Archive for the ‘BOPP’ Category

Fabricante indiana de BOPP reduz variações de espessura e tempo parado e aumenta produção com nova matriz plana Nordson EDI

18/11/2019

Matriz Autoflex da EDI Nordson acabou com as variações de espessura e flacidez que forçavam a limpeza frequente da matriz e passou a produzir filmes para embalagens com menos embaçamento e melhor brilho

A Asia Poly Films Industries, uma produtora indiana de filmes de polipropileno biaxialmente orientado (BOPP) para embalagens, reduziu substancialmente o tempo de inatividade e aumentou o rendimento de uma linha de filme laminado, ao trocar uma matriz relativamente nova de um fornecedor concorrente por uma nova matriz EDI Autoflex, disse a Nordson Corporation.

Desde que começou a produzir filmes de BOPP em 2017, a Asia Poly Films frequentemente tinha problemas decorrentes variações de espessura e flacidez do filme ao usar a matriz adquirida na época, tornando impossível atingir o grau de planura exigido pelos clientes. Era necessário limpar a matriz a cada dois ou três meses – um processo que acarretava de 48 a 60 horas de inatividade na produção cada vez que era necessário parar a linha para limpeza. A matriz também exibia uma variação de espessura que só poderia ser mantida dentro de limites aceitáveis ​​se a velocidade da linha fosse limitada a não mais que 2.800 kg/hr.

Segundo a Nordson, desde a instalação da matriz EDI em fevereiro de 2019, a Asia Poly Films está operando continuamente a linha de filmes a 3.500 kg/hr, com a variação de espessura sendo mantida “bem dentro dos níveis aceitáveis”, de acordo com Dipesh Patel, diretor da empresa. “Além disso, enquanto nossa matriz anterior precisava de duas horas para se estabilizar após a partida da linha e começar a produzir filmes com um nível aceitável de variação de espessura, a nova matriz EDI se estabiliza em apenas 15 ou 20 minutos”, acrescenta ele.

Usando a nova matriz EDI com a mesma extrusora, controles e materiais plásticos anteriores, a Asia Poly Films tem produzido filmes com menor embaçamento e melhor brilho, disse Patel.

A matriz EDI é uma unidade de manifold triplo Autoflex VI-R. Da mesma forma que a matriz usada anteriormente pela Asia Poly Films, a matriz Autoflex é automática, usando dados de um sistema de medição computadorizado a jusante para ajustar o perfil de espessura transversal, fazendo mudanças na parte superior flexível da matriz, explica Nordson.

“O sistema Autoflex responde mais rapidamente às variações de espessura do que outras matrizes automáticas”, disse Mrunal Sanghvi, gerente geral de vendas na Índia para o negócio de Sistemas de Processamento de Polímeros da Nordson. “Além disso, a Nordson projetou de forma “customizada” o canal de fluxo (manifold) dentro da matriz para otimizar o fluxo de polímeros específicos usados ​​pela Asia Poly Films. Essas são duas razões pelas quais a matriz EDI permitiu à Asia Poly Films obter produtos vendáveis ​​em um tempo mais curto após a inicialização, manter tolerâncias mais rigorosas durante a produção e aumentar o rendimento, ao mesmo tempo em que mantinha a uniformidade e a qualidade do produto. ”

A Asia Poly Films Industries produz filmes de embalagens flexíveis BOPP para várias aplicações. A empresa foi criada em 2015 em Morbi, Gujarat, Índia e iniciou a produção comercial de filmes BOPP em 2017.

Curta nossa página no

Braskem lança novos termopolímeros para substituir resinas importadas

15/12/2010
As resinas também estarão disponíveis para toda a América Latina

A Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas e biopolímeros do mundo, acaba de lançar dois termopolímeros: o Symbios 4102 e Symbios 3102. Os produtos chegam para reforçar o portfólio dos segmentos de BOPP (polipropileno biorientado) e filmes de PP.

Com a novidade, o mercado brasileiro passa a ter uma opção nacional para substituir este material, que até então só era importado. As resinas também estarão disponíveis para os demais clientes da empresa na América Latina.

As propriedades das resinas Symbios são ideais para o processo de empacotamento automático, já que apresentam desempenho superior. O Symbios 4102 foi desenvolvido para a camada de selagem em coextrusão de filmes biorientados, com temperatura inicial de selagem inferior a 115°C em face não tratada. Sua aditivação é adequada para o processo de metalização. Já o Symbios 3102, com fluidez mais alta, foi desenhado para atender ao segmento de filmes de PP, mantendo as demais características do anterior.

Os novos produtos Symbios foram especialmente desenvolvidos para atender as necessidades das camadas externas de embalagens. Aliando propriedades funcionais diferenciadas, os produtos oferecem baixa temperatura de selagem, excelentes propriedades óticas e de processamento, retenção do tratamento superficial, bom desempenho no processo de metalização e alta compatibilidade com as camadas adjacentes.

Fonte: Braskem

Vitopel leva tecnologia e inovação para embalagens plásticas para a Embala Nordeste.

25/08/2010

A empresa abordará a importância das embalagens na competitividade dos produtos.

A Vitopel, terceira maior produtora mundial de filmes flexíveis, participará da Embala Nordeste – V Feira Internacional de Embalagens e Processos Industriais, que acontecerá no Recife, nos dias 23 a 26 de agosto, no Centro de Convenções de Pernambuco. Durante o evento, a empresa abordará os benefícios da aplicação do filme flexível de BOPP nas  embalagens, considerando aspectos de proteção ao produto, aparência, produtividade e sustentabilidade. Segundo José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Vitopel, mercadorias embaladas ganham competitividade. “Ainda mais quando as embalagens aliam inovação e tecnologia para melhor preservação dos produtos, assim como para destacá-lo entre seus concorrentes nas prateleiras, e gerar sustentabilidade, com o menor impacto ambiental, tanto na produção, quanto no pós-consumo”, afirma o executivo.

Os filmes de BOPP conferem às embalagens todos esses benefícios. Régis Sá, especialista em Marketing e Inteligência de Mercado da Vitopel, que no evento ministrará a palestra “BOPP rompendo fronteiras em novas tecnologias e mercados”, complementa: “a tecnologia aplicada nesse tipo de material resulta em maior resistência à umidade e às variações de temperatura, aumentando a proteção à mercadoria embalada e seu tempo de vida, além de ser um material 100% reciclável e de espessura reduzida – o que representa menor quantidade de produto a ser descartado.”

A empresa vai expor na feira toda a sua linha de produtos, diferentes tipos de filmes flexíveis com tecnologia BOPP – metalizado, mate e transparente – aplicados em rótulos, embalagens de biscoitos, salgadinhos, pet food, na indústria gráfica, entre outros. Segundo Roriz Coelho, a participação da Vitopel na Embala Nordeste reitera a presença da empresa neste crescente mercado. “Consolidando uma forte expansão de consumo, o Nordeste se transformou em uma das regiões brasileiras com amplas oportunidades para fornecedores de embalagens e serviços”, conclui o executivo.

A Vitopel também levará à Embala Nordeste o Vitopaper®, papel sintético, feito com vários tipos de plásticos do pós-consumo (embalagens, tampinhas, rótulos, sacolinhas plásticas, entre outros). O resultado é um produto semelhante ao papel couchê, que não molha, não rasga, permite a escrita manual com canetas esferográficas, canetas de ponta porosa ou lápis e a impressão pelos processos gráficos editoriais usuais, como off-set plana ou rotativa. Isso com a vantagem de absorver menos tinta, gerando uma economia ao redor de 20% em relação a outros materiais. E o produto é ainda 100% reciclável. “A cada tonelada de Vitopaper® produzido, são retirados das ruas e lixões cerca de 850 quilos de resíduos plásticos”, afirma José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Vitopel.

Desde seu lançamento, em 2009, já foram produzidas mais de mil toneladas de Vitopaper® e a Vitopel trabalha este ano para triplicar a produção. O papel pode ser utilizado para impressão de livros técnicos e científicos, livros didáticos, livros de arte, material corporativo institucional, peças para o mercado promocional e de comunicação visual. A Vitopel conta com patente mundial para este produto, assim como para outros desenvolvimentos. A empresa investe anualmente cerca de US$ 2 milhões em pesquisa e desenvolvimento (P&D).

Sobre a Vitopel – Anualmente, produz 150 mil toneladas de filmes flexíveis em suas três unidades, duas no Brasil (Mauá e Votorantim, no Estado de São Paulo) e uma em Totoral (Argentina). Em Votorantim se localiza a única Planta Piloto e Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da América Latina, o que lhe permite a busca constante por soluções em filmes flexíveis para as mais diversas demandas do mercado. A empresa atende clientes como Nestlé e Unilever, Kraft Foods, PepsiCo., Coca-Cola, Ambev, Bunge, Tetra Pak, International Paper, Suzano Papel e Celulose, Marilan, Arcor, entre outros. Com presença global e escritórios no Brasil, Estados Unidos e Argentina, a Vitopel, estabelece parcerias comerciais pelos cinco continentes. Além de sua liderança no mercado brasileiro, a Vitopel exporta para países da América Latina e América Central, Europa e África.

Fonte: Yellow Comunicação