Archive for the ‘Aplicações Elétricas’ Category

Solvay vai aumentar em 35% a produção de polímero especial PVDF para atender ao crescimento da demanda por baterias de veículos elétricos

04/10/2018

A Solvay aumentará em 35% a capacidade de produção de seus polímeros de alto desempenho da linha Solef® PVDF (fluoreto de polivinilideno) para atender ao forte crescimento da demanda global, principalmente para aplicações em baterias de íon-lítio para veículos elétricos.

“A decisão da Solvay de aumentar a capacidade do Solef® PVDF, em nossa planta industrial de Tavaux, na França, mostra nosso compromisso contínuo para atender às crescentes necessidades de nossos clientes em todo o mundo”, disse Michael Finelli, Presidente da Unidade de Negócios Global Specialty Polymers da Solvay.

A nova capacidade, com investimento em novos ativos (máquinas e equipamentos), deverá entrar em operação até o final de 2019.

Os polímeros especiais da linha Solef® PVDF otimizam a eficiência do armazenamento de energia e contribuem para redução do peso da bateria em veículos elétricos e aparelhos eletrônicos de consumo.

Outras aplicações desses polímeros que têm registrado crescimento de vendas ocorrem em tubos e revestimentos na exploração e produção de petróleo e gás em plataformas offshore e em membranas para purificação de água.

A Solvay tem sede em Bruxelas (Bélgica) e emprega 26.800 pessoas em 61 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,1 bilhões em 2017, resultando em uma margem de EBITDA de 22%. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia. Os produtos da Solvay são usados em diversos mercados finais globais, em produtos como aviões, carros, dispositivos inteligentes e médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre muitas outras aplicações.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Anúncios

Solvay lança novas poliamidas para componentes de veículos elétricos, híbridos e autônomos

17/05/2018

A linha elétrica de poliamidas da Solvay focaliza-se em componentes elétricos e eletrônicos automotivos, incluindo grades na cor laranja para aplicações de alta tensão como conectores, disjuntores, interruptores e isolantes utilizados no mercado de mobilidade elétrica

A Solvay Performance Polyamides está anunciando a ampliação de seu portfólio de plásticos de engenharia de poliamida Technyl® para fornecer soluções adequadas para a indústria automotiva mundial.

Segundo a empresa, a ampliação do portfólio responde aos principais desafios e tendências do setor automotivo, entre as quais aumento de conectividade e autonomia, uma vez que tanto os veículos híbridos como os totalmente elétricos (xEV) e os autônomos compartilham uma necessidade comum e crescente de melhorar o desempenho dos seus componentes elétricos e eletrônicos.

A linha aprimorada Technyl® compreende soluções retardantes de chamas (FR, na sigla em inglês), produtos para automóveis elétricos em grades puros e de alta pureza e o novo grade de poliamida 6.6 livre de íons para aplicações em células de combustível, afirma a Solvay. Desenvolvida em estreita colaboração com fabricantes de equipamentos originais e parceiros de Tier 1, essa linha atende aos desafios em termos de custo, desempenho e sustentabilidade, garante a empresa.

“Também desenvolvemos uma série de grades Technyl® altamente estáveis, na cor laranja, pois continuamos a inovar em nosso portfólio para aplicações de veículos elétricos”, disse Nicolas Batailley, líder global de Mobilidade Elétrica da Solvay Performance Polyamides. “A cor laranja é a cor da moda para facilitar a identificação, pois nos concentramos em componentes projetados para lidar com altas tensões, como conectores, disjuntores e isoladores”, informou.

Um dos primeiros mercados abrangidos por esse novo produto é o chinês. Segundo Nicolas Batailley, a China está desempenhando um papel cada vez maior no campo da mobilidade elétrica. “Embora o país responda por quase um terço da produção automotiva mundial, a parcela de veículos híbridos e totalmente elétricos fabricados na China tem uma meta ambiciosa de chegar a 20% até 2025, o que representa quase sete milhões de veículos. Nossa linha Technyl® foi ampliada para ajudar a atingir esse objetivo desafiador”, afirmou.

A Solvay Performance Polyamides afirma que oferece um nível exclusivo de suporte para ajudar os clientes no processo de design geral, para que estes possam explorar as soluções de materiais Technyl® e acelerar o tempo de comercialização.

A oferta das novas soluções inclui simulação preditiva com DesignMMI® Technyl® (*), impressão 3D de protótipos funcionais baseados em poliamida com pós de Sinterline® PA6, bem como testes de desempenho da peça em centros de validação totalmente equipados – um deles, inclusive, instalado em Xangai, na China.

A Solvay é uma empresa de química de especialidades e de materiais avançados, cujos produtos e soluções são utilizados em aviões, carros, dispositivos inteligentes e médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre muitas outras aplicações. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 24.500 pessoas em 61 países. As vendas líquidas pro forma foram de € 10,1 bilhões em 2017. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

(*) DesignMMI Technyl® é um serviço avançado desenvolvido pelo Digimat da e-Xstream

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Victrex exibe lançamentos na linha de produtos e serviços voltados aos polímeros PEEK na K 2016

28/09/2016

Feira que ocorre em outubro, na Alemanha, terá como destaque o novo composto Victrex AE 250 desenvolvido para a indústria aeroespacial

victrex-magmaA Victrex, fornecedora de soluções em polímeros PAEK de alta performance, apresentará novidades em seu portfólio na K 2016, feira internacional de plásticos e borracha. O evento acontece em Düsseldorf,na Alemanha, de 19 a 26 de outubro. Além de novos tipos de polímeros Victrex PEEK e suas diversas aplicações, o foco estará nas soluções integradas do futuro e, em particular, nas novas tecnologias. Entre elas, o novo composto Victrex AE 250, desenvolvido para a indústria aeroespacial, cuja produção utiliza tecnologia de moldagem híbrida. Soluções para engrenagens e  e-motors serão destaque no stand automotivo, enquanto novos tipos de polímero PEEK e uma estrutura de compostos PEEK expandida estarão em evidência na seção da indústria de petróleo e gás.

O stand da Victrex, localizado no salão 5 (stand B09), exibirá essas novas soluções, tecnologias e serviços baseados no PAEK, com exemplos de seu uso crescente em aplicações críticas. Tendo começado há mais de 35 anos como o primeiro produtor comercial do PEEK termoplástico de alta performance, a empresa hoje aplica uma abordagem específica que utiliza conhecimentos especializados sobre materiais para oferecer produtos e soluções integradas para as indústrias. Pesquisa e desenvolvimento orientados e combinados aos investimentos e voltados principalmente para os programas industriais e médicos da Victrex também permitiram o estabelecimento de parcerias estratégicas como, por exemplo, com a Magma Global Limited na indústria de petróleo e gás.

Óleo e gás: Magma oferece a mais longa tubulação com base em PEEK

Recentemente, a estrutura mais longa do mundo com base em Victrex PEEK foi desenvolvida sob a forma de spoolable m-pipe® pela Magma Global Limited, que proporciona uma tubulação de intervenção submarina de custo competitivo e confiável, segundo a empresa. Esta tubulação de composto flexível pode ser usada em condições extremas e em profundidades de até 3.000 metros (10.000 pés), suportando pressões de mais de 1.000 bar (15ksi), afirma a Victrex.

Enquanto isso, a Victrex está investindo em uma unidade de produção especificamente para compósitos. Ademais, a empresa apresenta novos polímeros para a indústria de petróleo e gás, incluindo um termoplástico que oferece gama única de propriedades em sistemas de vedação, seja em criogenia(até -196ºC) ou acima de 200°C, assegura a Victrex. Outro destaque é o Victrex OGS 125, especificamente desenvolvido para otimizar a moldagem por compressão de grandes vedações.

Aeroespacial: novos compostos Victrex

Os requisitos também são altos na indústria aeroespacial onde, por exemplo, especificações exatas têm de ser cumpridas para os suportes de peso na aeronave. Um objetivo primordial, além de confiabilidade, durabilidade e leveza, é a redução de custos. As vantagens obtidas na relação custo-benefício com produção e montagem de componentes individuais baseados em novas opções de design e fabricação, por exemplo, podem contribuir para atender esse anseio da indústria.

Precisamente nesse aspecto os recém introduzidos compostos Victrex AE 250, em várias formas de pré-impregnação, oferecem grande potencial para a indústria da aviação. Em combinação com a tecnologia de moldagem híbrida, suportes, grampos, clipes e caixas para estruturas primárias e secundárias podem ser fabricados em minutos, contrapondo o processo com materiais metálicos ou termofixos que pode levar horas. Em 2016, a Victrex apresentará estes novos compostos PAEK pela primeira vez na feira K 2016.

Automotivo: engrenagens e e-motors de custo eficiente e alto desempenho

O pacote completo de engrenagens com base em PEEK disponibilizado pela Victrex para a indústria automotiva desde o ano passado também será apresentado na K 2016. A empresa ampliou sua expertise por meio da aquisição de uma empresa especializada em engrenagens dos Estados Unidos, com p objetivo de oferecer serviços personalizados e completos para obter design preciso e rápido, desenvolvimento, testes e produção de engrenagens ao longo da cadeia de fornecimento.

Outra solução de futuro para e-motors, o filme APTIV, tem se destacado no setor automotivo. Usado como forro de ranhura para isolamento elétrico, o filme ultrafino à base de PEEK permite a utilização de 5% a mais de cobre em comparação com materiais utilizados até então. Segundo a Victrex, isto permite aumento da densidade de potência de motor do mesmo tamanho ou reduz a quantidade de espaço que ocupa, bem como diminui os custos até U$ 20 por motor.

Os filmes APTIV da Victrex têm sido utilizados com sucesso também na produção de aeronaves já há algum tempo. Outro setor que utiliza o material é a indústria eletrônica, como na membrana do micro alto-falante para mais de um milhão de dispositivos móveis. O material garante reprodução de som precisa – apesar da demanda por maior desempenho – e vida útil 300% maior do que a de outros materiais.

Fonte – Victrex

Curta nossa página no

Covestro desenvolve grade de Policarbonato para iluminação energeticamente eficiente

18/03/2016

Covestro_iluminacao

  • Nova geração de elementos de resfriamento para LEDs
  • Benefícios do novo material vão da excelente condutividade térmica à versatilidade e liberdade em design, afirma Covestro

O LED é a iluminação do futuro e seu uso está cada vez mais amplo. Por esta razão, e também por conta de seu quase ilimitado potencial de aplicações, a Covestro está dando suporte a essa tecnologia energeticamente eficiente com uma série de soluções em material.

Os LEDs são muito mais eficientes do que as lâmpadas incandescentes. Mesmo assim, eles ainda emitem parte de sua energia na forma de calor. Este calor precisa ser dissipado por meio de elementos de resfriamento para garantir uma alto rendimento em iluminação e uma longa vida útil da lâmpada.

Para esta aplicação, a Covestro lançou um policarbonato especial, o Makrolon® TC8030 (TC significa “termicamente condutor”, em inglês), que possui uma alta condutividade térmica de 20 W/m*K. “Quando comparado ao alumínio normalmente usado, este plástico oferece tanto condutividade térmica como uma grande liberdade de design”, explica Axel Wetzchewald, responsável de marketing para aplicações de LED da Covestro.

Colaboração com parceiros finlandeses

Para explorar ainda mais as possibilidades técnicas do Makrolon® TC8030, a Covestro estabeleceu uma projeto de colaboração com a Universidade de Ciências Aplicadas Karelia (UAS) e e com a Vesuto Oy,  especialistas finlandeses em moldagem por injeção.

O objetivo inicial deste projeto era utilizar o novo grade de plástico para criar elementos de resfriamento para luminárias LED que possam ser fabricadas através de moldagem por injeção. Estes então foram comparados com elementos produzidos à base de outros polímeros. Os resultados mostram que o material de policarbonato dissipa de forma muito efetiva o calor gerado pelos LEDs nas placas de circuito feitas para o teste.

“O Makrolon® TC8030 tem uma condutividade térmica comparável ao alumínio”, explica o gerente do projeto, Dr. Kari Mönkkönen, da Universidade Karelia. “Entretanto, o plástico é mais leve e oferece maior liberdade de design, o que o torna perfeito para soluções de iluminação em LED”, acrescenta Nikolai Ylimys, membro do projeto e designer da universidade.

Veikko Viitanen, diretor da Vesuto Oy, está confiante de que o policarbonato termicamente condutor vai abrir as portas para uma nova geração de elementos de resfriamento, pois “apesar da sua alta viscosidade, o material é fácil de se processar com um alto nível de qualidade através da moldagem por injeção.”

Fonte: Covestro – Assessoria de Imprensa

Curta nossa página no

ABB e Solvay fazem acordo para uso de plásticos de engenharia em contatores elétricos

26/10/2015

Technyl® One, da Solvay, atende às crescentes demandas por segurança e eficiência superior de processamento, respondendo aos requisitos de miniaturização de equipamentos elétricos

Contator ABB feito com Technyl® One (Foto: ABB)

Contator ABB feito com Technyl® One (Foto: ABB)

A ABB, líder mundial em tecnologias de energia e automação, escolheu a poliamida Technyl® One da Solvay Plásticos de Engenharia para uma nova aplicação em contatores elétricos. Segundo a Solvay, o Technyl® One é uma geração inovadora de resinas de poliamida (PA) que responde aos principais desafios em equipamentos elétricos na gestão de energia e automação predial que são segurança, miniaturização e aumento da produtividade.

Com a sua alta capacidade de fluxo e matriz de alta temperatura, bem como excelentes propriedades elétricas e de desempenho anti-chama isento de halogênio, o Technyl® One demonstrou com sucesso a sua adequação para aplicações exigentes dentro do segmento de proteção elétrica, afirma a Solvay. Entre as aplicações pretendidas estão disjuntores miniatura (MCBs), Disjuntor em Caixa Moldada (MCCB) e peças de contator que exigem alta amperagem e desempenho em resistência térmica.

A facilidade de processamento deste grade de Technyl® One, combinada com a sua elevada funcionalidade, foi um fator determinante para sua escolha pela ABB durante a fase de desenvolvimento de nossa nova aplicação em contatores, assegura a Solvay. “Nós observamos durante o teste de sobrecarga elétrica que o material exibiu uma alta retenção de propriedades da superfície “, afirma Jacques Dumoux, Gerente de Material Plástico da ABB (Baixa Tensão). “Por períodos curtos, durante este teste crítico, as conexões dos novos contatores são expostas a sobrecargas significativas – até dez vezes a amperagem normal -, gerando temperaturas muito elevadas, às quais as peças de plástico ao redor devem resistir.”

Jacques Dumoux acrescentou: “Devido às suas características únicas, o Technyl® One resistiu à deformação (creep) e amolecimento ao longo desta análise rigorosa. Anteriormente, apenas materiais como poliamidas reticuladas, poliftalamida ou termofixos haviam passado nesses testes.”

A miniaturização contínua de produtos, aliada ao ganho crescente de funcionalidades, é um desafio constante para a indústria de eletroeletrônicos. “Além disso, na última década, as diretrizes RoHS e REACH (SVHC) da União Europeia tiveram um impacto significativo sobre tecnologias retardantes de chama. Estas diretivas provocaram uma mudança importante no mercado global de plásticos livres de halogênio para a indústria de eletroeletrônicos”, diz James Mitchell, Diretor Global de Mercado de Eletroeletrônicos da Solvay Plásticos de Engenharia.

“Porém, especificamente para poliamidas e PBT reforçados com fibra de vidro, a adoção da tecnologia mais eficiente em retardância de chama livre de halogênio também tem sido associada com inconvenientes em termos de propriedades físicas e problemas de processamento, tais como a corrosão dos moldes. O comportamento reológico superior do Technyl® One também ajuda a reduzir o nível de degradação corrosiva durante o processamento, o que é benéfico para o equipamento de moldagem, bem como para a consistência global do processo e do produto, atendendo tantos às exigências de segurança como às necessidades econômicas e de processamento dos fabricantes OEMs”, acrescentou James Mitchell.

Segundo a Solvay Plásticos de Engenharia, o seu grade Technyl® One J 60X1 V30 é um material retardante de chama sem halogênio, que fornece uma classificação UL94 V0 a apenas 0,4 mm de espessura de parede, bem como incomparáveis propriedades de envelhecimento térmico (150 ° C RTI elétrico – Índice térmico Relativo) e um alto índice de rastreamento comparativo (CTI 0 para 600 volts e superiores). O Technyl® One J 60×1 V30 também cumpre a nova norma europeia EN 45545-2, que entrará em vigor até 2016.

Afirma a empresa que o material também oferece o mais alto nível de desempenho de baixa produção de fumaça, sendo classificado como HL3 sob a R22 e R23. O portfólio da Solvay inclui grades em cinza, preto e natural. Com seu conhecimento na área de marcação a laser, a empresa criou grades para atender requisitos específicos de sistemas de marcação a laser UV / YAG1 dos clientes.

A ABB é líder em tecnologias de energia e de automação. O grupo ABB opera em cerca de 100 países e emprega cerca de 140.000 pessoas.

A Solvay Plásticos de Engenharia é especialista global em plásticos de engenharia à base de poliamida, com mais de 60 anos de experiência no desenvolvimento, fabricação e comercialização de uma gama completa de materiais de alta performance sob a marca Technyl® para aplicações nos setores automotivo, elétrico e eletrônico, construção, bens de consumo e outros mercados.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Victrex aumenta capacidade produtiva com aquisição da Kleiss Gears

24/07/2015

Empresa norte-americana fornece engrenagens de precisão em polímeros de engenharia, reduzindo o peso, consumo de energia e ruído de equipamentos

Victrex_Kleiss gearsA Victrex, provedora em soluções globais à base de polímero PEEK, acaba de ampliar seu portfólio com a aquisição da Kleiss Gears. A empresa norte-americana tem 20 anos de mercado e é especializada na fabricação de engrenagens a partir de polímero termoplástico. Reconhecida pelo know-how no design de engrenagens e ferramentas, testes de validação e fabricação de peças de precisão em polímeros de engenharia, a Kleiss Gears passa a integrar o hall de soluções oferecidas pela Victrex.

A novidade marca o suporte de forma mais completa da Victrex para desenvolvimento de engrenagens de polímeros de alta performance em aplicações para mercados como o automotivo, elétrico, energia, entre outros. O objetivo é fornecer desde soluções de material até sistemas integrados completos.

As engrenagens de polímero têm como principais vantagens maior durabilidade e confiabilidade, melhor desempenho, reduções significativas no consumo de energia e peso, além da redução de 50% no ruído, vibração e aspereza (NVH), em comparação às engrenagens de metal.

A união do design de alta precisão em engrenagens, testes e capacidade de fabricação da Kleiss Gears com a tecnologia, inovação e excelência técnica em escala comercial global de materiais da Victrex proporciona uma nova opção para os clientes, como destaca David Hummel, CEO da Victrex.

“A Kleiss Gears oferece à Victrex a oportunidade de acelerar a adoção de engrenagens à base de Victrex PEEK para atender às necessidades da indústria automotiva. O movimento também está em linha com nosso objetivo de duplicar a quantidade de volume do polímero PEEK nos automóveis em médio prazo. Estamos muito satisfeitos de sermos capazes de complementar a experiência existente da Kleiss e desenvolver soluções sob medida para nossos clientes”, enfatiza Hummel.

Com a aquisição, a Victrex é capaz de melhorar sua oferta, incluindo processos de desenvolvimento rápido, tais como a seleção de materiais, design de equipamento e ferramentas, testes e validação, e capacidade de fabricação de precisão.

“Nossa parceria com a Victrex é de longa data e estamos convencidos de que nossos clientes e usuários finais irão se beneficiar de uma abordagem mais integrada, permitindo-lhes desenvolver e lançar engrenagens que oferecem soluções aos seus principais desafios, com ciclos de desenvolvimento mais reduzidos”, finaliza Rod Kleiss, presidente da Kleiss Gears.

Com sede no Reino Unido, a Victrex possui mais de 35 anos de experiência e oferece soluções inovadoras de polímeros de alto desempenho, atendendo uma variedade diversificada de mercados de indústria tais como a aeroespacial, automotiva, dispositivos eletrônicos, operações de petróleo e gás e dispositivos médicos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Victrex

Curta nossa página no

Amcor anuncia uso de polímero especial da Solvay na produção de painéis fotovoltaicos mais leves

20/07/2015

Duráveis e altamente transparentes, os filmes produzidos com flouoropolímero ECTFE oferecem extrema redução de peso e alta flexibilidade, substituindo o vidro em módulos para energia solar

Estação de recarga de bicicletas elétricas com módulos fotovoltaicos utilizando filmes da Amcor fabricados com polímero ECTFE

Estação de recarga de bicicletas elétricas com módulos fotovoltaicos utilizando filmes da Amcor fabricados com polímero ECTFE

A Solvay Specialty Polymers, fornecedora global de termoplásticos de alto desempenho, está anunciando na Intersolar North America 2015 que os filmes extrudados a partir de sua resina de alto desempenho Halar® 500, à base de etileno clorotrifluoretileno (ECTFE), tornaram possível  o desenvolvimento  de filmes frontais para painéis fotovoltaicos mais  leves e duravéis pela Amcor, fornecedora mundial de filmes e materiais flexíveis. Já disponível nos EUA, os filmes frontais leves e flexíveis Rayotec® e Ceramis® da Amcor ampliam as opções para aplicações avançadas em energia solar, eliminando limitações estruturais de peso e rigidez impostas pelo vidro, melhorando a integração de módulos fotovoltaicos em formas complexas, afirma a Solvay Specialty Polymers.

“Proteção, redução de peso e durabilidade estão entre os principais critérios para filmes frontais destinados ao mercado norte-americano, atualmente em rápido crescimento para aplicações fotovoltaicas integradas a edifícios”, disse Wojciech Skalbani, diretor global de vendas e marketing de produtos técnicos na Amcor. “A combinação única de propriedades de desempenho fornecidas pela resina Halar® 500  da Solvay permitiu que as nossos filmes Rayotec® e Ceramis® atendessem a esses e outros requisitos exigentes, oferecendo uma nova solução competitiva para indústria solar nos EUA.”

O Halar® 500 ECTFE é um fluoropolímero processável por fusão, que pode ser extrudado para produzir filmes transparentes com larguras de até 1,5 m e com várias espessuras. Um filme típico de 50 micra de espessura  oferece mais de 90% de transmissão de luz e pesa apenas 84 g / m2 , segundo a Solvay Specialty Polymers. Isto contrasta com uma placa de vidro convencional de tamanho idêntico de 3 milímetros de espessura, para as mesmas aplicações de energia fotovoltaica, que pesa 7,5 kg / m2. Aplicado como o material leve principal no filme frontal Rayotec® da Amcor, a resina Halar® ECTFE da Solvay oferece novas e amplas opções para diminuir significativamente o peso dos painéis solares de silício cristalino.

A Amcor também escolheu um filme à base de Halar® 500 ECTFE como uma camada adicional de proteção para seu filme fotovoltaico frontal Ceramis®, que visa aplicações de painéis solares de Cobre-Índio-Gálio-Selênio (CIGS). Este filme frontal incorpora uma camada sensível de óxido de silício, na qual oferece uma barreira extremamente efetiva contra umidade, sendo esta fundamental para o desempenho de longa duração dos painéis de CIGS, afirma a empresa. A excelente resistência aos raios UV promovida pela resina Halar® 500 ECTFE, segundo a Solvay Specialty Polymers, protege a camada sensível, assegurando o perfeito desempenho de ambas as partes, da camada frontal e do painel CIGS terminado. Adicionalmente, a maior flexibilidade do filme de Halar® ECTFE, comparado ao vidro, permite um processamento (roll-to-roll ) mais eficiente da folha frontal Ceramis® da Amcor.

Além desses benefícios, segundo a Solvay Specialty Polymers, as películas com base no Halar® 500 ECTFE oferecem propriedades muito elevadas de barreira contra a umidade (<1 g / m2 / dia), resistência à abrasão, bem como uma maior resistência ao fogo, maior rigidez e menor densidade comparado aos filmes concorrentes, baseados no etileno tetrafluoroetileno (ETFE). São autolimpantes e podem suportar mais de 20 anos de exposição direta à luz solar. Combinadas com a tecnologia pioneira da Amcor, as películas baseadas no Halar® 500 ECTFE formam laminados de proteção duráveis para filmes encapsulantes comumente usados pela indústria solar.

“As resinas de alto desempenho baseadas em Halar® ECTFE da Solvay ajudam as indústrias inovadoras e importantes como a Amcor a explorar novos caminhos para a concepção de módulos solares duráveis e leves, que são mais facilmente integrados a formas complexas “, disse Philippe-Jacques Leng, gerente de mercado global para filmes da Solvay Specialty Polymers. “Estamos comprometidos em apoiar o crescimento de aplicações PV integrados a edifícios e outros mercados de energia solar, à medida que os consumidores ao redor do globo buscam fontes de energia mais sustentáveis.”

As resinas Halar® ECTFE da Solvay e as folhas frontais PV da Amcor estão disponíveis em todo o mundo.

A Amcor é uma empresa liíder global em soluções de embalagem, emprega mais de 30.000 pessoas em todo o mundo, operando em 40 países em 300 sites. Fornece uma ampla gama de soluções de plástico (rígido e flexível), fibra, metal e embalagens de vidro. A Amcor está sediada em Melbourne, na Austrália. Com 68 fábricas em 21 países, a Amcor Flexibles, uma divisão da Amcor, é líder de mercado e maior fornecedora mundial de embalagens flexíveis, atendendo aos mercados de alimentos, bebidas, farmacêutica, cuidados pessoais, produtos médicas e industriais.

A Solvay Specialty Polymers é uma divisão da Solvay que fabrica mais de 1500 produtos em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolimeros, fluoroelastômeros, fluidos fluorados, poliamidas semiaromáticas, polímeros de sulfona, polímeros aromáticos de altíssimo desempenho, polímeros de alta barreira e compostos de alto desempenho reticulados – para uso nas indústrias Aeroespacial, Energia Alternativa, Automotiva, Saúde, membranas, Petróleo e Gás, Embalagens, Encanamento, Semicondutores, Cabos e Fios, e outras indústrias.

O grupo Solvay, com sede em Bruxelas, emprega cerca de 26.000 pessoas em 52 países e obteve um faturamento de € 10,2 bilhões em 2014. No Brasil, a Solvay também atua com o nome Rhodia, cujas operações foram adquiridas em 2011.

Fonte: Assessoria de Imprensa Rhodia / Solvay

Curta nossa página no

Lanxess apresentou poliamidas retardantes de chama durante exibição no Sul da Alemanha

03/07/2015
  • Componentes de PBT e poliamida retardantes de chama
  • Baixa deformação e excelente qualidade da superfície
  • Fluidez para a fabricação de componentes com espessura fina

Lanxess_WurzburgA empresa de especialidades químicas Lanxess teve um estande na exposição que acompanhou o Congresso “Plásticos em Aplicações Eletroeletrônicas” da SKZ (Centro de Plásticos do Sul da Alemanha), que aconteceu no início de junho na Fortaleza de Marienberg em Würzburg. “Nossa exposição se concentrou em componentes de PBT e poliamida reforçada com baixíssima deformação, uma poliamida 6 com custo melhor para substituir as poliamidas com reforço mineral e as variantes de PBT com fluidez extremamente boa para a produção econômica de componentes de espessura fina”, explicou Alexander Radeck, especialista em desenvolvimento de aplicações na unidade de negócios Materiais de Alto Desempenho da Lanxess.

Outro foco foi colocado nos compostos de poliéster para aplicações em tecnologia de iluminação LED. A Lanxess também participaou da programação de palestras. Andy Dentel, desenvolvedor de aplicações na Bond-Laminates GmbH, uma subsidiária da Lanxess, falou sobre os “Usos potenciais dos compósitos termoplásticos com fibra em aplicações eletroeletrônicas: visão geral e status da tecnologia” na quarta-feira, 10 de junho.

Deformação baixa; qualidade da superfície

Os componentes de PBT e poliamida reforçada retardantes de chamas que apresentam baixa tendência a se deformar são alvos de uma demanda específica para a fabricação de peças de suporte geometricamente complexas e grandes. Com o Pocan AF, a Lanxess é um dos poucos fornecedores de misturas de PBT e ASA (copolímero de acrilonitrila-estireno-acrilato) para esse perfil de necessidades. “Eles resultam em superfícies excelentes, quase não produzem nenhum depósito no molde de injeção e são retardantes de chama”, disse Radeck.  Esse poder alto de retardância de chamas reflete-se na classificação V0 no teste UL 94 da organização americana de testes Underwriter Laboratories (UL) e o registro correspondente na certificação UL Yellow Card.

Entre os tipos de poliamida 6 com nível de deformação particularmente baixo que a Lanxess exibiu estava o Durethan BG 30 X F30 e o Durethan BG 30 X FN01, que são reforçados com, entre outros materiais, microesferas de vidro. Este último é um plástico retardante de chamas e sem halogênio, classificado como UL f1 para uso em aplicações ao ar livre com exposição a raios UV e água.

Alternativas econômicas com melhor desempenho

O Durethan BKV 25 FN27, que é customizado para substituir a poliamida 6 retardante de chamas com reforço mineral, oferece melhor desempenho a um preço comparável, afirma a Lanxess. “Este material também apresenta retração isotrópica, mas é mais rígido e mais sólido, pode receber coloração livremente e é mais fácil de soldar usando ultrassom. Também tem densidade mais baixa”, disse Radeck. No teste de fio incandescente de acordo com a norma IEC 60695-2-12, o material retardante de chamas – sem halogênio e sem fósforo – obteve o melhor valor possível no Índice de Flamabilidade por Fio Incandescente (GWFI) para plásticos a 960°C para amostras com espessuras de menos de 1 mm. Uma aplicação possível é em equipamento de comutação de baixa voltagem.

Ciclos até 20% mais curtos

As variantes Pocan XF com fluidez extremamente baixa, segundo a Lanxess, são reforçadas com um percentual de 10 a 55% em fibra de vidro. “Apesar da melhor propriedade de fluidez, elas são mais resistentes à hidrólise do que os grades de PBT padrão comparáveis e apresentam propriedades mecânicas similares”, explicou Radeck. Outro ponto forte é a distribuição bastante uniforme das fibras de vidro em áreas do componente com espessura fina. Para demonstrar isso, apresentações com o Pocan C 3230 XF foram feitas na feira em Würzburg.

Tepex – retardante de chamas, condutor de eletricidade

A palestra de Andy Dentel incluiu uma introdução aos novos tipos retardantes de chama do compósito de alto desempenho Tepex da Bond-Laminates GmbH – uma subsidiária da Lanxess – baseado em uma matriz de policarbonato. Ele também enfatizou as oportunidades oferecidas pelo Tepex retardante de chamas na produção de peças de suporte para as áreas de transmissão e distribuição de energia, por exemplo. Outro tópico abordado foram os tipos de materiais condutores de eletricidade do Tepex, que podem ser usados em aplicações com requisitos especiais de compatibilidade eletromagnética (CEM).

Com vendas de €8 bilhões em 2014 e aproximadamente 16.300 funcionários em 29 países, a Lanxess é representada por 52 unidades de produção em todo o mundo. A atividade principal da LANXESS é o desenvolvimento, a fabricação e a comercialização de plásticos, borracha, intermediários e produtos químicos especiais.

Fonte: Lanxess

Curta nossa página no

Prysmian expande linha de cabos sustentáveis com o Plástico Verde da Braskem

10/06/2015

Família Afumex Green cresce incluindo cabos da classe de tensão 0,6/1kV (até 1.000V)

prysmianAlinhada às principais frentes de desenvolvimento de tecnologias sustentáveis, a Prysmian, maior fabricante mundial de cabos elétricos e de telecomunicações, expande a sua linha de cabos Afumex Green, com o novo componente Afumex Green 1kV (1.000 Volts).  Referência em segurança e qualidade, o lançamento utiliza, na sua isolação, o polietileno “Verde” da Braskem, derivado da cana-de-açúcar.

“A preocupação com sustentabilidade está no DNA da Prysmian. Com este lançamento, aumentamos nossa gama de produtos “verdes”. Inovamos ao apresentar, há três anos, o primeiro cabo ecológico do mundo, o Afumex Green 750V. Agora, com a extensão da linha para o Afumex Green classe de tensão 0,6/1kV, seguimos com nosso compromisso de sempre oferecer ao mercado inovações tecnológicas no segmento de fios e cabos. O próximo passo é ampliar o uso do polietileno de origem renovável para famílias de cabos de concessionárias para distribuição de energia em redes aéreas e subterrâneas”, declara Humberto Duplat Paiva, diretor comercial da Prysmian.

Os cabos Afumex Green 1kV atendem às exigências das normas (NBR5410 e NBR13570) para instalações elétricas em locais com grande concentração de pessoas e, até mesmo, em ambientes confinados, uma vez que não propaga chama em caso de incêndios e tem baixa emissão de fumaça e gases tóxicos. Além disso, são utilizados para energizar máquinas, equipamentos e iluminação em geral, sendo aplicáveis em estádios, aeroportos, shoppings, escolas, edifícios comerciais e residenciais, entre outros.

Para apresentar ao mercado o novo Afumex Green, a Prysmian investiu R$ 10 milhões em Pesquisa & Desenvolvimento e em equipamentos para produção. A nova geração dos cabos será produzida nas fábricas de Sorocaba e Santo André (SP), a partir de maio, e será destinada para toda a América do Sul.

Segundo a Braskem, o seu polietileno “verde” captura 2,15 quilos de CO2 a cada quilo de plástico produzido, sendo que 80% da energia consumida em todo o processo é proveniente de fonte renovável.

Sobre a Prysmian: O Grupo Prysmian conta com 19 mil colaboradores, 91 fábricas e está presente em 50 países, com 17 centros de Pesquisa e Desenvolvimento na Europa, Estados Unidos e América do Sul. Com três unidades de negócio – Energia (cabos aéreos, terrestres e submarinos para a transmissão e distribuição de energia elétrica), Telecomunicações (cabos e fibras ópticas para transmissão de dados, imagem e voz e cabos convencionais em cobre) e Petróleo (Umbilicais, Dutos Flexíveis de Produção e Cabos Especiais para plataformas e bombas submersas), o Grupo Prysmian está presente em todos os continentes. No Brasil, com mais de 20% de market share, a empresa possui oito unidades fabris localizadas em Santo André e Sorocaba (quatro fábricas), em SP, Joinville, em SC, Vila Velha e Cariacica, no ES, além de dois centros de Pesquisa e Desenvolvimento. Conta com mais de 1.400 funcionários que são responsáveis pela produção de aproximadamente 80 mil toneladas de cabos por ano.

Sobre a Braskem: A Braskem possui 36 plantas industriais distribuídas pelo Brasil, Estados Unidos e Alemanha e produz anualmente mais de 16 milhões de toneladas de resinas termoplásticas e outros produtos petroquímicos. A Braskem tem capacidade para fabricar anualmente 200 mil toneladas de polietileno derivado de etanol de cana-de-açúcar.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Arkema lança agente de acoplagem para retardantes de chama livres de halogênios usados em aplicações em fios e cabos

28/05/2015
  • A Arkema (www.arkema.com) desenvolveu o produto Orevac® 18341, um novo composto de polietileno com anidrido maléico para a produção de um retardante de chama livre de halogênios (HFFR – Halogen Free Flame Retardant),  usado na fabricação de fios e cabos.
  • O novo produto é especialmente útil na melhoria da resistência à hidrolise após o envelhecimento

Arkema_fios-e-cabosFormulações de compostos olefínicos anti-chama livres de halogênios (HFFR) são alternativas ao PVC na fabricação de revestimento de fios e cabos de baixa tensão. Eles têm a vantagem de gerar baixa densidade de fumaça em uma situação de incêndio, bem como boa retardância às chamas. No entanto, eles exigem propriedades mecânicas melhorada e maior resistência a hidrólise após o envelhecimento. Resistência a hidrólise é fundamental para se manter as propriedades do cabo, mesmo em ambientes úmidos. O novo grade Orevac® é um polietileno com um elevado nível de anidrido maleico (MAH). Segundo a Arkema, o alto teor de anidrido maleico o torna um excelente agente de acoplamento entre poliolefinas e cargas minerais como hidróxido de alumínio,  hidróxido de magnésio, brucita, etc. Ele ajuda a atingir propriedades mecânicas superiores e a melhorar a resistência à hidrólise, mesmo após o envelhecimento.

Propriedade de Composto Retardante de Chama Livre de Halogênio com Orevac 18341. Fonte: Arkema

Propriedades de uma formulação de Retardante de Chama Livre de Halogênio com Orevac 18341.  Fonte: Arkema

O Orevac® 18341 é compatível com copolímeros olefínicos da Arkema, tais como Lotryl® (copolímeros de etileno-acrilato EEA, EMA e EBA) e Evatane® (copolímeros de etilenoacetato de vinila – EVA), para produzir compostos de retardantes de chama livres de halogênio, com excelentes propriedades mecânicas, mesmo com um baixo teor de agente de acoplagem, segundo a empresa. As características típicas do Orevac® 18341 são mostradas abaixo:

Propriedades típicas do Orevac 18341. Fonte: Arkema

Propriedades típicas do Orevac 18341. Fonte: Arkema

O novo grade de Orevac completa o portfólio de agentes de acoplagem da Arkema:

  • Orevac® 18302N polietileno grafitizado: agente de acoplagem de propósitos gerais
  • Orevac® 18507 HDPE grafitizado: altas propriedades mecânica, química e à abrasão
  • Orevac® OE808 : aplicação HFFR em cabos flexíveis
  • Orevac® CA100 polipropileno grafitizado: compostos HFFR a base de PP
  • Lotader® 3210: Agente terpolímero de acoplagem exclusivo para compostos HFFR com propriedades mecânicas melhoradas

Para mais informações sobre agentes de acoplagem Orevac® e Lotader® e outros grades, visite os website do Orevac e do Lotader.

Companhia química global e principal produtora de produtos químicos da França, a Arkema tem operações em mais de 50 países, cerca de 14.000 funcionários e 13 centros de pesquisa, Arkema gera receita anual de € 7,6 bi e possui um portfólio de marcas reconhecidas internacionalmente.

Fonte: Arkema

Curta nossa página no

Feiplastic 2015: Rhodia lança novo plástico de engenharia e mostra polímeros especiais

01/05/2015

Solvay_Rhodia_logoOs plásticos de engenharia de alto desempenho utilizados na produção de peças e partes de automóveis, de eletroeletrônicos, eletrodomésticos e em produtos industriais de consumo são os destaques da Rhodia, empresa do grupo Solvay (stand A-498), na Feiplastic 2015, Feira Internacional do Plástico, que será realizada na próxima semana, de 04 a 08 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Esses plásticos, de alto desempenho, contribuem para a redução de peso, eficiência energética, maior barreira a fluidos, manutenção de alto desempenho térmico a longo prazo e maior liberdade de design, além oferecerem custos competitivos, afirma a empresa.

A principal novidade da empresa nessa área é o lançamento do Technyl One, uma nova linha de plásticos de engenharia para utilização em produtos industriais que exigem alta resistência térmica, mecânica e química, como os contatores, disjuntores e mini-disjuntores elétricos, que funcionam em condições elevadas de temperatura. A empresa traz ao Brasil também equipamentos e a tecnologia para prototipagem em 3D de peças a partir de plásticos de engenharia de poliamida em pó.

A Rhodia é líder na América Latina na produção e comercialização desses plásticos de engenharia. Sua unidade industrial e laboratório desenvolvimento de aplicações estão instalados em São Bernardo do Campo – SP.

Na área de polímeros especiais, a empresa apresenta uma ampla gama de produtos e aplicações de polímeros especiais, que atendem mercados que exigem alto requisito técnico como as áreas de Aeronáutica, Petróleo e Gás, Automotivo e Transportes, Equipamentos para a Saúde e Biomateriais, Revestimentos de Cabos e Fios, Eletroeletrônicos e Dispositivos Inteligentes, Embalagens Especiais e Tratamento de Água.

Serviço: Feiplastic 2015 – Feira Internacional do Plástico – Pavilhão de Exposições do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo (SP)
De 04 a 08 de maio – Das 11h às 20h
Stand da Rhodia e do Grupo Solvay: Pavilhão A, nº 498

Fonte: Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

DSM apresenta soluções inovadoras e sustentáveis em Plásticos de Engenharia na Feiplastic 2013

05/06/2013

Empresa apresentou resinas plásticas de alta performance, durabilidade, com diversas aplicações na indústria e presentes no dia a dia de pessoas no mundo todo

DSM_StandA DSM, um dos principais fornecedores mundiais de plásticos de engenharia de alta performance, expôs na Feiplastic – Feira Internacional do Plástico, ocorrida em São Paulo de 20 a 24 de maio de 2013.

Durante a feira, a empresa destacou suas soluções em Poliamidas e Elastômeros Termoplásticos, confirmando sua posição de vanguarda no desenvolvimento de plásticos de engenharia para as indústrias automotiva, eletroeletrônica, de embalagens flexíveis para alimentos e de bens de consumo.

De acordo com Richard Pieters, presidente da Unidade de Negócios de DEP para as Américas, a empresa vê perspectivas muito promissoras no mercado brasileiro. A decisão da empresa de expor na Feiplastic 2013 reflete o interesse da DSM em expandir as suas atividades no País. Segundo Pieters, a DSM é uma empresa que investe continuamente em inovação e P&D, com o intuito de preservar sua liderança global nos segmentos em que atua, buscando atender a tendências atuais do mercado, tais como a redução de peso pela substituição de metais por plásticos na indústria automotiva e a utilização de matérias-primas renováveis.

Inovação e Sustentabilidade

Junto aos materiais de alto desempenho e durabilidade, a empresa levou à feira valores ligados ao núcleo de sua filosofia de trabalho: inovação e sustentabilidade. Inovação para conhecer as necessidades das gerações atuais sem comprometer gerações futuras e sustentabilidade para criar, entre outros projetos, plásticos de engenharia renováveis, que estão ajudando o mundo a se livrar da dependência de materiais fósseis e poluentes.

Soluções automotivas para as demandas da indústria

Segundo a DSM, os materiais avançados fornecidos pela empresa garantem à indústria automotiva redução dos índices de carbono ao longo da vida útil do veículo. Desde sistemas de mais baixo custo até a substituição de peças metálicas, passando pela melhora de produtividade no processamento de materiais, os plásticos da DSM ajudam no surgimento de veículos mais leves, resistentes, seguros e sustentáveis.

DSM_ECOPAXXO EcoPaXX™, por exemplo, é um polímero de alta performance, desenvolvido com matéria-prima renovável. É uma poliamida 4.10 que tem 70% de óleo de mamona em sua composição. Com cadeia polimérica longa, baixa absorção da umidade e alto ponto de fusão devido à alta taxa de cristalização, é um produto único entre os biopolímeros disponíveis para comercialização e aplicação. Suas principais características, de acordo com a empresa, são as ótimas resistências térmica e química, alta resistência mecânica e ótimo acabamento externo. Foi escolhido para a tampa do motor do Mercedes Benz Classe A, o que resultou na diminuição de 40% dos índices de carbono do veículo, em relação a outras coberturas de motor.

DSM_Stanyl_DiabloO Stanyl® é uma poliamida 4.6 de alta performance, que pode suportar temperaturas até 230ºC, com alta durabilidade e resistência à fricção e calor elevados, segundo informado pela DSM. Por isso, é muito usada na substituição de peças metálicas.Stanyl® Diablo OCD 2305 BM é uma poliamida resistente a altas temperaturas, apta para o processo de extrusão e sopro, ao mesmo tempo em que se encaixa em todos os requisitos para dutos com altas cargas de ar quente.

O Arnitel® é um copoliéster elastomérico que trabalha em uma faixa ampla de temperatura, com foco na substituição de borrachas. A DSM afirma que o Arnitel mantém as propriedades mecânicas em temperaturas altas e baixas, a partir de -45º até 150ºC, garantindo flexibilidade, elasticidade, permeabilidade ao vapor de água e resistências química e térmica.

A DSM é líder mundial na fabricação de poliamida 6, Akulon®, tendo sua produção integrada, desde o monômero aos mais diferentes compostos para injeção. É utilizado em aplicações internas e externas de veículos (retrovisores, maçanetas), em coletores de admissão, container do air bag, entre outros. Segundo a DMS, o Akulon® Ultraflow oferece melhora de 80% no fluxo e redução de 25% no ciclo de moldagem por injeção, quando comparado a poliamidas 6 tradicionais. Oferece também uma finalização superior em componentes de poliamida reforçados, a exemplo de tampas de motores.

Soluções Eletroeletrônicas livres de halogênio

A DSM oferece soluções que permitem a redução de componentes eletroeletrônicos por meio da miniaturização. Com seu portfólio único de materiais resistentes a altas temperaturas – como retardantes de chama sem halogênio – a DSM contribui para a solução do lixo eletrônico, ajudando a promover iniciativas de reciclagem e oferecendo melhorias ambientais, de saúde e de segurança.

A DSM oferece um completo portfolio de produtos de alta performance, sem halogênio, baseados nas linhas Stanyl® poliamida 4.6 e Stanyl® ForTii™. Segundo a DMS, Stanyl® é facilmente processado, e graças às suas propriedades de fluxo oferece liberdade de design para indústrias que fabricam componentes para computadores e telefones.

Soluções para a redução do desperdício de alimentos com especialidades para o segmento de embalagem

Cada vez mais pessoas se alimentam fora de casa ou buscam alimentos prontos em supermercados. A rápida demanda por comidas saudáveis, práticas e seguras, fez a DSM Plásticos de Engenharia pesquisar e criar linhas de produtos para embalagens econômicas e que evitam o desperdício de alimentos.

As linhas Akulon® (PA 6) e Novamid® (Copolímero de PA 6/66), ambas de alta viscosidade, têm, segundo a empresa, desempenho excepcional para melhorar a barreira ao oxigênio, o que melhora a conservação dos alimentos.
Soluções para as indústrias de bens de consumo com reduzido impacto ambiental

A DSM está atendendo às demandas sustentáveis de hoje, ao mesmo tempo em que se preocupa com a funcionalidade e desempenho futuro da indústria de bens de consumo. Com esses desafios em foco, vem criando um amplo leque de produtos inovadores com menor quantidade de substâncias nocivas, materiais recicláveis e de menor impacto ambiental.

DSMArnitelEm todo o mundo, as empresas fabricantes de roupas estão procurando modos de produção que oferecem o desempenho certo e trazem conforto para o usuário. Ao mesmo tempo, é necessário usar materiais e processos que têm o menor impacto ambiental. Segundo a DSM, o Arnitel VT, um termoplástico elastômero, é muito flexível e, ao ser transformado em membranas de apenas alguns microns de espessura, é 100% à prova de água, mas também altamente respirável e confortável. Afirma  a empresa que o material não contém produtos químicos perfluorados (PFCs) e é 100% reciclável. Com Arnitel VT, o vapor de água pode passar a partir do interior para o exterior da peça de vestuário, mas as membranas são 100% impermeáveis. Ao contrário dos produtos concorrentes, diz a empresa, o Arnitel VT não depende de perfurações para tornar o produto mais respirável. Por não ser perfurado, o material age como uma barreira não somente aos líquidos mas também às bactérias e aos vírus. Por esta razão também é usado em vestuários cirúrgicos com um alto nível de proteção.

O Arnitel® Eco é um copoliéster elastomérico formulado com cerca de 40% de materiais de fontes renováveis, oriundos do óleo de canola. A substância é obtida de plantas que não fazem parte de colheitas com fins alimentares. O material apresenta excepcional resistência à radiação ultravioleta e resistência térmica, segundo a DSM. Ele foi projetado para uma vida útil longa mesmo sob condições extremas, tornando-se adequado para aplicações automotivas, eletrodomésticas, embalagens especiais, esportes e lazer e móveis.

O Akulon® Fuel Lock FL40-HP é uma poliamida 6 que pode ser aplicada a três tipos de técnicas de moldagem para tanques de combustível: sopro, injeção e rotomoldagem. Os tanques são usados para motores de energia portátil destinados a equipamentos utilizados em gramado, terra e jardim, bem como equipamentos profissionais e de lazer. Akulon Fuel Lock tem taxas de permeação inferiores a 5% do valor máximo de 2.0 g/m2/dia permitido pelo “CARB test standard TP-901”.

 Sobre a DSM: A Royal DSM é uma companhia global, baseada na Ciência. Atua nas áreas de Saúde, Nutrição e Materiais, conectando suas competências únicas em Ciências de Materiais e Ciências da Vida. Oferece soluções de interesse global, como suplementos alimentares, cuidados pessoais, rações, farmacêuticos, aparelhos médicos, automotivos, tintas, equipamentos elétricos e eletrônicos, energias biobaseadas, entre outros. A DSM possui 23.500 funcionários em todo o mundo, e tem vendas líquidas anuais da ordem de € 9 bilhões.

Fonte: DSM / 2PRO

Fotos (créditos): Feiplastic / DSM

Curta nossa página no

BASF apresentou suas inovações na Feiplastic 2013

28/05/2013

Diversas indústrias são contempladas pelas soluções de plástico da BASF

Basf_Feiplastic_320A Feiplastic, maior e mais importante feira do mercado do plástico no Brasil, teve sua 14ª edição em São Paulo, entre os dias 20 e 24 de maio deste ano. E a BASF, empresa química líder global, marcou presença para apresentar suas soluções inovadoras.

O estande da empresa contou com um design diferenciado e propiciou aos visitantes a oportunidade de interação com alguns de seus produtos que estavam aplicados e expostos.

Segmentadas por indústrias, as soluções que foram exibidas na Feiplastic 2013 estão listadas a seguir, segundo informações fornecidas pela BASF:

Construção civil

A construção civil está em crescimento no Brasil e a BASF dispõe de um portfólio de produtos de alta qualidade para atender a esse mercado.

• Elastollan®: material versátil com grande potencial inovador. Este elastômero de Poliuretano Termoplástico (TPU), é desenvolvido, fabricado e comercializado pela BASF. Pode ser moldado por injeção, extrusão ou sopro. Suas características excepcionais  aliam elasticidade e durabilidade sob as mais diversas temperaturas. É resistente à abrasão, impacto, rasgos, enroscamento, óleo, graxa, microrganismos e tem boa capacidade de recuperação elástica. Características essas necessárias para suportar as duras condições da indústria da construção. É aplicado na fabricação de mangueiras convencionais/espirais e em amortecedores de trilhos de trem. Diversos grades de Elastollan® possuem resistência aos raios UV, retardador de chama e também certificado pela NSF International para utilização em dutos de água potável.

• Ultramid® B27 HM 01: poliamida 6 produzida nos EUA especialmente desenvolvida para o recobrimento de fios e cabos elétricos, devido às suas características técnicas de estabilidade térmica, resistência mecânica, química, ao impacto e à abrasão, além de alto brilho superficial,  principalmente nos outros países da América do Sul (Chile, Colômbia, Peru, Venezuela e Equador), que requerem a aprovação UL 94.

• Styropor®: o poliestireno expansível (EPS) é um dos isolantes térmicos mais eficientes do mercado. É um produto leve, possui resiliência elevada, estabilidade dimensional, tem excelente resistência mecânica e dissipa tensões concentradas sem romper-se. Além disso, o Styropor® é compatível com diversos tipos de projetos devido à sua versatilidade de aplicação, pois é um produto de excelente uso/manuseio que proporciona velocidade em suas aplicações. O Styropor® também oferece benefícios ecológicos: não tóxico, biologicamente inerte, não sofre mutações, não contém CFC, não contribui para a formação do gás metano na atmosfera e é 100% reciclável. O Styropor® é indicado para aplicações de lajes, telhas, enchimento, sistemas construtivos, concreto leve, forros, entre outros; também atua como solução geotécnica para fundações, aterros e estabilização de solos moles, nomeada como Geofoam.

• Neopor®: além de reunir todas as características do Styropor®, o Neopor® possui micropartículas de grafite que absorvem e refletem os raios infravermelhos, prevenindo a absorção do calor causado pela radiação solar. Desta forma, o Neopor® possibilita uma performance superior em isolamento térmico de até 20% comparado ao EPS convencional, podendo gerar resultados mais positivos e proporcionando maior economia de energia e redução de até 50% na utilização de matéria-prima, sem perder as características tradicionais do Styropor®.

• Basotect®: espuma de melamina usada para aplicações de conforto acústico em diversas indústrias. Suas principais vantagens são: alto poder de absorção acústica em médias e altas frequências, baixíssima densidade, estabilidade química e elevada segurança ao fogo (não propaga chamas nem gera fumaça tóxica em caso de incêndio). Além disso, o Basotect® pode ser pintado e utilizado normalmente como um elemento funcional, acústica e esteticamente. No estande da BASF na Feiplastic deste ano, será feita uma aplicação diferenciada em uma sala de reunião, aliando conforto acústico, facilidade de aplicação e design.

Automotiva

Os plásticos especiais da BASF para a indústria automotiva garantem alto desempenho das funções que contam com sua aplicação.

• Basotect®: com as propriedades já indicadas no item “Construção civil”, essa espuma é aplicada também no setor automotivo para, por exemplo, isolar o espaço interno do veículo contra o ruído do motor.

• Elastollan®: também com as propriedades já indicadas no item “Construção civil”, o TPU da BASF contribui com o avanço da indústria automotiva com características-chave que permitem que o produto seja usado com sucesso em tudo, desde cabos ABS, porta-copos, maçanetas com “soft touch”, coifas, manoplas de câmbio, até as grades frontais do radiador.

• Neopolen® P (EPP): espuma de polipropileno, cujas pérolas expandidas são predominantemente de células fechadas. É fornecido aos transformadores na forma de pérolas soltas sem agente expansor para o seu posterior processamento em uma ampla variedade de peças moldadas, gerando peças com alto poder de absorção de impactos e extrema leveza.

• Ultradur®: linha de politereftalato de butileno (PBT) excepcional da BASF por sua alta rigidez e força, baixa absorção de água, estabilidade dimensional, resistência a intempéries e excelente comportamento ao envelhecimento térmico. Aplicado dentro da indústria automobilística em: molduras de faróis, conectores, mecanismos de elevação de vidros, entre outros.

• Ultramid®: nome comercial da BASF para a sua linha de poliamida, baseada em PA6, PA66, PA 6/66 e PA6/6T. Ultramid® se destaca por suas excelentes propriedades mecânicas – resistência ao impacto e rigidez, vantangens térmicas, elevada resistência química e a altas temperaturas de trabalho, além de fácil processabilidade. A família de poliamidas Ultramid® se caracteriza pela sua variada gama de aplicações na indústria automobilística: coletores de admissão de ar, maçanetas, pedais, sistemas de arrefecimento e ar condicionado, invólucros de airbags etc.

• Ultramid® Endure: poliamida de alta resistência para aplicações automotivas em alta temperatura. Esta nova família de poliamidas reforçadas com fibra de vidro combina uma excelente resistência ao envelhecimento ao calor com a facilidade do processamento da poliamida 6.6. O Ultramid® Endure pode resistir ao uso contínuo por mais de 3.000 horas, a 220oC, e a picos de temperatura superiores a 240oC, o que amplia a gama de aplicações da poliamida quando se necessita de resistência a altas temperaturas. Suas principais propriedades são: excelente resistência ao envelhecimento ao calor, sob carga contínua, até 220oC; elevada resistência mecânica; elevada tenacidade; excelente soldabilidade; melhores propriedades de fluxo do que uma PA 6.6 comum; excelente aspecto superficial; fácil processamento.

• Ultraform®: nome comercial da BASF para a sua linha de poliacetais (POM), a qual compreende plásticos de engenharia versáteis com uma ampla gama de propriedades capazes de resistir a elevados níveis de esforços. Suas principais características são: elevada rigidez, resiliência, estabilidade dimensional, excelente resistência a agentes químicos (em particular, agentes tipicamente utilizados na indústria automobilística), baixa absorção de água, excelente resistência ao escoamento a frio (“creep”), resistência à abrasão (características auto-lubrificantes). Na indústria automobilística, as típicas aplicações são: sistemas de injeção de combustível, engrenagens e mecanismos de elevação de vidros.

Embalagens

Alta performance é um dos itens mais valorizados pelas empresas do ramo de embalagens e os plásticos da BASF suprem perfeitamente a esse critério.

• Ultramid e Mazmid: as marcas comerciais da BASF para as poliamidas para extrusão PA6 e PA6/6.6 produzidas na Alemanha (Ultramid) e no Brasil (Mazmid) são aplicadas na produção de filmes para embalagens de alimentos frescos e processados devido à sua resistência mecânica e barreira contra oxigênio e aromas, o que aumenta a durabilidade dos produtos. As poliamidas para extrusão são normalmente aplicadas em diversos tipos de embalagens, entre elas: filmes termoformados, sacos pouches, tripas, termoencolhíveis e BOPA (poliamida bi-orientada).

• ecovio® PS1606: novo biopolímero constituído principalmente de fonte renovável, biodegradável e compostável certificado é o novo desenvolvimento para aplicação sobre papel, com excelente adesão. Proporciona adequadas barreiras a líquidos, gorduras e odores, permitindo sua aplicação em embalagens alimentícias e itens descartáveis, como copos para bebidas quentes e frias, pratos, bandejas, travessas, entre outros, que podem ser utilizados em eventos ou locais que utilizam o modelo de circuito fechado, por exemplo eventos esportivos, shows, restaurantes de aeroportos, shoppings, escolas e empresas, já que após o uso podem ser destinados à compostagem, na qual o papel revestido com ecovio® será completamente digerido por microrganismos juntamente com os resíduos orgânicos, transformando-se em adubo, água e dióxido de carbono em poucas semanas.

• ecovio® T2308: este plástico apresenta propriedades mecânicas semelhantes àquelas de PET amorfo, mas difere de material de termoformagem convencional devido à sua compostabilidade e por conta de seu alto conteúdo de fonte renovável (ácido polilático). O teor de ecoflex®, poliéster compostável da BASF, é representativo pelo fato de o material não ser demasiadamente rígido ou quebradiço, além de assegurar um equilíbrio na relação rigidez – resistência e suficiente resistência ao impacto a baixas temperaturas. Este produto pode ser utilizado na produção de bandejas e copos termoformados, por exemplo.

• ecovio IS1335: grade de moldagem por injeção que oferece boa rigidez. Ele pode ser processado utilizando moldes com uma única cavidade ou várias cavidades equipados com ou sem câmara quente. O material apresenta características de fluxo moderado e dimensionamente estável em temperaturas de até 55°C [131°F]. Esta versão é ideal para embalagens compostáveis com paredes finas, complexas e de alta qualidade, que preferencialmente devem ser produzidas por meio de moldagem por injeção.

• Styropor®: com as propriedades já abordadas no item “Construção civil”, o material é utilizado em embalagens protetoras de conteúdo, de aparelhos eletroeletrônicos e linha-branca, principalmente. Além dessas, o Styropor® também é utilizado em aplicações em caixas térmicas, flutuadores, capacetes, pranchas, sementeiras, entre outras.

• E-por®: espuma inovadora indicada para a proteção de produtos sensíveis de alto valor agregado por proporcionar maior resistência ao impacto. A utilização do E-por® permite otimizar os custos relacionados a quebras e possíveis imperfeições causadas nas peças durante o transporte e armazenamento. Trata-se de uma espuma baseada em uma formulação complexa contendo Poliestireno (PS) e Polietileno (PE) que concede à peça moldada propriedades elásticas e de maior resistência a quebra (ou impacto). A BASF fornece a matéria-prima (interpolímero expansível), sendo o material processado de maneira similar ao EPS convencional. Dessa forma, o processamento pode ser feito sem a exigência de investimento em novos equipamentos por parte dos transformadores. Suas principais vantagens são: grande capacidade de absorção de impactos, excelente fusão das pérolas, toque aveludado e aparência de alta qualidade, baixa absorção de água, bom isolamento térmico, boa resistência química, processos de armazenamento, processamento e reciclagem semelhantes aos do EPS convencional.

• Ultramid® B33/B36 SL: resina de PA6 modificada com baixa velocidade de cristalização. Estes grades combinam a performance mecânica e barreira da PA6, porém com melhorias no processamento. Estes produtos são recomendados para aplicação em embalagens tipo stand-up pouches, que apresenta crescimento consideravel no mercado da América do Sul. Outro benefício destes produtos é a substituição das comumente utilizadas misturas de PA6 e PA6/6.6, mas com a preservação das características técnicas e de processamento, reduzindo a complexidade ao convertedor.

Agricultura

De elevada importância para o mercado alimentício, a agricultura também conta com os plásticos da BASF de alta qualidade.

• ecovio® M2351: biopolímero biodegradável composto de ecoflex® e PLA (derivado do amido de milho) para extrusão de filme Mulch. É parcialmente de fonte renovável e totalmente biodegradável de acordo com a norma EN 13432. O material é utilizado para cobertura de culturas, como alface e melão, e graças à sua biodegradabilidade não há necessidade de retirá-lo após a colheita, proporcionando redução de tempo e custo de retirada.

• Elastollan®: durável o suficiente para resistir a ambientes adversos e ao uso contínuo, os produtos fabricados com o TPU da BASF utilizados na indústria agrícola oferecem alta performance de resistência ao rasgo, flexibilidade a longo prazo, flexibilidade à baixa temperatura e resistência à hidrólise. Dentre as aplicações, pode-se citar: brincos identificadores de animais, peças para máquinas agrícolas, ferraduras para cavalos e mangueiras para irrigação.

• Tinuvin® XT 200: novo estabilizante à luz do tipo NOR HALS. Permite a fabricação de filmes plásticos transparentes para estufas agrícolas com alta durabilidade às radiações ultravioletas. Este aditivo configura uma proteção duradoura frente aos defensivos agrícolas, como, por exemplo, o enxofre, que podem comprometer a estabilidade à luz do plástico.

Moda & Design

Após o sucesso do Pure 1.0, primeiro calçado conceitual feito somente em poliuretano e poliuretano termoplástico, duas novas versões foram apresentadas: Pure 1.1, que contou com inovações em matérias-primas, como a substituição da borracha por poliuretano (Elastopan® GRIPTEC e Elastollan® SUPER SOFT), e Pure 1.2 Balance, que é confeccionado com poliuretano termoplástico com até 40% de fonte renovável.

O produto desenvolvido com poliuretano é mais durável, funcional, confortável e leve do que o desenvolvido com outros materiais. O calçado é confeccionado com o TPU Elastollan® e o PU Elastopan®, para produção de componentes como solados, cabedal, chassis, entressola, peças de performance e palmilhas com controle interno de clima, entre outros.

• Elastollan®: possui excelentes propriedades físicas com uma ampla faixa de dureza disponível, desde o super soft 35 shore A / 45 shore A para as solas, até o de dureza mais elevada 60 shore D / 74 shore D para os tacos de calçados femininos.

Mineração e Óleo&Gás

O ramo de Mineração e Óleo&Gás é contemplado pelo poliuretano de alta resistência da BASF.

• Elastollan®: essa linha de produtos abrange soluções de TPU para aplicações em cabos de energia e peneiras para o segmento de mineração, além de cabos de comando (umbilicais) para a indústria de Óleo & Gás, oferecendo altíssima durabilidade e resistência mecânica na exploração de petróleo.

Pigmentos e aditivos

A linha completa de pigmentos e aditivos para plásticos da BASF, que podem executar diversas funções, como conferir cor, efeitos especiais e melhorar a qualidade de produtos, terá alguns de seus itens em destaque na feira deste ano.

• Tinuvin® XT 200: características e aplicação explicadas no item “Agricultura”.

• Tinuvin® 1600: absorvedor UV para plásticos de engenharia.

• Irgastab® RM 68: estabilizante que permite a otimização do processo de rotomoldagem, contribuindo com a redução da temperatura do forno e aumentando a flexibilidade das condições de processamento. Irgastab® RM 68 promove aos produtos de rotomoldagem, como por exemplo as caixas d’água, uma melhor qualidade e economia de energia na produção.

• Sicopal (linha de pigmentos para gerenciamento de calor)

• Pigmentos orgânicos e inorgânicos isentos de chumbo

• Antioxidantes e aditivos de alta performance

Outras

Os plásticos de alta perfomance da BASF contemplam ainda com algumas de suas soluções outras indústrias.

Pesca:  Ultramid e Mazmid: poliamidas 6 e 6/6.6 também são utilizadas na indústria de monofilamentos, especialmente na produção de fios e redes de pesca, cortadores de grama, cordas e cordéis, devido às suas caracterícas de maciez, transparência e resistência.

Telecomunicações:  Ultradur®: também amplamente aplicado na fabricação de cabos de fibras óticas, na qual é essencialmente empregado devido à sua alta resistência mecânica, tenacidade, baixa absorção de água e estabilidade dimensional.

Higiene:  Mazmid 6.10 / Mazmid 6.12: são poliamidas especiais utilizadas na produção de cerdas para escovas de dentes, pincéis, cerdas industriais e também para aplicações técnicas como o PMC (Paper Machine Clothing). Apresentam como características principais: estabilidade dimensional e alta transparência.

Elétrico & Eletrônicos: Elastollan®: por suas excelentes propriedades físicas em conjunto com boa propriedade elétrica, resistência a microrganismos e retardador de chama, é muito utilizado no encapsulamento de cabos de alta performance e seus conectores.

Fonte: BASF

Foto (créditos): Feiplastic

Curta nossa página no

LANXESS construirá na China a maior fábrica de EPDM do mundo

11/09/2012

  • Investimento de €235 milhões
  • Capacidade de 160 mil toneladas métricas por ano
  • Início de produção em 2015
  • Maior investimento da LANXESS na China até o momento
  • Até 200 novos empregos criados
  • Produção com base na tecnologia sustentável Keltan ACE
  • LANXESS realiza primeiro ” Mobility Day ” em Xangai

A LANXESS está construindo a maior planta do mundo para borracha sintética de EPDM na China. A empresa alemã de especialidades químicas está investindo €235 milhões na fábrica em Changzhou (província de Jiangsu). Este é o maior investimento que a empresa fez na China até o momento.

A planta terá uma capacidade de 160 mil toneladas métricas por ano e o investimento vai criar até 200 novos empregos. A usina está prevista para entrar em operação em 2015. Todas as autorizações necessárias foram obtidas junto às autoridades locais.

A LANXESS é líder mundial no fornecimento de EPDM (monômero de etileno-propileno-dieno), após a aquisição e integração bem sucedida da DSM Elastômeros em 2011. A empresa comercializa seus produtos sob a marca Keltan. A demanda global por EPDM deverá aumentar em mais de 4% ao ano nos próximos anos, enquanto a demanda na China deverá crescer em cerca de 8%, impulsionada, sobretudo pelas indústrias de construção e automotiva. A China continuará a ser o maior importador líquido de EPDM nos próximos anos.

“Estamos fortalecendo nossa base global de ativos de EPDM com uma planta em escala mundial na China, para atender nossos clientes locais com ainda mais rapidez e produtos premium”, disse o CEO da LANXESS, Axel C. Heitmann na cerimônia de lançamento da pedra fundamental hoje.

“Esta planta também representa o terceiro maior investimento da nossa empresa em borracha na Ásia e fortalece nossas credenciais como o principal fornecedor do mundo em borracha sintética”, acrescentou Heitmann.

A LANXESS iniciará a produção na planta de borracha butílica em escala mundial, na Ilha de Jurong em Cingapura, no primeiro trimestre de 2013 e vai iniciar a construção de uma planta vizinha de borracha de butadieno baseada em neodímio em 11 de setembro deste ano.

A nova planta de EPDM estará localizada no reconhecido Changzhou Yangtze Riverside Industrial Park, com acesso a instalações excelentes de armazenamento e descarregamento de remessas. A LANXESS receberá as principais matérias-primas de etileno e propileno de uma planta de metanol para olefinas (MTO, em inglês), atualmente em construção no local. O processo de MTO é uma nova forma de produzir essas importantes matérias-primas, que são produzidas de forma convencional nas refinarias. Durante a fase de construção, cerca de 2.000 pessoas trabalharão no local.

A LANXESS já atua em Changzhou, com a construção de uma fábrica de produtos químicos de couro. A unidade de até 50 mil toneladas métricas de capacidade por ano representa um investimento de €30 milhões e deverá entrar em operação no primeiro semestre de 2013. Ela irá produzir, para o mercado local chinês, produtos químicos Premium para couro da LANXESS usados em várias aplicações, como curtimento, tingimento e acabamento de couro. Cerca de 100 empregos estão sendo criados.

Tecnologia sustentável Keltan ACE

A LANXESS usará a tecnologia Keltan ACE para possibilitar a produção sustentável em sua nova fábrica. Em comparação com a tecnologia convencional, a tecnologia catalisadora Keltan ACE reduz as exigências de energia para a produção e não requer a extração do catalisador, como resultado da elevada eficiência do catalisador. Além disso, o processo permite a fabricação de novos grades de borracha EPDM, como EPDM expandido com óleo e EPDM especial de elevado peso molecular. A nova fábrica vai produzir um total de 10 grades superiores de EPDM sob medida para as necessidades dos clientes chineses.

A LANXESS já opera unidades de produção de EPDM em Geleen, na Holanda, Marl, na Alemanha, Orange, nos EUA e Triunfo, no Brasil, com uma capacidade combinada de 320 mil toneladas métricas por ano. A LANXESS planeja converter 50% da sua capacidade total de produção na unidade de Geleen para a tecnologia Keltan ACE em 2013.

A borracha de EPDM é utilizada, sobretudo, na indústria automotiva como vedação de portas ou limpadores de para-brisas. De acordo com estimativas da LANXESS, cerca de sete quilos de EPDM são utilizados em todos os carros. O produto também é usado nas indústrias de modificação de plásticos, cabos e fios, construção, e aditivos de óleo. As suas propriedades incluem densidade muito baixa, boa resistência ao calor, oxidação, produtos químicos e intempéries, bem como boas propriedades de isolamento elétrico.

Desde o final do ano passado, a LANXESS produz comercialmente a borracha de EPDM de base biológica de etileno, sob a marca Keltan Eco. A LANXESS está usando etileno fornecido pela Braskem S.A. Em comparação com o etileno baseado no petróleo, o etileno da Braskem é produzido através da desidratação do etanol da cana de açúcar.

China estrategicamente importante para a LANXESS

A China é um dos pilares da estratégia de crescimento global da LANXESS. A empresa tem como objetivo atingir vendas de mais de um bilhão de euros na Grande China (China continental, Hong Kong, Taiwan e Macau) em 2012. Todas as 13 unidades de negócio da LANXESS estão representadas em 10 sites na Grande China, com cerca de 1.000 funcionários no total.

A LANXESS vai realizar seu primeiro ” Mobility Day ” em Xangai, no dia 6 de setembro. Sob o lema “Tecnologias sustentáveis para o futuro da China”, a empresa apresentará seus mais recentes produtos voltados para “Mobilidade Verde”.

Cerca de 400 participantes da indústria, comunidade acadêmica e associações vão trocar ideias e discutir temas como “pneus verdes”, plásticos leves, gestão sustentável de couro, borrachas técnicas e tecnologia de baterias.

A LANXESS alcançou vendas de cerca de €1,5 bilhão – cerca de 17% do total de vendas – com produtos e tecnologias para a “Mobilidade Verde” em 2011. E a empresa espera que este número aumente em 80%, para cerca de €2,7 bilhões em 2015.

Fonte: LANXESS

Curta nossa página no

Polietileno reticulado da Dow alonga vida útil dos cabos de distribuição de energia subterrânea

19/08/2012

Especialista da companhia destacará os diferenciais do TR-XLPE durante seminário

Com o aumento da utilização de cabos de transmissão elétrica subterrânea, é cada vez maior o interesse de empresas que trabalham com esse segmento por informações sobre o tema, bem como por entender os benefícios em relação a outras soluções.

Para esclarecer essas questões e oferecer explicações técnicas sobre o assunto, a Dow participa, no dia 20 de agosto, de um seminário voltado para empresas que atuam no mercado de energia elétrica, desenvolvido pela Copel (Companhia Paranaense de Energia). Na ocasião, o engenheiro eletricista Marcio Alves, gerente de atendimento da Dow às concessionárias de energia elétrica para a América do Sul, explicará os diferentes isolantes para cabos de energia e as vantagens da utilização da linha Dow Endurance pelo setor.

Segundo a Dow, suas soluções para cabos subterrâneos de transmissão e distribuição minimizam as perdas de energia, conferem até duas vezes mais durabilidade e proporcionam melhor custo-benefício ao longo de toda a cadeia, reduzindo o impacto ao meio ambiente.

“As instalações subterrâneas devem apresentar um alto nível de proteção para evitar a penetração de umidade nos circuitos elétricos que têm os cabos de energia como um dos principais elementos. Além disso, durante o manuseio nos dutos e caixas, eles não devem sofrer nenhum dano e precisam ser muito bem preparados nas conexões, tanto para a instalação de terminações quanto para a de emendas”, destaca Alves.

A Dow desenvolveu a tecnologia de isolação de polietileno reticulado com retardante à arborescência (TR-XLPE). A empresa informa que a sua solução é capaz de reduzir consideravelmente o efeito da arborescência elétrica, duplicando a vida útil do cabo de energia. De acordo com estudos em campo, estes cabos podem operar por mais de 40 anos ininterruptamente.

O TR-XLPE possui em sua composição um aditivo capaz de confinar o efeito da arborescência, reduzindo a taxa de crescimento deste fenômeno e evitando que ele se aproxime da outra extremidade do material isolante. Desta forma, o cabo não fica enfraquecido devido à arborescência a ponto de sofrer o rompimento dielétrico.

A instalação elétrica subterrânea, já bastante utilizada na América do Norte e Europa, passa a ser cada vez mais comum no Brasil. O sistema, além de ser considerado mais seguro, uma vez que evita que os fios e cabos expostos possam ser rompidos ou atingidos causando danos à rede elétrica, é também esteticamente mais agradável.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

SABIC lança nova resina de copolímero de Policarbonato para aplicações em painéis para geração de Energia Solar.

08/12/2011

O novo copolímero Lexan* EXL da SABIC aumenta liberdade de projeto para próxima geração de sistemas fotovoltaicos (FV) miniaturizados

 A unidade de negócios Innovative Plastics da SABIC anunciou hoje a nova resina de copolímero de policarbonado (PC) Lexan* EXL atendendo às rápidas tendências em direção à miniaturização de conectores e caixas de derivação fotovoltaicas (FV). O excelente desempenho tanto elétrico quanto em flamabilidade do novo grade da resina Lexan EXL permite aos projetistas miniaturizem o sistema inteiro e criem peças de paredes finas, diminuindo a distância entre os condutores e integrando sistemas da caixa de junção – ajudando ainda a reduzir custos com energia solar e a aumentar a eficiência. A nova resina Lexan EXL ajuda os clientes a reforçarem sua posição competitiva ao contribuir significativamente para as vantagens de sistemas FV e ao acelerar ainda mais a mudança para energia solar.

O mercado de sistemas FV é um dos setores globais mais dinâmicos, marcado por taxas de crescimento anuais acima da ordem dos 20 porcento1 e pela significativa atenção como fonte de energia alternativa viável e crescente. “A SABIC fornece materiais especializados que permitem aos seus clientes produtores de sistemas fotovoltaicos aprimorarem o valor da energia solar como uma solução ambiental de custo mais competitivo”, disse Andrew Kodis, diretor de marketing de Solar da Innovative Plastics. “Nosso foco no mercado fotovoltaico reflete o apoio ativo da SABIC para com as tendências ambientais, tais como fontes de energia alternativa, que dependem de avanços tecnológicos para torná-los economicamente viáveis. Nosso amplo portfólio de materiais contribui para a sustentabilidade de muitas maneiras diferentes, principalmente pelas abordagens de novos projetos”.

Vários fatores estão convergindo para conduzir a miniaturização na indústria fotovoltaica, inclusive avanços na eficiência e no aumento do uso doméstico de painéis solares, que estão exigindo projetos planos, discretos e, algumas vezes, integrados. “Como líderes no desenvolvimento de policarbonato há quase 60 anos, somos capazes de alavancar o nosso profundo conhecimento e experiência no setor para promover inovações em energia solar que ajudem nossos clientes a atingirem seus objetivos de sustentabilidade”, disse Kodis.

Líder na indústria elétrica e no desempenho de retardantes de chamas

O novo grade de resina Lexan EXL 9330S supera os materiais tradicionais em seu desempenho elétrico, como demonstrado pelo índice de rastreio comparativo (comparative tracking index – CTI) com a classificação PLC-2 nas normas da underwriter´s laboratory (UL). A conformidade para com essa norma rigorosa significa que o copolímero EXL 9330S da família Lexan apresenta elevada resistência à formação arcos voltaicos mesmo na presença de umidade e de sais e, portanto, pode ser usado em peças que são colocadas mais próximas umas das outras(4 mm x 12 mm na classe 3). O material que também é retardante a chama está em conformidade com a norma UL94 V0 em 0,8 mm, o que permite o projeto de peças com paredes muito finas.

Além disso, o copolímero de PC Lexan EXL 9330S fornece excepcional resistência a impacto em baixa e alta temperatura (de -40 ºC a 70 ºC), resistência à corrosão promovendo bom desempenho por períodos mais longos e resistência às intempéries em uma série de fatores ambientais ao ar livre.

Possibilidade de redução de custos do sistema

Com suas vantagens de processamento, fluxo fácil, custo competitivo decorrente dos projetos de paredes mais finas e alto rendimento, além de fácil liberação do molde, o copolímero de PC Lexan EXL 9330S pode reduzir o tempo total do ciclo de moldagem por injeção em até 40 por cento.

Adesivos e selantes são utilizados na indústria FV para anexar caixas de derivação e conectores ao painel solar. Selantes e adesivos à base de álcool normalmente são compatíveis com os materiais Lexan EXL e são recomendados para uso com estas substâncias 2.

Expansão do portfólio SABIC de materiais para sistemas FV

Este novo grade é parte do portfólio de alto desempenho da SABIC de materiais versáteis para a indústria FV. Eles incluem a resina Noryl* , que fornece baixa densidade, estabilidade dimensional em uma ampla gama de temperaturas (-40 ºC a 140 ºC), baixa distorção, excelente durabilidade, desempenho em ambiente quente e úmido com excepcional estabilidade de até 2.000 horas e desempenho elétrico e térmico excelentes. Essas propriedades a tornam adequada para uso em caixas de junção de painéis fotovoltaicos (PV). A resina Noryl também atende à necessidade da indústria de ter um material de longa duração e resistente ao ar livre. Testes internos mostram que as resinas Noryl reforçadas e não reforçadas com fibras de vidro podem suportar até 12 mil horas de exposição aos raios ultravioleta. Além disso, os materiais Lexan EXL 9330 e EXL 9330P fornecem resistência a impacto em baixa temperatura e outras vantagens semelhantes a do copolímero Lexan 9330S.

Enquanto os materiais Lexan EXL 9330 e EXL 9330P são usados em projetos que exigem materiais classificados como CTI PLC-3, o recém-introduzido copolímero EXL 9330S poderá ser usado em projetos que exijam propriedades de CTI PLC-2.

As resinas Ultem* e os compostos especiais LNP* estão sendo usados também em peças de caixas de derivação e conectores especiais. As temperaturas nestas aplicações podem ir até 180 ºC ou mais e as exigências de estabilidade dimensional são ainda mais rigorosas. Os grades comerciais das resinas Ultem e dos compostos LNP têm sido implementados com sucesso em aplicações FV com os principais investidores desta indústria.

A SABIC Innovative Plastics oferece aos seus clientes de sistemas FV uma combinação de tecnologia de resina de alto desempenho, projeto de aplicação e suporte ao desenvolvimento. Temos um histórico de sucesso na transformação de metal para plástico e trabalhamos em estreita colaboração com nossos clientes na validação do uso de nossos materiais com testes práticos extensivos. Trabalhamos também em estreita colaboração com órgãos reguladores para ajudar a garantir que o uso econômico de nossa tecnologia de resina atenderá às exigências de desempenho dos sistemas fotovoltaicos.

Fonte: SABIC-IP

Fabricante de filmes de poliéster Terphane é adquirida pela americana Tredegar.

14/11/2011

A Tredegar Film Products Corporation, uma subsidiária da Tredegar Corporation, adquiriu a Terphane Holdings LLC,  uma empresa fabricante de filmes de poliésteres especiais que atende o mercado de embalagens flexíveis na America Latina e tem foco especial na America do Norte e Europa.

A Terphane tem sua sede no Brasil, é líder de mercado na produção de filmes de poliésteres de espessura fina na America Latina e tem participação crescente em nichos de mercado estratégicos nos Estados Unidos e Europa. Os filmes de poliésteres têm propriedades especiais, como resistência ao calor e barreiras de proteção, que fazem deles o componente ideal para o crescente mercado de embalagens flexíveis. A empresa opera com duas plantas produtivas (uma em Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco, Brasil, e outra em Bloomfield, Nova York, EUA), que produzem filmes primeiramente para aplicações em embalagens alimentícias e outros mercados industriais. A empresa desfruta de longos relacionamentos com clientes na America do Sul e com outros clientes internacionais.

“Nós estamos muito entusiasmados com a incorporação da Terphane na família Tredegar e acreditamos que essa expansão é um encaixe estratégico que irá alavancar as capacidades de ambas, Tredegar Film Products e Terphane,” disse Monica Moretti, Presidente da Tredegar Film Products. “Nós acreditamos que as forças da Tredegar Film Products e da Terphane em manufatura e soluções inovadoras, junto com a expansão global da nossa presença, irão alavancar nossa habilidade de servir os clientes.” Tredegar Film Products, uma empresa subsidiária da Tredegar Corporation, é uma das líderes globais na indústria de filmes plásticos com vasta experiência em manufatura e vendas líquidas de US$ 520 milhões em 2010. A  Tredegar Film Products atende vários mercados: cuidados pessoais, displays eletrônicos, embalagens flexíveis, materiais de construção e cuidados da saúde. Tredegar Film Products emprega aproximadamente 1.000 funcionários nas suas unidades produtivas na America do Norte, America do Sul, Europa e Ásia.

Fonte: Terphane

Rhodia mostra inovações em plásticos de engenharia na Plastimagem, no México

05/10/2011
  • Novidades atendem aos mercados automotivo, eletroeletrônico e bens industriais de consumo
  • Destaques são Technylstar® A205F, nova tecnologia desenvolvida no Brasil que ajudará os clientes a obter maior economia de energia e uma nova gama de Technyl® livre de halogênio, para a indústria fotovoltaica.

 A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, disposta a reforçar sua participação no fornecimento de plásticos de engenharia em poliamida 6.6 para o mercado mexicano, apresentará na Plastimagem 2011 (de 04 a 07 de outubro, no Centro Banamex, na Cidade do México) uma série de inovações desenvolvidas em seus centros de pesquisas e junto com seus clientes. Essas inovações atendem os clientes do setores automotivo, de eletroeletrônicos e de bens de consumo e bens industriais.

 “Nossa intenção é reforçar nossas parcerias com os clientes locais, ajudando a expandir o setor de plásticos de engenharia, oferecendo as soluções que desenvolvemos em nossos laboratórios e centros de pesquisas mundiais”, afirma Marcos Curti, diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia para as Américas.

 Mercado em expansão – Segundo ele, o mercado mexicano será beneficiado com a recente decisão da empresa de unificar as operações de plásticos de engenharia na América Latina e América do Norte. “Além da base industrial instalada no Brasil e dos acordos de industrialização nos EUA, vamos explorar toda a estrutura disponível na região em Pesquisa e Desenvolvimento, Sérviço Técnico e Marketing, para cada vez mais valorizar os nossos clientes em toda essa zona geográfica”, acrescenta Marcos Curti.

Um dos alvos da Rhodia Plásticos de Engenharia é o segmento de peças para o setor automotivo, que passa por um período de expansão no México. Segundo a Amia, Associação Mexicana da Indústria Automotiva, a produção de automóveis continua em alta: de janeiro a agosto de 2011 foram fabricados 1,68 milhões de automóveis, com um crescimento de 14,8% sobre o mesmo período em 2010. “Cada vez mais os veículos incorporam peças e partes fabricadas em plásticos de engenharia de poliamida”, diz Curti.

As ambições de crescimento da Rhodia no segmento de plásticos de engenharia são solidamente baseadas na inovação sustentável e na presença em mercados com crescimento rápido e lucrativo. A Unidade Global de Negócios de Plásticos de Engenharia tem forte presença no mercado mundial e está particularmente bem posicionada em regiões de rápido crescimento: cerca de 38% de suas vendas estão na Ásia, e 18% estão na América Latina.

Um Mundo de Soluções com os plásticos de engenharia da Rhodia

Sob o slogan “Um Mundo de Soluções”, a empresa apresenta uma série de novidades em tecnologia e produtos na área de plásticos de engenharia. As novidades selecionadas para apresentação na Plastimagem 2011 incluem:

— uma nova geração de Technyl®Star, denominada A205F, que ajudará os clientes a obter maior produtividade, além de redução significativa dos custos com energia em seus processos de produção.

— uma nova gama de Technyl®, livres de halogênio, para a indústria fotovoltaica;

TechnylStar A205F – Entre as recentes inovações desenvolvidas pela empresa e que começam a ganhar espaço em clientes mundiais da Rhodia está o TechnylStar A205F, uma nova tecnologia para formulações de plásticos de engenharia em poliamida. A inovação foi projetada especificamente para aplicações de produção em massa que necessitam de ciclos de injeção curtos e moldes complexos. É particularmente adequada para peças pequenas produzidas em grandes volumes, incluindo abraçadeiras, grampos, conectores, tomadas e válvulas técnicas utilizadas pelas indústrias dos segmentos automobilístico, de eletroeletrônicos e de bens industriais e bens de consumo.

Em comparação com as poliamidas tradicionais disponíveis no mercado, o uso de TechnylStar A205F proporciona, em condições ideais de processamento, economia significativa de energia através da redução de temperatura de processamento, proporcionando uma redução de até 20% do consumo global de energia. Além disso, a fluidez inigualável desse produto aumenta a produtividade de moldagem de injeção em até 15% e garante alta liberdade de design, mantendo todas as propriedades mecânicas essenciais para a aplicação.

“Esta nova geração de TechnylStar ilustra perfeitamente a capacidade da Rhodia de desenvolver inovações que preservam os recursos não-renováveis”, afirma Marcos Curti, lembrando que a ampliação da tecnologia foi desenvolvida por equipes da empresa no Brasil, proporcionando um perfeito exemplo do valor agregado trazido pela presença global da empresa. “Não tenho dúvida de que esta nova gama será uma referência de mercado, permitindo a nossos clientes em todo o mundo dar um passo importante em direção ao consumo reduzido de energia e aumento da produtividade”, acrescenta Curti.

Poliamidas Ignífugas – Durante a Plastimagem 2011, outro destaque da Rhodia é a nova linha livre de halogênio das poliamidas ignífugas Technyl® para uso nas mais exigentes aplicações fotovoltaicas de componentes. Esses componentes fotovoltaicos têm de ter um desempenho consistente em seu mais alto nível, atendendo uma ampla gama de temperaturas e condições meteorológicas. Esses produtos também têm que cumprir normas de segurança extremamente rigorosas no mundo inteiro.

A nova linha ignífuga de Technyl® lançada pela Rhodia oferece uma solução que satisfaz plenamente as exigências técnicas, de processamento, regulamentares e de custo-desempenho necessárias para a fabricação de componentes fotovoltaicos. “As poliamidas ignífugas Technyl® permitem às empresas produzir componentes fotovoltaicos em uma nova escala industrial”, explica o diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia nas Américas.

As versões ignífugas da Technyl® atendem aos requisitos das normas UL5VA, UL94 V-0, e também com as certificações atmosféricas altamente rigorosas da ULF1. A linha Technyl A 60G1 V25, projetada especificamente para caixas de junção, foi avaliada com os conceitos 5VA e ULF1 pelos Underwriters Laboratories. Este produto livre de halogênio também recebeu conceito na UL94 V-0 como o melhor na classe RTI, desempenho de envelhecimento elétrico e mecânico. A Technyl 50H1 tem propriedades de inflamabilidade semelhantes, ao mesmo tempo em que exibe um comportamento de processamento excelente, comprovando ser a solução ideal para aplicações em conexões fotovoltaicas de paredes finas.

Usar a energia do sol para gerar eletricidade limpa está rapidamente se tornando uma realidade comercial viável com a melhoria contínua da tecnologia fotovoltaica. A nova linha fotovoltaica ignífuga da Technyl® contribui para a preservação dos recursos não-renováveis, mais uma vez demonstrando o compromisso da Rhodia com a inovação sustentável.

A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, é uma companhia química internacional fortemente engajada no Desenvolvimento Sustentável. Líder em seus negócios, a empresa coloca a busca da excelência operacional e sua capacidade de inovação a serviço do desempenho dos seus clientes. Estruturada em 11 unidades globais de negócios, a Rhodia é parceira dos maiores líderes mundiais das indústrias: automotiva, eletroeletrônica, aromas e fragrâncias, saúde, mercados de cuidados pessoais e domésticos, bens de consumo e mercados industriais. A Rhodia emprega 14 000 pessoas em todo o mundo e obteve faturamento de 5,23 bilhões de euros em 2010.

Fonte: Rhodia

Inovação em poliamida da Rhodia garante investimentos em expansão de fábrica.

21/06/2011

A Rhodia apresenta na  Conferência  Anual da Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras), de 20 a 22 de junho, em Fortaleza, no Ceará, o processo de inovação dual na cadeia de plásticos de engenharia no Brasil  na origem do Technylstar  A 205 F, um sucesso de mercado tanto no Brasil quanto no Exterior, meses após seu lançamento comercial.

 Esse reconhecimento do mercado foi essencial para garantir investimentos  adicionais de R$ 5,3 milhões para a expansão da produção de plásticos de engenharia da Rhodia, em sua fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

 A mais recente inovação da Rhodia  cria uma  nova plataforma tecnológica em plásticos de engenharia, destinada aos mercados automotivo, eletroeletrônicos  e de bens de consumo, para a produção de braçadeiras, tomadas, interruptores,  máscaras de farol, clips e válvulas especiais, entre outras peças de geometria complexa. Nesses mercados, o principal atributo a ser assegurado é a elevada resistência mecânica dessas peças, ao mesmo tempo em que a capacidade do material de preencher os moldes de maneira completa e homogênea é essencial .

O novo produto – Technylstar  A 205 F – tem como base uma formulação especial de poliamida lubrificada e estabilizada, com altíssima fluidez e desempenho nos equipamentos dos clientes.  Essa combinação única de estabilidade  nas propriedades e maior facilidade no preenchimento de moldes/peças   complexos proporciona  ao mesmo tempo maior liberdade de design das peças e redução de custos na cadeia, com aumento significativo de produtividade nos processos de injeção, além de redução de consumo energético e emissões carbônicas.

 Com a adoção do Technylstar  A 205 F,  a economia de energia anual  de uma empresa que possua 40 injetoras – tamanho médio de empresas transformadoras de plásticos – seria suficiente para, por exemplo, iluminar 657.600 lâmpadas de 100 watts ou energizar 8.220 chuveiros elétricos.

 Segundo Thomas Canova,  Diretor de Pesquisas e Desenvolvimento da Rhodia Plásticos de Engenharia América Latina,  o caráter dual dessa inovação possibilita ganhos na cadeia produtiva em qualquer cenário econômico. “Em épocas de retração de mercado,  nossos clientes podem reduzir as temperaturas de trabalho, com consequente redução no consumo de energia.  Em épocas de forte aquecimento do mercado, as temperaturas de trabalho  podem ser ajustadas de maneira a aumentar a produtividade sem investimentos físicos adicionais em injetoras . Nos dois casos, a competitividade da cadeia é reforçada ”, assinala.

 Inovação envolveu fornecedores e clientes – O projeto de Pesquisa e Desenvolvimento teve duração de três anos , sendo coordenado pelo centro de desenvolvimento de plásticos de engenharia e polímeros da empresa em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. O projeto contou ainda com o suporte de equipes européias e asiáticas, além do apoio dos centros de P&D da Rhodia em Paulínia, no interior de São Paulo, e em Lyon, na França .

 De acordo com Canova, programas  específicos de caracterização  e validação foram conduzidos em rede , com parceiros  acadêmicos. Contou-se ainda com a integração da cadeia produtiva um ano antes do lançamento do produto, por meio de parcerias de desenvolvimento com clientes  importantes  do setor, para avaliação e ajustes da tecnologia. Outro ponto essencial para o sucesso da inovação foi o envolvimento do elo de fornecedores de matérias-primas, com os quais novas rotas logísticas e alterações foram discutidas e implementadas.

 O projeto  ainda gerou patentes internacionais que consolidaram a posição de liderança da empresa no setor. A originalidade da solução científica e tecnológica desenvolvida, assim como o sucesso imediato de mercado atingido por esse produto, levou ao reconhecimento do case como a maior inovação da empresa no Brasil, na categoria acionistas, no ano de 2010, no programa de premiação interno da companhia, denominado Rhodia Way Awards.

 A inovação  foi essencial para garantir  investimentos significativos para que o Brasil pudesse aumentar a capacidade de produção do polímero, em sua fábrica de São Bernardo do Campo. “Estamos aplicando R$ 5,3 milhões para aumentar nossa produção, assegurando o fornecimento ao mercado regional, mas também transformando a operação brasileira em plataforma de exportação da Rhodia para o mundo”, complementa Marcos Curti, diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia e Polímeros América Latina.

 Os plásticos de engenharia e polímeros em poliamida da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para os segmentos automotivo e de transportes, eletroeletrônicos e construção e bens industriais de consumo. O grupo Rhodia, que é um dos líderes mundiais desse setor, possui unidades produtivas e laboratórios de desenvolvimento de aplicações em quatro continentes. No Brasil, a fábrica e o laboratório estão instalados em São Bernardo Campo (SP).

Fonte: Rhodia


Braskem apresenta 16 novos produtos na Brasilplast 2011

16/05/2011
Nova planta de PVC, que conta com investimentos de R$ 1 bilhão, também foi um dos destaques da feira

Os Clientes que visitaram o stand da Braskem na Brasilplast tiveram acesso a painéis touchscreen onde puderam visualizar todos os catálogos, selecionar o conteúdo de interesse e enviá-los para seus e-mails pessoais. Além disso, o material também esteve disponível em IPADs e em todo o estande através da rede instalada pela Braskem.

Telas touchscreen também mostraram aos presentes os cases de sucesso de parceiros da Braskem, ideias que deram certo e que já podem ser vistas na prática. Uma mesa interativa também foi criada para apresentar de forma lúdica os conceitos do selo I’m Green, que identifica os materiais da Braskem feitos a partir de fonte renovável, e do ciclo de produção do polietileno verde para o público em geral.O estande contou ainda com um sistema especial de localização dos colaboradores da Braskem através de seus crachás. Dessa forma, os clientes puderam ser atendidos de forma rápida.Os lançamentos da Braskem na Brasilplast foram:
POLIETILENOS
Solução para tanques de combustível
A resina HS4506 foi desenvolvida para produção de tanques de combustível automotivos, bem como para fabricação de tubos de enchimento e de reservatórios de partida a frio. Outro desenvolvimento da Braskem é a resina HS4506A, especialmente aditivada para garantir maior resistência à radiação ultravioleta e às intempéries. A resina é destinada à produção de tanques de combustível para caminhões e para o segmento de reposição automotiva.

Receita inovadora para o mercado de laminados
A resina Flexus 9212XP (XP = extra performance) atende às necessidades do mercado de laminados de alta performance, utilizados nos processos de empacotamento automático de elevada velocidade. É uma resina metalocênica (mPEBDL),  com o diferencial de manter mais estáveis os valores de Coeficiente de Fricção Cinético (CoF). É uma solução inovadora, patenteada pela Braskem e é resultado de uma receita capaz de melhorar a estabilidade do CoF, após a laminação, transporte  e estocagem das bobinas.

Quaterpolímero para o mercado frigorífico
Considerando as características do mercado frigorífico, a Braskem desenvolveu a resina Pluris 6301, um quaterpolímero que apresenta melhor processabilidade, selagem e alongamento. Estas características, combinadas com seu baixo nível de bloqueio e teor de géis, tornam o produto uma ótima opção para embalagem de pão de forma.

Bimodais com tecnologia Mitsubishi
As resinas BU004W e BS002W foram produzidas com tecnologia Mitsubishi e trazem um diferencial significativo de desempenho de propriedades mecânicas em relação aos demais produtos monomodais.

Excelente balanço entre rigidez e resistência ao impacto
O BS002W possibilita a redução de peso de frascos soprados, enquanto mantém as propriedades de empilhamento. A nova resina também apresenta ótima resistência ao stress cracking, o que a torna adequada para produção de frascos para embalagens de produtos tensoativos, tais como detergentes, limpadores multiuso e produtos químicos.

Redução de peso e manutenção das propriedades de empilhamento
A elevada densidade do produto BU004W proporciona uma redução de peso dos frascos e mantém as propriedades de empilhamento. O pacote de aditivos  diferenciado também proporciona aos frascos soprados com BU004 melhores propriedades ópticas com frascos mais brancos e melhor acabamento superficial.

Ótima processabilidade e excelente resistência a impacto a baixa temperatura
O produto HS5010, PEAD-APM, produzido por meio da tecnologia Loop Slurry apresenta ótima processabilidade e excelente resistência a impacto de baixa temperatura. É indicado para sopro de bombonas de embalagens de produtos químicos e agroquímicos.

Resina para o segmento de Fios & Cabos
A resina TC9008 é o mais recente lançamento da Braskem para o segmento de Fios & Cabos. É um composto à base de polietileno de baixa densidade (PEBD), pigmentado com negro de fumo. É indicado para revestimento ou capa de fios e cabos para telecomunicações e energia. O composto proporciona alta produtividade durante a extrusão, acabamento, alta flexibilidade e elevada resistência à baixa temperatura, além de proteção contra a ação das intempéries.

POLIPROPILENO

Embalagens rígidas com fluidez e resistência a impactos
O CP 191XP é um polipropileno copolímero heterofásico de alto índice de fluidez e elevada resistência a impactos. Foi desenvolvido para responder às exigências do mercado de injeção de ciclo rápido e de peças de paredes finas. Proporciona maior versatilidade e produtividade, mantendo um ótimo balanço de propriedades (rigidez e impacto). Este produto é destinado a embalagens de sorvete injetadas, utilidades domésticas e compostos automotivos.

Inovação para o mercado de Nãotecido
Este ano a Braskem está lançando para o mercado de Nãotecido o H 155, grade que apresenta elevada fluidez, possibilitando melhor desempenho na formação da camada de barreira obtida pelo processo meltblown. Este grade substituirá o H 152 no portfólio de PP Braskem.

Composto para aplicação final em para-choques
O CP 393 é um copolímero de alto impacto e baixíssima contração. Foi especialmente desenvolvido para compostos cuja aplicação final é pára-choque. A adição de carga mineral deixa “gap zero” entre o pára-choque de plástico e o pára-lama de metal.

Opção versátil para a indústria automotiva
O CP 286 é um copolímero heterofásico especialmente desenvolvido para o mercado de compostos. Sua função é manter elevada resistência ao impacto, com maior rigidez e fluxo. O bom balanço de propriedades mecânicas e alto índice de fluidez, ligado baixo VOC – isenção de voláteis elimina odores – torna esta opção muito versátil para uso na indústria automotiva em aplicações como pára-choques e painéis.

Aumenta a produtividade do mercado automobilístico
O CP 100 é um polipropileno copolímero heterofásico de altíssima fluidez com excelente balanço de rigidez e impacto. O objetivo da Braskem com essa resina é responder às exigências de maior produtividade do mercado automobilístico, proporcionando maior versatilidade e flexibilidade para os Clientes. O CP 100 atende importantes necessidades dos Clientes, como baixo teor de VOC (Volatile organic compound); excelentes propriedades organolépticas; maior facilidade de preenchimento no molde de injeção, com excelente balanço de propriedades mecânicas e maior produtividade em peças injetadas.

Alta Rigidez para mercados de eletrodomésticos e eletroportáteis
Desenhada para o mercado de peças técnicas e compostos, que requerem elevada rigidez e boa processabilidade para injeção, a Braskem lançou o grade H 201HC. Devido à sua elevada cristalinidade e alta rigidez, o produto apresenta maior resistência termomecânica e uma resistência diferenciada ao risco, tornando-o uma excelente opção para componentes de eletrodomésticos e eletroportáteis.

Inovação para mercado de baldes industriais
A resina CP 270R é um polipropileno copolímero heterofásico, especialmente desenhado para o processo de injeção de baldes e contêineres, que exijam balanço de propriedades entre resistência ao impacto e rigidez, com elevação do índice de fluidez em relação aos grades anteriores.

Maior transparência para utilidades domésticas
Como proposta de maior transparência para utilidades domésticas, a Braskem lançou a resina Prisma 1410, um copolímero randômico de elevado índice de fluidez, desenvolvido para injeção de peças e embalagens com excelente transparência. Este produto apresenta ótima processabilidade, alta produtividade e perfeito balanço rigidez/impacto.

Fonte: Braskem
Foto (crédito): Getty Images

Produção local da resina Flexible Noryl* da SABIC IP reduz os tempos de entrega para os clientes em 50 por cento

15/05/2011

Durante a BrasilPlast 2011, a SABIC Innovative Plastics anunciou que a partir de agora fornecerá a sua mundialmente renomada resina Flexible Noryl* para o essencial mercado sul-americano. Esta nova produção local reduzirá drasticamente os tempos de produção de resinas sustentáveis, não halogenadas e retardadoras de chamas em até 50 por cento, em média, e é um acréscimo bem vindo ao já amplo portfólio de produtos da empresa fabricados no Brasil. O anúncio da SABIC Innovative Plastics sublinha o compromisso da empresa em ajudar a assegurar o fornecimento local confiável de seus materiais sustentáveis termoplásticos para ajudar os clientes locais e regionais a destacarem seus produtos, crescerem e obterem êxito nos mercados em que se inserem.

A produção local da resina Flexible Noryl ainda poderá beneficiar os clientes sul-americanos de fios e cabos nas indústrias automotiva e elétrica/eletrônica (E/E) acelerando o tempo de colocação no mercado e apoiando a conformidade com as normas ambientais.

“Nossa nova capacidade de produção demonstra nosso sério compromisso com o mercado sul-americano, em que já oferecemos sólidos serviços e suportes técnicos locais incluindo o desenvolvimento de aplicação e a adequação às cores do cliente,” afirma Ricardo Knecht, gerente geral da SABIC Innovative Plastics na América do Sul. “Agora que fornecemos entregas muito mais rápidas de amostras e resinas, podemos facilitar significativamente o planejamento dos clientes e a utilização da tecnologia da resina Flexible Noryl em seus programas. Isto também abrirá possibilidades novas para este versátil material, tais como o uso expandido em cabos USB, audio e vídeo e de carregadores de celulares com opções esteticamente interessantes fornecidas pelos nossos novos tipos brancos resistentes a ultravioleta. Igualmente importante, o uso da resina Flexible Noryl apoia iniciativas de proteção ambiental em indústrias chave para beneficiar a região como um todo.”

Desempenho sustentável em fios e cabos

As resinas Flexible Noryl possibilitam desempenho ambientalmente responsável por evitarem o uso de retardadores de chama halogenados e fornecendo uma alternativa para o tradicional policloreto de vinila (PVC) em revestimento e isolamento de fios e cabos. Estes materiais apoiam a conformidade com normas tais como as diretrizes de restrição às substâncias perigosas (Restriction of Hazardous Substances – RoHS) da União Europeia e resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos (Waste Electrical and Electronic Equipment – WEEE) e o padrão de registro, avaliação e autorização de substâncias químicas (Registration, Evaluation and Authorization of Chemicals – REACH). Em contraste com os outros materiais , tais como polietileno reticulado, que são mais difíceis de reciclar, as resinas Flexible Noryl fornecem alto desempenho em calor dispensando o uso de reticulados.

Estes materiais possibilitam um excelente equilíbrio entre flexibilidade, propriedades mecânicas e facilidade de processamento. Eles também apresentam desempenho ultravioleta em ambientes internos para resistir ao desbotamento e à decomposição.

As resinas Flexible Noryl estão disponíveis em branco, preto ou ainda em grades coloridos
conforme a demanda.

Fonte: SABIC IP

SABIC apresenta materiais inovativos para os principais setores em crescimento na América do Sul, durante BrasilPlast 2011

15/05/2011

O sedan compacto médio da Peugeot 408 Griffe usa os materiais de alto desempenho da SABIC IP, que permitem maior liberdade de projeto e leveza

Durante a Brasilplast 2011, a SABIC  enfatizou os seus recursos regionais expandidos, as suas novas tecnologias e o sólido relacionamento com os clientes.

O estande  da SABIC na Brasilplast demonstrou as quatro facetas do mote “Cultura da inovação”, que tem como pilares a sustentabilidade, o crescimento, a tecnologia e o foco no cliente. A empresa apresentou diversos materiais do seu amplo portfólio, com aplicações avançadas para todos os principais setores em crescimento no Brasil, como o automotivo, o médico-hospitalar e o de infraestrutura.

“A participação na BrasilPlast 2011 deu à SABIC uma grande oportunidade de mostrar seu compromisso firme e de longo prazo com a América do Sul, seu sucesso e crescimento contínuo,” declara Khaled Al-Mana, VP executivo da divisão de polímeros da SABIC.  “O enfoque na Cultura da inovação direciona nossa estratégia para sermos líderes mundiais em produtos químicos, inclusive plásticos. Temos orgulho dos nossos investimentos em recursos globais e em nosso amplo portfólio de produtos, que são cruciais para o fornecimento de soluções completas ao aos clientes”, diz Al-Mana.

“Nossa prioridade é apoiar as necessidades dos clientes”, afirma Charlie Crew, VP executivo da divisão Innovative Plastics da SABIC. “Para fazer isso, investimos constantemente em soluções de materiais de alto desempenho, recursos avançados de desenvolvimento de aplicativos e serviços de valor agregado, que ajudem nossos clientes a serem competitivos e a terem sucesso nos mercados locais, regionais e globais. A SABIC Innovative Plastics continua a se pautar em sua rica tradição de produtos inovadores e avançados, mantendo sempre um fluxo constante de novas soluções para o mercado”, completa Crew.

O tema Cultura da inovação da SABIC para a BrasilPlast 2011 está baseado em quatro pilares estratégicos:

1. Crescimento
A SABIC, para atender às exigências atuais e futuras dos clientes, continua a investir na expansão da produção local e global.

  • Maior capacidade para atender às necessidades dos clientes– A SABIC Innovative Plastics expandiu sua capacidade de produção local no Brasil com a inclusão de uma nova e sofisticada linha de manufatura, que trabalha com cores personalizadas e com a flexibilidade de produzir tamanhos de lote menores, o que permite acesso mais fácil e rápido às amostras de materiais necessárias para o desenvolvimento de aplicativos. Os produtos disponíveis para a produção nessa nova linha incluem a resina de acrilonitrila butadieno estireno (ABS) Cycolac*, a resina de policarbonato (PC)/ABS Cycoloy*, a resina Lexan* PC, a resina Lexan EXL, a resina de óxido de polifenileno/polifenileno (PPO/PP) Noryl PPX*, a resina de acrilonitrila estireno acrilato (ASA) Geloy*, as resinas de polibutileno tereftalato (PBT) Valox* e PC/PBT Xenoy*, além de outros compostos LNP*.
  • Produção local de resinas sustentáveis Flexible Noryl* – A SABIC Innovative Plastics está agora disponibilizando fornecimentos locais de sua reconhecida resina Flexible Noryl para o mercado sul-americano, diminuindo o tempo de entrega da resina não halogenada retardante a chamas e sustentável em cerca de 50%, em média.
  • Capacidade expandida de poliolefinas – A SABIC expandiu recentemente a capacidade de produção de poliolefinas em sua unidade da Arábia Saudita. Junto com as instalações de polietileno (PE) do Reino Unido e da Alemanha, e as mais recentes instalações de PE e PP da China, essa expansão permite à SABIC Polymers fornecer confiabilidade aos clientes em todo o mundo, inclusive segmentos de mercado nas Américas.

2. Tecnologia
A SABIC continua concentrada no desenvolvimento de materiais para atenders às demandas tecnológicas atuais e futuras, que vão desde equipamentos médicos, até iluminação por LEDs (diodos emissores de luz). Esses materiais proporcionam alto desempenho, atendem às exigências e requisitos mais rigorosos e agregam valor ao reduzir custos e ao abrir oportunidades para novos projetos que levem ao crescimento. As principais tecnologias incluem:

  • Portfólio para sistemas de liluminação em LED – Esses materiais avançados incluem a resina Lexan PC com retardante à chama (FR) e atendem à norma UL94 V0 em 1,5 mm. Essa resina proporciona iluminação de LED de parede fina em aplicações transparentes ou com difusão. O estande da SABIC trará exemplos de iluminação por LED com níveis variados de difusão.
  • Materiais especiais para cuidados com a saúde – Os compostos de alta gravidade específica (HSG) LNP Thermocomp* para blindagem de radiação que atendem às mudanças futuras na isenção de substituição do chumbo em produtos da Categoria 8, de acordo com a diretiva EoHS (Restrição de Substâncias Perigosas), da União Europeia (UE). Além disso, os compostos LNP Faradex* da empresa integram proteção contra interferência gerada por sistemas wireless de monitoramento de pacientes, aumentando o uso em instalações residenciais e de cuidados de longo prazo.
  • Painéis transparentes para automóveis com a Lexan PC – A tecnologia avançada Lexan GLX PC com revestimentos Exatec*, da SABIC Innovative Plastics, está conduzindo ao desenvolvimento de novos avanços nas aplicações em painéis transparentes para automóveis, como janelas traseiras, grandes tetos solares, spoilers e lanternas traseiras, que podem oferecer até 50% de redução de peso em comparação às janelas de vidro de mesmo tamanho. De forma mais significativa, a redução do peso com painéis transparentes contribui na redução do centro de gravidade do veículo, melhorando o controle e segurança. A empresa exibirá um protótipo de módulo de teto e janelas laterais traseiras do SEAT.
  • Chapa Lexan Thermoclick* – Este sistema de chapas alveolares apresenta uma conexão de perfil que combina propriedades mecânicas, ópticas e térmicas de alto nível para revestimentos e fachadas de construção. Esse sistema de interconexão dispensa perfis verticais, economizando tempo e custos de instalação ao mesmo tempo em que proporciona eficiência energética e excelente estética final. Os sistemas de chapas Lexan Thermoclick obedecem às normas CC1 (ASTM D635) e Classe A (ASTM E-84) para classificação de incêndio e fumaça.

3. Sustentabilidade
As questões de sustentabilidade estão no centro da estratégia de negócio da SABIC. O portfólio de produtos, a experiência tecnológica e o histórico de inovação da SABIC permitem o desenvolvimento de materiais que ajudam os clientes a atenderem às diversas questões ambientais, como o corte no consumo de energia durante a manufatura, a redução no peso de produtos ou a diminuição no tamanho das peças (deixando-as mais finas), permitindo uma reciclagem mais fácil ou a incluso de conteúdo reciclável.

  • Portfólio de Soluções Sustentáveis – A SABIC Innovative Plastics traz como destaque seu portfólio expandido de Soluções Sustentáveis e o novo processo de validação para materiais sustentáveis, feito para ajudar os clientes a reduzirem suas emissões de carbono e de energia, diminuirem os resíduos e garantirem a rigorosa conformidade para com normas ambientais globais. Todos os produtos atendem à norma de terceiros adequada ou, na falta de norma reconhecida, passam por avaliação dos benefícios ambientais usando um Cartão de Pontuação de Produtos Sustentáveis rigoroso, desenvolvido em parceria com a GreenOrder, uma empresa de consultoria líder em sustentabilidade ambiental.
  • Materiais com conteúdo PCR – Uma série bem ampliada de produtos da SABIC Innovative Plastics contendo materiais reciclados pós-consumo (PCR) está disponivel em algunas linhas de produtos, como as resinas Valox iQ*, Xenoy iQ* e PCR Lexan EXL, com as novas resinas de PCR Cycoloy e Noryl Classico, e três linhas de resinas Lexan EXL.
  • Materiais avançados com FR – A empresa está produzindo em caráter local duas novas linhas da resina Flexible Noryl: a WCD801AU, para possível uso no recobrimento de cabos, e a WCP821U, para possível uso em componentes de cabos moldados. Esses materiais utilizam sistemas FR, que dispensam o uso de aditivos clorados ou bromados.
  • Grades de alta densidade, com alto peso molecular, para tubulações – Os grades bimodais de polietileno de alta densidade (HDPE) da SABIC são compostos com uma concentração básica de preto de carbono, que oferecem aos conversores uma boa economia de energia e possibilita a instalação de tubulações ecologicamente responsáveis.

4. Foco no cliente
Para ajudar os clientes a inovar, criar diferenciais em suas aplicações e aprimorar a manufatura, a SABIC Innovative Plastics atua de forma colaborativa em todo o processo de desenvolvimento de aplicações. Equipes locais dedicadas, no Brasil e na Argentina, concentradas no desenvolvimento de cores e na produção de amostras na unidade de Campinas, posicionam a empresa para responder rapidamente às necessidades dos clientes.

  • Resinas leves Noryl GTX* – Empresas automotivas, como a Peugeot, por exemplo, desfrutam de uma liberdade maior para criar painéis maiores, mais leves e com alta precisão, usando a resina Noryl GTX. Quando usada em substituição aos metais, a resina Noryl GTX pode proporcionar uma redução de peso de até 50%, contribuindo para uma maior eficiência no uso de combustíveis e menos emissões. A SABIC Innovative Plastics ofereceu à Peugeot, por exemplo, suporte local e global em todo o processo de desenvolvimento de seu novo sedan médio compacto, o modelo 408 (em exibição estande da SABIC na feira)
  • PP SABIC® STAMAX® para o setor automotivo – A resina de polipropileno de fibra de vidro longa (LGFPP) STAMAX leve e de alto desempenho, da SABIC, oferece boa resistência térmica e bom desempenho mecânico em módulos frontais automotivos. Um benefício adicional do uso desse material é a liberdade de poder consolidar as peças da região frontal dos veículos, o que se traduz em agilização da montagem e redução de custos sistêmicos. O Peugeot 408, com módulo frontal na versão Griffe, estará em exibição na BrasilPlast.

Fonte: SABIC IP

SABIC-IP desenvolve soluções em plástico de engenharia que substituem metal em propulsores automotivos.

15/04/2011

SABIC-IP lança Materiais para Propulsores de Alto Desempenho para Veículos Híbridos e Elétricos.

Bancada de Teste do Propulsor IAV GmbH

A SABIC Innovative Plastics anuncia sua colaboração com a IAV GmbH, líder mundial em sistemas de propulsores e veículos avançados, para desenvolver soluções termoplásticas que podem substituir o metal no veículo elétrico (EV) e componentes híbridos do propulsor. As duas empresas buscam novas formas de otimizar eficiência e desempenho, incluindo a redução de peso para compensar as pesadas baterias e blindagens em áreas de alta voltagem.

 “Nossa colaboração estratégica com a IAV tem o objetivo de criar opções inovadoras para nossos clientes, à medida que eles se esforçam para desenvolver e fornecer uma gama de veículos elétricos para os clientes, sejam eles híbridos, híbridos plug-in ou elétricos à bateria puros”, diz Gregory A. Adams, vice presidente, Automotivo, SABIC Innovative Plastics.

 “Nós vemos como uma fórmula de sucesso a combinação da experiência da IAV em engenharia de propulsão avançada com a nossa seleção de materiais de alto desempenho e experiência em desenvolvimento de aplicações. Estamos ansiosos para auxiliar as montadoras a desenvolver a próxima geração de propulsores e seus componentes, como resultado dessa colaboração”, completa Adams.

A IAV tem desenvolvido tecnologias e conceitos inovadores para veículos há 27 anos. Na área de mobilidade elétrica, a empresa desenvolve propulsores, unidades de controle, sistemas de bordo, sistema de bateria de alta voltagem e outros sistemas e componentes para veículos elétricos à bateria e híbridos.

“Temos o prazer de trabalhar em conjunto com a SABIC Innovative Plastics nos novos componentes de propulsão, que se beneficiarão do peso leve na função de blindagem, resistência de alta temperatura e corrosão de componentes e resinas termoplásticas,” diz Kurt Blumenröder, presidente e CEO, IAV GmbH.

“A experiência da SABIC Innovative Plastics na substituição do metal e em termoplásticos de engenharia de alto desempenho proporciona uma grande parceria ao nosso conhecimento em engenharia. Nós antecipamos avanços importantes que podem ajudar a indústria automotiva a fazer um progresso significativo no desempenho e eficiência de veículos elétricos e híbridos”, explica o executivo.

Termoplásticos Têm Como Objetivo os vencer desafios de Peso, Temperatura e Blindagem

 Para sustentar todas as vantagens ambientais dos veículos híbridos, híbridos plug-in e elétricos à bateria, o peso adicional das baterias – de até 300 kg em um carro de tamanho médio – precisa ser compensado pela redução em outras áreas. Os termoplásticos incluem polióxido de fenileno (PPO) Noryl* e resinas de polibutileno tereftalato (PBT) Valox*, da SABIC Innovative Plastics, e podem substituir o aço nas estruturas da bateria e invólucros. Essas resinas também oferecem resistência química e à temperatura, estabilidade dimensional e retardamento de chama.

 O aumento do uso de íons de lítio e de baterias de polímero de lítio, as quais possuem uma maior densidadede energia e potência, exige soluções em gerenciamento térmico para baterias. Como essas baterias operam melhor em temperatura ambiente, para controlar a temperatura, a refrigeração líquida frequentemente substitui o ar refrigerado com maior eficiência. Como resultado, esses líquidos necessitam de resistência química, características comuns aos materiais termoplásticos de engenharia de alto desempenho. Além disso, se a força for retirada de uma bateria, ela irá aquecer – e, assim, são necessários materiais com excelente resistência à temperatura. As resinas de polieterimida (PEI) Ultem* da SABIC Innovative Plastics fornecem resistência a altas temperaturas e uma capacidade de retardamento de chama inerente e as resinas de PBT Valox fornecem resistência química e a altas temperaturas.

 Em veículos elétricos híbridos, quanto maior a voltagem, mais importante se torna a blindagem em relação à interferência eletromagnética/interferência de rádio frequência (EMI/RFI) para controlar possíveis distúrbios de componentes eletrônicos, como inversores, unidades de controle eletrônico e sistema de gerenciamento de baterias. Os compostos LNP* Faradex* da SABIC Innovative Plastics fornecem propriedades de blindagem contra EMI/RFI excepcionais sem o grande peso das camadas de metal ou metalização.

 Comparado à combustão interna de motores que fornece calor ao interior do automóvel, veículos de energia alternativa dependem da energia de bateria para aquecer e resfriar o ar, o que faz com que o isolamento seja fundamental para evitar o consumo pesado da bateria. As soluções em vidro de policarbonato Lexan* oferecem uma taxa cinco vezes maior de isolamento e os graus de absorção de infravermelhos (IR) da resina Lexan podem otimizar ainda mais o condicionamento de ar, reduzindo o valor da carga de calor transferida para o interior de um veículo em climas quentes ou com tempo ensolarado.

Fonte: SABIC-IP / Edelman

MVC firma parceria com Espanhola Gamesa e ingressa no segmento de energia eólica

28/03/2011

Contrato prevê inicialmente o fornecimento de 150 conjuntos por ano.

A MVC, empresa brasileira líder no desenvolvimento de produtos e soluções em plásticos de engenharia e pertencente à Artecola e à Marcopolo, fechou parceria com a fabricante espanhola de sistemas para energia eólica Gamesa. Inicialmente, a MVC fornecerá para a Gamesa Eólica Brasil o bico (nose) de aerogeradores (conversores de energia eólica em energia elétrica). Em uma segunda etapa, será desenvolvido também o corpo do gerador, parte integrada ao bico.

De acordo com Gilmar Lima, diretor-geral da MVC, o fornecimento, com previsão para gerar receita de R$ 5 milhões a partir de 2012, marca a entrada da MVC em um novo segmento. “A nossa participação neste segmento se deu em razão do seu alto crescimento em todo o mundo e de utilizar materiais e tecnologias de alto desempenho. Outro fator importante para esta decisão é que acreditamos que possamos contribuir com soluções inovadoras e diferenciadas para este mercado”, explica o executivo.

A MVC estuda o mercado de energia eólica desde 1998 quando, com apoio do FINEP e da Pôle de Plasturgie de l’Est (centro de tecnologia francês), desenvolveu um novo conceito para a fabricação, em compósitos, das pás e dos demais componentes. “Desenvolvemos todo o projeto, materiais, processos, ensaios, controles e no final fabricamos uma peça do conjunto em escala. O que faltava para este projeto estar completo era o cliente e agora, com a Gamesa, o encontramos”, finaliza Lima.

Os bicos para aerogeradores levaram três meses para serem desenvolvidos e serão produzidos na unidade de São José dos Pinhais, pelo processo de infusão com moldes fechados, apropriado para peças grandes – cada bico possui 4,2 m de altura – e alto teor de fibra. O procedimento de fabricação da MVC permite a obtenção de componentes que oferecem padrões de desempenho mais elevados e acabamento superficial, maior resistência a intempéries e melhores propriedades mecânicas (resistência e durabilidade).

“Faz cerca de seis anos que a MVC e a Gamesa “vêm construindo” esta parceria. Neste período, ambas as empresas se prepararam para o início da produção no Brasil. Investimos em treinamentos no exterior e em novas tecnologias para produzir as peças e atender a Gamesa. O objetivo inicial do projeto é abastecer o mercado interno, principalmente os parques eólicos da região Nordeste, com uma produção de 150 peças até março de 2012. Posteriormente, ampliaremos o nosso fornecimento para outras regiões e países”, ressalta Lima.

Sobre a Gamesa

Com mais de 15 anos de experiência, a Gamesa é uma das líderes mundiais no mercado de projeto, fabricação, instalação e manutenção de turbinas de vento, com 21.000 MW instalados em 30 países em quatro continentes e mais de 13.600 MW em manutenção.

A Gamesa tem 30 fábricas na Europa, Estados Unidos, China e Índia, e mais de 7.200 empregados no mundo inteiro. A empresa também é uma referência mundial no mercado de construção, desenvolvimento e venda de parques eólicos, com mais de 4.000 MW, e tem 22.600 MW instalados em parques eólicos na Europa, América e Ásia.

A produção anual equivalente a cerca de 21.000 MW, representa mais de 5 milhões de toneladas de petróleo (TEP) por ano e evita a emissão na atmosfera de cerca de 31 milhões de toneladas de CO2/ano.

Em 2010, a Gamesa anunciou a construção de uma fábrica no Brasil, em Camaçari, na Bahia. A unidade deve começar a operar no próximo mês de abril, vai gerar 100 postos de trabalho e terá capacidade produtiva de 300 MW.

Fonte : Secco Consultoria de Comunicação / ABMACO

Solvay aumenta em 50 % a capacidade de produção de PVDF para atender à crescente demanda.

15/03/2011

A demanda por esta especialidade polimérica de alto valor adicionado aumenta a taxas superiores a 10 % ao ano.

A Solvay anunciou que decidiu aumentar em 50 % a capacidade de produção do seu produto SOLEF®, a fim de continuar atendendo à contínua e crescente demanda por esta especialidade polimérica fluorada de alto valor adicionado. O aumento da capacidade de produção na planta da Solvay em Tavaux, na França, requer um investimento de 26 milhões de Euros e irá se tornar operacional na segunda metade de 2012.

O PVDF (Fluoreto de Polivinilideno) SOLEF® da Solvay é utilizado para aplicações rigorosas na extração de petróleo e gás, em binders e separadores nas Baterias de íon-Lítio, em painéis fotovoltaicos, na manufatura de semicondutores e em membranas de purificação de água. A demanda global por PVDF cresceu a taxas acima de 10% anualmente, nos últimos cinco anos. A capacidade de produção de SOLEF® PVDF em Tavaux já foi expandida em torno de 30 % em 2009.

A tecnologia do SOLEF® PVDF usada em Tavaux tem uma grande vantagem competitiva resultante da sua qualidade de produto e consistência. Ela complementa, de forma harmoniosa, a tecnologia HYLAR® PVDF desenvolvida em West Depford, nos Estados Unidos, e dá à Solvay com uma forte posição e flexibilidade no atendimento de todas as necessidades específicas de indústrias com demandas rigorosas.

“O SOLEF® PVDF é usado em um crescente número de aplicações que se encaixam bem nas megatendências globais. Nós estamos ansiosos para fornecer suprimentos adicionais para nossos clientes”, afirma Augusto Di Donfrancesco, Gerente Geral da Unidade de Negócios Global de Especialidades Poliméricas.

“Com a verticalização única que a Solvay dispõe na produção de monômeros e no suprimento de fluorita, os nossos clientes podem contar conosco em relação à qualidade e estabilidade do suprimento. Eles também podem se beneficiar de nossa tecnologia e experiência na produção de mais materiais fluorados de alto valor agregado e com mais desempenho”.

A Solvay é um grupo industrial internacional ativo na área de Química. Ela oferece um amplo portfolio de produtos e soluções. A sede do grupo situa-se em Bruxelas, na Bélgica, e emprega cerca de 16.800 pessoas em 40 países. Em 2010, as suas vendas totais alcançaram 7,1 bilhões de Euros.

Fonte: Solvay