Tomra e Borealis abrem fábrica para separação de resíduos plásticos pós-consumo e reciclagem mecânica avançada

  • A planta conceito separa os resíduos plásticos pós-consumo e produzirá pellets de polímero totalmente formulados, prontos para o mercado
  • As grandes marcas e transformadores serão capazes de acessar o material para qualificação e validação de mercado no início de 2021
  • Colaboração pioneira reúne experiência vital para o avanço da economia circular

A Tomra e a Borealis anunciaram hoje (01/02) o início operacional de sua planta conceito de reciclagem mecânica avançada em Lahnstein, Alemanha.

“Esta fábrica é apenas o começo do que é possível quando os principais participantes da cadeia de valor se unem para causar um impacto realmente significativo no mercado”, disse Volker Rehrmann, vice-presidente executivo e chefe de economia circular da Tomra. “Tendo acabado de lançar a nova Divisão de Economia Circular, está claro o grande papel que a gestão de resíduos e projetos essenciais como este têm na caminhada em direção a um futuro sustentável. Estamos orgulhosos de ter iniciado uma das fábricas de reciclagem mecânica mais avançadas quando se trata de resíduos de polímeros pós-consumo. Isso se tornará um facilitador importante à medida que acelerarmos a transformação para uma economia circular nos próximos anos e estamos entusiasmados por fazer parte deste projeto pioneiro”.

“Esta planta incorpora os princípios da plataforma EverMinds fundada pela Borealis, que busca inovar a circularidade dos plásticos por meio da colaboração”, disse Lucrèce Foufopoulos, vice-presidente executivo da Borealis em Poliolefinas, Inovação e Tecnologia e Soluções de Economia Circular. “Oferecer material reciclado de alta qualidade às grandes marcas e aos transformadores, adequado para uso em aplicações altamente exigentes, é a mais recente contribuição da Borealis para uma economia mais circular de plásticos. A vida exige progresso e, por meio da colaboração, reinventamos para uma vida mais sustentável” .

A operação da planta é um empreendimento conjunto entre Tomra, Borealis e Zimmerman. A Borealis é responsável pelo sucesso comercial da planta e contribui com sua experiência e conhecimento em inovação, reciclagem e compostagem. Da mesma forma, a Tomra contribui como fornecedora de soluções baseadas em tecnologia e traz sua experiência, processos estabelecidos e conhecimento de mercado que, por sua vez, tornam possível a economia circular através de sistemas de coleta e triagem. A Zimmerman é uma empresa de gerenciamento de resíduos com experiência na triagem de vários tipos de resíduos, incluindo plásticos, e é responsável pelo sucesso das operações da fábrica e da qualidade do produto.

A planta de última geração processa resíduos plásticos rígidos e flexíveis de residências. E, ao contrário de muitas fábricas de reciclagem atuais, ela produzirá soluções para uso em aplicações de plástico de alta demanda em vários setores, incluindo automotivo e produtos de consumo. Com alta pureza, baixo odor, alta consistência do produto e frações de cor clara, esses polímeros reciclados de grau Borcycle M atenderão aos requisitos de qualidade do cliente em toda a cadeia de valor, afirmam as empresas.
O objetivo desta planta de demonstração é produzir material para que os proprietários de marcas e transformadores possam testar, validar e qualificar o uso dessa resina reciclada em suas aplicações altamente exigentes. O sucesso técnico estabelecerá as bases para uma planta de reciclagem avançada em escala comercial.

“Na P&G, estamos fazendo embalagens tendo em mente a ‘próxima vida’ do produto, a fim de ajudar a impulsionar uma economia circular mais robusta. Devemos aumentar o fornecimento de plástico reciclado de alta qualidade para permitir que a indústria cumpra essa visão”, afirma Gian De Belder, Diretor Técnico da Procter & Gamble (P&G), Sustentabilidade de Embalagens de P&D. “A nova abordagem inovadora que a Tomra e a Borealis estão adotando mostra o potencial para mudar a quantidade e a qualidade do PCR disponível para nossas marcas e nos ajuda a atingir nossa meta para 2030 de reduzir nosso uso de plástico virgem em embalagens em 50%, o equivalente a 300 mil toneladas anualmente. Os primeiros testes do material parecem muito promissores!”.

“Na Henkel, queremos reduzir o plástico virgem de origem fóssil para 50 por cento até 2025 – por exemplo, aumentando a participação de plásticos reciclados para mais de 30 por cento globalmente. Um grande desafio para embalagens mais circulares é a disponibilidade de plásticos reciclados de alta qualidade que posam ser usados nas embalagens de nossas marcas”, comenta Thorsten Leopold, Diretor Internacional de Tecnologia de Embalagem para Cuidados Domiciliares da Henkel.  “Estamos, portanto, muito animados pelo fato de que este projeto reúne três especialistas comprovados ao longo da cadeia de valor, com a ambição de elevar a reciclagem mecânica a um novo nível. “

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de seleção baseadas em sensores para a indústria global de reciclagem e gerenciamento de resíduos. Cerca de 6.000 sistemas foram instalados em mais de 100 países em todo o mundo. Responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor infravermelho próximo (NIR) de alta capacidade do mundo para aplicações de seleção de resíduos, a Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions. A Tomra Sorting pertence à empresa norueguesa Tomra Systems ASA, que está listada na Bolsa de Valores de Oslo. Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem um volume de negócios de cerca de 885 milhões de euros e emprega mais de 4.500 pessoas globalmente.

A Borealis é um dos maiores fornecedores mundiais de soluções de poliolefinas e líder no mercado europeu de produtos químicos básicos, fertilizantes e reciclagem mecânica de plásticos. Com sede em Viena, Áustria, a Borealis emprega 6.900 funcionários e opera em mais de 120 países. Em 2019, a Borealis gerou EUR 8,1 bilhões em receita de vendas e um lucro líquido de EUR 872 milhões. OMV, a empresa internacional de petróleo e gás sediada na Áustria, possui 75% das ações da Borealis, enquanto os 25% restantes pertencem a uma holding da Mubadala, com sede em Abu-Dhabi. O grupo fornece serviços e produtos para clientes em todo o mundo por meio da Borealis e de duas importantes joint ventures: Borouge (com a Abu Dhabi National Oil Company, ou ADNOC, com base nos Emirados Árabes Unidos); e Baystar (com Total, com base nos EUA).

Curta nossa página no

Tags: , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: