Archive for the ‘Especialidade’ Category

Soluções em plásticos da BASF apresentadas durante a K 2013 vão desde aplicações em bicicletas até assentos para carros

15/10/2013
  • Bicicleta conceito produzida com mais de 20 plásticos diferentes
  • Ao vivo no estande da BASF: produção de partes compostas com diversos materiais
  • Pela primeira vez em público: protótipos da competição de design de assentos para carros

Basf_BycicleNa feira  K 2013, que começa nesta quarta (16/10), a BASF disponibiliza novas ideias ainda mais empolgantes  aos visitantes da exposição da indústria de plásticos. Além da notável bicicleta com mais de 20 aplicações plásticas, algumas altamente inovadoras, serão exibidos três protótipos exclusivos dos vencedores da competição de design de assentos para carros, intitulada “sit down. move.”. Os visitantes presentes no estande da companhia poderão sentar-se em mais de 200 A-chairs da Brunner. Um elemento de cozinha da Blum que estará em demonstração apresentará a funcionalidade de elementos deslizantes e de alta performance em gavetas e dobradiças de armários. O grande evento ao vivo contará com a produção de um compartimento protetor com vários materiais a partir do novo pacote de produtos e serviços Ultracom™ para compostos reforçados com fibra.

No estande B52/C58, corredor 5, da fabricante de máquinas Engel, os visitantes poderão presenciar o processo “RTM” (moldagem por transferência de resinas). Uma proteção de bloqueio da fechadura para o veículo esportivo X-Bow da KTM será produzida por meio do um processo RTM como demonstração em uma v-duo 700 da Engel com o sistema de poliuretano da BASF.

Demonstração ao vivo: novo sistema para processar compostos semiacabados

Utilizando-se da produção de um compartimento de invólucro rígido com diversas partes em uma demonstração ao vivo no estande, a BASF demonstrará sua expertise em materiais e tecnologias de processamento que a empresa oferece em Ultracom™, seu novo pacote de produtos e serviços para partes compostas com reforço em fibra contínua. Como parte da demonstração, as pastilhas de laminados termoplásticos Ultralaminate™, que foram produzidas antecipadamente, serão submetidas inicialmente a um tratamento de plasma para assegurar uma excelente aderência ao componente flexível e, em seguida, colocadas por um robô (da FTP Co.) em um molde da Glittenberg Co. Na etapa principal, o Ultralaminate será recoberto com o componente rígido Ultramid® (PA) e o componente flexível Elastollan® (TPU). Todos os invólucros bipartidos produzidos deste modo podem ser montados para formar um compartimento que pode ser travado. A máquina de moldagem por injeção será fornecida pela Arburg Co.; já os corantes plásticos são baseados nos pigmentos da BASF. Amparada por seu pacote Ultracom™, a BASF oferece atualmente, além de Ultralaminate, Ultratape™ com o sistema de moldagem multicomponente à base de Ultramid® COM e a plataforma de desenvolvimento associada com know-how de design, produção e testes.

Uma e-bicycle como “experimento elaborado” – materiais a serem considerados

As bicicletas feitas quase completamente de plástico já existem há muitos anos. O que ainda não existia até então era um conceito de e-bicycle que incorpora muitos tipos diferentes de plásticos, e por que não dizer plásticos altamente inovadores, que oferecem benefícios específicos. A partir da unidade de negócios Materiais de Performance estabelecida em janeiro de 2013 para consolidar os plásticos de poliuretanos até termoplásticos, espumas, resinas epóxi e produtos compostos, a BASF apresentará uma bicicleta conceito para demonstrar potenciais capacidades: idealizada pela agência de design DING3000, a e-bike “Concept 1865 – Rethinking Materials” (Conceito 1865 – Repensando Materiais, em português)  utiliza mais de 20 plásticos diferentes da BASF. Por que 1865? A BASF foi fundada exatamente no ano em que surgiram as primeiras bicicletas com pedais: é por este motivo que o estudo de design da bicicleta funcional e pronta para pedalar tomou a forma de uma bicicleta de banco alto histórica. Ela incorpora um “experimento elaborado” no tópico “Repensando Materiais”. O veículo é um convite para que os clientes desafiem os produtos estabelecidos e desenvolvam, em parceria com a empresa, ideias que possibilitem novas aplicações para mobilidade e urbanização com base em plásticos modernos.

Pela primeira vez em público: os protótipos de assentos para carros “sit down. move.”

Durante a K 2013, a BASF apresentará pela primeira vez ao público em geral os protótipos dos três conceitos vencedores da primeira competição mundial de design “sit down. move.” para assentos de automóveis. Desde março de 2013, a empresa possui modelos em escala completa dos três protótipos dos vencedores do estudo do conceito e apresentará os objetos aos visitantes da feira comercial. Os protótipos se baseiam nos designs de Song Wie Teo (University of Coventry, Reino Unido), Joonyoung Kim (College for Creative Studies, Detroit, EUA) e Pantila Debhakam (agência de design shakes bkk, Bangkok, Tailândia) e estão caracterizados por uma combinação de criatividade e conhecimento dos materiais da BASF.

Elemento de cozinha da Blum

O novo conceito “Servo Drive” da Blum pode ser vivenciado em primeira mão em uma célula de cozinha transparente: a abertura e o fechamento elétricos de gavetas e tampas com suavidade e amortecimento exigem trilhos e elementos com propriedades deslizantes. Aqui, os plásticos de engenharia da BASF -Ultraform® (POM) e Ultramid® (PA) – desempenham seu papel.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Anúncios

SABIC reforça seu posicionamento no suporte ao crescimento dos fabricantes de veículos no Congresso SAE Brasil 2013

15/10/2013

SABIC_congresso_SAENa 22ª edição anual do Congresso SAE Brasil, em São Paulo, a unidade de negócios da SABIC – Innovative Plastics destacou sua posição no suporte aos fabricantes de veículos para aproveitarem o mercado altamente promissor do Brasil. O congresso da SAE veio num momento em que várias montadoras estão investindo para aumentar a produção no país, que já é o quarto maior mercado automotivo do mundo. Um dos programas que está estimulando o crescimento da indústria automotiva do Brasil é o Inovar-Auto, que incentiva as montadoras a se qualificar para garantir descontos fiscais significativos ao atender aos requisitos específicos do programa. Entre estes requisitos estão a melhoria da eficiência dos veículos em 12%, a realização de um número mínimo de etapas de fabricação no país e investimentos em P&D nas áreas de engenharia, tecnologia e capacitação de fornecedores. Os materiais avançados da SABIC para a indústria automotiva, a sua produção local e recursos de engenharia no país, apoiados por uma rede global de desenvolvimento e centros tecnológicos, oferecem à cadeia automotiva o suporte para atender aos requisitos do programa Inovar-Auto e suas ambições de crescimento neste importante mercado automobilístico.

“Temos o prazer de participar mais uma vez do Congresso SAE Brasil e discutir, junto à indústria, como podemos responder aos desafios e demandas mais urgentes do setor”, disse Ricardo Knecht, gerente geral, América do Sul, da unidade Innovative Plastics da SABIC. “Com este novo direcionamento para aprimorar a tecnologia dos veículos, vemos a oportunidade de oferecer uma maior colaboração através de toda a cadeia de valor, e estamos animados por unir a nossa experiência e know-how em materiais com a engenhosidade de nossos clientes e assim aproveitar ao máximo esta oportunidade”.

“Nosso melhor resultado é alcançado quando trabalhamos diretamente com nossos clientes para entender os desafios e desenhar as soluções”, disse Scott Fallon, diretor sênior de marketing automotivo para os negócios SABIC – Innovative Plastics. “É por isso que estamos ansiosos por eventos como o Congresso SAE Brasil. É outra oportunidade para iniciar esse processo de compartilhamento de conhecimento e traduzi-lo em soluções significativas, e é isso que estamos apresentando aqui em São Paulo – uma gama de soluções de baixo peso que podem ajudar as montadoras a fazer progressos significativos em direção à eficiência dos veículos definidos no programa Inovar-Auto”.

Novas janelas de oportunidade

SABIC_congresso_SAEEntre as muitas aplicações automotivas que a SABIC apresentou no Congresso SAE Brasil 2013, está a estilizada janela de policarbonato (PC) do modelo Volkswagen XL1, um híbrido plug-in com motor a diesel. O XL1 é o carro mais eficiente em produção no mundo, com uma razão de consumo de combustível europeu de 0,9 litros/100 km.

Para alcançar esse desempenho, a Volkswagen aumentou a eficiência do XL1 em todas as áreas de design e tecnologia. Isto incluiu a produção das janelas laterais por meio de uma solução moldada por um processo de injeção de dois estágios e uma tecnologia de revestimento por plasma da EXATEC™ sobre a resina LEXAN™ (PC) e a resina CYCOLOY™ (PC/ABS). Estes materiais reduzem o peso das janelas laterais em 33% em comparação a soluções convencionais de vidro, além de proporcionar uma aparência ótica de alta qualidade e uma superfície resistente à abrasão. A SABIC apoiou completamente a Volkswagen no desenvolvimento do design, engenharia e produção das janelas laterais.

Segundo a empresa, as soluções para “glazing” (plásticos para janelas de veículos) da SABIC podem reduzir o peso em até 50%, dependendo da complexidade e design da janela, se comparadas às versões em vidro convencional. Além de janelas laterais de um veículo, as montadoras podem optar por aplicar a tecnologia do glazing em PC para janelas laterais traseiras e dianteiras (rear and front quarter windows), teto e spoilers – aplicações já demonstradas em veículos de produção. Os parabrisas traseiros (backlites) apresentam uma oportunidade significativa para tirar o máximo proveito dos muitos benefícios possíveis com o uso do PC, incluindo a redução de peso, maior liberdade de design, peças aerodinâmicas e maior integração de funções.

De olho no futuro

Uma segunda aplicação de destaque na exibição é um protótipo de volante todo em plástico com base na resina LEXAN™ EXL da SABIC, um copolímero de PC de alto desempenho, com boa resistência ao impacto em ampla faixa de temperatura e elevada rigidez. Segundo a SABIC, utilizando-se um processo de moldagem por injeção de termoplásticos para este produto pode-se reduzir a massa em até 20% e de 10% a 20% o custo final da peça. A redução de massa oferece às montadoras mais espaço para a integração de componentes eletrônicos e maior liberdade de design para explorar formas originais e designs inovadores. Comparado ao processo de fundição tradicional, a moldagem por injeção pode evitar operações secundárias e agilizar a produção, reduzindo o consumo de energia e as emissões de gases de efeito estufa do processo de fabricação em até 80% e 90%, respectivamente.

Outras aplicações apresentadas no Congresso SAE Brasil 2013 no estande da SABIC incluem:

·          Paralamas e portinholas do tanque de combustível moldados a partir de resina NORYL™ GTX. Este material, quando substitui o metal, pode reduzir até 50% em peso, permitindo uma maior liberdade de design e estilo. Paralamas moldados com este material podem ser pintados on-line, ou seja, junto ao restante do corpo do veículo de demais peças metálicas, evitando a necessidade de operações secundárias e garantindo uma combinação perfeita de cores. Esta resina que é condutiva não exige uma etapa de aplicação de primer antes da pintura.

·         Módulos frontais (Front-End modules) fabricados com a resina STAMAX™ (polipropileno reforçado com de fibra de vidro longa), oferece redução de peso, boa resistência térmica e desempenho mecânico, bem como a capacidade de consolidar as peças para a montagem simplificada.

·         Molduras de faróis e componentes transparentes para iluminação moldados com a resistente resina de PC LEXAN™, uma das soluções em materiais mais importantes do mundo para lentes de faróis. A resina ULTEM™ também é destaque para aplicações em sistemas de iluminação devido às suas propriedades de alta resistência térmica e estabilidade dimensional, características que fazem desta resina um excelente candidato para avançados projetos de faróis de LED.

·         Absorvedores de energia para proteção de pedestres com base na resina XENOY™ iQ, um material composto por uma porcentagem significativa de resíduos pós-consumo renovados, tais como garrafas de água (PET). Além de redução de massa que melhora a característica de consumo de combustível e de emissões, este material oferece medidas eficientes de absorção de energia para atender os requisitos de proteção de pedestres e os danos aos veículos causados em acidentes de baixa velocidade.

A unidade de negócios da SABIC- Innovative Plastics trabalha em colaboração com os clientes desde as primeiras fases do projeto para garantir a correspondência ideal entre atributos materiais e requisitos de aplicação para o melhor desempenho geral. A SABIC possui equipes locais no Brasil, ligadas e apoiadas pela rede global da SABIC, as quais estão disponíveis para oferecer suporte técnico e de desenvolvimento. A SABIC oferece ainda aos clientes na América do Sul acesso fácil e rápido aos materiais de suas instalações de produção localizadas em Campinas (SP), no Brasil e em Tortuguitas, na Argentina.

Fonte: SABIC-IP

Curta nossa página no

DSM e KACO desenvolvem tampa de virabrequim feita em poliamida 410 que reduz custos e peso

02/09/2013
dsm_kaco_1

Tampa de virabrequim fabricada em poliamida 4.10 da DSM para motores Volkswagen de próxima geração

A Royal DSM, juntamente com sua parceira especialista em componentes automotivos KACO, deram um passo importante para melhorar a eficiência no uso de combustível nos automóveis. As duas empresas desenvolveram uma tampa leve multifuncional de virabrequim em EcoPaXX® – uma poliamida 4.10 da DSM proveniente de fontes renováveis – para a mais recente geração de motores a diesel desenvolvidos pelo Grupo Volkswagen.

A tampa fabricada com poliamida incorpora vedações integrais em teflon (PTFE) e borracha de silicone líquida (LSR), assim como vários insertos metálicos. Ela será usada em uma nova plataforma modular MDB da Volkswagen para motores a diesel implementados nas suas marcas Audi, Seat, Škoda e VW. A Volkswagen, juntamente com todos os principais produtores de automóveis, está em constante busca por novas maneiras de aumentar a sustentabilidade de seus produtos, e a nova cobertura do virabrequim derivada de fontes renováveis é um bom exemplo das soluções que está implantando.

Segundo a DSM, quando comparados às tampas feitas em alumínio, os custos das tampas produzidas com a poliamida da DSM são consideravelmente mais baixos, em parte graças ao uso de uma célula de produção integrada totalmente automatizada para a fabricação do componente na KACO. O peso também foi reduzido consideravelmente, pois o EcoPaXX é 45% menos denso do que o alumínio.

De acordo com a DSM, o desenvolvimento representa um avanço significativo em termos de sustentabilidade, desde o momento da produção até o uso do veículo. A poliamida 410 EcoPaXX da DSM  é 70% derivada de fontes renováveis (óleo de mamona). A KACO utiliza a célula de produção energeticamente eficiente não só para moldar a tampa do virabrequim, mas também para integrar duas vedações separadas: a primeira, em PTFE, é colocada no molde por um robô, sendo o EcoPaXX moldado sobre ela;  a segunda, em LSR, é então moldada diretamente na peça usando um processo 2K. Isto resulta em uma redução de energia utilizada durante a produção, sem nenhum desperdício de material. Por fim, como a tampa do virabrequim pesa muito menos do que a sua versão em alumínio, o veículo funciona com mais eficiência, economizando combustível e reduzindo as emissões de dióxido de carbono ao longo de sua vida.

As tampas termoplásticas de virabrequim ainda são incomuns, sendo que as poliamidas 6 ou a 66 são o material de preferência. A especificação dimensional muito rígida da versão VW, assim como as cargas elevadas que a tampa tem que suportar, tornaram particularamente severo o desafio de produzir a peça em termoplástico. Segundo a DSM, a empresa enfrentou o desafio, juntamente com a KACO, graças ao desempenho excepcional da sua poliamida 4.10 – propriedades mecânicas muito boas a elevadas temperaturas, combinadas com uma excelente tenacidade fazem dele um material ideal para o alto desempenho requerido durante o uso em condições extremas. As habilidades da KACO em integrar vedações estáticas e dinâmicas na peça de uma forma inteligente também foram um fator chave para o sucesso.

Andreas Genesius, chefe de Gestão de Projetos da KACO, ressalta a importância do processo de produção livre de resíduos “A peça sai da célula de injeção pronta para ser montada no bloco do motor”, diz ele. “Não é necessário fazer nenhum corte ou remoção de aparas. Através de uma abordagem holística em relação ao design e à produção de peças automotivas, estamos contribuindo para o progresso tecnológico sustentável, sem comprometer o desempenho ou a competitividade da peça”.

Genesius acrescenta que a chave para o sucesso do lançamento da tampa do virabrequim, após um período de desenvolvimento extremamente curto, foi o trabalho estratégico conjunto com os principais parceiros, incluindo a DSM, nas áreas de design de peças, desenvolvimento de material, design de processo e combinação de diferentes materiais.

A tampa do virabrequim é uma obra-prima de projeto de engenharia. A orientação das fibras, o número e a posição dos pontos de injeção e a concepção e integração dos vários insertos foram otimizados para minimizar o empenamento e garantir vedações rigorosas entre a tampa e o bloco do motor e o cárter de óleo. A tampa também tem que resistir ao aperto dos parafusos de fixação no bloco do motor e no cárter (cada um dos quais é construído com tolerâncias diferentes), bem como de ferramentas utilizadas para fixar a posição da correia de FEAD (Front End Accessory Drive). Com as suas excelentes propriedades mecânicas, o EcoPaXX proporcionou uma resposta para estas exigências, afirma a DSM.

Fonte: DSM

Curta nossa página no

Lanxess apresenta produtos na K 2013

30/08/2013

Entre os dias 16 e 23 de outubro, a multinacional alemã LANXESS participará, em Dusseldorf, na Alemanha, da K2013,  evento internacional voltado para o segmento de plásticos e borrachas.

k_2013A LANXESS focalizará suas soluções inovadoras para a mobilidade verde na K 2013. “Em todo o mundo existem mais de um bilhão de carros nas ruas e estradas, e até 2050 este número deverá subir para 2,5 bilhões. Portanto, a mobilidade sustentável está se transformando em uma megatendência global. Com inúmeros produtos e tecnologias, a LANXESS já é pioneira em mobilidade verde”, afirma o Dr. Werner Breuers, membro do Conselho de Administração da LANXESS. Entre outras coisas, a LANXESS utilizará a feira para focalizar na sua borracha de alta performance e nos produtos químicos de borracha para os pneus verdes com baixa resistência à rolagem, em termoplásticos de alta tecnologia para redução de peso e na sua borracha com base em matéria-prima sustentável.

Cultura de inovação voltada para a aplicação

Em 2012, a empresa de especialidades químicas LANXESS gerou quase 20% das vendas do grupo com produtos de mobilidade verde. “A nossa cultura de inovação está se concentrando sistematicamente nas necessidades de nossos clientes e trabalhamos em estreita colaboração com eles para desenvolver soluções inovadoras que podem ser lançadas no mercado de forma mais rápida e econômica possível”, afirma Breuers. No ano passado, a LANXESS investiu €192 milhões – cerca de 2,1% de suas vendas – em pesquisa e desenvolvimento, cerca de 33% a mais do que no ano anterior. “Em especial, a nossa cultura de inovação tem como objetivo o pagamento de dividendos nos mercados em crescimento na China, Índia, Rússia e Brasil, onde estamos fortalecendo nossa presença significativamente”, complementa o executivo. Por exemplo: uma fábrica de borracha butílica, com uma capacidade anual de 100 mil toneladas métricas foi inaugurada em Cingapura há um mês.

EPDM – foco na tecnologia ACE e nos mercados em crescimento

A LANXESS está buscando captar nova participação de mercado no mundo com mundial em elastômeros de etileno-propileno de alto desempenho (EPDM) Keltan com tecnologias avançadas de produção, investimento em mercados de crescimento e um portfólio focalizado. Segundo a empresa, a inovadora tecnologia ACE desempenha um papel-chave neste aspecto, produzindo EPDM sem o uso de cloro em um processo de elevada pureza e com uma composição que pode ser controlada com um grau de detalhamento que dificilmente teria sido possível no passado. “Sete grades no portfólio de EPDM têm um desempenho superior graças à tecnologia. Ela também nos permite adicionar novas grades de EPDM ao nosso portfólio”, completa o Dr. Torsten Derr, head da unidade de negócio Keltan Elastomers. Seus investimentos incluem a maior planta do mundo de EPDM em Changzhou, na China, com uma capacidade anual de até 160 mil toneladas. O início da produção está previsto para 2015.

Grades de borracha técnica – solucionando problemas muito específicos

A Lanxess afirma que a unidade de negócios High Performance Elastomers, um dos principais fornecedores do mundo de borracha técnica, está empenhada em desenvolver especialidades inovadoras como soluções para problemas muito específicos. Ela está seguindo uma estratégia de quatro vertentes em borracha nitrílica de butadieno (NBR). Além de grades de NBR com custo-benefício e diversificação do portfólio através de materiais específicos para clientes, por exemplo, o foco também são os grades inovadores de NBR e novos grades de pó de NBR, Baymod. Um passo inovador de composição na produção de policloropreno amplia a gama de aplicações para esta borracha. “Isso ajudou-nos a desenvolver duas novas famílias de produtos, Baypren HP e GF. Baypren HP inclui produtos com propriedades que ainda não estão disponíveis no mercado”, afirma Jan Paul de Vries, chefe de High Performance Elastomers. Entre os materiais Levapren de poliacetato de vinila (EVM) em desenvolvimento, um grade para a modificação da resistência ao impacto de ácido poliláctico é altamente promissor, afirma a empresa. O ponto de foco das atividades de investimento da unidade de negócios é a Ásia. Por exemplo, uma planta de borracha nitrílica com uma capacidade anual de 30 mil toneladas foi inaugurada em Nantong na China, em maio de 2012, em conjunto com um parceiro.

Termoplásticos de alta tecnologia – redução de peso na indústria automotiva

A unidade de negócios High Performance Materials (HPM) pretende exibir na K 2013 sua posição global em construção automotiva leve, com base em poliamidas de alta tecnologia e poliésteres Durethan e Pocan. Isto foi recentemente reforçado por meio da aquisição da Bond-Laminates, um fabricante e fornecedor de compostos contínuos de termoplástico de performance reforçado com fibra comercializados sob a marca TEPEX. “Somos hoje um dos poucos fabricantes de termoplásticos no mundo que podem fornecer compostos e compostos de performance reconhecidos, em produção de grande escala com o know-how de aplicações correspondentes para o volume de produção de componentes leves “, afirma o Dr. Michael Zobel, diretor da HPM. A empresa vai aproveitar principalmente sua posição única em construção leve para ampliar ainda mais o negócio nos mercados de crescimento e continuar o processo de globalização com novas instalações de produção. Entre os exemplos de expertise de HPM para construção leve citada por Zobel estão as primeiros dianteiras que consistem inteiramente de poliamida 6 e o primeiro pedal de freio para carros feito com poliamida reforçada com fibras de vidro contínuas e adequado para produção em série em grande escala.

Fonte: Lanxess / Virta

Curta nossa página no

Poliuretano Termoplástico Expandido da BASF confere novas propriedades a tênis de corrida da Adidas

29/08/2013
  • Nova espuma InfinergyTM da BASF usada em calçados adidas para corrida
  •  Jogging mais confortável: material exclusivo revestido com espuma oferece efeito  mola e propriedades de amortecimento
  •  Maior efeito elástico: estrutura com câmara de ar especial de esferas de espuma fundidas retorna energia em grande proporção
  • Leve e flexível: poliuretano termoplástico expandido confere novas aplicações.

BASF_AdidasO mundo está em movimento. Para manter a boa forma, cada vez mais pessoas caminham quilômetros em campos e estradas. Pode-se correr simplesmente em qualquer lugar. Tudo o que se precisa são de  roupas confortáveis e calçados para corrida. A indústria mundial de equipamentos esportivos está se beneficiando de um maior entusiasmo por corrida: mundialmente, os corredores investem cerca de €15 bilhões em equipamentos. Os clientes colocam prioridade máxima em bons calçados. Mesmo as pessoas que praticam jogging eventualmente procuram solados leves que proporcionem excelente absorção de choque e mais conforto durante a corrida.

Os calçados esportivos atuais são genuinamente produtos de alta tecnologia se comparados com as versões anteriores: os inúmeros materiais diferentes utilizados para fabricar os calçados os tornam leves e estáveis. Os materiais permitem que os calçados sejam personalizados com precisão para se ajustar ao estilo de corrida.

Tudo isto pode ser confirmado ao observarmos os laboratórios de desenvolvimento dos fabricantes de calçados esportivos: as amostras de teste passam por placas de medição de pressão que analisam e avaliam todos os passos. Câmeras de alta velocidade filmam os padrões de movimento e o deslocamento da planta dos pés nos mínimos detalhes. Toda esta informação segue para o design do calçado, que permite aos atletas conquistarem novos recordes pessoais – além de oferecer aos corredores recreativos excelentes condições de corrida.

Os fabricantes estão em busca permanente por tecnologias de ponta e materiais inovadores. A adidas também desenvolve constantemente seus calçados para corrida. A empresa, com sede em Herzogenaurach, Alemanha, já conta com o suporte dos especialistas da BASF há mais de 20 anos. Ao utilizar a nova espuma InfinergyTM da BASF, a adidas desenvolveu o Energy Boost, um calçado para corrida completamente novo com molas e propriedades amortecedoras. A entressola do calçado é seu recurso diferencial, o elemento central de todos os calçados para corrida. Ela é feita de uma nova espuma em partículas capaz de absorver o impacto de choque nos pés durante a prática do jogging, ao mesmo tempo que os amortece simultaneamente. Segundo a BASF, o alto efeito elástico do material proporciona ao corredor um retorno de energia não oferecido por nenhum outro calçado para corrida.

O Infinergy é feito de poliuretano termoplástico expandido (E-TPU). “O E-TPU é produzido pela formação de espuma do material primário, grânulos de TPU” , explica o Dr. Uwe Keppeler, desenvolvedor de materiais e processos da BASF. “Depois do pré-tratamento com pressão e calor, os grânulos individuais que medem até cinco milímetros estouram como pipoca”. No processo, seu volume aumenta dez vezes para produzir esferas de espuma ovais com bolhas de gás fechadas no interior. “Estas câmaras de ar vedadas tornam as esferas de espuma leves bastante elásticas e proporcionam o efeito elástico desejado. As esferas individuais podem ser ilustradas como bolas de futebol minúsculas: quanto mais ar elas contêm, mais elas batem e voltam”, diz o Dr. Frank Prissok, cientista de pesquisas da BASF.

2.500 esferas de espuma em um calçado

Para todas as entressolas, a adidas precisa de aproximadamente 2.500  pequenas esferas. Para transformá-las na forma desejada, elas são tratadas com vapor quente, um processo no qual a camada externa das esferas derrete levemente, fazendo com que as mesmas se unam e tomem uma forma estável. A estrutura interna das câmaras de ar permanece inalterada por meio do processo.

De acordo com a BASF, uma entressola feita de Infinergy pode ser comprimida a um grau extremo: até cerca de metade de seu volume a uma pressão de dois bars. Esta propriedade é particularmente eficaz na absorção de impacto do choque nos pés. Assim que o impulso compressivo diminui, a espuma retorna a sua forma inicial em velocidade relâmpago. O solado, portanto, absorve a energia do corredor, mas depois retorna uma grande quantidade para o corredor. Este efeito elástico das esferas individuais de Infinergy transforma literalmente os calçados do corredor em fontes de energia: “Quando os pés pressionam o piso, a força despendida é amplamente retornada ao atleta. Isto resulta em um comportamento de corrida completamente novo e melhor. Muitos corredores dizem que o calçado parece estar praticamente vivo”, explica Gerd Manz, Diretor Sênior Mundial de Inovação em Marcas da adidas. Outra vantagem da espuma, segundo a BASF, é que ela não é apenas leve, mas também mantém sua elasticidade em uma ampla faixa de temperaturas. As partículas garantem que o calçado Energy Boost também retenha suas propriedades positivas a menos 20ºC. “As características de corrida são, portanto, as mesmas em temperaturas congelantes como a 30ºC”, diz Manz.

Material para pneus que não furam

Muito leve e elástico – estas propriedades especiais fazem de Infinergy um material com uma ampla variedade de aplicações, afirma a BASF. Algumas das aplicações já estão em fase de ensaio. Outras talvez estejam distantes, mas certamente são viáveis: no futuro, a espuma da BASF poderá, por exemplo, tornar uma realidade o pneu de bicicleta que nunca fura, algo com o qual muitos ciclistas sonham.
Infinergy também é potencialmente ideal como piso para pistas de corrida. Para os fabricantes da indústria automotiva, que estão sempre em busca de materiais leves e robustos, a espuma de especialidades da BASF também oferece oportunidades completamente novas.

“Combinando propriedades irreconciliáveis”

Segundo Gerd Manz, Diretor Sênior Mundial de Inovação em Marcas da Adidas, o novo material da BASF permite a combinação de propriedades, tais como suavidade e resiliência altamente reativa – duas características consideradas irreconciliáveis anteriormente. A entressola do Energy Boost oferece uma experiência em corrida completamente nova.

Afirma Manz que durante o teste do novo material pela adidas, entras outras coisas, eles simularam o impacto do salto para medir o retorno de energia do material. Descobriram que o plástico de especialidades da BASF retorna a energia muito melhor que os materiais anteriores. Analisaram também a estabilidade de temperatura na câmara climática e descobriram que o material do solado oferece resistência à temperatura três vezes mais em comparação à espuma convencional.

Sobre a durabilidade do solado, afirma Manz: ” No teste de compressão, o material foi comprimido 10.000 vezes para avaliarmos sua resistência: apesar de a espuma ser mais macia do que os materiais anteriores, a estrutura das células permanece intacta por muito mais tempo e o calçado retém suas propriedades por centenas de quilômetros.”

Fonte: BASF

Curta nossa página no

SABIC exibe na MDM Brazil 2013 soluções para a indústria médica projetadas para ajudar a melhorar a segurança do paciente e do médico

29/08/2013

SABIC_MDMA unidade de negócios Innovative Plastics da SABIC está ajudando seus clientes brasileiros que atuam na indústria médica e hospitalar a enfrentar o desafio de reduzir  infecções relacionadas à assistência médica entre pacientes e profissionais da área. Segundo um relatório de 2011 da Organização Mundial da Saúde, estima-se que, em países em desenvolvimento como o Brasil, 10 entre cada 100 pacientes hospitalizados devem contrair pelo menos uma vez durante o tratamento uma infecção hospitalar. O amplo portfólio da SABIC de soluções de materiais para a área da saúde, em exibição na MD&M Brazil 2013 (27-28 de agosto; São Paulo, Brasil), pode ajudar seus clientes a reduzirem esse número e atenderem às demandas cada vez mais rigorosas da tecnologia médica, incluindo melhor desempenho em esterilização e propriedades antimicrobianas.  Dentre as soluções destacadas no evento, estão a resina ULTEM™ HU1004 da SABIC – uma combinação de resinas PEI (polieterimida) desenvolvida especificamente para aplicações na área da saúde –, todo o portfólio antimicrobiano da linha LNP™ da SABIC e ainda a resina LEXAN™ HFD, um copolímero de policarbonato de alto fluxo desenvolvido com foco no desempenho do processamento. Todos esses materiais demonstram o compromisso da SABIC com seus clientes locais, no sentido de permitir que desenvolvam dispositivos médicos econômicos e com tecnologia de ponta, visando oferecer à pacientes e médicos os mais seguros ambientes para assistência à saúde.

“A redução das infecções relacionadas à assistência médica é um desafio em todo o mundo na área da saúde. Em um país como o Brasil, com uma classe média crescente, mais pessoas estão buscando atendimento médico, o que aumenta a possibilidade de contração de infecções hospitalares”, explicou Cathleen Hess, diretora de marketing na área de saúde da Innovative Plastics da SABIC. “Na SABIC, temos o compromisso contínuo de desenvolver soluções robustas que não apenas permitam aos nossos clientes atender aos desafios existentes de prevenção de infecções, mas também acompanhar as tendências da área de saúde como um todo.”

Para fortalecer as ofertas locais da SABIC, as fábricas de Campinas (Brasil) e Tortuguitas (Argentina) foram certificadas, em conformidade com as normas da FDA (Agência de Controle de Alimentos e Medicamentos dos EUA), para produzir materiais em contato com alimentos e também materiais que exijam biocompatibilidade conforme a ISO 10993.  Essas certificações podem ajudar os clientes sul-americanos a encurtarem o tempo de desenvolvimento dos produtos, reduzirem os custos de estoque e aumentarem a flexibilidade na compra de materiais, além de atenderem ao previsto aumento nos gastos com a assistência médica no Brasil, tendo em vista uma expectativa de crescimento de cerca de 8,6% (taxa de crescimento anual composta) no período de 2012-20151.

Grade de Polieterimida para aplicações que exigem intensos procedimentos de esterilização

A maior ênfase no controle de infecções está fazendo com que as atenções se voltem para os vários tipos de processos utilizados na esterilização de equipamentos e dispositivos médicos e odontológicos.  Segundo a SABIC, a resina ULTEM HU1004, uma blenda de polieterimida (PEI) com maior estabilidade hidrolítica, é um material recomendado para novas e complexas aplicações que precisam passar por vários ciclos e diferentes processos de esterilização. Esses métodos – incluindo autoclave a vapor de alta temperatura (até 134° C), radiação gama e a esterilização por plasma de peróxido de hidrogênio, um processo emergente adequado a baixas temperaturas – podem degradar os dispositivos com o tempo, diminuindo sua integridade mecânica, interferindo no desempenho ou alterando sua aparência.  Em testes envolvendo particularmente o processo de esterilização por plasma de peróxido de hidrogênio, a resina ULTEM HU1004 supera a polifenilsulfona (PPSU) em resistência à tração e ductilidade (fundamentais para estender a vida útil dos dispositivos) e mantém melhor a cor e a aparência.

Portfólio antimicrobiano pode ajudar a reduzir as infecções hospitalares em diversas aplicações

Segundo a SABIC, o seu portfólio antimicrobiano da linha LNP pode oferecer aos fabricantes de dispositivos novas soluções para enfrentar preocupações de pacientes e médicos com infecções associadas à assistência médica. O portfólio da SABIC inclui nove grades antimicrobianos diferentes, passando por quatro famílias de produtos: copolímero de policarbonato LEXAN™ EXL, resina de policarbonato (PC) LEXAN, resina XENOY™ PC/ PBT e resinas de polipropileno (PP) com e sem reforço de fibra de vidro. Essas resinas utilizam tecnologia antimicrobiana baseada em prata, já que a prata é bem adequada a várias aplicações e é aceita como antimicrobiano de ampla faixa de atuação, com atividade contra diversos patógenos.

A empresa afirma que cinco desses grades têm um alto efeito antimicrobiano (valor de redução logarítmica acima de 4, representando uma redução de 99,99 % quando testado com MRSA, seguindo o protocolo de testes ISO 22196-2007 em condições de laboratório) e quatro deles têm um efeito antimicrobiano baixo (valor de redução decimal abaixo de 4, representando uma redução de 99,0 a 99,99 % quando testado com MRSA seguindo o protocolo de teste ISO 22196-2007 em condições de laboratório). Essas opções permitem flexibilidade aos clientes, dependendo das necessidades específicas da aplicação. Além de terem essa opção, os clientes podem reduzir custos adicionais uma vez que as resinas SABIC são formuladas para serem eficazes nas mais baixas concentrações de prata.

Possíveis aplicações incluem a administração de fluidos e medicamentos, instrumentos cirúrgicos, dispositivos de monitoramento e imagem e equipamentos médicos duráveis, como camas hospitalares e mesas de operação.

Copolímero de Policarbonato de alto fluxo permite criar dispositivos médicos com designs inovadores

De acordo com a SABIC, as resinas LEXAN HFD oferecem aos projetistas de dispositivos médicos a oportunidade de reavaliar projetos para reduzir a espessura de parede de peças e possivelmente melhorar o desempenho do dispositivo por conta da menor tensão gerada na moldagem. Ainda segundo a empresa, essas vantagens posicionam esses novos materiais em uma grande variedade de aplicações, como gabinetes de equipamentos eletrônicos, artigos descartáveis utilizados no tratamento do paciente e equipamentos de diagnóstico e monitoramento. Além disso, a melhor aparência e a menor birrefringência da resina LEXAN HFD, em comparação com o PC padrão, oferecem potencial para uso em iluminação médica ou em dispositivos que exijam características ópticas excepcionais.

Com a maior ênfase no controle de infecções em ambientes de tratamento hospitalares e domésticos, os dispositivos médicos estão sujeitos a ciclos de limpeza regulares com produtos químicos e de esterilização cada vez mais rígidos.  Em decorrência disso, foi demonstrado que os dispositivos construídos de policarbonato padrão podem ser vulneráveis a rachaduras provocadas por estresse ambiental, em parte devido ao estresse residual relativamente alto em componentes moldados com PC padrão.  A SABIC afirma que as resinas LEXAN HFD, com menor tensão gerada na moldagem, podem ajudar a reduzir a ocorrência desse tipo de rachadura.

Conformidade regulatória de forma mais rápida

Os grades de resina antimicrobiana da SABIC estão entre os mais de 50 materiais médicos de alta tecnologia que contam com o suporte da política de produtos médicos da empresa, projetados com o objetivo de ajudar os OEMs a obter conformidade regulatória para suas aplicações farmacêuticas e da área médica, poupando tempo e dinheiro. A SABIC afirma que a sua política de produtos médicos dá aos clientes a confiança de que esses materiais atendem às normas globais de segurança, são fornecidos com formulação consistente e foram previamente avaliados para biocompatibilidade.

Fonte: SABIC

Curta nossa página no

Poliamida da DSM é usada em perfis de isolamento para janelas de alumínio

12/07/2013
  •  A Royal DSM apresenta a poliamida 4.10 EcoPaXX, um polímero com 70% de componentes de fontes renováveis, que torna os perfis de esquadrias de isolamento  produtos mais sustentáveis. 
  • Fornecedores de janelas de alumínio estão constantemente procurando formas de fabricar produtos mais sustentáveis 

DSM_Esquadrias_1Esquadrias de alumínio incorporam perfis isolantes para garantir diferenças térmicas entre as esquadrias internas e externas de prédios. As diferenças térmicas também contribuem para a integridade mecânica das janelas, por isso precisam ser feitas com materiais de qualidade, hoje em dia em sua grande maioria feitas de poliamida 66. Estas janelas tecnologicamente avançadas contribuem de forma significativa para eficiência energética de casas e prédios.

Os prédios são responsáveis por mais de 40% do consumo mundial de energia e são também responsáveis pela maioria das emissões de CO2, segundo a Organização para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OECD). O setor da construção tem o dobro do potencial de contribuição nas emissões de CO2 comparado ao setor de transportes e, consequentemente, o dobro de responsabilidade para resolver este problema.

Enquanto a eficiência energética de um edifício em uso é o aspecto mais importante para seus índices de sustentabilidade, o gerenciamento de recursos e a pegada ecológica dos materiais usados para construir um prédio vem sendo cada vez mais levado em conta.

“Produtores de alumínio líderes e inovadores querem desenvolver ofertas de produto que não apenas demonstrem a sustentabilidade na fase de uso, mas também nos materiais utilizados para construir seus produtos”, diz Caroline Mitterlehner, gerente global do segmeto de construção da DSM. “A visão é avançar em direção ao uso de materiais com conteúdo biológico e pegada de carbono mais baixa que os produtos atualmente utilizados”.

O EcoPaXX atende à crescente necessidade de uso de matérias-primas sustentáveis em construções. Aproximadamente 70% da matéira prima do EcoPaXX é proveniente de mamonas (Ricinus Communis), um recurso renovável. O produto tem se provado neutro em carbono em todas as etapas, significando que o dióxido de carbono (CO2) gerado na produção de polímeros é completamente compensado pelo CO2 absorvido pela planta enquanto ela cresce.

Segundo a DMS, o EcoPaXX possui inúmeras vantagens sobre os plásticos de engenharia em esquadrias isolantes, além das associadas com suas credenciais ambientais. Seu alto ponto de fusão de 250°C lhe permite passar por um processo de revestimento de pólvora em um quadro totalmente feito de alumínio, facilitando o processo de montagem. O EcoPaXX oferece excelente resistência hidrolítica e química e uma absorção significativamente menor de umidade que a PA66. As esquadrias de janela que incorporam o EcoPaXX podem ser projetadas de acordo com as exigências dadas pela padronização EN14024, que estabelece exigências para o desempenho mecânico de esquadrias metálicas com barreiras térmicas.

“O uso de mais materiais feitos a partir de fontes renováveis em construções, com pegadas de carbono menores do que em materiais utilizados atualmente, contribui para um ambiente mais sustentável”, acrescenta Caroline Mitterlehner. “O uso de materiais como o EcoPaXX não apenas contribuem para a eficiência energética de construções em uso, mas também garante uma cadeia de produção mais sustentável”.

Fonte: DSM

Curta nossa página no

Empresa alemã desenvolve filme fabricado a partir de poliamida de base biológica da DSM

02/07/2013

DSM_MF_FolienA Royal DSM anunciou que a sua parceira de desenvolvimento, MF Folien GmbH , com base em Kempten, sul da Alemanha, introduziu com sucesso um novo filme de poliamida, que tem por base a poliamida 410 EcoPaXX® da DSM.

A MF Folien é uma empresa líder especializada na produção de filme de poliamida e tem sido parceira da DSM no desenvolvimento da filme EcoPaXX desde o início. Em 2011, a empresa foi a primeira a criar amostras de filme fundido de 30 mícrons de EcoPaXX. Este filme tem o mesmo nível elevado de qualidade pelo qual a MF Folien é reconhecida no mercado. Amostras de filme com base em EcoPaXX estão disponíveis em várias espessuras: 30, 40 e 50 mícrons. As potenciais áreas de aplicação são a embalagem flexível de alimentos, edificação e construção, serviços médicos, aviação e transporte.

Falando em nome da MF Folien, Mr. Rainer Leising, gerente geral de vendas, disse: “Estamos muito satisfeitos por estar trabalhando com a DSM no desenvolvimento desta solução de material inovadora e sustentável. Desde que nós introduzimos pela primeira vez o filme EcoPaXX, com seu brilho inconfundível, aparência prateada de “alta tecnologia”, o material tem estado presente em nosso catálogo de produtos.” Os filmes de poliamida 410 EcoPaXX são resistentes e transparentes com uma resistência elevada a perfurações. Têm um índice reduzido de transmissão de umidade em comparação com o filme de poliamida 6 e uma barreira de oxigênio comparável. Quando completamente molhada, a barreira de oxigénio de poliamida 410 é ainda mais elevada.

Recentemente, três grades de EcoPaXX obtiveram a etiqueta “Produto de Base Biológica Certificado”, concedida pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos da América (USDA). Estas etiquetas certificam um teor de base biológica comprovado de cerca de 70%. O conteúdo de base biológica da poliamida 410 EcoPaXX é derivado de um dos seus elementos constituintes, obtido a partir do óleo de mamona, planta que cresce em regiões tropicais e que não é usada para fins alimentícios. O dióxido de carbono gerado durante o processo de produção do polímero é completamente compensado pela quantidade de dióxido de carbono absorvido na fase de crescimento das bagas de mamona.

A DSM introduziu o EcoPaXX de modo a satisfazer a crescente procura do mercado por plásticos de engenharia de base biológica duradouros e de alto desempenho. Kees Tintel, Gerente Administrativo de EcoPaXX na DSM, afirmou: “Reconhecemos que o mercado deseja soluções mais sustentáveis que tenha uma menor pegada de carbono e uma base biológica. A DSM conseguiu desenvolver este material, o qual, além de seu desempenho ecológico, proporciona propriedades iguais ou mesmo superiores quando comparado às suas alternativas tradicionais.”

Mr. Tintel acrescentou: “O EcoPaXX reflete o foco da DSM em materiais inovadores e sustentáveis. Além do EcoPaXX, a DSM oferece uma gama de outros materiais de alto desempenho de base biológica, incluindo Arnitel® Eco, um copoliester termoplástico de base biológica e Palapreg® ECO, um termorrígido de base biológica.”

Fonte: DMS

Curta nossa página no

Lanxess produz PBT a partir de matéria-prima renovável pela primeira vez em uma planta industrial

25/06/2013
Lanxess_PBT

Planta industrial em Hamm-Uentrop, na Alemanha, usada pela Lanxess para converter bio-BDO em PBT.

  • PBT (polibutileno tereftalato) é produzido em uma planta de escala mundial com 1,4-butanodiol (BDO) obtido da fermentação de acúcares   
  • 20 toneladas de bio-BDO obtido através de processo da Genomatica foram convertidos em PBT   
  • PBT obtido a partir de BDO de origem renovável tem mesma qualidade que o mesmo material derivado de petróleo.

A Lanxess e a Genomatica anunciaram que a Lanxess operou com sucesso uma campanha de produção de PBT em um planta industrial da Lanxess com 20 toneladas de BDO (1,4-butanodiol) obtido através de um processo da Genomatica já comercialmente comprovado. Este BDO atendeu às exigentes especificações da Lanxess para o BDO derivado de petróleo, permitindo uma alimentação direta de 100% do bio-BDO  no processo de produção contínua.

As propriedades e a qualidade do PBT de base biológica resultante são totalmente equivalentes às do PBT convencional derivado de petróleo com relação a todos os parâmetros testados. A planta industrial de PBT, em escala mundial, com uma capacidade de 80.000 toneladas métricas por ano, está localizada em Hamm-Uentrop, na Alemanha, e operou como uma joint venture na qual a LANXESS tem uma participação de 50%.

A tecnologia de processo da Genomatica converte açúcares – uma matéria-prima renovável –  em BDO através de um processo de fermentação  “direta”,  que foi patenteado.

“Nós estávamos entusiasmados para validar o BDO de base biológica feito com o processo da Genomatica como um substituto integral para o BDO derivado de petróleo na produção de nosso PBT”, disse Hartwig Meier, chefe global de Desenvolvimento de Produtos e Aplicações da Unidade de Negócios da LANXESS de Materiais de Alto Desempenho . “Este é um forte sinal para o mercado e um enorme passo à frente em nossos planos futuros para oferecer o nosso plástico de alta tecnologia Pocan também em uma versão de base biológica. Devido às suas propriedades inalteradas, os compostos Pocan derivados do bio-PBT podem ser usados diretamente em campos de aplicação estabelecidos, como a área automotiva ou de eletro-eletrônicos. Isso se encaixa muito bem na nossa estratégia de ‘Mobilidade Verde’. “

“O sucesso da LANXESS prova a rapidez com que os monômeros de base biológica podem ser integrados em unidades de produção de polímeros de escala industrial quando você pode oferecer exatamente o mesmo desempenho de uma “commodity” química já existente”, disse Christophe Schilling, Ph.D., CEO da Genomatica . “Esta é uma prova adicional de que conseguimos os detalhes certos.”

A LANXESS é uma empresa líder em especialidades químicas, com vendas de EUR 9,1 bilhões em 2012 e cerca de 17.400 funcionários em 31 países. A empresa está atualmente representada em 50 unidades de produção em todo o mundo. O core business da LANXESS é o desenvolvimento, fabricação e comercialização de plásticos, borracha, produtos intermediários e produtos químicos especiais.

A Genomatica é uma fornecedora líder de processos para a indústria química, oferecendo novos processos de fabricação de produtos químicos a partir de matérias-primas renováveis, de forma econômica e sustentável, em comparação com processos tradicionais baseados em petróleo. O primeiro processo de Genomatica – para a produção de BDO – agora está disponível comercialmente. A Genomatica também está desenvolvendo processos para outros produtos químicos de alto volume, incluindo butadieno.

Fonte: Lanxess

Curta nossa página no

DSM apresenta soluções inovadoras e sustentáveis em Plásticos de Engenharia na Feiplastic 2013

05/06/2013

Empresa apresentou resinas plásticas de alta performance, durabilidade, com diversas aplicações na indústria e presentes no dia a dia de pessoas no mundo todo

DSM_StandA DSM, um dos principais fornecedores mundiais de plásticos de engenharia de alta performance, expôs na Feiplastic – Feira Internacional do Plástico, ocorrida em São Paulo de 20 a 24 de maio de 2013.

Durante a feira, a empresa destacou suas soluções em Poliamidas e Elastômeros Termoplásticos, confirmando sua posição de vanguarda no desenvolvimento de plásticos de engenharia para as indústrias automotiva, eletroeletrônica, de embalagens flexíveis para alimentos e de bens de consumo.

De acordo com Richard Pieters, presidente da Unidade de Negócios de DEP para as Américas, a empresa vê perspectivas muito promissoras no mercado brasileiro. A decisão da empresa de expor na Feiplastic 2013 reflete o interesse da DSM em expandir as suas atividades no País. Segundo Pieters, a DSM é uma empresa que investe continuamente em inovação e P&D, com o intuito de preservar sua liderança global nos segmentos em que atua, buscando atender a tendências atuais do mercado, tais como a redução de peso pela substituição de metais por plásticos na indústria automotiva e a utilização de matérias-primas renováveis.

Inovação e Sustentabilidade

Junto aos materiais de alto desempenho e durabilidade, a empresa levou à feira valores ligados ao núcleo de sua filosofia de trabalho: inovação e sustentabilidade. Inovação para conhecer as necessidades das gerações atuais sem comprometer gerações futuras e sustentabilidade para criar, entre outros projetos, plásticos de engenharia renováveis, que estão ajudando o mundo a se livrar da dependência de materiais fósseis e poluentes.

Soluções automotivas para as demandas da indústria

Segundo a DSM, os materiais avançados fornecidos pela empresa garantem à indústria automotiva redução dos índices de carbono ao longo da vida útil do veículo. Desde sistemas de mais baixo custo até a substituição de peças metálicas, passando pela melhora de produtividade no processamento de materiais, os plásticos da DSM ajudam no surgimento de veículos mais leves, resistentes, seguros e sustentáveis.

DSM_ECOPAXXO EcoPaXX™, por exemplo, é um polímero de alta performance, desenvolvido com matéria-prima renovável. É uma poliamida 4.10 que tem 70% de óleo de mamona em sua composição. Com cadeia polimérica longa, baixa absorção da umidade e alto ponto de fusão devido à alta taxa de cristalização, é um produto único entre os biopolímeros disponíveis para comercialização e aplicação. Suas principais características, de acordo com a empresa, são as ótimas resistências térmica e química, alta resistência mecânica e ótimo acabamento externo. Foi escolhido para a tampa do motor do Mercedes Benz Classe A, o que resultou na diminuição de 40% dos índices de carbono do veículo, em relação a outras coberturas de motor.

DSM_Stanyl_DiabloO Stanyl® é uma poliamida 4.6 de alta performance, que pode suportar temperaturas até 230ºC, com alta durabilidade e resistência à fricção e calor elevados, segundo informado pela DSM. Por isso, é muito usada na substituição de peças metálicas.Stanyl® Diablo OCD 2305 BM é uma poliamida resistente a altas temperaturas, apta para o processo de extrusão e sopro, ao mesmo tempo em que se encaixa em todos os requisitos para dutos com altas cargas de ar quente.

O Arnitel® é um copoliéster elastomérico que trabalha em uma faixa ampla de temperatura, com foco na substituição de borrachas. A DSM afirma que o Arnitel mantém as propriedades mecânicas em temperaturas altas e baixas, a partir de -45º até 150ºC, garantindo flexibilidade, elasticidade, permeabilidade ao vapor de água e resistências química e térmica.

A DSM é líder mundial na fabricação de poliamida 6, Akulon®, tendo sua produção integrada, desde o monômero aos mais diferentes compostos para injeção. É utilizado em aplicações internas e externas de veículos (retrovisores, maçanetas), em coletores de admissão, container do air bag, entre outros. Segundo a DMS, o Akulon® Ultraflow oferece melhora de 80% no fluxo e redução de 25% no ciclo de moldagem por injeção, quando comparado a poliamidas 6 tradicionais. Oferece também uma finalização superior em componentes de poliamida reforçados, a exemplo de tampas de motores.

Soluções Eletroeletrônicas livres de halogênio

A DSM oferece soluções que permitem a redução de componentes eletroeletrônicos por meio da miniaturização. Com seu portfólio único de materiais resistentes a altas temperaturas – como retardantes de chama sem halogênio – a DSM contribui para a solução do lixo eletrônico, ajudando a promover iniciativas de reciclagem e oferecendo melhorias ambientais, de saúde e de segurança.

A DSM oferece um completo portfolio de produtos de alta performance, sem halogênio, baseados nas linhas Stanyl® poliamida 4.6 e Stanyl® ForTii™. Segundo a DMS, Stanyl® é facilmente processado, e graças às suas propriedades de fluxo oferece liberdade de design para indústrias que fabricam componentes para computadores e telefones.

Soluções para a redução do desperdício de alimentos com especialidades para o segmento de embalagem

Cada vez mais pessoas se alimentam fora de casa ou buscam alimentos prontos em supermercados. A rápida demanda por comidas saudáveis, práticas e seguras, fez a DSM Plásticos de Engenharia pesquisar e criar linhas de produtos para embalagens econômicas e que evitam o desperdício de alimentos.

As linhas Akulon® (PA 6) e Novamid® (Copolímero de PA 6/66), ambas de alta viscosidade, têm, segundo a empresa, desempenho excepcional para melhorar a barreira ao oxigênio, o que melhora a conservação dos alimentos.
Soluções para as indústrias de bens de consumo com reduzido impacto ambiental

A DSM está atendendo às demandas sustentáveis de hoje, ao mesmo tempo em que se preocupa com a funcionalidade e desempenho futuro da indústria de bens de consumo. Com esses desafios em foco, vem criando um amplo leque de produtos inovadores com menor quantidade de substâncias nocivas, materiais recicláveis e de menor impacto ambiental.

DSMArnitelEm todo o mundo, as empresas fabricantes de roupas estão procurando modos de produção que oferecem o desempenho certo e trazem conforto para o usuário. Ao mesmo tempo, é necessário usar materiais e processos que têm o menor impacto ambiental. Segundo a DSM, o Arnitel VT, um termoplástico elastômero, é muito flexível e, ao ser transformado em membranas de apenas alguns microns de espessura, é 100% à prova de água, mas também altamente respirável e confortável. Afirma  a empresa que o material não contém produtos químicos perfluorados (PFCs) e é 100% reciclável. Com Arnitel VT, o vapor de água pode passar a partir do interior para o exterior da peça de vestuário, mas as membranas são 100% impermeáveis. Ao contrário dos produtos concorrentes, diz a empresa, o Arnitel VT não depende de perfurações para tornar o produto mais respirável. Por não ser perfurado, o material age como uma barreira não somente aos líquidos mas também às bactérias e aos vírus. Por esta razão também é usado em vestuários cirúrgicos com um alto nível de proteção.

O Arnitel® Eco é um copoliéster elastomérico formulado com cerca de 40% de materiais de fontes renováveis, oriundos do óleo de canola. A substância é obtida de plantas que não fazem parte de colheitas com fins alimentares. O material apresenta excepcional resistência à radiação ultravioleta e resistência térmica, segundo a DSM. Ele foi projetado para uma vida útil longa mesmo sob condições extremas, tornando-se adequado para aplicações automotivas, eletrodomésticas, embalagens especiais, esportes e lazer e móveis.

O Akulon® Fuel Lock FL40-HP é uma poliamida 6 que pode ser aplicada a três tipos de técnicas de moldagem para tanques de combustível: sopro, injeção e rotomoldagem. Os tanques são usados para motores de energia portátil destinados a equipamentos utilizados em gramado, terra e jardim, bem como equipamentos profissionais e de lazer. Akulon Fuel Lock tem taxas de permeação inferiores a 5% do valor máximo de 2.0 g/m2/dia permitido pelo “CARB test standard TP-901”.

 Sobre a DSM: A Royal DSM é uma companhia global, baseada na Ciência. Atua nas áreas de Saúde, Nutrição e Materiais, conectando suas competências únicas em Ciências de Materiais e Ciências da Vida. Oferece soluções de interesse global, como suplementos alimentares, cuidados pessoais, rações, farmacêuticos, aparelhos médicos, automotivos, tintas, equipamentos elétricos e eletrônicos, energias biobaseadas, entre outros. A DSM possui 23.500 funcionários em todo o mundo, e tem vendas líquidas anuais da ordem de € 9 bilhões.

Fonte: DSM / 2PRO

Fotos (créditos): Feiplastic / DSM

Curta nossa página no

BASF apresentou suas inovações na Feiplastic 2013

28/05/2013

Diversas indústrias são contempladas pelas soluções de plástico da BASF

Basf_Feiplastic_320A Feiplastic, maior e mais importante feira do mercado do plástico no Brasil, teve sua 14ª edição em São Paulo, entre os dias 20 e 24 de maio deste ano. E a BASF, empresa química líder global, marcou presença para apresentar suas soluções inovadoras.

O estande da empresa contou com um design diferenciado e propiciou aos visitantes a oportunidade de interação com alguns de seus produtos que estavam aplicados e expostos.

Segmentadas por indústrias, as soluções que foram exibidas na Feiplastic 2013 estão listadas a seguir, segundo informações fornecidas pela BASF:

Construção civil

A construção civil está em crescimento no Brasil e a BASF dispõe de um portfólio de produtos de alta qualidade para atender a esse mercado.

• Elastollan®: material versátil com grande potencial inovador. Este elastômero de Poliuretano Termoplástico (TPU), é desenvolvido, fabricado e comercializado pela BASF. Pode ser moldado por injeção, extrusão ou sopro. Suas características excepcionais  aliam elasticidade e durabilidade sob as mais diversas temperaturas. É resistente à abrasão, impacto, rasgos, enroscamento, óleo, graxa, microrganismos e tem boa capacidade de recuperação elástica. Características essas necessárias para suportar as duras condições da indústria da construção. É aplicado na fabricação de mangueiras convencionais/espirais e em amortecedores de trilhos de trem. Diversos grades de Elastollan® possuem resistência aos raios UV, retardador de chama e também certificado pela NSF International para utilização em dutos de água potável.

• Ultramid® B27 HM 01: poliamida 6 produzida nos EUA especialmente desenvolvida para o recobrimento de fios e cabos elétricos, devido às suas características técnicas de estabilidade térmica, resistência mecânica, química, ao impacto e à abrasão, além de alto brilho superficial,  principalmente nos outros países da América do Sul (Chile, Colômbia, Peru, Venezuela e Equador), que requerem a aprovação UL 94.

• Styropor®: o poliestireno expansível (EPS) é um dos isolantes térmicos mais eficientes do mercado. É um produto leve, possui resiliência elevada, estabilidade dimensional, tem excelente resistência mecânica e dissipa tensões concentradas sem romper-se. Além disso, o Styropor® é compatível com diversos tipos de projetos devido à sua versatilidade de aplicação, pois é um produto de excelente uso/manuseio que proporciona velocidade em suas aplicações. O Styropor® também oferece benefícios ecológicos: não tóxico, biologicamente inerte, não sofre mutações, não contém CFC, não contribui para a formação do gás metano na atmosfera e é 100% reciclável. O Styropor® é indicado para aplicações de lajes, telhas, enchimento, sistemas construtivos, concreto leve, forros, entre outros; também atua como solução geotécnica para fundações, aterros e estabilização de solos moles, nomeada como Geofoam.

• Neopor®: além de reunir todas as características do Styropor®, o Neopor® possui micropartículas de grafite que absorvem e refletem os raios infravermelhos, prevenindo a absorção do calor causado pela radiação solar. Desta forma, o Neopor® possibilita uma performance superior em isolamento térmico de até 20% comparado ao EPS convencional, podendo gerar resultados mais positivos e proporcionando maior economia de energia e redução de até 50% na utilização de matéria-prima, sem perder as características tradicionais do Styropor®.

• Basotect®: espuma de melamina usada para aplicações de conforto acústico em diversas indústrias. Suas principais vantagens são: alto poder de absorção acústica em médias e altas frequências, baixíssima densidade, estabilidade química e elevada segurança ao fogo (não propaga chamas nem gera fumaça tóxica em caso de incêndio). Além disso, o Basotect® pode ser pintado e utilizado normalmente como um elemento funcional, acústica e esteticamente. No estande da BASF na Feiplastic deste ano, será feita uma aplicação diferenciada em uma sala de reunião, aliando conforto acústico, facilidade de aplicação e design.

Automotiva

Os plásticos especiais da BASF para a indústria automotiva garantem alto desempenho das funções que contam com sua aplicação.

• Basotect®: com as propriedades já indicadas no item “Construção civil”, essa espuma é aplicada também no setor automotivo para, por exemplo, isolar o espaço interno do veículo contra o ruído do motor.

• Elastollan®: também com as propriedades já indicadas no item “Construção civil”, o TPU da BASF contribui com o avanço da indústria automotiva com características-chave que permitem que o produto seja usado com sucesso em tudo, desde cabos ABS, porta-copos, maçanetas com “soft touch”, coifas, manoplas de câmbio, até as grades frontais do radiador.

• Neopolen® P (EPP): espuma de polipropileno, cujas pérolas expandidas são predominantemente de células fechadas. É fornecido aos transformadores na forma de pérolas soltas sem agente expansor para o seu posterior processamento em uma ampla variedade de peças moldadas, gerando peças com alto poder de absorção de impactos e extrema leveza.

• Ultradur®: linha de politereftalato de butileno (PBT) excepcional da BASF por sua alta rigidez e força, baixa absorção de água, estabilidade dimensional, resistência a intempéries e excelente comportamento ao envelhecimento térmico. Aplicado dentro da indústria automobilística em: molduras de faróis, conectores, mecanismos de elevação de vidros, entre outros.

• Ultramid®: nome comercial da BASF para a sua linha de poliamida, baseada em PA6, PA66, PA 6/66 e PA6/6T. Ultramid® se destaca por suas excelentes propriedades mecânicas – resistência ao impacto e rigidez, vantangens térmicas, elevada resistência química e a altas temperaturas de trabalho, além de fácil processabilidade. A família de poliamidas Ultramid® se caracteriza pela sua variada gama de aplicações na indústria automobilística: coletores de admissão de ar, maçanetas, pedais, sistemas de arrefecimento e ar condicionado, invólucros de airbags etc.

• Ultramid® Endure: poliamida de alta resistência para aplicações automotivas em alta temperatura. Esta nova família de poliamidas reforçadas com fibra de vidro combina uma excelente resistência ao envelhecimento ao calor com a facilidade do processamento da poliamida 6.6. O Ultramid® Endure pode resistir ao uso contínuo por mais de 3.000 horas, a 220oC, e a picos de temperatura superiores a 240oC, o que amplia a gama de aplicações da poliamida quando se necessita de resistência a altas temperaturas. Suas principais propriedades são: excelente resistência ao envelhecimento ao calor, sob carga contínua, até 220oC; elevada resistência mecânica; elevada tenacidade; excelente soldabilidade; melhores propriedades de fluxo do que uma PA 6.6 comum; excelente aspecto superficial; fácil processamento.

• Ultraform®: nome comercial da BASF para a sua linha de poliacetais (POM), a qual compreende plásticos de engenharia versáteis com uma ampla gama de propriedades capazes de resistir a elevados níveis de esforços. Suas principais características são: elevada rigidez, resiliência, estabilidade dimensional, excelente resistência a agentes químicos (em particular, agentes tipicamente utilizados na indústria automobilística), baixa absorção de água, excelente resistência ao escoamento a frio (“creep”), resistência à abrasão (características auto-lubrificantes). Na indústria automobilística, as típicas aplicações são: sistemas de injeção de combustível, engrenagens e mecanismos de elevação de vidros.

Embalagens

Alta performance é um dos itens mais valorizados pelas empresas do ramo de embalagens e os plásticos da BASF suprem perfeitamente a esse critério.

• Ultramid e Mazmid: as marcas comerciais da BASF para as poliamidas para extrusão PA6 e PA6/6.6 produzidas na Alemanha (Ultramid) e no Brasil (Mazmid) são aplicadas na produção de filmes para embalagens de alimentos frescos e processados devido à sua resistência mecânica e barreira contra oxigênio e aromas, o que aumenta a durabilidade dos produtos. As poliamidas para extrusão são normalmente aplicadas em diversos tipos de embalagens, entre elas: filmes termoformados, sacos pouches, tripas, termoencolhíveis e BOPA (poliamida bi-orientada).

• ecovio® PS1606: novo biopolímero constituído principalmente de fonte renovável, biodegradável e compostável certificado é o novo desenvolvimento para aplicação sobre papel, com excelente adesão. Proporciona adequadas barreiras a líquidos, gorduras e odores, permitindo sua aplicação em embalagens alimentícias e itens descartáveis, como copos para bebidas quentes e frias, pratos, bandejas, travessas, entre outros, que podem ser utilizados em eventos ou locais que utilizam o modelo de circuito fechado, por exemplo eventos esportivos, shows, restaurantes de aeroportos, shoppings, escolas e empresas, já que após o uso podem ser destinados à compostagem, na qual o papel revestido com ecovio® será completamente digerido por microrganismos juntamente com os resíduos orgânicos, transformando-se em adubo, água e dióxido de carbono em poucas semanas.

• ecovio® T2308: este plástico apresenta propriedades mecânicas semelhantes àquelas de PET amorfo, mas difere de material de termoformagem convencional devido à sua compostabilidade e por conta de seu alto conteúdo de fonte renovável (ácido polilático). O teor de ecoflex®, poliéster compostável da BASF, é representativo pelo fato de o material não ser demasiadamente rígido ou quebradiço, além de assegurar um equilíbrio na relação rigidez – resistência e suficiente resistência ao impacto a baixas temperaturas. Este produto pode ser utilizado na produção de bandejas e copos termoformados, por exemplo.

• ecovio IS1335: grade de moldagem por injeção que oferece boa rigidez. Ele pode ser processado utilizando moldes com uma única cavidade ou várias cavidades equipados com ou sem câmara quente. O material apresenta características de fluxo moderado e dimensionamente estável em temperaturas de até 55°C [131°F]. Esta versão é ideal para embalagens compostáveis com paredes finas, complexas e de alta qualidade, que preferencialmente devem ser produzidas por meio de moldagem por injeção.

• Styropor®: com as propriedades já abordadas no item “Construção civil”, o material é utilizado em embalagens protetoras de conteúdo, de aparelhos eletroeletrônicos e linha-branca, principalmente. Além dessas, o Styropor® também é utilizado em aplicações em caixas térmicas, flutuadores, capacetes, pranchas, sementeiras, entre outras.

• E-por®: espuma inovadora indicada para a proteção de produtos sensíveis de alto valor agregado por proporcionar maior resistência ao impacto. A utilização do E-por® permite otimizar os custos relacionados a quebras e possíveis imperfeições causadas nas peças durante o transporte e armazenamento. Trata-se de uma espuma baseada em uma formulação complexa contendo Poliestireno (PS) e Polietileno (PE) que concede à peça moldada propriedades elásticas e de maior resistência a quebra (ou impacto). A BASF fornece a matéria-prima (interpolímero expansível), sendo o material processado de maneira similar ao EPS convencional. Dessa forma, o processamento pode ser feito sem a exigência de investimento em novos equipamentos por parte dos transformadores. Suas principais vantagens são: grande capacidade de absorção de impactos, excelente fusão das pérolas, toque aveludado e aparência de alta qualidade, baixa absorção de água, bom isolamento térmico, boa resistência química, processos de armazenamento, processamento e reciclagem semelhantes aos do EPS convencional.

• Ultramid® B33/B36 SL: resina de PA6 modificada com baixa velocidade de cristalização. Estes grades combinam a performance mecânica e barreira da PA6, porém com melhorias no processamento. Estes produtos são recomendados para aplicação em embalagens tipo stand-up pouches, que apresenta crescimento consideravel no mercado da América do Sul. Outro benefício destes produtos é a substituição das comumente utilizadas misturas de PA6 e PA6/6.6, mas com a preservação das características técnicas e de processamento, reduzindo a complexidade ao convertedor.

Agricultura

De elevada importância para o mercado alimentício, a agricultura também conta com os plásticos da BASF de alta qualidade.

• ecovio® M2351: biopolímero biodegradável composto de ecoflex® e PLA (derivado do amido de milho) para extrusão de filme Mulch. É parcialmente de fonte renovável e totalmente biodegradável de acordo com a norma EN 13432. O material é utilizado para cobertura de culturas, como alface e melão, e graças à sua biodegradabilidade não há necessidade de retirá-lo após a colheita, proporcionando redução de tempo e custo de retirada.

• Elastollan®: durável o suficiente para resistir a ambientes adversos e ao uso contínuo, os produtos fabricados com o TPU da BASF utilizados na indústria agrícola oferecem alta performance de resistência ao rasgo, flexibilidade a longo prazo, flexibilidade à baixa temperatura e resistência à hidrólise. Dentre as aplicações, pode-se citar: brincos identificadores de animais, peças para máquinas agrícolas, ferraduras para cavalos e mangueiras para irrigação.

• Tinuvin® XT 200: novo estabilizante à luz do tipo NOR HALS. Permite a fabricação de filmes plásticos transparentes para estufas agrícolas com alta durabilidade às radiações ultravioletas. Este aditivo configura uma proteção duradoura frente aos defensivos agrícolas, como, por exemplo, o enxofre, que podem comprometer a estabilidade à luz do plástico.

Moda & Design

Após o sucesso do Pure 1.0, primeiro calçado conceitual feito somente em poliuretano e poliuretano termoplástico, duas novas versões foram apresentadas: Pure 1.1, que contou com inovações em matérias-primas, como a substituição da borracha por poliuretano (Elastopan® GRIPTEC e Elastollan® SUPER SOFT), e Pure 1.2 Balance, que é confeccionado com poliuretano termoplástico com até 40% de fonte renovável.

O produto desenvolvido com poliuretano é mais durável, funcional, confortável e leve do que o desenvolvido com outros materiais. O calçado é confeccionado com o TPU Elastollan® e o PU Elastopan®, para produção de componentes como solados, cabedal, chassis, entressola, peças de performance e palmilhas com controle interno de clima, entre outros.

• Elastollan®: possui excelentes propriedades físicas com uma ampla faixa de dureza disponível, desde o super soft 35 shore A / 45 shore A para as solas, até o de dureza mais elevada 60 shore D / 74 shore D para os tacos de calçados femininos.

Mineração e Óleo&Gás

O ramo de Mineração e Óleo&Gás é contemplado pelo poliuretano de alta resistência da BASF.

• Elastollan®: essa linha de produtos abrange soluções de TPU para aplicações em cabos de energia e peneiras para o segmento de mineração, além de cabos de comando (umbilicais) para a indústria de Óleo & Gás, oferecendo altíssima durabilidade e resistência mecânica na exploração de petróleo.

Pigmentos e aditivos

A linha completa de pigmentos e aditivos para plásticos da BASF, que podem executar diversas funções, como conferir cor, efeitos especiais e melhorar a qualidade de produtos, terá alguns de seus itens em destaque na feira deste ano.

• Tinuvin® XT 200: características e aplicação explicadas no item “Agricultura”.

• Tinuvin® 1600: absorvedor UV para plásticos de engenharia.

• Irgastab® RM 68: estabilizante que permite a otimização do processo de rotomoldagem, contribuindo com a redução da temperatura do forno e aumentando a flexibilidade das condições de processamento. Irgastab® RM 68 promove aos produtos de rotomoldagem, como por exemplo as caixas d’água, uma melhor qualidade e economia de energia na produção.

• Sicopal (linha de pigmentos para gerenciamento de calor)

• Pigmentos orgânicos e inorgânicos isentos de chumbo

• Antioxidantes e aditivos de alta performance

Outras

Os plásticos de alta perfomance da BASF contemplam ainda com algumas de suas soluções outras indústrias.

Pesca:  Ultramid e Mazmid: poliamidas 6 e 6/6.6 também são utilizadas na indústria de monofilamentos, especialmente na produção de fios e redes de pesca, cortadores de grama, cordas e cordéis, devido às suas caracterícas de maciez, transparência e resistência.

Telecomunicações:  Ultradur®: também amplamente aplicado na fabricação de cabos de fibras óticas, na qual é essencialmente empregado devido à sua alta resistência mecânica, tenacidade, baixa absorção de água e estabilidade dimensional.

Higiene:  Mazmid 6.10 / Mazmid 6.12: são poliamidas especiais utilizadas na produção de cerdas para escovas de dentes, pincéis, cerdas industriais e também para aplicações técnicas como o PMC (Paper Machine Clothing). Apresentam como características principais: estabilidade dimensional e alta transparência.

Elétrico & Eletrônicos: Elastollan®: por suas excelentes propriedades físicas em conjunto com boa propriedade elétrica, resistência a microrganismos e retardador de chama, é muito utilizado no encapsulamento de cabos de alta performance e seus conectores.

Fonte: BASF

Foto (créditos): Feiplastic

Curta nossa página no

PolyOne anuncia expansão na América do Sul

23/05/2013

PolyOne GLS Thermoplastic Elastomers, líder global em soluções customizadas de alto desempenho em elastômeros termoplásticos (TPE), anunciou hoje, na Feiplastic 2013, a instalação de uma nova fábrica de tecnologia de ponta para a produção de TPE na América do Sul.

As instalações, que começarão a operar a partir de junho, na fábrica da PolyOne em Diadema, São Paulo, devem reduzir significativamente a quantidade de tempo gasta para atender os clientes sul-americanos e os brasileiros, cuja economia se encontra em franca expansão. Além disso, estas instalações melhorarão a capacidade da empresa em apoiar OEMs globais ao possibilitar a realização testes, desenvolvimento e produção dos produtos.

“Como um dos primeiros fornecedores mundiais de TPE a oferecer soluções especiais e suporte técnico no Brasil, a PolyOne está comprometida em ajudar seus clientes na região a expandir seus mercados, tornando-os mais competitivos, melhorando sua velocidade na comercialização e aumentando o potencial de crescimento de seus negócios”, disse Walter Ripple, gerente-geral da PolyOne GLS Thermoplastic Elastomers. “Nossas novas estruturas locais nos permitem aumentar a nossa rapidez de resposta, ter mais flexibilidade e opções de customização de TPE. Os clientes podem contar os mesmos altos padrões de qualidade, consistência e desempenho pelos quais nossos materiais são conhecidos mundialmente”.

Os mercados-alvo em crescimento incluem transporte, saúde, bens de serviço e embalagens.

A nova fabrica representa o contínuo compromisso da empresa com o Brasil e o mercado sul-americano. O processo de expansão teve inicio com a aquisição, em 2011, da Uniplen Indústria de Polímeros Ltda – empresa brasileira líder na fabricação de materiais de engenharia especial e distribuição de termoplásticos. A PolyOne GLS tem servido clientes na América do Sul há mais de uma década comprometida com as estratégias de globalização para fornecer soluções especiais aos seus clientes em qualquer lugar do mundo.

Fonte: PolyOne

 

Curta nossa página no

Rhodia lança inovações em plásticos de engenharia e polímeros especiais na Feiplastic 2013

20/05/2013

feiplastic

  • Novidades atendem aos diversos mercados de plásticos de engenharia e polímeros especiais de alto desempenho
  • Participação conjunta das áreas de negócios de Plásticos de Engenharia e Specialty Polymers amplia o portfolio de soluções à disposição do mercado
  • Empresa conclui investimento e amplia em 15% a produção de plásticos de engenharia no Brasil
  • Technyl® completa 60 anos de inovação

A Rhodia, empresa do grupo Solvay, com o objetivo de reforçar sua liderança no mercado de compostos de poliamidas 6 e 6.6 e de polímeros especiais, está fazendo o lançamento de inovações para atender necessidades de diversos segmentos de aplicações desses produtos.

Essas novidades criadas pelas áreas globais de negócios Plásticos de Engenharia e Specialty Polymers, que serão apresentadas na Feiplastic 2013 – Feira Internacional do Plástico (de 20 a 24 de maio, em São Paulo, Brasil), ampliam a oferta de produtos e tecnologias do grupo Solvay com foco em sustentabilidade à disposição da indústria do setor.

Lançamento de novidades – Na área de plásticos de engenharia, a principal novidade da empresa é o Technyl® ECO, uma aplicação criada no Brasil para o plástico de engenharia a partir de poliamida 6.6 reciclada, que é obtida por meio de um processo exclusivo de reciclagem química produzido pela Rhodia com o aproveitamento de resíduos de fios têxteis e industriais de poliamida.

Esse processo garante excelentes propriedades mecânicas e manutenção das propriedades térmicas ao Technyl® ECO, fazendo com que ele possa ser utilizados em peças com alta exigência em performance, além de permitir uma redução significativa de CO2 equivalente. De acordo com análises de produto em aplicação industrial, o uso dessa poliamida reciclada permite a redução de 70% da emissão de CO2 equivalente e de 76% do consumo de energia, quando comparado ao composto virgem. Outro aspecto importante dos compostos Technyl® ECO é a qualidade assegurada Rhodia.

Rhodia_Entrada_de_arDestinadas inicialmente ao segmento automotivo, as poliamidas Technyl® ECO podem ser aplicadas na produção de diversas autopeças. A primeira autopeça a partir dessa poliamida reciclada, um coletor de admissão de ar para motor de automóvel, foi desenvolvida pela Rhodia e a Magneti Marelli, líder no desenvolvimento e produção de sistemas e componentes de alta tecnologia para veículos.

O coletor de admissão de ar é responsável por levar ar ao motor do veículo, além de dar suporte à galeria e ao corpo de borboleta. Trata-se de uma peça com alta exigência técnica de performance para a qual o Technyl® ECO já está homologado.

Investimentos em inovações sustentáveis – “Nosso planejamento estratégico, para reforçar nossa posição de liderança em plásticos de engenharia a partir de poliamida 6 e 6.6, contempla o desenvolvimento permanente de inovações que valorizam a sustentabilidade em todos seus aspectos e estão em linha com as grande tendências da sociedade atual”, afirma Marcos Curti, diretor para as Américas da área global de negócios Plásticos de Engenharia do grupo Solvay.

A empresa concluiu recentemente a instalação de uma extrusora mega compounder, um investimento que aumentou em 15% a capacidade da unidade industrial em São Bernardo do Campo, para atender os mercados da América Latina. Os plásticos de engenharia a partir de poliamidas 6 e 6.6 da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para a indústria automotiva, de eletroeletrônicos e bens industriais e de consumo.

“Abastecemos as necessidades dos clientes e trabalhamos em conjunto com eles para a criação de novas aplicações, que atendem tanto ao mercado interno quanto aos mercados internacionais”, acrescenta Curti, lembrando, como exemplo, os produtos anti-chama livres de halogênio, produzidos a partir de plásticos de engenharia da Rhodia.

Technyl, 60 anos de inovação – Durante a Feiplastic 2013, sob o slogan “60 anos de inovação”, a Rhodia inicia a comemoração da existência da marca Technyl, que se tornou reconhecida internacionalmente como uma das mais importantes linhas de produtos e tecnologia em plásticos de engenharia ou plásticos técnicos, cujas aplicações têm contribuído para o crescimento de diversos mercados industriais.

Polímeros Especiais – Um dos destaques do grupo Solvay no evento serão os Specialty Polymers, área global de negócios em que a empresa dispõe de um vasto portfólio de produtos e aplicações destinados a diversos mercados de atuação. “Estamos prontos para acompanhar todo o crescimento tecnológico que se dará no Brasil nos próximos anos, tanto pelos produtos que oferecemos quanto pela qualificação de nossos profissionais”, diz Alexandre Guimarães, gerente de Vendas e Marketing da área global de negócios Specialty Polymers para a América do Sul.

Essa área de negócios do grupo Solvay apresenta durante o evento uma série de novidades. Por exemplo, no segmento de produtos para a área de Saúde, no qual é cada vez maior o uso de polímeros especiais da empresa, em substituição ao metal, vidro e outros materiais, uma das inovações é o triângulo Bender, um dispositivo de apoio e posicionamento para cirurgia ortopédica totalmente ajustável, desenvolvido pela empresa norte-americana Tri-Medics, LLC, um dos principais fabricantes de dispositivos médicos e de instrumentação.

Rhodia_TrianguloPesando apenas quatro quilos, o triângulo é feito de Polifenilsulfona (PPSU) e oferece aos cirurgiões uma solução simples e fácil de usar, pois é ajustável, autoclavável e radiotransparente na utilização de raios-x. É uma alternativa altamente eficaz para substituir o suporte feito de espuma de borracha e metal, que é mais caro e mais complicado para manipulação.

No segmento industrial, a novidade da Solvay é um novo grade da linha Halar®, polímero de alta performance voltado para o revestimentos de superfícies, visando a prevenção contra agentes corrosivos. Qualquer indústria que maneje de alguma forma produtos químicos encontra nesses polímeros de revestimento uma solução tão ou mais eficaz, com melhor custo/benefício do que as soluções oferecidas por metais, como aço inox e outras ligas especiais.

O novo grade é destinado a aplicações em pintura eletrostática, muito comum para tubulações e peças de pequena geometria, mas que possui certa limitação de espessura de camada. Os polímeros da Solvay para revestimento anticorrosivo também possuem  aplicações no setor de Oil&Gas.

Para o segmento automotivo, a empresa oferece polímeros utilizados na produção de peças automotivas para ambientes agressivos, inclusive as que são imersas em biodiesel. Os polímeros especiais da Solvay são utilizados na produção de autopeças, tais como bombas de água e peças do sistema de arrefecimento, arruelas de encosto e mancais para transmissão e conectores elétricos para solda utilizando tecnologia “Reflow”.

A empresa apresenta peças com polímeros especiais para torneiras, conexões e válvulas de água quente, feitas para substituir o latão. Há também o primeiro material cromável/metalizável com função estrutural, trata-se de um dos materiais com a maior resistência mecânica do mercado, atendendo a requisitos estéticos.

Diversos novos grades atendem a aplicações de desgaste por abrasão e temperaturas ainda mais elevadas na automotiva. Grades de novos de materiais como a Poliftalamida (PPA) Amodel® atendem a validações de sistemas de turbocompressores automotivos em 220ºC por milhares de horas. O PPA Amodel ® hoje pode atender à substituição de metais em hidrômetros ou relógios de água.

Para o segmento de construção, peças podem ser produzidas com compostos de polietileno reticulado (XL Compounds) para aplicações em fios e cabos, tubos, válvulas e conexões. Um dos destaques nesse segmento são os polímeros especiais para a produção de compostos isentos de halogênios para a produção de cabos elétricos. Esse tipo de cabo está ganhando cada vez mais espaço em ambientes de alta densidade de ocupação, bem como difíceis condições de fuga. O consumo de cabos livre de halogênios ainda é pequeno, mas as novas construções principalmente do estádios de futebol para a Copa do Mundo de 2014 estão alimentando esse mercado e estima-se um crescimento de 50% em cinco anos.

Sobre a Unidade Global de Negócios de Plásticos de Engenharia: A unidade global de negócios Plásticos de Engenharia, especialista em plásticos de engenharia a partir de poliamida 6 e 6.6, desenvolve, fabrica e comercializa nos últimos 60 anos, sob a marca Technyl®, uma linha completa de plásticos de alto desempenho para os mercados automotivo, de construção, elétrica e bens de consumo. Com uma estratégia de crescimento sustentada por seis unidades de produção em todo o mundo, a GBU Plásticos de Engenharia emprega sua expertise e capacidade de inovação, a fim de atender mais de perto às necessidades dos seus clientes, através de uma rede global de centros técnicos e de Pesquisa e Desenvolvimento.

Sobre a Unidade Global de Negócios de Specialty Polymers:  Com mais de 2.700 pessoas em todo o mundo, a empresa atende clientes a partir de seus 15 centros de fabricação e 11 centros de Pesquisa, Desenvolvimento e Tecnologia. Com sede em Bollate, na Itália, a GBU fornece mais de 1.500 produtos em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolímeros, fluorelastômeros, fluídos fluorados, poliamidas semiaromáticas, polímeros de sulfona ultrapolímeros aromáticos, polímeros de alta barreira e compostos reticuláveis de alto desempenho – para uso em mercados de alto crescimento, como transporte avançado, saúde, água, energia, e dispositivos inteligentes.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Casa de Eficiência Energética da BASF utiliza PVC em portas e janelas

09/05/2013

Um exemplo de construção que reúne produtos e técnicas construtivas mais sustentáveis será inaugurado em São Paulo no próximo mês. A CasaE Brasil, a primeira Casa de Eficiência Energética da Basf no país, utiliza tecnologias que servirão como direcionadoras de processos de inovação e sustentabilidade em todo o mundo. Totalmente integrada a essa filosofia, a VEKA Brasil é parceira do projeto, que tem todas as portas e janelas de PVC, garantindo o melhor desempenho em isolamento térmico e acústico da casa.

A casa estará localizada na Avenida Vicente Rao (zona sul de São Paulo) e reunirá, em um único espaço, tecnologias que atendem às demandas globais avaliadas pela BASF como grandes desafios para os próximos anos, que servirão como direcionadores de processos de inovação e sustentabilidade dentro da empresa.

Com a CasaE, a Basf mostra ao mercado que o conceito construtivo (método, técnica e produtos) utilizados no projeto pode ser reproduzido em uma moradia comum, sendo totalmente factível ao mercado. A ideia é ajudar a transformar a cultura da indústria da construção e de seus consumidores.

Para a construção da CasaE foram implantadas diversas soluções e inovações que atuam diretamente na redução do consumo de água, energia e emissão de CO2. Além disso, o projeto apresenta respostas a questões fundamentais sobre o mercado da construção sustentável, como a durabilidade dos materiais utilizados, seu reaproveitamento e a saúde e conforto das pessoas que habitarão os espaços.

“O projeto traz muitas novidades para o mercado de construção brasileiro e coloca à disposição da indústria a mais diferenciada tecnologia em materiais de alta performance, eficiência energética e proteção climática. Nosso compromisso é transformar a química para oferecer soluções inovadoras e economicamente viáveis. Dessa forma, contribuímos com a construção de um futuro mais sustentável para as próximas gerações”, explica Alfredo Hackenberger, Presidente da BASF para a América do Sul.

Inovações

O grande destaque na CasaE é seu sistema construtivo. Consiste em um painel de cerâmica estrutural e fundação de alvenaria, paredes, piso e laje executados em Sistema EIFS – Exterior Insulation and Finish Systems – placas de poliestireno expandido da BASF e em Sistema ICF – Insulated Concrete Formwork – tijolos fabricados com esse mesmo material. Essas soluções proporcionam um isolamento térmico muito eficiente, por meio do qual é possível atingir uma economia de aproximadamente 70% de toda a energia consumida pela casa.

Estes produtos atendem às diferentes necessidades das atividades de construção, ajudam a conservação do consumo de energia e a reduzir as contas, aumentam o conforto. Permitem ainda a rápida construção, sem comprometer o design e a arquitetura.

Além disso, espumas especiais são aplicadas para o conforto acústico e térmico no interior da CasaE.

As dispersões e os pigmentos da BASF apresentam diferenciais para as tintas, vernizes, adesivos e materiais de construção aplicados na CasaE, bem como no controle da temperatura, contribuindo diretamente para a economia de energia.

Já os poliuretanos entram na CasaE na forma de soluções utilizadas para conforto térmico e redução no consumo de energia, além de oferecer compostos para construção de pisos drenantes que evitam que haja acúmulo de água no piso.

Os produtos químicos para construção aumentam a eficiência da hidratação do cimento, reduzindo o uso de água e emissões de CO2. Também estão presentes produtos voltados para revestimento, impermeabilizantes e antiderrapantes.

Para finalizar o processo de construção e oferecer cor e proteção especiais à CasaE, entram em cena as tintas imobiliárias Suvinil, marca da BASF e líder no segmento premium, e Glasurit, líder no segmento econômico e também pertencente à empresa.

A Suvinil AntiBactéria será utilizada na parte interna da residência, reduzindo 99% das bactérias nas paredes, proporcionando um espaço mais protegido, que privilegia a saúde e o bem-estar. Já a linha de acrílicos Suvinil Contra Mofo e Maresia, que resiste às intempéries, e a Glasurit Alvenaria, que oferece maior rendimento, cobertura e durabilidade, serão aplicadas na parte externa da casa.

Fonte: BASF / Palavracom

 

Curta nossa página no

Kraton Polymers participa da Feiplastic 2013 e apresenta novidades

07/05/2013

feiplastic

A Kraton Polymers, líder mundial na produção de  elastômeros termoplásticos sintéticos, participará da Feiplastic – Feira Internacional do Plástico – que acontece de 20 a 24 de maio no Anhembi em São Paulo (SP). A empresa, que participará como expositora, pretende mostrar suas principais soluções e também promoverá novas aplicações para soluções já consolidadas no mercado brasileiro.

A empresa tem um amplo portfólio de polímeros de alto valor utilizados em uma grande variedade de aplicações, incluindo itens de consumo e higiene pessoal, adesivos e revestimentos, eletrônicos, suprimentos médicos, componentes automotivos e materiais de pavimentação e coberturas.

Os produtos Kraton podem ser processados em uma variedade de aplicações industriais, incluindo a moldagem por injeção, moldagem por sopro, moldagem por compressão, extrusão, fusão a quente e revestimentos para soluções aplicadas. A Kraton oferece seus produtos para mais de 800 clientes em mais de 60 países ao redor do mundo.

Lançamentos:

Tecidos Revestidos – Os polímeros de alto desempenho da Kraton possibilitam alternativas inovadoras e ecológicas em relação aos tecidos revestidos de PVC e Poliuretano usados em aplicações para estofamentos, com variadas opções de cores, decoração e revestimentos.

Segundo a empresa, os tecidos de estofamento produzidos com os polímeros Kraton têm os mesmos benefícios de tecidos revestidos com PVC, porém são mais leves, recicláveis e apresentam maior durabilidade.

Não contêm ftalatos nem quaisquer outros plastificantes que possam migrar e degradar espumas de poliuretano. Tecidos produzidos com polímeros Kraton são ideais para aplicações em estofamentos de assentos e móveis usados em áreas de grande movimento, como também ambientes que requeiram materiais não porosos, incluindo esportes marinhos e radicais, transportes públicos, aplicações médicas e de e escritórios.

Área Automotiva: A Kraton Polymers, em resposta às demandas da indústria automotiva por uma solução de maior performance e sustentabilidade, desenvolveu  uma nova alternativa baseada em SBC para slush molding em interiores de automóveis.

Slush Molding é um processo que possibilita grande liberdade no design, além de ser usado na produção de uma grande variedade de componentes para interiores automotivos, como painéis de instrumento, acabamento de portas, consoles, capas para airbags, etc.

De acordo com a empresa, o SBC baseado nos polímeros KratonTM para slush molding apresenta diversos benefícios com relação ao PVC, como  melhores propriedades contra o envelhecimento, aprimoramento estético, melhor desempenho em baixas temperaturas, menores custos, menor peso específico, reduzindo o peso dos componentes em até 40%, reciclável e mais suave ao toque. Afirma a Kraton que o PVC possui limitações, incluindo a fragilidade e perda de sua funcionalidade devido à tendência do plastificante migrar ao longo do tempo.

Outras Aplicações de Materiais Avançados:

Soluções em compostos – A empresa destaca os benefícios dos compostos feitos com polímeros Kraton: grande resistência e elasticidade, durabilidade, transparência e suavidade ao toque, aderência em superfícies secas e molhadas, ampla resistência às variações térmicas, boas propriedades elétricas, esterilização por vapor, óxido de etileno, radiações Beta e Gama, resistência ao oxigênio, ozônio e degradação UV (Polímeros KratonTM G). Esses compostos são utilizados em produtos finais, como ferramentas, componentes da área automotiva, produtos de consumo, utensílios domésticos, produtos para cuidados pessoais, produtos esportivos, brinquedos, fios e cabos.

Cuidados pessoais – Com a utilização do Kraton G (SEBS), do KratonTM D (SIS) e do  CariflexTM IR, a Kraton está presente em diversas frentes ligadas à higiene, saúde e ao bem-estar. Seus polímeros apresentam as mais diversas inovações e aplicabilidades, como na produção de borrachas macias e confortáveis para o manuseio de escovas de dente e aparelhos de barbear, no desenvolvimento de materiais resistentes, porém confortáveis e que facilitam a respiração da pele na produção de fraldas infantis, geriátricas e absorventes femininos e na produção de preservativos, por proporcionar maior elasticidade, durabilidade, menor odor e maior transparência.

Área Médica (alternativa ao PVC) – O Kraton G1645 é um polímero que cria novas oportunidades para a substituição de PVC na área médica, incluindo filmes para bolsas de soro e tubos cirúrgicos, draping cirúrgico, dispositivos de compressão, equipamentos de diagnóstico (flexíveis e rígidos), luvas, filmes médicos e outras aplicações. Esses polímeros são livres de ftalato, oferecem alto desempenho, são atóxicos e, por isso, uma excelente e comprovada alternativa ao PVC.

Cariflex™ IR (alternativa da borracha natural em aplicações avançadas) – Cariflex IR é uma borracha de poliisopreno sintético que pode ser formulada para substituir a borracha natural (NR) em muitas aplicações, como luvas cirúrgicas, preservativos, componentes médicos, adesivos de vedação a frio e em aplicações na indústria eletrônica. É a substituta ideal para o látex de NR, particularmente em aplicações médicas que exigem elevada pureza. Estes produtos oferecem excelente elasticidade e propriedades mecânicas, além de trazerem conforto no contato com pele, uma vez que são hipoalérgicos.

Fios e Cabos (alternativa ao PVC) – De acordo com a Kraton, seus polímeros oferecem uma variedade de benefícios importantes em aplicações de fios e cabos. Propriedades elétricas superiores os tornam excelentes candidatos para aplicações de isolamento e são versáteis o bastante para serem usados em encamisamento e peças moldadas. A Kraton disponibiliza uma gama de polímeros que se encaixam ao tipo de desempenho desejado.

Filmes de Proteção – A Kraton oferece tecnologia de co-extrusão avançada em polímeros para a produção de filmes de proteção de superfície. Esta tecnologia oferece características únicas que podem ser formuladas em um composto adesivo que cobre uma ampla extensão de processamento e propriedades adesivas. As propriedades do composto podem ser fornecidas ao cliente sob medida para atingir requisitos personalizados de desempenho para aplicações específicas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Eastman destaca vantagens de seus plásticos especiais, plastificantes, TPUS´s e filmes de desempenho e anuncia novo distribuidor na Feiplastic 2013

09/04/2013

A empresa reforça os benefícios de diversas de suas linhas, divulga a Entec-Ravago como nova distribuidora de seus copoliésteres no Brasil e se prepara para as novas oportunidades durante o evento.

A Eastman Chemical Company, empresa de especialidades químicas, estará presente na Feiplastic (Feira Internacional do Plástico), o maior espaço na América Latina para apresentação de tendências e demonstração de lançamentos do setor. O evento acontece de 20 a 24 de maio, no Pavilhão de Exibições do Anhembi, em São Paulo – SP e reúne fabricantes de matéria prima plástica, distribuidores, fabricantes de equipamentos e periféricos, importadores, moldadores e agências de fomento industrial.

Durante a feira, a Eastman contará com um stand próprio localizado na rua C 98, e irá reforçar as vantagens de três de suas principais linhas de produtos – Plásticos Especiais, Plastificantes e TPUs e Filmes de Desempenho. Em matéria de Plásticos Especiais destacam-se o copoliéster Tritan™, o copoliéster Eastar CN015, e demais famílias de copoliésteres e celulósicos para diversas aplicações. O copoliéster Tritan™ é ideal para aplicações que requerem resistência a temperatura, transparência e resistência ao impacto e químico e são livres de Bisfenol A. Dentre os diversos mercados a que serve estão o de puericultura, housewares, eletrodomésticos, linha branca e appliances, garrafas esportivas, de componentes médicos – tanto embalagens quanto aparelhos,. Já o copoliéster Eastar™ CN015 é destinado ao setor de cosméticos por ser capaz de criar embalagens de paredes grossas, transparentes e resistentes a química, impacto e livres também de Bisfenol A.

A Eastman também aproveita o evento para expor as suas linhas de copoliésteres tradicionais, como a Eastar™, a Durastar™, a Aspira™ e a Provista™ que atendem às legislações para aplicação em contato com alimentos e possuem boas propriedades de resistência química, de facilidade em processamento e de tato agradável.

Além disso, outro destaque da companhia será a apresentação ao público o seu novo distribuidor para a linha de copoliésteres no Brasil, a Entec-Ravago, focada em entregar soluções de qualidade e tendo a sustentabilidade como palavra de ordem. Assim, a própria Eastman assegura seu comprometimento com soluções que protejam o meio-ambiente.

Na área de plastificantes e TPUs, a Eastman apresenta toda sua linha de plastificantes, destacando os não-ftalatos, para diversos mercados e aplicações, inclusive produtos produzidos no Brasil pela sua subsidiária Scandiflex.  A linha de TPUs permite desenvolver várias soluções para os mais diversos setores, sendo utilizadas em produtos pneumáticos, solas de sapato, tubos petrolíferos e até material dentário, entre outros.

Por fim, na área de Filmes de Desempenho, as películas de poliéster da Eastman mostram diversas utilizações, contando com quatro aplicações: controle solar, controle solar para para-brisas, segurança e proteção de pintura. As primeiras proporcionam um melhor controle de temperatura interno, gerando assim uma economia de energia elétrica gasta em climatização e também uma economia de combustível quando utilizada em veículos. A película de controle solar para para-brisas, LLumar® AIRBLUE, reduz 44% da energia solar transmitida para dentro do veículo. Sua transmissão luminosa de 78% não compromete a visibilidade do motorista e atende os limites da legislação em vigor.

Já a película de segurança protege no caso de quebras acidentais dos vidros, em eventos como tempestades, chuvas de granizo ou choques de objetos, mantendo os cacos de vidros aderidos à película, minimizando o risco de acidentes. Quando utilizadas nos vidros das janelas dos veículos, protegem contra cortes no caso de colisões laterais e ajudam a dificultar atos de vandalismo como quebra dos vidros laterais dos veículos, protegendo os condutores e seus bens pessoais. As Películas de Proteção de Pintura à base de poliuretano podem ser aplicadas em veículos de qualquer cor e formam uma barreira praticamente invisível que mantem a pintura dos automóveis e diminuem as marcas de pedras, produtos químicos, riscos e arranhões.

A Eastman, que já participou do evento em outras edições, espera estreitar mais os contatos com os clientes da região e ampliar a sua base de oportunidades através da feira. “É um evento grandioso para o mercado plástico da América Latina, por isso, estamos preparando um espaço especial em nosso stand para receber nossos clientes e distribuidores, que fazem um trabalho excepcional mesmo com as extensões territoriais do Brasil e outros países da América Latina. A escolha dos produtos expostos mostra ao público a inovação da Eastman, que conquista novos mercados”, disse o Gerente de negócios da área de Materiais Avançados da Eastman na América Latina, Luis Pagan.

“A Scandiflex sempre esteve presente na Feiplastic (antiga Brasilplast), e agora que fazemos parte da família Eastman, essa responsabilidade de mostrar ao mercado inovações e novos produtos em plastificantes e TPU dobra, pois carregamos uma herança que se adapta perfeitamente à cultura da Eastman, de produtos de qualidade, fabricados no Brasil e com excelência em soluções para nossos clientes”, ressalta Mauro Carqueijo, Diretor de Vendas da Scandiflex, subsidiária da Eastman Chemical Company no Brasil.

Fonte: The Group / Eastman

Curta nossa página no

Mexichem adquire negócios de resinas de PVC da PolyOne

08/04/2013

A PolyOne Corporation anunciou  acordo em que a empresa vai vender a Specialty PVC Resins – seus ativos no segmento de dispersão, resinas em suspensão e blendas vinílicas – para a Mexichem, SAB de C.V. por U$ 250 milhões em dinheiro. O negócio inclui duas unidades de produção e um centro de P & D. A venda está sujeita à satisfação de requisitos regulamentares e outras condições habituais de fechamento de negócios.

Os ativos de resinas da PolyOne são parte do seu segmento de Performance Products and Solution e geraram receitas de US $ 147 milhões em 2012.

“Desde que começamos nossa transformação em provedores de especialidades, temos desinvestido na área de commodities, incluindo Oxy-Vinílicos em 2007 e SunBelt em 2011, reinvestindo os recursos para acelerar o crescimento de nosas ofertas de especialidades”, disse Stephen D. Newlin, chairman, presidente e executivo-chefe da PolyOne Corporation. “Como nosso único negócio remanescente envolvido na fabricação direta de resinas de base, vemos a venda de nossos ativos de produção de resinas como um passo natural e continuado na evolução de nosso portfólio.”

“A Mexichem é um líder comprovado e tem experiência substancial na fabricação de resinas-base. Nós acreditamos que eles serão capazes de destravar mais plenamente o potencial dos nossos ativos de produção de resina e estamos ansiosos para trabalhar com eles, no futuro, como um fornecedor”, disse Sr. Newlin.

Carlos Manrique, vice-presidente e gerente geral da Divisão de Cloro-Vinil da Mexichem, afirmou que esta aquisição irá representar tanto um EBITDA adicional como permitirá que a Mexichem se envolva no nicho de mercados altamente especializados na América do Norte. Outro elemento atrativo desta aquisição é o desenvolvimento de soluções “tailor made” para diferentes clientes; o portfolio de produtos de resinas especiais de PVC da PolyOne irá complementar o portfólio atual da Mexichem.

A aquisição está alinhada com a estratégia de integração vertical a jusante da Mexichem, que visa aumentar o número de produtos de valor agregado, dos quais a empresa tem atualmente uma quota de mercado pequena. A aquisição não só irá reforçar a posição da Mexichem, dadas as vantagens competitivas que implica, incluindo recursos naturais da própria região, tais como gás de xisto, mas também a integração vertical da Mexichem.

Fonte: PolyOne / Mexichem

Curta nossa página no

BASF expande linha de poliamidas para tecnologia de injeção com água

27/03/2013

Ocos, mas robustos: novos graus da linha de produtos Ultramid

Injecao_com_aguaA BASF está expandindo sua variedade de tipos de poliamida que foram otimizados para o uso da tecnologia de injeção com água (WIT) na moldagem por injeção. Os novos grades WIT são Ultramid® A3HG6 WIT Balance e Ultramid® A3WG7 WIT. Graças à tecnologia de injeção com água,  peças ocas de plástico que requerem uma superfície interior muito boa podem ser produzidas através da moldagem por injeção. Estes dois materiais estão agora disponíveis em quantidades comerciais.

Resistente à água, óleo e sal

Devido à sua resistência à hidrólise melhorada, a poliamida (PA)  Ultramid® A3HG6 WIT Balance é particularmente bem adequada para os componentes que transportam líquido refrigerante ou que entram em contato com a água. Ao mesmo tempo, o teor de PA 6.10 neste material também se traduz em alta resistência a rachaduras por estresse provocadas por cloreto de cálcio, o que atende aos requisitos mais rigorosos em termos de resistência ao sal nas estradas. Particularmente na Ásia, o cloreto de cálcio é,  muitas vezes, espalhado em estradas  com gelo.

Em contraste, a BASF recomenda a sua nova Ultramid® A3WG7 WIT – reforçada com 35% de fibras de vidro – especialmente para tubos que transportam  óleo, tais como os utilizados para sondas, ou ainda para outros componentes que têm que satisfazer elevadas exigências em termos de resistência ao óleo, rigidez e estabilidade dimensional. Ambos materiais se adequam muito bem para a injeção com água. Ao mesmo tempo, o produto básico resistente à hidrólise da série WIT, a saber, o Ultramid A3HG6 WIT, tornou-se o material de escolha para várias aplicações WIT, como tubos de água para arrefecimento.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Poliamida da BASF é usada pela primeira vez em suporte de motor automotivo

26/03/2013

Primeiro suporte plástico de motor do mundo no novo Mercedes GL Class

BASF_Suporte-do-MotorA Daimler está instalando o primeiro suporte plástico do mundo no motor a diesel de seis cilindros utilizado no novo GL Class. Em comparação com o suporte de alumínio anterior, a peça de plástico oferece melhores propriedades acústicas, características superiores de isolamento térmico e uma vantagem positiva de peso, ao mesmo tempo em que é capaz de resistir à mesma carga. A peça, que dá suporte ao motor com a ajuda de sua base, é moldada a partir da Ultramid® A3WG10 CR, uma especialidade de poliamida altamente reforçada da BASF, que foi otimizada para elevadas cargas mecânicas. A Joma-Polytec assumiu a responsabilidade pela concepção do molde de injeção e produção do suporte plástico do motor.

Funções e requisitos do suporte do motor: carga estática, carga contínua e queda

Os suportes de torque que já são utilizados por vários fabricantes de automóveis em versões de Ultramid transmitem apenas o momento de inclinação do motor. Entretanto, os suportes de motor estão sujeitos a uma carga permanente – peso do motor – enquanto absorvem também todo torque do motor. Até agora, eles sempre foram feitos de alumínio.

Acústica, transmissão de calor e peso

Para substituir o alumínio nesta aplicação desafiadora e de alta relevância, o plástico deve cumprir exigentes requisitos mecânicos: enquanto Ultramid® A3WG10 CR é muito rígida; era também necessário demonstrar que o material exibe tendência suficientemente baixa para se mover no espaço confinado do compartimento do motor quando sujeita a uma carga contínua. Além disso, dependendo das condições de instalação no compartimento do motor, o suporte plástico do motor deve também resistir a momentos de flexão elevada. As características acústicas boas são o principal benefício do suporte do motor de Ultramid sobre o seu homólogo de alumínio. Graças ao específico comportamento de amortecimento do plástico, o novo suporte de motor contribui para um melhor equilíbrio acústico.

Uma vantagem adicional é de que a condução de calor do plástico é consideravelmente menor do que a do alumínio. Como consequência, o suporte do motor de Ultramid proporciona uma melhor proteção contra o calor do motor transmitido para os suportes de borracha ligados a ele, aumentando a sua vida útil. No contexto da discussão sobre CO2, uma redução de peso de mais de 30% para a peça de plástico em relação à versão de alumínio é um ganho complementar.

Simulação para otimização do comportamento de colisão e acústico

O conjunto de testes que a parte plástica deve passar com sucesso inclui a chamada colisão de reparação, que replica falhas menores, e colisão de neutralização intensa (colisão frontal de neutralização). No primeiro caso, o suporte tem de permanecer intacto; no segundo caso, ele pode falhar rapidamente e de uma forma específica para evitar que o motor entre no compartimento de passageiros.

Além de verificar esses requisitos em testes de colisão, a BASF já incorporou ambos os casos para a fase muito precoce de desenvolvimento do suporte do motor de modelo complexo através do uso de sua ferramenta de simulação  e previu o comportamento da peça: cargas máximas (ruptura), fortes valores sob cargas pulsantes dinâmicas e cargas de colisão combinam muito bem com os resultados dos testes realizados e atingem os valores necessários para o predecessor de alumínio. Foi, então, possível incorporar reforços para suportar as cargas elevadas e satisfazer requisitos acústicos no início e reduzir o número de protótipos.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Braskem desenvolve solução de isolamento acústico para construção civil

20/03/2013

Com menor custo, produto atende a ABNT 15575 e proporciona maior redução de ruídos

Atenta às necessidades do mercado da construção civil, a Braskem, e a Multinova trazem ao mercado brasileiro as mantas expandidas de polietileno produzidas com tecnologia italiana, solução inovadora para reduzir a transmissão de ruídos entre os andares dos edifícios e conferir ainda mais qualidade em obras. O produto se apresenta como uma excelente alternativa para atendimento à norma ABNT NBR 15575-3:2013, que entra em vigor em julho deste ano e estabelece requisitos mínimos de desempenho acústico em edificações.

A nova exigência estabelece critérios e métodos de avaliação de desempenho para os principais sistemas que compõem um edifício: estrutura, pisos internos, vedações externas e internas, coberturas e instalações hidrossanitárias. Antecipadamente, as mantas de polietileno enquadram-se às novas regras estabelecidas, pois seguem um rigoroso controle de qualidade e têm sua eficiência comprovada através de ensaios técnicos realizado no IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas e também em institutos independentes italianos.

Com cinco ou dez milímetros de espessura, as mantas de polietileno são aplicadas entre a laje e o contra piso, o que proporciona redução de ruídos entre os andares, já que ela pode ser aplicada com qualquer tipo de piso e contempla também os rodapés. O produto é feito em polietileno expandido, o que o torna mais leve, com maior durabilidade e menor custo. Com estas características, serão evitados barulhos que causam incômodo aos moradores como crianças brincando, passos e animais.

“A manta de polietileno é a alternativa de melhor custo-benefício que podemos encontrar no mercado de isolamento acústico, permitindo atingir tanto o nível intermediário quanto o superior da norma. Com a forte expansão da construção civil, é preciso investir em novos produtos que garantam um bom desempenho e proporcionem conforto para o usuário”, afirma Jorge Alexandre, responsável por desenvolvimento de mercado de PE da Braskem.

“Com as novas regras estabelecidas pela ABNT, a demanda da construção civil irá aumentar muito. Por conta disso, pensamos em um produto de qualidade para o mercado e com custo inferior aos produtos similares comercializados”, destaca Jair da Rosa, gerente comercial corporativo da Multinova.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Solvay mostra inovações em plásticos de engenharia e polímeros especiais na Plastimagen 2013

11/03/2013
  • Produtos atendem a mercados em crescimento na região, com destaque para os setores automotivo e de transportes, energia, saúde e água
  • Empresa lança poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável, para produção de autopeças
  • Technyl®, marca reconhecida internacionalmente na área de plásticos de engenharia de alto desempenho, agora integra o portfólio da Solvay

Para reforçar sua presença no mercado mexicano e da América Latina, as unidades globais de negócios de Plásticos de Engenharia e Polímeros Especiais do Grupo Solvay participam conjuntamente pela primeira vez da Plastimagen 2013 (de 12 a 15 de março, no Centro Banamex, na Cidade do México), a principal exposição de produtos e tecnologias em plásticos e polímeros da região.

“Nosso objetivo é o de contribuir para o desenvolvimento dos mercados da região, oferecendo uma ampla gama de tecnologias, processos e produtos em plásticos de engenharia e polímeros especiais, segmentos em que o grupo é um dos líderes mundiais”, afirma Suzana Kupidlowski, Gerente de Marketing de Plásticos de Engenharia do grupo Solvay.

Com a reorganização das suas áreas de negócios, depois de consolidada a integração do grupo Rhodia, adquirido em setembro de 2011, a Solvay ampliou seu portfólio de plásticos de engenharia, incorporando a marca Technyl, internacionalmente reconhecida por uma série de tecnologias e produtos inovadores de base poliamida, utilizados na produção de peças para os setores automotivo, elétrico, bens industriais e de consumo.

Inovação sustentável – Entre as novidades para apresentação na Plastimagen 2013 está o Technyl® eXten — uma poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável. O novo produto, que reduz o impacto ambiental no processo de produção, pode ser utilizado na confecção de tubulações para combustíveis, servo freio e dutos de óleo para veículos leves e pesados. A novidade já foi homologada em diversos clientes finais das duas empresas, substituindo com vantagens aplicações que atualmente usam PA12, de origem totalmente petroquímica.

“Em comparação com outros plásticos de engenharia de poliamida de alto desempenho, a nova aplicação de Technyl® eXten oferece aos clientes vantagens técnicas e econômicas, além de contribuir para a redução das emissões de CO2”, explica Suzana Kupidlowski.

Technyl® eXten é uma poliamida parcialmente de origem vegetal. Medições realizadas de acordo com o método de teste padrão confirmaram que 62,5% do seu carbono são de origem renovável. Este material, além de reduzir a pegada de carbono, ajuda na redução de uso de recursos não renováveis​​, quando em comparação com outras poliamidas de origem integral da cadeia petroquímica.

Polímeros especiais – Igualmente em destaque na Plastimagen estarão os polímeros especiais da Solvay, uma gama de produtos de alto desempenho utilizados em mercados de forte crescimento no mundo, tais como transportes, saúde, água, energia e dispositivos inteligentes.

A unidade de negócios Solvay Specialty Polymers fornece uma ampla gama  de plásticos de alta performance, que inclui polímeros fluorados, polímeros de ultra-desempenho, poliamidas de alto desempenho, polímeros sulfonados, polímeros de alta barreira e compostos reticuláveis de alto desempenho. Esses materiais são amplamente utilizados na indústria aeroespacial e automotiva para fornecer soluções de alto desempenho para substituição de metal que reduzem o peso, têm menor custo e melhoram o desempenho. Resinas de fluorpolímero são utilizadas em uma vasta gama de fios e cabos. Pós de PTFE micronizado são utilizados como aditivos em uma ampla gama de materiais, tais como resinas termoplásticas, revestimentos e tintas, tintas de impressão, elastômeros e lubrificantes.

A unidade global de negócios Specialty Polymers, com sede na Itália, 15 unidades de produção e 11 centros de P&D no mundo, fornece mais de 1.500 produtos em 35 marcas.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Clariant lança Guia 2014 de Orientação de Cores para a indústria de Plásticos

07/03/2013
  • Clariant lança o ColorForward™ 2014 – 8º Guia Anual de Orientação de Cores para a indústria de plásticos.
  • Previsões baseadas em intensa pesquisa das mais influentes tendências sociais em todo o mundo.
  • Oferece aos fabricantes uma vantagem inicial sobre os fatores de decisão de compra de potenciais consumidores.
Clariant_color_pallette

O ColorForward 2014, apresentado pelos centros ColorWorks da Clariant, identifica quatro tendências globais e seu direcionamento na paleta de cores para produtos de consumo.

A Clariant, multinacional do segmento de especialidades químicas, publicou seu guia de previsão de tendências e cores ColorForward™ para 2014. Elaborado especificamente para a indústria de plásticos pelo ColorWorks™ da Clariant, o ColorForward usa a linguagem das cores para expressar as tendências que vão atrair a atenção das pessoas e definir a paleta de tons para 2014.

Novas paletas inspiram designers e gerentes de marca, proporcionando insigths para 2014.

Como ferramenta que comunica emoções e histórias, a cor tem o poder de transcender e traduzir influências culturais, políticas, religiosas e sociais para um bem maior. Há 8 anos as previsões do ColorForward têm ajudado a definir as cores que vão atrair e impactar os consumidores no futuro. O serviço tem auxiliado enormemente os fabricantes de todos os tipos de produtos, proporcionado a eles uma vantagem inicial ao usar o poder das cores para compreender as decisões de compra dos consumidores.

As previsões do ColorForward se baseiam em intensas pesquisas das tendências sociais mais influentes ao redor do mundo, realizadas pelos membros da rede global ColorWorks que voltaram suas atenções à enorme quantidade de eventos, exposições e conferências, além das tendências emergentes no mundo, extraindo delas diversas influências verdadeiramente globais. Especialistas das principais organizações observadoras de tendências e especialistas em cores de indústrias tão distintas como arquitetura, têxtil, artigos domésticos, automotiva e moda contribuem ativamente para o processo, compartilhando suas visões e pensamentos.

Descobrir as tendências mais significativas e as cores que elas geram não é uma tarefa simples. No ColorForward 2014, especialistas em cor, design, marketing e polímeros de todas as partes do mundo, representando diversas disciplinas, reuniram-se para participar da edição deste ano, não só para identificar tendências sociais inegavelmente globais, mas também para desenvolver cores harmoniosas que reflitam a influência única de cada tendência.

A paleta de cores de 2014 baseia-se em quatro tendências sociais que podem causar um importante impacto no futuro próximo:

Keep It Real

Em uma época em que os consumidores estão sobrecarregados com marcas e cansados de produtos similares, todos os fabricantes se deparam com a questão estratégica de como manter seus clientes interessados. As pessoas buscam uma ligação com os produtos que adquirem. Elas desejam comprar marcas verdadeiras, transparentes e tangíveis; para ter sucesso e impressioná-las, os fabricantes precisam decifrar esse código. Para se diferenciar no mercado, as marcas devem melhorar os serviços e conectar-se aos consumidores de maneira mais pessoal.

Os clientes podem avaliar a qualidade dos produtos e serviços em níveis que antes eram impossíveis. Norzihan Aziz, Chefe de ColorWorks para a Região da Ásia-Pacífico, dá mais detalhes: “A paleta de cores se destaca nessa nova forma de poder. Uma das cores, Genuine, representa transparência e honestidade. É uma cor consciente e embasada, que faz lembrar a autenticidade e o sabor de uma azeitona. É uma cor clássica que resistirá ao tempo”.

Re|use|full

Após ter superado a recente recessão, o público está cansado e desapontado com ideias arcaicas e desperdícios. As pessoas estão agora motivadas a transformar o velho em novo. Esse tema se refere a uma nova liberdade de expressão: realizar conquistas novas e significativas simplesmente através do processo de observar os materiais existentes sob diferentes ângulos e produzir novas criações. “As cores são a visualização de um pensamento criativo que transforma produtos descartados em identidades da nova geração”, explica Simon Clarke, Packaging, Market Segment, Ásia-Pacífico. “As novas cores mesclam sensações concretas de atemporalidade, criando uma impressão renovada de longevidade e desempenho”. Vamos reutilizar e recombinar pensamentos antigos para recriar algo completamente conceitual e fantástico. Este é o novo mantra que inspira a todos.

There to Share

Estamos vivendo a era da informação digital e dos aparelhos móveis, onde a informação está acessível a todos. Shared Thinking é uma nova abordagem do aprendizado baseado na prática, na reflexão colaborativa e em rede. A atual geração está mais aberta a compartilhar do que a acumular conhecimento. A tendência é unir ideias para colaborar e solucionar os problemas do mundo. Dinheiro, bens e status são considerados aspectos menos importantes, enquanto compartilhar o conhecimento é visto como uma atitude generosa, de verdadeira bondade e valor.

One time zone, uma das cores desse tema, inspira-se na cidade a altas horas da noite para obter sua cor escura e profunda. “A escuridão remete à cidade noturna; as luzes vermelhas representam as pessoas ao redor do mundo, digitalmente interconectadas, compartilhando suas experiências, pensamentos e ideias. Ao mesmo tempo, essa cor representa o momento da noite em que alguém facilmente se conecta através dos fusos horários, pois a tecnologia nos permite compartilhar informações de maneira fácil e rápida”, revela Judith van Vliet, designer da ColorWorks Europa/IMEA e membro da equipe ColorForward.

Vamos Jogar Bola

O verdadeiro espírito brasileiro é o que define esse tema. O campeonato mundial de futebol reunirá diversos países e milhões de torcedores em torno de uma só paixão: o amor pelo futebol, que realmente pode alcançar a devoção religiosa. Os brasileiros também expressam sua alegria através das cores do carnaval, ao ritmo da dança e do samba que faz os corações vibrarem.

Esses animados eventos reúnem grandes multidões e também podem ser considerados como um convite para unir esforços e solucionar os problemas globais. O mundo está crescendo rapidamente e, à medida que se abre, surgem novos mercados, principalmente aqueles conquistados pela nova e crescente classe média. O Brasil está investindo grande quantidade de recursos para mudar o país. O fenômeno da inclusão pode ser visto em todas as partes. Além disso, eventos de desenvolvimento sustentável são movidos pela inovação. Há muita alegria no ar, porque o Brasil tem muito que comemorar.

Tapirapé Splash Green, uma das cores dessa categoria, inspira-se no exuberante verde da floresta amazônica brasileira. “A cor predomina na bandeira nacional, nos ambientes naturais e, claro, no gramado do futebol. O verde é uma das cores mais presentes na cultura e na sociedade latino-americana. Os Tapirapé são uma das tribos indígenas brasileiras que sobreviveram à conquista europeia e à subsequente colonização do país, mantendo com poucas mudanças a maior parte de sua cultura e dos seus costumes. Seu tribalismo e relação entre o homem e a natureza foram a inspiração da nossa cor”, revelou Antonio A.F. Rollo, Regional Key Account Manager para a América Latina.

Essas quatro tendências foram escolhidas pelos especialistas em cor da Clariant a partir de inúmeras outras inspirações globais, pois mostraram influenciar a exclusiva paleta de cores de 2014.

Fonte: Clariant

Curta nossa página no

Área de Embalagens Rígidas e Especialidades Industriais da Dow tem novo Gerente de Marketing para a América Latina

27/02/2013

Dow_CastellanosO mexicano Alejandro Castellanos é o novo Gerente de Marketing para Embalagens Rígidas e Especialidades Industriais para a América Latina da Dow. Com o desafio de destacar junto ao mercado o amplo portfólio de soluções para tubulações, rotomoldagem, embalagens de sopro e de injeção e tampas de bebidas, desde janeiro de 2013 Castellanos é o responsável pelo posicionamento de linhas de produtos de polietileno de alta densidade e lineares, com marcas como  Fingerprint e Continuum. “Nossa principal meta é oferecer a solução adequada para nossos clientes, favorecendo a cadeia de valor”, comenta.

Graduado em Economia, Alejandro Castellanos está na Dow desde 2005 e já atuou em diversas funções na empresa. Entre elas, foi nomeado gerente de contas para Polietileno e Polipropileno em 2008 e, dois anos depois, juntou-se ao grupo de Elastômeros como Gerente de Produtos. Para atuar na área de Rígidos, Alejandro Castellanos ficará baseado no México.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

Bayer MaterialScience levará à Feiplastic produtos que reduzem impacto ambiental

20/02/2013

feiplastic

A unidade Bayer MaterialScience apresentará soluções inovadoras para vários setores da economia durante a feira

Confirmando a vocação da FEIPLASTIC como cenário de bons negócios e exposição de grandes empresas do ramo de engenharia de materiais, a Bayer prepara sua participação na Feira Internacional do Plástico, que acontece em maio de 2013, com quatro linhas de produtos. No estande da empresa, uma das maiores do setor de Materiais Inovadores do mundo, os visitantes/compradores poderão conhecer os produtos de linha das famílias Makrolon, APEC, BayBlend e Makroblend. As informações foram antecipadas por Luis Carlos Sohler, Head da Unidade de Negócios Policarbonatos para América Latina da Bayer MaterialScience.

Sohler explica o foco da Bayer em atender tendências mundiais ligadas ao clima, mobilidade e crescimento populacional. “A Bayer tem uma série de iniciativas e programas ligados à sustentabilidade e também desenvolve produtos e soluções com este foco. Algumas destas iniciativas auxiliam vários setores da economia, como a indústria automobilística, pois oferecemos substitutos aos metais, por exemplo. Com isso podemos ter carros mais leves,  com motores de menor potência e que consomem menos combustível”, explica Sohler. “O desenvolvimento de materiais mais leves e transparentes na construção civil, por exemplo, proporciona barreira acústica e térmica. Também existem materiais extintores de chamas, entre outras”, completa.

Em relação à importância da Feira Internacional do Plástico para o reconhecimento de novas tecnologias disponíveis no mercado brasileiro, Sohler acredita que o evento pode servir como uma vitrine e incentivo para que materiais e projetos já adotados em mercados como Estados Unidos e Europa possam ser popularizados no Brasil. “Uma feira como a Feiplastic pode acelerar o reconhecimento pelos consumidores de que os plásticos de engenharia devem ser considerados como uma excelente alternativa à substituição de materiais tradicionais, como os metais e o vidro, contribuindo de forma decisiva para a sustentabilidade do planeta”.

A evolução do mercado e as novas necessidades do consumidor proporcionaram à FEIPLASTIC uma nova abordagem, alinhada às tendências globais e à força da indústria plástica no Brasil. Outras grandes marcas também já têm presença confirmada como Basf, Deb’Maq, Dupont, SEW, Wortex, entre outras. A nova concepção da Feira, organizada e promovida pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, traz a credibilidade e tradição de mais de 20 anos, agora com um grande enfoque internacional e novos pilares como Negócios, Sustenbilidade e Tecnologia. Novidades, soluções e tendências em produtos, serviços e equipamentos serão apresentadas por empresas dos setores de matérias-primas; máquinas, equipamentos e acessórios; moldes e ferramentas; transformadores e resinas sintéticas. O evento também oferecerá outras plataformas de intercâmbio comercial, Club Premium, e-business e ferramentas de divulgação online.

Sobre a Bayer Material Science:Com vendas de 10,8 bilhões de euros em 2011, a Bayer MaterialScience está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Suas atividades de negócios são focadas na produção de materiais de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados no dia a dia. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônicos, construção e as indústrias de lazer e esportes. No final de 2011, a Bayer MaterialScience tinha 30 fábricas, reunindo 14.800 colaboradores em todo o mundo. A Bayer MaterialScience é uma divisão de negócios do Grupo Bayer.

Fonte:  Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Polímero de poliftalamida da Arkema apresenta propriedade de ultra-flexibilidade

18/02/2013
Arkema_1

Tubos de Brake Booster

A Arkema ampliou a gama de seus polímeros Rilsan® HT (High Temperature) com uma nova resina PPA ultra-flexível, que apresenta flexibilidade muito próxima das poliamidas de extrusão. No mercado desde 2009, Rilsan® HT é a primeira resina flexível de poliftalamida (PPA) a substituir tubulações de metal e borracha, em aplicações de alta temperatura. Com este novo avanço em ultra-flexibilidade, novas possibilidades economicamente viáveis tornam realidade a substituição não só de metais, mas também de borracha e polímeros fluorados na extrusão e montagem de tubos. Com 70% de carbono de origem vegetal renovável, a resina Rilsan® HT atende, desta forma, às atuais necessidades de indústrias com foco em soluções ambientalmente sustentáveis.

A classe de polímeros base PPA é conhecida não apenas pelo seu sucesso como material substituto de metais, mas também devido à sua inerente fragilidade e restrições na moldagem por injeção de peças técnicas. O primeiro grade Rilsan® HT da Arkema foi apresentado com módulo de 820 MPa e marcou uma significativa mudança na rigidez desta classe de materiais. Agora o mais recente membro da família Rilsan® HT reduziu ainda mais o módulo para 520 MPa.

“Com Rilsan® HT ultra flexível, nossos pesquisadores na Arkema encontraram uma maneira de flexibilizar e reduzir ainda mais este módulo para 520 MPa, graças à tecnologias inovadoras em materiais, além da experiência de longa data da ARKEMA em poliamidas de cadeia longa e de alto desempenho”, diz Michaela Steng, Gerente de Negócios para Rilsan® HT.

Segunda a Arkema, o novo grade ultra-flexível oferece as excelentes propriedades de cadeia alifática longa de Rilsan® PA11 com as tradicionais cadeias semi-aromáticas das PPA. Com esta tecnologia inovadora, diz a empresa, combinou-se a flexibilidade da PA11 com a resistência a altas temperaturas das PPA convencionais, assinalando novo marco para esta classe de materiais.

A Arkema cita várias vantagens competitivas do Rilsan® HT que contribuíram para o sucesso da resina no mercado, entre as quais a superior resistência à termo-oxidação em longo prazo, elevada resistência ao envelhecimento químico sob altas temperaturas, baixa absorção de umidade e excelente resistência de impacto a frio, quando comparadas com outros termoplásticos para altas temperatura e mesmo com as  resinas clássicas base PPA. O novo Rilsan® HT apresenta ainda uma resistência térmica melhorada para suportar maior tempo de serviço sob mesma temperatura de trabalho ou mesmo aumento de até 10°C na temperatura de trabalho quando comparado com a gama existente, diz a Arkema. O novo grade de Rilsan® HT agora apresenta também uma propriedade de impacto a frio semelhante à do Rilsan® PA 11.

Arkema_2

Tubos Industriais

Ampla gama de aplicações

Segundo a Arkema, o espectro de desempenho de Rilsan® HT torna a resina particularmente adequada para aplicações automotivas “sob o capô”. A empresa dizque o Rilsan® HT é facilmente transformado por extrusão (ou injeção) e pode ser processado em equipamentos padrão para todos os tipos de tecnologias de tubos (liso, corrugado ou moldado por extrusão-sopro), o que permite ampla flexibilidade de projeto com ótima relação custo-benefício. Como resultado, o Rilsan® HT tornou-se uma alternativa rentável e de baixo peso para montagens automotivas “sob o capô” de conjuntos contendo tubos de metal ou borracha, tais como: tubos blow-by, TOC transporte de óleo, entrada de ar e para gerenciamento de vácuo.

A Arkema afirma que as propriedades de Rilsan® HT ultra-flexível – excelente flexibilidade, resistência ao impacto à frio, excelente resistência a produtos químicos, óleos e outros fluidos em alta temperaturas – fazem de Rilsan® HT um substituto ideal para fluorpolímeros ou fluorelastômeros (ETFE, PTFE, FKM) mais caros, em muitas outras aplicações industriais exigentes como tubos pneumáticos flexíveis para altas temperaturas, tubulação hidráulica ou revestimento de cabos. Ainda segundo a empresa, quando comparado aos polímeros fluorados, o Rilsan® HT é um material de menor custo e menor densidade, mas com custo-eficiência superior; além de ser facilmente processado em comparação aos fluorados, contribuindo de forma significativa na redução de custo de peças e sistemas. A Arkema diz que tais vantagens tornam o novo Rilsan® HT ultra-flexível uma alternativa real  a materiais atualmente superdimensionados.

Arkema_Rilsan_4

Balanço de Propriedades das Resinas

Material com vantagem ambiental

O Rilsan® HT possui até 70% de matéria-prima vegetal renovável de culturas não alimentares (óleo de rícino). Comparado com outros polímeros para altas temperaturas de origem convencional à base de petróleo, o Rilsan® apresenta emissões de CO2 substancialmente menores além de preservar os recursos fósseis.

Fonte: Arkema

Curta nossa página no