Archive for the ‘Aplicações em Saneamento’ Category

Tecniplas divulga soluções em tancagem para fabricantes de estações de tratamento durante a Fenasan

09/08/2018

Empresa é líder nacional em reservatórios de plástico reforçado com fibras de vidro

Consolidar sua posição de fornecedora de tanques e equipamentos especiais em PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro) para os fabricantes de estações de tratamento de água e efluentes: esse é o objetivo da Tecniplas ao participar mais uma vez da Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan) – de 18 a 20/09, no Expo Center Norte, em São Paulo.

“Mostraremos o nosso portfólio completo de reservatórios e equipamentos, com destaque para os megatanques e os tanques monolíticos de grandes dimensões”, adianta Luís Gustavo Rossi, diretor da Tecniplas.

Os primeiros, com capacidade máxima de 4,5 mil m³, são ideais para o armazenamento de água ou efluente bruto, caso dos tanques de detenção. Já os reservatórios monolíticos – ou seja, produzidos em uma peça única – podem ter até 400 m³ de capacidade e reforços para a operação em áreas sujeitas a elevadas cargas de vento, condição bastante comum, por exemplo, na Região Sul do Brasil.

“Ambos podem ser fabricados com resinas próprias para o contato com água potável. Também ajustamos a translucidez desses polímeros para que a luz solar não contribua com a proliferação de algas”, detalha.

Outro objetivo da Tecniplas nessa edição da Fenasan é alertar o mercado sobre a importância do cumprimento das normas técnicas por parte dos fabricantes de tanques de PRFV. “Pretendemos mostrar um patamar de tecnologia e qualidade diferente do que, em regra, é utilizado atualmente. Isso porque a Tecniplas atua há mais de quarenta anos na fabricação de reservatórios e equipamentos que trabalham com produtos químicos altamente corrosivos, bem mais complexos do que água e esgoto”.

Rossi destaca ainda que, por processar um material nobre como o PRFV, ambientalmente amigável e resistente a vazamentos, a Tecniplas tem plenas condições de atender às exigências da nova Lei de Licitações, que moderniza a Lei 8.666/93 e dá mais liberdade aos entes públicos para optar pela especificação técnica correta, e não apenas pelo menor preço. “Todos os nossos tanques são fabricados de acordo com a norma ASME RTP-1. Isso oferece ainda mais tranquilidade às concessionárias de serviço de abastecimento de água e tratamento de esgoto”, completa.

Fundada em 1976, a Tecniplas mantém uma fábrica de 32 mil m² em Cabreúva, no interior de São Paulo. Seus produtos são consumidos pelas indústrias de álcool e açúcar, papel e celulose, cloro-soda, química e petroquímica, fertilizantes, alimentos e bebidas e saneamento básico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tecniplas

Curta nossa página no

Anúncios

Tecniplas apresenta no Concasan tanques projetados para áreas com elevadas cargas de vento

19/05/2018

Empresa também mostrará os seus megatanques no Congresso Catarinense de Saneamento

Líder brasileira em tanques e equipamentos especiais em compósitos de PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro), a Tecniplas é uma das expositoras do Congresso Catarinense de Saneamento (Concasan). Agendado para os dias 06, 07 e 08/06, em Florianópolis (SC), o Concasan é promovido anualmente pela Companhia Catarinense de Saneamento (CASAN), com o apoio do Sindicato dos Engenheiros no Estado de Santa Catarina (SENGE-SC).

Na edição deste ano, a Tecniplas pretende divulgar a importância de se projetar os tanques de compósitos levando em conta os sucessivos aumentos nas cargas de vento na Região Sul do país. Isso porque as rajadas de quase 200 km/h, comuns em determinadas épocas, podem danificar ou até mesmo arrancar os reservatórios das bases, caso não tenham sido construídos de forma adequada.

“Em linhas gerais, projetamos os tanques sujeitos a cargas de ventos com a adição de anéis de reforço, que os protegem contra as pressões externas e evitam amassamentos que podem danificar a estrutura”, explica Luís Gustavo Rossi, diretor da Tecniplas.

Outras atrações do estande da Tecniplas, adianta Rossi, serão os tanques de processo e armazenamento indicados para o trabalho com água, efluentes e produtos químicos. “A ideia é mostrar o quão mais vantajosa é a utilização de reservatórios de compósitos em comparação aos similares feitos de outros materiais, como concreto ou aço vitrificado”.

Em relação aos primeiros, Rossi ressalta que é necessária uma bem executada impermeabilização, em função da natural porosidade do concreto. “Além de elevar o preço, o revestimento tem vida útil limitada. Os compósitos, por sua vez, são impermeáveis, imunes à corrosão, possuem elevada resistência mecânica e podem ser formulados com resinas próprias para o contato com a água potável”.

Na comparação com o aço vitrificado, os benefícios são a maior facilidade de instalação – os tanques de compósitos são monolíticos, e não formados por milhares de placas parafusadas – e a ausência de vazamentos. “Fora que a cadeia produtiva do material que processamos é toda local, enquanto que o aço usado nos reservatórios é importado, o que deixa o cliente exposto às oscilações cambiais”, compara.

Megatanques oblatados

A Tecniplas também mostrará no Concasan os seus megatanques de compósitos. Com diâmetro máximo de 15 m e capacidade para armazenar até 4,5 milhões de litros, os gigantescos reservatórios são fabricados em seções na planta da empresa e, pelo processo de oblatação, redimensionados para permitir o transporte rodoviário.

“Ovalizamos e acinturamos as seções para que assumam o formato semelhante ao do número oito e fiquem com 5 m de largura. Assim, é possível transportar um megatanque numa carreta convencional, o que pode significar a redução do tempo de transporte de 90 para 10 dias”. Depois, na unidade do cliente, as seções são redimensionadas e laminadas umas sobre as outras. “A Tecniplas é única fabricante brasileira de tanques de compósitos a deter a tecnologia de oblatação”, observa Rossi.

Fundada em 1976, a Tecniplas mantém uma fábrica de 32 mil m² em Cabreúva, no interior de São Paulo. Seus produtos são consumidos pelas indústrias de álcool e açúcar, papel e celulose, cloro-soda, química e petroquímica, fertilizantes, alimentos e bebidas e saneamento básico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tecniplas

Curta nossa página no

Tecniplas fornece à Casan tanque monolítico de 250 m³ para armazenamento de água potável

09/12/2017

Maior fabricante brasileira de tanques e equipamentos especiais em compósitos de PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro), a Tecniplas acaba de concluir a produção de um reservatório (foto) adquirido pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (CASAN). De acordo com Luís Gustavo Rossi, diretor da Tecniplas, um dos diferenciais desse projeto é o fato de o tanque ter sido produzido em uma peça única (monolítica), apesar das suas dimensões.

“Com 250 m³, 5 m de diâmetro e 12,75 m de altura, é o maior reservatório monolítico a entrar em operação na Casan”, ele afirma, lembrando que é possível fabricar tanques desse tipo com até 400 m³ de capacidade. Acima disso, a Tecniplas recorre à oblatação, tecnologia que permite a fabricação, em seções, de tanques de até 4.500 m³.

O reservatório da Casan armazenará água potável e fará parte do sistema de abastecimento da cidade de Palma Sola, no oeste catarinense. Por conta do tipo de aplicação, observa o diretor da Tecniplas, o tanque foi produzido de acordo com as exigências da Portaria 2914, do Ministério da Saúde, que dispõe sobre os procedimentos de controle de qualidade da água para o consumo humano.

“Utilizamos resinas próprias para o contato com água potável. Também ajustamos a translucidez desses polímeros para que a luz solar não contribua com a proliferação de algas”, detalha Rossi.

Fundada em 1976, a Tecniplas opera em Cabreúva (SP) uma planta para a fabricação de tanques e equipamentos especiais de compósitos em PRFV. Além de atuar no mercado de saneamento básico, a empresa está presente nos setores de álcool e açúcar, papel e celulose, alimentos e bebidas, química e petroquímica e fertilizantes.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tecniplas

Curta nossa página no

Solvay aumenta a produção mundial de polímeros de sulfona com nova unidade na Índia e expansão nos EUA

10/10/2017

Polímeros de sulfona são aplicados em diversos mercados de alto desempenho, principalmente de indústrias das áreas de Saúde e tratamento de água

A Solvay está expandindo sua capacidade de produção global de polímeros especiais de sulfona na Índia e nos Estados Unidos para atender ao crescimento significativo da demanda por este material termoplástico de alto desempenho, principalmente nas indústrias do setor de saúde/médico e de tratamento de água.

Como parte dos planos da Solvay, anunciado anteriormente, de aumentar a capacidade de polímeros de sulfona em mais de 35% nos próximos 5 anos, a empresa está construindo uma nova unidade de produção, exclusiva para polietersulfona (PESU), em Panoli, na Índia. Os aumentos de capacidade também estão ocorrendo nos EUA, nas unidades de polímeros e monômeros da Solvay em Marietta (Ohio) e Augusta (Geórgia), por meio de investimentos e otimização de processos.

“A expansão da Solvay reforça nossa posição de liderança em polímeros especiais de sulfona, beneficiando-se da crescente demanda em indústrias de rápido crescimento, como purificação de água e tratamentos de saúde”, disse Augusto Di Donfrancesco, presidente da Unidade Global de Negócios Specialty Polymers do Grupo Solvay. “Os clientes podem confiar em nós para o seu suprimento a longo prazo em todo o mundo”, disse Donfrancesco. A construção da nova unidade em Panoli está em andamento e a produção deverá atingir a capacidade total em meados de 2019.

Os polímeros de sulfona da Solvay, Radel® PPSU (polifenilsulfona), Veradel® PESU (polietersulfona) e Udel® PSU (polissulfona), são aplicados em uma variedade de indústrias altamente competitivas, como a aeroespacial/aeronáutica, automotiva, água e eletrônica, bem como mercados de consumo e construção.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no