Archive for the ‘Embalagens’ Category

Caixas da Termotécnica em EPS mantém frutas saudáveis por mais tempo

18/03/2015

Termotecnica_dacolheitaA Linha DaColheita, da Termotécnica, compreende caixas para acondicionamento de frutas feitas em EPS(isopor®). Seu diferencial de maior destaque é a conservação térmica. Ao manter a temperatura dentro da caixa, a fruta sofre menor perda de peso, desidratação e mantém seu teor vitamínico por mais tempo.

As conservadoras DaColheita já são utilizadas com sucesso por produtores de frutas premium de Petrolina (PE), no Vale do São Francisco, onde a Termotécnica tem uma unidade fabril para atender este mercado em franco desenvolvimento.

De acordo com o Gerente Comercial da Fazenda Special Fruit, Roberto Carvalho, da cidade de Petrolina, as conservadoras em EPS da Termotécnica têm como principal benefício o aumento na vida de prateleira da fruta. “Identificamos que as uvas acondicionadas e transportadas em EPS duravam em torno de 20% a mais de tempo nas prateleiras, em comparação com as frutas nas embalagens de papelão”, explica Roberto.

A Fazenda Special Fruit é cliente da Termotécnica há quatro anos, consumindo cerca de 600 mil embalagens DaColhieta por ano de EPS para uvas. Além do ganho em maior tempo de conservação, Roberto destaca que os clientes que preferem a embalagem de EPS costumam ser os mais exigentes. “Além de terem o produto por mais tempo nas prateleiras, esses clientes também buscam uma melhor apresentação da fruta, que se destaca quando está no EPS”, frisa. A Special Fruit comercializa a marca Suemi no mercado interno e para exportação.

A Cooperativa de Agronegócio de Juazeiro adotou há mais de dois anos as conservadoras de EPS para transporte e comercialização de uvas do segmento premium. De acordo com o engenheiro agrônomo Junior Silveira, responsável pela área Comercial da cooperativa, as embalagens de EPS trazem uma impressão bastante positiva no aspecto visual, de higiene, no contraste das frutas que ficam mais vistosas e com um visual fantástico. “Nossas vendas foram alavancadas com as embalagens DaColheita, proporcionando agregação de valor principalmente para os mercados de São Paulo e Rio de Janeiro”, revela Silveira.

Segundo a Gerente Comercial da Termotécnica, Maida Rodrigues, as conservadoras em EPS também proporcionam ao produtor a facilidade e durabilidade durante o transporte e empilhamento, já que o material tem alta resistência ao peso e absorve bem os impactos. “Além disso, para o varejista, as conservadoras DaColheita agregam uma melhor estética na exposição dos produtos pois mantêm o formato e não absorvem umidade e, para o consumidor final, garantem a integridade das características nutricionais, ou seja, um produto de maior qualidade”, ressalta Maida.

A engenheira de alimentos, Franciele D’avila, que atua na área de Pesquisa e Desenvolvimento da Termotécnica, reforça que os benefícios com o armazenamento da uva em EPS são muito significativos e vão desde a otimização da mão de obra na fazenda, a menor perda de água e vitamina C da fruta, a menor perda de degrana, até a satisfação dos consumidores. Ela ainda complementa que, além de testes internos, estudos de centros de pesquisa e universidades de renome mundial comprovam a superioridade das características de conservação pelo EPS.

Segundo a Termotécnica, um desses estudos, conduzido pelo Korean Food Research Institute, entidade localizada na Coreia do Sul, que estuda tecnologias de base sobre o armazenamento, segurança e distribuição de alimentos para melhorar a saúde das pessoas e a qualidade de sua vida, realizou uma série de pesquisas que destacam o percentual de vitamina C de frutas e legumes, após uma semana de armazenamento em embalagens de EPS e papelão. A média de ganhos com o EPS é significativa. Ao comparar a conservação de uvas quando armazenadas em embalagens semelhantes, sendo uma de papelão e outra de EPS, verifica-se um aproveitamento de mais de 40% superior quando armazenada na embalagem de EPS.

Sobre a Termotécnica:  maior indústria transformadora de EPS da América Latina e líder no mercado brasileiro deste segmento a Termotécnica produz soluções para Construção Civil, Embalagens e Peças Técnicas, Conservação, Agronegócios e Movimentação de Cargas.

Fonte: Assessoria de Comunicação / Termotécnica

Curta nossa página no

BASF apresenta poliamida para filmes de embalagens flexíveis com matéria prima renovável

28/05/2014
  • Até 100% de biomassa
  • Produto com formulação e qualidade idênticas

A BASF agora oferece uma poliamida de alta desempenho (Ultramid) derivado de matérias primas renováveis. O método inovador substitui até 100% dos recursos fósseis, usados no começo do processo de produção integrada, por biomassa certificada. Um certificado confirma aos clientes que a BASF usou a quantidade de matérias primas renováveis exigidas pelo cliente na cadeia de valor.

O Ultramid resultante é idêntico em termos de formulação e qualidade, mas associado a menores emissões de gás efeito estufa e maior economia de recursos fósseis. Além disso, as fábricas e tecnologias existentes na cadeia de valor podem continuar a ser usadas sem mudanças.

“A demanda do consumidor por produtos feitos de matéria prima renovável continua a aumentar”, diz Joachim Queisser, vice-presidente sênior da unidade regional europeia de Poliamidas e Precursores da BASF. “Essa oferta abre excelentes possibilidades para os fabricantes de filmes de embalagem comercializarem seus produtos conforme a demanda”.

A BASF apresentou esse método inovador na Feira de Comércio Interpack, que aconteceu de 8 a 14 de maio em Dusseldorf, Alemanha.

Produtos Ultramid® para aplicações versáteis

Com mais de 60 anos de experiência, a BASF é a principal fornecedora de poliamida e intermediários de poliamida de alta qualidade para a indústria de plásticos de engenharia, filmes, fibras e monofilamento. Sua linha de produtos inclui o Ultramid ® B (poliamida 6), Ultramid® C (poliamida 6/6.6 co-polímero), Ultramid® A (poliamida 6.6) e Ultramid® S Balance (poliamida 6.10).

A BASF possui fábricas de polimerização Ultramid® em Ludwigshafen, Alemanha; Antuérpia, Bélgica; Freeport, Texas e São Paulo, Brasil. Outra unidade de produção está sendo construída em Xangai, China. A produção de poliamida para aplicações em filmes, têxteis, fibras para carpete e plásticos de engenharia está integrada à estrutura Verbund global da BASF com intermediários de poliamida (ou seja, ácido adípico, anolon, caprolactama), matérias primas químicas amônia, ciclohexano, ácido sulfúrico), energia, recuperação de derivados, logística e outros serviços.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Grupo Furnax apresenta injetora de 350 ton e sistema In Mold Label durante a Plastshow

04/04/2014

O Grupo Furnax está apresentando na PlastShow 2014, entre 01 a 04 de abril,  a injetora da série SM-TS de 350 toneladas produzida por um dos maiores fabricantes de máquinas injetoras de grandes tonelagens, a Asian Plastic.

Segundo a empresa, a série SM-TS traz máquinas com soluções adequadas a produtos de paredes finas e ciclos rápidos. Destaca a Furnax que o equipamento prima pela precisão, velocidade e economia de energia, aliados a uma alta velocidade de injeção. Neles é possível acrescentar acumulador de oxigênio, que proporciona um ganho de velocidade de 300 mm/s. Com seu fechamento mecânico, as articulações da unidade são lubrificadas utilizando buchas de bronze e grafite que promovem menos desgastes por fricção, garantindo grande precisão e prolongando a vida útil da injetora.

O Grupo Furnax também apresentará na feira um sistema In Mold Label, que combinado à injetora SM-TS 350 toneladas, possibilita a aplicação de rótulos ou ilustrações diretamente no molde, produzindo uma peça personalizada sem a necessidade de rótulos adesivos, gravação ou impressões silk. Os produtos produzidos com o auxílio do sistema In Mold Label são impressos sobre filmes plásticos, que permitem sua adesão nas embalagens durante o processo de injeção, fixando permanentemente na superfície sem produzir bolhas de ar ou enrugamento pelo calor do molde.

O sistema garante maior produtividade, rapidez e economia, pois elimina etapas como a adesivação e impressão dos rótulos, além de garantir uma maior qualidade na imagem, melhor resistência à corrosão e compressão. O sistema In Mold Label é indicado a todos os segmentos que utilizem qualquer tipo de rótulos, dentre eles o alimentício, brinquedos, produtos domésticos, embalagens e cosméticos.

Além de apresentar tecnologias e injetoras de diversas tonelagens à pronta entrega, o Grupo aproveita a oportunidade para atender e solucionar as dúvidas dos clientes, oferecendo conhecimento técnico junto a uma estruturada equipe de vendas. De acordo com Vivian Rodrigues, gerente da Divisão Plástica da Furnax, a PlastShow é uma ocasião única para consolidar a empresa aos segmentos de embalagens em geral. O Grupo está localizado no estande 21, no ExpoCenter Norte – Pavilhão Azul.

Fonte:  Grupo Furnax

Curta nossa página no

Surya Brasil amplia linha de cosméticos com plástico verde da Braskem

26/03/2014

As novas embalagens serão produzidas com matéria-prima de fonte renovável

Braskem_SuryaA Surya Brasil, marca líder em cosméticos naturais, veganos e orgânicos, lança quatro novos produtos da linha Sapien Women. Com o conceito “Desintoxique sua Beleza”, a linha, que busca oferecer produtos mais sustentáveis, utiliza embalagens feitas com o Plástico Verde produzido pela Braskem, cujo diferencial está em contribuir para a redução da emissão dos gases do efeito estufa na atmosfera. O plástico verde é feito a partir do eteno obtido do etanol de cana-de-açúcar capturando gás carbônico durante o seu processo produtivo. Para ajudar o consumidor a reconhecer o plástico verde, a Braskem criou o selo ‘I´m green T’, que garante a origem renovável da embalagem.

A linha Sapiens Women foi desenvolvida para o uso diário e traz shampoo, condicionador, leave-in (creme para pentear) e reparador de pontas, todos com fragrância feita a partir de extratos naturais de coco e manga. Além dos novos produtos, a linha Sapien Men já utiliza a matéria prima renovável. As embalagens foram produzidas em parceria com a C-Pack, empresa líder na América Latina na produção de bisnagas plásticas flexíveis, e estarão disponíveis na América do Sul, América do Norte, Europa, Ásia e África.

“Os cosméticos naturais, veganos e orgânicos hidratam profundamente a pele e cabelos, proporcionando resultados reais e de longa duração. É uma opção ainda inédita no mercado brasileiro e ideal para as mulheres que se importam com a beleza, com o bem-estar e com a conservação do planeta”, explica Clélia Angelon, diretora e fundadora da Surya Brasil.

Para a Braskem, os novos produtos estão alinhados aos valores da empresa de inovar e melhor servir às pessoas. “O uso do plástico verde proporciona ao consumidor uma solução sustentável para embalagens. A expansão da parceria com a Surya reforça o cuidado da empresa em oferecer soluções para seus clientes”, afirma Alexandre Elias, diretor de Químicos Renováveis da Braskem.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem firma acordo com FINEP para pesquisa em nanotecnologia aplicada a embalagens plásticas

14/03/2014

Braskem_nanotecnologiaA Braskem firmou com a Agência Brasileira de Inovação (FINEP) um acordo para pesquisa de embalagens plásticas a partir da utilização da nanotecnologia em seu Centro de Tecnologia localizado no Polo Petroquímico de Triunfo (RS). O projeto subvencionado  é destinado ao desenvolvimento de resinas plásticas com alta barreira a gases, vapores e solventes químicos para serem usadas na produção de  embalagens rígidas e flexíveis de PE e PP.

O projeto FINEP deverá estar concluído até o final de 2016.  A FINEP irá dispor em caráter de subvenção o valor de R$ 2,97 milhões. Em contrapartida, a Braskem afirma que irá alocar para este projeto o valor de R$ 1,66 milhão.

O contrato tem origem em uma chamada pública específica para projetos que utilizam a nanotecnologia, tecnologia que possibilita trabalhar com matéria numa escala atômica e molecular. O nanômetro, unidade de medida que dá origem ao nome “nanotecnologia”, é cerca de 50 mil vezes menor que a espessura de um fio de cabelo.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Polietileno verde da Braskem é usado por Adimax na embalagem de alimentos para animais

06/12/2013

Mais saudável e sustentável, a linha de produtos contém ingredientes diferenciados e de alta qualidade, além de utilizar plástico de fonte renovável produzido pela Braskem em suas embalagens

Braskem_AdipetPara consumidores que buscam oferecer mais saúde e bem-estar aos seus cães e gatos e que ainda se preocupam em consumir produtos mais sustentáveis, a Adimax lança linha Super Premium “Fórmula Natural” com novos ingredientes. Outra novidade é a embalagem sustentável do produto, feita com o plástico verde de origem renovável, da Braskem.

São treze versões desenvolvidas para melhor adaptação ao porte, idade e características individuais dos animais de estimação. Para os cães, portes Mini/Pequeno e Médio/ Grande, a linha se divide em Filhotes, Adultos, Sensitive, Light e Sênior. Já para os gatos, apresentamos as seguintes opções: Filhotes, Adultos e Castrados.

“Uma alimentação saudável, adequada para atender as necessidades de cada animal, proporciona muitos benefícios, o que se reverte em qualidade de vida e, consequentemente, longevidade”, reforça o Prof. Dr. RodrigoBazolli, gerente técnico da Adimax Pet.

“A Braskem busca criar produtos que inovem para melhor servir às pessoas. O uso do plástico verde proporciona ao consumidor uma solução mais inteligente e ambiental para embalagens. A expansão da parceria com a Adimax reforça o cuidado da empresa em oferecer uma solução mais sustentável para seus clientes”, relata Alexandre Elias, diretor de Renováveis da Braskem.

O plástico verde é feito a partir do eteno, obtido do etanol de cana-de-açúcar. Seu grande diferencial é contribuir para a redução da emissão dos gases do efeito estufa na atmosfera, já que captura gás carbônico durante o seu processo produtivo. Para ajudar o consumidor a reconhecer o plástico verde nas lojas, a Braskem criou o selo ‘I´m green TM’, que garante a origem renovável da embalagem.

As embalagens foram produzidas em parceria com a Incoplast e a Braskem. No segmento Pet Food, a Adimax tornou-se pioneira quanto à utilização desta tecnologia, no lançamento da linha Magnus Eco.

Com a inclusão da Super Premium Fórmula Natural no portfólio da empresa, a variedade de itens produzidos com plástico verde aumentará de quatro para mais de vinte itens, informa Leonardo Dalmagro, gerente de embalagens da Adimax Pet.

Fonte:  Braskem / Foto: Adimax

Curta nossa página no

DSM inova no processamento de poliamidas para filmes soprados

21/10/2013

Segundo a Royal DSM, o potencial da poliamida 6 para filmes soprados para embalagens flexíveis de alimentos é ainda maior com a introdução da sua resina Akulon ® XS. Graças às suas propriedades aprimoradas de cristalização, o Akulon XS possui uma janela de processamento ampliada, oferecendo novas possibilidades no projeto de multicamadas coextrudadas, bem como de estruturas de filmes em monocamada. Os processadores notam melhorias significativas na produção quando utilizam o novo Akulon XS.

À medida que a conscientização sobre a necessidade de redução do desperdício de alimentos e extensão do prazo de validade aumenta, a demanda por filmes-barreira para embalagens flexíveis para alimentos continua a crescer. Muitos filmes-barreira são coextrudados em linhas de filme soprado e estruturas com sete, nove e até onze camadas são agora bastante comuns. Esta tecnologia oferece uma maneira economicamente eficaz para combinar várias funcionalidades, como propriedade de barreira, capacidade de impressão, selagem e resistência ao impacto.

A poliamida 6 é uma opção muito interessante para utilização em tais filmes, devido às suas boas propriedades de barreira e à sua resistência mecânica. No entanto, a elevada taxa de cristalização da poliamida 6 pode limitar a sua janela de processamento. Normalmente, os processadores precisam comprometer a produtividade ou obter uma melhor processabilidade, misturando a poliamida 6 com poliamidas amorfas especiais mais caras ou copolímeros de poliamida. Isso reduz o custo benefício do filme.

Segundo a DSM, a sua resina Akulon XS resolve o problema. Ele se cristaliza de forma muito mais lenta no balão do filme do que a poliamida 6 convencional, de modo que a sua taxa de cristalização iguala-se à de outras camadas de material. Isso cria um balão mais estável e dá aos processadores mais flexibilidade nas suas condições de processamento. O filme também é mais elástico, e por isso, é necessário menos força para atingir a mesma blow-up ratio (BUR – relação de expansão), ou a mesma força pode ser usada para produzir uma espuma com uma BUR entre 7 e 10% maior. Há também menos rugas no filme plano.

Apesar da cristalização mais lenta criar cristais maiores, de onde se poderia esperar um filme menos claro, os testes em linhas de produção em escala industrial  têm mostrado que praticamente não há diferença discernível nas propriedades óticas dos filmes feitos com um filme de poliamida de referência e Akulon XS. Na verdade, todas as propriedades do filme são as mesmas do filme feito com a poliamida 6 padrão.

A DSM fornece Akulon XS aos clientes com um serviço especial de seus técnicos para maximizar as vantagens deste material inovador. A DSM está oferecendo suporte para otimizar o projeto da estrutura dos filmes, baseado em seu Modelo de Cálculo de Estrutura de Filme. Este modelo calcula as propriedades de barreira de diferentes estruturas de filmes, mesmo após o reprocessamento, e permite que os produtores de filme soprado  encontrem a estrutura de camadas e as condições de processamento ideais para o Akulon XS.

A DSM afirma que, com o Akulon XS, fica mais fácil e mais rentável para os processadores fazer filmes de poliamida 6 para embalagens flexíveis de alimentos, aproveitando as características propriedades mecânicas e de barreira da poliamida 6.

Fonte: DSM

Curta nossa página no

Starlinger apresentará nova tecnologia de laminação durante a Feira K 2013

19/09/2013

Starlinger_at_K_2013A Starlinger & Co. GmbH está apresentando este ano em Düsseldorf um novo conceito em laminação de tecidos. “Este é um passo revolucionário na laminação contínua de tecidos, fazendo com que esta se torne muito mais simples e eficiente, ao mesmo tempo em que garante uma qualidade excepcional da laminação”, afirma o Diretor de vendas da Starlinger, Hermann Adrigan.  Já nos anos passados, segundo a empresa, a Starlinger definiu padrões da indústria com suas linhas de laminação stacoTEC, das quais vende até 30 linhas por ano a clientes de todo o mundo. A primeira apresentação a nível mundial da nova linha de laminação ocorrerá no stand da Starlinger no Hall 16 da Feira, onde os visitantes poderão vê-la funcionando. Além disto, serão apresentados também desenvolvimentos de produtos inovadores em embalagens de tecidos flexíveis e a linha completa de soluções “turn-key” em máquinas.

Reciclagem de plásticos:  Solucões para resíduos muito contaminados e estréia mundial de tecnologia de descontaminação

No Hall 9 da feira, a Starlinger recycling technology lançará un novo desenvolvimento que permite a reciclagem de resíduos plásticos pós-industriais e pós-consumo altamente contaminados, como por exemplo residuos domésticos molhados, filmes agrícolas ou similares, assim como materiais com muita impressão. Durante a feira, uma linha recoSTAR universal 65 VAC processará filmes de Polietileno bastante impressos, demostrando a qualidade da desgasificação da massa fundida e a capacidade de limpeza necessária para se poder usar regranulado de alta qualidade em aplicações distintas.

A Starlinger viscotec organizará a apresentação mundial do novo reator deCON no Hall 9 da feira. No Hall 16, será instalado um reator viscoSTAR, projetando-se em uma tela múltipla a linha de chapas de PET viscoSHEET, lançada recentemente. De acordo com a Stalinger, a nova linha de chapas permite processar até 100% de PET reciclado, PET virgem e PIR (material pós-industrial) com níveis garantidos de viscosidade intrínseca que atendem às exigências da FDA/EFSA para aplicações com material para uso alimentar.

“Open House” da Starlinger na Austria

Nos dias anteriores à Feira K, os clientes terão a posibilidade de participar da Open House da Starlinger em Weissenbach, situada a uma hora de Viena. Durante a Open House, entre os dias 14 a 16 e 21 a 25 de outubro de 2013, se poderá ver em funcionamento toda a gama de máquinas que mostram os últimos avanços na produção de embalagens têxteis e equipamentos de reciclagem de plásticos.

Fonte: Starlinger

Curta nossa página no

Braskem expande portfólio de resinas para o segmento de filmes termoencolhíveis

17/09/2013

A Braskem expande seu portfólio de resinas de polietileno de alta densidade (PEAD) com o lançamento de uma família especialmente desenhada para atender ao segmento de filmes termoencolhíveis (embalagens secundárias para unitização de latas e garrafas), também conhecidos como filmes shrink.

O principal diferencial da linha é o baixo nível de géis, garantindo uma embalagem compacta, sem furos, sem marcas na superfície e mantendo boa visualização do produto empacotado. A família apresenta duas resinas: a HD7600U e HD7600M, produzidas, respectivamente, no Rio de Janeiro e Bahia.

A formulação do filme shrink contempla, além do PEAD, polietilenos de baixa densidade e linear (PEBDL e PEBD). Segundo a Braskem, a combinação das propriedades inerentes a cada uma das famílias de resinas proporciona rigidez, encolhimento e compactação da unidade simultaneamente.

“A expansão do portfólio para filmes shrink demonstra a importância do segmento para a Braskem. A família HD7600 é resultado do trabalho conjunto dos nossos engenheiros com os Clientes, desenvolvido durante quase um ano, que garantiu o fornecimento de resinas de alta performance para atender de forma abrangente o mercado”, destaca Renato Augusto Yoshino de Lima, líder comercial do segmento de filmes industriais.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Plástico biodegradável da BASF será usado em projeto de compostagem de resíduos orgânicos domésticos em Mogi Mirim-SP

17/09/2013
  • BASF, Prefeitura Municipal de Mogi Mirim, Construrban, Inambi, Romapack e Visafertil iniciam projeto piloto para coleta e compostagem de resíduos sólidos orgânicos no município
  • Matéria prima utilizada na confecção dos sacos para coleta seletiva será o ecovio® da BASF, polímero compostável certificado, com conteúdo parcialmente de fonte renovável
  • Cerca de 240 toneladas de resíduos orgânicos serão geradas durante o projeto e transformados em 120 toneladas de adubo para plantas

A BASF e a Prefeitura de Mogi Mirim, juntamente com seus parceiros, lançaram no dia 16/09 um projeto piloto de compostagem de resíduos sólidos orgânicos gerados no município, por meio da introdução da coleta seletiva domiciliar. A primeira coleta será iniciada na próxima quarta-feira (18.09).

É a primeira vez que um projeto desenvolvido na América do Sul vai demonstrar o uso de sacos plásticos produzidos com ecovio®, um polímero biodegradável, assim como a eficiência do processo de compostagem como contribuição para a gestão de resíduos sólidos urbanos.

Os sacos feitos com o ecovio® da BASF serão produzidos pela Romapack, indústria de embalagens. “Confeccionamos cerca de 200 mil sacos para serem distribuidos a uma amostragem de 1.770 unidades residenciais e mais duas escolas, o correspondente a cerca de 5.300 moradores”, afirma Gisele Barbin, Gerente Comercial da Romapack.

Os bairros selecionados para o desenvolvimento desse trabalho foram o Jardim Paulista e Jardim Silvânia, que possuem características representativas dos hábitos da comunidade no município. Para conscientizar os moradores envolvidos no projeto, a BASF, Fundação Espaço Eco e consultoria Inambi – responsável pelo monitoramento e elaboração do relatório final do projeto – desenvolveram um programa de treinamento sobre todo o processo de coleta seletiva de resíduos orgânicos para compostagem.

“Estamos desenvolvendo programas de educação ambiental para que os moradores possam, por si próprios, serem capazes de diferenciar cada tipo de resíduos e destinar os orgânicos de forma correta para a compostagem, participando de forma ativa e consciente no desenvolvimento desse modelo de reciclagem”, afirma Marcos Badra, diretor da consultoria Inambi.

“Ao darmos uma destinação mais adequada ao resíduo orgânico, também contribuímos para melhorar a qualidade da coleta seletiva de recicláveis em geral, eliminando a contaminação pelo resíduo orgânico“, complementa Ubiratan S. de Carvalho, Diretor da Construrban Logística Ambiental.

Os resíduos orgânicos domésticos serão coletados todas as segundas, quartas e sextas-feiras por um caminhão da Construrban. Esses resíduos serão destinados à Visafértil, que opera uma usina de compostagem em Mogi Mirim.

O projeto terá três meses de duração com estimativa de gerar cerca de 240 toneladas de resíduos orgânicos, os quais serão transformados em cerca de 120 toneladas de adubo rico em nutrientes essenciais para as plantas. Esse processo de transformação do resíduo junto com o saco produzido com ecovio compostável e certificado é estimado em cerca de 90 dias.

“A Visafértil se orgulha em participar desse projeto com técnicas inovadoras, transformando os resíduos orgânicos domésticos de Mogi Mirim em um composto nobre e sustentável, juntamente com os sacos de ecovio®, comenta Ulisses Giradi, diretor da Visafértil

“A BASF já conduziu outros projetos piloto de compostagem semelhantes na Alemanha, Canadá, Tailândia, Índia e Austrália, com resultados previstos alcançados. A coleta de resíduos orgânicos realizada de forma higiênica, com sacos plásticos compostáveis produzidos com ecovio® da BASF contribuiu para reduzir a quantidade de resíduos orgânicos destinada a aterros, para aumentar sua vida útil e diminuir a emissão de gases de efeito estufa”, afirma Karina Daruich, gerente de biopolímeros da BASF para América do Sul.

O projeto poderá se transformar num modelo de sucesso baseado nas premissas da Lei 12.305/2010 (PNRS – Política Nacional de Resíduos Sólidos) e ser seguido por outros municípios brasileiros.  “É uma enorme satisfação fazer parte dessa iniciativa pioneira e podermos ser os incentivadores de uma ampla conscientização da população quanto aos benefícios ao meio ambiente e de um futuro sustentável”, comentou o prefeito de Mogi Mirim, Luís Gustavo Antunes Stupp.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Expo PLAST na Embala Nordeste se consolida como a maior feira regional do setor plástico no Nordeste

04/09/2013

expo_plast_2013Durante a Embala Nordeste 2013, além das tradicionais áreas de embalagens e processos, os visitantes também puderam conferir os segmentos representados pela Expo Plast, evento simultâneo que apresentou toda a cadeia produtiva do plástico

Este segmento ocupou, este ano, nada menos que 30% do espaço da feira realizada na semana passada, no Centro de Convenções de Pernambuco.

Grandes marcas nacionais e internacionais marcaram presença. “Os resultados foram excelentes. Tanto em negócios como em contatos. E ainda tivemos a Arena do Conhecimento que contribuiu muito para o setor. A Greenfield está de parabéns por ter aglutinado tantas empresas importantes para o setor”, disse o presidente do Sindicato da Indústria do Plástico de Pernambuco – Simpepe, Valter Câmara.

O vice-presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco- Fiepe e empresário do setor, Anísio Coelho, ressaltou o êxito da Expo Plast dentro da Embala Nordeste. “Foi um espaço importantíssimo de geração de negócios e de novos contatos. Destacaria também o acesso à novas tecnologias como um ponto forte da feira”.

Também empresário do setor plástico e diretor-financeiro da Fiepe, Felipe Coelho acrescenta: “Boa parte da indústria do plástico pernambucana ainda está defasada. Num evento como este é possível encontrar equipamentos com tecnologia de ponta para todos os portes de empresa. Isso aumenta a competitividade e a lucratividade. Por isso a feira é extremamente importante, não só para Pernambuco como para toda região”, destaca o líder empresarial.

Quem explica essa penetração regional é o diretor da Greenfield, Luiz Fernando Pereira. “Além da forte presença dos fabricantes de equipamentos, sistemas, periféricos e moldes, do sul e sudeste no segmento plástico, destacaram-se na Embala 2013 expositores de embalagens e máquinas dos estados de Alagoas, Ceará, Paraíba e Pernambuco. Bem mais do que o registrado em edições anteriores, confirmando que a Semana Industrial Embala Nordeste é um evento de todo o nordeste e não só do estado de Pernambuco”.

Alagoas e Ceará montaram grandes estandes e conseguiram um destaque ainda maior para as empresas instaladas por lá. “Alagoas é um Estado pioneiro na participação em feiras de negócios no setor químico e plástico e que vem participando dos grandes eventos nacionais divulgando seus atrativos. Temos participado da Embala há várias edições. Ficamos encantados com a pujança da feira que está cada vez maior. Ótima oportunidade para mostrar nossos atrativos como a política fiscal, creditícia e locacional específica para o setor. Além disso, sempre procuramos ter sinergia com o setor produtivo e as instituições que representam estes setores”, disse o secretário de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico, Luiz Otavio Gomes. Alagoas, hoje em dia, detém três plantas da Braskem, é a maior fabricante de resina para PVC da América Latina.

O Ceará também esteve representado por empresa e entidades como Aarom, BS Pet, Bobpack, DCDN, In´traplast, Kibo, Marcoprint, Mil Plastic, Plásticos Lumar, Plastec – CE, Plastsan, Sindquímica CE  e Sindiverde CE.

Dados do evento em 2013: Da matéria prima ao produto acabado, a feira reuniu mais de 200 marcas expositoras do setor plástico, entre elas as principais fabricantes de máquinas, periféricos, matérias primas e componentes.

Novidade em 2013 Villa UD: Ilha de Utilidades Doméstica. Concentrando grandes fabricantes de Utilidades Domésticas, a região nordeste do Brasil desperta sua vocação em manufatura de produtos plásticos como: Cadeiras, Mesas, Brinquedos, Cabides, Canecas, Squeezes, Bacias, Balde, Mangueiras, Peças Automotivas, entre outros.

A estreia da Villa UD na Expo Plast 2013 ampliou as oportunidades de negócios com os tradicionais expositores da feira, gerando mais canais de relacionamentos e negócios.

A Expo Plast 2013 apresentou também a Casa do Plástico, inciativa das entidades ABIPLAST, ABIEF e AFIPOL, o espaço GREEN EXPO com expositores focados em sustentabilidade e meio ambiente, conferencias e muitos outros atrativos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Embala Nordeste

Curta nossa página no

Dow destaca importância de adesivos apropriados para embalagens retornáveis

16/08/2013

Aplicação do adesivo correto na estrutura das embalagens flexíveis contribui para oferecer as propriedades demandadas por diversos segmentos

O rápido crescimento das embalagens flexíveis em substituição aos envases de lata criou novas demandas e hoje as embalagens retornáveis são uma opção que tem conquistado um espaço importante em muitos setores, principalmente no de alimentos. E em cada segmento, a aplicação do adesivo correto na estrutura da embalagem é fundamental para garantir os atributos necessários para suprir as diferentes demandas. Sendo assim, a Dow ressalta a escolha de soluções que podem garantir o melhor desempenho das embalagens retornáveis.

Entre os segmentos que hoje apresentam muitas oportunidades para as embalagens flexíveis estão os pet food, sopas, molhos, carnes, peixes, massas e arroz. Para todos eles, as principais tendências das embalagens retornáveis são a simplificação das estruturas (eliminação de AI); a versatilidade de formatos e acessórios (zípers, bicos, stand up pouches, pillow pouches); e a conveniência (fácil abertura, possibilidade de ir ao microondas).

As novas soluções em adesivos que foram criadas para acompanhar o desenvolvimento dessas características incrementam a força de adesão das embalagens retornáveis. Alguns adesivos fornecidos pela Dow permitem, por exemplo, que a estrutura resista às altas temperaturas necessárias para cozinhar o alimento dentro da embalagem.

Recentemente, a Dow abordou o tema em seminário realizado pela Associação Salvadorenha da Indústria do Plástico, em El Salvador. “Hoje em dia, o consumidor espera que as embalagens promovam praticidade e conveniência com baixo custo e que propiciem o consumo sustentável. Alinhar todos esses desafios é função dos fornecedores da cadeia e a integração de cada propriedade é a melhor estratégia para atingirmos nosso objetivo de oferecer aos donos de marca o melhor desempenho para suas embalagens”, afirma Andres Salgado, Gerente de Marketing de Adesivos e Materiais Funcionais para a América Latina da Dow.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

Embalagens Stand Up Pouch fabricadas com 100% de Polietileno chegam às prateleiras mexicanas

18/07/2013

Ação é resultado de uma parceria entre a Dow, a Printpack e a Tyson para atender à demanda do mercado por embalagens mais sustentáveis

Dow_stand_up_pouchAcaba de ser colocado à disposição do consumidor mexicano o Stand-Up Pouch  100% polietileno (SUP 100% PE) para carne de frango congelada. O produto é resultado de uma parceria entre a Dow, a Printpack e a Tyson México, proprietária de marca e líder global no segmento. As três empresas já consideram o projeto bem sucedido.

Os detalhes da parceria foram definidos em menos de seis meses, devido ao esforço em equipe das três companhias. “Graças ao entusiasmo e conhecimento compartilhados por todos, o produto chegou à etapa comercial em tempo recorde”, diz Charly Eid, gerente de Cadeia de Valor e Desenvolvimento de Negócios da Dow. “Trata-se de um excelente modelo para projetos futuros”, ressalta.

Valor Agregado – Sustentabilidade

O Stand Up Pouch, embalagem flexível que fica em pé, é um modelo que está em constante crescimento, devido a seus benefícios de visibilidade em gôndola, leveza e praticidade, mas não é facilmente reciclável quando feito com materiais com baixa compatibilidade, que é o mais tradicional no mercado. Porém, a Dow inovou ao desenvolver o Stand-Up Pouch 100% polietileno, criando mais uma solução para a cadeia que busca soluções mais sustentáveis. “O principal diferencial é que oferecemos fácil reciclabilidade”, afirma Dolores Brizuela, gerente de Marketing para Embalagens de Alimentos e Especialidades da Dow na América Latina.

A estrutura 100% polietileno oferece o valor adicional de ser totalmente reciclável nas comunidades onde há fluxos de reciclagem de polietileno. Esse atributo único permite que esta embalagem inclua o símbolo de reciclagem internacional reconhecido no mundo todo, o que se traduz em uma alternativa diferenciada e atrativa para os consumidores.

A tecnologia do SUP (stand-up pouch) 100% PE também agrega valor aos processos das empresas envolvidas com essa inovação e com o modelo para carne de frango congelada nas prateleiras mexicanas,  contribui para ampliar as metas corporativas de sustentabilidade da Printpack e da Tyson e, ao mesmo tempo, aumentar suas participações de mercado.  “Sem dúvida queremos ampliar o uso desse tipo de embalagem em todas as linhas da Tyson”, declara Raul Velasco, Diretor Comercial da Tyson no México. “É uma grande conquista e um importante passo que damos como fabricantes”, conclui.

Rudolf Schaich, Gerente de Desenvolvimento de Mercado da Printpack México, concorda. “O stand-up pouch 100% polietileno é um produto extremamente interessante que nos ajuda a alcançar nossos objetivos de responsabilidade social. Certamente fará parte de nosso portfólio de soluções”, afirma.

Embalagens SUP 100% PE

Segundo a Dow, as embalagens SUP 100% PE são flexíveis, oferecem excelente visibilidade na prateleira e são uma alternativa muito mais leve quando comparadas com embalagens rígidas. O modelo permite que sejam adicionados acessórios para que sejam oferecidas ao consumidor conveniências como facilidade de abertura e fechamento para manter a crocância e o frescor dos alimentos, tampas ou bicos direcionais. Além disso, a solução oferece, segundo a Dow:

  • Selagem íntegra e forte para evitar vazamentos, principalmente para líquidos e alimentos gordurosos;
  • Resistência ao impacto e à perfuração (para que não ocorram falhas durante a armazenagem, transporte, tempo de prateleira e manuseio);
  • Melhor adaptação para a conformação da embalagem com diferentes formatos;
  • Facilidade de reciclagem devido à composição monomaterial;
  • Embalagens que não requerem etiquetas, uma vez que o filme pode ser impresso com altíssima qualidade.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

Sindiplast-SP promove 5o. Workshop sobre Sistema de Logística Reversa

05/07/2013

 Abiplast_Logistica-Reversa

Curta nossa página no

Empresa alemã desenvolve filme fabricado a partir de poliamida de base biológica da DSM

02/07/2013

DSM_MF_FolienA Royal DSM anunciou que a sua parceira de desenvolvimento, MF Folien GmbH , com base em Kempten, sul da Alemanha, introduziu com sucesso um novo filme de poliamida, que tem por base a poliamida 410 EcoPaXX® da DSM.

A MF Folien é uma empresa líder especializada na produção de filme de poliamida e tem sido parceira da DSM no desenvolvimento da filme EcoPaXX desde o início. Em 2011, a empresa foi a primeira a criar amostras de filme fundido de 30 mícrons de EcoPaXX. Este filme tem o mesmo nível elevado de qualidade pelo qual a MF Folien é reconhecida no mercado. Amostras de filme com base em EcoPaXX estão disponíveis em várias espessuras: 30, 40 e 50 mícrons. As potenciais áreas de aplicação são a embalagem flexível de alimentos, edificação e construção, serviços médicos, aviação e transporte.

Falando em nome da MF Folien, Mr. Rainer Leising, gerente geral de vendas, disse: “Estamos muito satisfeitos por estar trabalhando com a DSM no desenvolvimento desta solução de material inovadora e sustentável. Desde que nós introduzimos pela primeira vez o filme EcoPaXX, com seu brilho inconfundível, aparência prateada de “alta tecnologia”, o material tem estado presente em nosso catálogo de produtos.” Os filmes de poliamida 410 EcoPaXX são resistentes e transparentes com uma resistência elevada a perfurações. Têm um índice reduzido de transmissão de umidade em comparação com o filme de poliamida 6 e uma barreira de oxigênio comparável. Quando completamente molhada, a barreira de oxigénio de poliamida 410 é ainda mais elevada.

Recentemente, três grades de EcoPaXX obtiveram a etiqueta “Produto de Base Biológica Certificado”, concedida pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos da América (USDA). Estas etiquetas certificam um teor de base biológica comprovado de cerca de 70%. O conteúdo de base biológica da poliamida 410 EcoPaXX é derivado de um dos seus elementos constituintes, obtido a partir do óleo de mamona, planta que cresce em regiões tropicais e que não é usada para fins alimentícios. O dióxido de carbono gerado durante o processo de produção do polímero é completamente compensado pela quantidade de dióxido de carbono absorvido na fase de crescimento das bagas de mamona.

A DSM introduziu o EcoPaXX de modo a satisfazer a crescente procura do mercado por plásticos de engenharia de base biológica duradouros e de alto desempenho. Kees Tintel, Gerente Administrativo de EcoPaXX na DSM, afirmou: “Reconhecemos que o mercado deseja soluções mais sustentáveis que tenha uma menor pegada de carbono e uma base biológica. A DSM conseguiu desenvolver este material, o qual, além de seu desempenho ecológico, proporciona propriedades iguais ou mesmo superiores quando comparado às suas alternativas tradicionais.”

Mr. Tintel acrescentou: “O EcoPaXX reflete o foco da DSM em materiais inovadores e sustentáveis. Além do EcoPaXX, a DSM oferece uma gama de outros materiais de alto desempenho de base biológica, incluindo Arnitel® Eco, um copoliester termoplástico de base biológica e Palapreg® ECO, um termorrígido de base biológica.”

Fonte: DMS

Curta nossa página no

Tetra Pak® e Braskem celebram acordo de fornecimento de plástico verde

30/06/2013

Em uma iniciativa inédita na indústria de embalagem cartonada, a Tetra Pak utilizará o polietileno de baixa densidade de fonte renovável, em todas as embalagens da produzidas no Brasil

Posicionando o Brasil como palco de uma grande inovação na indústria de embalagem cartonada, a Tetra Pak®, líder mundial em soluções para processamento e envase de alimentos, acaba de anunciar o acordo com a Braskem para o fornecimento de polietileno de baixa densidade (LDPE) I’m greenTM feito a partir de cana-de-açúcar, para compor as camadas protetoras de suas embalagens no Brasil.

A partir de 2014, a Tetra Pak® pretende usar o plástico verde como componente das camadas de suas embalagens produzidas no Brasil. A mudança para o polietileno verde significará que 100% das embalagens da Tetra Pak produzidas no Brasil, aproximadamente 13 bilhões, serão compostas por cerca de 82% de materiais provenientes de fontes renováveis.

“O novo acordo com a Braskem demonstra o nosso compromisso de trazer inovações ambientais aos nossos clientes e é mais um passo em nossa jornada para desenvolver embalagens 100% renováveis”, afirma Dennis Jönsson, Presidente e CEO do Grupo Tetra Pak®.

A Braskem usará etanol derivado da cana-de-açúcar para produzir eteno, que depois será convertido em polietileno de baixa densidade, tendo exatamente as mesmas propriedades técnicas do polietileno produzido a partir de fontes fósseis, com benefícios ambientais de um material proveniente de fonte renovável.

“O polietileno verde I’m greenTM possui as mesmas características do polietileno tradicional, como ser inerte, resistente e reciclável, com a vantagem de ter origem renovável, o que contribui para a redução das emissões de gases de efeito estufa através da absorção de CO2 da atmosfera durante o processo de crescimento da cana-de-açúcar”, explica Carlos Fadigas, presidente da Braskem, ressaltando que a expansão da linha de produtos verdes reforça o compromisso da companhia de agregar valor à cadeia por meio do desenvolvimento sustentável.

Desde 2008, a cadeia de custódia do papel é certificada pelo Forest Stewardship Council® (FSC®), o que significa que todo o papel utilizado como matéria-prima nas embalagens da Tetra Pak® é proveniente de áreas florestais manejadas de forma responsável, permitindo ao consumidor monitorar toda a cadeia que envolve a produção do papel da embalagem, desde o plantio das árvores até o produto final.

A Tetra Pak® foi o primeiro fornecedor de embalagens de alimentos líquidos no mundo a utilizar plástico verde em seus produtos com o lançamento de Tetra Brik® Aseptic 1000, com a tampa StreamCapT, produzida com o polietileno de alta densidade (HDPE) feito a partir de cana-de-açúcar, fornecido pela Braskem, em 2011. No início deste mês, a companhia anunciou a disponibilidade global da tampa LightcapT 30 também feita a partir do plástico verde.
Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem e Pacifil apresentam silos de plástico para armazenamento de grãos

29/06/2013

Mais baratos e de fácil manuseio, produto tem capacidade de armazenar 200 toneladas de grãos por até dois anos

Braskem_silos

A Braskem e a Pacifil Brasil apresentam solução para o problema de estocagem no país: os silos bolsas feitos com plástico. Com a expectativa de uma safra-recorde, estima-se crescimento de 14,2% na produção de grãos brasileira, que pode atingir 185 milhões de toneladas neste ano, o problema de estocagem no país se agrava. Considerando que a capacidade de armazenagem de grãos no Brasil é de 145 milhões de toneladas, a projeção da produção de grãos na próxima safra reforça ainda mais a necessidade de busca de outras soluções que possam contribuir para reduzir o déficit de armazenagem.

A infraestrutura para o armazenamento da safra é um problema antigo enfrentado por conta da escassez de silos convencionais, pelo alto custo de sua construção e pela logística de transporte. Os silos em plástico são grandes bolsas feitas com polietileno e que podem armazenar cerca de 200 toneladas de grãos por bolsa, não precisam de nenhum tipo de estrutura física e são facilmente manuseados na hora do carregamento.

Os silos em polietileno também reduzem as perdas na armazenagem com um sistema de baixo custo operacional, permitindo administrar e planejar melhor as vendas, reduzindo custos com fretes. A ensilagem dos grãos é feita por uma operação mecânica, utilizando apenas um trator e uma embutidora. Neste tipo de silo, os grãos podem ser armazenados por até dois anos, já que no interior da bolsa é criada uma atmosfera sem oxigênio que impede o desenvolvimento de pragas e insetos, garantindo a qualidade do produto e evitando a queda no valor final.

Outra grande vantagem é o fato do produto ser totalmente reciclável. Após sua utilização, o agricultor pode ainda vender o equipamento para a reciclagem e reaver até 20% do valor investido. Os silos bolsas são produzidos no país e a Pacifil planeja a partida de mais um linha para produção desta solução ainda para 2013. A produção nacional garante o fornecimento e estoque durante todo o ano, além da disponibilidade de atendimento técnico personalizado quando necessário.

“Com sua expertise, a Braskem desenvolveu um portfólio de soluções que utilizam o polietileno para atender sob medida a demanda crescente da agricultura brasileira. Os silos são uma solução inteligente e que tem sido cada vez mais usada pelos produtores rurais brasileiros em diferentes situações, tanto pelo pequeno  produtor quanto por grandes empresas”, destaca Zolder Stekhardt, da área de Desenvolvimento de Mercado da Braskem.

Fonte Braskem

Curta nossa página no

Reciclagem de Embalagens PET cresceu 12,6% em um ano

29/06/2013

Censo realizado pela Abipet mostra que, mesmo sem sistema de coleta seletiva, o Brasil deu destinação correta a 331 mil toneladas do produto em 2012

Reciclagem-PET

A reciclagem de embalagens de PET no Brasil deu um salto em 2012 e cresceu 12,6% em volume, ao passar das 294 mil toneladas que tiveram destinação adequada em 2011, para 331 mil toneladas no ano passado. Com esse resultado, o País atingiu um índice de reciclagem de 59%, mantendo seu excelente posicionamento como um dos maiores recicladores de PET do mundo – superando os Estados Unidos e até mesmo a média registrada na Europa.

Os números do 9.º Censo da Reciclagem do PET no Brasil foram divulgados nesta quarta-feira pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet), durante o  PETtalk 2013 – Conferência Internacional da Indústria do PET , realizado em São Paulo.

“Os números demonstram que existe uma demanda muito forte pelo PET reciclado, criada por um trabalho do próprio setor, que investe continuamente em inovação e novas aplicações para o material reciclado. Esse trabalho criou um ciclo virtuoso. Todo PET coletado tem destinação adequada garantida por uma indústria forte, diversificada e ávida por essa matéria-prima”, afirma Auri Marçon, presidente da Abipet.

O setor têxtil continua sendo o principal consumidor do PET reciclado, com 38,2% de participação, seguido das resinas insaturadas e alquídicas, com 23,9%. Outras embalagens (alimentos e não-alimentos) consomem 18,3% do volume reciclado. Laminados e chapas (6,4%), fitas de arquear (5,5%) e tubos (1,5%) são os outros principais mercados. Os 6,1% restantes ainda abastecem uma lista ampla de pequenas aplicações.

Coleta seletiva continua sendo o desafio

O presidente da Abipet, no entanto, chama a atenção para a necessidade de suprir essa demanda aquecida, sob pena de impacto no preço do produto coletado e consequente comprometimento da sustentabilidade do negócio. “O Brasil precisa investir em coleta seletiva, para que a indústria não seja prejudicada. Em muitos períodos do ano, as empresas recicladoras continuam com ociosidade que chega a 30% de sua produção, porque não encontram embalagem pós-consumo para reciclar”, alerta Marçon.

A solução aponta o executivo, é estimular as prefeituras a implantar, o mais rápido possível, a coleta seletiva e a separação das embalagens recicláveis, de forma a aumentar a recuperação do material descartado pela sociedade. “Isso, na verdade, é o que prega a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que exige responsabilidade compartilhada entre a sociedade civil, o setor privado e também do poder público. A indústria do PET investiu fortemente em reciclagem e hoje esses recicladores passam por um momento difícil, por não terem coleta suficiente para abastecer suas fábricas”, conclui o presidente da Abipet.

Fonte: Abipet

Curta nossa página no

BASF promove utilização de plástico biodegradável em sacos plásticos e copos descartáveis

12/06/2013
  • BASF realiza, mais uma vez, evento lixo zero e transforma resíduo orgânico em adubo
  • Copos revestidos e sacos de lixo feitos com ecovio® possibilitam a transformação de resíduo sem a separação

O ecovio®, plástico compostável certificado da BASF, é o protagonista do projeto envolvendo copos descartáveis e biodegradáveis e sacos de lixo compostáveis que acontecerá durante o  evento de apresentação da primeira casa de eficiência energética da BASF no Brasil, a CasaE localizada na zona sul de São Paulo.

Durante o evento, a empresa Lia Tulmann, encarregada do serviço de buffet do evento, orientada pela Inambi, coletará todo o resíduo orgânico utilizado na preparação dos alimentos em sacos de lixo confeccionados com ecovio®, plástico compostável certificado da BASF, com conteúdo renovável.

Além disso, os copos descartáveis usados no evento também serão coletados. Eles não são feitos de um plástico convencional, mas sim de um papel que é revestido com uma camada fina de ecovio® PS1606. Todo material será enviado para a Visafértil Indústria e Comércio de Fertilizantes Orgânicos, especializada em produção de insumos orgânicos agrícolas a partir de resíduos industriais, que opera uma usina de compostagem em Mogi Mirim.

“A solução inovadora permite que os copos descartáveis de papel revestidos com uma fina camada de ecovio® PS1606 não precisem ser destinados a aterros sanitários após o uso. Ao invés disso, eles podem ser processados juntamente com o lixo orgânico e com os sacos de lixo para produzir um adubo de alta qualidade”, explica Karina Daruich, Gerente do Negócio de Biopolímeros da BASF para a América do Sul.

Uso, coleta e compostagem

Além dos resíduos pré consumo, gerados durante a preparação dos alimentos para o evento, todo o resíduo orgânico gerado pós consumo no evento será compostado e se transformará em adubo orgânico. O Grupo Visafértil coletará os copos, juntamente com os resíduos de alimentos, em sacos de lixo compostáveis de ecovio®, e os transportará para a usina de compostagem em Mogi Mirim, onde o comportamento de degradação é monitorado e controlado periodicamente.

“Este projeto, realizado na CasaE, serve não só para destacar o compromisso ativo da BASF com a eficiência de recursos, mas também para estudar o ciclo fechado na gestão de resíduos, um conceito que já testamos em outros projetos no Brasil e no mundo”, diz Gislaine Rossetti, Diretora de Relações Institucionais da BASF para a América do Sul.

Projeto piloto: ciclo fechado para resíduos orgânicos

O plástico ecovio® atende às  exigências legais das normas européia EN 13432 e norte americana ASTM 6400 para a biodegradabilidade e compostabilidade de embalagem. Juntamente com seus parceiros de cooperação, a BASF está expandindo este conceito de ciclo fechado ao longo de toda cadeia de valor; assim ele pode ser implantado em eventos de grande escala em estádios ou em feiras, ou então em restaurantes fast-food, complexos de escritórios, hospitais e centros de lazer e esportes.

Plásticos biodegradáveis: ecovio® e ecoflex®

O material ecovio® PS1606é um novo desenvolvimento da BASF. Ele agora é produzido com ecoflex® FS (parcialmente de fonte renovável) e PLA (ácido poliláctico) o qual é obtido a partir de amido de milho. Como resultado, a camada fina de plástico nos copos descartáveis consiste em mais de 75% de matérias-primas renováveis, sendo que o artigo acabado é composto por mais de 90% de matérias-primas orgânicas. Afirma a BASF que, como os resíduos orgânicos em si, as moléculas de ecovio® são digeridas por micro-organismos com o auxílio de enzimas durante o processo de compostagem. No final do processo de compostagem, os micro-organismos terão convertido completamente o resíduo orgânico, os copos com ecovio® PS1606 e os sacos de lixo compostáveis, em dióxido de carbono, água e biomassa. Segundo a BASF, esta é uma vantagem decisiva em termos de recuperação de resíduos, já que as empresas de descarte de resíduos não têm que separar laboriosamente os copos e sacos. Pelo contrário, o material simplesmente se torna um composto  juntamente com o resto do lixo orgânico.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

DSM apresenta soluções inovadoras e sustentáveis em Plásticos de Engenharia na Feiplastic 2013

05/06/2013

Empresa apresentou resinas plásticas de alta performance, durabilidade, com diversas aplicações na indústria e presentes no dia a dia de pessoas no mundo todo

DSM_StandA DSM, um dos principais fornecedores mundiais de plásticos de engenharia de alta performance, expôs na Feiplastic – Feira Internacional do Plástico, ocorrida em São Paulo de 20 a 24 de maio de 2013.

Durante a feira, a empresa destacou suas soluções em Poliamidas e Elastômeros Termoplásticos, confirmando sua posição de vanguarda no desenvolvimento de plásticos de engenharia para as indústrias automotiva, eletroeletrônica, de embalagens flexíveis para alimentos e de bens de consumo.

De acordo com Richard Pieters, presidente da Unidade de Negócios de DEP para as Américas, a empresa vê perspectivas muito promissoras no mercado brasileiro. A decisão da empresa de expor na Feiplastic 2013 reflete o interesse da DSM em expandir as suas atividades no País. Segundo Pieters, a DSM é uma empresa que investe continuamente em inovação e P&D, com o intuito de preservar sua liderança global nos segmentos em que atua, buscando atender a tendências atuais do mercado, tais como a redução de peso pela substituição de metais por plásticos na indústria automotiva e a utilização de matérias-primas renováveis.

Inovação e Sustentabilidade

Junto aos materiais de alto desempenho e durabilidade, a empresa levou à feira valores ligados ao núcleo de sua filosofia de trabalho: inovação e sustentabilidade. Inovação para conhecer as necessidades das gerações atuais sem comprometer gerações futuras e sustentabilidade para criar, entre outros projetos, plásticos de engenharia renováveis, que estão ajudando o mundo a se livrar da dependência de materiais fósseis e poluentes.

Soluções automotivas para as demandas da indústria

Segundo a DSM, os materiais avançados fornecidos pela empresa garantem à indústria automotiva redução dos índices de carbono ao longo da vida útil do veículo. Desde sistemas de mais baixo custo até a substituição de peças metálicas, passando pela melhora de produtividade no processamento de materiais, os plásticos da DSM ajudam no surgimento de veículos mais leves, resistentes, seguros e sustentáveis.

DSM_ECOPAXXO EcoPaXX™, por exemplo, é um polímero de alta performance, desenvolvido com matéria-prima renovável. É uma poliamida 4.10 que tem 70% de óleo de mamona em sua composição. Com cadeia polimérica longa, baixa absorção da umidade e alto ponto de fusão devido à alta taxa de cristalização, é um produto único entre os biopolímeros disponíveis para comercialização e aplicação. Suas principais características, de acordo com a empresa, são as ótimas resistências térmica e química, alta resistência mecânica e ótimo acabamento externo. Foi escolhido para a tampa do motor do Mercedes Benz Classe A, o que resultou na diminuição de 40% dos índices de carbono do veículo, em relação a outras coberturas de motor.

DSM_Stanyl_DiabloO Stanyl® é uma poliamida 4.6 de alta performance, que pode suportar temperaturas até 230ºC, com alta durabilidade e resistência à fricção e calor elevados, segundo informado pela DSM. Por isso, é muito usada na substituição de peças metálicas.Stanyl® Diablo OCD 2305 BM é uma poliamida resistente a altas temperaturas, apta para o processo de extrusão e sopro, ao mesmo tempo em que se encaixa em todos os requisitos para dutos com altas cargas de ar quente.

O Arnitel® é um copoliéster elastomérico que trabalha em uma faixa ampla de temperatura, com foco na substituição de borrachas. A DSM afirma que o Arnitel mantém as propriedades mecânicas em temperaturas altas e baixas, a partir de -45º até 150ºC, garantindo flexibilidade, elasticidade, permeabilidade ao vapor de água e resistências química e térmica.

A DSM é líder mundial na fabricação de poliamida 6, Akulon®, tendo sua produção integrada, desde o monômero aos mais diferentes compostos para injeção. É utilizado em aplicações internas e externas de veículos (retrovisores, maçanetas), em coletores de admissão, container do air bag, entre outros. Segundo a DMS, o Akulon® Ultraflow oferece melhora de 80% no fluxo e redução de 25% no ciclo de moldagem por injeção, quando comparado a poliamidas 6 tradicionais. Oferece também uma finalização superior em componentes de poliamida reforçados, a exemplo de tampas de motores.

Soluções Eletroeletrônicas livres de halogênio

A DSM oferece soluções que permitem a redução de componentes eletroeletrônicos por meio da miniaturização. Com seu portfólio único de materiais resistentes a altas temperaturas – como retardantes de chama sem halogênio – a DSM contribui para a solução do lixo eletrônico, ajudando a promover iniciativas de reciclagem e oferecendo melhorias ambientais, de saúde e de segurança.

A DSM oferece um completo portfolio de produtos de alta performance, sem halogênio, baseados nas linhas Stanyl® poliamida 4.6 e Stanyl® ForTii™. Segundo a DMS, Stanyl® é facilmente processado, e graças às suas propriedades de fluxo oferece liberdade de design para indústrias que fabricam componentes para computadores e telefones.

Soluções para a redução do desperdício de alimentos com especialidades para o segmento de embalagem

Cada vez mais pessoas se alimentam fora de casa ou buscam alimentos prontos em supermercados. A rápida demanda por comidas saudáveis, práticas e seguras, fez a DSM Plásticos de Engenharia pesquisar e criar linhas de produtos para embalagens econômicas e que evitam o desperdício de alimentos.

As linhas Akulon® (PA 6) e Novamid® (Copolímero de PA 6/66), ambas de alta viscosidade, têm, segundo a empresa, desempenho excepcional para melhorar a barreira ao oxigênio, o que melhora a conservação dos alimentos.
Soluções para as indústrias de bens de consumo com reduzido impacto ambiental

A DSM está atendendo às demandas sustentáveis de hoje, ao mesmo tempo em que se preocupa com a funcionalidade e desempenho futuro da indústria de bens de consumo. Com esses desafios em foco, vem criando um amplo leque de produtos inovadores com menor quantidade de substâncias nocivas, materiais recicláveis e de menor impacto ambiental.

DSMArnitelEm todo o mundo, as empresas fabricantes de roupas estão procurando modos de produção que oferecem o desempenho certo e trazem conforto para o usuário. Ao mesmo tempo, é necessário usar materiais e processos que têm o menor impacto ambiental. Segundo a DSM, o Arnitel VT, um termoplástico elastômero, é muito flexível e, ao ser transformado em membranas de apenas alguns microns de espessura, é 100% à prova de água, mas também altamente respirável e confortável. Afirma  a empresa que o material não contém produtos químicos perfluorados (PFCs) e é 100% reciclável. Com Arnitel VT, o vapor de água pode passar a partir do interior para o exterior da peça de vestuário, mas as membranas são 100% impermeáveis. Ao contrário dos produtos concorrentes, diz a empresa, o Arnitel VT não depende de perfurações para tornar o produto mais respirável. Por não ser perfurado, o material age como uma barreira não somente aos líquidos mas também às bactérias e aos vírus. Por esta razão também é usado em vestuários cirúrgicos com um alto nível de proteção.

O Arnitel® Eco é um copoliéster elastomérico formulado com cerca de 40% de materiais de fontes renováveis, oriundos do óleo de canola. A substância é obtida de plantas que não fazem parte de colheitas com fins alimentares. O material apresenta excepcional resistência à radiação ultravioleta e resistência térmica, segundo a DSM. Ele foi projetado para uma vida útil longa mesmo sob condições extremas, tornando-se adequado para aplicações automotivas, eletrodomésticas, embalagens especiais, esportes e lazer e móveis.

O Akulon® Fuel Lock FL40-HP é uma poliamida 6 que pode ser aplicada a três tipos de técnicas de moldagem para tanques de combustível: sopro, injeção e rotomoldagem. Os tanques são usados para motores de energia portátil destinados a equipamentos utilizados em gramado, terra e jardim, bem como equipamentos profissionais e de lazer. Akulon Fuel Lock tem taxas de permeação inferiores a 5% do valor máximo de 2.0 g/m2/dia permitido pelo “CARB test standard TP-901”.

 Sobre a DSM: A Royal DSM é uma companhia global, baseada na Ciência. Atua nas áreas de Saúde, Nutrição e Materiais, conectando suas competências únicas em Ciências de Materiais e Ciências da Vida. Oferece soluções de interesse global, como suplementos alimentares, cuidados pessoais, rações, farmacêuticos, aparelhos médicos, automotivos, tintas, equipamentos elétricos e eletrônicos, energias biobaseadas, entre outros. A DSM possui 23.500 funcionários em todo o mundo, e tem vendas líquidas anuais da ordem de € 9 bilhões.

Fonte: DSM / 2PRO

Fotos (créditos): Feiplastic / DSM

Curta nossa página no

Coim Brasil conclui expansão de fábrica de Adesivos e Selantes para embalagens flexíveis

04/06/2013

Capacidade de produção aumentou em aproximadamente 30% e empresa consolida a liderança na América Latina em Adesivos e Selantes para embalagens flexíveis

A Coim Brasil, empresa localizada em Vinhedo/SP, anunciou a conclusão da expansão feita em sua planta. O investimento foi da ordem de  R$10 milhões e com isso, o faturamento tem potencial para aumentar em 20 a 30%, assim como sua capacidade de produção. Além disso, a empresa passa consolida a liderança  no segmento de adesivos para embalagens flexíveis na América Latina.

A fábrica conta com equipamentos de última geração e únicos no país, que possuem uma tecnologia de alto controle de processos online, o que garante excelente qualidade e risco zero de problemas de contaminação de produtos. “Com essas mudanças conquistamos novos clientes e trouxemos inovação para o mercado de embalagens flexíveis”, afirma o CEO José Paulo Victorio, da Coim Brasil.

Sobre a Coim Brasil: Fundada em 1962, a COIM é especializada em policondensação (ester), poliadição (poliuretanos) e outras especialidades químicas. Possui capacidade de produção de 48 mil toneladas/ano em seu complexo industrial de diferentes linhas de produtos para mais de 25 diferentes aplicações no mercado. Neste ano, a empresa comemora 15 anos de atuação no Brasil e 50 anos no total.  A empresa possui fábricas localizadas na Itália, Alemanha, Cingapura, Estados Unidos e Brasil.

Fonte: Coim Brasil

Curta nossa página no

Wortex demonstra reciclabilidade de plásticos prolongada durante a Feiplastic 2013

03/06/2013

Empresa operou ciclos contínuos de processamento de filme plástico e reciclagem durante a feira

Wortex_recycler

Com o objetivo de demonstrar a possibilidade de reciclagem dos plásticos durante períodos prolongados, a Wortex (www.wortex.com.br) colocou em operação uma linha de extrusão de filmes de polietileno de baixa densidade acoplada a uma unidade de reciclagem dos filmes produzidos durante a Feiplastic 2013 (Feira Internacional do Plástico), realizada em São Paulo entre os dias 20 e 24 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi.

Os filmes obtidos na linha de extrusão foram continuamente reaproveitados na unidade de reciclagem, onde foram produzidos grânulos de polietileno para realimentação da linha de extrusão. No total, foram processados continuamente durante a feira 2.500 kg. de Polietileno, a uma taxa de 300 kg/hora. A cada 8 horas e 20 minutos, um ciclo integral de processamento e reciclagem do material se completava, o que equivale a dizer que durante os 5 dias da feira e mais os dois dias anteriores à Feiplastic (ocasião em que a linha estava sendo testada), o material plástico foi processado aproximadamente 7 vezes.

Segundo Paolo de Filippis, diretor da Wortex, os grânulos de plástico utilizados durante a Feiplastic já haviam sido extrudados e reciclados nas instalações da empresa durante um período de 3 meses, correspondendo a aproximadamente 60 ciclos de processamento e reciclagem do material. Somando-se esse período em operação na empresa aos dias em que a unidade operou na Feiplastic, acrescenta de Filippis, os grânulos de plásticos foram reciclados aproximadamente 67 vezes, sem perda perceptível de propriedades.

Segundo de Filippis, tal fato demonstra a possibilidade de reciclagem do material plástico por um número muito grande de ciclos, derrubando mitos sobre uma possível degradação precoce do plástico durante o processamento. Além disso, continua de Filippis, prova que é possível utilizar o plástico sem agredir o meio-ambiente e que existe tecnologia disponível para o uso racional e sustentável dos materiais plásticos.

Com o intuito de comprovar que os materiais reciclados durante tais ciclos estendidos não sofrem perdas expressivas de propriedades, a Wortex irá realizar ensaios laboratoriais de medida de índice de fluidez e resistência à tração para acompanhamento das propriedades dos grânulos antes, durante e depois do processamento e reciclagem do material.

Defensor do uso de tecnologias sustentáveis, o executivo da Wortex afirma ser a favor do conceito de “regeneração” de materiais. Segundo de Filippis, durante a fabricação do plástico são a ele incorporados energia, esforço humano, tecnologia e capital, além de outros insumos, de modo que tais ingredientes valiosos não devem ser desperdiçados por  uma eventual degradação na natureza, mas sim preservados através da correta utilização, descarte, coleta e reprocessamento do material –  regenerando-o para um uso contínuo pela sociedade.

Durante a Feiplastic, a Wortex operou a sua linha de reciclagem Challenger Recycler (foto) e uma extrusora de filme Challenger Blow para demonstrar a reciclabilidade contínua e estendida do material processado.

Sobre a Wortex: Fundada em 1976 em Campinas (SP), a Wortex é uma empresa 100% brasileira, fabricando equpamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros. Dentro de um programa de internacionalização, a Wortex estabeleceu uma joint venture com o grupo italiano Amut,  que trará para a indústria de transformação de plástico nacional mais inovação tecnológica e investimentos para o setor. A Amut tem forte presença em mercados como Europa, Ásia e América do Norte e possui um faturamento anual de 50 milhões de Euros. A sinergia entre as duas empresas, que produzem sistemas de extrusão de plásticos, será ampliada com as novas instalações no Brasil, em Campinas, onde produzirão máquinas de extrusão para tubos, perfis e chapas para embalagens termoformadas. No médio prazo, a expectativa da Wortex é aumentar o faturamento em até 75% com a joint-venture.

Curta nossa página no

Braskem anuncia tampa de polietileno para bebidas carbonatadas

29/05/2013

A Braskem anuncia o lançamento de novo grade de polietileno (PE) para tampas para bebidas carbonatadas. A previsão é que o produto esteja disponível ao mercado no segundo semestre deste ano. A novidade chega para completar o portfólio de produtos da Braskem para o segmento de bebidas, que conta com resinas de polipropileno e polietileno nos processos de injeção e moldagem por compressão para tampas com ou sem liner.

Segundo a empresa, o PE para tampas de bebidas carbonatadas foi desenvolvido no Centro de Tecnologia e Inovação, localizado em Triunfo (RS), pelas equipes de Engenharia de Produto e Aplicação, possibilita a produção de tampas com ótima capacidade de vedação e que mantém as características da bebida envasada, além de ter desempenho sustentável, já que permite redução de peso da embalagem e a reciclagem da tampa. O grade tem ainda mais destaque no aspecto sustentável, já que oferece a possibilidade de ser produzido com polietileno verde de origem renovável – etanol de cana de açúcar.

Com esse lançamento, a Braskem reforça sua capacidade de inovação e de acompanhar as tendências do mercado, apresentando soluções que atendam às necessidades dos Clientes e dos consumidores. “A Empresa está constantemente buscando soluções que levem tecnologia e inovação aos nossos Clientes, que assim podem oferecer produtos com melhor desempenho ao mercado”, diz Paulo Sanches, líder do Segmento de Injeção de PE da Braskem.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

BASF apresentou suas inovações na Feiplastic 2013

28/05/2013

Diversas indústrias são contempladas pelas soluções de plástico da BASF

Basf_Feiplastic_320A Feiplastic, maior e mais importante feira do mercado do plástico no Brasil, teve sua 14ª edição em São Paulo, entre os dias 20 e 24 de maio deste ano. E a BASF, empresa química líder global, marcou presença para apresentar suas soluções inovadoras.

O estande da empresa contou com um design diferenciado e propiciou aos visitantes a oportunidade de interação com alguns de seus produtos que estavam aplicados e expostos.

Segmentadas por indústrias, as soluções que foram exibidas na Feiplastic 2013 estão listadas a seguir, segundo informações fornecidas pela BASF:

Construção civil

A construção civil está em crescimento no Brasil e a BASF dispõe de um portfólio de produtos de alta qualidade para atender a esse mercado.

• Elastollan®: material versátil com grande potencial inovador. Este elastômero de Poliuretano Termoplástico (TPU), é desenvolvido, fabricado e comercializado pela BASF. Pode ser moldado por injeção, extrusão ou sopro. Suas características excepcionais  aliam elasticidade e durabilidade sob as mais diversas temperaturas. É resistente à abrasão, impacto, rasgos, enroscamento, óleo, graxa, microrganismos e tem boa capacidade de recuperação elástica. Características essas necessárias para suportar as duras condições da indústria da construção. É aplicado na fabricação de mangueiras convencionais/espirais e em amortecedores de trilhos de trem. Diversos grades de Elastollan® possuem resistência aos raios UV, retardador de chama e também certificado pela NSF International para utilização em dutos de água potável.

• Ultramid® B27 HM 01: poliamida 6 produzida nos EUA especialmente desenvolvida para o recobrimento de fios e cabos elétricos, devido às suas características técnicas de estabilidade térmica, resistência mecânica, química, ao impacto e à abrasão, além de alto brilho superficial,  principalmente nos outros países da América do Sul (Chile, Colômbia, Peru, Venezuela e Equador), que requerem a aprovação UL 94.

• Styropor®: o poliestireno expansível (EPS) é um dos isolantes térmicos mais eficientes do mercado. É um produto leve, possui resiliência elevada, estabilidade dimensional, tem excelente resistência mecânica e dissipa tensões concentradas sem romper-se. Além disso, o Styropor® é compatível com diversos tipos de projetos devido à sua versatilidade de aplicação, pois é um produto de excelente uso/manuseio que proporciona velocidade em suas aplicações. O Styropor® também oferece benefícios ecológicos: não tóxico, biologicamente inerte, não sofre mutações, não contém CFC, não contribui para a formação do gás metano na atmosfera e é 100% reciclável. O Styropor® é indicado para aplicações de lajes, telhas, enchimento, sistemas construtivos, concreto leve, forros, entre outros; também atua como solução geotécnica para fundações, aterros e estabilização de solos moles, nomeada como Geofoam.

• Neopor®: além de reunir todas as características do Styropor®, o Neopor® possui micropartículas de grafite que absorvem e refletem os raios infravermelhos, prevenindo a absorção do calor causado pela radiação solar. Desta forma, o Neopor® possibilita uma performance superior em isolamento térmico de até 20% comparado ao EPS convencional, podendo gerar resultados mais positivos e proporcionando maior economia de energia e redução de até 50% na utilização de matéria-prima, sem perder as características tradicionais do Styropor®.

• Basotect®: espuma de melamina usada para aplicações de conforto acústico em diversas indústrias. Suas principais vantagens são: alto poder de absorção acústica em médias e altas frequências, baixíssima densidade, estabilidade química e elevada segurança ao fogo (não propaga chamas nem gera fumaça tóxica em caso de incêndio). Além disso, o Basotect® pode ser pintado e utilizado normalmente como um elemento funcional, acústica e esteticamente. No estande da BASF na Feiplastic deste ano, será feita uma aplicação diferenciada em uma sala de reunião, aliando conforto acústico, facilidade de aplicação e design.

Automotiva

Os plásticos especiais da BASF para a indústria automotiva garantem alto desempenho das funções que contam com sua aplicação.

• Basotect®: com as propriedades já indicadas no item “Construção civil”, essa espuma é aplicada também no setor automotivo para, por exemplo, isolar o espaço interno do veículo contra o ruído do motor.

• Elastollan®: também com as propriedades já indicadas no item “Construção civil”, o TPU da BASF contribui com o avanço da indústria automotiva com características-chave que permitem que o produto seja usado com sucesso em tudo, desde cabos ABS, porta-copos, maçanetas com “soft touch”, coifas, manoplas de câmbio, até as grades frontais do radiador.

• Neopolen® P (EPP): espuma de polipropileno, cujas pérolas expandidas são predominantemente de células fechadas. É fornecido aos transformadores na forma de pérolas soltas sem agente expansor para o seu posterior processamento em uma ampla variedade de peças moldadas, gerando peças com alto poder de absorção de impactos e extrema leveza.

• Ultradur®: linha de politereftalato de butileno (PBT) excepcional da BASF por sua alta rigidez e força, baixa absorção de água, estabilidade dimensional, resistência a intempéries e excelente comportamento ao envelhecimento térmico. Aplicado dentro da indústria automobilística em: molduras de faróis, conectores, mecanismos de elevação de vidros, entre outros.

• Ultramid®: nome comercial da BASF para a sua linha de poliamida, baseada em PA6, PA66, PA 6/66 e PA6/6T. Ultramid® se destaca por suas excelentes propriedades mecânicas – resistência ao impacto e rigidez, vantangens térmicas, elevada resistência química e a altas temperaturas de trabalho, além de fácil processabilidade. A família de poliamidas Ultramid® se caracteriza pela sua variada gama de aplicações na indústria automobilística: coletores de admissão de ar, maçanetas, pedais, sistemas de arrefecimento e ar condicionado, invólucros de airbags etc.

• Ultramid® Endure: poliamida de alta resistência para aplicações automotivas em alta temperatura. Esta nova família de poliamidas reforçadas com fibra de vidro combina uma excelente resistência ao envelhecimento ao calor com a facilidade do processamento da poliamida 6.6. O Ultramid® Endure pode resistir ao uso contínuo por mais de 3.000 horas, a 220oC, e a picos de temperatura superiores a 240oC, o que amplia a gama de aplicações da poliamida quando se necessita de resistência a altas temperaturas. Suas principais propriedades são: excelente resistência ao envelhecimento ao calor, sob carga contínua, até 220oC; elevada resistência mecânica; elevada tenacidade; excelente soldabilidade; melhores propriedades de fluxo do que uma PA 6.6 comum; excelente aspecto superficial; fácil processamento.

• Ultraform®: nome comercial da BASF para a sua linha de poliacetais (POM), a qual compreende plásticos de engenharia versáteis com uma ampla gama de propriedades capazes de resistir a elevados níveis de esforços. Suas principais características são: elevada rigidez, resiliência, estabilidade dimensional, excelente resistência a agentes químicos (em particular, agentes tipicamente utilizados na indústria automobilística), baixa absorção de água, excelente resistência ao escoamento a frio (“creep”), resistência à abrasão (características auto-lubrificantes). Na indústria automobilística, as típicas aplicações são: sistemas de injeção de combustível, engrenagens e mecanismos de elevação de vidros.

Embalagens

Alta performance é um dos itens mais valorizados pelas empresas do ramo de embalagens e os plásticos da BASF suprem perfeitamente a esse critério.

• Ultramid e Mazmid: as marcas comerciais da BASF para as poliamidas para extrusão PA6 e PA6/6.6 produzidas na Alemanha (Ultramid) e no Brasil (Mazmid) são aplicadas na produção de filmes para embalagens de alimentos frescos e processados devido à sua resistência mecânica e barreira contra oxigênio e aromas, o que aumenta a durabilidade dos produtos. As poliamidas para extrusão são normalmente aplicadas em diversos tipos de embalagens, entre elas: filmes termoformados, sacos pouches, tripas, termoencolhíveis e BOPA (poliamida bi-orientada).

• ecovio® PS1606: novo biopolímero constituído principalmente de fonte renovável, biodegradável e compostável certificado é o novo desenvolvimento para aplicação sobre papel, com excelente adesão. Proporciona adequadas barreiras a líquidos, gorduras e odores, permitindo sua aplicação em embalagens alimentícias e itens descartáveis, como copos para bebidas quentes e frias, pratos, bandejas, travessas, entre outros, que podem ser utilizados em eventos ou locais que utilizam o modelo de circuito fechado, por exemplo eventos esportivos, shows, restaurantes de aeroportos, shoppings, escolas e empresas, já que após o uso podem ser destinados à compostagem, na qual o papel revestido com ecovio® será completamente digerido por microrganismos juntamente com os resíduos orgânicos, transformando-se em adubo, água e dióxido de carbono em poucas semanas.

• ecovio® T2308: este plástico apresenta propriedades mecânicas semelhantes àquelas de PET amorfo, mas difere de material de termoformagem convencional devido à sua compostabilidade e por conta de seu alto conteúdo de fonte renovável (ácido polilático). O teor de ecoflex®, poliéster compostável da BASF, é representativo pelo fato de o material não ser demasiadamente rígido ou quebradiço, além de assegurar um equilíbrio na relação rigidez – resistência e suficiente resistência ao impacto a baixas temperaturas. Este produto pode ser utilizado na produção de bandejas e copos termoformados, por exemplo.

• ecovio IS1335: grade de moldagem por injeção que oferece boa rigidez. Ele pode ser processado utilizando moldes com uma única cavidade ou várias cavidades equipados com ou sem câmara quente. O material apresenta características de fluxo moderado e dimensionamente estável em temperaturas de até 55°C [131°F]. Esta versão é ideal para embalagens compostáveis com paredes finas, complexas e de alta qualidade, que preferencialmente devem ser produzidas por meio de moldagem por injeção.

• Styropor®: com as propriedades já abordadas no item “Construção civil”, o material é utilizado em embalagens protetoras de conteúdo, de aparelhos eletroeletrônicos e linha-branca, principalmente. Além dessas, o Styropor® também é utilizado em aplicações em caixas térmicas, flutuadores, capacetes, pranchas, sementeiras, entre outras.

• E-por®: espuma inovadora indicada para a proteção de produtos sensíveis de alto valor agregado por proporcionar maior resistência ao impacto. A utilização do E-por® permite otimizar os custos relacionados a quebras e possíveis imperfeições causadas nas peças durante o transporte e armazenamento. Trata-se de uma espuma baseada em uma formulação complexa contendo Poliestireno (PS) e Polietileno (PE) que concede à peça moldada propriedades elásticas e de maior resistência a quebra (ou impacto). A BASF fornece a matéria-prima (interpolímero expansível), sendo o material processado de maneira similar ao EPS convencional. Dessa forma, o processamento pode ser feito sem a exigência de investimento em novos equipamentos por parte dos transformadores. Suas principais vantagens são: grande capacidade de absorção de impactos, excelente fusão das pérolas, toque aveludado e aparência de alta qualidade, baixa absorção de água, bom isolamento térmico, boa resistência química, processos de armazenamento, processamento e reciclagem semelhantes aos do EPS convencional.

• Ultramid® B33/B36 SL: resina de PA6 modificada com baixa velocidade de cristalização. Estes grades combinam a performance mecânica e barreira da PA6, porém com melhorias no processamento. Estes produtos são recomendados para aplicação em embalagens tipo stand-up pouches, que apresenta crescimento consideravel no mercado da América do Sul. Outro benefício destes produtos é a substituição das comumente utilizadas misturas de PA6 e PA6/6.6, mas com a preservação das características técnicas e de processamento, reduzindo a complexidade ao convertedor.

Agricultura

De elevada importância para o mercado alimentício, a agricultura também conta com os plásticos da BASF de alta qualidade.

• ecovio® M2351: biopolímero biodegradável composto de ecoflex® e PLA (derivado do amido de milho) para extrusão de filme Mulch. É parcialmente de fonte renovável e totalmente biodegradável de acordo com a norma EN 13432. O material é utilizado para cobertura de culturas, como alface e melão, e graças à sua biodegradabilidade não há necessidade de retirá-lo após a colheita, proporcionando redução de tempo e custo de retirada.

• Elastollan®: durável o suficiente para resistir a ambientes adversos e ao uso contínuo, os produtos fabricados com o TPU da BASF utilizados na indústria agrícola oferecem alta performance de resistência ao rasgo, flexibilidade a longo prazo, flexibilidade à baixa temperatura e resistência à hidrólise. Dentre as aplicações, pode-se citar: brincos identificadores de animais, peças para máquinas agrícolas, ferraduras para cavalos e mangueiras para irrigação.

• Tinuvin® XT 200: novo estabilizante à luz do tipo NOR HALS. Permite a fabricação de filmes plásticos transparentes para estufas agrícolas com alta durabilidade às radiações ultravioletas. Este aditivo configura uma proteção duradoura frente aos defensivos agrícolas, como, por exemplo, o enxofre, que podem comprometer a estabilidade à luz do plástico.

Moda & Design

Após o sucesso do Pure 1.0, primeiro calçado conceitual feito somente em poliuretano e poliuretano termoplástico, duas novas versões foram apresentadas: Pure 1.1, que contou com inovações em matérias-primas, como a substituição da borracha por poliuretano (Elastopan® GRIPTEC e Elastollan® SUPER SOFT), e Pure 1.2 Balance, que é confeccionado com poliuretano termoplástico com até 40% de fonte renovável.

O produto desenvolvido com poliuretano é mais durável, funcional, confortável e leve do que o desenvolvido com outros materiais. O calçado é confeccionado com o TPU Elastollan® e o PU Elastopan®, para produção de componentes como solados, cabedal, chassis, entressola, peças de performance e palmilhas com controle interno de clima, entre outros.

• Elastollan®: possui excelentes propriedades físicas com uma ampla faixa de dureza disponível, desde o super soft 35 shore A / 45 shore A para as solas, até o de dureza mais elevada 60 shore D / 74 shore D para os tacos de calçados femininos.

Mineração e Óleo&Gás

O ramo de Mineração e Óleo&Gás é contemplado pelo poliuretano de alta resistência da BASF.

• Elastollan®: essa linha de produtos abrange soluções de TPU para aplicações em cabos de energia e peneiras para o segmento de mineração, além de cabos de comando (umbilicais) para a indústria de Óleo & Gás, oferecendo altíssima durabilidade e resistência mecânica na exploração de petróleo.

Pigmentos e aditivos

A linha completa de pigmentos e aditivos para plásticos da BASF, que podem executar diversas funções, como conferir cor, efeitos especiais e melhorar a qualidade de produtos, terá alguns de seus itens em destaque na feira deste ano.

• Tinuvin® XT 200: características e aplicação explicadas no item “Agricultura”.

• Tinuvin® 1600: absorvedor UV para plásticos de engenharia.

• Irgastab® RM 68: estabilizante que permite a otimização do processo de rotomoldagem, contribuindo com a redução da temperatura do forno e aumentando a flexibilidade das condições de processamento. Irgastab® RM 68 promove aos produtos de rotomoldagem, como por exemplo as caixas d’água, uma melhor qualidade e economia de energia na produção.

• Sicopal (linha de pigmentos para gerenciamento de calor)

• Pigmentos orgânicos e inorgânicos isentos de chumbo

• Antioxidantes e aditivos de alta performance

Outras

Os plásticos de alta perfomance da BASF contemplam ainda com algumas de suas soluções outras indústrias.

Pesca:  Ultramid e Mazmid: poliamidas 6 e 6/6.6 também são utilizadas na indústria de monofilamentos, especialmente na produção de fios e redes de pesca, cortadores de grama, cordas e cordéis, devido às suas caracterícas de maciez, transparência e resistência.

Telecomunicações:  Ultradur®: também amplamente aplicado na fabricação de cabos de fibras óticas, na qual é essencialmente empregado devido à sua alta resistência mecânica, tenacidade, baixa absorção de água e estabilidade dimensional.

Higiene:  Mazmid 6.10 / Mazmid 6.12: são poliamidas especiais utilizadas na produção de cerdas para escovas de dentes, pincéis, cerdas industriais e também para aplicações técnicas como o PMC (Paper Machine Clothing). Apresentam como características principais: estabilidade dimensional e alta transparência.

Elétrico & Eletrônicos: Elastollan®: por suas excelentes propriedades físicas em conjunto com boa propriedade elétrica, resistência a microrganismos e retardador de chama, é muito utilizado no encapsulamento de cabos de alta performance e seus conectores.

Fonte: BASF

Foto (créditos): Feiplastic

Curta nossa página no

ANJO TINTAS APRESENTA NOVA LINHA PARA EMBALAGENS PLÁSTICAS COM AÇÃO ANTIBACTERIANA

22/05/2013

Empresa líder do mercado brasileiro de massa plástica e destaque do setor químico com produtos voltados para as linhas imobiliária, automotiva, impressão e industrial, a Anjo Tintas trouxe para a FEIPLASTIC 2013 a ProtectPack, nova linha de tintas com poder de ação antibacteriana para embalagens plásticas. Trata-se de uma série de alta performance, que garante a eliminação de bactérias das embalagens por até 12 horas.

O novo produto chega ao mercado em duas linhas, a ProtectPack AnjoIce e a ProtectPack AnjoFlex com foco em impressões externas e laminadas que tenham maior necessidade de proteção antibacteriana, a exemplo das embalagens de alimentos para geladeira, como iogurte, aves abatidas, leite em pó, entre outras, e de higiene pessoal, como por exemplo fraldas descartáveis, absorventes higiênicos e várias outras. O gerente comercial da companhia, Maurício Silvério, explica que a tecnologia do produto age através de aditivos especiais que, quando em contanto com as bactérias, atua na desnutrição da membrana celular destes micro-organismos, destruindo-os e interrompendo a sua produção.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.384 outros seguidores