BASF apresenta balanço do 3o. trimestre com redução de vendas de 5%

  • Vendas de €17,4 bilhões (declínio de 5%)
  • EBIT antes de itens extraordinários de € 1,6 bilhões (declínio de 10%)
  • EBIT de €1,9 bilhões (acréscimo de 8%)
  • Fluxo de caixa gerado pelas atividades operacionais nos primeiros nove meses do ano de € 8,5 bilhões (acréscimo de € 3,6 bilhões)

Em um ambiente de mercado mais fraco do que o esperado, as vendas mundiais da BASF no terceiro trimestre de 2015 foram de € 17,4 bilhões, 5% abaixo do nível do terceiro trimestre anterior. O EBITDA aumentou € 358 milhões, indo para € 2,9 bilhões, principalmente devido a uma depreciação maior. Em contraste, o resultado das operações (EBIT) antes de itens extraordinários diminuiu € 171 milhões indo para € 1,6 bilhão. No segmento de Químicos, o EBIT antes de itens extraordinários aumentou ligeiramente e no segmento de Materiais & Soluções Funcionais, o EBIT apresentou um aumento considerável. Nos demais segmentos, os resultados diminuíram significativamente.

“Passamos por uma calmaria de verão pronunciada e nenhuma recuperação de volume em setembro. Os principais mercados como o do Brasil estão em recessão ou enfrentam taxas de crescimento menores, como a China”, disse o Dr. Kurt Bock, Presidente do Conselho de Administração Executivo da BASF SE.

A queda acentuada no preço do petróleo levou a preços mais baixos (declínio de 8%), principalmente nos segmentos de Químicos e Óleo & Gás. O volume de vendas foi ligeiramente mais baixo (declínio de 1%) do que no terceiro trimestre anterior.  Os volumes no negócio de produtos químicos, que compreende os segmentos de Químicos, Materiais de Performance e Materiais & Soluções Funcionais, estavam abaixo do nível do trimestre do ano anterior, mas aumentaram nos segmentos de Soluções para a Agricultura e Óleo & Gás. Os efeitos cambiais foram positivos (acréscimo de 4%) em todas as divisões, exceto na Proteção de Cultivos.

Os itens extraordinários no EBIT atingiram € 286 milhões no terceiro trimestre de 2015, comparado com menos € 32 milhões no terceiro trimestre de 2014. Este resultado foi proveniente da troca de ativos com a Gazprom realizada no final de setembro de 2015. Em comparação com o terceiro trimestre anterior, o EBIT aumentou € 147 milhões, indo para € 1,9 bilhão. O lucro líquido aumentou € 195 milhões, indo para € 1,2 bilhão. Os ganhos por ação foram de € 1,31 no terceiro trimestre de 2015, em comparação com € 1,11 no mesmo trimestre de 2014.

Nos primeiros nove meses de 2015, as vendas do Grupo BASF estavam em torno de € 56,6 bilhões, 1% superior ao valor registrado no mesmo período do ano anterior. O EBIT antes de itens extraordinários diminuiu € 182 milhões, indo para € 5,7 bilhões. Com o valor de € 5,9 bilhões, o EBIT nos primeiros nove meses de 2015 alcançou o mesmo nível que no mesmo período do ano anterior.

O caixa gerado pelas atividades operacionais, nos primeiros três trimestres de 2015 aumentou € 3,6 bilhões comparado ao ano anterior, indo para € 8,5 bilhões devido principalmente a um declínio nos estoques.

Expectativa para o ano completo de 2015

  • Economia moderada, declínio dos preços do petróleo e troca de ativos com a Gazprom afetando as vendas e lucros no 4º trimestre
  • Ligeira diminuição esperada nas vendas e EBIT antes de itens extraordinários em 2015

Nos três primeiros trimestres de 2015, o crescimento manteve-se aquém das expectativas da empresa para a economia global. O ambiente econômico se complicou em importantes mercados emergentes, especialmente na China. A BASF reduziu ainda mais as suas expectativas para a economia global em 2015 (previsão anterior entre parênteses):

Crescimento do produto interno bruto: 2,3% (2,4%)
Crescimento da produção industrial: 2,0% (2,9%)
Crescimento da produção química: 3,5% (3,8%)
Taxa média de câmbio euro-dólar de $ 1,12 dólares por euro (1,15 dólar por euro)
Preço médio do petróleo para o ano de $ 55 dólares por barril ($ 60 a $ 70 dólares por barril)

A BASF esperava maiores taxas de crescimento no início do ano: O crescimento do produto interno bruto tinha sido considerado como sendo de 2,8%, para a produção industrial de 3,6% e para a produção química de 4,2%. “Além do desenvolvimento econômico mais fraco, o preço do petróleo caiu mais do que o esperado. Além disso, os desinvestimentos concluidos no terceiro trimestre de 2015 vão colocar uma pressão no desenrolar das vendas e lucros. Estamos, portanto, ajustando nossa perspectiva para 2015. Esperamos agora um ligeiro decréscimo nas vendas e EBIT antes de itens extraordinários”, disse Bock.

É improvável que o Grupo BASF alcance a previsão de crescimento de vendas para 2015. A BASF agora espera que as vendas diminuam ligeiramente. Esta suposição é baseada no desinvestimento do negócio de comercialização de gás natural e armazenamento concluído no terceiro trimestre de 2015, bem como o menor preço do petróleo. A empresa continua tendo o objetivo de aumentar os volumes de vendas, excluindo os efeitos de aquisições e desinvestimento.

Contrariando as expectativas, o EBIT antes de itens extraordinários em 2015 provavelmente não irá atingir o nível do ano anterior, mas em vez disso, haverá uma ligeira diminuição. A BASF continua esperando maiores contribuições do negócio de produtos químicos, enquanto que os ganhos no segmento de Oléo & Gás irão diminuir consideravelmente. No negócio de proteção de cultivos, o ambiente de mercado difícil irá provavelmente resultar em ganhos que, ao contrário das expectativas, vêm em nível um pouco abaixo de 2014. A BASF ainda prevê um ligeiro declínio no EBIT para o Grupo BASF. Em 2014, os níveis mais elevados de receitas extraordináris resultou principalmente da venda da participação de 50% na Styrolution Holding GmbH.

Desenvolvimento de negócios nos segmentos no 3º trimestre

As vendas no segmento de Químicos foram de € 3,6 bilhões, uma queda de 13% em comparação com o terceiro trimestre de 2014. Isto ocorreu essencialmente pela redução dos preços devido a diminuição dos custos das matérias-primas, especialmente na divisão de Petroquímicos. As vendas também foram reduzidas pela venda da participação da BASF na operação conjunta com a Ellba Eastern Private Ltd. sediada em Cingapura no final de 2014. Tais acontecimentos foram compensados parcialmente por efeitos cambiais positivos e aumento dos volumes nas divisões de Intermediários e Monômeros. O EBIT antes de itens extraordinários aumentou €17 milhões, indo para € 633 milhões, principalmente como resultado de maiores margens na divisão Petroquímica.

No segmento de Produtos de Performance, as vendas diminuíram 1%, comparadas ao terceiro trimestre do ano anterior, indo para € 3,9 bilhões. Isto foi devido a preços mais baixos, volumes mais fracos e nenhuma venda do negócio de produtos químicos têxteis, vendido em junho de 2015. Os efeitos cambiais tiveram uma influência positiva sobre as vendas em todas as divisões. A redução dos volumes de vendas ocorreu devido a menores volumes no negócio de pigmentos, bem como a fraca demanda na área de produtos químicos petrolíferos relacionada com a evolução do preço do petróleo. A intensa concorrência no negócio de vitamina colocou pressão sobre os preços. O ambiente de mercado para produtos químicos de papel manteve-se difícil. O EBIT antes de itens extraordinários caiu € 57 milhões, indo para € 319 milhões devido a custos fixos mais elevados originados pelo startup de novas plantas, bem como efeitos cambiais.

No segmento de Materiais & Soluções Funcionais, as vendas foram iguais ao terceiro trimestre de 2014 mantendo-se em $ 4,5 bilhões. Efeitos cambiais positivos equilibraram os preços mais baixos e o ligeiro declínio nos volumes. A alta demanda da indústria automotiva e de construção não foi capaz de compensar totalmente os volumes de vendas mais baixos no comércio de metais preciosos. O EBIT antes de itens extraordinários melhorou em € 61 milhões, indo para € 371 milhões, graças principalmente à contribuição da divisão de Materiais de Performance.

Comparado com o terceiro trimestre anterior, as vendas aumentaram 6%, indo para € 1,1 bilhão no segmento de Soluções para a Agricultura devido a volumes e preços maiores. A forte desvalorização do Real resultou em efeitos negativos de câmbio. O EBIT antes de itens extraordinários diminuiu em € 36 milhões, indo para € 7 milhões. Isto foi em grande parte o resultado de custos mais elevados decorrentes principalmente do aumento de capacidade e redução de estoques.

Com € 3,6 bilhões, as vendas do segmento de Óleo & Gás caíram 2% em comparação com o mesmo período do ano anterior, predominantemente em consequência da queda nos preços no negócio de comercialização de Gás Natural. Apesar da queda acentuada no preço do petróleo, as vendas cresceram no setor de Exploração & Produção graças a volumes mais elevados e os efeitos de portfólio. A menor contribuição da comercialização de Gás Natural resultou em uma diminuição considerável nos lucros; o EBIT antes de itens extraordinários diminuiu € 65 milhões, indo para € 371 milhões.

As vendas do segmento Outros caíram 30%, indo para € 685 milhões em comparação com o terceiro trimestre de 2014. A diminuição da comercialização de matérias-primas e da venda da participação da BASF na operação conjunta Ellba Eastern Private Ltd., no final de 2014 foram os principais responsáveis por este resultado. O EBIT antes de itens extraordinários diminuiu € 91 milhões, indo para menos € 98 milhões, principalmente devido ao menor nível de reversão das provisões para o programa de incentivo de longo prazo, em comparação com o terceiro trimestre anterior.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: