Archive for the ‘Aplicações no Trânsito’ Category

Evonik apresenta aditivo para produção de asfalto modificado com pó de borracha proveniente de pneus usados

13/10/2021

Aditivo permite produção de asfalto modificado com borracha, utilizando pneus descartados. Em sua primeira aplicação no país, produto demonstra como pode melhorar o processo produtivo, a aplicação e a qualidade do asfalto

Um dos grandes desafios urbanos, das administrações públicas e da engenharia é a manutenção da qualidade e da durabilidade da pavimentação de ruas e estradas. Disto decorrem a segurança do usuário, a demanda de recursos financeiros e materiais, custos com veículos e combustíveis, condições de tráfego e sustentabilidade. A cada ano aumenta a necessidade de asfaltos de melhor composição, que não só possuam maior vida útil, como também reduzam o impacto sobre o meio ambiente.

A Evonik afirma ter desenvolvido um processo patenteado para atender a essas demandas. Trata-se da mistura do aditivo poliolefínico Vestenamer ao pó da borracha proveniente de pneus descartados. Ao ser misturado à massa asfáltica, a solução elimina problemas do processo produtivo, facilita a aplicação e garante melhor qualidade do asfalto modificado com borracha, garante o fabricante.

Segundo a Evonik, a inovação beneficia gestores e usuários de vias públicas, bem como o meio ambiente, uma vez que estimula processos de reaproveitamento de materiais. Estima-se que, a cada ano, cerca de 19,3 milhões de toneladas de pneus são descartados no mundo, sendo que aproximadamente 450 mil toneladas somente no Brasil. O reaproveitamento do pneus contribui para o fechamento do ciclo de uma maneira mais sustentável, reduzindo resíduos, manutenções recorrentes e a emissão de carbono.

Aplicação no Brasil

Em julho último, o produto foi utilizado para a pavimentação de uma área de aproximadamente 2.500 m² localizada dentro do parque industrial da Evonik em Americana (SP).

O Vestenamer é produzido na planta da Evonik em Marl, na Alemanha, e esta foi a primeira aplicação no Brasil. O projeto foi desenvolvido em parceria entre o departamento Technology and Infraestructure e as unidades de negócios da Evonik, que têm o objetivo de promover as soluções e tecnologias da empresa em projetos internos, colaborando para o desenvolvimento de novas aplicações em diferentes regiões.

Participaram da obra a NTA Asfaltos, fabricante do ligante modificado com borracha e Vestenamer; a Galvani Engenharia, produtora do asfalto modificado com borracha, e a Teixeira Pavimentação Asfáltica, responsável pela aplicação do asfalto.

“Foram utilizados 160 kg do produto. A coordenação técnica com todas as empresas envolvidas exigiu reuniões dedicadas e planejamento para garantir a boa fluidez do asfalto modificado no processamento, bem como controle de temperatura no local de produção do asfalto e deslocamento até a planta da Evonik”, explica Rodrigo Marques, Coordenador de Negócios da área de High desempenho Polymers, da Evonik.

Desempenho

A Evonik explica que o Vestenamer é um aditivo poliolefínico semicristalino, fornecido pronto para o uso, que atua como plastificante reativo nos processos de mistura e produção de compostos de borracha e, devido à presença de ligações duplas na molécula, forma uma interface entre o pó de borracha e o betume, protegendo e garantindo a reatividade. Dadas as suas características, envolve de forma satisfatória os agregados do composto e não altera o material final. Entre as vantagens, segundo a empresa, estão:

· Gera menos odor e diminuição da emissão de gases voláteis provenientes do processamento com borracha;
· Facilita a fluidez no processo e no descarregamento dos tanques, sem que seja necessária a limpeza adicional dos mesmos;
· Melhora o comportamento do ligante asfáltico no armazenamento aquecido;
· Facilidade para compactar a massa asfáltica em temperaturas reduzidas;
· Ganho de produtividade com aplicação mais rápida;
· Melhor acabamento superficial do asfalto.

O vídeo do case de aplicação do Vestenamer pode ser acessado no link: https://www.youtube.com/watch?v=aleivHEbdhk.

A Evonik é uma das líderes mundiais em especialidades químicas. A empresa atua em mais de 100 países em todo o mundo, conta com 33 mil colaboradores e gerou vendas de 12,2 bilhões de euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de 1,91 bilhão de euros em 2020.

Curta nossa página no

Plásticos Novel amplia portfólio e lança embalagens com proteção antimicrobiana

11/12/2020

As soluções são dirigidas aos setores alimentício, hospitalar e farmacêutico

Fabricante de soluções plásticas para os segmentos de transporte e logística de produtos, a Plásticos Novel investe em uma nova linha de soluções com proteção antimicrobiana. Segundo a empresa, o lançamento busca agregar mais segurança para os produtos e as respectivas cadeias de consumo nos setores alimentício, hospitalar e farmacêutico. De acordo com a fabricante, ensaios por ela realizados indicaram que as embalagens com a proteção antimicrobiana tiveram uma redução de até 99% na atividade de microrganismos.

A tecnologia utilizada é um produto contendo prata, fabricado por uma empresa brasileira, que é aplicado no momento da transformação do polímero, seja por extrusão, injeção, sopro etc. Segundo a Novel, o produto atua contra uma vasta gama de bactérias (gram positivas/ negativas), fungos e vírus.

“A pandemia da Covid-19 acentuou a necessidade de atenção à biossegurança, visando proteger a vida humana e o entorno dela. A decisão de lançar essa nova solução busca atender à necessidade dos clientes por embalagens mais seguras desde a origem do produto, como é o caso dos alimentos, favorecendo a qualidade de toda a cadeia produtiva”, explica a Coordenadora de Vendas e Marketing, Camila Chaves. Segundo a empresa, os segmentos hospitalares e farmacêuticos também são beneficiados com os lançamentos da Plásticos Novel, tornando a intralogística e a logística de medicamentos, vacinas e insumos mais seguros.

No transporte de animais vivos, a executiva detalha o exemplo das gaiolas plásticas (foto) para movimentação de aves. Mesmo com o processo de higienização nos abatedouros, as gaiolas sem proteção do produto à base de prata continuam com elevadas concentrações de microrganismos. Ao serem reutilizadas, acaba-se criando um ciclo de contaminação, oferecendo riscos na saída do produtor até a chegada ao abatedouro. “É importante observar que a gaiola e os demais lançamentos da Novel evitam que as embalagens disseminem a contaminação, levando-a para animais saudáveis. Caso um animal já venha contaminado, ele levará esses microrganismos consigo. Nós enfatizamos isso para que os clientes tenham clareza da segurança dos nossos produtos, no transporte de animais saudáveis, reduzindo os riscos de contaminação cruzada”, ressalta Camila Chaves.

De acordo com a Novel, a tecnologia foi homologado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Food and Drug Administration (FDA) e agrega mais segurança ao ciclo de vida das embalagens plásticas e retornáveis, sem comprometer a duração da vida útil ou os seus processos de reciclagem. Inicialmente, a Plásticos Novel disponibiliza mais de 10 soluções com a proteção antimicrobiana.

O produto atua nas superfícies e tem como base o metal prata. A principal vantagem, segundo a Novel, é que não há risco de tornar os contaminantes mais resistentes, como acontece com o uso dos antibióticos, por exemplo. A empresa explica que o mecanismo de ação do produto à base de prata nas células bacterianas ocorre em três frentes: causa a ruptura da membrana celular, a inativação enzimática e a não replicação do DNA (em inglês, Ácido Desoxirribonucleico – interrompendo os processos de alimentação e a reprodução dos microrganismos.

O fabricante afiram que as novas embalagens mitigam os riscos de contaminação no processo de logística e não fazem a remediação de um animal que saiu contaminado do produtor. Análises contratadas em laboratório pela Novel estimam que mais 600 microrganismos sejam banidos das superfícies com o uso desse ativo.

Com 40 anos de mercado, a Plásticos Novel fabrica soluções plásticas relacionadas ao transporte e logística de produtos. Com produtos destinados à movimentação e armazenagem de materiais, produz os mais diversos tipos de garrafeiras, caixas, paletes e contêineres que atendem empresas do segmento automotivo, agro alimentício, farmacêutico, de bebidas e indústrias em geral. A empresa conta com mais de 200 colaboradores nas suas três unidades fabris, localizadas nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul.

Curta nossa página no

Evonik e DER-SP destacam avaliação de desempenho do sistema de sinalização horizontal Plástico a Frio

12/09/2017

Estudo técnico demonstra maior visibilidade e contribuição para a segurança do sistema à base de resinas metacrílicas, aplicado em rodovias administradas pelo DER-SP.

Em 2014, a Evonik propôs ao DER-SP (Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo) uma avaliação – por dois anos – do desempenho do seu sistema Plástico a Frio, utilizado para sinalização viária horizontal e aplicado na rodovia SP-215, entre as cidades de Poços de Caldas (MG) e Vargem Grande do Sul (SP).

Nas bordas dos referidos trechos foi empregado o sistema Plástico a Frio – nas versões Estrutura e Multipontos (Spotflex®) -, que tem como principal componente as resinas metacrílicas reativas Degaroute® (metil metacrilato – MMA) desenvolvidas pela Evonik.

A avaliação realizada consistiu em comparar o desempenho do sistema Plástico a Frio em relação ao material termoplástico spray, também empregado na rodovia – ambos aplicados em 2014.

Após dois anos de pesquisa com o acompanhamento do DER-SP, o estudo apresentou grande diferença entre os sistemas, especialmente no quesito visibilidade noturna (retrorrefletância) em condição de umidade – uma das situações mais críticas para os usuários das vias: visualizar a sinalização viária à noite e com pista molhada.

A retrorrefletância é a quantidade de luz retrorrefletida dos faróis dos veículos para os olhos do usuário e é medida por milicandelas por lux por m2 (mcd.lx-1.m-2 em geometria de 15m). Enquanto o sistema de sinalização horizontal plástico a frio alcançou valores de até 388 e 442 mcd.lx-1 em condição seca, o termoplástico obteve valores como 59 mcd.lx-1 e não superou os 125 mcd.lx-1. Em condição de umidade, o sistema multipontos em plástico a frio chegou aos valores de 286 mcd.lx-1 enquanto o termoplástico spray não passou de 25 mcd.lx-1.

Mais visibilidade, maior segurança

Após avaliação das estatísticas de acidentes no período pelas autoridades pertinentes, observou-se que no ano de 2016 não houve acidentes fatais no trecho da rodovia avaliado, apesar do aumento do tráfego de veículos na rodovia (aproximadamente 10% desde 2013).

Tendo como função principal delinear visualmente o tráfego, a sinalização viária horizontal é uma das ferramentas que proporcionam segurança ao usuário de trânsito durante todo o seu trajeto – e por este motivo também é reconhecida como uma medida de excelente custo-benefício. Desde 2013, o DER-SP tem inserido o sistema Plástico a Frio à base de resinas metacrílicas em diversas estradas estaduais.

Nos países europeus, a medição da retrorrefletância em condição de umidade faz parte da norma EN 1436, sendo solicitada como item de segurança em diversas classes de rodovias que seguem essa normativa. No Brasil, infelizmente ainda não há exigência deste tipo de avaliação, apesar do Código de Trânsito Brasileiro – em seu Art. 80 parágrafo 1 – especificar que “A sinalização será colocada em posição e condições que a tornem perfeitamente visível e legível durante o dia e a noite, em distância compatível com a segurança do trânsito…”.

Algumas rodovias que foram sinalizadas (parcialmente) com plástico a frio são:

SP 055 – Mongaguá, Peruíbe.
SP 425 – São José do Rio Preto
SP-351 – Sales de Oliveira
SP 255/SP 369 – Pirassununga
SP 284 – Martinópolis
SP 304 – Mineiros do Tietê
SP-270 – Cotia
SP-287 – Pirajú

Sistema Plástico a Frio Estrutura e Multipontos

Segundo a Evonik, o sistema Plástico a Frio, nas versões Multipontos ou Estrutura, promove excelentes benefícios de drenagem, propiciando melhor visualização da sinalização viária. A empresa afirma que ele possui elevada resistência mecânica, retrorrefletância, estabilidade térmica e alta visibilidade à noite, mesmo sob condições de chuva, pois as microesferas de vidro localizadas no topo da superfície fazem com que a demarcação não seja encoberta pela água da chuva e mantenha a retrorrefletância da luz emitida pelo farol do automóvel, sob chuva. A sinalização possui um sistema antiderrapante, que evita deslizamentos nas faixas e melhora a segurança dos usuários.

Sustentabilidade

O sistema Plástico a Frio à base de resinas Degaroute® não emite solventes durante seu preparo e aplicação, o que o torna mais amigável ao meio ambiente, afirma a Evonik. Sua maior durabilidade contribui para diminuir as recuperações, melhorias e manutenções nas estradas. A Evonik afirma que ele também não requer aquecimento para a aplicação, o que confere rapidez no trabalho e segurança para os aplicadores durante o manuseio do produto.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no