Archive for the ‘Especialidade’ Category

Eastman lança bioplástico de engenharia à base de celulose

04/07/2017

Segundo a empresa, o Eastman Trēva é um termoplástico versátil que combina alta performance e sustentabilidade

A Eastman Chemical Company, líder na produção de materiais à base de celulose, lançou recentmente o inovador bioplástico de engenharia Trēva. Segundo Burt Capel, vice-presidente e gerente geral da unidade de negócios de Plásticos Especiais da empresa, “A Eastman agrega como vantagem seus quase 100 anos de expertise em celulose para o design e a performance do Trēva, para chegar ao melhor perfil sustentável e ao desempenho desejados pelas marcas, fabricantes, moldadores e outras companhias em sua cadeia de valores”. Capel apresentou oficialmente o lançamento à imprensa durante a Feira Chinaplas, em Guangzhou, na China.

Segundo a Eastman, os benefícios de Trēva são o tripé: sustentabilidade, desempenho de uso final e flexibilidade de design e marca.

Benefícios de Sustentabilidade

A empresa não forneceu detalhes sobre a composição química do novo material, mas informou que metade da composição de Trēva ​​é celulose, material proveniente de florestas de manejo sustentável que são certificadas pelo Forest Stewardship Council (FSC). O novo material é livre de BPA (Bisfenol A) e de ftalatos.

Sua fluidez, durabilidade e estabilidade dimensional permitem menor uso de materiais, peças mais finas e de vida útil mais longa, o que melhora as avaliações do ciclo de vida (LCA), afirma a empresa.

Desempenho de uso final

A Eastman assegura que o Trēva ​​oferece excelente resistência química quando comparado a outros termoplásticos de engenharia, compreendendo a resistência a alguns dos produtos químicos mais agressivos e incluindo óleos para tratamento de pele, protetores solares e produtos de limpeza domésticos.

A baixa taxa de tensões internas residuais do material significa, na prática, a eliminação do efeito não desejado da arco-íris que alguns plásticos apresentam sob luz polarizada, o que melhora a experiência do usuário com telas de dispositivos eletrônicos e displays de varejo, afirma a empresa.

Design e flexibilidade da marca

As características de fluidez do Trēva ​​também possibilitam liberdade de design, o que permite que ele seja usado com peças de design complexo e em peças de paredes finas, relata a Eastman. Sob condições de processamento recomendadas, o recente teste de fluxo espiral de 30 mil de parede fina mostra que as taxas de fluxo de Trēva ​​são significativamente melhores do que as “blendas” de policarbonato, de policarbonato / ABS e são comparáveis ​​às resinas ABS, afirma a empresa.

De acordo com a Eastman, o Trēva ​​é projetado para permitir brilho superficial superior, transparência e toque sensorial térmico, potencializado por meio de uma combinação do material de base e a experiência tecnológica da empresa. O material também oferece grande possibilidade de incorporação de cores e processos secundários mais fáceis, além de capacidade de decoração, o que cria opções adicionais de design e de branding.

Aplicações

Segundo a Eastman, a combinação de benefícios de sustentabilidade e de segurança de Trēva, melhorias no desempenho do uso final e na flexibilidade de design e marca tornam a escolha de material ideal para as seguintes aplicações:

● Armações de óculos, eletrônicos que entram em contato com a pele, como fones de ouvido e muitos outros dispositivos de uso pessoal
● Telas de Aparelhos eletrônicos, como lentes, já que os consumidores precisam enxergar através delas
● Eletrônicos, gabinetes de equipamentos eletrônicos e outros produtos com alto design e especificações complexas
● Componentes interiores automotivos nos quais a resistência química e a estética são desejadas
● Outras aplicações que exigem alta sustentabilidade e requisitos de segurança

“A Eastman está empenhada em atender as necessidades almejadas de clientes atuais e potenciais”, disse Capel. “Há enorme interesse por parte de marcas de todo o mundo e estamos entusiasmados em trabalhar em estreita colaboração com eles, para criar a próxima geração de produtos de alto desempenho e sustentáveis”.

A Eastman é uma empresa global de materiais avançados e aditivos especiais que produz matérias primas para mercados finais, tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A Eastman atende clientes em mais de 100 países e, em 2016, obteve receitas de aproximadamente US $ 9,0 bilhões. A empresa está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA e, emprega, aproximadamente, 14.000 pessoas em todo o mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Eastman

Curta nossa página no

Grupo Solvay constrói fábrica de plásticos de engenharia no México para atender ao mercado regional e América do Norte

31/10/2016
A nova unidade de produção de Technyl® da Solvay, em construção em San Luis Potosí, no México.

A nova unidade de produção de Technyl® da Solvay, em construção em San Luis Potosí, no México.

O Grupo Solvay está construindo uma unidade industrial de plásticos de engenharia Technyl® em San Luis Potosí, no México, com capacidade anual inicial de 10 mil toneladas. A nova unidade tem previsão de entrar em operação no terceiro trimestre de 2017 para atender ao crescimento do mercado regional e da América do Norte ligados às indústrias automotiva e de bens de consumo.

O México é o segundo maior produtor de automóveis e veículos comerciais nas Américas e está em sétimo lugar em todo o mundo, com uma produção anual superior a 3,5 milhões de unidades em 2015. Além disso, muitos fabricantes de bens de consumo e equipamentos elétricos estão localizados nas proximidades, oferecendo novas oportunidades para a Solvay.

“A nova unidade nos ajudará a sustentar o rápido crescimento do negócio de poliamidas Technyl® na América do Norte, ampliando nossa oferta na região”, afirma Vincent Kamel, presidente da unidade global de negócios Solvay Performance Polyamides. “Muitas das principais montadoras do mundo estão localizados na região, o que torna o local uma base ideal para nós atendermos aos mercados e contribuir com as nossas soluções de mobilidade sustentável.”, acrescenta Kamel.

A Solvay já está planejando investimentos adicionais para atender o mercado do NAFTA (sigla em inglês para Tratado Norte Americano de Livre Comércio). Para minimizar custos de investimento e comercialização, a Solvay firmou uma parceria com a Chunil Engineering, um dos seus principais clientes.

“Nossa colaboração com a Chunil Engineering, – uma fornecedora tier 1 do mercado automotivo – permite-nos otimizar a infraestrutura do site, incluindo o uso de energia, água e tratamento de efluentes”, explica Peter Browning, Diretor da Unidade de Negócios Engineering Plastics do Grupo Solvay. “Á medida em que nosso negócio se desenvolve, vamos expandir a capacidade desta unidade modular de 10 mil toneladas para atender às crescentes necessidades de nossos clientes na região.”

A Solvay oferece suporte aos clientes com uma gama completa de serviços técnicos destinados a acelerar o tempo de comercialização de novas aplicações, desde a caracterização de materiais avançados até a validação das aplicações. Esta oferta inclui impressão em 3D de protótipos funcionais à base de poliamida 6 em pó Sinterline®, simulação preditiva com o uso do MMI®Technyl® Design, bem como testes de peças em centros de validação Technyl® totalmente equipados.

Fonte: Assessoria de Imprensa -Solvay

Curta nossa página no

Victrex exibe lançamentos na linha de produtos e serviços voltados aos polímeros PEEK na K 2016

28/09/2016

Feira que ocorre em outubro, na Alemanha, terá como destaque o novo composto Victrex AE 250 desenvolvido para a indústria aeroespacial

victrex-magmaA Victrex, fornecedora de soluções em polímeros PAEK de alta performance, apresentará novidades em seu portfólio na K 2016, feira internacional de plásticos e borracha. O evento acontece em Düsseldorf,na Alemanha, de 19 a 26 de outubro. Além de novos tipos de polímeros Victrex PEEK e suas diversas aplicações, o foco estará nas soluções integradas do futuro e, em particular, nas novas tecnologias. Entre elas, o novo composto Victrex AE 250, desenvolvido para a indústria aeroespacial, cuja produção utiliza tecnologia de moldagem híbrida. Soluções para engrenagens e  e-motors serão destaque no stand automotivo, enquanto novos tipos de polímero PEEK e uma estrutura de compostos PEEK expandida estarão em evidência na seção da indústria de petróleo e gás.

O stand da Victrex, localizado no salão 5 (stand B09), exibirá essas novas soluções, tecnologias e serviços baseados no PAEK, com exemplos de seu uso crescente em aplicações críticas. Tendo começado há mais de 35 anos como o primeiro produtor comercial do PEEK termoplástico de alta performance, a empresa hoje aplica uma abordagem específica que utiliza conhecimentos especializados sobre materiais para oferecer produtos e soluções integradas para as indústrias. Pesquisa e desenvolvimento orientados e combinados aos investimentos e voltados principalmente para os programas industriais e médicos da Victrex também permitiram o estabelecimento de parcerias estratégicas como, por exemplo, com a Magma Global Limited na indústria de petróleo e gás.

Óleo e gás: Magma oferece a mais longa tubulação com base em PEEK

Recentemente, a estrutura mais longa do mundo com base em Victrex PEEK foi desenvolvida sob a forma de spoolable m-pipe® pela Magma Global Limited, que proporciona uma tubulação de intervenção submarina de custo competitivo e confiável, segundo a empresa. Esta tubulação de composto flexível pode ser usada em condições extremas e em profundidades de até 3.000 metros (10.000 pés), suportando pressões de mais de 1.000 bar (15ksi), afirma a Victrex.

Enquanto isso, a Victrex está investindo em uma unidade de produção especificamente para compósitos. Ademais, a empresa apresenta novos polímeros para a indústria de petróleo e gás, incluindo um termoplástico que oferece gama única de propriedades em sistemas de vedação, seja em criogenia(até -196ºC) ou acima de 200°C, assegura a Victrex. Outro destaque é o Victrex OGS 125, especificamente desenvolvido para otimizar a moldagem por compressão de grandes vedações.

Aeroespacial: novos compostos Victrex

Os requisitos também são altos na indústria aeroespacial onde, por exemplo, especificações exatas têm de ser cumpridas para os suportes de peso na aeronave. Um objetivo primordial, além de confiabilidade, durabilidade e leveza, é a redução de custos. As vantagens obtidas na relação custo-benefício com produção e montagem de componentes individuais baseados em novas opções de design e fabricação, por exemplo, podem contribuir para atender esse anseio da indústria.

Precisamente nesse aspecto os recém introduzidos compostos Victrex AE 250, em várias formas de pré-impregnação, oferecem grande potencial para a indústria da aviação. Em combinação com a tecnologia de moldagem híbrida, suportes, grampos, clipes e caixas para estruturas primárias e secundárias podem ser fabricados em minutos, contrapondo o processo com materiais metálicos ou termofixos que pode levar horas. Em 2016, a Victrex apresentará estes novos compostos PAEK pela primeira vez na feira K 2016.

Automotivo: engrenagens e e-motors de custo eficiente e alto desempenho

O pacote completo de engrenagens com base em PEEK disponibilizado pela Victrex para a indústria automotiva desde o ano passado também será apresentado na K 2016. A empresa ampliou sua expertise por meio da aquisição de uma empresa especializada em engrenagens dos Estados Unidos, com p objetivo de oferecer serviços personalizados e completos para obter design preciso e rápido, desenvolvimento, testes e produção de engrenagens ao longo da cadeia de fornecimento.

Outra solução de futuro para e-motors, o filme APTIV, tem se destacado no setor automotivo. Usado como forro de ranhura para isolamento elétrico, o filme ultrafino à base de PEEK permite a utilização de 5% a mais de cobre em comparação com materiais utilizados até então. Segundo a Victrex, isto permite aumento da densidade de potência de motor do mesmo tamanho ou reduz a quantidade de espaço que ocupa, bem como diminui os custos até U$ 20 por motor.

Os filmes APTIV da Victrex têm sido utilizados com sucesso também na produção de aeronaves já há algum tempo. Outro setor que utiliza o material é a indústria eletrônica, como na membrana do micro alto-falante para mais de um milhão de dispositivos móveis. O material garante reprodução de som precisa – apesar da demanda por maior desempenho – e vida útil 300% maior do que a de outros materiais.

Fonte – Victrex

Curta nossa página no

PolyOne adquire ativos de TPE da Kraton

09/02/2016

PolyOne-Acquires-Kraton

Ampliando sua presença global e expertise em inovação e design de elastômeros termoplásticos  (TPE), a PolyOne Corporation anunciou em 03 de feveiro que adquiriu certas tecnologias e ativos da Kraton Performance Polymers, Inc.  As duas empresas também celebraram um acordo de fornecimento, através do qual a Kraton irá fornecer à PolyOne certas matérias-primas utilizadas no processo produtivo das unidades que foram vendidas.

Os mercados finais que utilizam as tecnologias vendidas pela Kraton abrangem aplicações novas e de crescimento rápido em adesivos e filmes protetores removíveis, bem como as aplicações existentes já servidas pela PolyOne, tais como embalagens, dispositivos médicos e produtos para cuidados pessoais. O preço da transação (US $ 72 milhões) representa um múltiplo de 9x EBITDA.

“Desde a nossa bem-sucedida aquisição em TPE da GLS em 2008, temos investido continuamente e promovido a globalizado e crescimento em inovação no segmento de TPE e seus vários usos de valor agregado”, disse Robert M. Patterson, presidente e CEO da PolyOne Corporation. “Estamos muito satisfeitos por termos feito este investimento para nossos clientes e seus objetivos de design de produto, desenvolvimento e desempenho.”

“Eu vejo esta transação como uma vitória para ambas as empresas, e mais importante, para os nossos respectivos acionistas e clientes”, disse Kevin M. Fogarty, presidente e diretor executivo da Kraton. “Ele permitirá que a PolyOne e Kraton se concentrem em suas principais competências e ajudará nossos clientes com soluções novas e únicas que os diferenciarão no mercado.”

Patterson acrescentou: “A integração será rápida e sem problemas, à medida que potencializamos o nosso know-how existente em TPE,  nosso alcance global e experiência comercial para ajudarmos os nossos clientes de maneiras novas e inovadoras.”

A PolyOne Corporation, com receitas de US $ 3,8 bilhões em 2014, é uma provedora de materiais, serviços e soluções especializadas em polímeros.

Fonte: PolyOne

Curta nossa página no

Victrex aumenta capacidade produtiva com aquisição da Kleiss Gears

24/07/2015

Empresa norte-americana fornece engrenagens de precisão em polímeros de engenharia, reduzindo o peso, consumo de energia e ruído de equipamentos

Victrex_Kleiss gearsA Victrex, provedora em soluções globais à base de polímero PEEK, acaba de ampliar seu portfólio com a aquisição da Kleiss Gears. A empresa norte-americana tem 20 anos de mercado e é especializada na fabricação de engrenagens a partir de polímero termoplástico. Reconhecida pelo know-how no design de engrenagens e ferramentas, testes de validação e fabricação de peças de precisão em polímeros de engenharia, a Kleiss Gears passa a integrar o hall de soluções oferecidas pela Victrex.

A novidade marca o suporte de forma mais completa da Victrex para desenvolvimento de engrenagens de polímeros de alta performance em aplicações para mercados como o automotivo, elétrico, energia, entre outros. O objetivo é fornecer desde soluções de material até sistemas integrados completos.

As engrenagens de polímero têm como principais vantagens maior durabilidade e confiabilidade, melhor desempenho, reduções significativas no consumo de energia e peso, além da redução de 50% no ruído, vibração e aspereza (NVH), em comparação às engrenagens de metal.

A união do design de alta precisão em engrenagens, testes e capacidade de fabricação da Kleiss Gears com a tecnologia, inovação e excelência técnica em escala comercial global de materiais da Victrex proporciona uma nova opção para os clientes, como destaca David Hummel, CEO da Victrex.

“A Kleiss Gears oferece à Victrex a oportunidade de acelerar a adoção de engrenagens à base de Victrex PEEK para atender às necessidades da indústria automotiva. O movimento também está em linha com nosso objetivo de duplicar a quantidade de volume do polímero PEEK nos automóveis em médio prazo. Estamos muito satisfeitos de sermos capazes de complementar a experiência existente da Kleiss e desenvolver soluções sob medida para nossos clientes”, enfatiza Hummel.

Com a aquisição, a Victrex é capaz de melhorar sua oferta, incluindo processos de desenvolvimento rápido, tais como a seleção de materiais, design de equipamento e ferramentas, testes e validação, e capacidade de fabricação de precisão.

“Nossa parceria com a Victrex é de longa data e estamos convencidos de que nossos clientes e usuários finais irão se beneficiar de uma abordagem mais integrada, permitindo-lhes desenvolver e lançar engrenagens que oferecem soluções aos seus principais desafios, com ciclos de desenvolvimento mais reduzidos”, finaliza Rod Kleiss, presidente da Kleiss Gears.

Com sede no Reino Unido, a Victrex possui mais de 35 anos de experiência e oferece soluções inovadoras de polímeros de alto desempenho, atendendo uma variedade diversificada de mercados de indústria tais como a aeroespacial, automotiva, dispositivos eletrônicos, operações de petróleo e gás e dispositivos médicos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Victrex

Curta nossa página no

Rhodia lança inovações em plásticos de engenharia na Feiplastic 2015

16/05/2015

Novidades estão em linha com as exigências dos mercados por plásticos de alto desempenho, proporcionando combinações únicas de propriedades

Feiplastic-RhodiaA Rhodia, empresa do grupo Solvay, apresentou na Feiplastic 2015 uma série de novidades em plásticos de engenharia de poliamida visando atender às necessidades dos clientes e dos mercados e em linha com as tendências do setor voltadas para a redução de peso, eficiência energética, maior barreira a fluidos, manutenção de alto desempenho térmico a longo prazo e maior liberdade de design, além de custos competitivos.

Os plásticos de engenharia da empresa são comercializados para três grandes mercados: automotivo, eletroeletrônicos e produtos industriais de consumo. O amplo portfólio da empresa é liderado pela gama de plásticos Technyl®, a qual oferece soluções sob medida conforme requisitos e demandas ao longo da cadeia de valor. Na região da América Latina, a unidade industrial está instalada em São Bernardo do Campo (Brasil), onde também está instalado o centro regional de pesquisa, inovação e desenvolvimento de aplicações.

“Nosso compromisso, como líderes no segmento de plásticos de engenharia de poliamida 6.6 e 6, é o de oferecer permanentemente novas soluções que ajudem a expansão de toda a cadeia produtiva do setor”, diz Marcos Curti, diretor para as Américas da unidade global de negócios Plásticos de Engenharia do Grupo Solvay. Em todos os mercados nos quais atuamos – acrescenta Curti – há enormes possibilidades de expansão de aplicação de nossos plásticos, para atender as demandas atuais e futuras no uso desses materiais, tanto em veículos automotivos, aparelhos de uso doméstico e  equipamentos eletrônicos quanto no segmento de produtos industriais de consumo.“Por essa razão, o grupo tem investido fortemente no desenvolvimento de inovações em tecnologias, produtos e aplicações de poliamidas”, observa.

As inovações permitem aos engenheiros de produtos e processos atender a requisitos técnicos em serviço e proporcionar oportunidades de otimizar a relação resistência-peso (substituição a metais e outros materiais), reduzir consumo de energia e custo de manutenção, além de dar maior versatilidade para design de produtos.

Novidades para todos os mercados

No segmento de Equipamentos Elétricos, um dos destaques da empresa na Feiplastic é a linha Technyl® One,  uma nova tecnologia de plásticos de engenharia em poliamida patenteada e projetada especialmente para aplicação em dispositivos de proteção elétrica, como disjuntores, mini-disjuntores  e contactores de alta voltagem, que demandam excepcionais propriedades elétricas e flamabilidade sob condições críticas de operação, nas quais as poliamidas tradicionais não podem assegurar performance a longo prazo sob temperaturas elevadas. Esse produto está em linha com as novas demandas do segmento, proporcionando características adequadas para a miniaturização de componentes, bem como as exigências de segurança de produto, ligadas às metas de sustentabilidade, afirma a empresa.

Segundo a Rhodia, o Technyl® One oferece excelente processamento para produtos com espessura reduzida, ótimo acabamento superficial (mesmo para grades reforçados com altos teores de fibra de vidro), além de reduzir significativamente desgastes em moldes e máquinas injetoras, motivados por efeitos de corrosão, o que ajuda os transformadores e fabricantes de peças a minimizarem os custos de produção. Além da personalização do material para os requisitos específicos do produto final, incluindo amostragem de cor, a empresa também apoia seus clientes com suporte de design e testes de caracterização e validação.

Para o setor automotivo e de aeronáutica, a empresa destaca o desenvolvimento de peças e partes a partir do processo de sinterização seletiva a laser (SLS, na sigla em inglês) com o uso de uma tecnologia inovadora desenvolvida pela Solvay, base Poliamida 6 em pó reforçada, sob a marca Sinterline™, visando a aplicação em peças que demandem maior resistência térmica e mecânica. Com essa tecnologia é possível a impressão em 3D de protótipos e peças complexas em plásticos de engenharia para diferentes aplicações e mercados, com destaque para peças de motor e carroceria automotiva e componentes estruturais de scooters, bicicletas e artigos esportivos.

O Sinterline™ permite tanto a produção de peças complexas em escalas reduzidas como também preparação de protótipos funcionais para validação de novos conceitos, conferindo maior liberdade de design, redução de custos e tempos envolvidos em processo de desenvolvimento de novos produtos ou mesmo de processos produtivos tradicionais, afirma a Rhodia. Peças desenvolvidas a partir dessa tecnologia estão presentes também no Solar Impulse, o primeiro avião movido exclusivamente a energia solar que neste período está fazendo uma volta ao mundo.

Recentemente, a empresa francesa Kleefer desenvolveu uma scooter elétrica dobrável, para uso em áreas urbanas, utilizando essa tecnologia da Solvay.Antes do processo de sinterização a laser, as peças dessa scooter foram projetadas através do sistema MMI da Solvay para modelagem multi-escala e análise estrutural.

Novidades na linha Technyl® Exten também marcaram presença na Feiplastic 2015, incluindo nova solução de produto combinando requisitos para gerenciamento térmico e resistência a fluidos.

Technyl® ECO – sustentabilidade

Com base em tecnologia proprietária, a linha Technyl® ECO consiste de produtos derivados da revalorização de fios têxteis e industriais, que são tratados e submetidos a processo químico de repolimerização, assegurando seu retorno à cadeia de valor da poliamida e redução no impacto ambiental.

Segundo a empresa, um aspecto diferenciado da tecnologia é o controle adequado do peso molecular, o qual proporciona perfil equilibrado de propriedades mecânicas e ótima processabilidade. Em função da sua relação única custo-benefício-sustentabilidade, a linha Technyl® ECO tem atraído diversos clientes das áreas automotiva e de bens industriais de consumo (conhecida pela sigla CIG), vislumbrando oportunidades de redução de custos, aliando desempenho em serviço e adequação às políticas de sustentabilidade e responsabilidade social.

Fonte / Foto : Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

Feiplastic 2015: Rhodia lança novo plástico de engenharia e mostra polímeros especiais

01/05/2015

Solvay_Rhodia_logoOs plásticos de engenharia de alto desempenho utilizados na produção de peças e partes de automóveis, de eletroeletrônicos, eletrodomésticos e em produtos industriais de consumo são os destaques da Rhodia, empresa do grupo Solvay (stand A-498), na Feiplastic 2015, Feira Internacional do Plástico, que será realizada na próxima semana, de 04 a 08 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Esses plásticos, de alto desempenho, contribuem para a redução de peso, eficiência energética, maior barreira a fluidos, manutenção de alto desempenho térmico a longo prazo e maior liberdade de design, além oferecerem custos competitivos, afirma a empresa.

A principal novidade da empresa nessa área é o lançamento do Technyl One, uma nova linha de plásticos de engenharia para utilização em produtos industriais que exigem alta resistência térmica, mecânica e química, como os contatores, disjuntores e mini-disjuntores elétricos, que funcionam em condições elevadas de temperatura. A empresa traz ao Brasil também equipamentos e a tecnologia para prototipagem em 3D de peças a partir de plásticos de engenharia de poliamida em pó.

A Rhodia é líder na América Latina na produção e comercialização desses plásticos de engenharia. Sua unidade industrial e laboratório desenvolvimento de aplicações estão instalados em São Bernardo do Campo – SP.

Na área de polímeros especiais, a empresa apresenta uma ampla gama de produtos e aplicações de polímeros especiais, que atendem mercados que exigem alto requisito técnico como as áreas de Aeronáutica, Petróleo e Gás, Automotivo e Transportes, Equipamentos para a Saúde e Biomateriais, Revestimentos de Cabos e Fios, Eletroeletrônicos e Dispositivos Inteligentes, Embalagens Especiais e Tratamento de Água.

Serviço: Feiplastic 2015 – Feira Internacional do Plástico – Pavilhão de Exposições do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo (SP)
De 04 a 08 de maio – Das 11h às 20h
Stand da Rhodia e do Grupo Solvay: Pavilhão A, nº 498

Fonte: Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

Sustentabilidade e inovação são tema central da MaterialScience na FEIPLASTIC 2015

01/05/2015

Stand apresenta produtos destinados a diferentes segmentos e ressalta a importância da parceria com a indústria para o desenvolvimento de novas e eficientes soluções

MaterialScience LEDA MaterialScience, divisão de materiais inovadores do Grupo Bayer, participa da FEIPLASTIC – Feira Internacional do Plástico, que acontece de 4 a 8 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. A companhia apresentará ao mercado exemplos de soluções e sua colaboração com diferentes segmentos industriais, como automotivo, médico, e também os mercados de iluminação LED e chapas de policarbonato.

Em uma área de 150 m², a empresa explora a versatilidade do policarbonato, matéria-prima descoberta pela Bayer em 1953, em uma série de filmes e aplicações que vão de spoiler de carros até pequenos instrumentos médicos, passando por grandes fachadas de estádios e a iluminação LED presente em outdoors de todo mundo e também dentro de nossas casas. Entre os destaques da empresa estão os produtos das famílias Makrolon®, APEC®, Bayblend® e Makroblend®.

Haverá ainda uma área destinada à demonstração das chapas de Makrolon®. A intenção é verificar in loco o grau de resistência do material a partir da repetição de golpes no material.

Além disso, na quinta-feira, dia 7 de maio, das 16h às 17h45, a empresa ministra a palestra “Introdução ao Desmopan® 2015: Versatilidade a serviço da indústria” com o executivo Mathias Lauter, Technical Services and Application Development EMEA/LATAM. O evento será realizado na programação da Ilha do Conhecimento. Os visitantes poderão entender melhor a linha de termoplásticos de poliuretano Desmopan®, que pode ser utilizada em uma grande variedade de aplicações para uma série de segmentos industriais, como automotivo, eletroeletrônico e construção.

“Nosso principal objetivo é compartilhar as novidades sobre os plásticos de engenharia”, comenta Luis Carlos Sohler, Head da Unidade de Negócios Policarbonatos para a América Latina. “Eventos como este incentivam a discussão e a adoção de materiais e projetos já maduros em mercados como os Estados Unidos e Europa no Brasil e demais países da América Latina”, finaliza.

Agenda – 7 de Maio (16h às 17h45)
Palestrante: Mathias Lauter, Technical Services and Application Development EMEA/LATAM
Título: Introdução ao Desmopan® 2015: Versatilidade à serviço da indústria
Resumo: A apresentação mostrará a planta e o  processo de produção, além de trazer elementos básicos sobre a química do TPU. A parte técnica traz um aprofundamento dos diferentes processos de moldagem – principalmente por injeção e extrusão, bem como tópicos sobre resistência UV e explicações sobre a necessidade da pré-secagem do TPU. Entre os exemplos de aplicações podemos destacar: manoplas, sistemas táteis para pisos, capas para celulares, entre outras.

Sobre a MaterialScience: Com vendas globais de 11 bilhões de euros em 2014, a MaterialScience está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Suas atividades de negócios são focalizadas na produção de materiais de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados no dia a dia. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônicos, construção e as indústrias de lazer e esportes. No final de 2014, a MaterialScience reunia 14.200 colaboradores em todo o mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Material Science

Curta nossa página no

Evonik apresenta produtos na Feiplastic 2015

14/04/2015

evonik-industriesCom amplo portfólio de matérias-primas dirigidas à cadeia produtiva do plástico, a empresa estará representada por várias áreas de negócios e linhas de produtos, com soluções inovadoras e lançamentos que agregam alta tecnologia e características sustentáveis aos produtos finais.

A novidade na linha Acrylic Polymers será o ACRYLITE® Resist AG100 – PMMA injeção de janelas automotivas. Segundo a empresa, o produto permite ampla liberdade de design e traz como vantagens a redução de peso e opção de integração de uma variedade de funções. ACRYLITE® Resist AG 100 é o primeiro composto especial para moldagem em PMMA para essa aplicação. Além da alta resistência à luz UV e à intempérie pelas quais o ACRYLITE® é reconhecido, este novo produto foi modificado ao impacto e proporciona até 30 vezes a resistência à ruptura do vidro mineral, afirma a Evonik.

Além do lançamento, serão destaques: CYROLITE®, linha especialmente desenvolvida para injeção de produtos para aplicações médicas como conectores, válvulas, filtros e outros produtos que serão submetidos à esterilização por Óxido de etileno e raios gama – possui excepcional resistência química, de acordo com a empresa; e ACRYLITE® Hi-Gloss, PMMA especialmente desenvolvido para uso em aplicações automotivas não transparentes como colunas A,B e C externas, retrovisores, molduras de rádio e peças do painel. É amplamente utilizado na Europa e Estados Unidos em substituição a peças pintadas. Usualmente é produzido na cor Black Piano com altíssimo brilho e possui excelente resistência a intempéries, além de permitir polimento, observa o fabricante.

Os destaques da linha Interface & Performance na Feiplastic, serão:

TEGOMER® ANTISCRATCH – Aditivo que promove resistência a risco para poliolefinas como pp/talco, bem como para polímeros técnicos como PA, PMMA ou PC/ABS. Quimicamente, aditivos TEGOMER® Antiscratch são siloxanos organicamente modificados (OMS).

TEGOMER® FR 100 – Aditivo retardante de chama para fios e cabos, baseados em OMS (siloxanos organicamente modificados). Segundo a Evonik, os produtos possibilitam redução e distribuição no teor do retardante (ATH, MDH), melhora acabamento superficial e homogeneidade nas dimensões, além de não migrar para a superfície, como os óleos de silicones, o que também melhora a impressão sobre o cabo.

TEGOMER® P 121 – Agentes dispersantes fornecidos sob o nome comercial TEGOMER® são indispensáveis para alcançar a distribuição otimizada de pigmentos orgânicos e inorgânicos, em concentrados de cor. Uma distribuição otimizada de pigmentos resulta em uma intensidade de cor superior a uma dada concentração de pigmento, ou uma concentração de pigmento inferior para conseguir um intensidade de cor específica, respectivamente.

Os aditivos Evonik estão disponíveis para polímeros sólidos e pastas líquidas. Além disso, aditivos TEGOMER® são adequados para a dispersão de fillers inorgânicos, como giz, talco ou dióxido de titânio. Agentes de dispersão TEGOMER® podem ser aplicados durante um pré-mix na formulação geral ou diretamente, ou seja, através do processamento split-feed.

Silanos

A linha Dynasylan®, que inclui uma vasta gama de diferentes grupos de silanos, como aminosilanos e sistemas de silanos multifuncionais, será apresentada durante a Feiplastic, com destaque para:

Dynasylan® para cabos e tubulações – para aplicações no setor de fios e cabos, usam-se silanos Vinis funcionais no processo de reticulação de Polietileno. Para essas aplicações, bem como para tubos PEX-b, os silanos são utilizados como: agentes de acoplagem para compostos de diferentes polímeros (por exemplo, PE/EVA), aditivos de reticulação para polietileno, resultando em tubos ou cabos PEX-b (XLPE).

Para formulações retardantes de chamas para cabos, a Evonik oferece oligômeros Dynasylan®. A empresa afirma que os silanos multifuncionais, com sua estrutura oligomérica feita sob medida, oferecem diversos benefícios, como liberação significativamente reduzida de álcool durante o processo de hidrólise dos grupos Silanóis (baixo VOC -composto orgânico volátil), combinação de diferentes funcionalidades em uma molécula como os grupos vinila, alquila, amina e diamina, alto ponto de fulgor, maior segurança de manuseio e armazenamento, segurança adicional durante a produção e nenhuma perda de material, mesmo a elevadas condições do composto.

Por meio do Dynasylan SILFIN®, oferece ampla gama de produtos prontos para o uso para as indústrias de fios, cabos e tubulações, mas também para outras aplicações termoplásticas. De acordo com a empresa, os produtos são fáceis de dosar, oferecem misturas feitas sob medida consistindo em todos os ingredientes necessários para acoplagem e reticulação em polietileno, resultando em PEX-b (XLPE).

Esses produtos contêm vinil silanos e iniciadores para o processo de duas etapas (SIOPLAS®) e, adicionalmente catalisadores de crosslinking, além de, em alguns casos, outros aditivos como, antioxidantes, desativadores de metal, auxiliares de processamento, etc., para o processo em uma etapa (Monosil®).

Dynasylan® para adesivos e selantes de alta performance – é o desempenho essencial dos silanos que permite que os adesivos e selantes, quando expostos à umidade ou aplicados a superfícies particularmente difíceis, sejam tão eficazes quanto os conhecemos hoje. Os silanos protegem os modernos adesivos e selantes de altos níveis da umidade ambiental, além de manter a plena capacidade adesiva de superfícies adesivas já unidas, mas ainda não curadas.

Sílicas para plásticos

Mais um destaque da Evonik para a indústria do plástico será a linha de sílicas precipitadas SIPERNAT®, com grades especiais para diversas funções: antiaglomeração de grânulos de poliestireno pré-espuma; carga ativa para borracha de silicone HTV e selantes polissulfídicos; agente antibloqueio para filmes de PE, PP e outros polímeros de filme; entre diversas outras.

Também apresentará as sílicas especiais feitas sob medida para adesivos e selantes, como a sílica especial com áreas superficiais específicas muito altas e a sílica especial hidrofóbica; além das sílicas pirogênicas AEROSIL®, utilizadas com crescente sucesso em campos de alta tecnologia. A natureza das partículas e a alta pureza permite que AEROSIL® seja utlizada em diversas aplicações na indústria de plástico e de adesivos e selantes para melhorar a produção, qualidade e desempenho dos produtos.

Dióxido de titânio

Na linha de dióxido de titânio, fabricada pela Kronos – uma das maiores produtoras mundiais do produto e representada pela Evonik no Brasil – serão apresentados diversos tipos que atendem necessidades do mercado, proporcionando poder de pigmentação, dispersão, fluidez e propriedades ópticas, resistência a intempéries, entre outros benefícios, em PVC, policarbonato, poliestireno, polímeros de engenharia e poliolefinas, afirma a Evonik.

A Evonik também apresentará o portfólio da Addivant™, maior produtor mundial de fosfitos líquidos, antioxidantes e aditivos especiais em formatos granulares tipo “non-dust” (incluindo sua tecnologia estabilizadora de misturas ANOX® NDB® patenteada – que permite que até oito componentes sejam entregues em uma única mistura homogênea).

Representada pela Evonik nos segmentos de plástico e borracha, a empresa é reconhecida por sua carteira de aditivos especiais, incluindo estabilizadores leves, modificadores de polímeros, inibidores de polimerização e intermediários.

A Evonik, grupo industrial da Alemanha, atua em mais de 100 países no mundo inteiro. No ano fiscal de 2014, mais de 33.000 colaboradores geraram vendas em torno de 12,9 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 1,9 bilhão de Euros. No Brasil, a empresa conta hoje com cerca de 600 colaboradores no País e seus produtos são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais.

Serviço
Feiplastic 2015 – Feira Internacional do Plástico
Data: 04 a 08 de maio
Horário: 11h às 20h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo (SP)
Estande: B, nº 498

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Fitas adesivas de baixa emissão são apresentadas por empresa suíça ATP na NPE 2015, em Orlando

11/04/2015

ATP_adhesivesCom sede na Suíça e com produção na Alemanha, a ATP Adhesive Systems se especializou no desenvolvimento e produção de especialidades em fitas e filmes para a indústria automotiva, sem solventes, sensíveis à pressão e ativados pelo calor.

A ATP anunciou uma gama sob medida de fitas e filmes adesivos de baixa emissão que são capazes de aderir uma ampla variedade de materiais utilizados na produção de componentes para automóveis, incluindo:

– Isolamento acústico
– Vedações e juntas
– Componentes eletrônicos e sensores
– Guarnições decorativas
– Painéis de porta
Headliners

Derek Bamborough, Gerente de Tecnologia e Desenvolvimento de Aplicações, explicou que “o alvo do novo desenvolvimento é atingir o mais amplo espectro de desempenho em aderência e, ao mesmo tempo,  conseguir as mais baixas emissões adesivas possíveis.

O Chefe de Suporte de Aplicações, Gerhard Fuchs, explicou que, “com base em nossos adesivos sob medida, somos capazes de oferecer aos nossos clientes uma escolha do material-suporte, da cobertura e da dimensão da fita e, onde for necessário, customizar os produtos para atender às suas necessidades individuais”. A ATP tem capacidade para produzir revestimentos de até 2.200 milímetros de largura e a versatilidade para produzir uma ampla gama de revestimentos padronizados ou personalizados.

Substratos típicos ligados por meio de adesivos de ATP incluem:

– Plásticos, incluindo, ABS, PC, PP, PE, PVC.
– Metais e substratos com revestimento pintados ou em pó
– Têxteis e tecidos
– Substratos de espuma incluindo, PU, ​​PE, PVC, PVC/nitrílica, EPDM, Neoprene.

Além disso, a ATP anunciou em julho de 2014 um novo investimento significativo de aprox. € 20 milhões para a sua unidade de produção em Mihla / Buchenau. Este investimento inclui a construção de uma unidade de produção e armazenagem com um novo edifício de 12.000m², juntamente com 860 m² complexo de escritórios. O ponto focal da nova fábrica será a nova linha de revestimentos de 70 m de comprimento, no estado-da-arte, com fabricação em ar limpo, permitindo à ATP oferecer fitas adesivas com aparência óptica de alta qualidade, segundo a empresa. O Diretor Daniel Heini explicou que “a nova unidade de produção irá criar entre 50 a 60 novos postos de trabalho para pessoal altamente treinado e, além disso, a ATP continuará oferecendo vagas de trainees para iniciantes.”

Fonte: ATP

Curta nossa página no

Evonik investirá mais de 4 bilhões de euros em Pesquisa e Desenvolvimento nos próximos 10 anos

07/04/2015

Evonik“Nossa intenção é transformar a Evonik em uma das empresas mais inovadoras do mundo”, afirmou o presidente do Conselho Executivo da Evonik, Klaus Engel, durante conferência de imprensa sobre o tema em Wesseling, na Alemanha.

“Inovações são elementos cruciais em nossa estratégia de crescimento”, observou Engel, que anunciou que haverá altos investimentos contínuos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) no futuro.

A Evonik planeja investir mais de 4 bilhões de euros em P&D ao longo da próxima década. Engel disse que inovações são o “elixir da vida” da indústria de especialidade químicas: “Inovações abrem novas áreas comerciais e fortalecem as nossas posições de liderança de mercado e tecnologia”. No ano fiscal de 2014, o gasto em P&D da Evonik atingiu 413 milhões de euros, um aumento de 5% em relação ao do ano anterior (394 milhões de euros). A taxa de investimento em P&D foi de 3,2% (2013: 3,1%).

Ulrich Küsthardt, que foi nomeado Diretor de Inovação da Evonik no início do ano, apresentou um plano de três pontos. “Temos que nos tornar mais focados em nossos projetos, mais internacionais em nossa pesquisa e mais abertos em nossa troca de conhecimentos”, disse ele. O objetivo é fazer com que as inovações cheguem aos consumidores com rapidez e eficiência ainda maiores.

Maior foco em P&D

O canal de P&D da Evonik está bem abastecido com cerca de 500 projetos, com foco ainda maior a ser dado pela gestão estratégica da inovação. Áreas de inovação promissoras na Evonik incluem ingredientes para indústrias nos segmentos cosmético, de membranas, materiais especiais para tecnologia médica, suplementos alimentares e aditivos para alimentação animal, além de materiais compósitos.

Küsthardt também pretende dar ênfase à expansão de centros de competência internacionais. O objetivo é intensificar a competitividade dos clientes, particularmente em regiões de crescimento promissor, por meio de pesquisa e tecnologia aplicada que enfoquem as necessidades locais. A Evonik já apoia seus clientes com soluções sob medida em laboratórios e centros piloto no mundo inteiro.

A Evonik está deliberadamente abrindo seu leque para incluir novas parcerias externas mediante a cooperação com cientistas e start-ups (“Inovação Aberta”), um esforço que Küsthardt planeja intensificar ainda mais. Isso também abrange atividades corporativas com capital de risco, para as quais foi alocado um orçamento de aproximadamente 100 milhões de euros.

Esses investimentos e participações acionárias propiciam insights à Evonik quanto a tecnologias e negócios inovadores logo em sua fase inicial de desenvolvimento. A mais recente aquisição é a Nanocomp, uma empresa finlandesa que desenvolve nanoestruturas ópticas para aplicações no segmento de reconhecimento de gestos em 3D, tecnologia médica e painéis.

A estratégia de inovação da Evonik se orienta pela necessidade de uma população em crescimento – nutrição, saúde, acesso a novas tecnologias e uso conservador dos recursos existentes. Eficiência de recursos e proteção climática são as bases de um grande número de produtos eficientes do ponto de vista energético e responsáveis do ponto de vista ambiental fabricados pela Evonik.
 
Sustentabilidade: um dos principais impulsionadores da inovação

A empresa de especialidades químicas dispõe de múltiplas soluções para uma mobilidade ambientalmente correta e eficiente em recursos.  O sistema sílica/silanos para “pneus verdes” ajuda a reduzir o consumo de combustível em até 8% na comparação com produtos convencionais, enquanto aditivos inovadores para lubrificantes de alta performance ajudam a reduzir esse consumo em até 4%. Além disso, os produtos da Evonik para projetos leves, como materiais compósitos, prometem contribuir para uma economia adicional de combustíveis.

P&D em números

A estreita conexão entre poder inovador e proximidade aos clientes se reflete na distribuição dos gastos de P&D. Cerca de 80% dos gastos são destinados a atividades dentro dos negócios operacionais, que estão especificamente alinhados com suas respectivas tecnologias e mercados mais importantes. Outros 10% são usados pelas unidades operacionais para pesquisar e desenvolver novos negócios. Os 10% restantes são aplicados em pesquisa estratégica na unidade de inovação da Evonik, a Creavis, para estabelecer novas atividades high-tech fora do portfólio existente do Grupo.

O grande número de primeiros pedidos de patentes depositados pela Evonik situa a empresa na vanguarda do setor de especialidades químicas. Em 2014, a empresa detinha mais de 25.000 patentes e pedidos de patentes. Cerca de 250 novas patentes foram requeridas no ano passado – o equivalente a praticamente uma invenção por dia útil. Com quase 2.600 colaboradores trabalhando em pesquisa em 35 locais, a empresa aumentou continuamente o valor de seu portfólio de patentes ao longo dos últimos anos.

A Evonik  é um dos principais líderes mundiais em especialidades químicas. Suas atividades se concentram nas principais megatendências de saúde, nutrição, eficiência de recursos e globalização. A Evonik atua em mais de 100 países no mundo inteiro. No ano fiscal de 2014, mais de 33.000 colaboradores geraram vendas em torno de 12,9 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 1,9 bilhão de Euros.

No Brasil, a história da Evonik Industries, começou em 1953. A empresa conta hoje com cerca de 600 colaboradores no País e seus produtos são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais, como: automotivo, agroquímico, biodiesel, borracha, construção civil, cosmético, farmacêutico, nutrição animal, papel e celulose, plástico, química e tintas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Solvay quer avançar na área de polímeros especiais e compósitos para a indústria aeronáutica no Brasil

01/04/2015

Empresa realiza Tech Day  junto com o IPT para mostrar os avanços em materiais e tecnologias para o setor

Solvay_Rhodia_logoOs novos materiais e tecnologias de processamento de compósitos empregados em diversos setores industriais foram os destaques do Tech Day que a Solvay Specialty Polymers e o IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas –realizaram  no auditório do centro de convenções do Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP).

O objetivo do encontro foi fazer um amplo debate técnico a respeito dos compósitos, cujas aplicações em segmentos tais como Aeronáutica têm crescido em todo o mundo a partir do desenvolvimento de novas soluções e apresenta enorme potencial de expansão no Brasil.

Segundo a Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (Almaco), o valor total da produção na indústria brasileira de compósitos crescerá em torno de 2,5% em 2015, considerando o crescimento PIB em 0,5%. A estimativa é de que o setor atinja receita superior a R$ 3,3 bilhões, processe 207 mil toneladas de material e gere aproximadamente 75 mil empregos no país este ano. No mundo, há 50 mil aplicações catalogadas de compósitos para diferentes produtos, entre os quais aviões, trens, ônibus, automóveis, pás eólicas, tubos, entre outros.

A  realização desse tipo de reunião técnica, que foi antecedido por outro Tech Day feito na Embraer, integra o plano  estratégico de crescimento dos negócios da Solvay Specialty Polymers na região. Essa área de negócios do grupo já é líder mundial no setor de polímeros especiais e compósitos, atendendo clientes do porte da Airbus e com tecnologias e produtos embarcados no Solar Impulse, o primeiro avião movido exclusivamente a energia solar, que está neste período em uma viagem histórica de volta ao mundo.

Mostra tecnológica – O Tech Day foi aberto com uma apresentação sobre o Laboratório de Estruturas Leves do IPT, a cargo do diretor dessa unidade Hugo B. Resende. No final do evento, depois das apresentações e discussões técnicas, foi realizada uma visita geral ao Laboratório.

Durante o  evento, as equipes da Solvay Specialty Polymers na região da América Latina apresentaram as soluções desenvolvidas pela empresa na área de materiais compósitos para o setor aeronáutico. Um dos destaques foi a apresentação do diretor global de negócios Aeroespacial e Compósitos, Armin Klesing, sobre os novos materiais e soluções da empresa para este segmento.

“Nossas soluções em polímeros especiais e compósitos podem ajudar com certeza a indústria aeronáutica do Brasil e região. Temos muita experiência nesse setor, os principais fabricantes mundiais fazem parte de nossa carteira de clientes e estamos habilitados a oferecer tecnologias e produtos inovadores para o desenvolvimento da indústria”, afirma Andreas Savvides, diretor Regional de Vendas e Marketing da Solvay Specialty Polymers na América do Sul.

O Tech Day também teve uma palestra de Rodrigo Berardine, diretor da SAMPE – Sociedade para o Avanço de Materiais e Engenharia de Processos, sobre os compósitos avançados para  segmentos de Energia Eólica e de Petróleo e Gás.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Solvay embarca sua inovação no Solar Impulse 2, o primeiro avião tripulado movido exclusivamente a energia solar, que realiza uma histórica volta ao mundo

13/03/2015

Solar ImpulseA Solvay está patrocinando a volta ao mundo que está sendo realizada pelos pilotos Bertrand Piccard e André Borschberg, que decolaram em 09/03 de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, para iniciar uma volta ao mundo a bordo do avião Solar Impulse 2 (Si2), o primeiro avião tripulado movido exclusivamente a energia solar e que pode voar dia e noite sem usar uma gota de combustível fóssil.

O objetivo desse projeto sustentável é demonstrar o desenvolvimento e utilização de energias renováveis e tecnologias de baixo carbono. O grupo Solvay, o primeiro patrocinador oficial do Solar Impulse, está engajado nesse projeto desde seu início – há 12 anos -, desenvolvendo tecnologias e materiais que ajudam a reduzir peso, armazenar energia e promovem eficiência energética. Com este “laboratório voador”, a Solvay tem posto à prova a sua especialização em materiais avançados e energia sustentável, que permitem ao Solar Impulse voar ao redor do mundo excluvisamente com a energia do Sol.

“A aventura Solar Impulse representa a inovação sem limites e a capacidade da Solvay de demonstrar sua força na busca de soluções para desenvolver e promover tecnologias de baixo carbono”, disse Jean-Pierre Clamadieu, presidente do Comitê Executivo e CEO da Solvay. “Desejamos aos pilotos Bertrand Piccard e André Borschberg um voo seguro e grande sucesso em sua volta ao mundo.”

Viajando a velocidades entre 50 e 100 quilômetros por hora, o Si2 voará 25 dias distribuídos por cinco meses, equipado com 15 produtos Solvay aplicados em mais de 6.000 componentes, incluindo os seus plásticos e polímeros de alto desempenho, fibras, filmes, lubrificantes e revestimentos.

A inovação brasileira também está a bordo com Emana, microfibra têxtil criada pela Rhodia, que faz parte do uniforme oficial de viagem dos pilotos. Espécie de segunda pele, usada por baixo do uniforme oficial dos pilotos,a roupa age para melhorar a microcirculação sanguínea, contribuindo para o retardamento da fadiga muscular dos pilotos durante o voo.

O Si2 tem previsão de parar em 12 locais, incluindo escalas na Índia, China, Estados Unidos e Europa ou na África do Norte, antes de retornar para Abu Dhabi. André Borschberg pilotou a primeira parte da viagem de 400 km, a partir de Abu Dhabi até Muscat, em Omã. Entre os principais desafios da jornada está o voo ininterrupto de cinco dias e noites da China para o Havaí.

Se quiser acompanhar em tempo real essa jornada, que teve início nesta madrugada em Abu Dhabi, nos Emirados Unidos, acesse o site http://www.solarimpulse.com

Fonte: Solvay / Rhodia Brasil

Curta nossa página no

Cromex participa do projeto Apex-Brasil Fórmula Indy

28/05/2014

A Cromex, líder no mercado brasileiro de masterbatches e atuando também na distribuição de termoplásticos, participou do “Programa de Relacionamento ApexBrasil – Projeto Fórmula Indy – Indianapolis 500”, em Indiana (EUA) nos dias 24 e 25 de maio. A iniciativa da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), teve por objetivo promover o relacionamento entre empresas brasileiras e compradores internacionais, no sentido de fomentar as exportações.

Durante o final de semana, representantes de empresas brasileiras e seus clientes estrangeiros selecionados se encontraram em, um espaço exclusivo montado pela Apex-Brasil na prova da Fórmula Indy em Indianapolis (EUA). Três clientes internacionais da Cromex, além da Account Manager Latin and North America Cromex, Janaina Lana, participaram das ações de networking no PROGRAMA FÓRMULA INDY 2014.

A Cromex já é tradicional participante desse evento. Segundo Marcos Pinhel, diretor Comercial da empresa, trata-se de uma oportunidade única. “O evento nos permite apresentar nossos produtos e serviços com mais tempo de contato e mais possibilidades para conhecer melhor o comprador estrangeiro”, afirma o executivo.

Marcos Pinhel analisa que a Fórmula Indy é um enorme mobilizador de diferentes segmentos da opinião pública que, além do contato com as grandes corporações que participam do evento, proporciona visibilidade às empresas brasileiras integrantes do Projeto, com uma alta exposição de marcas, produtos e serviços, fortalecendo a imagem do Brasil no mercado norte-americano.

Segundo o executivo, a Cromex é uma empresa dona de uma cultura exportadora, que comercializa seus produtos para mais de 60 países. “Trata-se de um trabalho constante de inteligência e abertura de mercados e de manutenção dessas relações, o que esse tipo de iniciativa colabora de forma importante”, diz Pinhel.

Atualmente, 20% dos negócios da empresa são voltados aos mercados externos e a tendência é ampliar esse número.

Fonte: Cromex

Curta nossa página no

Cromex participa da Feira Interpack 2014

14/05/2014

A participação ocorre por meio do Think Plastic Brazil, programa de incentivo à exportação do plástico transformado brasileiro

 A Cromex, líder no mercado brasileiro de masterbatches e atuando também na distribuição de termoplásticos, está participando de uma das maiores e mais importantes feiras do setor de embalagens do mundo, a Interpack,   entre os dias 8 e 14 de maio de 2014, em Dusseldorf (Alemanha).

