Archive for the ‘Aplicações Industriais’ Category

Braskem apresenta nova aplicação do plástico para proteção e isolamento térmico de tubovias

07/02/2018

A Braskem começa a testar uma nova aplicação do plástico para a indústria. No Polo Petroquímico de Camaçari (BA), a empresa passou a utilizar, em um projeto-piloto, jaquetas de isolamento térmico feitas em plástico para proteção de uma linha isolada de vapor, em substituição a chapas metálicas.

Segundo a empresa, o material plástico apresenta vantagens em relação a outros revestimentos utilizados, tais como vida útil maior e grande resiliência mecânica, ou seja, tem alta capacidade de voltar ao seu estado normal depois de ser submetido a uma situação de esforço. Além disso, as jaquetas de poliolefinas podem ser reutilizadas quando houver necessidade de realizar manutenção nas linhas.

De acordo com a Braskem, o trabalho aponta para ganhos de longo prazo e de performance técnica, com redução de custos de investimento e operação, a depender do elemento de isolamento térmico, dimensões e temperatura da linha. “Com essa tecnologia, demonstramos mais uma vez nosso foco em promover soluções plásticas que promovam ganhos de competitividade para indústria brasileira, com redução de custos de manutenção e aumento da confiabilidade do sistema operacional”, afirma Rodrigo Galvez, da área de Desenvolvimento de Mercado da companhia.

A tecnologia já é conhecida na Europa e foi adaptada para a indústria nacional pela área de desenvolvimento de mercado da Braskem, em parceria com a Röchling Plásticos de Engenharia do Brasil, a UCA Engineering Plastics e a Priner, empresa de serviços industriais responsável pela instalação das jaquetas de isolamento térmico.

“Os conceitos que o grupo Röchling tem como pilares – competência, qualidade e inovação – nos fizeram buscar essa parceria com a UCA e com a Braskem, empresas líderes de mercado com propósitos similares aos de nosso grupo. Esse projeto tem grande importância no mercado e quebra o paradigma, dentro até mesmo da própria Braskem, de que não é possível substituir o aço ou o alumínio em aplicações industriais sem comprometer o desempenho”, afirma Rodrigo Maldonado, gerente de Vendas da Röchling Plásticos de Engenharia do Brasil.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Anúncios

Tecniplas ressalta os benefícios dos compósitos no Concasan

22/08/2017

Empresa fabrica tanques e megatanques para aplicações em saneamento

A Tecniplas, maior fabricante brasileira de tanques e equipamentos especiais em compósitos de PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro), é uma das expositoras do Congresso Catarinense de Saneamento (Concasan). O evento acontece em Florianópolis (SC), entre 31/08 e 01/09, e é promovido pelo Sindicato dos Engenheiros no Estado de Santa Catarina (SENGE-SC).

De acordo com José Roberto Vasconcellos, gerente comercial da Tecniplas, a empresa pretende apresentar no Concasan o seu portfólio de tanques (foto) e megatanques – para processo e armazenamento – indicados para o trabalho com água, efluentes e produtos químicos. “A idéia é mostrar o quão mais vantajosa é a utilização de reservatórios de compósitos, em comparação aos similares feitos de concreto ou aço vitrificado”.

Em relação aos primeiros, Vasconcellos observa que é necessária uma perfeita e bem executada impermeabilização, em função da natural porosidade do concreto. “Além de elevar o preço, o revestimento tem vida útil limitada. Os compósitos, por sua vez, são impermeáveis, imunes à corrosão, possuem elevada resistência mecânica e podem ser formulados com resinas próprias para o contato com a água potável”.

Na comparação com o aço vitrificado, os benefícios são a maior facilidade de instalação – os tanques de compósitos são monolíticos, e não formados por milhares de placas parafusadas – e a ausência de vazamentos. “Sem contar que a cadeia produtiva do material que processamos é toda local, enquanto que o aço usado nos reservatórios é importado, o que deixa o cliente exposto às oscilações cambiais”.

15 m de diâmetro

Outra atração da Tecniplas no Concasan fica por conta dos megatanques de compósitos. Com diâmetro máximo de 15 m e capacidade para armazenar até 4,5 milhões de litros, os gigantescos reservatórios são fabricados em seções na planta da Tecniplas e, pelo processo de oblatação, redimensionados para permitir o transporte rodoviário.

“Ovalizamos e acinturamos as seções para que assumam o formato semelhante ao do número oito e fiquem com 5 m de largura. Assim, é possível transportar um megatanque numa carreta convencional, o que pode significar a redução do tempo de transporte de 90 para 10 dias”. Depois, na unidade do cliente, as seções são redimensionadas e laminadas umas sobre as outras. “A Tecniplas é única fabricante brasileira de tanques de compósitos a deter a tecnologia de oblatação”, destaca Vasconcellos.

A Tecniplas também pretende mostrar no Concasan a importância de se considerar, nos projetos dos tanques de compósitos, o constante aumento das cargas de vento na Região Sul do país – rajadas de até 170 km/h podem danificar ou até mesmo arrancar os reservatórios das bases, caso não tenham sido construídos de forma adequada. “Projetamos os tanques sujeitos a cargas de ventos com a adição de anéis de reforço. Esses componentes protegem contra as pressões externas e evitam amassamentos que podem danificar a estrutura”.

Fundada em 1976, a Tecniplas mantém uma fábrica de 32 mil m² em Cabreúva, no interior de São Paulo. Seus produtos são consumidos pelas indústrias de álcool e açúcar, papel e celulose, cloro-soda, química e petroquímica, fertilizantes, alimentos e bebidas e saneamento básico.

Serviço:
Congresso Catarinense de Saneamento (Concasan)
Quando: 31/08-01/09
Onde: Centro de Eventos Governador Luiz Henrique da Silveira, Florianópolis (SC)

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tecniplas

Curta nossa página no

Tecniplas fornece oito tanques em PRFV para a fábrica da Fiat Chrysler em Pernambuco

31/10/2016

tanques-tecniplas

  • Reservatórios foram instalados na planta da montadora em Goiana (PE)
  • Tanques fazem parte do sistema de reuso de água

A Tecniplas forneceu oito tanques de compósitos (PRFV-Plástico Reforçado com Fibras de Vidro) para a Fiat Chrysler Automobiles (FCA). Instalados na planta da montadora em Goiana (PE),  os reservatórios têm entre 8-14 m de diâmetro e fazem parte do sistema de reuso de água da unidade.

Ao optar por tanques de compósitos em PRFV em vez dos equivalentes de concreto, explica Giocondo Rossi, diretor da Tecniplas, a Fiat dispensou a aplicação do revestimento de borracha necessário para impedir o ataque da água à estrutura de aço,  ocorrência comum em função da porosidade característica do concreto.

“Além de aumentar o preço do tanque, o revestimento tem vida útil limitada, de três ou quatro anos. Depois, são necessários investimentos pesados em manutenção ou até mesmo a substituição do reservatório. Já os compósitos em PRFV são materiais imunes à corrosão, o que garante vida útil ao tanque de mais de trinta anos”, afirma.

A instalação em campo também ficou sob a responsabilidade da Tecniplas. Por terem mais de 5 m de diâmetro, limite para o transporte rodoviário no Brasil, os reservatórios fornecidos para a Fiat passaram pelo processo de oblatação. Em linhas gerais, esse sistema permite que as seções dos tanques sejam ovalizadas e acinturadas, assumindo o formato semelhante ao de um “oito”. Na planta do cliente, as seções são redimensionadas e, de forma manual, laminadas umas sobre as outras.

“A oblatação pode reduzir o tempo de transporte de 90 para 10 dias. Também permite transportar, dependendo do diâmetro do tanque, dois ou três anéis em uma mesma carreta. Ou seja, significa um ganho logístico considerável”, comenta Rossi.

Fundada em 1976, a Tecniplas é líder brasileira em tanques e equipamentos especiais de compósitos em PRFV. Seus produtos são consumidos pelas indústrias de álcool e açúcar, papel e celulose, cloro-soda, química e petroquímica, fertilizantes, alimentos e bebidas e saneamento básico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tecniplas

Curta nossa página no

Armacell adquire 100% das ações da PoliPex, fabricante brasileira de espumas em polietileno para isolamento térmico

20/10/2016

polipex-isolante A Armacell (www.armacell.com) , empresa com sede em Luxemburgo e líder global em espumas flexíveis para o mercado de isolamento de equipamentos, além de fornecedora de espumas de engenharia, adquiriu 100% das ações da PoliPex (www.polipex.com.br), uma importante fabricante brasileira de espumas de PE extrudado para isolamento, em um acordo de participação por uma quantia não revelada. Esta transação reforça significativamente o portfólio de produtos da Armacell na América Latina e aumenta os níveis de serviço para clientes brasileiros, bem como, o apoio para os OEMs regionais. Com a adição da planta da PoliPex em Florianópolis (SC), a Armacell fica bem posicionada para continuar a desenvolver a sua presença de fabricação na América Latina.

“A PoliPex tem décadas de know-how na produção de PE extrudado, bem como uma forte equipe nacional. Estamos ansiosos para servir aos nossos clientes em toda a América Latina com um portfólio de produtos mais amplo e maiores níveis de serviço ao cliente”, explica Patrick Mathieu, Presidente e CEO da Armacell Internacional S.A.” Historicamente, a PoliPex exibiu taxas de crescimento sólidas e margens operacionais saudáveis. A recuperação prevista para a economia brasileira e o mercado de construção tornam a PoliPex um investimento atraente para nós. ”

A PoliPex atua no mercado de espumas extrudadas de Polietileno para isolamento e tem cerca de 80 funcionários. A empresa foi fundada por John Johannes van Mullem em 1991 e mantém sede em Santa Catarina, bem como, centros de distribuição no Sul e no Nordeste do país. No ano de 2015, a Polipex teve um faturamento de aproximadamente R$ 43 milhões.

Fonte: Armacell / foto: site Polipex

Curta nossa página no