Archive for the ‘Plásticos na Construção’ Category

Amut-Wortex apresenta sua nova linha de extrusão de rosca dupla para fabricação de tubos de PVC

03/06/2014

Amut_WortexA indústria de transformação de plástico nacional tem, a partir de agora, uma nova linha de extrusão de rosca dupla para fabricação de tubos de PVC, desenvolvida pela Amut-Wortex nas novas instalações, em Campinas (SP). Com investimentos de R$ 4 milhões, que envolvem a ampliação da fábrica e aquisição de maquinários, o grupo italiano Amut acredita no potencial do Brasil e na alta capacidade tecnológica e de produção da Wortex para expandir seus negócios.

“A partir da Itália, a AMUT exporta 90% da sua produção para os mercados europeu, norte-americano e asiático. Encontramos na Wortex o parceiro ideal para tornar realidade a manufatura e distribuição dos nossos produtos, a exemplo, desta linha de extrusão com dupla rosca contra-rotante com produção simultânea de dois tubos, ideal para produção de tubos pequenos e médios para os setores da construção”, explica Angelo Milani, diretor comercial da Amut.

Com uma ampla gama de aplicações, o PVC é usado principalmente na construção civil, em redes de distribuição de água e esgoto, irrigação, conduítes entre outros. A nova extrusora tem capacidade para produzir de 600 a 700kg/hora de tubos de PVC com diâmetros que vão de 20 a 125 mm. Entretanto, a Amut-Wortex está capacitada para produzir tubos de PVC de até 1,20m de diâmetro, de polietileno até 1,60m e vários outros tipos de tubos para aplicações para a indústria médica, automobilística, etc.

Atualmente, a Amut-Wortex tem um corpo de colaboradores, formado por engenheiros, equipe comercial e assistência técnica. A nova fábrica da empresa em Campinas possui instalações de 3,5 mil m². A meta é aumentar para 6 mil m² até o início de 2015.

Intercâmbio Brasil-Itália

A Wortex iniciou, em abril de 2013, junto ao grupo italiano Amut, uma joint-venture que está trazendo para a indústria de transformação de plástico nacional mais inovação tecnológica e investimentos para o setor.

De acordo com o diretor da Wortex, Paolo De Filippis, os produtos que a Amut-Wortex se propõe a fabricar aqui terão índice de nacionalização dentro dos parâmetros requeridos pelo BNDES para enquadramento ao FINAME. Trata-se de um intercâmbio, no qual a empresa italiana está transferindo tecnologia para produção de chapas, tubos, termoformadoras e equipamentos para reciclagem, principalmente de material pet, tecnologia esta que complementa as linhas de reciclagem já fabricadas pela Wortex.

Fonte: Wortex

Curta nossa página no

Braskem e Abitelha apresentam novidades em PVC na maior feira de coberturas do país

28/05/2014

Sustentáveis e inovadoras, as telhas em PVC devem atingir 15% do mercado de coberturas em 10 anos, com economia de 25% em relação às telhas convencionais

Em parceria com a Abitelha (Associação Brasileira da Indústria de Telhas de PVC), a Braskem esteve presente na TeCobI Expo 2014, evento que exibiu as principais novidades sobre telhados, coberturas, lajes e impermeabilização. A feira ocorreu entre os dias 20 e 22 de maio, no Transamérica Expo Center, em São Paulo, reunindo mais de 6 mil visitantes, entre engenheiros, arquitetos, empreiteiros, revendedores e distribuidores de materiais de construção, com 150 marcas expositoras.

Braskem e Abitelha apresentaram os benefícios e crescimento das telhas de PVC, que têm um enorme potencial de mercado no país. Com expectativa de atingir 15% do mercado nacional em 10 anos, a cobertura oferece diversas vantagens, como maior praticidade e durabilidade, economia e variedade, além de ser sustentável e inovadora. O produto é ainda até 25% mais barato se comparado às telhas convencionais, dispensa a utilização de caibros e ripas para sua sustentação e oferece mais segurança, por ser resistente a chamas, por exemplo.

Primeira fabricante do item no país, com início da comercialização em 2011, a mineira Precon também esteve no evento. O produto disponível hoje no Brasil foi desenvolvido com tecnologia chinesa em parceria com a Braskem, fornecedora do PVC, que também foi parceira da empresa para adaptar a tecnologia ao país e identificar o maquinário apropriado para a produção do item. Hoje, o Brasil já conta com seis fabricantes de Telhas PVC e uma produção de aproximadamente 11 mil toneladas. Registrado em 2013, o número é quase quatro vezes superior à produção inicial.

“O crescimento e o potencial para este mercado mostram que as soluções em PVC, já presentes em diversos setores da infraestrutura brasileira, podem ajudar diretamente no desenvolvimento do país, em especial nas áreas de saneamento e construção”, diz Américo Bartilotti, diretor da área de vinílicos da Braskem. “Além disto, as telhas PVC podem representar, para nossos clientes, uma possibilidade de diversificar seus portfólios, possibilitando a atuação em um novo segmento e consequente consolidação no mercado”, conclui o executivo.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem desenvolve nova resina para tubos e adutoras

31/03/2014

Atenta à retomada do planejamento e execução das grandes obras de infraestrutura vinculadas ao PAC2 – Programa de Aceleração do Crescimento do governo federal, a Braskem desenvolveu uma nova resina de polietileno destinada para tubos e adutoras no seu Centro de Tecnologia e Inovação, em Triunfo (RS). No total, foram investidos R$ 16 milhão nos ensaios, nas plantas-piloto da empresa e na adequação da planta industrial para o início da produção. O novo sistema empregado no processo conferiu ao produto uma performance superior, com uma durabilidade calculada de 100 anos em tubos de pressão, contra 50 anos da resina utilizada anteriormente.

As melhorias das propriedades mecânicas – creep (deformação a frio sobre tensão), resistência ao impacto e à propagação rápida de rasgo – garantiram à nova resina o atendimento de todas as normas vigentes utilizadas no segmento (ISO, DIN, EN e NBR). “Além do PAC2, a crescente demanda por esse tipo específico de resina está também vinculada ao programa do governo federal Saneamento para Todos, que tem o objetivo de promover a melhoria das condições de saúde da população por meio da redução dos déficits nos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário”, afirma Marcos Celestino, engenheiro de aplicação da Braskem.

Entre as principais utilizações da resina, estão os tubos para rede de distribuição de água e gás natural, transporte de polpa de minério, de petróleo, redes de esgoto e adutoras. Além das companhias de saneamento e abastecimento de água (Sabesp, em SP, DMAE, no RS, e Copasa, em MG), empresas como Vale, Petrobras e Odebrecht estão entre os usuários finais dos materiais. Os principais clientes da Braskem que utilizam a resina para fabricação dos tubos são Tigre, FGS, Kanaflex, Majestic e Polierg.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Kommerling entra no setor varejista

06/03/2014

Ampliando sua atuação no Brasil, a alemã Kommerling – um dos players mundiais na área de perfis e sistemas de esquadrias de PVC – acaba de entrar no segmento varejista. A empresa está abrindo um programa de revendas, que lhe permitirá aumentar a abrangência fora dos grandes centros, com estabelecimentos que conhecem as peculiaridades de cada localidade.

Segundo Oliver Legge, diretor geral da Kommerling no Brasil, o programa proporcionará, além da consolidação territorial com a presença em regiões estratégicas, a redução de custos, economia de escala e a popularização das esquadrias de PVC, bem como a expansão das vendas. O executivo estima que, em três anos, esta modalidade representará 30% do volume produtivo e dos negócios da companhia no país.

Fonte:  Interativa Comunicação

Curta nossa página no

Bairro dos Compósitos será construído na Feicon

04/02/2014

       Responsável pela iniciativa, ALMACO quer mostrar que o material faz parte do cotidiano das pessoas

        Almaco_Bairro_CompositosEm breve, a cidade de São Paulo ganhará um novo bairro. O projeto vai chamar a atenção de muita gente, a despeito do tamanho e duração: 330 m² e apenas cinco dias. Trata-se do Bairro dos Compósitos que a Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO) (www.almaco.org.br) erguerá na Feicon Batimat, o principal salão da construção civil da América Latina – de 18 a 22/03, no Anhembi.

         A iniciativa, explica Gilmar Lima, presidente da ALMACO, tem como principal objetivo mostrar à sociedade que os compósitos – um tipo de plástico de alta performance – estão presentes no dia a dia de todos, ainda que muitos não façam a mínima ideia.

         “Não é possível imaginar mais as nossas vidas sem o material, e a construção civil é um dos setores que melhor exemplificam isso”, ele afirma. Pias, tanques de lavar roupa, assentos sanitários, caixas d´água, telhas e até casas inteiras são feitas a partir da combinação entre resinas plásticas e fibras de vidro, as principais matérias-primas dos compósitos.

         Como não poderia deixar de ser, o Bairro dos Compósitos terá uma casa e uma escola. Os sistemas construtivos adotados em ambas foram homologados, respectivamente, pelo Programa Minha Casa, Minha Vida e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia do Ministério da Educação. O espaço contará ainda com posto de saúde, loja e área de lazer.

         “Toda a exposição será baseada no material. Dos postes de energia, minigeradores eólicos, banheiros e placas de trânsito até os pontos de ônibus e itens de decoração, tudo será de compósitos”, observa o presidente da ALMACO. O bairro, ele lembra, é uma ação baseada no mesmo conceito da bem-sucedida Compocity, minicidade construída pela ALMACO em 2012. “Na ocasião, cerca de R$ 2 bilhões em negócios foram gerados. A expectativa agora é de, pelo menos, repetir esse número”.

Construção civil lidera o consumo

        As aplicações na construção civil responderam por quase a metade das 210.000 toneladas de compósitos fabricadas no Brasil em 2013. Ano passado, o setor representado pela ALMACO faturou R$ 3,250 bilhões, alta de 8,9% em comparação a 2012. Para este ano, a previsão é de crescimento de 11,5%, totalizando R$ 3,623 bilhões – consumo projetado de 216.000 toneladas (+2,9%).

        Os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, bem como pela versatilidade. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de tanques, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus e aviões.

       Fonte: Almaco

Curta nossa página no

Convenção anual da Kömmerling discutirá eficiência do PVC em grandes obras

03/12/2013

De 29 de janeiro a 1 de fevereiro,  a Kommerling promoverá sua convenção anual em Santiago do Chile,  reunindo  20 parceiros brasileiros. Durante o evento, os participantes terão a oportunidade de discutir o  tema  “Grandes Obras em PVC e Eficiência em Produção”, tendo o mercado chileno como referencial. ¨Trata-se de um país muito avançado no emprego de esquadrias usando esta matéria-prima, aspecto que permite antever o processo evolução pelo qual o Brasil passará  nos próximos anos¨, observa Oliver Legge, diretor da unidade brasileira, acrescentando que a Kömmerling é lider no Chile, tendo papel importante para o desenvolvimento do mercado local. Confiante, a empresa vê com bons olhos o futuro. ¨Em termos de volume de vendas, crescemos 50% em 2013¨, informa o executivo.

Fonte: Interativa / Kömmerling

Curta nossa página no

Perfis de PVC são os destaques da Petry/Kommerling na Intercon 2013

17/09/2013

Provent - Imagem 1A Petry Esquadrias – em parceria com a alemã Kommerling –  apresentará  na feira e Congresso da Construção (Intercon 2013)  novidades também na linha de PVC. Destaque para folhas de porta de correr,  porta de giro,  janelas max-ar e janelas de correr com persianas. O evento acontece de 2 a 5 de outubro em Joinvile.

A Intercon é a principal feira de Santa Catarina e do Paraná no setor da construção civil, o qual vem batendo recordes nesses dois estados, com diversos empreendimentos, que vão desde infraestrutura pública até imóveis de alto padrão.

Gigante global: Administrando negócios globais da ordem de 1 bilhão de euros, a Kommerling conta com unidades produtivas na Alemanha, Estados Unidos, França, Itália, Rússia e China. No Brasil, a empresa opera um centro de distribuição em São José dos Pinhais, no Paraná.

Fonte: Interativa

Curta nossa página no

Braskem leva soluções em plástico para a Concrete Show 2013

29/08/2013

Companhia apresenta mais de 30 produtos com foco em sustentabilidade e produtividade para a construção civil

Durante a Concrete Show 2013, um dos principais eventos nacionais de construção civil, a Braskem apresenta produtos desenvolvidos em plástico em conjunto com clientes, para uso nesse setor. As resinas plásticas têm desempenhado importante papel no desenvolvimento de produtos que buscam preservar os recursos naturais e ao mesmo tempo trazer mais agilidade e qualidade para infraestrutura e edificação.

Os itens apresentados serão divididos em áreas de saneamento, edificações, canteiros, geossintéticos e infraestrutura. A diversidade de soluções representa o investimento da empresa, em parceria com seus clientes, em inovação para o desenvolvimento de peças que atendam às demandas do mercado de construção em busca da eficiência e sustentabilidade. Até dezembro de 2012, a Braskem depositou 650 patentes e 18% do faturamento da companhia com resinas foi gerado por produtos lançados nos últimos três anos.

“A construção civil é uma área importante para o desenvolvimento do País e que tem se mostrado em constante desenvolvimento. Para apoiar esse crescimento, apostamos na pesquisa e na expansão de nosso portfólio com produtos mais sustentáveis e que tragam mais praticidade, agilidade, conforto e qualidade para as obras”, afirma Mônica Evangelista, responsável por Desenvolvimento de Mercado de Polipropileno na Braskem.

Os visitantes da feira poderão conhecer mais de trinta soluções feitas com os plásticos produzidos pela Braskem: polietileno, polipropileno e PVC. Entre os produtos estão os capacetes feitos em polietileno verde I’m greenTM, derivado da cana-de-açúcar, e os geossintéticos para reforço, drenagem, filtro e impermeabilização de terrenos.

Para a construção, a novidade é o sistema BubbleDeck que utiliza esferas de plástico com objetivo de reduzir o peso das lajes, usando polipropileno de forma a ocupar a zona de concreto que não desempenha função estrutural – proporcionando maior agilidade, menor custo e impacto ambiental, segundo a Braskem. Outro destaque são as mantas expandidas de polietileno, solução que reduz ruídos entre pavimentos ao serem aplicadas entre a laje e o contra piso.

O PVC, já muito usado na construção para a produção de tubos e conexões, começou a ampliar participação em outras aplicações. Um exemplo é o sistema construtivo Concreto PVC, tecnologia inovadora que permite construir, de forma rápida e em escala industrial, diferentes tipos de edificações. De acordo com a Braskem, o sistema proporciona menor perda por entulho, redução do desperdício de materiais, de consumo de água e energia na obra, além de expressivo ganho em produtividade.

As telhas produzidas com o PVC também estarão presentes. Além dos diferenciais técnicos, inerentes à resina, como resistência a agentes químicos, leveza e durabilidade, as telhas de PVC se mantêm estáveis às tempestades, granizos e outras intempéries, afirma a empresa. Frente às variações de temperatura, sua estabilidade estrutural e de cor são superiores às telhas convencionais.

Para a área de saneamento, além de diferentes soluções em tubos, a Braskem apresenta os poços de visita, conhecidos tradicionalmente como bueiros, feitos de polietileno, os quais se diferenciam pela durabilidade, já que possuem excelente resistência a quebra sobre pressão e resistência a impacto, de acordo com a empresa Com isso, estão menos sujeitos a fissuras e orifícios que levam ao vazamento, evitando contaminações do solo.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Termotécnica apresenta Sistema Construtivo com EPS durante Feira do Concreto em São Paulo

26/08/2013

Termotecnica_Monoforte_1O Sistema Construtivo Monoforte, feito a partir de painéis monolíticos de EPS (isopor®) e telas de aço galvanizado, será uma das atrações do Concrete Show, maior evento da cadeia produtiva do concreto do Brasil, que acontecerá entre os dias 28 e 30 de agosto, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo (SP).

Muito utilizado na construção civil mundo afora, o EPS ― sigla que representa o poliestireno expandido ― traz, segundo a Termotécnica, uma série de vantagens às edificações, como o maior conforto térmico e acústico dos ambientes e a diminuição do custo final da obra, com economia nas fundações e redução do efetivo de mão de obra.

Ressalta a empresa que o uso do EPS, material 100% reciclável e reutilizável,  torna as obras ecoeficientes,  já que utilizam menos recursos naturais, como água e energia elétrica, e, graças à facilidade de transporte do material ― leve e compacto ―, emitem menores quantidades de CO2 na atmosfera.

“Existe uma enorme expectativa em torno do Monoforte, principalmente por parte dos profissionais que buscam sistemas inovadores e competitivos para propor melhores soluções para os seus clientes”, explica Adriano Vendramini Dessimoni, diretor comercial da Termotécnica, maior indústria transformadora de EPS da América Latina, desenvolvedora deste sistema construtivo.

As vendas têm se intensificado, com uma tendência de aumento da demanda ainda neste segundo semestre de 2013, destaca a empresa. “A lista de clientes potenciais não para de crescer e deve ficar ainda maior quando apresentarmos algumas novidades”, continua Dessimoni.

Adriano Dessimoni aproveita para explicar como o Monoforte se encaixa nessa demanda. “As grandes construtoras e incorporadoras estão cada dia mais exigentes com relação à garantia da qualidade dos materiais de construção e à quantidade cada vez maior de edifícios verdes nas grandes cidades. Isso tem aumentando significativamente as exigências técnicas e ambientais dos produtos utilizados nestas obras. A Termotécnica está atenta a tudo isso, trabalhando na pesquisa e desenvolvimento de produtos, entre outros fatores, para continuar trazendo soluções inovadoras e seguras para o mercado”.

Sobre a Termotécnica: Fundada em 1961, a Termotécnica é a maior transformadora de EPS (Poliestireno Expandido, conhecido como isopor®), da América do Sul. Fabrica sua própria matéria-prima e produtos acabados. Atua nos segmentos de eletrodomésticos, eletroeletrônicos, construção civil, utilidades domésticas, agroindústria, alimentício, bebidas, produtos frágeis, entre outros. Dispõe de unidades em Joinville e Pirabeiraba (SC), Goiânia (GO), Sumaré (SP), São José dos Pinhais (PR), Rio Claro (SP), Indaiatuba (SP), Petrolina (PE), Sapucaia do Sul (RS) e Manaus (AM).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Termotécnica

Curta nossa página no

Braskem e BubbleDeck introduzem na construção civil brasileira tecnologia que utiliza esferas de plástico em lajes

02/08/2013

Bem sucedido na Europa, o sistema já é utilizado pela construtora Odebrecht no Centro Administrativo do Distrito Federal

Braskem_bubbledeckA construção brasileira ganha mais uma oportunidade de inovação. A empresa dinamarquesa BubbleDeck , com apoio da Braskem, lança no Brasil um sistema construtivo que utiliza esferas de plástico com objetivo de reduzir o peso próprio das lajes , proporcionando maior agilidade em obras, menor custo e impacto ambiental. A novidade já esta sendo usada pela construtora Odebrecht na obra construção do Centro Administrativo do Distrito Federal (CADF), realizada pelo consórcio Odebrecht Infraestrutura e Via Engenharia. Conhecida como tecnologia BubbleDeck®, este sistema construtivo já é utilizado em mais de trinta países e ganhou diversos prêmios europeus em razão do alto grau de inovação e sustentabilidade.

O sistema é composto por esferas de polipropileno inseridas de forma uniforme entre duas telas de aço. As esferas são introduzidas de forma a ocupar a zona de concreto que não desempenha a função estrutural. Dessa forma, é possível construir lajes com a mesma resistência de uma laje plana maciça, porém mais leves, afirma a Braskem. Isso proporciona uma redução considerável de materiais, aumento da produtividade e, consequentemente, redução dos impactos ambientais.

Quando se trata de economia de insumos, o sistema economiza, em geral, até 35% de concreto, de acordo com a Braskem. A título de exemplo, uma laje BubbleDeck de 280mm de espessura reduz o consumo de 0,09 m³ de concreto por m² de laje, que corresponde a aproximadamente 216 kg do material. Desta forma, ao utilizar o Bubbledeck pode-se deixar de emitir até 23,5 kg de CO² equivalente por m² de laje.

Segundo a Braskem, com o uso das esferas não há necessidade de utilização de vigas e o número de pilares é reduzido, permitindo vãos maiores, estrutura ideal para grandes construções, como estacionamentos. O sistema também proporciona isolamento acústico e térmico e, em caso de incêndio, as esferas carbonizam sem emitir gases tóxicos.

“Com a forte expansão da construção civil brasileira, é preciso investir em novas técnicas que busquem praticidade, bom custo-benefício e ecoefiência. O sistema construtivo BubbleDeck possui todos estes atributos e é por este motivo que a Braskem apoia e dissemina esta nova tecnologia em nosso país”, afirma Walmir Soller, diretor do negócio de polipropileno da Braskem.

Aplicação

A tecnologia BubbleDeck foi escolhida para fazer parte da construção do Centro Administrativo do Distrito Federal (CADF) que está sendo construído pela Odebrecht Infraestrutura e Via Engenharia. Serão 16 prédios em uma área construída de 178 mil m², com cronograma de produção de 1.000 m² de painéis BubbleDeck por dia, o que representará uma redução do consumo de concreto e do uso de escoramento em relação ao projeto original. Segundo a Braskem/BubbleDeck, estes números representam uma redução considerável na quantidade de viagens de caminhão e evitam o corte de cerca de 2.800 árvores.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Mantas de polietileno para isolamento acústico prometem atender a exigências de nova norma ABNT

18/07/2013
  • Norma da ABNT que determina isolamento acústico nos edifícios entra em vigor no dia 19 de julho
  • Indústria apresenta as mantas de polietileno como solução com melhor relação entre desempenho, durabilidade e custo para a nova exigência

Manta_polietileno_BraskemSom de passos, animais, crianças pulando, o arrastar de móveis e a televisão alta são reclamações constantes para quem mora em prédios, o que faz com que o barulho esteja entre os principais problemas dos condomínios. No entanto, esta briga já tem data para acabar. A partir do próximo dia 19, as construtoras de todo país terão de seguir a norma ABNT 15575 que estabelece requisitos mínimos de desempenho acústico em novas edificações e determina que os apartamentos poderão receber, no máximo, 40 decibéis de ruídos externos.

Entre as novidades que estão sendo desenvolvidas pela indústria para este novo cenário, as mantas expandidas de polietileno são uma solução para a redução de ruídos entre os andares e,  segundo os fabricantes,  apresentam o  melhor custo-benefício oferecido pelo mercado. Produzidas pela Multinova, com apoio da Braskem, as mantas de polietileno são aplicadas entre a laje e o contra piso, proporcionando a redução de ruídos entre os andares. O produto é feito em polietileno, o plástico mais usado no mundo, através de um processo controlado de extrusão e expansão do material, o que torna a solução mais leve e com maior durabilidade.

O custo da manta com cinco milímetros é de pouco menos de R$ 3 por metro quadrado, três vezes menor do que o de outros materiais com a mesma função. Em um apartamento de 100m², por exemplo, o valor investido no isolamento de áreas secas seria de cerca de R$ 200 reais. A instalação em uma área de 70m², por exemplo, demora em média 1,5 hora. Isto porque a aplicação também é mais rápida, já que não necessita de aparelhos ou manuseio especial, o que não interfere no tempo de entrega da obra.

De acordo com a Braskem, as mantas de polietileno expandido, que possuem cinco ou dez milímetros de espessura, não se degradam em contato com a umidade, seguem um rigoroso controle de qualidade e têm sua eficiência e durabilidade comprovada através de ensaios técnicos realizados no IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas e no Laboratório da CSAE da Itália. A matéria-prima também tem sua origem certificada. Por suas qualidades, o produto é utilizado ainda em prédios que buscam a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), selo de maior reconhecimento internacional na orientação ambiental de edificações.

“A manta de polietileno é a alternativa mais eficiente e resistente disponível no mercado de isolamento acústico. É preciso que as construtoras e os novos proprietários fiquem atentos aos produtos que garantam um bom desempenho e o conforto necessário”, afirma Jorge Alexandre, responsável por desenvolvimento de mercado de PE da Braskem.

De acordo com Jair da Rosa, gerente comercial corporativo da Multinova, com as novas regras estabelecidas pela ABNT, a demanda da construção civil irá aumentar muito. “Por conta disso desenvolvemos um produto de qualidade para o mercado, atestado e diferenciado através da personalização e características técnicas como Densidade e Creep, mantendo o custo inferior aos produtos similares comercializados devido às características do Polietileno e à capacidade produtiva/hora e estoque das Unidades Fabris da Multinova”, destaca.

ABNT 15575

A norma de desempenho de edificações habitacional, a NBR 15575, é estabelecida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A nova exigência estabelece critérios para a segurança, conforto e resistência que os sistemas que compõem um imóvel devem proporcionar: estrutura, pisos, vedações, coberturas e instalações.

A norma é um divisor de águas na construção civil brasileira, pois obriga as construtoras a conceberem e executarem as obras para que o nível de desempenho especificado em projeto seja atendido ao longo de uma vida útil.  Pela primeira vez, uma norma brasileira associa a qualidade de produtos ao resultado que eles conferem ao consumidor com instruções claras e transparentes sobre como avaliar os resultados.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Poliamida da DSM é usada em perfis de isolamento para janelas de alumínio

12/07/2013
  •  A Royal DSM apresenta a poliamida 4.10 EcoPaXX, um polímero com 70% de componentes de fontes renováveis, que torna os perfis de esquadrias de isolamento  produtos mais sustentáveis. 
  • Fornecedores de janelas de alumínio estão constantemente procurando formas de fabricar produtos mais sustentáveis 

DSM_Esquadrias_1Esquadrias de alumínio incorporam perfis isolantes para garantir diferenças térmicas entre as esquadrias internas e externas de prédios. As diferenças térmicas também contribuem para a integridade mecânica das janelas, por isso precisam ser feitas com materiais de qualidade, hoje em dia em sua grande maioria feitas de poliamida 66. Estas janelas tecnologicamente avançadas contribuem de forma significativa para eficiência energética de casas e prédios.

Os prédios são responsáveis por mais de 40% do consumo mundial de energia e são também responsáveis pela maioria das emissões de CO2, segundo a Organização para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OECD). O setor da construção tem o dobro do potencial de contribuição nas emissões de CO2 comparado ao setor de transportes e, consequentemente, o dobro de responsabilidade para resolver este problema.

Enquanto a eficiência energética de um edifício em uso é o aspecto mais importante para seus índices de sustentabilidade, o gerenciamento de recursos e a pegada ecológica dos materiais usados para construir um prédio vem sendo cada vez mais levado em conta.

“Produtores de alumínio líderes e inovadores querem desenvolver ofertas de produto que não apenas demonstrem a sustentabilidade na fase de uso, mas também nos materiais utilizados para construir seus produtos”, diz Caroline Mitterlehner, gerente global do segmeto de construção da DSM. “A visão é avançar em direção ao uso de materiais com conteúdo biológico e pegada de carbono mais baixa que os produtos atualmente utilizados”.

O EcoPaXX atende à crescente necessidade de uso de matérias-primas sustentáveis em construções. Aproximadamente 70% da matéira prima do EcoPaXX é proveniente de mamonas (Ricinus Communis), um recurso renovável. O produto tem se provado neutro em carbono em todas as etapas, significando que o dióxido de carbono (CO2) gerado na produção de polímeros é completamente compensado pelo CO2 absorvido pela planta enquanto ela cresce.

Segundo a DMS, o EcoPaXX possui inúmeras vantagens sobre os plásticos de engenharia em esquadrias isolantes, além das associadas com suas credenciais ambientais. Seu alto ponto de fusão de 250°C lhe permite passar por um processo de revestimento de pólvora em um quadro totalmente feito de alumínio, facilitando o processo de montagem. O EcoPaXX oferece excelente resistência hidrolítica e química e uma absorção significativamente menor de umidade que a PA66. As esquadrias de janela que incorporam o EcoPaXX podem ser projetadas de acordo com as exigências dadas pela padronização EN14024, que estabelece exigências para o desempenho mecânico de esquadrias metálicas com barreiras térmicas.

“O uso de mais materiais feitos a partir de fontes renováveis em construções, com pegadas de carbono menores do que em materiais utilizados atualmente, contribui para um ambiente mais sustentável”, acrescenta Caroline Mitterlehner. “O uso de materiais como o EcoPaXX não apenas contribuem para a eficiência energética de construções em uso, mas também garante uma cadeia de produção mais sustentável”.

Fonte: DSM

Curta nossa página no

A Braskem e IAB-Alagoas lançam o concurso Casa PVC

12/07/2013

A Braskem e o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), Departamento Alagoas, lançaram no último dia 10 de julho, Concurso Público Nacional de Arquitetura para a elaboração do projeto de uma casa, cujos elementos construtivos sejam prioritariamente os plásticos, e em especial, o PVC. As inscrições  estão abertas até o dia 9 de agosto. Os projetos devem ser enviados ao IAB do dia 28 de agosto até o dia 06 de setembro.

O concurso faz parte das comemorações da inauguração da primeira unidade de PVC em Alagoas, em 1988. Um dos seus objetivos é dar visibilidade para novas tecnologias aplicadas na construção civil, incorporando  os conceitos de habitação sustentável global. A utilização do Concreto de PVC como matéria prima para o projeto se configura como o grande diferencial no atendimento de requisitos como durabilidade e conforto térmico, sendo ainda, o PVC um material reciclável.

O júri será composto por arquitetos indicados pelo IAB e pela Braskem. A premiação total será de 18 mil reais, sendo 10 mil reais para o 1º colocado, 5 mil reais para o  segundo colocado e 3 mil reais para o terceiro colocado. O resultado do concurso, que terá abrangência nacional, será divulgado no dia 23 de setembro e a solenidade de premiação será no dia 30 de setembro. Os trabalhos vencedores serão objeto de uma exposição aberta ao público, em local ainda não definido.

Para Rafael Tavares, Presidente IAB AL: “A realização de concursos públicos para projetos executivos é uma ação que merece todo apoio e envolvimento do IAB, visto que esta não é uma prática corrente. Outra questão importante é a possibilidade de estimular os profissionais do setor para a incorporação de novas tecnologias em seus projetos”. Para Milton Pradines, Gerente de Relações Institucionais da Braskem, “o concurso é mais uma ação de divulgação do PVC  produzido em Alagoas e que é utilizado em larga escala na construção civil”.

Para Marco Aurélio Campêlo, Gerente da Planta de PVC da Braskem em Alagoas, o “estado é o maior produtor de PVC da América Latina e devemos estimular toda e qualquer ação que dê visibilidade ao produto. Além disso, o país convive um alto déficit habitacional e o PVC é uma das melhores alternativas para utilização nas construções habitacionais”.

As informações sobre o concurso estão disponíveis no site: www.casapvcbraskem.iabal.com.br

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

CasaE da BASF: Uso de Poliuretanos colabora para uma obra rápida e eficiente

04/06/2013
  • Redução no consumo de energia é um dos benefícios alcançados com espuma rígida de poliuretano.
  • Elastômero de poliuretano age como impermeabilizante e pode ser aplicado em superfícies de todos os tipos.

Projeto pioneiro da BASF, a CasaE, Casa de Eficiência Energética, é apresentado no Brasil e traz novidades  desenvolvidas pela empresa no mercado de construções. A unidade brasileira é a décima da BASF no mundo e reúne produtos de todos os segmentos da empresa que juntos colaboram para uma economia de 70% de toda a energia utilizada pela residência.

“A CasaE visa a eficiência energética e conta  com produtos desenvolvidos pela BASF especialmente para ela. Ela reúne em um único espaço, tecnologias que atendem às demandas globais avaliadas pela empresa como grandes desafios para os próximos anos e que servirão como direcionadores dos processos de inovação e sustentabilidade dentro da empresa. Dentre eles está o conceito de urbanização, com ramificações para os setores de construção e cuidados para o lar, já que no ano de 2050, cerca de 75% da população mundial viverá em cidades“, avalia Michel Mertens, vice-presidente sênior da BASF para a América do Sul.

Entre os produtos desenvolvidos especialmente para a CasaE, há uma linha do segmento de Poliuretanos destinados à impermeabilização, fabricação de pisos e ao conforto térmico. Além de serem mais eficientes, essas substâncias diminuem o tempo da obra.

O Elastocoat®, elastômero de poliuretano, apresenta-se como um produto  versátil e durável. Ele funciona como ligante ou membrana impermeabilizante, protegendo as mais diversas superfícies. Na CasaE o produto foi utilizado no piso da guarita, na impermeabilização da laje da sala de reunião e no piso da casa de máquinas.

O projeto também recebeu o ElastopaveTM, um composto aglutinante de poliuretano, que misturado com cascalhos ou pedras constrói superfícies altamente permeáveis, substituindo pavimentos convencionais. O resultado pode ser visto no pavimento drenante ao redor da casa e na calçada.

Entre os Poliuretanos ainda está o Elastopor®/Elastopir®, uma espuma rígida de poliuretano que proporciona maior conforto térmico, reduzindo o consumo de energia e gerando rapidez no processo de instalação. O produto foi aplicado nas paredes e telhas da guarita e  na parede divisória  entre o home e o quarto infantil.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Poliestireno Expandido e Espuma Melamínica geram isolamento térmico e acústico na CasaE construída pela BASF

03/06/2013
  • Além de reduzir consideravelmente os ruídos externos, espuma especial Basotect®  retarda chamas.
  • Isolamente térmico do Neopor®  chega a 20% em relação tradicional.

O projeto CasaE, Casa de Eficiência Energética, pretende mostrar ao mercado brasileiro as últimas novidades em produtos e técnicas para uma construção mais sustentável. A iniciativa da BASF, que com a casa brasileira agora soma 10 unidades no mundo, tem o objetivo de revolucionar o mercado da construção civil. Um dos grandes diferenciais da CasaE é o seu sistema construtivo que, além de maior rapidez na obra, gera uma economia de energia que chega a aproximadamente 70%.

“Queremos mostrar que o conceito construtivo (método, técnica e produtos) utilizado na CasaE pode ser utilizado em uma moradia comum, sendo totalmente factível ao mercado. Aos poucos pretendemos transformar a cultura da indústria da construção e de seus consumidores“, ressalta Michel Mertens, vice-presidente sênior da BASF para a América do Sul.

Na CasaE o sistema construtivo não é de alvenaria tradicional. Entre as inovações que ela apresenta estão os Polímeros de Performance da BASF, que foram usados em quase todos os ambientes. Graças aos produtos dessa linha, a residência tornou-se mais protegida de ruídos externos e de incêndios.

O Neopor® é um dos isolantes mais eficientes do mercado. Os blocos de poliestireno expansível (EPS) geram maior proteção contra umidade e variações de temperatura. Na CasaE o produto foi aplicado nas paredes da sala, dos quartos, da cozinha e do elevador, além das lajes da sala e quartos. O produto apresenta performance de isolamento térmico acima de 20% em relação ao EPS convencional e até 70% acima da alvenaria tradicional.

Já os forros da sala de reunião, do auditório e do home teather foram revestidos com Basotect®, uma espuma especial à base de melamina que promove elevado nível de conforto acústico. O produto ainda é o único dessa categoria que é retardante de chamas.

Além dessas duas soluções, diversas outras foram aplicadas na casa para tornar seu processo mais ágil e com contribuição à eficiência energética.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

BASF apresentou suas inovações na Feiplastic 2013

28/05/2013

Diversas indústrias são contempladas pelas soluções de plástico da BASF

Basf_Feiplastic_320A Feiplastic, maior e mais importante feira do mercado do plástico no Brasil, teve sua 14ª edição em São Paulo, entre os dias 20 e 24 de maio deste ano. E a BASF, empresa química líder global, marcou presença para apresentar suas soluções inovadoras.

O estande da empresa contou com um design diferenciado e propiciou aos visitantes a oportunidade de interação com alguns de seus produtos que estavam aplicados e expostos.

Segmentadas por indústrias, as soluções que foram exibidas na Feiplastic 2013 estão listadas a seguir, segundo informações fornecidas pela BASF:

Construção civil

A construção civil está em crescimento no Brasil e a BASF dispõe de um portfólio de produtos de alta qualidade para atender a esse mercado.

• Elastollan®: material versátil com grande potencial inovador. Este elastômero de Poliuretano Termoplástico (TPU), é desenvolvido, fabricado e comercializado pela BASF. Pode ser moldado por injeção, extrusão ou sopro. Suas características excepcionais  aliam elasticidade e durabilidade sob as mais diversas temperaturas. É resistente à abrasão, impacto, rasgos, enroscamento, óleo, graxa, microrganismos e tem boa capacidade de recuperação elástica. Características essas necessárias para suportar as duras condições da indústria da construção. É aplicado na fabricação de mangueiras convencionais/espirais e em amortecedores de trilhos de trem. Diversos grades de Elastollan® possuem resistência aos raios UV, retardador de chama e também certificado pela NSF International para utilização em dutos de água potável.

• Ultramid® B27 HM 01: poliamida 6 produzida nos EUA especialmente desenvolvida para o recobrimento de fios e cabos elétricos, devido às suas características técnicas de estabilidade térmica, resistência mecânica, química, ao impacto e à abrasão, além de alto brilho superficial,  principalmente nos outros países da América do Sul (Chile, Colômbia, Peru, Venezuela e Equador), que requerem a aprovação UL 94.

• Styropor®: o poliestireno expansível (EPS) é um dos isolantes térmicos mais eficientes do mercado. É um produto leve, possui resiliência elevada, estabilidade dimensional, tem excelente resistência mecânica e dissipa tensões concentradas sem romper-se. Além disso, o Styropor® é compatível com diversos tipos de projetos devido à sua versatilidade de aplicação, pois é um produto de excelente uso/manuseio que proporciona velocidade em suas aplicações. O Styropor® também oferece benefícios ecológicos: não tóxico, biologicamente inerte, não sofre mutações, não contém CFC, não contribui para a formação do gás metano na atmosfera e é 100% reciclável. O Styropor® é indicado para aplicações de lajes, telhas, enchimento, sistemas construtivos, concreto leve, forros, entre outros; também atua como solução geotécnica para fundações, aterros e estabilização de solos moles, nomeada como Geofoam.

• Neopor®: além de reunir todas as características do Styropor®, o Neopor® possui micropartículas de grafite que absorvem e refletem os raios infravermelhos, prevenindo a absorção do calor causado pela radiação solar. Desta forma, o Neopor® possibilita uma performance superior em isolamento térmico de até 20% comparado ao EPS convencional, podendo gerar resultados mais positivos e proporcionando maior economia de energia e redução de até 50% na utilização de matéria-prima, sem perder as características tradicionais do Styropor®.

• Basotect®: espuma de melamina usada para aplicações de conforto acústico em diversas indústrias. Suas principais vantagens são: alto poder de absorção acústica em médias e altas frequências, baixíssima densidade, estabilidade química e elevada segurança ao fogo (não propaga chamas nem gera fumaça tóxica em caso de incêndio). Além disso, o Basotect® pode ser pintado e utilizado normalmente como um elemento funcional, acústica e esteticamente. No estande da BASF na Feiplastic deste ano, será feita uma aplicação diferenciada em uma sala de reunião, aliando conforto acústico, facilidade de aplicação e design.

Automotiva

Os plásticos especiais da BASF para a indústria automotiva garantem alto desempenho das funções que contam com sua aplicação.

• Basotect®: com as propriedades já indicadas no item “Construção civil”, essa espuma é aplicada também no setor automotivo para, por exemplo, isolar o espaço interno do veículo contra o ruído do motor.

• Elastollan®: também com as propriedades já indicadas no item “Construção civil”, o TPU da BASF contribui com o avanço da indústria automotiva com características-chave que permitem que o produto seja usado com sucesso em tudo, desde cabos ABS, porta-copos, maçanetas com “soft touch”, coifas, manoplas de câmbio, até as grades frontais do radiador.

• Neopolen® P (EPP): espuma de polipropileno, cujas pérolas expandidas são predominantemente de células fechadas. É fornecido aos transformadores na forma de pérolas soltas sem agente expansor para o seu posterior processamento em uma ampla variedade de peças moldadas, gerando peças com alto poder de absorção de impactos e extrema leveza.

• Ultradur®: linha de politereftalato de butileno (PBT) excepcional da BASF por sua alta rigidez e força, baixa absorção de água, estabilidade dimensional, resistência a intempéries e excelente comportamento ao envelhecimento térmico. Aplicado dentro da indústria automobilística em: molduras de faróis, conectores, mecanismos de elevação de vidros, entre outros.

• Ultramid®: nome comercial da BASF para a sua linha de poliamida, baseada em PA6, PA66, PA 6/66 e PA6/6T. Ultramid® se destaca por suas excelentes propriedades mecânicas – resistência ao impacto e rigidez, vantangens térmicas, elevada resistência química e a altas temperaturas de trabalho, além de fácil processabilidade. A família de poliamidas Ultramid® se caracteriza pela sua variada gama de aplicações na indústria automobilística: coletores de admissão de ar, maçanetas, pedais, sistemas de arrefecimento e ar condicionado, invólucros de airbags etc.

• Ultramid® Endure: poliamida de alta resistência para aplicações automotivas em alta temperatura. Esta nova família de poliamidas reforçadas com fibra de vidro combina uma excelente resistência ao envelhecimento ao calor com a facilidade do processamento da poliamida 6.6. O Ultramid® Endure pode resistir ao uso contínuo por mais de 3.000 horas, a 220oC, e a picos de temperatura superiores a 240oC, o que amplia a gama de aplicações da poliamida quando se necessita de resistência a altas temperaturas. Suas principais propriedades são: excelente resistência ao envelhecimento ao calor, sob carga contínua, até 220oC; elevada resistência mecânica; elevada tenacidade; excelente soldabilidade; melhores propriedades de fluxo do que uma PA 6.6 comum; excelente aspecto superficial; fácil processamento.

• Ultraform®: nome comercial da BASF para a sua linha de poliacetais (POM), a qual compreende plásticos de engenharia versáteis com uma ampla gama de propriedades capazes de resistir a elevados níveis de esforços. Suas principais características são: elevada rigidez, resiliência, estabilidade dimensional, excelente resistência a agentes químicos (em particular, agentes tipicamente utilizados na indústria automobilística), baixa absorção de água, excelente resistência ao escoamento a frio (“creep”), resistência à abrasão (características auto-lubrificantes). Na indústria automobilística, as típicas aplicações são: sistemas de injeção de combustível, engrenagens e mecanismos de elevação de vidros.

Embalagens

Alta performance é um dos itens mais valorizados pelas empresas do ramo de embalagens e os plásticos da BASF suprem perfeitamente a esse critério.

• Ultramid e Mazmid: as marcas comerciais da BASF para as poliamidas para extrusão PA6 e PA6/6.6 produzidas na Alemanha (Ultramid) e no Brasil (Mazmid) são aplicadas na produção de filmes para embalagens de alimentos frescos e processados devido à sua resistência mecânica e barreira contra oxigênio e aromas, o que aumenta a durabilidade dos produtos. As poliamidas para extrusão são normalmente aplicadas em diversos tipos de embalagens, entre elas: filmes termoformados, sacos pouches, tripas, termoencolhíveis e BOPA (poliamida bi-orientada).

• ecovio® PS1606: novo biopolímero constituído principalmente de fonte renovável, biodegradável e compostável certificado é o novo desenvolvimento para aplicação sobre papel, com excelente adesão. Proporciona adequadas barreiras a líquidos, gorduras e odores, permitindo sua aplicação em embalagens alimentícias e itens descartáveis, como copos para bebidas quentes e frias, pratos, bandejas, travessas, entre outros, que podem ser utilizados em eventos ou locais que utilizam o modelo de circuito fechado, por exemplo eventos esportivos, shows, restaurantes de aeroportos, shoppings, escolas e empresas, já que após o uso podem ser destinados à compostagem, na qual o papel revestido com ecovio® será completamente digerido por microrganismos juntamente com os resíduos orgânicos, transformando-se em adubo, água e dióxido de carbono em poucas semanas.

• ecovio® T2308: este plástico apresenta propriedades mecânicas semelhantes àquelas de PET amorfo, mas difere de material de termoformagem convencional devido à sua compostabilidade e por conta de seu alto conteúdo de fonte renovável (ácido polilático). O teor de ecoflex®, poliéster compostável da BASF, é representativo pelo fato de o material não ser demasiadamente rígido ou quebradiço, além de assegurar um equilíbrio na relação rigidez – resistência e suficiente resistência ao impacto a baixas temperaturas. Este produto pode ser utilizado na produção de bandejas e copos termoformados, por exemplo.

• ecovio IS1335: grade de moldagem por injeção que oferece boa rigidez. Ele pode ser processado utilizando moldes com uma única cavidade ou várias cavidades equipados com ou sem câmara quente. O material apresenta características de fluxo moderado e dimensionamente estável em temperaturas de até 55°C [131°F]. Esta versão é ideal para embalagens compostáveis com paredes finas, complexas e de alta qualidade, que preferencialmente devem ser produzidas por meio de moldagem por injeção.

• Styropor®: com as propriedades já abordadas no item “Construção civil”, o material é utilizado em embalagens protetoras de conteúdo, de aparelhos eletroeletrônicos e linha-branca, principalmente. Além dessas, o Styropor® também é utilizado em aplicações em caixas térmicas, flutuadores, capacetes, pranchas, sementeiras, entre outras.

• E-por®: espuma inovadora indicada para a proteção de produtos sensíveis de alto valor agregado por proporcionar maior resistência ao impacto. A utilização do E-por® permite otimizar os custos relacionados a quebras e possíveis imperfeições causadas nas peças durante o transporte e armazenamento. Trata-se de uma espuma baseada em uma formulação complexa contendo Poliestireno (PS) e Polietileno (PE) que concede à peça moldada propriedades elásticas e de maior resistência a quebra (ou impacto). A BASF fornece a matéria-prima (interpolímero expansível), sendo o material processado de maneira similar ao EPS convencional. Dessa forma, o processamento pode ser feito sem a exigência de investimento em novos equipamentos por parte dos transformadores. Suas principais vantagens são: grande capacidade de absorção de impactos, excelente fusão das pérolas, toque aveludado e aparência de alta qualidade, baixa absorção de água, bom isolamento térmico, boa resistência química, processos de armazenamento, processamento e reciclagem semelhantes aos do EPS convencional.

• Ultramid® B33/B36 SL: resina de PA6 modificada com baixa velocidade de cristalização. Estes grades combinam a performance mecânica e barreira da PA6, porém com melhorias no processamento. Estes produtos são recomendados para aplicação em embalagens tipo stand-up pouches, que apresenta crescimento consideravel no mercado da América do Sul. Outro benefício destes produtos é a substituição das comumente utilizadas misturas de PA6 e PA6/6.6, mas com a preservação das características técnicas e de processamento, reduzindo a complexidade ao convertedor.

Agricultura

De elevada importância para o mercado alimentício, a agricultura também conta com os plásticos da BASF de alta qualidade.

• ecovio® M2351: biopolímero biodegradável composto de ecoflex® e PLA (derivado do amido de milho) para extrusão de filme Mulch. É parcialmente de fonte renovável e totalmente biodegradável de acordo com a norma EN 13432. O material é utilizado para cobertura de culturas, como alface e melão, e graças à sua biodegradabilidade não há necessidade de retirá-lo após a colheita, proporcionando redução de tempo e custo de retirada.

• Elastollan®: durável o suficiente para resistir a ambientes adversos e ao uso contínuo, os produtos fabricados com o TPU da BASF utilizados na indústria agrícola oferecem alta performance de resistência ao rasgo, flexibilidade a longo prazo, flexibilidade à baixa temperatura e resistência à hidrólise. Dentre as aplicações, pode-se citar: brincos identificadores de animais, peças para máquinas agrícolas, ferraduras para cavalos e mangueiras para irrigação.

• Tinuvin® XT 200: novo estabilizante à luz do tipo NOR HALS. Permite a fabricação de filmes plásticos transparentes para estufas agrícolas com alta durabilidade às radiações ultravioletas. Este aditivo configura uma proteção duradoura frente aos defensivos agrícolas, como, por exemplo, o enxofre, que podem comprometer a estabilidade à luz do plástico.

Moda & Design

Após o sucesso do Pure 1.0, primeiro calçado conceitual feito somente em poliuretano e poliuretano termoplástico, duas novas versões foram apresentadas: Pure 1.1, que contou com inovações em matérias-primas, como a substituição da borracha por poliuretano (Elastopan® GRIPTEC e Elastollan® SUPER SOFT), e Pure 1.2 Balance, que é confeccionado com poliuretano termoplástico com até 40% de fonte renovável.

O produto desenvolvido com poliuretano é mais durável, funcional, confortável e leve do que o desenvolvido com outros materiais. O calçado é confeccionado com o TPU Elastollan® e o PU Elastopan®, para produção de componentes como solados, cabedal, chassis, entressola, peças de performance e palmilhas com controle interno de clima, entre outros.

• Elastollan®: possui excelentes propriedades físicas com uma ampla faixa de dureza disponível, desde o super soft 35 shore A / 45 shore A para as solas, até o de dureza mais elevada 60 shore D / 74 shore D para os tacos de calçados femininos.

Mineração e Óleo&Gás

O ramo de Mineração e Óleo&Gás é contemplado pelo poliuretano de alta resistência da BASF.

• Elastollan®: essa linha de produtos abrange soluções de TPU para aplicações em cabos de energia e peneiras para o segmento de mineração, além de cabos de comando (umbilicais) para a indústria de Óleo & Gás, oferecendo altíssima durabilidade e resistência mecânica na exploração de petróleo.

Pigmentos e aditivos

A linha completa de pigmentos e aditivos para plásticos da BASF, que podem executar diversas funções, como conferir cor, efeitos especiais e melhorar a qualidade de produtos, terá alguns de seus itens em destaque na feira deste ano.

• Tinuvin® XT 200: características e aplicação explicadas no item “Agricultura”.

• Tinuvin® 1600: absorvedor UV para plásticos de engenharia.

• Irgastab® RM 68: estabilizante que permite a otimização do processo de rotomoldagem, contribuindo com a redução da temperatura do forno e aumentando a flexibilidade das condições de processamento. Irgastab® RM 68 promove aos produtos de rotomoldagem, como por exemplo as caixas d’água, uma melhor qualidade e economia de energia na produção.

• Sicopal (linha de pigmentos para gerenciamento de calor)

• Pigmentos orgânicos e inorgânicos isentos de chumbo

• Antioxidantes e aditivos de alta performance

Outras

Os plásticos de alta perfomance da BASF contemplam ainda com algumas de suas soluções outras indústrias.

Pesca:  Ultramid e Mazmid: poliamidas 6 e 6/6.6 também são utilizadas na indústria de monofilamentos, especialmente na produção de fios e redes de pesca, cortadores de grama, cordas e cordéis, devido às suas caracterícas de maciez, transparência e resistência.

Telecomunicações:  Ultradur®: também amplamente aplicado na fabricação de cabos de fibras óticas, na qual é essencialmente empregado devido à sua alta resistência mecânica, tenacidade, baixa absorção de água e estabilidade dimensional.

Higiene:  Mazmid 6.10 / Mazmid 6.12: são poliamidas especiais utilizadas na produção de cerdas para escovas de dentes, pincéis, cerdas industriais e também para aplicações técnicas como o PMC (Paper Machine Clothing). Apresentam como características principais: estabilidade dimensional e alta transparência.

Elétrico & Eletrônicos: Elastollan®: por suas excelentes propriedades físicas em conjunto com boa propriedade elétrica, resistência a microrganismos e retardador de chama, é muito utilizado no encapsulamento de cabos de alta performance e seus conectores.

Fonte: BASF

Foto (créditos): Feiplastic

Curta nossa página no

Casa de Eficiência Energética da BASF utiliza PVC em portas e janelas

09/05/2013

Um exemplo de construção que reúne produtos e técnicas construtivas mais sustentáveis será inaugurado em São Paulo no próximo mês. A CasaE Brasil, a primeira Casa de Eficiência Energética da Basf no país, utiliza tecnologias que servirão como direcionadoras de processos de inovação e sustentabilidade em todo o mundo. Totalmente integrada a essa filosofia, a VEKA Brasil é parceira do projeto, que tem todas as portas e janelas de PVC, garantindo o melhor desempenho em isolamento térmico e acústico da casa.

A casa estará localizada na Avenida Vicente Rao (zona sul de São Paulo) e reunirá, em um único espaço, tecnologias que atendem às demandas globais avaliadas pela BASF como grandes desafios para os próximos anos, que servirão como direcionadores de processos de inovação e sustentabilidade dentro da empresa.

Com a CasaE, a Basf mostra ao mercado que o conceito construtivo (método, técnica e produtos) utilizados no projeto pode ser reproduzido em uma moradia comum, sendo totalmente factível ao mercado. A ideia é ajudar a transformar a cultura da indústria da construção e de seus consumidores.

Para a construção da CasaE foram implantadas diversas soluções e inovações que atuam diretamente na redução do consumo de água, energia e emissão de CO2. Além disso, o projeto apresenta respostas a questões fundamentais sobre o mercado da construção sustentável, como a durabilidade dos materiais utilizados, seu reaproveitamento e a saúde e conforto das pessoas que habitarão os espaços.

“O projeto traz muitas novidades para o mercado de construção brasileiro e coloca à disposição da indústria a mais diferenciada tecnologia em materiais de alta performance, eficiência energética e proteção climática. Nosso compromisso é transformar a química para oferecer soluções inovadoras e economicamente viáveis. Dessa forma, contribuímos com a construção de um futuro mais sustentável para as próximas gerações”, explica Alfredo Hackenberger, Presidente da BASF para a América do Sul.

Inovações

O grande destaque na CasaE é seu sistema construtivo. Consiste em um painel de cerâmica estrutural e fundação de alvenaria, paredes, piso e laje executados em Sistema EIFS – Exterior Insulation and Finish Systems – placas de poliestireno expandido da BASF e em Sistema ICF – Insulated Concrete Formwork – tijolos fabricados com esse mesmo material. Essas soluções proporcionam um isolamento térmico muito eficiente, por meio do qual é possível atingir uma economia de aproximadamente 70% de toda a energia consumida pela casa.

Estes produtos atendem às diferentes necessidades das atividades de construção, ajudam a conservação do consumo de energia e a reduzir as contas, aumentam o conforto. Permitem ainda a rápida construção, sem comprometer o design e a arquitetura.

Além disso, espumas especiais são aplicadas para o conforto acústico e térmico no interior da CasaE.

As dispersões e os pigmentos da BASF apresentam diferenciais para as tintas, vernizes, adesivos e materiais de construção aplicados na CasaE, bem como no controle da temperatura, contribuindo diretamente para a economia de energia.

Já os poliuretanos entram na CasaE na forma de soluções utilizadas para conforto térmico e redução no consumo de energia, além de oferecer compostos para construção de pisos drenantes que evitam que haja acúmulo de água no piso.

Os produtos químicos para construção aumentam a eficiência da hidratação do cimento, reduzindo o uso de água e emissões de CO2. Também estão presentes produtos voltados para revestimento, impermeabilizantes e antiderrapantes.

Para finalizar o processo de construção e oferecer cor e proteção especiais à CasaE, entram em cena as tintas imobiliárias Suvinil, marca da BASF e líder no segmento premium, e Glasurit, líder no segmento econômico e também pertencente à empresa.

A Suvinil AntiBactéria será utilizada na parte interna da residência, reduzindo 99% das bactérias nas paredes, proporcionando um espaço mais protegido, que privilegia a saúde e o bem-estar. Já a linha de acrílicos Suvinil Contra Mofo e Maresia, que resiste às intempéries, e a Glasurit Alvenaria, que oferece maior rendimento, cobertura e durabilidade, serão aplicadas na parte externa da casa.

Fonte: BASF / Palavracom

 

Curta nossa página no

Estádio Nacional de Brasília terá cobertura de teto com tecnologia desenvolvida pela Bayer MaterialScience

23/04/2013

Bayer_estadio_Brasilia

Placas de policarbonato, Makrolon UV 2099, garantem proteção da chuva e sol forte e proporciona leveza no visual arrojado da estrutura interna da cobertura

Os preparativos para a Copa do Mundo de 2014 estão em ritmo acelerado e algumas das construções entraram na fase final, como o Estádio Nacional de Brasília, uma das sedes escolhidas, inclusive, para a Copa das Confederações que inicia em junho deste ano. Atualmente as obras já se encontram na sua fase final e a Bayer MaterialScience se sente orgulhosa em contribuir, por meio de suas placas de policarbonato Makrolon, com o maior evento esportivo mundial que acontecerá no País.

Devido à leveza, transparência e versatilidade, o policarbonato Makrolon® UV 2099 é o material ideal para aplicações em tetos solares na construção civil. Cerca de 110 toneladas do produto, com placas de 12 mm de espessura, cada uma com mais de 10 metros de comprimento, foram fabricadas para o anel do telhado suspenso interno do estádio. Isso equivale a cerca de 7.500 m² a serem cobertos com a tecnologia sólida desenvolvida pela Bayer.

A estabilidade e o alto nível de resistência a impacto das camadas de policarbonato junto ao seu peso relativamente baixo, se comparado com outros materiais, garantem maior segurança e praticidade ao produto. Outra vantagem é sua flexibilidade para trabalhar, o que torna a manipulação sobre a construção muito mais fácil.

Outro benefício apresentado pelo Makrolon ® UV 2099 é que ambos os lados das placas oferecem proteção contra os raios UV. Os 12 mm de espessura permitem também uma alta incidência de luz no campo, em torno de 82%. Além disso, pelo seu alto grau de resistência, o produto protege os espectadores e jogadores das adversidades climáticas.

Em sintonia com a grandiosidade de Brasília, o antigo Estádio Mané Garrincha pretende se juntar ao legado deixado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Entre as principais mudanças, a remodelação inclui a remoção da antiga faixa de corrida que permitirá aos espectadores uma melhor visão de campo e a colocação de cobertura de alta tecnologia nas arquibancadas.

Sobre a Bayer MaterialScience:  Com vendas de 11,5 bilhões de Euros em 2012, a Bayer MaterialScience está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Suas atividades de negócios são focadas na produção de materiais de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados no dia a dia. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônicos, construção e as indústrias de lazer e esportes. No final de 2012, a Bayer MaterialScience tinha 30 fábricas, reunindo 14.800 colaboradores em todo o mundo. A Bayer MaterialScience é uma divisão de negócios do Grupo Bayer.

Fonte: Bayer MaterialScience / Jeffrey Group

Curta nossa página no

 

Cisterna de vinil da Sansuy é solução prática e de baixo custo para o armazenamento de água das chuvas

01/04/2013

Produzida em PVC formulado para armazenar água potável, o material não trinca ou racha com o uso

Muito utilizadas em propriedades rurais e familiares para armazenamento de água, as cisternas são fundamentais nos períodos de estiagem e em locais de difícil abastecimento. Nesse contexto, as cisternas de vinil fabricadas pela Sansuy apresentam uma solução prática e de baixo custo, uma vez que sua montagem é bastante simples.

Confeccionada em PVC para armazenar água potável, a cisterna não apresenta trincas ou rachaduras com o uso, evitando vazamentos. Sua cobertura evita a passagem de luz e a entrada de insetos e sujeiras, o que permite melhor conservação da água.

As cisternas são produzidas em diversas medidas e atendem a pequenos e grandes volumes. O modelo padrão possui capacidade para 8 m³, adequado para propriedades familiares, contudo a empresa disponibiliza modelos com capacidades para volumes maiores projetados sob encomenda.

Instalação e manutenção

A instalação da cisterna é simples e pode ser realizada pelo próprio usuário, com a ajuda de um manual detalhado que acompanha o produto. A cisterna é entregue com manga para captação de água da chuva e extravasor (ladrão), e vem acompanhada por fita plástica para marcação do terreno e um conjunto de reparo.

Outros cuidados importantes para o bom funcionamento da cisterna é preparar o terreno eliminando pedras, raízes e demais objetos cortantes e perfurantes, e cercar a área para evitar acidentes com crianças e animais. Depois de realizada a escavação e acabamento, em poucas horas a cisterna estará montada.

Sua manutenção também é bastante simples, devendo ser limpa apenas com sabão ou detergente neutro, pano e água limpa. Não utilize produtos químicos agressivos, corrosivos e escovas de aço.

Com soluções como esta a Sansuy, uma empresa 100% brasileira, contribui para o armazenamento da água captada da chuva e que será utilizada na irrigação de plantações, para consumo das criações e para uso doméstico.

Fonte: Sansuy/Instituto de PVC

Curta nossa página no

BASF expande linha de poliamidas para tecnologia de injeção com água

27/03/2013

Ocos, mas robustos: novos graus da linha de produtos Ultramid

Injecao_com_aguaA BASF está expandindo sua variedade de tipos de poliamida que foram otimizados para o uso da tecnologia de injeção com água (WIT) na moldagem por injeção. Os novos grades WIT são Ultramid® A3HG6 WIT Balance e Ultramid® A3WG7 WIT. Graças à tecnologia de injeção com água,  peças ocas de plástico que requerem uma superfície interior muito boa podem ser produzidas através da moldagem por injeção. Estes dois materiais estão agora disponíveis em quantidades comerciais.

Resistente à água, óleo e sal

Devido à sua resistência à hidrólise melhorada, a poliamida (PA)  Ultramid® A3HG6 WIT Balance é particularmente bem adequada para os componentes que transportam líquido refrigerante ou que entram em contato com a água. Ao mesmo tempo, o teor de PA 6.10 neste material também se traduz em alta resistência a rachaduras por estresse provocadas por cloreto de cálcio, o que atende aos requisitos mais rigorosos em termos de resistência ao sal nas estradas. Particularmente na Ásia, o cloreto de cálcio é,  muitas vezes, espalhado em estradas  com gelo.

Em contraste, a BASF recomenda a sua nova Ultramid® A3WG7 WIT – reforçada com 35% de fibras de vidro – especialmente para tubos que transportam  óleo, tais como os utilizados para sondas, ou ainda para outros componentes que têm que satisfazer elevadas exigências em termos de resistência ao óleo, rigidez e estabilidade dimensional. Ambos materiais se adequam muito bem para a injeção com água. Ao mesmo tempo, o produto básico resistente à hidrólise da série WIT, a saber, o Ultramid A3HG6 WIT, tornou-se o material de escolha para várias aplicações WIT, como tubos de água para arrefecimento.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Braskem desenvolve solução de isolamento acústico para construção civil

20/03/2013

Com menor custo, produto atende a ABNT 15575 e proporciona maior redução de ruídos

Atenta às necessidades do mercado da construção civil, a Braskem, e a Multinova trazem ao mercado brasileiro as mantas expandidas de polietileno produzidas com tecnologia italiana, solução inovadora para reduzir a transmissão de ruídos entre os andares dos edifícios e conferir ainda mais qualidade em obras. O produto se apresenta como uma excelente alternativa para atendimento à norma ABNT NBR 15575-3:2013, que entra em vigor em julho deste ano e estabelece requisitos mínimos de desempenho acústico em edificações.

A nova exigência estabelece critérios e métodos de avaliação de desempenho para os principais sistemas que compõem um edifício: estrutura, pisos internos, vedações externas e internas, coberturas e instalações hidrossanitárias. Antecipadamente, as mantas de polietileno enquadram-se às novas regras estabelecidas, pois seguem um rigoroso controle de qualidade e têm sua eficiência comprovada através de ensaios técnicos realizado no IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas e também em institutos independentes italianos.

Com cinco ou dez milímetros de espessura, as mantas de polietileno são aplicadas entre a laje e o contra piso, o que proporciona redução de ruídos entre os andares, já que ela pode ser aplicada com qualquer tipo de piso e contempla também os rodapés. O produto é feito em polietileno expandido, o que o torna mais leve, com maior durabilidade e menor custo. Com estas características, serão evitados barulhos que causam incômodo aos moradores como crianças brincando, passos e animais.

“A manta de polietileno é a alternativa de melhor custo-benefício que podemos encontrar no mercado de isolamento acústico, permitindo atingir tanto o nível intermediário quanto o superior da norma. Com a forte expansão da construção civil, é preciso investir em novos produtos que garantam um bom desempenho e proporcionem conforto para o usuário”, afirma Jorge Alexandre, responsável por desenvolvimento de mercado de PE da Braskem.

“Com as novas regras estabelecidas pela ABNT, a demanda da construção civil irá aumentar muito. Por conta disso, pensamos em um produto de qualidade para o mercado e com custo inferior aos produtos similares comercializados”, destaca Jair da Rosa, gerente comercial corporativo da Multinova.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Sansuy apresenta manta flexível impermeabilizante para cisternas e reservatórios

07/03/2013

Com formulações variadas, a Vinimanta permite revestir totalmente cisternas e reservatórios de concreto que apresentam trincas e rachaduras

vinimantaFamílias e comunidades que dependem de cisternas para armazenamento da água sabem o que significa encontrar um vazamento. Para minimizar os transtornos ocasionados por esse tipo de ocorrência, a Sansuy, tradicional fabricante de laminados flexíveis e produtos manufaturados de PVC, oferece a Vinimanta, manta confeccionada sob medida e indicada para a impermeabilização de reservatórios e cisternas de concreto.

A elasticidade da manta é uma das características que a tornam especialmente indicada para aplicação sobre o concreto, pois acompanha a dilatação natural do material, sem que haja ruptura. A Vinimanta é produzida a partir de um composto de PVC, aditivos, plastificantes e estabilizantes que lhe conferem propriedades particulares de flexibilidade e resistência, e permite obter um produto adequado para a impermeabilização de reservatórios e também subsolos, lajes e coberturas.

Como barreira contra infiltração e perda de água, a manta de PVC também apresenta excelente performance nas impermeabilizações de caixas d´água, e ainda pode ser formulada para ter característica inodora e atóxica, garantindo a potabilidade da água.

Seus benefícios podem ser ampliados se for acoplada em uma das faces a um geotêxtil não tecido, formando um geocomposto, o que garante maior resistência ao puncionamento ou rompimento. Além disso, pode ser acomodada de acordo com o relevo, o que possibilita efetuar reparos com facilidade, mesmo próximo a tubulações, ralos e cantos.

A Vinimanta é confeccionada em painéis ou módulos, conforme projeto executivo, reduzindo a soldagem em obra e minimizando o tempo e custo de mão de obra na instalação.

Fonte: Sansuy

Curta nossa página no

Bayer MaterialScience levará à Feiplastic produtos que reduzem impacto ambiental

20/02/2013

feiplastic

A unidade Bayer MaterialScience apresentará soluções inovadoras para vários setores da economia durante a feira

Confirmando a vocação da FEIPLASTIC como cenário de bons negócios e exposição de grandes empresas do ramo de engenharia de materiais, a Bayer prepara sua participação na Feira Internacional do Plástico, que acontece em maio de 2013, com quatro linhas de produtos. No estande da empresa, uma das maiores do setor de Materiais Inovadores do mundo, os visitantes/compradores poderão conhecer os produtos de linha das famílias Makrolon, APEC, BayBlend e Makroblend. As informações foram antecipadas por Luis Carlos Sohler, Head da Unidade de Negócios Policarbonatos para América Latina da Bayer MaterialScience.

Sohler explica o foco da Bayer em atender tendências mundiais ligadas ao clima, mobilidade e crescimento populacional. “A Bayer tem uma série de iniciativas e programas ligados à sustentabilidade e também desenvolve produtos e soluções com este foco. Algumas destas iniciativas auxiliam vários setores da economia, como a indústria automobilística, pois oferecemos substitutos aos metais, por exemplo. Com isso podemos ter carros mais leves,  com motores de menor potência e que consomem menos combustível”, explica Sohler. “O desenvolvimento de materiais mais leves e transparentes na construção civil, por exemplo, proporciona barreira acústica e térmica. Também existem materiais extintores de chamas, entre outras”, completa.

Em relação à importância da Feira Internacional do Plástico para o reconhecimento de novas tecnologias disponíveis no mercado brasileiro, Sohler acredita que o evento pode servir como uma vitrine e incentivo para que materiais e projetos já adotados em mercados como Estados Unidos e Europa possam ser popularizados no Brasil. “Uma feira como a Feiplastic pode acelerar o reconhecimento pelos consumidores de que os plásticos de engenharia devem ser considerados como uma excelente alternativa à substituição de materiais tradicionais, como os metais e o vidro, contribuindo de forma decisiva para a sustentabilidade do planeta”.

A evolução do mercado e as novas necessidades do consumidor proporcionaram à FEIPLASTIC uma nova abordagem, alinhada às tendências globais e à força da indústria plástica no Brasil. Outras grandes marcas também já têm presença confirmada como Basf, Deb’Maq, Dupont, SEW, Wortex, entre outras. A nova concepção da Feira, organizada e promovida pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, traz a credibilidade e tradição de mais de 20 anos, agora com um grande enfoque internacional e novos pilares como Negócios, Sustenbilidade e Tecnologia. Novidades, soluções e tendências em produtos, serviços e equipamentos serão apresentadas por empresas dos setores de matérias-primas; máquinas, equipamentos e acessórios; moldes e ferramentas; transformadores e resinas sintéticas. O evento também oferecerá outras plataformas de intercâmbio comercial, Club Premium, e-business e ferramentas de divulgação online.

Sobre a Bayer Material Science:Com vendas de 10,8 bilhões de euros em 2011, a Bayer MaterialScience está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Suas atividades de negócios são focadas na produção de materiais de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados no dia a dia. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônicos, construção e as indústrias de lazer e esportes. No final de 2011, a Bayer MaterialScience tinha 30 fábricas, reunindo 14.800 colaboradores em todo o mundo. A Bayer MaterialScience é uma divisão de negócios do Grupo Bayer.

Fonte:  Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

BASF apresenta soluções em polímeros para construção na BAU – Feira para Arquitetura, Materiais e Sistemas

23/01/2013
  • Materiais da BASF aumentam eficiência energética, reduzem manutenção e agregam conforto
  • Tópico de pesquisa mais recente: pigmentos eletrocrômicos para iluminação interior de ambientes

BASF_BAUA BASF exibirá a contribuição da química para a construção sustentável na feira de exposições BAU 2013, em Munique, de 14 a 19 de janeiro de 2013.  Com seu espaço localizado no estande 303 no corredor A4, a empresa apresenta diversas soluções, incluindo produtos para aumentar a eficiência energética de construções. Entre outros itens que serão apresentados, estão os materiais para tornar as construções mais duráveis reduzindo, assim, a manutenção e os reparos.  A BASF também oferece suporte a arquitetos e planejadores que desejam experimentar novas abordagens de projetos e apresenta ainda uma visão das últimas pesquisas sobre pigmentos eletrocrômicos para iluminação interior de ambientes.

A BASF está em parceria na mostra especial Sustainable construction: a transparent guide to the appropriate product (Construção sustentável: um guia transparente para o produto apropriado), organizada pelo German Sustainable Building Council – DGNB (Conselho de Construções Sustentáveis da Alemanha).

“A nossa meta é, mais do que nunca, integrar a sustentabilidade aos nossos negócios. Consideramos a construção sustentável como um processo que combina a viabilidade econômica, a preservação de recursos, a proteção do meio ambiente e que atende as necessidades sociais. As inovações da área química são a chave para a construção sustentável”, disse Jacques Delmoitiez, gerente da BASF, cujas responsabilidades pelo negócio na região da  Europa, Oriente Médio e África incluem a promoção do diálogo entre a BASF e a indústria da construção.

A indústria da construção é uma das principais clientes da BASF, contabilizando entre cinco e dez por cento das vendas totais.

Melhorando a pegada energética de construções

Um dos objetivos do processo de diálogo é o de ajudar no desenvolvimento de soluções para construções energeticamente mais eficientes. A área de construção e de moradias representa aproximadamente 40% do consumo global de energia e 30% das emissões globais de dióxido de carbono (CO2). Este impacto pode ser reduzido significativamente. A linha de soluções que a BASF apresenta na BAU inclui o isolamento de perímetros, as molduras de janelas com pontes térmicas reduzidas e os sistemas de isolamento para fachadas, telhados e coletores solares.

Neopor®, uma versão mais avançada à base do material clássico de isolamento de poliestireno Styropor®, contém partículas especiais de grafite que refletem a radiação térmica como um espelho e assim reduzem a perda de calor na residência. Esta tecnologia é demonstrada na aplicação em teto plano e também em um sistema com revestimento de proteção contra a chuva com ventilação na parte posterior. O tradicional Styrodur® C é ideal para o isolamento de perímetros por sua alta força de compressão e sua baixa absorção de água. Estas duas propriedades são colocadas em destaque na apresentação da feira. Basotect®, uma espuma especial de células abertas produzida a partir da resina melamínica, é um isolante térmico resistente ao calor usado para aplicações como isolamento de coletores solares.

Outras soluções que contribuem para a eficiência energética abrangem as aplicações de poliuretano. Os itens apresentados pela BASF na BAU incluem o Elastopor® e o Elastopir®, placas de espuma de poliuretano rígido testadas e aprovadas, para o isolamento de telhados, paredes, pisos e tetos, e elementos com camadas de PU para telhados e fachadas. Com características como condutividade ultrabaixa de calor (grau 024), estes materiais também são usados para sistemas de isolamento de espuma de poliuretano rígido para as molduras de janelas e também para venezianas.

Minimizando esforços de manutenção e reparos

Os materiais da BASF também ajudam a proteger as estruturas dos efeitos causados por condições climáticas, reduzindo, dessa forma, a manutenção necessária e o trabalho de reparo. Os itens exibidos pela empresa incluem revestimentos de tetos com uma camada de poliuretano termoplástico para sua proteção dos efeitos de fenômenos meteorológicos.

Melhor acústica para mais conforto

Os visitantes que desejam aumentar os níveis de conforto nas construções residenciais, comerciais e industriais são indicados para  testar a caixa acústica no estande da BASF. Mais uma vez, Basotect entra em ação. Esta especialidade de espuma versátil com sua ampla gama de propriedades absorve o som para uma acústica significativamente melhorada.

Opções melhoradas de projeto

E finalmente, os materiais da BASF abrem um vasto leque de possibilidades para projetos: Permaskin®, um revestimento inovador de poliuretano termoplástico para elementos de construção estruturados e tridimensionais como portas, persianas, revestimentos, paineis e portas de garagem, melhora a aparência superficial com uma variedade de estruturas, possibilitando, assim, diversos projetos, desde um visual monocromático simples até os acabamentos semelhantes à madeira.

A mostra que destaca o projeto de pesquisa sobre iluminação de ambientes apresenta filmes de poliéster com pigmentos eletrocrômicos aplicados a materiais como o vidro, por exemplo. A ideia é que estes pigmentos mudem de cor quando há a aplicação de voltagem através de uma célula solar integrada. Daqui a alguns anos, esta tecnologia poderá ser desenvolvida a ponto de poder ser usada em aplicações como portas de escritório com paineis de vidro.

A principal feira mundial nas áreas de arquitetura, materiais e sistemas contará, este ano, com a presença de aproximadamente 2.000 expositores de mais de 40 países. A BASF já exibe seus produtos nesta feira há muitos anos.

Fonte:  BASF

Curta nossa página no

Cipavinil® lança nova coleção de laminados para piscinas

18/11/2012

A Cipavinil® lançou novas estampas de laminados para revestimento de piscinas: Tartaruga 3D, Lisboa e Madri. Com as novas estampas a linha passa a contar com 17 opções de temas e combinações de cores, favorecendo os mais diversos projetos paisagísticos e possibilitando inúmeras criações para piscinas residenciais e de uso coletivo, como academias, clubes, escolas, clínicas terapêuticas entre outras.

Toda a linha conta com alta resistência aos raios UV, a variações de temperatura e aos produtos para tratamento da água. Além disso, o Cipavinil® possui a proteção antimicrobiana Microban®, que é incorporada durante o processo de fabricação, inibindo o crescimento de microorganismos e oferecendo proteção eficaz contra bolor, evitando manchas e mau odor.

As piscinas de vinil oferecem várias vantagens frente aos modelos convencionais. Dentre eles, a relação custo x benefício, que pode chegar a uma economia de até 60%. Outro diferencial é que são mais fáceis de limpar, reduzem a possibilidade de vazamento, oferecem maior facilidade de manutenção e são 100% recicláveis. Além disso, a durabilidade é excelente e caso haja interesse em reformar a piscina, basta trocar o bolsão substituindo por uma nova cor e estampa.

Sobre o Grupo Cipatex®

Criada em 1964, o Grupo Cipatex® oferece ao mercado soluções confiáveis e inovadoras em laminados sintéticos e não-tecidosa. A empresa se diversificou e hoje conta com uma linha de produtos que atende aos setores de calçados, piscinas, bolsas e acessórios, utilidades domésticas, construção, móveis, vestuário, automóveis, esporte e lazer, brindes, material escolar e comunicação visual.  Ao todo, o grupo conta com mais de 1.400 colaboradores distribuídos em cinco plantas industriais.

Fonte:  Alfapress Comunicações

Curta nossa página no


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.270 outros seguidores