Archive for the ‘Fusões e Aquisições’ Category

BASF conclui etapa de integração de equipes após aquisição do negócio de poliamidas da Solvay

17/06/2020

  • Processo de aquisição do negócio de poliamida da Solvay tem mais uma etapa concluída
  • Engenheiro químico, Fernando Barbosa, comanda o negócio da BASF

A BASF está finalizando a fase de integração da equipe de poliamidas, em mais uma etapa importante no processo de aquisição do negócio de poliamidas da Solvay, que passou a fazer parte da área de Materiais de Performance da companhia no início deste ano. Com a ampliação da atividade no setor, o negócio de Materiais de Performance ganha o comando de um vice-presidente para América do Sul, Fernando Barbosa, que já atuava como diretor de Dispersões, Resinas e Aditivos na empresa.

“Temos um enorme potencial no mercado de plásticos de engenharia e a certeza de que seremos os melhores parceiros no desenvolvimento de soluções inovadoras e sustentáveis. Nossa estratégia de foco no cliente se fortalece com a ampliação de portfólio e vemos com otimismo as perspectivas de crescimento do negócio na região”, considera Barbosa. “A fase de integração de equipes está sendo muito valiosa. A BASF valoriza a experiência e competência dos colaboradores e procura potencializar os diversos talentos”, afirma o executivo.

Com a aquisição, a capacidade de oferecer produtos inovadores numa ampla variedade de plásticos de engenharia foi fortalecida na região, inclusive com a possibilidade de um tempo mais curto entre produção e entrega, laboratórios locais, suporte técnico e total apoio no pós-venda.

A companhia também passa a estar presente em toda a cadeia de valor da poliamida 6.6, por meio da integração reversa com a principal matéria-prima, a adiponitrila (ADN), garantindo confiabilidade em termos de fornecimento.

Nova liderança

Fernando Barbosa assumiu no início de junho o posto de vice-presidente para Materiais de Performance da BASF para a América do Sul. Engenheiro químico formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), com MBA em finanças pela Fundação Getúlio Vargas, Barbosa já completa mais de 20 anos de trabalho na BASF. Começou sua carreira na companhia no desenvolvimento e serviço técnico de sistemas de poliuretano, ascendendo profissionalmente até a posição de gerente sênior de sistemas e elastômeros de poliuretano para a América do Sul em 2009. Depois de quase três anos, tornou-se diretor de Químicos para Papel, seguindo para o negócio de Dispersões, Resinas e Aditivos, onde chegou a head para a América do Sul.

A BASF conta com mais de 117.000 colaboradores em quase todos os países do mundo. O portfólio da empresa é organizado em seis segmentos: Químicos, Materiais, Soluções para Indústria, Tecnologias de Superfície, Nutrição & Cuidados Pessoais e Soluções para Agricultura. A BASF gerou vendas de 59 bilhões de euros em 2019.

A divisão de Materiais de Performance da BASF engloba sob o mesmo teto o know-how de materiais da empresa em relação a plásticos inovadores e personalizados. Mundialmente ativa em quatro grandes setores da indústria – transporte, construção, aplicações industriais e bens de consumo – a divisão tem um amplo portfólio de produtos e serviços combinados.

Foto: BASF/divulgação

Curta nossa página no

Indústria automotiva: BorgWarner adquire Delphi Technologies em negócio de 3,3 bilhões de dólares

03/02/2020

A BorgWarner Inc. e a Delphi Technologies PLC anunciaram em 28 de janeiro ter entrado em um acordo definitivo sob o qual a BorgWarner irá adquirir a Delphi Technologies em uma transação que envolverá todas as ações da empresa. O valor corporativo da Delphi Technologies foi avaliado em aproximadamente US$ 3,3 bilhões.

A combinação com a Delphi Technologies é consistente com a evolução da BorgWarner em direção ao mercado de propulsão do futuro e permitirá à BorgWarner manter a flexibilidade ao longo do espectro da propulsão por combustão, híbrida e elétrica (C-H-E).

Sob os termos do contrato, que foi aprovado pelos Conselhos de Administração de ambas as empresas, os acionistas da Delphi Technologies receberiam uma relação de troca fixa de 0,4534 ações ordinárias da BorgWarner por ação da Delphi Technologies. Após o fechamento da transação, espera-se que os atuais acionistas da BorgWarner venham a deter aproximadamente 84% da empresa combinada, enquanto os atuais acionistas da Delphi Technologies deverão possuir aproximadamente 16%.

No ano fiscal de 2019, a BorgWarner e a Delphi Technologies estimam que geraram US $ 10,17 bilhões e US $ 4,36 bilhões em vendas líquidas, respectivamente. Após o fechamento da transação, espera-se que a empresa combinada seja uma das principais empresas de propulsão pure-play do mundo, atendendo a fabricantes de veículos leves e comerciais e ao mercado de reposição de peças. A empresa combinada oferecerá um portfolio abrangente de produtos e sistemas de propulsão por combustão, híbrida e elétrica, resultando em maior conteúdo por veículo do que a BorgWarner disponibiliza atualmente.

Para mais informações (em inglês), clique aqui.

Curta nossa página no

 

BASF fecha aquisição do negócio de poliamida da Solvay

03/02/2020

A BASF concluiu em 30 de janeiro a aquisição do negócio de poliamida (PA 6.6) da Solvay. A transação amplia os recursos em poliamidas da BASF com produtos bem conhecidos, como o Technyl. Isso permitirá que a BASF ofereça suporte a seus clientes com mais soluções em plásticos de engenharia, por exemplo, para veículos autônomos e mobilidade eletrônica. A transação também aumento o acesso da empresa a mercados em crescimento na Ásia, bem como na América do Norte e do Sul. Através da integração vertical com a fabricação de adiponitrila (ADN), matéria prima chave, a BASF estará presente em toda a cadeia de valor da poliamida 6.6 e melhorará sua confiabilidade no fornecimento. O preço de compra do negócio de poliamida, adquirido pela BASF em dinheiro e sem dívidas, é de € 1,3 bilhões; as vendas geradas em 2018 foram de cerca de 1,0 bilhão de euros. O negócio será integrado às divisões Performance Materials e Monômeros da BASF.

A transação entre a Solvay e a BASF inclui oito unidades de produção na Alemanha, França, China, Índia, Coréia do Sul, Brasil e México, além de centros de pesquisa e desenvolvimento e centros de consultoria técnica na Ásia, América do Norte e do Sul. Além disso, abrange ações de duas joint ventures (JV) na França: a participação de 50% da Solvay na Butachimie, uma JV com a Invista para produzir ADN e hexametilenodiamina (HMD), e uma participação de 51% na nova JV Alsachimie entre a BASF e a DOMO Chemicals, para produzir ácido adípico.

Aproximadamente 700 funcionários da Solvay ingressam na BASF. A JV Alsachimie entre a BASF e a DOMO Chemicals na França emprega aproximadamente 650 funcionários e a JV Butachimie entre a BASF e a Invista possui aproximadamente 400 funcionários.

Essa é a última etapa da transação acertada entre a Solvay e a BASF, para a qual a Comissão Europeia exigiu a cessão de alguns dos ativos da área de Performance Polyamides da Solvay para terceiros.

Esses ativos, que foram adquiridos pela empresa Domo Chemicals, incluem os locais de produção de poliamidas da Solvay em Belle-Etoile e Valence (França), além de participação na joint venture recém-criada entre a BASF e a Domo. Também envolvem locais de produção em Gorzow (Polônia), Blanes (Espanha) e atividades comerciais na Alemanha e Itália.

A BASF adquirirá todas as atividades de Performance Polyamides da Solvay que não foram compradas pela Domo Chemicals e que fazem parte do contrato original entre a Solvay e a BASF, assinado no final de 2017.

A conclusão do negócio permitirá à Solvay fortalecer seu recentemente anunciado programa de crescimento denominado G.R.O.W., cuja estratégia tem como base três pilares principais – Materiais Avançados, Produtos Químicos e Soluções.

O Grupo Solvay informa ainda que no Brasil mantém sem alterações suas atividades de produção e comercialização de produtos químicos intermediários, polímeros e fibras e fios têxteis de poliamida, cujas fábricas estão instaladas em Paulínia e em Santo André (SP).

Curta nossa página no

 

Borealis adquire participação da NOVA Chemicals na joint venture Novealis

14/01/2020

A Borealis AG e a NOVA Chemicals Corporation anunciaram no dia 09/01 um acordo para a Borealis comprar a participação de 50% da NOVA Chemicals na Novealis Holdings LLC.

Formada em 2018, a Novealis é uma joint venture entre as afiliadas da Borealis e a NOVA Chemicals, que posteriormente formaram uma joint venture 50/50 com uma afiliada da Total SA para criar a Bayport Polymers LLC (“Baystar”) em Houston, Texas, EUA (foto ).

O fechamento da aquisição está sujeito às aprovações regulatórias habituais e outras condições, mas não está sujeito a nenhuma condição de financiamento. As partes esperam que a transação seja concluída no primeiro semestre de 2020.

A Borealis é fornecedora de soluções nos campos de poliolefinas, produtos químicos básicos e fertilizantes. Com sede em Viena, Áustria, a empresa possui atualmente mais de 6.800 funcionários e opera em mais de 120 países. A Borealis gerou 8,3 bilhões de euros em receita de vendas e um lucro líquido de 906 milhões de euros em 2018. A Mubadala, por meio de sua holding, detém 64% da empresa, sendo que os 36% restantes pertencem à OMV, uma empresa internacional com sede na Áustria do segmento de petróleo e gás. A Borealis fornece serviços e produtos para clientes em todo o mundo em colaboração com a Borouge, uma joint venture com a Companhia Nacional de Petróleo de Abu Dhabi (ADNOC), e com a Baystar, uma joint venture com a Total e a NOVA Chemicals no Texas, EUA.

A NOVA Chemicals desenvolve e fabrica resinas químicas e plásticas e está sediada em Calgary, Alberta, Canadá. A empresa é de propriedade da Mubadala Investment Company, de Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos).

Curta nossa página no

Finlandesa Huhtamaki adquire 100% do capital da empresa potiguar Laminor

13/01/2020

A Laminor produz laminados plásticos para a fabricação de embalagens flexíveis

A Huhtamaki (www.huhtamaki.com), empresa global do segmento de embalagens para alimentos e bebidas, anunciou a aquisição total da Laminor S.A. Constituída em 2002 como uma Joint Venture entre a Huhtamaki e a Bemis (50/50), a Laminor é especializada na fabricação de laminados plásticos para produtos de higiene oral como cremes dentais, cosméticos e outras aplicações. As vendas líquidas da Laminor em 2018 foram superiores a  R$ 100 milhões e a empresa atualmente emprega aproximadamente 130 pessoas. O valor da aquisição das ações que pertenciam à Bemis, hoje parte da Amcor, foi aproximadamente 30 milhões de Euros.

“A aquisição permite que a Huhtamaki expanda seu negócio de laminados para tubos, parte importante da oferta global de embalagens flexíveis do grupo, e passe a ter 320 funcionários no Brasil”, afirma Daniel Winocur, Gerente Geral da Huhtamaki do Brasil. “Após a operação, contaremos com duas instalações: nossa unidade de embalagens em fibra de celulose moldada, na cidade de Palmeira, no Paraná e a da Laminor, localizada em Parnamirim, estado do Rio Grande do Norte”, informa Winocur.

A oportunidade para a Huhtamaki adquirir a totalidade do capital da joint venture surgiu após a fusão entre a Amcor e a Bemis. “Apesar de termos agora o controle total da operação, ressalto que a Laminor manterá o contrato de fornecimento de laminados para tubos para as operações da Amcor no Brasil”, complementa o executivo.

Depois da aquisição, a Laminor será consolidada como uma subsidiária nas demonstrações financeiras do Grupo Huhtamaki e será referida como parte do segmento de negócios de Embalagens Flexíveis.

A conclusão da transação está prevista para acontecer no primeiro trimestre deste ano e será sujeita à revisão administrativa das autoridades brasileiras.

A Huhtamaki é uma especialista global em embalagens para alimentos e bebidas. Com uma rede de 80 unidades de fabricação e 24 escritórios de vendas, a empresa está presente em 35 países e possui aproximadamente 18.800 funcionários. Em 2018, as vendas líquidas totalizaram 3,1 bilhões de euros. O Grupo tem sede em Espoo, Finlândia.

Curta nossa página no

Covestro vende negócio de chapas de policarbonatos na Europa para o Grupo Serafin

09/01/2020

A Covestro obteve êxito na venda do seu negócio de chapas de policarbonatos na Europa para o Grupo Serafin, situado em Munique (Alemanha), em 2 de janeiro de 2020. A venda inclui funções-chave administrativas e de vendas por toda a Europa, bem como os sites de produção na Bélgica e Itália. O segmento gerou vendas de 130 milhões de euros em 2018. O Grupo Serafin manterá as operações com 250 funcionários em todas as localidades. Além disso, a Covestro continuará sendo a principal fornecedora de matérias-primas no futuro próximo.

Com a venda deste negócio, a Covestro segue o seu plano de otimização de portfolio. O desinvestimento dá seguimento às transações concluídas na América do Norte e Índia, assim como a conversão do site de Guangzhou (China) para a produção de filmes especiais. Desta forma, a Covestro encerra suas atividades no mercado de chapas de policarbonatos.

Nova empresa chamada Exolon Group

A partir de agora, o antigo negócio da Covestro irá operar sob o nome Exolon Group (www.exolongroup.com). Dentro do Grupo Serafin, o Grupo Exolon será estabelecido como uma empresa independente de médio porte, que continuará a trabalhar na produção e distribuição de chapas de alta ualidade utilizadas em diversas indústrias e aplicações, como nas indústrias de construção civil e iluminação, além de engenharia mecânica e mobilidade.

A Covestro e o Grupo Serafin concordaram em não divulgar os detalhes financeiros da transação.

O Grupo Serafin é um grupo industrial diversificado cuja filosofia se baseia em mais de 150 anos de tradição empreendedora de sua família acionista. Com a aquisição do Grupo Exolon, as empresas do Grupo Serafin irão gerar receitas de mais de 900 milhões de euros com 5 mil funcionários.

Com 14,6 bilhões de euros em vendas em 2018, a Covestro é uma das maiores empresas mundiais de polímeros. Suas atividades comerciais concentram-se na produção de materiais de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em muitas áreas da vida cotidiana. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, de construção, processamento de madeira e móveis e as indústrias elétrica e eletrônica. Outros setores incluem esportes e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro tem cerca de 30 unidades produtivas no mundo todo e, no final de 2018, empregava aproximadamente 16,8 mil pessoas (em equivalência à jornada integral).

Curta nossa página no

Davis-Standard adquire canadense Deacro

30/12/2019

A Davis-Standard, LLC anunciou em 16 de dezembro a aquisição da Deacro Industries, Ltd. de Mississauga, Ontário (Canadá). A Deacro projeta, fabrica e monta equipamentos  para corte, rebobinagem e manuseio de rolos para  processos de conversão de filmes plásticos, papel e folha.

“A Deacro é líder de mercado em tecnologia de equipamentos de corte e rebobinagem de alto desempenho para aplicações de embalagens flexíveis e estamos animados por receber a sua equipe na Davis-Standard”, disse Jim Murphy, Presidente e CEO da Davis-Standard. Murphy acrescentou: “Estamos entusiasmados com esta oportunidade com a Deacro; nossas organizações compartilham um foco comum ao fornecer a nossos clientes soluções, serviços e tecnologia. ”

A Deacro pertencia à Spell Capital Partners, uma empresa de private equity com sede em Minneapolis, que possui várias empresas no segmento de plásticos. A Spell adquiriu a Deacro em outubro de 2016.

Clarence Beishuizen, presidente da Deacro Industries Ltd., comentou sobre a transação: “Estamos muito satisfeitos em nos juntarmos à Davis-Standard, uma organização que compartilha nossos valores de negócios e reputação de longa data como líder global do setor”, disse ele. “Com a Davis-Standard, temos um parceiro comprometido com nossos clientes, funcionários e com o avanço da tecnologia. A Deacro continuará operando e servindo seus clientes como antes e estamos entusiasmados com nossas oportunidades com a Davis-Standard. ”

A Davis-Standard fabrica equipamentos de extrusão, conversão e termoformagem. A empresa vem realizando aquisições de outros fabricantes de máquinas nos últimos anos.

Os detalhes financeiros da transação não foram fornecidos.

Curta nossa página no

Clariant vende negócio de Masterbatches à PolyOne por aproximadamente 1,6 bilhão de dólares

25/12/2019

A Clariant concordou no dia último dia 19 em vender integralmente o seu negócio de Masterbatches para a PolyOne. A transação avaliou a unidade de negócios em aproximadamente US$ 1,56 bilhões, representando cerca de 12,2 vezes o Ebitda registrado nos últimos doze meses (encerrado em setembro de 2019). A transação será fechada em espécie e sem dívidas. O valor será pago na conclusão do negócio, o que é esperado para o terceiro trimestre de 2020.

“Este anúncio é um marco significativo em nosso caminho para nos focalizarmos em negócios com crescimento acima do mercado, maior lucratividade e geração de caixa mais forte. Após o desinvestimento bem-sucedido da unidade Healthcare Packaging em outubro de 2019, o acordo para a venda da unidade Masterbatches é um passo importante no cumprimento de nossa estratégia definida em 2015 que visa nos concentrarmos em três principais áreas de negócios: produtos químicos para cuidados com o consumidor, catálise e recursos naturais ”, disse Hariolf Kottmann, presidente executivo da Clariant. “Conforme anunciado, estamos confiantes de que executaremos o desinvestimento restante de nossos negócios de Pigmentos em 2020, a fim de construir uma Clariant nova, mais focalizada e mais forte até 2021”, acrescentou.

Conforme comunicado anteriormente, os recursos provenientes dos desinvestimentos pretendidos dos negócios não essenciais da Clariant serão utilizados para investir em inovações e aplicações tecnológicas nas principais áreas de negócios, para fortalecer o balanço da Clariant e retornar capital aos acionistas.

Como conseqüência do desinvestimento dos negócios da Masterbatches, bem como do desinvestimento antecipado dos negócios de Pigmentos até o final de 2020, o Conselho de Administração da Clariant está propondo uma distribuição extraordinária em dinheiro de 3,00 francos suíços por ação à Assembléia Geral Anual da Clariant, que será realizada em 30 de março de 2020. Sujeito ao voto positivo dos acionistas da empresa, a distribuição extraordinária de aprox. 1 bilhão de francos suíços será pago após o fechamento do desinvestimento do negócio de Masterbatches.

O acordo com a PolyOne compreende duas transações separadas. O negócio global de Masterbatches é vendido em um negócio avaliado em US$ 1,5 bilhões, representando c. 12,1 vezes o EBITDA registrado nos últimos doze meses (encerrado em setembro de 2019). Separadamente, a venda dos negócios da Masterbatches da Clariant na Índia foi aprovada pelo Conselho de Administração da Clariant Chemicals (India) Limited e está avaliada em aproximadamente. US$ 60 milhões, representando c. 17,3 vezes o EBITDA registrado nos últimos doze meses (encerrado em setembro de 2019). A Clariant Chemicals (India) Limited está listada nas bolsas de valores da Índia, com a Clariant AG possuindo 51% do controle. O fechamento de ambas as transações está sujeito às condições habituais de fechamento e aprovações regulatórias.

O negócio Masterbatches da Clariant oferece concentrados deaditivos e cores e soluções de desempenho para plásticos. Os Masterbatches da Clariant ajudam a aprimorar o apelo de mercado ou o desempenho no uso final de produtos, embalagens ou fibras de plástico. No exercício de 2018, o negócio total da Masterbatches gerou vendas de cerca de US$ 1,15 bilhão.

A PolyOne, com sede em Ohio (EUA), foi fundada no ano 2000 e registrou vendas de US $ 2,9 bilhões em 2018.

Com as operações da Clariant, a PolyOne adicionará 46 operações de produção e centros de tecnologia em 29 países e cerca de 3.600 funcionários. Eles serão adicionados ao segmento de cores, aditivos e tintas da PolyOne.

Curta nossa página no

Ineos completa aquisição do negócio de compósitos da Ashland

11/09/2019

A Ineos Entreprises anunciou no dia 03/09 a conclusão da compra de todo o negócio de compósitos da Ashland Global Holdings Inc. A aquisição também incluiu uma fábrica de butanodiol (BDO) na Alemanha.

Os negócios que fazem parte da transação combinam vendas de mais de US$ 1,1 bilhão por ano e empregam 1.250 pessoas em 19 unidades distribuídas pela Europa, Américas do Norte e Sul, Ásia e Oriente Médio.

“Estamos muito satisfeitos por termos concluído o acordo para adquirir o negócio de compósitos da Ashland. Temos um histórico de excelência em fabricação, administrando negócios com segurança e confiabilidade e trabalhando em estreita colaboração com os clientes para atender às suas aspirações de crescimento. A Ineos Composites, como será conhecida, apresenta novas oportunidades para a Ineos entrar no mercado de compósitos através do apoio de excelentes pessoas e ativos. Estou ansioso para dar as boas-vindas a esse novo negócio”, afirmou Ashley Reed, CEO da Ineos Enterprises.

A partir de agora, o negócio de compósitos da Ashland passa a se chamar Ineos Composites, operação construída com base nas fundações de uma líder global em resinas de poliéster insaturado e éster-vinílicas, além de gelcoats. A fábrica de BDO, por sua vez, produz intermediários essenciais para poliésteres e poliuretanos e será gerida pela Ineos Solvents.

“A Ashland completou uma etapa importante, cumprindo sua visão de se tornar a primeira empresa de especialidades químicas, com a conclusão da venda dos negócios de compósitos e intermediários. Ambos são excelentes negócios, com ótimas pessoas, tecnologia e ativos. Desejamos sucesso às equipes de compósitos e BDO agora que se tornaram parte da Ineos Enterprises”, afirmou Bill Wulfsohn, presidente e diretor executivo da Ashland.

A Ineos é uma das maiores empresas químicas do mundo e a 50ª maior companhia global, empregando cerca de 20.000 pessoas em 171 unidades em 24 países. É uma empresa privada com vendas em 2018 de US$ 60 bilhões e EBITDA de US$ 7 bilhões. Além de seu crescimento em produtos petroquímicos, adquiriu campos de petróleo e gás no Reino Unido, Dinamarca e Noruega.

A Ineos Enterprises compreende um portfólio de empresas que fabricam produtos químicos no norte da Europa, EUA e Canadá, com vendas de € 2 bilhões em todo o mundo. O negócio está focado nas necessidades de seus clientes e no rápido crescimento, por meio do investimento em novos produtos e instalações ou por aquisições. Emprega cerca de 2 mil pessoas em sites no Canadá e nos EUA. A Ineos Enterprises não faz parte do grupo de bancos Ineos Group Holdings.

A Ashland Global Holdings Inc. é uma importante empresa global de especialidades químicas que atende clientes em uma ampla gama de mercados (industriais e de consumo), incluindo adesivos, revestimentos arquitetônicos, automotivo, construção, energia, alimentos e bebidas, nutracêuticos, cuidados pessoais e farmacêutico. A Ashland emprega cerca de 6 mil funcionários, com clientes em mais de cem países.

Curta nossa página no

Japonesa DIC adquire o negócio global de pigmentos da BASF

31/08/2019

A BASF e a empresa de química fina japonesa DIC chegaram a um acordo sobre a aquisição do negócio global de pigmentos da BASF. O preço de compra em dinheiro e sem dívidas é de € 1,15 bilhão. A conclusão da transação está prevista para o quarto trimestre de 2020. A operação está sujeita à aprovação das autoridades relevantes.

“Atingimos nosso objetivo de encontrar um comprador que considera os pigmentos como um negócio estratégico principal”, disse o Dr. Markus Kamieth, membro do Conselho de Administração da BASF SE, responsável pelo segmento de Soluções Industriais. “A DIC tem planos ambiciosos de crescimento e anunciou o desenvolvimento adicional dos negócios nos próximos anos. Estamos convencidos de que o negócio de pigmentos será capaz de liberar todo o seu potencial na DIC. ”

A DIC é uma empresa japonesa listada na Bolsa de Tóquio com cerca de 20.000 funcionários em todo o mundo. A empresa sediada em Tóquio foi fundada em 1908, atua em mais de 60 países e gerou vendas de aproximadamente 800 bilhões de ienes em 2018, o que equivale a cerca de€ 6,8 bilhões. Sob o lema “Cor e conforto”, a DIC atua em três segmentos: embalagens & gráficos, produtos funcionais e cores & displays. Cores & Displays incluem um portfólio de pigmentos.

“Delineamos um caminho claro de crescimento para a DIC, com o objetivo de aumentar nossas vendas para 1 trilhão de ienes, ou seja, aproximadamente 8 bilhões de euros, até 2025. Nesse contexto, o portfólio de pigmentos da BASF é uma adição estratégica importante para cumprir nossos objetivos com mais rapidez. Isso nos permitirá expandir nossa posição como um dos principais fornecedores de pigmentos do mundo e oferecer aos nossos clientes soluções ainda mais versáteis ”, comentou Kaoru Ino, presidente e diretor executivo da DIC sobre o acordo alcançado.

Para o Dr. Alexander Haunschild, vice-presidente sênior e diretor administrativo da a BASF Colors & Effects, subsidiária da BASF focada em pigmentos, o contrato é uma oportunidade para continuar o caminho de crescimento iniciado em 2016: “Vemos a DIC como uma empresa que está disposta a investir, comprometida com inovações e interessada ​​no sucesso do negócio a longo prazo.”

Myron Petruch, Executivo da DIC e CEO da empresa do grupo DIC que atua no mercado de pigmentos, a Sun Chemical, acrescenta: “Como parceiro comercial de longa data da BASF, valorizamos a experiência e o engajamento dos funcionários da BASF no negócio de pigmentos. Ao combinar nossos negócios, a DIC / Sun Chemical confirma a ambição de ser um dos fornecedores de pigmentos mais inovadores do mundo. ”

Os negócios de pigmentos da BASF, com cerca de 2.600 funcionários, geraram vendas globalmente de aproximadamente € 1 bilhão em 2018 e fornecem matérias-primas para a formulação de revestimentos e tintas, plásticos, produtos de impressão e embalagem, produtos químicos para construção, adesivos, ligantes de fibras, papel e outras indústrias.

Curta nossa página no

Röhm é o nome da nova empresa criada com a venda do negócios de metacrilatos da Evonik para o fundo Advent

01/08/2019

Hoje, a Röhm GmbH, com sede em Darmstadt, na Alemanha, completou com sucesso a sua separação da Evonik Industries AG. O complexo fabril de metacrilatos da Evonik Industries foi transferido como uma empresa independente para seu novo proprietário, o fundo de Private Equity Advent International GmbH, com sede em Frankfurt, por 3 Bilhões de Euros. Com receitas de € 1,9 bilhões (dados de 2018), a empresa é uma das líderes mundiais de mercado em produtos de metacrilato. A empresa tem cerca de 3.900 funcionários em todo o mundo, em 15 unidades de produção na Alemanha (Worms, Darmstadt, Weiterstadt, Wesseling, Hanau), na China, nos EUA, na Rússia e na África do Sul.

“O nome, Röhm, é uma homenagem a Otto Röhm, químico e fundador da empresa que deu origem à empresa Röhm and Haas, mais tarde Evonik, e é considerado o fundador da química do metacrilato. Com o desenvolvimento do Plexiglas, plástico multifuncional altamente transparente, há 85 anos, ele atingiu uma estatura internacional. Graças à base química lançada por Röhm, um abrangente portfólio de produtos pôde ser desenvolvido para uma ampla gama de aplicações. Hoje, a empresa fornece seus produtos para vários setores em crescimento, como os segmentos automotivo, eletrônico e de construção.
Os produtos de PMMA da marca Plexiglas são usados em automõveis, janelas de aeronaves, telas e displays e também na construção civil.

Além de serem usados como precursores do polímero de PMMA, os monômeros de MMA da Röhm são também usados na produção de tintas e vernizes, revestimentos de piso, adesivos e outros materiais.

“É por isso que escolhemos deliberadamente Röhm como o nome da nossa empresa”, disse o CEO da Röhm GmbH, Michael Pack. Enquanto a empresa mantém uma profunda conexão com suas raízes, o CEO está atento ao futuro da nova Röhm.

“É nosso objetivo continuar impulsionando o crescimento de nossos negócios e fortalecer ainda mais as posições de liderança no mercado por meio de investimentos e expansões direcionada. Temos estruturas eficientes, tecnologias de ponta, ideias inteligentes para inovação e – igualmente importante – funcionários altamente qualificados e marcas fortes ”, enfatiza Pack. “Essa autoconfiança e um senso de otimismo em relação ao início do nosso novo futuro também estão refletidos no novo logotipo e design da marca Röhm.”

A forte posição inicial do negócio de Metacrilato também convenceu a Advent International. O novo proprietário é uma das maiores empresas de private equity do mundo. Com mais de 30 transações concluídas com sucesso ao longo de três décadas, a Advent International tem uma vasta experiência na indústria química.

“Nós vemos um grande potencial para estabelecer a Röhm como uma líder no mercado global e em tecnologia de produtos químicos de metacrilato”, diz Ronald Ayles, sócio-gerente e chefe global de Produtos Químicos da Advent International. “Em parceria com a gerência e funcionários, continuaremos a desenvolver a Röhm através de investimentos e expansão.”

“Com o apoio da Advent International, agora podemos iniciar importantes investimentos em nossas tecnologias e na expansão de nossas instalações de produção para fortalecer ainda mais nossa posição de liderança no mercado ”, diz Pack.

Fonte: Röhm

Curta nossa página no

Sidel adquire fabricante de moldes francês Comep

23/07/2019

Em 18 de julho, a Sidel anunciou a aquisição da Cognac Moules Emballages Plastiques (Comep), empresa francesa que produz e desenvolve moldes para PET, fortalecendo o grupo na fabricação de moldes e ferramental. “Estamos confiantes de que a expertise complementar da Sidel e da Comep nos trará mais oportunidades comerciais, oferecendo aos clientes uma escolha ideal de parceiros, capazes de tornar realidade seus requisitos”, declara Pavel Shevchuk, Vice Presidente Executivo de Serviços na Sidel.

A Comep foi criada em 1998 para atuar no desenvolvimento e fabricação de moldes para garrafas PET. Localizada em Salles-d’Angles, França, com mais de 20 anos de experiência no setor, a Comep produz mais de 4 mil moldes por ano para clientes do mundo todo. Com cerca de 60 funcionários, a empresa foi uma das pioneiras nas tecnologias de baixa pressão de sopro.

Expansão para manter o foco em embalagens

“Com essa medida, continuamos na direção que tomamos em outubro de 2018. Na época, fortalecemos a Sidel com a aquisição da PET Engineering, que fornece consultoria de design e estratégia de marca, design de embalagens, bem como serviços de conversão de linha e moldes para a indústria de bebidas” disse Pavel. “Agora, ao adquirir a Comep, ampliamos ainda mais nosso conjunto de recursos e portfólio de moldes e ferramental, a fim de oferecer soluções de embalagem completas aos clientes. A embalagem é, de fato, peça chave de diferenciação para nossos clientes. A Comep também complementa perfeitamente o sólido know-how da Sidel em fabricação de moldes.”, complementou o executivo da Sidel.

A Comep e a Sidel permanecerão concentradas em seus respectivos focos atuais lançando mão de suas capacidades próprias e oferecendo um conjunto de serviços de embalagem para empresas que envasam seus produtos em PET. “Estamos confiantes de que a expertise de cada empresa será fundamental para atender à crescente demanda por soluções de embalagem completas que o setor tem mostrado. E quanto a nós, estamos nos juntando a uma empresa líder mundial no setor de design e fabricação de embalagens”, observa Christophe Amarant, CEO da Comep.

A Comep representará um canal separado para o mercado de moldes e ferramental. Isso significa que a Comep e a Sidel empregarão abordagens comerciais distintas, ao mesmo tempo que irão compartilhar práticas e tirar proveito do desempenho conjunto sempre que possível.

A Sidel é uma das líderes no fornecimento de equipamentos e soluções de serviços para o acondicionamento de bebidas, alimentos, produtos para casa e cuidados pessoais em PET, lata, vidro e outros materiais. Com mais de 40.000 máquinas instaladas em mais de 190 países, a empresa possui 5.500 funcionários no mundo todo.

Curta nossa página no

Americana Tekni-Plex adquire Geraldiscos, fabricante brasileira de Selos de Indução e Discos de Vedação

23/07/2019

Subsidiária da Tekni-Plex comprou a fabricante brasileira de selos de indução e discos de vedação, Geraldiscos, que fará parte do negócio Tri-Seal da Tekni-Plex.

Sediada em Santana de Parnaiba, um município do Estado de São Paulo, a Geraldiscos é conhecida por fabricar selos de indução e discos de vedações para uma grande variedade de tipos de frascos, incluindo PP, PE, PEAD, PVC, PET e vidro. Soluções de fechamento são fornecidas para segmentos de mercado como alimentos, bebidas, cuidados pessoais, saúde, agricultura, produtos químicos e outros.

“Continuamos a impulsionar nossa estratégia, aumentando nossos negócios de forma orgânica e por meio de fusões e aquisições. Especificamente, a Geraldiscos nos permite expandir nossa presença geográfica na América do Sul para dar suporte ao grande mercado brasileiro de selos e vedações e a nossos clientes multinacionais. Acompanhamos a empresa por um longo período de tempo e sempre nos interessamos por seus produtos inovadores, de alta qualidade, excelente capacidade de fabricação, além de uma equipe administrativa muito forte ”, disse Paul Young, presidente e diretor executivo da Tekni-Plex.

A aquisição adiciona 140 funcionários experientes à equipe global de 3.000 da Tekni-Plex. Gabriel Sahyao Leal dos Santos, Gerente Geral da Geraldiscos, continuará supervisionando a operação. A instalação de produção verticalmente integrada da empresa também é certificada pela ISO 9001: 2015, 14001 e 22000FSSC.

A Geraldiscos é a décima terceira aquisição que a Tekni-Plex faz nos últimos cinco anos, dentro da sua estratégia de ampliar seus negócios através de aquisições transformadoras e complementos estratégicos.

A Geraldiscos foi criada em 1964 pela família Leal dos Santos. A empresa cresceu nas últimas cinco décadas e transformou-se em um fornecedor conhecido de discos de vedação e selos de indução para o mercado de alimentos, produtos químicos, assistência médica automotiva, etc. da América do Sul. Para maiores informações:www.geraldiscos.com.br.

Sobre a Tekni-Plex, Inc.A Tekni-Plex é uma empresa globalmente integrada, focalizada no desenvolvimento e fabricação de produtos para mercados finais como produtos médicos, farmacêuticos, alimentos, bebidas, cuidados pessoais, domésticos e industriais. A Tekni-Plex está sediada em Wayne, na Pensilvânia (EUA), e opera fábricas em nove países do mundo.

Curta nossa página no

 

Hillenbrand compra Milacron por U$ 2 bilhões

18/07/2019

  • Milacron é a maior fabricante norte-americana de máquinas, equipamentos e sistemas para processamento de plásticos
  • Com a aquisição, a Hillenbrand, controladora da Coperion, adiciona ao seu portfolio de tecnologias de processamento de plásticos os segmentos de injeção e extrusão da Milacron, câmara-quente da Mold-Masters, bases e componentes de molde da DME
  • Negócios da marca Uniloy na área de moldagem por sopro foram vendidos para outro grupo e não integram a transação com a Hillenbrand.
  • Aquisição aumenta escala e diversificação da nova empresa combinada, que deverá gerar receita anual de aproximadamente US $ 3 bilhões e fluxo de caixa livre de mais de US $ 325 milhões até 2021

A Hillenbrand, Inc. e a Milacron Holdings Corp. anunciaram em 12/07 ter chegado a um acordo definitivo sob o qual a Hillenbrand irá adquirir a Milacron em uma transação mista, envolvendo dinheiro e ações, avaliada em aproximadamente US $ 2 bilhões, incluindo a dívida líquida de aproximadamente US $ 686 milhões da Milacron, estimada em 31 de março de 2019.

Sob os termos do acordo, que foi aprovado por unanimidade pelos Conselhos de Administração de ambas as companhias, os acionistas da Milacron receberão US $ 11,80 em dinheiro e uma relação de troca fixa de 0,1612 ações ordinárias da Hillenbrand para cada ação ordinária da Milacron que eles possuam. Com base no preço de fechamento da ação da Hillenbrand em 11 de julho de 2019, o último dia de negociação antes do anúncio, a soma do pagamento implícito em dinheiro e ações a ser recebido pelos acionistas da Milacron é de $ 18,07 por ação, representando um prêmio de aproximadamente 34% para o preço de fechamento da ação da Milacron em 11 de julho de 2019. No fechamento, os acionistas da Hillenbrand deterão aproximadamente 84% da companhia combinada e os acionistas da Milacron deterão aproximadamente 16%.

A Milacron fabrica, distribui e presta serviços de engenharia e sistemas personalizados na indústria de processamento e tecnologia de plásticos, cujo tamanho estimado é de aproximadamente US $ 30 bilhões, bem como em tecnologias de fluidos e sistemas de processamento. A Milacron opera em três segmentos: Sistemas de Processamento e Controle de Material Fundido, que projeta e fabrica sistemas avançados de câmara quente e controle de processo, bases e componentes de molde; Tecnologias de Processamento Avançado de Plásticos, que projeta e fabrica equipamentos e sistemas de processamento de plásticos, incluindo moldagem por injeção, extrusão e sistemas auxiliares; e Fluid Technologies, que fabrica produtos que são usados ​​em uma variedade de processos de usinagem.

Os negócios da marca Uniloy anteriormente pertencentes à Milacron na área de moldagem de plásticos por sopro, foram vendidos separadamente ao Osgood Capital Group e Cyprium Investment Partners e não integram a transação com a Hillenbrand.

A aquisição da Milacron representa um passo fundamental na visão de Hillenbrand de se tornar empresa industrial diversificada de classe mundial ao adicionar ao portfolio da Hillenbrand novos negócios estratégicos em sistemas de canais quentes e moldagem por injeção,através de marcas líderes como Milacron e Mold-Masters. Juntas, a empresa combinada terá maior escala e uma significativa diversificação de produtos, aprimorando sua capacidade de atender aos clientes através de tecnologias complementares em toda a cadeia de valor de plásticos, incluindo produção de resinas de base plástica, compostos, processamento de produtos plásticos por extrusão e injeção, além de reciclagem.

Joe Raver, presidente e CEO da Hillenbrand, disse: “Esta transação transforma significativamente nosso portfólio e oferta de produtos, adicionando as soluções tecnológicas líderes da Milacron e uma base de clientes instalada considerável para nos ajudar a impulsionar o crescimento de longo prazo. A Milacron se alinha à nossa estratégia de crescimento rentável e a estrutura de aquisições e temos a expectativa de que as potencialidades adicionais de seus segmentos de alto desempenho acelerem a geração de fluxo de caixa livre e melhorem as margens em todos os negócios. Eu tenho muito respeito pelos funcionários talentosos da Milacron e espero recebê-los na Hillenbrand, enquanto embarcamos nesse próximo passo em nossa estratégia e criamos valor adicionado para nossos acionistas, clientes, funcionários e comunidades “.

Tom Goeke, diretor executivo da Milacron, disse: “Após cuidadosa revisão, nossa diretoria concluiu unanimemente que uma combinação com a Hillenbrand representa uma oportunidade única para fornecer aos acionistas da Milacron um valor significativo e imediato e a capacidade de se beneficiar do potencial positivo da companhia combinada. A Hillenbrand tem um enorme histórico de crescimento e agregação de valoir em seu portfólio de produtos. Juntos, continuaremos a fornecer aos clientes produtos inovadores e sistemas personalizados. Essa combinação é resultado do tremendo progresso da equipe da Milacron em melhorar nossa posição como líder global em tecnologia e processamento de plásticos. Estou confiante de que encontramos um parceiro forte em Hillenbrand e estamos ansiosos para uma transição perfeita “.

A Hillenbrand é uma empresa industrial diversificada global com várias marcas líderes que atendem a uma ampla variedade de indústrias em todo o mundo, já atuando no segmento de plásticos através da marca Coperion K-Tron. O portfólio da Hillenbrand é composto por dois segmentos de negócios: o Grupo de Equipamentos de Processo e Batesville. Os negócios do Grupo de Equipamentos de Processo projetam, desenvolvem, fabricam e fornecem equipamentos industriais em todo o mundo. Batesville é um líder no segmento funerário na América do Norte.

Fonte: Milacron

Curta nossa página no

Chevron Phillips em negociação para comprar a canadense Nova Chemicals – Reuters

23/06/2019

A Chevron Phillips Chemical Corp está considerando fazer uma oferta de U$ 15 bilhões pela Nova Chemicals, empresa com sede em Calgary (Canada). A oferta inclui a dívida da Nova.

A joint venture entre a Phillips 66 e a Chevron Corp, sediada em Woodlands (Texas, EUA), que já é uma grande empresa petroquímica global, pode se expandir mais ainda com a aquisição da Nova Chemicals.

Fontes não identificadas disseram à Reuters na quinta-feira (20/06) que a Chevron Phillips já fez a proposta, mas há a possibilidade de outro comprador ainda surgir. O dono da Nova Chemical, o fundo soberano de Abu Dhabi, Mubadala Investment Co., vem tentando vender a petroquímica desde o início do ano, mas não há nenhuma certeza de que irá aceitar a proposta da Chevron Philiphs Chemical. A Mubadala também pode decidir manter uma participação na Nova Chemicals, acrescentou uma das fontes.

Tanto a Chevron Phillips Chemical Co. como a Nova Chemicals não confirmaram as informações.

Fundada em 1954, a Nova Chemicals relatou um Ebitda de U$ 271 milhões no primeiro trimestre de 2019, abaixo dos U$ 418 milhões registrados no mesmo período de 2018, de acordo com dados do site da empresa.

A Nova Chemicals tem 2.900 funcionários globalmente e fabrica polietileno e etileno. Produz também poliestireno expandido usado na construção, em embalagens, copos e recipientes, manuseio de materiais, segurança e outras aplicações.

Se o negócio se concretizar, pode fazer da Chevron Phillips a terceira maior produtora de polietileno da América do Norte, logo após a Exxon Mobil Chemical Company e a Dow Chemical Company, disse Ashish Chitalia, analista da área química da firma de pesquisa Wood Mackenzie. A aquisição também significará que a Chevron Phillips se tornará a maior produtora de polietileno de alta densidade na América do Norte, seguida pela LyondellBasell, acrescentou Chitalia.

Uma das variáveis a serem levadas em conta na transação é o fato de que há expectativas de que haja excesso de oferta de polietileno nos próximos três anos. Além disso, a indústria petroquímica está lutando com os impactos da guerra comercial EUA-China, que pode reduzir os preços e prejudicar o crescimento nos EUA.

O governo de Abu Dhabi adquiriu a Nova Chemicals em 2009 por U$ 500 milhões, evitando que a empresa se submetesse a uma reestruturação financeira, em virtude da sua alta dívida na época. Desde então, os negócios da Nova cresceram rapidamente, como resultado da expansão vertiginosa das atividades de shale gas na América do Norte.

No ano passado, a Dow venceu uma ação judicial de US $ 1 bilhão contra a Nova em uma disputa relacionada a um cracker de etileno em Alberta.

No início deste ano, a joint venture da Nova com a Borealis AG, sediada em Viena, chamada Novealis, iniciou a construção de uma unidade de 625.000 toneladas métricas de Polietileno, em Pasadena, Texas, em parceria com a petrolífera francesa Total SA. A unidade pertence a uma joint venture Total-Novealis denominada Bayport Polymers LCC e deve iniciar operações em 2021.

Outros grandes projetos incluem um cracker e uma expansão de polietileno em Sarnia, Ontário, com previsão de partida para o quarto trimestre de 2021 e um recente projeto de flexibilização de matérias-primas em Sarnia.

Fundada no ano 2000, a Chevron Philips Chemical tem instalações fabris nos Estados Unidos, Cingapura, Arábia Saudita, Catar e Bélgica. O faturamento total da empresa foi U$ 12 bi no ano passado, de acordo com seu site.

Fonte: Reuters, Calgary Herald, Chron

Curta nossa página no

LyondellBasell e Odebrecht S.A. encerram tratativas sobre a venda da Braskem

04/06/2019

Em nota divulgada hoje, a LyondellBasell, uma das maiores empresas de plásticos, produtos químicos e refino do mundo, anunciou o encerramento de discussões com a Odebrecht S.A. sobre a potencial aquisição da Braskem.

“A combinação da LyondellBasell com a Braskem é muito atrativa por conta dos fortes complementaridades, portfólios de produtos e pegadas operacionais das duas empresas. No entanto, após uma análise cuidadosa, decidimos conjuntamente não prosseguir com a transação. Queremos agradecer às equipes da Odebrecht e da Braskem cooperação durante todo o processo “, disse o CEO da LyondellBasell, Bob Patel.

Em comunicado divulgado hoje sob a forma de “Fato Relevante”, a Braskem também informou o encerramento das negociações.

“A Braskem S.A., em prosseguimento ao Fato Relevante divulgado em 15 de junho de 2018, vem comunicar aos seus acionistas e ao mercado que foi informada pela Odebrecht S.A., sua acionista controladora, da decisão em conjunto com a LyondellBasell de encerrar as tratativas a respeito da potencial transação envolvendo a transferência à LyondellBasell da totalidade da participação da Odebrecht no capital social da Braskem. A administração da Companhia seguirá em busca de oportunidades que tenham o potencial de agregar valor à Braskem e, consequentemente, a todos os seus acionistas”, informa a nota informativa da empresa.

A Braskem é controlada pela Odebrecht S.A., que possui 50,1% do capital votante da empresa. A Petrobrás detém 47 % do total das ações com direito a voto.

Se a transação entre a LyondellBasell e a Odebrecht tivesse sido fechada, a nova empresa resultante da operação se tornaria uma das maiores produtoras mundiais de resinas plásticas, com receitas líquidas de cerca de U$ 50 bilhões por ano.

De acordo com o Brazil Journal, publicação que divulgou a notícia em primeira mão ontem à noite (03/06), o fator decisivo para a LyondellBasell desistir da compra foi o pedido de recuperação judicial da Atvos, empresa que comercializa etanol, feita pela Odebrecht na semana passada. Estimada em R$ 12 bilhões, a dívida da Atvos tem ações da Braskem como garantia. Além disso, existe a possibilidade de um dos credores invocar uma cláusula de “cross default”, como chamam o processo de aceleração das dívidas das outras empresas do Grupo Odebrecht.

Como a Odebrecht Engenharia e Construção (OEC) e a ODB SA controlam as ações da Braskem indiretamente, o portal explica que o cross default fará com que a recuperação judicial da Atvos torne as dívidas vencidas e, por consequência, coloque as ações da Braskem nas mãos dos credores dos dois veículos.

“Deixou de haver o que os advogados de M&A chamam de ‘rep fundamental’ num contrato de compra e venda: a representação [feita pelo vendedor] de que as ações estão livre e desembaraçadas”, explicou uma das fontes.

A Braskem também sofreu impacto financeiro de desdobramentos recentes da Operação Lava Jato, como o acordo de leniência fechado no último dia 31 de maio com a Controladoria Geral da União e a Advocacia Geral da União, no valor de 2,87 bilhões, relacionado ao pagamento de danos e multas ligados a contratos irregulares envolvendo recursos públicos.

A venda da Braskem também já vinha enfrentando outras incertezas, tais como uma ação do Ministério Público de Alagoas devido a rachaduras e fissuras em alguns logradouros de Maceió, um problema que aparentemente pode estar relacionado à sua extração de sal gema na região e que pode resultar em exigências de indenizações à empresa, ainda de valor indeterminado.

Fontes: LyondellBasell, Braskem, Brazil Journal

Curta nossa página no

Evonik vende seu negócio de Metacrilatos à Advent International por 3 bilhões de euros

03/04/2019

  • Alinhamento com a estratégia de foco em especialidades químicas
  • Preço de venda atraente de 3 bilhões de euros corresponde a 8,5 vezes o EBITDA do negócio
  • Oportunidades de desenvolvimento para o negócio de metacrilatos

A Evonik assinou acordo para a venda de seu negócio de metacrilatos à Advent International por 3 bilhões de euros. O preço de venda (enterprise value) corresponde a 8,5 vezes o EBITDA do negócio. A operação está sujeita à aprovação das autoridades pertinentes em vários países, mas deve ser concluída no terceiro trimestre deste ano.

O negócio de metacrilatos abrange 18 unidades de produção e 3.900 colaboradores no mundo inteiro. De 2016 a 2018, gerou um EBITDA anual médio de cerca de 350 milhões de euros e vendas de aproximadamente 1,8 bilhão de euros ao ano. Para 2019, a Evonik prevê vendas e EBITDA de nível similar.

A operação engloba as linhas de negócio Methacrylates, Acrylic Products e CyPlus®, além de algumas das atividades com resinas metacrílicas. A Evonik colocou essas operações no mercado como parte de sua estratégia sistemática de concentrar o seu foco em especialidades químicas, produtos que são menos cíclicos. A empresa de private equity Advent International é um dos investidores financeiros mais experientes na indústria química no mundo inteiro, com mais de 30 investimentos em três décadas.

O preço de compra líquido (equity value) pode ser calculado após as deduções, compostas basicamente por obrigações previdenciárias (aposentadorias) de cerca de 500 milhões de euros. A Evonik usará o valor da venda para reforçar o seu balanço e, sobretudo, para projetos de crescimento específicos. Isso inclui o financiamento da compra da empresa americana PeroxyChem, que a Evonik pretende concluir este ano. Além disso, uma parte dos recursos será usada para reforçar o atual portfólio de especialidades químicas, por exemplo, pela construção de uma nova fábrica de poliamida 12 em Marl, Alemanha. Essas atividades geram uma margem atraente e um fluxo de caixa acima da média. Ainda em 2019 e mesmo sem a contribuição do negócio de metacrilatos, a Evonik conseguirá cobrir o pagamento de dividendos com o seu forte fluxo de caixa livre.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Evonik adquire a startup americana Structured Polymers

17/03/2019

A Evonik adquiriu a Structured Polymers Inc., startup tecnológica americana para materiais de impressão 3D, sediada em Austin, Texas. O acordo e o plano de fusão correspondente foram executados e a operação foi concretizada recentemente. Com a aquisição, a Evonik ganha acesso a uma nova tecnologia patenteada que vai permitir a expansão de seu portfólio de pós poliméricos especiais no mercado de manufatura aditiva.

“A aquisição da tecnologia da Structured Polymers é um complemento excelente às nossas atividades existentes no segmento de polímeros de alto desempenho para a manufatura aditiva”, disse Dr. Ralph Marquardt, responsável por Strategy and Growth Businesses na Evonik Resource Efficiency GmbH. “Graças à nossa expertise de décadas em química de polímeros, essa operação nos permite expandir o nosso portfólio de materiais poliméricos customizados e prontos para uso para o mercado altamente atraente e de rápido crescimento da impressão 3D, o que fará com que possamos exercer um papel importante no desenvolvimento desse mercado”.

A Structured Polymers será plenamente integrada à organização norte-americana da Evonik, mas a sede da empresa será mantida em Austin, Texas.

“Estamos muito felizes por poder aproveitar o poder da Evonik para expandir ainda mais a nossa plataforma tecnológica inovadora. No futuro próximo, isso nos permitirá diversificar de maneira significativa o mercado de materiais para impressão 3D e trabalhar com os nossos clientes no desenvolvimento de novas oportunidades de negócios”, disse Vikram Devarajan, CEO da Structured Polymers Inc.

A Evonik já havia criado a base para uma aquisição da startup tecnológica no outono de 2017 por meio de um investimento de venture capital.

Nova tecnologia para materiais para impressão 3D

A tecnologia inovadora da Structured Polymers começa com um granulado polimérico que é convertido em um pó fino, através de um processo de diversas etapas. Desse modo, é possível produzir pós poliméricos com tamanhos controlados de partícula variando entre 0,1 e 400 µm, enquanto se obtêm excelentes propriedades de material.

“A nova tecnologia nos permite utilizar virtualmente todos os termoplásticos semicristalinos, como, por exemplo, polibutileno tereftalato, poliéter-cetona ou poliamida 6 ou pós poliméricos com propriedades especiais (como cor, condutividade ou proteção antichamas) para produção de pós para processos de impressão 3D comuns, tais como a sinterização seletiva a laser, sinterização de alta velocidade ou fusão multijatos”, disse Thomas Grosse-Puppendahl, responsável pela área Additive Manufacturing Innovation Growth Field na Evonik. “Além disso, nós esperamos que a tecnologia da Structured Polymers possa ser escalada de maneira fácil e econômica”.

O mercado de impressão 3D está em franca expansão e apresenta taxas de crescimento de dois dígitos. Nesse mercado, a Evonik é o maior fabricante mundial de pós de poliamida (PA) 12, produtos que são empregados em tecnologias de manufatura aditiva há mais de 20 anos. Além de seu filamento de PEEK e pó de PA 12, o portfólio de produtos da empresa também inclui os pós de PEBA flexíveis e uma variedade de aditivos tais como agentes de dispersão, melhoradores de fluxo e modificadores reativos.

A Structured Polymers Inc. foi fundada em 2012 em Austin, Texas, com o objetivo de inovar e comercializar novos pós poliméricos para processos de manufatura aditiva, incluindo a fusão multijato e a sinterização seletiva a laser. A equipe, chefiada por Dr. Vikram Devarajan, Dr. Jim Mikulak e Dr. Carl Deckard, juntamente com um time de engenheiros liderados por Dr. Abhimanyu Bhat, criou um processo escalável exclusivo para a comercialização de pós poliméricos de alto desempenho e está comprometido com a expansão da disponibilidade de materiais para o setor de impressão 3D.

Fonte: Assessoria de Imprensa -Evonik

Curta nossa página no

Davis-Standard adquire fabricante americano de equipamentos de termoformagem para a indústria de embalagens de alimentos

02/12/2018

A Davis-Standard, LLC anunciou que adquiriu a Thermoforming Systems LLC de Yakima, Washington (EUA). A TSL projeta, fabrica e comercializa equipamentos avançados de termoformagem para a indústria de embalagens de alimentos na América do Norte.

“A TSL é líder de mercado em tecnologia de equipamentos de termoformagem para embalagens de alto volume e estamos entusiasmados em dar as boas vindas à sua equipe dedicada que se incorpora à Davis-Standard hoje”, disse Jim Murphy, presidente e CEO da Davis-Standard. Murphy acrescentou: “Estamos entusiasmados com esta oportunidade com a TSL, à medida em que compartilhamos os valores centrais e um foco em nossos clientes, na tecnologia e na inovação de produtos. Este é um dia empolgante para ambas as organizações quando começamos nosso futuro juntos.”

James Naughton, presidente da Thermoforming Systems LLC, comentou sobre a transação. “A Davis-Standard tem uma reputação de longa data como líder global em tecnologia de extrusão e foi nosso parceiro preferido para trabalhar”, disse ele. “Estamos muito satisfeitos em nos juntarmos a uma organização que compartilha nossos princípios de negócios e, junto com a Davis-Standard, a TSL buscará aprofundar seu compromisso com nossos clientes e funcionários. A TSL continuará a operar e a atender seus clientes como ante. Estamos entusiasmados com nossas oportunidades exclusivas de produtos com a Davis-Standard. ”

Fonte: Davis Standard

Curta nossa página no </

Borealis adquire controle acionário de fabricante coreano de compostos para a indústria de cabos elétricos

15/11/2018

A Borealis anunciou a assinatura de um acordo para aquisição de uma participação majoritária na empresa sul-coreana DYM Solution Co. Ltd. O acordo e transação estão sujeitos às aprovações regulamentares.

Com sede em Cheonan, na Coréia do Sul (foto), a DYM Solution Co. Ltd. foi fundada em 1992 e é fornecedora de soluções em compostos para a indústria global de cabos elétricos. Ela é especializada em compostos de borracha e curados por silanos, semicondutores e materiais retardantes de chama sem halogênio (HFFR).

Com este investimento, a Borealis busca estender a pegada global de ativos da divisão Wire & Cable que ela tem em conjunto junto com a Borouge, com sede em Abu Dhabi. Com essa aquisção, a Borealis poderá adicionar o portfolio complementar da DYM Solution Co à sua extensa gama de produtos.

“Ter acesso a uma base de produção asiática aumentará significativamente nossa capacidade de promover um crescimento orgânico contínuo para a Borealis e a Borouge e permitirá que atendamos ainda mais aos requisitos de nossos clientes do segmento de fios e cabos”, diz o diretor executivo da Borealis, Alfred Stern.

Fonte: Borealis

Curta nossa página no

Sidel Group adquire empresa italiana PET Engineering e diversifica portfólio de soluções de embalagem

19/10/2018

Em 11 de outubro, o Sidel Group concluiu a aquisição da PET Engineering Srl, ampliando o portfólio de soluções de embalagem do grupo. “Como a embalagem vem ocupando um espaço cada vez mais importante em qualquer mix de marketing, estamos certos de que a complementaridade das competências da Sidel e da PET Engineering em design, qualificação e processo de sopro de embalagens proporcionará mais oportunidades de negócios para o Sidel Group, além de oferecer uma gama mais variada de parceiros para materializar todas as exigências de criatividade formuladas pelos clientes”, explica Pavel Shevchuk, vice-presidente executivo de Serviços do Sidel Group.

Fundada em 1999 e situada em San Vendemiano, na Itália (foto), a PET Engineering conta com 40 funcionários e fornece uma gama ampla de soluções em embalagem para clientes na indústria de alimentos e bebidas. A empresa ganhou renome graças à criatividade dos designs de suas embalagens e dispõe de conhecimento e expertise do processo de sopro, além de desfrutar da fidelidade de uma clientela global. Sua abordagem integra design, engenharia e industrialização. Além disso, a capacidade de criar um equilíbrio delicado entre viabilidade técnica e criatividade valeu à PET Engineering prêmios prestigiosos na área de embalagem, dentre os quais, o WorldStar Award, na categoria Bebidas, conquistado no ano passado, e o A’ Design Award de ouro na categoria Design de Embalagem, em 2018.

Dois players para oferecer mais soluções

“A PET Engineering está perfeitamente posicionada para ajudar a Sidel a ampliar sua oferta de embalagens, especialmente no que se refere ao design de frascos para água, refrescos, bebidas lácteas e cerveja”, diz Moreno Barel, CEO da PET Engineering. “Com essa aquisição, também diversificamos nosso portfólio de serviços de embalagem a fim de atender melhor às necessidades dos clientes”, completa Pavel. “O design de embalagem tem um impacto determinante na eficiência de toda a cadeia de suprimentos, por isso é um fator decisivo para podermos honrar o compromisso de Performance through Understanding da marca e implementar a estratégia para alcançar esse objetivo. Consideramos que a aquisição representa mais solidez para o Sidel Group.”

O Sidel Group é formado pela união da Sidel e a Gebo Cermex, líderes no fornecimento de equipamentos e serviços de acondicionamento de líquidos, alimentos, produtos para casa e cuidado pessoal em PET, lata, vidro e outros materiais. O grupo conta com mais de 37 mil máquinas instaladas em mais de 190 paísese mais de 5 mil funcionários ao redor do mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sidel; Foto: PET Engineering

Curta nossa página no

BASF adquire dois fabricantes de materiais para impressão 3D

29/07/2018

Com o objetivo de expandir os negócios da empresa na área de impressão 3D, a BASF New Business GmbH (BNB) comprou todas as ações da Advanc3D Materials GmbH em Hamburgo e da Setup Performance SAS em Lyon. A aquisição representa mais um passo para posicionar a empresa como fornecedora líder de materiais e formulações à base de pó para a impressão 3D industrial.

A Advanc3D Materials oferece pós e formulações plásticas avançadas e sob medida para o processo SLS (sinterização por laser seletivo), além do know-how do processo. A Setup Performance, que opera uma unidade de produção em Lyon, é a parceira mais importante da Advanc3D Materials no desenvolvimento e fabricação de materiais de SLS. A BNB está integrando as duas empresas à sua subsidiária BASF Soluções em Impressão 3D GmbH (B3DPS).

A produção de peças plásticas formadas individualmente, com o uso da fabricação de camada aditiva por um processo de impressão 3D, é cada vez mais importante na indústria. A sinterização por laser seletivo (SLS) é um método de produção que, usando um design estrutural tridimensional, tem a forma de um objeto desenhada por um laser em um pó de um material específico, como poliamida. O material atingido pelo laser derrete e o objeto 3D desejado é produzido camada por camada.

Até agora, muitas peças plásticas complexas tinham que ser produzidas com moldagem por injeção. As maiores vantagens da impressão 3D incluem menor custo em pequena escala e uma produção muito mais rápida, já que não há necessidade de molde. Assim, os fabricantes de peças podem responder muito mais rapidamente aos pedidos e atender mais facilmente às necessidades individuais dos clientes.

“Depois que adquirimos a Innofil3D ano passado e com o consequente fortalecimento de nossa presença no mercado de filamentos plásticos para extrusão de camadas, estamos agora expandindo nosso acesso ao mercado na área de powder bed fusion (fusão por camada de pó). O portfólio complementa nosso leque atual, além de ser totalmente adequado a produtos como poliamida 11, poliamida 12 e polipropileno”, diz Dr. Dietmar Bender, vice-presidente de Manufatura e Tecnologia na BNB. Em abril, a B3DPS introduziu um novo material PA6 para sinterização por laser seletivo, que pode ser facilmente processado pela maioria das máquinas de SLS normalmente usadas no mercado atual.

A Advanc3D Materials já está bem estabelecida no mercado, oferecendo uma ampla gama de produtos e uma competência global de mercado e aplicação. Um pó consistente e extremamente fino, aditivos estabilizadores UV e o bom fluxo livre estão entre os elementos necessários para permitir que os materiais sejam usados na impressão 3D. A Setup Performance é a fabricante terceirizada e parceira de desenvolvimento da Advanc3D. A unidade de desenvolvimento e produção de produto e processo da empresa em Lyon é reconhecida por sua eficiência e curtos ciclos de desenvolvimento de novos produtos.

“Estamos ansiosos por fazer parte da BASF. Com isso poderemos expandir e desenvolver novas formulações para as atividades de produção de aditivo industrial de nossos clientes no mundo todo”, explica François Minec, Diretor Executivo da Advanc3D.

“Este know-how, a infraestrutura e os materiais avançados são um complemento perfeito para nós”, diz Dietmar Bender. Os clientes atuais e novos, principalmente nos setores automotivo e de bens de consumo, agora podem aproveitar o maior portfólio da B2DPS. “Esta aquisição é mais um passo em direção a nosso objetivo de nos tornarmos um fornecedor líder de materiais e formulações à base de pó para a impressão 3D industrial”, considera.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Odebrecht S.A. inicia tratativas com LyondellBasell para venda da Braskem

15/06/2018

A LyondellBasell, uma das maiores companhias de plásticos, produtos químicos e refino do mundo, e a Odebrecht S.A., acionista controladora da Braskem, anunciaram, hoje, em um comunicado conjunto, que as companhias iniciaram tratativas exclusivas sobre uma potencial transação entre LyondellBasell e Braskem.

As companhias declararam conjuntamente:

“LyondellBasell e Braskem compartilham uma forte cultura de excelência operacional e legados de inovação. Acreditamos que a potencial combinação das forças complementares, portfólios de produtos e áreas operacionais de LyondellBasell e Braskem criariam um valor significativo aos nossos acionistas, clientes e colaboradores.

O Conselho de Administração e a administração da Braskem foram informados sobre a existência dessas discussões. As discussões são preliminares e nenhum acordo foi alcançado. As partes precisarão, dentre outras coisas, concluir a due diligence apropriada, negociar contratos definitivos e obter aprovações societárias. Não há garantias de que as tratativas resultarão em uma transação ou dos termos em que a potencial transação poderá ocorrer. LyondellBasell e Odebrecht S.A. não pretendem fazer qualquer comentário adicional salvo se ou até que as tratativas sejam concluídas ou seja exigido pela lei aplicável.”

A Braskem divulgou hoje também Fato Relevante ao mercado, nos seguintes termos:

“A Braskem S.A., em atendimento ao disposto na Instrução CVM nº 358/02, vem comunicar aos seus acionistas e ao mercado em geral que foi informada pela Odebrecht S.A., sua acionista controladora, do início de tratativas com a LyondellBasell, companhia aberta com sede em Roterdã, visando uma potencial transação envolvendo a transferência à LyondellBasell da totalidade da participação da Odebrecht S.A. no capital social da Braskem.

Segundo a Odebrecht S.A., as negociações estão em estágio preliminar e foi concedida exclusividade à LyondellBasell no âmbito das tratativas, que são regidas por acordo de confidencialidade.

Foi informado também que a conclusão da Transação está sujeita, dentre outras condições, a due diligence, negociação dos contratos definitivos e obtenção das aprovações societárias, não existindo, nesta data, qualquer obrigação vinculante entre LyondellBasell e Odebrecht S.A. nem garantia de que as tratativas resultarão em uma Transação.

Por fim, foi ressaltado que caso a Transação seja concretizada serão garantidas aos demais acionistas da Companhia as mesmas condições que vierem a ser negociadas para a Odebrecht S.A.

A Companhia manterá seus acionistas e o mercado informados de qualquer informação relevante que tiver acesso sobre o assunto. “

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Covestro vende negócio de chapas de policarbonato na América do Norte para Plaskolite

24/03/2018

  • Outras unidades de negócio regionais da Covestro sob revisão para otimização do portfólio
  • Clientes norte-americanos poderão recorrer a uma única fonte para um portfólio abrangente de produtos de chapas plásticas transparentes

A Covestro, fabricante líder global de materiais, continua o processo de otimização do seu portfólio. Como parte dessa estratégia, a empresa pretende vender seu negócio global de chapas de policarbonato (PCS). As chapas de policarbonato tem alta durabilidade e são moldáveis livremente, sendo usadas em transporte público, sistemas de cobertura ou aplicações de sinalização.

Como primeiro passo, a unidade norte-americana de chapas de PCS da Covestro,  que gerou vendas de cerca de US $ 170 milhões em 2017, foi vendida para a Plaskolite LLC, maior fabricante de chapas de acrílico da América do Norte. O acordo será conduzido como um acordo de ativos, o que significa que, assim como a transferência de propriedade intelectual e ativos fixos dedicados, os funcionários da Covestro serão incorporados à Plaskolite. Como parte da transação, a Plaskolite está adquirindo a sede do negócio de chapas, plantas de produção e instalações de armazenamento da Covestro localizada em Sheffield, Massachussets (EUA) e manterá a instalação terceirizada de depósito para distribuição existente em Hebron, Ohio. As operações continuarão na instalação fabril atual. Com esta aquisição, a Plaskolite empregará 950 pessoas. As empresas concordaram com um preço de venda de várias dezenas de milhões de dólares. A conclusão do fechamento do negócio está prevista para 01 de agosto de 2018.

“Nós avaliamos e otimizamos continuamente nosso portfólio para garantir crescimento futuro e criação de valor. Durante esse processo, ficou claro que o nosso negócio de chapas não se encaixaria estrategicamente, no longo prazo, no nosso negócio de policarbonatos ”, disse o CEO da Covestro, Patrick Thomas. “Por isso, decidimos que a unidade de chapas pode se desenvolver e crescer melhor sob um novo proprietário e estamos felizes por ter encontrado na Plaskolite um excelente comprador para nossas operações nos EUA.”

Em relação às suas unidades de chapas de policarbonato na Europa, a Covestro abrirá em breve um processo de venda em separado e, no devido tempo, anunciará detalhes sobre suas unidades remanescentes na região Ásia-Pacífico.

A aquisição transformará a indústria de chapas plásticas norte-americana, através da combinação do líder em fabricação em acrílico com o líder na fabricação em policarbonato.

“Esta aquisição é transformadora para a Plaskolite e fortalece nossa posição de liderança no setor”, disse Mitchell Grindley, Presidente e CEO da Plaskolite. “Isso amplia nossa oferta e fortalece ainda mais nossas parcerias. A Plaskolite será o único fabricante a oferecer um portfólio completo de produtos de chapas transparentes, incluindo acrílico, policarbonato, PETG e ABS, o que é benéfíco para os nossos clientes, que agora podem usar uma única fonte para todas as suas necessidades de chapas. ”

Este será o segundo negócio que a Plaskolite adquire da Covestro. Em 2012, a Plaskolite comprou a linha norte-americana Vivak® de chapas de PETG da empresa.

O comunicado de hoje sucede o anúncio feito pela Plaskolite em 12 de fevereiro passado sobre a aquisição do Negócio de Chapas Acrílicas Fundidas Contínuas da Lucite International, Inc., que ampliou sua oferta de chapas de acrílico e viabilizou a entrada no negócio de chapas de spa e banho.

Fundada em 1950 em Columbus, Ohio, por Donald G. Dunn e sua família, a Plaskolite, LLC é a maior fabricante norte-americana de chapas termoplásticas transparentes. Os produtos personalizados da Plaskolite são utilizados em uma ampla variedade de aplicações, incluindo janelas, portas, iluminação, placas, displays de ponto de venda e produtos de banho. A Plaskolite atende a uma base diversificada de clientes, incluindo distribuidores, OEMs e varejistas. Em 2015, o Charlesbank Capital Partners tornou-se o primeiro investidor externo de equity capital na Plaskolite.

Com vendas de 14,1 bilhões de euros em 2017, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. As atividades de negócio estão focalizadas na fabricação de materiais poliméricos de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras. Os principais segmentos atendidos são os setores automotivo, de construção civil, processamento e móveis de madeira e os setores elétrico e eletrônico. Outros setores incluem esporte e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro possui 30 unidades de produção em todo o mundo e emprega aproximadamente 16.200 pessoas. A sede corporativa da empresa fica em Leverkusen, na Alemanha.

Fontes: Covestro e Plaskolite

Curta nossa página no

SABIC adquire participação acionária de 24,99% na Clariant

25/01/2018

  • Participações adquiridas pela SABIC anteriormente pertenciam à 40 North e Corvex Management
  • Clariant reconhece a aquisição feita pela SABIC
  • Clariant e SABIC iniciarão discussões

A Clariant, uma empresa líder mundial em especialidades químicas, reconheceu hoje (25/01/2018) o investimento realizado pela empresa química e parceira SABIC, que adquiriu uma participação de 24,99% na Clariant. A aquisição dessas participações, que anteriormente pertenciam à White Tale e 40 North, faz com que a SABIC se torne o maior acionista da Clariant.

Como é habitual na indústria, a Clariant foi informada da intenção da SABIC de adquirir as ações antes da transação. A SABIC é uma das principais empresas químicas globais, com um importante negócio de especialidades químicas e um parceiro da Clariant na joint venture de catalisadores Scientific Design.

A Clariant pretende se engajar em conversações com a SABIC nas próximas semanas para discutir a nova situação e explorar possíveis formas de criar valor. A Clariant também continuará o diálogo existente com todos os outros acionistas.

A SABIC não diz quanto pagou pelas ações, mas a participação vale em torno de USD 2.4 bilhões, com base no atual valor de mercado.

Segundo a agência de notícias Reuters, a SABIC disse não ter planos atuais para se tornar o controlador da Clariant. Porém, a transação gerou incertezas pelo fato de que a Arábia Saudita busca diversificar sua economia e reduzir sua dependência do petróleo.

Alguns analistas não esperam que a SABIC pare por aí. Ela pode tentar convencer o segundo maior acionista da Clariant, uma família ligada ao grupo alemão Sued-Chemie, a vender sua participação na empresa.

“A SABIC não é conhecida por se satisfazer com participações minoritárias,” disse o analista da Baader Helvea, Markus Mayer, segundo a Reuters. “Como consequência, eu acho que eles vão tentar comprar a participação de 14% das famílias ligadas à Sued-Chemie e depois fazer uma oferta pelo restante.

Fonte: Clariant / Reuters

Curta nossa página no