Educação como ferramenta de transformação: os cinco anos de Movimento Plástico Transforma

Artigo de José Ricardo Roriz Coelho e Edison Terra Filho*

A destinação correta dos resíduos sólidos tem sido tema de constante debate na gestão ambiental. O principal motivo é o impacto gerado pelo consumo e descarte inadequado no meio ambiente. A versatilidade dos plásticos destacou-se ainda mais para a sociedade no combate à pandemia de COVID-19. Ele se mostrou essencial para fabricar máscaras, viseiras e luvas, entre outros Equipamentos de Proteção Individuais – os EPIs – como máscaras, viseiras e luvas, entre outros equipamentos. Além disso, a matéria-prima também serve como barreira física em diversos estabelecimentos, coberturas em máquinas para pagamento e vedação em pratos para alimentação.

Mostrar as inúmeras possibilidades do material, bem como reforçar a importância do seu descarte correto, foi o insight para a criação do Movimento Plástico Transforma, uma iniciativa do PICPlast – Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico, parceria entre a ABIPLAST e a Braskem. Há cinco anos, o projeto tem como missão promover conteúdo e ações educativas para demostrar que o plástico, aliado à tecnologia, à criatividade e à responsabilidade, traz inúmeras possibilidades para os mais diferentes segmentos.

Por meio de ações educativas e interativas, o projeto procura valorizar e contribuir com o desenvolvimento de uma melhor percepção do plástico na sociedade, além de provocar discussões sobre temas correlacionados, como consumo consciente, reutilização inteligente, descarte e reciclagem do plástico. Ao longo de meia década, o Movimento Plástico Transforma já realizou diversas ações para cumprir com o seu propósito.

A primeira iniciativa voltada para a sociedade foi a instalação interativa PlastCoLab. A edição inicial, realizada em plena avenida Paulista, ofereceu workshops, hackathons e exposições distribuídos pelos três andares de um estande em formato de um cubo mágico, com 9 metros de altura. O sucesso paulistano levou a instalação para Porto Alegre, Salvador e Brasília, com recorde de público a cada edição. Ao todo, mais de 37 mil pessoas ficaram interessadas em descobrir como potes plásticos se transformaram em hortas automatizadas, saber sobre as inúmeras possibilidades da caneta de impressão 3D ou simplesmente assistir à performance do robô Beo, confeccionado quase todo em plástico.

O sucesso do PlastCoLab com o público infantil levou o Movimento a lançar um outro grande projeto, destinado a crianças e adolescentes com idades entre 4 e 14 anos. A Estação Plástico Transforma, atividade instalada no parque temático KidZania, em São Paulo, ensina sobre conceitos sustentáveis e reciclagem. Desde a inauguração, em janeiro de 2019, já recebeu mais de 18 mil visitantes, que conheceram, na prática, os conceitos e a importância do descarte correto e do processo de reciclagem. Por meio de uma brincadeira divertida, tivemos a oportunidade de destacar a importância e os benefícios do uso do plástico, bem como reforçar a participação essencial de cada indivíduo no caminho circular do material. Somente pela educação é possível influenciar o presente para que as futuras gerações apliquem conceitos indispensáveis em casa, na escola e ensine-os a todos ao seu redor.

A mais recente ação do Movimento Plástico Transforma foi uma parceria com a Fundação Cásper Líbero, a Gazeta Esportiva e a Yescom, para a coleta dos copos d’água entregues aos corredores da 95ª Corrida Internacional de São Silvestre. O material coletado na ação foi reciclado e transformado em 1.800 lixeiras para coleta seletiva, entregues às escolas públicas de São Carlos e Jaguariúna, no interior de São Paulo. Esta ação possibilitou impactar não só os participantes da corrida, como o público que acompanhou o evento e os alunos e professores das escolas para onde as lixeiras foram encaminhadas. A ação mostrou que, ao ganhar um destino certo, embalagens de plástico podem ser transformadas em objetos que contribuem com o meio ambiente e para a disseminação de conceitos fundamentais à sociedade. Ao conscientizar sobre o consumo consciente, o descarte correto e a reciclagem do plástico, estamos também agindo de forma responsável.

Esses são alguns exemplos das diversas ações que o Movimento Plástico Transforma vem realizando em seus cinco anos de existência e que já impactaram mais de 200 mil pessoas. É apenas o começo! Uma série de ações e projetos que tiveram que ficar em standby, em função da pandemia, estão em nosso pipeline, para dar continuidade à missão de mostrar os benefícios do plástico e conscientizar a sociedade acerca da versatilidade do material e suas infinitas possibilidades.

*José Ricardo Roriz Coelho é Presidente da ABIPLAST e Edison Terra Filho é vice-presidente executivo da Unidade de Poliolefinas da América do Sul e Europa da Braskem. O Movimento Plástico Transforma é uma ação do PICPlast – Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico – fruto da parceria entre a ABIPLAST e a Braskem.

Curta nossa página no

Tags: , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: