BASF divulga balanço de 2016 com lucro líquido de 4,1 bilhões de euros

4º trimestre de 2016:

  • Vendas de €14,8 bilhões (acréscimo de 7% ao compararmos com o trimestre do ano anterior)
  • EBIT antes dos itens extraordinários de €1,2 bilhões (acréscimo de 15% ao compararmos com o trimestre do ano anterior)

Exercício 2016:

  • EBIT antes dos itens extraordinários de €6,3 bilhões (decréscimo de 6% ao compararmos com o ano anterior)
  • Aumento considerável de ganhos no segmento de Químicos; ganhos substancialmente menores no segmento de Óleo e Gás e Outros;
  • Ganhos por ação €4,42 (acréscimo de 2%)
  • Proposta de dividendos para o exercício

Outlook 2017:

  • Crescimento significativo nas vendas em todos os segmentos
  • EBIT antes dos itens extraordinários ligeiramente maior

Em 2016, a BASF alcançou as metas traçadas relativas ao crescimento e aos lucros. O segmento de Químicos cresceu com sucesso e a rentabilidade aumentou mais. Como esperado, os lucros no segmento de Óleo e Gás não alcançaram o nível do ano anterior. “Ao longo do ano conseguimos aumentar o crescimento da BASF. Nossos volumes de vendas aumentaram de trimestre para trimestre. Na Ásia, em particular, aumentamos continuamente nossos volumes de vendas no segmento de químicos, mostrando que os altos investimentos realizados nos últimos anos em pesquisa e desenvolvimento e novas capacidades de produção estão dando frutos”, disse o Dr. Kurt Bock, Presidente do Conselho Executivo da BASF SE, na Conferência Anual de Imprensa em Ludwigshafen, Alemanha.

No quarto trimestre de 2016, as vendas aumentaram para € 14,8 bilhões, corresponde a um incremento de 7% em relação ao mesmo trimestre de 2015, devido principalmente a maiores volumes. Para o Grupo BASF, bem como para o segmento de químicos, que engloba Químicos, Produtos de Performance e Materiais e Soluções Funcionais, os volumes aumentaram em 6%. O lucro das operações (EBIT) antes dos itens extraordinários foi de € 1,2 bilhão, € 157 milhões a mais que o trimestre do ano anterior. Ganhos substancialmente maiores em Químicos, Materiais e Soluções Funcionais e Óleo e Gás mais que compensaram os ganhos mais baixos em Soluções para Agricultura e Outros.

Para o exercício completo de 2016, as vendas diminuíram em 18%, totalizando € 57,6 bilhões, devido principalmente ao desinvestimento nas atividades de comércio e armazenamento de gás, como parte do swap de ativos com a Gazprom no final de setembro de 2015. Este negócio contribuiu com € 10,1 bilhões nas vendas em 2015. No total, os efeitos de portfólio reduziram as vendas em 15 %. Além disso, os preços mais baixos das matérias-primas levaram a uma queda nos preços de venda (decréscimo de 4%). A empresa conseguiu aumentar continuamente os volumes das vendas ao longo do ano. Ao compararmos com o ano anterior, os volumes aumentaram em 2%, e no segmento de Químicos, em 4%. Os efeitos cambiais reduziram ligeiramente as vendas (decréscimo de 1%).

Em € 6,3 bilhões, o EBIT antes dos itens extraordinários foi € 430 milhões abaixo do nível do ano anterior, sendo em grande parte consequência de um declínio de cerca de € 850 milhões no segmento de Óleo e Gás, principalmente devido à queda dos preços e do desinvestimento das atividades de comércio e armazenamento de gás natural. As atividades transferidas para a Gazprom contribuíram com cerca de € 260 milhões para o EBIT antes dos itens extraordinários em 2015. No segmento de Soluções para Agricultura, o EBIT antes dos itens extraordinários atingiu ao nível do ano anterior. O segmento de Químicos apresentou um aumento significativo nos lucros graças às melhorias acentuadas das contribuições dos segmentos de Produtos de Performance e Materiais e Soluções Funcionais.

Em € 4,1 bilhões, o lucro líquido superou o nível do ano anterior de € 4,0 bilhões. O lucro por ação aumentou de € 4,34 para € 4,42.

Proposta de dividendos de €3,00

Em um ambiente de mercado volátil, o preço das ações da BASF evoluiu muito positivamente, fechando o ano em € 88,31, aproximadamente 25% superior ao do final do ano anterior. Com dividendos reinvestidos, o desempenho das ações da BASF aumentou em 30%, superando significativamente o DAX 30 (+ 7%), o DJ EURO STOXX 50 (+ 4%) e o MSCI World Chemicals (+ 11%). “Continuamos com a nossa política de dividendos e, na Assembleia Geral dos Acionistas, iremos propor o aumento de dividendos novamente, em € 0,10, resultando em € 3,00”, disse Bock. Assim, as ações da BASF oferecem mais uma vez um alto retorno de dividendos de 3,4%, com base no preço de fechamento das ações no final de 2016.

Perspectiva para o exercício de 2017

Bock: “Estamos cautelosamente otimistas para 2017. Queremos continuar a crescer, com todos os segmentos contribuindo para tal. E acima de tudo: queremos aumentar nossos ganhos novamente, também no segmento de Óleo e Gás. Provavelmente, a economia global irá crescer tão rápido quanto foi em 2016. Em virtude das incertezas políticas, a volatilidade permanecerá alta. ” Espera-se uma diminuição significativa no crescimento na União Europeia. Para os Estados Unidos, prevê-se uma ligeira recuperação no crescimento. É provável que o crescimento na China fique ainda mais lento. Espera-se que a recessão no Brasil e na Rússia terminem.

Para sua perspectiva, a BASF adota as seguintes condições econômicas para 2017 (números do ano anterior entre parênteses):

  • Crescimento econômico global: +2,3% (+2,3%)
  • Crescimento na produção mundial de químicos (excluindo produtos farmacêuticos): +3,4% (+3,4%)
  • Taxa de câmbio média entre o euro e o dólar de $1,05 por euro ($1,11 por euro)
  • Preço médio do petróleo (Brent) de $55 por barril ($44 por barril)

Espera-se que em 2017, as vendas do Grupo BASF cresçam consideravelmente. Tal crescimento será apoiado pelas vendas ligeiramente maiores no segmento de Produtos de Performance e por aumentos significativos nos segmentos restantes, incluindo Outros.

Bock: “Queremos aumentar ligeiramente o EBIT antes dos itens extraordinários em comparação com 2016. Prevemos contribuições significativamente maiores do segmento de Óleo e Gás. Nos segmentos de Produtos de Performance, Materiais e Soluções Funcionais e Soluções para Agricultura, assumimos que o EBIT antes dos itens extraordinários será ligeiramente superior, enquanto que a contribuição do segmento de Químicos corresponderá ao nível do ano anterior “.

Em virtude das grandes incertezas políticas e econômicas, a BASF continuará com sua conduta rigorosa no tocante a gastos e custos. O programa estratégico de excelência, DrivE, contribui para esta meta. A partir do final de 2018, a empresa espera que este programa contribua com cerca de €1 bilhão em ganhos, por ano, em relação a 2015. A contribuição nos lucros foi de €350 milhões em 2016.

Após uma fase de altos investimentos, a BASF reduziu seus investimentos em mais de 1 bilhão de euros em 2016, como anunciado anteriormente. A empresa investiu um total de 3,9 bilhões de euros em despesas de capital (excluindo adições de imóveis, instalações e equipamentos resultante de aquisições, capitalização, obrigações de restauração e investimentos em TI). “Nos próximos anos, planejamos investir em um nível comparável. Estamos agora preenchendo a capacidade existente em nossas novas fábricas e, portanto, aproveitando o dinamismo do volume visto no ano passado”, disse Bock.

Desenvolvimento dos segmentos no 4º trimestre e no exercício de 2016

No segmento de Químicos, as vendas do quarto trimestre aumentaram em 12%, para € 3,6 bilhões, impulsionadas pelo aumento dos volumes e dos preços. O EBIT antes dos itens extraordinários aumentou em € 386 milhões, totalizando € 635 milhões, atribuído principalmente a maiores margens, especialmente em isocianatos e produtos de cracker. Para o ano todo, as vendas diminuíram em 8%, totalizando € 13,5 bilhões. Isso se deve à queda dos preços em função do declínio nos preços das matérias-primas, especialmente na divisão de Petroquímicos. Os volumes mais altos não conseguiram compensar neste caso. O EBIT antes dos itens extraordinários caiu em € 92 milhões, totalizando € 2,1 bilhões, principalmente devido aos maiores custos fixos das novas startups de plantas de produção. As menores margens nas divisões de Petroquímicos e Intermediários também reduziram o EBIT antes dos itens extraordinários. Margens mais elevadas para os isocianatos na divisão de Monômeros ajudaram a retardar o declínio.

No segmento de Produtos de Performance, as vendas no quarto trimestre diminuíram em 1%, totalizando € 3,6 bilhões. O EBIT antes dos itens extraordinários subiu ligeiramente para € 231 milhões, apoiado por melhores margens. Em € 15 bilhões, as vendas do ano todo foram 4% inferiores ao nível do ano anterior; fato atribuído principalmente à queda dos preços de venda e aos desinvestimentos concluídos em 2015. O EBIT antes dos itens extraordinários aumentou em € 379 milhões, totalizando € 1,7 bilhões; fato atribuído principalmente à uma redução significativa dos custos fixos devido a medidas de reestruturação e a uma gestão rígida dos custos fixos, bem como à melhoria das margens.

No segmento de Materiais e Soluções Funcionais, as vendas do quarto trimestre cresceram em 10%, totalizando € 5,0 bilhões, movidas por maiores volumes. O EBIT antes dos itens extraordinários aumentou em € 69 milhões, totalizando € 458 milhões devido ao crescimento dos volumes, a uma mistura de produtos favorável e a conduta mantida no tocante aos custos. As vendas do exercício do ano aumentaram em 1%, totalizando € 18,7 bilhões. Ao aumentar os volumes em todas as divisões, os preços mais baixos e os efeitos cambiais levemente negativos puderam ser mais do que compensados. O crescimento dos volumes foi atribuído principalmente à maior demanda de produtos para a indústria automotiva. Os negócios com a indústria da construção viram volumes de vendas em um nível geral elevado. O EBIT antes dos itens extraordinários aumentou em € 297 milhões, totalizando € 1,9 bilhão em relação a 2015. Todas as divisões contribuíram para esse aumento considerável de lucros, em particular, a divisão de Materiais de Performance.

No segmento de Soluções para Agricultura, as vendas no quarto trimestre aumentaram em 10%, totalizando 1,3 bilhões de euros, atribuído a volumes mais elevados. O EBIT antes dos itens extraordinários diminuiu em € 65 milhões, totalizando € 79 milhões devido a custos fixos mais elevados, em parte devido às novas instalações de produção ou expansão, por exemplo, para o herbicida dicamba. No acumulado do ano, as vendas diminuíram em 4%, totalizando € 5,6 bilhões; resultado do menor volume de vendas e dos efeitos cambiais negativos. O ambiente de mercado desafiador para os produtos de proteção de cultivos afetou particularmente a demanda por inseticidas na América do Sul e por fungicidas na Europa. Os preços foram compatíveis com os de 2015. A gestão rígida de custos permitiu a redução dos custos fixos no segmento de Soluções para Agricultura. Devido a este desenvolvimento, o EBIT antes dos itens extraordinários correspondeu ao nível do ano anterior em € 1,1 bilhão, apesar do declínio das vendas.

No segmento de Óleo e Gás, as vendas do quarto trimestre aumentaram em 26%, totalizando € 922 milhões, devido ao aumento dos volumes e dos preços. O EBIT antes dos itens extraordinários cresceu em € 36 milhões, totalizando € 163 milhões. As vendas do ano todo diminuíram em 79%, totalizando € 2,8 bilhões em relação ao ano anterior. Devido ao swap de ativos com a Gazprom concluído no final de setembro de 2015, as contribuições da atividade de comércio e armazenagem de gás natural e da Wintershall Noordzee BV cessaram a partir do quarto trimestre de 2015. Estas atividades contribuíram com € 10,1 bilhões nas vendas em 2015. No segmento contínuo de petróleo e gás, os volumes cresceram em 15% em relação a 2015, ao passo que os efeitos de preço e câmbio foram de menos de 15%. O EBIT antes dos itens extraordinários diminuiu de € 849 milhões para € 517 milhões em 2016, resultado da queda dos preços do petróleo e do gás, além do desinvestimento do negócio de comércio e armazenamento de gás para a Gazprom. As atividades transferidas para a Gazprom contribuíram com cerca de 260 milhões de euros para o EBIT antes dos itens extraordinários em 2015.

As vendas no segmento Outros diminuíram em 22%, totalizando € 518 milhões no quarto trimestre. O EBIT antes dos itens extraordinários diminuiu para menos € 386 milhões, abaixo de menos € 114 milhões no quarto trimestre de 2015. As vendas do ano todo caíram em 28% para € 2,0 bilhões em relação a 2015. Baixos preços e volumes no comércio de matérias-primas foram os principais responsáveis, juntamente com a expiração dos contratos de abastecimento relacionados com a saída da participação da BASF na operação conjunta da Ellba Eastern Private Ltd. em Singapura no final de 2014. O EBIT antes dos itens extraordinários no segmento Outros diminuiu em € 162 milhões totalizando menos € 1,1 bilhão. Isso se deu em grande parte aos efeitos de valorização do programa de incentivos de longo prazo. Os efeitos cambiais positivos ajudaram a retardar o declínio.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Anúncios

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: