Pesquisa do Export Plastic identifica oportunidades para transformadores brasileiros no mercado colombiano

Apontada como um dos mercados prioritários do Programa Export Plastic, a Colômbia foi alvo de um estudo sobre suas características, atratividade, as especificidades do mercado de plásticos, obstáculos e oportunidades que oferece às empresas brasileiras.

O estudo traz informações sobre economia – taxa de câmbio, saldo da balança comercial, reserva de divisas e PIB por setor; aspectos geográficos, especialmente em relação à logística (portos, aeroportos e companhias de navegação); e legislação (preferências tarifárias, acordos comerciais bilaterais e multilaterais, regime alfandegário, impostos, licenças, marcas e patentes). Além da análise macroeconômica, o estudo também aprofunda em setores de interesse da indústria brasileira de plásticos, como o de Utilidades Domésticas, Filmes Plásticos, Nãotecido, Rótulos e Etiquetas, Estruturas Laminadas em BOPP e PE com outras estruturas, Sacolas-Camiseta e Sacolas Alça-Fita.

Um dos principais pontos abordados foi em relação à internacionalização da economia colombiana e o processo de abertura nas últimas duas décadas. Cada mercado apresentou uma especificidade, no entanto, a pesquisa mostrou que a indústria de Utensílios Domésticos Plásticos, por exemplo, é pouco desenvolvida e sofisticada. Ou seja, há espaço para os transformadores brasileiros, que agregam valor aos seus produtos, se inserirem nesse segmento. Quanto aos parceiros comerciais, no setor de Plásticos, os principais exportadores para a Colômbia são a China e os Estados Unidos, seguidos de Brasil, Peru e Equador.

Hoje, a Colômbia ocupa a 29ª posição entre as economias mundiais em termos de PIB (US$ 378,7 bilhões (FMI, 2011) sendo a quarta maior da América Latina. Fica atrás somente de Brasil, México e Argentina. O país viu seu Produto Interno Bruto (PIB) crescer em 2011, alcançando a marca dos 5,9% frente aos 4% registrados em 2010. A capital Bogotá abriga mais de 15% da população nacional e, além dela, outros nove distritos foram contemplados no estudo, entre eles Barranquilla, Cartagena, Cúcuta e Popayán.

Segundo a Apex-Brasil, a corrente de comércio entre o Brasil e a Colômbia (exportações mais importações) alcançou um total de US$ 3,9 bilhões em 2011, com aumento de 17,36% das exportações. Na última década, o valor exportado vem crescendo constantemente, tendo passado de US$ 515 milhões em 2000 para US$ 2,57 bilhões em 2011. “Especificamente para os transformadores de plástico associados ao Programa, a Colômbia foi o nono destino mais importante no ano passado”, avalia o gerente executivo do Export Plastic, Marco Wydra.

O país é sede de eventos de grande porte voltados à geração de negócios, como a Andina- Pack e a Colombiaplast, feiras que reúnem empresas do setor de Embalagens para alimentos, bebidas, cosméticos, produtos farmacêuticos, de higiene e limpeza e que estão entre os eventos previstos no calendário do Export Plastic.

Para conhecer detalhes do estudo, entre em contato com o Programa Export Plastic pelo site: http://www.exportplastic.com.br.

Fonte: Boletim Export Plastic

Curta nossa página no

Anúncios

Tags: , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: