Archive for the ‘Indústria Aeronáutica’ Category

Nova linha de produção da Solvay na Califórnia aumenta produção de compósitos termoplásticos para atender à demanda do setor aeroespacial

24/09/2019

O Grupo Solvay está expandindo sua capacidade de compósitos termoplásticos com uma nova linha de produção em suas instalações em Anaheim, na Califórnia (EUA) para atender ao forte crescimento da demanda dos clientes do setor aeroespacial por esse material.

Com a expansão, a Solvay multiplicará por quatro a sua capacidade produtiva de compósitos desde 2016, visando não apenas melhorar a produção, mas também a qualidade do produto e a consistência e confiabilidade industrial.

“A expansão significativa em pouco tempo, aliada à nossa atenção constante à melhoria geral da qualidade e da produtividade, ilustra nosso compromisso de servir melhor a nossos clientes. A forte demanda por nossos compósitos mostra que eles valorizam como nossos materiais reduzem o tempo e o custo de fabricação, ajudando a aumentar a taxa de construção de aeronaves. A Solvay está na posição de liderança para impulsionar avanços na inovação de materiais e acompanhar nossos clientes em suas ambições de crescimento”, disse Augusto Di Donfrancesco, do Comitê-Executivo do Grupo Solvay

O Grupo Solvay anunciou em maio de 2019 a criação de sua primeira plataforma estratégica horizontal para acelerar o desenvolvimento de compósitos termoplásticos que combinam os polímeros especiais aos compósitos de fibra de carbono. Segundo a empresa, esses materiais leves ajudam a reduzir as emissões de aviões e carros à medida em que substituem as peças metálicas e facilitam seu design e integração. Outras aplicações incluem tubos utilizados pela indústria de petróleo e gás, como alternativa técnica e econômica às soluções de aço existentes.

A Solvay é uma empresa de materiais avançados e de especialidades químicas, fornecendo produtos e soluções utilizados em aviões, automóveis, dispositivos inteligentes e instrumentos médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 24.500 pessoas em 61 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,3 bilhões em 2018.

Curta nossa página no

Anúncios

Solvay destaca a mobilidade sustentável e a eficiência de recursos na K 2019, em Outubro, na Alemanha

24/07/2019

A Solvay lançará na feira K 2019 novos desenvolvimentos em compósitos termoplásticos, materiais leves que fazem parte dos objetivos de mobilidade sustentável do Grupo e permitem a criação de soluções eficientes em termos de recursos para clientes dos setores aeroespacial/aeronáutico, automotivo e de petróleo e gás.

Recentemente, a Solvay criou uma plataforma totalmente dedicada a produtos termoplásticos, ampliando sua atuação no setor de materiais avançados com a integração vertical de seus compósitos e seu portfólio de polímeros especiais. Esses materiais, além da redução de peso, oferecem resistência ao calor e ao impacto, resistência mecânica e tenacidade, inércia química e permitem flexibilidade nos projetos dos clientes, afirma a empresa.

Além dos desenvolvimentos de compósitos termoplásticos, a Solvay lançará um novo polímero especial da sua linha de polieteretercetona (PEEK) de alta temperatura, um dos primeiros da indústria do setor.

Também apresentará aplicações exclusivas de seus materiais de alto desempenho, como uma bicicleta elétrica reciclável (foto) fabricada integralmente em plásticos e polímeros, a partir de material termoplástico de fibra longa (LFT) da empresa. Essa e-bike foi desenvolvida pela empresa Stajvelo, de Mônaco, e, segundo a Solvay, tem sido um sucesso de vendas no verão europeu de 2019.

Durante a K, serão realizadas apresentações sobre mobilidade sustentável e eficiência de recursos e de energia, abordando uma variedade de tópicos, entre os quais baterias, manufatura aditiva para impressão 3D, hiperconectividade, transporte, filtragem de água, construção e bens de consumo. Essas apresentações ocorrerão no estande da Solvay C61, no Hall 6, nos dias 16 a 18 de outubro e em 21 e 22 de outubro. A feira K 2019 será realizada em Düsseldorf, Alemanha, de 16 a 23 de outubro.

Rhodia – 100 anos de presença no Brasil: – A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, está completando 100 anos de atividades no Brasil em 2019. A empresa iniciou sua trajetória em Santo André – SP, com a instalação de uma unidade industrial de produtos químicos, que representou um dos primeiros passos da industrialização da região do ABC paulista. Desde setembro de 2011, a Rhodia faz parte do Grupo Solvay, um dos mais relevantes players internacionais em materiais avançados e especialidades químicas.

A Solvay é uma empresa de materiais avançados e de especialidades químicas,com produtos e soluções utilizados em aviões, automóveis, dispositivos inteligentes e instrumentos médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre outras aplicações. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 24.500 pessoas de 106 nacionalidades em 62 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,3 bilhões em 2018, resultando em uma margem de EBITDA de 22%. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

Curta nossa página no

Solvay faz parceria na área de polímeros especiais para impressão 3D de uso industrial

20/06/2019

Primeiro projeto junto com a Stratasys, que deve estar pronto em 2020, visa a aplicações na área aeroespacial/aeronáutica

A Solvay anunciou acordo de cooperação com a Stratasys para desenvolver novos filamentos de manufatura aditiva (AM) de alto desempenho para uso exclusivo nas impressoras 3D FDM® F900® da Stratasys.

“Os clientes da Stratasys têm solicitado repetidamente materiais mais diversificados e de alto desempenho, ao mesmo tempo em que muitos dos nossos clientes da Solvay desejam que os polímeros de alto desempenho sejam habilitados para uso nesses sistemas de impressão industrial 3D. Portanto, a parceria entre as duas empresas agora nos permite atender a essas necessidades crescentes”, disse Christophe Schramm, Gerente de Negócios de Additive Manufacturing da unidade global de negócios Specialty Polymers da Solvay.

Como parte de seu plano conjunto de produtos, a Solvay e a Stratasys trabalharão juntas para desenvolver um filamento de AM de alto desempenho baseado no polímero de polifenilsulfona da Solvay Radel® (PPSU) , que atenderá às exigências rigorosas de conformidade FAR* 25.853 para uso em aplicações aeroespaciais. Ambas as empresas pretendem comercializar este novo filamento Radel® PPSU em 2020.

Outros produtos que atendam às necessidades específicas da indústria em outros importantes mercados de uso final de AM também serão posteriormente lançados.

“A Solvay é uma líder confiável para materiais diversificados e testados para as indústrias aeroespacial, automotiva e médica. Estamos orgulhosos de dispor deste novo acordo de colaboração, que dará aos clientes a capacidade de expandir ainda mais a impressão em 3D FDM em aplicações de produção”, disse Rich Garrity, presidente da Stratasys Americas.

A Solvay tem um histórico de 25 anos com os grades de PPSU Radel® desenvolvidos especificamente para uso em componentes internos de cabine de aeronaves, que estão em conformidade com todos os requisitos comerciais e regulatórios de inflamabilidade, densidade de fumaça, liberação de calor e emissões de gases tóxicos, afirma a empresa. Estes grades também oferecem excelente resistência química e rigidez excepcionais, assegura a Solvay.

“A parceria com a Stratasys é um passo importante na estratégia da Solvay para criar um ecossistema sólido e diversificado de AM para melhor atender nossos clientes. A combinação da seleção e da expertise dos materiais da Solvay com os recursos de impressão 3D repetíveis e de alta qualidade da Stratasys abrirá novas possibilidades para a manufatura aditiva em mais das indústrias que atendemos atualmente de manufatura “tradicional”, acrescentou Christophe Schramm, da Solvay.

A Stratasys é líder global em manufatura aditiva ou tecnologia de impressão 3D e é fabricante de impressoras 3D FDM® e PolyJet™. As tecnologias da empresa são usadas para criar protótipos, moldes e peças de produção nas indústrias, incluindo a aeroespacial, automotiva, saúde, produtos de consumo e educação. O ecossistema de soluções e expertise da impressão 3D da Stratasys inclui: impressoras 3D, materiais, software, serviços especializados e produção de peças sob demanda.

A Solvay é uma empresa de materiais avançados e de especialidades químicas, com produtos e soluções utilizados em aviões, automóveis, dispositivos inteligentes e instrumentos médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre outras aplicações. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 24.500 pessoas em 62 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,3 bilhões em 2018. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

*Federal Aviation Regulations 253 (Regulamentação da Associação Federal de Aviação dos Estados Unidos)

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Aeronáutica utiliza impressora 3D da Stratasys na fabricação de modelos de laboratório de motores aeronáuticos hipersônicos

10/12/2018

Modelo de laboratório do motor scramjet instalado na seção de teste do túnel de vento hipersônico do IEAv (condição operacional testada: Número de Mach 7 na estratosfera terrestre)

Instituto de Estudos Avançados (IEAv) substituiu usinagem tradicional por manufatura aditiva (impressão 3D) para fabricar subsistemas de um motor scramjet

A Divisão de Aerotermodinâmica de Hipersônica (EAH) do Instituto de Estudos Avançados (IEAv), organização militar científico-tecnológica ligada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) do Comando da Aeronáutica, começou a utilizar uma impressora 3D Fortus 900mc, da Stratasys, para fabricar modelos de laboratório de motores aeronáuticos hipersônicos, conhecidos como scramjet (abreviação de supersonic combustion ramjet). A impressão 3D dos modelos do motor já trouxe uma economia de RS$ 250 mil ao ano nos custos de fabricação.

“O IEAv decidiu apostar numa manufatura “híbrida” para desenvolver o motor, por meio da combinação de processos de usinagem convencional e de fabricação aditiva”, explica Israel Rêgo, Chefe da Subdivisão de Ensaios em Solo da Divisão de Aerotermodinâmica e Hipersônica do IEAv. O objetivo, afirma, é otimizar o ciclo de pesquisa e desenvolvimento, e também acelerar eventuais atualizações e adaptações, bem como reduzir os custos de manufatura.

“Em um primeiro momento, o motor scramjet poderá ser utilizado como estágio de propulsão aspirado de foguetes rumo ao espaço. Em um período de tempo maior, ele terá aplicações na propulsão de aeronaves civis ou militares hipervelozes”, diz Israel.

Atualmente, o Instituto utiliza a impressora 3D para produzir três subsistemas do motor scramjet para ensaios em túnel de vento hipersônico: i. O estágio de compressão que captura o ar atmosférico para o combustor; ii. O próprio combustor, dentro do qual ocorre a combustão supersônica, que estão sendo impressos em 3D, com o uso da resina Ulten 9085, de elevada resistência e durabilidade mecânica e térmica; e iii. A tubeira de aceleração dos produtos da reação de combustão, que está sendo impressa em 3D com a utilização do material PC-ABS, de resistência e durabilidade moderada.

Visão explodida do modelo de laboratório do motor scramjet, manufaturado via impressão 3D e usinagem convencional (processo “híbrido” de manufatura)

Já em 2019, o IEAv utilizará a manufatura aditiva para fabricar um modelo de engenharia do motor scramjet, funcional e em escala real. “É um antecessor do modelo utilizado para a qualificação de voo, o chamado protoflight. Sua impressão em 3D vai nos possibilitar rever planos de fabricação e montagem dos subsistemas do motor e validar a funcionalidade de suas partes móveis (bypass), de modo ágil e econômico”, diz Israel.

A impressora 3D Fortus 900mc foi importada pelo IEAv em dezembro de 2015, com o apoio da FINEP, e seu emprego na fabricação aditiva dos subsistemas do motor scramjet começou em fevereiro de 2016. “Ela foi escolhida porque, além das vantagens associadas à economia de tempo e redução de custos, possui o maior envelope de impressão disponível no mercado, o que satisfaz nossos requisitos de fabricação rápida de subsistemas do motor scramjet em escala real”, detalha Israel.

Ele conta que a ideia de utilizar a tecnologia de manufatura aditiva no IEAv surgiu em 2013, durante a Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura (FEIMAFE). “Ali, logo identificamos a grande vantagem competitiva da tecnologia de prototipagem 3D para nossa atividade de pesquisa e desenvolvimento aqui na EAH”, explica Israel. Dois anos depois, o Instituto, com apoio da FINEP, importou o equipamento a um custo de cerca de US$ 400 mil. “Desde então, economizamos os custos da usinagem convencional realizada por terceiros, serviço que foi substituído por nossa impressora 3D”.

O sucesso do trabalho com a impressora 3D Fortus 900mc levou o IEAv a apresentar o artigo “Preliminary Studies on Hypersonic Flows Over 3D Printed Models” durante o Fórum de Aeronáutica e Espaço, realizado pelo American Institute of Aeronautics and Astronautics (AIAA) em Orlando, Estados Unidos, em setembro deste ano. O objetivo da apresentação foi mostrar como o Laboratório de Aerotermodinâmica e Hipersônica do IEAv tem utilizado a tecnologia FDM para acelerar a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias hipersônicas. A equipe do IEAv apresentou processos de fabricação de sistemas hipersônicos com o uso da impressora 3D Fortus 900mc.

“A manufatura aditiva está revolucionando as indústrias aeronáutica e de defesa, e essa revolução já está no Brasil. Ficamos satisfeitos por nossa solução impulsionar e facilitar a pesquisa e o desenvolvimento de projetos avançados como este em território nacional, afirma Anderson Soares, Territory Manager da Stratasys no Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Stratasys

Curta nossa página no </

Solvay lança tecnologia inovadora de colagem de compósitos para a indústria aeroespacial/aeronáutica

15/05/2018

A Solvay está lançando o FusePlyTM, uma tecnologia inovadora de colagem de compósitos para aplicação na construção de aeronaves. Segundo a Solvay, com essa nova tecnologia é possível a construção de peças de compósitos confiáveis e coladas usando processos de fabricação convencionais, por meio da criação de estruturas coladas por covalência, eliminando assim a necessidade de vários rebites e fixadores.

A Solvay afirma que a tecnologia FusePlyTM atende às necessidades dos fabricantes de aeronaves que buscam desempenho, taxas de construção melhores e redução de peso. De acordo com a empresa, a nova tecnologia oferece diversos benefícios, entre os quais maior confiabilidade, maior desempenho das peças, mais leveza, pela substituição de fixadores mecânicos por colagem FusePlyTM, e liberdade de design, uma vez que os adesivos oferecem maior flexibilidade de projeto durante a fabricação e montagem a um custo menor.

A tecnologia FusePlyTM pode ser facilmente integrada aos processos de fabricação existentes como uma atualização para os métodos tradicionais de preparação de superfície.

A Solvay apresentará a nova tecnologia de colagem FusePlyTM na SAMPE Long Beach 2018, nos Estados Unidos, exibindo amostras no seu estande (M25) e apresentando-se no programa da conferência SAMPE, no dia 23 de maio, às 10h30.

A nova Unidade Global de Negócios Composite Materials da Solvay é uma fornecedora global de soluções de materiais leves tecnologicamente avançados, que permitem aos clientes dos setores aeroespacial/aeronáutico, automotivo e em outros segmentos exigentes conceberem, desenvolverem e usarem estruturas de qualidade, alto desempenho e complexas. A Composite Materials possui um amplo portfólio de produtos, incluindo pré-impregnados, sistemas de resinas, adesivos e películas, fibra de carbono, têxteis, ferramentas e consumíveis de embalagem a vácuo. A Solvay Composite Materials combina os antigos negócios da Cytec Aerospace Materials e Industrial Materials.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Stratasys lança termoplástico com base de PEKK para processos FDM

01/05/2018

Novo material permite que fabricantes de veículos aeroespaciais e outros de alto desempenho passem a usar a manufatura aditiva em peças expostas a químicos e altas temperaturas

A Stratasys , empresa líder em soluções de tecnologia aditiva aplicada, apresentou um novo termoplástico de alto desempenho com base de PEKK, o Antero™ 800NA, voltado para seu processo de modelagem por fusão e deposição – FDM.

Segundo a empresa, um material de PEKK (poli-éter-cetona-cetona) para manufatura aditiva FDM oferece vantagens importantes para muitos fabricantes, incluindo peças mais leves, estoques reduzidos e mais lucratividade.

A Stratasys afirma que o Antero 800NA tem desempenho melhor do que outros termoplásticos de alto desempenho, pois apresenta resistência química superior e liberação de gases ultrabaixa, além de possuir resistência a altas temperaturas e propriedades de uso excepcionais.

Fabricantes de veículos aeroespaciais e outros de alto desempenho que desejam uma transição para um processo de manufatura aditiva estão entre os mais interessados no Antero 800NA.

De acordo com o fabricante do Antero 800NA, sua resistência química superior faz com que possa ser usado em componentes expostos a hidrocarbonetos, como combustíveis e lubrificantes, bem como a ácidos diversos. Além disso, sua baixa liberação de gases permite que seja utilizado em espaços confinados e ambientes sensíveis, como satélites, onde os materiais não podem liberar gás sob o vácuo. A alta temperatura de operação do Antero 800NA é projetada para que ele possa ser usado em aplicações sob o capô ou em compartimentos de motores, garante a Stratasys.

A manufatura aditiva customizada ou de baixo volume propicia vantagens de redução de custo em relação aos processos tradicionais de manufatura, nos quais o material é adquirido a granel (disponível apenas em formas e tamanhos limitados) e usinado até chegar a uma forma final. Esta técnica desperdiça uma quantidade considerável de material caro e necessita de tempo de execução maior. Com o processo aditivo, o fluxo de trabalho é mais rápido, uma vez que são produzidas peças mais leves, com topologia otimizada, o que também reduz significativamente desperdícios de material.

Outra vantagem importante do processo aditivo é que permite que os fabricantes produzam partes em PEKK sob demanda, eliminando a necessidade de um estoque, que poderia ficar inativo por anos antes de vir a ser necessário. A redução nos custos relacionados à manutenção do estoque significa maior lucratividade.

Além dos setores espacial, aeroespacial e automotivo, as indústrias-alvo incluem manufatura industrial de ponta e aplicações em petróleo e gás.

Ao contrário das peças PEKK feitas com alguns processos aditivos a base de pó, as peças do Antero 800NA criadas pelo processo FDM são mais duráveis e dimensionalmente estáveis, mesmo quando possuem dimensões muito grandes, afirma a Stratasys. Sua produção também é viável economicamente, mesmo em baixas quantidades.

De acordo com a fabricante do Antero 800NA, as suas vantagens do em relação a processos aditivos concorrentes incluem:

  • Melhor alongamento nos eixos X e Z, resultando em partes mais resistentes
  • Propriedades mecânicas consistentes
  • Custos vantajosos, mesmo na produção de baixo volume de unidades
  • Estabilidade dimensional em peças grandes
  • Vantagens da tecnologia FDM, incluindo facilidade de uso e liberdade de design

O Antero 800NA é o primeiro produto comercial da Stratasys numa nova família planejada de materiais com base de PEKK. Inicialmente, o material será oferecido com espessura de camada de 0,25 mm. Estão planejadas para lançamento futuro opções de espessura de camada adicionais.

O Antero 800NA deverá estar disponível para uso na Impressora 3D Fortus 450mc Production no segundo trimestre de 2018. A previsão para uso na Impressora 3D Fortus 900mc é o quarto trimestre de 2018. Usuários atuais da Fortus 450mc com o pacote de materiais de alto desempenho poderão utilizar o Antero 800NA sem taxas de licenciamento adicionais e os usuários da Fortus 450mc sem o pacote de materiais de alto desempenho podem comprar o pacote ou uma licença de material individual. Os sistemas da Fortus 450mc exigirão o upgrade de hardware Nylon 12CF, além de um novo bico extrusor e borda de purga para operar o material Antero 800NA.

A Stratasys é uma empresa líder em soluções de tecnologia aditiva aplicada para as indústrias, incluindo aeroespacial, automotiva, saúde, bens de consumo e educação.

Curta nossa página no

Evonik planeja novo complexo de poliamida 12 na Alemanha

28/03/2018

  • Maior investimento da Evonik na Alemanha
  • Forte crescimento do polímero de alto desempenho, poliamida 12, no setor automotivo, na indústria de petróleo & gás e na impressão 3D

A Evonik está planejando a construção de um novo complexo produtivo para o polímero de alto desempenho poliamida 12 (PA 12). O Grupo pretende aumentar em mais de 50% a sua capacidade geral produtiva de PA 12. A poliamida 12 é necessária em atraentes mercados em crescimento como a indústria automobilística, o setor de tubulações para petróleo e gás e na impressão 3D.

Após uma fase bem-sucedida de engenharia básica, a Evonik planeja investir aproximadamente 400 milhões de euros no complexo de poliamida 12, em seu maior site, o parque químico de Marl, na Alemanha. A produção de PA 12 existente deverá ser complementada com unidades de produção adicionais para o polímero e seus precursores. O início das operações do complexo está previsto para o começo de 2021.

O investimento fará uma contribuição substancial para o cumprimento da meta de margem da Evonik, além de gerar um fluxo de caixa anual na faixa de três dígitos de milhões de euros no longo prazo. O projeto deve ser implementado ao longo de quatro anos, como parte do orçamento anual para investimentos em crescimento.

“Estamos planejando o maior investimento da Evonik na Alemanha”, revela Christian Kullmann, Presidente da Diretoria Executiva da Evonik. “Este investimento representa uma combinação perfeita para a nossa estratégia de enfocar, de modo consistente, as especialidades químicas, sendo que a poliamida 12, na qualidade de polímero de alto desempenho para aplicações especiais, é uma parte importante do nosso motor de crescimento estratégico Smart Materials”. Kullmann vê a Alemanha como uma região industrial atraente e competitiva. “Nossa equipe de Marl é altamente qualificada e nosso investimento vai gerar cerca de 150 novos empregos. Além disso, podemos fazer uso otimizado de sinergias com a nossa infraestrutura existente, o que cria condições altamente favoráveis para a venda das nossas especialidades em escala global”.

O mercado de PA 12 registra taxas de crescimento anual acima de 5% no mundo inteiro, superando de modo significativo o crescimento do produto interno bruto global. Na aplicação especial de impressão 3D, as taxas de crescimento chegam a dois dígitos. “A demanda por poliamida 12 apresenta um crescimento consistente e dinâmico”, diz Claus Rettig, Presidente da Diretoria Executiva da Evonik Resource Efficiency GmbH. “A expansão planejada da capacidade fortalecerá ainda mais a nossa posição de liderança mundial em poliamida 12. Para nossos clientes no mundo inteiro, o nosso comprometimento significa disponibilidade no longo prazo e confiabilidade no fornecimento para as suas aplicações atuais e futuras”.

Em virtude de suas propriedades excelentes, como alta estabilidade aliada à flexibilidade, resistência a altas temperaturas e pouco peso, o polímero de alto desempenho é utilizado em muitas aplicações exigentes como substituto para o aço: em projetos automotivos e de redução de peso, bem como em tubulações de petróleo e gás. Além das aplicações atuais no setor automotivo, a Evonik também está muito bem posicionada em relação à produção futura de veículos híbridos e elétricos. Além disso, o material é usado no setor médico e na impressão 3D.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Solvay assina contrato com a Boeing para o fornecimento de materiais ao programa de aeronaves 777X

16/01/2018

O Grupo Solvay assinou um acordo com a Boeing para o fornecimento de materiais compósitos e adesivos avançados destinados à produção de aviões 777X.

A Solvay fornecerá uma variedade de tecnologias de materiais, incluindo prepregs de fibra de carbono, prepregs fenólicos resistentes à chama para aplicações interiores, filme de revestimento para proteção contra raios e adesivo de ligação estrutural. Esses materiais serão aplicados nas aeronaves 777X, inclusive nos estabilizadores verticais e horizontais, na nacela, portas de trem de pouso, asas e estruturas interiores.

“A Boeing é um dos principais parceiros estratégicos da Solvay e a assinatura deste acordo demonstra nossa capacidade de desenvolver soluções em materiais que atendam aos desafios técnicos, de fornecimento e de custo da Boeing. Nossas equipes esperam continuar sua colaboração com a Boeing e apoiar a produção do 777X “, disse Carmelo Lo Faro, presidente da Unidade Global de Negócios Composite Materials da Solvay.

A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 27.000 pessoas em 58 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,9 bilhões em 2016. A empresa tem clientes em diversos mercados finais globais, como o aeronáutico, automotivo, dispositivos inteligentes e médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre outros.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Solvay e Strata criam joint venture nos Emirados Árabes Unidos na área de materiais aeroespaciais para fornecer à Boeing

23/11/2017

  • A parceria expande a capacidade industrial dos Emirados Árabes Unidos com planta industrial para fabricação de fibra de carbono pré-impregnada de alta tecnologia, na cidade de Al Ain
  • A unidade será comissionada em 2020 e vai ancorar um setor de fabricação avançado em franco crescimento

A Solvay, empresa internacional de multiespecialidades químicas, e a Strata, empresa de fabricação de aeroestruturas de compósitos, formalizaram joint venture (JV) para fornecer materiais compósitos avançados para a Boeing, a serem fabricados em uma planta de alta tecnologia a ser construída em Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos. Após a assinatura do acordo de JV, os parceiros buscarão as devidas aprovações das autoridades que regulam a concorrência.

Essa joint venture 50/50 será o primeiro fornecedor de fibras de carbono pré-impregnadas (também conhecidas como “prepregs”) dos Emirados Árabes Unidos. O material possui alto desempenho e durabilidade, sendo usado na fabricação de estruturas de compósitos para aplicações aeronáuticas/aeroespaciais, incluindo a aeronave de última geração da Boeing, o avião 777X.

A parceria marca a entrada da Solvay na produção de materiais avançados nos Emirados Árabes Unidos e a entrada da Mubadala, por meio da sua subsidiária integral Strata, na fabricação destes materiais para a indústria aeroespacial.

“Nos últimos dez anos, a Mubadala ajudou a criar uma indústria aeroespacial avançada e sustentável, de alinhada com a visão de diversificação econômica de Abu Dhabi”, disse Khaled Abdulla Al Qubaisi, CEO da área aeroespacial, renováveis e ICT da Mubadala. “Este acordo com a Solvay se encaixa perfeitamente na nossa estratégia de crescimento, focalizando nas capacidades de fabricação de alta tecnologia e demonstrando o nosso compromisso de fornecer produtos competitivos para os principais fabricantes de equipamentos originais (OEM’s, na sigla em inglês) do mundo”.

“A joint venture demonstra as potencialidades da Solvay em tecnologias de compósitos aeroespaciais, inclusive para estruturas primárias de aeronaves, como um pilar de crescimento para nosso negócio de materiais avançados”, disse Jean-Pierre Clamadieu, CEO da Solvay.

A nova instalação industrial de cerca de 800 metros quadrados fornecerá fibras de carbono pré-impregnadas à Boeing para aplicações de estrutura primária nos seus novos aviões 777X. A tecnologia de prepreg da Solvay consiste em reforços de fibras pré-impregnadas com uma matriz de resina, usadas para fabricar peças de compósitos, proporcionando desempenho excepcional com menor peso em comparação com estruturas metálicas, afirma a empresa.

Badr Al-Olama, presidente da Strata Manufacturing e diretor do setor aeroespacial, afirmou que o acordo é uma história de sucesso dos Emirados Árabes Unidos para a Strata e sua acionista Mubadala. “Estamos orgulhosos em ser parte integrante da cadeia de suprimentos aeroespaciais global e por expandir nossa parceria com a Boeing por meio desta entrada na fabricação de materiais avançados”, disse.

“A Solvay irá trazer sua expertise técnica em materiais compósitos avançados para esta parceria e aproveitar sua relação comercial de longa data com a Boeing para transformar essa parceria em um sucesso”, afirmou Carmelo Lo Faro, presidente da Unidade Global de Negócio Composite Materials da Solvay.

O conteúdo em compósitos das aeronaves de última geração continua a crescer à medida que os fabricantes de grandes aeronaves comerciais buscam reduzir o peso, melhorar a eficiência de combustível e reduzir as emissões de CO2.

Sobre o Grupo Solvay: A Solvay é uma empresa química de multiespecialidades, oferecendo produtos e soluções para aviões, carros, dispositivos inteligentes e médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre outras aplicações que promovem a sustentabilidade. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 27.000 pessoas em 58 países. O faturamento líquido pro forma foi de € 10,9 bilhões em 2016, dos quais 90% foram obtidos em atividades nas quais a Solvay está entre as 3 maiores empresas do mundo. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

Sobre a Mubadala: A Mubadala Investment Company é uma investidora global pioneira que aplica capital para acelerar o crescimento econômico de longo prazo de Abu Dhabi. Como a principal empresa de investimentos estratégicos de Abu Dhabi, a Mubadala atua em 13 setores e em mais de 30 países ao redor do mundo, criando valor para o seu principal acionista, o governo de Abu Dhabi. Esse trabalho inclui o desenvolvimento de líderes industriais globais em setores como aeroespacial, ICT, semicondutores, metais, mineração e energia renovável e a gestão de diversas participações financeiras. A empresa aproveta a sua expertise em em petróleo e gás para investir em todo o espectro de hidrocarbonetos e aumentar o potencial de crescimento dos Emirados Árabes Unidos, por meio de investimentos em serviços de saúde, imóveis e defesa.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Solvay lança polímero híbrido de Poliarilamida com fibra de carbono e fibra de vidro para aplicações de alto desempenho

25/10/2017

O novo material é destinado à produção de componentes longos, finos e leves para aplicações aeronáuticas/aeroespaciais, automotivas e em bens de consumo

A Solvay, fornecedora global de polímeros especiais, está fazendo o lançamento do Ixef® 3012, um polímero de poliarilamida (PARA) reforçado com 55 por cento de fibra de carbono e fibra de vidro. O novo material foi desenvolvido para proporcionar resistência e rigidez extremamente elevadas combinadas com menor densidade e um acabamento de superfície excepcional, afirma a Solvay.

“O Ixef® 3012 PARA destina-se a componentes longos, finos e leves que não precisam de pintura e são capazes de atender a funções mecânicas exigentes em aplicações aeronáuticas/aeroespaciais, automotivas e de bens de consumo”, disse Thomas Kohnert, Gerente dos Produtos Ixef®, Kalix® e Omnix® da unidade global de negócios Specialty Polymers da Solvay.

“A união híbrida de fibra de carbono e fibra de vidro oferece superior característica técnica de flexão e abre um amplo potencial de substituição para o metal, com redução de peso e integração de sistemas, enquanto a sua alta capacidade de fluidez permite a moldagem econômica por injeção de peças delicadas com longos caminhos de fluxo durante o processo produtivo”.

Além da alta rigidez e resistência ao impacto, o Ixef® 3012 PARA exibe excelente resistência à fluência e conduz eletricidade, assegura a Solvay. O seu perfil de propriedade tem um encaixe de mercado ideal em aplicações complexas de lamelas de ventilação de ar automotivas e alavancas do corpo da borboleta para componentes de drone, peças de fixação de câmera de ação e encaixes de cantilever (peças sustentadas em apenas uma extremidade).

O Ixef® 3012 PARA complementa o Ixef® 3008 PARA já existente, reforçado com 30 por cento de fibra de carbono da Solvay, e está comercialmente disponível, em todo o mundo, na cor preta.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Solvay produzirá resina PEKK para apoiar o mercado aeroespacial/aeronáutico com materiais compósitos

13/09/2017

O Grupo Solvay começará a produzir polímeros de PEKK (poli(éter-cetona-cetona)) de alto desempenho nos Estados Unidos, no início do próximo ano, para apoiar o seu negócio de materiais compósitos e atender à crescente demanda do setor aeroespacial/aeronáutico.

“O Grupo Solvay reafirma a sua posição única em materiais leves, unindo as forças de seus polímeros especiais de alto desempenho e materiais compósitos para produzir sua própria resina PEKK”, disse Roger Kearns, membro do Comitê-Executivo da Solvay. “Esta nova capacidade abordará a demanda em rápido crescimento de compósitos termoplásticos e componentes de impressão 3D no setor aeroespacial e em outros mercados”.

Com base na sua posição de liderança em materiais para substituição de metal, a Solvay iniciará a produção de PEKK, sob o nome comercial NovaSpire™, em sua unidade em Augusta, na Geórgia.

O PEKK é usado em compósitos termoplásticos reforçados com fibras de carbono e na fabricação aditiva, também conhecida como impressão 3D, em uma variedade de aplicações industriais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Materiais compósitos da Solvay presentes na estrutura de asa exclusiva do avião russo MC-21

15/06/2017

O Grupo Solvay emitiu comunicado parabenizando a United Aircraft Corporation e a AeroComposit pelo primeiro voo da aeronave russa MC-21.

O MC-21 é o único avião de passageiros de corpo estreito (narrow body) com estruturas de asa de compósitos, fabricadas pela AeroComposit com tecnologia de infusão de resina fora de autoclave. A tecnologia de materiais para infusão de resina da Solvay foi selecionada para a fabricação das estruturas das asas, incluíram fita de fiação de fibra de carbono seca PRISM® TX 1100 e a resina endurecida PRISM® EP 2400.

“Para a Solvay, a escolha da United Aircraft Corporation e da AeroComposit no uso de compósitos de fibra de carbono fora de autoclave para fabricar componentes de estrutura primária, como as asas, é um passo significativo na adoção mais ampla desses materiais em estruturas primárias de aeronaves de grande porte”, disse Carmelo Lo Faro, presidente da Unidade Global de Negócios Composite Materials do Grupo Solvay.

Segundo Lo Faro, a tecnologia exclusiva da Solvay melhora a eficiência de design e fabricação de peças complexas, oferecendo benefícios de custo, bem como vantagens críticas em leveza e eficiência de combustível. “Desejamos muito sucesso para a equipe do MC-21 nas próximas etapas”, assinalou.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Solvay Specialty Polymers cresce na América do Sul impulsionada por inovações para os setores automotivo, aeroespacial/aeronáutica e saúde

15/04/2017

O Grupo Solvay, fornecedor global de polímeros especiais, informa que a demanda por seus polímeros de alto desempenho continua a crescer na América do Sul para apoiar tecnologias em desenvolvimento para as indústrias dos setores automotivo, aeroespacial/aeronáutica e de saúde.

“A aplicação de nossos polímeros especiais têm ganhado espaço nos diversos mercados em que atuamos aqui na região, principalmente porque substituem com vantagens outros materiais tradicionalmente usados nessas indústrias. Temos reforçado nossa presença comercial na região, procurando aproveitar as oportunidades oferecidas pelo mercado regional”, afirma Andreas Savvides, Diretor Regional de Vendas e Marketing da Solvay Specialty Polymers na América do Sul.

Mercado Automotivo – Os fabricantes de automóveis em todo o mundo estão explorando maneiras de reduzir o peso total do veículo, a fim de cumprir as próximas normas de emissões de CO2, além de desenvolver carros mais eficientes em termos de combustível. Embora os termoplásticos tenham ajudado a reduzir o peso do veículo através da substituição de metal em componentes do interior, do exterior e sob o capô, o motor automotivo continua a ser uma fronteira para a tecnologia de plásticos e polímeros.

O Polimotor 2 (foto), um motor totalmente de plástico e polímeros, desenvolvido pelo engenheiro automotivo Matti Holtzberg, tem como objetivo aumentar substancialmente o uso de termoplásticos avançados para a produção de um motor de quatro cilindros e duplo comando de vávulas, que pesa 63-67kg ou cerca de 40kg menos do que o motor padrão atual da indústria automobilística. A Solvay é a principal fornecedora de materiais avançados para este projeto revolucionário do setor.

O Polimotor 2 está centrado na substituição de metal em uma vasta gama de componentes do motor, incluindo as bombas de água, corpo do acelerador, bomba de combustível e correia dentada, entre outros, com o uso de polímeros de alto desempenho fabricados pela Solvay. As aplicações visam: engrenagem da correia dentada (Torlon® PAI), duto eliminador do óleo e  duto de admissão do combustível  (KetaSpire® PEEK), bomba de óleo (AvaSpire® PAEK), saída de água (Amodel® PPA), juntas  da saída de água e  anéis do bico injetor (Tecnoflon® FKM),  galeria de combustível (Ryton® PPS),  tampa do comando de válvulas (Radel® PPSU) e câmara de admissão  (Sinterline® Technyl®).

Mecado Aeroespacial / Aeronáutica – O compósito TegraCore™ PPSU é utilizado pela indústria do setor Aeroespacial/Aeronáutico na produção de espuma estrutural para painéis e revestimentos, funcionando como componente isolador de cabines e interiores de aeronaves. Segundo a Solvay, atendem aos mais exigentes requisitos de inflamabilidade, densidade de fumaça e emissão de gases tóxicos, além de oferecer maior resistência ao impacto do que os materiais tradicionais.

O TegraCore™ PPSU ajuda a atender às necessidades da indústria aeronáutica para reduzir o peso e, assim, o consumo de combustível e as emissões de CO2, ao mesmo tempo em que economiza tempo e custos na produção, remodelação e manutenção das aeronaves, afirma a Solvay. Eles também podem ser usados ​​para fabricar peças estruturais usando os processos RTM. A Solvay obteve a homologação da Airbus para a linha TegraCore™ PPSU, que está sendo implementada em sua aeronave A350 XWB como material leve de alto desempenho e deve ser utilizada em outras aeronaves da Airbus.

Setor de Saúde – No setor de saúde, os polímeros especiais da Solvay são oferecidos para uso em dispositivos implantáveis, dispositivos médicos e instrumentos cirúrgicos. Os afastadores cirúrgicos feitos em Ixef® PARA e AvaSpire® PAEK são exemplos mais avançados da Solvay para mostrar as vantagens de polímeros de alto desempenho sobre o metal nessas aplicações. Segundo a Solvay, o uso de seus polímeros Solvay podem reduzir significativamente os custos de produção e permitir que os fabricantes de peças originais (OEM’s) comercializem instrumentos de uso único, normalmente mais econômicos do que os produzidos em metal.

A empresa tem ganhado mercado na área de Saúde com a oferta de polímeros especiais para a produção de estojos autoclaváveis da área odontológica e hospitalar em sulfonas. Os polímeros Radel® PPSU e Udel® PSU oferecem diversas funcionalidades para atender a várias exigências. Estojos produzidos com esses materiais sãoo leves e fáceis de transportar, transparentes, o facilita a visualização do conteúdo; além de oferecerem facilidade de limpeza e higienização, alta performance e durabilidade, afirma a empresa.

Ainda na área de Saúde, a Solvay anunciou recentemente que a empresa está entrando em dispositivos odontológicos com uma nova linha de negócios de cuidados dentários. Trata-se do Solvay Dental 360™, com a oferta de um material inovador para a substituição do metal no segmento de prótese dentária parcial removível (RPD, na sigla em inglês). O novo polímero especial Ultaire™ AKP da Solvay permite a produção de próteses RPD sem metal, biocompatíveis, mais confortáveis ​​e de aparência natural, que são mais de 60% mais leves do que uma estrutura metálica, assegura a Solvay.

Os polímeros especiais da Solvay também são utilizados na indústria de Petróleo e Gás para estender a vida útil dos equipamentos através de melhor proteção contra corrosão e substituição de metal; em embalagens blister de alta barreira para proteger e estender a vida útil de alimentos e produtos farmacêuticos; em materiais isentos de halogênio para eletrônicos, fios e cabos; e na produção de membranas utilizadas em hemodiálise e outros processos de filtração de alta tecnologia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Evonik constrói planta para a produção de chapas acrílicas para a indústria aeronáutica

08/12/2016

evonik_plexiglas

  • Empresa deve investir milhões de euros em nova planta em seu site de Weiterstadt, Alemanha
  • Início da produção estimado para o começo de 2018
  • Permite a produção – inédita no mundo – de chapas de PMMA de grandes dimensões em conformidade com as normas Mil-P25690 e EN 4366.

Com seus materiais da marca Plexiglas®/Acrylite® para a indústria da aviação, a Evonik há mais de 80 anos se mantém entre os principais produtores globais nessa área. Conhecidos fabricantes de aviões como a Airbus e a Boeing há muito tem usado os produtos da Evonik. Segundo a empresa, em decorrência de sua alta qualidade óptica, baixo peso e boa processabilidade, o Plexiglas®/Acrylite® tem sido usado tradicionalmente em janelas de cabines de aviões comerciais e em janelas de cockpit de outros aviões ou helicópteros.

Com a decisão de construir uma planta para stretching e polimento de chapas de PMMA no site de Weiterstadt (Alemanha), a Evonik consolidou ainda mais a sua posição de mercado mediante integração vertical, ao mesmo tempo que direciona o seu portfólio de produtos para se tornar um fornecedor completo (full-range) de chapas de PMMA cast e stretched para a indústria da aviação.

De acordo com a Evonik, as chapas de PMMA stretched oferecem melhor resistência química e resistência ao impacto, o que faz com que o material seja especialmente indicado para atender os requisitos extremamente exigentes da indústria da aviação.

A nova planta produtora de chapas stretched Plexiglas®/Acrylite® para a indústria da aviação é a mais avançada do gênero no mundo, afirma a empresa. Ela está sendo construída ao lado da planta já existente, que produz blocos de PMMA cast, que é o material básico para o processo de stretching.

O investimento permitirá, no futuro, a produção de chapas stretched duas vezes maiores do que as produzidas atualmente. Isso fará com que a Evonik seja o único fabricante mundial dessas chapas de grandes dimensões, a satisfazer a tendência por janelas maiores nos aviões e o aumento resultante da demanda de dimensões acima do tamanho. No caso das aplicações mais tradicionais, essas chapas de grande dimensão irão resultar em um rendimento maior por chapa stretched enquanto mantêm os mais altos padrões de qualidade e segurança de fornecimento.

Segundo Martin Krämer, Presidente da Linha de Negócios Acrylic Products da Evonik no Segmento de Performance Materials, “A nova planta irá complementar idealmente o nosso portfólio de produtos nesse setor que apresenta crescimento extremamente rápido. Esse investimento está perfeitamente alinhado com o nosso foco estratégico em especialidades de PMMA e demonstra o nosso compromisso em ser um parceiro confiável para a indústria da aviação”.

“A demanda por chapas streched de PMMA que estejam de acordo com as mais altas exigências de qualidade e segurança de fornecimento está em elevação na indústria da aviação. Com a nova unidade de produção e a experiência dos nossos colaboradores, estamos perfeitamente preparados para trabalhar ao lado dos nossos clientes, apoiando o crescimento deles e promovendo a inovação dentro da indústria da aviação”, acrescenta Roland Mickal, diretor do setor Transportation Market da Linha de Negócios Acrylic Products.

Steve C. DuPont, gerente sênior de mercado da Acrylic Products, conclui: “As atuais cadeias de fornecimento se baseiam em tecnologias que já existem há mais de 50 anos, ou seja, o mercado precisa com urgência de um líder em inovação. O nosso investimento nos permite abastecer os clientes com as chapas de maior tamanho que existem no mercado e com as menores tolerâncias possíveis em termos de espessura. Desse modo, estamos melhorando os padrões das chapas de PMMA stretched e abrindo novas possibilidades de inovação e design para os nossos clientes.

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Victrex desenvolve polímero para dispenser de serviço de bordo

09/11/2016

victrex_dispenser-bordo

Dispenser de bebidas compacto e inovador da SkyTender Solutions foi fabricado com apoio da Victrex

Para a maioria dos passageiros, bebidas em altitudes de 10.000 metros fazem parte da “experiência de vôo”. No entanto, o serviço habitual implica em um custo para as companhias aéreas e seus fornecedores, além de ter impacto no meio ambiente. O “SkyTender”, um dispenser de bebidas móvel, produzido pela SkyTender Solutions, pode economizar tempo e substituir embalagens convencionais, tais como latas ou garrafas, tornando o consumo mais transparente. Com este produto inovador, a empresa alemã está contando com redes digitais de tecnologia e materiais de alta performance certificadas para a aviação, usando o polímero Victrex Peek para reservatórios de água.

Utilizado no reservatório de água interno, o polímero Victrex Peek garante que as bebidas tenham o seu gosto adequado. Os três reservatórios da SkyTender, de 10 litros cada, podem conter água potável quente ou fria. Em operação, os materiais não degradam e nem contaminam os produtos, especialmente em caso de contato prolongado com água quente. O termoplástico da Victrex está em conformidade com os requisitos da US Food and Drug Administration (FDA 21 CRF 177.2415) e a regulamentação europeia (CE 1935/2004) para contato com alimentos e tem uma história de décadas de uso na indústria alimentícia.

A participação e suporte da Victrex no projeto de desenvolvimento do reservatório de água estreito e com otimização de peso é valorizado por Andreas Strauß, vice-presidente sênior de Inovação na SkyTender Technology. “A Victrex tem nos dado grande apoio durante a seleção de materiais e design de ferramentas. Fomos capazes de integrar as propriedades dos materiais e diretrizes de processamento, bem como o comportamento térmico e estático logo nos primeiros estágios da concepção dos reservatórios de água”, destaca o executivo.

SkyTender: solução agradável e simples beneficia a todas as partes interessadas – A solução da SkyTender recebeu recentemente a autorização necessária da Autoridade Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA). A nova tecnologia deverá ter impacto positivo no serviço de bordo, bem como na proteção ambiental. Ela permitirá, por exemplo, a economia de tempo da tripulação de cabine no preparo e distribuição de bebidas. Os passageiros poderão escolher até 12 bebidas diferentes. Esta seleção variada é possível por meio de um sistema de “bag in box”, que, ao contrário de garrafas e latas tradicionais, demanda muito menos espaço de armazenamento, além de reduzir o desperdício de embalagem e otimizar as emissões de CO2 das companhias aéreas.

“Em 2015, as companhias aéreas receberam mais de 3,5 bilhões de passageiros e o transporte aéreo está crescendo cerca de 5% ao ano. Os fabricantes de aeronaves e as empresas de aviação pretendem corresponder a esse crescimento, com soluções ambientalmente compatíveis e rentáveis, definindo metas ambiciosas para alcançar este objetivo”, explica Uwe Marburger, gerente de Desenvolvimento de Negócios Aeroespacial da Victrex. “O dispenser móvel totalmente automático de bebidas da SkyTender pode, certamente, apresentar contribuição valiosa”, completa. Dada a sua conformidade com os requisitos em matéria de contato com alimentos, o Victrex Peek colabora para que a qualidade das bebidas permaneça a mesma. Além disso, o SkyTender constatou que o dispenser pode ficar em serviço por aproximadamente duas semanas sem necessitar de limpeza, oferecendo mais um benefício para as companhias aéreas. O termoplástico pode suportar os materiais de limpeza e desinfetantes necessários para este efeito a longo prazo, bem como resiste a combustíveis agressivos e fluidos hidráulicos em outras aplicações para a indústria da aviação. O polímero Victrex Peek tem sido utilizado em componentes de aeronaves por mais de três décadas, atendendo às normas de toxicidade, fogo e fumaça (FST). O material está qualificado por fabricantes como Airbus, Boeing e COMAC3. O polímero de alta fluidez foi utilizado nos recipientes de água para permitir que o reservatório interno de paredes finas seja fabricado de forma eficiente, usando moldagem por injeção.

Fonte: Victrex

Curta nossa página no

Victrex exibe lançamentos na linha de produtos e serviços voltados aos polímeros PEEK na K 2016

28/09/2016

Feira que ocorre em outubro, na Alemanha, terá como destaque o novo composto Victrex AE 250 desenvolvido para a indústria aeroespacial

victrex-magmaA Victrex, fornecedora de soluções em polímeros PAEK de alta performance, apresentará novidades em seu portfólio na K 2016, feira internacional de plásticos e borracha. O evento acontece em Düsseldorf,na Alemanha, de 19 a 26 de outubro. Além de novos tipos de polímeros Victrex PEEK e suas diversas aplicações, o foco estará nas soluções integradas do futuro e, em particular, nas novas tecnologias. Entre elas, o novo composto Victrex AE 250, desenvolvido para a indústria aeroespacial, cuja produção utiliza tecnologia de moldagem híbrida. Soluções para engrenagens e  e-motors serão destaque no stand automotivo, enquanto novos tipos de polímero PEEK e uma estrutura de compostos PEEK expandida estarão em evidência na seção da indústria de petróleo e gás.

O stand da Victrex, localizado no salão 5 (stand B09), exibirá essas novas soluções, tecnologias e serviços baseados no PAEK, com exemplos de seu uso crescente em aplicações críticas. Tendo começado há mais de 35 anos como o primeiro produtor comercial do PEEK termoplástico de alta performance, a empresa hoje aplica uma abordagem específica que utiliza conhecimentos especializados sobre materiais para oferecer produtos e soluções integradas para as indústrias. Pesquisa e desenvolvimento orientados e combinados aos investimentos e voltados principalmente para os programas industriais e médicos da Victrex também permitiram o estabelecimento de parcerias estratégicas como, por exemplo, com a Magma Global Limited na indústria de petróleo e gás.

Óleo e gás: Magma oferece a mais longa tubulação com base em PEEK

Recentemente, a estrutura mais longa do mundo com base em Victrex PEEK foi desenvolvida sob a forma de spoolable m-pipe® pela Magma Global Limited, que proporciona uma tubulação de intervenção submarina de custo competitivo e confiável, segundo a empresa. Esta tubulação de composto flexível pode ser usada em condições extremas e em profundidades de até 3.000 metros (10.000 pés), suportando pressões de mais de 1.000 bar (15ksi), afirma a Victrex.

Enquanto isso, a Victrex está investindo em uma unidade de produção especificamente para compósitos. Ademais, a empresa apresenta novos polímeros para a indústria de petróleo e gás, incluindo um termoplástico que oferece gama única de propriedades em sistemas de vedação, seja em criogenia(até -196ºC) ou acima de 200°C, assegura a Victrex. Outro destaque é o Victrex OGS 125, especificamente desenvolvido para otimizar a moldagem por compressão de grandes vedações.

Aeroespacial: novos compostos Victrex

Os requisitos também são altos na indústria aeroespacial onde, por exemplo, especificações exatas têm de ser cumpridas para os suportes de peso na aeronave. Um objetivo primordial, além de confiabilidade, durabilidade e leveza, é a redução de custos. As vantagens obtidas na relação custo-benefício com produção e montagem de componentes individuais baseados em novas opções de design e fabricação, por exemplo, podem contribuir para atender esse anseio da indústria.

Precisamente nesse aspecto os recém introduzidos compostos Victrex AE 250, em várias formas de pré-impregnação, oferecem grande potencial para a indústria da aviação. Em combinação com a tecnologia de moldagem híbrida, suportes, grampos, clipes e caixas para estruturas primárias e secundárias podem ser fabricados em minutos, contrapondo o processo com materiais metálicos ou termofixos que pode levar horas. Em 2016, a Victrex apresentará estes novos compostos PAEK pela primeira vez na feira K 2016.

Automotivo: engrenagens e e-motors de custo eficiente e alto desempenho

O pacote completo de engrenagens com base em PEEK disponibilizado pela Victrex para a indústria automotiva desde o ano passado também será apresentado na K 2016. A empresa ampliou sua expertise por meio da aquisição de uma empresa especializada em engrenagens dos Estados Unidos, com p objetivo de oferecer serviços personalizados e completos para obter design preciso e rápido, desenvolvimento, testes e produção de engrenagens ao longo da cadeia de fornecimento.

Outra solução de futuro para e-motors, o filme APTIV, tem se destacado no setor automotivo. Usado como forro de ranhura para isolamento elétrico, o filme ultrafino à base de PEEK permite a utilização de 5% a mais de cobre em comparação com materiais utilizados até então. Segundo a Victrex, isto permite aumento da densidade de potência de motor do mesmo tamanho ou reduz a quantidade de espaço que ocupa, bem como diminui os custos até U$ 20 por motor.

Os filmes APTIV da Victrex têm sido utilizados com sucesso também na produção de aeronaves já há algum tempo. Outro setor que utiliza o material é a indústria eletrônica, como na membrana do micro alto-falante para mais de um milhão de dispositivos móveis. O material garante reprodução de som precisa – apesar da demanda por maior desempenho – e vida útil 300% maior do que a de outros materiais.

Fonte – Victrex

Curta nossa página no

Grupo Solvay comemora feito: avião movido a energia solar completa a volta ao mundo e demonstra a eficácia das tecnologias sustentáveis

26/07/2016

Solvay_solar impulse3

Inovação têxtil brasileira, desenvolvida pela Rhodia, o Emana também fez parte dessa aventura

O Grupo Solvay celebra a façanha de Bertrand Piccard e André Borschberg, que completaram hoje (26/07) a volta ao mundo no comando do Solar Impulse 2 (Si2), avião movido a energia solar. O regresso a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, depois de uma viagem de 40.000 quilômetros tendo a energia solar como único combustível, representa o final de uma aventura extraordinária na qual o Grupo Solvay investiu desde o início.

Em uma carta entregue aos dois pilotos, logo após a aterrisagem em Abu Dhabi, o CEO do Grupo Solvay, Jean-Pierre Clamadieu, fez um agradecimento especial aos líderes dessa aventura. “Em nome de todos os empregados da Solvay, gostaria de dizer um grande obrigado por estes 12 anos extraordinários, repletos de sonhos, desafios, grandes e pequenas vitórias tecnológicas. Dia após dia, sua energia e personalidade notáveis foram fundamentais para o sucesso desse projeto”, disse Clamadieu na carta.

Primeiro parceiro do projeto, a partir de 2004, o Grupo Solvay colocou a serviço do Solar Impulse todo seu conhecimento e capacidade de inovação. No total, 15 produtos do Grupo Solvay estão em 6000 peças e partes do avião, permitindo o armazenamento e otimização do consumo de energia e a redução do peso da aeronave. O Grupo colocou no avião uma série de materiais plásticos e polímeros ultra-resistentes, além de compósitos que compõem a longarina e estabilizadores traseiros, tornando mais leve a aeronave.

O Brasil também fez parte dessa aventura, com a inovação têxtil Emana, desenvolvida pela Rhodia, empresa do Grupo Solvay. O fio têxtil foi utilizado na confecção de uma “segunda pele”, utilizada por baixo do uniforme de vôo, atuando para retardar o aparecimento da fadiga muscular — um fator tremendamente importante nesse tipo de voo em um cockpit de dimensões reduzidas, que restringe a movimentação do piloto.

“Todos os materiais que desenvolvemos e estão no Solar Impulse reforçam a nossa convicção de que a química fornece soluções eficazes para o desenvolvimento sustentável das nossas sociedades. O Grupo Solvay pretende mais do que nunca continuar a ser uma ponte entre a ciência e o progresso sustentável. “, acrescentou Clamadieu.

Quase todos os produtos desenvolvidos pela Solvay para este “laboratório voador” já estão disponíveis na vida cotidiana, em produtos fabricados para diversos mercados, tais como automotivo, aeronáutica e aeroespacial, construção, têxteis e smartphones e outros dispositivos inteligentes.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Grupo Solvay lança borracha sintética para peças que suportam grandes variações de temperatura

10/07/2016

Solvay_TecnoflonUtilizadas na produção de peças que demandam resistência a temperaturas extremas e excelente resistência química, as borrachas sintéticas à base de fluorcarbono da linha Tecnoflon®FKM foram destaques da unidade global de negócios Specialty Polymers, do Grupo Solvay, na Expobor 2016 –12ª Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas, de 28 a 30 de junho, no Expocenter Norte, em São Paulo.

Segundo a empresa, os produtos Tecnoflon® FKM são indicados para uso em temperaturas extremamente baixas (Série VPL), com TR10 variando de -30°C a -45°C e excelente resistência química. Suas características asseguram maior versatilidade de uso em regiões onde há variações extremas de temperatura. Aplicações típicas desse produto incluem anéis de borracha (o-rings) para injetor de combustível e componentes de vedação para as indústrias aeroespacial e de petróleo e gás, afirma a Solvay.

O portfólio Tecnoflon® da Solvay está dividido em duas famílias: os fluorelastômeros Tecnoflon®FKM e os perfluorelastômeros Tecnoflon®FFKM. De acordo com a Solvay, ambas são compatíveis com inúmeros fluidos e produtos químicos, incluindo óleos lubrificantes automotivos, combustíveis e líquidos de arrefecimento, proporcionando uma vida útil mais longa mesmo em condições extremas.

A Solvay Specialty Polymers fabrica mais de 1500 produtos agrupados em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolimeros, fluoroelastômeros, fluidos fluorados, poliamidas parcialmente aromáticas, polímeros sulfonados, polímeros aromáticos de ultra-alto desempenho, polímeros de alta barreira e compostos de alto desempenho reticulados – para uso nas indústrias Aeroespacial e Aeronáutica, de Energia Alternativa, Automotiva, de Saúde, de Membranas, de Petróleo e Gás, de Embalagens, de Tubos e Conexões, de Semicondutores, de Fios e Cabos, entre outras.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Victrex lidera consórcio de indústrias para explorar uso de polímeros PEEK/PAEK em aplicações com impressão 3D

06/07/2016

Victrex_impressao-3d

  • Formulações químicas específicas para trabalho com impressão 3D beneficiarão a indústria aeroespacial
  • Aplicações na medicina também serão analisadas

A Victrex está liderando um consórcio de empresas e instituições na inovação em impressão 3D (ou Manufatura Aditiva-MA). Como parte do seu papel fundamental, a Victrex desenvolverá novos grades de poliariletercetona (PAEK), um polímero de alto desempenho com base em formulações químicas inovadoras, projetadas especificamente para trabalhar em processos de manufatura aditiva. Embora já utilizados atualmente em algumas aplicações de MA, os materiais PAEK foram originalmente desenvolvidos para uso na moldagem por injeção ou processos de extrusão.

As novas classes são dirigidas especificamente à indústria aeroespacial, que é o foco principal do consórcio, mas também serão consideradas aplicações em outras áreas como, por exemplo, a médica. Detentora de propriedade intelectual que abrange os novos polímeros a serem desenvolvidos, a Victrex foi premiada com um financiamento da agência do Reino Unido para a inovação, a Innovate UK, para ajudar a conduzir o projeto. Os membros do consórcio são outros líderes da indústria como Airbus Group Innovations, EOS, University of Exeter, E3D-Online, HiETA Technologies, South West Metal Finishing, Avon Valley Precision Engineering e Layer Manufacturing (CALM).

Segmentação melhora taxas de reciclagem e redução de resíduos

Um objetivo essencial é a melhoria da taxa de reciclagem para pós utilizados na técnica de “sinterização a laser” da manufatura aditiva. Isto reduziria significativamente o desperdício de polímero neste tipo de processo e diminuiria seus custos. O projeto também abordará a imprevisibilidade de adesão inter-camadas e o acabamento superficial de impressão baseada em filamentos.

“Todo mundo está consciente de que a manufatura aditiva tem o potencial de revolucionar a produção industrial, uma vez que não envolve a alta ferramentaria e os custos de instalação de fabricação tradicional”, observa David Hummel, diretor executivo da Victrex. “Ela também permite a produção de formas muito complexas e geometrias que não podem ser feitas por meios convencionais, com aplicações de alto valor agregado e menor volume”, destaca.

Victrex lidera e ganha financiamento de agência britânica

O projeto em andamento por meio do consórcio foi originalmente concebido durante uma conferência sobre manufatura aditiva à base de polímeros, realizada em 2014, na Universidade de Exeter. Na ocasião, a Victrex apresentou alguns resultados da fase inicial de um novo polímero com um potencial significativo para a manufatura aditiva. A Universidade de Exeter já tinha adquirido experiência e contatos na área de manufatura aditiva à base de polímero de PEEK e foi capaz de ajudar a tornar o consórcio uma realidade.

O polímero PAEK da Victrex já está sendo utilizado para peças impressas em 3D, tanto por fusão de filamento como por sinterização a laser em pó, enquanto a empresa busca ativamente por novas soluções e aplicações. Dentro da indústria, o consórcio está focado no uso inovador de novas classes de polímeros PAEK potencialmente revolucionários para a indústria aeroespacial, por meio das técnicas de manufatura aditiva.

“Este projeto inovador é mais um grande exemplo da liderança da Victrex em novos caminhos, demonstrando como estamos tentando desenvolver ainda mais as oportunidades para nossos polímeros, expandindo o mercado para aplicações PAEK e diferenciando nosso negócio. Estamos no início de uma viagem emocionante na formulação de novas aplicações, que podem, eficazmente e de forma rentável, explorar todas as vantagens da manufatura aditiva”, ressalta Hummel. Em 2018, o projeto espera ter demonstradores tecnológicos que representem evidências e um caminho a seguir para a concretização de todas as vantagens da manufatura aditiva – incluindo redução de custos e time-to-market mais rápido para produtos, incluindo peças muito complexas necessitando a fabricação pelos métodos tradicionais. “Embora este consórcio seja um programa multi-anual, as empresas que vêem valor para os benefícios do polímero PEEK, combinado com as propostas de valor para a manufatura aditiva, devem nos contatar agora para discutir suas ideias”, enfatizou Hummel.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Victrex

Curta nossa página no

Solvay embarca no Solar Impulse 2 para a última parte do voo de volta ao mundo utilizando somente energia solar

27/04/2016

Solvay_solar-impulse2

O Grupo Solvay está junto com os pilotos Bertrand Piccard e André Borschberg na segunda e última parte da volta ao mundo do Solar Impulse 2 (Si2), aeronave movida exclusivamente a energia solar, que retomou sua viagem nesta quinta-feira (21/04) com o voo entre Honolulu, no Havaí, e Mount View, na Califórnia, iniciando o percurso de 17.000 km até Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Primeiro parceiro do projeto Solar Impulse, desde 2004 a Solvay tem utilizado sua experiência e conhecimento no campo de materiais compósitos ultraleves e ultraresistentes para o desenvolvimento de inovações para tornar mais leve a aeronave e melhorar a coleta e o armazenamento de energia solar, que permitiram, por exemplo, os voos noturnos. O Si2, que no ano passado fez sua primeira parte da viagem ao redor do mundo, tem um envergadura de asas de 72 metros, mas com um peso equivalente a um jeep e potência de uma motocicleta.

“Boa sorte para os dois pilotos que iniciam a última etapa desta aventura audaciosa. Desejamos todo o sucesso para Bertrand Piccard, que pilota o avião nesta etapa com destino às Américas”, disse Jean-Pierre Clamadieu, CEO da Solvay. “Como parceiro histórico do Solar Impulse, fico particularmente orgulhoso de que, na sequência da recente aquisição da Cytec, mais da metade da estrutura da aeronave foi produzida a partir de materiais da Solvay. Mais uma vez, o nosso “laboratório voador”, que é o Si2, se mostra como uma oportunidade para tornar possível o impossível, através de soluções inovadoras de energia sustentável e redução de CO2″, acrescentou Clamadieu.

O Solar Impulse 2 utiliza 15 produtos da Solvay em cerca de 6000 peças, que facilitam a coleta e o armazenamento de energia, a otimização do consumo de combustível e a redução do peso da aeronave. Além disso, os produtos da Solvay estão nas estruturas de fibras impregnadas, nos adesivos para as longarinas e nos estabilizadores traseiros, já utilizados com sucesso na primeira versão do Solar Impulse. Do Brasil, desenvolvida pela Rhodia, empresa do Grupo Solvay, está a fibra têxtil inteligente Emana, empregada na confecção de malhas (utilizadas como segunda pele pelos pilotos) que ajudam a retardar o aparecimento de fadiga muscular.

Todos os produtos da Solvay integrados ao Solar Impulse 2 já estão à disposição dos consumidores em produtos para diversos mercados, tais como o automobilístico, aviação e aeronáutica, construção, vestuário e smartphones e outros dispositivos eletrônicos. Segundo a Solvay, por suas características especiais de melhorar a microcirculação sanguínea da área do corpo em contato com a roupa, a fibra Emana tem sido utilizada para a confecção de roupas para os segmentos esportivo, moda íntima, lingerie e jeans, entre outros.

O avião Si2 fará várias escalas nos Estados Unidos. Posteriormente, iniciará sua viagem à Europa ou Norte da África – dependendo das condições climáticas – antes de voltar a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. A primeira parte desta volta ao mundo foi feita no ano passado, ocasião em que se registrou um feito inédito com esse tipo de avião: o piloto Andre Borschberg voou ininterruptamente por cinco dias e cinco noites, entre Nagóia, no Japão, e Honolulu, no Havaí, sem a utilização de uma gota sequer de combustível de origem fóssil.

A viagem pode ser acompanhada ao vivo em http://www.solarimpulse.com/leg-9-from-Hawaii-to-Mountain_View_CA

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Solvay e Boeing estendem contrato de fornecimento de materiais leves avançados para aviões de grande porte

08/03/2016

Solvay_BoeingO Grupo Solvay e a Boeing Company anunciaram que prolongaram até 2020 o contrato de fornecimento de materiais adesivos e compósitos estruturais de alto desempenho usados na fabricação de aviões de grande porte para passageiros, tais como os atuais 737, 747 e 777 e os futuros B787, 737 MAX e 777X.

Com a recente aquisição da Cytec, o Grupo Solvay se tornou o segundo maior fabricante mundial destes materiais e compósitos para a indústria aeroespacial/aeronáutica. A recém-criada Unidade Global de Negócios Composite Materials da Solvay fornece materiais leves tecnologicamente avançados que atendem aos requisitos de fabricantes da indústria aeroespacial/aeronáutica na redução do consumo de combustível, emissões de CO2 e tempo de manutenção, assegura a empresa.

“Nossas tecnologias de compósitos proporcionam o equilíbrio adequado entre desempenho sustentável e competitividade para atender às crescentes necessidades da indústria”, disse Jean-Pierre Clamadieu, CEO da Solvay. “Estamos ansiosos para ter uma relação contínua e mutuamente benéfica com a Boeing.”

O prolongamento do contrato prevê o atendimento a iniciativas de fornecedores específicos da Boeing, além de permitir o uso de produtos da Solvay existentes ou em desenvolvimento, identificados como de alto potencial.

O Grupo Solvay fornece uma gama de produtos para aplicações estruturais primárias e secundárias em flaps, portas, carenagens e asas. Estes produtos incluem revestimentos, adesivos e pré-impregnados CYCOM® que garantem alta resistência e força, bem como ajudam nos projetos feitos sob medida para reduzir custos e tempo de produção, uma vez que oferecem excelente reprodutibilidade de processo, afirma a Solvay.

Fonte – Assessoria de Imprensa (Solvay)

Curta nossa página no

Victrex promete reduzir tempo de fabricação de aeronaves com nova linha de compósitos termoplásticos

25/02/2016

Victrex-Airbus

Lançamento da Victrex AE250 acontecerá em feira global em Paris. Peças são mais leves e resistentes, ajudando na economia de combustível

O mercado aeroespacial passa por forte aquecimento em todo o mundo, com demanda estimada em 35 mil aeronaves para atender vôos civis nos próximos 20 anos. É neste contexto que os fabricantes têm competido para otimizar a velocidade de produção e,  adicionalmente, reduzir custos sem oferecer riscos. Comprometida em trazer soluções para esse desafio, a Victrex,  líder em soluções à base de PAEK, apresenta sua linha de compósitos termoplásticos de alto desempenho durante a JEC World Composites Show & Conferences, feira de negócios global que acontece em Paris, de 8 a 10 de março.

Como principais vantagens, as fitas unidirecionais (UDT) e os painéis laminados da linha Victrex AE250 contribuem para aumentar a velocidade na fabricação e instalação de peças nas aeronaves, afirma a empresa. Seu potencial para uso em sistemas de moldagem híbrida será o tema-chave do stand do fornecedor.

Sob o slogan “Mudando a Equação dos Compósitos Aeroespaciais”, a multinacional britânica promete elevar os padrões de produção na indústria aeroespacial. “Acreditamos que nossos materiais e soluções de tecnologia continuarão a influenciar a participação de mercado em favor de compósitos no segmento de aeronaves. A nova linha ajuda a reduzir custos e peso, oferecendo mais liberdade de design, durabilidade e produção mais rápida”, explica Tim Herr, diretor da Divisão Aeroespacial da Victrex.

Economia de tempo e custos – Segundo a empresa, a linha Victrex® AE250 permite a produção de peças reforçadas, com excelente desempenho sob cargas. Suas principais aplicações são para suportes, braçadeiras, clipes e caixas utilizadas nas estruturas primária e secundária das aeronaves como cabine, bancos, motores e tanque de combustível.

De acordo com a Victrex, além de proporcionar redução de até 60% do peso dessas estruturas em comparação aos metais, a principal vantagem dos compósitos reforçados de alta resistência é a diminuição do tempo de fabricação e custos do sistema. Este é o resultado de projetos mais inteligentes e produção em massa, semi ou totalmente automatizada, que utiliza nova tecnologia de moldagem híbrida. Os compósitos de PAEK preenchem a lacuna entre materiais compósitos e de moldagem por injeção, permitindo produzir componentes complexos que antes eram impossíveis de se fabricar.

O processo de moldagem híbrida possibilita utilizar compósitos Victrex® AE250 na forma de insertos análogos aos metais, para ser sobremoldadp com polímeros PEEK da Victrex®  reforçados com fibras curtas.  Segundo a empresa, isto permite aos engenheiros combinar propriedades mecânicas, aliando flexibilidade de design e produção mais rápida no processo de moldagem por injeção.

A Victrex afirma que as vantagens da utilização dos seus compósitos incluem melhoria nos tempos de ciclo, redução do consumo de energia, eliminação de etapas do processo secundário, diminuição da quantidade de refugos e economia nos custos de instalação. Todos esses fatores podem contribuir substancialmente para reduzir os gastos gerais do sistema. “Esta tecnologia abre caminho para componentes que podem ser fabricados de forma mais rentável, com maior funcionalidade e confiabilidade”, acrescenta Herr.

Segundo a Victrex, seus compósitos termoplásticos de alto desempenho são até 60% mais leves que o aço AISI 4130, liga de cromo-níquel-molibdênio amplamente utilizada em aplicações de aviação. A nova linha também pode obter vantagens significativas de peso sobre metais leves, incluindo o titânio TA6V, alumínio 7075-T6 ou magnésio ZK60A-T5. A nova linha não só dispõe de peças mais leves em relação aos metais, mas os superam em desempenho, assegura a Victrex. A resistência específica dos compósitos é, por exemplo, cinco vezes maior na comparação com o aço AISI 4130.

Alto desempenho na construção de aeronaves – As soluções em PEEK da Victrex têm sido utilizadas na indústria aeroespacial por mais de 25 anos e foram certificadas por fabricantes de aeronaves renomadas, afirma a empresa. A Airbus, por exemplo, utilizou o primeiro compósito estrutural primário à base de PEEK Victrex® na porta do Airbus A350XWB. Já a fabricante de aviões chinesa COMAC (Commercial Aircraft Corporation of China) também está utilizando tubos da Victrex, ao invés de peças de metais, para proteger cabos de alta tensão, no lançamento de seu primeiro avião comercial.

Com sede no Reino Unido, a Victrex é um dos líderes mundiais em soluções inovadoras de polímeros de alto desempenho, atendendo uma variedade diversificada de mercados de indústria tais como a aeroespacial, automotiva, dispositivos eletrônicos, operações de petróleo e gás e dispositivos médicos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Victrex

Curta nossa página no

Solvay finaliza com sucesso a aquisição da Cytec e lança planos de integração

07/01/2016

No início de dezembro, o Grupo Solvay concluiu com êxito a aquisição da Cytec, começando imediatamente a integração dos negócios da empresa para obter sinergias de custos e aproveitar oportunidades significativas de negócios em materiais leves avançados para as indústrias aeroespacial/aeronáutica e automotiva, e em especialidades químicas para mineração.

“A Cytec representa um marco decisivo na transformação da Solvay e abre novos horizontes para o crescimento e a inovação. A Solvay é agora um dos principais fornecedores de materiais leves para a indústria aeroespacial”, disse Jean-Pierre Clamadieu, CEO da Solvay. “Graças aos extensos preparativos, vamos iniciar agora uma integração rápida e eficaz dos negócios da Cytec e de suas equipes talentosas à Solvay e acelerar a geração de valor para nossos acionistas.”

Uma grande equipe de pessoal da Solvay e da Cytec foi mobilizada desde o início de outubro para preparar planos detalhados de integração. A Solvay também vai criar duas novas Unidades de Negócios Globais (GBU’s, na sigla em inglês):

– Uma Unidade de Negócio Global (GBU) vai agrupar os negócios de compósitos da Cytec, Aerospace Materials e Industrial Materials. Bill Wood foi nomeado presidente desta GBU, que fará parte do segmento operacional Advanced Materials;

– Outra Unidade de Negócio Global combinará as atividades In Process Separation, que atua em aditivos para polímeros e resinas formuladas da Cytec, com intermediários a partir de fósforo da Novecare da Solvay. Mike Radossich foi nomeado presidente desta GBU, que fará parte do segmento operacional Advanced Formulations.

A expectativa da Solvay é gerar um mínimo de €100 milhões em sinergias anuais no prazo de três anos após a aquisição. A aquisição deverá ser adicionada aos lucros ajustados e fluxo de caixa livre após o primeiro ano da aquisição e para o Retorno de Fluxo de Caixa sobre o Investimento (CFROI) no médio prazo.

O financiamento da aquisição está quase concluído. Ele consiste na emissão de cerca de € 4,7 bilhões em títulos seniores e híbridos, e a emissão de direitos de €1,5 bilhão, que está em curso.

A Cytec estará totalmente consolidada no Grupo Solvay a partir de 1º de janeiro de 2016.

O grupo Solvay, com sede em Bruxelas, emprega cerca de 30.000 pessoas em 52 países, tendo obtido um faturamento de €11,7 bilhões em 2014. No Brasil, o grupo também atua com a marca Rhodia, cujas atividades internacionais foram adquiridas em 2011.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Solvay lança nova geração de resinas pré-coloridas de PPSU para aplicações no interior de aeronaves

21/12/2015

Solvay_RadelA Solvay Specialty Polymers, fornecedora global de polímeros de alto desempenho, introduziu uma nova série de resinas pré-coloridas para moldagem por injeção da família Radel® PPSU, para aplicações no interior de aeronaves comerciais. Segundo a Solvay, as novas cores da série Radel® R-7159 aproveitam o desempenho dos seus polímeros de polifenilsulfonas Radel® PPSU, oferecendo uma solução competitiva compatível com os padrões de cores de interiores de aeronaves estabelecidos pelos principais OEM’s (fabricantes de equipamentos originais) da indústria aeronáutica.

“Os polímeros Radel® PPSU da Solvay oferecem soluções comprovadas em interiores de aeronaves comerciais há 25 anos”, diz Armin Klesing, Gerente Global de Desenvolvimento de Negócios para as Indústrias Aeroespacial e de Compósitos da Solvay Specialty Polymers. “Com o lançamento de nossos produtos Radel® R-7159 pré-coloridos, nós estendemos esse portfólio para incluir resinas moldáveis por injeção que podem atender de forma competitiva às exigentes especificações em vigor para interiores de cabine de aeronaves comerciais.”

A Solvay formulou seus grades pré-coloridos de Radel® R-7159 para corresponder aos padrões de cores de interiores de fabricantes importantes de aeronaves, como a Boeing, com cores que vão do branco brilhante a cores escuras, como azul e cinza. Os grades coloridos são baseados no Radel® R-7159 NT 50 PPSU produzido pela empresa, uma resina comercial de cor natural estabelecida no mercado, largamente utilizada na fabricação de componentes de interiores de aeronaves.

Como todos os produtos do portfólio Radel® PPSU da Solvay para interiores de aeronaves, as novas resinas, com padrões rigorosos de cor, oferecem excelente resistência ao impacto e resistência a produtos de limpeza e inseticidas comerciais, afirma a Solvay. Segundo a empresa, também cumprem os regulamentos de inflamabilidade da Federal Aviation Administration (FAA) dos EUA, para materiais utilizados no interior de cabines de aeronaves. Especificamente, atendem às exigências da Federal Aviation Regulation (FAR) 25.853 para baixa inflamabilidade e liberação de calor, baixa geração de fumaça e padrões de OEMs para baixas emissões de gases tóxicos.

As novas resinas Radel® R-7159 pré-coloridas podem ser adquiridas diretamente da Solvay ou através da RTP Company, que recentemente assinou um acordo de licenciamento que lhe permite fabricar e vender grades selecionados de PPSU’s da Solvay para o setor aeroespacial. O acordo oferece maior flexibilidade para os clientes que desejam encomendar resinas pré-coloridas Radel® R-7159 em lotes menores ou em cores personalizadas.

A série Radel® R-7159 ® já está disponível para fornecedores Tier 1 (nível 1) e para o mercado de reposição. A qualificação para grandes fabricantes da indústria aeroespacial está em curso e deverá ser concluída no início do próximo ano.

A Solvay Specialty Polymers fabrica mais de 1500 produtos agrupados em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolimeros, fluoroelastômeros, fluidos fluorados, poliamidas parcialmente aromáticas, polímeros sulfonados, polímeros aromáticos de ultra-alto desempenho, polímeros de alta barreira e compostos de alto desempenho reticulados – para uso nas indústrias Aeroespacial, de Energia Alternativa, Automotiva, de Saúde, de Membranas, de Petróleo e Gás, de Embalagens, de Tubos e Conexões, de Semicondutores, de Fios e Cabos, entre outras. O grupo Solvay, com sede em Bruxelas, emprega cerca de 26.000 pessoas em 52 países e obteve um faturamento de € 10,2 bilhões em 2014. No Brasil, o grupo também atua com a marca Rhodia, cujas atividades internacionais foram adquiridas em 2011.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Covestro mantém apoio ao projeto de volta ao mundo do avião movido à energia solar

27/11/2015
Richard Northcote (CSO da Covestro, meio), Bertrand Piccard, Iniciador, Chairman e Piloto do Solar Impulse (esquerda) e André Borschberg, Co-Fundador, CEO e Piloto do projeto (direita).

Richard Northcote (CSO da Covestro, meio), Bertrand Piccard, Iniciador, Chairman e Piloto do Solar Impulse (esquerda) e André Borschberg, Co-Fundador, CEO e Piloto do projeto (direita).

  • Acordo de patrocínio estendido até o final de 2018
  • Fabricante de polímeros também apoia a iniciativa “Future is Clean”

A Covestro, uma das principais fabricantes mundiais de polímeros, anunciou hoje a extensão do patrocínio ao projeto Solar Impulse; o avião deve completar a jornada ao redor do mundo em 2016.

A Covestro, antiga Bayer MaterialScience, tem sido parceira do Solar Impulse desde 2010 e também é parceira técnica oficial do projeto. A empresa foi responsável pelo projeto e construção do cockpit Si2 que utiliza avançados sistemas de poliuretano e policarbonato, reduzindo significativamente o peso do avião e garantindo proteção ao piloto.

“Para nossos colaboradores e clientes, o projeto Solar Impulse tornou-se um símbolo da inovação da Covestro assim como da nossa capacidade de fornecer uma série de soluções inovadoras”, afirma Patrick Thomas, CEO da Covestro. “Estamos felizes em manter o apoio a esta jornada inspiradora, pois ela simboliza nossos valores corporativos – Curiosidade, Coragem e Colorido”.

Compromisso com a sustentabilidade

“A sustentabilidade está no centro da nossa estratégica de negócios”, explica Richard Northcote, Chief Sustainability Officer da Covestro. “O compromisso com o Solar Impulse inclui o nosso papel como um dos principais patrocinadoras da jornada no trecho de voo que cruza a América, que será reiniciado em 2016. Conforme mais consumidores buscarem produtos eficientes do ponto de vista de energia e os governos começarem a implementar os objetivos do Pacto de Desenvolvimento Sustentável da ONU, este projeto terá um grande papel ao mostrar ao mundo como a tecnologia existente hoje pode contribuir para alcançar o que muitos consideravam impossível”.

As tecnologias desenvolvidas para o projeto já são utilizadas em vários produtos dos setores automotivo e de refrigeração. Além disso, os revestimentos usados no avião também estão sendo usados em muitos outros setores industriais.

Cooperação entre as equipes da Covestro e do Solar Impulse

Bertrand Piccard, criador, presidente e piloto do projeto Solar Impulse, comenta: “Graças ao adiamento em nossa aventura, a Covestro poderá voar conosco e demonstrar sua essencial contribuição ao Solar Impulse. Todos os parceiros do projeto compartilham a nossa visão de um futuro mais limpo e o envolvimento contínuo do Patrick Thomas e do time Covestro confirmam o compromisso da empresa a fim de alcançar este objetivo”.

Andre Borschberg, co-fundador, CEO e piloto do projeto, acrescentou: “Nós valorizamos a ajuda técnica, o compromisso e o espírito inovador da Covestro desde 2010 e queremos trabalhar ainda mais em parceria nos próximos três anos”. “Por experiência própria eu digo que o cockpit projetado pela Covestro para o Si2 fornece conforto para voarmos e trabalharmos. Queremos voltar para dentro do cockpit para o próximo trecho da viagem em 2016”, complementa.

A Covestro também apoia a iniciativa “Future is Clean”, parte do projeto Solar Impulse, que reúne apoio global para o uso da chamada energia limpa, seguindo a ratificação dos objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e antecipando a Conferência sobre Mudança Climática da ONU (COP21), agora em dezembro.

Com vendas de 11,8 bilhões de euros em 2014, a Covestro é uma das maiores companhias de polímeros do mundo. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção e as indústrias de esportes e lazer. A Covestro, anteriormente conhecida como Bayer MaterialScience, possui 30 sites de produção ao redor do mundo e emprega cerca de 15.700 colaboradores (até o final de setembro de 2015).

Fonte e foto: Covestro

Curta nossa página no