 95°C foi reduzida para 75°C a 85°C.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Cipatex registrou alta de 8,6% nas exportações em 2016

17/04/2017

A Cipatex, líder em revestimentos sintéticos, registrou crescimento de 8,6% nas exportações em 2016, em relação ao ano anterior. Entre os principais destinos dos produtos da empresa estão os países da América Latina, Estados Unidos e Espanha. Com atuação em diversos segmentos, a maior expansão ocorreu nos setores de decoração e mineração.

Apesar do cenário econômico desfavorável, a companhia também cresceu no mercado interno e apresentou aumento de 6% no faturamento. Prestes a completar 53 anos de história, a Cipatex® comemora o bom desempenho ao longo de 2016 e projeta resultados ainda mais positivos para esse ano. “O aumento do índice de confiança do mercado, com consequente recuperação da economia e retomada de investimentos, tende a alavancar os negócios do grupo Cipatex”, comenta Fabiano Bianchi, diretor comercial da empresa.

Com forte presença nos mercados calçadista, que representa 35% dos negócios da empresa, e decoração, com 30%, a Cipatex® espera ampliar a participação no setor automotivo, que hoje corresponde a 10%. “Após alguns anos de queda, acreditamos na recuperação do setor, que ainda apresenta grande potencial para expansão dos nossos negócios”, afirma Bianchi.

Para o segmento automotivo, a companhia produz revestimentos para bancos e laterais, para-sol, painel, coifas, além de produtos para capotas, tapetes e adesivos para baterias. No setor de calçados, a empresa atua na produção de laminados de PU e PVC para cabedal e forro. Para decoração, a Cipatex® oferece revestimentos para sofás, cadeiras, poltronas, cabeceiras de cama e outros estofados. Já para mineração, um dos principais responsáveis pela alta no mercado externo, são fornecidas geomembranas de PVC (foto) utilizadas na impermeabilização de lagoas de evaporação e decantação, em pilhas de lixiviação e tanques de rejeitos minerais.

Nos últimos anos, a Cipatex® intensificou seu projeto de internacionalização e conta hoje com unidade de negócios na Espanha, na cidade de Valência, com escritório e depósito nos Estados Unidos, em Miami (Flórida) e na Argentina está presente em Buenos Aires, com a distribuidora Dinaplast. De acordo com o diretor-presidente da empresa, William Marcelo Nicolau, a Cipatex® deve investir na capacitação e melhoria das equipes presentes nos países onde há operações locais para alavancar ainda mais os negócios.

Há 52 anos o Grupo Cipatex® oferece ao mercado soluções em revestimentos sintéticos e não-tecidos. Ao todo, a Cipatex® conta com cerca de 1.400 colaboradores distribuídos em cinco plantas industriais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cipatex

Curta nossa página no

Bemis cria embalagens stand-up pouch sem alumínio para a Cargill

09/03/2017

Mudança diminuiu em 25% a emissão de carbono e reduziu o consumo de matéria-prima da embalagem

A Bemis, uma das maiores fabricantes de embalagens do mundo, desenvolveu embalagens em formato stand-up pouch (sachê) com estrutura foilless (sem alumínio) para a linha de atomatados da Cargill, fabricante dos molhos de tomate Pomarola e Tarantella.

Entre os principais benefícios da mudança, afirma a Bemis, pode-se citar a redução de 25% das emissões de dióxido de carbono da embalagem e menor consumo de matéria-prima através da redução da gramatura da embalagem em 8%. Além disso, o processo de reciclagem das embalagens foi facilitado.
“Reduzir as emissões de carbono em 25% da embalagem representa 826.200 kg de CO2 a menos no ambiente, o equivalente a emissão de CO2 de aproximadamente 468 carros em circulação nas cidades por um ano”, afirma Márcio Barela, Coordenador de Sustentabilidade da Cargill.

“Utilizando a ferramenta de desenvolvimento Stage Gate, trabalhamos em conjunto com o cliente para entender suas necessidades e desenvolvemos um plano de ação minucioso de ajuste de maquinário, consultorias e treinamentos. Isso possibilitou que o novo conceito de embalagens fosse implementado de forma assertiva, atendendo ao cronograma de implementação definido pela Cargill”, explica Antonio Ponce, Gerente de Marketing de Shelf Stable de Alimentos e Bebidas da Bemis.

Além da sustentabilidade, outras vantagens da troca de estrutura da embalagem são o apelo visual no ponto de venda (sem aspecto amassado), resistência mecânica e proteção do produto, afirma a Bemis.

“A embalagem do produto é um dos elos de conexão entre marca e consumidor. A nova embalagem é visualmente mais atrativa e pode contribuir para uma melhor experiência do consumidor no ponto de venda”, afirma Daniel Pontes, Gerente de Marketing da Cargill.

Com sede em Neenah, Wisconsin (EUA), a Bemis atende aos mercados de alimentos, bebidas, cosméticos, farmacêuticos, higiene pessoal, limpeza doméstica, médico-hospitalares e pet food com embalagens flexíveis, rígidas, cartonadas, tubos laminados e rótulos. A companhia conta com 18 mil funcionários em 60 unidades, localizadas em 12 países nas Américas do Norte e Latina, Europa e Ásia-Pacífico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Bemis

Curta nossa página no

Milliken apresentará clarificante para embalagens termoformadas em PP durante a Feiplastic 2017

11/02/2017

milliken-feiplastic

Produto confere ao polipropileno (PP) alta transparência, aliando aspectos ideais para embalagens alimentícias a vantagens ambientais e comerciais do material

A Milliken, empresa global de especialidades químicas, revestimento e materiais de alto desempenho, participa da FEIPLASTIC 2017 – Feira Internacional do Plástico, que acontece de 3 a 7 de abril, em São Paulo, com um produto inovador. Trata-se do clarificante concentrado NX UltraClear®, que, segundo a empresa, proporciona ao polipropileno (PP) alta transparência, ideal para a confecção de embalagens e recipientes cujo conteúdo precisa estar protegido e à vista. A Milliken afirma que a ação do clarificante é capaz de superar o tradicional aspecto translúcido do PP em embalagens termoformadas (moldadas a altas temperaturas), criando uma transparência similar àquela do PET e PS (poliestireno), mas com os benefícios ambientais e de desempenho do Polipropileno.

Edmar Nogueira, Gerente Técnico da Milliken, explica que o uso do PP apresenta vantagens tais como a baixa pegada de carbono durante a produção da resina, a baixa densidade do material e altos valores de recuperação de energia. “O PP consome uma menor quantidade de energia durante sua produção, quando comparado com outros plásticos, e sua baixa densidade resulta em menor volume de resíduos. É um plástico ideal para a economia circular”. A diferença de peso entre embalagens de PP e outros materiais está normalmente entre 15% e 20% a menos para o polipropileno. A resistência ao calor do PP permite o uso em micro-ondas, agregando conveniência à embalagem, afirma a empresa

Além do uso em termoformagem o clarificante Millad NX8000®, presente no concentrado, também é utilizado em outras aplicações como frascos, utensílios domésticos e outros recipientes.

O segmento de embalagens é o que tem maior presença na FEIPLASTIC 2017. Pesquisa realizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, organizadora do evento, ouviu pessoas que já visitaram outras edições da feira, além de profissionais que atuam em toda a cadeia produtiva do setor plástico, e aponta que o segmento de “embalagens” é o que leva mais profissionais a visitar a feira, a fim de procurar novos produtos e lançamentos, entre outras razões.

De acordo com essas sondagens, chama a atenção o fato de que 96% dos pesquisados disseram que vão visitar a FEIPLASTIC 2107. Desses, 15% trabalham diretamente com embalagens. Outro segmento representativo, o de transformadores de plásticos, responde por 11% dos profissionais que visitam a feira, seguido por “produtos de borracha e plástico” (10%) e “matérias-primas e insumos” (7%).

Sobre a Milliken: A Milliken atua no setor de revestimentos, especialidades químicas e aditivos e tecnologias de coloração para uma variedade de aplicações desde plásticos automotivos até itens para crianças.

Com um expertise multidisciplinar, que inclui revestimentos de piso e materiais de performance, a equipe da Milliken compreende mais de 100 PhDs e acumula mais de 2.200 patentes nos EUA e mais de 5 mil patentes no mundo todo, desde sua fundação em 1865.

Sobre a FEIPLASTIC: Realizada desde 1987 como uma parceria entre a Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico e a Reed Exhibitions Alcantara Machado como BRASILPLAST, e desde 2013 como FEIPLASTIC, é o mais importante e tradicional evento da América Latina. A FEIPLASTIC apresenta novas tecnologias das principais empresas que são referência no setor, em segmentos como plásticos, resinas, máquinas e reciclagem, proporcionando aos seus visitantes interação com o que há de mais moderno no mercado, além de geração de negócios e networking qualificado.

Serviço
FEIPLASTIC 2017 – Feira Internacional do Plástico
Data: de 3 a 7 de abril de 2017
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo
http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Milliken

Curta nossa página no

Bemis expande atividades nas unidades de Três Lagoas (MS) e Suape (PE)

07/10/2016

Fabricante de embalagens investirá cerca de R$ 200 milhões no Brasil até 2017 na modernização de seu parque fabril; companhia abrirá no total 340 novos postos de trabalho nas duas plantas

bemisA Bemis anunciou a expansão de atividades em suas unidades de embalagens rígidas de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, e de Suape, em Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco. Após realizar reformas e ampliar as instalações, a companhia oferecerá 340 postos adicionais de trabalho.

Antes pertencentes à Emplal, as fábricas de Suape e de Três Lagoas foram incorporadas à Bemis em dezembro de 2015, após a aquisição da empresa pela multinacional americana. As unidades manterão seu foco em produção de embalagens rígidas como potes de margarina, iogurtes, doces e sorvetes, utilizando tecnologias de extrusão, termoformagem, injeção e processos de impressão.

As expansões das unidades de Suape e de Três Lagoas terão, respectivamente, 8 mil m² e 7,2 mil m² construídos. A Bemis projeta investir R$ 200 milhões no Brasil até 2017 em compra de equipamentos e modernização do seu parque fabril. Os investimentos nas duas unidades somam R$ 70 milhões.

“As ampliações de Suape e de Três Lagoas estão em linha com nossa estratégia de crescimento para o Brasil. Somos otimistas em relação ao país, à economia e ao mercado. Nosso foco é aumentar a eficiência de nossas operações para continuarmos inovadores e competitivos, em um trabalho muito próximo e colaborativo com nossos clientes”, afirma Carlos Santa Cruz, presidente da Bemis na América Latina.

A Bemis é uma das maiores fabricantes de embalagens do mundo. Com sede em Neenah, Wisconsin (EUA), a companhia atende aos mercados de alimentos, bebidas, cosméticos, farmacêuticos, higiene pessoal, limpeza doméstica, médico-hospitalares e pet food com embalagens flexíveis, rígidas, cartonadas, tubos laminados e rótulos. A companhia conta com 18 mil funcionários em 61 unidades, localizadas em 12 países nas Américas do Norte e Latina, Europa e Ásia-Pacífico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Bemis

Curta nossa página no

Vigor se destaca com três prêmios em evento promovido pela Associação Brasileira de Embalagens

17/09/2016

vigorA Vigor, empresa nacional de alimentos e bebidas, é um dos destaques do 16º Prêmio ABRE da Embalagem Brasileira. Na última quarta-feira a companhia conquistou ouro em dois produtos de seu portfólio. O primeiro ficou com Vigor Mix, um blend de margarina e manteiga que venceu na categoria ‘Embalagem de Alimentos Salgados’. O segundo foi para os Cremes de Queijos Danubio, na categoria ‘Design Estrutural – Forma’. A empresa também foi reconhecida por sua inovação na categoria ‘Embalagens de Bebidas Não Alcoólicas’, conquistando medalha de prata por seu Leite Fermentado Vigor Minions.

O ouro de Vigor Mix veio a partir de critérios como inovação, criatividade do design, apelo de venda, objetividade de posicionamento e outros. A nova embalagem é marcada por um design ergonômico e exclusivo no Brasil, que inclui uma sobretampa com brilho e transparência, além da rotulagem IML (in mold label) de alta qualidade gráfica. Essa tecnologia de impressão reproduz os detalhes do grafismo, ressaltando as imagens e deixando-as atraentes. Pote e rótulo utilizam a mesma matéria-prima facilitando a reciclagem. Para o consumidor o tato da embalagem é prático e o produto é consumido até o fim, sem desperdício.

Já entre os Cremes de Queijos Danubio, o diferencial está na utilização da área de rotulagem, que garante uma melhor exposição na gôndola. Seu formato facetado permite que o produto seja exposto tanto na horizontal, com face voltada para o consumidor, quanto na vertical (empilhado). A aplicação de um grafismo leve nas embalagens ainda transparece o frescor e a qualidade dos produtos Danúbio. Como resultado, a marca já superou suas expectativas de vendas nos três primeiros meses após o lançamento dos cremes.

Na linha de Leite Fermentado, a Vigor ficou com a prata por conta de embalagens inspiradas nos personagens amarelinhos que viraram febre no país: os Minions. Nesse caso, o destaque foi para o formato diferenciado e inovador. Dessa vez, muito diferente do padrão, a marca trouxe o produto envasado em garrafinhas, onde cada uma delas representa um personagem diferente dos Minions.

“Estamos muito felizes com mais este reconhecimento, pois inovação é uma marca registrada da Vigor. Ser premiado pela ABRE mostra que estamos no caminho certo alcançando a preferência do consumidor a cada dia”, comenta João Nery, Gerente de Pesquisa & Desenvolvimento.

Fonte:  Vigor

Curta nossa página no

Bemis mostra tendências de tecnologia para embalagens durante feira Anutec, em Curitiba

03/08/2016

Bemis-ovenrite-1A Bemis, uma das maiores fabricantes de embalagens do mundo, participa da ANUTEC (stand A-10), feira internacional de fornecedores da indústria alimentícia que está acontecendo de 2 a 4 de agosto no Expo Unimed, em Curitiba, e é realizada pela Koelnmesse.

Entre as novidades que a Bemis mostrará durante o evento estão a tecnologia OvenRite®, filme desenvolvido pela empresa para assar carnes bovinas, suínas, aves, e outros diretamente na embalagem em fornos convencionais ou microondas. O filme resiste a temperaturas de até 220°C, afirma a empresa.

“O mercado brasileiro está cada vez mais aberto para soluções práticas no preparo de alimentos e, por isso, a tecnologia OvenRite® deve ser utilizada em breve por aqui, proporcionando praticidade ao cozinhar e mantendo a maciez e o sabor das carnes”, explica Ricardo Almeida, gerente de Marketing de Proteínas da Bemis.

No dia 3 de agosto (4ª feira), às 14h30, o executivo fez uma palestra sobre as tendências de tecnologia em embalagens para os mercados internacional e nacional.

Serviço: ANUTEC
2 a 4 de agosto de 2016 – das 13h às 20h
Expo Unimed – Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido
Curitiba – PR

Fonte: Assessoria de Imprensa – Bemis

Curta nossa página no

Transformador coreano expande uso de linha de extrusão da battenfeld-cincinnati para produção de chapas para termoformagem ; máquinas serão apresentadas durante a Feira K 2016

22/07/2016

battenfeld-cincinnati

Baterias de rolos também serão apresentadas no stand da empresa durante a Feira K, em Düsseldorf

Na Coréia, a Dongjin é considerada como o maior fabricante de embalagens termoformadas. A maior parte da produção é exportada, mas também há comercialização de uma parcela no mercado interno. Os mercados principais são o EUA e o Japão. Através da expansão de sua planta, a Dongjin busca aumentar o seu portfolio de produtos e intensificar sua presença no mercado.

A Dongjin tem uma parceria com a battenfeld-cincinnati que já dura mais de 20 anos. Para produção de chapas, a Dongjin utiliza sete linhas da battenfeld-cincinnati: duas linhas de 7 camadas e cinco linhas de coextrusão simples – duas para PS, duas para PP ou PS e uma para PET. Uma nova linha de 3 camadas para fabricação de chapas de PS e PP com a bateria de rolos Multi-Touch será adicionada em um futuro próximo. E uma segunda linha de 3 camadas, também com baterias de rolos Multi-Touch, foi encomendada recentemente. Esta última fabricará chapas de PE, PP e PS num intervalo de espessura entre 0,35 a 2,0 mm para aplicações de termoformagem com um produção dee até 1500 kg/h. “Com a primeira linha Multi-Touch de alto desempenho, temos a capacidade de produzir 40% da chapa necessária e com custos de energia mais reduzidos”, afirma Song Seok Hwan, Presidente e CEO da Dongjin.

Graças à nova linha de extrusão de alto desempenho, o transformador agora necessita comprar de fornecedores externos uma quantidade significativamente menor de chapas, afirma a battenfeld-cincinnati. Isto traz uma grande vantagem, particularmente pelo fato de que os custos de investimento são pagos através da economia de energia. A linha completa precisa de aproximadamente 15-20% a menos de energia do que uma linha de extrusão de chapas convencional, assegura o fabricante de máquinas.

Segundo a battenfeld-cincinnati, a extrusora de alta velocidade é o principal responsável pela economia de energia, que é o segundo componente-chave da linha ao lado da bateria de rolos Multi-Touch. Com um diâmetro de rosca de 75 mm e um comprimento da unidade de processamento de 40 D , a extrusora atinge um fluxo de processamento até 2.000 kg/h, dependendo do material processado. O fabricante assegura que, graças ao design otimizado da rosca e cilindro, a extrusora provê uma ótima qualidade do material fundido mesmo com rotações elevadas de até 1200 rpm, criando, assim, condições para uma elevada qualidade do produto.

Qualidade combinada com elevada transparência, planicidade e espessura uniforme da chapa são hoje os parâmetros procurados pela indústria da embalagem. A bateria de rolos Multi-Touch foi projetada especialmente com isto em mente, afirma a battenfeld-cincinnati. Ao contrário de baterias de 3 rolos convencionais, a nova bateria trabalha com uma grande quantidade de espaços entre cilindros para assegurar uma refrigeração confiável e calibragem do lado superior e inferior da chapa, segundo a empresa. Na bateria de rolos Multi-Touch, a chapa passa primeiro através de uma unidade de pré-calibragem, constituída por dois cilindros grandes. Em seguida, a chapa entra na recalibragem, que está equipada com opções de 3, 5 ou 7 cilindros pequenos. Devido ao contato constante com os rolos, a chapa quase não apresenta orientação e um perfil de espessura particularmente uniforme, com uma acurácia de ± 1%, assegura a battenfeld-cincinnati. Isto contribui para a eficiência da linha, pois se pode alcançar economias significativas de matéria-prima, em comparação com linhas de extrusão de chapas convencionais

A battenfeld cincinnati afirma que, através do seu conceito de linha Multi-Touch, atende adequadamente às necessidades da indústria de embalagem em relação a chapas de alta qualidade produzidas em grande volume e com baixo consumo de energia.

A battenfeld-cincinnati fará a apresentação desta linha de produtos na feira de plásticos K 2016, neste ano, em Düsseldorf. Sob o lema “driven by innovation”, serão também apresentados os mais recentes avanços, ao lado de outros conceitos de máquinas já provados para o setor da embalagem.

Sobre a Dongjin Co., Ltd: A Dongjin crescido continuamente desde a sua fundação em 1975 e, ao mesmo tempo, tem ampliado constantemente a sua gama de produtos. Atualmente, o transformador emprega cerca de 450 colaboradores e produz produtos de embalagem, tais como chapas extrudadas, vasilhas termoformadas, artigos ocos moldados por sopro e copos injetados. Além de três unidades de produção na Coreia, o fabricante mantém unidades em Los Angeles/EUA e Yantai/China.

Sobre a battenfeld-cincinnati: O grupo battenfeld-cincinnati é um dos principais fabricantes mundiais de extrusoras e linhas completas de extrusão sob medida para atender às especificações dos clientes. A empresa oferece uma variedade de equipamentos nas áreas de tubos, perfis, chapas, chapas termoformadas e granulação. Os sites de produção estão localizados na Alemanha, Áustria, China e EUA.

Fonte: Assessoria de Imprensa – battenfeld-cincinnati

Curta nossa página no

Abipet realiza PETtalk Sul durante a Interplast, em Joinville

21/07/2016

Pet-talk-sulA Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET) apóia institucionalmente a Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico, que acontece de 16 a 19 de agosto, em Joinville (SC) e aproveitará a oportunidade para aproximar ainda mais a indústria de embalagens de PET de seus usuários.

No segundo dia da feira (17), das 13h às 21h, a instituição realizará o PETtalk Sul e levará informações de mercado, tecnologia e novidades do setor, além de proporcionar oportunidade para networking.

A programação do evento contará com as seguintes apresentações:

  • PQS – PetroquimicaSuape: Resinas PET
  • Husky: Potencializando os clientes com tecnologias inovadoras
  • Krones: Sistemas de enchimento e tecnologias para envase de produtos sensíveis
  • Piovan: Periféricos e sistemas de secagem de alta performance com redução no consumo de energia
  • Colormatrix: Pigmentação e aditivação
  • Gneuss: O Uso de PET Reciclado nas Embalagens Termoformadas para Alimentos – Qualidade com Segurança Alimentar
  • Polymetrix: As tendências nas instalações para reciclagem de plástico
  • CETEA – Centro de Tecnologia da Embalagem: PET-PCR para contato com alimentos: ensaios e os requerimentos para uso
  • Abipet – Censo da Reciclagem do PET no Brasil e números do mercado
  • Abipet: Como a Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos afeta seu negócio?

Inscrições e informações sobre valores pode ser obtidas pelo site http://www.pettalk.org.br ou através dos contatos (11) 3078-1688 / pettalk@pettalk.org.br.

A ABIPET, Associação Brasileira da Indústria do PET, é uma entidade sem fins lucrativos que reúne a cadeia produtiva do setor de PET: fabricantes da resina PET, fabricantes das embalagens de PET e seus recicladores. A Entidade representa cerca de 80% da Indústria do PET no Brasil e é a maior deste segmento em toda a América Latina. Fundada em 1995, a ABIPET tem como objetivos promover a utilização e reciclagem das embalagens de PET, incentivar o desenvolvimento tecnológico, aplicações para o PET reciclado e divulgar as ações do setor.

Como representante da Indústria de Embalagens de PET, a ABIPET divulga, incentiva e apoia o desenvolvimento de novas aplicações para o PET Reciclado, cumprindo o papel que cabe à indústria na preservação ambiental. A reciclagem de PET cresceu 16 vezes desde a fundação da entidade, criando todo um novo setor industrial que demanda o PET reciclado como insumo.

Serviço

PETtalk Sul
Data: 17 de agosto de 2016
Horário: 13h às 21h
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Informações: http://www.pettalk.org.br / pettalk@pettalk.org.br / (11) 3078-1688
Organização: Abipet

Fonte: Abipet / Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no

Sidel ajuda produtor brasileiro Algar Agro a desenvolver a “garrafa PET para óleo comestível mais leve do mundo “

23/05/2016

Sidel-linha

Produtor relevante no mercado brasileiro, a Algar Agro trabalhou com a Sidel para reduzir o peso total da sua garrafa de 18 para 14 gramas – uma redução de 22%.

A garrafa foi reprojetada sem quaisquer alterações perceptíveis para o consumidor em sua aparência externa, que já é bem conhecida. No entanto, usando a experiência da Sidel em redução de peso, a Algar Agro pôde alcançar uma economia significativa no peso e na matéria-prima utilizada. Houve também um impacto substancial na minimização do custo para produzir, embalar e transportar o produto acabado, juntamente com a redução do custo total da posse (TCO) do próprio equipamento de produção.

As propostas para otimização da embalagem da garrafa foram apresentads pela Sidel, que também realizou testes de viabilidade para o novo design no seu Centro de Embalagem e Ferramentaria em Guadalajara, no México. A Sidel foi escolhida entre outras empresas concorrentes por causa de sua experiência e conhecimento, bem como pelas propostas concretas apresentadas à Algar Agro durante as discussões iniciais para reduzir o peso da garrafa. Edney Valente Lima Filho, Gerente de Projetos da Algar Agro, explicou: “Nós reunimos os melhores fornecedores da indústria e isso se refletiu nos resultados do projeto. O sucesso da Sidel foi assegurado pelo know-how demonstrado durante a negociação para propor e garantir a nova garrafa de óleo vegetal – a mais leve do mundo “!

Sidel_garrafa_algaragroCom a aquisição de duas sopradoras Sidel Matrix ™ – uma em cada unidade de produção – a Algar Agro acredita que é o primeiro produtor de óleo comestível no Brasil com injeção e sopro integrados no seu processo de produção de PET. As máquinas da Sidel foram instaladas em linhas de engarrafamento produzindo 25.000 garrafas PET de óleo vegetal por hora. A instalação é resultado de um estudo de dois anos para investigar e avaliar a viabilidade do processo de integração da produção e acondicionamento de óleos vegetais.

Sopro Modular traz benefícios

Segundo a Sidel, a sua sopradora Matrix é um sistema de moldagem por sopro modular que permite tempos muito rápidos de troca, menor impacto ambiental, maior eficiência do forno e maior tempo de atividade, tudo isso contribuindo para um menor TCO (custo total de posse). A empresa afirma que, contando com até 200 configurações possíveis, o equipamento oferece qualidade e consistência em todos eles, dando aos produtores a flexibilidade para escolher tamanhos e formas que melhor se adaptem às suas necessidades. Três tamanhos de estações de sopro tornam possível a produção de uma variedade quase ilimitada de formas distintas de garrafas para single-serve (até 750 ml), multi-serve (até 2 litros) ou família estendida de garrafas (até 3,5 litros). Especialmente concebida para reduzir a geração de refugos, a sopradora Matrix também pode automaticamente detectar e eliminar desvios no processo de fabricação da garrafa, afirma a Sidel

A Sidel opera atualmente sete Centros de Embalagem e Ferramentaria em todo o mundo: dois na China e os restantes na França, Índia, Brasil, EUA e em Guadalajara (México). Segundo a empresa, a unidade localizada na segunda maior cidade do México demonstra o foco da empresa em transferir seu conhecimento global para os produtores a nível local e, ao fazê-lo, ajuda a atender à crescente demanda neste mercado. Desde o projeto da garrafa até a engenharia da linha de produção e gerenciamento completo do ciclo de vida, os produtores precisam de soluções e serviços otimizados com maior flexibilidade, reatividade, interação e cooperação.

Óleo comestível produzidos em duas unidades

A Algar Agro é uma empresa privada de produção, processamento e comercialização de soja e seus produtos derivados. As linhas de produção de alimentos da empresa incluem óleo de soja, óleo de oliva, óleo composto, extrato de tomate e molho – alguns produzidos em parceria com outras empresas. Ela é fornecedora tanto do mercado doméstico como para exportação. As atividades da empresa para esmagamento do grão, refino e embalagem do óleo de soja estão concentradas em dois complexos industriais avançados localizados em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e em Porto Franco, no sul do Estado do Maranhão.

Fonte: Sidel

Curta nossa página no

Seminário na Abiplast destaca importância das embalagens plásticas para a indústria de alimentos

09/05/2016

Abiplast_AgriculturaAo abrir sessão de palestras sobre a conjuntura nacional, na sede da ABIPLAST, o presidente da entidade, José Ricardo Roriz Coelho, reiterou a importância da indústria do plástico no agronegócio, tema abordado no encontro por representantes da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). “As embalagens plásticas foram fundamentais para mudar o comportamento do consumidor, melhorando a conservação dos alimentos e diminuindo o preço final dos produtos no varejo”.

O evento, que aconteceu no último dia 14, teve palestras do diretor do Departamento do Agronegócio da FIESP, Mario Sergio Cutait, acompanhado do gerente Antonio Carlos Costa, e também do jornalista José Nêumanne Pinto.

Mario Sérgio destacou que o agronegócio continua ganhando folego e apresentou dados sobre o crescimento do setor. Em 2015, o Brasil liderou a exportação de ovo, café, frango, milho e soja em grão, dentre outros produtos. O agronegócio representou 21,5 % do PIB.

Ressaltou, ainda, que o produtor da cadeia de alimentos no Brasil tem tecnologia e condições climáticas favoráveis. Quanto à conjuntura econômica, ponderou que, “com a queda da renda e do consumo no País, a exportação é um grande caminho”. Em 2015, os ganhos com as vendas externas foram de US$ 88,2 bilhões. Diante desse quadro, os produtos processados são um segmento em expansão. “Por isso, são muito importantes as tecnologias novas de embalagens para exportação”.

O gerente do Deagro, Antonio Carlos, disse que, “apesar da falta de confiança dos empresários e da possibilidade de novos tributos, o clima e o custo são fatores que favorecem os produtores. As projeções feitas pela FIESP apontam crescimento significativo da agropecuária. Até 2025, a expectativa é de que o Brasil seja o maior produtor de soja, milho e açúcar do mundo. Sendo assim, precisará de investimentos em infraestrutura e tecnologia.

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no

Tecnologia para embalagens da Dow ajudará na mitigação da pegada de carbono dos Jogos Olímpicos Rio 2016

18/04/2016

Dow_Microfoaming

Por meio de novo método que aumenta a produção de embalagem com a mesma quantidade de matérias-primas, o Microfoaming possibilita reduções nas emissões de gases de efeito estufa

Como Companhia Química Oficial dos Jogos Olímpicos e Parceira Oficial de Carbono dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a Dow desenvolve ao longo do mês o lançamento da tecnologia Microfoaming para a indústria de embalagens da América Latina. O projeto é parte importante do abrangente programa da Dow voltado a mitigar a pegada de carbono direta dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

O Microfoaming é uma tecnologia licenciada que foi desenvolvida para atender às demandas do mercado por soluções que reduzam o peso e adicionem características mais sustentáveis aos filmes e às embalagens. Segundo a Dow, a sua tecnologia permite a redução de densidade em filmes coextrudados por meio da espumação física. O resultado é o aumento da quantidade de embalagens produzidas com a mesma quantidade de resina.

De acordo com a Dow, alguns dos principais benefícios oferecidos pela tecnologia Microfoaming, combinadas a uma vasta gama de resinas de polietileno, incluem:

  • Embalagens com desempenho aprimorado, como maior integridade de selagem e maior resistência ao desgaste provocado pelo transporte e manuseio.
  • Embalagens com propriedades óticas diferenciadas que proporcionam características de embalagens premium.
  • Perfil ambiental superior ao de embalagens tradicionais.

Leves e versáteis, as embalagens microespumadas são especialmente indicadas para a indústria alimentícia, afirma a Dow. A tecnologia também pode ser utilizada no desenvolvimento de embalagens flexíveis para os setores de cosméticos, higiene, limpeza e embalagens termoencolhíveis (shrink). Entre as aplicações, destacam-se os stand-up pouches, os filmes laminados PE, PE PET, PE e BOPP, além de filmes com carga de pigmentos reduzida, embalagens FFS (Form, Fill and Seal), sacaria industrial de alta resistência, embalagens para produtos maleáveis e embalagens de detergentes, complementa a empresa.

Fabricantes no Brasil (Valfilm), Argentina (Petropack), México (Folmex), Colômbia e Guatemala (Plastilene) investiram na tecnologia Microafoaming. O projeto também conta com uma parceria com a MuCell Extrusão LLC, fabricante de equipamentos para soluções de extrusão e colaborador exclusivo Dow na tecnologia de filmes espumados.

“A embalagem é um item essencial para a sociedade moderna e fundamental na luta contra o desperdício de alimentos. Desta forma, a promoção da tecnologia Microfoaming dentro do programa de mitigação de carbono dos Jogos Rio 2016 é uma maneira eficaz de estimular o uso racional das embalagens e demonstrar como podem ajudar a reduzir emissões no mundo”, destaca Paloma Alonso, vice-presidente comercial para o negócio de Plásticos de Performance da Dow na América Latina.

A Dow trabalhará com parceiros externos na quantificação das reduções estimadas em emissões por meio desse novo processo produtivo. Os resultados do uso da tecnologia Microfoaming serão posteriormente verificados por auditores independentes para que possam ser agregados aos benefícios climáticos gerados por outros projetos implementados pela Dow para a mitigação da pegada de carbono direta do Rio 2016.

Mais informação sobre o Microfoaming está disponível no vídeo abaixo:

Mitigando a pegada de carbono dos Jogos Rio 2016

A Dow afirma que, além de garantir desempenho diferenciado no setor de embalagens, a tecnologia Microfoaming proporciona reduções nas emissões de gases de efeito estufa por meio de novos métodos de produção que garantem maior produtividade e melhorias no processo de extrusão dos filmes.

Graças ao seu potencial em agregar atributos de sustentabilidade à produção de embalagens, essa nova tecnologia foi incorporada ao programa de mitigação de carbono elaborado pela Dow para o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016. A empresa desenvolveu um programa personalizado para abordar as necessidades tecnológicas de produtores da América Latina, que poderão contribuir diretamente com o compromisso de mitigar 500 mil toneladas de CO2 equivalentes (CO2eq) provenientes da organização e entrega dos Jogos Olímpicos.

“Como Companhia Química Oficial dos Jogos Olímpicos e Parceira Oficial de Carbono do Rio 2016, a Dow engajou diversos membros da cadeia de valor para ajudar o Comitê a cumprir as suas metas de mitigação de carbono. O projeto da tecnologia Microfoaming é um exemplo claro de como a Dow utiliza o poder dos Jogos Olímpicos para influenciar a indústria de embalagens na adoção de soluções de baixo carbono”, afirma Tania Braga, líder de Sustentabilidade, Legado e Acessibilidade do Comitê Organizador Rio 2016.

Além de mitigar as emissões de carbono provenientes da organização e entrega dos Jogos Olímpicos – 500 mil toneladas de CO2 equivalentes (CO2eq) – Dow e o Rio 2016 ainda trabalham para gerar benefícios climáticos adicionais de 1,5 milhão de CO2eq até 2026, destinados a outras emissões ligadas aos Jogos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Fabricante de leite em pó para crianças Mead Johnson troca embalagem em lata por IML

07/04/2016

Verstraete_IML

A Mead Johnson, fabricante de leite em pó para bebês e crianças pequenas, trocou a embalagem em lata pelas embalagens IML. O aspecto de qualidade dos rótulos Metallic IML da Verstraete IML proporciona à embalagem um aspecto de qualidade superior (premium). Xóchitl López, Analista Regional de Marcas da Mead Johnson Nutrition Mexico, explica.

Enfamil-Enfagrow é recomendado pelos pediatras

“Com o Enfamil, nossos clientes dão aos seus filhos a melhor maneira de iniciar a vida. O Enfamil para recém-nascidos é inspirado no leite materno e foi desenvolvido especialmente para satisfazer as necessidades de um bebê recém-nascido. Contém DHA e colina, nutrientes importantes para o cérebro. Sobretudo, também oferecemos desde 2010 – como primeiro produtor nos EUA – um leite em pó que é adaptado à idade da criança: Enfagrow. Desta maneira, podemos alimentar as crianças em cada fase da vida. Enfamil é além disso, a marca mais recomendada pelos pediatras. Eles confiam em nosso leite em pó e reconhecem o efeito favorável no desenvolvimento mental da criança. Não é nenhuma surpresa que mais de 80% das maternidades norte-americanas optam por Enfamil.”

A embalagem IML mantém o produto fresco por mais tempo

No primeiro trimestre de 2015, a Mead Johnson introduziu uma embalagem IML novinha em folha para o Enfamil e Enfagrow no Peru, México e Colômbia. Xóchitl López: “ Tomamos essa decisão com base em nossas experiências nos Estados Unidos e nossa pesquisa com as mães. Ambas revelaram que o nosso produto permanece fresco por mais tempo em embalagens IML: A alta qualidade do leite em pó é preservada perfeitamente. Além disso, é mais seguro abrir uma embalagem IML e também é mais fácil. Vale salientar que a embalagem IML também é melhor para o ambiente, pois é 100% reciclável. Ela pode ser utilizada por 4 a 5 meses no armazenamento de leite em pó oriundo de embalagens de refil em papel.”

Metallic IML para produto premium

Neste projeto, a Mead Johnson trabalhou com a Verstraete IML e a moldadora por injeção americana Berry Plastics. “Nossa embalagem Metallic IML tem um visual único e destaca a alta qualidade dos nossos produtos, de forma que ficam com a aparência premium que merecem”, afirma Xóchitl López.

David Sinnery (Gerente regional de desenvolvimento de negócios na América do Norte da Verstraete IML) explica como a Verstraete IML colaborou com a moldadora Berry Plastics para fornecer a melhor qualidade e serviços à Mead Johnson. “A Mead Johnson foi a primeira em seu setor a optar pelo Metallic IML para enfatizar a alta qualidade do seu produto. A aparência e sensação do Metallic IML combina perfeitamente com o posicionamento da marca. A Mead Johnson oferece um produto premium. Graças a alta qualidade de impressão e de acabamento do Metallic IML, isto também fica bem claro para o cliente. A nova embalagem IML proporciona ao produto a aparência que ele merece e faz a diferença nas prateleiras das lojas. ”

Fonte: Verstraete

Curta nossa página no

Sistema de matrizes da Nordson EDI permite que a Evertis de México mantenha tolerâncias rígidas em embalagens PET multicamadas

25/02/2016
Esquema em corte do sistema de matrizes da Nordson EDI fornecido à Evertis de México mostra o bloco de alimentação Ultraflow™ V-S à esquerda e a matriz Ultraflex™ à direita, com um anteparo interno (componente na cor bronze) projetando-se a partir da matriz. A estrutura de laminado de sete camadas é assimétrica, com materiais diferentes acima e abaixo da camada central. O componente cilíndrico no bloco de alimentação é um tambor de seleção para alterações com o bloco à sequência de camadas. Os seis componentes amarelos em forma de gota nos pontos onde as camadas convergem são planos de combinação para ajuste fino das velocidades de combinação.

Esquema em corte do sistema de matrizes da Nordson EDI fornecido à Evertis de México mostra o bloco de alimentação Ultraflow™ V-S à esquerda e a matriz Ultraflex™ à direita, com um anteparo interno (componente na cor bronze) projetando-se a partir da matriz. A estrutura de laminado de sete camadas é assimétrica, com materiais diferentes acima e abaixo da camada central. O componente cilíndrico no bloco de alimentação é um tambor de seleção para alterações com o bloco à sequência de camadas. Os seis componentes amarelos em forma de gota nos pontos onde as camadas convergem são planos de combinação para ajuste fino das velocidades de combinação.

Controle de fluxo e versatilidade de sistemas de matrizes para extrusão aprimora capacidades de embalagem PET para múltiplas estruturas de barreira e evita instabilidade mesmo ao executar configurações complexas ou assimétricas

Um sistema de matrizes para coextrusão da Nordson Corporation permitiu que um processador por extrusão, especializado em lâminas de embalagem semirrígidas baseadas em PET, mantivesse uma uniformidade de camadas dentro da tolerância, evitando, ao mesmo tempo, defeitos no produto decorrentes de estruturas de camada assimétricas.

A Evertis de México S.A. de C.V., fabricante de lâminas termoformáveis para embalagem de alimentos, como aves, queijo e carne processada, bem como para aplicações não relacionadas a alimentos, instalou recentemente um sistema de matrizes da Nordson EDI para coextrusão a fim de produzir uma variedade de estruturas. Isso inclui lâminas padrão de várias camadas, de barreira elevada e de barreira média com espessuras de 180 a 1.016 µ (0,18 a 1,016 mm). Como as estruturas das lâminas de barreira frequentemente são assimétricas, a espessura dos materiais ou da camada acima da camada central difere daquelas abaixo dela. Segundo a Nordson EDI, o seu sistema para controle de fluxo de precisão tem possibilitado a manutenção de tolerâncias rígidas com relação às camadas em tais estruturas, ao mesmo tempo em que evita defeitos de ondulação, zigue-zague, entre outros, causados por instabilidade na interface entre as camadas.

“Na Evertis, buscamos melhorar nossos métodos de produção e fornecer consistentemente produtos de alta qualidade.”, afirmou Aprigio Pinto, diretor de produção da Evertis de México. “Trabalhamos com fornecedores de equipamentos inovadores com os quais sabemos que podemos contar para ter um notável serviço de atendimento e auxílio ao cliente. Essa filosofia é essencial para a Evertis de México, dado nosso crescimento contínuo nos mercados em que atuamos.”

“As respostas imediatas da equipe de suporte técnico da Nordson significam que a Evertis de México tem garantia de equipamentos e serviços de alta qualidade a um preço competitivo no mercado”, aponta Jacques Tillet, diretor de manutenção da Evertis de México. “Na Evertis, produzimos lâminas PET de barreira semirrígida para aplicações relacionadas a alimentos ou outras aplicações, e é essencial que a uniformidade das camadas seja sempre mantida dentro da tolerância. O sistema de matrizes da Nordson EDI nos permite controlar interfaces de camadas e, assim, evitar defeitos no produto como ondulações. Com esse sistema instalado, temos a certeza de que nossos clientes sempre receberão produtos de alta qualidade.”

Enfrentando os desafios impostos pelas estruturas assimétricas multicamadas

“Como as interfaces de camadas essenciais são deslocadas para regiões de cisalhamento mais elevadas das trajetórias de fluxo, as instabilidades de coextrusão são mais comuns com estruturas que são assimétricas.”, afirma o tecnólogo chefe da Nordson EDI, Sam G. Iuliano. “Nosso sistema de matrizes gera fluxos otimizados de material fundido e realiza o ajuste fino dos mesmos até o ponto de confluência. Além disso, a facilidade com a qual os ajustes podem ser feitos permite que o sistema seja muito versátil com relação à configuração da camada e à largura do produto.”

Os principais componentes do sistema de matrizes da Nordson EDI usados pela Evertis de México são os seguintes:

Matriz Ultraflex™ com anteparo interno e manifold Multiflow™ II-G. A Nordson construiu o manifold (canal de fluxo) dentro da matriz para reduzir os níveis de tensões de cisalhamento nas interfaces da camada, resultando em um aprimoramento na uniformidade da camada. Ao mesmo tempo, as seções do manifold em cada extremidade da matriz são dimensionadas para acomodar anteparos internos ajustáveis para fazer alterações na largura do produto.

Bloco de alimentação ajustável Ultraflow™ V-S. Um bloco de alimentação combina o fluxo de material fundido de extrusoras separadas em um “sanduíche” de múltiplas camadas, que a matriz de extrusão subsequente distribui para a largura pretendida para o produto. O bloco de alimentação Ultraflow V-S incorpora “planos de combinação” ajustáveis, localizados onde os fluxos de material derretido se encontram com o canal de fluxo central. Isso possibilita equilibrar as velocidades dos fluxos combinados. Ao operar no modo de flutuação livre, eles automaticamente compensam as alterações nas taxas de espessura da camada, as quais acompanham as alterações na estrutura do produto. Podem ser feitos ajustes sem a retirada do bloco de alimentação, aumentando a versatilidade do produto final e o tempo de atividade. Outro ajuste que pode ser feito com o bloco de alimentação é o uso de um tambor de seleção que possibilita a alteração das sequências de camadas na estrutura.

A Evertis de México S.A. de C.V. é uma subsidiária do Grupo IMG, pioneiro no campo de extrusão de laminados PET. Além da unidade no México, o grupo tem fábricas no Brasil e em Portugal e escritórios de vendas mas Américas e na Europa. A Evertis de México está localizada na Ave. Platón No. 138, 66600 Cd Apodaca, N.L., México. Tel: +52-81-8386-5550. Fax: +52-81-8386-5553. Visite o site: http://www.evertis.com/pt/home.

A Nordson Polymer Processing Systems fornece aos clientes componentes projetados para fundir, homogenizar, filtrar, medir e dar forma a plásticos e materiais de revestimento fluido. A Nordson Corporation aproveita a experiência da indústria de plásticos como um todo obtida por meio de uma série de aquisições estratégicas para oferecer um portfólio amplo e único das principais tecnologias do setor. A Nordson fornece uma ampla gama de produtos de precisão de fluxo fundido — desde roscas e cilindros para extrusão e molde para injeção a sistemas de filtragem, bombas e válvulas — para as matrizes de extrusão e sistemas de peletização a fim de atender às necessidades em constante evolução da indústria de polímeros.

A Nordson Corporation fornece aos clientes recursos para vendas técnicas, serviços e reforma locais por meio de organizações de venda e fábricas regionais em mais de 30 países. Para saber mais, acesse http://www.nordsonpolymerprocessing.com ou www.facebook.com/NordsonPPS.

Fonte: Nordson / Martino Comm.

Curta nossa página no

BASF amplia portfólio de Poliuretanos Termoplásticos para aplicações de contato com alimentos

25/11/2015

BASF_Elastollan

  • Aplicações seguras de contato com alimentos com o portfólio de grades de TPU
  • Ampla oferta de grades de TPU à base de éter e éster para aplicações de moldagem por injeção e extrusão

A BASF ampliou seu portfólio de Elastollan® (TPU, poliuretano termoplástico) para incluir grades especiais que envolvam contato com alimentos. O novo portfólio Elastollan®, que é produzido usando o sistema GMP (Good Manufacturing Practice) de garantia de qualidade, dispõe de vários grades à base de éter e éster. Eles podem ser utilizados em uma vasta gama de aplicações de moldagens por injeção e extrusão – desde correias transportadoras, filmes e tecidos até mangueiras.

Os plásticos que podem entrar em contato com os alimentos têm que cumprir os mais altos padrões de segurança e qualidade. As correias transportadoras ou mangueiras não devem, como componentes da planta, exalar quaisquer substâncias críticas que possam ser transferidas para os alimentos, alterando o sabor, odor ou a composição dos mesmos.

Segundo a BASF, os seus novos grades de Elastollan® FC cumprem ambas diretrizes dos regulamentos da União Europeia que regem as aplicações de contato com alimentos e os padrões do FDA americano (Food and Drug Administration). Eles também atendem aos requisitos de segurança das normas GMP (Orientação para Boas Práticas de Fabricação de 2023/2006/EC) – regulamento para assegurar a qualidade dos processos de produção e ambiente, utilizados para a fabricação de materiais que entrem em contato com os alimentos.

Segurança através de fiscalização e documentação

De acordo com a empresa, com a implementação de um pacote adicional de medidas como parte das normas GMP, a BASF assegura a qualidade do produto de forma consistente. Os elementos-chave dessas diretrizes incluem: testar a adequação dos sistemas; realizar análises de risco para determinar os riscos de contaminação; organizar a documentação completa do processo e controle de qualidade de dados; adotar ciclos de limpeza definidos; e aprovar, de forma específica, fornecedores e matérias-primas.

Na nomenclatura Elastollan®, os novos grades serão identificados pela sigla “FC” (Food Contact). Eles estarão disponíveis a partir de Janeiro de 2016.

Expansão do portfólio FC para plásticos de engenharia

Desde 2014, a BASF vem sendo uma das primeiras fabricantes de plásticos a oferecer um grade especial de FC na sua linha de polímeros PBT – PoliTereftalato de Butileno. O Ultradur® B FC 1520, por exemplo, oferece uma alta barreira ao vapor de água, oxigênio e aroma, sem a necessidade de quaisquer revestimentos adicionais, afirma a BASF. A certificação de contato com alimentos significa que a nova classe é adequada para cápsulas de café e embalagens de paredes finas moldadas por injeção para alimentos e cosméticos.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Unipac inaugura fábrica em Limeira

22/04/2015

Empresa investe na aquisição de prédio próprio e migra operações para assegurar capacidade de expansão

Unipac_1A Unipac, importante empresa industrial do segmento de transformação plástica, inaugurou oficialmente sua nova fábrica em Limeira (SP). A necessidade de ampliar a capacidade de produção de embalagens plásticas – utilizadas nos segmentos agrícola, químico, alimentício, entre outros – e de modernizar suas atividades, motivou a empresa a migrar todas as operações até então realizadas na filial de Santa Bárbara D´Oeste (SP), que encerrou seu ciclo.

O novo prédio abriga, desde 1º de janeiro de 2015, a fabricação de embalagens plásticas de 250 ml a 20 litros e de tampas para o mesmo segmento. Os investimentos na unidade incluíram a compra de maquinaria de última geração.

De acordo com Marcos Ribeiro, presidente da Unipac, a iniciativa se mostrou acertada para assegurar a expansão da empresa, abrindo claras perspectivas futuras. “O mercado nacional tem um amplo e diversificado potencial para embalagens, incluindo um dos nossos principais negócios da unidade de Limeira, o de embalagens plásticas rígidas para o segmento de agroquímicos, que vem crescendo em torno de 4% ao ano e que é impulsionado, principalmente, pela demanda mundial por alimentos, a qual movimenta o setor agrícola brasileiro. Os investimentos que fizemos nos permitirão manter nosso incremento na casa dos 20% ao ano”.

Tudo em um único lugar

Localizada às margens da Rodovia Engenheiro João Tosello (SP-147), no Km 103, em Limeira (SP), a nova planta da Unipac, com 23 mil m² de área construída e terreno de 57 mil m², comporta toda a área fabril oriunda de Santa Barbara D’Oeste, além dos estoques de embalagem, anteriormente alocados em operadores logísticos terceirizados. Na atual configuração, foi possível concentrar, em um único lugar, as operações de fabricação e armazenagem.

A escolha do local foi motivada, principalmente, pela proximidade com Santa Bárbara D´Oeste, a fim de manter o quadro de funcionários – cerca de 100 empregados diretos e 30  indiretos. Outros fatores que contribuíram para a definição foram o fato de Limeira estar numa região industrial forte, com mão de obra qualificada para apoiar o crescimento futuro da empresa, e a questão logística pelo fácil acesso, próximo a outras importantes rodovias.

“Em fevereiro de 2014, oficializamos a compra do prédio em Limeira. Precisávamos de um local maior que pudesse acomodar não apenas todas as atividades de embalagens, mas também nossa expansão. Por outro lado, tínhamos outra importante questão: queríamos manter nossos funcionários. Para tanto, procuramos lugares em cidades num raio de até 50 quilômetros de distância de Santa Bárbara D´Oeste. Deu certo e, hoje, o pessoal que permaneceu na empresa tem à disposição um ônibus fretado para ir ao trabalho”, explica Ribeiro.

Nova fábrica, mesmas exigências

Todas as práticas que dizem respeito à questão ambiental e que já são aplicadas nas outras unidades da empresa, permanecem também na fábrica de Limeira. Consideradas desde o inicio das atividades de adequação da nova planta, tais exigências, como controles e redução dos materiais e dos resíduos gerados, do consumo de água e energia, entre outras, já funcionam a pleno vapor. A planta utiliza novos sistemas de abastecimento: na fábrica, para reduzir as perdas de água e de resinas, as máquinas permitem controle e qualidade do processo de suprimento.

Recentemente, a unidade passou por auditoria do organismo de certificação de produto ABRACE e foi recomendada a obter a concessão da autorização para uso do Selo de Identificação da Conformidade, de acordo com os regulamentos de avaliação para embalagens utilizadas no transporte terrestre de produtos perigosos (Portaria INMETRO 326:2006).

Cliente da Unipac com unidade fabril in-house, a Syngenta também auditou e certificou a nova planta quanto à aderência aos padrões voltados à saúde, à segurança e ao meio ambiente. E estão previstas para junho e julho deste ano, respectivamente, as obtenções das certificações ISO 9001:08 e ISO 14001. Desta forma, o Sistema de Gestão da Qualidade da filial Limeira ficará integrado com a certificação de todas as outras unidades da Unipac.

Fundada em 1976, a Unipac conta com cerca de 900 funcionários e parques industriais instalados em quatro unidades no Estado de São Paulo – Pompeia (matriz), Limeira (filial), Regente Feijó e Paulínia (unidades in-house, ou seja, na sede de seus clientes). É considerada uma das indústrias de transformação de plásticos mais completas do país. A Unipac executa oito tipos de processos de transformação em seu parque fabril: sopro, injeção, injeção estrutural, extrusão de chapas, termoformagem, rotomoldagem, borracha e cerâmica. Essa variedade de processos possibilita a produção de soluções inovadoras e permite à Unipac atender aos seguintes mercados:

  • Automotivo: tanques para acondicionamento de diesel e Arla 32, com sistema integrado de nível, sucção, retorno e temperatura, além de sistemas de fixação e tampas – específicos para montadoras de caminhões e ônibus; e peças técnicas para diversas aplicações. Atende também o mercado de reposição; e acessórios para pick-ups, destinados ao setor de autopeças.
  • Agroquímico, Químico e Alimentício: embalagens monocamadas e multicamadas, além de tampas para as principais indústrias destes setores.
  • Agropecuário e Laticínios: produtos que auxiliam na ordenha e transporte do leite, além de outras soluções adequadas para o homem do campo.
  • Logístico: caixas colapsíveis e retornáveis, paletes, além de serviços de locação, higienização e manutenção para indústrias diversas.
  • Mercados diversos: peças técnicas produzidas de plástico, borracha ou cerâmica, para aplicações diversas.

Um moderno centro de pesquisa de engenharia em materiais e processos, a parceria com outros Centros de Pesquisas, incluindo o da Máquinas Agrícola Jacto e a sinergia entre as áreas da empresa e clientes  possibilita que a Unipac antecipe-se às tendências de mercado, sugerindo soluções inovadoras.

A Unipac faz parte de um grupo empresarial 100% nacional, fundado em 1948, composto por importantes empresas que atuam em vários segmentos: Jacto Agrícola, JactoClean, Rodojacto, Ferramentaria Jacto, Fundição Jacto, Veículos Jacto, Mizumo e Sintegra Surgical Sciencies.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Unipac

Curta nossa página no

Braskem apresenta resina para embalagens de hambúrgueres

07/04/2015

Produto garante maior resistência ao manuseio e transporte e diminui o risco de perdas eventuais ocasionadas por contaminação

A Braskem desenvolveu em seu Centro de Tecnologia e Inovação de Triunfo (RS) uma nova resina destinada ao mercado alimentício no acondicionamento de itens congelados, como hambúrgueres. Trata-se da resina de polietileno HF0131XP, desenhada especialmente para processo de extrusão de filmes tubulares.

Já disponível em supermercados de todo o Brasil, as embalagens de hambúrguer produzidas com esse produto contam com propriedades mecânicas diferenciadas que potencializam a eficiência na produção e oferecem uma boa aparência nas gôndolas de supermercados, com transparência e tom branco mais atrativo por conta de aditivação especial, tornando-as mais atraentes ao consumidor final.

Outra novidade é que o material não precisa ser misturado com outras resinas ou aditivos, o que garante utilização na forma pura para atingir os exigentes requisitos de mercado.  Dessa maneira, o filme torna-se mais resistente durante o processo de fabricação, o que aumenta os índices de eficiência ao fabricante, e oferece facilidade para envase aos frigoríficos.

Embora a durabilidade do hambúrguer esteja associada principalmente à temperatura na qual o produto é mantido, a resina HF0131XP é capaz de produzir filmes com elevada resistência mecânica em baixas temperaturas. Essa característica diminui o risco de perdas eventuais ocasionadas por contaminação proveniente de rasgos nas embalagens.

“O lançamento da resina demonstra o compromisso da Braskem com o desenvolvimento de soluções inovadoras e que atendam às necessidades de nossos clientes”, diz Fabio Agnelli Mesquita, gerente de engenharia de aplicação da Braskem.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no