Archive for the ‘Feiras’ Category

Perfis de PVC são os destaques da Amplex/Kömmerling na Construsul

19/07/2017

Serão exibidos produtos com acabamentos preto e amadeirado e o perfil com maior profundidade para vidro triplo

Em parceria com a Amplex Aberturas em PVC, da cidade gaúcha de Carlos Barbosa, a Kömmerling apresenta na Construsul produtos que obedecem à norma 15.575 – que institui nível de desempenho mínimo ao longo da vida útil para os elementos da edificação habitacional.

Um dos destaques fica por conta do perfil de PVC na cor preto fosco. “Apesar de o preto ser uma cor que absorve mais energia térmica, essa proteção faz uma barreira, proporcionando um desempenho muito semelhante ao branco”, explica Andre Demari, diretor da Amplex.

Outra atração é o PVC com acabamento amadeirado. Por meio de lâminas coladas nos perfis, é indicado para qualquer tipo de abertura.  Segundo a Kömmerling, o produto é destinado a um público que deseja um acabamento rústico da madeira sem os problemas de manutenção, como verniz e fungo, cupins, apodrecimento. Soma-se a estes benefícios o isolamento termoacústico estável, afirma a empresa.

Segundo Andre Demari, a disponibilidade de perfis de PVC no padrão madeira é uma opção que avança em novas obras no Brasil, tendo em conta que a mão de obra de manutenção de esquadrias de madeira está cada vez mais escassa e cara.

Mais uma novidade fica por conta da apresentação do perfil EuroFutur. Dotado de maior profundidade, é indicado para vidro triplo, aumentando a vedação acústica,o isolamento térmico e evitando o embaçamento, garante a empresa.

Parceira da Kömmerling desde 2010, a Amplex atua na Serra Gaúcha, região metroplitana de Porto Alegre e nos Vales do Taquari e do Caí. Também opera em São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro. “Somando a expertise em extrusão da Kömmerling com o nosso conhecimento em engenharia, atendemos a um público que busca conforto térmico/acústico e economia de energia”, ressalta o diretor empresa.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Programa Incubapack apresenta novo portfolio de embalagens flexíveis na Fispal Tecnologia 2017

28/06/2017

  • O programa oferece uma solução completa em embalagens flexíveis e empacotamento, incluindo a formatação, design, impressão e envase do produto;
  • Está trazendo agora novos formatos que ajudam a destacar os produtos no ponto de venda

A IncubaPack, programa que facilita a adoção de embalagens flexíveis para pequenas e médias empresas que buscam diferenciação no mercado, apresenta dois novos formatos de embalagens durante a Fispal Tecnologia – Feira Internacional de Tecnologia para a Indústria de Alimentos e Bebidas, realizada entre os dias 27 a 30 de junho, em São Paulo.

Além da embalagem termoformada, já consolidada, os donos de marca poderão encontrar no portfólio de soluções outros dois modelos de embalagem: o Stand Up Pouch, opção mais atraente, conveniente e favorável ao varejo, pois pode ser estocada e armazenada em pé e o PacXpert™, uma alternativa de emnbalagem inovadora e premiada mundialmente devido ao seu formato de cubo, o qual lhe dá estabilidade nas prateleiras e pode mantê-la em pé, independentemente da maneira como for posicionada. Seu fecho móvel e as duas alças ergonômicas integradas possibilitam maior precisão no derramamento do produto, facilidade de abertura e fechamento, e conveniência no transporte, segundo a Incubapack.

A Incubapack é uma parceria entre a Dow e Saberpack. Após um ano de lançamento do projeto e boa aceitação, especialmente no segmento de alimentos saudáveis, o programa oferece uma solução completa para embalagens flexíveis, desde a formatação da embalagem, design, impressão e envase do produto – tudo em um só lugar. “Além das PMEs, a Incubapack é ideal tanto para empresas que não possuem unidades fabris ou que não sabem que tipo de embalagem utilizar, como aquelas que desejam inovar na embalagem, lançar e testar novos produtos, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte. Já alcançamos êxito ao trabalhar com marcas como a Snack Organic e a Empório Tartufi, no desenvolvimento de embalagens para bananas liofilizadas e funghi seco”, conta Cesar Saber, sócio da Saberpack.

O programa parte da constatação de que as embalagens são uma importante ferramenta de marketing, mas nem sempre são de fácil acesso, em função das barreiras de escala. Além disso, embalagens com um design diferenciado ajudam a promover o produto e aprimoram a comunicação com o consumidor. “A iniciativa traz uma oportunidade de negócios única, ao facilitar seu acesso a embalagens flexíveis inovadoras que se destaquem no ponto de venda”, explica Marcus Vinícius Carvalho, gerente de marketing do Brasil para o segmento de embalagens e especialidades plásticas da Dow. “A iniciativa simplifica etapas e acelera o time-to-market, uma vez que produtos saem prontos para serem comercializados”, completa o executivo.

As novas tecnologias disponibilizadas por meio da Incubapack também atendem às mudanças nos hábitos de consumo da população. Entre as tendências estão a demanda por maior conveniência e funcionalidade, como embalagens “abre fácil”, porcionamento e apresentações adequadas aos diversos momentos de consumo. Além disso, as tecnologias reduzem custos ao mesmo tempo em que mantém ou incrementam a qualidade das embalagens. A sustentabilidade é levada em conta ao permitir maior vida útil dos produtos (com uso de barreiras de oxigênio, quando necessário) e uso completo do conteúdo dos recipientes, evitando o desperdício.

Sobre a SaberPack: A Saberpack atua em diversos setores da indústria alimentícia, oferecendo filmes e bandejas plásticas, além de equipamentos. Para atender à atual demanda do mercado, a Saberpack utiliza sua expertise para oferecer o serviço de terceirização “Co-Packer” para indústrias que precisam viabilizar suas necessidades de produção de envase e dosagem, selagem de bandejas, potes e pouches, blister e encaixotamento.

Sobre a Dow: A Dow tem um portfólio integrado nas áreas de Especialidades Químicas, Materiais Avançados, Ciências Agrícolas e Plásticos e oferece uma ampla variedade de soluções e produtos baseados em tecnologia para aproximadamente 180 países e em setores de grande crescimento, como embalagens, eletrônicos, água, revestimentos e agricultura. Em 2015, a Dow teve vendas anuais de mais de US$ 49 bilhões e empregou aproximadamente 49,500 funcionários em todo o mundo. Os mais de 6.000 produtos da Companhia são produzidos em 179 unidades fabris em 35 países ao redor do mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Fispal Tecnologia, evento setorial das Indústrias de Alimentos e Bebidas da América Latina, começa hoje no São Paulo Expo

27/06/2017

Evento deverá receber mais de 40 mil visitantes

Inicia-se hoje, 27 de junho, a 33ª edição da Fispal Tecnologia – Feira Internacional de Tecnologia para a Indústria de Alimentos e Bebidas, realizada pela Informa Exhibitions. A feira estará aberta até o dia 30 de junho, das 13h às 20h, no São Paulo Expo, em São Paulo. O maior encontro do setor das indústrias de A&B da América Latina promete se reafirmar como a principal mostra do segmento, trazendo uma série de inovações para os mais de 40 mil visitantes esperados para esta edição.

A começar pelo novo local. Em 2017, a Fispal Tecnologia acontece pela primeira vez no São Paulo Expo, novo centro de exposições da capital paulista, com instalações modernas, pavilhão totalmente climatizado, e de fácil acesso, próximo ao aeroporto de Congonhas, a estações de metrô e demais malhas de transporte público.

A setorização será mais uma novidade da feira este ano. Os produtos e serviços estarão organizados por segmentos distintos, como máquinas para embalagens, marcação e codificação, processo, equipamentos e acessórios, logística e automação. “Essa setorização da feira garante uma maior agilidade para os visitantes, que devem realizar networking diretamente em sua área de interesse”, afirma Clélia Iwaki, diretora da Fispal Tecnologia.

Com a participação de grandes empresas, micro e pequenos fabricantes, a Fispal Tecnologia é palco para a realização de negócios e networking entre compradores dos setores da indústria de alimentos e bebidas, química e fármaco, e os fornecedores nacionais e internacionais de máquinas, softwares, automação, rótulos, balanças, processadores até empilhadeiras, esteiras e sistemas de transporte, entre outros produtos.

“A feira reunirá empresários, executivos e profissionais de toda cadeia produtiva das indústrias de alimentos e bebidas. Nesse ambiente, serão demonstrados produtos e serviços inovadores, sustentáveis, alinhados com o conceito de menor custo. Conhecimento, soluções, tendências, concretização de negócios e networking, tudo em um só lugar. Por isso a Fispal Tecnologia é o evento mais importante e completo do setor na América Latina”, ressalta Clélia.

O grande destaque dessa edição fica por conta do demonstrador da Indústria 4.0, realizado em parceria com o Instituto Mauá de Tecnologia, MCK Automação e Zorfa Tec Consultoria. Em uma área de 300 m², os visitantes poderão acompanhar de perto uma linha de produção, que vai gerar um produto personalizável, demonstrando as tecnologias que serão aplicadas aos processos produtivos no ambiente da “Indústria 4.0”.

Conhecida como a quarta revolução industrial, baseada em informação e conectividade através do conceito de “Internet das Coisas” (do inglês IoT, Internet of Things), a “Indústria 4.0” tem como objetivo otimizar e modernizar o processo produtivo, levando à redução de custos, ao atendimento de necessidades dos consumidores com produtos customizados e individuais e o mesmo nível de competitividade em custo de processos de produção em massa. Através da Indústria 4.0 há uma aplicação mais eficiente dos recursos, proporcionando reduções de custos de manutenção, consumo de energia e insumos, e aumentando a produtividade.

Fórum de Negócios e Lounges da Inovação e da Embalagem

Outro destaque é o Fórum Fispal Tecnologia, que será realizado sob a coordenação técnica do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), com apresentações de palestras, debates e cases de sucesso. Durante o evento, especialistas das maiores indústrias de alimentos e bebidas do país debaterão sobre melhorias na gestão industrial, aumento de produtividade e outros assuntos pertinentes ao setor.

Há ainda dois espaços especiais na feira. O primeiro é o Lab de Soluções, voltado à inovação, realizado em parceria com o SENAI Barra Funda, que oferecerá soluções práticas para as empresas do setor de alimentos. O segundo é o Lounge ABRE da Embalagem, uma parceria da Fispal Tecnologia com a Associação Brasileira da Embalagem. O espaço é destinado aos profissionais da área, que vão desde agências que trabalham na criação de peças até pequenos e médios fabricantes, para que haja troca de informações, apresentação de tendências e soluções.

Como visitar

A feira é voltada para profissionais que atuam nas indústrias de alimentos, bebidas, química, farmacêutica, cosmética, laboratorial, de ingredientes e matéria prima, prestadores de serviço e fornecedores para as mesmas. Para visitar a Fispal Tecnologia, basta fazer o cadastro no site http://www.fispaltecnologia.com.br, desde que se encaixe nos seguintes perfis: empresa, entidade de classe, profissional liberal / autônomo ou instituição de ensino. A entrada é gratuita.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Fispal Tecnologia

Curta nossa página no

Dow apresentará soluções para embalagens flexíveis durante Circuito de Palestras na Fispal 2017

27/06/2017

Empresa apresenta seu portfólio de soluções para lidar com os principais desafios relacionados às embalagens, como produtividade, usabilidade e sustentabilidade

Quando se trata de embalagens para atender aos novos hábitos de consumo da população, os donos de marca têm buscado soluções inovadoras que atendam às necessidades e expectativas de seus clientes. Para auxiliar as empresas de bens de consumo embalados nessa jornada, a Dow trará para a FISPAL Tecnologia (27 a 30 de junho) sua expertise em embalagens flexíveis de alto desempenho.

Durante o Circuito ABRE de Palestras, patrocinado pela Dow, a empresa apresentará todos os dias do evento, a partir das 16h20, as “Receitas Dow para o sucesso de Embalagens Flexíveis” nas quais especialistas da companhia falarão sobre as mais recentes tecnologias e soluções desenvolvidas para superar os principais desafios relacionados às embalagens, como produtividade, usabilidade e sustentabilidade.

Entre elas estão o Dowlex™GM e o Innate™, famílias de resinas de última geração que podem ser utilizadas de forma combinada ou independente para garantir a melhor embalagem para cada segmento, afirma a Dow. Para sacarias industriais, por exemplo, essas resinas possibilitam um filme 10% mais fino e 60% mais resistente à rasgos, assegura a empresa. Já os stand up pouches, desde os tradicionais até os 100% recicláveis, permitem hermeticidade e aumento da produtividade e da capacidade da embalagem, podendo suportar até 14 kg, segundo a fabricante de matérias-primas. Essas características contribuem ainda para otimizar as operações logísticas, aumentar a vida útil do produto e reduzir o desperdício.

“Nosso objetivo é levar conhecimento a cadeia de valor da embalagem flexível para que esta possa atrair um maior engajamento dos consumidores com seus produtos”, explica Marcus Vinícius Carvalho, gerente de marketing do Brasil para o segmento de embalagens e especialidades plásticas da Dow. “Trabalhamos de forma colaborativa com toda a cadeia para que os nossos clientes possam oferecer embalagens de alto desempenho para diferentes aplicações, garantindo maior produtividade e redução do desperdício, e uma melhor experiência do cliente com a marca”, completa.

Uma das iniciativas da Dow que fomentam o desenvolvimento colaborativo é o Pack Studios, rede global de especialistas, laboratórios e equipamentos de teste criada para atender às demandas atuais e futuras da indústria de embalagens por meio da cocriação entre a Dow, transformadores e donos de marca. Nesse ambiente, o aprimoramento das embalagens com base nas necessidades do mercado é a diretriz principal na busca contínua por melhores soluções. “Ao disponibilizar ferramentas para aumentar a colaboração em toda a cadeia de valor aceleramos o processo de desenvolvimento de tecnologias para levar novas embalagens mais rapidamente ao mercado”, diz Carvalho.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Segunda edição da innovapack está confirmada para 2017

01/06/2017

Encontro com foco em design, tendências e inovação para embalagens da indústria alimentícia acontecerá no Transamerica Expo Center, em agosto

Após o sucesso de sua primeira edição, a innovapack, única feira da América Latina focada em design, tendências e inovação para a embalagem final de alimentos e bebidas, será realizada paralelamente ao evento Food ingredients South America (FiSA), o mais completo para a indústria de ingredientes alimentícios da América Latina. A expectativa é que cerca de 11 mil visitantes se reúnam no Transamerica Expo Center, de 22 a 24 de agosto.

Entre as atrações já confirmadas, estão o Packaging Innovations Gallery, área que destaca as principais inovações em embalagens da indústria alimentícia no Brasil e no mundo, e a Conferência innovapack, com a participação dos principais pesquisadores e companhias de inteligência de mercado. No pavilhão acontecem também as Seminar Sessions, sessões de 30 minutos sobre os lançamentos e novas tecnologias das empresas, ministradas por líderes de mercado.

“Temos a convicção de que a innovapack e a FiSA oferecem ao mercado uma experiência completa. Em 2017, as feiras trarão um número ainda maior de lançamentos e tecnologias, reunindo um público qualificado e focado em realizar negócios”, acredita o gerente dos dois eventos, Fernando Alonso.

A innovapack reúne segmentos como Concepção & Design, Embalagens & Afins e Eco Packaging & Soluções Sustentáveis, levando a seu espaço expositores e visitantes de agências de design de embalagem, impressão, tampas e fechamentos, rotulagem, materiais de embalagem, recicladores, entre outros.

Serviço:
innovapack 2017
De 22 a 24 de agosto de 2017, das 13h às 20h
Local: Transamerica Expo Center
Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro – São Paulo (SP)

Fonte: Assessoria de Imprensa – innovapack

Curta nossa página no

Cipatex marca presença na maior feira de mineração da América Latina

09/05/2017

A Cipatex®, empresa atuante no segmento de revestimentos sintéticos, participa da Exposição Internacional da Indústria de Mineração – Exponor 2017, que ocorre entre os dias 15 e 19 de maio, em Antofagasta, no Chile. Considerado um mercado estratégico, a empresa visa estreitar o relacionamento com os clientes e ampliar os negócios durante o evento.

A feira deve reunir mais de mil expositores de 30 países. A Cipatex® apresentará em seu estande o Cipageo®, geomembranas de PVC empregadas na impermeabilização de lagoas de evaporação e decantação, em pilhas de lixiviação e tanques de rejeitos minerais. Produzido pelo sistema de calandragem, o material é tolerante a diversos tipos de ácidos, sais e bases, com ótima resistência ao envelhecimento e às influências do meio ambiente. Devido ao grande alongamento, maleabilidade e flexibilidade, pode ser empregado em qualquer tipo de superfície. Entre os benefícios do material está praticidade de instalação e transporte, o que gera redução nos custos de mão-de-obra e equipamentos.

Conforme Aureovaldo Casari, gerente de agroindústria e mineração da Cipatex®, a Exponor é uma vitrine para o setor de mineração, onde são apresentadas novidades e tecnologias, além de estreitar relações comerciais e fomentar novas oportunidades de negócios. “O Chile é um dos principais destinos das mantas de PVC e a participação da empresa no evento é de extrema importância para reforçar as diversas possibilidades de aplicação e qualidade do Cipageo®”, comenta.

Com matriz em Cerquilho/SP, a Cipatex® fornece o produto para o setor de mineração no Chile desde 2000 e, durante a Exponor, os visitantes poderão conferir as vantagens oferecidas pelo material. Além de atender o setor, as geomembranas são indicadas para a construção civil, indústria e agricultura.

Há 53 anos o Grupo Cipatex® oferece ao mercado soluções em revestimentos sintéticos e não-tecidos. Ao todo, a Cipatex® conta com cerca de 1.400 colaboradores distribuídos em cinco plantas industriais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cipatex

Curta nossa página no

PICPlast marca presença na Agrishow 2017 com espaço exclusivo para empresas da transformação plástica

04/05/2017

20 empresas mostram funcionalidades dos seus produtos, desenvolvidos para atender ao agronegócio

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), iniciativa da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) e da Braskem, marca presença na Agrishow 2017, um dos principais eventos do setor agrícola, que está ocorrendo em Ribeirão Preto (SP), entre 01 a 05 de maio. Com um espaço exclusivo na feira, 20 empresas beneficiadas pelo Plano estão promovendo seus produtos  voltados ao agronegócio. Criado há três anos com o objetivo de estimular a competitividade do setor de transformação plástica, essa ação do PICPlast permite que as empresas reforcem a importância e relevância do plástico na produção sustentável de grãos e alimentos.

Entre os produtos expostos, destacam-se aplicações como ráfia para colheita de café e para cobertura de solo, silo bolsa, fio eletroplástico, sistemas de irrigação por gotejamento, biodigestor, telhas de PVC voltadas para granjas, cocho, sistema de hidroponia, entre várias outras. Todos os produtos e máquinas estão sendo expostos em tamanho real e em funcionamento, simulando sua aplicabilidade no dia a dia. Assim, os visitantes podem conferir de perto tecnologias como o sistema de geração de energia a partir de luz solar em módulos fotovoltaicos instalados sobre flutuadores de PEAD, em lagos e lagoas, que evita a utilização de espaços destinados a plantações.

Outro grande destaque da feira fica por conta do silo bolsa para armazenagem de grãos e sementes. Em formato de túnel flexível de plástico, o produto foi desenvolvido para criar um ambiente sem oxigênio, o que impede o surgimento e desenvolvimento de pragas e insetos na colheita. Dessa forma, é possível armazenar os alimentos por até 12 meses, com qualidade, sendo que a aplicação pode ser instalada pelo próprio agricultor. Com baixo custo, a produto permite ainda a segregação em lotes e contribui com a redução no desperdício de alimentos.

“A presença do PICPlast neste tipo de evento é muito importante pois reforça o seu papel de apoio à cadeia, incentivando e promovendo as empresas transformadoras de plástico com suas soluções inovadoras. Além disso, esta é uma excelente oportunidade para os empreendedores do setor fecharem grandes negócios”, afirma Americo Bartilotti, diretor do negócio de polietileno da Braskem.

De acordo com José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Abiplast, são ações como essas que permitem às transformadoras mostrar que o plástico propõe soluções para diversas necessidades.  “A participação dessas empresas na Agrishow reforça o papel do plástico enquanto solução sustentável e tecnológica, uma vez que grande parte das aplicações contribui para o aumento da produtividade no agronegócio e para a redução de possíveis perdas”, ressalta Roriz.

Comprometido com a capacitação do setor, hoje o PICPlast conta com várias iniciativas que visam reforçar a qualificação e incentivar empresas transformadoras de plástico.  Desde 2013 mais de 500 empresas foram beneficiadas pelos cursos e mentorias desenvolvidas pelo Plano, que possui parcerias como instituições como SEBRAE e Fundação Dom Cabral.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PICPlast

Curta nossa página no

Braskem apresenta soluções inteligentes para embalagens na Interpack 2017

03/05/2017

A Braskem participará da Interpack, em Düsseldorf, Alemanha, de 4 a 10 de maio, no estande G15 (Hall 9). No evento, a empresa apresentará novas aplicações para o Plástico Verde I’m greenT, como, por exemplo, a embalagem de café da Peeze e outras para o segmento de personal care, da Speick e L’Erbolario. Resina de polipropileno desenvolvida para produção de espumas de alta performance também será exibida, além de pesquisas e avanços na tecnologia para embalagens inteligentes.

“O Plástico Verde é resultado de um projeto de pesquisa e desenvolvimento que recebeu cerca de US$ 300 milhões em investimentos e envolvimento de diversas pessoas. Atualmente o biopolímero é exportado para Europa, EUA, Ásia, África e América do Sul e mais de 150 marcas o utilizam ao redor do mundo. Para a Braskem, participar da principal feira mundial de embalagens é uma oportunidade para reforçar a nossa presença global”, afirma Gustavo Sergi, responsável pelo Negócio de Químicos Renováveis da Braskem.

Resina para produção de espumas

A Braskem apresenta também a sua marca Amppleo, resina de polipropileno com propriedades de High Melt Strength. O produto foi desenvolvido para a produção de espumas versáteis de alto desempenho para aplicação nos mercados de embalagens, industrial e automotivo, afirma a Braskem.

Segundo a empresa, a resina é capaz de suportar temperaturas de até 130°C sem se deformar e possibilita a fabricação de espumas com ampla versatilidade de aplicações dentro de uma grande escala de densidade que pode ir de 30 kg a 300 kg por metro cúbico, apresentando redução de peso frente a outros materiais e um excelente isolamento térmico e acústico. Além disso, o material pode ser totalmente reciclado.

Pesquisas em embalagens inteligentes

Outro destaque para a edição deste ano ficará por conta dos avanços em pesquisas de embalagens inteligentes, as quais poderão informar ao consumidor sobre a qualidade e o estado de conservação de produtos variados, desde alimentos a cosméticos, através da mudança de cor. A Braskem, em parceria com a Universidade norte-americana de Clemson e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no Brasil, trabalha no desenvolvimento desta tecnologia.

Parcerias que viabilizam inovação

A Braskem apresentará copos de Polipropileno em parceria com a empresa Gizeh e de Plástico Verde em parceria com empresa finlandesa Stora Enso.

Será divulgada também parceria entre a Braskem e a Made In Space, empresa norte-americana líder no desenvolvimento de impressoras 3D para a Nasa, para o fornecimento de Plástico Verde para a manufatura de ferramentas e peças na Estação Espacial Internacional (ISS).

O café que será servido no estande é produzido pela Peeze, única refinaria de café na Holanda que fornece 100% de café certificado e que tem embalagem feita com Plástico Verde I’m greenT. As embalagens sustentáveis são resultado de uma parceria anunciada em outubro de 2016 entre as empresas.

A Braskem produz anualmente um volume de termoplásticos superior a 20 milhões de toneladas, incluindo a produção de outros produtos químicos e petroquímicos básicos, apresentando um faturamento anual de R$ 54 bilhões. A Braskem atua em mais de 70 países, conta com 8 mil integrantes e opera 41 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México, esta última em parceria com a mexicana Idesa.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Tecnologia de Hot Stamping da Ineos Styrolution é escolhida por fabricantes de peças automotivas

19/04/2017

Stand da Ineos Styrolution durante a Feiplastic 2017

Tecnologia de hot stamping reduz a complexidade do processo de produção de grades frontais

A Ineos Styrolution, líder global em estirênicos, foi escolhida como fornecedora exclusiva de material ASA por vários fabricantes de soluções para a indústria automotiva no país. A tecnologia, já aplicada no Brasil por uma importante montadora global, permitirá que as empresas se beneficiem com a redução da complexidade de seu processo de produção

Luran® S é a marca de copolímero de acrilonitrila estireno acrilato (ASA, sigla em inglês) da Ineos Styrolution para aplicações exteriores não pintadas. Segundo a empresa, ela oferece excelentes propriedades para uso a longo prazo e para uma aparência de superfície de alta qualidade. Em particular, oferece estabilidade à intempérie para aplicações ao ar livre, mesmo quando não pintado. O Luran® S 777K foi selecionado em razão de sua compatibilidade com hot stamping. As cores Piano Black, Prata e Cromo, fornecidas pela KURZ do Brasil, produtora de folhas decorativas, serão utilizadas em um dos projetos.

Durante vários anos, a Ineos Styrolution tem trabalhado em parceria com os departamentos de desenvolvimento de OEMs, resultando em várias novas soluções e inovações de processos de produção. A tecnologia de hot stamping é apenas um exemplo de inovação. A Ineos Styrolution apoiou, ainda, lançamentos de diversos fabricantes na Europa e na Ásia, atraindo fabricantes brasileiros, desde sua apresentação de soluções na Feiplastic 2015 em São Paulo.

A tecnologia fornece um acabamento semelhante ao cromado e pode ser aplicada independentemente da cor da superfície, reduzindo a complexidade de montagem, bem como os custos com processos de decoração e ferramentaria, assegura a Ineos Styrolution.

“Os clientes da indústria automotiva exigem copolímeros estirênicos que oferecem melhor flexibilidade de projeto, melhor desempenho e excelência no acabamento de superfície. Pedidos especiais, como uma aparência robusta e desportiva, levando em conta as necessidades dos entusiastas por atividades e de transporte, aumentam as exigências dos materiais usados. Estes fatores exigem um material de alto desempenho, fazendo com que o Luran ® S seja o polímero ideal. Esta aplicação pioneira de um cliente local é uma excelente oportunidade para a Ineos Styrolution mostrar seus produtos e a expertise em estirênicos para aplicações automotivas sofisticadas”, diz Paulo Motta, diretor de Negócios da empresa na América do Sul.

“A nova tecnologia de hot stamping foi adotada por muitos OEMs em todo o mundo para criar alta qualidade e design arrojado nas grades frontais. A tecnologia permite não só novos projetos, mas também redução de custos. O Luran ® S oferece uma excelente qualidade de superfície que não pode ser alcançada por outros materiais”, acrescenta Christophe Ginss, diretor de Vendas Automotivas para EMEA, com o papel de coordenação global.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Ineos Styrolution

Curta nossa página no

Dow apresentou inovações para o mercado de embalagens e especialidades plásticas durante a Feiplastic 2017

19/04/2017

As novas famílias de resinas da empresa permitem a produção de embalagens e filmes de alto desempenho atendendo à demanda crescente do mercado por maior eficiência

A Dow apresentou na Feiplastic 2017 suas mais recentes tecnologias e aplicações para o mercado de embalagens e especialidades plásticas: Dowlex™GM, Innate™, Agility™ e Opulux™HGT. Segunda a empresa, essas inovações proporcionam embalagens e filmes com alto potencial para inovação, maior versatilidade e otimização dos recursos naturais, usadas de maneira combinada ou independente.

Ciente da relevância da embalagem como ferramenta de marketing, uma vez que influencia na percepção do consumidor, a Dow desenvolveu a família Dowlex™GM. De acordo com a Dow, essa tecnologia aprimora atributos como transparência e brilho, fazendo com que o produto tenha maior destaque no ponto de venda. Esse conjunto de resinas também proporciona maior resistência mecânica, garantindo a proteção do produto envasado até o consumidor final, e excelente capacidade de selagem.

Outra inovação da Dow é a família de resinas Innate™, que possui equilíbrio inédito entre tenacidade e rigidez, combinando excelente resistência ao rasgo e à perfuração e tendo como resultado é um filme mais fino, leve e resistente, que traz maior eficiência à embalagem e maior segurança ao produto, afirma a empresa.

Já o Opulux™ HGT é um verniz de alto brilho, que fomenta a produção de embalagens monomateriais e, portanto, de mais fácil reciclabilidade. Esta tecnologia possibilita a substituição do processo de laminação, incrementando as resistências térmica e mecânica de embalagens flexíveis, garante a Dow.

A quarta inovação que a Dow apresentou na Feiplastic foi a família Agility™ de resinas de polietileno de baixa densidade. De acordo com a empresa, tais resinas reduzem custos e aprimoram a eficiência ao viabilizar mais produtos por quilo de matéria-prima. Entre os principais diferenciais das resinas Agility™, em comparação com formulações convencionais, estão: redução de espessura, resistência à temperaturas, maior produtividade com desempenho uniforme, resistência à tração e excelente processabilidade, assegura a Dow.

“Com a introdução dessas novas tecnologias, a Dow possibilita o desenvolvimento de embalagens e filmes que contribuem tanto para aprimorar a eficiência quanto para a otimização do uso de recursos naturais. O resultado traz benefícios não apenas para nossos clientes, mas para a cadeia como um todo”, afirma Adriano Aun, gerente de Marketing de Embalagens de Alimentos & Especialidades da Dow para a América Latina. “Seguindo as tendências do consumo, esse mercado busca cada vez mais a diferenciação e isto só é possível com investimento constante em novas soluções que enderecem de forma colaborativa os principais desafios globais, como a produção de alimentos, mudanças climáticas, energia e água”, completa.

Inovação em rede – Pack Studios

Para atender às necessidades de inovação e tecnologia de seus clientes e da cadeia de valor, a Dow criou o Pack Studios, uma rede global de especialistas em embalagens. O desenvolvimento colaborativo no aprimoramento das embalagens é o foco principal desse time. O Pack Studios possui como objetivos: aumentar a cooperação entre a Dow e toda a cadeia de valor; entregar soluções inovadoras para melhores embalagens e acelerar o ciclo de desenvolvimento para levar embalagens mais eficientes ao mercado.

Atualmente, o Pack Studios está presente no Brasil, Estados Unidos, Itália, Suíça, China e Cingapura, sendo todos interconectados. Desta maneira, a Dow consegue fazer testes de novas embalagens em qualquer lugar do mundo. Assim, caso haja necessidade de testar uma solução em um equipamento que está em Singapura, é possível enviar as amostras e utilizar o recurso de vídeo conferência para conectar com os pesquisadores na Ásia e acompanhar os processos. A rede do Pack Studios ainda permite à Dow acompanhar os últimos desenvolvimentos e antecipar novas estruturas para seus clientes.

Fonte: Assesoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

COIM amplia participação no mercado de embalagens flexíveis com tinta 100% baseada em Poliuretanos

19/04/2017

Entre os dias 3 e 7 de abril, a COIM participou da edição 2017 da FEIPLASTIC (Feira Internacional do Plástico). Durante o evento, a multinacional italiana apresentou suas novidades, dentre elas, a tinta 100% PU. Trata-se de uma tinta para embalagens flexíveis. Com essa inovação adicionada a seu portfólio, a multinacional italiana tem como objetivo não apenas consolidar sua expertise num mercado em que já possui mais de 50% de market share na linha de adesivos para a laminação, como também ampliar a abrangência dos seus produtos, iniciada com resinas AP e adesivos.

Estima-se que, anualmente, sejam produzidas 50 mil toneladas de tintas no Brasil. Uma oportunidade para a qual grandes empresas tem olhado nos últimos anos. “Os investidores enxergam o Brasil como um mercado muito promissor para essa área. Empresas que estão consolidadas na Europa e Ásia tentam ganhar espaço em países emergentes. A COIM sai na frente, uma vez que tem uma unidade no Brasil e já produz a resina poliuretânica em sua planta.” , explica Maurício Rufo, gerente de contas da nova linha.

Para produzir a tinta 100% PU, a planta da COIM em Vinhedo ganhou novas instalações com equipamento que complementa a estrutura já existente, utilizada na produção dos adesivos. “Teremos uma tinta 100% poliuretânica. Atualmente, a maioria do que existe no mercado possui nitrocelulose. O nosso produto será inovador ao oferecer uma solução que não é “mais do mesmo”, além de ser competitivo economicamente.”, complementa Maurício.

Segundo a COIM, A tinta 100% PU se destaca pela qualidade da impressão. Em comparação com outras, a resolução é melhor na impressão e o novo produto é mais resistente ao calor,  o que amplia a versatilidade da sua aplicação, afirma a empresa. A tinta 100% PU possui propriedades que possibilitam o desenvolvimento de inúmeras soluções para o mercado. Maurício destaca ainda a importância da ampliação do ponto de vista de relacionamento com o cliente: “Estamos avançando e produzindo agora, além do adesivo, a tinta para os clientes. Essa é uma maneira de nos aproximarmos ainda mais da cadeia produtiva. Ao oferecermos mais essa solução, podemos ter um atendimento mais assertivo, um contato direto com nossos compradores, o que nos possibilita entender a atender às necessidades de forma muito mais rápida e precisa.”

A COIM (Chimica Organica Industriale Milanese) é uma empresa de origem italiana especializada em policondensação (ester), poliadição (poliuretanos) e  fabricante de especialidades químicas. Fundada em 1962, em Milão, a empresa foi a primeira da Itália a produzir peróxidos orgânicos. Hoje, a multinacional opera em vários países desenvolvendo soluções on demand e prestando serviços de qualidade para os importantes grupos industriais. Possui unidades fabris na Itália, Brasil, Estados Unidos, Índia e Cingapura, além dos Centros de Pesquisa na Itália, França, Inglaterra, Alemanha e Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa – COIM

Curta nossa página no

PICPlast apresentou ferramenta inédita de gestão na Feiplastic 2017

19/04/2017

Voltada para pequenas e médias empresas de transformação plástica, plataforma auxilia companhias na tomada de decisões estratégicas e realizações de novos investimentos

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), iniciativa da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST) e da Braskem, marcou presença na Feiplastic 2017 e apresentaou uma ferramenta inédita que irá auxiliar as pequenas e médias empresas do setor plástico na tomada de decisões estratégicas e controle do fluxo de caixa. Com um espaço exclusivo no stand da Braskem, os visitantes puderam conhecer de perto os programas de capacitação desenvolvidos pelo PICPlast, que já ajudou mais de 500 empresas transformadoras da indústria do plástico no Brasil nos últimos 3 anos.

Entre as novidades que foram apresentadas pelo Plano na feira, o destaque ficou por conta da ferramenta “Análises de investimentos”, que foi desenvolvida para ajudar a empresas que estejam planejando realizar algum investimento ou avaliar um projeto como por exemplo adquirir um novo equipamento ou molde. Para tanto, o PICPlast contratou a consultoria Advisia OC&C para desenvolver uma ferramenta que fosse intuitiva e prática e que atendesse a indústria de transformação.

Construído na linguagem Excel, o programa realiza cálculos sofisticados e indica resultados que apontam se os investimentos previstos são realmente vantajosos ou negativos. Disponibilizada gratuitamente para os visitantes da feira, a ferramenta é uma boa solução do ponto de vista financeiro capaz de apontar informações como a taxa de retorno projetada para os investimentos e se é realmente interessante para o empresário tomar crédito para uma expansão que esteja pensando em realizar.

“Com essa nova plataforma, queremos capacitar e profissionalizar as empresas do setor para que elas se tornem mais competitivas no mercado nacional e internacional”, afirma Edison Terra, vice-presidente da Braskem. Já para José Ricardo Roriz Coelho, presidente da ABIPLAST, a ferramenta irá beneficiar empresas que atuam em diversos segmentos. “São investimentos como esse que impactam positivamente o dia a dia da indústria de transformação”, conta.

Também durante a Feiplastic, os visitantes tiveram a oportunidade de conhecer a versão atualizada do programa “Custos e rentabilidade”, que já está disponível para as empresas do mercado de forma gratuita. Desenvolvida para companhias que ainda não possuem sistemas de alta performance, ela funciona como uma plataforma simples e auxilia os transformadores na gestão dos negócios. Nela é possível inserir informações importantes sobre a rotina da companhia e gerar relatórios que apontam para cenários futuros e real capacidade da empresa em atender as demandas dos seus clientes.

Para ter acesso ao material, os visitantes devem se cadastrar previamente no site do PICPlast: http://www.picplast.com.br

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no

Resultados da Feiplastic 2017 refletem sinais de recuperação da indústria do Plástico e marcam retomada de confiança no mercado de eventos

17/04/2017

Feira Internacional do Plástico recebe aprovação dos expositores, que elogiaram a qualificação do público e o clima favorável para os negócios, muitos deles “fechados” no próprio evento

Saudada pelos expositores como um ambiente propício para ampliar contatos e realizar negócios no setor, a Feiplastic 2017 – Feira internacional do Plástico concluiu suas atividades com público de 56.324 visitantes/compradores, entre os dias 3 e 7 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo. “A Feiplastic tem revelado cada vez mais sua vocação de ser um ambiente propício para se fechar negócios efetivos”, resumiu o diretor de Eventos da Reed Exhibitions Alcantara Machado, Leandro Lara.

Foram mais de mil marcas expositoras nacionais e internacionais, provenientes também de outros 15 países como Áustria, China, EUA, França, Índia, Itália, Portugal, Reino Unido e Suíça. Também vieram visitantes de mais de 30 países como Itália, EUA, Portugal, Alemanha e Espanha.

A próxima edição da Feiplastic está confirmada pela Reed Exhibition Alcantara Machado para ocorrer nos dias 8 a 12 de abril de 2019, no Expo Center Norte.

Bastante satisfeito com o resultado da Feiplastic 2017, o presidente da ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico), José Ricardo Roriz, entidade apoiadora institucional da Feira, afirmou que o evento foi um “sucesso”, ressaltando que muitas ações iniciadas terão continuidade, deixando um legado positivo para toda a cadeia. Ele ainda destacou algumas conquistas obtidas na Feira como a forte presença de estudantes do ensino técnico, que puderam acompanhar o processo completo de reciclagem na Operação Reciclar (leia mais sobre a operação abaixo), o convênio firmado com a ETEC Guaracy Silveira para fornecer conteúdo técnico à grade curricular, além de criar um banco de talentos com os melhores alunos para que possam ser mais acessíveis aos potenciais empregadores da indústria. “Outro destaque foi o lançamento do Banco de Resíduos, que reúne recicladoras e empresas e fomentará negócios entre as duas pontas da cadeia”, completou Roriz.

A Tenderic do Brasil, uma das principais fabricantes de máquinas injetoras, além de já ter fechado negócios, espera ainda concretizar outros mais a partir das negociações iniciadas na Feiplastic. “Vendemos as duas máquinas que trouxemos e estamos em negociações para comercializar outras que podem gerar lucros que vão de R$ 2,8 milhões a R$ 3 milhões”, afirmou o diretor Comercial, Mário Bonando. Atendendo setores como o automobilístico, a “linha branca” de eletrodomésticos e o de fabricantes de utilidades domésticas, Bonando disse que a Feira permitiu ampliar sua clientela, estabelecendo contatos comerciais com várias outras empresas. “Posso dizer que nossas expectativas foram 100% atingidas”, afirmou.

A Feiplastic foi bastante exitosa para a Haitian, fabricante de injetoras. Nas contas do gerente Roberto C. Melo, foram vendidas mais de 40 máquinas nos cinco dias do evento. “Só nos primeiros três dias já tínhamos conseguido realizar vendas efetivas de mais de 30 máquinas”, informou.

“No geral, a feira foi boa e interessante pelo mix de clientes que nos procuraram. Realizamos negócios efetivos, com a venda de duas máquinas e esperamos ampliar as vendas nos próximos meses. Pelo menos, o mercado já dá sinais de crescimento; saímos da inércia”, ressaltou o diretor da Wortex Máquinas, Paolo De Filippis. Ele destacou ainda a participação da empresa na Operação Reciclar, que mostrou ao público o que é possível fazer com o material plástico. “Atendi muitas pessoas que ainda desconhecem o potencial de reciclabilidade do plástico, que está presente cada vez mais na vida das pessoas”.

Os negócios fechados durante a Feira também foram destacados pelo presidente da ABIMEI (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais), Paulo Castelo Branco. “Em quatro dias, mais de 40 máquinas foram vendidas. A participação foi muito importante para nós e para todos os nossos associados que estiveram aqui”, avaliou. O executivo disse ainda que é essencial que as empresas troquem experiências e façam contatos, especialmente em momentos de dificuldade econômica, como o que o Brasil atravessa atualmente. “Não tenho dúvida de que a Feiplastic é o espaço e momento para isso dentro da cadeia do plástico”.

Para os produtores químicos e de matérias-primas, um dos importantes setores presentes na Feiplastic, o balanço também foi positivo. “A feira foi bastante satisfatória. Durante os cinco dias, recebemos clientes diretos, além de outros da área de engenharia e de toda a cadeia da indústria, que têm um peso relevante para as soluções que a Solvay desenvolve e que agregam alto valor aos produtos transformados”, avaliou Emy Yanagizawa, gerente comercial de Performance Polyamides da Rhodia Solvay Group.

O diretor Comercial para Embalagens e Plásticos de Especialidades da Dow, Eide Garcia, também aprovou a oportunidade de estreitar laços com os clientes. Para ele, foi de extrema importância entender melhor a demanda dos seus parceiros “para construir juntos tecnologias que agreguem valor aos transformadores, aos donos de marca e ao consumidor”.

Segundo o presidente da ADIRPLAST (Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins), Laércio Gonçalves, as empresas que participaram desta edição da Feira não apenas tiveram a oportunidade de apresentar seus portfólios e novos produtos, mas de fazer um trabalho de aproximação com o cliente que é vital para todo o setor. “Além disso, o evento nos permitiu ultrapassar as paredes de nossos escritórios e empresas e discutir juntos problemas que afligem toda a cadeia e também a sociedade”, completou. Gonçalves se refere a assuntos como a equalização tributária do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), métodos para melhorar a gestão, fim da inadimplência, além das questões envolvendo sustentabilidade.

Rodadas de Negócios promoveram cerca de 280 reuniões e movimentaram mais de R$ 60 milhões

Em conjunto com o Think Plastic Brazil, programa de apoio à exportação de plásticos criado pelo Instituto Nacional do Plástico e pela a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), a Rodada de Negócios Internacional da Feiplastic 2017 contou com a realização de 217 reuniões, gerando aproximadamente R$ 40 milhões em negócios a partir do evento. A rodada teve a participação de 46 empresas brasileiras e a presença de 11 compradores internacionais de nove diferentes países, entre eles México, Argentina, Uruguai, Chile. Já na Rodada de Negócios Nacional, organizada pela Reed Exhibitions, foram mais de 60 reuniões, gerando cerca de R$ 20 milhões.

Cresce público com maior poder de decisão de compra

Para a Cromex, líder no mercado nacional de concentrados de cores e aditivos para plásticos, A Feiplastic se mostrou um importante canal de relacionamento, principalmente para o lançamento de produtos. O coordenador de Desenvolvimento de Cores e Matérias-Primas, Roberto Herrero Lopes, fez questão de destacar a qualidade do público, que segundo ele, foi superior ao da edição anterior. “Identificamos uma grande oportunidade para aumentar nossa participação no mercado de PET com a  resposta positiva que tivemos dos clientes”, afirmou. A constatação de Lopes vai ao encontro da pesquisa realizada pela Reed Exhibitions a partir das inscrições dos visitantes/compradores na Feira deste ano. Pelos números levantados, 38% dos pré-credenciados declararam estarem dispostos a investir mais de R$ 1 milhão, montante que, acumulado e somado ao longo dos cinco dias do evento, totaliza cerca de R$ 650 milhões. Ainda de acordo com o levantamento da Reed, o número de visitantes com mais poder de decisão de compra aumentou 26% em relação à edição passada.

“O evento está muito bom, qualificado, e nossas expectativas foram atingidas. Nosso objetivo principal foi nos aproximarmos dos cientes cativos e estabelecer vários novos contatos, o que foi bastante positivo”, afirmou o diretor geral da Fortymil, Ricardo Mason. Na mesma linha, o diretor geral da Activas, Laércio Gonçalves (que também preside a Adirplast), afirmou estar muito satisfeito com os contatos realizados. “Viemos com o objetivo de melhorar relacionamentos e mostrar os novos lançamentos. Aqui conseguimos fidelizar os clientes que encontramos”, completou.

Operação Reciclar coleta cerca de dezesseis toneladas de materiais

Com o propósito de incentivar a coleta e a reciclagem de materiais plásticos durante a Feiplastic, a Operação Reciclar registrou a presença de 10.863 visitantes e aproximadamente dezesseis toneladas de material coletado. Além disso, oito bicicletas fabricadas com plástico reciclado produzidas pela Muzzicycles foram sorteadas, com a participação de mais de 3,5 mil visitantes que se inscreveram para o sorteio. Também foram distribuídos dois mil kits de vasos com plantas para os que compareceram ao espaço. A Operação Reciclar teve a curadoria da ABIPLAST, com o patrocínio master da Braskem e apoio institucional da Secretaria do Verde e Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo.

Fórum Feiplastic e Arena do Conhecimento somaram 46 horas de conteúdo

Um dos pontos altos da Feira, o compartilhamento de experiências, de conhecimentos e atualização profissional ocorrido no Fórum Feiplastic e na Arena do Conhecimento, foi responsáveis por 46 horas de conteúdo em palestras e exposições com temas técnicos e relacionados à importância do plástico nos diversos setores da indústria e da sociedade.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

RadiciGroup intensifica atuação para atender à indústria automobilística no Brasil

12/04/2017

Como parte da estratégia, a companhia acaba de trazer para o mercado nacional sua nova gama de poliamidas à base de Poliftalamida (PPA) que foi lançada na Feiplastic 2017

Considerada a segunda indústria brasileira de poliamidas e uma das principais líderes mundiais na produção de plásticos de engenharia, a RadiciGroup está ampliando seu portfólio e trazendo para o país uma nova gama à base de Poliftalamida (PPA), o Radilon® Aestus T. Segundo a empresa, trata-se de uma linha com tecnologia de última geração, alto desempenho e resistência a altas temperaturas, que segue alinhada com as tendências e padrões internacionais, principalmente, nos requisitos para atender ao setor automobilístico. Com esta nova oferta, a companhia visa ampliar sua atuação na confecção de componentes próximos ao bloco do motor. O lançamento nacional foi realizado durante a Feiplastic 2017, entre os dias 03 e 07 de abril, em São Paulo.

O ritmo de avanço da indústria automobilística sempre foi dinâmico e, nos últimos anos, tem se intensificado com a oferta de veículos mais personalizados e leves. Indiferente do modelo, desde o básico até os mais pesados, o setor tem substituído cada vez mais peças de metal por componentes plásticos. “O objetivo não é simplesmente, diminuir os custos, mas reduzir o peso dos veículos, aumentar a segurança dos condutores e reduzir a emissão de CO2, melhorando também a eficiência energética dos automóveis. E estes são os principais atrativos do Radilon® Aestus T”, diz Jane Campos – Country Manager da RadiciGroup no Brasil. “Não podemos deixar de mencionar sua elevada temperatura de fusão e de distorção sob carga; excelente resistência ao envelhecimento prolongado na mistura de ar, glicol e álcool-gasolina; e a boa fluidez, o que faz com que a moldagem de peças com espessuras finas seja possível”, complementa.

Além da indústria automobilística, a RadiciGroup atua em diferentes setores da economia, tais como: elétrico/eletrônico, industrial e embalagens. “Neste último, podemos mencionar a parte de embutidos, que também demandam produtos com resistência a altas temperaturas”, acrescenta Jane Campos.

Os principais mercados de referência para o Radilon® Aestus são:

Elétrico/Eletrônico: segundo a Radici, a base de PPA é ideal para a fabricação de materiais para soldagem sem chumbo e componentes que exijam resistência mecânica e a altas temperaturas, tais como aplicações em componentes de chuveiro elétrico e ponteiras de secador de cabelo, entre outros.

Construção: o fabricante afirma que a linha Radilon® Aestus é ideal para a fabricação de acessórios de contato com água quente, a temperaturas de até 85°C, e a vapor em até 120°C. As aplicações incluem válvulas, coletores de distribuição de água quente, carcaças de hidrômetros, sendo o produto indicado também para contato com água potável.

Alimentício: usado em máquinas de distribuição automática de bebidas quentes, principalmente na fabricação de partes resistentes à água quente (até 85°C) e a vapor (até 120°C), bem como componentes que entram em contato com os alimentos, afirma a empresa. Componentes de filtros são uma das aplicações do produto nesse mercado.

“O RadiciGroup conta com uma experiência de mais de 35 anos no campo dos tecnopolímeros” – diz Gianluigi Molteni, Líder de Marketing & Desenvolvimento de Negócios do RadiciGroup Perfomance Plastics Americas & Pacific.

Entre os outros destaques da RadiciGroup na Feiplastic, foram apresentados também a linha de produtos de alto deesempenho:

  • Radilon® HHR: produtos à base de PA 6.6 com propriedades de resistência ao envelhecimento térmico em contato com o ar em temperaturas de até 210°C em contínuo;
  • Radilon® Xtreme: desenvolvidos para aplicações em contato com o ar em temperaturas de até 230°C em contínuo.
  • Radistrong®: polímeros especiais de PA 6 e PA 6.6 com fibras longas, ideais para substituição de metais;
  • Radilon® A e S: poliamidas 6.6 e 6 com fibras de vidro e ampla versatilidade de aplicação devido às propriedades mecânicas, térmicas e químicas – permitindo personalização técnica e variedade de cores;
  • Radiflam® HF: auto-extinguíveis sem halogênio e fósforo vermelho para o setor elétrico;
  • Radilon® DT: tecnopolímeros de cadeia longa, à base de Nylon 6.12, caracterizados por boas propriedades mecânicas e resistência química mesmo em contato com soluções de cloreto de zinco;
  • Radilon® D: tecnopolímeros à base de Nylon 6.10 obtidos através da utilização de um bio-polímero, a PA 6.10, produzida a partir do ácido sebácico (em um percentual equivalente a 64%).

Fonte: Radici

Curta nossa página no

Clariant apresenta soluções inovadoras e sustentáveis para megatendências globais durante a Feiplastic 2017

07/04/2017

  • Foco em Saúde e Nutrição, Estilo de Vida, Mobilidade e Urbanização
  • Aditivos, masterbatches e pigmentos inovadores e sustentáveis criando valor para as pessoas
  • Clariant na Feiplastic 2017, Estande B68, entre os 03 e 07 de abril de 2017, no Pavilhão Expo Center Norte, São Paulo

A Clariant, uma das empresas líderes mundiais em especialidades químicas, destaca, em seu estande na Feiplastic 2017, as megatendências globais que influenciam a indústria de plástico e demonstra como a empresa está criando valor para esse setor com base nas necessidades que essas tendências geram para as pessoas.

“A Clariant está comprometida com o desenvolvimento de soluções que atendam às demandas atuais e futuras do mercado, especialmente influenciadas pelas megatendências globais. Apoiando os clientes a encontrar alternativas inovadoras e sustentáveis, estamos fortalecendo nossa entrega de valor para a sociedade”, destaca Mônica Ferreira Vassimon, Presidente da Clariant na América Latina, reforçando o lema da empresa na Feiplastic 2017: “Criando Valor para as Pessoas”.

Os serviços e soluções da Clariant para aplicações plásticas englobam aspectos como segurança e conforto, produção mais eficiente e compatível com o meio ambiente. Dentre os destaques apresentados no evento a partir das megatendências globais estão:

Saúde e Nutrição:

  •  Pigmentos orgânicos PV Sólido para embalagens em contato com alimentos e bens de consumo. Segundo a empresa, garantem intenso efeito de cor, assim como características Low Warping, crucial para a produção de embalagens em moldes grandes.
  • Filmes agrícolas resistentes: solução de aditivos para polímeros AddWorks® AGC 104 para filmes de estufa de poliolefinas com maior duração, que ajudam a aumentar a proteção de cultivos e a reduzir o descarte de materiais, afirma a Clariant
  • Masterbatches de aditivos: CESA®-LASER para gravação a laser em polímeros termoplásticos, em cores ou nos tradicionais tons de cinza; CESA®-antimicro para proteção antimicrobial de produtos plásticos.

Estilo de vida:

  • Pigmentos para plásticos utilizando matérias-primas renováveis: a Clariant é a primeira produtora de pigmentos de quinacridona à base de bioácido succínico. O PV Sólido Pink E /E01 oferece cores brilhantes para produtos do dia a dia, desde brinquedos até embalagens de alimentos e produtos têxteis.
  • Aditivos para polímeros AddWorks® série LXR3 que oferecem alto nível de proteção durante a fabricação e a utilização dos artigos plásticos. Segundo a empresa, aditivos mantém aspecto de alta qualidade, cores radiantes de longa duração, transparência brilhante e estável.
  • “Boom” de aparelhos eletrônicos: investimento mundial da Clariant na fabricação de masterbatches e compostos pré-coloridos em pequenos lotes para resinas de engenharia e plásticos de alta resistência à temperatura, apoiando a indústria de eletroeletrônicos com soluções personalizadas.

Mobilidade:

  • Pigmentos orgânicos PV Sólido de alto desempenho que atendem aos requisitos e às mais rígidas condições de teste da indústria automotiva, com aplicação em acabamentos têxteis internos sujeitos a rigorosas condições de uso, afirma a empresa.
  • Proteção mais segura para plásticos automotivos contra incêndio: segundo a Clariant, o retardante de chamas de fosfinato não halogenado Exolit® OP 1400 oferece excelente estabilidade de processamento e proteção mais segura contra incêndio em baixa dosagem para poliamidas, usadas em peças automotivas elétricas e estruturais.
  • Aditivos de cor e desempenho para compostos resistentes a altíssimo calor: a Clariant lança novas linhas de masterbatches e compostos coloridos para plásticos de engenharia e resinas de alta resistência à temperatura, a fim de atender às tendências de leveza e miniaturização.

Urbanização:

  • Pigmentos orgânicos PV Sólido de alto desempenho. Segundo a Clariant, apresenta excelente solidez à luz e às intempéries, cor itensa e alta resistência térmica, com aplicação em fios e cabos, tuberias, perfis de PVC para construção civil, entre outros.
  • Ceras montânicas. De acordo com a fabricante, o material apresenta excelente desempenho, gerando benefícios para plásticos de engenharia, como maior janela de processamento devido aos efeitos multifuncionais de lubrificação, excelente estabilidade, alta eficácia e baixa migração na matriz plástica. Adicionalmente, o fornecimento de ceras montânicas é estável e confiável.
  • Agentes químicos espumantes Hydrocerol® para redução do peso dos componentes plásticos em até 20% sem impactar a estabilidade das peças, além de atuar como isolante térmico e de ruído, garante a empresa.

Fonte: Clariant

Curta nossa página no

Dow Automotive Systems participa da Feiplastic 2017

07/04/2017

Companhia apresenta soluções e tecnologias inovadoras para a indústria automotiva  

A Dow Automotive Systems, área da Dow especializada em soluções para o mercado automotivo, em parceria com a área de Plásticos da companhia, participa da Feiplastic – Feira Internacional do Plástico – evento que está acontecendo entre os dias 03 e 07 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Líder no fornecimento desempenho, conforto, segurança nos veículos para as montadoras, mercado de reposição e manutenção. Entre as soluções e tecnologias que a companhia apresenta no evento, os destaques são as linhas de adesivos para colagem de vidro e estruturais, Betaseal™ e Betamate™.

Os adesivos para colagem de vidros Betaseal™ são usados mundialmente para colagem estrutural e vedação de vidros fixos, ajudando os veículos a atenderem aos requisitos globais de segurança obrigatórios, relativos à regulamentação de barreiras, capotagens e de impacto no teto, afirma a empresa.

Os adesivos estruturais de alto desempenho Betamate™ são utilizados para colagem de chapas metálicas (aço, AHSS, alumínio, magnésio) e também em materiais dissimilares tais como aço e compósito, alumínio e aço etc. Os principais benefícios dos adesivos estruturais são redução de peso, melhoria da durabilidade do veículo, aumento da performance de segurança, redução de ruídos e melhoria da eficiência energética, garante a Dow.

“A sinergia entre os negócios automotivo e plásticos da Dow permite apresentar aos visitantes da feira e decisores da cadeia do plástico um amplo portfólio de produtos e soluções inovadoras voltados para diferentes mercados e aplicações”, afirma Rodrigo Leão, gerente de marketing da Dow Automotive Systems América Latina. “Por sermos a única empresa no Brasil e América Latina a ter uma unidade fabril de adesivos para colagem de vidro automotivo, conseguimos atender aos clientes com mais rapidez e agilidade”, finaliza Leão.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Eastman apresenta seu portfólio de Plásticos Especiais, Plastificantes e TPU’s na Feiplastic 2017

07/04/2017

Empresa traz para seu stand neste ano o “Eastman Strike”: um desafio de boliche em parceria com a Philips

A Eastman Chemical Company está apresentando o seu portfólio de plásticos especiais, plastificantes e TPU’s na Feira Internacional do Plástico, Feiplastic. A Feiplastic está sendo realizada de 3 a 7 de abril, em São Paulo, no Expo Center Norte. Este ano, os organizadores esperam mais de 60.000 visitantes e negociantes.

Para reforçar a qualidade de seus materiais, a empresa está apresentando ao público um grande desafio, o “Eastman Strike”: uma pista de boliche foi montada dentro de seu espaço e as jarras do novo Philips Walita Duravita ProBlender 6 (foto), que são produzidas com o copoliéster Tritan™ como matéria-prima, são usadas como pinos.

O objetivo do Eastman Strike é provar, por meio de uma experiência pessoal, uma das características-chave mais importantes de Eastman Tritan: resistência. Essa dinâmica, na qual o visitante é desafiado a quebrar as jarras, será realizada duas vezes por hora no estande, sempre a partir do meio-dia.

Devido à grande variedade de atributos da Tritan, tais como transparência, durabilidade, segurança e estilo, esse material tem sido cada vez mais escolhido por indústrias como as de bens duráveis, de cosméticos e de aplicações em cuidados pessoais.

“A Feiplastic reúne as marcas mais importantes e atrai os principais clientes do Brasil e do mundo, com o foco principal na geração de negócios para a cadeia de produção de plásticos. Esta feira é sempre um grande evento para nós na Eastman e fazemos questão de estar presentes, pois trata-se de uma ótima oportunidade para nos aproximarmos ainda mais de nossos clientes e mostrar-lhes o nosso melhor”, diz Rogério Dias, Gerente Regional de Venda de Plásticos para América Latina, da Eastman.

Em relação aos TPU’s e aos Plastificantes, a Eastman tem, por meio de sua subsidiária Scandiflex, um portfolio completo para a América do Sul. A empresa apresenta, entre outros, o Eastman 168, um plastificante não ftalato usado com sucesso há mais de 40 anos.

O Eastman 168 é um plastificante não ftalato muito usado na indústria de PVC, com desempenho igual ou melhor do que a maioria dos plastificantes orto-ftalato, afirma a Eastman. Segundo a empresa, o produto oferece boas propriedades de desempenho, ótima flexibilidade a baixa temperatura, resistência à extração por água com sabão e propriedades excepcionais de não migração. Em plastisóis, o Eastman 168 gera baixa viscosidade inicial e mantém viscosidade muito boa, afirma a empresa.

Durante a feira, os visitantes também estão tendo a oportunidade de aprender mais sobre o poliuretano termoplástico (TPU) da Scandiflex. Segundo a empresa, o produto apresenta baixo custo, além de características de resistência à abrasão, lágrima e deslizamento, flexibilidade – mesmo quando exposto a baixas temperaturas, resistência a graxas e a óleos e boa memória elástica.

A Eastman é uma empresa global de materiais avançados e aditivos especiais que produz uma ampla gama de produtos encontrados em itens que as pessoas usam todos os dias. Possui posições de liderança em mercados finais, tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A Eastman atende clientes em mais de 100 países e, em 2016, obteve receitas de aproximadamente US $ 9,0 bilhões. A empresa está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA e, emprega, aproximadamente, 14.000 pessoas em todo o mundo. Para obter mais informações, visite www.eastman.com.

Serviço:

Eastman na Feiplastic 2017
Datas: de 03 a 07 de abril
Horário: das 11h às 20h
Endereço do estande: Rua A – estande 69
Local: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme, São Paulo – SP

Curta nossa página no

Movimento intenso e negócios marcam o terceiro dia da Feiplastic 2017

07/04/2017

No terceiro dia da Feiplastic, expositores fabricantes de resinas plásticas e de máquinas e equipamentos começaram a registrar saldo positivo nas vendas, com negócios já sendo efetivados e corredores repletos de visitantes.

“Conseguimos realizar vendas efetivas de mais de 30 máquinas, com movimento de público nesses três primeiros dias”, afirmou Roberto C. Melo, gerente da Haitian. Na avaliação dele, considerando a situação do mercado, os resultados são bastante positivos. “Durante a Feiplastic estamos oferecendo aos clientes condições especiais para aquisição das máquinas e temos também uma linha própria de crédito. A expectativa é ampliar os negócios até o final do evento”, adiantou.

Igualmente confiante no potencial da Feira, o gerente comercial da Brasfixo, Luciano Lima, ressalta que foi possível concretizar vendas de equipamentos para usinagem e injeção plástica. “A feira está excelente!. Não temos do que reclamar. Além de estar em contato com nossos clientes, a Feiplastic abre oportunidades para ampliar a geração de negócios futuros”, elogiou. Lima acredita que nos próximos meses terá um aumento de 50% na produção.

O gerente executivo de Vendas e Marketing da Ineos Styrolution, Fábio Bordin, disse ter ficado surpreso com a organização do evento, com o público qualificado e com a presença de empresas globais. Mesmo o novo local (Expo Center Norte) recebeu elogios do gerente, que segundo ele, foi “aprovado” pelo presidente e pelo vice da Ineos.  “Atendemos praticamente a todos os setores da indústria, e sentimos que os clientes estão mais otimistas. A recuperação nas vendas do setor automotivo, por exemplo, já se refletiu nas nossas vendas”, avaliou.

Da mesma forma, o diretor de Marketing e Gestão de Desempenho da Braskem, Rafael Christo, identificou um público “mais seleto e focado em negócios”. Segundo ele, o papel da Braskem em eventos como a Feiplastic é criar uma aproximação com os públicos de interesse. “Recebemos representantes do governo, sindicatos e distribuidores que se sentaram à mesa para discutir parcerias, projetos e outros assuntos de interesse”. A intensa movimentação na Braskem é evidenciada pelas 14 salas de reunião que foram totalmente ocupadas, com muitos clientes vindos de fora de São Paulo e outros 15% de países da América do Sul, segundo Christo.

“O público nos agradou: são diretores, donos, pessoas que realmente tomam a decisão. É um público especializado – tanto que já fechamos alguns negócios e esperamos fechar mais até sexta feira”, comentou o diretor comercial da Eurostec, Cristian Pavan. Segundo ele, participar da Feiplastic é parte da estratégia da Eurostec que decidiu no ano passado mudar o posicionamento da Feira. “Tiramos um pouco a ênfase da parte de metal mecânica para nos voltarmos ao plástico”, afirmou.

Os corredores dos pavilhões do Center Norte no terceiro dia do evento ficaram mais cheios, o que ajudou a aumentar a expectativa de expositores, como a da gerente sênior de Marketing e Vendas América do Sul da Basf, Letícia Mendonça. Ela disse que espera um fluxo ainda maior de visitantes até sexta-feira. “Recebemos um público bastante diversificado e isso é muito bom para o relacionamento da empresa, pois atendemos diversos segmentos do mercado”, disse.

Comunidade Digital da Feiplastic 2017 atinge 100 mil seguidores no Facebook

A Feiplastic 2017 ultrapassou no dia 5 a marca dos 100 mil. Assim, superou a Feira K, na Alemanha, considerada a mais importante do planeta, cuja adesão na rede social gira em torno de 11 mil seguidores. O número de visitantes virtuais da Feiplastic é também superior aos próprios visitantes físicos, que neste ano estão estimados em 60 mil. De acordo com a  Reed Exhibitions Alcantara Machado, organizadora da Feira, a estratégia adotada para se relacionar com esse universo de público está superando a expectativa. Para se ter uma ideia, na edição de 2015, a quantidade de pessoas registradas no Facebook era de 25 mil.

Aplicações inovadoras do plástico na indústria automotiva foram o principal tema do terceiro dia do Fórum Feiplastic

Aplicações estruturais e semi estruturais dos plásticos em automóveis tem como objetivo substituir o aço e o alumínio. Peças automotivas como estrutura de assentos, suspensão, painéis externos e até chassis podem ser moldados em resinas plásticas. A principal vantagem do plástico reforçado está no fato de se tratar de um material mais leve, o que impacta diretamente na diminuição de consumo de combustível e, consequentemente, em menor emissão de gases poluentes.

O gerente de desenvolvimento estratégico de negócios da SAE Brasil, Rodrigo Cesar Berardine, afirmou que na produção em série de determinadas peças automotivas, cujo uso do metal ainda é predominante, a alternativa em plástico, como o SMC, é economicamente viável com um volume que não ultrapasse cerca de 70 mil unidades. Para ele, essa limitação deverá ser superada à medida que a indústria avançar em novas técnicas na produção de resinas. O SMC (Sheet Molding Compound) é produzido à base de resina poliéster com carga mineral e reforço com fibra de vidro, dando características de resistência e de estética à peça. Um dos exemplos do uso desse material está na carroceria do jipe brasileiro Troller T4, assim como no Ford Mustang GT, nos EUA.

O vice-presidente para as Américas de Especialidades da Ineos Styrolution, Tom Warren, ressaltou que o uso de determinados materiais plásticos, como os compósitos à base de fibra de carbono, são cerca de 50% mais leves que o aço e pesam 30% a menos que o alumínio. Warren também lembrou que o plástico nos automóveis, além de melhorar consideravelmente o peso, possui a vantagem de absorver mais os impactos em casos de acidentes, preservando os ocupantes. Segundo ele, ao longo da história do plástico na indústria automobílista, que começou por volta de 1940, o material vem ganhando presença crescente na composição total dos veículos. Em 1960 uma picape norte-americana era constituída de apenas nove quilos de plástico. Hoje, essa quantia chega a 150 quilos e em breve deve alcançar 320 quilos.

Expositores da Feiplastic mostram produtos para a Indústria Automotiva

BASF – Segundo a empresa, a sua família de poliamidas Ultramid® cujo destaque são as propriedades mecânicas, como resistência ao impacto e rigidez. Sua aplicação está na fabricação de coletores de admissão de ar, maçanetas, pedais, sistemas de arrefecimento e ar condicionado e invólucros de airbags.

KURARAY – Destaca na Feiplastic a resina poliamida 9T termorresistente, com aplicações na indústria automobilística por suas características como baixa absorção de água,  alta resistência química e à abrasão, propriedades mecânicas a altas temperaturas e barreira aos combustíveis, segundo a Kuraray.

RADICI – Leva uma nova gama de resinas à base de Poliftalamida (PPA), o Radilon® Aestus T, uma linha com tecnologia de última geração, alta performance e resistentes a altas temperaturas no requisito para atender o setor automotivo, afirma a empresas.

Operação Reciclar apresenta exemplos de produtos e tecnologias “verdes”

A Operação Reciclar está de volta à Feiplastic apresentando diversas aplicações do plástico reciclado em diversas indústrias. Um Corolla modelo 2018 está estacionado ao lado do estande, por exemplo, apresentando tapete do assoalho fabricado com fibras PET oriundas de garrafas pós-consumo e manta em polietileno (PE) reciclado, além de feltro fabricado a partir de sobras do próprio tapete pela empresa Formtap. Já os para-choques do modelo da Toyota são fabricados a partir de polipropileno (PP) reciclado, pela Borkar.

Entre outras tecnologias, está exposta também a fabricação de filamento para impressão 3D a partir de reciclados (Print Green 3D) e operações como a “Jogue Limpo”, que trabalha a logística reversa específica para embalagens de óleos lubrificantes. Outro exemplo dentro de estande é a empresa Sinctronics, focada em reciclagem eletrônica. A companhia é especializada em desmontagem e reaproveitamento de materiais como cartuchos de impressora e outros plásticos aplicados em produtos eletrônicos. Os cartuchos podem se transformar em alças de maletas para notebooks. Outros plásticos, eventualmente contaminados dentro dos eletrônicos, podem ser utilizados na fabricação de madeira plástica ou pallets.

Os visitantes podem também concorrer a uma bicicleta cujo corpo é composto de plástico reciclado, desenhada pelo artista plástico Juan Muzzi, a Muzzicycle, que é feita a partir de garrafas PET, e é leve e econômica. O sorteio de oito modelos acontece na sexta-feira (7). O uruguaio radicado em São Paulo foi o criador da Molamania, a mola de plástico colorida que ainda hoje faz sucesso entre as crianças.

Além do espaço da Operação Reciclar em si, que tem curadoria da ABIPLAST, as empresas Wortex e Haitian fazem, in loco, a reciclagem de resíduos plásticos. De acordo com a organização, esta atração da Feiplastic atingiu 80% de satisfação dos visitantes.

Cartilha de Reciclabilidade   

A ABIPLAST apresentou na Feira Internacional do Plástico uma cartilha de Reciclabilidade de Materiais Plásticos Pós-Consumo, “que aborda tecnicamente as possibilidades de reciclagem mecânica valorizando as alternativas propostas pelo conceito de design ecológico”. A assessora técnica da entidade, Simone Carvalho, lembrou que o plástico é um material 100% reciclável, podendo retornar à cadeia produtiva.

O chamado ecodesign tem por objetivo reduzir os impactos ambientais presentes em todo o ciclo de vida do plástico com a interação de aspectos ambientais ao desenvolvimento de produtos, processos ou serviços.  Simone ressaltou que a cartilha esclarece sobre vários aspectos do processo de reciclagem e observou que o Brasil ainda precisa aprimorar a eficiência do descarte e da coleta dentro do ciclo da vida do plástico no meio ambiente.

De acordo com ela, há uma grande capacidade ociosa nas empresas recicladoras por motivos como: pouca matéria-prima para se reciclar, coleta seletiva precária (apenas 13% dos municípios do país possuem esse serviço) e falta de conhecimento dos catadores em classificar e separar os materiais por tipos de resina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Abiplast divulga prévia do perfil do setor de transformados plásticos durante a Feiplastic; Uso do Plástico na Construção Civil é destaque no segundo dia da feira

06/04/2017

Dados da prévia do perfil mostram expectativa positiva dos empresários para este ano e projetam crescimento nas vendas para o próximo trimestre

A expectativa geral da Indústria de transformados plásticos para este ano é positiva, segundo o Índice de Confiança do Empresário Industrial medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgado pela Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) na Feiplastic 2017 – Feira Internacional do Plástico. A Abiplast também projeta alguns bons resultados já para o próximo trimestre, em pesquisa feita diretamente com os associados: foram relatados aumentos na produção e nas vendas do setor, além de queda nos estoques de produtos finais. Por outro lado, os associados esperam retração nos investimentos, aumento nos custos de matérias-primas e não alimentam expectativas quanto a contratação de mão-de-obra.

Essas informações fazem parte da prévia do PERFIL 2016: Panorama da indústria de transformados plásticos, que a Abiplast produz todos os anos para ser distribuído aos associados. A apresentação dos números foi feita durante a Feiplastic, que está acontecendo no Expo Center Norte, em São Paulo. O analista econômico da Abiplast, Marcos Ferreira do Nascimento, mostrou de um modo geral que o setor vem se recuperando lentamente depois de pelo menos dois anos seguidos de crise na economia. De acordo com Nascimento, o PERFIL 2016 completo estará disponível no próximo mês.

Pela análise feita pela Abiplast, considerando uma possível recuperação do PIB Brasileiro de 2017 a 2018 em torno de 1,5% a 3% ao ano, a demanda brasileira por transformados plásticos atingirá os patamares observados em 2012/13, auge do setor dos últimos dez anos, apenas em 2023. O consumo aparente de transformados plásticos atingiu naqueles anos 7,7 milhões de toneladas. No ano passado, esse número fechou em 6,1 milhões de toneladas.

O faturamento do setor atualmente é de R$ 64,5 bilhões, que gera 313.062 empregos e possui 11.459 empresas. Ainda segundo os dados do PERFIL, 94% das empresas transformadoras de plástico são de micro e de pequeno porte. O emprego está concentrado nas médias empresas, enquanto a maior parte do faturamento do valor adicionado está concentrada nas grandes empresas do setor.

Outro dado positivo levantado pela Abiplast é o crescimento de novas empresas recicladoras de plástico, que mantém um ritmo de 10,5% ao ano desde 2007. Naquele ano o número de empresas era de 481, saltando para 1.080 em 2015.

No ranking dos principais setores da atividade economia que mais consomem plástico, a construção civil lidera ocupando 25,7% do total, seguido por alimentos, 19%, automóveis e autopeças, 12,1%, máquinas e equipamentos, 7,3% entre outros.

Uso do Plástico na Construção Civil tem potencial de expansão

A versatilidade das resinas plásticas permite sua aplicação na construção civil, desde a fundação até o telhado. No Brasil, existe ainda um grande potencial de expansão no uso do plástico, à medida que novos aditivos e combinações ampliam as possibilidades de aplicação dos materiais conferindo mais durabilidade, desempenho acústico e leveza. O assunto foi abordado no segundo dia do Fórum Feiplastic, com o tema Inovação e a Importância do plástico na indústria da construção civil.

O gerente de engenharia de Aplicação e Desenvolvimento de Mercado PVC da Braskem, Antonio Rodolfo Jr., comparou o consumo per capita de plástico no Brasil com o dos países desenvolvidos e afirmou que o país ainda está muito aquém do seu potencial de produção e consumo. Cada brasileiro corresponde ao consumo por ano de cerca de 25 quilos do grupo de resinas termoplásticas (PE, PP e PVC), enquanto nos EUA, a quantidade é de 75 kg, na Europa, de 50 kg e Japão, 48 kg. Rodolfo destacou que a vocação do plástico é substituir materiais tradicionais (como metais e madeira) em todas as áreas, por conta da sua durabilidade, resistência à corrosão, impermeabilidade, resistência mecânica, além de ser atóxico. No caso da construção civil, especificamente, as aplicações ganham grandes dimensões se considerados alguns fatores característicos da realidade brasileira como a necessidade de diminuir o déficit habitacional, estimado entre 4,5 e 6 milhões de unidades.

O gerente da Braskem enumerou algumas aplicações específicas do PVC (policloreto de vinil) na construção civil, entre elas no uso de perfis nas estruturas de construções por exemplo. Em um sistema modular de encaixe, as paredes são feitas de perfis vazados de PVC acoplados entre si. Após sua montagem, são preenchidos por concreto e aço estrutural, de maneira que as fôrmas de PVC ficam incorporadas às paredes. Outras aplicações do PVC são em janelas, geralmente substituindo o alumínio; em telhas, cuja principal vantagem é seu o peso – bem mais leves que as de cerâmica, por exemplo (enquanto o metro quadrado das telhas em PVC pesam 5 kg, o de cerâmica, 35 kg); poços de visita (bueiro) e mantas acústicas para aplicações em lajes, paredes e pisos.

Rodolfo também mencionou o sistema construtivo BubbleDeck em lajes, composto por esferas de polipropileno inseridas de forma uniforme entre duas telas de aço. As esferas ocupam as partes de concreto que não desempenham a função estrutural, possibilitando construir lajes com a mesma resistência de uma convencional plana e maciça, porém mais leves. Por fim, ele falou ainda do Sistema de Drenagem Urbana Sustentável (SDUS), cuja aplicação se dá por meio de peças ocas em PP (polipropileno) montadas como se fosse um “quebra-cabeça” para revestir estruturas para drenagem e/ou reservatório de águas pluviais.

Lançamentos para o setor da Construção Civil tem destaque na feira

Importante segmento para o setor de transformados plásticos, a construção civil, que segundo a Abiplast lidera o ranking das atividades econômicas que mais consomem plásticos, recebe atenção especial das grandes marcas fabricantes de resinas. Confira alguns lançamentos presentes na Feiplastic 2017:

SABIC – Apresenta chapas de Lexan, de baixo peso, facilidade de instalação e benefícios de conservação de energia para diversas estruturas e aplicações:
SABIC® PP, resina para aplicações como chapas finas, corrugadas e perfis, oferece resistência a UV e ao impacto, bem como baixa contração.
Resina Geloy™ (ASA/PC), que fornece uma camada de revestimento protetora e resistente ao tempo para telhas de PVC.

RHODIA SOLVAY – Linha de estabilizadores de luz Cyasorb Cynergy Solutions®,  que oferece proteção térmica e UV de longo prazo para poliolefinas, expostas as intempéries. As aplicações incluem componentes confeccionados em TPO ou polipropileno como: telhas, fachadas, membranas de impermeabilização multicamadas e geomembranas.

EVONIK – A linha Dynasylan® inclui uma gama de diferentes grupos de silanos: para cabos e tubulações; para formulações retardantes de chamas e para adesivos e selantes de alta performance.

POLYSTELL – Mostra tintas imobiliárias e massas plásticas, como Polyadit® 41.120/Polyadit® 4108, com umectantes, dispersantes e estabilizantes do sistema de cor, evitando floculação, sedimentação e aglomeração dos pigmentos; Polyapp® 2621 e Coal/Polyapp® 21.123, que melhoram o desempenho das tintas proporcionando uma boa formação de filme e o aumento da resistência aos processos de lavagem, além do Polyclean® 6020 – Micropartículas de Prata, que elimina 99,99% das bactérias causadas por contaminações nas tintas

Expositores Internacionais reforçam importância da Feiplastic para geração de negócios

Um dos destaques da participação internacional na Feiplastic 2017 é o pavilhão italiano, que reúne oito empresas expositoras com máquinas de reciclagem, moldes e matérias-primas para a indústria de transformação de resinas plásticas. De acordo com Maurizio Campedelli, gerente de Vendas da Borghi, “Este segundo dia de feira tem sido positivo; trazemos máquinas ao Brasil há 30 anos”. Entre os destaques da companhia estão máquinas para a produção de vassouras e outros produtos para limpeza, como escovas. Outra expositora é a Omso, que apresenta aos visitantes produtos para impressão para indústrias alimentícia, cosmética, farmacêutica, entre outras.

Entre pavilhões, como o da Índia, e empresas que chegam à feira de forma independente, a Feiplastic traz ao visitante 15 países expositores, como Áustria, Estados Unidos, França, Reino Unido e Suíça. Já a participação latino-americana deve reforçar as relações comerciais entre Brasil e os países vizinhos. “Nosso principal objetivo é unificar os interesses – explica Sergio Hilbrecht – gerente da Câmara Argentina da Indústria Plástica, CAIP. Nós trabalhamos junto à Abiplast e com outras entidades formamos a Associação Latino-Americana da Indústria Plástica – APLIP. Procuramos intercâmbio de experiências”. Para Hilbrecht, a indústria argentina do plástico tem se reestruturado, e o setor deve se recuperar juntamente com a melhoria do cenário brasileiro.

Além disso, a organização do evento espera que cerca de 30 países visitantes circulem  pelo Expo Center Norte até o dia 7 de abril.

Em parceria com SEBRAE, empresas de Pernambuco visitam a Feiplastic

O Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Pernambuco – SIMPEPE está visitando a Feira Internacional do Plástico  em busca de novas tecnologias e negócios. A iniciativa é uma parceria com o Sebrae. De acordo com a entidade, Pernambuco possui 274 empresas de transformados plásticos, fazendo do estado o oitavo em número de fábricas de plástico e em postos de trabalho.

“Este ano completamos 25 anos de existência e a participação na Feiplastic é importante para o SIMPEPE – avalia o presidente da entidade, Gessé Batista Santos. Nosso setor, em Pernambuco, é composto 90% de micro e pequenas empresas, e a visita à feira gera um impacto muito positivo”.

Serviço:
Feiplastic 2017 – Feira Internacional do Plástico
Data: 3 a 7 de abril de 2017
Horário: das 11h às 20h
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo
http://www.Feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Feiplastic 2017 é aberta em São Paulo expressando o otimismo do setor

04/04/2017

Feira Internacional do Plástico começou ontem (segunda, dia 03 de abril) no Expo Center Norte com a presença de autoridades do setor e dos governos federal e estadual; aumento de produção e inovação foram as tônicas dos discursos

A considerar as declarações das autoridades presentes na solenidade de abertura da FEIPLASTIC 2017 – Feira Internacional do Plástico, nesta segunda-feira, 3 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo, o momento para o setor é de retomada do crescimento depois de um período de resultados ruins na economia. “O pior já passou”, disse o presidente da ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico), José Ricardo Roriz Coelho.

Segundo o presidente da associação, a melhor maneira de se enfrentar as dificuldades é aumentar a produtividade e passar a ser mais competitivo, condições que a indústria do plástico possui dada às características inerentes à sua cadeia, como inovação e presença em inúmeros setores da economia. “Nossa indústria está presente desde a seringa do posto de saúde até o avião”, lembrou Roriz. Na mesma linha, o vice-presidente do SIRESP (Sindicato da Indústria de Resinas Plásticas), Edison Terra Filho, afirmou que é justamente por conta das várias inovações proporcionadas pelo plástico que o setor “segue trabalhando e cuidando da produtividade”.

Um bom sinal de que a FEIPLASTIC pode ser o termômetro dessa recuperação evidenciou-se no comentário do presidente da Reed Exhibitions Alcantara Machado, Fernando Fischer, ao destacar que o número de pré-credenciamento de visitantes está 30% maior no primeiro dia do evento, em comparação ao mesmo período da última edição.

Presente na solenidade de abertura, a diretora da área de Indústria e Serviços e de Indústrias de Base do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Claudia Prates, que representou o governo federal na abertura da FEIPLASTIC, disse que o banco investiu nos últimos anos cerca de R$ 11 bilhões no setor. As pequenas e médias empresas, de acordo com ela, têm sido o foco do BNDES no que se refere às facilidades de crédito. Claudia destacou o aporte de R$ 300 milhões feito pelo banco nesta área, do aumento do limite para R$ 2 milhões no Cartão BNDES (para financiar a compra de materiais e serviços) e outros benefícios presentes para capital de giro, além do Fundo Garantidor de Investimento, para concessão de garantia em operações indiretas a empresas de menor porte.

Representando o governo de São Paulo, o secretário de Energia e Mineração, João Carlos de Souza Meirelles, afirmou que o país vem passando por intensas transformações e salientou as mudanças importantes que acontecem nos setores químico, petroquímico e de plásticos. Meirelles ressaltou o trabalho da Braskem no desenvolvimento de materiais plásticos originados da cana-de-açúcar e também convidou o setor a aderir ao programa do governo do estado para uma usina de transformação de lixo, no âmbito dos processos de reciclagem já realizadas por várias empresas. Segundo o secretário, um dos principais resultados dessa iniciativa será prover energia térmica para o aquecimento de fornos para a indústria de cimento.

Assumindo que o período crítico da indústria ficou para trás, a ADIRPLAST (Associação Brasileira de Resinas Plásticas e Afins) está empenhada em implementar três pontos fundamentais para o desenvolvimento do setor, de acordo com o seu presidente Laércio Gonçalves. O primeiro deles é em relação à tributação, a fim de equalizar as grandes diferenças do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) entre os estados. Outro ponto, segundo Gonçalves, diz respeito à inadimplência, buscando uma nova cultura de gestão financeira para o setor, e, finalmente, a sustentabilidade, preservando a importância dos produtos plásticos na vida moderna sem o comprometimento do meio ambiente e dos recursos.

Para o diretor financeiro da ABIMEI (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais), Christopher Mendes, o diálogo e a interação entre os atores do setor do plástico é o caminho mais seguro para a retomada do crescimento. Mendes afirmou que a recuperação “saudável” do setor terá de ser feita com o incentivo à indústria de bens de consumo, sem cometer os erros do passado.

A FEIPLASTIC é promovida e organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado e reúne 1.000 marcas expositoras nacionais e internacionais, com a presença de representantes de empresas e de organizações de mais de 60 países. São 15 países expositores, entre os quais: Áustria, China, EUA, França, Índia, Itália, Portugal, Reino Unido e Suíça, além de visitantes principalmente vindos da América Latina como Argentina, Chile, Bolívia, Itália, Colômbia, México, Peru, EUA, Paraguai, Portugal, Alemanha e Espanha. O setor de Plásticos movimenta bilhões de reais, sendo que o faturamento da indústria de transformados plásticos no ano passado foi de R$ 64,5 bilhões, gerando 322.679 empregos em um conjunto de 12.539 empresas, segundo a ABIPLAST.

Resiliência pessoal e nas organizações

A Reed Exhibitions Alcantara Machado, em conjunto com a Harvard Business Review Brasil (HBR Brasil), organizou ao final da solenidade de abertura uma palestra com o norte-americano George S. Everly, Professor de Psicologia da Universidade de Loyola (Maryland), que abordou o tema “Resiliência e os desafios das organizações diante do inesperado”.   Logo após a cerimônia que abriram os trabalhos da FEIPLASTIC, o convidado falou sobre resiliência, a atitude de controlar respostas diante de situações física ou mentalmente estressantes. Essa conduta ganhou nos últimos anos uma dimensão mais estratégica, atraindo a atenção de pesquisadores, políticos, integrantes do poder público, de organizações diversas e do mundo corporativo.

Everly contou que sua própria vida tem sido um esforço contínuo de resiliência. Ele nasceu com dislexia, transtorno específico de aprendizagem de origem neurobiológica, caracterizado pela dificuldade de leitura e de soletração de palavras, por exemplo. Segundo ele, seus primeiros professores diziam que ele jamais conseguiria aprender como as outras crianças, mas isso não impediu que se graduasse chegando ao nível de doutoramento na universidade. Hoje, Everly é autor e co-autor de mais de 20 livros, além de professor associado em Psiquiatria na Faculdade de Medicina da Johns Hopkins University, também ministra aula de Psicologia na Universidade Loyola, em Maryland, e é o diretor executivo de Resiliency Science Institute da Universidade de Maryland.

Segundo as pesquisas desenvolvidas por ele e pelos seus colegas de universidade, a resiliência pessoal tem basicamente cinco pontos característicos:
·         Otimismo – aquele que acredita no seu potencial e sempre procura ter atitude pró-ativa, ou seja, não fica apenas esperando as coisas acontecerem;
·         Capacidade de tomar decisões – em boa parte das situações, isso não acontece porque as pessoas têm medo de cometer erros e isso as impede de tomar decisões. O resiliente procura enxergar o momento como oportunidade, não como eventual fracasso;
·         Ter noção de “certo” e “errado” – também chamado de “bússola moral”, ou em outras palavras, sempre procurar aquilo que irá trazer vantagens para todos;
·         Tenacidade – perseverar sempre, principalmente depois de situações de fracasso.
·         Apoio de outras pessoas – o “apoio interpessoal multiplica a felicidade e divide a tristeza”.

O professor de psicologia afirmou ainda que é possível “aprender” a ser resiliente, embora seja uma característica inata de determinados indivíduos. Nas organizações, isso também é possível, a começar pelo treinamento das pessoas que ocupam cargos na linha de frente, incentivando o desenvolvimento dos cinco pontos mencionados. “Hoje sabemos que uma organização com resiliência tem menor turnover, as pessoas ficam menos doentes e a produção tende a ser maior”, ressaltou.

No stand da BRASKEM, PICPLAST apresenta ferramenta inédita de gestão na Feiplastic 2017

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), iniciativa da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST) e da Braskem, apresenta durante a FEIPLASTIC 2017 ferramenta inédita destinada a ajudar pequenas e médias empresas do setor plástico na tomada de decisões estratégicas e controle do fluxo de caixa.

Idealizada para dar suporte a empresas que queiram realizar algum investimento ou avaliar a aquisição de um novo equipamento ou molde, a ferramenta “Análises de investimentos” foi desenvolvida pela consultoria Advisia OC&C, contratada pelo PICPlast para criar uma solução intuitiva e prática.  Construído em linguagem Excel, o programa realiza cálculos sofisticados e indica resultados que apontam se os investimentos previstos são realmente vantajosos. Disponibilizada gratuitamente para os visitantes da feira, a ferramenta é uma boa solução do ponto de vista financeiro. É capaz de apontar informações como a taxa de retorno projetada para os investimentos e se é realmente interessante para o empresário tomar crédito para um projeto

Os visitantes também podem conhecer durante a feira, a versão atualizada do programa “Custos e rentabilidade”, já disponível para as empresas do mercado de forma gratuita. Desenvolvido para companhias que ainda não possuem sistemas de alta performance, funciona como uma plataforma simples e auxilia os transformadores na gestão dos negócios.

Área de Inovação da Feiplastic traz os lançamentos mais recentes

As novidades tecnológicas em produtos químicos e máquinas para atender aos diversos setores da indústria estão sendo apresentadas na Área de Inovação da FEIPLASTIC, no Expo Center Norte. Nesse espaço inédito dentro da Feira, as marcas têm a oportunidade de destacar seus lançamentos e interagir com os visitantes de forma dinâmica.

A injetora da série “Zeres”, lançada pela Haitian, oferece precisão para produzir peças que exigem controle de peso. “Essa máquina também reduz o consumo de energia e pode ser aplicada nos segmentos automotivo, embalagem, linha branca e hospitalar”, explica Roberto Melo, gerente da empresa. Ainda de acordo com o executivo, a expectativa é ampliar a participação no mercado brasileiro, a partir dos contatos feitos na FEIPLASTIC. “Já tivemos um bom movimento de visitantes no primeiro dia da feira interessados em conhecer essa injetora”.

Na linha de masterbatches, a Cromex expõe os últimos lançamentos em cores e aditivos para plástico com seu novo portfólio de produtos para os mercados de Fios e Cabos, Agrobusiness e PET. Em destaque, o masterbatch preto – Superblack® concentrado que, segundo a empresa, possui poder de cobertura e dispersão das partículas de pigmento. Destina-se a aplicações em diferentes formulações plásticas sem perder as características e beleza do produto final, afirma a Cromex. “O produto tem uma infinidade de aplicações para filmes técnicos nos mercados agrícola, automotivo e alimentício, e também filmes não técnicos, como sacolas, utilidade doméstica, frascos, potes e tampas”, explica  Giovanni Dias, especialista de Projetos e Produtos da Cromex.

A companhia também reservou para a FEIPLASTIC os últimos lançamentos, como o aditivo antimicrobiano, que conferem aos plásticos ação bactericida (elimina as bactérias e impede sua proliferação) e podem ser usados em vários polímeros, como PE, PP, PS, ABS e PET, em todos os processos de transformação.

Reciclagem em Alta

Durante a FEIPLASTIC, o público visitante também terá acesso a modernos equipamentos para reciclagem, como a Linha Challenger Recycler Geração II, desenvolvida pela Wortex Máquinas, que além de melhorias técnicas tem capacidade de processar até 20% de material rígido no material flexível ou processar 100% de material rígido ou aglutinado, segundo informações da empresa. A geração II apresenta ainda avanços na degasagem de materiais altamente impressos com um sistema opcional de dupla filtragem para materiais com maiores níveis de contaminação.

“Temos know how para implementar linhas completas de reciclagem em empresas que enxergam os resíduos sólidos, principalmente os plásticos do pós-consumo ou mesmo de aparas e rejeitos da produção, como dinheiro, não como lixo. Lixo, aliás, que causa imensos danos ambientais e abarrota aterros sanitários pelo volume e pela destinação incorreta”, afirma Paolo De Filippis,diretor da Wortex.

Serviço:
FEIPLASTIC 2017 – Feira Internacional do Plástico
Data: 3 a 7 de abril de 2017
Horário: das 11h às 20h
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo
http://www.feiplastic.com.br

Curta nossa página no

Feiplastic 2017 começa na segunda-feira, dia 3 de abril, em São Paulo

31/03/2017

  • Evento vai reunir mais de 1.000 marcas nacionais e internacionais entre os dias 3 e 7 de abril no Expo Center Norte, informam os organizadores
  • Solenidade de abertura, no dia 3, será às 10h30 seguida de palestra com especialista norte-americano convidado pela Harvard Business Review Brasil e pela Reed Exhibitions Alcantara Machado

De 3 a 7 de abril, a FEIPLASTIC – Feira Internacional do Plástico, terá lugar no Expo Center Norte, em São Paulo. A solenidade de abertura será no dia 3, às 10:30 hs, no auditório Feiplastic, com a participação de representantes de diversas entidades apoiadoras como a Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico, Siresp – Sindicato das Indústrias de Resinas Plásticas, Abimei – Associação Brasileira de Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais e Adirplast – Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins, além de representantes do BNDES e do governo do Estado de São Paulo. Em seguida, haverá palestra de abertura do Fórum com o especialista norte-americano George S. Everly, convidado pela Harvard Business Review Brasil (HBR Brasil), na qual abordará o tema “Resiliência e os desafios das organizações diante do inesperado”.

A Feiplastic 2017 é promovida e organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado. Segundo os promotores do evento, a Feiplastic reunirá 1.000 marcas expositoras nacionais e internacionais, com a presença de representantes de empresas e de organizações de mais de 60 países. São 15 países expositores, entre os quais: Áustria, China, EUA, França, Índia, Itália, Portugal, Reino Unido e Suíça, além de visitantes vindos principalmente da Argentina, Chile, Bolívia, Itália, Colômbia, México, Peru, EUA, Paraguai, Portugal, Alemanha e Espanha.

Entre as novidades da Feira deste ano destacam-se a Área de Inovação, espaço que apresenta novos desenvolvimentos tecnológicas de diferentes setores da indústria, com palestras e workshops gratuitos e participação de marcas como Braskem, Dow, Cromex, Hatian e Wortex. Outra novidade será o Fórum FEIPLASTIC, que visa promover o debate sobre as tendências e os desafios do setor, com a participação de líderes da cadeia do plástico, além de especialistas da área de construção civil, industrial e econômica brasileira. O tema central do fórum, que tem entre os parceiros a HBR Brasil, a McKinsey & Company e o The Boston Consulting Group, é “A Importância do Plástico na Sociedade e nas Cadeias Produtivas Brasileiras.”

O público também poderá conferir, ao vivo, operações de reciclagem de materiais plásticos e a transformação do plástico reciclado em novos produtos no espaço da Operação Reciclar.  O propósito dessa operação é incentivar a coleta e reciclagem de materiais plásticos mostrando, na prática, todo o potencial de reciclabilidade e variedade de aplicações da resina plástica em diversos segmentos da indústria, além de mostrar o impacto da reciclagem no desenvolvimento, na economia, na saúde e no bem-estar da população.

Realizada desde 1987 como uma parceria entre a Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico – e a Reed Exhibitions Alcantara Machado como BRASILPLAST, e desde 2013 como FEIPLASTIC, a FEIPLASTIC apresenta novas tecnologias das principais empresas que são referência no setor, em segmentos como plásticos, resinas, máquinas e reciclagem, proporcionando aos seus visitantes interação com as novidades do mercado, além de geração de negócios e networking qualificado.

Serviço
FEIPLASTIC 2017 – Feira Internacional do Plástico
Data: de 3 a 7 de abril de 2017
Horário: das 11h às 20h
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo
http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic; foto: arquivo

Curta nossa página no

Diretora da área de Indústria do BNDES participa da abertura da Feiplastic 2017 na segunda-feira

31/03/2017

Cláudia Prates, do  Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, e o secretário de Energia do governo de São Paulo, João Carlos Meireles são as autoridades governamentais na solenidade

A Feiplastic – Feira Internacional do Plástico abre suas portas na segunda-feira, dia 3, a partir das 10h30, com a presença da diretora da área de Indústria e Serviços e da área de Indústrias de Base do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social),  Claudia Prates (foto), e do secretário de Energia e Mineração do governo de São Paulo, João Carlos de Souza Meirelles.

A solenidade de abertura, que acontece no auditório Feiplastic, no Expo Center Norte, em São Paulo,  terá como anfitrião o presidente da Reed Exhibitions Alcantara Machado, Fernando Fischer, que também recebe as autoridades do setor como o presidente da Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico), José Ricardo Roriz Coelho, o diretor financeiro da Abimei (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais), Christopher Mendes, o vice-presidente do Siresp (Sindicato da Indústria de Resinas Plásticas ), Edison Terra e o presidente da Adirplast (Associação Brasileira de Resinas Plásticas e Afins), Laércio Gonçalves.

A Feiplastic 2017 é promovida e organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado. Os organizadores relatam que a feira reunirá 1.000 marcas expositoras nacionais e internacionais, com a presença de representantes de empresas e de organizações de mais de 60 países. São 15 países expositores, entre os quais: Áustria, China, EUA, França, Índia, Itália, Portugal, Reino Unido e Suíça, além de visitantes vindos de países como Argentina, Chile, Bolívia, Itália, Colômbia, México, Peru, EUA, Paraguai, Portugal, Alemanha e Espanha. A cada edição a Feira vem acompanhando a evolução do setor, que movimenta bilhões de reais. O faturamento de transformados plásticos no ano passado foi de R$ 64,5 bilhões, gerando 322.679 empregos em um conjunto de 12.539 empresas, segundo a Abiplast.

Realizada desde 1987 como uma parceria entre a Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico – e a Reed Exhibitions Alcantara Machado como BRASILPLAST, e desde 2013 como FEIPLASTIC, a FEIPLASTIC apresenta novas tecnologias das principais empresas que são referência no setor, em segmentos como plásticos, resinas, máquinas e reciclagem, proporcionando aos seus visitantes interação com as novidades do mercado, além de geração de negócios e networking qualificado.

Serviço
FEIPLASTIC 2017 – Feira Internacional do Plástico
Data: de 3 a 7 de abril de 2017
Horário: das 11h às 20h
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo
http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic; foto: arquivo

Curta nossa página no

Braskem destaca portfolio durante Feiplastic 2017

31/03/2017

Empresa apresentará durante a Feiplastic suas linhas de produtos para mercados de filme, cosméticos, higiene e limpeza e alimentos, entre outros.

Para a indústria de transformação e aplicações de filmes especiais, bobinas técnicas e filmes industriais a empresa apresentará o Braskem Flexus, marca do polietileno base metaloceno da Braskem, indicada para utilização em embalagens que exigem características como maior resistência, brilho, transparência e selagem.

Entre as novidades dessa família de resinas está o Braskem Flexus Cling, especialmente desenvolvido para extrusão de filmes stretch (estiráveis), utilizados por indústrias para proteger cargas durante transportes. Segundo a Braskem, a nova solução se destaca pela elevada retenção de carga e excelente performance de “pega”, mesmo em baixas temperaturas. Os filmes produzidos com a solução 100% Braskem apresentam flexibilidade, alta robustez e excelente resistência ao impacto e à perfuração, garantindo principalmente a segurança na movimentação e transporte das cargas unitizadas, afirma a empresa.

High Gloss

Para os mercados de cosméticos, higiene e limpeza e alimentos, a Braskem amplia o portfólio de especialidades e apresenta uma nova resina que proporciona mais brilho e melhor acabamento às embalagens sopradas rígidas, o que dá mais visibilidade ao produto na prateleira perante os concorrentes opacos, assegura a empresa.

Com esse lançamento, a Braskem amplia sua oferta de produto para a produção de recipientes por moldagem por coextrusão e sopro, agregando mais valor para a embalagem final.

Braskem Proxess

A marca Braskem Proxess, família de PEBDL metaloceno de polietilenos de alta performance, foi desenhada para promover fácil processamento e atender às elevadas exigências do mercado de embalagens flexíveis, afirma a Braskem. Segundo a empresa, as resinas entregam alto desempenho e grande flexibilidade para diferentes Clientes e aplicações.

Essa família é indicada para embalagens de empacotamento automático (FFS) ou sacarias industriais, e também para filmes termoencolhíveis, agrícolas e barreira.

Braskem Maxio®

O selo Maxio® certifica as resinas dentro do portfólio da Braskem que geram um menor impacto ambiental em suas aplicações. De acordo com a empresa, essas resinas proporcionam aos Clientes a possibilidade de aumentar a produção, reduzir o consumo de energia e horas trabalhadas pelos equipamentos e/ou reduzir a gramatura do produto final, aumentando a eficiência do processo produtivo.

Braskem Amppleo

Segundo a Braskem, a sua nova marca Braskem Amppleo, resina de polipropileno com propriedades de High Melt Strength (alta resistência do material fundido, em português), foi especialmente desenvolvida para a produção de espumas de alta performance e que tem a versatilidade como uma de suas características. A resina é capaz de suportar temperaturas de até 100°C sem deformar e possibilita a fabricação de espumas com ampla versatilidade de aplicações dentro de uma grande escala de densidade, que pode ir de 35 kg a 300 kg por metro cúbico, apresentando redução de peso frente a outros materiais e um excelente isolamento térmico e acústico, afirma a empresa. Além disso, o material pode ser totalmente reciclado. Com a novidade, a empresa pretende estabelecer parcerias para o desenvolvimento de novas aplicações nos mercados automotivo, industrial, embalagens, construção civil e eletrodomésticos.

I’m Green™

O Polietileno Verde I’m green™ é um plástico produzido a partir de fonte renovável – a cana-de-açúcar. O Plástico Verde pode ser encontrado em produtos de mais de 150 marcas em todo o mundo, como embalagens de alimentos, produtos de higiene e limpeza, pet food, cosméticos, bebidas lácteas, sacolas, tapetes para automóveis, grama sintética, fios e cabos, entre outros.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Fórum Feiplastic aborda inovações do plástico na Indústria Automobilística

31/03/2017


O vice-presidente de Especialidades da Ineos Styrolution, Tom Warren,faz palestra destacando a importância e as novas tendências no uso do plástico em automóveis leves, no dia 5 de abril

Com o tema “Inovação e a importância do plástico na indústria automobilística”, o vice-presidente para as Américas da Ineos Styrolution, divisão Especialidades, Tom Warren, será o palestrante do Fórum FEIPLASTIC 2107, na apresentação que acontece no dia 5 de abril, às 11h30.  O Fórum acorre em conjunto com a Feira Internacional do Plástico e é composto por uma série de palestras que visam promover o debate e a troca de conhecimentos entre profissionais ligados à cadeia de produção do plástico. A curadoria é da empresa Hiria e após a exposição de Warren, haverá debate com Sergio Weiss, da Braskem, e Jose Chirino, da Lanxess.

A FEIPLASTIC – Feira Internacional do Plástico acontece no Expo Center Norte, em São Paulo, de 3 a 7 de abril. São 15 países expositores, entre os quais: Áustria, China, EUA, França, Índia, Itália, Portugal, Reino Unido e Suíça, além de visitantes de mais de 30 países entre eles, Argentina, Chile, Bolívia, Itália, Colômbia, México, Peru, EUA, Paraguai, Portugal, Alemanha e Espanha.

Warren vai destacar o papel inovador que o plástico representou para os automóveis leves nas últimas décadas, tendência que deve continuar nos próximos anos, segundo ele.Ele lembra que o plástico serve ao duplo papel de contribuir tanto para a redução do uso de combustível e das emissões de gases poluentes, quanto para os aspectos estéticos aprimorados nos designs inovadores dos automóveis. As novas tecnologias, ainda de acordo com Warren, como os compósitos, continuarão a moldar o conteúdo embarcado dos veículos.

“Pretendemos aproveitar o Fórum Feiplastic para mostrar alguns exemplos de nossas capacidades e soluções aos participantes da indústria local”, adianta Warren.

O Fórum FEIPLASTIC terá sua palestra de abertura no dia 3 com o norte-americano George S. Everly, convidado pela Harvard Business Review Brasil, 11h. O tema será Resiliência e os desafios das organizações diante do inesperado.O Fórum prossegue com apresentações programadas nos dias 4, 5, 6 e 7, sempre a partir das 11h30. O tema central deste ano é “A Importância do Plástico na Sociedade e nas Cadeias Produtivas Brasileiras: Foco nas Soluções e nos Resultados Práticos”. Os temas específicos que serão tratados são os seguintes:

Dia 4 –  “Inovação e a importância do plástico na indústria da construção civil”.
Dia 5 –  “Inovação e a importância do plástico na indústria automobilística”.
Dia 6 – “Inovação do plástico na indústria das embalagens”.
Dia 7 – “Sustentabilidade e Tecnologia”.

Realizada desde 1987 como uma parceria entre a Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico – e a Reed Exhibitions Alcantara Machado como BRASILPLAST, e desde 2013 como FEIPLASTIC, a FEIPLASTIC apresenta novas tecnologias das principais empresas que são referência no setor, em segmentos como plásticos, resinas, máquinas e reciclagem, proporcionando aos seus visitantes interação com as novidades do mercado, além de geração de negócios e networking qualificado.

Serviço
FEIPLASTIC 2017 – Feira Internacional do Plástico
Data: de 3 a 7 de abril de 2017
Horário: das 11h às 20h
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo
http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic; foto: arquivo

Curta nossa página no

Chem-Trend apresenta na Feiplastic portfólio de soluções inovadoras

31/03/2017

Fabricante de agentes desmoldantes e especialidades químicas traz ao evento duas linhas de produtos exclusivas

Participando pela primeira vez como expositora individual, além do histórico de presença nas edições anteriores em parceria com outras empresas, a Chem-Trend, empresa do Grupo Freudenberg, apresenta na Feira Feiplastic 2017 suas linhas de produtos para termoplásticos Lusin® e UltrapurgeTM, adquirida no final de 2016. A feira ocorre de 3 a 7 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP).

Com o objetivo de consolidar as marcas e promover soluções inovadoras e personalizadas, a empresa traz um portfólio abrangente que inclui agentes desmoldantes, agentes de purga, limpadores de molde, lubrificantes e protetivos de molde. O destaque fica por conta dos agentes de purga, aplicados nos processos de limpeza de extrusoras e máquinas de moldagem por injeção e em processamento por extrusão, sopro ou laminação.

Rodrigo Bombonatti, gerente de vendas da Chem-Trend, afirma: “queremos oferecer aos nossos clientes o que há de melhor para o setor de termoplásticos, e isso se torna possível com as linhas Lusin® e UltrapurgeTM, que auxiliam a reduzir custos entre 50% e 70% em algumas etapas dos processos produtivos, devido à diminuição do consumo de material e tempo de parada das máquinas”.

Para Ana Clara Cordeiro, diretora de Vendas da Chem-Trend no Brasil, “estar presente na Feiplastic é muito importante e estratégico para a empresa, por ser uma feira de grande credibilidade e abrangência para toda a indústria do plástico. Além de ser uma oportunidade única de mostrarmos soluções que garantem os melhores resultados nas linhas de produção dos nossos clientes”, finaliza.

Serviço:
Feiplastic (Feira Internacional do Plástico)
Local: Expo Center Norte, São Paulo
Data: de 3 a 7 de abril
Horário: 11h às 20h

Fonte: Assessoria de Imprensa – Chem Trend

Curta nossa página no