Empresas do setor do plástico do Espírito Santo produzem protetores faciais para profissionais de saúde durante pandemia

O setor de Transformados Plásticos capixaba tem atuado para impedir o avanço do coronavírus. Empresas associadas ao Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Espírito Santo (Sindiplast-ES) estão envolvidas na confecção de protetores faciais que serão entregues pelo governo estadual a profissionais da saúde durante a pandemia.

A Fibrasa foi a responsável por doar oito toneladas de polipropileno (PP) para ajudar na fabricação dos itens de proteção. Na LBRX é feito o beneficiamento do material, através de extrusão. O processo é concluído na Plastin, que desenvolveu o suporte da lâmina de acetato, dando forma ao produto final. As três indústrias estão localizadas no município da Serra.

O sócio-proprietário da LBRX, Henrique Cavalcanti, ressalta que a empresa atua no mercado de telecomunicações e utiliza o seu conhecimento em reciclagem para reprocessar o polipropileno e deixá-lo pronto para ser usado novamente. “Começamos o trabalho na última sexta-feira (3 de março) e seguimos firmes para atender a demanda. Fazemos parte dos setores que não pararam as atividades durante a pandemia e entre os nossos profissionais fica a certeza de que eles estão sendo muito importantes nesse período de isolamento social. Fica o sentimento de fazer a sua parte e contribuir com a sociedade”, afirma o empresário.

Já o proprietário da Plastin, Neviton Gasparini, frisa que todos os esforços estão sendo empenhados para que os protetores faciais sejam produzidos em um curto espaço de tempo e assim chegarem aos profissionais da saúde. O governador Renato Casagrande, em visita à Plastin para acompanhar de perto a produção, agradeceu a contribuição de todos os envolvidos na ação de enfrentamento à Covid-19.

“Há um trabalho dos governos municipal, estadual e federal, mas há também uma forte atuação da sociedade, que colabora para que possamos atender melhor as pessoas que dependem dos hospitais. É uma ajuda importante para diminuir o sofrimento do outro”, destacou o governador.

Doações

Além da atuação dos setores produtivos, outra frente de trabalho para reduzir os impactos e o avanço do coronavírus tem sido a solidariedade. Há um movimento em todo o Estado para arrecadar alimentos e itens de higiene e limpeza para serem doados a famílias que precisam de ajuda nesse momento.

A Maifredo Embalagens e a Agrofit, por exemplo, que são duas empresas associadas ao Sindiplast-ES, atenderam recentemente ao chamado da Central Única das Favelas (Cufa) para beneficiar moradores carentes da Grande Vitória com materiais de higiene pessoal. A Agrofit doou 2.700 sacolas plásticas para abrigarem os kits, além de 100 sabonetes, enquanto a Maifredo Embalagens contribuiu com 1.000 garrafas pet, usadas para acondicionar o álcool em gel.

O presidente do Sindiplast-ES e diretor da Maifredo Embalagens, Jackley Maifredo, ressalta que o setor tem buscado somar esforços para dar sua contribuição nesse período delicado. “Nós nos colocamos a disposição dos nossos associados para divulgar seus produtos e serviços nos canais de comunicação do Sindiplast-ES. Ao mesmo tempo, estamos levantando ações solidárias que podem ser praticadas por cada um deles. Temos um compromisso de atender à sociedade, por isso, seguimos produzindo e, ao mesmo tempo, buscando fazer um trabalho social”, conclui.

Curta nossa página no

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: