Programa Proplástico do BNDES desperta interesse na cadeia produtiva do plástico.

Uma linha de financiamento com R$ 700 milhões em empréstimos que irá contribuir para o desenvolvimento da cadeia produtiva do plástico chamou a atenção dos representantes do setor em reunião do Fórum de Competitividade de Plástico realizada na terça-feira (22) na sede da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), em São Paulo.

O programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Plástico – BNDES Proplástico, aprovado no último dia 8, tem como objetivo incentivar o aumento da produção de transformados plásticos, embalagens, equipamentos e moldes; melhorar padrões de qualidade; diminuir o déficit comercial da cadeia; modernizar parques industriais; estimular projetos inovadores e o desenvolvimento de soluções ecologicamente corretas e socialmente responsáveis. A data de vigência do programa de estímulo à indústria de plástico é até setembro de 2012.

“É uma iniciativa inédita para o País e uma ótima oportunidade para o fortalecimento de todos os elos da cadeia”, avalia a líder do Projeto de Desenvolvimento Setorial de Plásticos da ABDI, Junia Motta. O programa do BNDES contempla o setor de transformação, distribuição de resina, empresas de reciclagem, máquinas, equipamentos e moldes. As cinco linhas de crédito direto, no valor mínimo de R$ 3 milhões, são voltadas para incorporação, fusão ou aquisição de empresas, apoio à produção e modernização, aquisição de máquinas novas com o sucateamento obrigatório das antigas, inovação e investimentos em reciclagem e outros investimentos de caráter socioambiental.

Segundo Junia, a proposta entusiasmou empresários que já solicitaram a divulgação da linha de financiamento em eventos setoriais. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Diadema (SP), por exemplo, já sinalizou que quer uma apresentação do Proplástico para cerca de 350 empresas da região. Em parceria com a ABDI, o Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado de São Paulo (Sindiplast) e o Sindicato da Indústria de Artefatos de Borracha do Estado de São Paulo (Sindibor), a Secretaria desenvolve o Programa de Desenvolvimento Setorial que tem como objetivo aumentar a competitividade da cadeia produtiva de plásticos por meio de ações de capacitação, rodadas tecnológicas, oficinas de design, diagnósticos de gestão e inovação.

Outro ponto que desperta o interesse do empresariado é o estudo “Caracterização da Cadeia Petroquímica e de Transformados Plásticos”, encomendado pela ABDI. O material aborda a integração dos elos da cadeia, as matérias-primas, inserção no mercado externo, infraestrutura tecnológica, além da aplicação do design, reciclagem e tributação.

A iniciativa da Agência tem o objetivo de facilitar a compreensão do setor, da sua estrutura de mercado e de fatores determinantes de competitividade tanto para órgãos governamentais quanto para a iniciativa privada.

Fonte: Coordenação de Comunicação – ABDI

Tags: , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: