BRASILPLAST 2011 confirma projeções positivas para o setor do plástico no Brasil

Expositores comemoram fechamento de negócios durante a feira, que atraiu 65 mil visitantes-compradores

A BRASILPLAST (13ª Feira Internacional da Indústria do Plástico), promovida pela Reed Exhibitions Alcântara Machado, refletiu o bom momento da economia brasileira com a retomada de investimentos em toda cadeia produtiva do plástico. Na avaliação de grande parte dos 1390 expositores, sendo 504 internacionais, o balanço foi positivo, com realização de negócios concretizados entre os dias 9 e 13 de maio, que serão ampliados ao longo dos próximos meses. Esta edição também foi marcada por novas soluções em produtos e serviços de reciclagem e biodegradação, que atraíram  65 mil visitantes-compradores ao Pavilhão de Exposições do Anhembi.

 As linhas de crédito oferecidas pelo BNDES e Nossa Caixa também contribuíram para fomentar negócios na BRASILPLAST. Segundo o gerente de promoções e eventos do BNDES, Sidney Ferreira de Carvalho, 80% dos atendimentos realizados durante a feira eram de micro e pequenas empresas e 20% de médias empresas, interessadas em financiamentos de máquinas. Nos cindo dias de feira, foram registrados 158 atendimentos. A Agência de Fomento Paulista/Nossa Caixa emitiu Cartas de Crédito no valor de R$ 5 milhões, para financiar o desenvolvimento de pequenas e médias empresas paulistas, assim como a compra de equipamentos.

 Além de consolidar as marcas e estreitar contatos com novos clientes, várias empresas conseguiram fechar negócios na feira. Expositores do setor de máquinas e equipamentos realizaram vendas que, somadas, atingiram aproximadamente R$ 6 milhões.  Os excelentes resultados foram atingidos pela Staübli, que superou a cifra de R$ 1 milhão, seguidas pela Wortex, com R$ 3 milhões em equipamentos, e a Coperion, com R$ 2 milhões. Sem revelar o volume de negócios, a Carnevalli vendeu 10 máquinas.

 A feira também atraiu investidores estrangeiros para a 24ª edição do Projeto Comprador, que faz parte do Programa Export Plastic, em parceria com a APEX (Associação Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), reuniu 29 empresas brasileiras e seis estrangeiras, nas rodadas de negócios realizadas no primeiro dia da BRASILPLAST. Representantes de empresas americanas e chilenas, se encontraram com empresários brasileiros em 81 reuniões de negócios.

 Avaliação das entidades setoriais

 Para o presidente do Conselho Diretor da Associação Brasileira da Indústria Química (ABIQUIM), Henri Slezynger, os negócios realizados e o número de visitantes, do Brasil e do exterior, são indicativos da expectativa de forte crescimento do mercado para produtos plásticos nos próximos anos. “Os fornecedores de matérias-primas, de máquinas e equipamentos e os transformadores que participaram da BRASILPLAST demonstraram que estão preparados para atender ao aumento da demanda do mercado e competir no mercado externo”, afirma

 Na avaliação do presidente do Sindicato da Indústria de Resinas Plásticas (Siresp), Luiz de Mendonça, a BRASILPLAST teve resultados muito positivos: “mais uma vez, a feira abriu espaço para que a indústria pudesse mostrar o seu potencial para contribuir com o desenvolvimento do País, no momento em que o Brasil se apresenta como palco de oportunidades e de investimentos. Para um crescimento projetado do PIB brasileiro de 4,5% em 2011, o consumo aparente deve evoluir acima de 9%, mantida a elasticidade histórica de aumento da demanda ao redor de duas vezes em relação ao PIB”.

 “A ideia de criar a Operação Reciclar foi unir todos os projetos relacionados à reciclagem em um mesmo espaço. O plástico é reciclável, mas para vermos esse resultado, é necessário que empresas, governo e população se unam em uma mesma ação. Quando o governo investe, por exemplo, em coleta seletiva, a população se sente motivada a separar seu lixo. Mas elas também querem ver esse esforço gerando resultados. Com a união desses três componentes, a reciclagem no Brasil pode se tornar, de fato, uma realidade”, afirma Miguel Bahiense Neto, Presidente da Plastivida, do Instituto do PVC e do INP (Instituto Nacional do Plástico).

 Participação Internacional

 A BRASILPLAST contou com maior participação de empresas internacionais, em comparação com a edição anterior, que reuniu 30 países. Este ano, participaram importantes companhias de 36 países, entre eles Alemanha, Itália e Canadá. Sendo que Turquia, Dinamarca e Irã, estiveram pela primeira vez no evento.

 O pavilhão Italiano trouxe 43 empresas. Segundo Mônica M.M. Cardoso, representante do Instituto Italiano para o Comércio Exterior da Embaixada da Itália, “a Acma fez ótimos negócios, e a Tecnodinamica, estreou na feira com uma grande venda”.

 A empresa mexicana Conair também participou pela primeira vez. “Notamos um interesse muito grande por parte dos visitantes, com oportunidades de negócios. Somos representantes de vendas na América Latina e a meta é de ampliar nossa presença no Brasil”, explicou o Engenheiro Analdo O. Monteiro.

 O balanço também foi positivo para os dez expositores do pavilhão da Turquia. De acordo com Mehmet Karaçonan, do departamento de produtos químicos da IKMIB, associação filiada à secretaria do comércio exterior da Turquia, “os negócios foram muito bem. Atingimos nosso objetivo maior que era estar em contato com clientes e apresentar as nossas marcas”.

 No pavilhão da Suíça, as empresas também comemoraram. “Nosso principal objetivo é mostrar equipamentos de ultrassom de alta tecnologia. Conseguimos fechar muitos negócios com compradores que realmente nos interessam”, afirmou Alda Bottega, gerente administrativa da TEC-B.

 Confira depoimentos de outros expositores

 Antonio Lopes, Diretor Comercial da Sandretto: “A feira está muito boa e nos proporcionou a concretização de negócios. Acredito que participar de feiras como a BRASILPLAST é muito importante, pois a empresa tem a oportunidade de divulgar os produtos e a força que a empresa tem no mercado. Com certeza, estaremos presentes na próxima edição”.

 Alexandre Fix, Diretor Comercial da Polimold: “A feira está fantástica e os visitantes são de alto nível. O objetivo principal da Polimold não é fechar negócio, mas sim a confraternização com nossos clientes. Recebemos visitantes de todo o Brasil e do exterior, como Argentina e Chile. Pretendemos voltar em 2013”.

 Andreas Fleischhauer, Diretor da Unidade Regional de Negócios de Plástico e Espumas da Basf América do Sul: “A feira tem sido um grande sucesso. A BRASILPLAST deixou de ser uma feira brasileira para se tornar internacional. Nossa intenção é divulgar a marca Basf, e a feira tem sido um ótimo caminho para isso”.

 Ricardo Knecht, Diretor Presidente da Sabic América do Sul: “Esse ano tem sido especialmente bom para a Sabic. Com a retomada da economia brasileira, aumento na infraestrutura e a vinda de eventos importantes ao país, o Brasil cresceu e isso trouxe benefícios à empresa”.

 Hermes Alberto Lago Filho, diretor da Romi: “Tudo indica que o mercado será positivo para o próximo semestre, a BRASILPLAST consegue mostrar todas as tendências para o resto do ano. Este ano a feira está melhor, até porque o cenário colaborou, se compararmos com o ano de 2009. Sempre participamos desta feira, afinal, aqui conseguimos expor os nossos produtos para o público certo, voltado para o nosso setor”.

 Laercio Gonçalves, Presidente da Activas: “Estamos sempre presentes na BRASILPLAST. O nosso objetivo não é vender produtos, mas sim, criar relacionamentos. Nesta edição, a feira trouxe visitantes de qualidade, voltados para o nosso setor. Conseguimos aumentar a nossa carteira de clientes”.

 José Carlos Nunes de Freitas, diretor comercial da Flexopower: “Há 17 anos, participamos da BRASILPLAST, que abre oportunidade de negócios, relacionamento com novos clientes e a exposição dos nossos produtos e tecnologias”.

 Nestor de Mattos, diretor de vendas da Dow: “Nesta edição da BRASILPLAST os visitantes estão mais informados e voltados para o setor. A feira é uma excelente oportunidade para criar relacionamentos, que é o nosso objetivo. Aqui, conseguimos plantar boas sementes para colher excelentes frutos no futuro. Sempre trazemos para feira o que há de melhor e mais moderno para apresentar ao nosso público”.

 Carlos Alberto Tieghi, Vice Presidente da Solvay: “A feira superou nossas expectativas em relação aos visitantes e contatos de qualidade. Tivemos no estande, a presença de visitantes de toda a América Latina e de outros países. Conseguimos criar relacionamentos, adquirir novos clientes e expor o nosso produto para o público certo”.

 Marcelo Calil Bianchi, diretor comercial da Unigel: “Este ano a quantidade e a qualidade dos visitantes nos surpreenderam. Participamos com um espaço maior, recebemos diversas visitas internacionais, o que deve gerar de novos negócios”.

 Frank Alcântara, diretor de marketing institucional da Braskem: “Acreditamos muito na BRASILPLAST como um dos mais importantes eventos do setor. Por isto, trazemos a cultura da empresa para o evento, que oferece oportunidade de muitos encontros com os clientes. Investimos muito em inovação e tecnologia, para deixarmos os clientes à vontade e estabelecermos as relações de parceria. O estande foi o maior da feira, ocupando 2400 m², com 350 funcionários trabalhando diariamente. Também foram realizadas 20 palestras, que contaram com a participação de cerca de 50 pessoas cada”.

 Andrea Guimini, diretora comercial da Acma (Itália): “O resultado foi muito positivo. Esperamos que feira nos traga grandes frutos. Temos a intenção de abrir uma filial aqui e participar da próxima edição da BRASILPLAST”.

 Flávio Modoco, diretor de exportações da Termodinamica (Itália): “Vendemos máquinas desde o primeiro dia, o que nos deixou muito felizes e satisfeitos”.

 Víctor Costa, gerente de desenvolvimento de negócios da UBE: “Estamos muito impressionados com a quantidade e qualidade de visitantes. Todos queriam conhecer nossos produtos e entender o que podemos oferecer em relação à concorrência.”

 Renato Santacroce, gerente de vendas para a América Latina da Milliken: “Nesta edição, a visitação melhorou em qualidade em relação a 2009. A feira é uma plataforma de relacionamento que posteriormente gera frutos. Fechar vendas no evento não é o nosso modelo de negócios. Já recebemos propostas muito boas na feira sobre o produto.”

 Geraldo Luis de Lorena Pires, Consultor de Projetos Sócioambientais da Plastivida: “Estamos contentes com a repercussão que o Operação Reciclar teve na BRASILPLAST. Essa foi a 1ª edição do projeto, que está sendo bem comentada. A nossa intenção, com o espaço, é mostrar que o plástico é 100% reciclável.”

Fonte: Assessoria de Imprensa BRASILPLAST

Fotos (crédito): Getty Images

Tags: , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: