Archive for the ‘Filme’ Category

Terphane lança versão VMAT de filme de poliéster com aspecto mais fosco e toque aveludado

19/10/2018

Novo filme é especialmente indicado para a produção de embalagens de alimentos.

Atenta à necessidade dos proprietários de marcas de destacarem seus produtos e marcas no ponto de venda, a Terphane, empresa fabricante de filmes PET (poliéster) especiais, lançou a versão VMAT em sua linha de filmes mate (foscos). Como principais atributos, o novo filme é bem mais fosco e tem um toque aveludado, afirma a empresa. Como explica Marcos Vieira, Diretor de Pesquisa & Desenvolvimento Global Terphane, “até então os filmes mate tinham, no mínimo, 50 unidades de brilho. No VMAT, conseguimos atingir um índice praticamente inédito no mercado de PET, com 10 unidades de brilho”. Na prática, isto significa que o filme está muito próximo do fosco total, ou seja, do brilho zero.

Por estas características, o novo filme VMAT é indicado para embalagens de diversas categorias de produtos, embora o foco inicial da Terphane seja a indústria de alimentos. “O fato de não ter brilho garante à embalagem um enorme diferencial no ponto de venda”, reforça Vieira. Isto porque a leitura da embalagem melhora muito, especialmente num ambiente como o do supermercado, cuja luz normalmente gera reflexos; no caso do filme fosco, a luz não é refletida e a leitura e os grafismos ganham destaque aos olhos do consumidor.

“Para completar, ao pegar a embalagem o consumidor sente um toque aveludado, outro importante diferencial. Sem contar que, apesar de fosco, o VMAT é extremamente transparente. A face fosca é a externa e a face interna, que recebe a impressão, é brilhante e de altíssima transparência, garantindo grande destaque para a embalagem final”, explica Marcos Vieira.

O novo filme VMAT da Terphane, que faz parte da família MATE composta por três outros filmes, já está disponível em todo o mundo na espessura de 13 micra. Outras espessuras, num interalo de 5 a 75 micra, podem ser desenvolvidas de acordo com a necessidade do cliente. “Entendemos que o VMAT também tem um forte apelo sustentável por garantir um alto rendimento e por seu baixo peso”, completa o Diretor. Clientes no Brasil, na área de alimentos, já estão testando o novo VMAT da Terphane.

Desde a sua fundação em 1976, a Terphane concentra-se no desenvolvimento de tecnologias e processos de fabricação de filmes especiais de poliéster biorientado (BOPET). Sua equipe possui experiência e conhecimento em produção, revestimento e metalização de filmes. A empresa possui uma cadeia verticalizada que vai desde a produção da resina até os filmes especiais, sendo uma das líderes de mercado na América Latina e um importante player global. A Terphane faz parte do grupo industrial norte-americano Tredegar Corporation.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Terphane

Curta nossa página no

Anúncios

UBE E Clariant apresentarão palestras no próximo café da manhã da Abief, no dia 28 de Setembro

25/09/2017

Sob o tema central Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade, o Café da Manhã da ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis – www.abief.org.br) agendado para 28 de setembro das 8h00 às 12h30, em sua sede em São Paulo, terá como palestras: “Tendências em embalagens flexíveis”, “Hydrocerol: suas aplicações com benefícios em sustentabilidade e inovação” e “Todos os nylons são iguais? Diferenças, aplicações e vantagens dos nylons em embalagens flexíveis”.

Reinaldo Silva, da área de Marketing da UBE, fará a apresentação “Tendências em embalagens flexíveis” focalizada em soluções em embalagens flexíveis que atendam às necessidades do consumidor moderno e estejam alinhadas a macro tendências tais como crescimento populacional, falta de tempo, saudabilidade, estética corporal, busca pela transparência, sustentabilidade e preservação do meio ambiente. Já Edgar Veloso, da área Comercial da mesma empresa, apresentará a palestra “Todos os nylons são iguais? Diferenças, aplicações e vantagens dos nylons em embalagens flexíveis”. Na apresentação, serão abordados os diferentes tipos de nylon segundo as necessidades do mercado e características de produtos. Entre os assuntos, serão abordados: sustentabilidade em filmes flexíveis, produção do nylon, soluções em CoPA para aplicações existentes (transparência, resistência, retort, termoformabilidade, bolsas termoencolhíveis, garrafas flexíveis) e características do processo de extrusão em diferentes máquinas (filme soprado, cast, resfriamento a água, balão duplo/triplo).

Pela Clariant, Edson Marçal apresentará o novo Hydrocerol, um agente químico nucleante oferecido na forma de masterbatch ou em pó, e que pode ser usado nos processos de extrusão e injeção. O Café da Manhã da ABIEF conta com o apoio da Abiplast, Afipol, Instituto Brasileiro do PVC, Plastivida, Instituto de Embalagens e Projeto Pack.

Com 40 anos de atividades, a ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) tem por objetivo fomentar o mercado nacional de embalagens plásticas flexíveis. A Associação também tem incorporada às suas atividades o fomento à exportação e a preservação ambiental a partir do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas. A entidade reúne empresas de todo o Brasil fabricantes de filmes monocamada, coextrusados e laminados; filmes de PVC e de BOPP; sacos e sacolas; sacaria industrial; filmes shrink e stretch; rótulos e etiquetas; stand-up pouches; embalagens especiais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abief

Curta nossa página no

Bemis mostra tendências de tecnologia para embalagens durante feira Anutec, em Curitiba

03/08/2016

Bemis-ovenrite-1A Bemis, uma das maiores fabricantes de embalagens do mundo, participa da ANUTEC (stand A-10), feira internacional de fornecedores da indústria alimentícia que está acontecendo de 2 a 4 de agosto no Expo Unimed, em Curitiba, e é realizada pela Koelnmesse.

Entre as novidades que a Bemis mostrará durante o evento estão a tecnologia OvenRite®, filme desenvolvido pela empresa para assar carnes bovinas, suínas, aves, e outros diretamente na embalagem em fornos convencionais ou microondas. O filme resiste a temperaturas de até 220°C, afirma a empresa.

“O mercado brasileiro está cada vez mais aberto para soluções práticas no preparo de alimentos e, por isso, a tecnologia OvenRite® deve ser utilizada em breve por aqui, proporcionando praticidade ao cozinhar e mantendo a maciez e o sabor das carnes”, explica Ricardo Almeida, gerente de Marketing de Proteínas da Bemis.

No dia 3 de agosto (4ª feira), às 14h30, o executivo fez uma palestra sobre as tendências de tecnologia em embalagens para os mercados internacional e nacional.

Serviço: ANUTEC
2 a 4 de agosto de 2016 – das 13h às 20h
Expo Unimed – Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido
Curitiba – PR

Fonte: Assessoria de Imprensa – Bemis

Curta nossa página no

CCL Industries anuncia conclusão da aquisição da Powerpress no Brasil

23/03/2016

CCL IMAGESA CCL Industries Inc., líder mundial em soluções em rótulos e embalagens especiais para corporações globais, pequenas empresas e consumidores finais, anunciou no último dia 07/03 que adquiriu os ativos da Powerpress Rotulos & Etiquetas Adesivas Ltda, o maior produtor brasileiro de etiquetas de conteúdo expandido para clientes de produtos farmacêuticos, químicos e agrícolas. Com sede em São Paulo, a empresa de capital privado Powerpress teve vendas em 2015 de aproximadamente US $ 6,5 milhões e EBITDA ajustado de US $ 2,5 milhões. O preço de compra é estimado em US $ 10,25 milhões e está sujeito a certos ajustes de conclusão habituais.

Geoffrey T. Martin, Presidente e CEO da CCL, comentou: “Estamos no Brasil há 10 anos, onde a nossa operação CCL Label continua tendo um dos melhores desempenhos entre as unidades de negócios da Companhia. Apesar das mudanças no clima econômico no país, acreditamos que agora é um bom momento para fazermos investimentos estratégicos e ampliar nossa presença no mercado. A Powerpress será imediatamente integrada à CCL Label Brasil, liderada por Luis Jocionis, vice-Presidente e Diretor-Geral. “

A CCL Industries emprega mais de 13.000 pessoas que operam 122 fábricas em 31 países, em 6 continentes, com escritórios corporativos em Toronto, no Canadá, e em Framingham, Massachusetts, EUA. A CCL Label é o maior conversor do mundo de materiais de filmes extrudados e sensíveis à pressão para uma ampla gama de aplicações decorativas, de instrução e funcionais para grandes clientes globais nos mercados de embalagem de consumo, saúde e produtos químicos, de consumo duráveis, dispositivos eletrônicos e automotivos. Tubos extrudados e laminados de plástico, folhetos instrutivos dobrados, componentes de precisão decorados e e cortados, displays eletrônicos e outros produtos e serviços complementares são vendidos em paralelo a mercados específicos de uso final.

Fonte: CCL

Curta nossa página no

Nova família de resinas INNATE da Dow equilibra rigidez e tenacidade

21/01/2016
Engenheira Gianna Buaszczyk (Dow)

Engenheira Gianna Buaszczyk (Dow)

No mês de outubro do ano passado, a Dow anunciou o lançamento de uma nova família de resinas para Embalagens de Precisão INNATE™, que, segundo a empresa, apresenta níveis de desempenho capazes de ajudar os clientes a atenderem algumas das necessidades mais desafiadoras de embalagens da atualidade. Para explorar o tema em mais profundidade, o Blog do Plástico conduziu uma entrevista com a Engenheira de Pesquisa e Desenvolvimento da Dow, Gianna Buaszczyk:

Pergunta (Blog do Plástico) – Como as novas resinas da linha INNATE se diferenciam dos outros grades de resinas de PEBDL atualmente existentes no mercado para aplicações semelhantes ?

Resposta (Eng. Gianna Buaszczyk): As Resinas para Embalagens de Precisão INNATE™ trazem o grande diferencial de balanço entre rigidez e tenacidade. Foram desenvolvidas a partir de um revolucionário catalisador molecular patenteado aliado a uma tecnologia de processo avançada que permite um controle preciso e uniforme da química de resinas, o que resulta em níveis de desempenho e combinações de propriedades de filmes inéditas que:
• Satisfazem as necessidades de embalagens até então não atendidas
• Criam novos nichos de mercado
• Oferecem desempenho superior para as embalagens

Dow-graficoA resina experimental XUS 59910.02 (densidade 0,918 g/cm3 e fluidez 0,85 g/10min a 2,16kg e 190oC), primeira resina para embalagens de precisão da nova família INNATE™, oferece à cadeia de valor de embalagens o grande diferencial de balanço entre rigidez e tenacidade, possibilitando inúmeras combinações com outras resinas e redução de espessura, apresentando também resistência ao abuso significativamente maior: em um filme de 25 μm, a resina experimental XUS 59910.02 apresentou uma resistência à queda de dardo significativamente maior do que a uma resina da concorrência de módulo similar, o metaloceno PEBDL (fluidez 1,0; 0,918 d), bem como maior resistência do que a resina de menor módulo, metaloceno ELITE™ 5400G (fluidez 1,0; 0,916 d), conforme gráfico ao lado.

Apresenta também excelente processabilidade e excelente desempenho de selagem à quente

P – Como foi possível obter em um mesmo polímero propriedades aparentemente contraditórias como rigidez e tenacidade, assim como resistência mecânica e boa processabilidade?

R – As Resinas para Embalagens de Precisão INNATE™ são uma nova categoria de copolímeros base etileno. São diferentes das outras resinas da Dow em função do uso de um revolucionário catalisador molecular patenteado aliado a uma tecnologia de processo avançada que permite um controle preciso da arquitetura molecular, de forma inédita. Isso possibilita atingir propriedades diferenciadas, como aumento da tenacidade sem sacrificar outras propriedades chaves.

P – Quais são as principais aplicações da nova família de resinas INNATE e quais as vantagem que elas oferecem sobre as concorrentes?

R – As resinas podem ser aplicadas em embalagens flexíveis para alimentos, filmes industriais, sacaria industrial de alta resistência e em gramas artificiais.

Dow-Innate_embalagemEmbalagens para Alimentos e Especialidades: Durabilidade, resistência ao abuso e excelente processabilidade, quando utilizadas sozinhas ou em combinação com outros materiais, fazem das Resinas para Embalagens de Precisão INNATE™ uma excelente opção para embalagens de alimentos e produtos de consumo em geral. Elas oferecem:

  • Filmes com a resistência necessária para otimização das embalagens
  • Filmes com a rigidez necessária para o envase de produto, exposição e armazenamento eficiente de embalagens como, por exemplo, stand-up pouches
  • Melhor tenacidade aliada a uma excelente resistência a quebras por flexão (“flex crack”), importante propriedade para embalagens para líquidos
  • Integridade da embalagem, garantindo maior durabilidade para o produto

Filmes Industriais e de Consumo: Os filmes produzidos com as Resinas para Embalagens de Precisão INNATE™ possuem a tenacidade e resistência necessárias para enfrentar praticamente qualquer desafio de aplicação como, por exemplo, sacaria industrial de alta resistência. Os usuários contarão com:

  • Resistência ao abuso significativamente superior, o que garante maior resistência à queda;
  • Desempenho de selagem à quente similar ao das resinas comuns disponíveis no mercado;
  • Possibilidade de redução da espessura dos filmes, para obter diferenciação no mercado.

P – A resinas INNATE estão sendo produzidas em que plantas da Dow Chemical ? Quais os volumes atualmente produzidos? Quais são os planos para expansão da capacidade?

R – Hoje, a Dow tem capacidade para produção nas Américas e na Europa suficiente para atender à demanda dos próximos anos. Os planos de expansão serão definidos gradativamente.

P – Foi necessária alguma alteração no processo produtivo / plantas de PEBDL para obtenção das novas resinas ou a mudança foi somente no catalisador empregado na polimerização ?

R – Trata-se da utilização de um novo catalisador em combinação com tecnologia de processo avançada.

P – É possível fornecer alguma informação adicional sobre o catalisador empregado no processo? É catalisador metaloceno ?

R – Não se trata de tecnologia de catalisador metaloceno. INNATE™ é uma nova categoria de copolímeros base etileno.

P – Como é possível reduzir o peso da embalagem ? Através da redução da espessura?

R – As resinas INNATE™ tem propriedades diferenciadas, o que torna possível fazer a redução de espessura sem comprometer a resistência do filme, que deve ser avaliado para cada aplicação.

P – Por que a estabilidade do balão em processos de blown film com as resinas INNATE é melhor do que com os polímeros convencionais de PEBDL?

R – Porque as resinas INNATE apresentam maior resistência de fundido, o que se traduz em maior estabilidade de balão. Além disso, elas apresentam uma taxa maior de redução de viscosidade com aumento da tensão de cisalhamento comparado às resinas de mercado, o que permite trabalhar com menores temperaturas de fusão, além de se observar menor amperagem no motor.

P – A nova família pode ser usada em aplicações de co-extrusão ? Quais?

R – O alvo das resinas INNATE é, justamente, clientes com recurso de coextrusão para a produção de filmes. Os filmes coextrusados produzidos com as resinas INNATE oferecem uma resistência ao abuso até duas vezes maior que os materiais padrões disponíveis atualmente no mercado.

P – A introdução da nova família de resinas INNATE cria novos nichos de mercado e aplicações para o PEBDL ? Quais?

R – As resinas INNATE possibilitam a criação de novos nichos de mercado, uma vez que trazem a oportunidade de desenvolvimento de embalagens com novas características em termos de eficiência por meio da substituição de materiais.

Curta nossa página no

Cobertura de solo com filme plástico reduz custos em cafezais

09/11/2015
Mulching de Polietileno

Mulching de Polietileno

Pesquisa demonstra que uso de mulching nas lavouras de café geram benefícios no controle de ervas daninhas e no consumo de água

O filme plástico para cobertura de solo (mulching) é uma solução bastante consolidada na agricultura, principalmente no plantio de hortifrútis, por trazer benefícios no controle de plantas daninhas, na otimização do uso de água e na melhoria da produtividade. Por essas vantagens, a tecnologia tem, aos poucos,  ganho espaço em culturas perenes. Para comprovar os impactos positivos desta tecnologia no café arábica, a Braskem promoveu uma pesquisa de campo em parceria com Electro Plastic e a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) – Campus Monte Carmelo.

Apesar de o Brasil ser o maior produtor e exportador do café, a cultura ainda enfrenta desafios, principalmente em relação aos altos custos de produção, sendo a prevenção da matocompetição um dos fatores mais onerosos. Nesse contexto, o mulching dupla-face (branco e preto) pode ser adotado como uma opção para tornar a lavoura mais eficiente, de acordo com estatísticas preliminares.

Os testes com a cobertura de solo no cafezal tiveram início em janeiro de 2014 na Fazenda Juliana, em Monte Carmelo, uma das principais regiões exportadoras de café. Após um ano e meio de plantio, a pesquisa concluiu que as lavouras com cobertura de solo tiveram resultados superiores àquelas com amostras de controle, por impedir o desenvolvimento de plantas daninhas, o que reduz os custos com capina e aplicação de herbicidas pré-emergentes. “A face do mulching que fica em contato com o solo é preta, impedindo a passagem de luz e o crescimento de ervas daninhas”, afirma Ana Paiva, especialista de Desenvolvimento de Mercado da Braskem.

No estudo também foi avaliado o uso do filme em diferentes regimes hídricos (manejos de irrigação). Como a solução reduz a evaporação de água, fazendo com que a área permaneça com a umidade mais constante, a necessidade de aplicação de água foi menor em relação à parcela de lavoura sem o plástico. A pesquisa concluiu, portanto, que o mulching favorece a redução de recursos. “A partir do segundo ano, a plantação com mulching teve um custo menor em R$ 2.850 por hectare”, afirma Gleice Aparecida de Assis, professora da UFU e tutora do Grupo PET Agronomia Monte Carmelo.

Na avaliação de Cristiano Rolla, gerente de Contas da Braskem, a redução de custos tem significativo impacto na gestão do cafezal. “A redução nos custos de controle de ervas daninhas e água foi de 38% e 28%, respectivamente.

Além disso, a cobertura de solo também favorece o desenvolvimento das plantas, já que não precisam mais disputar água e nutrientes. Apesar de o café arábica apresentar sua primeira produção significativa aos dois anos e meio após o plantio, há a expectativa de aumento de produtividade.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Primeira matriz de extrusão do mundo com 9 manifolds, fabricada pela Nordson, produz filmes de camadas múltiplas com redução expressiva na variação da espessura

06/10/2015

A mais avançada matriz do tipo multi-manifold da Nordson proporciona tolerâncias mais estreitas do que um sistema comparável de blocos de alimentação, economizando nos custos de material e aprimorando a qualidade do produto

Representação do corte vertical da matriz de 9 manifolds da Nordson EDI, com fluxos de polímero apresentados em diferentes cores. Os fluxos combinados formam uma estrutura única de camadas múltiplas que sai da matriz à esquerda. Na parte superior esquerda, pode-se ver a unidade de ajuste automático de lábios.

Representação do corte vertical da matriz de 9 manifolds da Nordson EDI, com fluxos de polímero apresentados em diferentes cores. Os fluxos combinados formam uma estrutura única de camadas múltiplas que sai da matriz à esquerda. Na parte superior esquerda, pode-se ver a unidade de ajuste automático de lábios.

O mais recente avanço em tecnologia de coextrusão da Nordson Corporation (www.nordsonpolymerprocessing.com) permite que produtores de filmes multi-camadas (especialmente aqueles com linhas de alta produtividade dedicadas a uma gama de produtos limitada) atinjam tolerâncias de espessura mais estreitas para as camadas individuais.

Uma matriz plana com nove manifolds da Nordson EDI, a primeira de seu tipo, já está em funcionamento e cumpriu sua tarefa com êxito, produzindo filmes de nove camadas a partir de várias resinas. Embora o grau de melhoria dependa da aplicação, a tecnologia de matriz com nove manifolds da Nordson EDI promete, de modo geral, reduzir a variação de espessura de camadas individuais para uma tolerância de +/-  5%, de acordo com Sam G. Iuliano, tecnólogo chefe da Nordson EDI. Atualmente, a tolerância frequentemente encontrada em sistemas comparáveis de blocos de alimentação avançados é de +/-  15%.

“Essa maior precisão que pode ser alcançada com as matrizes do tipo multi-manifold permite que os processadores obtenham camadas mais finas dos materiais para finalidades especiais de alto custo, geralmente exigidas para filmes de embalagens de alto desempenho. Ao mesmo tempo, a precisão melhora a qualidade e a consistência do produto”, explica Iuliano.

Parte traseira da matriz com 9 manifolds da Nordson EDI, com portas de entrada para os fluxos de polímero mostradas em diferentes cores. À esquerda, pode-se ver uma das duas estruturas de fixação da parte de fora, projetadas para evitar vazamento nas extremidades da matriz. Na parte central superior, vê-se a parte de cima de uma unidade de ajuste automático de lábios.

Parte traseira da matriz com 9 manifolds da Nordson EDI, com portas de entrada para os fluxos de polímero mostradas em diferentes cores. À esquerda, pode-se ver uma das duas estruturas de fixação da parte de fora, projetadas para evitar vazamento nas extremidades da matriz. Na parte central superior, vê-se a parte de cima de uma unidade de ajuste automático de lábios.

Um manifold é um canal de distribuição de fluxo dentro da matriz, cuja complexa geometria interna, projetada para um polímero específico, é desenvolvida para fornecer um fluxo uniforme e otimizado e distribuir o material até a largura total. Em uma matriz do tipo multi-manifold, cada fluxo de polímero tem seu próprio manifold e as camadas são combinadas em uma única estrutura somente após cada uma delas ter sido individualmente distribuída até a largura total. Para fins de comparação, um bloco de alimentação combina vários fluxos de polímero em um “sanduíche” estreito de múltiplas camadas que é, subsequentemente, ajustado até a largura final em uma matriz de manifold único. O método de manifolds múltiplos fornece maior uniformidade e precisão de espessura de camadas principalmente porque evita grande parte da deformação da interface da camada que ocorre quando várias camadas pré-montadas em um bloco de alimentação são distribuídas simultaneamente pela matriz.

“Os clientes da Nordson EDI ao redor do mundo têm se beneficiado há muito tempo da coextrusão de manifolds múltiplos, usando matrizes com dois, três, quatro ou cinco manifolds”, observa o Sr. Iuliano. “Projetar uma matriz com nove manifolds foi um grande desafio para nós, pois era preciso apertar e aquecer adequadamente dez importantes segmentos de corpo da matriz. Além disso, os nove canais de fluxo foram projetados de forma personalizada para a camada específica que estavam distribuindo, o que significa que tínhamos que acomodar canais de fluxo de diferentes tamanhos e layouts no projeto”.

Ferramentas com manifolds múltiplos melhoram a qualidade e a eficácia de produção

Para a distribuição de polímero fundido das extrusoras para uma matriz do tipo multi-manifold, a Nordson EDI faz o projeto blocos de distribuição – localizados logo acima da matriz – em uma variedade de configurações opcionais. As versões mais simples têm um projeto fixo, distribuindo o polímero fundido para as entradas da matriz multi-manifold em uma única estrutura sequencial dedicada de camadas. Blocos de distribuição mais sofisticados oferecem a capacidade de redirecionamento de fluxos de material fundido para alterar a sequência das camadas, por meio de placas seletoras permutáveis. Os blocos de distribuição mais avançados, além das placas seletoras, incluem subconjuntos de blocos de alimentação que combinam alguns dos fluxos de material derretido antes que cheguem à matriz, permitindo versatilidade de produto e um maior número de camadas em relação ao número de manifolds da matriz.

Como a fabricante que mais construiu matrizes do tipo multi-manifold, a Nordson EDI aplicou sua experiência para deixá-las livres de problemas. Muitas matrizes com quatro e cinco manifolds da Nordson EDI estão em operação sem problemas de vazamento, mesmo com taxas de produtividade de quase 5.000 kg/h, afirma a empresa. Para a nova matriz com nove manifolds, a Nordson EDI desenvolveu elementos de fixação adicionais do lado externo dos principais corpos da matriz (na área de montagem de placas final) para garantir a vedação adequada.

A Nordson EDI pode projetar, de forma personalizada, sua estação de limpeza rápida Ultracart™ para a matriz do tipo multi-manifold específica de um cliente. Além disso, as unidades de ajuste automático de lábios Autoflex na matriz são modulares e pode ser destacadas facilmente, permitindo acesso conveniente aos elementos de fixação do corpo da matriz. Esses sistemas simplificam a montagem e desmontagem para limpeza periódica e a manutenção preventiva da matriz.

A estação de limpeza rápida Ultracart™ pode ser projetada para acomodar matrizes com 9 manifolds. A matriz desmontada mostrada aqui é uma unidade com 3 manifolds.

A estação de limpeza rápida Ultracart™ pode ser projetada para acomodar matrizes com 9 manifolds. A matriz desmontada mostrada aqui é uma unidade com 3 manifolds.

Nordson EDI oferece várias alternativas para a produção de filmes de camadas múltiplas

A matriz com nove manifolds é a mais recente de uma ampla gama de opções de coextrusão disponibilizadas pela Nordson EDI. O sistema de matrizes que a empresa recomenda para determinada aplicação depende de variáveis como taxa geral de produtividade, espessura das camadas e proporções de viscosidade, largura da matriz, número e tipo de estruturas de produto necessárias e se as temperaturas de processamento do material fundido para qualquer um dos fluxos de material são diferentes. Embora as soluções recomendadas possam variar de uma matriz de manifold único, com bloco de alimentação, até uma matriz completa do tipo multi-manifold, com canais separados para todas as camadas, geralmente a recomendação se encaixa nesses extremos, combinando abordagens de manifolds múltiplos e de blocos de alimentação. Por exemplo, se uma estrutura de cinco camadas incluísse uma única camada de cobertura crítica, então uma matriz de dois manifolds seria recomendada: a camada crítica seria distribuída pelo seu próprio canal de fluxo e as outras quatro camadas compatíveis seriam coextrudadas pelo segundo canal de fluxo.

Até mesmo ao desenvolver progressos em matrizes do tipo multi-manifold, a Nordson EDI está comprometida em inovar no projeto do bloco de alimentação, observa Iuliano. “Dependendo do cenário de processamento específico, uma matriz de manifold único com um bloco de alimentação de coextrusão pode ser a melhor forma a ser adotada – por exemplo, caso as ferramentas de extrusão precisem produzir muitas estruturas diferentes com proporções significativamente diferentes de camadas. Geralmente, a abordagem de bloco de alimentação permite maior versatilidade de produto, bem como procedimentos mais simples de limpeza e troca de produtos. No entanto, a abordagem de manifolds múltiplos é superior em termos de qualidade e consistência do produto. Atualmente, essa abordagem é uma alternativa mais prática e realista do que nunca para produtores de filmes de camadas múltiplas de ordem superior”.

A Nordson Polymer Processing Systems fornece aos clientes componentes projetados para fundir, homogeneizar, filtrar, medir e dar forma a plásticos e materiais de revestimento fluido. A Nordson Corporation aproveita a experiência da indústria de plásticos como um todo obtida por meio de uma série de aquisições estratégicas para oferecer um portfólio amplo e único das principais tecnologias do setor. A Nordson fornece uma ampla gama de produtos de precisão de fluxo fundido — desde parafusos e cilindros para extrusão e molde para injeção a sistemas de filtragem, bombas e válvulas — para as matrizes de extrusão e sistemas de peletização a fim de atender às necessidades em constante evolução da indústria de polímeros. A Nordson Corporation fornece aos clientes recursos para vendas técnicas, serviços e reforma locais por meio de organizações de venda e fábricas regionais em mais de 30 países.

Fonte: Martino Communications / Nordson Corporation

Curta nossa página no

COIM lança novo adesivo da linha Sem Solvente

31/07/2015

COIMA COIM – Chimica Organica Industriale Milanese, fabricante italiana de especialidades químicas com planta localizada em Vinhedo, interior de São Paulo, lançou um novo adesivo durante a feira FISPAL, que aconteceu de 23 a 26 de junho no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo-SP. O Novacote SF 5419 + CA 5516 faz parte da linha Sem Solvente da marca.

Segundo a empresa, o novo produto tem como principais características não formar névoa, espalhando-se facilmente durante a aplicação; possuir alta resistência ao rasgo, ideal para filmes PE/PE que são submetidos ao manuseio e estocagem; ter reação de cura imediata, propiciando o corte da bobina em poucas horas (entre 6 e 12 horas); possuir baixa viscosidade, permitindo a aplicação a baixas temperaturas, além de não causar sangramento de tinta, seja ela aplicada por rotogravura ou flexografia, otimizando custos, prazos e qualidade.

Dessa forma, segundo o gerente de desenvolvimento da COIM, Carlos Gandolphi, o Novacote SF 5419 + CA 5516 é considerado um adesivo de média a alta performance, atendendo a uma extensa gama de laminados. “As estruturas laminadas com o SF 5419 + CA 5516 apresentam excelente força de laminação final. Em estruturas transparentes, o produto apresenta resistência ao processo de fervura e pasteurização, bem como envase de produtos agressivos”, afirma Gandolphi.

A COIM (Chimica Organica Industriale Milanese) é uma empresa de origem italiana especializada em policondensação (ester), poliadição (poliuretanos) e fabricação de especialidades químicas. Fundada em 1962, em Milão, a empresa foi a primeira da Itália a produzir peróxidos orgânicos. Possui unidades fabris na Itália, Brasil, Estados Unidos, Índia e Cingapura, além dos Centros de Pesquisa na Itália, França, Inglaterra, Alemanha e Brasil.

Fonte: Assesoria de Imprensa – COIM

Curta nossa página no

Pesquisa do IPEN/USP desenvolve filme de polipropileno com nanopartículas de prata que possuem efeito bactericida

20/07/2015
Filme extrudado com nanopartículas de prata

Filme extrudado com nanopartículas de prata

Pesquisa do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), instituição associada à USP, desenvolveu filmes plásticos com nanopartículas de prata que possuem efeito bactericida. Os testes realizados com o material demonstraram sua eficácia na eliminação de bactérias causadoras de infecções em seres humanos, sem apresentar toxicidade. Os filmes poderão ser utilizados em embalagens de alimentos, para aumentar a vida útil dos produtos à venda. Futuramente, seu emprego pode ser estendido a instalações hospitalares e materiais cirúrgicos, como cateteres.

Nanopartículas de prata são agregadas ao plástico durante o processamento por extrusão

A pesquisa utilizou o polipropileno, um tipo de plástico de valor relativamente baixo, o que favorece sua utilização nos filmes. A ação bactericida das nanopartículas de prata acontece no contato direto com os micro-organismos. “Acredita-se que uma reação de ionização junto à membrana celular da bactéria cause danos no processo de respiração e leve as nanopartículas a penetrarem em seu interior”, explica o pesquisador Washington Oliani, que realizou o estudo no Laboratório de Polímeros do Centro de Química e Meio Ambiente (CQMA) do IPEN. “Ali dentro, as nanopartículas na forma iônica interagem com componentes celulares vitais, como o DNA, impedindo a divisão celular e consequente morte da bactéria”.

A incorporação das nanopartículas ao plástico ocorre em uma extrusora. “O polipropileno, a prata e outros componentes, na forma de grânulos, são inseridos em uma máquina extrusora, que funde esses materiais por meio de aquecimento”, relata Oliani. Após a extrusão, o material é resfriado e granulado novamente, obtendo-se grânulos com dimensão entre 2 milímetros (mm) e 3 mm.

Os grânulos com as nanopartículas de prata já incorporadas são novamente processados em uma extrusora, desta vez para produzir um filme plástico com espessura de 0,03 mm. O filme obtido contém as nanopartículas de prata, que medem entrem 22 e 42 nanômetros – milhões de vezes menores que um centímetro.

Efeito bactericida

O efeito bactericida dos filmes com nanopartículas de prata foi comprovado em testes realizados no Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, supervisionados pelo professor Nilton Lincopan. Inicialmente, o material foi colocado em contato direto com culturas das bactérias Escherichia coli e Staphylococcus aureus, associadas a infecções em seres humanos. “Após ajustes na formulação, foi possível eliminar quase 100% de Staphylococcus”, ressalta Oliani. Experimentos posteriores com a bactéria Pseudomonas aeruginosa também tiveram eficiência próxima de 100%.

No Ipen foram realizados testes de citotoxicidade, em culturas de células de camundongos. “Durante o desenvolvimento de novos materiais, há uma grande preocupação com o risco de contaminação. Por esse motivo é necessário averiguar se existe toxicidade”, aponta o pesquisador. “Os testes realizados em laboratório mostraram que os filmes não são tóxicos para células de mamíferos, como os seres humanos”.

A pesquisa de Oliani é descrita em tese de doutorado defendida no Programa de Tecnologia Nuclear, realizado conjuntamente pelo Ipen e pela USP. O trabalho teve orientação da pesquisadora Duclerc Fernandes Parra, do CQMA. “O estudo terá continuidade no pós-doutorado, com o objetivo de aprimorar as propriedades do material, de modo a obter o mesmo efeito bactericida com uma menor quantidade de prata, viabilizando a patente e a colocação no mercado”, aponta Duclerc. “Também serão realizados testes de ecotoxicidade em organismos marinhos, para verificar se há liberação de partículas no meio ambiente”. A pesquisa de pós-doutorado terá apoio da Capes.

A principal utilização prevista para os filmes com nanopartículas de prata é a aplicação em embalagens de produtos alimentícios. “Com o efeito bactericida das nanopartículas seria possível aumentar a vida útil dos produtos embalados, especialmente os de origem orgânica”, afirma Oliani. Outro possível emprego do material está na área hospitalar. “Futuramente, os filmes poderão ser colocados em divisórias e janelas de hospitais, além de serem utilizados em materiais cirúrgicos, como cateteres”, conclui Duclerc.

Fonte: Abiplast / Agência USP de Notícias / Foto: Marcos Santos – USP Imagens

Curta nossa página no

COIM Brasil lança novo adesivo para laminação de filmes de Polietileno na FISPAL 2015

18/06/2015
  • Produto com maior resistência e viabilidade foi desenvolvido para linha Solventless
  • Parceria com a marca NDC Technologies será reforçada por meio de demonstração do equipamento no estande da empresa

coimA COIM – Chimica Organica Industriale Milanese, fabricante italiana de especialidades químicas com fábrica em Vinhedo, interior de São Paulo, participa da edição 2015 da FISPAL Tecnologia. A feira é conhecida como a maior do setor de Processos, Embalagens e Logística para as Indústrias de Alimentos e Bebidas da América Latina e acontece de 23 a 26 de junho no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo-SP.

Na ocasião, a empresa lançará um novo adesivo da linha Sem Solvente, além de expor sua parceria com a NDC Technologies, marca americana responsável por desenvolver o leitor de gramatura, que verifica a medida real do adesivo aplicado online (g/m2) no ato da laminação, podendo ser corrigido durante o processo, de modo a evitar perdas e prejuízos, segundo a empresa. Quem passar pelo estande da multinacional italiana poderá conferir a demonstração do equipamento.

Esta já é a terceira participação da COIM Brasil, em feiras no primeiro semestre de 2015. Segundo o presidente a COIM Brasil, José Paulo Victorio, a FISPAL Tecnologia é um evento muito expressivo do setor. “Em uma Feira desta proporção é possível disseminar junto aos nossos atuais e futuros parceiros os novos processos e tecnologias aplicados em nossa indústria. Interagir com os profissionais das empresas que produzem e fornecem embalagem de forma direta é, sem dúvida, muito assertivo”, afirma.

Lançamento

Durante o evento, a COIM Brasil lançará um novo adesivo da linha Sem Solvente, o SF 5419/CA 5516. Segundo Carlos Gandolphi, gerente de desenvolvimento, trata-se de um adesivo indicado para laminação de filmes PE/PE, em que a resistência ao rasgo é fundamental. “O novo produto apresenta grande força de laminação final,  cura para corte com tempo curto (de 6 à 12h), não é formador de névoa, possui viscosidade baixa e não apresenta sangramento de tinta”, explica.

Fonte: Assessoria de Imprensa COIM

Curta nossa página no

Grupo AMUT adquire Dolci Bielloni e amplia sua capacidade de fornecer equipamentos para produção de filmes flexíveis

09/04/2015
Riccardo Castello, Gerente Geral da Dolci Bielloni e Mauro Drappo, CEO da AMUT

Riccardo Castello, Gerente Geral da Dolci Bielloni e Mauro Drappo, CEO da AMUT

A sinergia entre as duas empresas italianas vai impulsionar novos projetos customizados para diversos segmentos da indústria plástica no Brasil

A recente união das empresas italianas Dolci Bielloni e o Grupo AMUT fortalecerá, ainda mais, a liderança e experiência das duas marcas em extrusão de plásticos no mundo. Esta decisão representa também uma ação estratégica do grupo, fabricante de máquinas e linhas de produção para extrudados rígidos (chapas, tubos, perfis) e termoformagem de ampliar sua participação no Brasil, junto com a filial AMUT-Wortex, fruto da joint venture iniciada em 2014 com a Wortex.

“A fusão com a Dolci Bielloni é um sucesso para o futuro do Grupo AMUT. Juntos iremos impulsionar o nosso papel de liderança no cenário internacional. A sinergia aprimora nossos pontos fortes,que é o de atender nossos clientes com uma completa linha de máquinas para extrusão de plásticos, termoformagem e reciclagem,diz Mauro Drappo, CEO da AMUT.

Já a fabricante Dolci Bielloni é reconhecida pela expertise em máquinas para impressão, corte e bobinamento, linhas de balão e cast para diferentes filmes multicamadas (stretch, silagem, barreira, técnicos, médicos, fraldas, PP), linhas de laminação e coating.

O início das atividades será formalmente anunciado na semana de 4 a 8 de maio, durante a Feiplastic– Feira Internacional do Plástico, com transmissão, ao vivo, no stand da AMUT-Wortex, do open house da AMUT Dolci Bielloni, evento que será realizado na Itália. Serão apresentdos os recentes desenvolvimentos em aplicações de filmes stretch. Linhas de produção de rolos manual e outra automática (2000 mm – 7 camadas), além de outra de rolos jumbo (1500 mm – 5 camadas). Estes sistemas representam a mais alta tecnologia neste setor”, antecipa Drappo.

Segundo a AMUT, a linha de filmes 2000-mm é  inovadora:seis extrusoras garantem a flexibilidade de produção e um design único, capaz de satisfazer as principais tendências no atual mercado de filmes. Segundo a empresa, um filme mais fino, porém mais forte, para se obter um filme stretch super forte. De acordo com a empresa, independente de sua pequena dimensão, as extrusoras são capazes de obter alto volume de produção e garantir excelente economia de energia.

A Amut (http://www.amut.it/en/) atua há quase 60 anos na Itália, com sede em Novara, a AMUT atua na fabricação de  linhas de extrusão para a produção de chapas, perfis, tubos, granulação em polímeros plásticos e também compostos plástico/pó de madeira (WPC), utilizados nos setores de construção, embalagem, eletrodomésticos, moveleiro, automotivo, médico e agrícola. Lidera também a  produção de equipamentos para termoformagem, cast film e plantas para reciclagem de plásticos, lixo urbano e industrial.

A Dolci Bielloni (http://www.dolciextrusion.it/) foi fundada em 1919, a empresa italiana pode fornecer linhas completas para embalagens de plástico, abrangendo toda a gama de produtos em termos de dimensões e de saída e atendendo às necessidades do mercado.

A Wortex (http://www.wortex.com.br) foi fundada em 1976, na cidade de Campinas (SP) e fabrica equipamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros.

Serviço: Feiplastic – Feira Internacional do Plástico
Data: 4 a 8 de maio de 2015
Horário: 11h às 20h
Estande Amut-Wortex:  rua H200
Estande Wortex: rua H298
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – São Paulo
Mais informações: http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Wortex

Curta nossa página no

DSM introduz grade de extrusão ao portfólio de sua poliamida 410 de base biológica

06/02/2014

DSM_Ecopax_ExtrusaoA  Royal DSM introduziu um grade de extrusão de maior viscosidade ao seu portfólio de poliamida 410 EcoPaXX ™  para os mercados de filmes, fibras e monofilamentos, que, de acordo com a empresa, tanto valorizam a excelente estabilidade térmica, ampla gama de processamento e ótima resistência à fusão encontradas no EcoPaXX. A introdução acontece após a adoção bem sucedida do polímero pelo mercado de moldagem por injeção.

“O sucesso no desenvolvimento do EcoPaXX é um exemplo claro do compromisso da DSM com a sustentabilidade. Após sua introdução no mercado, desenvolvimento e comercialização subsequentes de aplicações posteriores, a DSM aumenta sua produção de polímeros para total escala industrial. Além disso, a produção pode ser ampliada ainda mais, permitindo que a DSM atenda plenamente às exigências dos clientes”, afirma Kees Tintel, gerente de negócios do EcoPaXX.

O EcoPaXX, gama de produtos de poliamida 410 de base biológica, começou a ser desenvolvido pela DSM em 2009, sendo introduzido e muito bem recebido pelo mercado já no ano seguinte. Hoje ele é usado em uma ampla gama de aplicações que se beneficiam de sua combinação única de excelentes propriedades e histórico ecológico.

No mercado automotivo, o EcoPaXX é aplicado em revestimento para motores turbo pela Daimler, BMW e Bentley, principalmente em razão de sua combinação única de resistência à alta temperatura, estabilidade dimensional e superfície de alta qualidade. A VW escolheu o EcoPaXX para uso em um de seus mais recentes motores para o revestimento do virabrequim, onde a resistência ao calor e aos produtos químicos, juntamente com a estabilidade dimensional, são requisitos fundamentais. Por causa de sua boa resistência a combustíveis, o EcoPaXX é utilizada por vários clientes em uma série de aplicações de contato com combustível. O produto também é extremamente resistente a meios polares, como líquidos de arrefecimento.

Em outros segmentos de mercado, como o da construção civil, o EcoPaXX é usada em perfis isolantes para janelas de alumínio. Nestes casos, a combinação de suas características ecológicas com sua elevada resistência à temperatura faz com que ele seja adequado para cobertura a pó, em linha, a mais de 200ºC.

Na indústria de esporte e lazer, onde a combinação de rigidez com resistência e/ou recuperação de curvatura costumam ser requisitos importantes, o EcoPaXX encontra muitas aplicações, como bindings (peça que prende a bota) de esqui e/ou snowboard, além de outras utilidades para esportes de inverno. Devido à sua excelente resistência à hidrólise, o EcoPaXX é também usado em rodízios para carrinhos de companhias aéreas que precisam resistir à limpeza a vapor pressurizado.

Segundo a DSM,  o EcoPaXX também oferece vantagens em aplicações, como tubos, filmes e fibras por causa de sua excelente estabilidade térmica, ampla faixa de processamento e resistência à fusão.

Fonte: DSM

Curta nossa página no

Wortex demonstra reciclabilidade de plásticos prolongada durante a Feiplastic 2013

03/06/2013

Empresa operou ciclos contínuos de processamento de filme plástico e reciclagem durante a feira

Wortex_recycler

Com o objetivo de demonstrar a possibilidade de reciclagem dos plásticos durante períodos prolongados, a Wortex (www.wortex.com.br) colocou em operação uma linha de extrusão de filmes de polietileno de baixa densidade acoplada a uma unidade de reciclagem dos filmes produzidos durante a Feiplastic 2013 (Feira Internacional do Plástico), realizada em São Paulo entre os dias 20 e 24 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi.

Os filmes obtidos na linha de extrusão foram continuamente reaproveitados na unidade de reciclagem, onde foram produzidos grânulos de polietileno para realimentação da linha de extrusão. No total, foram processados continuamente durante a feira 2.500 kg. de Polietileno, a uma taxa de 300 kg/hora. A cada 8 horas e 20 minutos, um ciclo integral de processamento e reciclagem do material se completava, o que equivale a dizer que durante os 5 dias da feira e mais os dois dias anteriores à Feiplastic (ocasião em que a linha estava sendo testada), o material plástico foi processado aproximadamente 7 vezes.

Segundo Paolo de Filippis, diretor da Wortex, os grânulos de plástico utilizados durante a Feiplastic já haviam sido extrudados e reciclados nas instalações da empresa durante um período de 3 meses, correspondendo a aproximadamente 60 ciclos de processamento e reciclagem do material. Somando-se esse período em operação na empresa aos dias em que a unidade operou na Feiplastic, acrescenta de Filippis, os grânulos de plásticos foram reciclados aproximadamente 67 vezes, sem perda perceptível de propriedades.

Segundo de Filippis, tal fato demonstra a possibilidade de reciclagem do material plástico por um número muito grande de ciclos, derrubando mitos sobre uma possível degradação precoce do plástico durante o processamento. Além disso, continua de Filippis, prova que é possível utilizar o plástico sem agredir o meio-ambiente e que existe tecnologia disponível para o uso racional e sustentável dos materiais plásticos.

Com o intuito de comprovar que os materiais reciclados durante tais ciclos estendidos não sofrem perdas expressivas de propriedades, a Wortex irá realizar ensaios laboratoriais de medida de índice de fluidez e resistência à tração para acompanhamento das propriedades dos grânulos antes, durante e depois do processamento e reciclagem do material.

Defensor do uso de tecnologias sustentáveis, o executivo da Wortex afirma ser a favor do conceito de “regeneração” de materiais. Segundo de Filippis, durante a fabricação do plástico são a ele incorporados energia, esforço humano, tecnologia e capital, além de outros insumos, de modo que tais ingredientes valiosos não devem ser desperdiçados por  uma eventual degradação na natureza, mas sim preservados através da correta utilização, descarte, coleta e reprocessamento do material –  regenerando-o para um uso contínuo pela sociedade.

Durante a Feiplastic, a Wortex operou a sua linha de reciclagem Challenger Recycler (foto) e uma extrusora de filme Challenger Blow para demonstrar a reciclabilidade contínua e estendida do material processado.

Sobre a Wortex: Fundada em 1976 em Campinas (SP), a Wortex é uma empresa 100% brasileira, fabricando equpamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros. Dentro de um programa de internacionalização, a Wortex estabeleceu uma joint venture com o grupo italiano Amut,  que trará para a indústria de transformação de plástico nacional mais inovação tecnológica e investimentos para o setor. A Amut tem forte presença em mercados como Europa, Ásia e América do Norte e possui um faturamento anual de 50 milhões de Euros. A sinergia entre as duas empresas, que produzem sistemas de extrusão de plásticos, será ampliada com as novas instalações no Brasil, em Campinas, onde produzirão máquinas de extrusão para tubos, perfis e chapas para embalagens termoformadas. No médio prazo, a expectativa da Wortex é aumentar o faturamento em até 75% com a joint-venture.

Curta nossa página no

Chinaplas 2013 começará em três semanas

29/04/2013

chinaplas_2013

A CHINAPLAS 2013 que acontece de 20 e 23 de maio de 2013, é uma oportunidade única para encontrar o que há de mais avançado no mercado de plásticos, bem como todas as tendências mundiais em um segmento que se expande a cada ano. A CHINAPLAS é, hoje, o segundo maior evento do mundo da área de plásticos e borracha e o evento mais importante da Ásia.  A organizadora espera que a feira atraía mais de 115.000 visitantes de 150 países/regiões e mais de 100 grupos de compradores em 4 dias de evento.

A China é hoje a detentora de 23% da produção mundial de plásticos. O rápido crescimento dessa indústria, seja em quantidade como em qualidade, vem sendo estimulado especialmente pelas as indústrias manufatureiras automotivas e de eletrônicos, as quais têm se desenvolvido em ritmo acelerado, aumentando as demandas de empresas chinesas por tecnologias de molde e equipamentos de manufatura. No Brasil, a maior demanda por plásticos – 47% –  vem dos setores da construção civil, indústria automotiva e alimentos e bebidas e a China é o pais com o qual o Brasil realiza o maior numero de negócios neste segmento, 20%. Com a aproximação dos grandes eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas a expectativa é de um aumento na demanda por tecnologias relacionadas ao plástico e à borracha.

Produção de Moldes para plásticos não para de crescer na China

O desenvolvimento de moldes plásticos deve crescer continuamente nos próximos anos, resultando num aumento na produção total de moldes.  Por isso, a CHINAPLAS 2013 vai expandir a “Zona de Moldes”, que teve sua área de exposição aumentada em 18% em relação à última edição. Serão mais de 200 empresas chinesas e expositores internacionais.

Área especializada em Filmes Plásticos facilitará o encontro de novas tecnologias

Além dos moldes, o uso de filmes plásticos e sua tecnologia não estão mais limitado à agricultura e ao empacotamento. Eles têm sido amplamente aplicados à medicina, eletrônicos, TI, plantas solares e arquitetura, entre outros, gerando uma ampliação da demanda do mercado global pelo filme plástico. Para atender às necessidades da grande quantidade de compradores em potencial e ajudá-los a encontrar tecnologias avançadas em equipamentos de produção de filmes e linhas de produção de filme, uma nova zona temática – “Zona de Tecnologia de Filmes” – estará localizada no saguão 8.1 na Zona A. Novos expositores mostrarão linhas de extrusão para filmes de sopro, linhas de extrusão para filmes planos e folhas, linhas de estiramento para filmes e filamentos, rebobinadores de talhadeiras, equipamento de enrolamento, equipamentos de medição & teste para filmes, equipamentos auxiliares para linhas de extrusão de filmes, impressoras para filmes, laminação e máquinas de revestimento e outras tecnologias de processamento de filmes etc.

Além das zonas temáticas mencionadas acima, haverá também 8 outras zonas temáticas que visam facilitar o dia a dia dos compradores de diferentes indústrias.  São elas: a Zona de Maquinário para Molde de Injeção, Zona de Máquinas de Extrusão, Zona de Maquinários & Equipamento para Borracha, Zona de Auxiliares & Teste de Equipamentos, Zona de Químicos & Matérias-Primas, Zona de Produtos Semi-Acabados, Zona de Bioplásticos e Saguão Chinês de Maquinários de Exportação & Materiais.

A área de exibição deve alcançar um novo recorde de 220.000 m2, cobrindo um total de 25 saguões de exibição nas zonas A e B, apresentando um aumento de 22% em relação à última edição que aconteceu em Guangzhou, em 2011.

Mais de 2.800 expositores de 36 países e regiões, junto a 12 pavilhões da Áustria, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Coreia, China, Taiwan, Turquia, Reino Unido e EUA, mostrarão matérias-primas e produtos químicos variados e mais de 3.200 unidades de máquinas para plásticos e borracha.

Sobre a CHINAPLAS 2013 : A CHINAPLAS 2013 é organizada pela Adsale Exhibition Services Ltda., e co-organizada pelo Centro de Comércio Exterior da China (Grupo), Conselho Nacional da Indústria de Eletricidade da China – Associação das Indústrias de Processamento de Plásticos da China, Associação das Indústrias de Maquinário para Plásticos da China, Associação das Indústrias de Plástico de Guangdong, MesseDuesseldorf China Ltda., Associação de Comércio de Plásticos de Xangai e Serviços Yazhan de Exibição de Pequim Ltda. O evento também tem o apoio de várias associações de plásticos e borrachas da China e do exterior.

Criada em 1983, a CHINAPLAS é a única feira de exibição de comércio de plásticos e borracha aprovada pela UFI (Associação Global da Indústria de Exibição). A CHINAPLAS foi exclusivamente patrocinada pela Associação Europeia de Maquinários Manufatureiros de Plástico e Borracha (EUROMAP) na China pela 24ª vez. A CHINAPLAS é atualmente a principal feira de comércio de plástico e borracha da Ásia, e a segunda do mundo.

Fonte: Chinaplas

Curta nossa página no

Battenfeld-cincinnati exibe soluções em extrusão de alto desempenho

24/04/2013

feiplastic

A battenfeld-cincinnati,  lider mundial em tecnologia de extrusão, foi constituída em 2010 através da união de duas marcas de sucesso, Battenfeld Extrusionstechnik e Cincinnati Extrusion.  As origens da battenfeld-cincinnati são européias, mas a empresa tem estabelecido relacionamentos mundiais com todos os clientes através de sua equipe de vendas e assistência técnica.

Para aprimorar e estreitar  serviços e  relacionamento com o mercado brasileiro, a battenfeld-cincinnati está abrindo sua unidade local, battenfeld-cincinnati do Brasil. O escritório estará localizado em Jundiaí-SP, com o engenheiro  Cassió Luis Saltori como Diretor Geral, o engenheiro  Angelo Batsef Neto como gerente de vendas e o engenheiro Frederico Hinrichsen como gerente de assistência técnica, função que já ocupa há mais de 15 anos no Brasil. Toda a equipe será apresentada durante a Feiplastic, em seu stand na rua B2.

Novas máquinas de extrusão de tubos e perfis plásticos

Segundo a empresa, todas as extrusoras da battenfeld-cincinnati são fáceis de operar e muito robustas, com motores do tipo AC garantindo uma grande economia de energia, baixa manutenção e com a disponibilidade de várias geometrias de roscas diferentes para cada tipo de aplicação.

A linha solEX, extrusoras mono roscas, são projetadas para altas performances na produção de tubos de polietileno (PE) e polipropileno (PP). Com capacidades de 240 até 2200 kg/h, dependendo do tipo de aplicação e da matéria prima.

De acordo com a battenfeld-cincinnati, a linha twinEX, extrusoras dupla rosca paralelas, possui L/D=34,  e é altamente flexível com excelente custo beneficío. Na extrusão de tubos, estão disponíveis capacidades entre 200 até 1700 kg/h para PVC rígido, M-PVC, O-PVC e tubos de PVC de 3-camadas. Na extrusão de perfis, as capacidades vão de 120 até 1000 kg/h.

A battenfeld-cincinnati é pioneira na produção de máquinas para WPC/NFC (compostos de madeiras e compostos de fibra natural). A empresa oferece equipamentos para muitas aplicações, com eficiência nos custos produtivos e soluções em co-extrusão. A extrusora da linha fiberEX para WPC possui capacidade de 15 até 1000 kg/h.

Economia de energia e de custos na extrusão de tubos

A battenfeld-cincinnati fornece equipamentos para produção de diferentes diâmetros de tubos. Linhas completas de extrusão estão disponíveis para dimensões standards, em PE até 2500 mm e em PVC até 1300 mm.

Com o conceito “Green Pipe”, a battenfeld-cincinnati fornece três soluções para a economia de energia e de material. Ao mesmo tempo, a capacidade de produção das linhas podem ser aumentada e/ou o tamanho da linha ser diminuída. O conceito “Green Pipe” consiste de dois diferentes tipos de cabeçote e de downstream (linha de frente) adequadas. Os cabeçotes podem ser escolhidas pelos clientes entre dois modelos :  cabeçote helix VSI-T e sistema de resfriamento a ar (EAC) ou cabeçote helix KryoS o que possibilita uma redução no comprimemto da linha entre 30 até 45%. A linha de frente com o conceito “Green Pipe” pode reduzir o consumo de energia no resfriamento  do tubo em quase 50% e de quase 90% de economia no consumo de água para refrigeração.

Otimização do equipamento para excelente qualidade do filme

A battenfeld-cincinnati também tem uma grande experiência em máquinas para a produção de filmes multi-camadas para aplicação em embalagens. Fabrica  extrusoras mono roscas com capacidades até 1500 kg/h para PP e até 2000 kg/h para PS com linhas completas. O sistema “Multi-Touch” de calandra é inovador:  este sistema possui todos os requisitos para produzir filmes com uma ótima transparência, propriedades mecânicas excelentes e baixo encolhimento.

No último ano, battenfeld-cincinnati vendeu também grande quantidade de máquinas peletizadoras para PVC. Com roscas especiais para cada tipo de aplicação,  assegurando os melhores resultados.

Sobre a Battenfeld-cincinnati: O grupo Battenfeld-cincinnati, com fábricas em Bad Oeynhausen e Kempen na Alemanha, Viena na Áustria, Shunde na China e McPherson nos Estados Unidos, é líder na fabricação de linhas completas de extrusão com altas performances e  baixo consumo de energia de acordo com as especificações dos clientes. A empresa é organizada em 3 divisões de negócios com orientação para diferentes setores de manufatura: Infra-estrutura (todas as aplicações com máquinas mono-rosca), Construção (todas as aplicações com máquinas de dupla rosca) e Packaging (filmes e chapas, peletizadoras, calandras e equipamentos de laminação).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Eastman destaca vantagens de seus plásticos especiais, plastificantes, TPUS´s e filmes de desempenho e anuncia novo distribuidor na Feiplastic 2013

09/04/2013

A empresa reforça os benefícios de diversas de suas linhas, divulga a Entec-Ravago como nova distribuidora de seus copoliésteres no Brasil e se prepara para as novas oportunidades durante o evento.

A Eastman Chemical Company, empresa de especialidades químicas, estará presente na Feiplastic (Feira Internacional do Plástico), o maior espaço na América Latina para apresentação de tendências e demonstração de lançamentos do setor. O evento acontece de 20 a 24 de maio, no Pavilhão de Exibições do Anhembi, em São Paulo – SP e reúne fabricantes de matéria prima plástica, distribuidores, fabricantes de equipamentos e periféricos, importadores, moldadores e agências de fomento industrial.

Durante a feira, a Eastman contará com um stand próprio localizado na rua C 98, e irá reforçar as vantagens de três de suas principais linhas de produtos – Plásticos Especiais, Plastificantes e TPUs e Filmes de Desempenho. Em matéria de Plásticos Especiais destacam-se o copoliéster Tritan™, o copoliéster Eastar CN015, e demais famílias de copoliésteres e celulósicos para diversas aplicações. O copoliéster Tritan™ é ideal para aplicações que requerem resistência a temperatura, transparência e resistência ao impacto e químico e são livres de Bisfenol A. Dentre os diversos mercados a que serve estão o de puericultura, housewares, eletrodomésticos, linha branca e appliances, garrafas esportivas, de componentes médicos – tanto embalagens quanto aparelhos,. Já o copoliéster Eastar™ CN015 é destinado ao setor de cosméticos por ser capaz de criar embalagens de paredes grossas, transparentes e resistentes a química, impacto e livres também de Bisfenol A.

A Eastman também aproveita o evento para expor as suas linhas de copoliésteres tradicionais, como a Eastar™, a Durastar™, a Aspira™ e a Provista™ que atendem às legislações para aplicação em contato com alimentos e possuem boas propriedades de resistência química, de facilidade em processamento e de tato agradável.

Além disso, outro destaque da companhia será a apresentação ao público o seu novo distribuidor para a linha de copoliésteres no Brasil, a Entec-Ravago, focada em entregar soluções de qualidade e tendo a sustentabilidade como palavra de ordem. Assim, a própria Eastman assegura seu comprometimento com soluções que protejam o meio-ambiente.

Na área de plastificantes e TPUs, a Eastman apresenta toda sua linha de plastificantes, destacando os não-ftalatos, para diversos mercados e aplicações, inclusive produtos produzidos no Brasil pela sua subsidiária Scandiflex.  A linha de TPUs permite desenvolver várias soluções para os mais diversos setores, sendo utilizadas em produtos pneumáticos, solas de sapato, tubos petrolíferos e até material dentário, entre outros.

Por fim, na área de Filmes de Desempenho, as películas de poliéster da Eastman mostram diversas utilizações, contando com quatro aplicações: controle solar, controle solar para para-brisas, segurança e proteção de pintura. As primeiras proporcionam um melhor controle de temperatura interno, gerando assim uma economia de energia elétrica gasta em climatização e também uma economia de combustível quando utilizada em veículos. A película de controle solar para para-brisas, LLumar® AIRBLUE, reduz 44% da energia solar transmitida para dentro do veículo. Sua transmissão luminosa de 78% não compromete a visibilidade do motorista e atende os limites da legislação em vigor.

Já a película de segurança protege no caso de quebras acidentais dos vidros, em eventos como tempestades, chuvas de granizo ou choques de objetos, mantendo os cacos de vidros aderidos à película, minimizando o risco de acidentes. Quando utilizadas nos vidros das janelas dos veículos, protegem contra cortes no caso de colisões laterais e ajudam a dificultar atos de vandalismo como quebra dos vidros laterais dos veículos, protegendo os condutores e seus bens pessoais. As Películas de Proteção de Pintura à base de poliuretano podem ser aplicadas em veículos de qualquer cor e formam uma barreira praticamente invisível que mantem a pintura dos automóveis e diminuem as marcas de pedras, produtos químicos, riscos e arranhões.

A Eastman, que já participou do evento em outras edições, espera estreitar mais os contatos com os clientes da região e ampliar a sua base de oportunidades através da feira. “É um evento grandioso para o mercado plástico da América Latina, por isso, estamos preparando um espaço especial em nosso stand para receber nossos clientes e distribuidores, que fazem um trabalho excepcional mesmo com as extensões territoriais do Brasil e outros países da América Latina. A escolha dos produtos expostos mostra ao público a inovação da Eastman, que conquista novos mercados”, disse o Gerente de negócios da área de Materiais Avançados da Eastman na América Latina, Luis Pagan.

“A Scandiflex sempre esteve presente na Feiplastic (antiga Brasilplast), e agora que fazemos parte da família Eastman, essa responsabilidade de mostrar ao mercado inovações e novos produtos em plastificantes e TPU dobra, pois carregamos uma herança que se adapta perfeitamente à cultura da Eastman, de produtos de qualidade, fabricados no Brasil e com excelência em soluções para nossos clientes”, ressalta Mauro Carqueijo, Diretor de Vendas da Scandiflex, subsidiária da Eastman Chemical Company no Brasil.

Fonte: The Group / Eastman

Curta nossa página no

Braskem lança nova resina para o segmento de bobinas técnicas

22/12/2012

Buscando aprimorar seu portfólio de produtos e atender o mercado, a Braskem lança nova resina para atender o segmento de bobinas técnicas. A resina LF1020/21AF é um polietileno de baixa densidade linear desenhado para oferecer um melhor balanço de processabilidade e desempenho, com destaque para sua soldabilidade. Pode ainda ser combinada com resinas octeno ou metalocênicas conforme necessidade da aplicação.

As bobinas técnicas são muito utilizadas em processos de empacotamento automático para uso como embalagem de cereais, açúcar, massas etc. Por se tratar da apresentação e armazenamento do produto, é um dos segmentos mais competitivos e exigentes em termos de qualidade e desempenho.

Por conta de rígidos requisitos, é necessário que os filmes plásticos tenham algumas características específicas como brilho e transparência, para aumentar o destaque do produto na gôndola; resistência mecânica, capaz de manter a integridade do produto envasado durante todo o manuseio e suportar eventuais quedas; e boa produtividade e soldabilidade, compatível com a crescente velocidade das linhas de ensaque ou envase, garantindo competitividade do produto acabado.

“Durante os últimos meses, esta nova resina tem sido testada e utilizada por diversos clientes. Seu desempenho foi aprovado e comprovado no mercado nacional, aumentando o leque de opções de resinas no portfólio Braskem”, declarou José Augusto Viveiro, líder comercial do segmento de bobinas técnicas da Braskem.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Andritz Biax fornece linha de estiramento de filme para empresa chinesa

04/10/2012

Depois da partida bem sucedida da maior e mais rápida linha MESIM de estiramento de filme do mundo,  em um cliente europeu no início deste ano, a empresa austríaca Andritz Biax recebeu um outro pedido para fornecer uma nova linha MESIM. A empresa chinesa Zhejiang Nanyang Technology Co., Ltd., de Taizhou, colocou uma ordem de compra de uma linha de 5,1 m de largura para a produção de vários filmes de PET em um intervalo de 2-75 μ. A partida da unidade está prevista para o primeiro trimestre de 2014.

MESIM (Sistema de estiramento mecânico simultâneo) é uma tecnologia de estiramento patenteada pela Andritz Biax. O processo de estiramento ocorre simultaneamente na direção longitudinal e na transversal, em apenas uma etapa. A área de estiramento pode ser ajustada em um amplo intervalo para se adaptar a todos os tipos de polímeros (PET, PP, PA, PI, PEEK, COC, PC, e muitos outros). Os produtos de filme obtidos pelo sistema MESIM têm excelentes propriedades óticas e físicas e são usados para aplicações de alta qualidade (por exemplo, na embalagem de alimentos e indústrias de entretenimento).

A Zhejiang Nanyang Technology fabrica filmes de polipropileno lisos, ásperos, e metalizados para vários tipos de capacitores, bem como filmes de PET para diferentes produtos.

Fonte: Andritz Group

Curta nossa página no

Fabricante de filmes de poliéster Terphane é adquirida pela americana Tredegar.

14/11/2011

A Tredegar Film Products Corporation, uma subsidiária da Tredegar Corporation, adquiriu a Terphane Holdings LLC,  uma empresa fabricante de filmes de poliésteres especiais que atende o mercado de embalagens flexíveis na America Latina e tem foco especial na America do Norte e Europa.

A Terphane tem sua sede no Brasil, é líder de mercado na produção de filmes de poliésteres de espessura fina na America Latina e tem participação crescente em nichos de mercado estratégicos nos Estados Unidos e Europa. Os filmes de poliésteres têm propriedades especiais, como resistência ao calor e barreiras de proteção, que fazem deles o componente ideal para o crescente mercado de embalagens flexíveis. A empresa opera com duas plantas produtivas (uma em Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco, Brasil, e outra em Bloomfield, Nova York, EUA), que produzem filmes primeiramente para aplicações em embalagens alimentícias e outros mercados industriais. A empresa desfruta de longos relacionamentos com clientes na America do Sul e com outros clientes internacionais.

“Nós estamos muito entusiasmados com a incorporação da Terphane na família Tredegar e acreditamos que essa expansão é um encaixe estratégico que irá alavancar as capacidades de ambas, Tredegar Film Products e Terphane,” disse Monica Moretti, Presidente da Tredegar Film Products. “Nós acreditamos que as forças da Tredegar Film Products e da Terphane em manufatura e soluções inovadoras, junto com a expansão global da nossa presença, irão alavancar nossa habilidade de servir os clientes.” Tredegar Film Products, uma empresa subsidiária da Tredegar Corporation, é uma das líderes globais na indústria de filmes plásticos com vasta experiência em manufatura e vendas líquidas de US$ 520 milhões em 2010. A  Tredegar Film Products atende vários mercados: cuidados pessoais, displays eletrônicos, embalagens flexíveis, materiais de construção e cuidados da saúde. Tredegar Film Products emprega aproximadamente 1.000 funcionários nas suas unidades produtivas na America do Norte, America do Sul, Europa e Ásia.

Fonte: Terphane

Vitopel leva sua linha de filmes flexíveis e Vitopaper® para a feira Andina-Pack 2011

04/11/2011

A Vitopel, uma das maiores empresas do mundo na produção de filmes flexíveis para embalagens para alimentos e bebidas, pet foods, fitas, rótulos, etiquetas e gráficas, participará da 11ª edição da Andina-Pack, em Bogotá, Colômbia, entre os dias 8 e 11 de novembro.

A empresa levará ao evento toda sua linha de produtos e desenvolvimentos, além do Vitopaper®, papel sintético desenvolvido pela Vitopel com tecnologia 100% nacional, resultado da reciclagem de diversos tipos de plásticos.

Presente em mais de 25 países, a Vitopel já comercializa seus filmes na Colômbia, onde busca novos contatos. “Trata-se de um importante canal para o plástico do Brasil e pretendemos ampliar negócios na região”, afirma Dirceu Varejão, diretor comercial da Vitopel.

A Colômbia está entre as cinco maiores economias da América Latina, juntamente com Brasil, México, Argentina e Peru. Setores como de  mineração, petróleo, indústria e o comércio impulsionam a economia local.  No ano passado, o país registrou PIB de US$ 283,11 bilhões e a projeção do governo é de que sua economia cresça 5% em 2011. Em sua última edição, em 2009, a Andina Pack reuniu mais de 700 expositores e cerca de 20 mil visitantes.

Sobre a Vitopel – Com capacidade produtiva de 120 mil toneladas de filmes flexíveis, a Vitopel conta com três unidades, duas no Brasil (Mauá e Votorantim, no Estado de São Paulo) e uma em Totoral (Argentina). Na unidade de Votorantim, conta com o maior Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da América Latina onde desenvolve inovações que já renderam patentes mundiais à empresa e também criou o Vitopaper®.  Com presença global e escritórios no Brasil, Estados Unidos e Argentina, a empresa exporta para países da América Latina e América Central, Europa e África.

Fonte: M.Free /Vitopel

Novas Resinas de Polietileno de Baixa Densidade da LyondellBasell Oferecem Melhores Níveis de Desempenho em Aplicações de Filme.

20/06/2011

A LyondellBasell lançou duas novas resinas de polietileno de baixa densidade (PEBD) que oferecem melhor desempenho para uma ampla gama de aplicações na área de filmes. Os novos grades são produzidos usando a tecnologia da empresa de processo tubular de alta pressão Lupotech T.

O Lupolen 3420J e o Lupolen 3426J, código dos novos grades, apresentam numerosos benefícios em comparação com produtos de PEBD padrão usados ​​em filmes, tais como maior rigidez, resistência ótima ao rasgo e à perfuração, propriedades óticas ótimas e baixos níveis de gel. Os principais beneficiários desta tecnologia incluem os produtores de filmes para etiquetas, produtos higiênicos, empacotamento e laminação, além de fabricantes de películas de proteção de superfície e embalagem de lenços higiênicos.

Enquanto o Lupolen 3420J é livre de aditivos e atende a requisitos para uma extrusão fácil e taxas de produção maiores em aplicações de filme, o Lupolen 3426J contém agentes de deslizamento e e anti-aderentes (anti-block). “Ambos os produtos oferecem boas propriedades mecânicas e ópticas, mas os clientes também podem obter um baixo valor de coeficiente de atrito que oferece facilidade de processamento em equipamentos de transfprmação”, disse Christof Justus, gerente de marketing de Polietileno da LyondellBasell.

Economia de material por meio de alta densidade
Benefícios adicionais oferecidos pela alta densidade e pela notável resistência do material fundido do Lupolen 3420J e 3426J Lupolen incluem a potencial redução de espessura de embalagens flexíveis. A redução de espessura permite que os transformadores usem menos material, oferecendo economias de custo ao longo de toda a cadeia de suprimento.

Fonte: LyondellBasell

KraussMaffei, Netstal e KraussMaffei Berstorff unificam atuação no mercado brasileiro.

15/05/2011

Com efeitos a partir de 1 de outubro de 2011, a sociedade afiliada do Grupo KraussMaffei se apresentará no mercado brasileiro sob o nome “KraussMaffei Group do Brasil”.  Os produtos das três marcas KraussMaffei, KraussMaffei Berstorff e Netstal  serão distribuídos no futuro sob o mesmo teto empresarial unificado.

Consolidação dos portfólios das marcas e dos serviços a favor do cliente

“Com a fusão das unidades de negócio operativas da KraussMaffei e Netstal numa só empresa, pretendemos consolidar as nossas presenças neste mercado de crescimento. Assim concentramos as competências dos nossos colaboradores e consolidamos o portfólio das nossas marcas e dos nossos serviços a favor dos nossos clientes”, explica Dr. Dietmar Straub, presidente da administração da KraussMaffei AG, no âmbito da feira Brasilplast, em São Paulo. A partir de 1 de outubro de 2011, Klaus Jell, o atual diretor da sociedade afiliada da Netstal na Alemanha, vai assumir a direção da sociedade afiliada com sede em São Paulo. “Estou muito contente por termos conseguido para esta função Klaus Jell, um especialista em materiais sintéticos competente e experiente, da nossa própria casa, e que acumulou experiências tanto na KraussMaffei, como também na Netstal”, explica Straub.

“Fico muito satisfeito com a nova atividade. Com a nova estrutura vamos aproveitar as sinergias existentes para garantir um trabalho melhor no mercado, para benefício dos nossos clientes”, disse Jell.  Cada marca operará no mercado de forma independente. Vamos reforçar as atividades de assistência técnica, para servir melhor os requisitos crescentes no Brasil. “Através da concentração de todas as atividades, as vantagens para os clientes aumentam, uma vez que, mediante um controle coordenado, estes podem escolher os produtos do vasto portfólio de alta qualidade do grupo KraussMaffei. Da nossa parte, vamos ficar focados na solução dos seus requisitos e tarefas específicos, que vamos tentar satisfazer de forma competente, com o produto certo e com a marca certa” declarou Jell.

Procura crescente par máquinas de alta qualidade

Há mais de dez anos, o Grupo KraussMaffei está presente no Brasil e se posicionou durante este período como parceiro líder e competente, com produtos de alta qualidade. Os clientes sul americanos da indústria automotiva, de embalagem e de linha branca estão crescentemente interessados no expertise de soluções para aplicações específicas no setor de injeção pela junção das marcas KraussMaffei e Netstal . “Isto é confirmado atualmente pela procura cada vez maior“,disse Jell. Como consequência disso, a empresa vai introduzir agora no mercado as máquinas completamente elétricas das séries AX e EX, da marca KraussMaffei. Os clientes da indústria de tubos apostam nos produtos da marca KraussMaffei Berstorff, por exemplo, nas instalações de alta qualidade para a compostagem de plásticos (compounding), bem como nos sistemas para a fabricação de perfis de perfis, filmes e chapas.  As soluções da marca Netstal são direcionadas para as áreas de embalagem de paredes finas, tampas e pré-formas de PET, além de compoenentes plásticos para os setores de alicações médicas e técnicas.

Fonte: KraussMaffei

Dow lança resinas para filmes “shrink” e “stretch”, direcionadas para mercados de paletização / unitização de produtos.

27/04/2011

A The Dow Chemical Company lança novas resinas para a produção de filmes industriais – aplicados na unitização de produtos – na Brasilplast 2011 (9 a 13 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi). Este mercado é um dos maiores consumidores de polietileno em todo o mundo e a Dow tem soluções para os principais métodos de unitização – stretch (esticáveis), shrink (encolhíveis) e stretch hood.

 Para filmes Shrink, a Dow oferece a nova resina Elite AT XUS 59999.18, um pós-metaloceno linear de baixa densidade (P-mLLDPE), especificamente desenhada para uso em filmes shrink, os quais podem ser utilizados na unitização de garrafas de bebidas, latas em geral, produtos de higiene e limpeza, entre outros.

 A nova solução apresenta excelente balanço de propriedades como processabilidade, boa estabilidade de balão, excelentes propriedades óticas e, principalmente, alta resistência à perfuração. Tudo isso combinado à possibilidade de redução de espessura do filme, gerando beneficios para cadeia, bem como o meio ambiente. “Esta resina viabiliza a modificação da formulação normalmente usada, para um filme com alta porcentagem de Polietileno Linear, resultando na redução da sua espessura e melhoria das propriedades óticas”, explica Sérgio Coleoni, Gerente de Marketing para Industrial, Consumer Packaging e Tubos.

 Segundo o executivo, o mercado de filmes termoencolhíveis continua demandando o máximo desempenho das resinas de polietileno. “Dependendo do tipo de carga a ser unitizada e do processo de transporte usado, os requerimentos mecânicos do filme podem ser bastante altos. Somam-se a isso as constantes reduções de espessuras que filmes termoencolhíveis vem sofrendo ao longo dos anos, obrigando sempre a mesma proteção, mesmo com menor volume de filme”, explica.

 Os filmes Stretch representam aproximadamente 75% do total de volume de filmes usados globalmente para unitização ou paletização e os filmes Shrink para paletização, cerca de 21% (AMI Stretch & Shrink 2009). Os Filmes Stretch Hood ainda aparecem com uma menor participação de mercado, porém este volume vem crescendo a taxas superiores que os demais mercados de unitização. Mercados como Linha Branca e Cimentos são os com maiores taxas de crescimento devido à alta proteção que este tipo de filme proporciona.

 Esse movimento deve ocorrer em virtude das vantagens que os filmes Stretch Hood apresentam: maior velocidade de paletização, economia de energia e unitização completa do produto, com maior qualidade. Para a confecção de filmes Stretch Hood, a Dow também traz uma nova resina: a XUS 59999.02 um pós-metaloceno linear de baixa (P-mLLDPE), parte da família de resinas Elite AT. Ela oferece um conjunto de características bastante relevantes para este tipo de filme como boas propriedades óticas, excelente resistência mecânica, recuperação elástica e força de retenção de carga.

 Ainda para o mercado de Stretch Hood, a Dow tem uma extensa e inovadora linha de resinas polielefínicas que pode ajudar os convertedores a desenvolver formulações diferenciadas, com excelente desempenho e produtividade. “Uma ampla gama de soluções pode ser desenvolvida e otimizada, dependendo da aplicação final do filme”, afirma o executivo.

Fonte: Dow / PorterNovelli

Dow lança nova resina para filmes de etiquetas na Brasilplast.

18/04/2011

DOW™ LDPE 525E: combina brilho, transparência e rigidez, adequando-se às diversas e avançadas tecnologias de impressão

A The Dow Chemical Company apresenta a resina DOW™ LDPE 525E para filmes de etiquetas na Brasilplast 2011 (de 9 a 13 de maio no Pavilhão de Exposições do Anhembi, São Paulo).

As etiquetas auto-adesivas têm se tornado uma interessante opção para as empresas de bens de consumo destacar seus produtos nos pontos de venda, atraindo, assim, a atenção dos consumidores e alavancando as vendas. Mas para conseguir bons resultados, os filmes de etiquetas devem ser de alta qualidade e estar adequados às atuais tecnologias de impressão.

A nova resina da Dow para filmes com essa finalidade se destaca pelo brilho, transparência e rigidez.  Durante o processo de extrusão com balão (blown film), apresenta excelente estabilidade, resultando em filmes mais planos, o que é critico neste segmento para garantir uma impressão de qualidade e facilitar a aplicação da etiqueta/rótulo.

“A solução tem baixos valores de coeficiente de fricção, o que é fundamental para linhas de empacotamento de alta velocidade”, destaca Dolores Brizuela, Gerente de Marketing para Food & Specialty Packaging e Health & Hygiene.

A gerente destaca ainda que os índices de rigidez da resina a tornam adequada a quaisquer aplicações que exijam alta rigidez, especialmente no segmento de filmes de etiqueta. Suas propriedades óticas também podem ser consideradas um diferencial, permitindo que a resina seja utilizada em rótulos. “A DOW™ LDPE 525E está em conformidade com os regulamentos europeus de contato com alimento, quando utilizado sem modificações e processados de acordo com as boas práticas de fabricação para aplicações de contato com alimento”, afirma Dolores.

Fonte: Dow /PorterNovelli

Dow inaugura primeiro Centro de Desenvolvimento de Aplicações de plásticos do Brasil

12/04/2011

Localizado em Jundiaí, SP, o local será um pólo de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias e soluções sustentáveis para o mercado latinoamericano de plásticos

A The Dow Chemical Company inaugura hoje, 12 de abril, em Jundiaí, São Paulo, o primeiro laboratório de plásticos do Brasil focado no desenvolvimento de soluções sustentáveis. O local será destinado a pesquisas e testes de produtos para as mais diversas áreas de aplicação, como embalagens especiais para alimentos, filmes e embalagens industriais, embalagens rígidas e soluções para o mercado de tubos de polietileno (tubos de pressão, distribuição de água e irrigação).

“A Dow deseja estar cada vez mais presente no mercado latinoamericano de plásticos. Queremos que este centro contribua significativamente para o avanço de toda a cadeia plástica nos países da América Latina, com pesquisas e estudos sobre o mercado e a busca contínua de soluções sustentáveis para os negócios e para o meio ambiente”, afirma Nestor de Mattos, diretor de vendas da área de Plásticos da Dow Brasil.

Uma equipe de químicos, engenheiros e técnicos será responsável pelo atendimento aos clientes, realização de testes e pelo desenvolvimento de soluções cada vez mais sustentáveis, como por exemplo, resinas com melhor desempenho (que propiciam a redução da quantidade de matéria-prima), ou ainda estruturas 100% recicláveis, entre outros.

“Iremos desenvolver junto com nossos clientes soluções inovadoras que proporcionem uma diferenciação no mercado. Aliando o portfólio da Dow a essa estrutura, ganharemos ainda mais rapidez, agilidade e capacitação de nossos clientes”, afirma.

O laboratório ocupa uma área de 1100 m2 distribuídos nas seguintes seções:

Laboratório de caracterização de polímeros: neste espaço será possível realizar análises de identificação de materiais (qual o tipo de polímero, aditivos, identificação microscópica de estruturas, contaminantes, entre outros).

Laboratório de Testes Físicos: destinado à realização de todos os testes requeridos pelo órgão de normatização American Society for Testing Materials (ASTM) como mensuração de impacto ao dardo, rasgo, ótica, tensão de ruptura, escoamento e perfuração, além de análise dessas propriedades a baixa temperatura (até -40ºC). “Esses testes são imprescindíveis para o desenvolvimento de aplicações para os mais diversos mercados de aplicação de plástico, tais como embalagens flexíveis, rígidas e tubos industriais”, comenta Carlos Costa, gerente de pesquisa e desenvolvimento de filmes industriais e embalagens de consumo para a área de Plásticos da Dow na América Latina.

Planta Piloto: neste local será implantada uma linha de extrusão de última geração, com capacidade de produzir filmes pelo processo tubular e plana que, em pequena escala, reproduz as condições de operação das máquinas industriais. “Isso proporcionará a nós e a nossos clientes muito mais agilidade para o desenvolvimento de soluções”, afirma Costa.

Na planta, já estão instaladas uma unidade de laminação para testes de performance e uma máquina de unitização para realização de testes de performance em paletização. Outros equipamentos, como termoformadora e empacotadora automática, estão previstos para 2012.

“Todos esses equipamentos têm por objetivo aprofundar o conhecimento do desempenho das nossas resinas nas aplicações dos nossos clientes e facilitar seu sucesso no mercado final”, explica o executivo.

Sala de Treinamento: com capacidade para 70 pessoas, o local será destinado ao treinamento da equipe Dow e também para que os clientes da companhia treinem sua própria equipe técnica.

Segundo Carlos Costa, o Centro de Desenvolvimento de Aplicações de Plásticos também será utilizado para os diversos projetos que a companhia está desenvolvendo em parceria com universidades de São Paulo. Os resultados das principais pesquisas a serem realizadas neste espaço serão compartilhados com clientes em Seminários Técnicos promovidos pela companhia.

Além da nova estrutura em Jundiaí, a The Dow Chemical Company possui laboratórios em todos os continentes (Europa – Espanha; Pacifico – Singapura; Estados Unidos – Texas).  Conta ainda com o Laboratório de Aplicação em Freeport Texas, com capacidade de produção industrial (máquinas industriais), testes organolépticos e planta piloto de produção de polímeros. O local é interconectado a todos os demais laboratórios da companhia e pode ser utilizado para demandas especiais de clientes, como a produção piloto de uma solução ou ainda testes específicos para aprovação de um produto em um determinado mercado.

Sobre a Dow

O portfólio líder e diversificado da Dow nas áreas de Químicos Especiais, Materiais Avançados, Ciências Agrícolas e Plásticos oferece uma ampla variedade de soluções e produtos baseados em tecnologia para mais de 160 países e em setores de grande crescimento, como eletrônicos, água, energia, tintas e revestimentos e agricultura. Em 2010, a Dow teve vendas anuais de US$ 53.7 bilhões e empregou aproximadamente 50.000 funcionários em todo o mundo. Os mais de 5.000 produtos da Companhia são produzidos em 188 unidades fabris em 35 países ao redor do mundo.

Fonte: PorterNovelli / Dow