A participação da Cromex ocorre por meio do Think Plastic Brazil, programa de incentivo à exportação do plástico transformado brasileiro, uma parceria entre a cadeia produtiva do plástico e o governo, por meio da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil. Segundo os especialistas do Think Plastic Brazil, a feira é um verdadeiro termômetro para o setor, não só para o mercado europeu, mas também para as empresas da América Latina.

A Cromex  leva ao evento toda a sua gama de produtos e soluções para os transformados plásticos. As aplicações incluem plásticos de engenharia, um segmento para o qual a empresa fornece produtos de alto desempenho; e as especialidades, tendo como alvo as indústrias de construção, eletrônicos e automotivos. A empresa também trabalha com soluções como a moldagem rotacional.

Segundo Marcos Pinhel, diretor Comercial da Cromex, a participação em eventos internacionais é de extrema importância para as estratégias comerciais da empresa. “A Cromex tem um perfil exportador, atuamos em mais de 60 países e sempre buscamos crescer, tanto no reconhecimento de nossos produtos e serviços, quanto nas vendas efetivas”, afirma o executivo.

Fonte: Cromex

Curta nossa página no

Solvay participa de projeto de avião movido a energia solar em sua viagem ao redor do mundo

20/04/2014
  • Aeronave  tripulada que não usa uma gota sequer de combustível fóssil foi apresentada mundialmente no dia 09/04 na Suiça
  • Um total de 6 mil peças dessa aeronave foram feitas com produtos da Solvay, entre os quais polímeros especiais, plásticos de engenharia, fluorpolímeros, lubrificantes e produtos para captura, armazenamento e conservação de energia

Solvay-Solar-Impulse_2A Solvay juntou-se aos fundadores  e pilotos Bertrand Piccard e Andre Borschberg no lançamento do Solar Impulse 2 (HB-SIB), a segunda versão atualizada do avião movido a energia solar que começará sua turnê mundial no início de 2015 sem usar uma única gota de combustível fóssil.

Desde o primeiro dia, há dez anos, a Solvay faz parte do projeto aventureiro Solar Impulse, que em 2004 muitos pensavam ser inconcebível. Com este “Laboratório Voador”, a empresa colocou em prática seus conhecimentos em materiais avançados e energia sustentável, permitindo que o primeiro Solar Impulse voasse ininterruptamente movido somente à energia do sol, superando os limites da inovação, conhecimento técnico e empreendedorismo.

Comparado ao Solar Impulse 1 (Si1), que completou com sucesso seu voo de costa a costa pelos Estados Unidos no ano passado e a travessia do Mar Mediterrâneo em 2012, as tecnologias no ampliado Solar Impulse 2 (Si2) evoluíram para aumentar a eficiência energética. Desta vez, a aeronave está apta para o seu voo ao redor do mundo.

“A Solvay tem mostrado com os projetos Solar Impulse sua contribuição fundamental como um provedor de soluções químicas e materiais avançados no desenvolvimento de fontes de energia alternativas e sustentáveis”, disse o CEO da Solvay, Jean-Pierre Clamadieu, ao participar da solenidade de lançamento da nova aeronave, ocorrida em 09/04, na Suiça. “As soluções e materiais avançados da Solvay fazem parte da transição da matriz energética e ajudam a enfrentar os desafios da sociedade, à medida em que a população cresce”.

“Para a Solvay, o Solar Impulse representa inovação sem limites, substituindo peso por soluções inteligentes. Assumir este projeto, que fabricantes de aviões e muitas outras pessoas não acreditaram, promoveu um forte espírito de equipe empreendedora. O resultado foi um sentimento de orgulho imensurável pela visão de um avião solar, voando dia e noite sem combustível, que se tornou uma realidade”, acrescentou o membro do Comitê Executivo da Solvay, Jacques van Rijckevorsel, que iniciou o projeto para o Grupo em 2004.

Pesquisadores, químicos e engenheiros da Solvay na Bélgica, Brasil, França, Alemanha, Itália e Estados Unidos deixaram suas marcas nos aviões, que possuem cerca de 6 mil peças da Solvay. Um total de 13 produtos da Solvay no Si2 tiveram seu desempenho melhorado, mantendo o peso ao mínimo. Com uma envergadura de 72 metros, o peso do avião de 2,34 toneladas é semelhante ao de um jipe, enquanto que a sua potência é semelhante ao de uma motocicleta.

Graças ao Solar Impulse, as soluções químicas avançadas e materiais avançados da Solvay conseguiram ter acesso a uma série de novos mercados promissores, incluindo a proteção de painel solar, baterias para computadores e celulares, compartimentos de bagagem em aviões e soluções sustentáveis de mobilidade.

Solvay, parceiro tecnológico do Solar Impulse

Solvay-Solar-Impulse_1Conciliar leveza com desempenho, em condições climáticas em que as temperaturas variam de -40 °C a +40 ° C – a Solvay faz a diferença no Solar Impulse 2

Capturando energia:

Um filme de polímero ultrafino, Halar ECTFE®, agora também protege contra a umidade os painéis solares e 18 mil células fotovoltaicas, transformando o Si2 em um avião elétrico à prova d’água.

Uma fita adesiva altamente sofisticada, a Solstick PVDF Solef ®, veda os pequenos espaços entre as células solares e permite-lhes mover-se junto com as asas.

Armazenamento de energia:

Os componentes da Solvay, PVDF Solef ® e F1EC, permitem o armazenamento de energia em 640 kg de baterias de lítio-íon e melhoraram a densidade de energia de para 260 Wh / kg, de 240 Wh / kg no  Solar Impulse 1.

Otimização do consumo de energia:

Com o lubrificante Fomblin ® PFPE, as peças mecânicas resistem ao desgaste e à  ferrugem, reduzindo a manutenção e o uso de energia.

A carenagem do cockpit é feita de poliuretano isolante extremamente leve, com o agente especial de expansão de espuma Solkane 365 MFC ®.

Leveza da estrutura geral e peças

A longarina da asa contém uma estrutura de favo de mel refinada, feita de papel impregnado com o polímero Torlon ® PAI, que proporciona excelentes propriedades: resistência, torção, flexão, vibração.

Peças mecânicas, tais como elementos de fixação e parafusos, são feitos de materiais leves, porém muito robustos, como os polímeros especiais Ketaspire ® PEEK e PrimoSpire SRP ®.

Peças mecânicas complexas, como clipes de iluminação ou as caixas para os equipamentos do cockpit, são de poliamida 6 Sinterline™ e feitas sob medida pela impressora 3D Selective Laser Sintering.

E além do avião, o bem-estar dos pilotos:

A roupa íntima dos pilotos é feita de fios Emana® de poliamida 6.6, uma fibra inteligente que interage com o corpo, estimulando a microcirculação e ajudando o desempenho muscular.

Fonte:  Solvay

Curta nossa página no

BASF fornece materiais plásticos para carro elétrico da BMW

20/04/2014
  • Nova estrutura do banco feita com Poliamida
  • Reforço multifuncional do corpo feito de PBT
  • Bancos traseiros tipo concha feitos de Poliuretano)
  • Reforço estrutural para armação do teto feita de Poliuretano

BASF_BMW_i3A BASF  está fornecendo matérias-primas plásticas para muitos componentes inovadores do BMW i3, o carro elétrico do Grupo BMW. Com sua ampla expertise em construção, a empresa deu apoio ao desenvolvimento de várias partes do carro, como os encostos dos bancos dianteiros, partes chave de reforço no corpo de fibra de carbono, e o banco traseiro tipo concha.

“Trazendo toda nossa experiencia em plásticos do negócio de Materiais de Performance, podemos oferecer soluções customizadas para consumidores inovadores tais como o Grupo BMW e seus fornecedores mundiais bem como fornecer apoio durante a construçao de componentes, diz Raimar Jahn, responsável global  de Materiais de Performance. “Com o BMW i3, o Grupo BMW deu um passo à frente para o futuro da indústria automotiva, e as soluções inteligentes da BASF  contribuem  muito para isso.”

Encosto de banco feito de poliamida

O encosto do banco de motorista e dos passageiros é o primeiro componente estrutural revestido e moldado por injeção feito de poliamida a ter uma superfície visível e a ser usado no interior de um veículo.

Este componente híbrido leve, pesando apenas 2 quilos, engloba todo a expertise do time de competência global de bancos da BASF.  O encosto, que integra múltiplas funções, é feito de poliamida 6 altamente estável sob UV (Ultramid® B3ZG8 UV), desenvolvido pela BASF especialmente para tais aplicações . Segundo a BASF, além de fornecer rigidez suficiente, este material também garante o alongamento e tenacidade para atender os requisitos mecânicos do Grupo BMW, e isto com uma variação de temperatura de -30°C a +80°C.

De acordo com a empresa, os encostos possuem esse formato final, complexo, e acima de tudo fino, graças ao uso antecipado da ferramenta de simulação universal Ultrasim®. Devido à simulação numérica precisa dos materiais usados para o encosto, alavanca de liberação e guia do cinto, o comportamento calculado na simulação de colisão foi compatível com os testes subsequentes. A otimização no computador poderia acontecer em estágios antecipados, evitando dessa forma modificações posteriores no componente de desenvolvimento. O método de simulação da BASF Ultrasim® acompanha de maneira eficaz todos os certificados requeridos pela lei com relação a diferentes posições de assentos, temperaturas e cargas.

Além disso, afirma a BASF, a linha Ultramid® possui baixa emissão, alta resistência a arranhados e  notável qualidade de superfície, características que permitem um grande uso da estrutura do assento, o que o torna um elemento importante. Com relação à alavanca de liberação, seu material não pode falhar quando houver uma colisão. Dessa forma, uma grade de fibra de vidro reforçada com Ultramid® é empregada nessa aplicação:

Partes estruturais multifuncionais feitas de  PBT

O corpo de carbono do BMW i3 contém partes estruturais de  tereftalato de polibutileno – PBT entre a concha interna e externa. O maior componente e o primeiro de sua categoria é componente integral localizado na área traseira entre as conchas de fibras de carbono. Além de sua função de suportar cargas, ele também serve para manter as 2 células da concha separadas e forma a abertura traseira para a janela lateral. Segunda a BASF, a resina de PBT Ultradur® B4040 G6 é ideal para isso pois é dimensionalmente estável, independente das condições climáticas ao seu redor e oferece a resistência necessária ao empenamento. A simulação fornecida pelos engenheiros da BASF contribuiu para uma baixa produção de distorções (deformações) e a orientação da fibra de vidro adequada para possíveis cargas. O componente  moldado por injeção engloba muitos componentes menores planejados no passado, reduzindo então a complexidade e custos. Mais de duas dúzias de componentes menores de Ultradur® com um peso em conjunto de aproximadamente nove quilos, são integrados em outras áreas do corpo do veículo onde fornecem reforço e alcançam a acústica desejada.

Concha do banco traseiro feita de fibras de carbono e matriz PU

A concha autossustentável do banco traseiro é feita pelo sistema da BASF de poliuretano Elastolit®. Pela primeira vez em um veículo de produção de série, as fibras de carbono são combinadas com a matriz de poliuretano, segundo a empresa. O componente integra uma variedade de funções tais como porta-copos e bandeja de armazenamento diminuindo o trabalho de montagem e peso. Uma característica chave do Elastolit® da BASF é sua ampla janela de processo juntamente com sua alta resistência à fatiga e tolerância a danos, afirma a empresa. Devido às propriedades especiais do material, a parte relevante para colisões atende aos rígidos requisitos de segurança do Grupo BMW, apesar da espessura de sua parede de apenas 1.4 milímetros.

Espuma estrutural para reforçar a armação do teto

A espuma estrutural PU Elastolit® D é usada como material de reforço em toda a armação do teto incluindo o pilar A. A espuma altamente resistente à pressão é fabricada para um composto sanduíche de carbono, suportando dessa forma a estrutura rígida do veículo.

Outros componentes:

O BMW i3 incorpora muitas outras partes feitas com os plásticos da BASF que já foram implementadas em um grande número de veículos:

– Essas partes incluem diferentes aplicações elétricas e eletrônicas feitas de Ultramid®, Ultradur® ou poliuretano; por exemplo, a caixa de fusível feita de Ultramid® B3ZG3, que atende as mais rígidas demandas de rigidez e resistência à tensão, segundo a BASF, bem como um conector de alta voltagem feito de Ultramid® A3EG6; além disso existem revestimentos de cabos e prensa-cabos feitos de poliuretanos Elastollan® e Elastoflex®.
– No interior do veículo, a espuma PU semirrígida Elastoflex® E é usada para proteger o painel de instrumentos enquanto a capa do pilar C é feita de Ultramid® B3ZG3.
– Duas espumas diferentes de poliuretano Elastoflex® E são usadas na construção do teto para melhorar a acústica interior: no forro do teto, formando o material principal de um composto sanduíche, possui excelente termoformabilidade e alta rigidez e uma densidade extremamente baixa,  de acordo com a BASF; a espuma de células abertas  Elastoflex® E é usada como base para partes acusticamente eficazes.
– No módulo de produção do teto retrátil opcional, é aplicado o sistema Elastolit® R 8919 de encapsulamento de vidro resistente às intempéries. A armação do teto retrátil é feita de Ultradur® B 4040 G6, uma mistura de PBT/PET de baixo empenamento.
– Molas leves feitas de Cellasto®, o elastômero especial micro-celular, também podem ser encontradas nas suspensões de eixo dianteiras e traseiras no BMW i3.
– Por último, a divisão operacional de revestimento da BASF contribui para o design extraordinário do BMW i3. A divisão abastece a nova linha de produção para o BMW i3 na fábrica em Leipzig/Alemanha com camadas de base em quatro cores que atendem os requisitos de revestimento de componentes adicionais e dos processos de pinturas envolvidos.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

 

LANXESS abre fábrica de compostos de Poliamidas e PBT em Porto Feliz

14/04/2014
  • Capacidade anual de 20 mil toneladas
  • Investimento de cerca de R$ 62 milhões
  • Criação de até 50 empregos

Lanxess_Porto_FelilzA LANXESS, multinacional alemã  do segmento de especialidades químicas, inaugurou sua nova fábrica de plásticos de alta tecnologia em Porto Feliz, interior de São Paulo. Com modernos padrões de produção, a planta terá inicialmente uma capacidade produtiva de 20 mil toneladas por ano. A LANXESS investiu cerca de € 20 milhões (R$ 62 milhões) e vai gerar até 50 postos de trabalho altamente qualificados.

O investimento apoia a tendência crescente pela “Mobilidade Verde” no Brasil e América Latina. Por exemplo, desde o início de 2013, o programa “Inovar-Auto” está exigindo que os carros no Brasil sejam mais eficientes energeticamente até 2017. Com a nova planta, a LANXESS pode atender melhor e mais rapidamente a demanda por plásticos de alta tecnologia, usados ​​no setor automotivo para fazer carros mais leves.

“Este grande investimento em uma linha de composição de ponta enfatiza o nosso forte compromisso com nossos clientes no Brasil e na América Latina, que agora podem contar com produção local, engenharia e serviços técnicos locais, bem como com a excelente qualidade do produto e atendimento ao cliente”, disse Werner Breuers, membro do Conselho de Administração da LANXESS.

Na nova fábrica de compostos, polímeros básicos são misturados e refinados com aditivos especiais e fibras de vidro, de acordo com os requisitos do cliente, para fazer as linhas de produtos  Durethan (compostos de poliamidas)  e Pocan (PBT – polibutilenotereftalato).

Segundo a Lanxess,  estes materiais são utilizados para a fabricação de peças mais leves, que podem substituir componentes metálicos em veículos,  ajudando assim a reduzir o consumo de combustível e as emissões. Além disso,  acrescenta a empresa,  esses materiais permitem que os fabricantes de automóveis e fornecedores tenham mais liberdade no design e promovam uma economia considerável na produção.

Devido às suas  propriedades, ambos os plásticos têm uma ampla variedade de aplicações, como puxadores de portas, para-choques, front-ends, conectores de cabos, tubos de refrigeração, entre outros.

Desde 2012, a LANXESS está ampliando a sua rede de produção global de plásticos de alta tecnologia. Na Antuérpia, na Bélgica, a empresa está construindo uma nova fábrica de plásticos de poliamida. A instalação em escala mundial é projetada para uma capacidade anual de 90 mil toneladas e está programada para entrar em operação no terceiro trimestre de 2014.

A unidade de negócios High Performance Materials (HPM) faz parte do segmento Performance Polymers, que gerou € 4,5 bilhões em vendas no ano fiscal de 2013. A unidade de negócios tem cerca de 1.700 funcionários no mundo todo. A HPM é altamente integrada para trás na cadeia de valor. Ela fabrica os precursores para os seus plásticos de alta tecnologia, como as fibras de vidro para os compostos de poliamidas e PBT, o monômero caprolactama para síntese de poliamidas 6  e suas matérias-primas, em todas as suas próprias instalações. A unidade de negócios é dirigida por Michael Zobel.

LANXESS no Brasil

Porto Feliz é uma planta de grande porte para a LANXESS, com 310 funcionários. A unidade de negócios Rhein Chemie da LANXESS produz aditivos de borracha neste local há dez anos. Desde 2013, ela também faz bladders de alta performance nesta planta. Em 2014, uma nova unidade para a fabricação de aditivos de borracha pré-dispersos ligados a um polímero será adicionada. A unidade de negócios Inorganic Pigments também conta com uma unidade de produção no local.

“Nosso objetivo é transformar o site de Porto Feliz em um hub importante de produtos químicos de especialidade, com as mais recentes tecnologias para nossos clientes no Brasil e na América Latina”, afirma Marcelo Lacerda, presidente da LANXESS no Brasil.

A LANXESS tornou-se uma das maiores empresas químicas no Brasil após a aquisição da Petroflex em 2008 e emprega cerca de 1.100 trabalhadores em sete unidades produtivas. O Brasil, que era responsável por menos de um por cento das vendas globais da LANXESS em 2005, hoje responde por aproximadamente 9% das vendas globais.

A LANXESS teve um volume de vendas de 8,3 bilhões de Euros em 2013.  Atualmente conta com cerca de 17.300 funcionários distribuídos em 31 países. A companhia possui 52 unidades de produção ao redor do mundo. O core business da LANXESS é o desenvolvimento, produção e venda de especialidades químicas, plásticos, borracha e intermediários.   No Brasil, a LANXESS está representada por meio de suas 14 unidades de negócio, possui aproximadamente 1.100 funcionários, 7 unidades produtivas, laboratórios e escritórios, distribuídos pelas cidades de São Paulo e Porto Feliz (SP), São Leopoldo e Triunfo (RS), Duque de Caxias (RJ), Cabo de Santo Agostinho e Recife (PE).

Fonte: Lanxess

Curta nossa página no

BASF lança soluções inovadoras nos segmentos de polímeros superabsorventes, ligantes para fibras e aditivos

09/04/2014
  • Superabsorventes renováveis e com controle de odor
  • Amplo portfólio de aditivos e pigmentos para não tecidos

De 8 a 11 de abril a BASF irá apresentar soluções novas e eficazes para a indústria de higiene na INDEX 2014, a primeira exposição mundial de não tecidos, no Centro de Exposição e Congresso Palexpo em Genebra, Suíça. No estande da BASF, especialistas da empresa irão informar e aconselhar os profissionais sobre a gama completa de serviços e produtos na área de inovação incluindo o novo HySorb® para controle de odores; o HySorb® Mass Balance; ligantes para materiais fibrosos e aditivos para higiene, filtração e aplicações médicas.

Novos polímeros superabsorventes para controle eficaz de odores e ressecamento

Segundo a BASF, o polímero HySorb®, pioneiro no controle de odores juntamente com o portfólio de produtos de polímeros superabsorventes da BASF, é um produto inovador para melhorar a qualidade de vida das pessoas com incontinência. Através do bloqueio da formação de amônia, ele previne o odor causado pela urina por um período prolongado de tempo. Além disso, sua alta capacidade de absorção ajuda a manter a pele seca.

Os polímeros superabsorventes são usados em uma série de aplicações para as necessidades de cada dia das vidas das pessoas. O mercado de incontinência adulta para superabsorventes só perde para o mercado de cuidados com bebê, apresentando um dos maiores crescimentos globais.

Novo polímero absorvente com base em matéria-prima-prima renovável

Trabalhando em conjunto com o TÜV SÜD (órgão de certificação) a BASF desenvolveu uma abordagem inovadora de balanço de massas para o uso de matérias-primas renováveis na BASF “Verbund”. Baseada nessa abordagem, a biomassa alimenta as fábricas no início da cadeia de produção de superabsorventes. Esta parcela de biomassa é então alocada aos produtos de vendas de acordo com suas receitas, usando o novo padrão que inclui a certificação de terceiros do produto.

O equivalente de biomassa pode ser alocado aos superabsorventes em até 100%, de acordo com o padrão das especificações de seus consumidores e demanda. As fábricas e tecnologias alinhadas com a cadeia de valor podem continuar a serem usadas, e o design dos produtos dos consumidores e o processo de produção não requerem ajustes.

Os polímeros superabsorventes baseados em energias renováveis economizam matéria-prima com base fóssil e diminuem os gases de efeito estufa, contribuindo desta forma para o desenvolvimento sustentável.

Dispersões para Ligantes para Fibras – inovações para não tecidos

Na INDEX 2014 a BASF demonstra sua expertise na área de polímeros de dispersões para ligantes para fibras. A BASF desenvolve soluções customizadas para seus clientes nas indústrias de construção, móveis e automotiva. Segundo a empresa, as dispersões têm por característica alta funcionalidade e processabilidade customizada.

Um enfoque na área de dispersões para ligantes para fibras são as resinas ecologicamente compatíveis da marca Acrodur®, uma resina de acrilato reticulante (crosslinking) em base aquosa que possui sistema de um componente, que exibe excelentes propriedades de ligação. A tecnologia utilizada tem como base a reticulação térmica dos ácidos policarboxílicos com álcool multifuncional. Diferente das resinas reativas clássicas, nenhuma substância orgânica, tal como fenol ou formaldeído são liberadas durante o processo de reticulação. O único subproduto proveniente do agente de cura é a água. Segundo a BASF, o Acrodur® não é tóxico nem explosivo e desta forma garante a segurança ambiental bem como um manuseio seguro. O agente de ligação não apenas melhora as propriedades do produto acabado, mas também garante condições de trabalho seguras durante a produção. Além disso, a tecnologia compatível com o meio ambiente ajuda as empresas de processamento a respeitar os limites de emissão e reduzir custos.

Portfólio abrangente de aditivos e pigmentos para não tecidos

A BASF oferece um portfólio de estabilizadores de calor e luz e modificadores de polímeros tais como o Chimassorb® e Irgatec® bem como uma seleção de pigmentos e preparações pigmentárias para a indústria de não tecidos.

De acordo com a BASF,  Microlen® são preparações mono-pigmentárias de fluxo livre e sem pó que alcançam dispersão de pigmentos de alta qualidade, levando a um processamento melhorado e consistência de cor, particularmente para aplicações mais críticas como o não tecido colorido.

Ainda segundo a empresa, a tecnologia Irgatec® CR76 é uma alternativa para padronizar graus de extrusão (meltblown) possibilitando aos produtores de não tecidos adaptar propriedades materiais para seus requisitos específicos e aumentar sua produtividade.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

 

Cromex aborda a nanotecnologia na 7ª edição da PlastShow

04/04/2014

Plastshow_menorA Cromex, empresa líder no mercado brasileiro de masterbatches com atuação também no mercado de distribuição de resinas termoplásticas, está levando os conceitos e desenvolvimentos da nanotecnologia aplicada aos masterbatches e aos plásticos para a PlastShow 2014. O evento  está sendo realizado entre os dias 1 e 4 de abril, em São Paulo.

O gerente de Assistência Técnica, Claudio Marcondes, é especialista em nanotecnologia, ciência que estuda a manipulação da matéria numa escala atômica e molecular, para agregar a essa matéria propriedades específicas. A exemplo prático, um plástico que leva nanotecnologia em sua composição ganha propriedades como a ação bactericida e a capacidade de detectar se o produto embalado estragou, entre outras.

Marcondes vai levar à PlastShow um estudo das propriedades mecânicas do compósito com carbonato de cálcio nano e microparticulado em polipropileno e mostrar os benefícios dessa tecnologia de ponta para a indústria brasileira da transformação. “Cada vez mais a cadeia de transformação de plásticos tem acesso a novos produtos e novas tecnologias que estão ao alcance das empresas e que podem agregar o diferencial que elas precisam para ganhar destaque no mercado”, afirma Marcondes. O painel da Cromex será realizado no dia 4 de abril.

Os visitantes da PlastShow 2014 terão contato com mais de 120 empresas dos segmentos de máquinas, resinas, aditivos e compostos, moldes e matrizes, sistemas de câmara quente e software, entre outras soluções para transformação de plástico utilizadas nas indústrias de automóveis, autopeças, eletroeletrônicos, telecomunicações, construção civil, utilidades domésticas, embalagens e outros setores. A expectativa da organização do evento, que é realizado a cada dois anos, é que, em 2014, a feira alcance a marca de 10 mil visitantes, 15% a mais que o registrado na edição anterior.

Sobre a Cromex – Na produção dos masterbatches, a Cromex conta com unidades em São Paulo (SP) e em Simões Filho (BA). Na distribuição, conta com CDs em São José dos Pinhais (PR), São Paulo (SP) e Itajaí (SC) e opera em todo o Brasil. Possui em São Paulo, um moderno e bem equipado laboratório para masterbatches. A Cromex é certificada pela ISO 9001, 14001 e OHSAS 18001 e seus produtos obedecem as rigorosas normativas internacionais como REACH, FDA, entre outras. Entre as soluções que desenvolve estão as linhas de masterbatches brancos, pretos e coloridos, além das especialidades, soluções voltadas para plástico de engenharia, BOPP, e a linha sustentável para os biopolímeros de fontes renováveis (PE Verde) e para biodegradáveis. São produtos que atendem, desde as aplicações de critérios técnicos mais básicos, até as mais complexas e são desenvolvidos para 18 segmentos da economia.  A empresa atua fortemente no exterior e comercializa seus produtos para mais de 60 países, em trabalho constante de abertura de mercado e participação em eventos internacionais.

Fonte: Cromex

Curta nossa página no

Cromex apresentará sua gama de serviços e produtos para a transformação de plásticos na Andina-Pack 2013

05/11/2013

Feira que reúne empresas dos setores de embalagens para alimentos, bebidas, cosméticos, produtos farmacêuticos, de higiene e limpeza será realizada entre os dias 5 e 8 de novembro.

A Cromex, líder no mercado brasileiro de masterbatches de cores e aditivos para plásticos e distribuição de resinas termoplásticas, estará presente na 12ª edição da Andina-Pack, feira que reúne os setores de alimentos, bebidas, cosméticos, produtos farmacêuticos, higiene e limpeza, entre outros. O evento será realizado em Bogotá (Colômbia) entre os dias 5 e 8 de novembro.

A empresa vai apresentar aos participantes as linhas de masterbatches brancos, pretos e coloridos, especialidades, soluções voltadas para plástico de engenharia, BOPP e a linha sustentável. São produtos que atendem, desde as aplicações de critérios técnicos mais básicos, até as mais complexas.

A Cromex também vai promover a seus clientes, presentes na feira, um seminário técnico sobre as tendências e particularidades dos masterbatches, com o objetivo de levar qualificação e informação atualizada sobre o assunto.

Além de disseminar a marca no mercado latino-americano, a participação da Cromex na Andina-Pack tem sido importante também pela manutenção e ampliação dos contatos locais, mercado onde a empresa já atua há mais de sete anos. ”Somos uma empresa com cultura exportadora e comercializa seus produtos para mais de 60 países”, conta Marcos Pinhel, diretor Comercial da Cromex. E completa: “tradicionalmente a companhia participa de eventos externos para conhecer as tendências e particularidade de cada mercado e, assim, conseguir atuar de modo mais certeiro.”

Os produtos da Cromex são desenvolvidos para diversos segmentos: alimentícios, brinquedos, cosméticos, higiene pessoal e beleza, construção civil, setor automotivo, agrobusiness, entre outros.

Entre essas aplicações estão o plástico de engenharia, segmento para o qual a empresa fornece produtos de alto desempenho, e as especialidades, voltadas para os setores da construção civil, eletroeletrônica e automotivo.

Os visitantes da Andina-Pack também terão a oportunidade de conhecer a linha Cromex para BOPP (brancos, aditivos e cargas minerais), de alta performance técnica, desenvolvidos de acordo com as necessidades da indústria e proporcionando o melhor desempenho nas máquinas.

Com o intuito de promover as boas práticas sustentáveis, a Cromex também vai expor a linha de cores e aditivos voltados aos biopolímeros de fontes renováveis (PE Verde) e para biodegradáveis (PLA), que atendem a mercados que lançam seus produtos com o apelo de sustentabilidade.

A empresa também atua na produção de masterbatches livres de metais pesados.

Fonte: Cromex

Curta nossa página no

Soluções em plásticos da BASF apresentadas durante a K 2013 vão desde aplicações em bicicletas até assentos para carros

15/10/2013
  • Bicicleta conceito produzida com mais de 20 plásticos diferentes
  • Ao vivo no estande da BASF: produção de partes compostas com diversos materiais
  • Pela primeira vez em público: protótipos da competição de design de assentos para carros

Basf_BycicleNa feira  K 2013, que começa nesta quarta (16/10), a BASF disponibiliza novas ideias ainda mais empolgantes  aos visitantes da exposição da indústria de plásticos. Além da notável bicicleta com mais de 20 aplicações plásticas, algumas altamente inovadoras, serão exibidos três protótipos exclusivos dos vencedores da competição de design de assentos para carros, intitulada “sit down. move.”. Os visitantes presentes no estande da companhia poderão sentar-se em mais de 200 A-chairs da Brunner. Um elemento de cozinha da Blum que estará em demonstração apresentará a funcionalidade de elementos deslizantes e de alta performance em gavetas e dobradiças de armários. O grande evento ao vivo contará com a produção de um compartimento protetor com vários materiais a partir do novo pacote de produtos e serviços Ultracom™ para compostos reforçados com fibra.

No estande B52/C58, corredor 5, da fabricante de máquinas Engel, os visitantes poderão presenciar o processo “RTM” (moldagem por transferência de resinas). Uma proteção de bloqueio da fechadura para o veículo esportivo X-Bow da KTM será produzida por meio do um processo RTM como demonstração em uma v-duo 700 da Engel com o sistema de poliuretano da BASF.

Demonstração ao vivo: novo sistema para processar compostos semiacabados

Utilizando-se da produção de um compartimento de invólucro rígido com diversas partes em uma demonstração ao vivo no estande, a BASF demonstrará sua expertise em materiais e tecnologias de processamento que a empresa oferece em Ultracom™, seu novo pacote de produtos e serviços para partes compostas com reforço em fibra contínua. Como parte da demonstração, as pastilhas de laminados termoplásticos Ultralaminate™, que foram produzidas antecipadamente, serão submetidas inicialmente a um tratamento de plasma para assegurar uma excelente aderência ao componente flexível e, em seguida, colocadas por um robô (da FTP Co.) em um molde da Glittenberg Co. Na etapa principal, o Ultralaminate será recoberto com o componente rígido Ultramid® (PA) e o componente flexível Elastollan® (TPU). Todos os invólucros bipartidos produzidos deste modo podem ser montados para formar um compartimento que pode ser travado. A máquina de moldagem por injeção será fornecida pela Arburg Co.; já os corantes plásticos são baseados nos pigmentos da BASF. Amparada por seu pacote Ultracom™, a BASF oferece atualmente, além de Ultralaminate, Ultratape™ com o sistema de moldagem multicomponente à base de Ultramid® COM e a plataforma de desenvolvimento associada com know-how de design, produção e testes.

Uma e-bicycle como “experimento elaborado” – materiais a serem considerados

As bicicletas feitas quase completamente de plástico já existem há muitos anos. O que ainda não existia até então era um conceito de e-bicycle que incorpora muitos tipos diferentes de plásticos, e por que não dizer plásticos altamente inovadores, que oferecem benefícios específicos. A partir da unidade de negócios Materiais de Performance estabelecida em janeiro de 2013 para consolidar os plásticos de poliuretanos até termoplásticos, espumas, resinas epóxi e produtos compostos, a BASF apresentará uma bicicleta conceito para demonstrar potenciais capacidades: idealizada pela agência de design DING3000, a e-bike “Concept 1865 – Rethinking Materials” (Conceito 1865 – Repensando Materiais, em português)  utiliza mais de 20 plásticos diferentes da BASF. Por que 1865? A BASF foi fundada exatamente no ano em que surgiram as primeiras bicicletas com pedais: é por este motivo que o estudo de design da bicicleta funcional e pronta para pedalar tomou a forma de uma bicicleta de banco alto histórica. Ela incorpora um “experimento elaborado” no tópico “Repensando Materiais”. O veículo é um convite para que os clientes desafiem os produtos estabelecidos e desenvolvam, em parceria com a empresa, ideias que possibilitem novas aplicações para mobilidade e urbanização com base em plásticos modernos.

Pela primeira vez em público: os protótipos de assentos para carros “sit down. move.”

Durante a K 2013, a BASF apresentará pela primeira vez ao público em geral os protótipos dos três conceitos vencedores da primeira competição mundial de design “sit down. move.” para assentos de automóveis. Desde março de 2013, a empresa possui modelos em escala completa dos três protótipos dos vencedores do estudo do conceito e apresentará os objetos aos visitantes da feira comercial. Os protótipos se baseiam nos designs de Song Wie Teo (University of Coventry, Reino Unido), Joonyoung Kim (College for Creative Studies, Detroit, EUA) e Pantila Debhakam (agência de design shakes bkk, Bangkok, Tailândia) e estão caracterizados por uma combinação de criatividade e conhecimento dos materiais da BASF.

Elemento de cozinha da Blum

O novo conceito “Servo Drive” da Blum pode ser vivenciado em primeira mão em uma célula de cozinha transparente: a abertura e o fechamento elétricos de gavetas e tampas com suavidade e amortecimento exigem trilhos e elementos com propriedades deslizantes. Aqui, os plásticos de engenharia da BASF -Ultraform® (POM) e Ultramid® (PA) – desempenham seu papel.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

SABIC reforça seu posicionamento no suporte ao crescimento dos fabricantes de veículos no Congresso SAE Brasil 2013

15/10/2013

SABIC_congresso_SAENa 22ª edição anual do Congresso SAE Brasil, em São Paulo, a unidade de negócios da SABIC – Innovative Plastics destacou sua posição no suporte aos fabricantes de veículos para aproveitarem o mercado altamente promissor do Brasil. O congresso da SAE veio num momento em que várias montadoras estão investindo para aumentar a produção no país, que já é o quarto maior mercado automotivo do mundo. Um dos programas que está estimulando o crescimento da indústria automotiva do Brasil é o Inovar-Auto, que incentiva as montadoras a se qualificar para garantir descontos fiscais significativos ao atender aos requisitos específicos do programa. Entre estes requisitos estão a melhoria da eficiência dos veículos em 12%, a realização de um número mínimo de etapas de fabricação no país e investimentos em P&D nas áreas de engenharia, tecnologia e capacitação de fornecedores. Os materiais avançados da SABIC para a indústria automotiva, a sua produção local e recursos de engenharia no país, apoiados por uma rede global de desenvolvimento e centros tecnológicos, oferecem à cadeia automotiva o suporte para atender aos requisitos do programa Inovar-Auto e suas ambições de crescimento neste importante mercado automobilístico.

“Temos o prazer de participar mais uma vez do Congresso SAE Brasil e discutir, junto à indústria, como podemos responder aos desafios e demandas mais urgentes do setor”, disse Ricardo Knecht, gerente geral, América do Sul, da unidade Innovative Plastics da SABIC. “Com este novo direcionamento para aprimorar a tecnologia dos veículos, vemos a oportunidade de oferecer uma maior colaboração através de toda a cadeia de valor, e estamos animados por unir a nossa experiência e know-how em materiais com a engenhosidade de nossos clientes e assim aproveitar ao máximo esta oportunidade”.

“Nosso melhor resultado é alcançado quando trabalhamos diretamente com nossos clientes para entender os desafios e desenhar as soluções”, disse Scott Fallon, diretor sênior de marketing automotivo para os negócios SABIC – Innovative Plastics. “É por isso que estamos ansiosos por eventos como o Congresso SAE Brasil. É outra oportunidade para iniciar esse processo de compartilhamento de conhecimento e traduzi-lo em soluções significativas, e é isso que estamos apresentando aqui em São Paulo – uma gama de soluções de baixo peso que podem ajudar as montadoras a fazer progressos significativos em direção à eficiência dos veículos definidos no programa Inovar-Auto”.

Novas janelas de oportunidade

SABIC_congresso_SAEEntre as muitas aplicações automotivas que a SABIC apresentou no Congresso SAE Brasil 2013, está a estilizada janela de policarbonato (PC) do modelo Volkswagen XL1, um híbrido plug-in com motor a diesel. O XL1 é o carro mais eficiente em produção no mundo, com uma razão de consumo de combustível europeu de 0,9 litros/100 km.

Para alcançar esse desempenho, a Volkswagen aumentou a eficiência do XL1 em todas as áreas de design e tecnologia. Isto incluiu a produção das janelas laterais por meio de uma solução moldada por um processo de injeção de dois estágios e uma tecnologia de revestimento por plasma da EXATEC™ sobre a resina LEXAN™ (PC) e a resina CYCOLOY™ (PC/ABS). Estes materiais reduzem o peso das janelas laterais em 33% em comparação a soluções convencionais de vidro, além de proporcionar uma aparência ótica de alta qualidade e uma superfície resistente à abrasão. A SABIC apoiou completamente a Volkswagen no desenvolvimento do design, engenharia e produção das janelas laterais.

Segundo a empresa, as soluções para “glazing” (plásticos para janelas de veículos) da SABIC podem reduzir o peso em até 50%, dependendo da complexidade e design da janela, se comparadas às versões em vidro convencional. Além de janelas laterais de um veículo, as montadoras podem optar por aplicar a tecnologia do glazing em PC para janelas laterais traseiras e dianteiras (rear and front quarter windows), teto e spoilers – aplicações já demonstradas em veículos de produção. Os parabrisas traseiros (backlites) apresentam uma oportunidade significativa para tirar o máximo proveito dos muitos benefícios possíveis com o uso do PC, incluindo a redução de peso, maior liberdade de design, peças aerodinâmicas e maior integração de funções.

De olho no futuro

Uma segunda aplicação de destaque na exibição é um protótipo de volante todo em plástico com base na resina LEXAN™ EXL da SABIC, um copolímero de PC de alto desempenho, com boa resistência ao impacto em ampla faixa de temperatura e elevada rigidez. Segundo a SABIC, utilizando-se um processo de moldagem por injeção de termoplásticos para este produto pode-se reduzir a massa em até 20% e de 10% a 20% o custo final da peça. A redução de massa oferece às montadoras mais espaço para a integração de componentes eletrônicos e maior liberdade de design para explorar formas originais e designs inovadores. Comparado ao processo de fundição tradicional, a moldagem por injeção pode evitar operações secundárias e agilizar a produção, reduzindo o consumo de energia e as emissões de gases de efeito estufa do processo de fabricação em até 80% e 90%, respectivamente.

Outras aplicações apresentadas no Congresso SAE Brasil 2013 no estande da SABIC incluem:

·          Paralamas e portinholas do tanque de combustível moldados a partir de resina NORYL™ GTX. Este material, quando substitui o metal, pode reduzir até 50% em peso, permitindo uma maior liberdade de design e estilo. Paralamas moldados com este material podem ser pintados on-line, ou seja, junto ao restante do corpo do veículo de demais peças metálicas, evitando a necessidade de operações secundárias e garantindo uma combinação perfeita de cores. Esta resina que é condutiva não exige uma etapa de aplicação de primer antes da pintura.

·         Módulos frontais (Front-End modules) fabricados com a resina STAMAX™ (polipropileno reforçado com de fibra de vidro longa), oferece redução de peso, boa resistência térmica e desempenho mecânico, bem como a capacidade de consolidar as peças para a montagem simplificada.

·         Molduras de faróis e componentes transparentes para iluminação moldados com a resistente resina de PC LEXAN™, uma das soluções em materiais mais importantes do mundo para lentes de faróis. A resina ULTEM™ também é destaque para aplicações em sistemas de iluminação devido às suas propriedades de alta resistência térmica e estabilidade dimensional, características que fazem desta resina um excelente candidato para avançados projetos de faróis de LED.

·         Absorvedores de energia para proteção de pedestres com base na resina XENOY™ iQ, um material composto por uma porcentagem significativa de resíduos pós-consumo renovados, tais como garrafas de água (PET). Além de redução de massa que melhora a característica de consumo de combustível e de emissões, este material oferece medidas eficientes de absorção de energia para atender os requisitos de proteção de pedestres e os danos aos veículos causados em acidentes de baixa velocidade.

A unidade de negócios da SABIC- Innovative Plastics trabalha em colaboração com os clientes desde as primeiras fases do projeto para garantir a correspondência ideal entre atributos materiais e requisitos de aplicação para o melhor desempenho geral. A SABIC possui equipes locais no Brasil, ligadas e apoiadas pela rede global da SABIC, as quais estão disponíveis para oferecer suporte técnico e de desenvolvimento. A SABIC oferece ainda aos clientes na América do Sul acesso fácil e rápido aos materiais de suas instalações de produção localizadas em Campinas (SP), no Brasil e em Tortuguitas, na Argentina.

Fonte: SABIC-IP

Curta nossa página no

DSM e KACO desenvolvem tampa de virabrequim feita em poliamida 410 que reduz custos e peso

02/09/2013
dsm_kaco_1

Tampa de virabrequim fabricada em poliamida 4.10 da DSM para motores Volkswagen de próxima geração

A Royal DSM, juntamente com sua parceira especialista em componentes automotivos KACO, deram um passo importante para melhorar a eficiência no uso de combustível nos automóveis. As duas empresas desenvolveram uma tampa leve multifuncional de virabrequim em EcoPaXX® – uma poliamida 4.10 da DSM proveniente de fontes renováveis – para a mais recente geração de motores a diesel desenvolvidos pelo Grupo Volkswagen.

A tampa fabricada com poliamida incorpora vedações integrais em teflon (PTFE) e borracha de silicone líquida (LSR), assim como vários insertos metálicos. Ela será usada em uma nova plataforma modular MDB da Volkswagen para motores a diesel implementados nas suas marcas Audi, Seat, Škoda e VW. A Volkswagen, juntamente com todos os principais produtores de automóveis, está em constante busca por novas maneiras de aumentar a sustentabilidade de seus produtos, e a nova cobertura do virabrequim derivada de fontes renováveis é um bom exemplo das soluções que está implantando.

Segundo a DSM, quando comparados às tampas feitas em alumínio, os custos das tampas produzidas com a poliamida da DSM são consideravelmente mais baixos, em parte graças ao uso de uma célula de produção integrada totalmente automatizada para a fabricação do componente na KACO. O peso também foi reduzido consideravelmente, pois o EcoPaXX é 45% menos denso do que o alumínio.

De acordo com a DSM, o desenvolvimento representa um avanço significativo em termos de sustentabilidade, desde o momento da produção até o uso do veículo. A poliamida 410 EcoPaXX da DSM  é 70% derivada de fontes renováveis (óleo de mamona). A KACO utiliza a célula de produção energeticamente eficiente não só para moldar a tampa do virabrequim, mas também para integrar duas vedações separadas: a primeira, em PTFE, é colocada no molde por um robô, sendo o EcoPaXX moldado sobre ela;  a segunda, em LSR, é então moldada diretamente na peça usando um processo 2K. Isto resulta em uma redução de energia utilizada durante a produção, sem nenhum desperdício de material. Por fim, como a tampa do virabrequim pesa muito menos do que a sua versão em alumínio, o veículo funciona com mais eficiência, economizando combustível e reduzindo as emissões de dióxido de carbono ao longo de sua vida.

As tampas termoplásticas de virabrequim ainda são incomuns, sendo que as poliamidas 6 ou a 66 são o material de preferência. A especificação dimensional muito rígida da versão VW, assim como as cargas elevadas que a tampa tem que suportar, tornaram particularamente severo o desafio de produzir a peça em termoplástico. Segundo a DSM, a empresa enfrentou o desafio, juntamente com a KACO, graças ao desempenho excepcional da sua poliamida 4.10 – propriedades mecânicas muito boas a elevadas temperaturas, combinadas com uma excelente tenacidade fazem dele um material ideal para o alto desempenho requerido durante o uso em condições extremas. As habilidades da KACO em integrar vedações estáticas e dinâmicas na peça de uma forma inteligente também foram um fator chave para o sucesso.

Andreas Genesius, chefe de Gestão de Projetos da KACO, ressalta a importância do processo de produção livre de resíduos “A peça sai da célula de injeção pronta para ser montada no bloco do motor”, diz ele. “Não é necessário fazer nenhum corte ou remoção de aparas. Através de uma abordagem holística em relação ao design e à produção de peças automotivas, estamos contribuindo para o progresso tecnológico sustentável, sem comprometer o desempenho ou a competitividade da peça”.

Genesius acrescenta que a chave para o sucesso do lançamento da tampa do virabrequim, após um período de desenvolvimento extremamente curto, foi o trabalho estratégico conjunto com os principais parceiros, incluindo a DSM, nas áreas de design de peças, desenvolvimento de material, design de processo e combinação de diferentes materiais.

A tampa do virabrequim é uma obra-prima de projeto de engenharia. A orientação das fibras, o número e a posição dos pontos de injeção e a concepção e integração dos vários insertos foram otimizados para minimizar o empenamento e garantir vedações rigorosas entre a tampa e o bloco do motor e o cárter de óleo. A tampa também tem que resistir ao aperto dos parafusos de fixação no bloco do motor e no cárter (cada um dos quais é construído com tolerâncias diferentes), bem como de ferramentas utilizadas para fixar a posição da correia de FEAD (Front End Accessory Drive). Com as suas excelentes propriedades mecânicas, o EcoPaXX proporcionou uma resposta para estas exigências, afirma a DSM.

Fonte: DSM

Curta nossa página no

Lanxess apresenta produtos na K 2013

30/08/2013

Entre os dias 16 e 23 de outubro, a multinacional alemã LANXESS participará, em Dusseldorf, na Alemanha, da K2013,  evento internacional voltado para o segmento de plásticos e borrachas.

k_2013A LANXESS focalizará suas soluções inovadoras para a mobilidade verde na K 2013. “Em todo o mundo existem mais de um bilhão de carros nas ruas e estradas, e até 2050 este número deverá subir para 2,5 bilhões. Portanto, a mobilidade sustentável está se transformando em uma megatendência global. Com inúmeros produtos e tecnologias, a LANXESS já é pioneira em mobilidade verde”, afirma o Dr. Werner Breuers, membro do Conselho de Administração da LANXESS. Entre outras coisas, a LANXESS utilizará a feira para focalizar na sua borracha de alta performance e nos produtos químicos de borracha para os pneus verdes com baixa resistência à rolagem, em termoplásticos de alta tecnologia para redução de peso e na sua borracha com base em matéria-prima sustentável.

Cultura de inovação voltada para a aplicação

Em 2012, a empresa de especialidades químicas LANXESS gerou quase 20% das vendas do grupo com produtos de mobilidade verde. “A nossa cultura de inovação está se concentrando sistematicamente nas necessidades de nossos clientes e trabalhamos em estreita colaboração com eles para desenvolver soluções inovadoras que podem ser lançadas no mercado de forma mais rápida e econômica possível”, afirma Breuers. No ano passado, a LANXESS investiu €192 milhões – cerca de 2,1% de suas vendas – em pesquisa e desenvolvimento, cerca de 33% a mais do que no ano anterior. “Em especial, a nossa cultura de inovação tem como objetivo o pagamento de dividendos nos mercados em crescimento na China, Índia, Rússia e Brasil, onde estamos fortalecendo nossa presença significativamente”, complementa o executivo. Por exemplo: uma fábrica de borracha butílica, com uma capacidade anual de 100 mil toneladas métricas foi inaugurada em Cingapura há um mês.

EPDM – foco na tecnologia ACE e nos mercados em crescimento

A LANXESS está buscando captar nova participação de mercado no mundo com mundial em elastômeros de etileno-propileno de alto desempenho (EPDM) Keltan com tecnologias avançadas de produção, investimento em mercados de crescimento e um portfólio focalizado. Segundo a empresa, a inovadora tecnologia ACE desempenha um papel-chave neste aspecto, produzindo EPDM sem o uso de cloro em um processo de elevada pureza e com uma composição que pode ser controlada com um grau de detalhamento que dificilmente teria sido possível no passado. “Sete grades no portfólio de EPDM têm um desempenho superior graças à tecnologia. Ela também nos permite adicionar novas grades de EPDM ao nosso portfólio”, completa o Dr. Torsten Derr, head da unidade de negócio Keltan Elastomers. Seus investimentos incluem a maior planta do mundo de EPDM em Changzhou, na China, com uma capacidade anual de até 160 mil toneladas. O início da produção está previsto para 2015.

Grades de borracha técnica – solucionando problemas muito específicos

A Lanxess afirma que a unidade de negócios High Performance Elastomers, um dos principais fornecedores do mundo de borracha técnica, está empenhada em desenvolver especialidades inovadoras como soluções para problemas muito específicos. Ela está seguindo uma estratégia de quatro vertentes em borracha nitrílica de butadieno (NBR). Além de grades de NBR com custo-benefício e diversificação do portfólio através de materiais específicos para clientes, por exemplo, o foco também são os grades inovadores de NBR e novos grades de pó de NBR, Baymod. Um passo inovador de composição na produção de policloropreno amplia a gama de aplicações para esta borracha. “Isso ajudou-nos a desenvolver duas novas famílias de produtos, Baypren HP e GF. Baypren HP inclui produtos com propriedades que ainda não estão disponíveis no mercado”, afirma Jan Paul de Vries, chefe de High Performance Elastomers. Entre os materiais Levapren de poliacetato de vinila (EVM) em desenvolvimento, um grade para a modificação da resistência ao impacto de ácido poliláctico é altamente promissor, afirma a empresa. O ponto de foco das atividades de investimento da unidade de negócios é a Ásia. Por exemplo, uma planta de borracha nitrílica com uma capacidade anual de 30 mil toneladas foi inaugurada em Nantong na China, em maio de 2012, em conjunto com um parceiro.

Termoplásticos de alta tecnologia – redução de peso na indústria automotiva

A unidade de negócios High Performance Materials (HPM) pretende exibir na K 2013 sua posição global em construção automotiva leve, com base em poliamidas de alta tecnologia e poliésteres Durethan e Pocan. Isto foi recentemente reforçado por meio da aquisição da Bond-Laminates, um fabricante e fornecedor de compostos contínuos de termoplástico de performance reforçado com fibra comercializados sob a marca TEPEX. “Somos hoje um dos poucos fabricantes de termoplásticos no mundo que podem fornecer compostos e compostos de performance reconhecidos, em produção de grande escala com o know-how de aplicações correspondentes para o volume de produção de componentes leves “, afirma o Dr. Michael Zobel, diretor da HPM. A empresa vai aproveitar principalmente sua posição única em construção leve para ampliar ainda mais o negócio nos mercados de crescimento e continuar o processo de globalização com novas instalações de produção. Entre os exemplos de expertise de HPM para construção leve citada por Zobel estão as primeiros dianteiras que consistem inteiramente de poliamida 6 e o primeiro pedal de freio para carros feito com poliamida reforçada com fibras de vidro contínuas e adequado para produção em série em grande escala.

Fonte: Lanxess / Virta

Curta nossa página no